Napo e os sinais de segurança: Lição n.º 2 Sinais de Salvamento/Obrigação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Napo e os sinais de segurança: Lição n.º 2 Sinais de Salvamento/Obrigação"

Transcrição

1 Napo e os sinais de segurança: Lição n.º 2 Sinais de Salvamento/Obrigação (7 9 anos) Orientações para professores Nunca é demasiado cedo para apresentar às crianças conceitos básicos de segurança que, para os adultos, se inserem no âmbito da Segurança e Saúde no Trabalho (SST). O Napo é uma simpática personagem que pode ajudar as crianças a refletir, compreender e agir face às questões de segurança. Para saber mais sobre o Napo, clique aqui: Existe um amplo leque de filmes do Napo; não hesite em vê-los e em utilizá-los nas suas aulas Alguns dos conceitos básicos de segurança tratados no presente plano de aula podem ser associados ao conteúdo programático que já está a ser ministrado. Este recurso apresenta uma série de boas ideias que podem ser utilizadas para ajudar a integrar estes conceitos de segurança nas aulas. Este projeto em concreto pode funcionar como uma aula independente ou como parte de um projeto mais alargado e, como demonstrado, articula-se com outras matérias. Contudo, o seu principal objetivo é utilizar os cativantes filmes do Napo para ensinar às crianças os diferentes tipos de sinalização de segurança, o seu significado e a forma como podem ajudá-las a ficarem a salvo dos perigos. Disponibilizámos também um plano de aula completo que serve de exemplo para a utilização destas ideias. A primeira secção apresenta uma visão geral das atividades possíveis e dos objetivos e recursos necessários para a lição. Seguese um outro exemplo mais pormenorizadode um plano de aula tripartido contendo sugestões para aprofundar a aprendizagem. Se precisar de mais informação sobre as questões básicas de segurança e saúde abordadas neste projeto, consulte o folheto de apoio correspondente a este plano de aula na terceira secção.

2 Objetivos de aprendizagem Sensibilizar para uma série de sinais de aviso e conhecer a sua importância Avaliar a forma como os sinais transmitem o seu significado Sensibilizar para a utilização de sinais destinados à proteção pessoal Proceder à avaliação mútua, por parte dos grupos, do seu desempenho e teste aos conhecimentos do significado da forma de cada sinal Visão geral da atividade Ver Plano de Aula Pormenorizado * 40/45 minutos Visualizar o videoclipe do Napo disponibilizado com esta lição: net/pt/napo-for-teachers/safety-signsmandatory-rescue/video Napo e os Sinais: Introdução Círculo Azul (Sinais de obrigação) dos ouvidos Quadrado verde (Sinais de salvamento) Sinal de salvamento ou de socorro (saídas de emergência) 2/6 Atividades possíveis: Debater cada uma das cenas, o que acontece e por que acontece. Enumerar algumas razões pelas quais as pessoas não repararam nos sinais. Selecionar e mostrar sinais retirados do conjunto de sinais incluídos na Diretiva da UE (ver folheto de apoio). Debater as regras básicas das cores e formas dos sinais de segurança. Desenhar um exemplo de cada sinal. Explicar a finalidade/utilidade dos sinais e os seus diferentes significados. Em equipas, escolher uma forma de sinal Círculo e Quadrado que transmitam instruções de obrigação. Transformar os sinais em máscaras que possam ser afixadas e colocadas no rosto. Pensar em formas de os sinais poderem falar ou agir para se certificar de que são notados; por exemplo, uma voz tranquila e uma linguagem corporal indicadora de informação, uma voz forte e autoritária e uma linguagem corporal indicadora de obrigação. Debater os riscos com que habitualmente nos deparamos na vida quotidiana e de que forma estão associados aos sinais. Se necessário, estas atividades podem ser executadas e exemplificadas pelo professor antes do trabalho em grupo. Verificar se todos os alunos conhecem a mensagem e significado dos sinais e a razão da sua importância através dos grupos formados. O trabalho complementar permite pesquisar outros sinais, incluindo alguns sinais de trânsito simples, e criar um sinal para a escola. Recursos necessários Videoclipe do Napo (disponibilizado) Papel em branco e lápis de cor para desenhar sinais Modelos recortados para alguns alunos (disponibilizados) Cartolina azul e verde e varetas para fixar as máscaras Para descarregar os recursos disponibilizados, aceda a: net/pt/napo-for-teachers/resources Ligações a matérias/ Conteúdos programáticos Promoção e educação para a saúde Regras e formas de garantir a segurança e as pessoas que podem ajudar a manter a segurança Reconhecer que os comportamentos individuais afetam outras pessoas Matemática Reconhecimento das formas Ciências Reconhecer os sinais e seguir a sua indicação. Cidadania/Formação cívica Reconhecer os perigos, avaliar os riscos inerentes e respetivo controlo Língua Estrangeira/Materna Escrever frases simples para a explicação dos sinais Segurança rodoviária Reconhecer os sinais e rotulagem de aviso e seguir a sua indicação

3 * Plano de Aula Pormenorizado Resultado da Aprendizagem Ser capaz de explicar por que razão os sinais são importantes e o que significam as suas diferentes formas. Objetivos da lição Saber por que razão os sinais contribuem para a nossa segurança Identificar quais as formas dos sinais que representam «sinais de salvamento» ou de «obrigação». Início 5 minutos Mostrar um sinal e perguntar o que significa, onde pode ser encontrado e por que razão devemos obedecer à sua instrução (ou seja, explicar a finalidade dos sinais de segurança). Perguntas: Que sinais te lembras de ter visto perto da escola, em casa, nas estradas? Acontece-te por vezes NÃO prestares atenção a um sinal? Debater os riscos com que habitualmente nos deparamos na vida quotidiana e de que forma estão associados aos sinais. Atividade Principal 40 minutos Mostrar o videoclipe do Napo disponibilizado com esta lição: Napo e os sinais Introdução Círculo Azul (Sinais de obrigação) dos ouvidos Quadrado verde (Sinais de salvamento) Sinal de emergência (Saída de emergência) 3/6 1. Depois do videoclipe, debater as mensagens sobre os sinais. Apresentar outros sinais que os alunos possam ter visto fora da escola (ver folheto de apoio). Os alunos podem indicar qual o tom das vozes. 2. Debater as regras básicas das cores e formas dos sinais de segurança. Desenhar o quadrado verde de SALVAMENTO/EMERGÊNCIA e o círculo azul do sinal PRO- TEÇÃO OBRIGATÓRIA DA CABEÇA. Para alguns alunos, poderá precisar de utilizar os modelos disponibilizados. 3. Transformar estes sinais em máscaras, recortando uma cartolina grossa e fixando-a a uma vareta. 4. Os alunos podem dotar os sinais de voz, colocando-os na frente do rosto e dizendo em voz alta o aviso. 5. Os alunos podem trabalhar em grupo, criando uma história/peça de teatro (como nas histórias do Napo) que ilustre como esses sinais podem tentar proteger as pessoas do perigo. 6. Partilhar estas representações com a turma.

4 Plenário e Avaliação 5 minutos Testar a boa compreensão das diferentes formas e cores dos sinais e avaliar recorrendo ao esquema abaixo. Professor e alunos avaliam a sua aprendizagem utilizando a seguinte ferramenta: Ouro: Prata: Consigo explicar, pelo menos, cinco sinais de salvamento e obrigação; o seu significado e a sua importância. Consigo explicar duas formas de sinalização; o seu significado e a sua importância. Bronze: Consigo explicar uma forma de sinalização; o seu significado e a sua importância. Trabalho complementar A. Estudar outros sinais como os exemplos apresentados abaixo e produzir um sinal realmente eficaz para a sua escola. B. Explicar o que é o equipamento de proteção pessoal, também com base nos filmes do NAPO viseiras de segurança, proteção da cabeça, dos pés, dos ouvidos, das mãos. Encontra-se disponível uma lista de possíveis videoclipes do Napo para o trabalho complementar em: 4/6

5 FOLHETO DE APOIO PARA PROFESSORES Napo e os sinais de segurança: Lição n.º 2 Sinais de Salvamento/Obrigação Napo e os sinais O primeiro filme da série «Napo» constitui uma introdução aos sinais e símbolos de segurança e saúde existentes no local de trabalho. Destina-se a ser um guia útil para os novos trabalhadores e uma recapitulação igualmente útil para os outros trabalhadores. Mostra e ilustra claramente diferentes situações em que os sinais de segurança são importantes no local de trabalho. Este filme é adequado para todos os setores e níveis de trabalhadores, em especial para os jovens em formação ou em estágio. Foi concebido para informar o público acerca dos sinais de segurança no local de trabalho, para promover a importância do respeito pelos sinais e para ensinar a identificar os sinais através da sua forma e cor. Tem várias sequências. Cada sequência retrata uma situação de trabalho em que o Napo é confrontado com os sinais, que ganham vida e lhe ensinam o seu significado e a importância da segurança. As sequências mostram o que sucede em caso de desrespeito dos sinais, assim como as barreiras técnicas e organizativas ao eficaz funcionamento dos sinais. Diretiva CE «Sinalização de Segurança» A Diretiva CE «Sinalização de Segurança» (92/58/CEE) relativa à sinalização de segurança e de saúde no trabalho destinou-se a incentivar a harmonização dos sinais de segurança em todos os Estados-Membros da UE para que os referidos sinais, sempre que utilizados, tivessem o mesmo significado. Esta diretiva foi transposta para o direito interno pelo Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de junho e Portaria n.º 1456-A/95, de 11 de dezembro Este texto legislativo exige que os empregadores disponibilizem sinais específicos de segurança, sempre que exista um risco que não tenha sido evitado ou controlado por outra via, por exemplo através da criação de controlos e de sistemas de trabalho seguros. Sempre que um sinal de segurança não ajudar a reduzir esse risco, ou sempre que o risco não for significativo, não existe necessidade de dispor de um sinal. 5/6 Sempre que necessário, é exigida a utilização de sinais de trânsito nos locais de trabalho para regular o tráfego rodoviário; os empregadores são obrigados a manter a sinalização de segurança estipulada, bem como a explicar aos seus trabalhadores os sinais que desconhecem e a informá-los do que devem fazer perante a existência de um sinal de segurança. Este texto legislativo aplica-se a todos os locais e atividades dos trabalhadores. Palavras-chave da Diretiva Sinalização de segurança e/ou de saúde: fornece uma indicação ou uma prescrição relativa à segurança e/ou à saúde no trabalho, por intermédio, consoante o caso, de uma placa, uma cor, um sinal luminoso ou acústico, um sinal gestual ou uma comunicação verbal Comunicação verbal: uma mensagem verbal predeterminada, com utilização de voz humana ou sintética Sinal gestual, um movimento e/ou posição dos braços e/ou das mãos para guiar pessoas que efetuem manobras que representam um risco ou um perigo

6 Esta lição abrange as seguintes categorias de sinalização: Sinais de Obrigação Sinal de obrigação o sinal que prescreve um comportamento determinado (ex.: proteção obrigatória dos olhos). Características intrínsecas: Forma circular Pictograma branco sobre fundo azul (a cor azul deve cobrir pelo menos 50 % da superfície da placa) Sinais de salvamento ou de emergência Um sinal de salvamento que dá indicações sobre saídas de emergência ou meios de socorro ou salvamento. Saída de emergência esquerda dos olhos da cabeça Saída de emergência direita dos ouvidos dos pés Primeiros socorros das mãos do corpo Proteção contra incêndios Os sinais dão indicações sobre o material de combate a incêndio. 6/6 para peões Obrigatória várias Extintor i do rosto A lição n.º 1 de Napo e os Sinais de Segurança apresenta os sinais de aviso e proibição* Este recurso didático foi produzido pela EU-OSHA em consulta com o Consórcio Napo HSE (UK); DGUV (Alemanha); INAIL (Itália); INRS (França); SUVA (Suíça); e AUVA (Áustria).

Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 2 Costas

Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 2 Costas Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 2 Costas (7 9 anos) Orientações para professores Nunca é demasiado cedo para apresentar às crianças os conceitos básicos de segurança que, para os adultos, se inserem

Leia mais

Napo e o caçador de perigos: Lição n.º 1 Identificação dos perigos e riscos

Napo e o caçador de perigos: Lição n.º 1 Identificação dos perigos e riscos Napo e o caçador de perigos: Lição n.º 1 Identificação dos perigos e riscos (9 11 anos) Orientações para professores Nunca é demasiado cedo para apresentar às crianças os conceitos básicos de segurança

Leia mais

Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 1 Pele

Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 1 Pele Napo e a proteção do corpo: Lição n.º 1 Pele (7 9 anos) Orientações para professores Nunca é demasiado cedo para apresentar às crianças os conceitos básicos de segurança que, para os adultos, se inserem

Leia mais

ADENDO SES DF ADMINISTRATIVO CONHECIMENTOS BÁSICOS TODOS OS CARGOS TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF.: BRUNO LACERDA DE CARVALHO

ADENDO SES DF ADMINISTRATIVO CONHECIMENTOS BÁSICOS TODOS OS CARGOS TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF.: BRUNO LACERDA DE CARVALHO ADENDO SES DF ADMINISTRATIVO CONHECIMENTOS BÁSICOS TODOS OS CARGOS TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF.: BRUNO LACERDA DE CARVALHO CÓDIGOS E SÍMBOLOS ESPECÍFICOS DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO SINALIZAÇÃO DE

Leia mais

TEXTO INTEGRAL. Artigo 1. Objecto e âmbito

TEXTO INTEGRAL. Artigo 1. Objecto e âmbito DATA: 14 de Junho de 1995 EMISSOR: MINISTÉRIO DO EMPREGO E DA SEGURANÇA SOCIAL DIPLOMA/ACTO: Decreto-Lei n.º 141/95 SUMÁRIO: Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 92/58/CEE, do Conselho,

Leia mais

Sinalização de Segurança e Saúde

Sinalização de Segurança e Saúde 1) Introdução No mundo do trabalho, a sinalização desempenha um papel importante como forma de informar os trabalhadores dos vários riscos inerentes às suas atividades, conduzindoos a atitudes preventivas

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA HSST Higiene Segurança e Saúde no Trabalho SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA IvoTeixeira 06 Operador de Informática Introdução do trabalho Sendo este trabalho proporcionado pela professora de HSST para realizar

Leia mais

Sinalização de Segurança

Sinalização de Segurança de Segurança Placas de Segurança As Placas Brady são feitas com material de alta qualidade e pictogramas intuitivos para garantir que a comunicação seja altamente visível e de fácil compreensão. As placas

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1992L0058 PT 27.06.2007 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B DIRECTIVA 92/58/CEE DO CONSELHO de 24 de Junho de 1992 relativa às prescrições

Leia mais

TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde. AUTORIA: Factor Segurança, Lda. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1.

TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde. AUTORIA: Factor Segurança, Lda. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde AUTORIA: Factor Segurança, Lda PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. INTRODUÇÃO A sinalização de segurança tem por objectivo chamar a atenção

Leia mais

CENTRO ESCOLAR DE POMARES

CENTRO ESCOLAR DE POMARES CENTRO ESCOLAR DE POMARES Objetivos: -Proporcionar aos alunos um primeiro contacto com as regras e procedimentos a adotar em caso de emergência. -Efetuar o reconhecimento do percurso de evacuação de emergência

Leia mais

Sinalização de segurança:

Sinalização de segurança: A Sinalização de Segurança tem por objectivo chamar a atenção, de forma rápida e inteligível, para objectos ou situações que comportem riscos ou possam estar na origem de perigos 1 Significados e a aplicação

Leia mais

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO A educação rodoviária deve começar o mais cedo possível. Ensine, com antecedência, as normas básicas de segurança rodoviária ao seu filho. Para ele, os pais constituem referências e modelos que procura

Leia mais

Estrangeiro, não estranho

Estrangeiro, não estranho Estrangeiro, não estranho ABC da segurança no trabalho ISBN 978-88-7484-171-4 Manual informativo para os trabalhadores estrangeiros e suas famílias Edição 2010 Realizado pela Direção Central de Comunicação

Leia mais

Geração Segura promove Geração Futura

Geração Segura promove Geração Futura ENTRONCAMENTO Geração Segura promove Geração Futura Introdução As autarquias são, cada vez mais, agentes fundamentais na implementação de uma política de segurança rodoviária a nível local. O seu papel

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL 2258 DIÁRIO DA REPÚBLICA Decreto executivo n.º 130/04: Cria a Escola Primária denominada Escola Nova do Sambizanga do Zango, sita no Município de Viana, Província de Luanda. Decreto executivo n.º 131/04:

Leia mais

NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO

NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO O QUE E NR26? É a NORMA REGULAMENTADORA 26 que tem por objetivo fixar as cores que devem ser usadas nos locais de trabalho para

Leia mais

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos IMPLEMENTAÇÂO DO DECRETO LEI 173/2005 Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos Algumas orientações para a construção e beneficiação das instalações bem como para o armazenamento de produtos fitofarmacêuticos

Leia mais

Prova de Conhecimentos. Questões de carater geral. (de entre 6 questões serão sorteadas 2 questões)

Prova de Conhecimentos. Questões de carater geral. (de entre 6 questões serão sorteadas 2 questões) PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONSTITUIÇÃO DE RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO POR TEMPO INDETERMINADO, TENDO EM VISTA O PREENCHIMENTO DE UM POSTO DE TRABALHO NA CARREIRA/CATEGORIA DE ASSISTENTE

Leia mais

5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO

5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO 5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO 5.1 Placas de identificação Posicionam o condutor ao longo do seu deslocamento, ou com relação a distâncias, ou locais de destino. 5.1.1 Placas de identificação

Leia mais

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho 1 1. A campanha MET 2. Aquisição de máquinas seguras 3. Utilização de equipamentos de trabalho bem adaptados 4. Locais de trabalho

Leia mais

PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Rota de Fuga e Análise de Riscos. Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig

PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Rota de Fuga e Análise de Riscos. Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig PROGRAMA PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Rota de Fuga e Análise de Riscos Maj. QOBM Fernando Raimundo Schunig 2010 É um mapa que representa, através de símbolos apropriados, o trajeto a ser seguido pelo indivíduo

Leia mais

Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista Prof. Francisco Caldeira Cabral Instituto Superior de Agronomia

Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista Prof. Francisco Caldeira Cabral Instituto Superior de Agronomia Segurança dos utilizadores na ciclovia Acesso e circulação de veículos automóveis à ciclovia A entrada de veículos na ciclovia, quer de emergência, quer de manutenção e finalmente de trânsito local, deverá

Leia mais

Disciplina de Oferta Complementar. Formação Pessoal e Social

Disciplina de Oferta Complementar. Formação Pessoal e Social Disciplina de Oferta Complementar Formação Pessoal e Social Promover a cidadania Aprender a viver no mundo que nos rodeia Mod. AEVPA - Conselho Pedagógico Página 1 de 11 Disciplina de Oferta Complementar

Leia mais

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores.

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT:2001 Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. Sede: Rio

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA OBJETIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE, apresentando soluções disponíveis de possível aplicação.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO ALUNOS: Quando soar o sinal de ALARME, deve seguir as instruções do Professor. O aluno nomeado Chefe de Fila deve dirigir-se para porta de saída, procede à sua abertura, segurando-a e mantendo-a aberta.

Leia mais

CIRCULAR Nº 23/2012 de 19.11.2012 Lei da Videovigilância em Locais Públicos de Utilização Comum Publicação de Diplomas Complementares

CIRCULAR Nº 23/2012 de 19.11.2012 Lei da Videovigilância em Locais Públicos de Utilização Comum Publicação de Diplomas Complementares A regulamentação da utilização de sistemas de vigilância por câmaras de vídeo pelas forças e serviços de segurança em locais públicos de utilização comum, para captação e gravação de imagens e som e seu

Leia mais

Elementos dos sistemas de gestão de segurança e saúde no trabalho Marcelo Fabiano Costella

Elementos dos sistemas de gestão de segurança e saúde no trabalho Marcelo Fabiano Costella Elementos dos sistemas de gestão de segurança e saúde no trabalho Marcelo Fabiano Costella Sistemas de Gestão em Saúde e Segurança no Trabalho Em 1999, foi publicada a, a partir da BS 8800 Occupational

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

O que farias? pretendem servir de apoio à dinamização de sessões de trabalho

O que farias? pretendem servir de apoio à dinamização de sessões de trabalho Indicações para o professor Introdução Os ALER TAS O que farias? pretendem servir de apoio à dinamização de sessões de trabalho sobre segurança na Internet, promovendo a discussão entre os alunos, em torno

Leia mais

Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE. Comportamentos seguros no trabalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL

Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE. Comportamentos seguros no trabalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL Educação Tecnológica HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE O trabalho é desgastante e tem situações de perigo. O objectivo da Higiene,

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

REGULAMENTO. Regras relativas à identificação e sinalização de estações de radiocomunicações

REGULAMENTO. Regras relativas à identificação e sinalização de estações de radiocomunicações http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=270982 Deliberação de 5.3.2008 REGULAMENTO Regras relativas à identificação e sinalização de estações de radiocomunicações As estações de radiocomunicações

Leia mais

IRISPen Air 7. Guia rápido. (Android)

IRISPen Air 7. Guia rápido. (Android) IRISPen Air 7 Guia rápido (Android) Este Guia rápido do utilizador ajuda-o a dar os primeiros passos com o IRISPen Air TM 7. Leia este guia antes de utilizar o scanner e o respetivo software. Todas as

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE,

Leia mais

Thomas Hub Guia do Utilizador

Thomas Hub Guia do Utilizador Thomas Hub Guia do Utilizador O seu novo e melhorado sistema de apoio à decisão sobre pessoas Descubra a forma simples e rápida de diagnosticar e desenvolver o Capital Humano Acompanhe-nos 1 Guia do Utilizador

Leia mais

Princípio geral Regra geral Realização da manobra Obrigação de facultar ultrapassagem Proibição de ultrapassar e exceções

Princípio geral Regra geral Realização da manobra Obrigação de facultar ultrapassagem Proibição de ultrapassar e exceções FICHA TÉCNICA ULTRAPASSAGEM Níveis GDE: Nível 3 Nível Tático Temas Transversais: Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Síntese informativa: Princípio geral

Leia mais

ILUMINAÇÃO DE SEGURANÇA

ILUMINAÇÃO DE SEGURANÇA ILUMINAÇÃO DE CIRCULAÇÃO OU DE EVACUAÇÃO Tem como objectivo permitir a evacuação das pessoas em segurança, garantindo ao longo dos caminhos de evacuação condições de visão e de evacuação adequadas e possibilitar

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 RESUMO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos

Leia mais

IRISPen Air 7. Guia rápido. (ios)

IRISPen Air 7. Guia rápido. (ios) IRISPen Air 7 Guia rápido (ios) Este Guia rápido do utilizador ajuda-o a dar os primeiros passos com o IRISPen TM Air 7. Leia este guia antes de utilizar o scanner e o respetivo software. Todas as informações

Leia mais

Deliberação n.º 939/2014, de 20 de março (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014)

Deliberação n.º 939/2014, de 20 de março (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014) (DR, 2.ª série, n.º 75, de 16 de abril de 2014) Aprova o formulário de notificação, a efetuar ao INFARMED, I. P., e orientações sobre a prática de reprocessamento de dispositivos médicos de uso único pelo

Leia mais

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EACEA 32/2014 : Projetos de cooperação europeia Execução das ações do subprograma «Cultura»: projetos de cooperação

Leia mais

CEDÊNCIA DE PASSAGEM

CEDÊNCIA DE PASSAGEM FICHA TÉCNICA CEDÊNCIA DE PASSAGEM Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Princípio

Leia mais

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Este inquérito, realizado pela EU-OSHA a empresas de toda a Europa, visa contribuir

Leia mais

REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO

REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO Lei n.º 1/2005, de 10 de (versão actualizada) REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO Contém as seguintes alterações: - Lei n.º 39-A/2005, de 29 de Julho - Lei n.º 53-A/2006, de 29 de Dezembro [ Nº de

Leia mais

ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB

ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB 1. SINALIZAÇÃO VERTICAL É um subsistema da sinalização viária cujo meio de comunicação está na posição vertical, normalmente em placa, fixado ao lado ou

Leia mais

[Escreva o título do documento] [Escreva o subtítulo do documento]

[Escreva o título do documento] [Escreva o subtítulo do documento] Formação Profissional 2014/2015 [Escreva o título do documento] [Escreva o subtítulo do documento] [Escreva a síntese do documento aqui. Normalmente, a síntese é um breve resumo do conteúdo do documento.

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Serviços de instalação e manutenção/assistência técnica de Secção A: equipamentos fixos de refrigeração, ar condicionado e bombas de calor que contenham gases fluorados com efeito

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO Humberto Guerreiro Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO A crescente preocupação das entidades oficiais sobre a segurança na indústria extractiva,

Leia mais

SIMULADO IV UNIDADE Técnico em Administração

SIMULADO IV UNIDADE Técnico em Administração 2013 Novembro SIMULADO IV UNIDADE Técnico em Administração 1 1º Ano Ensino Médio INTEGRADO INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO E MARKETING 1) Marketing é a área de conhecimento que engloba todas as atividades concernentes

Leia mais

Plano Atividades Câmara Municipal do Funchal

Plano Atividades Câmara Municipal do Funchal 2015 Plano Atividades 1 Câmara Municipal do Funchal Departamento de Educação e Promoção Social 2 A Câmara Municipal do Funchal, no âmbito do seu Programa de Educação para a Cidadania, desenvolve, através

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP DPS 38.008-13 EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R4 14-12-2012

Leia mais

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes RISCO Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, suscetíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho.

Leia mais

ÍNDICE CAPÍTULO 1 PROTEÇÃO COLETIVA ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17

ÍNDICE CAPÍTULO 1 PROTEÇÃO COLETIVA ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17 ÍNDICE ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17 CAPÍTULO 1 PROTEÇÃO COLETIVA 1. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS EM ALTURA 23 1.1. Introdução 23 1.2. Guarda-corpos 25 1.3. Redes de segurança

Leia mais

Conhecendo o Aluno Surdo e Surdocego

Conhecendo o Aluno Surdo e Surdocego I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO SURDO E/OU COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno surdo da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui características

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG Metodologia Científica. Professora: Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG Metodologia Científica. Professora: Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com. FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG Metodologia Científica Professora: Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Resumos NBR 6028 Nov. 2003 Norma para elaboração de resumos Um resumo

Leia mais

Fazer da Europa um local de trabalho mais seguro, saudável e produtivo

Fazer da Europa um local de trabalho mais seguro, saudável e produtivo Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho Fazer da Europa um local de trabalho mais seguro, saudável e produtivo Segurança e saúde no trabalho diz respeito a todos. Bom para si. Bom para as

Leia mais

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398X-R1 - UPS 600-1000-1600VA 2 PORTUGUÊS Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Funções e funcionalidades... 2 1.2 Conteúdo da embalagem... 3 1.3 Ligar a UPS... 3 2.0 Software

Leia mais

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MATERIAL DIDÁTICO- ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES Deficiência auditiva parcial Annyelle Santos Franca Andreza Aparecida Polia Halessandra

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE EVACUAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO

PROCEDIMENTOS DE EVACUAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO PROCEDIMENTOS DE EVACUAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO 16 de Outubro 2013 Escola Secundária de Penafiel A CULTURA DE SEGURANÇA A segurança na Escola deve ser uma preocupação comum a todos os membros da

Leia mais

DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES

DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES info@qualityassociados.com.br Existem documentos e avisos que, por determinação legal, devem obrigatoriamente, permanecerem afixados em local

Leia mais

F U N C I O N A M E N T O

F U N C I O N A M E N T O Plano de Ação 2015 ENQUADRAMENTO F U N C I O N A M E N T O» Regulamento Interno da CPCJ de S. P. Sul» Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo - Lei nº 147/99 de 1 de Setembro» Lei que altera a Lei

Leia mais

Programa para promover as competências numéricas

Programa para promover as competências numéricas Programa para promover as competências numéricas Luísa Cotrim, Teresa Condeço ACTIVIDADES PARA PROMOVER A LINGUAGEM E O AMBIENTE MATEMÁTICO EM IDADE PRECOCE A experiência do numérico nas actividades quotidianas

Leia mais

Sinalização de Segurança

Sinalização de Segurança Allianz Portugal. S.A. Portugal tel : +351 213 165 300 fax: +351 213 578 140 info@allianz.pt www.allianz.pt Sinalização de Segurança Direcção Negócio Empresa http://empresas.allianz.pt/riscos/brochuras.html

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR

REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR REGULAMENTO DO CAMPO DE FÉRIAS DO MUNICIPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR O presente regulamento, tem como objetivo principal ocupar o tempo livre das crianças com idades compreendidas entre os 6 e os is anos,

Leia mais

Segurança do trânsito 8. A sinalização rodoviária Fevereiro 2010. 8. A sinalização

Segurança do trânsito 8. A sinalização rodoviária Fevereiro 2010. 8. A sinalização 8. A sinalização Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Ilustração do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN Através da sinalização, os responsáveis pelo trânsito transmitem

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MELGAÇO

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MELGAÇO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MELGAÇO Objetivos: -Proporcionar aos alunos um primeiro contacto com as regras e procedimentos a adotar em caso de emergência. -Efetuar o reconhecimento do percurso de evacuação

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII 1. Foi criado o conceito de «Utilizadores vulneráveis»: Peões e velocípedes, em particular, crianças, idosos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida ou pessoas com deficiência. (artigo 1.º) Tendo em

Leia mais

Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais no trabalho

Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais no trabalho 2014.05.20 Seminário Prevenção e Segurança no Trabalho Auditório da Incubadora de Empresas da Figueira da Foz Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis Descrição Geral TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis O TA ISA foi concebido para cumprir a legislação em vigor nomeadamente o DL. 163/2006 no seu art. 2.9.15 abaixo transcrito. Possui no

Leia mais

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que?

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que? 1 Tu e a publicidade Temas abordados A publicidade à nossa volta. Objectivos da aprendizagem Compreender as diferentes utilizações da publicidade, tais como vender, convencer ou expor um ponto de vista.

Leia mais

Normas gerais de circulação e conduta

Normas gerais de circulação e conduta Normas gerais de circulação e conduta É muito importante a leitura do Capítulo III Normas Gerais de Circulação e Conduta, que vai dos artigos 26 ao 67, contidos no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal Ano de escolaridade: 1.º e 2.º Ano Ano lectivo: 2011/2012 Professor/a da Disciplina:... Agrupamento/Escola:.

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química Regulamento dos Laboratórios de Física e Química 1 Missão Os Laboratórios de Física e de Química são essencialmente um lugar de aprendizagem, onde se encontram todo o tipo de materiais, devidamente organizados

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. 868 Diário da República, 1.ª série N.º 39 23 de fevereiro de 2012. Lei n.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. 868 Diário da República, 1.ª série N.º 39 23 de fevereiro de 2012. Lei n. 868 Diário da República, 1.ª série N.º 39 23 de fevereiro de 2012 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Decreto do Presidente da República n.º 35/2012 O Presidente da República decreta, nos termos do artigo 135.º,

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2010 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir bases técnicas para a elaboração de Plantas de Emergência, em suporte de papel ou em suporte digital, conforme a legislação

Leia mais

Projeto Pedagógico do Apoio Pós-letivo da Primária Escola Alemã de Lisboa

Projeto Pedagógico do Apoio Pós-letivo da Primária Escola Alemã de Lisboa Projeto Pedagógico do Apoio Pós-letivo da Primária Escola Alemã de Lisboa Índice Pág. 1. A Escola Alemã de Lisboa 1 1.1 História do Apoio Pós-letivo da Escola Primária 1 2. O que é o Apoio Pós-letivo da

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o, 25.6.2003 L 156/17 DIRECTIVA 2003/35/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 26 de Maio de 2003 que estabelece a participação do público na elaboração de certos planos e programas relativos ao ambiente

Leia mais

saber identificar as ideias principais, organizá las e relacioná las com as anteriores;

saber identificar as ideias principais, organizá las e relacioná las com as anteriores; Leitura na diagonal É um tipo de leitura rápida, em que o objectivo é procurar uma informação específica ou identificar as ideias principais de um texto, que te vai permitir organizar melhor o teu estudo.

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 11 Hotelaria - Incentivo à promoção da Eficiência Energética 2015 ÍNDICE 1. O que é o FEE Fundo de Eficiência Energética?... 3 2. Qual o enquadramento

Leia mais

CAp-UERJ Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira

CAp-UERJ Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira CAp-UERJ Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira INSTRUÇÕES Você está recebendo um caderno de prova com 12 (doze) folhas numeradas. As partes I e II contêm 16 (dezesseis) questões de Língua

Leia mais

UM GUIA PARA PROFESSORES E EDUCADORES

UM GUIA PARA PROFESSORES E EDUCADORES SOBRE O DIA MUNDIAL A cada ano, no dia 12 de Junho, pessoas em todo o mundo reúnem-se para assinalar o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil. Este dia promove a sensibilização pública e política, angariando

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio Pág. 1 Memorial de Projeto Prevenção e Combate à Incêndio Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações Código do Projeto: 1089/11 Pág. 2 Índice

Leia mais

DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO

DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO EPSU, UNI Europa, ETUCE, HOSPEEM, CEMR, EFEE, EuroCommerce,

Leia mais

NOVO SIMULADO DE SINALIZAÇÃO 2012

NOVO SIMULADO DE SINALIZAÇÃO 2012 1 O procedimento do pedestre diante da sinalização semafórica, identificada na cartela pelo código SS-07 é: a) Atenção; b) Pode seguir; c) Pare o veículo; d) Proibido a travessia; 2 São placas utilizadas

Leia mais

PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line

PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line Idade Recomendada: 5 anos Guia da Lição Os alunos participarão numa discussão de grupo moderada pelo professor de modo a (a) serem expostos ao vocabulário

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA PST. PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA (Descrição da Obra) Empreitada: descrição da empreitada Dono da Obra: identificação do dono da obra Edição / Revisão / Código: PST. Entidade Executante/Construtor:

Leia mais

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA DE SANTANA FERREIRA PEREIRA JÉSSICA PALOMA RATIS CORREIA NOBRE PEDAGOGIA: PROJETO MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA JANDIRA - 2012 FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA

Leia mais

Manual da Carta de Condução

Manual da Carta de Condução Manual da Carta de Condução Ficha Técnica 2014.10.06 Ficha Técnica MANUAL DA CARTA DE CONDUÇÃO Para conduzir um veículo a motor na via pública é necessário estar legalmente habilitado. O documento que

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO BOMBEIROS DE ALBUFEIRA CURSOS PRIMEIROS SOCORROS

CENTRO DE FORMAÇÃO BOMBEIROS DE ALBUFEIRA CURSOS PRIMEIROS SOCORROS CENTRO DE FORMAÇÃO BOMBEIROS DE ALBUFEIRA CURSOS PRIMEIROS SOCORROS Empresas, Instituições e População no Geral 20 horas Idade Mínima de 16 anos e máxima de 60/65; Dominar a língua Portuguesa Nº de Formandos

Leia mais

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS EUNEDS INTRODUÇÃO O mandato para desenvolver uma Estratégia para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) decorre da declaração apresentada pelos ministros do ambiente da CEE/ONU na 5ª Conferência

Leia mais

sinalização Sinalização Sinalização de Perigo Sinalização de Proibição Sinalização de Obrigação

sinalização Sinalização Sinalização de Perigo Sinalização de Proibição Sinalização de Obrigação sinalização Sinalização Sinalização de Perigo Os sinais inseridos nesta categoria visam advertir para uma situação, objecto ou acção susceptível de originar dano ou lesão pessoal e/ou nas instalações.

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA Sejam bem-vindos ao Núcleo de Educação a Distância da FFCL! Esse Manual tem por objetivo auxilia-los na forma de utilização do AVA. COMO FAÇO

Leia mais