Relatório de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (M.A.P.A.) Padrão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (M.A.P.A.) Padrão"

Transcrição

1 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Relatório de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (M.A.P.A.) 1 - Dados do Exame Nº do Exame Data de Instalação: 24/6/214 14:46 Término: 25/6/214 14:15 AL Paciente Protocolo de Medições: Padrão Nome: Pedrina Lima Soares Idade: 82 Sexo: Altura: Peso: Fumante: Não Tel: Fax: Diagnóstico: Motivo do Exame: AL Médico Solicitante Nome: Luciana Netto Gonçalves Clínica: Tel: Fax: 4 - Laudo Médico a) Qualidade do Procedimento Procedimento de boa qualidade técnica, tendo sido obtidas nas 23:26 hs. de exame um total de 79 medições, com percentagem de sucesso de 1% (79 medições válidas). b) Pressões Sistólicas As Cargas Pressóricas foram respectivamente de 9%, 87% e 1%, nos períodos total, vigília e sono. O maior valor de pressão sistólica obtido na vigília foi de 175 mmhg às 7:45 hs. e no sono de 164 mmhg às 1:3 hs. A média da pressão sistólica nas 23:26 hs. de exame foi de 146 mmhg. c) Pressões Diastólicas As Cargas Pressóricas foram respectivamente de %, % e %, nos períodos total, vigília e sono. O maior valor de pressão diastólica obtido na vigília foi de 77 mmhg às 13:3 hs. e no sono de 69 mmhg às 5:3 hs. A média da pressão diastólica nas 23:26 hs. de exame foi de 57 mmhg. d) Variação da pressão entre vigília e o sono Houve % para a pressão sistólica e de 3% para a pressão diastólica entre a vigília e o sono. e) Conclusões COMPORTAMENTO ANORMAL DA PRESSÃO ARTERIAL SISTÓLICA NAS 24H DESCENSO NOTURNO DA PA SISTÓLICA AUSENTE E DA PA DIASTÓLICA MUITO ATENUADO. Paciente Non-DIPPER. OBS1: Valores inferiores a 1% em hipertensos relacionam-se a pior prognóstico cardiovascular. OBS2: Em indivíduos normotensos, a ausência de descenso da PA durante o sono tem significado clínico confirmado. 5 - Data e Assinatura 26/6/214 Janaina Ramos de Miranda CRM-DF: Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

2 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Tabela das Medições Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL-13 AL-13 Nº Hora PAS PAD PAM PP FC Comentários Nº Hora PAS PAD PAM PP FC Comentários 1 14: Medição manual 49 6: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

3 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Análise Estatística Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL Dados Básicos Total de Medições: 79 Medições Válidas: 79 = 1% AL Valores Médios Valores Aceitáveis Período Total: 146 / 57 mmhg até 125 / 75 mmhg Período da Vigília: 146 / 57 mmhg até 13 / 85 mmhg Período do Sono: 146 / 56 mmhg até 11 / 7 mmhg Pressão Matinal: Ascenso Matinal*: 151 / 6 mmhg 18 mmhg Descenso de P.A. no Sono: % / 3% acima de 1% / 1% Carga Pressórica** na Vigília: 87% / % até % / % Carga Pressórica** no Sono: 1% / % até % / % Carga Pressórica** Total: 9% / % até % / % * Ascenso Matinal: Diferença entre a média da pressão matinal e a média da menor pressão no sono. ** Carga Pressórica: Percentual de medições acima de 13/85 na vigília e 11/7 no sono. 3 - Valores Máximos em mmhg Comentários Período da Vigília: Período do Sono: 175 mmhg às 7:45 hs 77 mmhg às 13:3 hs 119 mmhg às 13:3 hs 117 mmhg às 16:3 hs 164 mmhg às 1:3 hs 69 mmhg às 5:3 hs 17 mmhg às 1:3 hs 111 mmhg às 4:3 hs 4 - Valores Mínimos em mmhg Comentários Período da Vigília: Período do Sono: 112 mmhg às 2: hs 39 mmhg às 19:45 hs 69 mmhg às 19:45 hs 6 mmhg às 2: hs 114 mmhg às 2: hs 43 mmhg às 2: hs 73 mmhg às 2: hs 71 mmhg às 2: hs 5 - Desvio Padrão das medições de P.A em mmhg Valores Aceitáveis Período Total: 14,5 / 7,9 Período da Vigília: 14,2 / 8,1 até 12, / 9, Período do Sono: 16,1 / 7,2 até 1, / 8, Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

4 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Gráfico das Pressões Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL-13 AL Medição manual (h) Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

5 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Gráfico de Tendências Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL-13 AL Medição manual (h) Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

6 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Gráfico de Correlação Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL-13 AL-13 2 (Sistólica em mmhg) (Diastólica em mmhg) Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados

7 Av. Paulista, 9 cj 16 CEP São Paulo - SP Tels: (11) Fax: Histogramas Data de Instalação: 24/6/214 14:46:29 AL-13 AL-13 Período Total Período da Vigília Período do Sono Sistólica ,5 16,4 25,3 31,6 1,1 3, ,7 6,3 17,4 26,9 31,7 7,9 4, ,2 18,7 31,2 18, Diastólica ,7 37,9 36,7 6, , ,5 7, ,5 37,5 1, , ,7 4 35, Média ,1 18,9 29, ,9 2,6 25,3 6, ,7 25 Freq. Cardíaca 1,2 1, ,6 26,5 3, ,1 4, Cardio Sistemas Coml. Indl. Ltda - Todos os direitos reservados ,5

MCOR - Excelência em Cardiologia MAPA DE 24 HORAS

MCOR - Excelência em Cardiologia MAPA DE 24 HORAS Relatório de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (M.A.P.A.) 1 - Dados do Exame Nº do Exame Data de Instalação: 13/4/215 1:24 Término: 14/4/215 9:47 2 - Paciente Protocolo de Medições: Padrão

Leia mais

Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura: 1.84 Peso: 98 Fumante: 0 Data de nascimento: 11/10/1981

Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura: 1.84 Peso: 98 Fumante: 0 Data de nascimento: 11/10/1981 Dados do Paciente Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura:.84 Peso: 98 Fumante: Data de nascimento: //98 O que é o Holter 4 Horas? O Holter 4 horas, ou Eletrocardiografia Dinâmica, é um exame que

Leia mais

C A R D I O V I D A On Line

C A R D I O V I D A On Line HOLTER de 4 horas Dr. Dário Sobral Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: /4/5 8: Protocolo: Holter de canais AI-C-7 Convênio: XJ-58 Particular - Dados do Paciente Nome: Antonio

Leia mais

C A R D I O V I D A On Line

C A R D I O V I D A On Line HOLTER de 4 horas Dr. Dário Sobral Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: 6//5 9: Protocolo: Holter de canais Convênio: - Dados do Paciente Nome: Severino Pereira da Silva Idade:

Leia mais

Uma nova forma de ver a Hipertensão e a Doença Vascular Periférica

Uma nova forma de ver a Hipertensão e a Doença Vascular Periférica Uma nova forma de ver a Hipertensão e a Doença Vascular Periférica Mais recursos na MAPA 2 GESTÃO DA HIPERTENSÃO Monitoração Ambulatorial da Pressão Arterial Diferenciais Ao ler os gravadores o software

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 24/2014. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 24/2014. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 24/2014 Objeto: O PRESENTE PREGÃO PRESENCIAL TEM COMO OBJETO A SELEÇÃO DAS MELHORES S PARA A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA O FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS OFTALMOLÓGICOS

Leia mais

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Siomara F. M. de Araújo; Dyego F. Facundes; Erika M. Costa; Lauane L. Inês; Raphael Cunha. siomarafma@hotmail.com

Leia mais

Relatório de Holter ( 17%) ( 0%) Pausas. Elevação do ST

Relatório de Holter ( 17%) ( 0%) Pausas. Elevação do ST Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: 5//004 :5 Protocolo: Holter de canais 85 M04-5896 - Dados do Paciente: Nome: Leizivan Batista Morgado Idade: 4 Sexo: F Altura:.6 Peso: 6

Leia mais

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini Caso Clínico 1 Módulo: DAC Métodos Diagnósticos Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico Costantini Caso 01 IFV, 59 anos, feminino Assintomática Fatores de Risco: história familiar Pressão arterial

Leia mais

O TAMANHO DO PROBLEMA

O TAMANHO DO PROBLEMA FÍSICA MÉDICA O TAMANHO DO PROBLEMA Quantos hipertensos existem no Brasil? Estimativa de Prevalência de Hipertensão Arterial (1998) 13 milhões se considerar cifras de PA > 160 e/ou 95 mmhg 30 milhões

Leia mais

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA)

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) 7 Parte 2 V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) 1. Definição de monitorização ambulatorial da pressão arterial MAPA é o método que permite o registro indireto

Leia mais

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e Rev Bras Hipertens vol.18(1):0-0, 2011. Apresentação V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e 3 Após quatro anos passados desde a publicação das IV Diretrizes

Leia mais

CAPITULO III METODOLOGIA

CAPITULO III METODOLOGIA CAPITULO III METODOLOGIA A metodologia seguida neste trabalho é referente a um estudo descritivo e quantitativo. Isto porque a natureza do trabalho desenvolve-se na correlação e comparação entre as diferentes

Leia mais

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE DOR TORÁCICA CARDÍACA LOCAL: Precordio c/ ou s/ irradiação Pescoço (face anterior) MSE (interno) FORMA: Opressão Queimação Mal Estar FATORES DESENCADEANTES:

Leia mais

CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora

CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora Estudo do Controle da HA Hipertensão Arterial e Perfil Farmacológico pacientes cadastrados no PRC Programa Remédio em Casa UBS Jd. Aurora Subprefeitura de Guaianases

Leia mais

FISIOLOGIA CARDIORESPIRATÓRIA ENVELHECIMENTO

FISIOLOGIA CARDIORESPIRATÓRIA ENVELHECIMENTO FISIOLOGIA CARDIORESPIRATÓRIA ENVELHECIMENTO Prof. Hassan Mohamed Elsangedy hassanme20@hotmail.com Hassan M. Elsangedy, MS. Especialização em Fisiologia do Exercício - 2009 1 INCIDÊNCIAS Hassan M. Elsangedy,

Leia mais

Esteira e eletrocardiógrafo com conexões

Esteira e eletrocardiógrafo com conexões ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Esteira e eletrocardiógrafo com conexões O sistema para teste de esforço ErgoPC 13 une qualidade e facilidade com capacidade de diagnóstico e prognóstico. Ele oferece a melhor relação

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA FADBA PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA ANDRÉ BANDEIRA DE MOURA BERNARDES

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA FADBA PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA ANDRÉ BANDEIRA DE MOURA BERNARDES FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA FADBA PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA ANDRÉ BANDEIRA DE MOURA BERNARDES INTERVENÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO HIPERTENSIVO EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS,

Leia mais

ESTRUTURA FREQUÊNCIA CARDÍACA 09/06/2013. O número de batimentos cardíacos por unidade de tempo, geralmente expresso em batimentos por minuto (bpm).

ESTRUTURA FREQUÊNCIA CARDÍACA 09/06/2013. O número de batimentos cardíacos por unidade de tempo, geralmente expresso em batimentos por minuto (bpm). Revisar alguns conceitos da fisiologia cardiovascular; Revisar alguns conceitos da fisiologia do exercício do sistema cardiovascular; Estudar as adaptações do treinamento aeróbico e de força no sistema

Leia mais

OXIMETRIA DE BULBO JUGULAR. - saturação venosa é utilizada como indicador de hipóxia e isquemia cerebral

OXIMETRIA DE BULBO JUGULAR. - saturação venosa é utilizada como indicador de hipóxia e isquemia cerebral OXIMETRIA DE BULBO JUGULAR - indicações: trauma cranioencefálico grave hipertensão intracraniana - cateterização da veia jugular interna - saturação venosa é utilizada como indicador de hipóxia e isquemia

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

IV DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO AMBULATORIAL DA PRESSÃO ARTERIAL II DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO RESIDENCIAL DA PRESSÃO ARTERIAL

IV DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO AMBULATORIAL DA PRESSÃO ARTERIAL II DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO RESIDENCIAL DA PRESSÃO ARTERIAL www.cardiol.br SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA ISSN-0066-782X Volume 85, Suplemento II, Julho 2005 IV DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO AMBULATORIAL DA PRESSÃO ARTERIAL II DIRETRIZ PARA USO DA MONITORIZAÇÃO

Leia mais

COMPORTAMENTO DA PRESSÃO ARTERIAL E DA VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA APÓS O EXERCÍCIO AERÓBIO E COM PESOS REALIZADOS NA MESMA SESSÃO.

COMPORTAMENTO DA PRESSÃO ARTERIAL E DA VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA APÓS O EXERCÍCIO AERÓBIO E COM PESOS REALIZADOS NA MESMA SESSÃO. COMPORTAMENTO DA PRESSÃO ARTERIAL E DA VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA APÓS O EXERCÍCIO AERÓBIO E COM PESOS REALIZADOS NA MESMA SESSÃO. Natália Serra Lovato (PIBIC/CNPq-UEL) e Marcos Doederlein Polito

Leia mais

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência - SEAP Departamento de Administração de Material - DEAM Sistema GMS - GESTÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS

Leia mais

Manual de Identidade. Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt

Manual de Identidade. Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt Manual de Identidade O manual de identidade visual Centro Médico Lippelt tem por objetivo estabelecer os critérios de uso e aplicação da marca Centro

Leia mais

Editor Dante Marcelo Artigas Giorgi (SP)

Editor Dante Marcelo Artigas Giorgi (SP) Revista Hipertensão Volume 14 Número 01 Janeiro / Março 2011 Editor Dante Marcelo Artigas Giorgi (SP) Editores Associados Heno Ferreira Lopes - Editor Associado (SP) Rita de Cassia Gengo da Silva - Editor

Leia mais

Efeitos da Ampla Modificação no Estilo de Vida como Dieta, Peso, Atividade Física e Controle da Pressão Arterial: Resultado de 18 Meses de Estudo

Efeitos da Ampla Modificação no Estilo de Vida como Dieta, Peso, Atividade Física e Controle da Pressão Arterial: Resultado de 18 Meses de Estudo Efeitos da Ampla Modificação no Estilo de Vida como Dieta, Peso, Atividade Física e Controle da Pressão Arterial: Resultado de 18 Meses de Estudo Randomizado Apresentado por Tatiana Goveia Araujo na reunião

Leia mais

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e

V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e Rev Bras Hipertens vol.18(1):0-0, 2011. Apresentação V Diretrizes Brasileiras de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e 3 Após quatro anos passados desde a publicação das IV Diretrizes

Leia mais

ESTATÍSTICA. O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto,

ESTATÍSTICA. O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto, ESTATÍSTICA O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto, organizá-los e expôlos na forma de tabelas ou gráficos. Apresentando uma estatística

Leia mais

PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR

PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR Professoresda Disciplina: Profa.Dra.CláudiaJordãoSilva Prof.Dr.Darceny ZanettaBarbosa Profa.Dra.IrisMalagoniMarquez Prof.JonasDantasBatista

Leia mais

MANUAL GCE.NET (INTERNET) TRANSFORMAÇÃO DE EMPRESÁRIO EM SOCIEDADE LIMITADA E VICE-VERSA. Transformação de Empresário em Sociedade Limitada

MANUAL GCE.NET (INTERNET) TRANSFORMAÇÃO DE EMPRESÁRIO EM SOCIEDADE LIMITADA E VICE-VERSA. Transformação de Empresário em Sociedade Limitada MANUAL GCE.NET (INTERNET) TRANSFORMAÇÃO DE EMPRESÁRIO EM SOCIEDADE LIMITADA E VICE-VERSA Transformação de Empresário em Sociedade Limitada 1. O usuário acessa o sistema; 2. Seleciona a opção Sociedade

Leia mais

APLICADO AO EXERCÍCIO

APLICADO AO EXERCÍCIO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA LABORATÓRIO DE METABOLISMO DE LIPÍDEOS SISTEMA CARDIORRESPIRATÓRIO APLICADO AO EXERCÍCIO Prof. Dr: Luiz

Leia mais

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 RECORRENTE: OMNIMED LTDA. Vistos e etc... I RELATÓRIO A Recorrente ingressou com

Leia mais

PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH

PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH 1. APRESENTAÇÃO A SEPSE TEM ALTA INCIDÊNCIA, ALTA LETALIDADE E CUSTO ELEVADO, SENDO A

Leia mais

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004.

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Artigo comentado por: Dr. Carlos Alberto Machado Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Kwok Leung Ong, Bernard M. Y. Cheung, Yu Bun

Leia mais

Análise Exploratória de Dados

Análise Exploratória de Dados Análise Exploratória de Dados Profª Alcione Miranda dos Santos Departamento de Saúde Pública UFMA Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva email: alcione.miranda@gmail.com Introdução O primeiro passo

Leia mais

Relatório do estudo - Notificação

Relatório do estudo - Notificação Relatório do estudo - Notificação Título do estudo: Data de início: 25/6/2007 Responsável pelo relatório: Data de Conclusão: CPF: Prioridade: Nenhuma Status: Recrutando Protocolo: Processo (ID): Patrocinador

Leia mais

Foram recebidas para o ensaio mecânico três paletes de madeira com dimensões nominais de 1.200 x 1.000 mm, padrão GEE.

Foram recebidas para o ensaio mecânico três paletes de madeira com dimensões nominais de 1.200 x 1.000 mm, padrão GEE. Relatório de Ensaio RE 07.021/13 INTERESSADO: GEE Gestão de Embalagens Ltda. Endereço: R. Melo Barreto, 174 sala 01 CEP 03041-040 São Paulo, SP MATERIAL ANALISADO: paletes de madeira GEE ANALISTAS: Tiago

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL

HIPERTENSÃO ARTERIAL HIPERTENSÃO ARTERIAL HIPERTENSÃO ARTERIAL A pressão arterial VARIA de batimento a batimento do coração, ajustando-se às atividades desenvolvidas ao longo do dia. Tais variações são fisiológicas e imperceptíveis,

Leia mais

Comparação da Velocidade da Onda de Pulso em Indivíduos Normotensos vs Hipertensos Controlados

Comparação da Velocidade da Onda de Pulso em Indivíduos Normotensos vs Hipertensos Controlados VI Encontro Nacional das Ciências e Tecnologias da Saúde Comparação da Velocidade da Onda de Pulso em Indivíduos Normotensos vs Hipertensos Controlados Filipe Fernandes Escola Superior de Tecnologia da

Leia mais

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP (1 a 3 de dezembro de 2010) Objetivos da Pesquisa: 1) Gerais: Conhecer mais profundamente a saúde e condições de trabalho

Leia mais

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Autores Litza Márcia da Cunha Porto Sandra Magelli Moreira Silva Coelba- Companhia de Eletricidade do Estado

Leia mais

TRIAGEM PARA TRANSPORTE AEREO

TRIAGEM PARA TRANSPORTE AEREO GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA - SESDEC CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE RONDÔNIA GOA-GRUPO DE OPERAÇÕES AÉREAS TRIAGEM PARA TRANSPORTE AEREO

Leia mais

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO)

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) DADOS DO PACIENTE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) Iniciais: Registro: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino Data de nascimento: / /

Leia mais

ASSUNTO: Requer informações sobre a Campanha Outubro Rosa realizada em Americana.

ASSUNTO: Requer informações sobre a Campanha Outubro Rosa realizada em Americana. CAf-ftRA MJHICIPAL E AifKlCAi* fhjtucolq GABINETE DO PREFEITO Americana, 20 de novembro de 2013. OF. 1347/GP/11/2013 Prot. 64.480/2013 Senhor Presidente, REF. OF. 5522/2013 - REQ. 810/2013 - VER. ANTÔNIO

Leia mais

Aumento dos custos no sistema de saúde. Saúde Suplementar - Lei nº 9.656/98

Aumento dos custos no sistema de saúde. Saúde Suplementar - Lei nº 9.656/98 IX ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA DA SAÚDE DA ABRES Utilização de Serviços em uma Operadora de Plano de Saúde que Desenvolve Programas de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Cardiovasculares Danielle

Leia mais

04/07/2014. Apneia do Sono e Hipertensão Resistente Qual a importância?

04/07/2014. Apneia do Sono e Hipertensão Resistente Qual a importância? e Hipertensão arterial resistente (HAR): todo paciente com HAR deve fazer Polissonografia? Gleison Guimarães TE SBPT 2004/TE AMIB 2007 Área de atuação em Medicina do Sono pela SBPT - 2012 Profº Pneumologia

Leia mais

O USO DE MEDICAÇÃO ANTI-HIPERTENSIVA NA GESTAÇÃO

O USO DE MEDICAÇÃO ANTI-HIPERTENSIVA NA GESTAÇÃO O USO DE MEDICAÇÃO ANTI-HIPERTENSIVA NA GESTAÇÃO LUSTOSA, L. S 1 ; MOREIRA, A. S 2 ; ABRANTES, M 3 ; FALCÃO, K. P. M 4 1 Bacharelando em Fisioterapia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB,

Leia mais

CardioPerfect Workstation Manual do Utilizador do Módulo ABP

CardioPerfect Workstation Manual do Utilizador do Módulo ABP Regulatory Affairs Representative Welch Allyn Limited Navan Business Park Dublin Road Navan, County Meath, Republic of Ireland Welch Allyn 4341 State Street Road Skaneateles Falls, NY 13153-0220 USA www.welchallyn.com

Leia mais

Título do Projeto: CAMPANHA DE RASTREAMENTO, EDUCAÇÃO E SÔNIA MARIA HOLANDA ALMEIDA ARAÚJO

Título do Projeto: CAMPANHA DE RASTREAMENTO, EDUCAÇÃO E SÔNIA MARIA HOLANDA ALMEIDA ARAÚJO Título do Projeto: CAMPANHA DE RASTREAMENTO, EDUCAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE DOENÇA RENAL CRÔNICA Nome da Liga: LIGA DE PREVENÇÃO DA DOENÇA RENAL Tutores: ELIZABETH DE FRANCESCO DAHER SÔNIA MARIA HOLANDA

Leia mais

CARDIOPATIAS CONGÉNITAS CIA

CARDIOPATIAS CONGÉNITAS CIA CARDIOPATIAS CONGÉNITAS CIA A CIA consiste num tipo de cardiopatia congénita do tipo não cianótica, em que há um defeito do septo inter-auricular originando uma comunicação anómala que proporciona a passagem

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO CONSULTÓRIO DIGITAL Sistema de Consultório Digital

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO CONSULTÓRIO DIGITAL Sistema de Consultório Digital MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO CONSULTÓRIO DIGITAL Sistema de Consultório Digital Atualização v.2.9.0.4 Notas da versão Inclusão de mais dados na ficha do paciente Inclusão do campo CID na ficha

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL INSTALAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA TRANSFUSÃO E REAÇÕES ADVERSAS

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL INSTALAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA TRANSFUSÃO E REAÇÕES ADVERSAS Pagina 1 de 20 1. OBJETIVO Assegurar todo o procedimento de transfusão sanguínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia (

Leia mais

Fatores que interferem na qualidade de vida de pacientes de um centro de referência em hipertensão arterial

Fatores que interferem na qualidade de vida de pacientes de um centro de referência em hipertensão arterial Fatores que interferem na qualidade de vida de pacientes de um centro de referência em hipertensão arterial Autores: Liza Batista Siqueira¹, Paulo César Brandão Veiga Jardim², Maria Virgínia Carvalho³,

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

RESOLUÇÃO-RDC N 50, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. DOU DE 26/09/2014

RESOLUÇÃO-RDC N 50, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. DOU DE 26/09/2014 RESOLUÇÃO-RDC N 50, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. DOU DE 26/09/2014 Dispõe sobre as medidas de controle de comercialização, prescrição e dispensação de medicamentos que contenham as substâncias anfepramona,

Leia mais

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Programa de Educação Tutorial PET Medicina CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Paulo Marcelo Pontes Gomes de Matos OBJETIVOS Conhecer o que é Edema Agudo

Leia mais

Técnica de aferição da pressão arterial

Técnica de aferição da pressão arterial Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Sub-Secretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde Gerência do Programa de Hipertensão Técnica de aferição da pressão arterial O esfigmomanômetro

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS NÍVEL MÉDIO/TÉCNICO MANHÃ

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS NÍVEL MÉDIO/TÉCNICO MANHÃ O Instituto AOCP, no uso de suas atribuições legais, TORNA PÚBLICO os pareceres dos recursos deferidos, de acordo com o subitem 12.16 do Edital de Abertura n 03/2015 EBSERH/HC-UFG, interpostos contra as

Leia mais

Estudo de Validação do Monitor Automático Omron Modelo HEM-608 Comparado com o Método Convencional de Medição de Pressão Arterial

Estudo de Validação do Monitor Automático Omron Modelo HEM-608 Comparado com o Método Convencional de Medição de Pressão Arterial Artigo Original Estudo de Validação do Monitor Automático Omron Modelo HEM-608 Comparado com o Método Convencional de Medição de Pressão Arterial Frida Liane Plavnik, Maria Teresa Zanella São Paulo, SP

Leia mais

VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica. Brasília 6 e 7 de dezembro de 2012

VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica. Brasília 6 e 7 de dezembro de 2012 VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Brasília 6 e 7 de dezembro de 2012 Modelos de Prevenção Secundária da DRC : Modelo Público-Privado Paulo Luconi Dir técnico da ABCDT pauloluconi@uol.com.br

Leia mais

Aula 01. Organização e Apresentação dos Dados. Stela Adami Vayego - DEST/UFPR

Aula 01. Organização e Apresentação dos Dados. Stela Adami Vayego - DEST/UFPR Aula 01 Organização e Apresentação dos Dados 1. Variável Estudo dos fatores de risco de doença cardíaca variáveis unidades ou casos Indivíduo Sexo Fumante Peso (Kg) 1 M sim 87 2 F não 50............ n

Leia mais

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO Michael Jaickson de Jesus Chaves* NOVAFAPI Gilderlene Alves Fernandes** NOVAFAPI INTRODUÇÃO O coração é um

Leia mais

ATENDIMENTO AMBULATORIAL AO PACIENTE HIPERTENSO

ATENDIMENTO AMBULATORIAL AO PACIENTE HIPERTENSO Universidade Federal do Maranhão - UFMA Hospital Universitário Presidente Dutra - HUPD Liga Acadêmica de Hipertensão Arterial Sistêmica - LAHAS ATENDIMENTO AMBULATORIAL AO PACIENTE HIPERTENSO São Luís

Leia mais

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778

ANAIS DA 4ª MOSTRA DE TRABALHOS EM SAÚDE PÚBLICA 29 e 30 de novembro de 2010 Unioeste Campus de Cascavel ISSN 2176-4778 ANÁLISE DO RISCO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA EM GRUPO DE TERCEIRA IDADE DUTRA, Janaína Ultado 1 ; SILVA, Luana Aparecida Alves da 2 ; EBERHARDT, Thaís Dresch 3 ; CAVALHEIRI, Jolana Cristina 3 ; SOUZA,

Leia mais

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA).

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou

Leia mais

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. (Hemodinâmica) Disciplina Fisiologia Fisiologia Cardiovascular

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. (Hemodinâmica) Disciplina Fisiologia Fisiologia Cardiovascular Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM Disciplina Fisiologia Fisiologia Cardiovascular (Hemodinâmica) Prof. Wagner de Fátima Pereira Departamento de Ciências Básicas Faculdade

Leia mais

FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO

FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO FUNÇÕES DO SISTEMA CARDIOVASCULAR DURANTE O EXERCÍCIO RESPOSTAS CARDIOVASCULARES FC VS DC RVP PAS PAM PAD DP TIPO DE EXERCÍCIO Dinâmico ou Isotônico Estático ou Isométrico Contração muscular e movimento

Leia mais

Aparelho Cardiovascular

Aparelho Cardiovascular Aparelho Cardiovascular DOR TORÁCICA Angina IAM Dissecção Hidrotórax Pneumotórax TEP Pericardite Perfuração do esôfago ECG. Raio X Enzimas Cardíacas. Gasometria arterial se FR alta ou cianose Estável Instituir

Leia mais

Figura 1 Principais áreas de atuação

Figura 1 Principais áreas de atuação AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA GREVE DA ANVISA NO SETOR DE SAÚDE A Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Equipamentos, Produtos e Suprimentos Médico-Hospitalares realizou junto as suas empresas

Leia mais

Repouso Freqüência cardíaca 75 bpm. Exercício intenso Freqüência cardíaca 180 bpm. sístole diástole sístole. 0,3 segundos (1/3) 0,5 segundos (2/3)

Repouso Freqüência cardíaca 75 bpm. Exercício intenso Freqüência cardíaca 180 bpm. sístole diástole sístole. 0,3 segundos (1/3) 0,5 segundos (2/3) Repouso Freqüência cardíaca 75 bpm sístole diástole sístole 0,3 segundos (1/3) 0,5 segundos (2/3) Exercício intenso Freqüência cardíaca 180 bpm sístole diástole 0,2 segundos 0,13 segundos 1 Volume de ejeção

Leia mais

Atendimento do Acidente Vascular Cerebral Agudo. Emergência HNSC

Atendimento do Acidente Vascular Cerebral Agudo. Emergência HNSC Atendimento do Acidente Vascular Cerebral Agudo Emergência HNSC SINAIS DE ALERTA PARA O AVC Perda súbita de força ou sensibilidade de um lado do corpo face, braços ou pernas Dificuldade súbita de falar

Leia mais

Avaliação dos níveis pressóricos em pacientes submetidos a tratamento cirúrgico ambulatorial

Avaliação dos níveis pressóricos em pacientes submetidos a tratamento cirúrgico ambulatorial ARTIGO ORIGINAL Avaliação dos níveis pressóricos em pacientes submetidos a tratamento cirúrgico ambulatorial Evaluation of blood pressure in patients undergoing ambulatory surgery Mariana Paes Levasseur

Leia mais

Release Notes. [Abril/2013]

Release Notes. [Abril/2013] [Abril/2013] Personal Med - SST Este pacote é obrigatório. Para o perfeito funcionamento do produto, é necessária a aplicação dos procedimentos de atualização do produto, contidos nos Boletins Técnicos

Leia mais

Como Avaliar o Teste Ergométrico Para a Prática de Exercício. Profa. Dra. Cláudia L. M. Forjaz Escola de Educação Física e Esporte

Como Avaliar o Teste Ergométrico Para a Prática de Exercício. Profa. Dra. Cláudia L. M. Forjaz Escola de Educação Física e Esporte Como Avaliar o Teste Ergométrico Para a Prática de Exercício Profa. Dra. Cláudia L. M. Forjaz Escola de Educação Física e Esporte cforjaz@usp.br ROTINA DO CLIENTE Avaliação condição de saúde condição física

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA 1) Um histograma construído a partir de informações amostrais de uma variável

Leia mais

Avaliação funcional do doente respiratório crónico. Testes de Exercício.

Avaliação funcional do doente respiratório crónico. Testes de Exercício. Avaliação funcional do doente respiratório crónico. Testes de Exercício. XX Congresso Português de Pneumologia Hermínia Brites Dias Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Avaliação funcional

Leia mais

AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA

AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA 1- INTRODUÇÃO No Brasil a doença cardiovascular ocupa o primeiro lugar entre as causas de óbito, isto implica um enorme custo financeiro e social. Assim, a prevenção e o tratamento

Leia mais

Certificação de Válvulas Industriais NBR-15827

Certificação de Válvulas Industriais NBR-15827 Certificação de Válvulas Industriais NBR-15827 Página 1 de 6 Informações para Preenchimento 1. Este questionário refere-se exclusivamente para solicitações de proposta dos serviços de Certificação de Produtos

Leia mais

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - I COBESA

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - I COBESA AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO DE UMA MALHA DE MEDIÇÃO DE VAZÃO COM O ELEMENTO SENSOR PRIMÁRIO DO TIPO CALHA PARSHALL EM UM SISTEMA DE EFLUENTES INDUSTRIAIS Jéssica Duarte de Oliveira Engenheira

Leia mais

Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica. Profa. Dra. Bruna Oneda

Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica. Profa. Dra. Bruna Oneda Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica Profa. Dra. Bruna Oneda professora@brunaoneda.com.br www.brunaoneda.com.br Hipertensão arterial sistêmica Síndrome multicausal e multifatorial caracterizada

Leia mais

Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica. Profa. Dra. Bruna Oneda

Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica. Profa. Dra. Bruna Oneda Atividade Física e Hipertensão Arterial Sistêmica Profa. Dra. Bruna Oneda professora@brunaoneda.com.br www.brunaoneda.com.br Hipertensão arterial sistêmica Síndrome multicausal e multifatorial caracterizada

Leia mais

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA Em um amostra, quando se têm os valores de uma certa característica, é fácil constatar que os dados normalmente não se distribuem uniformemente, havendo uma

Leia mais

05/05/2014 NOTA TÉCNICA

05/05/2014 NOTA TÉCNICA Data: 05/05/2014 NOTA TÉCNICA 82/2014 Medicamento Material Solicitante Juiz Renato Luís Dresch Procedimento 4ª Vara da Fazenda Pública Municipal Cobertura Processo número: 0847203-25.2014 TEMA: Cirurgia

Leia mais

Journal of Applied Physiology Outubro 2009

Journal of Applied Physiology Outubro 2009 INFLUÊNCIA DO COMANDO CENTRAL E ATIVAÇÃO DE AFERÊNCIAS MUSCULARES SOBRE A VELOCIDADE DO SANGUE NA ARTÉRIA CEREBRAL ANTERIOR EM RESPOSTA A EXERCÍCIO DE PANTURRILHA EM HUMANOS Lauro C. Vianna 1,2, Claudio

Leia mais

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DISCIPLINA: ESTATÍSTICA VITAL PROF. TARCIANA LIBERAL PERÍODO: 2014.2 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS 1) Descreva o espaço amostral para cada um dos seguintes experimentos: a) Lançamento de um dado e de uma moeda;

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA Leia os dois casos clínicos abaixo e as perguntas que fizemos sobre eles. Mas não comece a responder ainda. Depois de analisar bem os dois casos, abra o texto Pneumonia Diretriz

Leia mais

Na hipertensão arterial

Na hipertensão arterial Erros frequentes na prática clínica como evitá-los? Na hipertensão arterial - Novembro de 2013 - Liliana Marta Serviço de Cardiologia, Hospital de Santarém Hipertensão Arterial Importante problema de saúde

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ABORDAGEM EPIDEMIOLÓGICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM ADOLESCENTES ESCOLARES

EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ABORDAGEM EPIDEMIOLÓGICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM ADOLESCENTES ESCOLARES EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ABORDAGEM EPIDEMIOLÓGICA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM ADOLESCENTES ESCOLARES Gildásio Lucas de Lucena Mestre em Fisioterapia Nilma Dias Mestre em Saúde Coletiva Marcos Henrique Fernandes

Leia mais

DENGUE E FEBRE AMARELA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV

DENGUE E FEBRE AMARELA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV DENGUE E FEBRE AMARELA Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV Os Arbovírus ARBOVÍRUS = ARthropod BOrne VIRUS Arbovírus pertencem a três famílias: Togavírus Bunyavírus Flavivírus: Febre

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 65 Centro Universitário da Grande Dourados X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 66 ANÁLISE POSTURAL EM ADOLESCENTES DO SEXO FEMININO NA FASE

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL

RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE PRESSÃO SONORA Conforme Resolução CONAMA 001/90 CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S/A ESTALEIRO E BASE NAVAL DO PROJETO PROSUB - ITAGUAÍ/RJ

Leia mais

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA NOMINAL ORDINAL QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA DISCRETA CONTÍNUA - Variável qualitativa nominal = valores que expressam atributos, sem nenhum tipo de ordem. Ex: cor dos olhos, sexo, estado civil, presença

Leia mais

Saiba mais sobre. Hipertensão

Saiba mais sobre. Hipertensão Saiba mais sobre Hipertensão Saiba mais sobre Hipertensão Dr. Marcus Vinícius Bolívar Malachias CRM-MG 16.454 Doutor em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, SP. Diretor

Leia mais

Abordagem do Choque. Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis

Abordagem do Choque. Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis Abordagem do Choque Disciplina de Terapia Intensiva Ricardo Coelho Reis CONCEITO Hipóxia tecidual secundária ao desequilíbrio na relação entre oferta e consumo de oxigênio OU a incapacidade celular na

Leia mais

Objetivo da participação:

Objetivo da participação: Objetivo da participação: Contribuir para facilitar o entendimento da prescrição da intensidade do exercício em pacientes pós IAM em programas de reabilitação. BENEFÍCIOS: Isquemia miocárdica 1- Melhora

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES JANEIRO/2011 COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES CNHD Supervisão

Leia mais