Capacitância C = Q / V [F]

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capacitância C = Q / V [F]"

Transcrição

1 Capacitância Na figura abaixo, como exemplo, tem-se duas placas paralelas, feitas de um material condutor e separadas por um espaço vazio. Essas placas estão ligadas a uma fonte de tensão contínua através de uma resistência e uma chave. Se as placas estão inicialmente descarregadas, e chave permanecer aberta, elas permanecerão descarregadas. No momento em que a chave é fechada, cargas positivas começam a se acumular na placa superior, enquanto cargas negativas se acumulam na placa inferior, devido à diferença de potencial fornecida pela bateria. O deslocamento das cargas da bateria para as placas gera uma corrente inicialmente elevada, limitada somente pela resistência. Com o tempo, porém, a corrente diminui. Essa transferência de cargas continua até que a tensão entre as placas seja igual a da fonte. O resultado final é um acúmulo de cargas positivas em um placa e de cargas negativas na outra. Esse elemento constituído pelas placas paralelas isoladas, é chamado capacitor. A quantidade de carga que um capacitor pode armazenar (acumular), a partir de uma tensão aplicada entre as duas placas, é chamada de capacitância. Por definição, o acúmulo de 1 coulomb de carga para 1 volt de tensão aplicada, corresponde a 1 faraday de capacitância, em homenagem ao físico inglês do século XIX Michael Faraday. Assim, a definição matemática de capacitância é: C = Q / V [F]

2 Como a aplicação de tensão entre as placas faz com que haja um acúmulo de cargas nelas, haverá entre elas, um campo elétrico. Sendo as placas paralelas, esse campo elétrico no interior do capacitor é uniforme. A partir da definição matemática de campo elétrico e potencial elétrico, se uma tensão V é aplicada entre duas placas paralelas separadas por uma distância d, temos: E = V / d onde d é a distância entre as placas paralelas e E é o módulo do campo elétrico. Por esse motivo, o campo elétrico também pode ser expresso na unidade [V/m], também aceito no SI. Diferentes valores de capacitância podem ser obtidos para o mesmo par de placas paralelas submetidas à mesma tensão. Isso é feito inserindo materiais isolantes entre as placas. Esses materiais possuem uma maior rigidez dielétrica, tensão elétrica necessária para romper a característica isolante do meio. Esses meios isolantes são geralmente chamados de dielétricos. A quantificação dessa capacidade isolante de cada material é chamada permissividade elétrica, e tem como definição a razão entre a densidade de fluxo (D = Φ/A) pelo campo elétrico (E), logo: ε = D / E Aplicando a Lei de Gauss na equação acima: ε= D E = Φ/ A V /d = Q/ A V /d = CA d ou seja:

3 C=ε A d A permissividade elétrica do vácuo (representada por ε 0 ) é 8,85x10-12 F/m. Para outros materiais, é comum expressar a permissividade relativa ε r = ε/ε 0. Alguns valores típicos de permissividade e de rigidez dielétrica para materiais conhecidos é: onde Mil = 0,001 polegada. Exemplo: para o capacitor da figura abaixo, calcule (a) a capacitância, (b) a intensidade do campo elétrico quando submetido a uma tensão de 450 V e (c) a carga resultante acumulada nas placas. Por ser um componente típico de circuitos elétricos, os capacitores possuem um símbolo para representá-los em diagramas de circuitos:

4 Quando o capacitor está carregado, uma corrente causada por elétrons livres, flui de uma placa para outra. Normalmente essa corrente é tão pequena que pode ser ignorada em aplicações práticas. Há alguns capacitores, entretanto, que permitem a passagem de correntes de fuga consideravelmente altas, como os capacitores eletrolíticos, que se descarregam em poucos segundos, mesmo desconectados de um circuito elétrico. Circuitos capacitivos Examinando de perto o processo de carregamento do capacitor, é interessante saber como a carga q do capacitor, a tensão em seus terminais e a corrente enquanto ele está sendo carregado variam com o tempo. Examinando o circuito acima, quando posicionamos a chave na posição 1, pode-se a aplicar a LTK no sentido horário: E Ri V C =0 E Ri q C =0 Sabendo-se que i = dq/dt: R dq dt + q C =E dq dt + q = E R que resulta em uma equação diferencial de primeira ordem que descreve a variação da carga no capacitor com relação ao tempo. Para resolvê-la, é preciso achar q(t) que satisfaz a equação, considerando que o capacitor estava inicialmente descarregado (q = 0 para t = 0).

5 A solução geral dessa equação (a ser demonstrada na disciplina Equações Diferenciais e Ordinárias) é da forma: q=q p +K e at onde q p é uma solução particular da equação diferencial, K é uma constante a ser determinada a partir das condições iniciais e a = 1/ é o coeficiente de q na EDO anterior. Fazendo dq/dt = 0 na EDO (solução final de equilíbrio), tem-se q p = CE. Para obter K, usa-se a condição inicial do problema q = 0 para t = 0 na equação anterior: 0 = CE + K logo K = -CE Substituindo os valores de q p, K e a: q=ce CE e t q=ce(1 e t ) que satisfaz as condições inicial (t = 0) e final (t ). Derivando a equação acima com relação ao tempo: dq dt =CE d(1 e t ) dt t e i= CE i= E R e t O fator é chamado de constante de tempo do sistema: = ( V I )( Q V ) = ( 1 Q/t )( Q 1 ) =t

6 Para circuitos, essa constante é geralmente simbolizada com a letra grega τ (τ = ) com unidade em segundos. Analisando a expressão para a corrente em termos práticos, a corrente contínua no capacitor é praticamente zero (menos de 1% do valor inicial) para 5 constantes de tempo (5τ). Manipulando a solução da EDO para se obter a expressão da tensão, temos: q=ce(1 e t ) CV C =CE(1 e t ) V C =E (1 e t ) Comparando com a expressão da corrente, percebe-se que essa função é crescente, com valor inicial zero e valor final E. Traçando os gráficos da corrente e tensão em função da constante de tempo: Exemplo: Encontre as expressões matemáticas para os valores de V C, i C e V R em função do tempo no circuito da figura abaixo quando a chave é colocada na posição 1. Quanto tempo deve-se passar para que a corrente possa ser considerada nula (5τ)?

7 Para o primeiro circuito apresentado, depois da fase de carga do capacitor (i = 0), quando posicionamos a chave na posição 2 temos um circuito formado apenas pelo capacitor e o resistor. Nesse instante, o capacitor irá se descarregar com a mesma constante de tempo τ =. A tensão nos terminais do capacitor, aplicadas ao resistor, dará origem a uma corrente elétrica. Se a tensão armazenada no capacitor for igual a da bateria, a expressão para a tensão no capacitor para a chave na posição 2 será: V C =E e t Essa função tem uma curva semelhante à da corrente na fase de carga. Durante a fase de descarga, a corrente i C também diminui com o tempo, de acordo com a seguinte equação: i C = E R e t Como as equações acima possuem a mesma constante de tempo, o capacitor pode, em termos prático, ser considerado descarregado depois de 5τ segundos. Se a chave do circuitos for colocada nas posições 1 e 2 sucessivamente a cada 5τ segundos, temos as curvas:

8 Exemplo: Para o circuito da figura abaixo, (a) encontre a expressão matemática para a tensão nos terminais do capacitor se a chave for colocada na posição 1 em t = 0s. (b) Repita o item para i C. (c) Encontre as expressões matemáticas para v C e i C se a chave for colocada na posição 2 depois de 30 ms (suponha que não há corrente de fuga). (d) Encontre as expressões matemáticas para a tensão v C e a corrente i C se a chave for colocada na posição 3 em t = 48 ms. (e) Represente graficamente as expressões obtidas nos itens anteriores em função do tempo. (a) τ = R 1 C = 5 ms

9 V C =E (1 e t τ )=10(1 e 5 x10 3 ) [V] t (b) i C = E R e t τ =10 4 e t 5 x10 3 [A] (c) v C = 10 V e i C = 0 A (d) τ = R 2 C = 10 ms V C =E e t τ =10 e 10 x 10 3 [V] i C = E R 2 e t τ = (0,05 x 10 3 )e t t 10 x10 3 [A] (e) i Se um capacitor já possui uma tensão inicial (ou uma carga inicial) no momento em que ele é ligado a uma fonte de tensão, essa tensão deve ser levada em consideração na expressão da tensão durante o carregamento do capacitor. V C =V i +(V f V i )(1 e t τ )=V f +(V i V f )e t τ

10 Para esse caso mais genérico, cada uma das fases da tensão do capacitor recebe um nome: A corrente i C. A partir da expressão da capacitância com relação à tensão e carga no capacitor: C=Q/V Q=CV Derivando ambos os lados da equação em relação ao tempo: dq dt = d dt (CV ) i C =C dv dt A equação acima mostra que a corrente no capacitor é proporcional à variação da tensão em seus terminais. Quando a tensão é constante (regime permanente para tensão contínua) a corrente é nula. Essa expressão é de grande importância quando os circuitos forem alimentados por tensões alternadas. A energia armazenada por um capacitor é dada por: W C = P dt= Vi dt= 1 2 CV 2 [J] Que pode ser escrita em termos da carga acumulada em suas placas:

11 W C = 1 2 CV 2 = 1 2 C (Q/C)2 = Q2 2 C [J] Que é a energia acumulada pelo capacitor em seu campo elétrico. Associação de capacitores Através de uma análise simples das expressões da capacitância, envolvendo as tensões e cargas dos capacitores, além de usar as leis de Kirchhoff, é possível determinar o valor de uma capacitância equivalente para uma associação em série e paralelo de capacitores. Para capacitâncias em série, a associação equivale a uma única capacitância cujo inverso do valor é a soma dos inversos das capacitâncias individuais: 1 C T = 1 C C C n Para capacitores em paralelo, a capacitância equivalente será a soma das capacitâncias: C T =C 1 +C 2 + +C n Tipos de capacitores Alguns dos tipos mais comuns de capacitores são os de mica, cerâmica, eletrolítico, de tântalo e de filme de poliéster. Mica É constituído basicamente por placas de mica separadas por folhas de metal (placas metálicas paralelas). A área total do capacitor é a área de uma das lâminas metálicas multiplicada pelo número de lâminas. Sua rigidez dielétrica é da ordem de V/mil e uma corrente de fuga extremamente baixa. Seus valores típicos variam de alguns pf a 0,2 μf e tensões de trabalho de 100 V ou mais. Devido a sua estabilidade, mesmo quando submetidos a grande variação de temperatura e altas tensões, esse

12 tipo de capacitor é geralmente utilizado em aplicações de altas frequências, tais como instrumentação e transmissão. Cerâmica Existem várias formas e tamanhos diferentes de capacitor de cerâmica, porém, sua estrutura básica é praticamente a mesma para todos eles: camadas metálicas de cobre ou prata são depositadas nos dois lados de uma base de cerâmica. Eles também possuem uma corrente de fuga muito baixa e podem ser usados em circuitos de corrente alternada ou contínua. Eles podem ser encontrados com valores que vão de alguns poucos picofarads até cerca de 2 μf, e com tensões de trabalho extremamente altas, como V ou mais. Monolíticos Com a miniaturização dos circuitos eletrônicos, surgiu a necessidade de capacitores muito pequenos, os capacitores monolíticos. Eles têm sempre o mesmo tamanho e têm a capacitância controlada pelo tipo de cerâmica utilizada como dielétrico. Seus valores são geralmente muito pequenos, não passando de alguns nanofarads. Eletrolíticos São frequentemente usados em situações que exigem alta capacitância, na ordem de milifarads. Esse capacitor é normalmente empregado em circuitos de corrente contínua, porque apresenta boas características de isolamento quando a tensão é aplicada com uma certa polaridade, mas se comporta como um curto quando a tensão é aplicada com a polaridade invertida. A estrutura básica de um capacitor eletrolítico consistem em um rolo de folha de alumínio com uma face coberta por óxido de alumínio. O alumínio é a placa positiva e o óxido é o dielétrico. Outra folha de alumínio, sem a cobertura de óxido, é colocada sobre a camada para formar a placa negativa. Devido a necessidade de se conhecer a polaridade do capacitor eletrolítico, o símbolo desse capacitor é diferenciado (como mostrado anteriormente).

13 Esses capacitores costumam apresentar baixa tensão de ruptura e correntes de fuga relativamente altas. Tântalo Formado por pó de tântalo (Ta) de alta pureza compactado. Devido ao processo de fabricação e das características do tântalo, o resultado é um capacitor com polaridade, com baixa corrente de fuga baixa tensão de ruptura. Suas principais aplicações envolvem sinais elétricos com alta frequência, sendo usado em filtros de alta frequência.

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Resistência, Indutância e Capacitância Resistor: permite variações bruscas de corrente e tensão Dissipa energia Capacitor:

Leia mais

CAPITULO 1 0 CAPACITORES Campo Elétrico:

CAPITULO 1 0 CAPACITORES Campo Elétrico: CAPITULO 10 CAPACITORES O capacitor, assim como o indutor, são componentes que exibem seu comportamento característico quando ocorrem variações de tensão ou corrente no circuito em que se encontram. Alem

Leia mais

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta 1 Sumário Capacitor Indutor 2 Capacitor Componente passivo de circuito. Consiste de duas superfícies condutoras separadas por um material não condutor

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Lei de Ohm Última Aula Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Associação de Resistores Análise

Leia mais

Teo. 9 - Capacitância

Teo. 9 - Capacitância Teo. 9 - apacitância 9. Introdução Uma das importantes aplicações da Eletrostática é a possibilidade de construir dispositivos que permitem o armazenamento de cargas elétricas. Esses dispositivos são chamados

Leia mais

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO MÓDULO I ELETRICIDADE BÁSICA TURNO NOITE CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA EIXO TECNOLÓGICO CONTROLE

Leia mais

Capacitância e Dielétricos

Capacitância e Dielétricos Capacitância e Dielétricos 1 Um capacitor é um sistema constituído por dois condutores separados por um isolante (ou imersos no vácuo). Placas condutoras Carga elétrica Isolante (ou vácuo) Símbolos Em

Leia mais

Experiência 05: TRANSITÓRIO DE SISTEMAS RC

Experiência 05: TRANSITÓRIO DE SISTEMAS RC ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

GrandezasElétricase Principais Dispositivos

GrandezasElétricase Principais Dispositivos GrandezasElétricase Principais Dispositivos Vasos comunicantes podem ser uma analogia. Site Condutores, Isolantes e Semicondutores Lei de Ohm Resistor Resistor Um resistor é um componente que fornece

Leia mais

Indução Magnética. E=N d Φ dt

Indução Magnética. E=N d Φ dt Indução Magnética Se uma bobina de N espiras é colocada em uma região onde o fluxo magnético está variando, existirá uma tensão elétrica induzida na bobina, e que pode ser calculada com o auxílio da Lei

Leia mais

Cap. 5. Capacitores e Dielétricos

Cap. 5. Capacitores e Dielétricos Cap. 5. Capacitores e Dielétricos 1 5.1. Definição de Capacitância Um capacitor consiste de dois condutores em oposição, separados por um meio isolante (dielétrico) e possuindo cargas de mesmo módulo mas

Leia mais

Apostila de Física 36 Capacitores

Apostila de Física 36 Capacitores Apostila de Física 36 Capacitores 1.0 Definições Na presença de um condutor neutro, um condutor eletrizado pode armazenar mais cargas elétricas com o mesmo potencial elétrico. Capacitor ou condensador

Leia mais

Identifique, no circuito, o sinal da carga em cada uma das placas do capacitor

Identifique, no circuito, o sinal da carga em cada uma das placas do capacitor CIRCUITO RC INTRODUÇÃO Considere o circuito mostrado na Fig. 1 com a chave S na posição intermediária entre A e B e o capacitor C inicialmente descarregado. Se a chave S for fechada em A, a fonte ε alimentará

Leia mais

Capacitância Objetivos:

Capacitância Objetivos: Capacitância Objetivos: A natureza dos capacitores e como determinar a quantidade que mede sua habilidade de armazenar carga? Com os capacitores de comportam em circuitos? Como determinar a quantidade

Leia mais

Elementos de circuito Circuito é a interligação de vários elementos. Estes, por sua vez, são os blocos básicos de qualquer sistema

Elementos de circuito Circuito é a interligação de vários elementos. Estes, por sua vez, são os blocos básicos de qualquer sistema Elementos de circuito Circuito é a interligação de vários elementos. Estes, por sua vez, são os blocos básicos de qualquer sistema Um elemento pode ser ativo (capaz de gerar energia), passivo (apenas dissipam

Leia mais

Cap. 4 - Capacitância e Dielétricos

Cap. 4 - Capacitância e Dielétricos Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Física Física III 2014/2 Cap. 4 - Capacitância e Dielétricos Prof. Elvis Soares Nesse capítulo, estudaremos o conceito de capacitância, aplicações de

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

CONDUTORES E ISOLANTES

CONDUTORES E ISOLANTES ELETRICIDADE CONDUTORES E ISOLANTES O FÍSICO INGLÊS STEPHEN GRAY PERCEBEU QUE ALGUNS FIOS CONDUZIAM BEM A ELETRICIDADE E CHAMOU-OS DE CONDUTORES E, AOS QUE NÃO CONDUZIAM OU CONDUZIAM MAL A ELETRICIDADE,

Leia mais

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ]

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ] Corrente elétricas A partir do modelo atômico de Bohr, que o define pela junção de prótons, nêutrons e elétrons, é possível explicar a alta condutividade dos metais, devida à presença dos elétrons livres.

Leia mais

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Prof. Dr. Vicente Barros Conteúdo 11 - Energia eletrostática e capacitância. Conteúdo 12- Capacitores. Antes uma revisão Existe o famoso triângulo das equações

Leia mais

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS

Capacitância. Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitância Prof. Fernando G. Pilotto UERGS Capacitores O capacitor é um dispositivo prático para o armazenamento de energia elétrica. Os flashs de máuinas fotográficas e os desfibriladores médicos usam

Leia mais

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos

Eletrostática: Capacitância e Dielétricos Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Santa Catarina Campus São José Área de Telecomunicações ELM20704 Eletromagnetismo Professor: Bruno Fontana da Silva 2014-2 Eletrostática:

Leia mais

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em:

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: 25042016 CAPACDADE E CONDENSADORES And«CONDENSADORES São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: Recetores de radio Dispositivos de armazenamento com flash Desfibrilhadores,

Leia mais

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A.

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A. 1. Seja o circuito elétrico apresentado, onde R = ohms. A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c),0 A. d) 4,0 A.. Um circuito de malha dupla

Leia mais

Eletromagnetismo - Instituto de Pesquisas Científicas AULA 06 - CAPACITÂNCIA

Eletromagnetismo - Instituto de Pesquisas Científicas AULA 06 - CAPACITÂNCIA ELETROMAGNETISMO AULA 06 - CAPACITÂNCIA Vamos supor que temos duas placas paralelas. Uma das placas está carregada positivamente enquanto que a outra está carregada negativamente. Essas placas estão isoladas

Leia mais

Elementos de Circuitos Elétricos

Elementos de Circuitos Elétricos Elementos de Circuitos Elétricos Corrente e Lei de Ohm Consideremos um condutor cilíndrico de seção reta de área S. Quando uma corrente flui pelo condutor, cargas se movem e existe um campo elétrico. A

Leia mais

CIRCUITOS COM CAPACITORES

CIRCUITOS COM CAPACITORES CIRCUITOS COM CAPACITORES 1. (Ufpr 13) Considerando que todos os capacitores da associação mostrada na figura abaixo têm uma capacitância igual a C, determine a capacitância do capacitor equivalente entre

Leia mais

Se no terminal b do circuito for conectado um terceiro componente, como na figura abaixo, os resistores R 1 e R 2 não estarão mais em série.

Se no terminal b do circuito for conectado um terceiro componente, como na figura abaixo, os resistores R 1 e R 2 não estarão mais em série. Circuitos em Série Um circuito consiste em um número qualquer de elementos unidos por seus terminais, com pelo menos um caminho fechado através do qual a carga possa fluir. Dois elementos de circuitos

Leia mais

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica : engenharia / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 50 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Eletrotécnica.

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas.

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas. CAMPO ELÉTRICO Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Campo Elétrico Criado por cargas elétricas. Representado por linhas de campo. Grandeza

Leia mais

1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE

1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE Professor (a): PAULO Disciplina FÍSICA Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015 1ª LISTA DE FÍSICA 1º BIMESTRE 1) Uma descarga elétrica ocorre entre uma nuvem que está a 2.000 m de altura do solo. Isso acontece

Leia mais

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância.

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância. apacitância Dois condutores (chamados de armaduras) carregados formam um capacitor ue, uando carregado, faz com ue os condutores tenham cargas iguais em módulo e sinais contrários. Q e V são proporcionais

Leia mais

Capítulo 27: Circuitos

Capítulo 27: Circuitos Capítulo 7: Circuitos Índice Força letromotriz Trabalho, nergia e Força letromotriz Calculo da Corrente de um Circuito de uma Malha Diferença de Potencial entre dois Pontos Circuitos com mais de uma Malha

Leia mais

( 1) FIS Projeto de Apoio Eletromagnetismo. 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores. Ceq. = k. ΔV é igual para os dois capacitores e sendo.

( 1) FIS Projeto de Apoio Eletromagnetismo. 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores. Ceq. = k. ΔV é igual para os dois capacitores e sendo. FIS1053 - Projeto de Apoio Eletromagnetismo 5ª Lista de Problemas Tema: Capacitores 1ª Questão: Dois capacitores, de capacitância C1=4μF e C=1 μf, estão ligados em série a uma bateria de 1 V. Os capacitores

Leia mais

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Jean Jaspion CAPACITORES. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( )

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Professor(a): Jean Jaspion CAPACITORES. Segmento temático: Turma: A ( ) / B ( ) Professor(a): Jean Jaspion LISTA: 01 2ª série Ensino Médio Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Segmento temático: QUESTÃO 01 (UEPG PR/2015) Capacitores são dispositivos elétricos amplamente utilizados em aparelhos

Leia mais

Análise da composição de capacitores comerciais

Análise da composição de capacitores comerciais Roteiro Experimental n 3 COMPONENTES DA EQUIPE: NOTA: Data: / / 1. OBJETIVOS: Conhecer diversos tipos de capacitores comerciais; Analisar a influência dos materiais na fabricação de capacitores; Comparar

Leia mais

CAPACITORES Profº João Escalari DP ESQ

CAPACITORES Profº João Escalari DP ESQ 1. Três esferas condutoras de raios R, 3R e 5R e eletrizadas, respectivamente, com quantidade de cargas iguais a - 15 C, - 30 C e + 13 C estão muito afastadas entre si. As esferas são então interligadas

Leia mais

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é:

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é: Circuitos Elétricos Para fazer passar cargas elétricas por um resistor, precisamos estabelecer uma diferença de potencial entre as extremidades do dispositivo. Para produzir uma corrente estável é preciso

Leia mais

Tempo de Carga e Descarga de um Capacitor

Tempo de Carga e Descarga de um Capacitor Capacitores Capacitor É um componente constituído por dois condutores separados por um isolante: os condutores são chamados armaduras (ou placas) do capacitor e o isolante é o dielétrico do capacitor.

Leia mais

Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores. Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1

Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores. Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1 Potencial Elétrico, Dielétricos e Capacitores Eletricidade e magnetismo - potencial elétrico, dielétricos e capacitores 1 Potencial elétrico O campo elétrico é um campo de forças conservativo: Se, por

Leia mais

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda,

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda, 25-1 Capacitância Capacitor é um dispositivo usado para armazenar energia elétrica. As pilhas de uma máquina fotográfica, por exemplo, armazenam a energia necessária para disparar um flash, carregando

Leia mais

Programa de engenharia biomédica

Programa de engenharia biomédica Programa de engenharia biomédica princípios de instrumentação biomédica COB 781 Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1 2.1 - Resistores lineares e invariantes...1 2.1.1 - Curto

Leia mais

Cap. 1 Princípios da Eletrostática

Cap. 1 Princípios da Eletrostática Cap. 1 Princípios da Eletrostática Instituto Federal Sul-rio-grandense Curso Técnico em Eletromecânica Disciplina de Eletricidade Básica Prof. Rodrigo Souza Sumário 1 - Princípios da Eletrostática 1.1

Leia mais

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas Universidade Federal de São João del-rei Material Teórico de Suporte para as Práticas 1 Amplificador Operacional Um Amplificador Operacional, ou Amp Op, é um amplificador diferencial de ganho muito alto,

Leia mais

CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM. Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri

CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM. Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri 25 - CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM PARALELO: Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri 1 Solução: Primeiro se calcula a resistência equivalente

Leia mais

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta.

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta. Exercícios Parte teórica Exercício 1) Uma esfera carregada, chamada A, com uma carga 1q, toca sequencialmente em outras 4 esferas (B, C, D e E) carregadas conforme a figura abaixo. Qual será a carga final

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (Eletromagnetismo) Nos capítulos anteriores estudamos as propriedades de cargas em repouso, assunto da eletrostática. A partir deste capítulo

Leia mais

CAPACITORES ASSOCIAÇÃO - CARGA - TENSÃO DE TRABALHO

CAPACITORES ASSOCIAÇÃO - CARGA - TENSÃO DE TRABALHO APAITORES ASSOIAÇÃO - ARGA - TENSÃO DE TRABALHO A exemplo dos resistores, os capacitores podem ser associados para a obtenção de valores desejados. ASSOIAÇÃO SÉRIE: Na associação série de capacitores,

Leia mais

Análise de Circuitos Elétricos

Análise de Circuitos Elétricos e Circuitos RC Análise de Circuitos Elétricos Um dispositivo resistivo, como por exemplo o resistor, é aquele que resiste a passagem de corrente, mantendo o seu valor ôhmico constante tanto para a corrente

Leia mais

Cap. 5 - Corrente, Resistência e Força Eletromotriz

Cap. 5 - Corrente, Resistência e Força Eletromotriz Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Física Física III 2014/2 Cap. 5 - Corrente, Resistência e Força Eletromotriz Prof. Elvis Soares Nesse capítulo, estudaremos a definição de corrente,

Leia mais

(A) 4 (B) 3 (C) 5 (D) 7 (E) 6

(A) 4 (B) 3 (C) 5 (D) 7 (E) 6 ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz! NATUREZA DA ATIVIDADE: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - ELETRODINÂMICA DISCIPLINA: FÍSICA ASSUNTO: CAPACITORES Educando para a Modernidade

Leia mais

Aquino, Josué Alexandre.

Aquino, Josué Alexandre. Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica para engenharia de produção : análise de circuitos : corrente e tensão alternada / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 53 slides; il. Sistema requerido:

Leia mais

CAPACITOR. Capacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão.

CAPACITOR. Capacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão. APAITOR apacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar carga elétrica e energia, ao ser ligado em uma fonte de tensão. O capacitor possui dois terminais para sua polarização (d.d.p.). Dentro do

Leia mais

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04 CAPACITORES I) RESUMO DO ESTUDO DE CAPACITORES OU CONDENSADORES São dispositivos que tem a função de armazenar cargas elétricas. Nos circuitos os capacitores quando estão carregados não passam correntes.

Leia mais

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR UNIVERSIDADE TENOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO AADÊMIO DE ELETROTÉNIA ELETRIIDADE E MAGNESTISMO - ET72F Profª Elisabete N Moraes ENERGIA, ARGA E DESARGA DE APAITOR E ASSUNTOS OMPLEMENTARES Energia

Leia mais

Circuitos Elétricos I EEL420

Circuitos Elétricos I EEL420 Universidade Federal do Rio de Janeiro Circuitos Elétricos I EEL420 Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1 2.1 - Resistores lineares e invariantes...1 2.1.1 - Curto circuito...2

Leia mais

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE - PARTE - 2

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE - PARTE - 2 QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE - PARTE - 2 QUESTÃO 50 Se aumentarmos o valor da corrente através de um fio condutor, o que acontece com o campo magnético: a. Diminui a intensidade b. Aumenta a

Leia mais

O CAPACITOR. -q E = V

O CAPACITOR. -q E = V MINISTÉRIO D EDUÇÃO SERETRI DE EDUÇÃO PROFISSIONL E TENOLÓGI INSTITUTO FEDERL DE EDUÇÃO, IÊNI E TENOLOGI DE SNT TRIN MPUS DE SÃO JOSÉ URSO TÉNIO INTEGRDO EM TELEOMUNIÇÕES Disciplina: nálise de ircuitos

Leia mais

Professor: Gabriel Alves

Professor: Gabriel Alves Professor: Gabriel Alves Questão 01 - (IFPE/2016) Em muitas casas brasileiras, para um maior conforto, é comum ter instalado um chuveiro elétrico. Seu funcionamento se dá graças à resistência presente

Leia mais

e em paralelo Dipolo eléctrico, momento dipolar eléctrico nua

e em paralelo Dipolo eléctrico, momento dipolar eléctrico nua Bioelectricidade - Electricidade BásicaB Condensadores associação em série s e em paralelo Dipolo eléctrico, momento dipolar eléctrico Densidade da corrente eléctrica Lei de Ohm da corrente contínua nua

Leia mais

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Aula 4_1 Capacitores Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Capacitores Definição da Capacitância: capacitor e sua capacitância Carga de um capacitor Exemplos de Cálculo da Capacitância

Leia mais

Duração do exame: 2:30h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova.

Duração do exame: 2:30h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova. Duração do exame: :3h Leia o enunciado com atenção. Justifique todas as respostas. Identifique e numere todas as folhas da prova. Problema Licenciatura em Engenharia e Arquitetura Naval Mestrado Integrado

Leia mais

Disciplina: Circuitos Elétricos I. Conceitos Preliminares

Disciplina: Circuitos Elétricos I. Conceitos Preliminares Disciplina: Circuitos Elétricos I Conceitos Preliminares Introdução O termo circuito elétrico se refere tanto a um sistema elétrico real quanto a um modelo matemático; É o instrumento básico para a compreensão

Leia mais

Circuitos Elétricos Corrente, Tensão, Potência e Energia

Circuitos Elétricos Corrente, Tensão, Potência e Energia Circuitos Elétricos Corrente, Tensão, Potência e Energia Prof. Alexandre Mota Prof. Lia Mota 1s2011 Conceitos Básicos Recapitulando: Importância do estudo de circuitos elétricos: todas as áreas da Engenharia

Leia mais

Retificadores (ENG ) Lista de Exercícios de Eletromagnetismo

Retificadores (ENG ) Lista de Exercícios de Eletromagnetismo Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Eletromagnetismo 01) Para o eletroimã da figura abaixo, determine: a) Calcule a densidade de fluxo no núcleo; b) Faça um esboço das linhas de campo e

Leia mais

Análise de Circuitos Elétricos

Análise de Circuitos Elétricos Indutores Análise de Circuitos Elétricos O indutor é um componente que se opõe as variações de corrente elétrica. Ele é composto por um enrolamento de fio de cobre chamado de bobina que está em torno de

Leia mais

CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04

CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04 CAPÍTULO 3 - CIRCUITOS RETIFICADORES ELETRÔNICA Aluno turma ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 04 1- Retificadores Todos os aparelhos eletrônicos necessitam de corrente contínua para funcionar, todavia, a rede

Leia mais

Circuitos Ativos em Micro-Ondas

Circuitos Ativos em Micro-Ondas Circuitos Ativos em Micro-Ondas Unidade 1 Comportamento de Dispositivos Passivos e Semicondutores em Micro-Ondas Prof. Marcos V. T. Heckler 1 Conteúdo Introdução Resistores operando em Micro-Ondas Capacitores

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

Circuitos Elétricos I EEL420

Circuitos Elétricos I EEL420 Universidade Federal do Rio de Janeiro Circuitos Elétricos I EEL420 Conteúdo 5 - Capacitores e Indutores...1 5.1 - Capacitores...1 5.2 - Capacitor linear e invariante com o tempo...2 5.2.1 - Modelo Thévenin

Leia mais

Conceitos Fundamentais

Conceitos Fundamentais Conceitos Fundamentais 1.1 Introdução O objetivo desta seção introdutória é estudar alguns conceitos para dar suporte ao prosseguimento dos estudos desta disciplina. Primeiramente alguns conceitos fundamentais

Leia mais

6. CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

6. CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 6. CCUTOS DE COENTE CONTÍNUA 6.. Força Electromotriz 6.2. esistências em Série e em Paralelo. 6.3. As egras de Kirchhoff 6.4. Circuitos C 6.5. nstrumentos Eléctricos Análise de circuitos simples que incluem

Leia mais

Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada

Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada 1. OBJETIVO Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada O objetivo desta aula é estudar o comportamento de circuitos RC em presença de uma fonte de alimentação de corrente alternada.. 2. MATERIAL

Leia mais

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque Componentes eletrónicos Motherboard de um computador e respetivos componentes eletrónicos Alguns componentes eletrónicos Características dos díodos de silício São o tipo mais simples de componente eletrónico

Leia mais

4. A eletrosfera de um átomo estável de ferro contém 26 elétrons. Determinar a carga elétrica de sua eletrosfera. Resp.: 4,1652.

4. A eletrosfera de um átomo estável de ferro contém 26 elétrons. Determinar a carga elétrica de sua eletrosfera. Resp.: 4,1652. 1 Eletricidade ndustrial Prof. Vernetti Lista de exercícios 1 1. Estrutura da matéria e carga elétrica 1. Segundo o modelo de Bohr da estrutura atômica dos elementos, os elétrons de um átomo ocupam determinados

Leia mais

a) 100 J. b) 150 J. c) 200 J. d) 300 J. e) 400 J.

a) 100 J. b) 150 J. c) 200 J. d) 300 J. e) 400 J. 1. Os capacitores planos C 1 e C mostrados na figura têm a mesma distância d e o mesmo dielétrico (ar) entre suas placas. Suas cargas iniciais eram Q 1 e Q, respectivamente, quando a chave CH1 foi fechada.

Leia mais

Unidade III. 2. Circuitos mistos: RL, RC, RLC. Ressonância. Circuitos série-paralelo. Circuitos CA

Unidade III. 2. Circuitos mistos: RL, RC, RLC. Ressonância. Circuitos série-paralelo. Circuitos CA Unidade III 2. Circuitos mistos: RL, RC, RLC. Ressonância. Circuitos série-paralelo. Circuito RL Circuitos RL são formados por resistências e indutâncias, em série ou paralelo. São usados para representar

Leia mais

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO CORRIGIDO CONFORME A ERRATA

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO CORRIGIDO CONFORME A ERRATA Dados: ANATEL - DEZ/2008 RADIOELETRICIDADE TESTE DE AVALIAÇÃO 1 RADIOELETRICIDADE O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO CORRIGIDO CONFORME A ERRATA Fonte:

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores. Prof. Clóvis Antônio Petry.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores. Prof. Clóvis Antônio Petry. Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Retificadores Diodos e dispositivos especiais Parte 1 Prof. Clóvis Antônio Petry. Florianópolis, outubro de 2007. Bibliografia

Leia mais

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua).

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Como vimo anteriormente, para que haja fluxo de corrente pelo circuito,

Leia mais

Laboratório de Física UVV

Laboratório de Física UVV /9 Carga e Descarga de Capacitores Professor: Alunos: Turma: Data: / /20 : 2: 3: 4: 5:.. Objetivos: Levantar as curvas características de carga e descarga de capacitores; Determinar a capacitância através

Leia mais

FIS1053 Projeto de Apoio Eletromagnetismo 23-Maio Lista de Problemas 12 -Circuito RL, LC Corrente Alternada.

FIS1053 Projeto de Apoio Eletromagnetismo 23-Maio Lista de Problemas 12 -Circuito RL, LC Corrente Alternada. FIS53 Projeto de Apoio Eletromagnetismo 23-Maio-2014. Lista de Problemas 12 -Circuito RL, LC Corrente Alternada. QUESTÃO 1: Considere o circuito abaixo onde C é um capacitor de pf, L um indutor de μh,

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica COB781. Módulo 2

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica COB781. Módulo 2 Universidade Federal do Rio de Janeiro Princípios de Instrumentação Biomédica COB781 Módulo 2 Thévenin Norton Helmholtz Mayer Ohm Galvani Conteúdo 2 - Elementos básicos de circuito e suas associações...1

Leia mais

Princípios de Eletricidade Magnetismo

Princípios de Eletricidade Magnetismo Princípios de Eletricidade Magnetismo Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua Professor: Cristiano Faria Corrente e Movimento de Cargas Elétricas Embora uma corrente seja um movimento de partícula

Leia mais

Corrente elétrica e Resistência

Corrente elétrica e Resistência Capítulo 9 Corrente elétrica e Resistência 9.1 Transporte de Carga e Densidade de Corrente As correntes elétricas são causadas pelo movimento de portadores de carga. A corrente elétrica num fio é a medida

Leia mais

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos.

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. ITÂNI TOI quipe SI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. 1. apacitância de um condutor isolado O aluno, para continuar lendo esse artigo,

Leia mais

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF.

Primeira Prova 2. semestre de /10/2013 TURMA PROF. D Física Teórica II Primeira Prova 2. semestre de 2013 19/10/2013 ALUNO TURMA PROF. ATENÇÃO LEIA ANTES DE FAZER A PROVA 1 Assine todas as folhas das questões antes de começar a prova. 2 - Os professores

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica Para qualquer máquina, em particular, para os aparelhos elétricos, definimos potência como a taxa de transformação ou conversão de energia na forma de calor outra forma de energia,

Leia mais

Corrente e Resistência

Corrente e Resistência Capítulo 5 Corrente e Resistência 5.1 Corrente Elétrica A corrente elétrica i em um fio condutor é definida como a carga que atravessa a área do fio por unidade de tempo: Unidade de corrente: Ampere [A]

Leia mais

Diodos e dispositivos especiais

Diodos e dispositivos especiais Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Retificadores Diodos e dispositivos especiais Prof. Clóvis Antônio Petry. Florianópolis, maio

Leia mais

1 Exercícios. Carlos Marcelo Pedroso. 17 de abril de 2010

1 Exercícios. Carlos Marcelo Pedroso. 17 de abril de 2010 Exercícios Carlos Marcelo Pedroso 17 de abril de 2010 1 Exercícios Exercício 1: Quais os dois principais mecanismos que proporcionam a condução de corrente em materiais? Quais as características (microscópicas)

Leia mais

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura.

Eletrostática. (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Eletrostática Prof: Diler Lanza TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufmg 2005) Em uma aula, o Prof. Antônio apresenta uma montagem com dois anéis dependurados, como representado na figura. Um dos anéis é de

Leia mais

Programa de engenharia biomédica. Princípios de instrumentação biomédica cob 781

Programa de engenharia biomédica. Princípios de instrumentação biomédica cob 781 Programa de engenharia biomédica Princípios de instrumentação biomédica cob 781 5 Circuitos de primeira ordem 5.1 Circuito linear invariante de primeira ordem resposta a excitação zero 5.1.1 O circuito

Leia mais

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 3.1 OBJETIVOS Verificar experimentalmente as Leis de Kirchhoff 3.2 INTRODUÇÃO Para a resolução de um circuito de corrente contínua (cc), com várias malhas,

Leia mais

Sétima Lista - Lei de Faraday

Sétima Lista - Lei de Faraday Sétima Lista - Lei de Faraday FGE211 - Física III Sumário O fluxo magnético através de uma superfície S é definido como Φ B = B da A Lei da Indução de Faraday afirma que a força eletromotriz (fem) induzida

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS. Principais elementos de circuito e suas equações descritivas

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS. Principais elementos de circuito e suas equações descritivas Capítulo 2 INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Nesta aula serão apresentados os modelos que descrevem os principais componentes dos circuitos elétricos e os conceitos a eles associados, bem como as leis

Leia mais

CF360 - Resumo Experimentos Prova 2

CF360 - Resumo Experimentos Prova 2 CF360 - Resumo Experimentos Prova 2 Fabio Iareke 19 de dezembro de 2011 1 Força Magnética sobre Condutores de Corrente 1.1 Roteiro de Estudos 1. Qual é a expressão para o campo magnético

Leia mais

CIDADE DE CHARQUEADAS INSTRUÇÕES GERAIS

CIDADE DE CHARQUEADAS INSTRUÇÕES GERAIS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC / SETEC CIDADE DE CHARQUEADAS INSTRUÇÕES GERAIS 1 - Este caderno de prova é constituído por 40 (quarenta) questões objetivas. 2 - A prova terá duração máxima de 04 (quatro)

Leia mais

CAPACITORES E CIRCUITO RC

CAPACITORES E CIRCUITO RC NOT DE UL PROF. JOSÉ GOMES RIBEIRO FILHO CPCITORES E CIRCUITO RC 1 INTRODUÇÃO té aqui, o único elemento passivo que encontramos foi o resistor. Vamos considerar agora dois outros elementos passivos, o

Leia mais

ENGC25 - ANÁLISE DE CIRCUITOS II

ENGC25 - ANÁLISE DE CIRCUITOS II ENGC25 - ANÁLISE DE CIRCUITOS II Módulo V CIRCUITOS ACOPLADOS MAGNETICAMENTE INTRODUÇÃO AOS TRANSFORMADORES UFBA Curso de Engenharia Elétrica Prof. Eugênio Correia Teixeira Campo Magnético Linhas de fluxo

Leia mais