Laboratório de Circuitos Digitais 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Laboratório de Circuitos Digitais 1"

Transcrição

1 Universidade Estadual Paulista Campus de Sorocaba Laboratório de Circuitos Digitais 1 Experimento 02: Montando circuitos combinacionais em protoboard Prof. Alexandre da Silva Simões 2005.

2 Laboratório de Circuitos Digitais Experimento 02: Montando circuitos combinacionais em protoboard 1. Objetivos Objetivo geral: Esta prática tem por objetivo fundamental apresentar e adaptar o aluno ao ambiente de montagem de circuitos digitais. As técnicas de montagem, o manuseio de componentes e o desenvolvimento da prática de consulta aos manuais são considerados de suma importância neste ambiente. Objetivo específico: Ao final desta prática o aluno deverá estar apto a trabalhar com certo grau de desenvoltura no ambiente do protoboard e a trabalhar com quaisquer circuitos combinacionais neste ambiente mediante disponibilidade de sua folha de dados. 2. Equipamento necessário 1. Protoboard; 2. Multímetro; 3. Osciloscópio; 4. Componentes: 74LS00, 74LS04, 74LS02, 01 resistor de 270Ω, 01 LED. 3. Considerações gerais sobre o protoboard O protoboard (breadboard, ou simplesmente matriz de contatos), mostrado na figura 1, torna possível ao aluno construir seu próprio circuito através da conexão direta de componentes. A alimentação dos circuitos é feita com as tensões disponíveis (+1, +10V, +, GND, -, -10V e -1) claramente indicadas na parte superior da placa. figura 1 Protoboard. Na barra de alimentação e no corpo principal da placa encontram-se dispostos pontos de conexão onde podem ser inseridos terminais de componentes ou fios apropriados. Estes pontos encontram-se ligados internamente e é imprescindível que o aluno tome conhecimento de sua forma de conexão antes de iniciar as atividades com o equipamento. Uma representação esquemática da interconexão dos pontos de conexão é mostrada na figura 2.

3 Barra de tensões: conexão interna entre todos os pontos sob a mesma tensão. Corpo principal: pontos de cada fileira encontram-se conectados verticalmente. Independência: Pontos de uma fileira não se encontram conectados aos pontos das fileiras adjacentes. (a) (b) figura 2 Representação do protoboard: a) aparência externa; b) ligação interna dos pontos de conexão. Uma boa prática antes de iniciar as montagens é utilizar o multímetro como mecanismo para investigar as conexões internas da placa. Considere a figura 3. Nesta encontram-se representadas algumas conexões em um protoboard e algumas grandezas são analisadas utilizando um multímetro. O multímetro na posição a está atuando como ohmímetro. Como este está conectado a dois pontos interligados internamente, espera-se que a resistência medida seja nula. A falta de conexão dos pinos de fileiras distintas pode ser comprovada através da inserção do ohmímetro nos pontos b e c, que neste caso devem registrar resistência infinita. a 0Ω d e b Ω f c Ω 0V g h figura 3 Exemplo de ligações no protoboard. A barra de tensões, como o mencionado anteriormente, possui todos os seus terminais de tensão similar curto-circuitados. O terminal de 0V (ou terminal comum) pode ser usado como referência (GND) para medir a tensão nos diversos pontos da barra. Tal

4 situação é mostrada com o multímetro d, neste caso atuando como voltímetro.uma determinada tensão pode ser aplicada a determinada coleção de pontos através da utilização de fios como o mostrado na figura 3. As leituras de tensão e, f, g e h ilustram possíveis conexões na placa. 4. Montando pequenos circuitos A figura 4, abaixo, ilustra a montagem de pequenos circuitos resistivos no protoboard. É recomendado ao aluno que observe atentamente tais montagens antes de iniciar a montagem do experimento corrente figura 4 Exemplo de montagem de circuitos simples em protoboard. ATENÇÃO: É sempre importante ter em mente que a conexão de dois pontos com tensões diferentes (ainda que por poucos instantes) fatalmente ocasiona um curtocircuito que pode danificar os fios, componentes, fonte ou mesmo a própria placa do protoboard.

5 figura 5 Exemplo de curto-circuito em uma montagem. 5. Montando circuitos com portas lógicas O protoboard foi elaborado de modo que a maioria dos CIs se encaixe perfeitamente entre duas fileiras de pontos de conexão. A figura 6, abaixo, ilustra a conexão de um circuito que implementa uma operação AND entre duas entradas. A saída é mostrada em um LED A B VCC GND figura 6 Um circuito com porta AND implementado em protoboard. ATENÇÃO: É comum pernas do CI se quebrarem quando este é retirado do protoboard. Utilize sempre o saca-ci.

6 6. Procedimento experimental Seja a tabela-verdade abaixo: A B C S O aluno deverá implementar esta tabela-verdade em protoboard, exibindo a saída S em um led verde. Para tanto, consulte livremente qualquer material necessário para o trabalho. As portas lógicas disponíveis para o projeto serão anunciadas oportunamente pelo professor. Para o desenvolvimento do projeto, sugere-se a seguinte seqüência de passos: 1. Minimização da função; 2. Elaboração do projeto em termos de portas lógicas; 3. Adequação do projeto às portas lógicas disponibilizadas em laboratório; 4. Implementação em protoboard. 7. Bibliografia Tocci, R. J.; Widmer, N. S.; "Sistemas Digitais - princípios e aplicações" Livros técnicos e científicos editora, 7a edição, 1998; Idoeta, I. V.; Capuano, F. G.; "Elementos de eletrônica digital" Ed Érica, 30 a edição, 2000; Manuais de componentes eletrônicos Texas Instruments

7

Pré-Laboratório (Para ser entregue no início da aula prática)

Pré-Laboratório (Para ser entregue no início da aula prática) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologia da Informação LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL I ELT 29 Atividade de Laboratório 6 Aluno: Aluno: Aluno: Mat.: Mat.: Mat.:

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 1: Medidas Elétricas. Realização de medidas elétricas de tensão e corrente em circuitos resistivos.

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 1: Medidas Elétricas. Realização de medidas elétricas de tensão e corrente em circuitos resistivos. 1 1. Objetivos Realização de medidas elétricas de tensão e corrente em circuitos resistivos. 2. Conceito 2.1 Matriz de contatos Uma grande parte dos circuitos eletrônicos, especialmente os digitais, quando

Leia mais

PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX

PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX 1) CONCEITO DE PROTOBOARD Fonte: Fritzing http://fritzing.org/home/ adaptado por Fátima Rosas. Protoboard ou matriz de contato é uma placa com diversos furos

Leia mais

Associação de Resistores

Associação de Resistores Associação de Resistores Objetivo: Medir a corrente elétrica e a diferença de potencial em vários ramos e pontos de um circuito elétrico resistivo. Materiais: (a) Três resistências nominadas R 1, R 2 e

Leia mais

EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS

EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS:,, OBJETIVOS Aplicar portas lógicas:

Leia mais

EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS

EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS 1 MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1 Objetivos

Leia mais

PORTAS NAND (NE) INTRODUÇÃO TEÓRICA

PORTAS NAND (NE) INTRODUÇÃO TEÓRICA PORTAS NAND (NE) PORTAS NAND (NE) OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente o funcionamento de uma porta NAND; b) Utilizar uma porta NAND como inversor; c) Demonstrar que uma porta NAND é universal; d)

Leia mais

OHMÍMETRO DIGITAL. 1 O Projeto. 1.1 Sensor. 1.2 Conversor A/D

OHMÍMETRO DIGITAL. 1 O Projeto. 1.1 Sensor. 1.2 Conversor A/D Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Instrumentação Eletrônica Professor: Luciano Fontes Cavalcanti Aluno: Raphael Dantas Ciríaco OHMÍMETRO DIGITAL

Leia mais

Experiência 1 INSTRUMENTAÇÃO LABORATORIAL. Relatório. No. USP Nome Nota Bancada

Experiência 1 INSTRUMENTAÇÃO LABORATORIAL. Relatório. No. USP Nome Nota Bancada ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos - PSI - EPUSP PSI 3031 - LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS 1º quadrimestre de 2017 Experiência 1 INSTRUMENTAÇÃO

Leia mais

Notas de Aula. Laboratório de Sistemas Digitais

Notas de Aula. Laboratório de Sistemas Digitais Notas de Aula Laboratório de Sistemas Digitais Sumário 1.Introdução...1 2.Tensão, Corrente, Resistência e LEDs...1 3.Protoboards...4 1 1. Introdução Esta apostila possui o conteúdo relacionado aos conceitos

Leia mais

Equipe: Figura 1. Alimentação simétrica usando duas fontes de alimentação

Equipe: Figura 1. Alimentação simétrica usando duas fontes de alimentação ROTEIRO 01 Alimentação do Amplificador Operacional Equipe: Data: / / Objetivo: -Alimentar o amplificador operacional utilizando fonte simétrica a partir de duas fontes DC e com apenas uma fonte DC e divisor

Leia mais

Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz

Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz IC555 O IC555 é um circuito integrado (chip) utilizado em uma variedade de aplicações como temporizador ou multivibrador. O CI foi projetado

Leia mais

Portas Lógicas Básicas: Parte 1 - Montagem e Medidas

Portas Lógicas Básicas: Parte 1 - Montagem e Medidas CETEC - PUC Campinas Laboratório 1 Portas Lógicas ásicas: Parte 1 - Montagem e Medidas 1. Introdução Os circuitos lógicos, responsáveis pelo aparecimento da Eletrônica Digital entre 1930 e 1940, tiveram

Leia mais

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS 1.1 OBJETIVOS Familiarização com instrumentos de medidas e circuitos elétricos. Utilização do voltímetro, amperímetro e do multímetro na função ohmímetro. Avaliação dos

Leia mais

Tecnologia digital Trabalho nº 3 Miniprojeto de contadores digitais

Tecnologia digital Trabalho nº 3 Miniprojeto de contadores digitais Tecnologia digital Trabalho nº 3 Miniprojeto de contadores digitais Introdução: A capacidade de contar é uma operação fundamental em eletrónica digital. Um contador fornece uma saída binária igual ao número

Leia mais

GUIA DE EXPERIMENTOS

GUIA DE EXPERIMENTOS ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos PSI - EPUSP PSI 3212 LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS GUIA DE EXPERIMENTOS EXPERIÊNCIA 1: INSTRUMENTAÇÃO

Leia mais

PORTAS OR - PORTAS AND

PORTAS OR - PORTAS AND PORTAS OR - PORTAS AND OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente como funciona uma porta OR; b) Verificar experimentalmente como funciona uma porta AND; c) Aprender como interpretar as especificações das

Leia mais

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA EXPERIÊNCIA N O 3 PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA RETIFICADOR MONOFÁSICO EM PONTE CONTROLADO W. KAISER 03/2009 1. OBJETIVOS Estudo do funcionamento de uma ponte monofásica controlada utilizando

Leia mais

Experiência 04: TEOREMA DE THEVENIN

Experiência 04: TEOREMA DE THEVENIN ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

9.0 Conversores DA. Um conversor digital analógico simples com saída em tensão

9.0 Conversores DA. Um conversor digital analógico simples com saída em tensão 9.0 Conversores DA Um DAC (Digital-to-Analog Converter) é um conversor digital analógico, comumente usado em situações onde há necessidade de converter um sinal um sinal que se apresenta na forma digital

Leia mais

Identificação do Valor Nominal do Resistor

Identificação do Valor Nominal do Resistor Conteúdo complementar 1: Identificação do Valor Nominal do Resistor Os resistores são identificados por um código de cores ou por um carimbo de identificação impresso no seu corpo. O código de cores consiste

Leia mais

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CCN / Departamento de Física Disciplina Eletrônica básica Técnicas digitais Prática 11 Experimento 1 Objetivo: Estabelecer a tabela verdade para o gate básico AND. Todo circuito

Leia mais

AULA EXPERIMENTAL 03 ERRO EM MEDIDAS ELÉTRICAS

AULA EXPERIMENTAL 03 ERRO EM MEDIDAS ELÉTRICAS 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS ELETRÔNICOS Métodos e Técnicas de Laboratório em Eletrônica

Leia mais

defi departamento de física

defi departamento de física defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Estudo de um Amperímetro Instituto Superior de Engenharia do Porto- Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia Pontifícia Universidade atólica do RS Faculdade de Engenharia EXPERÊN 5: PONTE RETFDOR TRFÁS DODOS - PONTE DE GRETZ OBJETVO Verificar qualitativa e quantitativamente o comportamento do retificador trifásico

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 384 Laboratório de Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 4:

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 384 Laboratório de Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 4: Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 384 Laboratório de Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 4: Circuitos combinacionais: somador completo e decodificador BCD

Leia mais

2 Objetivos Verificação e análise das diversas características de amplificadores operacionais reais.

2 Objetivos Verificação e análise das diversas características de amplificadores operacionais reais. Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 6 1 Título Prática 11 Características dos Amplificadores Operacionais 2 Objetivos Verificação e análise das diversas características

Leia mais

INVERSOR LÓGICO INTRODUÇÃO TEÓRICA. Para a tecnologia TTL esses valores são bem definidos: Nível lógico 1 = + 5V Nível lógico 0 = 0v

INVERSOR LÓGICO INTRODUÇÃO TEÓRICA. Para a tecnologia TTL esses valores são bem definidos: Nível lógico 1 = + 5V Nível lógico 0 = 0v Invasor Lógico INVERSOR LÓGICO OBJETIVOS: a) Entender o significado de compatível com TTL ; b) Aprender como interpretar especificações das folhas de dados (Data Book); c) Identificar a representação eletrônica

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE Experiência 4 Circuitos Lógicos- Inversor, Portas Nand/And, Portas Nor/Or, Memória Estática

Leia mais

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 3.1 OBJETIVOS Verificar experimentalmente as Leis de Kirchhoff 3.2 INTRODUÇÃO Para a resolução de um circuito de corrente contínua (cc), com várias malhas,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL. EXPERIÊNCIA N o 6

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL. EXPERIÊNCIA N o 6 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL Título: Circuito integrado TCA - 785. EXPERIÊNCIA N o 6 Objetivo: Verificar o princípio de funcionamento do

Leia mais

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20. Experiência 4: Síntese e Análise de uma Unidade Lógica Aritmética (ULA)

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20. Experiência 4: Síntese e Análise de uma Unidade Lógica Aritmética (ULA) Versão original: Prof. Duarte Lopes de Oliveira Versão digital : Maj. Fábio Durante Prof. de Laboratório: Prof. Alexis Tinoco Sala 177 r. 6932 atinoco@ita.br Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório

Leia mais

Atualização: 1. Protoboard (Matriz de Contato ou Bredboard)

Atualização: 1. Protoboard (Matriz de Contato ou Bredboard) Atualização: 1 5 (Matriz de Contato ou Bredboard) a) Alimentação interligadas na horizontal Placa, desenvolvida em material plástico (isolante). E+ _ A B C D F G H I J + _ 0 0 5 10 15 20 25 30 35 5 10

Leia mais

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Disciplinas: Física III (DQF 06034) Fundamentos de Física III (DQF 10079) Física Experimental II ( DQF 10441) Depto Química e Física CCA/UFES Estratégia:

Leia mais

Associação de resistores em série e em paralelo

Associação de resistores em série e em paralelo Aula Prática: Associação de resistores em série e em paralelo Introdução Suponha que você possua duas lâmpadas, cujas resistências elétricas sejam R 1 e R 2, e uma bateria cuja FEM (Força Eletro Motriz,

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos Aula LAB 3 Circuitos retificadores CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos AULA LAB 3 MONTAGEM E ENSAIOS DE CIRCUITOS

Leia mais

INSTRUMENTOS DE MEDIDAS ELÉTRICAS

INSTRUMENTOS DE MEDIDAS ELÉTRICAS INSTRUMENTOS DE MEDIDAS ELÉTRICAS Introdução Durante todo o curso de Laboratório de Física B, o aluno manuseará instrumentos de medidas elétricas e fontes de tensão elétrica. O instrumento de medida elétrica

Leia mais

EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES

EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES 1 DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento:

Leia mais

Experiência 02: RETIFICADORES MONOFÁSICOS DE ONDA COMPLETA A DIODO

Experiência 02: RETIFICADORES MONOFÁSICOS DE ONDA COMPLETA A DIODO ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 5: Análise de Circuitos Multiplexadores e Demultiplexadores

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 5: Análise de Circuitos Multiplexadores e Demultiplexadores 22 1.Objetivos Utilizar um circuito multiplexador e um demultiplexador como elementos básicos de um sistema de transmissão de uma palavra de 8 bits. Utilizar o multiplexador para implementar uma função

Leia mais

Aula de Laboratório: DIODO

Aula de Laboratório: DIODO Aula de Laboratório: DIODO I.1 - Teste do estado de funcionamento de um diodo Utilizando a função apropriada do multímetro, meça a condutividade dos diodos fornecidos em ambos os sentidos de polarização.

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA. Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica. Realizada : / / 2012 Entrega : / / 2012

UNIVERSIDADE PAULISTA. Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica. Realizada : / / 2012 Entrega : / / 2012 UNIVERSIDADE PAULISTA Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica Prof. Realizada : // 2012 Entrega : // 2012 Relatório : Aceito Recusado Corrigir (Visto) EXPERIÊNCIA 08 RESPOSTA EM FREQÜÊNCIA

Leia mais

Resistência elétrica e Protoboard

Resistência elétrica e Protoboard Resistência elétrica e Protoboard 1. A resistência elétrica A resistência elétrica é um componente eletrónico que oferece uma oposição à passagem da corrente elétrica. Este componente tem diversas aplicações

Leia mais

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório AULA 02 VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO DE CORRENTE CONTÍNUA 1 INTRODUÇÃO Na primeira aula

Leia mais

PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO 01 CIRCUITO DE SINALIZAÇÃO E COMANDO

PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO 01 CIRCUITO DE SINALIZAÇÃO E COMANDO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA ENGENHARIA ELETRÔNICA Projeto Integrador I Iniciação Científica PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO 0 CIRCUITO

Leia mais

Plano de Ensino de Disciplina Engenharia Elétrica

Plano de Ensino de Disciplina Engenharia Elétrica Plano de Ensino de Disciplina - 2016 Engenharia Elétrica Disciplina: SISTEMAS DIGITAIS 1 SD 1 Código: 8507 Carga Horária Semanal: Teoria: 02 horas Laboratório: 02 horas Carga Horária Semestral: Teoria:

Leia mais

Aula Prática 3: Determinação da Resistência elétrica em resistores

Aula Prática 3: Determinação da Resistência elétrica em resistores Aula Prática 3: Determinação da Resistência elétrica em resistores Introdução Resistores são componentes eletrônicos que oferecem certa dificuldade à passagem de corrente elétrica em um circuito. Devido

Leia mais

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA EXPERIÊNCIA N o PEA50 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA RETIFICADORES NÃO CONTROLADOS DE DOIS CAMINHOS W. KAISER 0/009 1. OBJETIVOS Estudo do funcionamento e processo de comutação em retificadores

Leia mais

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 5: Divisores de tensão. Alunos: 2-3-

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 5: Divisores de tensão. Alunos: 2-3- Campus SERRA COORDENADORIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Disciplinas: Circuitos em Corrente Contínua Turma: AN1 Professor: Vinícius Secchin de Melo Roteiro para experiências de laboratório AULA 5: Divisores

Leia mais

Experiência 01 Identificação e Medição de Resistores e suas Associações

Experiência 01 Identificação e Medição de Resistores e suas Associações 1 Experiência 01 Identificação e Medição de Resistores e suas Associações Aluno: Data: / / 1 Objetivos de Aprendizagem deste Experimento A experiência 1 trata dos capítulos 1 e 2 do livro texto. Os objetivos

Leia mais

A busca constantes da qualidade e a preocupação com o atendimento ao cliente estão presentes nas ações do SENAI.

A busca constantes da qualidade e a preocupação com o atendimento ao cliente estão presentes nas ações do SENAI. Sumário Introdução 5 Resistores ajustáveis 6 Resistores ajustáveis de fio 7 Trimpot 8 Características dos resistores ajustáveis 10 Simbologia 12 Potenciômetros 13 Funcionamento 13 Simbologia 14 Tipos de

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 01 RESISTORES E A LEI DE OHM

Roteiro-Relatório da Experiência N o 01 RESISTORES E A LEI DE OHM Roteiro-Relatório da Experiência N o 01 RESISTORES E A LEI DE OHM COMPONENTES DA EQUIPE: ALUNOS NOTA 1 2 3 Data: / / : h OBJETIVOS: Ler o valor nominal de cada resistor através do código de cores. Conhecer

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 6

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 6 Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 6 UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA (ULA) E DECODIFICADOR PARA

Leia mais

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO OBJETIVOS Esta aula prática tem como objetivo apresentar aos alunos as portas lógicas TTL (Transistor-Transistor Logic). Através de montagens eletrônicas simples no protoboard, deverão ser verificados

Leia mais

Medição de Tensões e Correntes Eléctricas. Leis de Ohm e de Kirchoff

Medição de Tensões e Correntes Eléctricas. Leis de Ohm e de Kirchoff Medição de Tensões e Correntes Eléctricas. Leis de Ohm e de Kirchoff. Objectivo: Aprender a medir tensões e correntes eléctricas com um oscioscopio e um multímetro digital. Conceito de resistência intema

Leia mais

Educação Profissional Técnico em Eletroeletrônica. Prática 4 Arduino. Alunos: Nota:

Educação Profissional Técnico em Eletroeletrônica. Prática 4 Arduino. Alunos: Nota: SENAI Arcos CFP Eliezer Vitorino Costa Educação Profissional Técnico em Eletroeletrônica Turma: TET04T-3 Prática 4 Arduino. Alunos: Nota: Instrutor: Raphael Roberto Ribeiro Silva 08/03/2017 Valor: 2,5

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do RS PUCRS Faculdade de Engenharia FENG

Pontifícia Universidade Católica do RS PUCRS Faculdade de Engenharia FENG Pontifícia Universidade Católica do RS PUCRS Faculdade de Engenharia FENG LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA Experiência nº 10 - Retificador Trifásico controlado de Onda Completa a Tiristor OBJETIVO:

Leia mais

PSI LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS GUIA DE EXPERIMENTOS. EXPERIÊNCIA 2 - Medição de Grandezas Elétricas: Valor Eficaz e Potência

PSI LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS GUIA DE EXPERIMENTOS. EXPERIÊNCIA 2 - Medição de Grandezas Elétricas: Valor Eficaz e Potência ESCOLA POLITÉCNICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos PSI - EPUSP PSI 3212 - LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS 1º Semestre de 2016 GUIA DE EXPERIMENTOS EXPERIÊNCIA

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 3:

Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 3: Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação SEL 405 Lab. de Introdução aos Sistemas Digitais I Profa. Luiza Maria Romeiro Codá PRÁTICA Nº 3: GATES COLETOR ABERTO, TRI-STATE E SCHIMITT TRIGGER 1.

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Edson T. Midorikawa/2006 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz).

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica ELE Circuitos Digitais I Experimento: Portas Lógicas

Departamento de Engenharia Elétrica ELE Circuitos Digitais I Experimento: Portas Lógicas 1 Objetivos Departamento de Engenharia Elétrica ELE 1065 - Circuitos Digitais I Experimento: Portas Lógicas Nesta aula será feita uma introdução à instrumentação básica do laboratório e serão realizados

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF Introdução Associação de Resistores Em muitas aplicações na engenharia elétrica e eletrônica é muito comum fazer associações de resistores com o objetivo de

Leia mais

Médio. Física. Exercícios de Revisão I

Médio. Física. Exercícios de Revisão I Nome: n o : Médio E nsino: S érie: T urma: Data: 3 a Prof(a): Ivo Física Exercícios de Revisão I Exercícios referentes aos capítulos 5 e 6 (livro 3). As resoluções dos exercícios (1 a 7) devem ser fundamentadas

Leia mais

PORTAS NOR INTRODUÇÃO TEÓRICA

PORTAS NOR INTRODUÇÃO TEÓRICA PORTAS NOR OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente o funcionamento de uma porta NOR; b) Usar uma porta NOR como um inversor lógico; c) Demonstrar porque uma porta NOR é uma porta lógica universal; d)

Leia mais

EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX

EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX 1 MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL Prof.: EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento: Execução: Relatório:

Leia mais

1 Utilizando o Protoboard

1 Utilizando o Protoboard Ensino Médio Integrado em Automação Industrial Sistemas Digitais e Projeto Integrador Professor: Rafael Garlet de Oliveira 1 Utilizando o Protoboard Aula Prática 1 É um equipamento utilizado para montagens

Leia mais

Funções e Portas Lógicas

Funções e Portas Lógicas Funções e Portas Lógicas Nikolas Libert ula 1 Eletrônica Digital ET52C Tecnologia em utomação Industrial Funções e Portas Lógicas Funções e Portas Lógicas Função Lógica Opera sobre variáveis binárias (0

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV007 Projetos em Matriz de Contato Ensino Médio Direitos Reservados - Newton C. Braga 1 Prof. Ventura Ensina Tecnologia Projetos em Matriz de Contato As

Leia mais

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20 Versão original: Prof. Duarte Lopes de Oliveira Versão digital : TCel. Fábio Durante Prof. de Laboratório: Prof. Giovanni Fernandes Amaral Sala 183 IEEA gfamaral@ita.br Divisão de Engenharia Eletrônica

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2016 3ª FASE 08 DE OUTUBRO DE 2016 PROVA EXPERIMENTAL NÍVEL I Ensino Fundamental 8 o e 9 o anos LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01 - Esta prova destina-se exclusivamente

Leia mais

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2013 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

AULA LAB 02 LABORATÓRIO DE CONVERSORES CC-CC 2 GERAÇÃO DOS SINAIS DE COMANDO (PWM) NO ARDUINO

AULA LAB 02 LABORATÓRIO DE CONVERSORES CC-CC 2 GERAÇÃO DOS SINAIS DE COMANDO (PWM) NO ARDUINO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA Eletrônica de Potência AULA LAB 02 LABORATÓRIO DE CONVERSORES CC-CC

Leia mais

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA EXPERIÊNCIA 4 PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA RETIFICADOR TRIFÁSICO EM PONTE CONTROLADO W. KAISER 02/2009 1. OBJETIVOS Estudo do funcionamento de uma ponte trifásica a tiristores controlada

Leia mais

Aula Prática 5 Ligação Série e Paralelo, Lei de Ohm e Leis de Kirchhoff

Aula Prática 5 Ligação Série e Paralelo, Lei de Ohm e Leis de Kirchhoff Aula Prática 5 Ligação Série e Paralelo, Lei de Ohm e Leis de Kirchhoff Disciplinas: Física III (DQF 06034) Fundamentos de Física III (DQF 10079) Depto Química e Física- CCA/UFES Estratégia: Montagem e

Leia mais

Curva Característica de um Díodo de Junção

Curva Característica de um Díodo de Junção Curva Característica de um Díodo de Junção Ano Lectivo 2003/2004-2º Semestre O presente trabalho prático é composto por duas secções : Protocolo Descrição dos procedimentos a efectuar pelo aluno. O protocolo

Leia mais

Conteúdo. 1 Introdução Teórica Análise Nodal Análise de Malha Objetivos 6. 3 Materiais Utilizados 6

Conteúdo. 1 Introdução Teórica Análise Nodal Análise de Malha Objetivos 6. 3 Materiais Utilizados 6 Lista de Figuras 1 Princípio de Funcionamento........................... 3 2 Sentido convencional da corrente......................... 4 3 Nós de referência................................. 4 4 Exemplos

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação 2014 Roteiro Revisão Matemática Função matemática, função

Leia mais

. Medição de tensões contínuas (DC) : Volt [V]. Medição de tensões alternas (AC)

. Medição de tensões contínuas (DC) : Volt [V]. Medição de tensões alternas (AC) Medição de Tensões e de Correntes Eléctricas. Leis de Ohm e de Kirchoff 1. Objectivo: Aprender a medir tensões e correntes eléctricas com um osci1oscópio e um multímetro digital. Conceito de resistência

Leia mais

EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES

EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES 1 DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento:

Leia mais

Laboratório de Processadores I

Laboratório de Processadores I Laboratório de Processadores I A placa de Laboratório de Processadores I (2010/I) possui componentes tanto SMD quanto THRUHOLE e alguns cuidados devem ser tomados para montagem da mesma. As dicas compiladas

Leia mais

EPUSP PCS 3335 Laboratório Digital A. Trena Digital

EPUSP PCS 3335 Laboratório Digital A. Trena Digital Trena Digital Versão 2016 RESUMO Esta experiência tem por objetivo desenvolver uma Trena Digital, ou seja, um circuito digital que realiza a medida de distância para um objeto, usando um sensor ultrassônico

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 02 LEIS DE KIRCHHOFF

Roteiro-Relatório da Experiência N o 02 LEIS DE KIRCHHOFF COMPONENTES DA EQUPE: Roteiro-Relatório da Experiência N o 02 LES DE KRCHHOFF ALUNOS NOTA 1 2 3 Data: / / : h 1. OBJETVOS: Verificação experimental da Lei de Kirchhoff das Tensões e a Lei de Kirchhoff

Leia mais

Manual de Montagem Protuino FTDi

Manual de Montagem Protuino FTDi Manual de Montagem Protuino FTDi Componentes do Kit Protuino FTDi 1x FTDi Basic 1x ATMega328p com Bootloader do Arduino UNO 1x Protoboard de 170 furos 5x Jumpers de 10cm macho/macho 4x Jumpers de 5cm macho/macho

Leia mais

236 Conjunto eletrômetro

236 Conjunto eletrômetro 1 Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP Equipamentos 127 V 220 V Multímetro digital 07134.00 07134.00 1 Cabo de conexão, 32A, 50cm, vermelho

Leia mais

CARGA E DESCARGA DE CAPACITORES

CARGA E DESCARGA DE CAPACITORES CARGA E DESCARGA DE CAPACITORES Introdução O capacitor é um componente eletrônico constituído de duas placas condutoras de corrente elétrica separadas por um material isolante denominado de dielétrico

Leia mais

Painel para análise de circuitos resistivos CC. (Revisão 00)

Painel para análise de circuitos resistivos CC. (Revisão 00) 1 Painel para análise de circuitos resistivos CC (Revisão 00) 2 Objetivo O painel para análise de circuitos resistivos CC tem por objetivo auxiliar os estudantes do Ensino Médio e do Ensino Superior que

Leia mais

O professor não pode depender do instrutor de laboratório para checar se os circuitos são perigosos ou não, pois este não está sempre presente.

O professor não pode depender do instrutor de laboratório para checar se os circuitos são perigosos ou não, pois este não está sempre presente. O professor não pode depender do instrutor de laboratório para checar se os circuitos são perigosos ou não, pois este não está sempre presente. 2008-10-28 15:50 2008-10-28 A matriz de comutação é uma pilha

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 03 ANÁLISE DE MALHAS E ANÁLISE NODAL

Roteiro-Relatório da Experiência N o 03 ANÁLISE DE MALHAS E ANÁLISE NODAL COMPONENTES DA EQUIPE: Roteiro-Relatório da Experiência N o 03 ANÁLISE DE MALHAS E ANÁLISE NODAL ALUNOS NOTA 1 2 3 Data: /_ /_ :_ h 1. OBJETIVOS: Verificação experimental de ciruitos mistos com três malhas

Leia mais

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos.

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. 7-INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO 7.1-GALVANÔMETRO O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. O multímetro

Leia mais

DIGITAL LOGIC. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos M-1111A. Lógica Digital

DIGITAL LOGIC. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos M-1111A. Lógica Digital DIGITAL LOGIC Lógica Digital M-1111A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./ Imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos Conteúdo 1.

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES CALCULADORA SIMPLES E.T.M./23 (revisão e adaptaçào) M.D.M. e E.T.M. (revisão) E.T.M./28 (revisão) RESUMO Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de soma binária para o desenvolvimento

Leia mais

ROTEIRO OFICIAL 01 Curva Característica do Diodo Semicondutor

ROTEIRO OFICIAL 01 Curva Característica do Diodo Semicondutor - UTFPR DAELT Engenharia Elétrica e/ou Controle e Automação Disciplina: Laboratório de Eletrônica ET74C Prof.ª Elisabete Nakoneczny Moraes ROTEIRO OFICIAL 01 Curva Característica do Diodo Semicondutor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7051 Materiais Elétricos - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7051 Materiais Elétricos - Laboratório UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7051 Materiais Elétricos - Laboratório EXPERIÊNCIA 04 RESISTORES E PROPRIEDADES DOS SEMICONDUTORES 1 INTRODUÇÃO Este roteiro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF Introdução Associação de Resistores Em muitas aplicações na engenharia elétrica e eletrônica é muito comum fazer associações de resistores com o objetivo de

Leia mais

ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF

ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF NOME: TURMA: DATA: / / OBJETIVOS: Ler o valor nominal de cada resistor através do código de cores. Conhecer os tipos de

Leia mais

PSI Práticas de Eletricidade e Eletrônica I. Experiência 2 - Componentes Ativos

PSI Práticas de Eletricidade e Eletrônica I. Experiência 2 - Componentes Ativos PSI-3263 - Práticas de Eletricidade e Eletrônica I Experiência 2 - Componentes tivos.c.s. Edição 2016 Introdução Na primeira experiência foram apresentados alguns componentes eletrônicos, com especial

Leia mais

Medidores de grandezas elétricas

Medidores de grandezas elétricas LEB 5030 Instrumentação e Automação para Sistemas Agrícolas Medidores de grandezas elétricas Prof. Dr. Rubens Tabile tabile@usp.br FZEA - USP INSTRUMENTOS ANALÓGICOS E DIGITAIS Instrumentos de medidas

Leia mais

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações Aula Prática 01 I - Objetivos O objetivo desta aula prática é estudar o amplificador diferencial, suas propriedades e aplicações. A técnica adotada é reforçar a noção de associação de amplificadores em

Leia mais

LABORATÓRIO CICUITOS ELÉTRICOS

LABORATÓRIO CICUITOS ELÉTRICOS LABORATÓRIO CICUITOS ELÉTRICOS NEURY BOARETTO JOINVILLE 2010 AULA PRÁTICA 1 Objetivos 1. Verificar o funcionamento do osciloscópio na medida de tensão e período Material Usado 1 Multímetro digital 1 Matriz

Leia mais