3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS"

Transcrição

1 METROLOGIA APLICADA

2 3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS MATERIALIZADAS

3 3.4 Calibradores Introdução - Calibradores são instrumentos que estabelecem os limites máximo e mínimo das dimensões que desejamos comparar. - Geralmente fabricados de aço-carbono e com as faces de contato temperadas e retificadas, os calibradores são empregados nos trabalhos de produção em série de peças intercambiáveis, isto é, peças que podem ser trocadas entre si, por constituírem conjuntos praticamente idênticos. - Existem basicamente dois grupos de calibradores: fixos e ajustáveis. a) Fixos: são exclusivamente empregados para a verificação de apenas uma determinada dimensão, o que implica em dispor-se de um número elevado de calibradores para atender às diversas medidas nominais com suas respectivas tolerâncias de fabricação. b) Ajustáveis: para minimizar custos e tempo no controle, surgiram os calibradores ajustáveis que permitem a verificação de uma faixa de dimensões.

4 3.4.1 Tipos e Aplicações Calibrador Tampão (diâmetro internos) a) Cilíndrico Liso: O funcionamento do calibrador tampão cilíndrico é bem simples: o furo que será medido deve permitir a entrada da extremidade mais longa do tampão (lado passa), mas não da outra extremidade (lado nãopassa).

5 3.4.1 Tipos e Aplicações b) Cônico Liso: Furos cônicos podem ser verificados por meio de um calibrador tampão cônico. Para a verificação simples do cone, tenta-se uma movimentação transversal do padrão. Quando o cone é exato, o movimento é nulo.

6 3.4.1 Tipos e Aplicações c) Cilíndrico de Rosca: Este tipo de calibrador serve para verificação de rosca interna. A extremidade de rosca mais longa do calibrador tampão verifica o limite mínimo: ela deve penetrar suavemente, sem ser forçada, na rosca interna da peça que está sendo verificada. Diz-se lado passa. A extremidade de rosca mais curta não-passa, verifica o limite máximo. Ranhuras para quebra de cavaco.

7 d) Cônico de Rosca Tipos e Aplicações

8 3.4.1 Tipos e Aplicações Calibradores Anulares (diâmetros externos) a) Cilíndrico de Rosca: O calibrador anular cilíndrico de rosca é composto por dois anéis, sendo que um lado passa e o outro não passa, para a verificação da rosca externa. Ranhuras para quebra de cavacos.

9 3.4.1 Tipos e Aplicações b) Cônico Liso c) Cônico de Rosca

10 3.4.1 Tipos e Aplicações Calibradores de Boca e Planos a) Calibrador de Boca: Esse calibrador tem duas bocas para controle: uma passa, com a medida máxima, e a outra não-passa, com a medida mínima.

11 3.4.1 Tipos e Aplicações b) Calibrador de boca separada: Para dimensões muito grandes, são utilizados dois calibradores de bocas separadas: um passa e o outro nãopassa. Os calibradores de bocas separadas são usados para dimensões compreendidas entre 100 mm e 500 mm.

12 3.4.1 Tipos e Aplicações c) Calibrador de boca escalonada: Para verificações com maior rapidez, foram projetados calibradores de bocas escalonadas ou de bocas progressivas. O eixo deve passar no diâmetro máximo (Dmáx.) e não passar no diâmetro mínimo (Dmín.). Sua utilização compreende dimensões de até 500 mm.

13 3.4.1 Tipos e Aplicações d) Calibrador de Boca Ajustável: O calibrador de boca ajustável resolve o problema das indústrias médias e pequenas pela redução do investimento inicial na compra desses equipamentos. A dimensão máxima pode ser ajustada entre os dois pinos anteriores, enquanto a dimensão mínima é ajustada entre os dois pinos posteriores. Esse calibrador normalmente é calibrado com auxílio de blocos-padrão.

14 3.4.1 Tipos e Aplicações e) Calibrador Plano e Plano Escalonado: Para medições internas, estes calibradores somente ficam em contato com a peça a medir numa pequena região, ocorrendo contato localizado. Calibrador Plano Calibrador Plano Escalonado

15 3.4.1 Tipos e Aplicações f) Calibrador Regulável de Rosca: O calibrador de boca de roletes é geralmente de boca progressiva, o que torna a operação muito rápida, não só porque é desnecessário virar o calibrador, como porque o calibrador não se aparafusa à peça. Os roletes cilíndricos podem ter roscas ou sulcos circulares, cujo perfil e passo são iguais aos do parafuso que se vai verificar e, como vantagem, pode ser usado para vários diâmetros diferentes.

16 3.4.2 Calibradores Normas - Tampões... DIN Anéis... DIN De boca Progressivo... DIN De boca Passa... DIN De boca Não Passa... DIN 2233, - De boca...din 2234, DIN 2235, DIN De rosca cilíndrica... NBR 5876, 6159, 6160 e 6161; DIN13 e 159; ANSI B De rosca cônica... NBR 8018; USAS 2.; BS 2.1; DIN 2999.

17 3.5 Verificadores Esquadro de precisão: É um instrumento em forma de ângulo reto, construído de aço, ou granito. Usa-se para verificação de superfícies em ângulo de 90º. Os esquadros são classificados quanto à forma e ao tamanho. a) Forma: Esquadro com lâmina biselada Esquadro simples

18 3.5 Verificadores b) Tamanho: - Os tamanhos são dados pelo comprimento da lâmina e da base: l 1 e l 2. - As normas referendes aos esquadros são: - DIN 875/81 Stahlwinkel 90º - NBR 9972/87 Esquadros 90º

19 3.5 Verificadores Gabaritos a) Verificador de Raio: Serve para verificar raios internos e externos. Em cada lâmina é estampada a medida do raio. Suas dimensões variam, geralmente, de 1 a 15 mm ou de 1/32 a ½.

20 3.5 Verificadores b) Verificador de Ângulos: Usa-se para verificar superfícies em ângulos. Em cada lâmina vem gravado o ângulo, que varia de 1º a 45º.

21 3.5 Verificadores c) Escantilhões para roscas métrica e whithworth: Servem para verificar e posicionar ferramentas para roscar em torno mecânico.

22 3.5 Verificadores d) Verificador de Rosca: Usa-se para verificar roscas em todos os sistemas. Em suas lâminas está gravado o número de fios por polegada ou o passo da rosca em milímetros.

23 3.5 Verificadores f) Fieira: A fieira, ou verificador de chapas e fios, destina-se à verificação de espessuras e diâmetros.

24 3.5 Verificadores Régua de controle: Réguas de controle são instrumentos para a verificação de superfícies planas, construídas de aço, ferro fundido ou de granito. a) Réguas de fio retificado (biselada) b) Régua Triangular c) Régua de superfície plana (desempeno)

25

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Leitura no Sistema Inglês : Fração Ordinária Goniômetro simples O goniômetro simples, também conhecido como transferidor de grau, é utilizado em medidas

Leia mais

CALIBRADOR. Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels

CALIBRADOR. Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels CALIBRADOR Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels Medição Indireta Consiste em confrontar a peça que se quer medir com a peça padrão. Um eixo pode ser medido indiretamente utilizando um calibrador de eixos.

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng.

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@cefetsc.edu.br PROGRAMAÇÃO Aula Data Conteúdo 1 07/11 2 14/11 Correção da avaliação, blocos-padrão, calibradores,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 5 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Pinos, Cupilhas, Cavilhas, Roscas, Mancais de Deslizamento

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 299 Calibradores para Furos Pequenos (Passantes) Série 829 3,2-12,7mm / 0,125-1,500" Utilizados para trabalhos gerais, estes calibradores têm pontas de contato em esfera completa. Calibradores para Furos

Leia mais

Acesse:

Acesse: Uma questão de exatidão Como você viu na Aula 30, o furo executado com a broca geralmente não é perfeito a ponto de permitir ajustes de exatidão, com rigorosa qualidade de usinagem. Isso pode ser um problema,

Leia mais

Site do Inmetro. Clique aqui para mais informações. 21/07/2016

Site do Inmetro. Clique aqui para mais informações. 21/07/2016 BRASIL Acesso à informação Barra GovBr Site do Inmetro Acreditação Nº 3 Data da Acreditação 04/04/1984 ACREDITAÇÃO VIGENTE Última Revisão do Escopo Razão Social Nome do Laboratório Situação Clique aqui

Leia mais

Até 100 mm. Até 100 mm

Até 100 mm. Até 100 mm Acreditação Nº 144 Data da Acreditação 25/07/2000 ACREDITAÇÃO VIGENTE Última Revisão do Escopo Razão Social Nome do Laboratório Situação Endereço Bairro Clique aqui para mais informações. 05/09/2017 K&L

Leia mais

Acesse:

Acesse: Segurando as pontas As operações de tornear superfícies cilíndricas ou cônicas, embora simples e bastante comuns, às vezes apresentam algumas dificuldades. É o que acontece, por exemplo, com peças longas

Leia mais

Conjuntos mecânicos V

Conjuntos mecânicos V A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Conjuntos mecânicos V Introdução Os funcionários acharam importante a aula anterior porque puderam conhecer bem o calço-regulável e as diversas formas pelas

Leia mais

24 Controle trigonométrico

24 Controle trigonométrico A U A UL LA Controle trigonométrico Um problema Certos tipos de peças, devido à sua forma, não podem ser medidos diretamente. Essas medições exigem auxílio de peças complementares e controle trigonométrico,

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2016 Aula 09 Componentes de transmissão e união I: eixos, chavetas, polias, correias Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento de Engenharia

Leia mais

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande Mesas de Medição Modelo padrão Coluna de aço cromada e temperado. Três modelos de batentes intercambiáveis: lisa, convexa e com ranhura. Ø 30 Batente: Ø 58 168 x 110 Ø 8 7002 Ø 3 /8 7003 Afuste fino: Acessório

Leia mais

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca Rosca Sistema Métrico Normal Fina Machos de roscar Rosca Sistema Whitworth Para Parafusos Normal - BSW Fina - BSF Para Tubos - BASP - BSPT Rosca

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 255 Os esquadros Starrett são ofertados numa variedade de estilos para atender às necessidades do profissional, seja ele ferramenteiro, mecânico, carpinteiro ou adepto do faça-você-mesmo. O nome Starrett

Leia mais

0.04, 0.05, 0.06, 0.07, 0.08, 0.09, 0.10, 0.15, 0.20, 0.25, 0.30, 0.35, 0.40, 0.45, 0.50, 0.55, 0.60, 0.65, 0.70, 0.75, 0.80, 0.85, 0.90, 0.95, 1.

0.04, 0.05, 0.06, 0.07, 0.08, 0.09, 0.10, 0.15, 0.20, 0.25, 0.30, 0.35, 0.40, 0.45, 0.50, 0.55, 0.60, 0.65, 0.70, 0.75, 0.80, 0.85, 0.90, 0.95, 1. CIRDOR DE FOG Unid: âminas 3 Fabricado em aço liga temperado tendem a Norma DIN : ±(3+T/8)µm, onde T é a espessura da lâmina em µm - Espessura das lâminas () Quantidade de lâminas -. -..,.,.,.,.8,.9,.,.,.,.,.3,.3,.,.,.,.,.,.,.,.,.8,.8,.9,.9,.

Leia mais

Micrômetros A origem da confiabilidade Mitutoyo em instrumentos de medição

Micrômetros A origem da confiabilidade Mitutoyo em instrumentos de medição Micrômetros A origem da confiabilidade Mitutoyo em instrumentos de medição Jogo de Calibradores Expansíveis Série 154 Calibrador para furos longos e rasos, alojamentos, e características similares. Duas

Leia mais

CALIBRAÇÕES. Goniômetro º 04. Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6") Nível Eletrônico até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6")

CALIBRAÇÕES. Goniômetro º 04. Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6) Nível Eletrônico até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6) CALIBRAÇÕES DESCRIÇÃO DO SERVIÇO DIMENSIONAL INSTRUMENTOS E GABARITOS DE MEDIÇÃO DE ÂNGULO Goniômetro 360 00º 04 Nível Goniômetro 360 Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6") Nível Eletrônico até

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

Série 201. Acessórios Opcionais 2972 Relógio comparador Especificações, veja página e relógio comparador digital B

Série 201. Acessórios Opcionais 2972 Relógio comparador Especificações, veja página e relógio comparador digital B Calibradores de Boca sem Relógio Os calibradores de boca permitem uma medição rápida e exata de todos os tipos de diâmetros externos até 300. Avaliações PASSA/ NÃO PASSA podem ser feitas com grande facilidade.

Leia mais

Conjuntos mecânicos III

Conjuntos mecânicos III Conjuntos mecânicos III A UU L AL A Desenho de componente é o desenho de uma peça isolada que compõe um conjunto mecânico. Introdução Desenho de detalhe é o desenho de um elemento, de uma parte de um elemento,

Leia mais

METROLOGIA PAQUÍMETRO: TIPOS E USOS. Prof. Marcos Andrade 1

METROLOGIA PAQUÍMETRO: TIPOS E USOS. Prof. Marcos Andrade 1 METROLOGIA PAQUÍMETRO: TIPOS E USOS Prof. Marcos Andrade 1 Paquímetro É um instrumento usado para medir as dimensões lineares internas, externas e de profundidade de uma peça. Consiste em uma régua graduada,

Leia mais

EME005 - Tecnologia de Fabricação IV Operação de Furação

EME005 - Tecnologia de Fabricação IV Operação de Furação UNIFEI EME005 - Tecnologia de Fabricação IV Operação de Furação Constituição e tipos de furadeiras Aula 15 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Furadeira Vertical de Piso (Vertical Drill machine)

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA PLACA ARRASTADORA E ARRASTADOR São acessórios do torno que servem para transmitir o movimento de rotação do eixo principal em peças a serem usinadas entrepontas

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA FERRAMENTAS DE CORTE P/ TORNO (PERFIS E APLICAÇÕES) DEFINIÇÃO: São ferramentas de aço rápido ou de carboneto metálico, empregadas nas operações de torneamento, para cortar

Leia mais

Solução? Uma lima na mão!

Solução? Uma lima na mão! Solução? Uma lima na mão! Quando você abre uma lata de sardinhas com um abridor comum, precisa tomar cuidado para não se cortar com os cantos e rebarbas que se formam nesse processo de corte. Qualquer

Leia mais

PROPOSTA DE ESCOPO PARA CALIBRAÇÃO ANEXO A

PROPOSTA DE ESCOPO PARA CALIBRAÇÃO ANEXO A Norma de Origem: NIT-DICLA-005 Folha: 01 / 02 LABORATÓRIO MEC-Q Comércio e Serviço de Metrologia Industrial Ltda ( Unidade Petropólis) à SOLICITAÇÃO DE ACREDITAÇÃO ANEXO ao RAV : 0270/12 GRUPO DE SERVIÇO:

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 305 Pinos Calibrados de Precisão em Jogos Série 4000 0,011-1,000" Pinos calibrados de precisão são usados para determinar diâmetro de pequenos furos, para verificar rasgos e determinar distâncias entre

Leia mais

Mecânica Ferramentas e seus Acessórios

Mecânica Ferramentas e seus Acessórios CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Mecânica Ferramentas e seus Acessórios SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 3 Ferramentas e seus Acessórios - Mecânica SENAI - ES, 1996

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009 Questão 1 Conhecimentos Específicos - Fabricação Sobre a montagem de engrenagens para abertura de roscas em um torno, é correto afirmar: Deve-se garantir que a folga entre os dentes das engrenagens seja

Leia mais

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Profª: Janaina Fracaro de Souza Gonçalves Micrômetro Micrômetro: tipos e usos Jean Louis Palmer apresentou, pela primeira vez, um micrômetro para requerer

Leia mais

Série 331 Micrômetro digital com saída de dados SPC DIN 863 com IP 65. Visor para modelo IP 65

Série 331 Micrômetro digital com saída de dados SPC DIN 863 com IP 65. Visor para modelo IP 65 Micrômetros Externos com Pontas Finas Para medir ranhuras, canais, rebaixos e outros formatos especiais. Exatidão: -1 Faces de medição: Metal duro, 25 mm) e chave. Série 111 111 115 Capacidade Código Graduação

Leia mais

Espírito Santo. _ SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 25

Espírito Santo. _ SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 25 Departamento Regional do Espírito Santo 25 Limas Descrição É uma ferramenta manual de aço carbono, denticulado e temperada. Utilização É utilizada na operação de limar. Classificação Classificam-se pela

Leia mais

Acesse:

Acesse: Roscar: a vocação do torno No mundo da mecânica, é inegável a importância das roscas: seja para fixar elementos (com parafusos e porcas), seja para transmitir movimentos (com eixos roscados). Neste livro,

Leia mais

Apostila de Instrumentação. Módulo: Paquímetro

Apostila de Instrumentação. Módulo: Paquímetro Módulo: Paquímetro AUTORES: Prof. Msc. SAMUEL MENDES FRANCO Prof. Msc. OSNI PAULA LEITE Prof. Msc. LUIS ALBERTO BÁLSAMO 1 Paquímetro Introdução O paquímetro, nome de origem grega que significa medida grossa,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio TDUA2 Aula 2 Prof. Carlos Fernando Torno Mecânico Peças e Acessórios do Torno Mecânico. Operações Realizadas com

Leia mais

Capítulo I: Elementos de Fixação

Capítulo I: Elementos de Fixação Capítulo I: Elementos de Fixação Profª. Luziane M. Barbosa 1 Profª. Luziane M. Barbosa 2 1 Profª. Luziane M. Barbosa 3 Uniões Móveis Permanentes Profª. Luziane M. Barbosa 4 2 PINOS Funções: Possibilitar

Leia mais

Tolerância geométrica de orientação

Tolerância geométrica de orientação Tolerância geométrica de orientação A UU L AL A vimos a maneira de verificar a forma de apenas um elemento, como planeza, circularidade, retilineidade. O problema desta aula é verificar a posição de dois

Leia mais

Catálogo de produtos 2013 / 2014

Catálogo de produtos 2013 / 2014 Catálogo de produtos 2013 / 2014 ÓLEO DE CORTE PARA METAIS Somos uma empresa especializada em suprimentos para a indústria Metal/Mecânica Brasileira. As melhores marcas, produtos com tecnologia de ponta,

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 349 Uso de Nível Para se obter uma leitura correta com um nível, ambas as extremidades da bolha devem estar visíveis. Se os vazios entre as extremidades da bolha e as linhas são desiguais em qualquer momento,

Leia mais

SEM-0534 Processos de Fabricação Mecânica. Aula 5 Processo de Torneamento. Professor: Alessandro Roger Rodrigues

SEM-0534 Processos de Fabricação Mecânica. Aula 5 Processo de Torneamento. Professor: Alessandro Roger Rodrigues SEM-0534 Processos de Fabricação Mecânica Aula 5 Processo de Torneamento Professor: Alessandro Roger Rodrigues Processo: Torneamento Definições: Torneamento é o processo de usinagem para superfícies cilindricas

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais

Para muitas medições, ou para traçagem de peças, necessita-se de um plano ou de uma reta de referência materializados.

Para muitas medições, ou para traçagem de peças, necessita-se de um plano ou de uma reta de referência materializados. Capítulo 6 INSTRUMENTOS AUXILIARES DE MEDIÇÃO 6.1 MATERIALIZAÇÃO DE FORMAS GEOMÉTRICAS SIMPLES Para muitas medições, ou para traçagem de peças, necessita-se de um plano ou de uma reta de referência materializados.

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 271 Escalas de Aço de Precisão As escalas Starrett são feitas de aço de fina qualidade e produzidas de acordo com os mais altos padrões de precisão; por isso são as mais precisas e legíveis escalas de

Leia mais

Quebra-Cavacos F30 F50 SN-29. Geometria A11. Robusta. Vivo. Aumento da espessura do chanfro (arestas de corte estáveis)

Quebra-Cavacos F30 F50 SN-29. Geometria A11. Robusta. Vivo. Aumento da espessura do chanfro (arestas de corte estáveis) Quebra-Cavacos A Fina Geometria Média Robusta 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Vivo Aumento da espessura do chanfro (arestas de corte estáveis) FN F30 F50 SN-29 SN Diminuição do ângulo de ataque (ação

Leia mais

Acesse:

Acesse: Nem só o padeiro faz roscas Para montar conjuntos mecânicos, usam-se os mais diversos processos de união das diversas partes que os compõem. Assim, é possível uni-los por soldagem, por rebitagem, por meio

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 QUESTÃO 21: São tipos de manutenção: a) Preventiva, Corretiva, Preditiva b) Preventiva, Temporária, Corretiva c) Corretiva, Casual, Programada d) Previsiva, Corretiva,

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 02/2013 PS 26 TÉCNICO DE MANUTENÇÃO III (Usinagem) Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 02/2013 PS 26 TÉCNICO DE MANUTENÇÃO III (Usinagem) Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 02/2013 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 26 TÉCNICO DE MANUTENÇÃO III (Usinagem) 01. C 11. A 21. ANULADA 31. E 02.

Leia mais

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 1. Qual a definição de aço-carbono? Aço é a liga ferro-carbono que contém de 0,008% a 2,11% de carbono em sua composição e é obtido a partir do

Leia mais

8 Micrômetro: tipos e usos

8 Micrômetro: tipos e usos A U A UL LA Micrômetro: tipos e usos Um problema Um mecânico precisava medir um eixo da maneira mais exata possível. Tentou a medição com paquímetro mas logo desistiu, pois esse instrumento não tinha resolução

Leia mais

3.1 Indicação de rugosidade superficial no desenho Técnico Mecânico NBR

3.1 Indicação de rugosidade superficial no desenho Técnico Mecânico NBR 3 INDICAÇÕES Indicações são sinais e informações acrescentadas aos desenho mecânicos, que especificam uma condição que deverá ser obtida pela peça durante sua fabricação. 3.1 Indicação de rugosidade superficial

Leia mais

CATÁLOGO BROCAS. LANÇAMENTO Brocas para metal Brocas para concreto JOGOS DE BROCAS Expositores de brocas. Precisão, Qualidade e Inovação

CATÁLOGO BROCAS. LANÇAMENTO Brocas para metal Brocas para concreto JOGOS DE BROCAS Expositores de brocas. Precisão, Qualidade e Inovação CATÁLOGO BROCAS LANÇAMENTO Brocas para metal Brocas para concreto JOGOS DE BROCAS Expositores de brocas Precisão, Qualidade e Inovação 05 Brocas PARA metal 13 Brocas PARA CONCRETO 17 JOGOS DE BROCAS 21

Leia mais

Máquina universal de medir

Máquina universal de medir Máquina universal de medir A UU L AL A A produção em série requer o emprego de muitos calibradores para produzir peças dentro das tolerâncias estabelecidas. É indispensável, porém, calibrar os calibradores

Leia mais

Instrumentos Auxiliares

Instrumentos Auxiliares Instrumentos Auxiliares Calibradores Traçadores de Altura Digital Uma Coluna Haste e cursor fabricados em aço inoxidável. Display com dígitos de grande dimensão para leitura rápida e exata. Teclas de:

Leia mais

METROLOGIA I Aula 6 Prof. Samuel Sander de Carvalho

METROLOGIA I Aula 6 Prof. Samuel Sander de Carvalho METROLOGIA I Aula 6 Prof. Samuel Sander de Carvalho E-mail: samuel.carvalho@ifsudestemg.edu.br Juiz de Fora - MG Introdução: Até agora, vimos o que chamamos de medições diretas, ou seja, verificamos exatamente

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025:2005

NBR ISO/IEC 17025:2005 Competence Recognition Certificate Metroquality Dimensional Metrology Laboratory Rua Rio Negro, 68 Canoas - RS O laboratório citado acima está conforme os critérios estabelecidos na the laboratory mentioned

Leia mais

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo Diego Rafael Alba 1 Roscas É um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica; Podem ser internas e externas. 2 Perfil de rosca Triangular;

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA O sorteio do tema da prova discursiva ocorrerá

Leia mais

Acesse:

Acesse: Roda, roda, gira... Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Você já parou para pensar em quanto sua vida depende de parafusos, pinos, rebites e da qualidade das montagens dos muitos conjuntos mecânicos que

Leia mais

PROJETO DE DISPOSITIVOS E FERRAMENTAS

PROJETO DE DISPOSITIVOS E FERRAMENTAS PROJETO DE DISPOSITIVOS E FERRAMENTAS CURSO PROCESSO DE PRODUÇÃO 3º SEMESTRE Profº Panesi São Paulo 2010 0 Sumário AULA 1... 2 CONFORMAÇÃO MECÂNICA POR ESTAMPAGEM... 2 Corte... 2 Corte e furo progressivo...

Leia mais

AS MÁQUINAS DE MEDIR POR COORDENADAS (MMC)

AS MÁQUINAS DE MEDIR POR COORDENADAS (MMC) AS MÁQUINAS DE MEDIR POR COORDENADAS (MMC) Tópicos que serão explorados na aula Introdução Tipos de MMCs Sistema de medição (as réguas e apalpadores) Programas computacionais Erros Compensação (Calibração

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 291 Compassos para Ferramenteiros com Pernas Cilíndricas, Mola e Parafuso de Ajuste Fino Séries 274, 275, 277 75, 150mm / 3, 6" Os Compassos Starrett para ferramenteiros são as mais finas ferramentas do

Leia mais

METROLOGIA I Aula 5 Prof. Samuel Sander de Carvalho

METROLOGIA I Aula 5 Prof. Samuel Sander de Carvalho METROLOGIA I Aula 5 Prof. Samuel Sander de Carvalho E-mail: samuel.carvalho@ifsudestemg.edu.br Juiz de Fora - MG Definição: Hoje daremos inicio a nosso estudo sobre os MICRÔMETROS. Qual a diferença entre

Leia mais

ADES FERRAMENTAS CATÁLOGO DE PRODUTOS

ADES FERRAMENTAS CATÁLOGO DE PRODUTOS ADES CATÁLOGO DE PRODUTOS ADES NOSSA HISTÓRIA ADES 2 FACAS CIRCULARES HSS Facas de corte - HSS D () 20 2 32 40 0 63 80 0 12 10 160 200 20 d () 8 8 13 16 22 22 22 32 32 32 32 E () 0,20 x x x x x 0,2 x x

Leia mais

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica.

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica. A UU L AL A Parafusos I Um motorista, distraído, passou com o carro sobre um grande buraco. Sentiu que o carro começou a se desgovernar. Parou acostamento e, para seu espanto, viu uma roda quase solta.

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 144 / 146 Rebite de Rosca DIMENSIONAL NOMINAL CAB. CILINDRICA CAB CILINDRICA CAB. SEXTAVADA CABSEXTAVADO PLANA EXTRA FINA PLANA EXTRAFINA RKPO RFPO RKSO RFFO COMPRIMENTO

Leia mais

PAQUÍMETROS PAQUÍMETROS UNIVERSAIS QUADRIMENSIONAIS EM AÇO CARBONO CROMADO FOSCO

PAQUÍMETROS PAQUÍMETROS UNIVERSAIS QUADRIMENSIONAIS EM AÇO CARBONO CROMADO FOSCO PAQUÍMETROS PAQUÍMETROS UNIVERSAIS QUADRIMENSIONAIS EM AÇO CARBONO CROMADO FOSCO Graduação de 0,0/1/128" Quadrimensionais Fabricados em aço carbonocromado fosco Parafuso de fixação da medida Faces de medição

Leia mais

Metrologia Dimensional 17-07-2003

Metrologia Dimensional 17-07-2003 Artigo Serviço Referências 52.15.205 Apalpa Folgas (a) DIN 2275 52.15.206 Aplicador Rectangular (b) -------------- 52.15.207 Base de Comparador (b) -------------- 52.15.210 de Haste Telesc. Analógica

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Paquímetro: tipos e usos

Paquímetro: tipos e usos Paquímetro: tipos e usos A U U L A L A Como a empresa fabricou muitas peças fora das dimensões, o supervisor suspendeu o trabalho e analisou a causa do problema. Concluiu que a maioria dos profissionais

Leia mais

Broca Helicoidal DIN338N- HSS

Broca Helicoidal DIN338N- HSS Broca Helicoidal DIN338N- HSS Broca Helicoidal com Haste Cilíndrica Broca Comp. De Corte Broca Helicoidal com Haste Cilíndrica Broca Comp. De Corte 0,5 22 6 4,1 75 43 0,6 24 7 4,2 75 43 0,7 28 9 4,3 80

Leia mais

H. INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO

H. INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO H. INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO Anel e Bloco Padrão...002 Bases Magnéticas...002 Calibres...002 Durômetros...003 Escalas...004 Inclinômetro...004 Medidores...005 Micrômetros...006 Paquímetros...009

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO Unidade 3 Roscas e Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Mendes da Silva 1. Engrenagens: Engrenagens são rodas com dentes padronizados que servem para transmitir movimento

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas 10. 02 Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas TOLERÂNCIA GEOMÉTRICA: FORMA

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 005/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS

TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS METROLOGIA A CIÊNCIA DA MEDIÇÃO A definição formal de metrologia advém da palavra de origem grega (metron: medida; logos: ciência).

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias. Desenho Técnico Mecânico II

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias. Desenho Técnico Mecânico II DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias 1.0. Chavetas 1.1. Definição: Chavetas são elementos mecânicos que permitem a transmissão do movimento de um eixo para cubos

Leia mais

Relógio Comparador O relógio comparador é um instrumento de medição por comparação, dotado de uma escala e um ponteiro, ligados por mecanismos diverso

Relógio Comparador O relógio comparador é um instrumento de medição por comparação, dotado de uma escala e um ponteiro, ligados por mecanismos diverso Relógio Comparador Relógio Comparador O relógio comparador é um instrumento de medição por comparação, dotado de uma escala e um ponteiro, ligados por mecanismos diversos a uma ponta de contato. Relógio

Leia mais

Instrumentos Auxiliares

Instrumentos Auxiliares Instrumentos Auxiliares Calibradores Traçadores de Altura Universal Com escala ajustável Haste e cursor fabricados em aço inoxidável. Possui a escala principal ajustável e ajuste fino no cursor. Escala

Leia mais

Parafusos. Rosca. Formas padronizadas de roscas

Parafusos. Rosca. Formas padronizadas de roscas 4 Parafusos São elementos de máquinas usados em uniões provisórias ou desmontáveis, ou seja, quando permitem a desmontagem e montagem com facilidade sem danificar as pecas componentes. Exemplo: a união

Leia mais

Tudo Sobre Agulhas. Tudo Sobre Agulhas

Tudo Sobre Agulhas. Tudo Sobre Agulhas Tudo Sobre Agulhas Os sistemas de agulhas podem ser adotados em situações como o uso de tecidos específicos, novo maquinário ou aumento da velocidade da máquina. Um guia sobre agulhas de máquinas de costura.

Leia mais

CATÁLOGO RESUMIDO. Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria.

CATÁLOGO RESUMIDO. Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria. CATÁLOGO RESUMIDO Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria. QUALIDADE TECNOLOGIA DURABILIDADE Confira nossa seleção de produtos em promoção

Leia mais

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Agosto / 2002 êndice êndice Histórico / Informações Técnicas...03 Buchas de Fixação...04 Buchas de Fixação...05 Buchas de Fixação...06 Buchas de Desmontagem...07

Leia mais

Brocas para Metal HSS

Brocas para Metal HSS Brocas para Metal HSS BROCAS E EXPOSITORES / Brocas DESCRIÇÃO DO PRODUTO Com 50 modelos oferecidos em milímetros e polegadas, a nova linha de Brocas para Metal da Starrett,proporciona muito mais agilidade,

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: A Rede Metrológica do Estado do Rio Grande do Sul qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

Apostila de Instrumentação. Módulo: Micrômetro

Apostila de Instrumentação. Módulo: Micrômetro Módulo: Micrômetro AUTORES: Prof. Msc. SAMUEL MENDES FRANCO Prof. Msc. OSNI PAULA LEITE Prof. Msc. LUIS ALBERTO BÁLSAMO 1 Micrômetros Introdução Em 1638 foi desenvolvido um instrumento provido de um parafuso

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng.

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@cefetsc.edu.br PROGRAMAÇÃO Aula 1 2 Data 05/11 07/11 Conteúdo Correção da avaliação, blocos-padrão, calibradores,

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: janeiro/2004 FOLHA : 1 / 7 OBS : 1 Dimensões

Leia mais

PROGRAMAÇÃO MANUAL PARA TORNEAMENTO UTILIZANDO O COMANDO MAZATROL

PROGRAMAÇÃO MANUAL PARA TORNEAMENTO UTILIZANDO O COMANDO MAZATROL PROGRAMAÇÃO MANUAL PARA TORNEAMENTO UTILIZANDO O COMANDO MAZATROL MOVIMENTO DE POSICIONAMENTO G0 Xxxx.xxxx Zzzz.zzzz G0 Uuuu.uuuu Wwww.www W x Z U/2 Z X OBS.: sistema de coordenadas cartesianas e unidade

Leia mais

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto Novos produtos Fabrico de ferramentas de estampagem 2014 CD 5.8.3.1 Catálogo em e lin Catálogo on Ampliámos novamente a nossa gama de produtos, indo de encontro às suas necessidades e sugestões. Desta

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 004/2013 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti Convenções para Acabamento de Superfícies Ajustagem Mecânica Rugosidade Rugosidade são erros microgeométricos existentes nas superfícies das peças. Símbolo sem indicação de rugosidade A ABNT adota o desvio

Leia mais

TECNOLOGIA DE CONTROLE NUMÉRICO PROGRAMAÇÃO CNC CICLOS FIXOS

TECNOLOGIA DE CONTROLE NUMÉRICO PROGRAMAÇÃO CNC CICLOS FIXOS TECNOLOGIA DE CONTROLE NUMÉRICO PROGRAMAÇÃO CNC CICLOS FIXOS Operações de Torneamento Operações de Torneamento Eixos de um Torno CNC Eixos de um Torno CNC Segurança é Fundamental!!! Área de Trabalho de

Leia mais

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero Sistemas Estruturais Prof. Rodrigo mero Aula 7 Características dos aços Índice Perfis Estruturais Tipos de Perfis Perfil Laminado Perfil de Chapa Dobrada Perfil de Chapa Soldada Perfil Calandrado Cantoneiras

Leia mais

Aula 1 Nomenclatura - Sistema de Tolerâncias e Ajustes Pág

Aula 1 Nomenclatura - Sistema de Tolerâncias e Ajustes Pág Aula 1 Nomenclatura - Sistema de Tolerâncias e Ajustes Pág. - 1-11 1- NOMENCLATURA NBR 6158 1.1- Objetivos Esta Norma fixa o conjunto de princípios, regras e tabelas que se aplicam à tecnologia mecânica,

Leia mais