Ficha Informativa A banda desenhada

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ficha Informativa A banda desenhada"

Transcrição

1 Ficha Informativa A banda desenhada A banda desenhada é um modo de contar uma história com desenhos. Os desenhos vão-se seguindo uns aos outros, formando uma sequência. Podem ser acompanhados de texto ou não. A banda desenhada começa nos finais do século XIX e desenvolve-se sobretudo no século XX. Hoje em dia encontramos bandas desenhadas de todos os géneros: Policiais, fantástico, cómicas, sátira, etc. As aventuras do Pequeno Nemo escrita e desenhada por Winsor McCay em 1905 foi um dos primeiros autores de banda desenhada.

2 O aspecto gráfico de uma banda desenhada é tudo o que se encontra sobre cada uma das suas páginas. O aspecto gráfico das bandas desenhadas é muito variável; depende muito do seu criador, das técnicas utilizadas e do tipo de desenho pretendido. À página de banda desenhada chamamos prancha e pode ter muitas configurações que dependem das intenções expressivas do autor. Buddy Longway de Derib Às tiras e as vinhetas são as divisões que o autor faz de um desenho para o outro e podem ser quadradas, rectangulares, circulares e por vezes triangulares. As vinhetas podem ser delimitadas ou não. Tira Vinheta

3 Por vezes o desenho sai das vinhetas, dando mais dinamismo à banda desenhada. O desenho na banda desenhada pode ser muito pormenorizando ou simples, pode ser utilizado manchas de cor ou a preto e branco, pode-se utilizar recortes de fotografias e outras técnicas de pintura e desenho. Corto Maltese de Hugo Pratt Peanuts de Schulz Os balões servem para escrever o texto da fala, do pensamento ou de expressões das personagens. Balão de pensamento Balão de fala convencional Balão de fala emotiva ou de pessoa furiosa Balão de medo Balão de rádio, televisão, telefone, etc

4 Onomatopeias são expressões ou palavras cuja sonoridade imita a voz ou ruídos de objectos ou animais. Os efeitos gráficos mais utilizados para exprimir o movimento são linhas repetidas a mostrar um percurso ou limites do objecto ou personagem em movimento. Planos O Plano Geral é usado para poder visualizar todo o cenário, até ao horizonte No Plano de Conjunto, que tem características semelhantes ao Plano Geral, podemos descrever com mais clareza os pormenores da acção humana, tendo em conta ainda o ambiente onde ela se desenrola, embora este tenha menos importância neste caso.

5 O plano que corta a figura a altura dos joelhos é conhecido tradicionalmente como o Plano Americano. O Plano Aproximado de Peito é o mais útil para a representação de diálogos. O Plano Médio é basicamente o plano de um corpo humano Apenas utilizamos um Grande Plano quando queremos atingir a máxima intensidade dramática. A expressão do personagem apresenta-se mais nítida e as características podem ser projectadas com mais força. Se for necessário dar ainda um maior interesse visual à cena podemos utilizar os planos de pormenor O Plano em picado enquadra um personagem visto de cima. No Plano em contrapicado, visualizamos a acção a um nível mais baixo.

6 O espaço em que se desenrola a acção é muito importante e pode ser sugerido apenas por algumas linhas horizontais. Pode ter mais elementos envolventes ou apenas uma sombra a indicar o chão. Para se fazer uma banda desenhada é necessário uma boa história que chame atenção dos leitores, assim como encontrar uma personagem carismática e com boas intenções. Por vezes é necessário contar a história de forma diferente para estimular a curiosidade do leitor, podese começar no fim ou não mostrar a verdade toda e aos poucos ir revelando um pouco da história. O guião é a forma escrita de qualquer espectáculo, filme, teatro ou banda desenhada. Os guiões mais simples são organizados da seguinte forma - uma folha de papel dividida em três colunas, na primeira coluna deverá ser descrito a acção de cada fase da história de forma resumida, na segunda coluna a descrição das vinhetas e na terceira coluna os diálogos e onomatopeias. Deverá ser feito um esboço das personagens, das várias pranchas e do espaço envolvente.

7 Lê com atenção esta Banda Desenhada

BANDA DESENHADA e CINEMA

BANDA DESENHADA e CINEMA BANDA DESENHADA e CINEMA Banda desenhada e Cinema de animação são linguagens diferentes, mas têm alguns pontos em comum. A banda desenhada é a forma de comunicação visual e a expressão gráfica mais cinematográfica.

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT A Linguagem da Banda Desenhada A L i n g u a g e m d a B a n d a D e s e n h a d a

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT A Linguagem da Banda Desenhada A L i n g u a g e m d a B a n d a D e s e n h a d a Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica A Linguagem da Banda Desenhada Manual e Guia de exploração do recurso A Linguagem da Banda

Leia mais

Passatempo Banda Desenhada Regulamento

Passatempo Banda Desenhada Regulamento Em qualquer lugar, a qualquer momento, um livro é altamente! http://projetos.gov-madeira.pt/baudeleitura Passatempo Banda Desenhada Regulamento Secção I Disposições Gerais 1 Definição e âmbito Trata-se

Leia mais

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves Oficina de Roteiro Oficina de Roteiro O que é Roteiro? Podemos definir um roteiro de diversas maneiras. A forma escrita de qualquer espetáculo áudio e/ou visual. ( Doc Comparato) 2. Planta baixa ou um

Leia mais

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Área: Língua Portuguesa Programa de Recuperação de Escolaridade 2º/3º ANO Blocos/Conteúdos Objectivos Avaliação Comunicação Oral - Comunica oralmente, com progressiva

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a PikiKids M a

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Design Comics

Leia mais

Linguagem Cinematográfica. Myrella França

Linguagem Cinematográfica. Myrella França Linguagem Cinematográfica Myrella França I. Termos Básicos TOMADA - Filmagem contínua de cada segmento específico da ação do filme. "TAKE" - Tomada; começa no momento em que se liga a câmara até que é

Leia mais

Projecto nº1237 5minutos Num Instante Entretenimento

Projecto nº1237 5minutos Num Instante Entretenimento Daniela Vasques Projecto nº1237 5minutos Num Instante Entretenimento www.5minutosnuminstante.blogspot.com www.facebook.com/5minutosnuminstante Storyline Série de episódios com duração de 5 minutos que

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a CREATE YOUR OWN

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 2º CICLO Gestão curricular 6ºano

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 2º CICLO Gestão curricular 6ºano DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 2º CICLO Gestão curricular 6ºano UNIDADES /TEXTOS UNIDADE 0 Ponto de partida UNIDADE 5 Apanha-me também um poeta 1º PERÍODO DOMÍNIOS / CONTEÚDOS Expressão oral: memória

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Gnomz M a n u

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo PLANIFICAÇÃO ANUAL Ano letivo 2015/2016 PORTUGUÊS 4.º Ano Disciplina Domínios Conteúdos

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo PLANIFICAÇÃO ANUAL Ano letivo 2015/2016 PORTUGUÊS 4.º Ano Disciplina Domínios Conteúdos PORTUGUÊS Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo Ano letivo 2015/2016 PORTUGUÊS 4.º Ano Disciplina Domínios Conteúdos Oralidade Grelhas de registo Narrativa oral Compreensão do oral Questionário

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Mash on Spore

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 p.1/5 SÓCIO-AFECTIVA 1. Dinâmica do Grupo 2. Dinâmica Individual 0. Aprofundar a dinâmica do Grupo Reconhecimento da nova realidade do Grupo. Comunicação com o outro e com o Grupo. Argumentação e negociação

Leia mais

Mais informações e marcações Elisa Aragão servicoeducativo@zeroemcomportamento.org 213 160 057 www.zeroemcomportamento.org

Mais informações e marcações Elisa Aragão servicoeducativo@zeroemcomportamento.org 213 160 057 www.zeroemcomportamento.org Apresentamos de seguida várias sessões temáticas compostas por curtas-metragens de animação, às quais chamamos de Filminhos Infantis. Estas propostas são complementadas com uma oficina com uma duração

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Zimmer Twins

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a ToonDoo M a n

Leia mais

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo Escola Básica e Secundária À Beira Douro Planificação de Língua Portuguesa 6º ano Ano lectivo 2010-2011 COMPETÊNCIAS Alargamento da compreensão a géneros formais e públicos do oral. Criação de autonomia

Leia mais

Representação Gráfica de Medidas Elétricas

Representação Gráfica de Medidas Elétricas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Métodos e Técnicas de Laboratório em Eletrônica Representação Gráfica de Medidas Elétricas Florianópolis,

Leia mais

Língua Portuguesa 7º ano

Língua Portuguesa 7º ano Escutar para Aprender e Construir Conhecimento Audição orientada. Ouvinte. Discurso; universo de discurso (assunto). Língua Portuguesa 7º ano Conteúdos 1º Período Comunicação Oral Falar para Construir

Leia mais

Pessoas que apreciam registrar seus momentos em fotografias utilizam, na maioria das vezes sem saber, a relevante ciência matemática.

Pessoas que apreciam registrar seus momentos em fotografias utilizam, na maioria das vezes sem saber, a relevante ciência matemática. Ângulos e Planos Escrito por Francine de Mattos Pessoas que apreciam registrar seus momentos em fotografias utilizam, na maioria das vezes sem saber, a relevante ciência matemática. Matemática e fotografia,

Leia mais

63,5µs, chega-se a 21, ou seja,

63,5µs, chega-se a 21, ou seja, STV 10 SET 2008 1 TEMPO DE APAGAMENTO VERTICAL os pulsos de apagamento vertical levam a amplitude do sinal de vídeo para o nível de preto de maneira que o feixe de varredura esteja apagado durante os retraços

Leia mais

STV 15 SET na figura acima a freqüência das variações do sinal de onda quadrada da câmera mostradas no topo do padrão xadrez é de 0,11 MHz

STV 15 SET na figura acima a freqüência das variações do sinal de onda quadrada da câmera mostradas no topo do padrão xadrez é de 0,11 MHz STV 15 SET 2008 1 FREQÜÊNCIAS DE VÍDEO ASSOCIADAS COM A VARREDURA HORIZONTAL no padrão xadrez da figura acima, o sinal de onda quadrada no topo representa as variações do sinal da câmera do sinal composto

Leia mais

Biblioteca Escolar António Bento Franco MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER

Biblioteca Escolar António Bento Franco MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER Criar o vídeo - início Para iniciar a criação de um filme, devemos em primeiro lugar criar uma pasta, onde colocaremos todos os objetos que pretendemos inserir

Leia mais

1.º Trimestre. Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro 1º Ciclo Planificação Anual. Metas Curriculares/de Aprendizagem. Instrumentos de Avaliação

1.º Trimestre. Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro 1º Ciclo Planificação Anual. Metas Curriculares/de Aprendizagem. Instrumentos de Avaliação Ver documento METAS CURRICULARES DE PORTUGUÊS http://www.dgidc.min-edu.pt Prestar atenção ao que ouve Usar vocabulário adequado ao tema e à situação Falar com progressiva autonomia e clareza sobre assuntos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO ORALIDADE Respeitar regras da interação discursiva; Escutar discursos para aprender e construir conhecimentos; Utilizar técnicas para registar e reter a informação.

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS FORMULÁRIOS

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS FORMULÁRIOS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS FORMULÁRIOS Os constituem uma outra forma de visualizar os dados armazenados nas tabela ou disponibilizados numa consulta. Também

Leia mais

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Por Dentro do Filme II / Construção de Guiões de trabalho Julho 2011 Tavira André Mantas Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Planificação de actividades para

Leia mais

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o da d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a AnimPixels M a

Leia mais

CARTAZES DE RUA E DE INTERIORES

CARTAZES DE RUA E DE INTERIORES RESUMO HISTÓRICO Os primeiros cartazes datam do século XV.(Divulgar decisões tomadas pelo governo) No século XVIII a sua utilização já é mais frequente. (Anunciar produtos comerciais e industriais) Com

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o da d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Chogger M a n

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO - 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Avaliação Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens e para

Leia mais

Tulio Frigeri estudo de pré-produção para animação

Tulio Frigeri estudo de pré-produção para animação estudo de pré-produção para animação ROTEIRO Cena 01 A - Padeiro no Altar - Int./Noite Corta. Close na mão do padeiro rezando. Cena 01 B - Padeiro no Altar - Int./Noite Padeiro rezando de costas: "O pão

Leia mais

ZS Rest. Manual Profissional. BackOffice Mapa de Mesas. v2011

ZS Rest. Manual Profissional. BackOffice Mapa de Mesas. v2011 Manual Profissional BackOffice Mapa de Mesas v2011 1. Índice 2. INTRODUÇÃO... 2 3. INICIAR O ZSRest Backoffice... 3 1 4. Confirmar desenho de mesas...... 4 b) Activar mapa de mesas... 4 c) Zonas... 4 5.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS PERSPECTIVAS TIPOS DE PERSPECTIVAS

CLASSIFICAÇÃO DAS PERSPECTIVAS TIPOS DE PERSPECTIVAS Figura 37. Relatividade (litografia) 1953. M. C. Escher (1898 1970) A característica fundamental de esta litografia é a sua perspectiva ambígua: A sala pode rodar à volta do centro e pode conter até três

Leia mais

Tudo tem um princípio. CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género

Tudo tem um princípio. CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género Índice Tudo tem um princípio Pág. 8 Pág. 9 Pág. 14 Pág. 18 Pág. 26 Pág. 32 Pág. 36 Pág. 42 Pág. 47 CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género CAPÍTULO 4 - Criar as personagens

Leia mais

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma MASCARILHA DE CARNAVAL Ano Letivo: 2012/2013 DOMÍNIOS OBJETIVOS DESCRITORES ATIVIDADES MATERIAIS / RECURSOS CALENDARIZAÇÃO AVALIAÇÃO Técnica Produzir objectos plásticos explorando temas, ideias e situações

Leia mais

Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012

Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012 Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012 Unidade Didáctica Apresentação Teste Diagnóstico PLANIFICAÇÃO - 1º PERÍODO :: Professor(a) Estagiária: Ana Sofia Gomes de Jesus

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a COLOURlovers

Leia mais

Professora: Adriana ( Dricka )

Professora: Adriana ( Dricka ) 1 Nomes: 1. 2. 3. 4. 5. Professora: Adriana ( Dricka ) 2 Leia a H.Q. a seguir e responda as questões referentes a ela. Aqui no Brasil também temos grandes desenhistas da HQ. O quadrinista Laerte, por exemplo,

Leia mais

AULA 4 DESENHANDO ESCADAS

AULA 4 DESENHANDO ESCADAS AULA 4 DESENHANDO ESCADAS Referência desenho: Material didático - aula escada. Autor desconhecido. Representação de projetos de arquitetura NBR- 649: REPRESENTAÇÃO DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS : Equipamentos

Leia mais

Exercícios Obrigatórios

Exercícios Obrigatórios Exercícios Obrigatórios 1) (UFRGS/2015) Para fazer a aposta mínima na mega sena uma pessoa deve escolher 6 números diferentes em um cartão de apostas que contém os números de 1 a 60. Uma pessoa escolheu

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: Distinguir características de vários materiais riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis de cera,

Leia mais

2, 362?? 2, 40? Jean Marie Kraemer

2, 362?? 2, 40? Jean Marie Kraemer 2, 362?? 2, 40? 2 1 0 UNIÃO EUROPEIA O homem mais alto do mundo O contexto e as questões a explorar Dois chineses reivindicam ser o homem mais alto do mundo. Um mede 2,362 metros; o outro 2,40 metros.

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES CURRICULARES 2º Período Ano: 3º Turma: 1º Ciclo

PLANO DE ATIVIDADES CURRICULARES 2º Período Ano: 3º Turma: 1º Ciclo Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto Escola Básica e Secundária de Refojos de Basto Telefone 253 662 338 * Fax 253 662 826 PLANO DE ATIVIDADES CURRICULARES 2º Período Ano: 3º Turma: 1º Ciclo Língua

Leia mais

GUIA TÉCNICO COMO CRIAR UM SPOT

GUIA TÉCNICO COMO CRIAR UM SPOT GUIA TÉCNICO COMO CRIAR UM SPOT 1. APRESENTAÇÃO Este guião pretende ajudar os jovens na elaboração do spot de vídeo de modo a participarem no bgreen // ecological film festival. 2. O QUE É IMPORTANTE TER

Leia mais

Trabalho (= energia Joules) e Potência (Watts)

Trabalho (= energia Joules) e Potência (Watts) Trabalho (= energia Joules) e Potência (Watts) Pode-se definir potência como sendo a quantidade de trabalho realizado em um determinado tempo. Assim, para realizar determinada tarefa, tanto um fusca quanto

Leia mais

DESIGN DE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO AUDIOVISUAL. Ano lectivo: 2015/2016. Duração: 120 minutos. 1ª parte 60%

DESIGN DE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO AUDIOVISUAL. Ano lectivo: 2015/2016. Duração: 120 minutos. 1ª parte 60% DESIGN DE COMUNICAÇÃO E PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Disciplina: Modelação 3D Ano: 2.º Semestre: 1.º- Exame de Época de Recurso Ano lectivo: 2015/2016 Duração: 120 minutos 1ª parte 60% Pretende-se que o aluno

Leia mais

Workshop de Escrita de Argumento

Workshop de Escrita de Argumento Workshop de Escrita de Argumento Data: Maio e Junho de 2012 Concepção e monitorização dos workshops: Ana Sofia Pereira Cimbalino Filmes Programa: Sessão 1: Introdução ao Argumento Sessão 2: O Guião Técnico

Leia mais

GRUPO DE TEATRO WI-FI. O Quarto. Chat-room

GRUPO DE TEATRO WI-FI. O Quarto. Chat-room GRUPO DE TEATRO WI-FI O Quarto Chat-room 11-07-2012 O Grupo de Teatro Wi-Fi pretende mostrar que o actor não precisa de estar em palco para fazer teatro, utilizando o broadcasting e a tecnologia. Apresentação

Leia mais

Grupo 1 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria. Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de Questões de geometria das provas da OBMEP

Grupo 1 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria. Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de Questões de geometria das provas da OBMEP Grupo 1 - PIC OBMEP 2011 Módulo 2 - Geometria Resumo do Encontro 6, 22 de setembro de 2012 Questões de geometria das provas da OBMEP http://www.obmep.org.br/provas.htm 1. Área: conceito e áreas do quadrado

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO/

PLANIFICAÇÃO A LONGO/ PLANIFICAÇÃO A LONGO/ MÉDIO PRAZO 2012/2013 3.º ANO Manual adotado: Alfa - Porto Editora PORTUGUÊS Oralidade -Escutar para aprender e construir conhecimentos; - Produzir um discurso oral com correção;

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL 5ºANO

EDUCAÇÃO VISUAL 5ºANO REPRESENTAÇÃO R 5 TECNICA T5 ESCOLA EB 23 LUÍS DE CAMÕES ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 2014/2015 EDUCAÇÃO VISUAL 5ºANO DOMÍNIO Objetivos Gerais METAS CURRICULARES Descritores de desempenho CONTEÚDOS Atividades

Leia mais

Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia

Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia 9% 91% EA- em aquisição A- adquirido Gráfico 2 Formação Pessoal e Social- Convivência Democrática/ Cidadania 9% 91% EA- em aquisição A- adquirido Gráfico

Leia mais

Disciplina: Ciências Data: 9/11/ ) Como se chamam os animais que se alimentam de animais e vegetais?

Disciplina: Ciências Data: 9/11/ ) Como se chamam os animais que se alimentam de animais e vegetais? Ficha da semana 4º ano A/ B/ C Instruções: 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue à professora no dia seguinte. 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno

Leia mais

PLANO NACIONAL DE LEITURA

PLANO NACIONAL DE LEITURA PLANO NACIONAL DE LEITURA Objectivos: Desenvolver competências nos domínios da leitura e da escrita, bem como a criação de hábitos de leitura nos alunos ; Incutir o gosto de ler ; Criar leitores autónomos;

Leia mais

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Apresentação de Diapositivos - 90 min. 1. Criação de transições entre diapositivos

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Apresentação de Diapositivos - 90 min. 1. Criação de transições entre diapositivos Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint Apresentação de Diapositivos - 90 min Ficha orientada nº5 Objectivos: Criação de transições entre diapositivos Aplicação de efeitos de animação Definição de

Leia mais

Exame Final Nacional de Desenho A Prova 706 Época Especial Ensino Secundário º Ano de Escolaridade

Exame Final Nacional de Desenho A Prova 706 Época Especial Ensino Secundário º Ano de Escolaridade Exame Final Nacional de Desenho A Prova 706 Época Especial Ensino Secundário 2017 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Duração da Prova: 150 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Leia mais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Departamento do 1.º ciclo

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Departamento do 1.º ciclo Ano de escolaridade: 1ºAno Língua Portuguesa Diálogos Jogos de identificação (palavra/imagem) Completar frases e palavras Escrita e leitura de vogais e consoantes Ditongos orais e nasais Memorização de

Leia mais

How to draw a head. Ricardo Reis Pereira

How to draw a head. Ricardo Reis Pereira Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica How to draw a head Manual e Guia de exploração do How to draw a head para utilização em contexto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 MÊS: maio Área de Conteúdo Domínio Objetivos Estratégias Formação Pessoal e Social

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 3 o ano. 1 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 3 o ano. 1 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao primeiro bimestre escolar ou à Unidade 1 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê História 3 o ano Avaliação 1 o bimestre 1 Avaliação História NOME: ESCOLA:

Leia mais

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados.

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados. Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos slide 1 reservados. Definição e Pré- Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado O principal pré-requisito para fazer

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes PLANO CURRICULAR 3º Ano PORTUGUÊS Descritores de desempenho

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes PLANO CURRICULAR 3º Ano PORTUGUÊS Descritores de desempenho PLANO CURRICULAR PORTUGUÊS Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Produzir um discurso oral com correção. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação e

Leia mais

ORAGANIZAÇÃO, REPRESENTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS

ORAGANIZAÇÃO, REPRESENTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS Prof. Patricia Caldana ORAGANIZAÇÃO, REPRESENTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS Estatística é uma ciência exata que visa fornecer subsídios ao analista para coletar, organizar, resumir, analisar e apresentar

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AEROMODELISMO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AEROMODELISMO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AEROMODELISMO CURSO DE TÉCNICOS DE NÍVEL 1 11 - Interpretação de Planos NOÇÕES DE DESENHO TÉCNICO O desenho constitui uma linguagem específica, utilizada através dos tempos para

Leia mais

CASA DA ACHADA - CENTRO MÁRIO DIONÍSIO PROGRAMA DE FEVEREIRO DE 2012

CASA DA ACHADA - CENTRO MÁRIO DIONÍSIO  PROGRAMA DE FEVEREIRO DE 2012 CASA DA ACHADA - CENTRO MÁRIO DIONÍSIO http://www.centromariodionisio.org/ MORADA Rua da Achada, n.º 11 1100-004 - Lisboa HORÁRIO DE ABERTURA Segunda-feira, quinta e sexta das 15h às 20h Sábado e Domingo

Leia mais

Física Legal.NET - O seu site de Física na Internet

Física Legal.NET - O seu site de Física na Internet 11. (Fei 97) A luz solar se propaga e atravessa um meio translúcido. Qual das alternativas a seguir representa o que acontece com a propagação dos raios de luz? 12. (Fuvest 93) A luz solar penetra numa

Leia mais

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Unidade 0 Diagnóstico e observação do manual. Unidade 1 Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Unidade 0 Diagnóstico e observação do manual. Unidade 1 Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho Planificação por Unidades de Língua Portuguesa - 8º Ano - Ano Lectivo 2011/ 2012 Unidade 0 Diagnóstico e observação do manual Observação do manual Conhecer a realidade

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA EJA 4ª PROF. JOSÉ FRANCISCO PROF.ª RISONILDE ARAÚJO

LÍNGUA PORTUGUESA EJA 4ª PROF. JOSÉ FRANCISCO PROF.ª RISONILDE ARAÚJO LÍNGUA PORTUGUESA EJA 4ª PROF. JOSÉ FRANCISCO PROF.ª RISONILDE ARAÚJO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: corpo, movimento, linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 6.1

Leia mais

Anexo 1 resumo do método de leitura de Troncoso & del Cerro (2004: ).

Anexo 1 resumo do método de leitura de Troncoso & del Cerro (2004: ). Nível preparatório (dos 2 aos 4 anos) Nível I (dos 4 aos 6 anos). Reconhecimento de imagens gráficas: é suficiente que a criança manifeste o reconhecimento através de onomatopeias ou gestos;. Emparelhamento

Leia mais

MATEMÁTICA. Prof.: Favalessa

MATEMÁTICA. Prof.: Favalessa MATEMÁTICA Prof.: Favalessa 1. O professor Thiago foi visitar o professor Flávio em sua residência. Flávio é professor de Matemática e deu seu endereço através do seguinte enigma. Eu moro na Rua Bissetriz,

Leia mais

2 ) JOGO DA MEMÓRIA CORES

2 ) JOGO DA MEMÓRIA CORES REF. 171 1 ) RELÓGIO TAMANHO: 35 X 35 cm FORMATO DE SOL PONTEIROS GRANDES, FEITOS DE METAL SUPER-RESISTENTE, MADEIRA 1 PEÇA ENSINA AS CRIANÇAS A FAZEREM A LEITURA DO RELÓGIO PARA DESENVOLVER A NOÇÃO DE

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Creaza M a n

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade 1º Período 1/13 Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Ano Lectivo

Leia mais

EB1 de. MATEMÀTICA Nome Data / / Tarefa: Quadro da centena de milhar e quadro do milhão

EB1 de. MATEMÀTICA Nome Data / / Tarefa: Quadro da centena de milhar e quadro do milhão Tarefa: Quadro da centena de milhar e quadro do milhão Os alunos completam e exploram tabelas com números de 1000 em 1000 e de 10000 em 10000, como apoio na contagem de números até ao milhão. O quadro

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a SketchBoard M

Leia mais

Pilotagem Squeak no computador Magalhães. Projecto: Geometria Básica

Pilotagem Squeak no computador Magalhães. Projecto: Geometria Básica Pilotagem Squeak no computador Magalhães Projecto: Geometria Básica (versão 1.0) Autor: Luís Valente (CC Universidade do Minho) Criar um Projecto 1 Clique no menu Projecto 2 Clique em criar um projecto

Leia mais

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários GÊNERO ÉPICO (NARRATIVO) = Quando é contada uma história.

Leia mais

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Disciplina: Arte Prof.: Paula Caroline de Souza Turmas: 61 e 62 ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Rua Prof Guilherme Butler, 792 - Barreirinha - CEP 82.700-000 - Curitiba/PR

Leia mais

1. Justificativa. 2. Introdução

1. Justificativa. 2. Introdução PROJETO DE PROCESSO COGNITIVO E COMPUTAÇÃO GRÁFICA Adriiano Ghellller Bruschii 981638-0 Fabriiciio Apareciido Breve 981648-9 Adriano Gheller Bruschi 981638-0 Fabricio Aparecido Breve 981648-9 Projeto de

Leia mais

A IMAGEM DE TELEVISÃO

A IMAGEM DE TELEVISÃO STV 18 AGO 2008 1 A IMAGEM DE TELEVISÃO a televisão, basicamente, reproduz imagens estáticas a seqüência dessas imagens, em rápida sucessão, nos dá a sensação de movimento cada uma das imagens, ou quadro,

Leia mais

ÍNDICE O TEXTO DRAMÁTICO PROFISSÕES RELACIONADAS COM O TEATRO VOCABULÁRIO RELACIONADO COM O TEATRO. Leitura de cartazes publicitários

ÍNDICE O TEXTO DRAMÁTICO PROFISSÕES RELACIONADAS COM O TEATRO VOCABULÁRIO RELACIONADO COM O TEATRO. Leitura de cartazes publicitários O TEXTO DRAMÁTICO O TEXTO DRAMÁTICO ÍNDICE PROFISSÕES RELACIONADAS COM O TEATRO VOCABULÁRIO RELACIONADO COM O TEATRO Leitura de cartazes publicitários CATEGORIAS DO TEXTO DRAMÁTICO O TEXTO DRAMÁTICO. Tem

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 6.º ANO 2014/15 Ficha A5 Global NOME N.º Turma NOME NOTAS: APRESENTE A RESOLUÇÃO EM TODAS AS RESPOSTAS EXCEPTO EM 3a) E 7a) - CONSIDERE 3,14 1. A figura

Leia mais

REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS. Aprendizagens. Construção da identidade e da autoestima

REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS. Aprendizagens. Construção da identidade e da autoestima ANO LETIVO 2016/217 REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS Área de Construção da identidade e da autoestima Sabe o seu primeiro nome Sabe a idade Tem consciência de si e do outro Reconhece

Leia mais

Teste Avaliação. UFCD - Desenho Técnico de Aeronáutica. Formador: Avaliação: Grupo I (5 val.)

Teste Avaliação. UFCD - Desenho Técnico de Aeronáutica. Formador: Avaliação: Grupo I (5 val.) Teste Avaliação UFCD - Desenho Técnico de Aeronáutica Nome formando: Data: / / Formador: Avaliação: Grupo I (5 val.) Classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmações: 1 - Os desenhos

Leia mais

MODELO DE ROTEIRO CURTA-METRAGEM: Existem muitos modelos de formato de roteiro. Este é o que utilizamos em nossas produções.

MODELO DE ROTEIRO CURTA-METRAGEM: Existem muitos modelos de formato de roteiro. Este é o que utilizamos em nossas produções. MODELO DE ROTEIRO CURTA-METRAGEM: Existem muitos modelos de formato de roteiro. Este é o que utilizamos em nossas produções. Um roteiro tem sempre que apresentar algumas características básicas, dentre

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Bitmap Font Writer

Leia mais

Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN

Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN COLÉGIO SALESIANO DOM BOSCO Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN O QUE É TEATRO? Teatro é uma forma de arte em que um ator ou conjunto de atores interpreta uma história

Leia mais

Síntese da Planificação da Área de Português - 2º Ano

Síntese da Planificação da Área de Português - 2º Ano Dias de aulas previstos Período 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 13 13 12 13 2.º período 9 9 9 11 11 3.º período 9 11 10 10 11 Síntese da Planificação da Área de Português - 2º Ano (Carga horária: Português

Leia mais

1. Introdução O que é um relatório Organização de um relatório Identificação As 4 questões...

1. Introdução O que é um relatório Organização de um relatório Identificação As 4 questões... Cabeçalho da secção 1 Índice 1. Introdução...1 1.1. O que é um relatório...1 2. Organização de um relatório...2 2.1. Identificação...2 2.2. As 4 questões...2 2.3. Informação adicional...2 2.4. Estrutura...2

Leia mais

CURRÍCULO DISCIPLINAR

CURRÍCULO DISCIPLINAR CURRÍCULO DISCIPLINAR 1º CEB 4º ANO 1º CEB 4º Ano de escolaridade Número de aulas previstas no ano letivo 2017/18: 1º Período 64 2º Período 55 170 dias letivos 3º Período 51 PORTUGUÊS DOMÍNIO: ORALIDADE

Leia mais

MÓDULO I [duração 25 Set > 18 Out 2012 _8AULAS T1/T2]

MÓDULO I [duração 25 Set > 18 Out 2012 _8AULAS T1/T2] Licenciatura em Design Industrial Unidade curricular de Desenho e Representação do Produto Professora Paula Tavares 2012/13 MÓDULO I [duração 25 Set > 18 Out 2012 _8AULAS T1/T2] palavras chave: representação;

Leia mais

Disciplina de Imagem e Som A 11º Ano Planificação do ano lectivo de 2011/2012

Disciplina de Imagem e Som A 11º Ano Planificação do ano lectivo de 2011/2012 Disciplina de Imagem e Som A 11º Ano Planificação do ano lectivo de 2011/2012 Professor: Alberto Pires TEMAS / CONTEÚDOS OBJECTIVOS METODOLOGIA 1º Período I Comunicação e Cultura audiovisual 1 1 Imagem

Leia mais

Oficina Geoplano. As atividades apresentadas têm o objetivo de desenvolver as seguintes habilidades:

Oficina Geoplano. As atividades apresentadas têm o objetivo de desenvolver as seguintes habilidades: Oficina Geoplano 1. Introdução O objetivo desta oficina é trabalhar com os alunos alguns conceitos ligados a medidas de comprimento e área de figuras planas, bem como investigar o Teorema de Pitágoras.

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS RELATÓRIOS

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS RELATÓRIOS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS RELATÓRIOS Os constituem uma outra forma de visualizar os dados armazenados nas tabela ou disponibilizados numa consulta. No

Leia mais