Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada"

Transcrição

1

2 CONCEITOS BÁSICOS Impedimento de equipamento Isolamentos elétricos, eliminando a possibilidade de energização indesejada Responsável pelo serviço Empregado ou empresa terceirizada que assume a coordenação ou supervisão dos trabalhos 2

3 CONCEITOS BÁSICOS PES Pedidopara execuçãodeserviço Documento que solicita o impedimento do equipamento visando a realização de serviços Para todo PES deve ser gerada uma OS (ordem de serviço) ou PTE(Pedido de turma de emergência) AES Autorização para execução do serviço É a autorizacão fornecida pela área funcional ao responsável pelo serviço, liberando e autorizando a execuçãodosserviços (é umaparteda PES) 3

4 CONCEITOS BÁSICOS Desligamento Programado Qualquer interrupção programada do fornecimento de energia elétrica Desligamento de Emergência Interrupção de energia sem aviso prévio aos clientes afetados Força maior, caso fortuito ou risco iminente Interrupção momentânea Interrupção provocada pela atuação de equipamentos de proteção com religamento automático 4

5 CONCEITOS BÁSICOS Falha Irregularidade total ou parcial no equipamento, impedindo que ele cumpra sua finalidade Defeito Irregularidade que impede o correto funcionamento, podendo acarretar sua indisponibilidade 5

6 PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA Todo serviço deve ser planejado antecipadamente e executado por equipes devidamente treinadas. Os equipamentos devem estar aprovados pela empresaeemboas condiçõesdeuso. O responsável pelo serviço deve estar devidamente equipado com um sistema de comunicação confiável. 6

7 PROCEDIMENTOS GERAIS PARA SERVIÇOS PROGRAMADOS Responsabilidades do responsável pelo serviço: Apresentar o que deve ser analisado no serviço com o tempo necessário para realizar a intervenção. Definir recursos materiais e humanos para cumprir o planejado Entregar os projetos que envolverem alteração na configuração ao setor responsável. AVALIAÇÃO DOS DESLIGAMENTOS A área responsável pela instalação deve avaliar as manobras, de forma a minimizar os desligamentos necessários. 7

8 EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS A equipe responsável pela execução deverá providenciar: Os levantamentos de campo Estudos de viabilidade de execução Materiais, recursos humanos e equipamentos necessários Documentação para solicitação de impedimento de equipamento Todo impedimento deve ser oficializado junto à área funcional responsável 8

9 ETAPAS DA PROGRAMAÇÃO Elaboração da Manobra Programada Data, horário previsto para início e fim do serviço Descrição da Atividade Nome do Responsável Dados dos clientes interrompidos, área ou linha de produção Trecho a ser desligado Sequência de manobras necessárias para garantir a ausência de tensão no trecho do serviço e a segurança nas operações; Sequência de manobras para retorno à situação inicial Divulgação do desligamento programado aos envolvidos Aviso aos clientes/áreas envolvidos no desligamento 9

10 EXEMPLO QUADRO COM PROCEDIMENTOS O que fazer Como fazer Por que fazer? Obs - Elaborar roteiro de manobras de liberação - Verificar EPI e EPC - Inspecionar ferramentas e instrumentos Para liberar o serviço com segurança Para garantir a eficiência Atividades Preliminares - Debater com a equipe as peculiaridades e os aspectos de segurança do serviço - Analisar a documentação técnica - etc Manter todos informados Conhecermelhor o sistema elétrico 10

11 INSTALAÇÕES DESENERGIZADAS Objetivo Definir os procedimentos para as atividades em instalações desenergizadas Aplicação Áreas envolvidas direta ou indiretamente no planejamento, programação, coordenação e execução das atividades 11

12 PROCEDIMENTOS DE TRABALHO Na liberação de serviços em instalações desenergizadas, deve-se seguir os procedimentos: Seccionamento Impedimento de Reenergização Constatação de Ausência de Tensão Instalação de Aterramento Temporario Proteção dos elementos energizados existentes Instalação de sinalização de impedimento de reenergização 12

13 LIBERAÇÃO PARA SERVIÇOS Somente estarão liberados para a execução dos serviços os profissionais autorizados, devidamente orientados e com equipamentos de proteção e ferramental apropriado. 13

14 LIBERAÇÃO PARA SERVIÇOS Objetivo Definir os procedimentos básicos para liberação e execução dos trabalhos em circuitos desenergizados Aplicação Áreas direta ou indiretamente envolvidas no planejamento, programação, liberação coordenação e execução do serviço 14

15 PROCEDIMENTOS PARA LIBERAÇÃO O que fazer Obter a liberação do serviço Como fazer Por que fazer? Obs - Executar a análise dos riscos - Acompanhar as manobras de desenergização - Sinalizar os equipamentos energizados vizinhos à área do serviço - Travar com cadeado os equipamentos de manobra pertencentes a área do serviço Minimizara possibilidade de acidentes Ter conhe Evitar enganos Evitar manobras indevidas - Aterrar o Sistema Para proteger contra manobras indevidasou indução O responsável deve ser autorizado Seguir procedimentos e observar riscos 15

16 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA Consiste num procedimento padronizado destinado a orientar, alertar, avisar, quanto aos riscos ou condições de perigo existentes. É fundamental a existência de procedimentos de sinalização padronizados Materiais para sinalização: cone, bandeirola, fita, grade, sinalizador, placa, etc. 16

17 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA - PLACAS Destinada advertir as pessoas quanto ao perigo de ultrapassar áreas delimitadas onde haja a possibilidade de choque elétrico, devendo ser instalada em caráter permanente. Destinada a advertir para o fato do equipamento em referência, mesmo estando no interior da área delimitada para trabalhos, encontrar-se energizado. 17

18 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA - PLACAS Destinada a alertar quanto a possibilidade de exposição a ruído excessivo, quando for dada a partida automática de grupos auxiliares de emergência Destinada a alertar a Operação, Manutenção e Construção quanto a necessidade de espera de um tempo mínimo para fazer o Aterramento Temporário de forma segura e iniciar os serviços. Ao confeccionar esta placa, o tempo de espera deverá ser adequado de acordo com a especificidade do local onde a placa será instalada. 18

19 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA IMPEDIMENTO DE REENERGIZAÇÃO 19

20 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA DELIMITAÇÃO DE ÁREA 20

21 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA CIRCUITOS ELÉTRICOS 21

22 INSPEÇÕES DE ÁREAS, SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS Objetivo: vigilância e controle das condições de segurança do meio ambiente laboral Visa a identificação de situações perigosas e que ofereçam riscos à integridade física dos empregados As inspeções devem ser realizadas para que as providências possam ser tomadas com vistas às correções. 22

23 INSPEÇÕES DE ÁREAS, SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS Em caso de risco iminente (empregado trabalhando em altura sem o cinturão de segurança, por exemplo) a atividade deve ser paralisada imediatamente 23

24 INSPEÇÕES DE ÁREAS, SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS Tipo de Inspeção Funcionamento Gerais Parciais Periódicas Por Denúncia Cíclicas De Rotina Oficiais e Especiais Realizada anualmente e atingem a empresa toda. Também chamada de auditoria interna. Realizada emsetores seguindo um cronograma anual, com escolha que pode ser aleatória. São as mais comuns Estão ligadas ao acompanhamento de medidas de controle sugeridas. Inspeções antes da época das chuvas, por exemplo Realizadas nos setores onde há possibilidade de acidente. Não deve ser duradouras 24

25 SUGESTÕES DE PASSOS PARA INSPEÇÃO 1. Setorizar a empresa e visitar todos os locais, fazendo uma análise dos riscos existentes 2. Preparar uma folha por setor de todos os itens a serem observados 3. Realizar a inspeção anotando na folha de dados se os requisitos estão ou não sendo atendidos 4. Levar os dados para discussão. Propor medidas de controle para os itens de não-conformidade 25

26 SUGESTÕES DE PASSOS PARA INSPEÇÃO 5. Encaminhar o relatório referente a inspeção citando as falhas e sugestões para regularização 6. Solicitar as regularizações e fazer o acompanhamento das medidas de controle implantadas 7. Manter a periodiocidade das inspeções, a partir do terceiro passo 26

27

28 DOCUMENTAÇÃO NR 10 Éumtipodemedidadecontroledoriscoelétrico Todas as empresas estão obrigadas a manter diagramas unifilares das instalações Devem ser mantidos atualizados Os estabelecimentos com potência instalada igual ou superior a 75 kw devem constituir um Prontuário de Instalações Elétricas 28

29 PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Deve conter, no mínimo: a) os diagramas unifilares, os sistemas de aterramento e as especificações dos dispositivos de proteção das instalações elétricas; poucas empresas estão em conformidade com este item! b) o relatório de auditoria de conformidade à NR-10, com recomendações e cronogramas de adequação, visando ao controle de riscos elétricos; 29

30 DIAGRAMA UNIFILAR 30

31 PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS c) o conjunto de procedimentos e instruções técnicas e administrativas de segurança e saúde, implantadas e relacionadas à NR-10 e descrição das medidas de controle existentes; d) a documentação das inspeções e medições do sistema de proteção contra descargas atmosféricas; e) os equipamentos de proteção coletiva e individual e o ferramental aplicáveis, conforme determina a NR-10; 31

32 PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS f) a documentação comprobatória da qualificação, habilitação, capacitação, autorização dos profissionais e dos treinamentos realizados; g) as certificações de materiais e equipamentos utilizados em área classificada. 32

33 EMPRESAS QUE OPERAM NO SEP Devem acrescentar no prontuário: descrição dos procedimentos de ordem geral para contingências não previstas; certificados dos equipamentos de proteção coletiva e individual. 33

34 PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS É mantido pelo empregador ou por pessoa formalmente designada Deve ser revisado e atualizado sempre que ocorrerem alterações Os documentos devem ser elaborados por profissional legalmente habilitado No interior das subestações deve estar disponível um esquema geral da subestação Documentação em língua portuguesa 34

35 APT ANÁLISE PREVENCIONISTA DA TAREFA 35

NR-10. Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS. Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr.

NR-10. Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS. Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. NR-10 Rotinas de trabalho PROCEDIMENTOS Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. pedroarmando@ifsc.edu.br Objetivo Definir procedimentos básicos para execução de atividades/trabalhos

Leia mais

BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA

BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA BRAGA & BOUWMAN ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO - CLT TÍTULO II - DAS NORMAS GERAIS DE TUTELA DO TRABALHO CAPÍTULO V - DA SEGURANÇA E DA MEDICINA DO TRABALHO SEÇÃO XIII

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 NR-10 PORTARIA M.T.E 598 DE 07-12-2004 IMPLANTAÇÃO DO PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBJETIVO IMPLEMENTAÇÃO DE

Leia mais

NR-10. Segurança em instalações e serviços em eletricidade. Antônio Fábio Dantas da Nóbrega

NR-10. Segurança em instalações e serviços em eletricidade. Antônio Fábio Dantas da Nóbrega NR-10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade Sumário Riscos em instalações e serviços elétricos Visão geral sobre a NR-10 Medidas de Proteção Coletiva Equipamentos de Proteção Coletiva Medidas

Leia mais

Definir procedimentos básicos para execução de atividades/trabalhos em sistema e instalações elétricas desenergizadas.

Definir procedimentos básicos para execução de atividades/trabalhos em sistema e instalações elétricas desenergizadas. INSTALAÇÕES DESENERGIZADAS Objetivo Definir procedimentos básicos para execução de atividades/trabalhos em sistema e instalações elétricas desenergizadas. Âmbito de aplicação Aplica-se às áreas envolvidas

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade Orientações Consultoria de Segmentos trabalhos em altura e com eletricidade 08/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE

NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE NORMAS DE SEGURANÇA EM SITUAÇÕES DE RISCO QUE ENVOLVA ELETRICIDADE Anderson Rocha Ramos¹, Bruna Neves de Andrade², Felipe Matos Lopes dos Santos 3, Phablo Cabral de Oliveira 4,Silvani Ramos de Oliveira

Leia mais

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo

NR 10. Prof. Felipe A. Camargo QMASS NR 10 Prof. Felipe A. Camargo NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 01 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.1.1 Esta NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando

Leia mais

NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR - 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE 10.3 - SEGURANÇA EM PROJETOS 10.4 - SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO

Leia mais

Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA

Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA Certificado de Registro (Averbação) Fundaçăo BIBLIOTECA NACIONAL MINISTÉRIO DA CULTURA NORMA REGULAMENTADORA - NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS DE ELETRICIDADE, Educação de Inclusão Social Todos

Leia mais

Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade

Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade Engenheiro Eletricista Edson Martinho Diretor Executivo da ABRACOPEL Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade abracopel@abracopel.org.br 11-99688-1148 PROXIMIDADE COM A

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES Engº Wilmar Fratini Comissão Metroferroviária - GT de Gestão Integrada São Paulo - 29.08.07 Norma Regulamentadora nº 10 SEGURANÇA

Leia mais

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Texto base apresentado pelo MTE como proposta de atualização da Regulamentação Normativa atual em segurança e saúde no trabalho com atividades

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DOS SERVIÇOS PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DOS SERVIÇOS Esta etapa consiste do planejamento das atividades que serão executadas, levantamento de recursos,

Leia mais

Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10

Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10 Entenda a nova Norma Regulamentadora NR-10 *Autor: Engº Jaques Sherique A nova NR-10 teve como base um texto técnico, elaborado por 53 empresas do setor energético. Esta norma que teve por base o tripartidarismo

Leia mais

EXIGÊNCIA PARA FUNCIONÁRIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS!

EXIGÊNCIA PARA FUNCIONÁRIOS E PRESTADORES DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS! Treinamento: Obrigatoriedade prevista na NR-10: Todos devem ter Treinamento básico de 40 horas; Trabalhos em SEP e proximidades o Treinamento complementar, além do básico, mais 40 horas Conteúdo e carga

Leia mais

Submódulo Operação das instalações da Rede de Operação

Submódulo Operação das instalações da Rede de Operação Submódulo 10.12 Operação das instalações da Rede de Operação Rev. Nº. 1.1 2016.12 Motivo da revisão Adequação ao artigo nº 20 da Resolução Normativa ANEEL nº 376/09, de 25 de agosto de 2009. Versão decorrente

Leia mais

5) CEEE - Sobre a Norma Regulamentadora 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade -, assinale a alternativa correta

5) CEEE - Sobre a Norma Regulamentadora 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade -, assinale a alternativa correta 1) TRENSURB - Em serviços executados em instalações elétricas são previstas medidas de proteção coletiva, relacionadas a seguir. Assinale a alternativa que contém a medida coletiva prioritária: a) bloqueio

Leia mais

Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão

Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão 1.1 Abrangência da NR-10 Segurança no desenvolvimento de trabalhos em alta tensão O primeiro capítulo da NR-10 define o objetivo e o seu campo de aplicação. Logo no primeiro item a NR-10 deixa claro que

Leia mais

Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO. Desenergização. Desenergização

Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO. Desenergização. Desenergização Medidas de controle do RISCO ELÉTRICO Desenergização A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, seqüenciadas e controladas. Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas

Leia mais

4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP

4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP 4 - CONDIÇÕES IMPEDITIVAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NO SEP A nova NR 10 visando garantir uma maior proteção aos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978.

LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978. ENG GLAUBER MAURIN LEGISLAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6.514/77 -Portaria 3.214/78 de 08/06/1978. Aprova as Normas Regulamentadoras NR do Capítulo V, título II, da CLT- Consolidação das Leis do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Indústria Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Segurança e Saúde do Trabalho ao seu alcance! NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou efeito de prevenir ou de se prevenir;

Leia mais

ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE

ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE ASPECTOS DE SEGURANÇA EM ELETRICIDADE Prof.: Luís M. Nodari luis.nodari@ifsc.edu.br http://www.joinville.ifsc.edu.br/~luis.nodari/ Parte 3 1 2 PIE - PRONTUÁRIO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 3 O PIE é um conjunto

Leia mais

PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN

PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN PALESTRA MINISTRADA EM EMPRESAS CLIENTES AOS RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA E MANUTENÇÃO ELÉTRICA ENG GLAUBER MAURIN NORMA REGULAMENTADORA Nº 05 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. PORTARIA MTE Nº 143, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2005 Altera no Ementário - Elementos para lavratura de autos de infração as ementas referentes à Norma Regulamentadora Nº 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade

Leia mais

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL *NORMA REGULAMENTADORA Nº 10* SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Vitória ES 2006 D.O.U de 08/12/2004 NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO ATRIBUIÇÕES DO CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO ATRIBUIÇÕES DO CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO 1/9 1. Objetivo O objetivo desta orientação técnica é definir as atribuições do Centro de Operação da Distribuição COD para realizar o atendimento das ocorrências programadas e não programadas no sistema

Leia mais

Segurança em Eletricidade

Segurança em Eletricidade Segurança em Eletricidade Os serviços que envolvem eletricidade podem provocar acidentes que, na maioria das vezes, são de natureza grave. Essas atividades são responsáveis por um número elevado de mortes

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi. NR 8 e NR-10. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira

Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi. NR 8 e NR-10. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR 8 e NR-10 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-8 Edificações Dispõe sobre os requisitos técnicos mínimos que devem ser observados nas edificações

Leia mais

A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS VI ESW Brasil 2013 Seminário Internacional de Engenharia Elétrica na Segurança do Trabalho A INSPEÇÃO FINAL DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Autor:Eng. Gerson Sampaio Filho. Organização/Empresa:TEKNERGIA LTDA

Leia mais

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK ENTENDENDO SOBRE REDES ELÉTRICAS A REDE ELÉTRICA PODE SER DIVIDIDA EM 3 GRUPOS, DE ACORDO COM A TENSÃO: BAIXA TENSÃO acima de 50V até 1.000V MÉDIA TENSÃO acima de 1.000V até 69.000V

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE D.O.U de 08/12/2004 Seção I NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 10.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR estabelece os requisitos

Leia mais

Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de

Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de NORMA REGULAMENTADORA 10 - NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Conforme a Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de 07.12.2004 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda. the

Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda. the Palestra Técnica Interpretando a NR-10 Palestrante: Eng. Carlos Alberto Elyseo Schneider Electric Brasil Ltda the Palestra Técnica Interpretando a NR-10 I. Introdução II. Legislação Brasileira III. Norma

Leia mais

CAPÍTULO V. NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade

CAPÍTULO V. NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade CAPÍTULO V NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade PROFESSOR: SÉRGIO QUEIROZ DE ALMEIDA 1 NR-10 - Norma Regulamentadora de Segurança em Instalações e Serviços

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE (Texto dado pela Portaria GM n.º 598, de 07 de dezembro de 2004) 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Publicação D.O.U. Portaria MTb n.º 3.214,

Leia mais

SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410

SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410 SECCIONAMENTO AUTOMÁTICO DA ALIMENTAÇÃO NBR 5410 Um dispositivo de proteção deve seccionar automaticamente a alimentação do circuito por ele protegido sempre que uma falta entre parte viva e massa der

Leia mais

Segurança em instalações e projetos, conforme a nova NR-10

Segurança em instalações e projetos, conforme a nova NR-10 Segurança em instalações e projetos, conforme a nova João Cunha Algumas questões iniciais 2 Norma x Regulamento Regulamento Técnico: Documento aprovado por órgãos governamentais em que se estabelecem as

Leia mais

O que é NR10? Por quê fazer o curso de NR10? Por quê fazer o curso no NR10 ONLINE? NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 NR-10

O que é NR10? Por quê fazer o curso de NR10? Por quê fazer o curso no NR10 ONLINE? NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 NR-10 NR-10 O que é NR10? Esta Norma Regulamentadora NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-021 ADENDO AS NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADAS DO SISTEMA ENERGISA À NORMA REGULAMENTADORA Nº010 NR 010 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES...

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE - NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Item 10.1 da NR 10 alterado pelo art. 1º da Portaria MTE nº 598 - DOU 08/12/2004.

Leia mais

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Alterado pela Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 - D.O.U. 06/07/78 Alterado pela Portaria SSMT n.º 12, de 06 de junho de 1983 - D.O.U.

Leia mais

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR-10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Alterado pela Portaria MTPS nº 508, de 02/05/2016 - DOU de 02/05/2016 Alterado pela Portaria GM nº 598, de 07 de dezembro de 2004 - DOU 08/09/2004

Leia mais

EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios).

EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios). EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS DE TRABALHO (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios). 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE 10.2.4 Os estabelecimentos com carga instalada superior a 75 kw devem constituir e manter

Leia mais

Máquinas e Equipamentos NR - 12

Máquinas e Equipamentos NR - 12 Máquinas e Equipamentos NR - 12 Publicação - Portaria GM N. 3.214, de 08 de julho de 1978 06/07/78. Atualizações - Portaria SIT N. 197, de 17 de dezembro de 2010 24/12/10. Entra em vigor - 01 de julho

Leia mais

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE )

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE ) PORTARIA 598 MTE, DE 7-12-2004 (DO-U DE 8-12-2004) TRABALHO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Instalações e Serviços em Eletricidade Modifica as normas relativas à segurança em Instalações e Serviços em

Leia mais

Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de

Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de Portaria MTE nº 598, 07 de Dezembro de 2004 - Altera NR 10 D.O.U.: 08.12.2004 Port. MTE 598/04 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 598 de 07.12.2004 D.O.U.: 08.12.2004 / ***

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS SETOR ELÉTRICO AULA 1 Prof. Luiz Paulo Corrêa Vallandro Engenheiro Eletricista Engenheiro de Segurança do Trabalho

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRI- CAS. Medidas de controle

DOCUMENTAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRI- CAS. Medidas de controle DOCUMENTAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRI- CAS Medidas de controle Em todas as intervenções nas instalações elétricas, subestações, salas de comando das usinas, centro de operações entre outras instalações, devem

Leia mais

Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 Nº Id. SSO Revisão 01

Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 Nº Id. SSO Revisão 01 Grupo MAHLE Brasil Data 01/08/08 Página 1/6 1. OBJETIVO 1.1 Assegurar que os trabalhos não rotineiros sejam executados com segurança. 1.2 Garantir a prévia coordenação / comunicação entre os empregados

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA N.º

NORMA REGULAMENTADORA N.º SUMÁRIO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA N.º 10 2. Formação profissional 2.1 Qualificação 2.2 Habilitação 2.3 Capacitação 2.4 Autorização 3. Medidas de controle

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE. Prof. ª Rosana Abbud

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE. Prof. ª Rosana Abbud NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Prof. ª Rosana Abbud OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando

Leia mais

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 LOCAL: INSPETOR: RESPONSÁVEL PELO LOCAL: TELEFONES DE EMERGÊNCIA: DESCRIÇÃO DO SERVIÇO: DADOS DA INSPEÇÃO DATA: TELEFONE: TELEFONE: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Condições

Leia mais

RISCOS. Riscos de origem elétrica. Riscos de queda. Riscos no transporte e com equipamentos. Riscos de ataques de insetos

RISCOS. Riscos de origem elétrica. Riscos de queda. Riscos no transporte e com equipamentos. Riscos de ataques de insetos RISCOS Os riscos à segurança e saúde dos trabalhadores no setor de energia elétrica são, via de regra elevados, podendo levar a lesões de grande gravidade e são específicos a cada tipo de atividade. Contudo,

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA : SERVIÇOS COM ELETRICIDADE

LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA : SERVIÇOS COM ELETRICIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA (SISTEMAS ELETRÔNICOS EMBARCADOS) LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA : SERVIÇOS COM ELETRICIDADE ADRIANO LEAL CARLOS

Leia mais

SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE

SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE Elaborado por Ana Karolina Kalil Oliveira dos Santos Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto Revisado por - CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 20/09/2006 - Emissão

Leia mais

Elétricas e Serviços com Eletricidade

Elétricas e Serviços com Eletricidade Segurança em Instalações Elétricas e Serviços com Eletricidade 1 NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇOES E SERVIÇOS COM A ELETRICIDADE O curso é teórico e prático e tem carga horária de 40 horas. O curso será ministrado

Leia mais

SOLUÇÕES TÉCNICAS, CUSTO E QUALIDADE

SOLUÇÕES TÉCNICAS, CUSTO E QUALIDADE VISÃO GLOBAL CONSULTORIA EM GESTÃO INDUSTRIAL; ADEQUAÇÕES AS NORMAS REGULAMENTADORAS; CONSULTORIA INDUSTRIAL RELAÇÃO SINDICAL E COM O M.T.E. GESTÃO DE PESSOAS EFICIÊNCIA PRODUTIVIDADE ORGANIZAÇÃO PRODUÇÃO

Leia mais

Projetos Elétricos Especiais

Projetos Elétricos Especiais Projetos Elétricos Especiais Prof. Laís Hauck de Oliveira Disciplina de Projetos Elétricos Especiais - PEE Departamento de Engenharia Elétrica - DEE Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Universidade do

Leia mais

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE )

PORTARIA 598 MTE, DE (DO-U DE ) PORTARIA 598 MTE, DE 7-12-2004 (DO-U DE 8-12-2004) TRABALHO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Instalações e Serviços em Eletricidade Modifica as normas relativas à segurança em Instalações e Serviços em

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA Objetivo Formar profissional com habilitação Técnica de Nível Médio em Eletrotécnica, para atuar nos diversos segmentos do mercado, tais como: concessionárias de energia elétrica,

Leia mais

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Aula Norma NR 12 Eletromecânica Módulo 1 Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Objetivo da aula Informar, formar e orientar Engenheiros e técnicos no que diz

Leia mais

Discutindo a Nova NR-10

Discutindo a Nova NR-10 Discutindo a Nova NR-10 BIFFE, Wagner Antonio. Especialista, Engenheiro Eletricista e Segurança do Trabalho, Depto. de Operações, CEMAT, Cuiabá MT, wagner.biffe@mail.com Resumo: Este artigo apresenta considerações

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Submódulo Estudos de comissionamento de instalações da rede de operação

Submódulo Estudos de comissionamento de instalações da rede de operação Submódulo 21.3 Estudos de comissionamento de instalações da rede de operação Rev. N.º 0.0 0.1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento

Leia mais

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho 14/03/2011 2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho NR.36 TRABALHOS EM ALTURA Esta norma é aplicável a qualquer trabalho realizado acima de

Leia mais

RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST

RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST 1 RISCOS ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (APR) CHECK LIST RISCOS Os riscos à segurança e saúde dos trabalhadores no setor de energia elétrica são, via de regra elevados, podendo levar a lesões de grande gravidade

Leia mais

Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Estabelecer lista de verificação para auditoria;

Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Estabelecer lista de verificação para auditoria; Página 1 de 9 AUDITORIAS DA QUALIDADE ETAPA 1. Objetivo geral: Atuar no planejamento e execução das Auditorias da Qualidade. Desempenho esperado: Estabelecer programa anual de auditorias; Elaborar agenda

Leia mais

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA 1. Tem direito ao adicional de periculosidade os trabalhadores das empresas que operam em instalações ou equipamentos

Leia mais

DEMEI ITD-07. Departamento Municipal de Energia de Ijuí

DEMEI ITD-07. Departamento Municipal de Energia de Ijuí DEMEI Departamento Municipal de Energia de Ijuí Acesso da microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição do DEMEI Instrução Técnica VERSÃO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ENERGIA DE IJUÍ

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 SINAIS DE ATENÇÃO! Atenção! Alta Voltagem 230/240V Atenção! Superfície quente! Vapor quente ou líquido. Atenção!

Leia mais

Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº:

Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: Morte em razão de contato com rede aérea energizada durante obra Palavras-chave: Morte Contato Rede aérea energizada 1. Dados do empregador Razão Social: Quântica Engenharia Ltda. Número de empregados:

Leia mais

VII IEEE ESW-Brasil 2015

VII IEEE ESW-Brasil 2015 VII IEEE ESW-Brasil 2015 Engenharia Elétrica na Segurança do Trabalho 2 a 3 de dezembro de 2015 Rio de Janeiro Brasil DESENERGIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA E ALTA TENSÃO João Gilberto Cunha

Leia mais

Permissão de trabalho

Permissão de trabalho Permissão de trabalho PROCEDIMENTO OPERACIONAL Para as atividades rotineiras de trabalho em altura, deverão ser desenvolvidos procedimentos operacionais para cada atividade. Objetivo Estabelecer os procedimentos

Leia mais

Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção

Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção Rev. Nº. 0.0 0.1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento à Resolução

Leia mais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais

BEM-VINDO. Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12. TEMA Conceitos Fundamentais BEM-VINDO Ao Seminário Estadual sobre Segurança em Máquinas com NR 12 TEMA Conceitos Fundamentais Marcelo Vandresen, Dr.Eng.Mec. 1989 - Tecnico em Mecânica Manutenção 1994 - Engenheiro Mecânico 1995 -

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO

TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO TÉCNICAS DE TRABALHOS SOB TENSÃO TÉCNICA DE LINHA VIVA São atividades realizadas sem o desligamento da linha e mediante a adoção de procedimentos que garantem a segurança dos trabalhadores. Foi desenvolvida

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD 1/6 1. Objetivo O objetivo desta orientação técnica é estabelecer planos de contingência a serem aplicados nos casos de alteração das condições normais de operação do COD, seja por motivo de concentração

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PÚBLICODE ENERGIA ELÉTRICA PARA UNIDADESCONSUMIDORAS ATENDIDAS EM BAIXA TENSÃO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PÚBLICODE ENERGIA ELÉTRICA PARA UNIDADESCONSUMIDORAS ATENDIDAS EM BAIXA TENSÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PÚBLICODE ENERGIA ELÉTRICA PARA UNIDADESCONSUMIDORAS ATENDIDAS EM BAIXA TENSÃO A CEB Distribuição S.A., CNPJ n o 07.522.669/0001-92, com sede no Sia Trecho 1 Lote 03 área

Leia mais

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI 1 - NOME DO CURSO: Qualificação para instalador de equipe de serviços de Rede de Distribuição Aérea. (multifuncional) 2 - ÁREA: Energia Elétrica Sub área Sistema Elétrico

Leia mais

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades CLT Consolidação das Leis do Trabalho É de obrigação legal para os empregadores a Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977 relativa a segurança e medicina do trabalho

Leia mais

C) Especificações dos equipamentos de proteção coletiva, individual e às ferramentas, aplicáveis conforme determina a norma.

C) Especificações dos equipamentos de proteção coletiva, individual e às ferramentas, aplicáveis conforme determina a norma. 7 norma 10.1- objetivo e campo de aplicação 10.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR, estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos,

Leia mais

ANEXO 4.10 PROCEDIMENTO DE AUDITORIA DE PROCESSOS DE MANUTENÇÃO

ANEXO 4.10 PROCEDIMENTO DE AUDITORIA DE PROCESSOS DE MANUTENÇÃO ANEXO 4.10 PROCEDIMENTO DE AUDITORIA DE PROCESSOS DE MANUTENÇÃO - 1 - Definições Auditoria de Processos de Manutenção É a verificação sistemática e documentada que permite avaliar o grau de adequação dos

Leia mais

GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE MANUTENÇÃO EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - GMI

GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE MANUTENÇÃO EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - GMI SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GMI - 18 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE MANUTENÇÃO EM INSTALAÇÕES

Leia mais

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Submódulo 9.6 Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Rev. Nº. 2.0 2016.12 Motivo da revisão Versão decorrente da Audiência Pública nº 002/2011. Versão decorrente da Audiência Pública nº 020/2015.

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 2 1. OBJETIVO Comunicar os procedimentos que devem ser adotados para homologação de conjuntos blindados

Leia mais

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores ESCOPO Este questionário de auto-avaliação tem como objetivo proporcionar um conhecimento geral do fornecedor,

Leia mais

Submódulo Estudos pré-operacionais de integração de instalações da Rede de Operação

Submódulo Estudos pré-operacionais de integração de instalações da Rede de Operação Submódulo 21.2 Estudos pré-operacionais de integração de instalações da Rede de Operação Rev. Nº. 1.0 2016.12 Motivo da revisão Versão decorrente da Audiência Pública nº 049/2008, submetida para aprovação

Leia mais

Guia Global de Produtos e Serviços

Guia Global de Produtos e Serviços Guia Global de Produtos e s A empresa A CORRETA é uma empresa especializada e experiente na prestação de serviços nas áreas de segurança do trabalho, saúde ocupacional, higiene industrial, prevenção de

Leia mais

VII CMATIC. Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Swylmar dos Santos Ferreira

VII CMATIC. Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Swylmar dos Santos Ferreira VII CMATIC Curso básico sobre segurança em instalações elétricas temporárias em canteiros de obras Swylmar dos Santos Ferreira Engº Eletricista e de Segurança do Trabalho s Dados estatísticos Dados Mundiais:

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20

COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20 COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20 A nova Norma Regulamentadora NR-20, em seu item 20.14.2, determina que a empresa deve elaborar o plano de resposta

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA DA NOVA REDAÇÃO. Engº Aguinaldo Bizzo de Almeida SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA NÍVEIS DE TENSÃO ALTA TENSÃO TENSÃO DE TRANSMISSÃO TENSÃO

Leia mais

NR 10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade

NR 10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade Treinamento e-learning NR 10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais