Inteligência Artificial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inteligência Artificial"

Transcrição

1 Inteligência Artificial Licenciatura em Computação Prof. Adriano Avelar Site:

2 Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. Agente? sensores atuadores percepções ações Ambiente

3 Agentes Inteligentes Matematicamente falando, podemos dizer que o comportamento de um Agente é descrito por uma função que mapeia uma dada percepção a uma determinada ação.

4 Exemplos Agente humano Sensores: Olhos, ouvidos e outros órgãos. Atuadores: Mãos, pernas, boca e outras partes do corpo. Agente robótico Sensores: câmeras e outros sensores. Atuadores: vários motores. Agente de software Sensores: entrada do teclado, conteúdo de arquivos e pacotes vindos da rede. Atuadores: tela, disco rígido, envio de pacotes pela rede.

5 Agentes Inteligentes Agentes são diferente de meros programas, pois operam sob controle autônomo, percebem seu ambiente, adaptam-se a mudanças e são capazes de assumir metas.

6 Mapeando Percepções em Ações O comportamento de um agente é dado abstratamente pela função do agente: f = P A onde é a P é uma sequência de percepções e A é uma ação. Sequência de percepções: histórico completo de tudo que o agente percebeu.

7 Exemplo: O Mundo do Aspirador de Pó Percepções: Local e conteúdo. Exemplo: [A, sujo] Ações: Esquerda, Direita, Aspirar, NoOp

8 Exemplo: O Mundo do Aspirador de Pó Sequência de Percepções [A, Limpo] [A, Sujo] [B, Limpo] [B, Sujo] [A, Limpo], [A, Limpo] [A, Limpo], [A, Sujo]... [A, Limpo], [A, Limpo], [A, Limpo] [A, Limpo], [A, Limpo], [A, Sujo] Ação Direita Aspirar Esquerda Aspirar Direita Aspirar Direita Aspirar... Comportamento do Agente: Se o quadrado atual estiver sujo, então aspirar, caso contrário mover para o outro lado.

9 Medindo o Desempenho do Agente O agente deve sempre executar a ação correta baseado no que ele percebe para ter sucesso. O conceito de sucesso do agente depende uma medida de desempenho objetiva. Exemplos: quantidade de sujeira aspirada, gasto de energia, gasto de tempo, quantidade de barulho gerado, etc. A medida de desempenho deve refletir o resultado realmente desejado.

10 Medindo o Desempenho do Agente As sequências de ações de um agente faz com que o estado do ambiente mude. Se a sequência é algo desejável, então a performance do agente está correta. Estado cheio Estado sujo

11 Agentes Racionais Agente racional: Para cada sequência de percepções possíveis deve-se selecionar uma ação que espera-se que venha a maximizar sua medida de desempenho, dada a evidência fornecida pela sequência de percepções e por qualquer conhecimento interno do agente. Qual seria a medida de desempenho ideal para o agente aspirador de pó racional?

12 Agentes Racionais Os agentes podem (e devem!) executar ações para coleta de informações. Um tipo importante de coleta de informação é a exploração de um ambiente desconhecido. Os agentes também podem (e devem!) aprender, ou seja, modificar seu comportamento dependendo do que ele percebe ao longo do tempo. Nesse caso o agente é chamado de autônomo. Um agente que aprende pode ter sucesso em uma ampla variedade de ambientes.

13 Modelagem de um Agente O processo de modelagem de um agente envolve a definição de: Performance = Medida de Desempenho Environment = Ambiente Actuators = Atuadores Sensors = Sensores

14 Exemplo - Motorista de Táxi Automatizado Medida de desempenho: viagem segura, rápida, sem violações às leis de trânsito, confortável para os passageiros, maximizando os lucros. Ambiente: ruas, estradas, outros veículos, pedestres, clientes. Atuadores: direção, acelerador, freio, embreagem, marcha, seta, buzina. Sensores: câmera, sonar, velocímetro, GPS, acelerômetro, sensores do motor, teclado ou microfone.

15 Exemplo - Sistema de Diagnóstico Médico Medida de desempenho: paciente saudável, minimizar custos, processos judiciais. Ambiente: paciente, hospital, equipe. Atuadores: exibir perguntas na tela, testes, diagnósticos, tratamentos. Sensores: entrada pelo teclado para sintomas, descobertas, respostas do paciente.

16 Exemplo - Robô de seleção de peças Medida de desempenho: porcentagem de peças em bandejas corretas. Ambiente: correia transportadora com peças; bandejas. Atuadores: braço e mão articulados. Sensores: câmera, sensores angulares articulados.

17 Exercício Modele os seguintes agentes: Um drone entregador de encomendas. Um peixe robô Uma aranha robô na floresta Assistente pessoal Inteligente Jogador de xadrez

18 Propriedades do Ambientes Completamente observável: Os sensores do agente dão acesso ao estado completo do ambiente em cada instante. Todos os aspectos relevantes do ambiente são acessíveis. Parcialmente observável: Os sensores do agente NÃO dão acesso ao estado completo do ambiente em cada instante. Nem todos os aspectos relevantes do ambiente são acessíveis.

19 Propriedades do Ambientes Determinístico: O próximo estado do ambiente é completamente determinado pelo estado atual e pela ação executada pelo agente. Não-Determinístico: O próximo estado do ambiente é desconhecido. Não se tem certeza do que pode acontecer com o ambiente ao executar uma ação.

20 Propriedades do Ambientes Estático: O ambiente não muda enquanto o agente pensa. Dinâmico: O ambiente pode mudar enquanto o agente pensa ou está executando uma ação.

21 Propriedades do Ambientes Discreto: Um número limitado e claramente definido de percepções, ações e estados. Contínuo: Um número possivelmente infinito de percepções, ações e estados.

22 Propriedades do Ambientes Agente Único: Um único agente operando sozinho no ambiente. Multi-Agente Vários agentes interagindo no ambiente. Multi-agente cooperativo Multi-agente competitivo

23 Exemplos Xadrez Taxista Automático Diagnostico Medico Completamente observável Sim Não Não Determinístico Sim Não Não Estático Discreto Agente único Sim Sim Não Não Não Não Não Não Sim

24 Exercício 1. Robô explorador de Marte. 2. Um drone entregador de encomendas. 3. Um míssil autônomo 4. Um peixe robô 5. Uma aranha robô na floresta 6. Assistente pessoal Inteligente 7. Jogador de xadrez Completamente observável não não não não não sim sim Determinístico Estático Discreto Agente único não não não sim não não não não não não não não não não não não não sim sim não não sim não não sim não não não

25 Tipos Básicos de Agentes Existem cinco tipos básicos de agentes: Agentes reativos simples. Agentes reativos baseados em modelos. Agentes baseados em objetivos. Agentes baseados na utilidade. Agentes com aprendizagem.

26 Agente Reativo Simples Agentes reativos selecionam ações com base somente na percepção atual. Exemplo: agente aspirador de pó Função AGENTE-ASPIRADOR-REATIVO ([posição, estado]) retorna ação Inicio se estado = sujo então retorna aspirar senão se posição = A então retorna direita senão se posição = B então retorna esquerda Fim

27 Agente Reativo Simples O funcionamento do agente reativo é baseado em regras de condição-ação: se (if) condição então (then) ação. Ex.: if carro-da-frente-está-freando then aciona-freio. São simples, porém limitados: Funcionará somente se a decisão correta puder ser tomada com base apenas na percepção atual. A tabela de regras condição-ação pode se tornar muito grande em problemas complexos. Funciona apenas em ambiente completamente observável.

28 Diagrama esquemático Regras Condição-Ação Como mundo está agora Quais ações devo tomar Ambiente

29 Função genérica function AGENTE-REATIVO-SIMPLES (percepção ) returns uma ação persistente: regras, um conjunto de regras do tipo condição-ação estado INTERPRETA-ENTRADA( percepção ) regra CHECAGEM-REGRA(estado, regras) ação regra.ação return ação

30 Exercício Identifique quais dos agentes do exercício anterior são agentes reativos. 1. Robô explorador de Marte. 2. Um drone entregador de encomendas. 3. Um míssil autônomo 4. Um peixe robô 5. Uma aranha robô na floresta 6. Assistente pessoal Inteligente 7. Jogador de xadrez

31 Exercício Crie uma função reativa do agente jogador de xadrez vermelho. Como ele reagiria à jogada D4->B3 do agente preto. A B C D

32 Agentes Reativos Baseados em Modelos Um agente reativo baseado em modelo pode lidar com ambientes parcialmente observáveis. O agente deve controlar as partes do mundo que ele não pode ver. O agente deve manter um estado interno que dependa do histórico de percepções e reflita os aspectos não observados no estado atual. Agente baseado em modelo é um agente que usa um modelo de mundo. Como o ambiente evoluí independente do agente? Como as ações do próprio agente afetam o mundo?

33 Modelo do Mundo Como o ambiente evoluí independente do agente? Um carro que vai fazer uma ultrapassagem está mais perto que a um instante atrás. Como as ações do próprio agente afetam o mundo? Ao frear um carro ou mudar de faixa. O agente afeta o mundo. tempo

34 Agentes Reativos Baseados em Modelos De uma forma mais genérica, podemos definir o comportamento de um agente reativo baseado em modelo da seguinte forma: function REFLEX-AGENT-WITH-STATE(percept) returns an action static: state, a description of the current world state rules, a set of condition-action rules action, the most recent action, initially none return action state UPDATE_INPUT(state, percept, action) rule RULE_MATCH(state, rules) action RULE_ACTION(rule)

35 Agentes Reativos Baseados em Modelos estado Como o mundo evloui Quais as consequências das minhas ações Regras Condição-Ação Como mundo está agora Quais ações devo tomar Ambiente

36 Agentes Reativos Baseados em Modelos Conhecer um modelo do mundo nem sempre é suficiente para tomar uma boa decisão. Exemplo: Um agente Motorista de Táxi chega a um cruzamento com três caminhos, qual direção tomar? Simplesmente reagir? mas existem três reações possíveis. Examinar o modelo de mundo? não ajuda a decidir qual o caminho. A decisão depende de onde o táxi está tentando chegar.

37 Agentes Baseados em Objetivos Agentes baseados em objetivos expandem as capacidades dos agentes baseados em modelos através de um objetivo. O objetivo descreve situações desejáveis. Exemplo: estar no destino A seleção da ação baseada em objetivo pode ser: Direta: quando o resultado de uma única ação atinge o objetivo. Mais complexa: quando será necessário longas sequências de ações para atingir o objetivo.

38 Agentes Baseados em Objetivos Para encontrar sequências de ações que alcançam os objetivos são utilizados algoritmos de Busca e Planejamento. A tomada de decisão envolve a consideração do futuro, o que não acontece com o uso de regras de condição-ação. O que acontecerá se eu fizer isso ou aquilo? O quanto isso me ajudará a atingir o objetivo?

39 Agentes Baseados em Objetivos estado Como o mundo evolui Quais as consequências das minhas ações Como mundo está agora O que ele será se eu tomar a ação A Ambiente Objetivos Quais ações devo tomar

40 Agentes Baseados em Objetivos O agente que funciona orientado a objetivos é mais flexível do que um agente reativo. Entretanto, o objetivo não garante o melhor comportamento para o agente, apenas a distinção entre estados objetivos e não objetivos.

41 Agentes Baseados na Utilidade Agentes baseados na utilidade buscam definir um grau de satisfação com os estados. O quanto bom é para o agente um determinado estado. Se um estado do mundo é mais desejável que outro, então ele terá maior utilidade para o agente. Utilidade é uma função que mapeia um estado para um número real que representa o grau de satisfação com este estado.

42 Agentes Baseados na Utilidade estado Como o mundo evolui Quais as consequências das minhas ações Como mundo está agora Utilidade O que ele será se eu tomar a ação A Quão feliz eu ficarei nesse estado Ambiente Quais ações devo tomar

43 Agentes com Aprendizagem Agentes com aprendizado podem atuar em ambientes totalmente desconhecidos e se tornar mais eficientes do que o seu conhecimento inicial poderia permitir. Em agentes sem aprendizagem, tudo o que o agente sabe foi colocado nele pelo projetista.

44 Agentes com Aprendizagem Desempenho padrão Crítica Objetivos do aprendizado Elemento de aprendizado Gerador de problemas Elemento de desempenho Atuadores Ambiente

45 Exercícios 1) Tanto a medida de desempenho quanto a função de utilidade medem o quanto um agente está desempenhando bem suas atividades. Explique a diferença entre as duas medidas. 2) Pode haver mais de um programa de agente que implemente uma dada função de agente? Dê um exemplo ou mostre porque não é possível. 3) Descreva uma função de agente racional para o mundo do aspirador de pó com a medida de desempenho modificada que deduz um ponto a cada movimento. O programa de agente correspondente exige estado interno?

46 Exercícios 4) Para cada um dos agentes a seguir, desenvolva uma descrição de PEAS do ambiente de tarefas. a. Robô jogador de futebol. b. Agente de compras na Internet. c. Robô explorador de Marte. d. Assistente de matemático para demonstração de teoremas.

47 Exercícios 5) Para cada um dos agentes a seguir, caracterize o ambiente de acordo com as propriedades (Observável, Determinístico, Estático, Discreto, Agente; e seus antagônicos) e selecione um projeto de agente adequado. a. Robô jogador de futebol. b. Agente de compras na Internet. c. Robô explorador de Marte. d. Assistente de matemático para demonstração de teoremas.

48 Respostas 1) Uma medida de desempenho e utilizada por um observador externo para avaliar o sucesso de um agente. Uma função de utilidade e utilizada por um agente para avaliar estados. A função de utilidade pode não ser igual a medida de desempenho; alem disso, um agente pode não ter uma função de utilidade explicita, enquanto que sempre existe uma medida de desempenho.

49 Respostas 2) Sim. Podemos criar um novo programa de agente através da modificação de um programa de agente existente, inserindo-se comandos inúteis que não alterem a saída do programa. Estes dois programas implementam a mesma função de agente.

50 Respostas 3) O agente deve ter memória para guardar a informação de que um quadrado já foi limpo. Dessa forma ele só vai para o outro quadrado se ele ainda não verificou que o quadrado estava limpo. A memória que guarda essa informação é um estado interno.

51 Respostas 4)

52 Respostas 5)

53 Leitura Complementar Russell, S. and Norvig, P. Artificial Intelligence: a Modern Approach, 3nd Edition, Prentice-Hall, Capítulo 2: Intelligent Agents

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Edirlei Soares de Lima Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com AGENTES INTELIGENTES Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Agentes Inteligentes Um agente é tudo o que pode ser considerado capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre

Leia mais

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny TCC04040 Inteligência Artificial Página web: http://www.ic.uff.br/~bianca/ia Material: Livro texto: Inteligência Artificial, Russell & Norvig, Editora

Leia mais

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial. Exemplos. Agentes Inteligentes. Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial. Exemplos. Agentes Inteligentes. Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. Agente Prof. Ms. Luiz Alberto Contato:

Leia mais

Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Agentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. em busca de um objetivo Exemplos

Leia mais

Ementa. Inteligência Artificial. Agentes. Agentes Inteligentes. Exemplos 8/18/2010. Mapeando percepções em ações. Aula 2 Profª Bianca Zadrozny

Ementa. Inteligência Artificial. Agentes. Agentes Inteligentes. Exemplos 8/18/2010. Mapeando percepções em ações. Aula 2 Profª Bianca Zadrozny Ementa Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny Agentes inteligentes (Cap. 1 e 2) Resolução de problemas por meio de busca (Cap. 3, 4 e 6) Representação de conhecimento e raciocínio através

Leia mais

Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br 2012-2015 Josenildo Silva (jcsilva@ifma.edu.br) Este material é derivado dos slides de Hwee Tou Ng,

Leia mais

Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes

Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes Inteligência Artificial s Inteligentes s - Definição : entidade capaz de perceber e agir em um ambiente, comunicar-se com outros agentes, motivada por um conjunto de inclinações, que pode dispor de representação

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Prof. Rafael Stubs Parpinelli DCC / UDESC-Joinville parpinelli@joinville.udesc.br www.joinville.udesc.br/portal/professores/parpinelli www2.joinville.udesc.br/~coca/ Agentes Inteligentes:

Leia mais

Inteligência Artificial Escola de Verão 2008. Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC

Inteligência Artificial Escola de Verão 2008. Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC Inteligência Artificial Escola de Verão 2008 Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC www.lac.inpe.br/~demisio/ia_lac.html Agentes Inteligentes Agente: Qualquer coisa que pode: Agente

Leia mais

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco Sistemas Inteligentes Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco 1 Ao final desta aula a gente deve... Entender o que é um Agente Racional (inteligente)? Distinguir entre os vários tipos

Leia mais

Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell e Norvig

Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell e Norvig Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes Capítulo 2 Russell e Norvig Agentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores.

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Agenda O que é um Agente Como Definir Agentes Arquitectura dos Agentes 1 O que é um agente Em geral um agente é qualquer entidade que: Percebe seu ambiente

Leia mais

Agentes Inteligentes

Agentes Inteligentes Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Site: http://jeiks.net E-mail: jacsonrcsilva@gmail.com

Leia mais

Agentes inteligentes. Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação

Agentes inteligentes. Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação Agentes inteligentes Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação Resumo Agentes e ambientes Racionalidade Desempenho, ambiente, atuadores e sensores Tipos de ambientes Tipos de agentes Agentes

Leia mais

Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés

Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés Introdução Trabalhos Relacionados Abordagem Proposta Considerações Finais Conclusão Trabalhos Futuros 2 Agentes

Leia mais

Agentes Inteligentes. Módulo 02 27/02/2013. Inteligência Artificial. Profª Hemilis Joyse

Agentes Inteligentes. Módulo 02 27/02/2013. Inteligência Artificial. Profª Hemilis Joyse Agentes Inteligentes Módulo 02 1 Agente É tudo que pode ser considerado capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por intermédio de atuadores. 2 Agente Tabela parcial

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Faculdade Ieducare 7º Semestre Sistemas de Informação Professor: Rhyan Ximenes 1 Objetivos de hoje: Agentes Inteligentes 2 Revisão: Barr & Feigenbaum (1981) IA é a parte da ciência da computação que se

Leia mais

Aula 02a Agentes Inteligentes

Aula 02a Agentes Inteligentes Tópicos Aula 02a Agentes Inteligentes Prof. Dr. Alexandre da Silva Simões 1. Agentes: Conceitos básicos: função, programa, percepção, ações,... Relação entre comportamento e desempenho Racionalidade Autonomia

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial CTC15 Aula 1 CTC15 Aula 1 1 Motivação e orientações gerais Sumário O que é e para que serve IA Breve história e estado da arte Divisões em IA Bibliografia e organização do curso

Leia mais

TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO

TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO DE MÁQUINA Estudos Iniciais André Filipe de Moraes Batista Disciplina de Aprendizagem de Máquina UFABC 2010 TEORIA DOS JOGOS Ramo da matemática aplicada estuda situações

Leia mais

Resolução de problemas por meio de busca. Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3

Resolução de problemas por meio de busca. Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3 Resolução de problemas por meio de busca Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3 Agentes de resolução de problemas Agentes reagvos não funcionam em ambientes para quais o número de regras condição-

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 12 Aprendizado de Máquina Agentes Vistos Anteriormente Agentes baseados em busca: Busca cega Busca heurística Busca local

Leia mais

Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos

Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos Prof. Marcelo Henrique dos Santos O que é Inteligência Artificial? inteligência apresentada por uma entidade artificial (geralmente um computador); ramo da

Leia mais

Busca em Espaço de Estados

Busca em Espaço de Estados Busca em Espaço de Estados Jomi Fred Hübner jomi@inf.furb.br FURB / BCC Introdução 2 Agente orientado a meta O projetista não determina um mapeamento entre percepções e ações, mas determina que objetivo

Leia mais

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial Agentes Inteligentes (Capítulo 2 - Russell) Inteligência Artificial Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Ambiente de Tarefas 3. Exemplos de ambiente de Tarefas 4. Propriedades

Leia mais

Inteligência Artificial Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Prof. Kléber de Oliveira Andrade pdjkleber@gmail.com Agentes Inteligentes Definição Um agente é tudo que pode ser considerado como capaz de perceber seu ambiente

Leia mais

Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework

Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework Daniel Abella Cavalcante Mendonça de Souza daniel@abella.com.br Capítulo 1. Introdução Segundo Russel e Norvig [1], um

Leia mais

Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca

Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca 1) A* - Problema do metrô de Paris Suponha que queremos construir um sistema para auxiliar um usuário do metrô de Paris a saber o trajeto mais rápido

Leia mais

AGENTES E AMBIENTES. BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba

AGENTES E AMBIENTES. BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba AGENTES E AMBIENTES BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba AGENTE SITUADO Ênfase na visão de IA como agente situado e racional em um ambiente que consegue perceber por meio de sensores e

Leia mais

Identificação dos papeis de usuários

Identificação dos papeis de usuários Análise de usuário e tarefas Análise de usuários Identificação dos papeis de usuários Conhecer as diferentes funções que cada usuário deverá ter no sistema Cada papel possui um conjunto de tarefas Definir

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

Respostas dos Exercícios Cap. 2 Russell & Norvig

Respostas dos Exercícios Cap. 2 Russell & Norvig Respostas dos Exercícios Cap. 2 Russell & Norvig 1. (2.2) Uma medida de desempenho e utilizada por um observador externo para avaliar o sucesso de um agente. Uma função de utilidade e utilizada por um

Leia mais

Agentes Inteligentes. Qualquer coisa que pode: 1. Perceber seu ambiente através de sensores e

Agentes Inteligentes. Qualquer coisa que pode: 1. Perceber seu ambiente através de sensores e Agentes Inteligentes Agente: Qualquer coisa que pode: Agente 1. Perceber seu ambiente através de sensores e 2. Agir sobre ambiente através de atuadores. Características de um agente humano: Sensores: Olhos

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Comunicação entre Agentes

Comunicação entre Agentes Comunicação entre Agentes Bibliografia: Jacques Ferber, Multi-Agent Systems: An Introduction to Distributed Artificial Intelligence, Addison-Wesley, 1999. Weiss, G. - Multiagent Systems: A Modern Approach

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 2-1. PRINCÍPIOS DE SOFTWARE DE ENTRADA E SAÍDA (E/S) As metas gerais do software de entrada e saída é organizar o software como uma série de camadas, com as mais baixas preocupadas em esconder as

Leia mais

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet 1 de 5 22/7/2008 17:14 Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet Adriana Soares Pereira Cláudio Fernando Resin Geyer adriana@inf.ufrgs.br Resumo Este trabalho apresenta uma proposta de desenvolvimento

Leia mais

Artificial Intelligence, 14-15 1

Artificial Intelligence, 14-15 1 Artificial Intelligence, 14-15 1 Cap. 14: Incerteza Falta de informação suficiente. Conhecimento não completo ou não correto. Planos condicionais podem lidar com incerteza de forma limitada. Ex: Plano

Leia mais

IA: Busca Competitiva. Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

IA: Busca Competitiva. Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br IA: Busca Competitiva Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Introdução Árvores de Jogos Minimax Antecipação Limitada Poda Alfa-beta Introdução Jogos têm sido continuamente uma importante

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas e técnicas

Leia mais

Utilização de Agentes Inteligentes no desenvolvimento de um Jogo RPG para dispositivos móveis

Utilização de Agentes Inteligentes no desenvolvimento de um Jogo RPG para dispositivos móveis Utilização de Agentes Inteligentes no desenvolvimento de um Jogo RPG para dispositivos móveis Heitor de Sousa Miranda, Fernando Luiz de Oliveira Curso de Sistemas de Informação - CEULP/ULBRA Teotônio Segurado

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva

Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva Fabrício Jailson Barth Curso de Ciência da Computação Centro Universitário SENAC Maio de 2008 Sumário Características e Exemplos Histórico Árvore de busca Avaliação

Leia mais

Controlador de pontes rolantes. Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos. Soluções anteriores (clássicas): Manual. Automáticas:

Controlador de pontes rolantes. Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos. Soluções anteriores (clássicas): Manual. Automáticas: Controlador de pontes rolantes Pontes rolantes: usadas para carregar e descarregar navios em portos Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos pegam containers com cabos flexíveis montados na cabeça da ponte

Leia mais

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O C L E O W O L F F O que é Action Learning? Um processo que envolve um pequeno grupo/equipe refletindo e trabalhando em problemas reais, agindo e aprendendo enquanto atuam. FUN D A MEN T OS D O ACTION LEARNING

Leia mais

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL É hora de promover a segurança e a harmonia no trânsito. E os pais podem dar o exemplo. No Brasil, o índice

Leia mais

Inteligência Artificial - IA. Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial - IA. Agentes Inteligentes Agentes Inteligentes 1 O que é pensar racionalmente? Segundo Aristóteles: pensar racionalmente é um processo de raciocínio irrefutável. Argumentos que resultam em conclusões corretas ao receberem premissas

Leia mais

FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA

FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA ESCRITO POR Zachary Yorke Jess Greenwood PUBLICADO Junho 2014 RESUMO Os fãs de esportes sempre gritaram para a tela e pularam do sofá com o barulho da multidão. Hoje em

Leia mais

Avaliação de Interfaces Humano- Computador

Avaliação de Interfaces Humano- Computador Avaliação de Interfaces Humano- Computador Classificação de métodos de avaliação Inspeção de usabilidade Não envolve usuários Usado em qualquer fase do desenvolvimento do sistema Testes de usabilidade

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva

Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva Jogos de Tabuleiro e Busca Competitiva Fabrício Jailson Barth BandTec Março de 2012 Sumário Características e Exemplos Histórico Árvore de busca Avaliação Estática Algoritmo Min Max Poda Alpha Beta Questões

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS

IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS Aluno: Maurício Pedro Silva Gonçalves Vieira Orientador: Karla Figueiredo Introdução Uma partida de futebol robótico

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 Desenvolver juntamente aos professores, alunos, equipe diretiva e demais participantes atividades que auxiliem no uso do aplicativo KlogoTurtle e KPresenter assim os

Leia mais

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA 1 CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA Quando nos tornamos mãe, sem dúvida nenhuma é a melhor coisa desse mundo. Nossos filhos nascem, curtimos muito eles, nos dedicamos exclusivamente e chega uma hora que

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Fonte: José Francisco Salm Junior (Diretor de Engenharia de Sistemas Instituto Stela) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Leia mais

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Meu nome é Maria Bonita, sou mulher de Vírgulino Ferreira- vulgo Lampiãofaço parte do bando de cangaceiros liderados por meu companheiro.

Leia mais

Usando o do-file editor Automatizando o Stata

Usando o do-file editor Automatizando o Stata Usando o do-file editor Automatizando o Stata 1 O QUE É O EDITOR DE DO-FILE O Stata vem com um editor de texto integrado, o do-file editor (editor de do-files, em português), que pode ser usado para executar

Leia mais

Parent Academy October 2011 Elementary Office Camila Miranda

Parent Academy October 2011 Elementary Office Camila Miranda Lidando com emoções e frustrações criando um processo de tomada de decisão positivo Parent Academy October 2011 Elementary Office Camila Miranda O que é frustração? Estado emocional desagradável que advém

Leia mais

Baidu Spark Browser. Documento de Especificação de Requisitos de Software

Baidu Spark Browser. Documento de Especificação de Requisitos de Software Baidu Spark Browser Documento de Especificação de Requisitos de Software Campus Party Brasil 2014 Desafio Baidu Quero um estágio na China Autor: Thiago Pinheiro Silva E-mail: eu@thiageek.com.br Índice

Leia mais

CTC-17 Inteligência Artificial Problemas de Busca. Prof. Paulo André Castro pauloac@ita.br

CTC-17 Inteligência Artificial Problemas de Busca. Prof. Paulo André Castro pauloac@ita.br CTC-17 Inteligência Artificial Problemas de Busca Prof. Paulo André Castro pauloac@ita.br www.comp.ita.br/~pauloac Sala 110, IEC-ITA Sumário Agentes que buscam soluções para problemas: Exemplo Tipos de

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Prática 19 e 20 Características de um bom jogo

Prática 19 e 20 Características de um bom jogo Prática 19 e 20 Características de um bom jogo 1. Objetivos Estudar os elementos essenciais no desenvolvimento de jogos Desenvolver um jogo em Flash 2. Recursos Necessários Computador com o programa Macromedia

Leia mais

Lean Seis Sigma e Benchmarking

Lean Seis Sigma e Benchmarking Lean Seis Sigma e Benchmarking Por David Vicentin e José Goldfreind O Benchmarking elimina o trabalho de adivinhação observando os processos por trás dos indicadores que conduzem às melhores práticas.

Leia mais

No mundo real, info pode ser incorreta ou incompleta. Incompleta: o agente pode não saber onde está o leite.

No mundo real, info pode ser incorreta ou incompleta. Incompleta: o agente pode não saber onde está o leite. Sistemas Inteligentes, 12-13 1 Cap. 13 Geração de Planos e Ações No mundo real, info pode ser incorreta ou incompleta. Incompleta: o agente pode não saber onde está o leite. Incorreta: preço do leite pode

Leia mais

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Solução de Despacho Integrada. Manual do Usuário

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Solução de Despacho Integrada. Manual do Usuário Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes Solução de Despacho Integrada Manual do Usuário Índice Solução de Despacho Integrada... O que é necessário para ter a Solução de Despacho Integrada...

Leia mais

Indicadores Como e Por que? Por Vitor Hugo De Castro Cunha

Indicadores Como e Por que? Por Vitor Hugo De Castro Cunha Indicadores Como e Por que? Por Vitor Hugo De Castro Cunha A VH2C adota como principio básico de gestão a simplificação dos processos, para que as pessoas os entendam e executem com maior precisão e satisfação.

Leia mais

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social instituto fonte... Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social e a arte de neles intervir. Buscamos potencializar a atuação de iniciativas sociais,

Leia mais

Técnicas de IA Aplicadas à Resolução de Problemas. mauro@inf.ufsc.br http://www.inf.ufsc.br/~mauro

Técnicas de IA Aplicadas à Resolução de Problemas. mauro@inf.ufsc.br http://www.inf.ufsc.br/~mauro INE5430 Inteligência Artificial Ementa Técnicas de IA Aplicadas à Resolução de Problemas. IA Simbólica e Não Simbólica Professor Mauro Roisenberg mauro@inf.ufsc.br http://www.inf.ufsc.br/~mauro (C) - Prof.

Leia mais

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais.

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. MICROSOFT WINDOWS O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. Apresentaremos a seguir o Windows 7 (uma das versões do Windows)

Leia mais

SIMULAÇÃO DE TRÁFEGO DE VEÍCULOS INTELIGENTES PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES

SIMULAÇÃO DE TRÁFEGO DE VEÍCULOS INTELIGENTES PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES SIMULAÇÃO DE TRÁFEGO DE VEÍCULOS INTELIGENTES PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES Leonardo T. Antunes 1, Ricardo R. Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leonardo_tada@hotmail.com, ricardo@unipar.br

Leia mais

Prática no Laboratório de Informática: Jogos no Programa Mais Educação

Prática no Laboratório de Informática: Jogos no Programa Mais Educação Prática no Laboratório de Informática: Jogos no Programa Mais Educação Escola Municipal de Ensino Fundamental Madre Teresa Laboratório com 18 máquinas com sistema operacional Linux Educacional Turma Mista

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft OneNote 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Alterne entre a entrada por toque

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Notas possíveis para esta questão: Zero ; 3 pontos; 6 pontos ou 10 pontos. Olimpíada Brasileira de Robótica 2014 2/6

Notas possíveis para esta questão: Zero ; 3 pontos; 6 pontos ou 10 pontos. Olimpíada Brasileira de Robótica 2014 2/6 GABARITO Todas as questões devem receber uma nota entre 0 (menor nota) e 10 (maior nota). Questões podem ter mais de uma resposta A prova do seu aluno deve receber uma pontuação entre 0 e 100. Não se esqueça

Leia mais

Updates. Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS. Updates do Desafio do Robô FLL WORLD CLASS

Updates. Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS. Updates do Desafio do Robô FLL WORLD CLASS Updates da Pesquisa FLL WORLD CLASS 2 ANIMAIS Para escrever a sua Questão da FLL WORLD CLASS, seu time precisa escolher um tópico em que uma PESSOA possa aprender. Tudo bem se há um animal envolvido em

Leia mais

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Empresas e outras organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus

Leia mais

Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas

Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas 1 Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas Anita Maria da R. Fernandes Daniel de Oliveira Helton Machado Kraus Universidade do Vale do Itajaí Universidade do Vale do Itajaí Universidade

Leia mais

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores Autor: José Augusto Manzano Capítulo 1 Abordagem Contextual 1.1. Definições Básicas Raciocínio lógico depende de vários fatores para

Leia mais

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial Aluno: André Faria Ruaro Professores: Jomi F. Hubner e Ricardo J. Rabelo 29/11/2013 1. Introdução e Motivação 2.

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 02 Análise e Projeto OO Edirlei Soares de Lima Análise A análise modela o problema e consiste das atividades necessárias para entender

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 28 Revisão para a Prova 2 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 28-28/07/2006 1 Matéria para a Prova 2 Gestão de projetos de software Conceitos (Cap. 21) Métricas (Cap.

Leia mais

Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell & Norvig

Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell & Norvig Agentes Inteligentes Capítulo 2 Russell & Norvig Agentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. Exemplos Agente humano

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing)

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Transforme suas comunicações mais lidas em participações multicanais altamente direcionadas que reduzem custos, aumentam a satisfação do cliente e geram

Leia mais

Pete Goodliffe. Novatec

Pete Goodliffe. Novatec Pete Goodliffe Novatec Authorized Portuguese translation of the English edition of Becoming a Better Programmer, ISBN 9781491905531 2014 Pete Goodliffe. This translation is published and sold by permission

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE JOGOS: FERRAMENTA ELETRÔNICA PARA ENSINO DA RESOLUÇÃO DO CUBO DE RUBIK

CONSTRUÇÃO DE JOGOS: FERRAMENTA ELETRÔNICA PARA ENSINO DA RESOLUÇÃO DO CUBO DE RUBIK CONSTRUÇÃO DE JOGOS: FERRAMENTA ELETRÔNICA PARA ENSINO DA RESOLUÇÃO DO CUBO DE RUBIK Resumo: César Augusto Goulart Universidade Estadual do Centro-Oeste, bolsista de iniciação cientifica PIBIC/FA goulart.cesaraugusto@gmail.com

Leia mais

USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI.

USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI. USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI. Resumo João Paulo Fernandes da Silva¹, Willame Balbino Bonfim 1. joaopauloibge@hotmail.com

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi Design Digital MB3

Universidade Anhembi Morumbi Design Digital MB3 Universidade Anhembi Morumbi Design Digital MB3 FELIPE GIORDANO FERNANDO THOMÉ GABRIEL OLIVEIRA GIOVANNA ZANETTIM PITTER MARQUES RODRIGO CHISTÉ TOMMY KEPPK São Paulo 2010/1 Introdução A partir do tema

Leia mais

Como Processos Criam Valor?

Como Processos Criam Valor? Como Processos Criam Valor? Eu comecei este Advisor há um mês. Li um artigo sobre processos e valor que pensei estar inadequado e decidi ver se eu poderia disponibilizar uma descrição mais clara e compreensível.

Leia mais

POR QUE UM PROBLEMA EM MEU MOTOR MUITAS VEZES AFETA O FUNCIONAMENTO DA MINHA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA?

POR QUE UM PROBLEMA EM MEU MOTOR MUITAS VEZES AFETA O FUNCIONAMENTO DA MINHA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA? POR QUE UM PROBLEMA EM MEU MOTOR MUITAS VEZES AFETA O FUNCIONAMENTO DA MINHA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA? De repente, minha transmissão não está mais funcionando direito... E eu acabei de revisá-la estes dias!

Leia mais

Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação

Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação Escolha do tópico O que um aluno entre 14 e 18 anos acharia de interessante neste tópico? Que aplicações / exemplos do mundo real podem ser

Leia mais

INF1771 - INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL TRABALHO 2 LÓGICA

INF1771 - INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL TRABALHO 2 LÓGICA INF1771 - INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL TRABALHO 2 LÓGICA Descrição: Para tornar-se um Mestre Pokémon é necessário aventurar-se por locais desconhecidos e capturar todos os 150 pokémons que habitam o Continente

Leia mais

Casos de teste semânticos. Casos de teste valorados. Determinar resultados esperados. Gerar script de teste automatizado.

Casos de teste semânticos. Casos de teste valorados. Determinar resultados esperados. Gerar script de teste automatizado. 1 Introdução Testes são importantes técnicas de controle da qualidade do software. Entretanto, testes tendem a ser pouco eficazes devido à inadequação das ferramentas de teste existentes [NIST, 2002].

Leia mais

Novos sistemas mecatrônicos embarcados

Novos sistemas mecatrônicos embarcados CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Engenharia Mecatrônica - 1º período Novos sistemas mecatrônicos embarcados Prof.: Renato de Souza Dâmaso Henrique Reis João Henrique Luiz Gustavo

Leia mais