PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE. Reservas Provadas da Petrobras em 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE. Reservas Provadas da Petrobras em 2014"

Transcrição

1 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Reservas Provadas da Petrobras em 2014 Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2015 Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras comunica o volume de suas reservas provadas de petróleo (óleo e condensado) e gás natural, apuradas no final de 2014 segundo os critérios ANP/SPE (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis / Society of Petroleum Engineers) e SEC (US Securities and Exchange Commission). Reservas Provadas segundo Critérios ANP/SPE: Segundo estes critérios de classificação e apropriação de reservas, em 31 de dezembro de 2014, as reservas provadas de óleo, condensado e gás natural da Petrobras atingiram 16,612 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), conforme a Tabela 1, representando um aumento de 0,3% em relação a 2013 (16,565 bilhões de boe): Tabela 1 Volumes de Reservas Provadas (critérios ANP/SPE) em 2014 Discriminação Reservas Provadas Óleo e Condensado (bilhão bbl) 13,686 Brasil Gás Natural (bilhão m3) 396,895 Óleo Equivalente (bilhão boe) 16,183 Óleo e Condensado (bilhão bbl) 0,270 Internacional Gás Natural (bilhão m3) 27,146 Óleo Equivalente (bilhão boe) 0,429 Óleo e Condensado (bilhão bbl) 13,956 Total Petrobras Gás Natural (bilhão m3) 424,041 Óleo Equivalente (bilhão boe) 16,612 Aparentes diferenças na soma de parcelas são frutos de arredondamentos

2 Conforme ilustrado no Gráfico 1, em adição às reservas provadas de 2013 (16,565 bilhões de boe), foi apropriado um volume de 1,150 bilhão de boe durante o ano de Por outro lado, foram realizados desinvestimentos que proporcionaram a monetização antecipada de 0,164 bilhão de boe de reservas provadas na Colômbia, Peru, Argentina e Estados Unidos (com a correspondente dedução deste volume) e também a devolução de 11 concessões no Brasil (Caravela, Estrela do Mar, Cavalo Marinho, Tubarão, Iraí, Pojuca Norte, Gaiúba, Carataí, Moréia, Carapiá e Guaiamá) que acarretou uma dedução de reservas provadas no montante de 0,043 bilhão de boe. O balanço entre apropriações, vendas de ativos (monetização de reservas da Petrobras no exterior) e devoluções de concessões no Brasil resultou em um acréscimo de 0,943 bilhão de boe às reservas provadas da Petrobras, mais do que compensando a produção de 2014, que foi de 0,896 bilhão de boe, conforme mostra o Gráfico 1. Convém ressaltar que esse volume produzido de 0,896 bilhão de boe em 2014 não considera os Testes de Longa Duração (TLD) em blocos exploratórios no Brasil nem a produção da Bolívia, uma vez que para este país, de acordo com o artigo 357 da sua Constituição (promulgada em 07/02/2009), as reservas não podem ser registradas pelo concessionário e, no caso dos TLDs a área ainda é exploratória, não tendo sido declarada comercialidade, portanto ainda não possui reserva associada. Gráfico 1 - Evolução das Reservas Provadas em 2014: Consolidado (critérios ANP/SPE, bilhões de boe)

3 A Tabela 2 detalha a evolução das reservas provadas no Brasil e no exterior em 2014, ainda segundo os critérios ANP/SPE: Tabela 2 Evolução das Reservas Provadas em 2014: Brasil e Internacional (critérios ANP/SPE) Composição das reservas provadas Brasil Internacional Total Petrobras a) Reservas Provadas Dezembro/ ,973 0,592 16,565 b) Apropriações de Reservas Provadas em ,091 0,059 1,150 c) Monetização de Reservas em ,000-0,164-0,164 d) Devoluções de concessões em ,043 0,000-0,043 e) Balanço de 2014 (b+c+d) 1,049-0,105 0,943 f) Produção do Ano de ,839-0,057-0,896 g) Variação Anual (e+f) 0,210-0,163 0,047 h) Reservas Provadas Dezembro/2014 (a+g) 16,183 0,429 16,612 Aparentes diferenças na soma de parcelas são frutos de arredondamentos Como resultado, a Petrobras apresentou um Índice de Reposição de Reservas (IRR) de 105%. Ou seja, os volumes apropriados, subtraídos os volumes monetizados de forma antecipada por meio de desinvestimentos, e aqueles devolvidos, foram 5% superiores à produção do ano de Salienta-se que, em 2014, a produção de óleo equivalente da Petrobras considerada nesta estimativa de reservas teve incremento de 4,1% em relação a 2013 (0,861 bilhão de boe). Isso quer dizer que, mesmo com o aumento significativo do volume produzido, a Companhia manteve o crescimento de suas reservas provadas. É importante registrar que a venda de ativos de exploração e produção na Colômbia, Peru, Argentina e Estados Unidos ocorreu entre setembro de 2013 e fevereiro de A venda foi realizada em momentos de elevado patamar de preços de petróleo (que variaram de 108,00 US$/bbl a 111,90 US$/bbl, nos meses de realização das vendas), anteriores à recente e rápida queda de preços observada no mercado. Como informação, caso a Petrobras não tivesse monetizado estas reservas em 2014, apresentaria um Índice de Reposição de Reservas Orgânico (*) de 124%. (*) Índice utilizado na Indústria do Petróleo que é calculado sem considerar os ativos monetizados

4 No Brasil, no ano de 2014, ressalta-se o expressivo crescimento de 23% das reservas provadas do Pré-Sal em relação ao ano de Deste modo, o Pré-Sal passou a responder por mais de 30% das reservas provadas da Petrobras em apenas seis anos após o início da produção do primeiro barril do Pré-Sal, que foi na Bacia de Campos, em Este crescimento de reservas provadas contribuiu de forma significativa para que Petrobras, no Brasil, obtivesse como resultado um Índice de Reposição de Reservas de 125%, ficando acima de 100% pelo vigésimo terceiro ano consecutivo. A produção da Petrobras no Brasil este ano foi de 0,839 bilhões de boe, excluindose os TLDs, 4,9% acima da produção em A Tabela 3 detalha os indicadores Índice de Reposição de Reservas (IRR) e Relação Reserva e Produção (R/P) da Petrobras no Brasil e no exterior. A R/P da Companhia alcança 18,5 anos, sendo de 19,3 anos se considerarmos apenas as reservas e a produção no Brasil: Tabela 3 Indicadores de Reservas (critérios ANP/SPE) em 2014 Indicadores Brasil Internacional Total Petrobras IRR 125% -183% 105% R/P 19,3 anos 7,5 anos 18,5 anos Os destaques de 2014, em termos de reservas provadas no Brasil, foram: Declaração de comercialidade de cinco áreas exploratórias do Pré-Sal, sendo quatro relativas ao Contrato de Cessão Onerosa, que originaram oito campos: Sépia (Nordeste de Tupi), Itapu (Florim), Sul de Sapinhoá (Sul de Guará), Atapu (Entorno de Iara), Norte de Berbigão (Entorno de Iara), Sul de Berbigão (Entorno de Iara), Norte de Sururu (Entorno de Iara) e Sul de Sururu (Entorno de Iara), e uma de Contrato de Concessão na Bacia de Santos que originou três novos campos: Berbigão (BM-S-11), Oeste de Atapu (BM-S-11) e Sururu (BM-S-11): - Nesses campos da Cessão Onerosa foi apropriado um volume de 0,243 bilhão de boe como reserva provada em 2014; - Esses oito campos da Cessão Onerosa, adicionados aos dois que tiveram declaração de comercialidade realizada em 2013 (Búzios e Sul de Lula), permitirão a produção do volume contratado de 5 bilhões de boe. Para efeito de classificação de reservas, a apropriação deste volume contratado como Reserva Provada ocorrerá ao longo dos próximos anos, em função das atividades de

5 desenvolvimento da produção e de acordo com os critérios ANP/SPE e SEC. Atualmente as áreas da Cessão Onerosa contabilizam este volume de 5 bilhões de boe como Reservas Totais. No mapa 1 estão ilustradas as localizações dos campos que tiveram Declaração de Comercialidade realizada em 2014, na Bacia de Santos. Mapa 1 Campos com Declaração de Comercialidade em 2014 Bacia de Santos

6 - Nos três novos campos de Contrato de Concessão do Pré-Sal da Bacia de Santos foi apropriado um volume de 0,037 bilhão de boe como reserva provada em 2014, este valor corresponde à parcela de 65% da Petrobras no consórcio relativo ao bloco BMS-11. O volume complementar ao volume descoberto economicamente recuperável será objeto de novas apropriações de reservas provadas, conforme os projetos de desenvolvimento da produção, já identificados, forem implantados ao longo dos próximos anos. Declaração de comercialidade de uma área exploratória na Bacia do Solimões, que originou o campo denominado de Arara Azul (BT-SOL-3 Bloco SOL-T-171), apropriando de imediato um volume de reserva provada de 0,008 bilhão de boe; Incorporação de 0,015 bilhão de boe de reservas provadas, a partir do sucesso continuado da atividade exploratória, de volume relativo à descoberta de nova acumulação de carbonatos albianos (área de Suruanã) próxima de infraestrutura existente, no campo de Roncador na Bacia de Campos; Incremento de reservas provadas, nos campos em produção no Pré-Sal, resultante de respostas positivas do comportamento dos reservatórios, dos mecanismos de recuperação (injeção de água) e da eficiência operacional dos sistemas de produção em operação, bem como da crescente atividade de perfuração e interligação de poços, tanto na Bacia de Santos quanto na Bacia de Campos. Desta incorporação de reservas, 43% foram de Búzios (Cessão Onerosa), 36% dos campos de Lula, Lula/Área de Iracema e Sapinhoá, na Bacia de Santos, e 21% dos campos que compõem a área denominada de Parque das Baleias, além dos campos de Marlim Leste e de Barracuda, na Bacia de Campos; e, Incremento do Fator de Recuperação dos campos produtores do Pós-Sal: campos de Marlim Leste, Marlim Sul, Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça, na Bacia de Campos. Os destaques de 2014, em termos de reservas provadas no exterior, foram: Monetização antecipada de reservas da Petrobras no Peru, Colômbia, Argentina e Estados Unidos, totalizando um volume de reserva provada de 0,164 bilhão de boe, por meio de desinvestimentos;

7 Aumento de prazo de concessões de campos na Argentina, que venceriam até 2017, por 10 anos, apropriando um volume de reserva provada de 0,031 bilhão de boe; e, Apropriações devidas à execução da campanha de poços exploratórios e de desenvolvimento da produção prevista em campos onshore da Argentina e offshore no Golfo do México americano. A Petrobras não registra reservas na Bolívia, uma vez que a Constituição deste país, como já mencionado, proíbe divulgação e registro de suas reservas. Reservas Provadas segundo Critérios SEC: Segundo estes critérios de classificação e apropriação de reservas, em 31 de dezembro de 2014, as reservas provadas de óleo, condensado e gás natural da Petrobras atingiram 13,131 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), o que representa um aumento de 0,1% em relação a 2013 (13,123 bilhões de boe), conforme a Tabela 4: Tabela 4 Volumes de Reservas Provadas (critérios SEC) em 2014 Discriminação Reservas Provadas Óleo e Condensado (bilhão bbl) 10,851 Brasil Gás Natural (bilhão m3) 295,980 Óleo Equivalente (bilhão boe) 12,713 Óleo e Condensado (bilhão bbl) 0,259 Internacional Gás Natural (bilhão m3) 27,117 Óleo Equivalente (bilhão boe) 0,418 Óleo e Condensado (bilhão bbl) 11,110 Total Petrobras Gás Natural (bilhão m3) 323,097 Óleo Equivalente (bilhão boe) 13,131 Aparentes diferenças na soma de parcelas são frutos de arredondamentos Durante o ano de 2014, foi apropriado um volume de 1,097 bilhão de boe às reservas provadas. Neste ano foram realizados desinvestimentos que proporcionaram a monetização antecipada de reservas provadas na Colômbia, Peru, Argentina e Estados Unidos, no total de 0,163 bilhão de boe, e a devolução de concessões no Brasil com reservas provadas de 0,030 bilhão de boe. O balanço entre apropriações, vendas e devoluções resultou em um acréscimo de 0,904 bilhão de

8 boe às reservas provadas, mais do que compensando a produção de 0,896 bilhão de boe, não considerando a produção dos Testes de Longa Duração (TLD) em blocos exploratórios no Brasil nem a produção da Bolívia, pelas razões anteriormente citadas e, no caso dos TLDs a área ainda é exploratória, não tendo sido declarada comercialidade, portanto ainda não possui reserva associada, conforme mostrado no Gráfico 2. Gráfico 2 - Evolução das Reservas Provadas em 2014 (critérios SEC, bilhões de boe) Como informação, caso a Petrobras não tivesse monetizado, de forma antecipada, reservas na Colômbia, Peru, Argentina e Estados Unidos em 2014, apresentaria um Índice de Reposição de Reservas Orgânico (*) de 120%. (*) Índice utilizado na Indústria do Petróleo que é calculado sem considerar os ativos monetizados A Petrobras apresentou um Índice de Reposição de Reservas (IRR) de 101%, ou seja, incorporou 1% a mais que sua produção no ano de Salienta-se que, em 2014, a produção de óleo equivalente da Petrobras, oriunda de reservas provadas, teve incremento de 4,1% em relação a 2013 (0,861 bilhão de boe). Portanto, mesmo com o aumento significativo do volume produzido a Companhia cresceu suas reservas provadas segundo os critérios SEC. A evolução das reservas provadas, segundo critérios SEC, consta da Tabela 5.

9 Tabela 5 Evolução das Reservas Provadas (critérios SEC) em 2014 Composição das reservas provadas Brasil Internacional Total Petrobras a) Reservas Provadas Dezembro/ ,540 0,583 13,123 b) Apropriações de Reservas Provadas em ,041 0,056 1,097 c) Monetização de reservas em ,000-0,163-0,163 d) Devolução de concessões em ,030 0,000-0,030 e) Balanço de 2014 (b+c+d) 1,011-0,107 0,904 f) Produção do Ano de ,839-0,057-0,896 g) Variação Anual (e+f) 0,172-0,164 0,008 h) Reservas Provadas Dezembro/2014 (a+g) 12,713 0,418 13,131 Aparentes diferenças na soma de parcelas são frutos de arredondamentos Os mesmos destaques feitos anteriormente para as reservas provadas segundo critérios ANP/SPE se aplicam às reservas provadas segundo critérios SEC. As principais diferenças entre os critérios ANP/SPE e SEC são: preços de venda, certos aspectos técnicos e, no caso do Brasil, o prazo de concessão. A Tabela 6 apresenta os indicadores Índice de Reposição de Reservas (IRR) e Relação Reserva e Produção (R/P) da Petrobras. Observa-se que para cada barril de óleo equivalente, extraído no ano de 2014, foi apropriado 1,01 barril, resultando em um Índice de Reposição de Reservas (IRR) de 101%. A relação Reserva/Produção (R/P) ficou em 14,7 anos. Tabela 6 Indicadores de Reservas (critérios SEC) em 2014 Indicadores Brasil Internacional Total Petrobras IRR 121% -186% 101% R/P 15,2 anos 7,3 anos 14,7 anos Também nos critérios SEC a Petrobras no Brasil obteve um Índice de Reposição de Reservas de121%, apropriando 21% mais reservas provadas do que a produção, em 2014 (0,839 bilhão de boe excluindo TLDs). Esta produção foi 4,9% maior que a produção de 2013 (0,800 bilhão de boe).

10 Vale registrar que a Petrobras historicamente certifica 95% das reservas provadas segundo os critérios SEC. Atualmente a certificadora é a D&M (DeGolyer and MacNaughton). A Petrobras esclarece que a propriedade das reservas de hidrocarbonetos é dos respectivos Estados Nacionais. Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras

Reservas Provadas da Petrobras em 2013

Reservas Provadas da Petrobras em 2013 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Reservas Provadas da Petrobras em 2013 Rio de Janeiro, 14 de janeiro de 2014 Petróleo eiro S.A. - Petrobras comunica o volume de suas

Leia mais

Reservas Provadas da Petrobras em Reservas Provadas Petrobras em 2012

Reservas Provadas da Petrobras em Reservas Provadas Petrobras em 2012 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Reservas Provadas da Petrobras em 2012 Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras comunica o volume

Leia mais

José Formigli Diretor do E&P. 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal

José Formigli Diretor do E&P. 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal José Formigli Diretor do E&P 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal LOCALIZAÇÃO DA PROVÍNCIA PRÉ-SAL LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DO PRÉ-SAL CONCESSÃO (BACIA DE SANTOS) CONCESSÃO (BACIA DE CAMPOS) (00%) BALEIA

Leia mais

Excedentes da Cessão Onerosa

Excedentes da Cessão Onerosa Maria das Graças Silva Foster Presidente Excedentes da Rio de Janeiro, 27 de junho de 2014 1 Através da a Petrobras adquiriu os direitos para explorar, avaliar e produzir até 5 bilhões de boe em seis áreas

Leia mais

Excedentes da Cessão Onerosa

Excedentes da Cessão Onerosa Excedentes da Cessão Onerosa DESDOBRAMENTOS DA REUNIÃO DO CNPE Rio de Janeiro, 24 de junho de 2014 Informações preliminares Cessão Onerosa Através da Cessão Onerosa a Petrobras adquiriu os direitos para

Leia mais

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre Clique Plano de para Negócios editar e o Gestão título mestre 2015-2019 Clique para editar o texto mestre Clique para editar o texto mestre Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 AVISOS Clique

Leia mais

Estratégia da Petrobras na Área de E&P. Paulo Henrique Costacurta Estratégia e Gestão de Portfolio de E&P 25 de setembro de 2013

Estratégia da Petrobras na Área de E&P. Paulo Henrique Costacurta Estratégia e Gestão de Portfolio de E&P 25 de setembro de 2013 Estratégia da Petrobras na Área de E&P Paulo Henrique Costacurta Estratégia e Gestão de Portfolio de E&P 25 de setembro de 2013 AGENDA ESTRATÉGIA DO E&P PANORAMA DO E&P PRÉ-SAL É UMA REALIDADE BACIA DE

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS)

PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS) PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO 2012 2016 Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS) PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2020 Santos, 23 de outubro de 2012 MERCADO DE DERIVADOS

Leia mais

MEC SHOW 2017 Conferência panorama atual e expectativas reais do setor offshore no Brasil

MEC SHOW 2017 Conferência panorama atual e expectativas reais do setor offshore no Brasil MEC SHOW 2017 Conferência panorama atual e expectativas reais do setor offshore no Brasil Investimentos previstos pela Petrobras no segmento offshore 18/07/2017 AGENDA A Unidade de Operações de Exploração

Leia mais

Produção no pré-sal bate novo recorde e ultrapassa a barreira de 500 mil barris de petróleo por dia

Produção no pré-sal bate novo recorde e ultrapassa a barreira de 500 mil barris de petróleo por dia Produção no pré-sal bate novo recorde e ultrapassa a barreira de 500 mil barris de petróleo por dia Rio de Janeiro, 1 de julho de 2014 Petróleo Brasileiro S.A. A Petrobras informa que a produção de petróleo

Leia mais

Destaques Operacionais do E&P

Destaques Operacionais do E&P Destaques Operacionais do E&P DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS DE 2015 Rio de Janeiro, março de 2016 DE&P Superação da meta de produção pela primeira vez nos últimos 13 anos Crescimento de 5,5 % na produção de

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de 2015 Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015 1 AVISOS Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 Marcelo Mafra Borges de Macedo Superintendente de Segurança Operacional e Maio Ambiente Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 O Papel

Leia mais

Rodadas de Licitação 2017 Potenciais Impactos no RJ

Rodadas de Licitação 2017 Potenciais Impactos no RJ Rodadas de Licitação 2017 Potenciais Impactos no RJ Décio Oddone, Diretor Geral Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017. Agenda 1 2 3 4 Cenário Atual Aprimoramentos Rodadas de Licitação Conclusão A Indústria

Leia mais

PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES

PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES CARLOS TADEU FRAGA Set / 2012 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores

Leia mais

Estratégia de Inovação e Tecnologia da Petrobras

Estratégia de Inovação e Tecnologia da Petrobras Estratégia de Inovação e Tecnologia da Petrobras Rio de Janeiro, 20 de abril de 2012 Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo de Pesquisas e Desenvolvimento Aviso As apresentações podem conter previsões

Leia mais

Confidencial. 23/Ago/2011 1

Confidencial. 23/Ago/2011 1 Confidencial 23/Ago/2011 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia sobre condições futuras

Leia mais

Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal

Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal PRÉ-SAL PETRÓLEO S. A. - PPSA Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal Oswaldo A. Pedrosa Jr. Fundação Getúlio Vargas (FGV) 25 de março de 2015 Rio de Janeiro, RJ 1 2 3 4 5 6 Assuntos

Leia mais

Cumprimentar os presentes Agradecer IotA Por que o tema é relevante Hámais de 30 anos... Essa nova realidade que eu gostaria de compartilhar com v.

Cumprimentar os presentes Agradecer IotA Por que o tema é relevante Hámais de 30 anos... Essa nova realidade que eu gostaria de compartilhar com v. O Pré sal: Brasil como Player Global no Setor de Petróleo Brazil Energy Roundtable: Energy & the New Administration Luiz Costamilan Cumprimentar os presentes Agradecer IotA Por que o tema é relevante Hámais

Leia mais

Farm in BS-4 e Atualização do Portfólio de Ativos

Farm in BS-4 e Atualização do Portfólio de Ativos Farm in BS-4 e Atualização do Portfólio de Ativos Setembro 2011 Aquisição de 30% de participação no Bloco BS-4 localizado na Bacia de Santos (1) (1) Sujeito à aprovação da ANP 2 Taxa de sucesso geológico

Leia mais

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard Potencial do Pré-Sal Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard O Pré-Sal como o novo paradigma Evoluçã ção o Institucional Constituição de 1934 O Regime de concessões

Leia mais

BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL EDIÇÃO 38 - JUNHO 215 M I N I S T É R I O D E M I N A S E E N E R G I A BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL D E P G @ M M E. G O V. B R E D I Ç Ã O 3 8 - J U N H O 2 1 5 INTRODUÇÃO

Leia mais

REATE PROGRAMA PARA REVITALIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM ÁREAS TERRESTRES

REATE PROGRAMA PARA REVITALIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM ÁREAS TERRESTRES REATE PROGRAMA PARA REVITALIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM ÁREAS TERRESTRES João Vicente Vieira Diretor do Departamento de Política de Exploração e Produção de

Leia mais

Petrobras tem lucro líquido de R$ milhões nos nove meses de 2015

Petrobras tem lucro líquido de R$ milhões nos nove meses de 2015 Nota à Imprensa 12 de novembro de 2015 Petrobras tem lucro líquido de R$ 2.102 milhões nos nove meses de 2015 No terceiro trimestre de 2015, a Companhia apresentou prejuízo de R$ 3.759 milhões O lucro

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T17

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T17 Clique para editar o título mestre Clique para editar o texto mestre DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS Clique para editar o texto mestre Teleconferência / Webcast 12 de Maio de 2017 Avisos Estas apresentações podem

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA O SETOR PETROLÍFERO E PARA A PETROBRAS

ALTERNATIVAS PARA O SETOR PETROLÍFERO E PARA A PETROBRAS ALTERNATIVAS PARA O SETOR PETROLÍFERO E PARA A PETROBRAS Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos Pedro Garrido da Costa Lima Consultor Legislativo

Leia mais

DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL

DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL Adriano Drummond Cançado Trindade Outubro/2016 Manchetes de 6/10/2016 Câmara aprova mudança no présal Câmara acaba com fatia obrigatória da Petrobras no pré-sal

Leia mais

Petrobras Update. Outubro de 2015

Petrobras Update. Outubro de 2015 Petrobras Update Outubro de 2015 AVISOS Esta apresentação pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia sobre condições futuras

Leia mais

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Marco Antônio Martins Almeida Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis spg@mme.gov.br Rio de Janeiro, 21

Leia mais

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Agosto de 2013

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Agosto de 2013 Agosto de 2013 Relatório de Certificação de Reservas de Manati Referente a 31 de dezembro de 2012 QGEP Av Almirante Barroso, N.52, Sala 1301 Centro Rio de Janeiro - RJ Cep: 20031-918 T 55 21 3509-5800

Leia mais

A Financiabilidade do Plano de Negócios e Gestão da Petrobras. Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

A Financiabilidade do Plano de Negócios e Gestão da Petrobras. Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores A Financiabilidade do Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 da Petrobras Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 20 de Agosto de 2013 1 Aviso Estas apresentações podem

Leia mais

SITUAÇÃO DA PETROBRAS E POSSÍVEL UTILIZAÇÃO DE RESERVAS INTERNACIONAIS

SITUAÇÃO DA PETROBRAS E POSSÍVEL UTILIZAÇÃO DE RESERVAS INTERNACIONAIS SITUAÇÃO DA PETROBRAS E POSSÍVEL UTILIZAÇÃO DE RESERVAS INTERNACIONAIS Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO TÉCNICO MAIO/2016 2016

Leia mais

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Setembro 2014 07/10/2014 1 A Dinamus Somos uma empresa de consultoria e inteligência de mercado especializada no desenvolvimento de negócios

Leia mais

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do E&P PRÉ-SAL: confirma sua posição de província petrolífera de classe mundial... Grandes reservatórios

Leia mais

Divulgação de Resultados

Divulgação de Resultados Divulgação de Resultados 2º trimestre de 2010 (legislação societária) 13 de agosto de 2010 Conferência com a Imprensa Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 1 AVISO

Leia mais

INVESTIMENTOS NO INTERIOR PAULISTA

INVESTIMENTOS NO INTERIOR PAULISTA SEGUNDO CAPÍTULO FÓRUM RAC2017 - CAMINHOS DA RETOMADA 17 de Julho de 2017 A MATRIZ ENERGÉTICA BASEADA NO PETRÓLEO E GÁS : NECESSIDADES E OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTOS NO INTERIOR PAULISTA Celso Morooka

Leia mais

Estratégia Tecnológica da Petrobras

Estratégia Tecnológica da Petrobras Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil Rio de Janeiro, 1º de setembro de 2011 Estratégia Tecnológica da Petrobras Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do CENPES Petrobras no mundo

Leia mais

A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal

A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal Prof. Edmar de Almeida Grupo de Economia de Energia Instituto de Economia

Leia mais

As Licitações da ANP: Oportunidade Histórica para a Indústria Petrolífera Mundial Eliane Petersohn Superintendente de Definição de Blocos

As Licitações da ANP: Oportunidade Histórica para a Indústria Petrolífera Mundial Eliane Petersohn Superintendente de Definição de Blocos As Licitações da ANP: Oportunidade Histórica para a Indústria Petrolífera Mundial Eliane Petersohn Superintendente de Definição de Blocos Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Roteiro

Leia mais

A REGULAÇÃO BRASILEIRA E A ATUAÇÃO DA SONANGOL 30/06-01/

A REGULAÇÃO BRASILEIRA E A ATUAÇÃO DA SONANGOL 30/06-01/ 1 A REGULAÇÃO BRASILEIRA E A ATUAÇÃO DA SONANGOL 30/06-01/07 2011 A Regulação Brasileira e a atuação da SONANGOL 2 2 AGENDA 1 PANORAMA HISTÓRICO 2- PORTFÓLIO 3 REGULAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA HISTÓRICO 3

Leia mais

Conferência Telefônica / Webcast. Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli Presidente

Conferência Telefônica / Webcast. Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli Presidente Conferência Telefônica / Webcast Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas José Sergio Gabrielli Presidente 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos

Leia mais

AGENDA PRÉ-SAL HISTÓRICO ESTRATÉGIA LOGÍSTICA PRINCIPAIS RESULTADOS PERSPECTIVAS

AGENDA PRÉ-SAL HISTÓRICO ESTRATÉGIA LOGÍSTICA PRINCIPAIS RESULTADOS PERSPECTIVAS MAURO YUJI HAYASHI 27 / Junho / 2013 AGENDA PRÉ-SAL HISTÓRICO ESTRATÉGIA LOGÍSTICA PRINCIPAIS RESULTADOS PERSPECTIVAS O que é o pré-sal Localização remota a 300 km da costa Lâmina d água pode exceder 2000

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL RELATÓRIO em 31 DE DEZEMBRO DE 2010 acerca dos RECURSOS CONTINGENTES atribuíveis a CERTOS ATIVOS pertencentes à OGX PETRÓLEO e GÁS PARTICIPAÇÕES S.A. nas BACIAS DE CAMPOS e DO PARNAÍBA da REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS

CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS Alfredo Renault Campinas, 11 de novembro de 2015 SUMÁRIO I. PETROBRAS PLANO DE NEGÓCIOS II. PRÉ-SAL III. PRIORIDADES E DESINVESTIMENTOS

Leia mais

Outro destaques operacionais do E&P 12/11/2015 DE&P

Outro destaques operacionais do E&P 12/11/2015 DE&P Outro destaques operacionais do E&P 12/11/2015 DE&P Evolução da Produção de Óleo e Gás da Crescimento de 6% nos últimos 12 meses, com destaque para Produção Nacional (8%) Produção de Óleo e Gás do E&P

Leia mais

Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras

Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras TÓPICOS PROPOSTOS 1 -PETROBRAS MARCOS ESCOLHIDOS 2 - PLANO DE INVESTIMENTO 2009/2013 E FINANCIAMENTO 3 - VALORAÇÃO

Leia mais

Lucro líquido do primeiro semestre alcançou R$ 16 bilhões 21 milhões

Lucro líquido do primeiro semestre alcançou R$ 16 bilhões 21 milhões Nota à Imprensa 13 de agosto de 2010 Lucro líquido do primeiro semestre alcançou R$ 16 bilhões 21 milhões Aumento foi de 11% sobre o 1º semestre de 2009, principalmente devido ao aumento da cotação do

Leia mais

Pré-sal: Oportunidades e Desafios

Pré-sal: Oportunidades e Desafios Pré-sal: Oportunidades e Desafios PRÉ-SAL PETRÓLEO S. A. -PPSA Comitê de Energia - Britcham 27 de Maio de 2014 OSWALDO A. PEDROSA JR Pré-Sal Petróleo S. A. -PPSA 1 2 3 4 5 Pré-Sal: História e Expectativa

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2012/ de Agosto de 2012

Plano de Negócios e Gestão 2012/ de Agosto de 2012 Plano de Negócios e Gestão 2012/2016 15 de Agosto de 2012 PNG 2012-2016 Investimento total da Petrobras: US$ 236,6 bilhões 0 Investimento na área de E&P: US$ 131,6 bilhões* 19% 68% (25,4) (89,9) 12% (16,3)

Leia mais

A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS

A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO MARÇO/2015 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

PARNAÍBA GÁS NATURAL. Gas onshore Desafios e Oportunidades de Exploração em Bacias de Nova Fronteira

PARNAÍBA GÁS NATURAL. Gas onshore Desafios e Oportunidades de Exploração em Bacias de Nova Fronteira PARNAÍBA GÁS NATURAL Gas onshore Desafios e Oportunidades de Exploração em Bacias de Nova Fronteira QUEM SOMOS A PGN é uma empresa independente de exploração e produção que opera na Bacia do Parnaíba,

Leia mais

PRÉ-SAL: A CONTRIBUIÇÃO DA EMPRESA NACIONAL

PRÉ-SAL: A CONTRIBUIÇÃO DA EMPRESA NACIONAL Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças as PRÉ-SAL: A CONTRIBUIÇÃO DA EMPRESA NACIONAL Guilherme de Oliveira Estrella Petrobras DE&P Rio de Janeiro, 23 de março de 2010 Informações A apresentação

Leia mais

CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Terezinha Rauta Dias de Morais e Silva Superintendência de Exploração Abril/2013 1 SUMÁRIO I - Base Legal II

Leia mais

Magda Chambriard Diretoria II Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (11/03/2009)

Magda Chambriard Diretoria II Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (11/03/2009) Potencial Petrolífero Brasileiro Magda Chambriard Diretoria II Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (11/03/2009) Evolução da História Institucional Brasileira Emenda Constitucional

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T17

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T17 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS Clique para editar o título Clique para editar o texto Coletiva de Imprensa 10 de Agosto de 2017 Clique para editar o texto Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

S M E Comissão de Energia 28/04/2010

S M E Comissão de Energia 28/04/2010 Oportunidades e Desafios do Pré-Sal S M E Comissão de Energia 28/04/2010 HIDROCARBONETOS Definição Compostos orgânicos constituídos de átomos de carbono e hidrogênio. PETRÓLEO INDÚSTRIA DE PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

da Petrobrás Audiência Pública Comissão Especial da Câmara dos Haroldo Lima Diretor Geral - ANP 21 de outubro de 2009

da Petrobrás Audiência Pública Comissão Especial da Câmara dos Haroldo Lima Diretor Geral - ANP 21 de outubro de 2009 A capitalização da Petrobrás Audiência Pública Comissão Especial da Câmara dos Deputados que examina o PL 5.941/09 Haroldo Lima Diretor Geral - ANP 21 de outubro de 2009 -Contexto.evolução do papel do

Leia mais

-1- RESULTADOS 2T14 15 de agosto de 2014

-1- RESULTADOS 2T14 15 de agosto de 2014 -1- RESULTADOS 2T14 15 de agosto de 2014 AVISO LEGAL Esta apresentação contêm declarações acerca de eventos futuros. Todas as declarações exceto aquelas relativas a fatos históricos contidas nesta apresentação

Leia mais

Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D

Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D Seminário sobre INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Rio de Janeiro, 28 de maio de 2015 Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D André Fachetti Gerente Geral de Gestão Tecnológica PETROBRAS / CENPES Agenda

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Teleconferência / Webcast 13 de Maio de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Teleconferência / Webcast 13 de Maio de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre 2016 Teleconferência / Webcast 13 de Maio de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas

Leia mais

José Sergio Gabrielli Presidente. 24 de Agosto de 2011

José Sergio Gabrielli Presidente. 24 de Agosto de 2011 José Sergio Gabrielli Presidente 24 de Agosto de 2011 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia

Leia mais

Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica. Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica

Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica. Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica Roberto Murilo Carvalho de Souza Gerente de Estratégia Tecnológica CENPES PETROBRAS

Leia mais

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA ATRIBUIÇÕES LEGAIS DOS ENGENHEIROS DE MINAS E DE PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 CONSELHO

Leia mais

Flexibilidade no conteúdo das concessionárias

Flexibilidade no conteúdo das concessionárias Flexibilidade no conteúdo das concessionárias Luiz Cezar P. Quintans* Sócio responsável pela área Petróleo e Gás de TozziniFreire Advogados Este artigo procurará ressaltar as alterações introduzidas pelo

Leia mais

Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil

Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil 16 de outubro de 2014 Declaração da ASX Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil Recebimento da sonda previsto nas próximas 2-3 semanas Início da perfuração de Kangaroo-2 planejado para novembro

Leia mais

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril).

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril). PETRÓLEO Rafael Nogueira Julia Febraro sendo 24,7% da produção óleo leve (>=31 API), 46,4% óleo médio (>=22 API e

Leia mais

APIMEC Rio de Janeiro 17 de dezembro de 2013

APIMEC Rio de Janeiro 17 de dezembro de 2013 APIMEC 2013 Rio de Janeiro 17 de dezembro de 2013 AÇÕES IMPLEMENTADAS Adequação da estrutura organizacional/redução de despesas Redução da frota de sondas e pessoal Aquisição de participação nos Campos

Leia mais

Perspectivas para o Setor de Óleo e Gás Brasileiro e as Rodadas de Licitações da ANP

Perspectivas para o Setor de Óleo e Gás Brasileiro e as Rodadas de Licitações da ANP Perspectivas para o Setor de Óleo e Gás Brasileiro e as Rodadas de Licitações da ANP Magda Chambriard Diretora-Geral Agosto, 203 Sumário 2 3 4 5 6 Retomada das Rodadas de Licitações da ANP Cenário Atual

Leia mais

A EXPLORAÇÃO PETROLÍFERA NAS BACIAS SEDIMENTARES (parte terrestre) de SE/AL e PE/PB sob jurisdição do DISTRITO DE EXPLORAÇÃO DO NORDESTE DENEST.

A EXPLORAÇÃO PETROLÍFERA NAS BACIAS SEDIMENTARES (parte terrestre) de SE/AL e PE/PB sob jurisdição do DISTRITO DE EXPLORAÇÃO DO NORDESTE DENEST. A EXPLORAÇÃO PETROLÍFERA NAS BACIAS SEDIMENTARES (parte terrestre) de SE/AL e PE/PB sob jurisdição do DISTRITO DE EXPLORAÇÃO DO NORDESTE DENEST. 1. INTRODUÇÃO Ivo Lúcio Santana Marcelino da Silva DENEST/DINTER/SETAB

Leia mais

O desafio. energia. Plano Estratégico Plano de Negócios e Gestão Indicadores. 1,2% 1% 1% US$ 220,6 bilhões 0,4% 5% 4% 16% 12% 18% 20%

O desafio. energia. Plano Estratégico Plano de Negócios e Gestão Indicadores. 1,2% 1% 1% US$ 220,6 bilhões 0,4% 5% 4% 16% 12% 18% 20% PANORAMA O desafio é a nossa energia Criada em 1953, a Petrobras atua de forma integrada nas atividades de exploração e produção, refino, comercialização, transporte e petroquímica, distribuição de derivados,

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012 Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012 Nota à Imprensa 15 de maio de 2012 O lucro líquido do trimestre aumentou 82% na comparação com o 4º trimestre de 2011

Leia mais

A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS

A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS i A SITUAÇÃO ECONÔMICA, FINANCEIRA E OPERACIONAL DA PETROBRAS Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO MARÇO/2015 ii SUMÁRIO 1. Introdução

Leia mais

SEÇÃO 1 Panorama Internacional. Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços. Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção

SEÇÃO 1 Panorama Internacional. Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços. Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção SEÇÃO 1 Panorama Internacional Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção 1 Esta seção apresenta informações sobre o desempenho da indústria mundial

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões

Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões Nota à Imprensa 9 de agosto de 2013 O lucro líquido no 1º semestre de 2013 subiu 77% em relação ao semestre anterior,

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS Exercício de de Abril de 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS Exercício de de Abril de 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS Exercício de 2014 22 de Abril de 2015 AVISOS Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre 2015 e Exercício Apresentação para Imprensa 21 de Março de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre 2015 e Exercício Apresentação para Imprensa 21 de Março de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre e Exercício Apresentação para Imprensa 21 de Março de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

PARNAÍBA GÁS NATURAL. Fórum CONFAP. 19 de agosto de 2016

PARNAÍBA GÁS NATURAL. Fórum CONFAP. 19 de agosto de 2016 PARNAÍBA GÁS NATURAL Fórum CONFAP 19 de agosto de 2016 QUEM SOMOS A PGN é uma empresa independente de exploração e produção que opera na Bacia do Parnaíba, no Maranhão. Atualmente, opera 7 campos, 7 Planos

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre 2015 e Exercício Teleconferência / Webcast 22 de Março de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre 2015 e Exercício Teleconferência / Webcast 22 de Março de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4º Trimestre e Exercício Teleconferência / Webcast 22 de Março de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

AULA INAUGURAL ESCOLA POLITÉCNICA DA USP Engenharia de Petróleo

AULA INAUGURAL ESCOLA POLITÉCNICA DA USP Engenharia de Petróleo AULA INAUGURAL ESCOLA POLITÉCNICA DA USP Engenharia de Petróleo João Carlos de Souza Meirelles Secretário de Energia e Mineração Fevereiro/2016 Santos/SP Produção de P&G em São Paulo Gás Natural Terrestre

Leia mais

Perspectiva sobre a precificação futura da Nafta. Novembro 2008

Perspectiva sobre a precificação futura da Nafta. Novembro 2008 Perspectiva sobre a precificação futura da Nafta Novembro 2008 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas

Leia mais

São Paulo, sua plataforma de negócios para Petróleo e Gás no Brasil

São Paulo, sua plataforma de negócios para Petróleo e Gás no Brasil São Paulo, sua plataforma de negócios para Petróleo e Gás no Brasil Brasil emerge uma nova potência mundial A crescente produção da indústria brasileira de petróleo e gás natural (P&G) faz com que sua

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre 2016 Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas

Leia mais

A PPSA e os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País

A PPSA e os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País A PPSA e os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País PRÉ-SAL PETRÓLEO S. A. - PPSA Fórum Pensamento Estratégico - Unicamp 4 de Junho de 2014 OSWALDO A. PEDROSA JR ANTONIO CLÁUDIO DE FRANÇA

Leia mais

Oportunidades no Setor de Petróleo e Gás Natural no Brasil Rodadas de Licitações

Oportunidades no Setor de Petróleo e Gás Natural no Brasil Rodadas de Licitações ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Oportunidades no Setor de Petróleo e Gás Natural no Brasil Rodadas de Licitações 2017-2019 Junho, 2017 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS

Leia mais

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril).

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril). PETRÓLEO Júlia Febrano/Fernanda Delgado A) PRODUÇÃO, CONSUMO E SALDO COMERCIAL DO PETRÓLEO. O mês de fevereiro de 217 apresentou queda de 1,5% da produção de óleo bruto em relação ao mês anterior, e crescimento

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2020 e Plano de Negócios

Plano Estratégico Petrobras 2020 e Plano de Negócios PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano Estratégico Petrobras 2020 e Plano de Negócios 2008 2012 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2007 PETRÓLEO BRASILEIRO S/A PETROBRAS,

Leia mais

14º Encontro de Energia São Paulo - 05/08/2013

14º Encontro de Energia São Paulo - 05/08/2013 INSTITUTO BRASILEIRO DE PETRÓLEO, GÁS E BIOCOMBUSTÍVEIS 14º Encontro de Energia São Paulo - 05/08/2013 Petróleo e Biocombustíveis Painel : A Eterna Busca da Autossuficiência Flávio Ofugi Rodrigues Diretor

Leia mais

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO NO BRASIL

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO NO BRASIL EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO NO BRASIL RESULTADOS E PERSPECTIVAS 29 de agosto de 2012 Eduardo Alessandro Molinari. :. COORDENADOR E&P-CORP AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros.

Leia mais

RESULTADOS 2T15 AGOSTO DE 2015

RESULTADOS 2T15 AGOSTO DE 2015 RESULTADOS AGOSTO DE 2015 AVISO LEGAL Esta apresentação contêm declarações acerca de eventos futuros. Todas as declarações exceto aquelas relativas a fatos históricos contidas nesta apresentação são declarações

Leia mais

2. METODOLOGIA DE PESQUISA

2. METODOLOGIA DE PESQUISA 2. METODOLOGIA DE PESQUISA O presente capítulo apresenta a metodologia de pesquisa proposta e procura-se dar uma visão geral do que será feito para atingir os objetivos. Está dividido em seis partes: i)

Leia mais

Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D

Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D Seminário sobre INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Rio de Janeiro, 24 de maio de 2016 Sistema Tecnológico da Petrobras: Uma Visão de P&D André Fachetti Gerente Geral de Gestão Tecnológica PETROBRAS / CENPES Agenda

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO Silvio Jablonski Chefe de Gabinete Agência Nacional do Petróleo, Gás

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2º Trimestre de Teleconferência / Webcast 11 de Agosto de 2014

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2º Trimestre de Teleconferência / Webcast 11 de Agosto de 2014 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2º Trimestre de 2014 Teleconferência / Webcast 11 de Agosto de 2014 AVISOS Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

O Sistema Tecnológico da PETROBRAS

O Sistema Tecnológico da PETROBRAS O Sistema Tecnológico da PETROBRAS José Roberto Fagundes Netto Gerente Geral de P&D em Geoengenharia e Engenharia de Poço do CENPES Rio de Janeiro, 29 de maio de 2014 Aviso As apresentações podem conter

Leia mais

O Sistema Tecnológico da PETROBRAS

O Sistema Tecnológico da PETROBRAS O Sistema Tecnológico da PETROBRAS José Roberto Fagundes Netto Gerente Geral de P&D em Geoengenharia e Engenharia de Poço do CENPES Rio de Janeiro, 29 de maio de 2014 Aviso As apresentações podem conter

Leia mais

Informações Condensadas do 3º trimestre de 2014

Informações Condensadas do 3º trimestre de 2014 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Informações Condensadas do 3º trimestre de 2014 Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 2014 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras esclarece que

Leia mais

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Maio 2016

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Maio 2016 Maio 2016 Relatório de Certificação de Reservas de Manati Referente a 31 de dezembro de 2015 QGEP Av Almirante Barroso, N.52, Sala 1301 Centro Rio de Janeiro - RJ Cep: 20031-918 T 55 21 3509-5800 QGEP

Leia mais

Reativação da Atividade de E&P no Brasil. Alejandro Duran Diretor - ABESPetro

Reativação da Atividade de E&P no Brasil. Alejandro Duran Diretor - ABESPetro Reativação da Atividade de E&P no Brasil Alejandro Duran Diretor - ABESPetro A associação Segmentos Segmentos 48 Empresas Associadas: Associadas - 100% do pessoal no setor de E&P Círculos de fornecedores

Leia mais

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Maio 2014

Relatório de Certificação de Reservas de Manati. Referente a 31 de dezembro de Maio 2014 Maio 2014 Relatório de Certificação de Reservas de Manati Referente a 31 de dezembro de 2013 QGEP Av Almirante Barroso, N.52, Sala 1301 Centro Rio de Janeiro - RJ Cep: 20031-918 T 55 21 3509-5800 QGEP

Leia mais

PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Comissão de Serviços de Infraestrutura e Comissão de Assuntos Econômicos Édison Lobão Ministro de 23/08/2011 1 Principais Participações Governamentais

Leia mais