INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO"

Transcrição

1 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS E OBRAS GUIÃO DA DISCIPLINA DOCENTES: Prof. Antunes Ferreira Prof. Pedro Gameiro Henriques Prof. Rui Cunha Marques Eng.ª Inês Flores-Colen ANO LECTIVO 2005 / 2006

2 ÍNDICE NORMAS DE AVALIAÇÃO...3 PROGRAMA DAS AULAS TEÓRICAS...6 PROGRAMA DAS AULAS PRÁTICAS...9 ENUNCIADO DOS EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS... 12

3 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS E OBRAS NORMAS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2005 / 2006

4 ANO LECTIVO 2005/2006 2º SEMESTRE NORMAS DE AVALIAÇÃO A avaliação da disciplina de Gestão de Empreendimentos e Obras é constituída pela realização de um Exame Final e de um Trabalho de Grupo. A Classificação Final da Disciplina de Gestão de Empreendimentos e Obras é calculada através da média ponderada das notas do Exame Final (40%) com a nota do Trabalho de Grupo (60%), podendo vir a ser alterada em Avaliação Oral. EXAME FINAL: Exame obrigatório, a realizar durante o período de avaliação correspondendo à 1ª e/ou 2ª época, sendo avaliada toda a matéria do programa. É permitida aos alunos a consulta de elementos escritos. Nota mínima: 10 valores. TRABALHO DE GRUPO: O Trabalho de grupo corresponde à realização do planeamento e orçamentação de uma obra. Os grupos serão constituídos por um máximo de 4 (quatro) elementos. Nota mínima: não aplicável. Os grupos que obtenham nota do Trabalho de Grupo não inferior a 12 valores poderão solicitar a apresentação do trabalho. Caso os alunos optem por prescindir da apresentação do Trabalho de Grupo a classificação deste será de 12 ou 13 valores, consoante a nota inicial obtida no trabalho tenha sido de 12 ou superior a 12 valores (em 20 Valores), respectivamente. A apresentação do trabalho será efectuada em PowerPoint com uma duração máxima de 10 minutos para cada grupo. Com a apresentação a nota do Trabalho de Grupo poderá ser alterada, podendo existir notas distintas para elementos do mesmo grupo. Data e hora limite para entrega do Trabalho de Grupo: 5 de Junho de 2005 (16 horas)

5 Local para entrega do Trabalho de Grupo: gabinete 3.01 AVALIAÇÃO ORAL: Prova facultativa e individual, a realizar durante o período de avaliação. A prova oral incide sobre toda a matéria do programa da disciplina. A prova oral deverá ser requerida pelo aluno e a ela só terá acesso quem na prova escrita (exame final) tiver obtido uma nota não inferior a 10 valores. A nota final, nos casos dos alunos que se apresentem a esta prova, é a nota da Avaliação Oral. Para os alunos com Classificação Final (obtida após ponderação das notas de Exame Final e do Trabalho de Grupo) igual ou superior a 16 valores, que não requeiram a prova oral, a classificação final será de 16 valores.

6 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS E OBRAS PROGRAMA DAS AULAS TEÓRICAS ANO LECTIVO 2005 / 2006

7 PROGRAMA DAS AULAS TEÓRICAS AULA PROGRAMAÇÃO 1ª (20/02 a 24/02) 2ª (03/03 ou 06/03) 3ª (10/03 ou 13/03) 4ª (17/03 ou 20/03) 5ª (24/03 ou 27/03) 6ª Apresentação, conceitos e avaliação. O Empreendimento visto como um sistema: Elementos e relações Definição de actividades Recursos Nível de agregação Conceito de Rendimento, Ritmo e Duração Modelos CPM / PERT Representação de Empreendimentos em rede. Representação AOA e AON. Cálculo da duração mínima. Identificação de actividades críticas e de caminhos críticos. Algoritmos de cálculo da duração mínima para Empreendimentos com relações de sequencialidade P-P, P-F, F- P, F-F. Gestão de Empreendimentos com prazo imposto. Algoritmo para a redução de prazos. (31/03 ou 03/04)

8 PROGRAMA DAS AULAS TEÓRICAS (continuação) Aula 7ª (07/04 ou 10/04) 8ª (28/04 ou 08/05) 9ª (05/05 ou 15/05) 10ª (12/05 ou 22/05) 11ª (19/05 ou 29/05) Afectação de recursos. Regularização e Nivelamento. PROGRAMAÇÃO Estrutura de custos para orçamentação. Avaliação económica e financeira de Empreendimentos. O tratamento da incerteza na gestão de Empreendimentos. Legislação aplicada às Empreitadas de Obras Públicas, Dec. Lei 59/99. Procedimentos tendentes ao Processo de Consulta. 12ª (26/05 ou 05/06) Legislação aplicada às Empreitadas de Obras Públicas, Dec. Lei 59/99. Project Finance. Parcerias públicas e privadas. Avaliação de propostas em concursos públicos. 13ª (02/06 ou 07/06) Legislação aplicada às Empreitadas de Obras Públicas, Dec. Lei 59/99. Fiscalização, Monitorização e Fecho da Empreitada.

9 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS E OBRAS PROGRAMA DAS AULAS PRÁTICAS ANO LECTIVO 2005 / 2006

10 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS E OBRAS ENUNCIADO DOS EXERCÍCIOS DAS AULAS PRATICAS ANO LECTIVO 2005 / 2006

11 PROGRAMA DAS AULAS PRÁTICAS Aula 1ª (20/02 a 24/02) 2ª (06/03 a 10/03) 3ª (13/03 a 17/03) 4ª (20/03 a 24/03) 5ª (27/03 a 31/03) 6ª (03/04 a 07/04) PROGRAMAÇÃO Apresentação da disciplina. Programação e modo de funcionamento das aulas práticas. Introdução à Gestão de Empreendimentos. Conceito de Empreendimento. Apresentação do caso de estudo a resolver durante as aulas. Apresentação dos trabalhos que os alunos poderão realizar. Noções necessárias ao planeamento da Obra. Identificação das actividades. Definição das actividades para o caso de estudo. Resolução do exercício 1. Introdução ao Software Microsoft Project. Sequencialidade na realização das tarefas. Resolução do exercício 2 Quantidades de trabalho por actividade. Recursos. Equipas de trabalho. Rendimentos. Durações das actividades. Resolução do exercício 2 (continuação) Cálculo de todos os elementos necessários à determinação da duração mínima do empreendimento. Identificação das actividades críticas (Redes AON). Aplicação ao caso de estudo. Resolução do exercício 3 Planeamento de Prazos para o caso de estudo. Resolução do exercício 3 (continuação)

12 PROGRAMA DAS AULAS PRÁTICAS (continuação) Aula 7ª (10/04 a 14/04) 8ª (01/05 a 05/05) 9ª (08/05 a 12/05) 10ª (15/05 a 19/05) 11ª (22/05 a 26/05) 12ª (29/05 a 02/06) 13ª (05/06 a 09/06) PROGRAMAÇÃO Processos de orçamentação das actividades através de preços compostos ou de preços globais. Análise das tabelas de custos do LNEC. Custos de recursos, custos de fabrico, custos de subempreitadas, encargos directos, encargos indirectos e lucro. Determinação de preços unitários. Cronograma financeiro para o caso de estudo. Resolução do exercício 4 Redução da duração de um Empreendimento com custo marginal mínimo. Aplicação ao caso de estudo. Resolução do exercício 4 (continuação) Recurso ao Software Microsoft Project. Recursos e custos. Diagramas de cargas. Cronograma financeiro (e sua correcção). Resolução do exercício 5 Proposta de plano de pagamentos (com custos revistos devido aos recursos não utilizados). Resolução do exercício 6 Aplicação do Plano de Pagamentos ao caso de estudo. Resolução do exercício 6 (continuação) Resolução de exercícios de exame. Resolução de exercícios de exame

13 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 1º EXERCÍCIO Considere o empreendimento cujo Mapa de Quantidades se anexa. Identifique as actividades deste empreendimento e relacione estas actividades com as quantidades consideradas no respectivo Mapa de Quantidades.

14 MAPA DE QUANTIDADES Código DESIGNAÇÃO Un Totais VALORES P. Unitário Total 1. Movimento de terras 1.1 Terraplenagem geral no perímetro da moradia para implantação da mesma, considerando uma decapagem no terreno com mais ou menos 0.20m de altura. m Escavação para abertura de sapatas de pilares e caboucos de paredes exteriores e interiores, incluindo remoção de terras a vazadouro: Sapatas de pilares. m Caboucos para paredes exteriores e interiores. m Fundações 2.1 Betão de Limpeza de classe C12/15 com espessura de 0.05 m. m Betão de classe C20/25 em enchimento de sapatas de pilares e fundações de paredes exteriores e interiores: Em sapatas de pilares. m Em fundações de paredes exteriores e interiores. m Pavimento térreo constituído por enrocamento com 0,20m de espessura e massame armado com malhasol com 10cm de espessura sobre terreno devidamente compactado. m Estrutura em elevação (betão armado e cofrado) 3.1 Pilares (montantes). m Vigas e lintéis. m Laje maciça (esteira). m Alvenarias 4.1 Alvenaria em tijolo 30*20*22 em paredes exteriores assente em argamassa de cimento e areia ao traço 1:4. m Alvenaria em tijolo 30*20*11 em paredes interiores assente em argamassa de cimento e areia ao traço 1:4. m Cobertura 5.1 Estrutura da cobertura.

15 MAPA DE QUANTIDADES Código DESIGNAÇÃO Un Totais Execução de ripas sobre a laje de esteira. ml VALORES P. Unitário Total 5.5 Fornecimento e assentamento de telha Lusa, incluindo todos os remates e telhões de cumieira. m Cantarias 6.1 Fornecimento e assentamento de cantarias para vãos exteriores em moleanos rijo com 3cm de espessura: Peitoris. ml Soleiras. ml Vergas e ombreiras. ml Vãos exteriores 7.1 Fornecimento e assentamento de caixilharia de alumínio termolacada com vidro simples, 4mm, em vão de janela de peito e de sacada conforme projecto, incluindo porta para estendal: Vão de abrir. m Vãos fixos. ml Vãos interiores 8.1 Fornecimento e assentamento de portas interiores tipo Vicaima, incluindo aduelas, guarnições, ferragens e acabamento a verniz conforme projecto Vãos com 0.80m. Un Vãos com 0.75m. Un Vãos com 0.70m. Un 2 Notas: 1) Considerar para as Fundações a percentagem de armadura de 40 Kg/m 3 2) Considerar para a Estrutura em elevação as seguintes Quantidades: Pilares Cofragem (m 2 ) Aço (Kg) 267 Betão (m 3 ) Vigas, Lintéis e Laje Cofragem (m 2 ) Aço (Kg) 2012 Betão (m 3 )

16 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 2º EXERCÍCIO Para o empreendimento do exercício anterior e para as actividades identificadas: a) Defina as relações de sequencialidade entre as actividades. b) Estime as durações de cada uma das actividades.

17 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 3º EXERCÍCIO Para o empreendimento dos exercícios anteriores: a) Determine a duração mínima. b) Estabeleça um Plano de Trabalhos.

18 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 4º EXERCÍCIO a) Para o empreendimento em estudo, calcule, com recurso às tabelas de rendimentos do LNEC os custos de execução deste empreendimento. Considere que os custos de realização do empreendimento ocorrem no final de cada mês de trabalho. Trace o respectivo cronograma financeiro. b) Admita que o dono de obra estabelece o prazo para a realização do empreendimento de. Refaça o planeamento efectuado no 3º Exercício.

19 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 5º EXERCÍCIO a) Elabore os diagramas de carga dos seguintes recursos de mão de obra: i) Pedreiro; ii) Carpinteiro de Toscos; iii) Ladrilhadores, por forma a obter uma regularização aceitável do nível de utilização destes recursos ao longo do tempo, sem alterar o prazo definido no exercício anterior. b) Determine para os recursos analisados na alínea anterior os sobre custos decorridos da sua não utilização. c) Refaça o cronograma financeiro tendo em conta o novo planeamento e os custos determinados na alínea anterior.

20 EXERCÍCIOS INDIVIDUAIS ENUNCIADOS 6º EXERCÍCIO Elabore uma proposta de preços de venda e de adiantamento no início da obra tendo em atenção: a) TIR mínima de 30%. b) A capacidade de auto financiamento é no máximo de 10% do custo global obtido no exercício anterior. c) Os autos de medição e respectivas facturas são elaborados mensalmente, sendo os recebimentos efectuados a 90 dias da data das facturas. d) Os custos são suportados no final do mês em que ocorrem.

Gestão de Obras e Estaleiros

Gestão de Obras e Estaleiros Gestão de Obras e Estaleiros Planeamento Grupo 13 Ricardo Dias Nº31209 Tânia Henriques Nº33099 Pedro Duarte Nº33787 Semestre Inverno 2011/12 Índice GESTÃO DE OBRAS E ESTALEIROS Introdução... 3 Sequência

Leia mais

PLANEAMENTO E GESTÃO DE OBRAS (PGO) PLANEAMENTO DE OBRAS EXEMPLO RESOLVIDO ENUNCIADO

PLANEAMENTO E GESTÃO DE OBRAS (PGO) PLANEAMENTO DE OBRAS EXEMPLO RESOLVIDO ENUNCIADO PLANEAMENTO E GESTÃO DE OBRAS (PGO) PLANEAMENTO DE OBRAS EXEMPLO RESOLVIDO ENUNCIADO Uma empresa de construção especializada na realização de piscinas pretende programar a execução da piscina mais corrente.

Leia mais

1.1 Montagem de estaleiro, compreendendo instalações e equipamentos necessários á execução da obra.

1.1 Montagem de estaleiro, compreendendo instalações e equipamentos necessários á execução da obra. ORÇAMENTO OBRA: CONSTRUÇÃO HABITAÇÃO UNIFAMILIAR Dono de obra: Local da obra: 1 Estaleiro 1.1 Montagem de estaleiro, compreendendo instalações e equipamentos necessários á execução da obra. 2 Movimentos

Leia mais

Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar

Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar Módulo Processos de construção LABORATÓRIO DE CONSTRUÇÃO A68262 Sara Cardoso A68222 Ana Catarina Silva Guimarães, 07 de fevereiro de 2014 Índice

Leia mais

Trabalho 3. Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Direcção de Obra 2007/2008

Trabalho 3. Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Direcção de Obra 2007/2008 Mestrado Integrado em Engenharia Civil Direcção de Obra 2007/2008 Trabalho 3 Trabalho realizado por: Ana Araújo Jaime Rocha Paula Arantes Pedro Couto Tiago Campos Introdução Actualmente, tendo em conta

Leia mais

MUNICÍPIO DA NAZARÉ - CÂMARA MUNICIPAL Divisão de Planeamento e Urbanismo ORÇAMENTO. Código Descrição Un. Quantidade Unitário Total. vg 1,00.

MUNICÍPIO DA NAZARÉ - CÂMARA MUNICIPAL Divisão de Planeamento e Urbanismo ORÇAMENTO. Código Descrição Un. Quantidade Unitário Total. vg 1,00. ORÇAMENTO OBRA: Código Descrição Un. Quantidade Unitário Total Custo 1 ESTALEIRO 1.1 Desenvolvimento do Plano de Segurança e Saúde (PSS) para a execução da obra, de acordo com o estipulado no artigo 11º

Leia mais

DECivil GESTEC CAP.VI. Licenciatura em Engenharia Civil. Processos de Construção FASES DE UM PROJECTO ASPECTOS GERAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1/86

DECivil GESTEC CAP.VI. Licenciatura em Engenharia Civil. Processos de Construção FASES DE UM PROJECTO ASPECTOS GERAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1/86 CAP.VI FASES DE UM PROJECTO 1/86 1. FASES DO PROJECTO 2/86 FASES CONCURSO ADJUDICAÇÃO CONCEPÇÃO / PROJECTO CONSTRUÇÃO CONCURSO ADJUDICAÇÃO EXPLORAÇÃO E MANUTENÇÃO VIDA ÚTIL 3/86 CONCEPÇÃO INICIAL DEFINIÇÃO

Leia mais

Código Designação Descrição Unidade Qtd

Código Designação Descrição Unidade Qtd Código Designação Descrição Unidade Qtd 1 ESTALEIRO 1.1 Desenvolvimento do Plano de Segurança e Saúde (PSS) para a execução da obra, de acordo com o estipulado no artigo 11º do Decreto Lei n.º 273/2003

Leia mais

ENGº CARLOS GARRIDO ORÇAMENTO

ENGº CARLOS GARRIDO ORÇAMENTO 1 3 OBRAS DE ARTE INTEGRADAS Trabalhos a realizar de acordo com o projecto e satisfazendo o especificado no C.E. 3-01 - OBRA DE ARTE 1 (O.A.1) 3-01.01 - Escavação de terreno de qualquer natureza para abertura

Leia mais

VIABILIDADE ECONÓMICA DE CONSTRUÇÕES NOVAS EM ALVENARIA DE PEDRA

VIABILIDADE ECONÓMICA DE CONSTRUÇÕES NOVAS EM ALVENARIA DE PEDRA VIABILIDADE ECONÓMICA DE CONSTRUÇÕES NOVAS EM ALVENARIA DE PEDRA Ana Cristina de Freitas, Eng.ª Civil, Mestre em Construção, IST Jorge de Brito, Professor Associado, IST 1 - SUMÁRIO A pedra natural constitui,

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O PEDRO ANDRÉ RIBEIRO ALVES RELATÓRIO PARA A OBTENÇÃO DO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM

Leia mais

Gestão da Construção - Anexo 7A1 - Mapa de quantidades Página 1

Gestão da Construção - Anexo 7A1 - Mapa de quantidades Página 1 DIMENSÕES QUANTIDADES comp. larg. alt. UN elemento parciais CAP. art. DESCRIÇÃO DOS TRABALHOS ELEMENTO 0 ESTALEIRO 0.1 Montagem e desmontagem de estaleiro 1 vg 1 ALVENARIAS 1.1 Tijolo Cerâmico 1.1.1 Paredes

Leia mais

Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra.

Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra. CRITÉRIOS PARA MEDIÇÃO DOS SERVIÇOS Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra. Em obras muito extensas ou recortadas,

Leia mais

BOSCH BRAGA BRG 801 FASE 2. FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS PROJETO DE EXECUÇÃO Rev. 02_

BOSCH BRAGA BRG 801 FASE 2. FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS PROJETO DE EXECUÇÃO Rev. 02_ BOSCH BRAGA BRG 801 FASE 2 FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS PROJETO DE EXECUÇÃO Rev. 02_2017.08.24 MAPA DE TRABALHOS E QUANTIDADES BOSCH BRAGA BRG 801 FASE 2 FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS PROJETO DE EXECUÇÃO BOSCH BRAGA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

Estas alterações fazem parte integrante das peças do procedimento a que dizem respeito e prevalecem sobre estas em caso de divergência.

Estas alterações fazem parte integrante das peças do procedimento a que dizem respeito e prevalecem sobre estas em caso de divergência. Junto se envia a lista de erros e omissões a qual foi aprovada por esta Câmara Municipal, através de despacho datado de 16 de Julho do corrente, conforme o disposto no nº 5 do artigo 61º do Decreto-Lei

Leia mais

Casa da Ritinha S. Mamede de Infesta

Casa da Ritinha S. Mamede de Infesta 1 ALVENARIAS 1.1 Fornecimento e colocação de alvenaria de tijolo vazado com (30x20x11), de acordo com desenhos de projecto e CTE. m2 127,00 1.2 Fornecimento e colocação de alvenaria de tijolo BURRO (20X10X5CM),

Leia mais

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Senai Dendezeiros Área de Construção Civil Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Unidade Curricular: Orçamento de Obras e Controle de Custos Aula 05 Emanuele Cristian Fer Critério de medição

Leia mais

Disciplina: Construção Civil 4. Orçamento de Obras. Aula 06 Composição de Custo Unitário e Levantamento de Quantitativos ALVENARIA

Disciplina: Construção Civil 4. Orçamento de Obras. Aula 06 Composição de Custo Unitário e Levantamento de Quantitativos ALVENARIA Disciplina: Construção Civil 4 Orçamento de Obras Aula 06 Composição de Custo Unitário e Levantamento de Quantitativos ALVENARIA 1 A etapa de levantamento de quantitativos é uma das que intelectualmente

Leia mais

PÁGINA Município da Marinha Grande DATA IMPRESSÃO 1 MAPA DE QUANTIDADES DO PROJECTO 2015/07/06

PÁGINA Município da Marinha Grande DATA IMPRESSÃO 1 MAPA DE QUANTIDADES DO PROJECTO 2015/07/06 1 MAPA DE QUANTIDADES DO PROJECTO 2015/07/06 1 1.1 DESMATAÇÃO E DECAPAGEM Corte e remoção de árvore, extração de troco e raízes com posterior enchimento e 1.000 U compactação da abertura com terra da própria

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio de Janeiro - Campus Pinheiral Planilha Orçamentária - Projeto Padrão

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio de Janeiro - Campus Pinheiral Planilha Orçamentária - Projeto Padrão 1 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 4.380,62 1.1 74077/001 SINAPI 1.2 85423 SINAPI 1.3 90778 SINAPI LOCACAO CONVENCIONAL DE OBRA, ATRAVÉS DE GABARITO DE TABUAS CORRIDAS PONTALETADAS, SEM REAPROVEITAMENTO ISOLAMENTO

Leia mais

Planilha Orçamentária

Planilha Orçamentária 1 SERVIÇOS PRELIMINARES,DEMOLIÇÕES,LIMPEZA 2.742,56 1.1 PLACA DE OBRA 6,00 m² 205,83 25,62 231,45 1.234,98 153,72 1.388,70 1.2 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA 66,00 h 0,37 7,37 7,74 24,32 486,42 510,74 1.3

Leia mais

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento parcial nº 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 m2 Corte de capoeira fina a foice 900,000 0,19 171,00 1.2 m2 Raspagem e limpeza manual de terreno 900,000 0,63 567,00

Leia mais

CEAA COMÉRCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA-ME CNPJ / MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO

CEAA COMÉRCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA-ME CNPJ / MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO SECRETÁRIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE -PROJETO BASE PARA BALANÇA DE CONCRETO, -PROJETO ESCRITÓRIO DE CONTROLE DE CARGAS. -DESCRIÇÃO BALANÇA RODOVIÁRIA

Leia mais

Farmácia Page

Farmácia Page PLANO DE MEDIÇÕES CONSTRUÇÃO CIVIL Artº Descritivo Un. Qtd. P. Unitário 1 ALVENARIAS 1.1 Paredes Alvenaria Normal 1.1.1 Fornecimento e montagem de paredes de alvenaria de tijolo de 11cm M2 29 1.2 Paredes

Leia mais

RJafonso 04 - Precos Secos+Vendas

RJafonso 04 - Precos Secos+Vendas 04 - Precos Secos+Vendas P.U. Valor P.U. Valor Item Descrição Un Qte Seco Seco Margem Venda Venda 2 Estrutura 2.1 Fornecimento e aplicação de betão da classe C20/25 (B25) em elementos estruturais, incluindo

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 3ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 3ª MEDIÇÃO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 3ª MEDIÇÃO OBRA: Construção da nova sede da Vara do Trabalho de Pato Branco. CONTRATADA: MG EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. Vistoria realizada no dia 05 de outubro de 2010, que

Leia mais

MAPA DE QUANTIDADES. 1 MOVIMENTO DE TERRAS Escavação para estabelecimento da rasante, abertura de caixa e

MAPA DE QUANTIDADES. 1 MOVIMENTO DE TERRAS Escavação para estabelecimento da rasante, abertura de caixa e MAPA DE QUANTIDADES CÓDIGO DESIGNAÇÃO UNIDADES QUANTIDADE 1 MOVIMENTO DE TERRAS Escavação para estabelecimento da rasante, abertura de caixa e 1.1 restantes trabalhos complementares: 1.1.1 Em terra manual

Leia mais

1.- SISTEMA ENVOLVENTE...

1.- SISTEMA ENVOLVENTE... ÍNDICE.- SISTEMA ENVOLVENTE.....- Pavimentos em contacto com o terreno......- Lajes térreas.....- Fachadas......- Parte opaca das fachadas......- Aberturas em fachada.....- Paredes meeiras... 5..- Coberturas...

Leia mais

BASES DE DADOS DE CUSTOS DE CONSTRUÇÃO E OPÇÕES DE REABILITAÇÃO. Hipólito de Sousa Março de 2012

BASES DE DADOS DE CUSTOS DE CONSTRUÇÃO E OPÇÕES DE REABILITAÇÃO. Hipólito de Sousa Março de 2012 BASES DE DADOS DE CUSTOS DE CONSTRUÇÃO E OPÇÕES DE REABILITAÇÃO Hipólito de Sousa Março de 2012 ÍNDICE 1. RETRATO DO SETOR NACIONAL 2. A IMPORTÂNCIA DOS CUSTOS NA ANÁLISE CICLO DE VIDA 3. NECESSIDADE DUM

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO SÃO JOAQUIM

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO SÃO JOAQUIM - TIPO 02 - ÁREA = 2,73 m² BDI 19,69% 1,1969 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES. SUB TOTAL 112,67 1.1 74077/001 LOCACAO CONVENCIONAL DE OBRA, ATRAVÉS DE GABARITO DE TABUAS CORRIDAS PONTALETADAS, SEM REAPROVEITAMENTO

Leia mais

ASSUNTO: Construção de Moradia Unifamiliar. Orç. --/2017

ASSUNTO: Construção de Moradia Unifamiliar. Orç. --/2017 De acordo com o solicitado e agradecendo a v/consulta, submetemos à apreciação de V/Ex. o nosso melhor orçamento para a eventual produção da seguinte obra a realizar em ----. ASSUNTO: Construção de Moradia

Leia mais

MUNICÍPIO DA BATALHA Rua Infante D Fernando BATALHA

MUNICÍPIO DA BATALHA Rua Infante D Fernando BATALHA 1 Demolições 1.1 Demolição de paredes em alvenaria de tijolo em abertura de vãos, incluindo remoção a vazadouro, todos os trabalhos e materiais necessários, trabalhos preparatórios e complementares. 1.2

Leia mais

Pré-dimensionamento e formas

Pré-dimensionamento e formas SEGUNDA AVALIAÇÃO 2ª Parte Carregamentos Verticais e Pré-dimensionamento Turmas A01, A02 e A03: 09/05/2017 Entrega dos trabalhos e avaliação dos trabalhos. 12/05/2017 Avaliação dos trabalhos. Tuma A04:

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013)

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013) CÓDIGO DESCRIÇ CLA UNIDA SS DE QUANT. 01.0 SEVIÇOS PRELIMINARES PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SINAPI 2013 PREÇO TOTAL S/ BDI (R$) SINAP 2013 REFERÊNC IA SINAPI 2013 PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SIN-RN 2013 PREÇO

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS Levantamento de Quantitativos Professora: Eng. Civil Mayara Custódio, Msc. Levantamento de Quantitativos Orçamentação Serviços que compõem a obra Quais? MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

9.1 Composição de custos. 9.2 Composição de custos unitários. 9.1 Composição de custos

9.1 Composição de custos. 9.2 Composição de custos unitários. 9.1 Composição de custos 9.1 Composição de custos Disciplina: Planejamento e Controle de Obras Aula 09 Composição de custos Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. Dá-se o nome de composição de custos ao processo de estabelecimento

Leia mais

Construção de Quartel Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bombarral. Designação Sapatas.

Construção de Quartel Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bombarral. Designação Sapatas. ERROS E OMISSÕES Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Construção de Quartel Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Art. Designação E R R O S D E M E D I Ç Õ E S Un.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO As presentes especificações referem-se aos serviços da construção de um pavilhão em concreto pré-moldado. Trata-se de uma cobertura para a quadra de esportes da escola

Leia mais

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra Quantificação de Materiais e Mão-de-obra INFRA-ESTRUTURA 20501 LOCAÇÃO DA OBRA Madeiras e pregos (locação) 144,71 1 144,71 m2 2,5 361,775 Execução da locação da obra Mão-de-obra 144,71 1 144,71 m2 2 289,42

Leia mais

RELATÓRIO ANALÍTICO DE COMPOSIÇÕES DE PREÇOS UNITÁRIOS

RELATÓRIO ANALÍTICO DE COMPOSIÇÕES DE PREÇOS UNITÁRIOS POSIÇÕES RELAT DESONERAÇ M DE ESQV 74068/6 FECHADURA DE EMBUTIR PLETA, PARA PORTAS EXTERNAS, PADRAO DE ACABAMENTO MEDIO UN POSICAO 88239 AJUDANTE DE CARPINTEIRO ENCARGOS PLEMENTARES H 1,300000 12,08 15,70

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE LISBOA

CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE LISBOA CENTRO HOSPITALAR PSIQUIÁTRICO DE LISBOA PAVILHÃO 16A - PAVILHÃO DE REABILITAÇÃO E RESIDÊNCIA PSIQUIÁTRICA MAPA DE QUANTIDADES DE TRABALHO QUANTIDADE P R E Ç O S ARTº DESIGNAÇÃO DOS TRABALHOS UN TOTAIS

Leia mais

INTRODUÇÃO...XI CONTEÚDO DA PUBLICAÇÃO...XI UTILIZAÇÃO PRÁTICA DA INFORMAÇÃO...XIV EXPLORAÇÃO INFORMÁTICA...XVII CONTINUIDADE DE PUBLICAÇÕES...

INTRODUÇÃO...XI CONTEÚDO DA PUBLICAÇÃO...XI UTILIZAÇÃO PRÁTICA DA INFORMAÇÃO...XIV EXPLORAÇÃO INFORMÁTICA...XVII CONTINUIDADE DE PUBLICAÇÕES... NOTAS EXPLICATIVAS Pág. INTRODUÇÃO...XI CONTEÚDO DA PUBLICAÇÃO...XI UTILIZAÇÃO PRÁTICA DA INFORMAÇÃO...XIV EXPLORAÇÃO INFORMÁTICA...XVII CONTINUIDADE DE PUBLICAÇÕES...XVIII OPERAÇÕES DE CONSTRUÇÃO VOLUME

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA E PINTURA EXTERNA DO IMOVEL DO FT DE UMUARAMA TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9 REGIÃO RESUMO VALOR (R$) ÍTEM DESCRIÇÃO

SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA E PINTURA EXTERNA DO IMOVEL DO FT DE UMUARAMA TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9 REGIÃO RESUMO VALOR (R$) ÍTEM DESCRIÇÃO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA E PINTURA EXTERNA DO IMOVEL DO FT DE UMUARAMA TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9 REGIÃO RESUMO OBRA: FÓRUM TRABALHISTA DE UMUARAMA ENDEREÇO: Avenida Rio Branco, 3.700 - Centro Cívico

Leia mais

Proposta: CORREDORES VERDES EM FERREIRA DO ALENTEJO - Espaço adjacente à EN 2

Proposta: CORREDORES VERDES EM FERREIRA DO ALENTEJO - Espaço adjacente à EN 2 1 ESTALEIRO 1.1. Execução de montagem e desmontagem de estaleiro, adequado à natureza dos trabalhos a executar e à dimensão da obra, incluindo reposição de pavimentos e solo, fornecimento, montagem e desmontagem

Leia mais

MUNICÍPIO DA NAZARÉ CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DA NAZARÉ CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DA NAZARÉ CÂMARA MUNICIPAL DIVISÃO DE OBRAS MUNICIPAIS E AMBIENTE TRABALHOS A MAIS E A MAIS NÃO PREVISTOS INFORMAÇÃO Nº 202/2015 OBRA: Adjudicada a: Obras de Urbanização e Infraestruturas / Instalações

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL 15. RESIDENCIAL DO JARDIM ANÁLIA FANCO-TATUAPÉ-SP. Data: (01/07/2016 à 31/07/2016).

RELATÓRIO MENSAL 15. RESIDENCIAL DO JARDIM ANÁLIA FANCO-TATUAPÉ-SP. Data: (01/07/2016 à 31/07/2016). RELATÓRIO MENSAL 15. RESIDENCIAL DO JARDIM ANÁLIA FANCO-TATUAPÉ-SP. Data: (01/07/2016 à 31/07/2016). Endereço: Rua Francisco Marengo, 1.210 TATUAPÉ SP. Engenheiro Fiscal: Milton Yasutoshi Kuwata. Relatório

Leia mais

Dados Gerais. Configurações. Dados Gerais. Vocabulário Principal CPV Obras de construção total ou parcial e de engenharia civil

Dados Gerais. Configurações. Dados Gerais. Vocabulário Principal CPV Obras de construção total ou parcial e de engenharia civil Dados Gerais Dados Gerais Referência AD-086-15 Designação Descrição Relacionado com outra pasta? ID Enquadramento Legal (Geral) Enquadramento Legal (Específico) Beneficiação do Edifício da Piscina Municipal

Leia mais

AVALIAÇÃO IN-SITU DA ADERÊNCIA DE MATERIAIS DE REVESTIMENTO

AVALIAÇÃO IN-SITU DA ADERÊNCIA DE MATERIAIS DE REVESTIMENTO AVALIAÇÃO IN-SITU DA ADERÊNCIA DE MATERIAIS DE REVESTIMENTO Inês Flores-Colen (I.S.T) Jorge de Brito (I.S.T) Fernando A. Branco (I.S.T.) Introdução Índice e objectivo Ensaio de arrancamento pull-off Estudo

Leia mais

CONSUMO DE MATERIAIS Exercício IV

CONSUMO DE MATERIAIS Exercício IV CONSUMO DE MATERIAIS Exercício IV Prof. Marco Pádua Exercício: Calcular o consumo de materiais considerando uma concretagem em conjunto com uma alvenaria de blocos de concreto. profmarcopadua.net------------------------------------------exercício

Leia mais

Instalações e Equipamentos Hidráulicos Mapa de Trabalhos e Quantidades

Instalações e Equipamentos Hidráulicos Mapa de Trabalhos e Quantidades Instalações e Equipamentos Hidráulicos Mapa de Trabalhos e Quantidades CÓDIGO Artigo DESIGNAÇÃO UN. QUANT. PREÇO (EUROS) UNIT. TOTAL 1 REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA 1.1 Rede Exterior 1 1.1.1 Fornecimento

Leia mais

CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS

CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS Autora: Eng.ª Sandra Lopes Coordenação: Prof. F. A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/44 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ESTACAS MOLDADAS

Leia mais

GALPÃO PARA AVE DE CORTE

GALPÃO PARA AVE DE CORTE MEMÓRIA DE CÁLCULO OBRA: GALPÃO PARA AVES DE POSTURA LOCAL: Povoado Santa Teresa - KM 05 - Zona Rural - CEP 77950-000 - Araguatins-TO RESP. TÉCNICO: Engº Civil CARLOS CEZAR A. LEAL - CREA./ Nº: 3967-D

Leia mais

sinapi BDI BONIFICAÇÕES E DESPESAS INDIRETAS SINAPI 20,00%

sinapi BDI BONIFICAÇÕES E DESPESAS INDIRETAS SINAPI 20,00% ORÇAMENTO ESTIMATIVO OBRA: PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CANOAS RS LOCALIDADE: Rua Dr. Barcelos nº 1135 - salas nº 201 a 206, - Edifício San Rafael Canoas - RS Data base de preços SINAPI :

Leia mais

LIMITE DO TERRENO 1/200 1 OUTROS PERIGOS FIM DE OBRAS FIM DE OBRAS. Requerente: RUBRICA. DATA Junho Local: Escala:

LIMITE DO TERRENO 1/200 1 OUTROS PERIGOS FIM DE OBRAS FIM DE OBRAS. Requerente: RUBRICA. DATA Junho Local: Escala: OUTROS PERIGOS ATENÇÃO INÍCIO DE OBRAS FIM DE OBRAS FIM DE OBRAS LIMITE DO TERRENO CIRCULAÇÃO DOS CARROS DE ENTULHO O TÉCNICO Eng.º Casimiro Clara RUBRICA DATA Junho 2015 Requerente: Designação: Demolição

Leia mais

Construção de casas populares no Município de Primavera-Pa

Construção de casas populares no Município de Primavera-Pa Estado do Pará Prefeitura Municipal de Primavera Secretaria Municipal de Obras Urbanismo e Transportes ANEXO I MEMORIAL DISCRITIVO Construção de casas populares no Município de Primavera-Pa Paulo José

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Autor: Prof. Jorge de Brito. Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia

APRESENTAÇÃO. Autor: Prof. Jorge de Brito. Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia Autor: Prof. Jorge de Brito Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia 1/26 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. AVALIAÇÃO 4. ELEMENTOS DE ESTUDO

Leia mais

QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO

QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO MÉTODOS DE ORÇAMENTO ESTRUTURA ANALÍTICA

Leia mais

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia I. CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/70 5. FASES CONSTRUTIVAS estrutura pórtico sapatas vigas de fundação

Leia mais

PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE

PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE CLIENTE-EMBRAPA CLIMA TEMPERADO ONSTRUÇÃO Projeto - Avicultura Colonial Aviário para 500 aves de corte Cliente Embrapa Clima Temperado Junho,

Leia mais

ARTIGO 1 - TUBAGEM DE PLÁSTICO EM P.V.C. RÍGIDO EM VENTILAÇÕES

ARTIGO 1 - TUBAGEM DE PLÁSTICO EM P.V.C. RÍGIDO EM VENTILAÇÕES ARTIGO 1 - TUBAGEM DE PLÁSTICO EM P.V.C. RÍGIDO EM VENTILAÇÕES Medição por metro linear de tubagem aplicada, de acordo com os diâmetros indicados nas alíneas do mapa de medições. necessários à sua boa

Leia mais

07/05/2017. Cuiabá/MT Maio

07/05/2017. Cuiabá/MT Maio Cuiabá/MT Maio - 2017 Alvenaria e um maciço constituído de pedras ou blocos, naturais ou artificiais, ligadas entre si de modo estável pela combinação de juntas e interposição de argamassa, ou somente

Leia mais

Capitulo 1. Vg 1. Vg 1. Capitulo 2. m 2 650,60 5, ,00. m 2 78,59 8,00 628,72. m ,

Capitulo 1. Vg 1. Vg 1. Capitulo 2. m 2 650,60 5, ,00. m 2 78,59 8,00 628,72. m , Art. Designação da obra Un Quantidade Preço Unitário Importâncias Capitulo 1 1.1 Estaleiro e segurança 1.1.1 Montagem, desmontagem e manutenção de estaleiro e equipamentos para apoio à obra e ao seu perfeito

Leia mais

MUNICÍPIO DE OEIRAS. Largo Marquês de Pombal OEIRAS. Divisão de Infraestruturas Municipais. Mapa de Quantidades

MUNICÍPIO DE OEIRAS. Largo Marquês de Pombal OEIRAS. Divisão de Infraestruturas Municipais. Mapa de Quantidades 1 Estaleiro 1.1 1.2 1.3 2 Montagem e desmontagem do estaleiro, incluindo a recuperação e o arranjo paisagístico da área ocupada após desmontagem, incluindo todos os materiais, equipamentos e operações

Leia mais

CUMEEIRA TELHA CERAMICA EMBOCADA ARGAMASSA 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA) 63,00 m 25, ,34

CUMEEIRA TELHA CERAMICA EMBOCADA ARGAMASSA 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA) 63,00 m 25, ,34 UL URUAÇU - ORÇAMENTO PARA REFORMA DA INSTALAÇÕES DA UNIDADE LOCAL DE URUAÇU MÊS REFERÊNCIA SETEMBRO 2015 ITEM ITEM SINAPI DESCRIÇÃO QUANT. UNID. SERVIÇO UNIT. TOTAL 01. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.575,00

Leia mais

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CIENCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE

Leia mais

Q u e stões de Construção Civil 01 FTC/VIC ENG. CIVIL Prof. Cláudio Gomes do Nascimento

Q u e stões de Construção Civil 01 FTC/VIC ENG. CIVIL Prof. Cláudio Gomes do Nascimento Q u e stões de Construção Civil 01 FTC/VIC ENG. CIVIL Prof. Cláudio Gomes do Nascimento Questão 1 Com base nas composições de custos fornecidas abaixo, determine custo total, em reais, a ser gasto com

Leia mais

UNeB Relatório de Material e Mão-de-obra

UNeB Relatório de Material e Mão-de-obra 1 PREPARAÇÃO DO TERRENO 2709.43 20202 RASPAGEM e limpeza manual de terreno M2 25.00 0.00 0.87 0.00 0.87 21.75 20301 LIGAÇÃO provisória de água para obra e instalação sanitária provisória, instalação mínima

Leia mais

ERROS. Quantidade previstas 3 1ª CÂMARA DE PERDA DE CARGA A CONSTRUIR no P10, com base no Desenho nº 79. Quantidade Diferença Textos

ERROS. Quantidade previstas 3 1ª CÂMARA DE PERDA DE CARGA A CONSTRUIR no P10, com base no Desenho nº 79. Quantidade Diferença Textos ERROS Mapa de Quantidades Código Designação Quantidade previstas 3 1ª CÂMARA DE PERDA DE CARGA A CONSTRUIR no P10, com base no Desenho nº 79 Quantidade Diferença Textos transporte dos produtos a depósito

Leia mais

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas 13-16 Gerson Moacyr

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m²

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m² - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção horizontal do abrigo.

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m²

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ENDEREÇO: Rua 580, S/Nº - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção

Leia mais

UNeB Relatório de Material e Mão-de-obra

UNeB Relatório de Material e Mão-de-obra 1 PREPARAÇÃO DO TERRENO 2709.43 20202 RASPAGEM e limpeza manual de terreno M2 25.00 0.00 0.87 0.00 0.87 21.75 20301 LIGAÇÃO provisória de água para obra e instalação sanitária provisória, instalação mínima

Leia mais

PROJECTO DE ESTABILIDADE BETÃO ARMADO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA

PROJECTO DE ESTABILIDADE BETÃO ARMADO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA PROJECTO DE ESTABILIDADE BETÃO ARMADO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA CONSTRUÇÃO DE QUARTEL / SEDE DA ASSOCIAÇÃO ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DO BOMBARRAL PRAÇA DA RÉPUBLICA BOMBARRAL

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO AUDITÓRIO PARA GABINETE DA SEDE DAS PROMOTORIAS DE RONDONÓPOLIS MT

ADEQUAÇÃO DO AUDITÓRIO PARA GABINETE DA SEDE DAS PROMOTORIAS DE RONDONÓPOLIS MT 1 MEMORIAL DESCRITIVO E CADERNO DE ENCARGOS ADEQUAÇÃO DO AUDITÓRIO PARA GABINETE DA SEDE DAS PROMOTORIAS DE RONDONÓPOLIS MT 2 SUMÁRIO (Arquitetura e Civil) 1 OBJETIVO...3 2 GENERALIDADES...3 SERVIÇOS A

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Construção da Sede da Junta de Freguesia do Ameal 2. LOCALIZAÇÃO Lugar e Freguesia do Ameal 3. SCRIÇÃO GERAL ADMINISTRATIVA Terreno situado no gaveto entre a Rua da Fonte e

Leia mais

AULA 17 REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. SANEAMENTO Aula 17 - Sumário. Acessórios Mapas de Nós Instalações Complementares Mapas de trabalhos Vala tipo

AULA 17 REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. SANEAMENTO Aula 17 - Sumário. Acessórios Mapas de Nós Instalações Complementares Mapas de trabalhos Vala tipo SANEAMENTO Aula 17 - Sumário REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Acessórios Mapas de Nós Instalações Complementares Mapas de trabalhos Vala tipo Aula 17 [1] Mapa de nós Aula 17 [2] Redes de Distribuição / Mapas

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA:

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA: RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA: Informações da Obra: Att. Aos clientes do Recanto dos Pássaros Conforme acordado seguimos comunicando o andamento dos serviços em execução no Empreendimento

Leia mais

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas 13-16 Gerson Moacyr

Leia mais

Dados Gerais. Configurações. Dados Gerais. Vocabulário Principal CPV Obras de construção total ou parcial e de engenharia civil

Dados Gerais. Configurações. Dados Gerais. Vocabulário Principal CPV Obras de construção total ou parcial e de engenharia civil Dados Gerais Dados Gerais Referência AD-075-15 Designação Descrição Relacionado com outra pasta? ID Enquadramento Legal (Geral) Enquadramento Legal (Específico) Requalificações Urbanísticas Arranjo Exterior

Leia mais

PLANEAMENTO DE OBRAS José Amorim Faria

PLANEAMENTO DE OBRAS José Amorim Faria PLANEAMENTO DE OBRAS José Amorim Faria ABRIL 2011 1 OBJECTO 1. Noção de Planeamento 2. Dados base 3. Resultados do planeamento 4. Como obter os dados base 5. Planeamento de obras Reflexões teóricas 6.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA. Construção do refeitório e beneficiação da Escola 1º CEB S.

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA. Construção do refeitório e beneficiação da Escola 1º CEB S. FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Construção do refeitório e beneficiação da Escola 1º CEB S. João do Campo 2. LOCALIZAÇÃO Rua Bairro Alto Freguesia de São João do Campo 3. PROJECTO Projecto de Arquitectura:

Leia mais

ARTIGO 1 TUBAGEM DE PEAD, POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE NA REDE DE ÁGUAS.

ARTIGO 1 TUBAGEM DE PEAD, POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE NA REDE DE ÁGUAS. ARTIGO 1 TUBAGEM DE PEAD, POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE NA REDE DE ÁGUAS. Medição por metro linear de tubagem aplicada, incluindo todos os acessórios e ligações. 1 - A abertura e o tapamento de roços e

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Unidade Básica de Saúde de Santa Tereza

MEMORIAL DESCRITIVO Unidade Básica de Saúde de Santa Tereza MEMORIAL DESCRITIVO Unidade Básica de Saúde de Santa Tereza OBJETIVO: O presente memorial descritivo destina-se a estabelecer as etapas necessárias, juntamente com sua descrição, para contratação de mão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS035 POÇOS DE VISITA TIPOS 1A,1B e 1C Revisão: 03 Mai/10 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS035 POÇOS DE VISITA TIPOS 1A,1B e 1C Revisão: 03 Mai/10 SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início dos serviços...3 5. Materiais e Equipamentos necessários...3 6. Métodos e Procedimentos de Execução...3

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Casa de Chá no Jardim da Sereia Parque de Santa Cruz 2. LOCALIZAÇÃO Freguesia de Santa Cruz 3. PROJECTO Projecto de Arquitectura: Gabinete para o

Leia mais

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PROJECTO DE EXECUÇÃO

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PROJECTO DE EXECUÇÃO PROJECTO DE VALORIZAÇÃO E REABILITAÇÃO DA RIBEIRA DE SASSOEIROS PROJECTO DE EXECUÇÃO MEDIÇÕES PARCIAIS E MAPA RESUMO DE QUANTIDADES ÍNDICE MEDIÇÕES PARCIAIS.....1 SUB-TROÇO AUTO-ESTRADA A5 / ALDEAMENTO

Leia mais

Relatório de Estágio Formal

Relatório de Estágio Formal Relatório de Estágio Formal Visão global sobre o mercado da construção através da integração nos diversos departamentos de uma empresa de construção interligados à direcção de obra. Candidato: Adriano

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO)

ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO) SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO) LOTE

Leia mais

(72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: SISTEMA DE CONSTRUÇÃO LEVE EM AÇO ENFORMADO A FRIO

(72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: SISTEMA DE CONSTRUÇÃO LEVE EM AÇO ENFORMADO A FRIO (11) Número de Publicação: PT 10542 T (51) Classificação Internacional: E04C 2/08 (2006.01) E04B 1/80 (2006.01) E04B 1/86 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE MODELO DE UTILIDADE (22) Data de pedido: 2010.03.06

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

ASPECTOS GERAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO ASPECTOS GERAIS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Autor: Prof. Fernando Branco Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/51 TEMAS OBJECTIVOS DA CONSTRUÇÃO

Leia mais

ÍTEM SINAPI DISCRIMINAÇÃO UNID.

ÍTEM SINAPI DISCRIMINAÇÃO UNID. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAIANO. CAMPUS BOM JESUS DA LAPA- BA OBRA: INSTALAÇÃO DE CURRAL DE MANEJO PARA BOVINOS LOCAL DOS SERVIÇOS: PERIMETRO IRRIGADO FORMOSO, LOTE 1194 BR

Leia mais

JANELAS E PORTAS PEDONAIS EXTERIORES GUIA PARA A MARCAÇÃO CE (EN :2006+A1:2010) ÍNDICE

JANELAS E PORTAS PEDONAIS EXTERIORES GUIA PARA A MARCAÇÃO CE (EN :2006+A1:2010) ÍNDICE ÍNDICE NOTA PRELIMINAR... 1 1 OBJECTIVO... 1 2 ENQUADRAMENTO... 3 3 CAMPO DE APLICAÇÃO DA PUBLICAÇÃO... 8 4 PROCEDIMENTOS DE HARMONIZAÇÃO... 9 4.1 Identificação de produtos e materiais... 9 4.2 Características

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil 1 TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES CONCEITO: São elementos estruturais laminares (uma das dimensões muito menor do que as outras duas), apoiadas de modo contínuo em sua base. 2 TIPOLOGIA:

Leia mais

20 ANOS DE ENGENHARIA CIVIL

20 ANOS DE ENGENHARIA CIVIL 20 ANOS DE ENGENHARIA CIVIL (1986 2006) ÍNDICE 1. Objectivos; 2. Introdução; 3. A Construção Civil e Obras Públicas; 4. Produtividade Versus Qualidade; 5. Custo da Qualidade; 6. Os Problemas da Construção

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO 1. Para determinar a porosidade aberta de uma pedra calcária, utilizou-se um provete com as dimensões de 7.1 7.1 7.1 cm 3. Determinou-se a massa no estado

Leia mais

TOTAL DO ITEM 1 4.326,42

TOTAL DO ITEM 1 4.326,42 OBRA - CONSTRUÇÃO DE 40 BLOCOS RESIDENCIAIS PAGINA: 1 / 10 1 SERVIÇOS PRELIMINARES (Habitacao) 1.1 Locação da obra sem instrumento topográfico, considerada a projeção horizontal da área envolvente 349,19

Leia mais

Planilha Orçamentária

Planilha Orçamentária Ministério da Educação Obra: Proinfância - Espaço Educativo Infantil Tipo C BDI adotado Município: Endereço: Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$) 1.0

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO

MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO 1.0 PRELIMINARES O presente memorial faz constar informações sobre o fechamento e acabamento do plenário da obra do Centro de Cultura e sede do Poder Legislativo de

Leia mais

Alvenaria, aspecto final face à vista e correntes, rebocadas.

Alvenaria, aspecto final face à vista e correntes, rebocadas. Terminologia relativa a alvenarias Hipólito de Sousa ALVENARIAS Alvenaria associação de elementos naturais ou artificiais, constituindo uma construção. Correntemente a ligação é assegurada por uma argamassa.

Leia mais