Manual Designer" and modify the print manual template. Title page 1 Use this page to introduce" name="description"> Manual Designer" and modify the print manual template. Title page 1 Use this page to introduce">

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software"

Transcrição

1 Help Encerramento do Exercício Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template.

2

3 Title page 1 Use this page to introduce the product by Sabrina B. S. de Araújo Kefler This is "Title Page 1" - you may use this page to introduce your product, show title, author, copyright, company logos, etc. This page intentionally starts on an odd page, so that it is on the right half of an open book from the readers point of view. This is the reason why the previous page was blank (the previous page is the back side of the cover)

4 Help Encerramento do Exercício All rights reserved. No parts of this work may be reproduced in any form or by any means - graphic, electronic, or mechanical, including photocopying, recording, taping, or information storage and retrieval systems - without the written permission of the publisher. Products that are referred to in this document may be either trademarks and/or registered trademarks of the respective owners. The publisher and the author make no claim to these trademarks. While every precaution has been taken in the preparation of this document, the publisher and the author assume no responsibility for errors or omissions, or for damages resulting from the use of information contained in this document or from the use of programs and source code that may accompany it. In no event shall the publisher and the author be liable for any loss of profit or any other commercial damage caused or alleged to have been caused directly or indirectly by this document. Printed: abril 2014 in (whereever you are located) Publisher...enter name... Managing Editor...enter name... Technical Editors...enter name......enter name... Cover Designer...enter name... Team Coordinator...enter name... Production...enter name... Special thanks to: All the people who contributed to this document, to mum and dad and grandpa, to my sisters and brothers and mothers in law, to our secretary Kathrin, to the graphic artist who created this great product logo on the cover page (sorry, don't remember your name at the moment but you did a great work ), to the pizza service down the street (your daily Capricciosas saved our lives), to the copy shop where this document will be duplicated, and and and... Last not least, we want to thank EC Software who wrote this great help tool called HELP & MANUAL which printed this document.

5 Contents 5 Table of Contents Foreword Part I Informações Sobre... a E&L 10 2 Suporte... Técnico 13 3 Informações... sobre o Aplicativo: 15 Part II Encerramento do Exercício 18 1 Procedimento Conferência dos Saldos Iniciais do Exercício 19 2 Procedimento Geração de Verificação de Inconsistências 21 3 Procedimento Apuração de Saldos de Empenhos 25 4 Procedimento Verificação dos Saldos do Almoxarifado 30 5 Procedimento 5 - Verificação do Saldo dos Parcelamentos da Dívida... Fundada 38 6 Procedimento Verificação do Saldo da Dívida Ativa 44 7 Procedimento Movimentações Contábeis 48 8 Procedimento Geração do Encerramento do Exercício 59 9 Procedimento Conferência Relatórios do Balanço 60 Anexo XIII - Balanço... Financeiro 62 Anexo XIV - Balanço... Patrim onial 68 Anexo XV - Variações... Patrim oniais 72 Anexo XVI - Dem... onstrativo da Dívida Fundada 76 Anexo XVII - Dem... onstrativo da Dívida Flutuante 77 Anexo XVII - Dem... onstrativo dos Créditos a Receber 78 Index 0 5

6

7 Foreword Foreword This is just another title page placed between table of contents and topics 7

8

9 Top Level Intro This page is printed before a new top-level chapter starts Part I

10 10 1 Help Encerramento do Exercício Informações Help (manual de ajuda) Encerramento do Exercício Avenida Koehler, 238, Centro Telefax: (27) Sobre a E&L

11 Informações 11 Com a necessidade de tornar mais eficiente e eficaz o serviço público, a E&L Produções de Software, fundada em agosto de 1993, em Domingos Martins ES, começou a desenvolver sistemas informatizados que apresentassem o que há de melhor em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), de acordo com as exigências legais necessárias à administração pública. Hoje, com uma experiência acima de 20 anos de mercado, a E&L tornou-se uma empresa especializada no setor de soluções em Tecnologia da Informação e Comunicação. Possuímos clientes em vários Estados do país, tais como: ES, RJ, MG, BA e PE oferecendo sistemas integrados de gestão pública, entre eles: - E&L Contabilidade Pública Eletrônica; - E&L Recursos Humanos e Folha de Pagamento; - E&L Administração de Receitas Tributárias; - E&L Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos - E&L Compras, Licitações e Contratos; - E&L Controle de Estoque de Materiais; - E&L Administração de Bens Patrimoniais; - E&L Controle de Frotas; - E&L Gestão Educacional; - E&L Gestão da Saúde, dentre outros. Dentre nossos clientes estão: Prefeituras, Câmaras, Institutos e/ ou Fundações Previdenciárias Municipais, Secretarias de Estado, Instituições de Ensino e Assembléias Legislativas. Além de comercializar esses produtos, a E&L oferece todo o suporte técnico (local ou por telefone) para instalação, manutenção e atualização dos sistemas, e ainda oferece treinamento para que seus clientes (usuários) possam executar da melhor forma possível todos os inúmeros recursos e vantagens que o software oferece.

12 12 Help Encerramento do Exercício Em dezembro de 2005 conquistou o certificado na NBR ISO 9001:2000 (Sistema de Gestão da Qualidade SGQ) que garante a melhoria contínua de seus processos e foi recertificada na NBR ISO 9001:2008. Com a manutenção do SGQ obteve, em junho de 2010, o certificado SGQ-TEC (programa de qualificação e certificação de empresas de tecnologia da informação). Em março de 2008, foi aprovada como uma empresa qualificada no desenvolvimento de software, pelo Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros PNAFM. Em 2012 foi certificada no MPS.Br (Melhoria de Processos do Software Brasileiro) no nível G e atualmente está buscando a certificação no nível F. A nossa atuação socioambiental é realizada por meio de doações periódicas (em espécie ou material) a entidades carentes e a escolas e nossa empresa é considerada uma empresa limpa, pois não poluímos e nem geramos impactos ambientais, ou seja, nos desenvolvemos ajudando a nossa comunidade a crescer e mantemos o nosso compromisso de preservação do meio ambiente da natureza. Institucional Missão: Fornecer recursos humanos e tecnológicos capazes de promover a modernização administrativa das organizações públicas e privadas objetivando o desenvolvimento do país. Visão: Tecnologia da Informação para a Cidadania Valores da E&L: Cidadania; Sinergia; Capacitação tecnológica; Lucratividade; Valorização do ser humano; Ética. Objetivos: Adequação aos avanços tecnológicos; Valorização dos recursos humanos;

13 Informações 13 Comprometimento com o alcance da cidadania; Satisfação dos clientes; Estudo e modernização de processos administrativos. Política da Qualidade: Melhorar continuamente nosso sistema de gestão de qualidade, para garantir a satisfação dos clientes, oferecendo soluções administrativas e tecnológicas que atendam aos seus requisitos. Escopo de Certificação da E&L Comercialização, Elaboração, Desenvolvimento, Instalação e Manutenção de projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação. Treinamento e Consultoria administrativa e tecnológica. 1.2 Suporte Técnico Desenvolvimento Focada nas peculiaridades da administração pública especializou-se no desenvolvimento, treinamento, implantação, manutenção e soluções de infraestrutura de software. Acompanha a modernização tecnológica e legal dos órgãos públicos visando uma adminstração em dia com as suas necessidades. Gestão de Projetos Consultoria em TI Detentora de profissionais altamente capacitados, a E&L presta consultoria em TI visando a atualização e/ ou modernização nos processos de informatização dos órgão públicos contratantes. Treinamento Atendendo às necessidades da capacitação dos servidores públicos, oferece treinamentos periódicos de atualização nos sistemas, bem como alterações nas rotinas processuais do trabalho cotidiano.

14 14 Help Encerramento do Exercício Matriz Av. Koehler, nº 238 Centro, Domingos Martins - ES CEP: Telefax: (27) Filial - ES Rua Presidente Dutra, nº 02, Ed. Lew, 3º andar Campo Grande, Cariacica - ES CEP: Telefone: (27) Obs.: Atendimento específico aos sistemas que compõe o Gestão de Materiais e Processos - GMP (E&L Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos, E&L Compras, Licitações e Contratos, E&L Controle de Estoque de Materiais, E&L Administração de Bens Patrimoniais e E&L Controle de Frotas). Filial - MG Av. Piracicaba, nº 62 Ilha, Governador Valadares - MG CEP: Telefone: (33) Ponto de apoio - BA Rua 28 de junho, nº 74

15 Informações 15 Bairro Jardim Boa Vista, Ilhéus - BA CEP: Telefone: (73) Ponto de apoio - RJ Av. Governador Geremias de Mattos Fontes, 26, sala 301/303 Centro, Nova Friburgo - RJ CEP: Telefone: (22) Tecnologia do Atendimento A E&L conta com a tecnologia a favor do cliente para oferecer-lhe várias meios de suporte, tais como: - VoIP; - Chat; - ; - VNC, VPN e TeamViewer; - Atualização on-line da versão do software; - Acompanhamento da solicitação do cliente on-line; - WebFTP (envio e recebimento de arquivos); - Help on-line; - FAQ Frequently Asked Questions (Perguntas e Respostas Frequentes); - Apresentação e fluxos dos principais processos de cada software; - Treinamento virtual e gratuito dos softwares passo a passo por meio do E&L Elearning; - Treinamento presencial. 1.3 Informações sobre o Aplicativo: O Sistema E&L Contabilidade Pública Eletrônica permite: Iniciar o exercício posterior, ou seja, empenhar, liquidar, lançar receitas antes de efetuar o encerramento. Refazer o encerramento do exercício anterior quantas vezes forem necessárias porém, no caso dos restos a pagar, só poderão ser encerrados novamente, se necessário,.

16 16 Help Encerramento do Exercício Para auxiliá-los no encerramento do exercício, a equipe de contabilidade criou este Help com sugestões de como proceder:

17 Top Level Intro This page is printed before a new top-level chapter starts Part II

18 18 2 Help Encerramento do Exercício Encerramento do Exercício Para melhor atender, no sistema E&L Contabilidade Pública Eletrônica, você deverá seguir os procedimentos detalhados neste help para realizar o Encerramento do Exercício. Orientação Inicial Antes de iniciar suas verificações de encerramento atualize seu sistema através do atualizador da E&L, para que dessa forma as informações, configurações e ferramentas estejam atualizadas.

19 Encerramento do Exercício 19 Após a atualização do sistema, dá-se início aos Procedimentos para Encerramento do Exercício. 2.1 Procedimento 1- Conferência dos Saldos Iniciais do Exercício Para dar início ao encerramento do exercício faz-se necessário confirmar os saldos iniciais do exercício, a fim de corrigir lançamentos errados, saldos não informados, entre outras situações que afetam no fechamento.

20 20 Help Encerramento do Exercício Os saldos iniciais são obtidos a partir do Anexo XIV - Balanço Patrimonial do Exercício Anterior e devem ser cadastrados na implantação do sistema ou no ano de convergência da contabilidade, ou seja, ano de mudança do Plano de Contas. Sendo que, para bases de dados no ano de convergência, os saldos iniciais deverão ser lançados de acordo com o Plano de Contas adotado pelo TCE, devendo apurar o saldo no Anexo XIV - Balanço Patrimonial do Exercício Anterior (Ativo e Passivo), lançar na conta pertinente ao novo plano, além das contas orçamentárias (5 e 6) e de controle (7 e 8), como demonstrado na imagem abaixo.

21 Encerramento do Exercício 21 Após a conferência dos saldos, podemos passar para o Procedimento Procedimento 2 - Geração de Verificação de Inconsistências Neste procedimento faz-se necessário realizar a Verificação de Inconsistências Anual, a fim de sanar eventuais problemas que comprometam o fechamento contábil, através do Menu: Utilitário/ Verificação de Inconsistências:

22 22 Help Encerramento do Exercício Abrirá a tela "Verificação de Inconsistências", onde serão informados os campos:

23 Encerramento do Exercício 23 Ano: Ano a ser encerrado para apuração das inconsistências do exercício; Tipo de Verificação: Será efetuado a verificação geral das informações contidas no sistema para análise de possíveis erros que afetam o fechamento, como erros de lançamentos, saldos negativos, entre outros; Tipo de Período: Será efetuado a verificação "Anual" dos dados, uma vez que será realizado o fechamento do exercício; Período, Data Inicial e Data Final: Será informado automático, de acordo com o tipo de período selecionado, neste caso Período Anual.

24 24 Help Encerramento do Exercício Após informar os campos citados acima, você deverá clicar no botão "Verificar" e o sistema iniciará a verificação anual das inconsistências, a fim de demonstrar possíveis erros de lançamentos, movimentações, cadastros etc. Ao terminar a verificação e o sistema encontrar inconsistências nos dados, o mesmo demonstrará a tela com a descrição de cada uma para que sejam analisadas e efetuados os acertos necessários: Para melhor agilidade a relação de inconsistências pode ser impressa, através do botão "Imprimir". Caso não ocorra inconsistências o sistema demonstrará a tela, ilustrada abaixo, podendo assim dar continuidade aos ajustes de fechamento:

25 Encerramento do Exercício 25 Após a conferência e acertos das possíveis inconsistências anual do exercício e, já não havendo pendências, podemos passar para o Procedimento Procedimento 3 - Apuração de Saldos de Empenhos Relatórios/ Listagens/ Contabilidade/ Empenho.

26 26 Help Encerramento do Exercício

27 Encerramento do Exercício 27

28 28 Help Encerramento do Exercício Ao realizar a Verificação dos Saldos de Empenhos, se houver saldos a liquidar, deverá ser realizada as Anulações através do Menu: Utilitário/ Anulação de Saldo de Empenho. Na tela acima o usuário irá selecionar o Tipo de Geração "Encerramento" e clicar em "Carregar Dados". O sistema irá demonstrar na tela todos os empenhos com saldos a liquidar, para que sejam realizadas as anulações dos processos que não serão inscritos em restos a pagar para o exercício seguinte, marcando os Empenhos na Coluna "Cancelar". Uma vez selecionado os empenhos, clicar sobre o botão "Gerar Anulações" e o sistema irá gerar todas as anulações dos empenhos selecionados. No caso de base integrada ao Sistema de Compras, o processo de anulação deverá

29 Encerramento do Exercício 29 seguir o Fluxo de Autorizações de Anulações, gerando as autorizações de anulações de empenhos (AAEs) no Sistema GMP e, posteriormente, executando as anulações dos empenhos no Sistema de Contabilidade, através do Menu: Contabilidade/ Integração GMP/ Autorização de Anulação de Empenho (AAE). Na tela acima deverá ser selecionada a Autorização desejada e clicar sobre o botão "Anular Empenho". O Sistema abrirá a tela de Anulação de Empenho, onde o usuário deverá confirmar a anulação clicando sobre o botão "Gravar".

30 30 Help Encerramento do Exercício Após a verificação dos empenhos, realização das possíveis anulações, poderemos passar para o Procedimento Procedimento 4 - Verificação dos Saldos do Almoxarifado Nesse Procedimento será realizada a Verificação dos Saldos do Almoxarifado para eventuais ajustes (obs: pode-se verificar os saldos antes mesmo de se fazer o encerramento), no Menu: Relatórios/ Balancetes/ Analítico Simplificado.

31 Encerramento do Exercício 31

32 32 Help Encerramento do Exercício Na tela acima deverá ser informado os seguintes parâmetros para visualização do relatório para melhor conferência dos saldos de almoxarifado: Relação de Relatórios -> Balancete Contábil: Selecionar o Relatório "Analítico Simplificado"; Ano: Informar o ano ao qual será verificado os saldos para análise de fechamento do exercício; Tipo Período: Informar o tipo de período "Anual"; Data Emissão: A data de emissão poderá ser a do dia de conferência; Filtrar por: O filtro poderá ser "Geral"; Níveis: Não será necessário marcar nenhuma das opções de níveis.

33 Encerramento do Exercício 33 Abaixo segue o Relatório da Contabilidade utilizado na conferência dos Saldos de Materiais de Almoxarifado: Abaixo segue Relatórios utilizados na conferência dos Saldos de Materiais do Almoxarifado: Menu: Relatórios - Prestação de Contas - Balancete de Materias por Dotação

34 34 Help Encerramento do Exercício Menu: Relatórios - Entradas - Gerenciais - Aquisição por Fornecedor Detalhada

35 Encerramento do Exercício 35

36 36 Help Encerramento do Exercício Menu: Relatórios - Inventários/Saldos - Inventários/Saldo de Materias por Dotação

37 Encerramento do Exercício 37 Após a conferência dos Saldos de Almoxarifado, passaremos para o Procedimento 5.

38 Help Encerramento do Exercício Procedimento 5 - Verificação do Saldo dos Parcelamentos da Dívida Fundada Neste procedimento será verificado os Saldos dos Parcelamentos da Dívida Fundada, comparando com os extratos emitidos pelos credores, como por exemplo: FGTS, INSS, ESCELSA etc. Para verificar as baixas feitas durante o ano realize o seguinte procedimento: No sistema E&L Contabilidade Pública Eletrônica você deverá listar as contas do Grupo 223 (Lançamento Patrimonial a Débito), verificar o seu saldo a pagar que passará para o ano seguinte, no Menu: Relatórios/ Listagens/ Contabilidade/ Liquidação/Lançamentos.

39 Encerramento do Exercício 39

40 40 Help Encerramento do Exercício

41 Encerramento do Exercício 41 Obs: Deverá listar somente as contas do Grupo 223 e agrupar por conta através no botão Opções -> Agrupar, elevando a Coluna "Conta Lançada" ao topo do relatório, verificando o saldo a pagar desse grupo de contas.

42 42 Help Encerramento do Exercício

43 Encerramento do Exercício 43 Relação de Relatórios -> Balancete Contábil: Selecionar o Relatório "Analítico Simplificado"; Ano: Informar o ano ao qual será verificado os saldos para análise de fechamento do exercício; Tipo Período: Informar o tipo de período "Anual"; Data Emissão: A data de emissão poderá ser a do dia de conferência; Filtrar por: O filtro poderá ser "Geral"; Níveis: Não será necessário marcar nenhuma das opções de níveis. :

44 44 Help Encerramento do Exercício Após a verificação dos saldos de parcelamento da Dívida Fundada, daremos andamento ao Procedimento Procedimento 6 - Verificação do Saldo da Dívida Ativa Neste Procedimento será realizada a Verificação dos Saldos da Dívida Ativa no setor Tributário confrontando com os saldos no setor Contábil, através do Menu: Relatórios/ Balancetes/ Balancete Contábil/ Analítico Simplificado:

45 Encerramento do Exercício 45

46 46 Help Encerramento do Exercício Relação de Relatórios -> Balancete Contábil: Selecionar o Relatório "Analítico Simplificado"; Ano: Informar o ano ao qual será verificado os saldos para análise de fechamento do exercício; Tipo Período: Informar o tipo de período "Anual"; Data Emissão: A data de emissão poderá ser a do dia de conferência; Filtrar por: O filtro poderá ser "Geral"; Níveis: Não será necessário marcar nenhuma das opções de níveis. Abaixo segue o Relatório da Contabilidade utilizado na conferência dos Saldos de Dívida Ativa:

47 Encerramento do Exercício 47 Abaixo segue o Relatório do Tributário utilizado na conferência dos Saldos de Dívida Ativa:

48 48 Help Encerramento do Exercício Neste relatório serão verificados os saldos da Dívida Ativa a ser confrontados com o relatório da dívida ativa que você deverá obter com o setor Tributário (acima). Após a conferência dos Saldos da Dívida Ativa, passaremos para o Procedimento Procedimento 7 - Movimentações Contábeis Neste procedimento serão efetuados os Lançamentos Manuais, movimentando os saldos de contas para ajustes de fechamento das mesmas, no Menu: Contabilidade/ Movimentações Contábeis.

49 Encerramento do Exercício Abaixo segue exemplos de Lançamentos de Movimentação Contábil realizado na Contabilidade para Baixa de Almoxarifado: 49

50 50 Help Encerramento do Exercício

51 Encerramento do Exercício 51 Abaixo segue exemplo de Lançamentos de Movimentação Contábil realizado para Entrada de Bens no Almoxarifado:

52 52 Help Encerramento do Exercício

53 Encerramento do Exercício 53 Abaixo segue exemplo de Lançamentos de Movimentação Contábil realizado para Desincorporação de Dívida

54 54 Help Encerramento do Exercício Abaixo segue exemplo de Lançamentos de Movimentação Contábil realizado para Encampação de Dívida:

55 Encerramento do Exercício 55

56 56 Help Encerramento do Exercício Abaixo segue exemplo de Lançamento de Movimentação Contábil realizado na Contabilidade para Inscrição de Dívida Ativa:

57 Encerramento do Exercício Abaixo segue exemplo de Lançamento de Movimentação Contábil realizado na Contabilidade para Baixa de Dívida Ativa: 57

58 58 Help Encerramento do Exercício

59 Encerramento do Exercício 59 Após efetuar os lançamentos de ajustes para encerramento, passemos para o Procedimento Procedimento 8 - Geração do Encerramento do Exercício Depois de todos os ajustes contábeis, do ativo permanente (almoxarifado e dívida ativa) e passivo financeiro (restos a pagar) e permanente (dívida fundada), daremos início ao último procedimento para o encerramento do exercício, no Menu: Utilitários/ Encerramento do Exercício.

60 60 Help Encerramento do Exercício Na tela acima será realizado o encerramento do exercício, uma vez que já foram verificados e ajustados os lançamentos para o fechamento do ano. Obs: o sistema não trará as opções para Reliquidar em Anos Posteriores e Utilizar a Liquidação de Inscrição, como em anos anteriores, estando o mesmo já configurado para Reliquidar nos Anos Posteriores, ou seja, após o encerramento do exercício o sistema irá gerar automaticamente liquidações de inscrições em restos a pagar, mas essas não serão utilizadas no seguinte ano, sendo necessário efetuar a liquidação normalmente ao receber a nota fiscal. Após finalização do processo de encerramento do exercício, passaremos para Procedimento 9, conferência do balanço. 2.9 Procedimento 9 - Conferência Relatórios do Balanço Após a realização dos Procedimentos anteriores da-se início a conferência do Balanço, através dos relatórios disponíveis no Menu: Relatórios/ Balanço.

61 Encerramento do Exercício 61

62 62 Help Encerramento do Exercício Na tela acima serão selecionados e visualizados os relatórios do Balanço para conferência dos fechamentos realizados e conclusão do encerramento do exercício. Nas conferências de cada anexo será sugerido relatórios para complementar os relatórios já utilizados pelo usuário para a apuração dos saldos, fechamento e encerramento do exercício Anexo XIII - Balanço Financeiro Para conferência do Balanço Financeiro deverão ser observados os seguintes relatórios: Relatórios/ Balanço (Anual) - Anexo XIII - Balanço Financeiro

63 Encerramento do Exercício 63 O Balanço Financeiro é composto por duas colunas, Receita e Despesa, e o total deve ser sempre igual. CONFERÊNCIA: Relatórios/ Balancetes - Balancete da Receita: Orçamentária Analítica (Anual) Receita Orçamentária (Arrecadada Até o Período)

64 64 Help Encerramento do Exercício Relatórios/ Balancetes - Balancete da Receita: Extra orçamentária (Anual) Transferências Financeiras Recebidas Recebimentos Extras Até o Período

65 Encerramento do Exercício 65 Relatórios/ Listagens/ Razão (Anual) Recebimentos Extras Até o Período somandos ao total das obrigações por emissão de empenho (2111):

66 66 Help Encerramento do Exercício Saldo em Espécie do Exercício Anterior Relatórios/ Balancetes - Balancete da Despesa: Analítico da Despesa (Anual) Relatórios/ Balancetes - Balancete da Receita: Extra orçamentária (Anual) Transferências Financeiras Concedidas

67 Encerramento do Exercício Pagamentos Extra-Orçamentários Saldo Em Espécie Para o Exercício Seguinte 67

68 Help Encerramento do Exercício Anexo XIV - Balanço Patrimonial Para conferência do Balanço Patrimonial deverão ser observados os seguintes relatórios: Relatórios/ Balanço (Anual) - Anexo XIV - Balanço Patrimonial Apuração do Saldo Patrimonial Positivo é representado através da conta Ativo Real Líquido e Apuração do Saldo Patrimonial Negativo é representado através da conta Passivo Real Descoberto. Resultado do XIV - Balanço Patrimonial do Exercício Anterior somando ao resultado

69 Encerramento do Exercício 69 das XV- Variações Patrimoniais do Exercício (Superávit ou Déficit) é igual ao Saldo Patrimonial do XIV - Balanço Patrimonial do Exercício. CONFERÊNCIA: Relatórios/ Tesouraria - Fluxo de Caixa (Anual) Ativo Financeiro Disponível

70 70 Help Encerramento do Exercício Relatórios/ Balanço - Anexo XVII - Créditos a Receber (Anual) Realizável Relatórios/ Balancete - Balancete Contábil: Analítico Simplificado (Anual) Totalizar Contas Sintéticas e Marcar os Níveis das Contas do Ativo de 1 ao 8 Ativo Permanente Bens

71 Encerramento do Exercício Relatórios/ Balanço - Anexo XVII - Dívida Flutuante (Anual) Demonstrar os Níveis de 1 ao 5 Passivo Financeiro Obrigações para Emissões de Empenhos e Depósitos 71

72 72 Help Encerramento do Exercício Relatórios/ Balanço - Anexo XVI - Dívida Fundada (Anual) Demonstrar os Níveis de 1 ao 5 Passivo Permanente Dívida Fundada Anexo XV - Variações Patrimoniais Para conferência das Variações Patrimoniais deverão ser observados os seguintes relatórios: Relatórios/ Balanço (Anual)

73 Encerramento do Exercício A diferença entre as Variações, Ativa e Passiva, demonstrará o o Déficit ou o Superávit Patrimonial do Exercício. CONFERÊNCIA: Relatórios/ Balancetes - Balancete da Receita: Analítica Orçamentária Variação Ativa Receita Orçamentária 73

74 74 Help Encerramento do Exercício Relatórios/ Balancetes - Balancete Contábil: Analítico Simpificado (Anual) Totalizar Contas Sintéticas e Demonstrar os Níveis das Contas de Variação Ativa e Passiva Mutações, Interferências Ativas e Acréscimos Patrimoniais

75 Encerramento do Exercício Relatórios/ Balancetes - Balancete da Receita: Analítico da Despesa Variação Passiva Despesa Orçamentária 75

76 76 Help Encerramento do Exercício Relatórios/ Balancetes - Balancete Contábil: Analítico Simpificado (Anual) Totalizar Contas Sintéticas e Demonstrar os Níveis das Contas de Variação Ativa e Passiva Mutações, Interferências Passivas e Decréscimos Patrimoniais Anexo XVI - Demonstrativo da Dívida Fundada Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Aliquam velit risus, placerat et, rutrum nec, condimentum at, leo. Aliquam in augue a magna semper pellentesque. Suspendisse augue. Nullam est nibh, molestie eget, tempor ut, consectetuer ac, pede. Vestibulum sodales hendrerit augue. Suspendisse id mi. Aenean leo diam, sollicitudin adipiscing, posuere quis, venenatis sed, metus. Integer et nunc. Sed viverra dolor quis justo. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Duis elementum. Nullam a arcu. Vivamus sagittis imperdiet odio. Nam nonummy. Phasellus ullamcorper velit vehicula lorem. Aliquam eu ligula. Maecenas rhoncus. In elementum eros at elit. Quisque leo dolor, rutrum sit amet, fringilla in, tincidunt et, nisi.

77 Encerramento do Exercício 77 Donec ut eros faucibus lorem lobortis sodales. Nam vitae lectus id lectus tincidunt ornare. Aliquam sodales suscipit velit. Nullam leo erat, iaculis vehicula, dignissim vel, rhoncus id, velit. Nulla facilisi. Fusce tortor lorem, mollis sed, scelerisque eget, faucibus sed, dui. Quisque eu nisi. Etiam sed erat id lorem placerat feugiat. Pellentesque vitae orci at odio porta pretium. Cras quis tellus eu pede auctor iaculis. Donec suscipit venenatis mi. Aliquam erat volutpat. Sed congue feugiat tellus. Praesent ac nunc non nisi eleifend cursus. Sed nisi massa, mattis eu, elementum ac, luctus a, lacus. Nunc luctus malesuada ipsum. Morbi aliquam, massa eget gravida fermentum, eros nisi volutpat neque, nec placerat nisi nunc non mi. Quisque tincidunt quam nec nibh sagittis eleifend. Duis malesuada dignissim ante. Aliquam erat volutpat. Proin risus lectus, pharetra vel, mollis sit amet, suscipit ac, sapien. Fusce egestas. Curabitur ut tortor id massa egestas ullamcorper. Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Donec fermentum. Curabitur ut ligula ac ante scelerisque consectetuer. Nullam at turpis quis nisl eleifend aliquam. Sed odio sapien, semper eget, rutrum a, tempor in, nibh Anexo XVII - Demonstrativo da Dívida Flutuante Para conferência da Dívida Flutuante deverão ser observados os seguintes relatórios: Relatórios/ Balanço (Anual) - Anexo XVII - Demonstrativo da Dívida Flutuante CONFERÊNCIA: Relatórios/ Balancetes - Demonstrativo da Dívida (Anual)

78 78 Help Encerramento do Exercício Tipo de Relatório "Dívida Flutuante" Dívida Flutuante Anexo XVII - Demonstrativo dos Créditos a Receber Para conferência dos Créditos a Receber deverão ser observados os seguintes relatórios: Anexo XVII - Demonstrativo dos Créditos a Receber

79 Encerramento do Exercício CONFERÊNCIA: Relatórios/ Balancetes - Demonstrativo da Dívida (Anual) Tipo de Relatório "Créditos a Receber" Créditos a Receber 79

80 80 Help Encerramento do Exercício Endnotes 2... (after index)

81 Back Cover

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software Help Encerramento do Exercício Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

RcPDV. 2015 Rica Informática

RcPDV. 2015 Rica Informática RcPDV Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Title page 1 Use this page to introduce the product by Rica

Leia mais

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone

atividade florestal não-madeireira título da categoria com opção de uso de icone buscar no site OK Página inicial links rápidos a fazenda santa maria nononononono não- título em destaque texto complementar Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Praesent vestibulum

Leia mais

wireframe do novo site

wireframe do novo site wireframe do novo site home METRÔ PAINÉIS S ANUNCIE QUEM SOMOS Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nam imperdiet sed eros ut luctus. Suspendisse eu vulputate massa. Nullam dignissim,

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo

MANUAL DE REGRAS BÁSICAS. CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo INSTITUTO POLITÉCNICO MANUAL DE REGRAS BÁSICAS CAPAS MESTRADO Instituto Politécnico de Viana do Castelo Capa Tese de Mestrado INSTITUTO POLITÉCNICO Dimensões da capa: A4+lombada variável+a4 Papel: Coché

Leia mais

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento

Sorriso. Metálico. Ponto de Vista. A Saúde bucal infantil. Entrevista. Comportamento Sorriso Entrevista Dr Alisson explica as vantagens dos aparelhos Autoligados Comportamento O que te faz feliz? Fique Ligado Participe, curta, compartilhe e ganhe brindes especiais Escova de dentes: A maior

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO INTERNET PARA CARTÃO SUL I. Objetivos e Descrição Redesign do website que a empresa possui, acrescentando novos recursos, informações mais detalhadas dos produtos e serviços,

Leia mais

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design

T12design MÓVEIS DE ALTO PADRÃO. Manual de Identidade Visual T12 Design Índice Capítulo Apresentação... O logo e seus elementos... Variações cromáticas... Reduções e reservas... Aplicação em fundos de cor... Tipografias de apoio... Usos indevidos... Cartão de Visita... Pág.

Leia mais

d ce R E V I S T A D I G I TA L

d ce R E V I S T A D I G I TA L d ce R E V I S T A D I G I TA L Doce Revista Digital Há 25 anos no mercado, a imagem da Doce Revista é marcada pelo jornalismo ágil e independente. É a única publicação nacional voltada exclusivamente

Leia mais

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software Help Contabilização Rápida Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE

EMBRACE THE FUTURE SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS NEGÓCIO ÁREAS DE EDIFÍCIO PLATINUM MOÇAMBIQUE MENU EMBRACE THE FUTURE ÁREAS DE NEGÓCIO SERVIÇO PÓS-VENDA ONDE ESTAMOS EM DESTAQUE PORTUGAL MARROCOS ARGÉLIA EDIFÍCIO PLATINUM GANA ANGOLA ARGENTINA O Grupo Ramos Ferreira vai ser responsável, em parceria

Leia mais

R.Boquino Manual de Identidade Visual

R.Boquino Manual de Identidade Visual R.Boquino Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope

Leia mais

Recursos Naturais. Cores quentes, energia, países de clima tropical, desigualdade social. Conceito: mover para somar. Projeção de cinema

Recursos Naturais. Cores quentes, energia, países de clima tropical, desigualdade social. Conceito: mover para somar. Projeção de cinema Ven.ti.la.dor adj (ventilar+dor2) Que ventila; ventilante. sm 1 Aparelho que renova o ar de ambientes fechados ou que o põe em circulação; aparelho que produz corrente de ar. Recursos Naturais { Cores

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul. Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS E APLICAÇÕES Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Mato Grosso do Sul aguardamos envio de uma imagem de mato grosso do sul Manual de Marca NORMAS GRÁFICAS

Leia mais

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual

SOCALOR saunas Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Normas padrão para construção e uso correto da marca. Comunicação institucional padrão Apresentação 3 Envelope 36 18 Conceito da marca 4 Envelope 34 19 Marca 5 Envelope 32 20

Leia mais

Equipe abntex2. Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Equipe abntex2. Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2013 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de Relatório

Leia mais

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5

Fulano de Tal. Exemplo de livro produzido com. Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 Fulano de Tal Exemplo de livro produzido com abntex2 Publicações Acadêmicas Ltda. abntex2 v-1.9.5 2015

Leia mais

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com

Wireframes. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com Wireframes 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas

Leia mais

Wireframes. Definição. Wireframes

Wireframes. Definição. Wireframes Wireframes Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Definição Wireframes Diagrama que representa todos os elementos de uma página, definindo esses elementos, a hierarquia entre eles, agrupamentos e suas importâncias

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ECOBRAZ Sumário Sumário 1. Apresentação 2. O logo e seus elementos...... 3. Variações Cromáticas 4. Reduções e Reservas 5. Aplicação em fundo de cor 6. Tipografias de apoio 7. Usos indevidos..................

Leia mais

Arquitetura de Informação - 7

Arquitetura de Informação - 7 Arquitetura de Informação - 7 Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Ícone Imagem Banner Logotipo Título 1 Título 2 Tabela Disclaimer Título 1 Título 2 Ícone Ícone Imagem

Leia mais

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão

wireframe homepage Onde buscar ajuda para animais carentes onde denunciar maus tratos Feiras de doação por todo o Brasil Apadrinhe um cão wireframe homepage tipo Quem somos Doações em dinheiro Onde r ajuda para animais carentes equipe Doações em mantimentos onde denunciar maus tratos banner 720 álbum x 160 de fotos Doaçòes medicinais Feiras

Leia mais

OS CAMINHOS PARA UMA APOSENTADORIA PLANEJADA

OS CAMINHOS PARA UMA APOSENTADORIA PLANEJADA CAPITANIA MULTI CRÉDITO PRIVADO OS CAMINHOS PARA UMA Apresentação de Produto 2º Tri 2009 APOSENTADORIA PLANEJADA Capitânia Asset & Risk Management www.capitania.net Rua Dona Leopoldina, 48 São João -Porto

Leia mais

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade?

Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Olá! Vamos conhecer todas as aplicações e usos da sua Marca e de todos os elementos que formam sua identidade? Índice O que é a Marca? Conceito 4 Personalidade da Marca 5 Como ela é? Marca Principal Versão

Leia mais

MANUAL DE USO DE MARCA

MANUAL DE USO DE MARCA MANUAL DE USO DE MARCA INTRODUÇÃO A MARCA FAPEU A marca é um dos bens mais preciosos de uma empresa. Ela existe para ser vista e lembrada pelos consumidores, identificando-se com os produtos, serviços

Leia mais

CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação. Apresentações. Prof. Jesús P. Mena-Chalco 3Q-2016

CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação. Apresentações. Prof. Jesús P. Mena-Chalco 3Q-2016 1 CCM002 Metodologia de Pesquisa em Ciência da Computação Prof. Jesús P. Mena-Chalco jesus.mena@ufabc.edu.br 3Q-2016 2 Pratique, pratique, pratique,. Pode inovar, não ha regra apenas sugestões. Pode falar

Leia mais

Index. RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872. RGB: 0-168-89 Hex: #00A859. RGB: 96-96-98 Hex: #606062

Index. RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872. RGB: 0-168-89 Hex: #00A859. RGB: 96-96-98 Hex: #606062 Index RGB: 174-51-54 Hex: #Ae3336 RGB: 44-72-114 Hex: #2C4872 RGB: 0-168-89 Hex: #00A859 RGB: 168-207-69 RGB: 210-226-139 RGB: 75-75-77 Hex: #A8CF45 Hex: #D2E28B Hex: #4B4B4D RGB: 96-96-98 Hex: #606062

Leia mais

HUGO QUEIROZ ABONIZIO A IMPORTÂNCIA DO PDTI NA IMPLANTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE TI NAS PREFEITURAS BRASILEIRAS

HUGO QUEIROZ ABONIZIO A IMPORTÂNCIA DO PDTI NA IMPLANTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE TI NAS PREFEITURAS BRASILEIRAS HUGO QUEIROZ ABONIZIO A IMPORTÂNCIA DO PDTI NA IMPLANTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE TI NAS PREFEITURAS BRASILEIRAS LONDRINA PR 2015 HUGO QUEIROZ ABONIZIO A IMPORTÂNCIA DO PDTI NA IMPLANTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO

MANUAL DE USO DA MARCA INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO MANUAL DE USO DA MARCA INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO SUMÁRIO 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 1.7 1.8 1.9 1.10 1.11 1.12 1.13 1.14 1.15 1.16 Introdução Assinatura institucional Malha de construção Assinatura

Leia mais

Selos de Certificação. Guia de Uso - Anexo 2 Elaborado em 28.07.2010

Selos de Certificação. Guia de Uso - Anexo 2 Elaborado em 28.07.2010 Selos de Certificação Guia de Uso - Anexo 2 Elaborado em 28.07.2010 Sumário 01. Abertura 02. Versões Cromáticas 03. Regras de Uso 04. Exemplos de Aplicações 05. Arquivos 2 01. Abertura Os Selos de Certifi

Leia mais

Normas para envio de artigos:

Normas para envio de artigos: NORMAS PARA ENVIO DE ARTIGOS Formatação da página: recuo superior e da lateral esquerda de 3 cm. Recuo inferior e da lateral direita de 2,5 cm, conforme a formatação deste documento. Título: fonte Arial,

Leia mais

O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO

O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO O ALUNO SURDO E OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO NA COMPREENSÃO DO ENUNCIADO MATEMÁTICO Ludmyla Sathler Aguiar do Nascimento 1 GD12 Educação Matemática e Inclusão A leitura e compreensão textual expõem o quanto

Leia mais

Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013. Frutacor lança coleção Inverno 2014. Confira o festival de Jazz no CCCP

Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013. Frutacor lança coleção Inverno 2014. Confira o festival de Jazz no CCCP Arte Sacra é destaque no Salão de Negócios do Minas Trend 2013 Frutacor lança coleção Inverno 2014 Fashion City Brasil participará da Fenim Confira o festival de Jazz no CCCP Bodytech loren ipsum ad vitor

Leia mais

Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Manual de Identidade Corporativa

Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Manual de Identidade Corporativa Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Manual de Identidade Corporativa 1 Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio A Identidade Visual da Afeal é um de seus principais

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA

GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA GUIA SIMPLIFICADO DA LOGOMARCA 1 2 Introdução 04 A logomarca 05 Variantes de cor 06 Dimensões mínimas 07 Área de não-interferência 08 Usos incorretos 09 Cores institucionais 10 Tipografia Grafismo 11 12

Leia mais

ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores

ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores ISEL Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ADEETC Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Teleconumicações e de Computadores MERCM Mestrado em Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia Dissertação

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA MECÂNICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA MECÂNICA PRIMEIRO AUTOR SEGUNDO AUTOR TERCEIRO AUTOR QUARTO AUTOR QUINTO AUTOR SEXTO AUTOR TÍTULO COMPLETO DO PROJETO PROJETO

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2013, v Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

BRAND GUIDELINES RTP MÚSICA

BRAND GUIDELINES RTP MÚSICA RTP MÚSICA VERSÃO VERTICAL GRELHA / EIXOS BRAND GUIDELINES GRELHA / EIXOS VERSÃO VERTICAL VERSÃO HORIZONTAL BRAND GUIDELINES VERSÃO MOSCA COMPORTAMENTOS CROMÁTICOS (VERSÃO HORIZONTAL E VERTICAL) Cor Directa

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Capítulo 1 Normatização Geral 1. Conceito de Marca 1.1. Identidade de Foz do Iguaçu 1.2. Pôster Conceitual 2. Assinaturas Padrão 2.1. Assinaturas em Português 2.2. Assinaturas

Leia mais

advisor senior seu sucesso nosso compromisso senior advisor

advisor senior seu sucesso nosso compromisso senior advisor senior advisor COACHING FINANCEIRO BRANDING SERVIÇOS CONTÁBEIS COACHING FINANCEIRO SERVIÇOS CONTÁBEIS BRANDING A Senior Advisor é uma consultoria multidisciplinar, que tem como foco principal, auxiliar

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, JORNALISMO E SERVIÇO SOCIAL COLEGIADO DE JORNALISMO PROJETOS EXPERIMENTAIS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA

Leia mais

Colposcopia Kolplast ci Ltda

Colposcopia Kolplast ci Ltda Colposcopia Note: To change the product logo for your own print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Title page 1 Use this page to introduce the product

Leia mais

Manual de Normas Gráficas. CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social

Manual de Normas Gráficas. CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social Manual de Normas Gráficas CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social CASES 2015 Assinatura CASES Versões da assinatura CASES v1 v3 v5 Positivo v2 v4 v5 Negativo v1. Esta assinatura deverá

Leia mais

MANUAL DE NORMAS Normas Normas.indd indd :09:36 12:09:36

MANUAL DE NORMAS Normas Normas.indd indd :09:36 12:09:36 MANUAL DE NORMAS Universo cromático Pantone 470 C C M Y K 0% 58% 100% 33% Black 50% Black Família Tipográfica Barmeno Regular utilizado nas palavras municipal de lisboa abcdefghijklmnopqrstuvxz ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVXZ

Leia mais

Projeto Amun Tecnologia de Imagens Ocultas Compe Truncagem de cheques

Projeto Amun Tecnologia de Imagens Ocultas Compe Truncagem de cheques Projeto Amun Tecnologia de Imagens Ocultas Compe Truncagem de cheques Autenticação do Substrato, Validação do Correntista e Armazenamento de imagens verdadeiras em arquivos seguros Fraudes Truques Jogos

Leia mais

Fim da carta-frete, uma conquista a ser valorizada

Fim da carta-frete, uma conquista a ser valorizada Fim da carta-frete, uma conquista a ser valorizada Fim da carta-frete, uma conquista a ser valorizada Os Transportadores Autônomos de Cargas (TAC) tem muito o que comemorar! O pagamento do frete no transporte

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.3 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2014, v-1.9.2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

ECA-USP. Manual Simplificado de Identidade Visual. Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat

ECA-USP. Manual Simplificado de Identidade Visual. Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat ECA-USP Manual Simplificado de Identidade Visual Estudio K Arquitetura e Comunicação Visual Dorinho Bastos Juliana Baracat Logotipo Grade de Construção Identidade Visual/Cor Grade de Construção Identidade

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.5 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

Marca. Depto. de Marketing do Pirâmide Natal Resort & Convention - V. 01 - Revisado em 28/05/2008.

Marca. Depto. de Marketing do Pirâmide Natal Resort & Convention - V. 01 - Revisado em 28/05/2008. Marca Esta é a Marca que deve ser utilizada prioritariamente. Existe uma relação única entre tipologia, corpo, forma e cores que deve ser rigorosamente respeitada. Qualquer alteração modifica totalmente

Leia mais

Após Renato acelerar tramitação, Senado vota hoje PEC do teto

Após Renato acelerar tramitação, Senado vota hoje PEC do teto Dourados-MS, 12 de Janeiro de 2020. Digite e pressione enter... MS BRASIL MUNDO POLÍTICA ESPORTES FESTAS&EVENTOS ENTREVISTAS ARTIGOS COLUNAS + EDITORIAS Full banner capa 1 (728x90px) FULL BANNER DESKTOP

Leia mais

MODELO PARA EDITORAÇÃO DE LIVRO Guia do Usuário

MODELO PARA EDITORAÇÃO DE LIVRO Guia do Usuário MODELO PARA EDITORAÇÃO DE LIVRO Guia do Usuário 2016 Esta página ficará em branco. LOREM IPSUM (título) dolor (subtítulo) Falsa folha de rosto. Nesta folha conterá apenas o título e o subtítulo (se necessário)

Leia mais

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Modelo canônico de Projeto de pesquisa em conformidade

Leia mais

Responsabilidade social e comunicação institucional: Estudo de caso da campanha SOS Minas, da Igreja do Evangelho Quadrangular

Responsabilidade social e comunicação institucional: Estudo de caso da campanha SOS Minas, da Igreja do Evangelho Quadrangular Responsabilidade social e comunicação institucional: Estudo de caso da campanha SOS Minas, da Igreja do Evangelho Quadrangular Jessica Caroline Silva de Freitas Kelly Isaura Graciano da Silva Bento Sabrina

Leia mais

Arquitetura de Informação para Web

Arquitetura de Informação para Web Arquitetura de Informação para Web Aula introdutória sobre Arquitetura de Informação para Web na ECA - USP Guilhermo Almeida dos Reis reis@guilhermo.com www.guilhermo.com Novembro / 2004 Agenda Definições

Leia mais

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2

Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.5 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Relatório Técnico e/ou Científico com abntex2 Modelo canônico de

Leia mais

POCH MANUAL DE NORMAS

POCH MANUAL DE NORMAS POCH MANUAL DE NORMAS 2015 A MARCA A marca é o elemento mais identificativo da identidade corporativa. A normalização da mesma é essencial para preservar a sua legibilidade e percepção. Por esse motivo,

Leia mais

espaço publicitário SEJA FELIZ o poder da alegria dentário? pág.9 tratá-la? pág.9 saúde? pág.9 TEM IDADE CERTA para uso do aparelho

espaço publicitário SEJA FELIZ o poder da alegria dentário? pág.9 tratá-la? pág.9 saúde? pág.9 TEM IDADE CERTA para uso do aparelho edição 01 ano 01 Fevereiro de 2015 Publicação bimestral com distribuição gratuita no Circuito das Águas Paulista www.circuitosaude.com.br SEJA FELIZ o poder da alegria pág.7 TEM IDADE CERTA para uso do

Leia mais

NORMAS GRÀFICAS - INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

NORMAS GRÀFICAS - INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA NORMAS GRÀFICAS - INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA CONSTRUÇÃO HORIZONTAL CONSTRUÇÃO VERTICAL LOGÓTIPO de artes e design de artes e design de tecnologia do mar de tecnologia do mar de saúde de tecnologia

Leia mais

d ce D I G I TA L ATENÇÃO NAS MÍDIAS DIGITAIS, OS DESCONTOS DIFEREM DOS PRATICADOS NA MÍDIA IMPRESSA. CONSULTE-NOS. R E V I S T A

d ce D I G I TA L ATENÇÃO NAS MÍDIAS DIGITAIS, OS DESCONTOS DIFEREM DOS PRATICADOS NA MÍDIA IMPRESSA. CONSULTE-NOS. R E V I S T A d ce R E V I S T A D I G I TA L ATENÇÃO NAS MÍDIAS DIGITAIS, OS DESCONTOS DIFEREM DOS PRATICADOS NA MÍDIA IMPRESSA. CONSULTE-NOS. Doce Revista Digital Há 31 anos no mercado, a imagem da Doce Revista é

Leia mais

KIT DE NORMAS GRAFICAS

KIT DE NORMAS GRAFICAS KIT DE NORMAS GRAFICAS ÍNDICE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 INTRODUÇÃO CONCEÇÃO DO SELO CORES DO SELO SELO MONOCROMÁTICO REFERÊNCIAS DE COR OUTRAS CORES FUNDOS FOTOGRÁFICOS ÁREA DE PROTEÇÃO REDUÇÃO TIPOGRAFIA

Leia mais

QUALIDADE DE GESTÃO EM PORTUGAL. Joaquim Brás/ CCS

QUALIDADE DE GESTÃO EM PORTUGAL. Joaquim Brás/ CCS QUALIDADE DE GESTÃO EM PORTUGAL Joaquim Brás/ CCS Responsabilidades dos Empresários Constatação as boas práticas de gestão estão longe de fazer parte do dia-a-dia da maior parte das nossas empresas, em

Leia mais

MANUAL DE NORMAS. Guia de identidade visual. Abril. 2016

MANUAL DE NORMAS. Guia de identidade visual. Abril. 2016 MANUAL DE NORMAS Guia de identidade visual Abril. 2016 A logomarca tem como base a interação com as pessoas. É por isso que é tão importante que todos os que trabalham com a logomarca Nosso Shopping percebam

Leia mais

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST Para auxiliar nas providências que devem ser tomadas para o encerramento de exercício, foi elaborada uma série de verificações, em formato de checklist, que devem ser

Leia mais

E&L Contabilidade Pública Eletrônica

E&L Contabilidade Pública Eletrônica E&L Contabilidade Pública Eletrônica Instruções para envio da prestação mensal do CIDADESWEB. Está disponível no menu Utilitários, uma opção de Implantação do CIDADESWEB. Neste utilitário estão os 9 passos

Leia mais

MATHEUS SEREZANI NICOLOSI BALANCEAMENTO EM TABELAS HASH DISTRIBUÍDAS PARA CONSULTAS POR SIMILARIDADE USANDO FUNÇÕES DE HASH SENSÍVEIS À LOCALIDADE

MATHEUS SEREZANI NICOLOSI BALANCEAMENTO EM TABELAS HASH DISTRIBUÍDAS PARA CONSULTAS POR SIMILARIDADE USANDO FUNÇÕES DE HASH SENSÍVEIS À LOCALIDADE MATHEUS SEREZANI NICOLOSI BALANCEAMENTO EM TABELAS HASH DISTRIBUÍDAS PARA CONSULTAS POR SIMILARIDADE USANDO FUNÇÕES DE HASH SENSÍVEIS À LOCALIDADE LONDRINA PR 2015 MATHEUS SEREZANI NICOLOSI BALANCEAMENTO

Leia mais

A maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas

A maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas PLANOS PLUS & TOP A maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas Pesquisar Reclamar Comparar Responder Replicar Resolver Consumidores ReclameAQUI Empresas O ReclameAQUI

Leia mais

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing 19/Nov/13 MUITOS MISTÉRIOS DURANTE UM JANTAR DE COMEMORAÇÃO. SERÁ UMA ARMADILHA? NÃO, APENAS MOTIVOS PARA MUITAS GARGALHADAS.

Leia mais

Manual de Normas Gráficas

Manual de Normas Gráficas Manual de Normas Gráficas A criação da identidade visual da Proxira, tem por base um sistema de aplicações coerente, organizado e bem definido. O manual de identidade visual apresentado reúne os elementos

Leia mais

Corrigir detalhamento das Contas Correntes.

Corrigir detalhamento das Contas Correntes. Corrigir detalhamento das Contas Correntes. A seguir, tem-se o Informativo AUDESP-SP, publicado no dia 24/09/2014, no site do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo 1 : VARIAÇÃO NA NATUREZA DO SALDO

Leia mais

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2

Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Brasil 2015, v-1.9.3 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Projeto de pesquisa com abntex2 Modelo canônico de Projeto de pesquisa em conformidade

Leia mais

IFDR, IP MANUAL DE NORMAS

IFDR, IP MANUAL DE NORMAS IFDR, IP MANUAL DE NORMAS Este guia de normas representa, no seu conteúdo, o conjunto das regras básicas de utilização da marca, bem como das suas declinações e complementos visuais. A utilização dos elementos

Leia mais

MANUAL NORMAS GRÁFICAS

MANUAL NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS NOVEMBRO 2016 MIGUEL GATA INTRODUÇÃO 2 MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS BEM-VINDO ao Manual de Normas Gráficas da ESCOLA PROFISSIONAL PRÁTICA UNIVERSAL BRAGANÇA Dada a importância que

Leia mais

Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos

Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos Edital de Chamada para Trabalhos Acadêmicos A Comissão Organizadora do VI Encontro Estudantil Regional de Relações Internacionais EERRI convida a comunidade acadêmica de relações internacionais para o

Leia mais

Máquinas de Lavar Loiça Profissionais. Tabela de Preços 2013. Acresce IVA (Taxa legal em vigor) e Ecoree

Máquinas de Lavar Loiça Profissionais. Tabela de Preços 2013. Acresce IVA (Taxa legal em vigor) e Ecoree Máquinas de Lavar Loiça Profissionais Tabela de Preços 2013 Acresce IVA (Taxa legal em vigor) e Ecoree SteelTech 13-00 916260 998,00 com cesto 35x35 cm 1.200,50 SteelTech 13-00 S 916263 1.212,75 com descalcificador

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO - TECCOGS ISSN:

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO - TECCOGS ISSN: Normas para publicação Formatação da página (margens): Topo: 3,3 cm Inferior: 3 cm Esquerda: 2,3 cm Direita: 2 cm Título: Fonte: Arial, 14 Alinhamento do texto: à esquerda Norma para publicação Autoria:

Leia mais

RCMS - Sistema de Gerenciamento de

RCMS - Sistema de Gerenciamento de RCMS - Sistema de Gerenciamento de 2008 Ricardo Mangabeira & Roberto Rander Conteúdo - RanderNet Note: To change the product logo for your own print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify

Leia mais

Monografia Índice Completo

Monografia Índice Completo Monografia Definição: dissertação a respeito de um assunto único; estudo minucioso a fim de esgotar determinado tema relativamente restrito. Monografia é uma dissertação sobre um ponto particular de uma

Leia mais

www.in-lex.pt ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO EDIÇÕES E DIVULGAÇÃO CONTACTOS IN-LEX

www.in-lex.pt ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO EDIÇÕES E DIVULGAÇÃO CONTACTOS IN-LEX www.in-lex.pt Para mais informação consulte o nosso site ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO ANUÁRIO 2015 Data da Publicação Dimensões Papel Capa Papel Miolo Hardcover Início de 2015 230 (largura) x 297 (altura)

Leia mais

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SUMÁRIO MANUAL DE ENCERRAMENTO DO EXERCICIO 1 Introdução 1 1.1 Recomendações 1 2. Procedimentos de Encerramento de Exercício 1 2.1.01 Lançamento

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS 01 03 APRESENTAÇÃO Este guia de identidade uniformiza a utilização da marca Fundação Bienal de Cerveira. Estas normas devem ser cumpridas de modo rigoroso para que a imagem da

Leia mais

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2

Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Brasil 2013, v-1.7.1 Equipe abntex2 Modelo Canônico de Trabalho Acadêmico com abntex2 Modelo canônico de trabalho monográfico acadêmico

Leia mais

Workshop SEO Integrando TI, Marketing e Conteúdo. Por Diego Ivo, CEO da Conversion

Workshop SEO Integrando TI, Marketing e Conteúdo. Por Diego Ivo, CEO da Conversion Workshop SEO Integrando TI, Marketing e Conteúdo Por Diego Ivo, CEO da Conversion A Conversion Conversion é a maior empresa de SEO no Brasil Número do que geramos Nossos números 120 $300 3 40 Milhões de

Leia mais

Cartão Loja. Cartão Pessoal. José Maria Diretor Administrativo. Buscamos e aviamos sua receita TELEVENDAS.

Cartão Loja. Cartão Pessoal. José Maria Diretor Administrativo. Buscamos e aviamos sua receita TELEVENDAS. Aplicações Cartão Loja Buscamos e aviamos sua receita www.pharmasu.com.br Matriz: Av. C-159 nº 670 Filial T-9: Av. T- 9 nº 2.811 (62) 3526-4910 Farmacia Ipasgo: Av. Anhanguera nº 8517 Campinas (62) 3526-5900

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS A CMS Fundada em 1998, a CMS surgiu para atender a demanda de produtos e marcas internacionais exigidos para o crescimento e desenvolvimento do mercado brasileiro. Ao decorrer dos

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Abril de 2014

Manual de Identidade Visual. Abril de 2014 Manual de Identidade Visual Abril de 2014 ÍNDICE 03 Para que serve este manual? 04 O logotipo 06 Variações do logotipo 07 Escala cromática 08 Fundos preferenciais 09 Malha construtiva 10 Área de não-interferência

Leia mais

A A. Caixas. Prof.: Ivan R. Pagnossin. Tutora: Juliana Giordano. Largura. Altura. Altura total. Linha-base. Profundidade. Ponto-de-referência

A A. Caixas. Prof.: Ivan R. Pagnossin. Tutora: Juliana Giordano. Largura. Altura. Altura total. Linha-base. Profundidade. Ponto-de-referência Prof.: Ivan R. Pagnossin Tutora: Juliana Giordano Coordenadoria de Tecnologia da Informação Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada Definição e dimensões Largura Altura Profundidade g Altura total Linha-base

Leia mais

ANEXO DO CONCURSO LITERÁRIO INTERNACIONAL. A Primeira Conferência

ANEXO DO CONCURSO LITERÁRIO INTERNACIONAL. A Primeira Conferência ANEXO DO CONCURSO LITERÁRIO INTERNACIONAL A Primeira Conferência (Capa título do trabalho) Emmanuel Bailly x 1 2 1.- Curriculum Vitae do Autor 2.- Ficha de Inscrição do Autor 2.1.- Dados pessoais: Nome:

Leia mais

Trabalho 2. Jorge Barreto Faculdade de Ciências e Tecnologias. 10 de Fevereiro de 2013

Trabalho 2. Jorge Barreto Faculdade de Ciências e Tecnologias. 10 de Fevereiro de 2013 Trabalho 2 Jorge Barreto Faculdade de Ciências e Tecnologias 10 de Fevereiro de 2013 Resumo Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam lobortis facilisis sem. Nullam nec mi et neque

Leia mais

Câmara Municipal de Vagos Normas Gráficas

Câmara Municipal de Vagos Normas Gráficas 01 Índice Introdução # 3 Marca # 4 Logótipo # 5 Símbolo # 6 Construção Identidade # 7 Versões # 8-9 - 10 Arquitetura Marca # 11 Identidade Inglês # 12 Identidade Espanhol # 13 Área de proteção # 14 Dimensões

Leia mais

MUSEU do FUTEBOL manual da marca

MUSEU do FUTEBOL manual da marca manual da marca MUSEU do FUTEBOL manual da marca 03 06 07 11 13 14 15 19 23 24 25 conceito ASSINATURAS PREFERENCIAIS ASSINATURAS secundárias dimensões da marca uso da tipologia Auxiliar opções de uso da

Leia mais

Linha de Produtos MAN Linha de Produtos Caminhões e Ônibus Volkswagen

Linha de Produtos MAN Linha de Produtos Caminhões e Ônibus Volkswagen Manual de Identidade Visual Linha de Produtos MAN Linha de Produtos Caminhões e Ônibus Volkswagen Página 1 Mais consistência para nossas marcas Introdução Página 2 O Manual de Identidade Visual explica

Leia mais

Brand Identity Guidelines

Brand Identity Guidelines Brand Identity Guidelines manual PARA QUÊ? Índice 1.0 Logotipo 00 1.1 Apresentação 00 1.2 Cores Institucionais 00 1.3 Símbolo 00 1.4 Família Tipográfica 00 1.5 Redução 00 1.6 Versões 00 Este manual explica

Leia mais

Standard print manual template. <1989-2014> Desempenho Informática

Standard print manual template. <1989-2014> Desempenho Informática Standard print manual template Title page 1 Use this page to introduce the product by enter value here This is "Title Page 1" - you may use this page to introduce your product, show title, author, copyright,

Leia mais

NATALI SILVA HONDA GAIA INVENTÁRIO: UM MODELO PARA GESTÃO DA CONFIGURAÇÃO, INVENTÁRIO E ATIVOS DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

NATALI SILVA HONDA GAIA INVENTÁRIO: UM MODELO PARA GESTÃO DA CONFIGURAÇÃO, INVENTÁRIO E ATIVOS DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NATALI SILVA HONDA GAIA INVENTÁRIO: UM MODELO PARA GESTÃO DA CONFIGURAÇÃO, INVENTÁRIO E ATIVOS DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LONDRINA PR 2015 NATALI SILVA HONDA GAIA INVENTÁRIO: UM MODELO PARA

Leia mais

MANUAL PARA IMPLANTAÇÃO DO SALDO DA DISPONIBILIDADE FINANCEIRA

MANUAL PARA IMPLANTAÇÃO DO SALDO DA DISPONIBILIDADE FINANCEIRA MANUAL PARA IMPLANTAÇÃO DO SALDO DA DISPONIBILIDADE FINANCEIRA Para controlar o novo grupo da disponibilidade financeira do PCASP (grupo 8), temos que primeiramente apurar a disponibilidade do Órgão e

Leia mais