PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO"

Transcrição

1 EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% aa nos últimos 17 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory", líquido de imposto sobre vendas, de R$ 4,9 bilhões em 1996 para R$ 34 bilhões em Vários fatores têm contribuído para este excelente crescimento do Setor, dentre os quais destacamos: Acesso das classes D, E aos produtos do setor, devido ao aumento de renda. Os novos integrantes da classe C passaram a consumir produtos com maior valor agregado. Participação crescente da mulher brasileira no mercado de trabalho; A utilização de tecnologia de ponta e o consequente aumento da produtividade, favorecendo os preços praticados pelo setor, que tem aumentos menores do que os índices de preços da economia em geral; Lançamentos constantes de novos produtos atendendo cada vez mais às necessidades do mercado; Aumento da expectativa de vida, o que traz a necessidade de conservar uma impressão de juventude. 1

2 CRESCIMENTO DO SETOR vs CRESCIMENTO DA ECONOMIA Nos últimos anos em geral o País apresentou índices baixos de crescimento. O quadro abaixo compara a evolução do Produto Interno Bruto, com a da indústria em geral e com os índices da Indústria de Produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, demonstrando que o setor apresentou, ao longo dos últimos anos, crescimento bem mais vigoroso que o restante da indústria (10,0% a.a. de crescimento médio no setor contra 3,0% a.a. do PIB Total e 2,2% a.a. da Indústria Geral): VARIAÇÃO ANUAL EM PORCENTAGEM ANO PIB INDÚSTRIA GERAL SETOR Deflacionado ,7 3,3 17, ,3 4,7 13, ,2-1,5 10, ,8-2,2 2, ,3 6,6 8, ,3 1,6 10, ,7 2,7 10, ,1 0,1 5, ,7 8,3 15, ,2 3,1 13, ,0 2,8 15, ,1 6,0 9, ,2 3,1 5, ,3-7,4 9, ,5 10,5 10, ,7 0,4 4, ,9-2,7 8,9 Acumulado últimos 17 anos Médio Composto últimos 17 anos 65,3 45,4 401,05 3,0 2,2 10,0 FONTE: IBGE - Banco Central ABIHPEC- Deflator: Índice IPC FIPE Higiene e Beleza 2

3 COMPARATIVO DE ÍNDICES DE PREÇOS Nos últimos 5 anos os preços do setor apresentaram crescimento inferior a inflação e ao índice de preços ao consumidor. Importante destacar os produtos de Beleza com índice de preços substancialmente inferior aos demais índices de preços. VARIAÇÃO ANUAL EM PORCENTAGEM FGV FIPE ANO Desvalorização Cambial Média Índice Geral de Preços Índice de Preços ao Consumidor Índice de Preços Higiene Índice de Preços Beleza ,0 9,1 6,2 5,9 3, ,1-1,4 3,7 2,1 2, ,4 11,3 6,4 1,5 4, ,7 5,0 5,1 5,0 1, ,2 8,1 5,8 9,4 5,5 Acumulado últimos 5 anos 1,0 35,9 30,2 26,1 18,7 Médio Composto últimos 5 anos 0,2 6,3 5,4 4,7 3,5 FONTE: ABIHPEC, Fundação Getúlio Vargas, Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas da Universidade de São Paulo 3

4 COMÉRCIO EXTERIOR PANORAMA DO SETOR A Balança Comercial Brasileira apresentou superávits crescentes entre 2002 e 2006, porém com a valorização do real frente ao dólar, apresentou redução de mais de 50% (US$ 46,5 bilhões em 2006 para US$ 19, 4bilhões em Entre 2002 e 2012 o fluxo de comércio internacional aumentou 4,3 vezes, porém com aumento de 4,7 vezes nas importações, e inferior nas exportações, ou seja, de 4,0 vezes. US$ Bilhões BALANÇA COMERCIAL MERCADO TOTAL ANO IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO SALDO ,2 60,4 13, ,3 73,2 24, ,8 96,7 33, ,6 118,5 44, ,4 137,8 46, ,6 160,6 40, ,0 197,9 25, ,7 153,0 25, ,8 201,9 20, ,2 256,0 29, ,1 242,6 19,4 Fonte: Aliceweb US$' Bilhões Importação Exportação Saldo 4

5 O próximo quadro mostra a balança comercial dos produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos nos últimos dez anos, demonstrando um crescimento acumulado de 270,0% nas exportações entre 2003 e 2012, e as importações cresceram 508,0% no mesmo período. O setor apresentou superávit comercial acima de US$ 200 milhões entre 2004 e Com a desvalorização do real frente ao dólar, ocorreu uma queda de 23% em Em 2010 a queda foi bem mais acentuada, culminando com déficit crescente em 2011 e Pelo crescimento do déficit nos meses mais recentes, é possível que o déficit de 2013 ultrapasse a casa dos US$ 400 milhões. BALANÇA COMERCIAL HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS Importação Exportação Saldo Ano US$' Milhões % Cresc. US$' Milhões % Cresc. US$' Milhões , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,9-195 % Cresc. últimos 10 anos % Médio últimos 10 anos Fonte: Aliceweb 508,0 270,0 19,8 14,0% 5

6 Por grupo de produtos, a balança comercial brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, apresentaram o seguinte resultado: 6

7 Cremes Pele/Prot/Bronz Desodorantes 12,3% -16,3% -10,5% 14,7% Descartáveis 10,6% 11,4% Sabonetes Prep. e lâminas barbear -2,2% -28,2-15,5% 12,6% Higiene Oral 6,9% -3,6% Produtos para Cabelos 19,4% -11,9% US$' Milhões Exportação 2012 Importação

8 Exportações PANORAMA DO SETOR Principais países de destino. EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS HPPC TOP TEN ACUMULADO JANEIRO A DEZEMBRO (FOB-US$ milhões) % Partic. Total Países de destino % Var. 12/ % Partic. Total 2012 ARGENTINA ,3 28,1 25,3 CHILE ,0 11,2 12,3 VENEZUELA ,3 8,0 7,3 MEXICO ,4 6,9 7,2 COLOMBIA ,4 6,2 7,0 PERU ,2 5,5 5,7 PARAGUAI ,8 5,3 5,0 PANAMA ,3 2,3 3,6 URUGUAI ,0 3,1 3,3 BOLIVIA ,9 3,5 3,2 TOTAL HPPC ,9 100,0 100,0 TOTAL TOP TEN ,1 80,0 79,9 Fonte: Aliceweb Os dez primeiros mercados são de países da América Latina, prevalecendo os produtos de cabelo com 20,4% e higiene oral com 14,3%. Destino das exportações do setor no ano de

9 Principais países de origem. Importações IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS HPPC TOP TEN ACUMULADO JANEIRO A DEZEMBRO (FOB-US$ milhões) Países de origem % Var. 12/11 % Partic. Total 2011 % Partic. Total 2012 ARGENTINA ,0 24,4 26,4 ESTADOS UNIDOS ,8 16,8 13,6 FRANCA ,0 13,2 13,1 CHINA ,6 9,1 8,9 MEXICO ,5 6,2 7,9 ALEMANHA ,3 4,5 5,5 ESPANHA ,0 2,6 2,9 CANADA ,5 2,2 2,3 COLOMBIA ,5 2,9 2,2 ITALIA ,7 2,1 2,0 TOTAL HPPC ,1 100,0 100,0 TOTAL TOP TEN ,8 84,2 84,7 Fonte: Aliceweb Desodorantes representa 75,0% das importações da Argentina, devido a maior competividade da indústria Argentina de Aerossois. Nos Estados Unidos cremes para pele representa 24,2%, na França, fragrâncias representa 54,2%, na China escovas de dentes representa 23,1%, no México e na Alemanha dentifrícios representa 26,1% e 38,6% respectivamente. Origem das importações do setor no ano de Total: 62 países 9

10 PERFIL EMPRESARIAL PANORAMA DO SETOR Existem no Brasil empresas atuando no mercado de produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, sendo que 20 empresas de grande porte, com faturamento líquido de impostos acima dos R$ 100 milhões, representam 73,0% do faturamento total. As empresas estão distribuídas por região/estado da seguinte forma: 10

11 MERCADO BRASILEIRO PANORAMA DO SETOR Em relação ao mercado mundial de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, conforme dados do Euromonitor de 2012, o Brasil ocupa a terceira posição. É o primeiro mercado em perfumaria e desodorantes; segundo mercado em produtos para cabelos, masculinos, infantil, produtos para banho, depilatórios e proteção solar; terceiro em produtos cosmético cores, produtos para higiene oral; quarto em pele. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos US$ Bilhões Preço ao consumidor US$ Bilhões Preço ao consumidor Participação % Crescimento % Mundo ,4 1 Estados Unidos ,9 3,3 2 Japão ,9 0,5 3 Brasil ,6 0,1 4 China ,4 12,4 5 Alemanha ,1-5,8 6 Reino Unido ,9 1,5 7 França ,7-6,5 8 Rússia ,2-0,3 9 Itália ,7-8,0 10 México ,3 1,5 TOP TEN ,7 1,1 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Os produtos do setor são distribuídos através de três canais básicos: distribuição tradicional, incluindo o atacado e as lojas de varejo venda direta, evolução do conceito de vendas domiciliares franquia, lojas especializadas e personalizadas 11

12 EMPREGO PANORAMA DO SETOR Sob o aspecto de emprego, o setor também apresentou resultados importantes, quando comparado com o crescimento do emprego no país. As oportunidades de trabalho criadas pelo setor, comparadas com o ano de 1994 são: OPORTUNIDADES DE TRABALHO ( 000) % CRESC. 18 ANOS % CRESC. MÉDIO 2012/1994 INDÚSTRIA 30,1 74,1 146,2 5,1 FRANQUIA 11,0 153,0 1291,0 15,7 CONSULTORA VENDA DIRETA 510, ,0 514,1 10,6 SALÕES DE BELEZA 579, ,3 189,9 6,1 TOTAL 1.130, ,4 345,8 8,7 Fonte: ABIHPEC, ABEVD, FIESP, ABF, IBGE e FEC-Fundação Euclides da Cunha. 12

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% aa nos últimos 17 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

EVOLUÇÃO. R$ Bilhões US$ Bilhões 19,6 13,5 11,5 9,7 3,8

EVOLUÇÃO. R$ Bilhões US$ Bilhões 19,6 13,5 11,5 9,7 3,8 EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10,5% nos últimos 14 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

EVOLUÇÃO 11,5 9,7 8,3 3,8 3,6 3,3

EVOLUÇÃO 11,5 9,7 8,3 3,8 3,6 3,3 EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10,6% nos últimos 13 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

PANORAMA DO SETOR. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 11,5% nos últimos 5 anos, tendo passado de um faturamento Ex Factory, líquido de impostos sobre vendas de R$

Leia mais

Panorama do Setor de HPPC 2016

Panorama do Setor de HPPC 2016 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto próximo a 11,4% aa nos últimos 20 anos, tendo passado de um faturamento

Leia mais

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5 PANORAMA DO SETOR Evolução do setor 2 Crescimento do setor x crescimento da economia 3 Comparativo de índices de preços 4 Comércio Exterior 5 Perfil Empresarial 8 Mercado Brasileiro 11 Canais de distribuição

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% nos últimos 16 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% nos últimos 16 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais

Brasil Estudo do Mercado de Maquiagem

Brasil Estudo do Mercado de Maquiagem Brasil Estudo do Mercado de Maquiagem O setor de HPPC no mundo Maiores consumidores de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Top 15 países Mundo USA China Japão Brasil 32,1 30,2 50,7 80,0 2º. Proteção

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 10 de maio de 2016 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 04/2016 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

Panorama do setor de. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos REF: 2-AGO-2016 Evolução últimos 20 anos Crescimento médio deflacionado composto próximo a 11,4% faturamento ex-factory (líquido de impostos

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 18 de fevereiro de 2016 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 01/2016 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 21 de setembro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 007/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

Tendências do Setor de Cosméticos e os Desafios da Região da Amazônia para Focar em Produtos Diferenciados e Ingredientes Exóticos. O que Fazer?

Tendências do Setor de Cosméticos e os Desafios da Região da Amazônia para Focar em Produtos Diferenciados e Ingredientes Exóticos. O que Fazer? Tendências do Setor de Cosméticos e os Desafios da Região da Amazônia para Focar em Produtos Diferenciados e Ingredientes Exóticos. O que Fazer? Seminário: Marco Regulatório Acesso e Repartição de Benefícios

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS DEZEMBRO/2015 Resumo de desempenho Dezembro 2015 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês mês

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%.

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em Jan-Out de 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,7%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS AGOSTO/2016 Resumo de desempenho Agosto 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2015 Resumo de desempenho ubro 2015 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre mês mês do ano ano Mês No

Leia mais

CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013

CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013 CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em Jan-Mar de 2013 cresceram, em valor

Leia mais

Números da Indústria Gráfica Brasileira

Números da Indústria Gráfica Brasileira Ago/2016 Números da Indústria Gráfica Brasileira Números da Indústria Gráfica Brasileira Jun/2016 INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA Exportação Importação Indústria Gráfica Brasileira em 2015 FOB - US$ 270,4

Leia mais

Figura 1 Destino das exportações do Brasil (acumulado em 12 meses, em bilhões US$ de Maio/2017)

Figura 1 Destino das exportações do Brasil (acumulado em 12 meses, em bilhões US$ de Maio/2017) Ano V Julho/217 O Boletim de Comércio Exterior de Jul./217 traz informações dos principais destinos dos itens exportados por Brasil, estado de São Paulo, Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP),

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Dezembro/2011 jan/07 mar/07 mai/07 jul/07 set/07 nov/07 jan/08 mar/08 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09

Leia mais

Presença da China na América do Sul

Presença da China na América do Sul Presença da China na América do Sul 1 1 Em 2008, 3% das exportações chinesas foram destinadas à América do Sul... Principais Destinos das Exportações Chinesas (2008) Estados Unidos 17,7% Japão 8,1% Coréia

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE OUTUBRO 2014 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%.

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,4%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi de 3,4% em

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2014 Consumo aparente mensal R$ bilhões constantes* Mês corrente / Mês anterior = 5,3% Mês ano corrente / Mês do ano anterior

Leia mais

resultados 2T08 25 de julho de 2008

resultados 2T08 25 de julho de 2008 resultados 2T08 25 de julho de 2008 1 mercado alvo CF&T - Brasil > Mercado Alvo 1 Receita Líquida (R$ bilhões, nominal) CAGR (2003-2007) = 15,9% 14 13,0 12 10 8 7,2 8,7 10,1 11,4 +13,2% 6 4 3,6 4,1 2 +12,0%

Leia mais

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016.

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2016. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE MARÇO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do setor

Leia mais

LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO

LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO LAYOUT DO TÍTULO SUBTÍTULO FORÇAS DO TURISMO BRASILEIRO 1 colocado na classificação de Recursos Naturais (Relatório de Competitividade em Viagem e Turismo 2017 Fórum Econômico Mundial) 8 colocado na classificação

Leia mais

Resultados do 1T de abril de 2008

Resultados do 1T de abril de 2008 Resultados do 25 de abril de 2008 mercado alvo CF&T Brasil > Mercado Alvo 1 Receita Líquida (R$ bilhões, nominal) CAGR (2002-2007) = 15,5% 11,5 13,0 10,1 8,7 6,3 7,2 +13,1% 2002 2003 2004 2005 2006 2007

Leia mais

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Massas e outros derivados.

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Massas e outros derivados. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Massas e outros derivados. Dados extraídos em 12.06.2013 Relação dos Códigos s utilizados: Massas alimentícias, cont. ovos, n/cozidas, n/recheadas, etc.

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/17

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/17 INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/17 RESUMO DE DESEMPENHO Julho -2017 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior mês do ano anterior

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

PANORAMA DO SETOR DE HPPC

PANORAMA DO SETOR DE HPPC Panorama do setor de Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto próximo a 10% aa nos últimos 19 anos, tendo

Leia mais

Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos fundada em 1995 representa 94% do segmento de HPPC Missão: Apoiar, desenvolver, estimular e criar ações e instrumentos que contribuam para o progresso do segmento

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

APIMEC Natura. São Paulo, Brasil Março, 2010 Apresentação

APIMEC Natura. São Paulo, Brasil Março, 2010 Apresentação APIMEC Natura São Paulo, Brasil Março, 2010 Apresentação 1 Visão Geral Highlights Nossa História 2009 70 s 80 s 90 s 00 s Momento Atual 4.135 657 170 5 Um pequeno laboratório e duas paixões: os cosméticos

Leia mais

Balanço Anual 2016 e Perspectivas Coletiva de Imprensa 06/02/2017

Balanço Anual 2016 e Perspectivas Coletiva de Imprensa 06/02/2017 Balanço Anual 2016 e Perspectivas 2017 Coletiva de Imprensa 06/02/2017 O PANO DE FUNDO INTERNACIONAL: PIB TRIMESTRAL Comparativo Internacional (Variação % em volume em relação aos 4 trimestres imediatamente

Leia mais

resultados 3T08 24 de outubro de 2008

resultados 3T08 24 de outubro de 2008 resultados 3T08 1 24 de outubro de 2008 mercado alvo CF&T - Brasil > Mercado Alvo 1 Receita Líquida (R$ bilhões, nominal) CAGR (2003-2007) = 15,9% 14 12 10 8 6 7,2 8,7 10,1 11,4 +13,2% 13,0 5,7 6,4 4 +12,0%

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL Setembro/2010 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL Presidente Milton Corlatti Departamento de Economia, Finanças e Estatística Alexander Messias

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Impressos Promocionais e Comerciais

Panorama Conjuntural do Segmento de Impressos Promocionais e Comerciais Panorama Conjuntural do Segmento de Impressos Promocionais e Comerciais Resultado Índices de Custos Variação (%) no Mês Set11/ Ago11 Ac. Ano Jan-Set 2011/ Jan-Set 2010 Var. em 12 Out2010 a Set 2011 Indústria

Leia mais

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15).

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15). 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em jan-jul.15 caíram, em valor (US$), 5,93%, as exportações caíram 8,66%, enquanto a queda do déficit na Balança Comercial foi de 5,38% em

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM Informe 08/2013

BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM Informe 08/2013 Informe 08/2013 BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM 2012 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313 8º andar sala 805 Bela

Leia mais

VOLUME III Junho de 2009

VOLUME III Junho de 2009 VOLUME III Junho de 2009 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO SETORIAL COSMÉTICOS Volume III Equipe: Célio Hiratuka Pesquisadores e bolsistas do NEIT/IE/UNICAMP Rogério Dias de Araújo (ABDI) Carlos Henrique Mello

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 19 de outubro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 008/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2014. COMPARAÇÃO DO MÊS DEZEMBRO COM O MÊS

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JUNHO/17

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JUNHO/17 INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL INDICADORES CONJUNTURAIS JUNHO/17 RESUMO DE DESEMPENHO Junho -2017 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior mês do ano anterior

Leia mais

4 A indústria de cosméticos

4 A indústria de cosméticos 4 A indústria de cosméticos Este capítulo caracteriza brevemente a indústria de cosméticos e as empresas mais significativas envolvidas na pesquisa nesta indústria. 4.1 Caracterização da indústria de cosméticos

Leia mais

I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil:

I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil: I Cenário Mundial. II Contexto Internacional e o Brasil. III Brasil: Situação Externa e Interna. Tendências. IV Paraná em Destaque V Brasil: Projeções e Reflexões Fonte: FMI G7: EUA. Alemanha, Japão,

Leia mais

Nº 016 JUNHO 16. Vendas As vendas de produtos siderúrgicos

Nº 016 JUNHO 16. Vendas As vendas de produtos siderúrgicos E S T A T Í S T I C A Preliminar Notas Nº 016 JUNHO 16 www.acobrasil.org.br (21) 3445-6300 acobrasil@acobrasil.org.br Produção A produção brasileira de aço bruto em junho de 2016 foi de 2,5 milhões de

Leia mais

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX Icomex de outubro referente a balança comercial de setembro Número 6 17.Outubro. 2017 Os preços das commodities aceleram e o superávit da balança comercial registra

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de outubro de 2014. COMPARAÇÃO DO MÊS OUTUBRO COM O MÊS

Leia mais

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016.

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2016. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico.

Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico. 16 de novembro de 2011 Índice de Clima Econômico Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico. O Índice de Clima Econômico (ICE) da América Latina recuou

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas São Paulo, janeiro de 2013 Índice Etiquetas adesivas impressas o Produção anual e mensal do segmento de etiquetas o Mercado Externo o Balança Comercial

Leia mais

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial XIX Congresso Brasileiro de Economia Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda aclacerda@pucsp.br Bonito, 09 de Setembro de 2011. Page 1 Economia

Leia mais

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões),

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), Dezembro / 2014 Resultados de Dezembro de 2014 - Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), redução de 19,9%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

Taxa de Câmbio e Indústria Brasileira

Taxa de Câmbio e Indústria Brasileira Taxa de Câmbio e Indústria Brasileira Agenda I. VALORIZAÇÃO CAMBIAL II. IMPACTOS SOBRE A INDÚSTRIA Taxa de Câmbio e Indústria Brasileira 1 I. VALORIZAÇÃO CAMBIAL Taxa de Câmbio e Indústria Brasileira 2

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL Eugenio Stefanelo ECONOMIA MUNDIAL PIB em % ao ano: Média de 50 anos: 3,5% 2004 a 2007: 5% 2008 e 2009: 3,1%

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Fevereiro/2013 Faturamento Bruto mensal R$ milhões constantes (defl. Col. 32/FGV) Média Jan-Fev 2008 6.188 2009 4.446 2010 5.178

Leia mais

Relatório HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS. Acompanhamento Setorial VOLUME IV. Dezembro de 2009

Relatório HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS. Acompanhamento Setorial VOLUME IV. Dezembro de 2009 Relatório de Acompanhamento Setorial HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS VOLUME IV Dezembro de 2009 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO SETORIAL HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS Volume IV Equipe:

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/2013 Consumo aparente mensal R$ bilhões constantes* Mês corrente / mês anterior = -2,0% Mês ano corrente / Mês do ano anterior

Leia mais

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág.

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág. RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL 2016 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico O cenário econômico internacional e o comércio exterior dos produtos transformados de plástico Agosto/2009 Associação Brasileira da Indústria do Plástico A CRISE MUNDIAL O ano de 2008 foi marcado pelo

Leia mais

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL Agosto/2010 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL Presidente Milton Corlatti Departamento de Economia, Finanças e Estatística Alexander Messias

Leia mais

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados.

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados. Dados extraídos em 17.06.2013 Relação dos Códigos NCM s utilizados: Indicadores de Exportação e Importação NCM Bolachas e biscoitos

Leia mais

Instituto de Estudos e Marketing Industrial. Pesquisa de Mercado - Estudos Setoriais - Assessoria Empresarial - Publicações

Instituto de Estudos e Marketing Industrial. Pesquisa de Mercado - Estudos Setoriais - Assessoria Empresarial - Publicações Instituto de Estudos e Marketing Industrial Pesquisa de Mercado - Estudos Setoriais - Assessoria Empresarial - Publicações Apresentação Brasil Móveis 2006 Relatório Setorial da Indústria de Móveis no Brasil

Leia mais

Agosto / Análise Conjuntural. Assessoria de Assuntos Estratégicos da Presidência

Agosto / Análise Conjuntural. Assessoria de Assuntos Estratégicos da Presidência Agosto / 2012 Análise Conjuntural Assessoria de Assuntos Estratégicos da Presidência 1 Mecanismos de crescimento da economia brasileira após 2003 2 Variação do PIB ((% a.a) China e Índia não acompanham

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS MARÇO/2015 O que mudamos? No mercado interno: A revisão concluída pelo DCEE, que acompanhou as recentes alterações metodológicas

Leia mais

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL. Junho/2014 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL. Presidente Carlos Heinen

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL. Junho/2014 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL. Presidente Carlos Heinen DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL Junho/2014 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL Presidente Carlos Heinen Departamento de Economia, Finanças e Estatística Alexander Messias

Leia mais

INTELIGÊNCIA DE MERCADO

INTELIGÊNCIA DE MERCADO INTELIGÊNCIA DE MERCADO INTELIGÊNCIA DE MERCADO ABF BANCO DE DADOS ABF / SISTEMA DE BI (BUSINESS INTELLIGENCE) Possibilita a extração em tempo real de dados específicos da marca, do segmento e do setor

Leia mais

Clima econômico da América Latina melhora em abril, mas permanece desfavorável

Clima econômico da América Latina melhora em abril, mas permanece desfavorável abr/01 abr/02 abr/03 abr/04 abr/05 abr/06 abr/07 abr/08 abr/09 abr/10 abr/11 abr/12 abr/13 abr/14 abr/15 abr/16 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina JANEIRO/2016 ABRIL/2016 72 74 Situação

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Dezembro/2012 Faturamento Bruto mensal R$ milhões constantes (defl. Col. 32/FGV) Dez/12 = R$ 6.895 milhões 7,9% sobre Nov/12-5,3%

Leia mais

Análise de mercados potenciais Seminário de Comércio Exterior sobre Flores

Análise de mercados potenciais Seminário de Comércio Exterior sobre Flores Análise de mercados potenciais Seminário de Comércio Exterior sobre Flores Março/2017 Manoel Franco Junior Analista - Coordenação de Inteligência de Mercado Estrutura da apresentação: 1) Ferramentas de

Leia mais

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima?

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Maio 2014 Apresentar a Indústria de MT Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Diagnosticar as NECESSIDADES MÚTUAS Do que precisamos? Do que podemos fornecer mutuamente?

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 São Paulo, 18 de dezembro de 2015 Novembro 2015 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 Em novembro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 335,3 bilhões, o que significou

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO MAIO EXPORTAÇÕES No mês de maio de 2017, as exportações catarinenses somaram US$ 802,8 milhões, o que representou um avanço de 15,8% frente a maio de 2016. Esse crescimento é o melhor para o mês desde

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS DEZEMBRO/2013 Consumo aparente mensal R$ bilhões constantes* Mês corrente / Mês anterior = -7,8% Mês ano corrente / Mês do ano

Leia mais

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro DESTAQUES Déficit recorde do setor de manufaturados: O Brasil fechou o ano de 2010 com o maior déficit comercial de sua história do setor manufatureiro, de US$ 70,9

Leia mais

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de Exportações de carnes BRASIL

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de Exportações de carnes BRASIL Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2014 1. Exportações de carnes BRASIL Ao longo dos últimos dez anos as exportações de carne no Brasil aumentaram. Para a carne de frango o aumento

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

INI Instituto Nacional de Investidores. 03 de abril de 2008

INI Instituto Nacional de Investidores. 03 de abril de 2008 INI Instituto Nacional de Investidores 03 de abril de 2008 1 a natura 1 nossa história Fundação Início da 1974 operação no 1983 Chile Início das operações na Argentina e no Peru 2001 IPO 2005 Início das

Leia mais

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015.

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2015. Total das exportações do Rio Grande

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 20 de julho de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 005/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR Abril 2016

COMÉRCIO EXTERIOR Abril 2016 Região CIESP-Campinas apresenta redução do déficit comercial: Exportações apresentam contração; Importações seguem em forte queda. Este relatório tem como objetivo analisar os resultados de comércio exterior

Leia mais

A América Latina e o ajuste estrutural apóso Consenso de Washington

A América Latina e o ajuste estrutural apóso Consenso de Washington A América Latina e o ajuste estrutural apóso Consenso de Washington Resenha Economia e Comércio / Desenvolvimento Jéssica Naime 05 de novembro de 2004 1 A América Latina e o ajuste estrutural após o Consenso

Leia mais

O Indicador de Clima Econômico (ICE) da América Latina recua em julho

O Indicador de Clima Econômico (ICE) da América Latina recua em julho jan/05 jul/05 jan/06 jul/06 jan/07 jul/07 jan/08 jul/08 jan/09 jul/09 jan/10 jul/10 jan/11 jul/11 jan/12 jul/12 jan/13 jul/13 jan/14 jul/14 jan/15 jul/15 jan/16 jul/16 jan/17 jul/17 Agosto de 2017 O Indicador

Leia mais

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC Indicadores EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO - 2010-2014 ANO TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB TAXA DE JUROS SELIC TAXA DE CÂMBIO R$/US$ TAXA DE INFLAÇÃO

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Junho/2012 Faturamento Bruto mensal R$ milhões constantes (defl. Col. 32/FGV) Jun/12 = R$ 7.158 milhões -0,5% sobre Mai/12 3,8%

Leia mais