Contratualização de Resultados com o Terceiro Setor - OSCIP Desafios e Potencialidades: A Experiência de Minas Gerais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contratualização de Resultados com o Terceiro Setor - OSCIP Desafios e Potencialidades: A Experiência de Minas Gerais"

Transcrição

1 Contratualização de Resultados com o Terceiro Setor - OSCIP Desafios e Potencialidades: A Experiência de Minas Gerais Renata Anício Bernardo Felipe Antônio Rocha Silva Frederico de Morais Andrade Coutinho Maio 2008

2 Introdução OBJETIVO: análise do instrumento de parceria (contratualização de resultados) entre órgãos públicos e entidades do terceiro setor (OSCIP). 1. Panorama geral da experiência mineira 2. Estudos de caso: resultados e limitações 3. Desafios e potencialidades

3 Contexto Brasil: Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado (1995) Publicização - Setor de atividades não-exclusivas: propriedade pública não-estatal - Execução por entidades de direito privado, sem fins lucrativos, sob responsabilidade e fomento do Estado. Minas Gerais: implantação do Projeto Estruturador Choque de Gestão Pessoas, Qualidade e Inovação na Administração Pública ( ) - Criação de novos arranjos institucionais e instrumentos gerenciais: pactuação de resultados entre organizações públicas e privadas. - Vertente: modelo de parceria entre o Estado e a sociedade civil organizada, pautada na contratualização de resultados entre os parceiros Lei /2003

4 Qualificação Ato vinculado Título concedido a pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos que atendam às exigências da Lei /03. Habilita a entidade a celebrar Termo de Parceria

5 Qualificação Atualmente há 133 OSCIPs qualificadas OSCIPs QUALIFICADAS POR ÁREA DE ATUAÇÃO Meio Ambiente e desenvolvimento sustentável 17% Saúde gratuita 8% Assistência social 29% Fomento ao esporte amador 5% Estudos e Pesquisas 9% Educação 2% Desvenvolvimento econômico e social 14% Defesa dos direitos estabelecidos 5% Cultura 11%

6 Termo de Parceria Instrumento de vinculação entre o órgão do poder público estadual e uma OSCIP, para o fomento e a execução de atividades de interesse público. Foco: Resultados

7 Termo de Parceria Prevê responsabilidades, direitos e obrigações das partes. Negociação: objetivos, metas, ações, periodicidade de avaliações, repasses financeiros, e obrigações mútuas. Formalização: execução, monitoramento e avaliações Instrumento dotado de regulamentação e metodologia própria, distinto dos Contratos, Convênios e outros ajustes celebrados pelo Poder Público. Escolha da OSCIP: ato discriscionário ou concurso de projetos

8 Termo de Parceria Requisitos: justificativa de escolha da OSCIP; aprovação da Auditoria-Geral do Estado, da Câmara de Coordenação e do Conselho de Políticas Públicas; publicação da minuta. Atualmente, há 11 Termos de Parceria em execução e 5 finalizados.

9 Estudo de Caso Fundação TV Minas e Associação de Desenvolvimento da Radiodifusão de Minas Gerais ADTV Flexibilidade de gestão de pessoas e insumos Melhoria da qualidade da produção: - Prêmio da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial de melhor televisão do ano, em 2006 e Instituto Vox Populi: índice de satisfação dos entrevistados com programação foi de 87% Aumento da receita diretamente arrecadada (2005: R$ 5,3 mi; 2007: R$ 7,5 mi) Necessidade de repactuação das metas

10 Estudo de Caso Secretaria de Estado de Defesa Social e ELO - Inclusão e Cidadania Ampliação da política (2005: 9 NPCs; 2007: 31NPCs) Monitoramento da atuação do Estado: acompanhamento e avaliação dos programas Aumento da qualidade na prestação de serviços (Insituto Pólis apontou índice de satisfação de 94%) Incorporação de novas técnicas de gestão de pessoas (processo seletivo e avaliação de desempenho)

11 Estudo de Caso Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude e OSCIP De Peito Aberto Aumento da agilidade e flexibilidade dos processos (organização e planejamento dos jogos) Aumento da qualidade na prestação de serviços - AUGE: 73% dos atletas consideraram o JIMI 2007 melhor do que os anos anteriores e o nível de satisfação das prefeituras com as informações prestadas pela OSCIP foi de 100%.

12 Potencialidades Intersetorialidade Aumento da participação / transparência Agilidade / flexibilidade Controle intensivo de resultados Adaptabilidade

13 Desafios Desconhecimento do modelo: 1) por parte dos órgãos estatais:. Insegurança jurídica e cultural mudança de papel 2) por parte das OSCIPs:. Quebra de paradigmas requisitos administrativos e legais 3) por parte dos Órgãos de Controle:. Interno (AUGE) e Externo (TCE e MP) alteração da lógica do controle e compreensão de suas vantagens

14 Conclusões Processo de aprendizagem: necessidade de aprimoramento Parceria pode gerar resultados que o Estado sozinho dificilmente conseguiria Instrumento de gestão capaz de potencializar a implementação de políticas públicas Oferece possibilidades de ganhos de efetividade se bem utilizado Sucesso ou fracasso depende do modo de utilização e não pode ser atribuído a deficiências intrínsecas ao modelo

15 CONTATO Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Diretoria Central de Modernização da Gestão (31)

Contratualização de Resultados

Contratualização de Resultados Contratualização de Resultados Contratualização de Resultados CONCEITO E PREMISSA FUNDAMENTAL SOBRE CONTRATOS DE GESTÃO O contrato de gestão é um instrumento de pactuação de resultados, que relaciona secretarias

Leia mais

Terceiro Setor e o Direito Administrativo

Terceiro Setor e o Direito Administrativo Terceiro Setor e o Direito Administrativo Ponto n. 7 Qualificações e instrumentos de parcerias com a Administração Pública: legislação e regime jurídico: Convênios, Termos de Fomento, Termos de Colaboração

Leia mais

O ACORDO DE RESULTADOS E O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE EM MINAS GERAIS: FORTALECENDO O ALINHAMENTO ENTRE PESSOAS, ORGANIZAÇÕES E A ESTRATÉGIA

O ACORDO DE RESULTADOS E O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE EM MINAS GERAIS: FORTALECENDO O ALINHAMENTO ENTRE PESSOAS, ORGANIZAÇÕES E A ESTRATÉGIA O ACORDO DE RESULTADOS E O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE EM MINAS GERAIS: FORTALECENDO O ALINHAMENTO ENTRE PESSOAS, ORGANIZAÇÕES E A ESTRATÉGIA O que é o Acordo de Resultados Instrumento de pactuação de resultados

Leia mais

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor CÂMARA TÉCNICA DEBATE - CRCSC A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor JUAREZ DOMINGUES CARNEIRO MARCO REGULATÓRIO Lei 13.019/2014 e o Decreto 8.726/2016 Marco Regulatório Missão: aperfeiçoar o

Leia mais

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51)

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51) Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos Elton Bozzetto (51)99666 5592 eltonbozzetto@gmail.com SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade: é a capacidade de uma organização de manter o seu projeto

Leia mais

... cont. Dec. 78/ DECIDE. estabelecer as seguintes NORMAS PARA GESTÃO DE RECURSOS FINANCEIROS VINCULADOS À PÓS-GRADUAÇÃO:

... cont. Dec. 78/ DECIDE. estabelecer as seguintes NORMAS PARA GESTÃO DE RECURSOS FINANCEIROS VINCULADOS À PÓS-GRADUAÇÃO: DECISÃO Nº 78/2003 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 16.05.2003, de acordo com o constante no processo nº 23078.009650/02-11 e na proposta da Comissão Especial Decisão nº 119/2001 e tendo em vista

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE

RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E GESTÃO PPA - Exercício - RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE Órgão

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares S.A. - EBSERH e dá outras providências.

Leia mais

ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM

ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação 1 Publicização dos resultados no sítio

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED!

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! CONCEITO O Inova Unimed é um movimento de renovação que visa a modernização estrutural, operacional e administrativa da Unimed Vale do Aço. OBJETIVOS SATISFAZER

Leia mais

PLANO PLURIANUAL R$ 1,00 INFORMAÇÕES SOBRE AS AÇÕES ESTRATÉGICAS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - FUESPI

PLANO PLURIANUAL R$ 1,00 INFORMAÇÕES SOBRE AS AÇÕES ESTRATÉGICAS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - FUESPI 90 - GESTÃO E MANUTENÇÃO DO PODER EXECUTIVO COORDENAÇÃO GERAL DA FUESPI PROMOVER POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR DOCENTE E ADMINISTRATIVO, INCLUINDO O PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA. AMPLIAR O QUADRO

Leia mais

Lei de Parcerias - Lei nº /14. Fundamentos Princípios Diretrizes

Lei de Parcerias - Lei nº /14. Fundamentos Princípios Diretrizes Lei de Parcerias - Lei nº 13.019/14 Fundamentos Princípios Diretrizes Lei nº 13.019/14 Estabelece o regime jurídico das parcerias voluntárias, envolvendo ou não transferências de recursos financeiros,

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Administração Pública Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O Estado É uma comunidade de homens fixada sobre um território com poder de mando, ação e coerção (ato de pressionar, induzir) constituída

Leia mais

MARCO LEGAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL E O PL 7168/2014

MARCO LEGAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL E O PL 7168/2014 03/04/2014 Encontro NEATS/PUC-SP MARCO LEGAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL E O PL 7168/2014 Paula Raccanello Storto NEATS Núcleo de Estudos Avançados em Terceiro Setor da PUC-SP Criado em 1998, no

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa :

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa : TERMO DE REFERÊNCIA Denominação : Consultor(a) na área de ciências agrárias, sociais, econômicas ou áreas afins, para elaboração de proposta de sistema de monitoramento e avaliação para Programa de ATES

Leia mais

XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde

XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Brasília, 9 a 12 de julho de 2011 A rede cegonha deve ser organizada de maneira a possibilitar

Leia mais

Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado

Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado Professor Luiz Antonio de Carvalho Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado - 1995 lac.consultoria@gmail.com Objetivos da Reforma a curto prazo, facilitar o ajuste fiscal, particularmente nos Estados

Leia mais

PAULA MELLO ASSESSORIA JURÍDICA NO TERCEIRO SETOR

PAULA MELLO ASSESSORIA JURÍDICA NO TERCEIRO SETOR PRINCIPAIS ASPECTOS DO TERMO DE PARCERIA ESTABELECIDO PELA LEI 9790/99 E REGULAMENTADO PELO DECRETO 3100/99 A lei 9790/99 em seu capitulo II, institui o termo de parceria como o instrumento passível de

Leia mais

Lei No de 2011 Criação da EBSERH.

Lei No de 2011 Criação da EBSERH. PROF. ÉRICO VALVERDE Lei No. 12.550 de 2011 Criação da EBSERH. EBSERH Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Hospitais Universitários Federais HUF s, Criada pelo Governo Federal, Vinculado ao Ministério

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO PROEX PUC Minas. Profª. Luciana Costa

CURSOS DE EXTENSÃO PROEX PUC Minas. Profª. Luciana Costa CURSOS DE EXTENSÃO PROEX PUC Minas Profª. Luciana Costa SUMÁRIO 1. Normativos dos Cursos de Extensão referendados pela PROEX 2. Operacionalização da oferta dos Cursos de Extensão referendados pela PROEX

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE GOVERNO Superintendência de Planejamento e Finanças Diretoria de Contabilidade e Finanças

SECRETARIA DE ESTADO DE GOVERNO Superintendência de Planejamento e Finanças Diretoria de Contabilidade e Finanças 8º Relatório da Comissão de Avaliação (CA) do Termo de Parceria celebrado entre a Secretaria de Estado de Governo e a OSCIP - Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Minas Gerais - MDC. Período Avaliatório:

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA

COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA 31/07/2014 - Brasília DF SERGIO RAZERA Diretor-Presidente Fundação Agência

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 020, DE 31 DE MAIO DE CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

PROJETO DE LEI Nº 020, DE 31 DE MAIO DE CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL PROJETO DE LEI Nº 020, DE 31 DE MAIO DE 2017. INSTITUI O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE NOVA PÁDUA PARA O PERÍODO DE 2018-2021. CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL Art. 1 -

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108 PROGRAMA Nº- 108 AMPLIAÇÃO DO PROJETO VOLTA REDONDA CIDADE DA MÚSICA SUB-FUNÇÃO: 361 ENSINO FUNDAMENTAL Proporcionar aos alunos da Rede Pública Municipal de Volta Redonda atividades musicais diversas nos

Leia mais

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO INTEGRADO RURAL PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor Vanessa Duarte de Carvalho Deptº de Saneamento Ambiental do BNDES Belo Horizonte, 26 de novembro de 2010 Agenda RESÍDUOS SÓLIDOS BNDES

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios. Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios

Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios. Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios Missão da CAIXA Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável do País, como

Leia mais

Parceria Social Público Privada (PSPP) como estratégia para o desenvolvimento sustentável dos territórios minerais

Parceria Social Público Privada (PSPP) como estratégia para o desenvolvimento sustentável dos territórios minerais 1 Parceria Social Público Privada (PSPP) como estratégia para o desenvolvimento sustentável dos territórios minerais Sistema legal institucional brasileiro Empresa Poder público municipal, estadual e federal

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL 5 Tópicos da apresentação Menu 2 01 02 03 04 05 INTRODUÇÃO METODOLOGIA UTILIZADA DIAGNÓSTICOS PLANO ESTRATÉGICO PRÓXIMOS

Leia mais

ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP (1/5) (Decreto nº de 12 de fevereiro de 2016)

ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP (1/5) (Decreto nº de 12 de fevereiro de 2016) ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SENASP (1/5) SECRETARIA NACIONAL DE ASSESSOR DAS 102.4 DAS 101.6 Conselho Nacional de Segurança Pública CHEFE DE GABINETE DE INTELIGÊNCIA ENFRENTAMENTO ÀS AÇÕES CRIMINOSAS

Leia mais

NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS

NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS BAPTISTA LUZ ADVOGADOS R. Ramos Batista. 444. Vila Olímpia 04552-020. São Paulo SP baptistaluz.com.br NEGÓCIOS SOCIAIS E SOCIEDADES SEM FINS LUCRATIVOS / Diogo Perroni Carvalho / Laura Rodrigues da Cunha

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE Conjunto de reformas institucionais do SUS. Pacto entre União, Estados e Municípios. Objetivo - promover inovações nos processos

Leia mais

A Importância para o Desenvolvimento Nacional da Participação das PYMES nas Compras Públicas. Santo Domingo República Dominicana 27 de Abril de 2015

A Importância para o Desenvolvimento Nacional da Participação das PYMES nas Compras Públicas. Santo Domingo República Dominicana 27 de Abril de 2015 A Importância para o Desenvolvimento Nacional da Participação das PYMES nas Compras Públicas Santo Domingo República Dominicana 27 de Abril de 2015 SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 PROJETO: OEI/BRA 08/003 Fortalecimento da Capacidade Institucional da Secretaria de Educação Especial SEESP/MEC em Gestão e Avaliação do Programa de Acompanhamento e Monitoramento

Leia mais

ESCRITÓRIO DE PRIORIDADES ESTRATÉGICAS

ESCRITÓRIO DE PRIORIDADES ESTRATÉGICAS ESCRITÓRIO DE PRIORIDADES ESTRATÉGICAS Evolução dos modelos de gestão III Encuentro de la Red de Monitoreo y Evaluación de Política Pública en Colombia GOVERNO DE MINAS GERAIS Evolução constante 3 GERAÇÕES,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PORTARIA No- 293, DE 7 DE ABRIL DE 2008 Estabelecer critérios para celebração de convênios com entidades governamentais e não governamentais para a execução

Leia mais

Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna

Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna 2016 1 INDÍCE: Pag. Referência à IN CGU 24/2015 I. Introdução 3 - II. Evolução do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna 3 Art. 15, I, III e IV

Leia mais

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX DISPÕE SOBRE O PLANO MUNICIPAL DE APOIO E INCENTIVO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO MUNICÍPIO DE ARACRUZ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS

ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS ATER DE QUALIDADE E EM QUANTIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MINAS GERAIS DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis.

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Ainda hoje no Brasil, são raras as pesquisas e publicações na área da Contabilidade Pública

Leia mais

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLU ÇÃO N 0212005 NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO DEPARTAMENTO NACIONAL 1)0 SESI - APROVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS - O PRESIDENTE DO DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN MCT 1 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN MCT 1 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN 3.1.6 - MCT 1 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Prestação de serviços de pessoa física para a elaboração de documento

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO

SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA O PLANO DE SANEAMENTO RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍOIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA GOIÁS Respostas aos Questionamentos e Sugestões Nome: Lara

Leia mais

GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação

GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação Seminário Reforma Gerencial 20+20 GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação Prefeito Jorge Lapas 27 de agosto 2015 TEMAS A SEREM ABORDADOS

Leia mais

Uma consultoria inteligente.

Uma consultoria inteligente. Uma consultoria inteligente. www.fahm.com.br A FAHM é uma empresa de consultoria de investimentos registrada na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) com alta capacidade e experiência dedicadas ao atendimento

Leia mais

Santa Casa Apresenta Prestação de Contas

Santa Casa Apresenta Prestação de Contas Santa Casa Apresenta Prestação de Contas Santa Casa apresenta prestação de contas No final do mês passado, a interventora da Santa Casa da Misericórdia de Ouro Preto, Adriana Santos, entregou à Juíza da

Leia mais

MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL

MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL Fernando Aith São Paulo, 17 de maio de 2011 Centro de Estudos e Pesquisas em Direito Sanitário - CEPEDISA APRESENTAÇÃO 1. Saúde: Direito de

Leia mais

Terceiro Setor e o Direito Administrativo

Terceiro Setor e o Direito Administrativo Terceiro Setor e o Direito Administrativo Pontos n. 5 e 6 Qualificações e instrumentos de parcerias com a Administração Pública: legislação e regime jurídico Organizações Sociais e Contratos de Gestão

Leia mais

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas tem caráter multidisciplinar, integrando em suas disciplinas diversos

Leia mais

Relatório de Investimento e Gestão Social 2014

Relatório de Investimento e Gestão Social 2014 Relatório de Investimento e Gestão Social 2014 Divisão de Promoção da Cidadania Empresarial e Projetos com a Sociedade - PCSC Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade PCS Sumário

Leia mais

As diferentes modalidades de gestão no SUS

As diferentes modalidades de gestão no SUS XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO As diferentes modalidades de gestão no SUS Lenir Santos Março 2013 LENIR SANTOS março de 13 1 FORMAS DE GESTÃO DO SUS ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Programa COMUNIDADE ESCOLA

Programa COMUNIDADE ESCOLA Programa COMUNIDADE ESCOLA A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Paulo Freire COMUNIDADE ESCOLA MISSÃO Valorizar as escolas como centros irradiadores da vida

Leia mais

Nova Lei dos Acordos de Parceria

Nova Lei dos Acordos de Parceria Nova Lei dos Acordos de Parceria Lei nº 13.019/2014 OAB-SP 21 de outubro de 2014 Contexto Histórico Plano Diretor de Reforma do Estado anos 90 Min. Bresser Pereira Gestão direta, pela sociedade, de serviços

Leia mais

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro Prefeitura de São Paulo União Européia Histórico do Projeto Cooperação técnica bilateral da Prefeitura de São Paulo com a União Européia com duração de quatro

Leia mais

CEADEC 16 anos de história e de luta

CEADEC 16 anos de história e de luta CEADEC 16 anos de história e de luta O CEADEC é uma organização não governamental, qualificada como Oscip Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que atua na assessoria à formação de cooperativas

Leia mais

CONFERÊNCIA. O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades. O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação

CONFERÊNCIA. O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades. O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação CONFERÊNCIA O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação Prof. Dr. Spartaco Astolfi Filho spartaco.biotec@gmail.com

Leia mais

Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL

Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL Criando Conhecimento e Desenvolvendo Competências ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL Plano de Trabalho 2013 PALAVRA DO PRESIDENTE Desde 2007, os municípios de Santa Catarina contam com a Escola de Gestão

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: 1. Sistema Único de Assistência Social (Suas) 2. Assistência Social. 3. Organização da Sociedade Civil. 4. Marco Regulatório.

PALAVRAS-CHAVE: 1. Sistema Único de Assistência Social (Suas) 2. Assistência Social. 3. Organização da Sociedade Civil. 4. Marco Regulatório. NOTA TÉCNICA N o 12/2017 Brasília, 24 de fevereiro de 2017 ÁREA: Assistência Social TÍTULO: Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil no Suas REFERÊNCIAS: Lei 8.742, de 7 de dezembro de 1993.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Título do Projeto: Aprimoramento da sistemática de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Organizações Sociais. Saúde. Contrato de Gestão. Prestação de Contas e Fiscalização.

PALAVRAS-CHAVE: Organizações Sociais. Saúde. Contrato de Gestão. Prestação de Contas e Fiscalização. ORGANIZAÇÕES SOCIAIS NA ÁREA DE SAÚDE NO ESTADO DE GOIÁS Ingredy Lorane Roberta Dias Lisboa Kelen Cristian Pereira de Oliveira Faculdade Alfredo Nasser ingredyloranepop@hotmail.com Kelen_cristian@outlook.com

Leia mais

CAPACITAÇÃO SOBRE MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL - LEI nº /2014, COM AS ALTERAÇÕES DA LEI /2015.

CAPACITAÇÃO SOBRE MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL - LEI nº /2014, COM AS ALTERAÇÕES DA LEI /2015. CAPACITAÇÃO SOBRE MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL - LEI nº 13.019/2014, COM AS ALTERAÇÕES DA LEI 13.204/2015. I - APRESENTAÇÃO Recentemente promulgado, o Marco Regulatório do Terceiro

Leia mais

Projetos para os municípios Motivação

Projetos para os municípios Motivação PROJETOS Projetos para os municípios Motivação A FNP é referência na interlocução com os municípios, envolvendo diretamente os prefeitos e prefeitas na coordenação política dos projetos. Por isso, é constantemente

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

GAZETA DO OESTE ATOS OFICIAIS Repasse Recebido da Câmara Municipal ,60 TRANSFERÊNCIAS FINANCEIRAS CONCEDIDAS

GAZETA DO OESTE ATOS OFICIAIS Repasse Recebido da Câmara Municipal ,60 TRANSFERÊNCIAS FINANCEIRAS CONCEDIDAS Ano X Nº 2786 Rua Folk Rocha, Nº103 - Sala 01 - Sandra Regina (Centro) - Barreiras/Ba Tel.: 77 3612.7476 18 de maio de 2016 Em cumprimento ao princípio constitucional e a Lei Nº 101/2000, estão publicados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 011, DE 22 DE MARÇO DE 2012. Dispõe sobre a regulamentação da cobrança da Taxa de Ressarcimento da Universidade

Leia mais

Gestão de Parcerias: Engajando a iniciativa privada na solução de problemas públicos

Gestão de Parcerias: Engajando a iniciativa privada na solução de problemas públicos Gestão de Parcerias: Engajando a iniciativa privada na solução de problemas públicos Floriano Pesaro Secretário de Estado de Desenvolvimento Social Deputado Federal QUAL O PAPEL DO ESTADO? QUAL O PAPEL

Leia mais

O RESULTADO DOS INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO NO BRASIL

O RESULTADO DOS INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO NO BRASIL O RESULTADO DOS INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO NO BRASIL Alvaro T. Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTIC Governo Federal Inovação e Negócios Tecnológicos Fórum ABINEE TEC

Leia mais

Pulo do Gato Receita Federal. Graciano Rocha

Pulo do Gato Receita Federal. Graciano Rocha Pulo do Gato Receita Federal Graciano Rocha Edital RFB 2012 e 2014 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:1. Organização do Estado e da Administração Pública. 2. Modelos teóricos de Administração Pública: patrimonialista,

Leia mais

PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR

PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR Espera-se que os trabalhos aqui reunidos tragam esclarecimentos acerca da interpretação da nova lei e constituam o ponto de partida para novas análises, proposições e críticas, tão necessárias à evolução

Leia mais

RESOLUÇÃO SES/SUS-MG Nº 3748 DE 16 DE MAIO DE 2013.

RESOLUÇÃO SES/SUS-MG Nº 3748 DE 16 DE MAIO DE 2013. RESOLUÇÃO SES/SUS-MG Nº 3748 DE 16 DE MAIO DE 2013. Divulga o elenco de hospitais e o respectivo valor do recurso financeiro para as instituições contempladas pelo Programa de Fortalecimento e Melhoria

Leia mais

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FIA O Estatuto da Criança e Adolescente - ECA estabelece a Política de Atendimento a Criança e Adolescente:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS (JULHO à DEZEMBRO DE 2017) I. Histórico e Contexto Em 2012, associações indígenas

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL LEI Nº. 1.282/2013 Ementa: Institui o Plano Plurianual do Município de Ouricuri para o período de 2014 a 2017. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OURICURI/PE, no uso de suas atribuições legais, faz saber que A

Leia mais

Relatório Anual. Observatório Social de Florianópolis - OSF. Observatório Social de Florianópolis - OSF

Relatório Anual. Observatório Social de Florianópolis - OSF. Observatório Social de Florianópolis - OSF Resumo da ONG Foco de Atuacão Constitui-se como uma ferramenta de controle social a serviço do cidadão e em favor da transparência e da qualidade na aplicação dos recursos públicos. Podem participar do

Leia mais

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares;

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares; Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 16.718 DE 11 DE MAIO DE 2016 Dispõe sobre a instituição e organização dos Complexos Integrados de Educação, no âmbito

Leia mais

Uma destas importantes parcerias é com o INSTITUTO AOCP.

Uma destas importantes parcerias é com o INSTITUTO AOCP. A Fundação de Apoio à FAFIPA é uma entidade sem fins lucrativos que atua na área da Educação Superior, em cursos de pós-graduação em diversas áreas do conhecimento, cursos de formação e capacitação de

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS JURÍDICOS PARA AS PARCERIAS CELEBRADAS ENTRE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

NOVOS INSTRUMENTOS JURÍDICOS PARA AS PARCERIAS CELEBRADAS ENTRE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL Confiatta, 27 de Setembro de 2016 Boletim 012/2016 - Informativo NOVOS INSTRUMENTOS JURÍDICOS PARA AS PARCERIAS CELEBRADAS ENTRE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL (OSCs) Lei nº

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

Convênios e Contratos Acadêmicos Financiamento de Projetos nas Universidades Públicas Federais

Convênios e Contratos Acadêmicos Financiamento de Projetos nas Universidades Públicas Federais Convênios e Contratos Acadêmicos Financiamento de Projetos nas Universidades Públicas Federais Lidia Maria A. Rodella 16.03.2017 Sobre o que vamos falar? 1. Tipos de instrumentos jurídicos e números na

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA

VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA RODOLFO JOAQUIM PINTO DA LUZ PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA Treze Tílias, 10 a 12 de maio de 2017. PAPEL DO ESTADO NA GESTÃO PÚBLICA

Leia mais

O TRABALHO POR LINHAS PROGRAMÁTICAS

O TRABALHO POR LINHAS PROGRAMÁTICAS O TRABALHO POR LINHAS PROGRAMÁTICAS O ano de 1999 foi um piloto para a classificação das ações de extensão segundo as linhas programáticas que já foram divulgadas e estão disponíveis para consulta no Sistema

Leia mais

Balanço Orçamentário - Sebrae/MA R$ mil

Balanço Orçamentário - Sebrae/MA R$ mil Receitas Previsão no Ano Original (a) (b) % (b/a) Previsão no Ano Original (a) Receitas Correntes 67.944 79.229 116,6% Despesas Correntes 67.128 71.749 106,9% Contribuição Social Ordinária-CSO 53.620 57.895

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO Audiência Pública em 14/6/16 Na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados Adão Francisco de Oliveira Secretário de Estado da Educação do Tocantins

Leia mais

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte MONTAGEM DE UMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1. COMPONENTES 2. CONDICIONANTES

Leia mais

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Edital de Seleção de Projetos que farão parte da Programação Cultural alusiva à Semana Santa. MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Edital de Seleção Projetos que farão parte da Programação

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGIA GOVERNAMENTAL NÚCLEO CENTRAL DE GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS E DO DESEMPENHO INSTITUCIONAL Matriz de Aderência 2013 Matrizes

Leia mais

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS.

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Novas demandas de mercado exigem que modelos técnicos consagrados sejam incorporadas a novas tecnologias, novos conhecimentos

Leia mais

Discurso de posse da Diretoria Executiva eleita para 2017 Roberto Brandão novo presidente

Discurso de posse da Diretoria Executiva eleita para 2017 Roberto Brandão novo presidente Brasília, 14 de fevereiro de 2017. Discurso de posse da Diretoria Executiva eleita para 2017 Roberto Brandão novo presidente Cumprimentos e agradecimentos Senhoras e senhores, Autoridades aqui presentes

Leia mais

PROJETO DE LEI. Art.1º Fica criada a Secretaria Municipal da Juventude no âmbito da Administração Centralizada do Município de Porto Alegre.

PROJETO DE LEI. Art.1º Fica criada a Secretaria Municipal da Juventude no âmbito da Administração Centralizada do Município de Porto Alegre. PROJETO DE LEI Cria, na Administração Centralizada do Município, a Secretaria Municipal da Juventude, com o objetivo de articular juntamente com outros órgãos do Executivo Municipal, normas e procedimentos

Leia mais

Fundação Luís Eduardo Magalhães Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração Pública

Fundação Luís Eduardo Magalhães Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração Pública Fundação Luís Eduardo Magalhães Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração Pública Compromisso com o novo A Fundação Luís Eduardo Magalhães tem o compromisso de estimular o desenvolvimento

Leia mais

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Transição: de Operacional para Estratégico Fischer (2002) 4 fases correntes teóricas: Departamento pessoal até 20s controle, eficiência, taylorismo, fordismo; Gestão

Leia mais

A Contratualização no SUS. Modalidades de Gestão: Administração por Organizações Privadas Leia se: Organizações Sociais (OS)

A Contratualização no SUS. Modalidades de Gestão: Administração por Organizações Privadas Leia se: Organizações Sociais (OS) A Contratualização no SUS Modalidades de Gestão: Administração por Organizações Privadas Leia se: Organizações Sociais (OS) Administração por Organização Social OS Este tema gera muitas polemicas!!! Para

Leia mais