Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Junho de 2013

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Junho de 2013"

Transcrição

1 Apoio do BNDES à Infraestrutura Rio de Janeiro Junho de 2013

2 Aspectos Institucionais

3 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para implementação da Política Industrial, de Infraestrutura e de Comércio Exterior; Apoio a micro, pequenas e médias empresas; Captação de recursos de longo prazo; Principal fonte de crédito de longo prazo; Foco no financiamento do investimento.

4 Linha do Tempo 1950 Infraestrutura Econômica - Siderurgia Indústrias de Base - Bens de Consumo Insumos Básicos - Bens de Capital Hoje Energia Agricultura Integração Social Infraestrutura privada - Exportações Privatização: Gerenciamento do PND Infraestrutura Estrutura Produtiva Exportações Inclusão Social Inovação Desenvolvimento Sustentável Dinamização Regional - MPMEs

5 BNDES e Agências Multilaterais US$ milhão BNDES IADB World Bank China DB 31/12/ /06/ /06/ /12/2011 Ativos Totais Patrimônio Líquido Lucro Líquido Desembolsos N/D Capitalização (%) Retorno Sobre Ativos - ROA (%) Retorno Sobre PL - ROE (%) IADB = Banco Interamericano de Desenvolvimento World Bank = Banco Mundial China DB = Banco de Desenvolvimento da China

6 Evolução dos Desembolsos R$ bilhão 168,4 155,9 137,4 139,7 92,2 64,9 23,4 25,7 38,2 35,1 40,0 47,1 52, Obs. Inclui operações de financiamento e de mercado de capitais

7 Desembolsos por Setor de Atividade 7% 8% 5% 5% 7% 12% 9% 14% 17% 7% 36% 33% 35% 30% 38% 12% 12% 14% 16% 8% 6% 5% 6% 40% 39% 35% 31% 21% 7% 28% 7% 40% 34% 46% 48% 40% 50% 53% 40% 43% 46% 47% 32% 31% Indústria Infraestrutura Agronegócios Comércio e Serviços

8 Desembolsos por Região R$ bilhão Norte 13,3 21,0 Nordeste 20,1 Centro-oeste 72,4 Sudeste 29,1 Sul

9 Como apoiamos Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES EMPRESÁRIO Informação e Relacionameto Instituição Financeira Credenciada EMPRESÁRIO

10 Desembolsos por Tipo de Operação (% em valor) Operações Diretas Operações Indiretas

11 Fluxo de tramitação de projetos EMPRESA EMPRESA EMPRESA 60 dias Carta Consulta Projeto Completo Acompanhamento Área Operacional Projeto Enquadramento Análise do Projeto Aprovação Contratação Desembolso Comitês Enquadramento Crédito 30 dias Equipe de Análise Diretoria Equipe Jurídica 60 dias 30 dias 30 dias cronograma físicofinanceiro

12 Área de Infraestrutura

13 O que apoiamos Projetos de Infraestrutura Energia elétrica Fontes renováveis de energia Logística e transportes.

14 Carteira de Projetos da AIE (em 17/04/13) Valores em R$ Mil SETOR Quant. Projetos Valor do Apoio Inv. Total Geração Hidrelétrica Distribuição E.E Rodovias Geração Eólica Transmissão E.E Portos Ferrovias Aeroportos Geração Termelétrica Geração Nuclear Transporte Dutoviário Navegação PCH Cogeração Terminais e Armazéns Setor Logística Qtd. 112 Apoio Investimento Racionalização Energia Transporte Aéreo Outros TOTAL Operações em desembolso e aprovadas (69%), em análise (24%) e com carta consulta (7%).

15 Energia e Logística: Aprovações 2003 a 2013 (Jan-Mar) Valores em R$ mil Segmento Capacidade Instalada Nº de Financiamento Investmento Projetos BNDES Previsto 1. Geração MW Hidrelétricas MW Termelétricas MW PCHs MW Eolicas MW Nuclear MW Biomassa 434 MW Transmissâo Km Distribuição Ferrovias Km, waggons Navegação 225 Ships Portos, Terminais e Armazéns Ton/Year Rodovias Km Transporte Dutoviário Km Aeroportos e Transporte Aéreo passegers/year TOTAL

16 Evolução dos Desembolsos Hidrelétricas Térmicas Nuclear Energias Alternativas Distribuidoras Transmissoras Ferrovias Rodovias Portos, Terminais e Armazéns Navegação Transporte Dutoviário Aeroportos R$ milhões Realizado Jan - Mar Variação Anual % - 23% - 10% + 111% + 21% + 85% - 5% + 23% % (Previsão) + 16% 2014 (Previsão) + 14% + 23% 2015 (Previsão)

17 Distribuição Setorial dos Desembolsos Em Quantidade de Projetos Segmento UHE UTE UEE PCH COGERAÇÃO UTN DISTRIBUIÇÃO TRANSMISSÃO RACIONAL. ENERGIA FERROVIAS RODOVIAS PORTOS/TERMINAIS NAVEGAÇÃO OUTROS Nº TOTAL DE PROJETOS

18 Formas de Apoio

19 Modalidades de Financiamento Financiamento corporativo garantias ligadas aos acionistas Longo prazo Empréstimo-ponte (30% do valor enquadrado, prazo total de até 18 meses, remuneração + 1%a.a.) Project Finance - Financiamento de um projeto específico e não de todos os negócios de uma empresa, segregando custos, receitas e riscos do projeto através de uma sociedade de propósito específico (SPE)

20 O Project Finance e a estruturação do funding Project Finance - Financiamento de um projeto específico e não de todos os negócios de uma empresa, segregando custos, receitas e riscos do projeto através de uma sociedade de propósito específico (SPE). O modelo básico do Project Finance tem por base: Criação de uma sociedade de propósito específico (SPE); Constituição diferenciada de garantias durante a fase de implantação e operação; Receitas futuras vinculadas ou cedidas aos financiadores; Fluxo de caixa suficiente para saldar financiamento - ICSD maior ou igual a 1,2; Capital próprio dos acionistas compatível com o risco e retorno do projeto.

21 Departamento de Transportes e Logística Objetos de Apoio Financeiro Infraestrutura rodoviária Infraestrutura ferroviária Infraestrutura portuária (portos e navegação) Infraestrutura aeroportuária Infraestrutura de integração (CD, dutos, 21 etc.)

22 Linhas de Financiamento Prazo Máximo Participação Máxima BNDES (%) Custo Spread Básico 1. Aeroportos (GRU, BSB e VCP) 17 a % TJLP 0,9 2. Ferrovias % TJLP 0,9 3. Rodovias % TJLP 30% TJ Outros invest em Logística % TJLP 0,9 1,3 Custo Total do Financiamento: Custo Financeiro + Spread Básico + Spread de Risco (0,4% p.a. to 4,18% p.a.) TJ-462 = TJLP + 1% p.a.

23 Custo das Operações Diretas e Indiretas Custo Financeiro Remuneração Básica do BNDES + + Taxa de risco de crédito Taxa de Intermediação Financeira + Custo Financeiro: TJLP, IPCA + 7,496555% a.a. Cesta de Moedas ou Dólar + 4,076258% a.a Operações Diretas Remuneração do Agente Financeiro Operações Indiretas Remuneração Básica do BNDES = 0,9% a.a. a 1,8% a.a. Taxa de risco de crédito = 0,4% a 1,75% a.a. Taxa de Intermediação Financeira = 0,5% a.a. Remuneração do Agente Financeiro = negociada com o cliente

24 Logística: problemas; desafios e soluções

25 Os gargalos logísticos são amplamente conhecidos

26 Há diversos passivos socioambientais associados 26

27 Infraestrutura logística é incompatível com a situação econômica do país Fórum Econômico Global ( ) 144 países País Qualidade das Estradas Qualidade das Ferrovias Qualidade dos Portos Qualidade dos Aeroportos Qualidade da Infraestrutura Alemanha Brasil China Rússia Fonte: WEF (2013) Connecting to Compete (2012), do Banco Mundial, apresenta o Logistics Performance Index (LPI) 155 países País Rank LPI Fronteiras Infraestrutura Embarque Internacional Qualidade e Competência da Logística Rastreabilidade Celeridade Cingapura Alemanha Brasil China EUA Índia Rússia Fonte: BM (2012) EUA Índia

28 Investimentos do PIL * Compreende investimentos a aeroportos regionais

29 PIL Participação do BNDES Características gerais Alinhamento Estratégico (i) Alta Prioridade no Plano de Metas e nas POs condições financeiras e alocação de recursos (ii) Utilização integrada de instrumentos financeiros Componentes: (1) Crédito (2) Debêntures (3) Renda Variável Objetivos: Ampliar e modernizar a rede de infraestrutura de transportes Tornar os processos logísticos mais econômicos e eficientes Promover a Modicidade Tarifária e maior concorrência entre os operadores Integração dos modais articulados com as cadeias produtivas Beneficiários: Concessionárias vencedoras dos leilões no âmbito dos Programas de Investimentos e Logística (PIL), lançados pelo Governo Federal em 2012 Grupos econômicos com ativos em infraestrutura de logística e transportes Setores elegíveis: Rodovias Ferrovias Portos Aeroportos

30 Além das condições anunciadas no PIL PIL Participação do BNDES Projetos RODOVIAS 7,5 mil Km em 9 trechos FERROVIAS 10 mil Km em 12 trechos Investimentos R$ 23,5 bilhões em 5 anos R$ 56 bilhões em 5 anos Condições BNDES Juros TJLP + 1,5% a.a. TJLP + 1% a.a. Participação Até 80%, calculado com sistema SAC, observando-se o ICSD 1,2 Sistema de Amortização O valor do crédito calculado com o sistema SAC poderá ser amortizado no sistema PRICE em caso de emissão de debêntures Prazo carência: até 5 anos (por tranche ) prazo total: até 25 anos carência: até 5 anos (por tranche ) prazo total: até 30 anos

31 Além das condições anunciadas no PIL PIL Participação do BNDES Projetos PORTOS 31 portos (concessões, arrendamentos e TUPs) AEROPORTOS Galeão (RJ) e Confins (MG) Investimentos R$ 54,2 bilhões até 2017 R$ 11,4 bilhões (ajustar) Condições BNDES Juros Até TJLP + 2,5% a.a. TJLP + 0,9% a.a. + taxa de risco Participação Sistema de Amortização Até 65% para Portos e 70% para Aeroportos, calculado com sistema SAC, observando-se o ICSD 1,2 O valor do crédito calculado com o sistema SAC poderá ser amortizado no sistema PRICE em caso de emissão de debêntures Prazo carência: até 3 anos (por tranche ) prazo total: até 20 anos carência: 6 meses (após a utilização de cada tranche) prazo total: até 20 anos (terminando 5 anos antes do fim da concessão)

32 Financiamento da infraestrutura Cronologia de eventos

33 Expectativa de funding Parcerias com mercado de capitais (debêntures de infraestrutura, Lei nº /11 e Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDCs) I.R. = 0% para pessoa física e não residentes I.R. = 15% para pessoas jurídicas Parcerias com outros credores Compartilhamento de garantias e instrumentos de cross-default

34 Debêntures de Infraestrutura Compartilhamento de garantias Cross default Emissão da debênture preferencialmente após ultrapassados os riscos de implantação do projeto Amortização das debêntures modulada de acordo com a amortização do financiamento do BNDES

35 BNDES e a Debênture de Infraestrutura Possibilidade de agregar às fontes do projeto Debêntures com colocação pública; A Debênture poderá ser emitida na SPE ou em uma empresa holding, controladora da SPE, sendo que neste último caso, os recursos provenientes da emissão devem ser aportados no projeto (SPE) na forma de capital. Caso a empresa holding seja um grupo de capital fechado, o emissor das debêntures deve assumir o compromisso firme de realizar a abertura de seu capital na Bovespa.

36 Centrais de Atendimento Rio de Janeiro (55 21) São Paulo (55 11) Brasília (55 61) Recife (55 81) Montevideo (59 82) Londres (44 20) Cartão BNDES Operações indiretas (55 21) Exportações (55 21) Ouvidoria

37 Leonardo de Almeida Alonso (55 21)

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Março de 2013

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Março de 2013 Apoio do BNDES à Infraestrutura Rio de Janeiro Março de 2013 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para

Leia mais

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Eduardo Chagas Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Maio de 2015 Papel da infraestrutura na retomada do crescimento Tendo em vista as dificuldades

Leia mais

O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014

O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014 O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave para implementação da Política Industrial, de Infraestrutura

Leia mais

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA Fevereiro de 2016 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: GP/DEDIV/GATE 1. Aspectos Institucionais Apoio a infraestrutura no BNDES Os vários setores são

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 Apoio do BNDES à Infraestrutura Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 BNDES Desembolsos do BNDES Infraestrutura representa mais de 1/3 R$ bilhões 168

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Márcia Leal Chefe do Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura mleal@bndes.gov.br Maio 2012 O BNDES Evolução dos desembolsos 168,4 R$ bilhão 137,4 140,0 92,2

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS FIESP CIESP Ricardo Cunha da Costa Assessor da Área de Infraestrutura BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social 24 de Abril de 2009 1 Missão e Visão

Leia mais

Março de BNDES e a Energia Elétrica. Apresentação para ABRAPCH

Março de BNDES e a Energia Elétrica. Apresentação para ABRAPCH Março de 2017 BNDES e a Energia Elétrica Apresentação para ABRAPCH Sistema BNDES // 2 Financiamentos de longo prazo BNDESPAR FINAME Participações Societárias Produção e Aquisição de Máquinas e Equipamentos

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016

Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016 Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016 O Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar 1. Aspectos Institucionais 2. Aspectos Setoriais 3. Critérios de análise Corporate Finance Project Finance

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios. Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios. Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Matriz Elétrica Brasileira (31/08/2015) 13% 23% Térmicas 29% Eólicas 5% Outros 2% Hidro

Leia mais

Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura

Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura BNDES Nelson Siffert Chefe do Departamento de Energia Elétrica BNDES Abril de 2004 BNDES - Histórico 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Infra-estrutura (Energia

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Maio de 2012

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Maio de 2012 Apoio do BNDES à Infraestrutura Rio de Janeiro Maio de 2012 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para implementação

Leia mais

Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre

Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre FÓRUM ABRACEEL - CANALENERGIA Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre Nelson Siffert Chefe do Departamento de Energia Elétrica BNDES Rio de Janeiro, 05.10.2007 BRASIL: NOVO CICLO DE

Leia mais

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016 BNDES e o apoio à Infraestrutura Agosto de 2016 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952. Empresa pública de propriedade integral da União. Instrumento chave para implementação da política industrial,

Leia mais

Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017

Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017 1 Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017 Apoio do BNDES ao Setor Elétrico 2 3 Diretrizes de Atuação do BNDES Setor Elétrico é uma das infraestruturas prioritárias

Leia mais

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 BNDES - Apresentação Institucional Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade

Leia mais

Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico. ABiNEE TEC Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande

Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico. ABiNEE TEC Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande 1 Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico ABiNEE TEC 2007 Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de 2007 Agenda BNDES Financiamentos do BNDES - Setor Elétrico

Leia mais

Oficina de Integração Aérea Sulamericana

Oficina de Integração Aérea Sulamericana Oficina de Integração Aérea Sulamericana O apoio do BNDES aos projetos de integração e de infraestrutura aérea Cleverson Aroeira Chefe do Deptº de Transportes e Logística do BNDES Rio de Janeiro, Brasil

Leia mais

O Financiamento das Concessões

O Financiamento das Concessões O Financiamento das Concessões Marcos Brito Gerente do Depto de Transportes e Logística Área de Infraestrutura Salvador, 25/09/2015 (o conteúdo da apresentação é de responsabilidade exclusiva do palestrante

Leia mais

FIESP - Workshop Financiar para Crescer

FIESP - Workshop Financiar para Crescer 1 FIESP - Workshop Financiar para Crescer BNDES e o Financiamento à Infraestrutura 30 de novembro de 2016 Guilherme Montoro Conjuntura Macro Esgotamento do modelo de crescimento baseado na expansão do

Leia mais

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Junho de 2016 Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Líderes em Renováveis Investimentos em 2014 3 Source: Renewables 2015 Global Status Report (year base: 2014) Participação das renováveis

Leia mais

Infra Finance Latam Logística: investimentos e fontes de recursos

Infra Finance Latam Logística: investimentos e fontes de recursos Infra Finance Latam 2013 Logística: investimentos e fontes de recursos Dalmo Marchetti Gerente Setorial do Deptº de Transportes e Logística do BNDES São Paulo, 11/03/2013 Blue Tree Faria Lima (o conteúdo

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Lisboa 31 de maio de 2012

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Lisboa 31 de maio de 2012 Apoio do BNDES à Infraestrutura Lisboa 31 de maio de 2012 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para implementação

Leia mais

Financiabilidade dos empreendimentos e alternativas para captação de recursos

Financiabilidade dos empreendimentos e alternativas para captação de recursos 3ª Conferência Nacional de PCHs e CGHs Financiabilidade dos empreendimentos e alternativas para captação de recursos Curitiba, 09/05/2019 Carteira de Projetos Desembolsos (Energia) Aprovações (Energia

Leia mais

QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura?

QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura? QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura? Edson Dalto Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de Infraestrutura São Paulo, mar/16 (o conteúdo

Leia mais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Cleverson Aroeira Chefe de Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de Infraestrutura

Leia mais

BRDE. 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR

BRDE. 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR BRDE 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR O BRDE Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul O BRDE Fundação: 1961 562 funcionários 3 agências localizadas

Leia mais

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado 8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP Roberto Zurli Machado Maio, 2013 Agenda Ações do Governo Federal - Logística Atuação do BNDES Ações do Governo Federal Logística Logística e Transportes Posicionamento

Leia mais

BNDES/SEBRAE. Seminário de Crédito Teresina - PI Energias. 07 de dezembro de 2018

BNDES/SEBRAE. Seminário de Crédito Teresina - PI Energias. 07 de dezembro de 2018 BNDES/SEBRAE 1 Seminário de Crédito Teresina - PI Energias 07 de dezembro de 2018 2 Como apoiamos? e atuamos Operações Diretas Realizadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Realizadas por meio

Leia mais

Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável ALBERTO C. TOMELIN UFRJ MIGUEL VAZQUEZ UFF MICHELLE HALLACK UFF

Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável ALBERTO C. TOMELIN UFRJ MIGUEL VAZQUEZ UFF MICHELLE HALLACK UFF Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável ALBERTO C. TOMELIN UFRJ MIGUEL VAZQUEZ UFF MICHELLE HALLACK UFF Gramado Setembro de 2016 2 3 /37 Sinal de possíveis limitações

Leia mais

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás. Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás. Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017 Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017 O BNDES na Estrutura da União República Federativa do

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura

Apoio do BNDES à Infraestrutura Apoio do BNDES à Infraestrutura Seminário de Infraestrutura e Construção Pesada - FGV Setembro 2014 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais

O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais 1 Aspectos institucionais Focos de apoio financeiro Formas de atuação Novas Políticas Operacionais do BNDES Políticas Operacionais e a Indústria

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Novas políticas OPERACIONAIS Condições Destaques 02 Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação de agente

Leia mais

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Mauricio dos Santos Neves Superintendente Área de Indústrias de Base Maio / 2017 Organização Interna Auditoria Interna Conselho

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica. 19 de Junho de 2015

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica. 19 de Junho de 2015 Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica 19 de Junho de 2015 Linha do Tempo 50 s 60 s 70 s 80 s 90 s 00 s Hoje Infraestrutura Indústria de Base - Bens de Consumo Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

ABEEÓLICA. 29 de Maio de Presidente Joaquim Levy

ABEEÓLICA. 29 de Maio de Presidente Joaquim Levy 1 ABEEÓLICA 29 de Maio de 2019 Presidente Joaquim Levy Destaques do Crédito à Geração de Energia 2 3 Economia Verde e lnfraestrutura no BNDES 70% Participação nos Desembolsos do BNDES 60% 50% 40% 30% 20%

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G -

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás - Área de Insumos Básicos Departamento Regional Sul Gabinete da Presidência (GP/DESUL) Abril

Leia mais

Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável. Alberto C. Tomelin UFRJ Miguel Vazquez - UFF Michelle Hallack - UFF

Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável. Alberto C. Tomelin UFRJ Miguel Vazquez - UFF Michelle Hallack - UFF Necessidade de Adaptação dos Instrumentos de Financiamento de Energia Renovável Alberto C. Tomelin UFRJ Miguel Vazquez - UFF Michelle Hallack - UFF Conteúdo 1. Introdução 2. O financiamento da energia

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica Belo Horizonte MG dezembro /2007 Missão do BNDES Promover o desenvolvimento econômico e social Redução das desigualdades sociais e regionais Geração

Leia mais

Brasil Solar Power 2016

Brasil Solar Power 2016 Brasil Solar Power 2016 Aprovações de Financiamento: 2003 a 2015 Segmentos Capacidade Projetos Financiamento BNDES R$ bilhões Investimentos UHEs 34.728 MW 52 66,3 107,9 Térmicas 6.578 MW 18 6,5 14,1 PCHs

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica Quem somos Fundado em 1952, O BNDES é uma empresa pública federal, cuja missão é o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira,

Leia mais

Cenários sobre programas especiais de financiamento para o setor de logística e do transporte rodoviário de cargas em 2016

Cenários sobre programas especiais de financiamento para o setor de logística e do transporte rodoviário de cargas em 2016 Cenários sobre programas especiais de financiamento para o setor de logística e do transporte rodoviário de cargas em 2016 Edson Dalto Gerente do Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de

Leia mais

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC Seminário Sistema Nacional de Fomento e o Crédito do Desenvolvimento: Condições e Possibilidades Carlos André Lins Rodriguez Gerente de Clientes

Leia mais

Favereiro de BNDES Apoio à Energia Solar. Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES

Favereiro de BNDES Apoio à Energia Solar. Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES Favereiro de 2017 BNDES Apoio à Energia Solar Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES O BNDES na Estrutura da União // 2 República Federativa do Brasil Poder Legislativo Poder Executivo Poder Judiciário

Leia mais

Infraestrutura e Fundos de Pensão Igino Mattos

Infraestrutura e Fundos de Pensão Igino Mattos Infraestrutura e Fundos de Pensão Igino Mattos PPI Governo Federal O que é PPI? O Programa de Parcerias de Investimentos ( PPI ) foi o 2º ato do Governo Temer em Maio de 2016, buscando coordenar os esforços

Leia mais

7º Seminário sobre Ferrovias: Mobilização da Indústria para o Desenvolvimento do Setor Ferroviário

7º Seminário sobre Ferrovias: Mobilização da Indústria para o Desenvolvimento do Setor Ferroviário 7º Seminário sobre Ferrovias: Mobilização da Indústria para o Desenvolvimento do Setor Ferroviário A indústria metro-ferroviária brasileira: investimentos e perspectivas BNDES Departamento de Transportes

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Novas políticas OPERACIONAIS Condições Destaques 02 Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação de agente

Leia mais

BNDES e o apoio a Hidrelétricas

BNDES e o apoio a Hidrelétricas BNDES e o apoio a Hidrelétricas Alexandre Siciliano Esposito Gerente de Estudos de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Novembro 2011 O BNDES O BNDES na estrutura da União República Federativa do Brasil

Leia mais

Desempenho do BNDES em 2012

Desempenho do BNDES em 2012 Desempenho do BNDES em 2012 //1 22 de janeiro de 2013 1 AGENDA //2 Perspectivas do Investimento 2013 2016 Desempenho do BNDES em 2012 Conclusões //3 Perspectivas do Investimento 2013 2016 Perspectivas

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor de PCHs. Campinas, 30 de Outubro de 2013.

O Apoio do BNDES ao Setor de PCHs. Campinas, 30 de Outubro de 2013. O Apoio do BNDES ao Setor de PCHs Campinas, 30 de Outubro de 2013. Evolução dos Desembolsos Hidrelétricas Térmicas Nuclear Energias Alternativas Distribuidoras Transmissoras Ferrovias Rodovias Portos,

Leia mais

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Soluções BNDES para pequenos negócios Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada Informação

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Fevereiro de 2016 Bruno Plattek bruno.plattek@bndes.gov.br Como apoiamos Tx. de Interm. Fin. Organização Interna Área

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada Informação

Leia mais

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial do índice médio de atendimento

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis. 05 de maio

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis. 05 de maio O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis 05 de maio Agenda: A Área de Infraestrutura do BNDES Modalidades de Financiamento Linhas de financiamento a Projetos de Energia Elétrica Apoio ao setor

Leia mais

Workshop de Logística e Transportes

Workshop de Logística e Transportes Workshop de Logística e Transportes 1 Retomada dos investimentos em rodovias APOIO DO BNDES AO SETOR RODOVIÁRIO E ARQUITETURA DE NOVO MODELO PARA O CONCESSIONAMENTO FIESP São Paulo, 11/04/2018 Edson Dalto

Leia mais

FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA

FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA Atuação da CAIXA 2 Áreas de Atuação Carteira Ativa por Macrosegmento Saneamento e Infraestrutura

Leia mais

X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente

X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente Moacir Carlos Bertol Secretario de Planejamento e Desenvolvimento Energético Adjunto São Paulo - Setembro de 2016 2 Estrutura

Leia mais

39º Congresso Brasileiro da Previdência Complementar Fechada Governança e política de investimento à Luz da Resolução 4.661/18

39º Congresso Brasileiro da Previdência Complementar Fechada Governança e política de investimento à Luz da Resolução 4.661/18 39º Congresso Brasileiro da Previdência Complementar Fechada Governança e política de investimento à Luz da Resolução 4.661/18 Eliane Lustosa Diretora de Mercado de Capitais 11.09.2018 O CENÁRIO DO INVESTIMENTO

Leia mais

Investimentos realizados na infraestrutura em 2011 (público e privado)

Investimentos realizados na infraestrutura em 2011 (público e privado) Investimentos realizados na infraestrutura em 2011 (público e privado) ENERGIA ELÉTRICA R$ 39,6 bi PETRÓLEO E GÁS (*) R$ 73,3 bi TRANSPORTES E LOGÍSTICA R$ 30,6 bi TELECOMUNICAÇÕES R$ 21,8 bi SANEAMENTO

Leia mais

Atuação do BNDES no setor de Petróleo e Gás Natural. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente - AIB/DEGAP Agosto de 2017

Atuação do BNDES no setor de Petróleo e Gás Natural. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente - AIB/DEGAP Agosto de 2017 1 Atuação do BNDES no setor de Petróleo e Gás Natural André Pompeo do Amaral Mendes Gerente - AIB/DEGAP Agosto de 2017 2 Aspectos institucionais // Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952. Empresa pública

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

BNDES. 8º Lubgrax Meeting. 16 de Agosto de 2017

BNDES. 8º Lubgrax Meeting. 16 de Agosto de 2017 BNDES 8º Lubgrax Meeting 16 de Agosto de 2017 Aspectos institucionais // Quem somos!! Fundado em 20 de junho de 1952!! Empresa pública de propriedade integral da União!! Instrumento-chave para implementação

Leia mais

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES O m ercado de crédito e o papel do B N D ES Demian Fiocca Presidente do BNDES FELABAN 13 DE NOVEMBRO DE 2006 www.bndes.gov.br 1 O CRÉDITO NA AMÉRICA LATINA A relação Crédito/PIB na América Latina é expressivamente

Leia mais

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Seminário Socioambiental Eólico SSE 2017 Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Salvador, dezembro/2017 Agenda 1 Financiamento do BNDES ao Setor Eólico

Leia mais

Grupo Energisa. Apresentação Institucional e Financeira 1º trimestre de Maio de 2012

Grupo Energisa. Apresentação Institucional e Financeira 1º trimestre de Maio de 2012 Grupo Energisa Apresentação Institucional e Financeira 1º trimestre de 2012 Maio de 2012 Apresentação 1. Grupo Energisa 2. Aspectos Operacionais 3. Aspectos Financeiros 4. Estratégia 2 3 1. Grupo Energisa

Leia mais

Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos

Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos Seminário Internacional sobre Diretivas RoHS e WEEE Brasília, 08 de fevereiro de 2011 Complexo Industrial da Saúde

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

Reunião Pública Anual UHE Paraibuna - SP 03 dezembro T08

Reunião Pública Anual UHE Paraibuna - SP 03 dezembro T08 Reunião Pública Anual UHE Paraibuna - SP 03 dezembro 2008 3T08 Geração de Energia Elétrica Sistema elétrico brasileiro no mundo. Geração de Energia (TWh) 4500,0 4000,0 3500,0 3000,0 2500,0 2000,0 1500,0

Leia mais

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL MARÇO - 2006 AGENDA Histórico de atuação do BNDES na Área de Logística Plano de Ação do BNDES no Desenvolvimento da Logística Brasileira Programas

Leia mais

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 Sociedade de Propósito Específico Legislação Antes 2004 Lei 8.666/93 (Lei de Licitações):

Leia mais

Apoio à Inovação. Novembro 2009

Apoio à Inovação. Novembro 2009 Apoio à Inovação Novembro 2009 Agenda O BNDES Inovação Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas Programas Fundos Produtos Prioridades 1950 1960 1970 1980 1990 Infra-estrutura

Leia mais

PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO

PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO RELATÓRIO MENSAL ACOMPANHAMENTO DE CONJUNTURA: FINANCIAMENTO SETEMBRO DE 2012 ÍNDICE Nivalde J. de Castro Luiza Campello SUMÁRIO EXECUTIVO...3 1 -

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Área de Insumos Básicos Seminário sobre Petróleo e Gás APIMEC RIO Agosto/2012 BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

Seminário Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades: Fortalecendo a participação social no apoio a populações atingidas por desastres climáticos

Seminário Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades: Fortalecendo a participação social no apoio a populações atingidas por desastres climáticos Seminário Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades: Fortalecendo a participação social no apoio a populações atingidas por desastres climáticos 08 de Dezembro de 2011 O BNDES Fundado em 20 de Junho

Leia mais

Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP

Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP Superintendência Executiva de Saneamento e Infraestrutura para Grandes Empresas - SP 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial

Leia mais

Hospital Unimed de Piracicaba. Investimentos + Fontes Financiamentos

Hospital Unimed de Piracicaba. Investimentos + Fontes Financiamentos Hospital Unimed de Piracicaba Investimentos + Fontes Financiamentos Base: 06/2007 Fontes de Financiamentos: BIRD Banco Mundial BID Banco do Brasil BNDES FINEP Ex Im Bank Crédito Mobiliário Bancos Privados.

Leia mais

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008 Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G Helena Tenório Chefe do Departamento de Programas e Políticas do 2 de julho de 2008 Parceria Petrobras INVESTIMENTO FINANCIAMENTO Desenvolvimento da

Leia mais

Sistema Elétrico Brasileiro no Mundo

Sistema Elétrico Brasileiro no Mundo Sistema Elétrico Brasileiro no Mundo EUA China Japão Rússia Índia Alemanha Canadá França Coréia do Sul Brasil 1154,3 1160,0 1036,2 1014,4 834,3 808,8 639,1 637,6 598,9 603,6 574,4 569,8 462,9 440,0 454,5

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet São José do Rio Preto - SP 29.setembro.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas

Leia mais

6º Seminário ANBIMA de Mercado de Capitais: Concessionária Rota das Bandeiras

6º Seminário ANBIMA de Mercado de Capitais: Concessionária Rota das Bandeiras 6º Seminário ANBIMA de Mercado de Capitais: Concessionária Rota das Bandeiras 2 Debênture Projeto ( Project Bond ): Breve Histórico Governo do Estado de São Paulo licitou à iniciativa privada 5 corredores

Leia mais

Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial

Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial Políticas Públicas O Apoio do BNDES a Pequenas e Médias Empresas Fortaleza, 1º de Abril de 2016 Margarida Baptista BNDES O BNDES

Leia mais

A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira

A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira III Seminário Ibero Americano, Faculdade de Economia do Porto A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira 11 e 12 de fevereiro de 2010 Objetivos Empresariais do Sistema Eletrobrás

Leia mais

Conversando sobre BNDES Automático. Outubro de 2018

Conversando sobre BNDES Automático. Outubro de 2018 Conversando sobre BNDES Automático Outubro de 2018 Aspectos institucionais Formas de atuação Focos de apoio financeiro BNDES Automático Conceitos Condições Exemplos Aspectos INSTITUCIONAIS Aspectos institucionais

Leia mais

ABDE-BNDES-BID. Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs.

ABDE-BNDES-BID. Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs. ABDE-BNDES-BID Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs. Sessão V: Ampliando a atuação de IFDs no financiamento climático. Painel: O potencial na

Leia mais

Visão Geral do Setor

Visão Geral do Setor 1T13 Visão Geral do Setor 10 maiores geradores de energia elétrica (TWh) Total China EUA Japão Rússia Índia Alemanha Canadá França Coréia Sul Brasil 1.104,0 1.051,6 1.006,2 614,5 607,6 564,3 520,1 501,3

Leia mais

O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS. Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017

O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS. Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017 1 O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017 2 Diretrizes de Atuação do BNDES Apoiar a implantação de

Leia mais

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil Simpósio de Empreendedorismo em Biotecnologia UFRJ novembro/2009 Política Nacional de Biotecnologia Instituída pelo Decreto n 6.041,, de 8

Leia mais

Sonel. Fundada em 1964, a empresa possui vasta experiência em engenharia de saneamento, montagens eletromecânicas e obras elétricas

Sonel. Fundada em 1964, a empresa possui vasta experiência em engenharia de saneamento, montagens eletromecânicas e obras elétricas Sonel Fundada em 1964, a empresa possui vasta experiência em engenharia de saneamento, montagens eletromecânicas e obras elétricas Visão Geral Com sede em Belo Horizonte (MG), a Sonel Engenharia tem como

Leia mais

Seminário Investimentos em BIODIESEL

Seminário Investimentos em BIODIESEL Seminário Investimentos em BIODIESEL João Carlos Cavalcanti Superintendente da Área de Infra-estrutura do BNDES 16 de março de 2006 Agenda BNDES Formas de Atuação Programa de Financiamento para BNDES Formas

Leia mais

Encontro de Provedores Regionais. Recife - PE, 20/08/2013

Encontro de Provedores Regionais. Recife - PE, 20/08/2013 Encontro de Provedores Regionais Recife - PE, 20/08/2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Formas de Apoio : Direta e Indireta Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas e Equipamentos Capital

Leia mais

LIVRO VERDE DO ETANOL

LIVRO VERDE DO ETANOL III Workshop INFOSUCRO sobre Economia do Etanol e Indústria Sucroenergética O Apoio do BNDES ao Setor Sucroenergético Carlos Eduardo Cavalcanti Chefe do Dept de Biocombustíveis - BNDES Rio, 26/11/2010

Leia mais

PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde

PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde Banco Nacional de Desenvolvimento Econômco e Social - BNDES PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde Belo Horizonte dezembro/2007 1 Aprovado em maio / 2004 MACRO-OBJETIVO

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação ABINEE, 26/05/2005 Missão o da FINEP Promover e financiar as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovaçã ção o científica e

Leia mais