BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"

Transcrição

1 BOM DIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

2 CURSO ASB UNIODONTO DRA. NANCI CATANDI PERRONE

3 OSSOS DA FACE MAXILA Forma o maxilar Limite inferior da cavidade orbitária Separa através do processo palatino a cavidade bucal e fossas nasais

4 OSSOS DA FACE OSSO ZIGOMÁTICO Forma a parte lateral da face junto com a maxila HIÓIDE Parte inferior do pescoço entre a faringe e a mandíbula ligada ao crânio por ligamentos.

5 OSSOS DA FACE NASAIS Forma o dorso do nariz LACRIMAIS Delimita a fossa lacrimal CONCHAS NASAIS Situados na cavidade do nariz

6 OSSOS DA FACE VÔMER Pequeno osso da parte inferior do crânio. Contribui para a formação do septo nasal. OSSO PALATINO Fica no fundo da cavidade bucal

7 OSSOS DA FACE MANDÍBULA Único osso móvel da face. Possui um corpo com dois ramos ascendentes. O ramo apresenta o côndilo que vai formar com a fossa do osso temporal a ATM. Comporta os dentes inferiores.

8 ARTICULAÇÃO TEMPORO MANDIBULAR ESTRUTURAS ATM Fossa glenóide - depressão no osso temporal ao meato acústico externo Eminência articular - porção elevada do osso temporal Côndilo Ligamentos Cápsula articular Menisco

9 MUCOSA Tecido que reveste as cavidades úmidas do corpo Cavidades internas que têm contato com o exterior Quase todas segregam muco

10 LÁBIOS Dão acesso à cavidade bucal. Externamente revestida por pele e internamente por mucosa. 1. Superior 2. Inferior 3. Comissura labial 4. Borda de Vermilion

11 TIPOS DE MUCOSA DA CAVIDADE ORAL Mucosa de Revestimento Macia e úmida Habilidade de esticar e comprimir Não está ligada ao osso Cor vermelho brilhante Abundante de vasos sanguíneos Reveste lábios, bochechas e parte inferior da língua.

12 TIPOS DE MUCOSA DA CAVIDADE ORAL Mucosa Mastigatória Textura firme (queratinizada) Cor rosa clara ou pigmentada Confere maior proteção para suportar atividade mastigatória Mais ligada ao osso

13 TIPOS DE MUCOSA DA CAVIDADE ORAL Mucosa Especializada Recobre o dorso da língua sob a forma de papilas

14 LÍNGUA Composta por músculos Mucosa especializada Papilas- responsáveis pelo paladar e tato Dividida em dorso e região sublingual Assoalho bucal entre a lingua e os dentes inferiores

15 FUNÇÕES DA LÍNGUA Fala Movimentação dos alimentos para a mastigação Tato através de sensores Gustação através das papilas gustativas Deglutição Limpeza da cavidade bucal

16 MUCOSA Mucosa Alveolar Fina, vermelha e pouco aderida ao osso Linha Muco- Gengival Linha que divide a mucosa alveolar da gengiva inserida

17 GENGIVA Recobre o processo alveolar, circundando os dentes Gengiva Marginal Livre Rosada Não é colada nos dentes 1mm de espessura Forma o sulco gengival Gengiva Interdental Papila interdental Preenche os espaços entre os dentes

18 GENGIVA Recobre o processo alveolar circundando os dentes Gengiva Inserida Vai da base do sulco gengival à linha mulcogengival É bem aderida ao osso pontilhada (casca de laranja) Coloração variável Sulco Gengival Tem 1 a 3mm de espessura Fica entre o dente e a gengiva

19 GLÂNDULAS SALIVARES Produzem a saliva serosa (mais líquida) e mucosa (mais densa). FUNÇÕES DA SALIVA Lubrificação e limpeza Digestão Processo de remineralização dos dentes Formação de Biofilme

20 GLÂNDULAS SALIVARES TIPOS DE GLÂNDULAS SALIVARES Menores: São mais numerosas e espalhadas pela mucosa palatina labial e lingual. Maiores: Parótida Sublingual Submandibular

21 GLÂNDULAS SALIVARES É a maior PARÓTIDA Produz 25% da saliva Localizada nas bochechas Descarrega saliva através do ducto parotídeo (ducto de Stensen)

22 GLÂNDULAS SALIVARES SUBLINGUAL É a menor Produz 10% da saliva Localizada abaixo da língua Descarrega pelo ducto sublingual (ducto de Bartholin)

23 GLÂNDULAS SALIVARES SUBMANDIBULAR É a segunda maior Produz 60 a 65% da saliva Localizada na fossa submandibular Descarrega pelo ducto submandibular (Ducto de Wharton) carúnculas sublinguais

24 PALATO PALATO DURO Separa a cavidade nasal da oral É recoberto por mucosa bem aderida ao osso Suas Estruturas Papila incisiva Pregas palatinas Rafe palatina (glândulas)

25 PALATO PALATO MOLE Terço posterior móvel do palato Sem suporte ósseo Termina na região da úvula (limite com a faringe)

26 FREIOS Tecido estreito que conecta duas estruturas Labial superior: Une o lábio superior à mucosa alveolar na linha média Labial inferior: Une o lábio inferior à mucosa alveolar na linha média Labial lingual: Une a língua ao assoalho da boca na linha média Vestibulares: Une a bochecha à mucosa alveolar

27 CAVIDADE ORAL VESTÍBULO Espaço entre os dentes e a parte interna dos lábios e bochecha.

28 CAVIDADE ORAL CAVIDADE ORAL PROPRIAMENTE DITA Espaço entre a língua e os dentes: Lingual Espaço entre a língua e o pálato: Palatina

29 PROCESSO ALVEOLAR Extensões do osso que mantêm os dentes em suas posições (alvéolos) Crista alveolar: Ponto mais alto do alvéolo Cavidade alveolar: Cavidade interna Lâmina dura: Osso que reveste a cavidade alveolar Septo: Osso interradicular

30 DENTES São órgãos altamente mineralizados Funções Mastigação Preensão Incisão Dilaceração Trituração

31 DENTES Estrutura Dental Coroa Parte visível do dente Colo Limite da gengiva Região de estrangulamento Raiz Fixação do dente no osso alveolar Pode ser única, dupla ou tripla

32 DENTES Esmalte 96 a 99% mineral Cobertura protetora da coroa do dente Translúcido, varia de amarelo a branco acinzentado Formado por hidroxiapatita Composto por prismas

33 DENTES Dentina É a maior porção da estrutura dental Se estende por todo o dente (coroa e raiz) Menos mineralizado que o esmalte (70%) Dá cor ao dente, dependendo da translucidez do esmalte Toda a espessura é penetrada por túbulos dentinários Nos túbulos passam as fibras dentárias Três tipos Primária: Antes da erupção Secundária: Natural após erupção Terciária: (reparadora) resposta a irritações

34 DENTES Cemento Tecido semelhante ao osso que cobre a porção da raiz Se junta ao esmalte no colo - limite da coroa com a raiz (junção cemento esmalte) Coloração mais escura que o esmalte e sem luminosidade Inserção das fibras do ligamento periodontal

35 DENTES Polpa Massa de vasos sanguíneos, tecido nervoso e células (fibroblastos) Ocupa a cavidade pulpar O formato se assemelha ao formato externo do dente Polpa coronária fica na porção da coroa e forma cornos pulpares Polpa radicular fica na porção da raiz Forame apical ponta da raiz onde entram os vasos e nervos

36 PERIODONTO Tecido de sustentação e cobertura do dente Osso Alveolar (alvéolos) Aloja os dentes Sofre remodelação (osteoblastos osteoclastos) Na extração dos dentes é reabsorvido

37 PERIODONTO Tecido de sustentação e cobertura do dente Ligamento Periodontal Tecido organizado em fibras que liga o dente ao osso alveolar Função - Suportar a mastigação - Sensorial - Nutrição - Remodelação (fibroblastos)

38 PERIODONTO Tecido de sustentação e cobertura do dente Cemento Inserção das fibras do ligamento periodontal

39 PERIODONTO Tecido de sustentação e cobertura do dente Tecido Gengival Gengiva marginal Gengiva interdental Sulco gengival Gengiva inserida

40 PERÍODOS DA DENTIÇÃO DECÍDUA Primária ou dente de leite 6 meses a 6 anos 20 dentes completa MISTA Decíduos com permanentes 6 anos a 12 anos PERMANENTE 32 dentes completa

41 OCLUSÃO Para cada dente superior existe um inferior correspondente com anatomia que encaixam. Quando fechamos a boca essa relação de encaixe denominamos de oclusão.

42 OCLUSÃO OCLUSÃO IDEAL: Quando essa relação entre os dentes oferece uma boa relação entre: Maxila Mandibula ATM Musculatura Dentes Periodonto

43 DIVISÕES DOS DENTES ARCADAS SUPERIOR Maxilar superior Fixo INFERIOR Mandibula Móvel pela ação da ATM

44 DIVISÕES DOS DENTES QUADRANTES ( Hemiarcadas) Divisão de cada arcada na metade através da linha média. Decídua: 5 dentes Permanente: 8 dentes

45 DIVISÕES DOS DENTES SEXTANTES Anteriores e Posteriores Divisão da arcada em 3 partes Total de 6 sextantes

46 DIVISÕES DOS DENTES COROA TERÇO INCISAL/OCLUSAL TERÇO MÉDIO TERÇO CERVICAL (COLO) RAIZ TERÇO CERVICAL TERÇO MÉDIO TERÇO APICAL

47 SUPERFÍCIE DOS DENTES (FACES) Referência definida de acordo com a relação com estruturas adjacentes. Vestibular Palatina / Lingual Oclusal Incisal Proximal Mesial Distal

48 SUPERFÍCIE DOS DENTES VESTIBULAR Voltada para a área do vestibulo Anteriores pode chamar labial

49 SUPERFÍCIE DOS DENTES PALATINA Voltada para o palato LINGUAL Voltada para a língua

50 SUPERFÍCIE DOS DENTES OCLUSAL Voltadas para a área da mordida (face mastigatória) dos dentes posteriores INCISAL Voltadas para a área de corte dos dentes anteriores

51 SUPERFÍCIE DOS DENTES PROXIMAL Face onde um dente encosta no outro MESIAL Faces voltadas para a linha média DISTAL Faces voltadas para posterior. Distanciando da linha média.

52 SUPERFÍCIE DOS DENTES ESPAÇO INTERPROXIMAL Espaço entre os dentes adjacentes AMEIAS Espaço triangular entre as superfícies proximais de dentes adjacentes PONTO DE CONTATO Local onde os dentes se encostam face mesial com distal DIASTEMAS Espaços entre os dentes

53 CONTORNOS DOS DENTES IMPORTÂNCIA Preservam as estruturas gengivais Evitam entrada de alimentos Estabilizam posição dos dentes Favorecem a mastigação Favorece a estética Mantém a relação da maxila com mandíbula Mantém a articulação preservada Favorece a higienização

54 GRUPOS DE DENTES 4 GRUPOS Incisivos Caninos Pré Molares(permanente) Molares

55 Grupos de dentes INCISIVOS 2 Centrais 2 Laterais Raiz única Borda Fina (Incisal) Responsáveis pelo corte 2 dentições

56 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVO CENTRAL Raiz única Primeiros na linha média Maiores incisivos Quase quadrado Borda distal mais arredondada Com cíngulo e fossa lingual Borda incisal (mamelos) Corta alimentos

57 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVO LATERAL SUPERIOR Raiz única Segundos na arcada Menores que os centrais Mais retangulares Borda incisiva mais inclinada para distal Ângulo distal mais arredondado Conóides ou agenesia Corta alimentos

58 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVO CENTRAL INFERIOR Raiz única Menores dentes Cíngulo pequeno Mais retangular Superfície lingual mais estreita que vestibular Borda incisal (mamelos) Corta alimentos

59 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVO LATERAL INFERIOR Raiz única Ligeiramente maiores que os centrais inferiores e anatomia semelhante Face mesial mais longa que a distal Face mesial mais longa que distal Corta alimentos

60 ANATOMIA DOS DENTES Caninos Raiz única (mais longa) Forma pontuda (cúspide) Face vestibular convexa (esmalte mais espesso) Cíngulo mais evidente Corta e rasga alimentos

61 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO PRÉ MOLAR SUPERIOR Não ocorrem na decídua Face vestibular semelhante ao canino Possuem 2 raizes (vestibular e palatina) Com 2 cúspides (vestibular e palatina) Cúspide vestibular mais alta que palatina Tritura alimentos

62 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO PRÉ MOLAR SUPERIOR Não ocorrem na decídua Semelhante ao primeiro Possui normalmente 1 raiz Com 2 cúspides (vestibular e palatina) do mesmo tamanho Tritura alimentos

63 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO PRÉ MOLAR INFERIOR Não ocorre na decídua Cúspide vestibular longa e maior e cúspide lingual pequena. Menores e mais curtos que os segundos Raiz normalmente única Tritura alimentos

64 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO PRÉ MOLAR INFERIOR Não ocorre na decídua Comum é ter 3 cúspides (1 vestibular e 2 linguais) Levemente maior que o primeiro Raiz única Tritura os alimentos

65 ANATOMIA DOS DENTES MOLARES Podem ter 2 ou 3 raízes Bifurcação Área onde 2 raízes se dividem Trifurcação Área onde 3 raízes se dividem

66 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO MOLAR SUPERIOR Maior molar superior Maior no sentido vestibulo palatino 4 cúspides Quinta cúspide possível (carabelli) mesiopalatina 3 raízes Triturar e moer os alimentos

67 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO MOLAR SUPERIOR Semelhante anatomia com o primeiro Coroa menor que o primeiro Sem quinta cúspide Cúspide disto palatina menor

68 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO MOLAR INFERIOR Apresenta 5 cúspides 3 vestibulares e 2 linguais Cúspides linguais mais altas 2 raízes mesial e distal Triturar e moer alimentos

69 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO MOLAR INFERIOR Menor que o primeiro 4 cúspides Linguais mais altas que vestibulares 2 raízes Triturar e moer os alimentos

70 ANATOMIA DOS DENTES TERCEIROS MOLARES Dente do siso Variam em forma Variam em quantidade de raiz (Fusionadas) Menores em dimensões Normalmente inclusos

71 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVOS SUPERIORES DECÍDUOS Assemelham aos permanentes

72 ANATOMIA DOS DENTES INCISIVOS INFERIORES DECÍDUOS Assemelham aos permanentes

73 ANATOMIA DOS DENTES CANINOS DECÍDUOS Semelhantes aos permanentes com cúspide mais longa e aguçada

74 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO MOLAR SUPERIOR DECIDUO 3 A 4 cúspides Não se assemelham aos permanentes 3 raízes divergentes

75 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO MOLAR SUPERIOR DECÍDUO Maior que o primeiro molar decíduo Assemelha ao primeiro molar permanente 3 raízes

76 ANATOMIA DOS DENTES PRIMEIRO MOLAR INFERIOR DECÍDUO Anatomia própria 4 cúspides 2 mesiais maiores 2 raízes

77 ANATOMIA DOS DENTES SEGUNDO MOLAR DECÍDUO INFERIOR Maior que o primeiro 5 cúspides assemelha ao primeiro molar inferior permanente 2 raízes

78 DENTIÇÕES ERUPÇÃO DO DENTE MOVIMENTO DO DENTE NA SUA POSIÇÃO FUNCIONAL ESFOLIAÇAÕ DO DENTE PROCESSO PELO QUAL DENTES DECÍDUOS SÃO PERDIDOS E OS SUCESSORES (PERMANENTES) DESENVOLVEM RAÍZES DOS DENTES DECÍDUOS SÃO REABSORVIDAS À PARTIR DO ÁPICE

79 ORDEM CRONOLÓGICA DE ERUPÇÃO

80 ORDEM CRONOLÓGICA DE ERUPÇÃO

81 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO DE DENTES Meios simplificados de identificar os dentes Importante para prontuários e encaminhamentos 3 TIPOS MAIS UTILIZADOS Sistema Universal / Nacional Padrões Internacionais dos Sistema de Organização Sistema de notação de Palmer

82 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO DE DENTES Sistema Universal /Nacional Mais usado nos Estados Unidos ADA (1968) Permanentes Números de 1 a 32 Decíduos Letras de A a T

83 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO DE DENTES Padrões Internacionais dos Sistemas de Organização(ISO) Usado pela FDI e à partir de 1996 pela ADA O mais usado 2 dígitos -Primeiro define o quadrante Permanentes 1 a 4 Decíduos 5 a 8 -Segundo define o dente Permanentes 1 a 8 Decíduos 1 a 5 Pronunciados separadamente

84 NOTAÇÃO DENTÁRIA EM PERMANENTES

85 NOTAÇÃO DENTÁRIA EM DECÍDUOS

86 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO DE DENTES SISTEMA DE NOTAÇÃO DE PALMER Barras vertical e horizontal em cada quadrante com o número ou letra do dente. Permanentes números 1 a 8 Decíduos letras A a E

87 ODONTOGRAMAS Formulário impresso ou digital com a representação gráfica dos dentes para: anotação de características dentárias Registro de procedimentos já realizados Registro de procedimentos a serem realizados

88 ODONTOGRAMAS

89 ODONTOGRAMAS

90 ODONTOGRAMAS

91 ODONTOGRAMAS

92 ODONTOGRAMAS

93 ODONTOGRAMAS

94 ODONTOGRAMAS

95 ODONTOGRAMAS

96 ODONTOGRAMAS

97 ODONTOGRAMAS

98 ODONTOGRAMAS

99 ODONTOGRAMAS

100 ODONTOGRAMAS

101 ODONTOGRAMAS

102 ODONTOGRAMAS

103 ODONTOGRAMAS

104 ODONTOGRAMAS

105 ODONTOGRAMAS

106 ODONTOGRAMAS

107 ODONTOGRAMAS

108 ODONTOGRAMAS

109 ODONTOGRAMAS

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição janeiro/2007 SISTEMA DIGESTÓRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03 Sistema Digestório... 04 Boca... 05 Características

Leia mais

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Anatomia do Periodonto Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com Periodonto Normal Anatomia macroscópica Anatomia microscópica Anatomia macroscópica Gengiva Ligamento

Leia mais

ANATOMIA DO PERIODONTO

ANATOMIA DO PERIODONTO INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação DISCIPLINA DE PERIODONTIA ANATOMIA DO PERIODONTO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 PERIODONTO DE SUSTENTAÇÃO Ligamento

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL

Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL Juiz de Fora / MG - 2009 Autoras PROFª. MARIA ELIZABETH M.N. MARTINS PROFª. MARIA CHRISTINA M.N. CASTAÑON Juiz de Fora/MG

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11, DOU de 17.01.11

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11, DOU de 17.01.11 Componente Curricular: HISTOLOGIA BUCO-DENTAL Código: ODO-007 Pré-Requisito: HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA HUMANA Período Letivo: 2013.1 CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11,

Leia mais

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS Anestesia em anestésico o mais próximo possível do ápice do dente a ser anestesiado. Objetivo : Propiciar o conhecimento das técnicas anestésicas, principalmente as utilizadas

Leia mais

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL ESQUELETO AXIAL Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. Vamos estudar o esqueleto que forma o eixo do corpo iniciando o estudo da CABEÇA óssea que se divide em

Leia mais

ANATOMIA DENTAL INTERNA

ANATOMIA DENTAL INTERNA ANATOMIA DENTAL INTERNA VERSIANI, 2014 Anatomia Dental Interna Características Gerais Grupo dos incisivos Grupo dos caninos Grupo dos pré-molares Grupo dos molares VERSIANI, 2014 Anatomia Dental Interna

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO:

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: CONJUNTO DE ÓRGÃOS FORMANDO UM CANAL ALIMENTAR COM A FINALIDADE DE NUTRIÇÃO DO ORGANISMO. FUNÇÕES: Sistema Digestório INSERÇÃO MASTIGAÇÃO DEGLUTIÇÃO DIGESTÃO ABSORÇÃO EXCREÇÃO

Leia mais

Viseu, 20 de Outubro de 2009. Molares Inferiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro

Viseu, 20 de Outubro de 2009. Molares Inferiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Viseu, 20 de Outubro de 2009 Molares Inferiores UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Molares Permanentes Mandibulares 1º Molar Inferior Calcificação- inicio aos 25 semanas

Leia mais

CAVIDADE BUCAL. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD PhD

CAVIDADE BUCAL. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD PhD CAVIDADE BUCAL Anatomia Aplicada à Odontologia CAVIDADE BUCAL Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD PhD Especialista e Mestre em Cirurgia Bucomaxilofacial - UFPel-RS Doutor (PhD) em Cirurgia Maxilofacial -

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO SISTEMA DIGESTÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES SISTEMA DIGESTÓRIO DIVISÃO SISTEMA DIGESTÓRIO Universidade Federal do Ceará Departamento de Morfologia Prof. Erivan Façanha SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO Órgãos que no conjunto cumprem a função de tornar os alimentos solúveis, sofrendo

Leia mais

PRÉ-MOLARES. Os Pré-Molares superiores decrescem no sentido mésio-distal enquanto os inferiores têm sentido crescente.

PRÉ-MOLARES. Os Pré-Molares superiores decrescem no sentido mésio-distal enquanto os inferiores têm sentido crescente. PRÉ-MOLARES PRÉ-MOLARES Pré-Molares são conhecidos como pequenos molares bicuspidados, em número de quatro para cada arco, dois de cada lado da linha mediana chamados de primeiros e segundos prémolares;

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos ANATOMIA HUMANA I Acidentes Ósseos Prof. Me. Fabio Milioni Características Anatômicas de Superfície dos Ossos As superfícies dos ossos possuem várias características estruturais adaptadas a funções específicas.

Leia mais

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual Universidade de Brasília Departamento de Odontologia OCLUSÃO! NOÇÕES DE OCLUSÃO! Estudo das relações estáticas e dinâmicas entre as estruturas do sistema mastigatório!! Movimentos mandibulares Disciplina

Leia mais

Viseu, 13 de Outubro de 2009. Molares Superiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária. Octávio Ribeiro

Viseu, 13 de Outubro de 2009. Molares Superiores. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária. Octávio Ribeiro Viseu, 13 de Outubro de 2009 Molares Superiores UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Molares Permanentes Maxilares 1º Molar Superior Calcificação- inicio aos 48 meses Erupção-

Leia mais

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Anestesias Locais 1. Periférica, tópica ou de superfície 2. Infiltrativa terminal 3. Troncular, regional ou bloqueio de condução Aula de cirurgia Anestesia

Leia mais

ANATOMIA INTERNA DENTAL

ANATOMIA INTERNA DENTAL ANATOMIA INTERNA DENTAL Cavidade Pulpar: Espaço no interior dos dentes onde se aloja a polpa. Esta cavidade reproduz a morfologia externa do dente,podendo se distinguir duas porções: uma coronária e outra

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema responsável pelo processamento (transformações químicas) de nutrientes, para que possam

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação ANATOMIA HUMANA I Sistema Digestório Prof. Me. Fabio Milioni Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação Sistema Digestório 1 Órgãos Canal alimentar: - Cavidade oral

Leia mais

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS INCISIVOS Os incisivos permanentes são o primeiro e segundo dente a contar da linha média; Juntamente com os caninos constituem os dentes anteriores; Os incisivos superiores são geralmente maiores que

Leia mais

Aspectos de interesse à endodontia

Aspectos de interesse à endodontia SISTEMA DE CANAIS RADICULARES Anatomia das cavidades pulpares Aspectos de interesse à endodontia CAVIDADE PULPAR CAVIDADE PULPAR CAVIDADE ANATÔMICA CONTIDA NO INTERIOR DO DENTE, CIRCUNDADA POR DENTINA,

Leia mais

Cronologia dental. Professor: Bruno Aleixo Venturi. Hermann Blumenau Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal

Cronologia dental. Professor: Bruno Aleixo Venturi. Hermann Blumenau Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Cronologia dental Professor: Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Anatomia dental A Anatomia dental é um segmento dedicado ao estudo da estrutura dental

Leia mais

Sistema Digestório - Boca, Faringe e Esôfago

Sistema Digestório - Boca, Faringe e Esôfago Sistema Digestório - Boca, Faringe e Esôfago Profa Juliana Normando Pinheiro Morfofuncional III juliana.pinheiro@kroton.com.br O Sistema Digestório consiste em um tubo que se inicia na boca e termina no

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

Aula 4: Sistema digestório

Aula 4: Sistema digestório Aula 4: Sistema digestório Sistema digestório As proteínas, lípideos e a maioria dos carboidratos contidos nos alimentos são formados por moléculas grandes demais para passar pela membrana plasmática e

Leia mais

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes PROFESSORA NAIANE Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. Mas o que acontece com os alimentos que ingerimos? Como os nutrientes dos alimentos, chegam às células do

Leia mais

Guia de Autorização Odontológica Instrução de Preenchimento Manual

Guia de Autorização Odontológica Instrução de Preenchimento Manual A Guia de Autorização Odontológica deverá ser preenchida pelo profissional de saúde, na área de perícia odontológica, que mantém compromisso de credenciamento específico firmado com a Eletrobras Furnas

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentários (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Viseu, 6 de Novembro de 2008 Dentição Decidua UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Dentição Decidua Funções Fisiológicas Funções Fisiológicas Mastigação Formação de um plano

Leia mais

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O FACULDADE INDEPENDENE DO NORDESE CURSO ODONOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: HISOLOGIA BUCO-DENAL Código:ODO

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

DENTINOGÊNESE BANDA EPITELIAL CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA. Morfologia II UNINOVE. Ü 22 o dia: formação da mb bucofaríngea. 2º Mês de V.I.U.

DENTINOGÊNESE BANDA EPITELIAL CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA. Morfologia II UNINOVE. Ü 22 o dia: formação da mb bucofaríngea. 2º Mês de V.I.U. ODONTOGÊNESE Morfologia II UNINOVE ODONTOGÊNESE CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA - ESTOMODEO GERME DENTÁRIO AMELOGÊNESE DENTINOGÊNESE DESENVOVIMENTO RADICULAR EMBRIOGÊNESE FACIAL RELEMBRANDO... Tecidos Embrionários

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

Anatomia Individual dos Dentes

Anatomia Individual dos Dentes CAPÍTULO 2 Anatomia Individual dos Dentes OBJETIVOS Identificar e descrever os acidentes anatômicos de cada um dos dentes permanentes e decíduos típicos Descrever cada uma das faces da coroa de cada dente

Leia mais

A. CARACTERÍSTICAS GERAIS

A. CARACTERÍSTICAS GERAIS INCISIVOS A. CARACTERÍSTICAS GERAIS Os dentes incisivos, também chamados de cuneiformes ou espatulados, são as peças situadas na parte mediana dos arcos dentais. A. CARACTERÍSTICAS GERAIS O nome incisivo

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA OCULAR MARIA DE JESUS CLARA 2005/2006

ANATOMIA E FISIOLOGIA OCULAR MARIA DE JESUS CLARA 2005/2006 ANATOMIA E FISIOLOGIA OCULAR MARIA DE JESUS CLARA 2005/2006 PÁLPEBRAS - 1 Pálpebras Formações musculomembranosas -finas -móveis -adaptadas à parte anterior dos olhos Função protecção contra agressões externas,

Leia mais

ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL

ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL Djanira Aparecida da Luz Veronez 1 INTRODUÇÃO O complexo bucomaxilofacial se localiza na face, sendo formado por elementos anatômicos do esqueleto cefálico, articulação temporomandibular,

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Vamos descrever a seguir as principais imagens das alterações da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas patológicas. FORMA

Leia mais

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO SAÚDE BUCAL Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO ANATOMIA BUCAL ANATOMIA DENTAL TIPOS DE DENTES

Leia mais

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa.

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa. Mauro A Dall Agnol UNOCHAPECÓ mauroccs@gmail.com Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Dentística I Terapêutica ou protética; Simples, composta

Leia mais

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci Protócolo Wax-up Dr Christian Coachman Dr Guilherme Cabral Dr Braulio Paolucci Volume 3D / Posicão 3D Centrais 1. Encerar sobre a linha mediana antiga!! 2. Encerar os 2 centrais em um bloco de cera 3.

Leia mais

RELEVO E MORFOLOGIA DENTAL

RELEVO E MORFOLOGIA DENTAL RELEVO E MORFOLOGIA DENTAL DidaAcamente dividimos a coroa dental em terços e senado de visualização. Face vesabular ou lingual -- horizontal: terço mesial, médio e distal -- veracal: terço oclusal ou incisal,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos ANEXO I Rol de Procedimentos Odontológicos Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICO: I Consulta inicial II Exame histopatológico Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica odontolegal,

Leia mais

Fraturas do Terço Médio da Face

Fraturas do Terço Médio da Face Fraturas do Terço Médio da Face Epidemiologia: Pico de incidência entre 15 e 30 anos Homens correspondem a 60-80% As principais causas são acidente automobilístico, agressão, esportes radicais e quedas

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICOS: I Consulta Inicial Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica Odontolegal, diagnósticos das doenças

Leia mais

Roteiro de aulas teórico-práticas

Roteiro de aulas teórico-práticas Roteiro de aulas teórico-práticas Sistema digestório O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso, ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta

Leia mais

BOM DIA. Sejam bem vindas e boa aula!!!!!!!!!!!!!

BOM DIA. Sejam bem vindas e boa aula!!!!!!!!!!!!! BOM DIA Sejam bem vindas e boa aula!!!!!!!!!!!!! CURSO ASB DRA. NANCI CATANDI PERRONE Saúde Bucal X Saúde Geral DEFINIÇÕES ANATOMIA Estudo cientifico da forma e estrutura do corpo. FISIOLOGIA Estudo cientifico

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

Anatomia Comparada. do Sistema Digestório. dos Animais Domésticos APARELHO DIGESTÓRIO PARTE I APARELHO DIGESTÓRIO. herbívoros domésticos

Anatomia Comparada. do Sistema Digestório. dos Animais Domésticos APARELHO DIGESTÓRIO PARTE I APARELHO DIGESTÓRIO. herbívoros domésticos APARELHO DIGESTÓRIO Anatomia Comparada PARTE I do Sistema Digestório dos Animais Domésticos Rosane Maria Guimarães da Silva APARELHO DIGESTÓRIO Diferenças morfológicas Diferenças fisiológicas herbívoros

Leia mais

REAÇÕES TECIDUAIS ÀS FORÇAS ORTODÔNTICAS

REAÇÕES TECIDUAIS ÀS FORÇAS ORTODÔNTICAS REAÇÕES TECIDUAIS ÀS FORÇAS S DENTES ORTODONTIA FORÇA MOVIMENTO -Inicialmente,na Era Cristã, preconizava-se pressões digitais nos dentes mal posicionados visando melhorar a harmonia dos arcos dentários.

Leia mais

LINK CATÁLOGO DE EXAMES

LINK CATÁLOGO DE EXAMES Porque pedir um exame radiográfico? LINK CATÁLOGO DE EXAMES O exame radiográfico é solicitado para a visualização clinica das estruturas ósseas da cavidade bucal. Para isso, existem as mais diversas técnicas

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS ANS BRADESCO DENTAL DIAGNÓSTICO CONSULTA INICIAL EXAME HISTOPATOLÓGICO URGÊNCIA/EMERGÊNCIA COLAGEM DE FRAGMENTOS CURATIVO E/OU SUTURA EM CASO DE HEMORRAGIA BUCAL/LABIAL CURATIVO EM CASO DE ODONTALGIA AGUDA

Leia mais

Princípios de OCLUSÃO

Princípios de OCLUSÃO Aperfeiçoamento em Prótese Convencional e sobre Implantes Bibliografia Recomendada HOBO, S. et al. Osseointegração e Reabilitação Oclusal. 1 ed. São Paulo: Quintessence, 1997. Princípios de OCLUSÃO Princípios

Leia mais

Dentina Características gerais

Dentina Características gerais Características gerais Tecido dental duro com extensões es citoplasmáticas ticas de células c da polpa. Composiçã ção: Mineral Água Orgânica peso 70% 12% 18% volume 50% 20% 30% Relaçã ção o com outros

Leia mais

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089)

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) Músculos e Trígonos do Pescoço Platisma Lâmina de músculo fina e larga, situada no tecido subcutâneo do pescoço. Recobre a face anterolateral do pescoço.

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROTESE DENTÁRIA 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: a) Polígonos de Roy e de Kent. b) Polígono

Leia mais

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1 Como é constituído o aparelho digestivo? 1 Morfologia do aparelho digestivo Glândulas salivares Boca Faringe Esófago Fígado Vesícula biliar Estômago Intestino delgado pâncreas Apêndice Recto Intestino

Leia mais

Cobertura do Plano Star

Cobertura do Plano Star Cobertura do Plano Star Diagnóstico Consulta inicial Exame histopatológico Condicionamento em odontologia. Urgência Curativo em caso de hemorragia bucal consiste na aplicação de hemostático e sutura no

Leia mais

DESCRIÇÃO ANATÔMICA E RADIOGRÁFICA DAS ESTRUTURAS OBSERVADAS EM RADIOGRAFIAS INTRA E EXTRABUCAIS DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL

DESCRIÇÃO ANATÔMICA E RADIOGRÁFICA DAS ESTRUTURAS OBSERVADAS EM RADIOGRAFIAS INTRA E EXTRABUCAIS DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL: UMA ABORDAGEM INTERATIVA NA WEB III Programa de Bolsas de Iniciação Científica AUTORA: Renata Vasconcelos Pavan CO-AUTORAS: Paula Ribeiro Borges Vanessa

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ANATOMIA DENTAL Florisa Maria Nunes de Abreu Tunes Botelho Nogueira 2012 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA Prótese Dentária: É a ciência e/ou a arte que proporciona elementos substitutos

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil 1 DIAGNÓSTICO 1.1 Consulta Clínico 1.2 Consulta Especialista 1.3 Condicionamento em Odontologia para crianças

Leia mais

Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo:

Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo: SISTEMA RESPIRATÓRIO Generalidades: Porção de Condução I Nariz Externo: Respiração é definida como a absorção do oxigênio pelo organismo, com liberação subseqüente de energia para o trabalho, calor e a

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas

Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas Outubro/2010 Salutis Administração em Saúde 1 1. GUIA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO SOLICITAÇÃO E COBRANÇA A Guia de Tratamento Odontológico tem como finalidade

Leia mais

Premissa. Códigos e rios

Premissa. Códigos e rios Índices epidemiológicos em saúde bucal 3/10/2011 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Premissa A epidemiologia pode ser definida como o estudo da distribuição e dos determinantes de eventos ou estados relacionados

Leia mais

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000.

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. Plano de Saúde Assunto: Rol de Procedimentos Odontológicos para Plano de Saúde Prezado (a) Senhor (a), A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA

ANATOMIA E FISIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA SITEMA DIGESTÓRIO Enfª Renata Loretti Ribeiro 2 3 SISTEMA DIGESTÓRIO Introdução O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo

Leia mais

Nervos Cranianos. M.Sc. Profª Viviane Marques

Nervos Cranianos. M.Sc. Profª Viviane Marques Nervos Cranianos M.Sc. Profª Viviane Marques Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar UVA Docente do mestrado de HIV/AIDS e Hepatites Virais UNIRIO Tutora da Residência Multiprofissional

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL. radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Neste tópico vamos descrever as principais alterações das imagens radiográficas da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas

Leia mais

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano.

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano. Anatomia Humana Sistema Esquelético Ed. Física Prof. Cláudio Costa Osteologia: É o estudo dos ossos. Composição do Sistema Ósseo: 206 peças duras, resistentes e flexíveis chamadas ossos, pelas cartilagens

Leia mais

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS 1 - DIAGNÓSTICO 100-490 110 Consulta Inicial (Exame Clínico e Orçamento) (VALID. 6 meses) R$ 45,00 120 Urgência odontológica R$ 45,00 130 Exame histopatológico*** (somente clínicas especializadas) ***

Leia mais

Abertura. Abertura ria. ria. Abertura. Abertura. Requisitos Principais. abertura coronária. Abertura ria. Requisitos Principais. ria.

Abertura. Abertura ria. ria. Abertura. Abertura. Requisitos Principais. abertura coronária. Abertura ria. Requisitos Principais. ria. coroná www.endodontia.com.br abertura coroná princípios pios e técnica t simplificada Coroná Requisitos Principais Coroná Requisitos Principais Ponto de eleição inicial pré- determinado Remoção do tecido

Leia mais

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS 01.01.01.001-0 Procedimento x CBO ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTACAO

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO: DIVISÃO DO SISTEMA DIGESTÓRIO 05/10/2013

SISTEMA DIGESTÓRIO CONCEITO: DIVISÃO DO SISTEMA DIGESTÓRIO 05/10/2013 CONCEITO: SISTEMA DIGESTÓRIO Conjunto de órgãos responsáveis pela preensão, mastigação, transformação química e absorção dos alimentos, e a expulsão dos resíduos, eliminados sob a forma de fezes. Prof.Msc.MoisésMendes

Leia mais

Anatomia nasal: sustentação óssea

Anatomia nasal: sustentação óssea CAPÍTULO 1 Anatomia nasal: sustentação óssea A estrutura óssea do nariz é composta de dois ossos semirretangulares oblíquos que se estendem aproximadamente ao longo de um terço do dorso nasal (Figuras

Leia mais

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia Diagnóstico - Primeira Consulta Consulta Inicial: É a primeira consulta feita com o cirurgião-dentista, com o objetivo de diagnosticar as patologias presentes e estabelecer o tratamento a ser feito. Exame

Leia mais

Viajando com o Sr. Mutans

Viajando com o Sr. Mutans Viajando com o Sr. Mutans - o jogo da cárie - Material de Apoio Autoria: Adriana de Sales C. Correa 1 TERMOS USADOS NO JOGO E CONCEITOS BÁSICOS DE ODONTOLOGIA Processo de formação da cárie Aspectos patológicos

Leia mais

OCLUSÃO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO ODONTOLOGIA COMPLETA ODONTOLOGIA COMPLETA SISTEMA MASTIGATÓRIO ANATOMIA FUNCIONAL 22/03/2009

OCLUSÃO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO ODONTOLOGIA COMPLETA ODONTOLOGIA COMPLETA SISTEMA MASTIGATÓRIO ANATOMIA FUNCIONAL 22/03/2009 SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO OCLUSÃO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO É uma entidade fisiológica e funcional perfeitamente definida e integrada por um conjunto heterogêneo de órgãos e tecidos cuja biologia e fisiopatologia

Leia mais

Introdução a Prótese Fixa Princípios Biomecânicos Aplicados a Prótese Dentária (Atualizado com Imagens)

Introdução a Prótese Fixa Princípios Biomecânicos Aplicados a Prótese Dentária (Atualizado com Imagens) Introdução a Prótese Fixa Princípios Biomecânicos Aplicados a Prótese Dentária (Atualizado com Imagens) Prótese é a ciência e arte que proporciona substitutos adequados para as porções coronárias de um

Leia mais

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Aplicação do t Manual INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Classificação Geral Identificação dos instrumentos t SONDAS PERIODONTAIS EXPLORADORES CURETAS ENXADAS FOICES LIMAS Instrumentos Exploradores

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais