UNIVERSIDADE PAULISTA (UNIP) Curso de Engenharia Mecatrônica Disciplina: Microprocessadores e Microcontroladores (MM) LISTA III

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE PAULISTA (UNIP) Curso de Engenharia Mecatrônica Disciplina: Microprocessadores e Microcontroladores (MM) LISTA III"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE PAULISTA (UNIP) Curso de Engenharia Mecatrônica Disciplina: Microprocessadores e Microcontroladores (MM) LISTA III Orientações: Esta lista de Exercícios deve ser entregue juntamente com a Prova P1 da disciplina de MM A realização da lista é individual e deve ser feita toda a mão Somente serão aceitas listas que atenderem as orientações aqui especificadas EXERCÍCIO 01 Desenhe o diagrama de blocos do 8051 e explique a funcionalidade de todos os blocos presentes no seu desenho CPU: Responsável pelo Controle do Mc É o cérebro do sistema, e tem competência para acionar e se comunicar com todas as vias supracitadas, só que sempre seguindo ou obedecendo às diretivas gravadas na ROM PC: É o indicador de endereço de memória Ele serve para endereçar a próxima instrução a ser lida pelo Mc ROM: Memória responsável por armazenar o programa de controle RAM: Memória responsável por armazenar dados PORTAS PARALELAS: As portas P0, P1, P2 e P3, cada uma com oito linhas, são destinadas à comunicação externa Pode se conectar a periféricos e I/O É uma interface de comunicação entre o MC e um periférico

2 PORTA SERIAL: Porta de comunicação utilizada para conectar o Mc a outros equipamentos de hardware Na interface serial, os bits são transferidos em fila, ou seja, um bit de dados de cada vez INTERRUPÇÕES EXTERNAS: Pinos de acesso nexterno que permitem interromper o microprocessador, que então interrompe suas tarefas atuais e atende aquelas planejadas pela interrupção solicitada TIMER 0 e Timer 1: Responsáveis pela temporização Permite que o Mc realize suas tarefas de forma sincronizada e com velocidade predeterminada EXERCÍCIO 02 a- Faça um fluxograma e um programa em Assembly que some três números de 8 bits, armazenados em posições subsequentes na área da RAM interna (endereços 40h, 41h e 42h) O resultado deve ser armazenado na posição seguinte aos dados Em seguida subtraia deste valor encontrado (soma dos três números) o conteúdo do endereço 46h Para realizar a subtração utilize o modo de endereçamento indireto Transfira os seguintes dados para os seguintes endereços de memória antes de realizar a soma: (40h) = Os dois últimos dígitos do seu RA (41h) = A soma do valor absoluto dos algarismos que compõem seu RA (42h) = Se o valor alocado em 41h for par armazene o valor b, caso contrário armazene b (46h) = b Parte comum a programação: Org 0h CLR C MOV B,#46h SUBB b- Indique quais são os valores finais em hexadecimal encontrados em todos os registradores utilizados no programa Resultado depende do número do RA do aluno c- Neste programa é necessário realizar alguma operação com um bit de um registrador de função especial? Por quê? Sim é necessário utilizar o bit C (carry) do Registrador PSW antes de efetuar a subtração Porque a ULA não realiza a operação subtração, desta forma para realizar a operação (A-B) obtemos este resultado somando A ao Complemento a dois do número B

3 EXERCÍCIO 03 a- Qual é a capacidade máxima de endereçamento da ROM e RAM externa na família 8051? 64*1024 = endereços Intervalo de 0 a ( b) Necessário 16 bits para endereçamento b- Qual é a capacidade máxima de endereçamento da RAM interna na família 8051? 256 bytes 256 endereços 0 à 255 ( ) c- Qual o procedimento necessário para eu mover o conteúdo do último endereço damemória ROM externa para o Acc? É necessário alocar este endereço(16 bits) no DPTR que é um registrador de 16 bits e utilizar o endereçamento indireto d- Faça a linha de código em Assembly necessária para realizar o procedimento do item c MOVX DPTR,#65535 MOVX EXERCÍCIO 04 a- O que são os bancos de registradores (R0 R7) do 8051 Para que servem? São uma divisão da memória RAM interna, onde cada parte possui uma seqüência dos registradores (R0 á R7) Esses bancos alocam registradores que são utilizados em diversas instruções do Mc Esse registradores podem ser endereçados diretamente b- Quantos bancos estão disponíveis e como pode-se alterar o banco de registradores que será utilizado? 4 bancos(b0 B1 B2 B3) Através dos pinos do RS0 e RS1 do Registrador Especial PSW c- Em qual dispositivo estes bancos estão localizados? Defina a utilidade deste dispositivo e suas características Na memória RAM Interna A memória RAM é um dispositivo de memória para armazenamento de dados temporário Trata-se de uma memória volátil d- Faça o desenho de todo o dispositivo onde estes bancos estão localizados e indique como este dispositivo é ocupado (divisão do dispositivo)

4 A memória RAM interna ao Mc é dividida em duas partes Alta e baixa Na parte alta estão alocados os registradores de Funções Especiais (128 bytes) A parte baixa (128 bytes) encontra-se dividida em três partes: 32 bytes alocados aos Bancos R0, R1, R2 e R3 16 bytes endereçados bit a bit e 80 bytes endereçados byte a byte EXERCÍCIO 05 Construa um fluxograma e uma rotina que retorne no registrador R6 do banco 3 o número 6 quando o número armazenado no endereço 10h da RAM interna for divisível por 6 (Considere que um número é divisível por 6 quando ele é divisível por 2 e por 3 ao mesmo tempo) Org 0h MOV A, 10h MOV B,#2 DIV AB MOV A,B JZ CLR PSW3 SETB PSW3 MOV A, 10h MOV B,#3 DIV AB MOV A,B JZ CLR PSW3 SETB PSW3 MOV R6, 10h RET Note que o bit PSW3 corresponde ao bit RS0! EXERCÍCIO 06 Qual a função dos seguintes registradores de um microprocessador: Rn, A, PC, DPTR e B? Quais deles armazenam endereços e quais deles armazenam dados? Onde cada um se localiza?

5 A: Registrador que se utiliza como operando em várias instruções do Mc É também onde fica o resultado de várias operações realizadas PC: Endereça a próxima instrução a ser lida DPTR: É um par de registradores (DPH + DPL) como se fosse uma só palavra de 16 bits É utilizado para endereçar até 64Kbytes de memória externa B: Registrador que em algumas poucas instruções tem seu nome diretamente referenciado: mulab, div AB, que são operações entre os registradores A e B na multiplicação armazena a parte menos significativa do resultado e na divisão armazena o resto EXERCÍCIO 07 Descreva por passos um ciclo de busca de instrução de um Microcontrolador 1: Endereço do PC é colocado na via de endereços 2: Sinal de controle da ROM é ativado ( pois será lida a ROM e não a RAM) 3: A instrução é lida da ROM, no endereço dado pelo PC e é lida pela via de dados EXERCÍCIO 08 a- Descreva o port 3, quando ele é usado para comunicação com memória externa e com periféricos Esse port pode ser usado, parcialmente, com os periféricos e ao mesmo tempo, com os pinos restantes como port normal? O port 3 só pode ser utilizado como port de propósito geral se não utilizar nenhum periférico interno ao chip, nenhuma interrupção externa e também não utilizar a RAM externa Quando utilizado para a comunicação com memória externa e com periféricos o Port P3 tem seus pinos comprometidos b- O port P0 na figura acima apresenta-se como AD0AD7 O que a palavra AD quer dizer? Qual a afunção do port P0? A palavra AD é referente a Address/Data ( endereços /dados) Este port é multiplexado entre as funções de enviar endereços ( address) e dados (data) pela mesma porta EXERCÍCIO 09 Qual a diferença entre microprocessador (MP) e microcontrolador (MC)? Exemplifique aplicações para um MP e para um MC O microprocessador é somente o chip que contém IR, PC, ALU, INT O Microcontrolador já inclui num só chip o Mp, timer, serial, RAM e ROM EXERCÍCIO 10 O que significa dizer que o Mc 8051 é um Mc de 8 bits? Significa que sua célula de memória é capaz de armazenar 8 bits

6 EXERCÍCIO 11 Apresente os mneumônicos da seqüência de instruções que realiza a seguinte expressão: (R3,R2) {(R1-R4) x [(R5+R6)/R0]} Os registradores presentes na expressão acima devem pertencer aos registradores do banco 3 ORG OOH SETBRS0 SETB RS1 MOV A, R6 ADD A, R5 MOV B RO DIV AB MOV B,A MOV A, R1 CLR C SUBB A,R4 MUL AB MOV R3,B MOV R2,A RET EXERCÍCIO 12 Quais são os registradores no microcontrolador 8051 capazes de armazenar 16 bits? Explique porque eles precisam ser capazes de armazenar 16 bits DPTR e PC Devido a capacidade de endereçamento de 16 bits do 8051, estes dois registradores que armazenam endereço têm que ter a capacidade de armazenar 16 bits EXERCÍCIO 13 Considere as seguintes células de memória RAM externa de um microcontrolador 8051: Fig1 a- Qual a diferença entre as instruções MOV A, #04h e MOVX A, 04h? Qual será o conteúdo de A após a realização de cada instrução considerando a Memória RAM da Fig1? MOV A, #04h: Endereçamento imediato em A após a execução da instrução teremos: 04h MOVX A, 04h: Endereçamento direto em A após a execução da instrução teremos: 26h

7 b- Qual a diferença entre as instruções A e A? Qual delas é capaz de alterar A diferença entre as instruções A e A é que na primeira instrução o valor do acumulador será armazenado no endereço INTERNO indicado indiretamente por R2 já na segunda instrução o valor do acumulador será armazenado no endereço EXTERNO indicado indiretamente por R2 c- Qual a diferença entre as instruções MOVX e MOVX A,01h? Qual será o conteúdo de A após a realização de cada instrução considerando a Memória RAM da Fig1? Sim é necessário utilizar o bit C (carry) do Registrador PSW antes de efetuar a subtração Porque a ULA não realiza a operação subtração, desta forma para realizar a operação (A-B) obtemos este resultado somando A ao Complemento a dois do número B EXERCÍCIO 14 Considere o seguinte programa da Tabela 1 Execute o programa passo a passo, isto é, uma instrução de cada vez, e complete as seguintes frases: Após a execução da primeira instrução, o valor do PC foi alterado para 3002 h, que corresponde ao endereço da próxima instrução a ser executada A primeira instrução carregou o valor 18h no acumulador O modo de endereçamento do operando #48h é o endereçamento imediato Execute a segunda instrução Nela, o conteúdo do acumulador é copiado no registrador R0, sendo ambos acessados no modo de endereçamento de registradores Se os bits RS1 e RS0 do registrador especial PSW estiverem ambos em 0, o banco de registradores correntemente selecionado será banco 0 O registrador R0 deste banco, deve, agora, ter o valor 18h E o acumulador, tem o seu valor alterado? (S/N) Ao final da segunda instrução, o valor do PC é 3003h

8 Execute a terceira instrução, que coloca no acumulador o valor 48h e deixa o PC com o valor 3005h Execute a quarta instrução, que coloca no registrador DPTR o valor 4567h e deixa o PC com o valor 3008h Execute a quinta instrução A utiliza o modo de endereçamento indireto para o destino, pois ela copia o valor do acumulador na área de RAM interna, numa posição cujo endereço está no registrador R0 No passo 2, esse registrador foi carregado com o valor do acumulador, que era 18h O PC agora tem o valor 3009 h Execute a sexta instrução A também utiliza o modo de endereçamento indireto, agora para copiar o acumulador na RAM externa Como DPTR foi carregado (no passo 4) com o valor 4567h, o conteúdo desse endereço na memória externa deve ser, agora, 48h O PC foi, agora, para 300Ah Execute a sétima instrução O valor copiado no acumulador é obtido por endereçamento imediato Execute a oitava instrução, que coloca no registrador B o valor 13h e deixa o PC com o valor 300Eh O que a nona e a décima instrução fazem? Selecionam o banco 2 da memória RAM interna Execute a décima primeira instrução Ela faz a multiplicação entre A e B Em A é armazenado 93h em B é armazenado 09h Na instrução 12 e 13 os registradores R5 e R6 pertencem ao banco 2 da memória RAM interna A última instrução não é de movimentação de dados Ela apenas desvia para o programa monitor

Programação de Microprocessadores. Programação de Microprocessadores SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I

Programação de Microprocessadores. Programação de Microprocessadores SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Programação de Microprocessadores Microprocessadores são Máquinas de Estado Seqüenciais Síncronas que operam mediante a execução de uma seqüência de códigos binários

Leia mais

Microcontrolador 8051

Microcontrolador 8051 Microcontrolador 8051 Inicialmente fabricado pela INTEL, atualmente fabricado por várias empresas; Possui uma grande variedade de dispositivos, com diversas características, porém compatíveis em software;

Leia mais

Organização de Memórias

Organização de Memórias Intel 8051 O Intel 8051 é um microcontrolador de 8 bits que pertence a família MCS-51 da Intel e foi lançado em 1977. É tido como o microcontrolador mais popular do mundo, pois é muito versátil e possui

Leia mais

Aula 5: Introdução a Arquitetura do Microcontrolador 8051

Aula 5: Introdução a Arquitetura do Microcontrolador 8051 Microprocessadores - 2013-1 06/05/2013 Aula 5: Introdução a Arquitetura do Microcontrolador 8051 Professor: Eraldo Silveira e Silva eraldo@ifsc.edu.br 1 Objetivos da Aula apresentar as principais características

Leia mais

SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I

SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Apresentação do curso Critério de avaliação Média final = 0.8 * MP + 0.2 * ME onde MP = (P1 + P2) / 2 e ME = Notas

Leia mais

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Prof. Evandro L. L. Rodrigues Tópicos do curso Conceitos básicos - Aplicações e utilizações dos microcontroladores

Leia mais

Tópicos: 1 - Modos de endereçamento do Pilha e instruções de Pilha. 3 - Instruções que usam pilha: - instrução CALL - instrução RET

Tópicos: 1 - Modos de endereçamento do Pilha e instruções de Pilha. 3 - Instruções que usam pilha: - instrução CALL - instrução RET Tópicos: 1 - Modos de endereçamento do 8051 2 - Pilha e instruções de Pilha 3 - Instruções que usam pilha: - instrução CALL - instrução RET 4 - Interrupção 1 - Modos de Endereçamento do 8051 Os modos de

Leia mais

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA REVISÃO DE ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Arquitetura X Organização Arquitetura - Atributos de um Sistema Computacional como visto pelo programador, isto é a estrutura

Leia mais

Microcontrolador 8051:

Microcontrolador 8051: Microcontrolador 8051: Fonte: CORRADI 2009 O Microcontrolador 8051: Começou a ser produzido no início da década de 80, pela Intel; Hoje é fabricado por várias empresas e com muitas variações; Atualmente,

Leia mais

Microcontroladores 8051

Microcontroladores 8051 Microcontroladores 8051 1. Microcontroladores Microcontrolador é o nome dado ao componente que incorpora em um só "chip" todos os elementos necessários a um microcomputador. Deve ter : CPU, Memória e Interfaces

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Estrutura e Função do Processador Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Organização

Leia mais

Microcontrolador Assembly UTFPR / DAELN Microcontroladores 1 Prof. Gabriel Kovalhuk

Microcontrolador Assembly UTFPR / DAELN Microcontroladores 1 Prof. Gabriel Kovalhuk Assembly 8051 Num sistema microprocessado, geralmente, não existe um sistema operacional; O programa desenvolvido pelo programador deve cuidar tanto da lógica do programa, bem como da configuração e acesso

Leia mais

8051 Estudo de Caso. Prof. Carlos E. Capovilla - CECS/UFABC 1

8051 Estudo de Caso. Prof. Carlos E. Capovilla - CECS/UFABC 1 8051 Estudo de Caso Prof. Carlos E. Capovilla - CECS/UFABC 1 8051 - Características O 8051 é membro da família MCS-51, e constitui o núcleo de todos os dispositivos MCS-51. Diversos fabricantes produzem

Leia mais

Processador. Processador

Processador. Processador Departamento de Ciência da Computação - UFF Processador Processador Prof. Prof.Marcos MarcosGuerine Guerine mguerine@ic.uff.br mguerine@ic.uff.br 1 Processador Organização básica de um computador: 2 Processador

Leia mais

SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Aula 2 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Aula 2 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Conceitos Básicos Aula 2 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira INTRODUÇÃO n Organização Æ implementação do hardware, componentes, construção dos dispositivos

Leia mais

Organização Básica III

Organização Básica III Barramento de endereços É unidirecional, porque a informação flui apenas em uma direção, da CPU para a memória ou para os elementos de E/S. Barramento de endereços Quando a CPU quer ler de ou escrever

Leia mais

Disciplina: Arquitetura de Computadores

Disciplina: Arquitetura de Computadores Disciplina: Arquitetura de Computadores Estrutura e Funcionamento da CPU Prof a. Carla Katarina de Monteiro Marques UERN Introdução Responsável por: Processamento e execução de programas armazenados na

Leia mais

Família 8051 (introdução) 2011/1

Família 8051 (introdução) 2011/1 Família 8051 (introdução) 2011/1 Refresh Microprocessador vs. microcontrolador. Periféricos built-in. Single-chip computer 2 Objetivos Histórico Modelos da família original Principais características Diagrama

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL II. AUTOR: ENG. ANTONIO CARLOS LEMOS JÚNIOR

ELETRÔNICA DIGITAL II. AUTOR: ENG. ANTONIO CARLOS LEMOS JÚNIOR ELETRÔNICA DIGITAL II AUTOR: ENG. ANTONIO CARLOS LEMOS JÚNIOR acjunior@facthus.edu.br 1º SEMESTRE 2009 CONTEÚDO PROGRAMADO: 1 O que é um computador digital? 2 Como funcionam os computadores 3 O agente

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Ciclo de Busca e Execução

Arquitetura de Computadores. Ciclo de Busca e Execução Arquitetura de Computadores Ciclo de Busca e Execução Ciclo de Busca e Execução Início Buscar a próxima instrução Interpretar a instrução Executar a instrução Término Funções realizadas pela UCP Funções

Leia mais

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas:

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Somar e subtrair Mover um dado de um local de armazenamento para outro Transferir um dado para um dispositivo

Leia mais

Interrupção. Prof. Adilson Gonzaga

Interrupção. Prof. Adilson Gonzaga Interrupção Prof. Adilson Gonzaga Estrutura de Programação Assembly Programa Principal Chamada de Sub-rotina1 Programa Principal Chamada de Sub-rotina2 Sub-rotina1 Subrotina2 Programa Principal Chamada

Leia mais

COMPUTADOR 2. Professor Adão de Melo Neto

COMPUTADOR 2. Professor Adão de Melo Neto COMPUTADOR 2 Professor Adão de Melo Neto Modelo Barramento de Sistema É uma evolução do Modelo de Von Newman. Os dispositivos (processador, memória e dispositivos de E/S) são interligados por barramentos.

Leia mais

Aula 8 Microcontrolador 8051

Aula 8 Microcontrolador 8051 SEL 0415 Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação EESC-USP SEL 0415 Introdução à Organização de Computadores Aula 8 Microcontrolador 8051 Profa. Luiza Maria Romeiro Codá Autores: Prof. Dr. Marcelo

Leia mais

X Y Z A B C D

X Y Z A B C D 29) A seguinte tabela verdade corresponde a um circuito combinatório de três entradas e quatro saídas. Obtenha a tabela de programação para o circuito em um PAL e faça um diagrama semelhante ao apresentado

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Unidade Central de Processamento (CPU) Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Baseado nos slides do capítulo

Leia mais

MICROCOMPUTADORES. Professor Adão de Melo Neto

MICROCOMPUTADORES. Professor Adão de Melo Neto MICROCOMPUTADORES Professor Adão de Melo Neto Sumário Organização Básica I (base) Organização Básica II (refinamento) Organização Básica III (Microcontrolador 8051) ORGANIZAÇÃO BÁSICA I Composição Unidade

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO A Arquitetura de Computadores trata do comportamento funcional de um sistema computacional, do ponto de vista do programador (ex. tamanho de um tipo

Leia mais

Prof. Adilson Gonzaga

Prof. Adilson Gonzaga Microprocessadores são Máquinas de Estado Seqüenciais Síncronas que operam mediante a execução de uma seqüência de códigos binários armazenados em memória. Prof. Adilson Gonzaga 1 As ordens ou comandos

Leia mais

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I SSC0112 Organização de Computadores Digitais I 3ª Aula Visão Geral e Conceitos Básicos Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br Copyright William Stallings & Adrian J Pullin Tradução, revisão e

Leia mais

Símbolos e abreviaturas utilizadas na descrição das instruções

Símbolos e abreviaturas utilizadas na descrição das instruções Símbolos e abreviaturas utilizadas na descrição das instruções acumulador registo A addr endereço de 16 bits data quantidade de 8 bits data 16 quantidade de 16 bits byte 2 segundo byte da instrução byte

Leia mais

FACULDADE LEÃO SAMPAIO

FACULDADE LEÃO SAMPAIO FACULDADE LEÃO SAMPAIO Microcontroladores Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 Componentes CPU Memórias Dispositivos de Entrada/Saída (E/S) Input/Output (I/O) 2 CPU A CPU busca informações

Leia mais

Unidade de Controle. Sinais e temporização da busca de instrução. Prof. Eduardo Appel

Unidade de Controle. Sinais e temporização da busca de instrução. Prof. Eduardo Appel Unidade de Controle Prof Eduardo Appel appel@upftchebr Uma CPU de um microprocessador pode interpretar o conteúdo de uma palavra de memória como sendo o código de instrução Mas pergunta-se: Qual o número

Leia mais

Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução

Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução Unidade 4 Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução 4.1) Converta os seguintes números decimais para hexadecimal: 145, 226, 1043, 3456 91h, E2h, 413h, D80h 4.2) Sem converter as bases, faça as

Leia mais

Prof. Adilson Gonzaga

Prof. Adilson Gonzaga Prof. Adilson Gonzaga Memória de Dados Interna (RAM Interna) O endereçamento é feito com 8 bits Chips com 128 bytes de RAM não possuem a área I (Apenas Endereçamento Indireto) Memória de Dados Interna

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES. Prof. Juliana Santiago Teixeira

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES. Prof. Juliana Santiago Teixeira ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES Prof. Juliana Santiago Teixeira julianasteixeira@hotmail.com INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável

Leia mais

ULA (ALU) - UNIDADE DE ARITMÉTICA E LÓGICA

ULA (ALU) - UNIDADE DE ARITMÉTICA E LÓGICA FATEC SP - Análise e Desenvolv. De Sistemas - Ambiente Operacional PÁG. 1 II) ELEMENTOS DE HARDWARE: DIAGRAMA DE BLOCOS DE UM COMPUTADOR 1) CPU - UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO

Leia mais

Sistemas Microprocessados. sato<at>utfpr<dot>edu<dot>br

Sistemas Microprocessados. sato<at>utfpr<dot>edu<dot>br Sistemas Microprocessados satoutfpredubr http://pessoal.utfpr.edu.br/sato/ Assembly do 805 satoutfpredubr Sobre o material Essas transparências foram baseadas em materiais elaborados

Leia mais

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador;

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador; 1 Microprocessador Um microprocessador é um circuito eletrônico capaz de realizar diversas tarefas conforme os comandos específicos. Para isso ele deve ler esses comandos da memória de programa (ROM) e

Leia mais

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade.

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. PROCESSADOR ULA Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. ULA Uma ULA típica pode realizar as operações artiméticas: - adição; - subtração; E lógicas: - comparação

Leia mais

Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas

Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 9 e 10/40 Prof.

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 2 Estrutura de um processador Prof. Leonardo Augusto Casillo Arquitetura de Von Neumann: Conceito de programa armazenado; Dados

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

ção de Computadores I

ção de Computadores I Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Arquitetura e Organizaçã ção de Computadores I Aula 2 1. Projeto da Arquitetura

Leia mais

Conjunto de Instruções do 8051

Conjunto de Instruções do 8051 Apêndice B Conjunto de Instruções do 8051 A.G. e E.T.M. / 2001 (revisão) O 8051 apresenta 111 tipos de instruções, sendo 49 de um byte, 45 de dois bytes e 17 de três bytes. Levando-se em contas as variações

Leia mais

Histórico de desenvolvimento de computadores Prof. Luís Caldas Aula 02 Processador de uso geral

Histórico de desenvolvimento de computadores Prof. Luís Caldas Aula 02 Processador de uso geral Processador de uso geral 1. Introdução: Um sistema digital completo é constituído de uma unidade controle e o bloco operacional. Na figura a seguir alguns elementos externos necessários para completar

Leia mais

EEC2104 Microprocessadores

EEC2104 Microprocessadores EEC2104 Microprocessadores Edição 2005/2006 Arquitectura de um microprocessador básico (Qual o hardware necessário para executar instruções e poder chamar subrotinas?) Uso da memória Guardar instruções

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição. Capítulo 12 Estrutura e função do processador

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição. Capítulo 12 Estrutura e função do processador William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 12 Estrutura e função do processador slide 1 Estrutura da CPU CPU precisa: Buscar instruções. Interpretar instruções. Obter

Leia mais

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto COMPUTADOR Adão de Melo Neto 1 PROGRAMA É um conjunto de instruções LINGUAGEM BINÁRIA INTRODUÇÃO Os caracteres inteligíveis são apenas zero(0) e um (1). É uma linguagem de comunicação dos computadores.

Leia mais

2. A influência do tamanho da palavra

2. A influência do tamanho da palavra PROCESSAMENTO 1. Introdução O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável pela realização das operações de processamento (os cálculos matemáticos etc.) e de controle, durante

Leia mais

Hardware e Software. Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD

Hardware e Software. Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD 1 Seção 1.1 Hardware 2 Unidades Funcionais Processador / U C P Unidade Lógica e Aritmética Unidade de Controle Registradores Memória Principal Dispositivos de

Leia mais

Aula 12: Memória: Barramentos e Registradores

Aula 12: Memória: Barramentos e Registradores Aula 12: Memória: Barramentos e Registradores Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Memória: Barramentos e Registradores FAC 1 / 34

Leia mais

Instruções. Maicon A. Sartin

Instruções. Maicon A. Sartin Instruções Maicon A. Sartin SUMÁRIO Introdução Instruções Formatos de instruções Conjuntos de instruções Execução de instruções Introdução a Linguagem de Montagem Introdução a Linguagem de Montagem Níveis

Leia mais

Unidade Central de Processamento 2. Registradores

Unidade Central de Processamento 2. Registradores Unidade Central de Processamento 2 Registradores Conceitos Fundamentais Arquitetura da CPU Unidade de Controle Registradores Barramento interno Unidade lógica e Aritmética Registradores Conjunto de unidades

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-2 Objetivos Conhecer o processador Compreender os registradores

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR Prof. Filippo Valiante Filho http://prof.valiante.info Estrutura do Computador Computador CPU (Central Processing Unit) Sistema de Armazenamento (Memórias) Sistema

Leia mais

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Instruções de Máquina

Instruções de Máquina Instruções de Máquina Operação básica (primitiva) que o hardware é capaz de executar diretamente Conjunto de bits que indica ao processador uma operação que ele deve realizar O projeto de um processador

Leia mais

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização Hardware: Componentes Básicos Arquitetura dos Computadores Dispositivos de Entrada Processamento Dispositivos de Saída Armazenamento Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistema de

Leia mais

INTRODUÇÃO: MICROCONTROLADORES

INTRODUÇÃO: MICROCONTROLADORES INTRODUÇÃO: MICROCONTROLADORES MICROCONTROLADOR X MICROPROCESSADOR Baixa capacidade de processamento Freq. Operação em MHz Custo de R$ 7,00 a 30,00 Aplicações mais restrita Alta capacidade de processamento

Leia mais

MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES PROVA 1

MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES PROVA 1 MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES PROVA 1 1. A expressão a seguir pode ser usada para avaliar o desempenho de um microprocessador. Comente cada um dos termos dessa expressão. Valor: 2,5 Tempo de

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Material do prof. Sílvio Fernandes - UFERSA

Leia mais

SEMINÁRIO ASSEMBLY: Arquitetura 8051

SEMINÁRIO ASSEMBLY: Arquitetura 8051 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA Curso de Ciências da Computação SEMINÁRIO ASSEMBLY: Arquitetura 8051 Fernando Takeshi Sato Diego Schmitt

Leia mais

Capítulo 3 Organização Interna de um Computador

Capítulo 3 Organização Interna de um Computador Capítulo 3 Organização Interna de um Computador 3.1 UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO A Unidade Central de Processamento - UCP (em inglês, Central Processing Unity - CPU) é a responsável pelo processamento

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Prof. Sílvio Fernandes

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica. ELE Microprocessadores II. Prof. Carlos Antonio Alves Sala 59 Fone

Departamento de Engenharia Elétrica. ELE Microprocessadores II. Prof. Carlos Antonio Alves Sala 59 Fone Departamento de Engenharia Elétrica ELE 1084 - Microprocessadores II Prof. Carlos Antonio Alves Sala 59 Fone 3743-1224 caa@dee.feis.unesp.br 1 ELE 1084 Microprocessadores II P R O G R A M A D E E N S I

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Conjunto de Instruções Slide 1 Sumário Características de Instruções de Máquina Tipos de Operandos Tipos de Operações Linguagem de Montagem Slide 2 Características

Leia mais

Montagem e Manutenção de Computadores

Montagem e Manutenção de Computadores Montagem e Manutenção de Computadores Organização dos Computadores Aula de 04/03/2016 Professor Alessandro Carneiro Introdução Um computador consiste de vários dispositivos referidos como hardware: o teclado,

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Modos de endereçamento direto ; inclui no programa assembly o arquivo (REG51.inc) ORG 0000H ; o programa inicia na linha 0000H da EPROM MOV A,#01010101B ; carrego no ACC por binário

Leia mais

Apontamentos sobre o 8051 Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto Versão revista e ampliada em 01/07/2009 Revisada em 28/02/2006 Revisada em 18/11/2007

Apontamentos sobre o 8051 Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto Versão revista e ampliada em 01/07/2009 Revisada em 28/02/2006 Revisada em 18/11/2007 1 Apontamentos sobre o 8051 Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto Versão revista e ampliada em 01/07/2009 Revisada em 28/02/2006 Revisada em 18/11/2007 Revisada em 17/03/2011 Revisada em 13/01/2013 1. Introdução:...

Leia mais

EPUSP PCS2355 Laboratório Digital MICROPROCESSADORES

EPUSP PCS2355 Laboratório Digital MICROPROCESSADORES MICROPROCESSADORES M.M. / 2001 (revisão) L.M.S. e P.S.C. / 2001 (revisão) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) Resumo Nesta experiência serão estudados os conceitos básicos de microprocessadores

Leia mais

CPUs e Barramentos. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

CPUs e Barramentos. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Seção 3.4 do livro do Tanenbaum Copyleft Rossano Pablo Pinto 2 CPUs possuem um conjunto de pinos que servem para

Leia mais

4. Modelo de Programação do DLX Introdução

4. Modelo de Programação do DLX Introdução 4. Modelo de Programação do DLX Quero que o matemático Beremiz Samir nos conte uma lenda, ou uma simples fábula, na qual apareça uma divisão de 3 por 3 indicada, mas não efetuada, e outra de 3 por 2, indicada

Leia mais

2º Estudo Dirigido CAP 3

2º Estudo Dirigido CAP 3 2º Estudo Dirigido CAP 3 1. Cite três exemplos de aspecto na definição e implementação de uma arquitetura que são influenciados pelas características do conjunto de instruções? R.: Operações lógicas e

Leia mais

Algoritmos e Lógica de Programação Componentes e Arquitetura

Algoritmos e Lógica de Programação Componentes e Arquitetura Algoritmos e Lógica de Programação Componentes e Arquitetura Agostinho Brito Departamento de Engenharia da Computação e Automação Universidade Federal do Rio Grande do Norte 21 de fevereiro de 2017 Noções

Leia mais

Microprocessadores. São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão;

Microprocessadores. São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão; Microprocessadores São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão; CPU (Central Processing Unit Unidade Central de Processamento) CPU (Central Processing

Leia mais

Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores

Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Universidade Federal de Goiás Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores Experimento 2: Teclado e Rotação de LEDs Alunos: Matrícula:

Leia mais

Memória de dados interna

Memória de dados interna Memória de dados interna A MD interna na família 51 proporciona 128 bytes ou 256 bytes de MD interna (conforme a versão do componente) Os endereços 0 a 7FH incluem os bancos de registos R0 a R7, posições

Leia mais

Barramentos: interface e temporização

Barramentos: interface e temporização Barramentos: interface e temporização Os barramentos (endereços, dados, controlo) são o meio de comunicação entre o microcontrolador e o exterior A nossa análise deste assunto incidirá sobre dois tipos

Leia mais

Departamento de Sistemas de Computação - SSC. Sistemas Digitais. 2 o Semestre Projeto CPU. Data da apresentação: 26/27 de outubro

Departamento de Sistemas de Computação - SSC. Sistemas Digitais. 2 o Semestre Projeto CPU. Data da apresentação: 26/27 de outubro UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Sistemas de Computação - SSC Sistemas Digitais 2 o Semestre Projeto CPU Data da apresentação: 26/27 de outubro

Leia mais

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 14 Operação da Unidade de Controle

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 14 Operação da Unidade de Controle William Stallings Organização de computadores digitais Capítulo 14 Operação da Unidade de Controle Microoperações o A execução de um programa em um computador se faz através: o do ciclo de Busca e Execução.

Leia mais

Notas de Aula Prof. André R. Hirakawa Prof. Paulo S. Cugnasca Prof. Carlos E. Cugnasca

Notas de Aula Prof. André R. Hirakawa Prof. Paulo S. Cugnasca Prof. Carlos E. Cugnasca Notas de Aula Prof. André R. Hirakawa Prof. Paulo S. Cugnasca Prof. Carlos E. Cugnasca SISTEMAS COMPACTOS: MEMÓRIAS ROM/RAM INTERNAS E/S INTERNOS: 1 CANAL SERIAL (CONSOME P3.0 E P3.1) 2 TIMERS/CONTADORES

Leia mais

III.2 - Princípios de Arquitetura

III.2 - Princípios de Arquitetura Conjunto de Instruções e Modo de Endereçamento Ciclo de busca decodificação execução de instruções Programação de um processador Arquitetura de Von Neumann e Componentes Arquiteturas 4, 3, 2, 1 e 0 Tabela

Leia mais

No. de bits. O primeiro IBM PC foi construído com o 8088 (versão de 8 bits do 8086).

No. de bits. O primeiro IBM PC foi construído com o 8088 (versão de 8 bits do 8086). Cap2.1 2. Arquitetura do microprocessador 8086 2.1 A família Intel iapx86 (ou 80X86) Processador Co-proc. Ano de introdução No. de bits No. de transistores Velocidade (MHz) 4004-1971 4 2.205-8008 - 1972

Leia mais

MODOS DE ENDEREÇAMENTO E CONJUNTO DE INSTRUÇÕES

MODOS DE ENDEREÇAMENTO E CONJUNTO DE INSTRUÇÕES MODOS DE ENDEREÇAMENTO E CONJUNTO DE INSTRUÇÕES Alexandre Lucas Chichosz Graduando em Engenharia da Computação, Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Calwann de Souza Freire Graduando em Engenharia

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL MEMÓRIA Componente de um sistema de computação cuja função é armazenar informações que são manipuladas pelo sistema para que possam ser recuperadas

Leia mais

Lista de Exercícios 1

Lista de Exercícios 1 Conceitos envolvidos: a) Memória de Dados (interna e externa) b) Memória de Programa (interna e externa) c) Operações aritméticas e lógicas d) Portas e) Endereçamento a Bit f) Contadores e Temporizadores

Leia mais

Componentes de um Computador Típico

Componentes de um Computador Típico Componentes de um Computador Típico Assim como em um aparelho de dvd, no qual é necessário ter o aparelho de dvd e um dvd contendo o filme que será reproduzido, o computador possui a parte física, chamada

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5 Cristina Boeres Introdução! Diferença de velocidade entre Processador e MP O processador executa uma operação rapidamente e fica em

Leia mais

CONJUNTO DE INSTRUÇÕES

CONJUNTO DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DE INSTRUÇÕES 1 CARACTERÍSTICAS DE INSTRUÇÕES DE MÁQUINA Quando um programador usa uma linguagem de alto-nível, como C, muito pouco da arquitetura da máquina é visível. O usuário que deseja programar

Leia mais

Departamento de Sistemas de Computação - SSC. SSC-110 Elementos de lógica digital I SSC-111 Laboratório de elementos de lógica digital I.

Departamento de Sistemas de Computação - SSC. SSC-110 Elementos de lógica digital I SSC-111 Laboratório de elementos de lógica digital I. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Sistemas de Computação - SSC SSC-110 Elementos de lógica digital I SSC-111 Laboratório de elementos de lógica

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 1-1. ENTRADAS E SAIDAS Uma das principais funções dos sistemas operacionais é controlar os dispositivos de entrada e saída (E/S ou I/O). O Sistema Operacional (SO) deve ser capaz de enviar comando

Leia mais

INTRODUÇÃO A ARQUITETURA DE COMPUTADORES FELIPE G. TORRES

INTRODUÇÃO A ARQUITETURA DE COMPUTADORES FELIPE G. TORRES INTRODUÇÃO A ARQUITETURA DE COMPUTADORES FELIPE G. TORRES ESSA APRESENTAÇÃO POSSUI QRCODE PARA ACESSAR INFORMAÇÕES ADICIONAIS AOS SLIDES. Código QR Reader Código QR OLHANDO UM COMPUTADOR PELO LADO DE FORA

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior (Material: Douglas Juliani)

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior (Material: Douglas Juliani) Arquitetura de Computadores Professor: Vilson Heck Junior (Material: Douglas Juliani) Agenda Conceitos Componentes Funcionamento ou tarefas Otimização e desempenho Conceitos Componente de Hardware que

Leia mais

Entrada e Saída e Dispositivos

Entrada e Saída e Dispositivos Entrada e Saída e Dispositivos Uma das funções do Sistema Operacional é: - Gerência de dispositivos de E/S. Operações: - Tratamento de interrupções - Tratamento erros - Interfaceamento entre os dispositivos

Leia mais

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup Memória Níveis de memória Diferentes velocidades de acesso Pequeno Alto(a) Cache RAM Auxiliar Auxiliar-Backup Memória Cache altíssima velocidade de acesso acelerar o processo de busca de informações na

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA Informática Aplicada 2009.2 Campus Angicos LISTA DE EXERCÍCIOS 01 Professor: Araken de Medeiros Santos INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1. Cite alguns problemas que o uso de válvulas provocava nos computadores

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 11 Conjuntos de instruções: Modos de endereçamento e formatos slide 1 Diagrama do endereçamento imediato Instrução Opcode

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Componentes básicos de um computador Memória Processador Periféricos Barramento O processador (ou microprocessador) é responsável pelo tratamento de informações armazenadas

Leia mais