XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012"

Transcrição

1 ANÁLISE DO TEMA ÁGUA EM LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL No Brasil, o livro didático está em praticamente todas as escolas públicas brasileiras, tanto do Ensino Fundamental quanto do Ensino Médio, sendo que dentro do Ensino de Ciências, este muitas vezes configura-se como o único material de apoio, ao qual o docente tem acesso, constituindo-se como um instrumento de fundamental importância. Dos temas desenvolvidos no ensino de ciências no Ensino Fundamental, destacamos a água, visto que está diretamente relacionado com o tema transversal Meio Ambiente e Saúde, proposto pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) ou perpassando também outros diversos conteúdos, podendo assim, servir como eixo articulador desses, além dessa temática está bastante presente no cotidiano dos alunos, e ser de suma importância para que estes possam assumir um papel ativo na sociedade em que vivem. Diante disso, buscamos nesta pesquisa analisar a abordagem do tema água em três livros didáticos de ciências do 6º ano do Ensino Fundamental, que são recomendados pelo Programa Nacional do Livro Didático PNLD (2011). A análise seguiu critérios e referenciais estabelecidos no PCN e no PNLD. Os resultados obtidos indicam que apesar dos livros não trazerem informações incorretas e erros conceituais, estes não abordaram satisfatoriamente os conteúdos da temática água. Devemos ressaltar que o docente tem um papel fundamental na avaliação e escolha dos livros didáticos, visto que este é um dos principais agentes do processo de ensinoaprendizagem, lembrando que o livro é apenas um recurso didático, que visa auxiliar no desenvolvimento da aula, sendo o papel do professor utilizar este instrumento da melhor forma possível. Por fim, acreditamos que trabalhos como estes podem contribuir para facilitar esta escolha dos docentes, tornado-se necessário realizar cada vez mais trabalhos deste tipo, com os mais diferentes assuntos, tanto na disciplina de ciências quanto nas outras áreas do conhecimento. Palavras-chave: Livro didático; água; Ensino Fundamental. Aline Neves Vieira De Santana Leandro Nunes De Souza Marilda Shuvartz INTRODUÇÃO No Brasil, o livro didático configura-se como um instrumento de ensinoaprendizagem, e orienta a organização curricular em praticamente todas as escolas públicas brasileiras, tanto do Ensino Fundamental quanto do Ensino Médio (XAVIER; FREIRE; MORAES, 2006). Dentro do Ensino de Ciências, o livro didático muitas vezes configura-se como o único material de apoio, o qual o docente tem acesso, constituindose como um instrumento de fundamental importância (VASCONCELO; SOUTO, 2003). Além disso, Vasconcelos e Souto (2003) afirmam que os livros de Ciências devem ser um instrumento capaz de promover a reflexão dos aspectos da realidade, além de estimular a capacidade investigativa do aluno, fazendo com que este assuma um papel ativo no seu próprio processo de aprendizagem. Livro 3 - p

2 O livro didático deve aparecer como um instrumento de apoio, problematização, estruturação de conceitos, e de inspiração para que os alunos, e o próprio professor, investiguem os diversos fenômenos que integram o seu cotidiano, deve servir como fonte de pesquisa sobre assuntos diversos, mas que estabelecem nexos durante as investigações dos alunos (BRASIL, 2011). Tendo em vista a importância dos livros didáticos, o Ministério da Educação e Cultura (MEC), em 1985, implementou o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), que buscava coordenar a distribuição gratuita de livros didáticos aos alunos das escolas públicas brasileira. A partir de 1995 o PNLD passou também a realizar a análise e avaliação dos livros didáticos a serem adquiridos e distribuídos pelo Ministério, excluindo aqueles que não atendessem aos objetivos educacionais propostos. Desde então, várias ações têm sido realizadas pelo governo brasileiro com o objetivo de melhorar a qualidade dos livros didáticos. Uma que merece destaque foi a criação, em 1997, do Guia do PNLD que apresentava não só os princípios e os critérios que direcionaram a avaliação, como também as resenhas das obras recomendadas para escolha do professor. A partir dessas ações realizadas pode-se afirmar que houve uma considerável melhoria nos livros didáticos distribuídos para as escolas públicas brasileiras, porém esta se localizou principalmente nos aspectos técnicos dos livros, não sendo considerado as questões de base do Ensino de Ciências (MEGID NETO; FRACALANZA, 2003). Diante disso, a comunidade científica também começou a realizar pesquisas na área, tentando propor novos critérios de avaliação dos livros didáticos de Ciências, buscando auxiliar o docente nas escolhas dos mesmos (VASCONCELOS; SOUTO, 2003). Deve-se ressaltar que esta tarefa de avaliar os livros didáticos, não deve ser realizada somente por programas ligados ao MEC, ou por especialistas da área, ela deve ter principalmente a participação dos professores, visto que são estes que utilizam os livros, e que melhor conhecem a realidade das salas de aulas (NÚÑEZ et al, 2003). Dos temas desenvolvidos no ensino de ciências no Ensino Fundamental, destacamos a água, visto que está diretamente relacionado com o tema transversal Meio Ambiente e Saúde, proposto pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) ou perpassando também outros diversos conteúdos, podendo assim, servir como eixo articulador desses. Além disso, esta temática está bastante presente no cotidiano dos Livro 3 - p

3 alunos, e é de suma importância para que estes possam assumir um papel ativo na sociedade em que vivem. Diante desse contexto, o presente estudo busca analisar a abordagem do tema água em três livros didáticos de ciências do 6º ano do Ensino Fundamental, que são recomendados pelo PNLD. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS A seleção dos livros didáticos de Ciências do 6º ano do Ensino Fundamental, que é a série em que geralmente se aborda a temática água, foi feita por meio de uma seleção dos livros didáticos do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD/2011). Foram selecionados três livros, a saber: Obra 1 Ciências: o meio ambiente, editora Ática; Obra 2 Ciências: o planeta Terra, editora Ática; Obra 3 Ciências, Natureza & Cotidiano, editora FTD. Os critérios de análise foram estabelecidos tendo como referencial os Parâmetros Curriculares Nacionais (1998), bem como a proposta do Guia Nacional dos Livros Didáticos - PNLD (2011). A seguir apresentamos os critérios que foram levados em consideração para a realização desta analise. Critérios observados: 1 Figuras: com legendas adequadas quantidade claras, explicativas e coerentes com o texto tipos de ilustrações (fotos/desenhos) 2 Existem referências atualizadas em relação ao ano de publicação 3 Utilizam vocabulário atualizado, adequado e correto 4 Sugestões de leitura complementar 5 Propõem atividades em grupo e discussões em relação ao assunto 6 Estabelecem relações entre com outros capítulos 7 Abordam corretamente os assuntos: A importância da água para os seres vivos. Distribuição da água na Terra Propriedades, composição e estados físicos da água O ciclo da água Livro 3 - p

4 A utilização da água pelo ser humano A poluição da água Tratamento de água e esgoto Água e saúde RESULTADOS E DISCUSSÕES Um aspecto presente em todos os livros didáticos diz respeito às figuras, isto se deve principalmente em decorrência do papel que estas assumem, como facilitadoras da aprendizagem do aluno (MARTINS; GOUVÊA, 2005). Com relação a esse assunto Vasconcelos e Souto (2003) afirmam que a função das ilustrações é tornar as informações mais claras, estimulando a compreensão e a interação entre leitores e o texto científico. Diante disso, todos os livros trouxeram uma quantidade satisfatória de figuras, além de apresentarem poucos erros nas legendas. As três obras apresentaram ilustrações claras, explicativas e coerentes com o texto, além de mesclarem os conteúdos com fotos e desenhos esquemáticos. Essa característica é importante para auxiliar a aprendizagem do aluno, pois enquanto que os desenhos facilitam o entendimento do assunto, as fotos possibilitam estabelecer uma relação deste com a realidade. O conhecimento científico está sempre se transformando, novas teorias são criadas, algumas são modificadas, outras são descartadas. Diante disso, é necessário que os livros didáticos sempre tentem acompanhar essas mudanças, buscando trazer referências atualizadas em relação ao ano de publicação do livro. Todas as obras apresentaram referências relativamente próximas ao ano de publicação do livro. Outro critério analisado neste trabalho foi a utilização, pelos livros didático, de um vocabulário atualizado, adequado e correto. Todas as obras aqui analisadas estão em concordância com este critério, sendo que todas seguem as novas normas ortográficas brasileiras, não prejudicando assim a aprendizagem dos alunos, além de proporcionar uma familiarização destes com essas novas normas. Um único ponto que devemos ressaltar, é que a obra 2 utiliza muitas vezes o termo micróbios, que não esta mais em uso, devendo ser substituído pelo termo microorganismos. As três obras analisadas pela presente pesquisa trazem textos complementares. Essa característica é importante, visto que estes textos buscam transpor o texto tradicional de livro didático, apresentando aos leitores outra abordagem do tema, mais Livro 3 - p

5 atual e mais ampla, sempre relacionando com a realidade dos alunos. Com isso, esses textos sempre atraem mais a curiosidade dos alunos, podendo levá-los até a participarem mais das aulas. Em relação proposição de atividades em grupo, as três obras contemplam esse critério. Estes tipos de atividades proporcionam um momento de debate e discussão entre os alunos, possibilitando que estes assumam a liderança de seu processo de aprendizagem e alcancem sua independência intelectual (CASTANHO, 2003). Quanto ao tópico relações entre os capítulos, os três livros estabelecem relação apenas entre os capítulos da unidade de água, sendo que neste caso estes apenas citam que determinado conteúdo foi/será abordado em outro capítulo. Diante disso podemos observar o caráter fragmentado do conteúdo de ciências trabalhado pelos livros didáticos, estando em discordância com o que propõe os documentos oficiais, como o PCN, que defende que o conhecimento deve ser trabalhado de forma a possibilitar que o aluno tenha uma visão holística da realidade, não desconsiderando o caráter complexo desta. A obra 1, no que diz respeito à importância da água para os seres vivos, traz apenas a questão desta ser importante para o transporte de nutrientes e para que haja as reações químicas responsáveis pela manutenção da vida. Nesta obra faltou comentar sobre a importância da água na regulação da temperatura corporal de alguns animais, além de falar sobre o papel desta no transporte e eliminação dos resíduos produzidos pelos organismos. Com relação à composição da água, a obra 1 trabalha de forma confusa esse assunto, pois ao afirmar que a molécula de água é formada por átomos de dois elementos químicos: o Hidrogênio (H) e o Oxigênio (O), ela pode induzir o estudante à compreender que esta molécula pode ser representada pela seguinte fórmula molecular HO. Além disso, leva o aluno a entender que enchermos um copo de água e formos descartando a metade continuamente ele conseguirá obter a molécula de água, sendo isto impossível, visto que, este processo só é realizável com equipamentos e técnicas laboratoriais. Além disso, este livro traz de forma incompleta as propriedades da água, pois este trabalha apenas a questão da solubilidade, deixando de lado outras propriedades, como a tensão superficial. Neste livro o tema do ciclo da água é trabalhado de forma descontextualizada, mostrando apenas um ciclo genérico, não havendo uma aproximação com o que o aluno está acostumado a observar no cotidiano. Além disso, o esquema sobre o ciclo da água Livro 3 - p

6 remete a uma sequência de fatos de uma fazenda, estando algumas vezes distante da realidade dos alunos, os quais muitas vezes, passaram toda a sua vida na cidade. No que diz respeito às mudanças de estado físico da água, o referido livro aborda esta temática de forma insatisfatória, visto que, trouxe apenas a temperatura como um dos fatores que influenciam a mudança de fase da água, não trabalhando a questão da pressão, além de não abordar os processos de transferência de calor nas diferentes mudanças de fases. Faltou também trazer um esquema geral das mudanças de estado físico da água, o que poderia facilitar para a compreensão dos alunos. Além disso, essa obra traz algumas informações, como o fato do volume da água aumentar após congelar, diferentemente dos outros líquidos, porém não há uma explicação do porque dessa característica. Ainda dentro deste assunto, este livro comete outro equívoco, quando traz um esquema mostrando a organização das moléculas de água nos três estados físicos, e representa estas apenas como uma esfera, podendo dificultar que o aluno compreenda a água como uma estrutura química. Assim, concordamos com Ferreira e Justi (2004) que afirmam que apesar de o detalhamento da estrutura química não ser o foco principal de estudo, esta estrutura deve ser corretamente representada, permitindo uma compreensão melhor do tema, mesmo que os modelos apresentados sejam simplificados. A referida obra foi bastante completa com relação ao tratamento da água, sendo que abordou cada etapa especificamente, sempre com ilustrações, trazendo também um esquema mais geral do processo, fato este que facilita a aprendizagem dos alunos. Já em relação ao tratamento do esgoto, trabalhou este de forma mais sucinta, trazendo como ilustração apenas um esquema geral desse processo e fotos de estações de tratamento de esgoto. Nos dois casos a obra trouxe alternativas para quando não há esses tipos de tratamentos. Deve-se ressaltar que um aspecto positivo deste livro foi o fato deste apresentar uma discussão a respeito do que consiste o saneamento básico, mostrando que é um direito de todos e que pagamos por ele. Com o intuito de exemplificar, o livro traz a foto de uma conta de água, mostrando as taxas que pagamos pelos serviços de água e esgoto. Esse aspecto promove uma aproximação do conhecimento trabalhado em sala de aula, com que o aluno observa no seu dia-a-dia, estando em concordância com o que defendem alguns documentos oficiais, como o PCN do Ensino Fundamental. Neste livro não é trabalhado a distribuição da água no planeta, além de não haver discussão a respeito da diferença entre a água salgada, a doce e a salobra. Aborda Livro 3 - p

7 apenas os conceitos de água potável e de água destilada, e menciona que existe a água pura e a mineral, porém não as diferencia. Nesta obra não há menção às doenças relacionadas à água, nem à poluição da água e nem da utilidade desta para os seres humanos. Isto configura-se como um aspecto bastante negativo,visto que, estas temáticas além de terem sua importância como conteúdos necessários para essa fase do ensino, elas seriam uma grande oportunidade de estabelecer uma relação entre o que é trabalhado em sala de aula com o que os alunos vivenciam no cotidiano. A obra 2 trabalha a importância da água para os seres vivos, de forma mais completa do que a obra 1, discute questão relacionadas à importância da água no transporte de diferentes substâncias e na eliminação dos resíduos produzidos pelos organismos, além de trazer a necessidade da água nas reações químicas responsáveis pela manutenção da vida. Em um quadro complementar, ressalta a importância da água na regulação da temperatura corporal de alguns animais. No que diz respeito à composição da água, esta obra trabalha esta temática apenas em texto complementar para saber mais. Neste há uma explicação clara sobre a constituição da molécula de água, e traz a diferença, com o auxilio de ilustrações, de como as moléculas estão organizadas nos três estados físicos. Contudo, este livro aborda de forma incompleta as propriedades da água, pois trabalha apenas a questão da solubilidade e da pressão da água, deixando de lado outras propriedades importantes, como a tensão superficial. Em relação às mudanças de estado físico da água, o referido livro aborda esta temática de forma satisfatória, visto que, explica cada processo de mudança de estado físico, além discutir como se dá a transferência de calor em cada uma desses processos. Traz também um esquema geral das mudanças de estado físico da água, facilitando assim, a compreensão dos alunos. Nesta temática o livro busca sempre estabelecer uma relação entre o que está sendo estudado com o que os alunos vivenciam no seu dia-adia, principalmente por meio de exemplificações. Assim como na obra anterior, nesta o tema do ciclo da água é trabalhado de forma descontextualizada, mostrando apenas um ciclo genérico, e explicando as etapas desse ciclo, não havendo uma aproximação com que o aluno está acostumado a observar. Além disso, ela traz um esquema muito simplificado, e que desconsidera a participação dos seres vivos no ciclo. Livro 3 - p

8 A referida obra apresenta de forma direta e completa tanto as questões relacionadas ao tratamento de água, quanto em relação ao tratamento de esgoto, explicando de forma sucinta as diferentes etapas destes dois processos, e trazendo como ilustração um esquema geral de cada processo e fotos de estações de tratamento de água e de esgoto. Assim como na obra 1, esta aborda opções para situações em que não houver disponível o tratamento de água e de esgoto. Deve-se ressaltar que esta não faz nenhuma aproximação deste conteúdo com o cotidiano dos alunos, o que pode prejudicar a aprendizagem destes. Diferentemente da obra 1, esta trabalha a distribuição da água no planeta, destacando a porcentagem de água salgada, de água doce no estado líquido e no sólido. Um aspecto interessante nesta obra é o fato dela trazer um quadro comparativo entre a distribuição de água doce nas diferentes regiões do Brasil, em relação à população. Além disso, este livro discute a diferença entre a água salgada e a doce, e as características da água potável, da destilada e da mineral. Com relação à poluição da água, o livro aborda este tema de forma satisfatória, discutindo algumas das principais formas de poluição aquática, além de trazer uma discussão sobre a chuva ácida, que pode ser uma temática que desperta o interesse dos alunos, visto que este fenômeno está presente nos telejornais nacionais. A utilização da água para os seres humanos é aborda de maneira incompleta, porque discute apenas a utilidade da água na produção de energia e nas máquinas hidráulicas, além de mencionar a sua importância na indústria e na agricultura, não levando em consideração o papel desta na pesca, nos transportes, no esporte, no lazer, entre outros. Ao contrário da obra 1, esta explicou as principais doenças que são causadas tanto pela contaminação da água quanto por mosquitos que dependem da água para colocar seu ovos, sendo que em cada doença é trabalhado aspectos relacionados à causa da doença, aos sintomas e as medidas de prevenção. Dentre as doenças que esta aborda vale destacar a dengue, que é uma doença com alto índice de casos no Brasil, e que os alunos tem um maior contato. Diante disso podemos afirma que nesta parte a obra está em concordância com o PCN, que defende que deve-se relacionar os problemas de saúde com a realidade dos alunos, possibilitando o desenvolvimento de um conhecimento mais amplo e sedimentado. A obra 3 apenas menciona que a água é importante para os seres vivos, não fazendo nenhuma discussão a respeito desta importância. Livro 3 - p

9 Este livro também não faz menção à composição da água, sendo que em nenhum momento ele traz a fórmula molecular desta. Contudo, diferentemente das outras obras, esta aborda de forma mais completa as propriedades da água, discutindo a questão da solubilidade e da tensão superficial. No que diz respeito às mudanças de estado físico da água, o referido livro aborda esta temática de forma insatisfatória, visto que, não aborda os processos de transferência de calor nas diferentes mudanças de fases, além de não explicar alguns desses processos, como a condensação. Faltou também trazer um esquema geral das mudanças de estado físico da água, o que poderia facilitar para a compreensão dos alunos. Uma informação importante, que esta obra traz e as outras não, diz respeito ao fato da água manter a temperatura constante durante os processos de mudança de estado físico. Assim como nas duas primeiras obras, nesta o tema do ciclo da água é trabalhado de forma descontextualizada, mostrando apenas um ciclo genérico, além de trazer uma explicação bastante resumida das etapas desse ciclo, parecendo não dá importância a essa temática. E assim como a obra 2, esta traz um esquema do ciclo da água muito simplificado, e que desconsidera a participação dos seres vivos no ciclo. Outro ponto que devemos considerar é o fato de o livro trabalhar esse assunto antes de discutir as mudanças de estado físico da água, podendo assim, dificultar a aprendizagem dos alunos, visto que, para que este entenda o ciclo da água, primeiramente ele deveria compreender os processos de mudança de estado físico. Diferentemente dos dois primeiros livros, este faz uma abordagem bastante simplista das questões relacionadas ao tratamento de água, explicando esse processo apenas através de um esquema geral do tratamento de água. Ele também trabalha alternativas para quando não há esse tipo de tratamento. Essa obra não faz nenhuma menção ao tratamento de esgoto, mostrando-se incompleta. Em relação à distribuição da água no planeta, este livro traz apenas a porcentagem de água salgada e de água doce, não distinguindo a água no estado líquido e sólido. Discute apenas sobre a água potável, e menciona que existe a água destilada e a mineral, não diferenciando-as. Com relação à poluição da água, o livro aborda este tema de forma insatisfatória, pois este apenas menciona algumas formas de poluição aquática, não promovendo uma discussão mais profunda acerca do tema, além de não enfocar alguns tipos de poluição importante, como as causadas pelo derramamento de petróleo. A utilização da água para os seres humanos, assim como no livro 2, é aborda de maneira incompleta, este Livro 3 - p

10 discute apenas a utilidade da água na produção de energia, na agricultura e nas máquinas hidráulica, além de mencionar a sua importância na indústria, não levando em consideração o papel desta na pesca, nos transportes, no esporte, no lazer, entre outros. Esta obra faz apenas menção a algumas doenças que são causadas pela contaminação da água, não apresenta nenhuma referência às doenças transmitidas por mosquitos que dependem da água para colocar seus ovos. O autor afirma que estas doenças são discutidas no capítulo 16, porém, neste é trabalhado apenas uma doença, a amebíase. CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante da análise realizada nesta pesquisa, podemos afirmar que as três obras trouxeram informações corretas, adequadas e atualizadas, sem erros conceituais, possibilitando assim que o processo de ensino-aprendizagem desenvolva-se de forma satisfatória. Observamos também que os três livros possuem tanto textos complementares, quanto sugestões de leituras. Essas características permitem aproximar o conteúdo da sala de aula com o que o aluno vivencia no seu dia-a-dia, além de incentivá-lo a buscar novas informações, às vezes mais atualizadas, desenvolvendo uma característica investigativa. Por outro lado, nenhuma das três obras estabeleceu uma relação entre a temática água com outros conteúdos, demonstrando o caráter fragmentado com que os livros didáticos tratam o conhecimento científico. Todos os livros deixaram de abordar alguns conteúdos do tema água considerados importantes para este nível de ensino, onde destacamos a relação da água com algumas doenças. Apenas um livro abordou essa temática de forma satisfatória. Deve-se ressaltar que o docente tem um papel fundamental na avaliação e escolha dos livros didáticos, visto que este é um dos principais agentes do processo de ensino-aprendizagem. Além disso, devemos lembrar que o livro é apenas um recurso didático, entre outros, que visa auxiliar no desenvolvimento da aula, sendo o papel do professor utilizar este instrumento da melhor forma possível. Acreditamos que trabalhos como este podem contribuir para facilitar esta escolha dos docentes, tornado-se necessário realizar cada vez mais trabalhos deste tipo, com os mais diferentes assuntos, tanto na disciplina de ciências quanto em outras áreas do conhecimento. Livro 3 - p

11 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental. Brasília, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Guia de livros didáticos: PNLD 2011: Ciências. Brasília, Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/index.php/pnld-guia-do-livro-didatico/2349-guia-pnld-2011>. Acesso em: 22 de fevereiro de CASTANHO, M. E. L. M. Da discussão e do debate nasce a rebeldia. In: VEIGA, I. P. A. (Org.). ATécnicas de Ensino: por que não? 15ª ed. Campinas: Papirus, (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico). FERREIRA, P. F. M.; JUSTI, R. S. A abordagem do DNA nos livros de biologia e química do Ensino Médio: uma análise crítica. In: Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, V. 6, nº 1, MARTINS, I.; GOUVÊA, G. Analisando aspectos da leitura de imagens em livros didáticos de ciências por estudantes do ensino fundamental no Brasil. In: Enseñanza de las Ciências. Número extra, VII congresso, p. 1-3, MEGID NETO, J.; FRACALANZA, H. O Livro Didático de Ciências: problemas e soluções. In: Ciência & Sociedade, V. 9, nº 2, p , NÚÑEZ, I. B.; Et al. A seleção dos livros didáticos: um saber necessário ao professor. O caso do ensino de ciências. In: Revista Iberoamericana de Educación. Madrid, VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O livro didático de ciências no ensino fundamental - proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. In: Ciência & Educação. São Paulo, V. 9, nº 1, p , XAVIER, M. C. F.; FREIRE, A. S.; MORAES, M. O. A nova (moderna) Biologia e a genética nos livros didáticos de biologia no Ensino Médio. In: Ciência & Educação, V. 12, nº 3, p , Livro 3 - p

COMO OS LIVROS DIDÁTICOS DE ENSINO MÉDIO ABORDAM O EFEITO ESTUFA

COMO OS LIVROS DIDÁTICOS DE ENSINO MÉDIO ABORDAM O EFEITO ESTUFA COMO OS LIVROS DIDÁTICOS DE ENSINO MÉDIO ABORDAM O EFEITO ESTUFA Elizabeth Cristina Tavares Veloso 1, Juracy Regis de Lucena Junior 2. 1 Departamento de Química, Universidade Estadual da Paraíba -UEPB,

Leia mais

ABORDAGEM AMBIENTAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA APROVADOS PELO PNLEM/2007. Programa de mestrado em Educação em Ciências e Matemática - UFG

ABORDAGEM AMBIENTAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA APROVADOS PELO PNLEM/2007. Programa de mestrado em Educação em Ciências e Matemática - UFG ABORDAGEM AMBIENTAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA APROVADOS PELO PNLEM/2007 Karla Ferreira DIAS 1 ; Dr. Agustina Rosa ECHEVERRÍA 2 1,2 Programa de mestrado em Educação em Ciências e Matemática - UFG

Leia mais

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL Danilo Coutinho da Silva Bacharel e Licenciado em Geografia - UFPB danilogeog@hotmail.com INTRODUÇÃO A Educação Ambiental (EA) deve

Leia mais

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático.

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático. A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA Fabricio Santos Almeida 1 Márcia Cristiane Eloi Silva Ataide 2 1 Licenciando em Química, Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Astronomia, Metodologia, Ensino, Software livre

PALAVRAS-CHAVE: Astronomia, Metodologia, Ensino, Software livre DESENVOLVIMENTO DE UMA METODOLOGIA DE ENSINO DE ASTRONOMIA COM O USO DE SOFTWARE LIVRE FILHO, Valdinei Bueno Lima 1, PRADO, Valdiglei Borges 2, SOARES, Fabrízzio Alphonsus A. M. N. 3, MARTINS, Alessandro

Leia mais

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 V. 01, N. 02 (2013) A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Patrícia

Leia mais

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO Jailane Araújo 1 Jeane Almeida 2 Letícia Brandão 3 Cintiane Cunha 4 RESUMO: O livro didático é muito utilizado por professores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um 1 TURISMO E OS IMPACTOS AMBIENTAIS DERIVADOS DA I FESTA DA BANAUVA DE SÃO VICENTE FÉRRER COMO TEMA TRANSVERSAL PARA AS AULAS DE CIÊNCIAS NO PROJETO TRAVESSIA DA ESCOLA CREUSA DE FREITAS CAVALCANTI LURDINALVA

Leia mais

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO Provas 2º Bimestre 2012 CIÊNCIAS DESCRITORES DESCRITORES DO 2º BIMESTRE DE 2012

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

Analisando a construção e a interpretação de gráficos e tabelas por estudantes do Ensino Médio Regular e EJA

Analisando a construção e a interpretação de gráficos e tabelas por estudantes do Ensino Médio Regular e EJA Analisando a construção e a interpretação de gráficos e tabelas por estudantes do Ensino Fabiano Fialho Lôbo Universidade Federal de Pernambuco fabiano_lobo@yahoo.com.br Luciana Rufino de Alcântara Universidade

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA

USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA ROCHA, Elza dos Santos S. da (UNEMAT) elzassr@yahoo.com.br SANTOS, Leandra Ines Seganfredo (UNEMAT) leandraines@hotmail.com Sabemos que a água é indispensável

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA.

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. 7. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇAO PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. SCHWEIGERT, Romacir

Leia mais

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO André Luís Mattedi Dias mattedi@uefs.br Jamerson dos Santos Pereira pereirajamerson@hotmail.com Jany Santos Souza Goulart janymsdesenho@yahoo.com.br

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE ALMEIDA 1, Leonardo Rodrigues de SOUSA 2, Raniere Lima Menezes de PEREIRA

Leia mais

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Adriele Monteiro Ravalha, URI/Santiago-RS, adrieleravalha@yahoo.com.br

Leia mais

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657 TEMAS DE BIOLOGIA MAIS FREQUENTES NO PROCESSO SELETIVO SERIADO (PSS) DA UFPB E OS CONTEÚDOS DE ENSINO DE BIOLOGIA, SEGUNDO OS ORIENTADORES CURRICULARES Alessandro Tomaz Barbosa 1, Marsílvio Gonçalves Pereira

Leia mais

O Ensino de Astronomia em Amargosa: uma reflexão sobre os livros didáticos utilizados no município

O Ensino de Astronomia em Amargosa: uma reflexão sobre os livros didáticos utilizados no município O Ensino de Astronomia em Amargosa: uma reflexão sobre os livros didáticos utilizados no município Edmilson dos Santos Macedo 1, Glênon Dutra 2, Simone Fernades 3. Introdução A Astronomia deve ser vista

Leia mais

Guia de livros didáticos PNLD 2012

Guia de livros didáticos PNLD 2012 Guia de livros didáticos PNLD 2012 Veja nas páginas a seguir um excerto do documento publicado pela FNDE contendo uma resenha da coleção Quanta Física recentemente aprovada como uma das obras didáticas

Leia mais

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

Ensino de Química - Inorgânica. Professora: Roseantony IFRJ/Campus Rio de Janeiro

Ensino de Química - Inorgânica. Professora: Roseantony IFRJ/Campus Rio de Janeiro Ensino de Química - Inorgânica Professora: Roseantony IFRJ/Campus Rio de Janeiro Química Inorgânica O que é? Definição da Wikipédia: Química inorgânica ou química mineral é o ramo da química que estuda

Leia mais

ENSINO DE BIOLOGIA E O CURRÍCULO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: UMA REFLEXÃO INICIAL.

ENSINO DE BIOLOGIA E O CURRÍCULO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: UMA REFLEXÃO INICIAL. ENSINO DE BIOLOGIA E O CURRÍCULO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: UMA REFLEXÃO INICIAL. Jessica Pampolini (Licenciatura em Ciências Biológicas ESALQ/USP, jessica.pampolini@usp.br) Tais Cavallaro Martins

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PARA UMA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO ABORDAGENS DA PRIMEIRA LEI DE NEWTON EM LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA

CONTRIBUIÇÕES PARA UMA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO ABORDAGENS DA PRIMEIRA LEI DE NEWTON EM LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA CONTRIBUIÇÕES PARA UMA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO ABORDAGENS DA PRIMEIRA LEI DE NEWTON EM LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA Andrew Stanley Raposo 1, Tayse Raquel dos Santos 2, Katemari Rosa 3 Unidade

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 6º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0) 3º Bimestre A Introdução: Neste bimestre, tivemos como tema principal a água. Estudamos os estados físicos

Leia mais

O ENSINO DE GEOGRAFIA: O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS. Danielli da Silva Almeida Universidade Estadual de Londrina danii-geo@hotmail.

O ENSINO DE GEOGRAFIA: O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS. Danielli da Silva Almeida Universidade Estadual de Londrina danii-geo@hotmail. O ENSINO DE GEOGRAFIA: O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Danielli da Silva Almeida Universidade Estadual de Londrina danii-geo@hotmail.com RESUMO Este artigo tem como objetivo refletir sobre as abordagens do

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA Vera Lucia Rocha da Silva (Universidade Federal do Piauí - UFPI/ CMRV) Email: veraelimaocommel@hotmail.com

Leia mais

Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 A água e o ar são indispensáveis para a sobrevivência dos seres vivos, mas o homem vem poluindo esses meios de forma muitas

Leia mais

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO SOUZA, Caio Henrique Bueno de 1 RODRIGUES, Davi 2 SANTOS, Edna Silva 3 PIRES, Fábio José 4 OLIVEIRA, Jully Gabriela

Leia mais

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente / Terra e universo Tema Água e vida / ciclo hidrológico do planeta Conteúdos Águas subterrâneas Usos / objetivos Aprofundamento do estudo sobre as águas

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 3º BIM P1 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno: Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das Emas

Leia mais

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA Júlio César Paula Neves Tânia Mayra Lopes de Melo Modalidade: Pôster Sessão Temática 5: Educação e

Leia mais

EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR?

EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR? EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR? Maria Rafaela de Oliveira FECLESC-UECE Renata Leite Moura FECLESC-UECE RESUMO Este trabalho apresenta algumas reflexões acerca da Educação Escolar e dos desafios

Leia mais

A Qualidade da Água nas Cidades de Campina Grande e Taperoá. *gicelia.moreira2009@gmail.com

A Qualidade da Água nas Cidades de Campina Grande e Taperoá. *gicelia.moreira2009@gmail.com A Qualidade da Água nas Cidades de e Gicélia Moreira (ID) 1,AntonioJoão S. Filho(ID) 1 Nataline C. S. Barbosa (ID) 1 Antonio N. de Souza (PG) Departamento de Química CCT-UEPB *gicelia.moreira2009@gmail.com

Leia mais

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo Caroline Gomes Romano e-mail: carolgromano@hotmail.com Ana Letícia Carvalho e-mail: anale.carvalho03@gmail.com Isabella Domingues Mattano

Leia mais

ANÁLISE DOS CONTÉUDOS DE QUÍMICA ABORDADOS NO ENSINO FUNDAMENTAL II

ANÁLISE DOS CONTÉUDOS DE QUÍMICA ABORDADOS NO ENSINO FUNDAMENTAL II ANÁLISE DOS CONTÉUDOS DE QUÍMICA ABORDADOS NO ENSINO FUNDAMENTAL II Thais Cristina de Oliveira Rocha 1 (IC) * André Amaral Gonçalves Bianco 1 (PQ) 1 Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).*thais.cristina1991@gmail.com

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Título do artigo: UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Disciplina: Alfabetização Selecionadora: Beatriz Gouveia 16ª Edição do

Leia mais

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL Adriana do Nascimento Araújo Graduanda Pedagogia - UVA Francisca Moreira Fontenele Graduanda

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO

EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO Elementos Textuais: INTRODUÇÃO: Introduzir significa apresentar. Descrever o trabalho baseando-se nas seguintes colocações: o quê fez, por que

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática PROF. MS. JOSÉ JOÃO DE MELO (josejoaomelo@gmail.com) PROF ESP. AUGUSTO RATTI FILHO (gutoratti@outlook.com.br) PROF DR. ROGERIO

Leia mais

ISSN 2316-7785 UM OLHAR REFLEXIVO SOBRE A APRENDIZAGEM GEOMÉTRICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

ISSN 2316-7785 UM OLHAR REFLEXIVO SOBRE A APRENDIZAGEM GEOMÉTRICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ISSN 2316-7785 UM OLHAR REFLEXIVO SOBRE A APRENDIZAGEM GEOMÉTRICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Tawana Telles Batista Santos Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Campus Salinas tawanatelles@yahoo.com.br

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

Palavras chaves: Formação de professores; Educação ambiental; Trabalhos de campo; Sensoriamento remoto, cidadania.

Palavras chaves: Formação de professores; Educação ambiental; Trabalhos de campo; Sensoriamento remoto, cidadania. FORMAÇÃO DE PROFESSORES: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS ESCOLARES DE EDUCAÇÃO SÓCIO AMBIENTAL COM O USO INTEGRADO DE MAPAS, FOTOS AÉREAS, IMAGENS DE SATÉLITE E TRABALHOS DE CAMPO DOS SANTOS,VÂNIA MARIA NUNES

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCHSADCSAMT04 A MONITORIA COMO SUBSÍDIO AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM: O CASO DA DISCIPLINA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NO CCHSA-UFPB Moisés de Assis Alves Soares (1) ; Kadidja Ferreira Santos (3) ;

Leia mais

Como desenvolver projetos

Como desenvolver projetos 1 Coletânea de Projetos Educação de Jovens e Adultos Como desenvolver projetos No 1º semestre de 2007, os calendários da Educação de Jovens e Adultos - Ensino Fundamental e Ensino Médio passaram a contemplar

Leia mais

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 VIERO, Lia Margot Dornelles 2 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Geografia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil E-mail:

Leia mais

Duração: 8 meses Carga Horária: 360 horas. Os cursos de Pós-Graduação estão estruturados de acordo com as exigências da Resolução CNE/CES nº 01/2007.

Duração: 8 meses Carga Horária: 360 horas. Os cursos de Pós-Graduação estão estruturados de acordo com as exigências da Resolução CNE/CES nº 01/2007. Arte em Educação Considerando que a ação educacional é uma prática social mediadora da prática social mais ampla, nossa missão é: Formar o profissional de arte educação contemplando suas três dimensões:

Leia mais

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES Marcia Regiane Miranda Secretaria Municipal de Educação de Mogi das Cruzes marcia.sme@pmmc.com.br

Leia mais

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM MARÇO/ABRIL/2012 Considerações sobre as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Resolução CNE/CEB

Leia mais

A árvore das árvores

A árvore das árvores A árvore das árvores Resumo O documentário apresenta os múltiplos usos do carvalho para as sociedades, desde tempos remotos até os dias de hoje; além de retratar lendas e histórias sobre essas árvores

Leia mais

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP A técnica do seminário tem sido usualmente entendida como sinônimo de exposição. O "seminário",

Leia mais

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO ISSN 2177-9139 OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO André Martins Alvarenga - andrealvarenga@unipampa.edu.br Andressa Sanches Teixeira - andressaexatas2013@gmail.com

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE Bruna Cardoso Cruz 1 RESUMO: O presente trabalho procura conhecer o desempenho profissional dos professores da faculdade

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS EM EXPERIMENTOS PRÁTICOS DE QUÍMICA E SUA RELAÇÃO COM O COTIDIANO.

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS EM EXPERIMENTOS PRÁTICOS DE QUÍMICA E SUA RELAÇÃO COM O COTIDIANO. A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS EM EXPERIMENTOS PRÁTICOS DE QUÍMICA E SUA RELAÇÃO COM O COTIDIANO. Alessandra Ramos Barbosa Joseane Ataíde de Jesus RESUMO Reconstruir o aprender requer mudanças

Leia mais

ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR?

ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? O que dizem as crianças sobre o brincar e a brincadeira no 1 ano do Ensino Fundamental? Resumo JAIRO GEBIEN - UNIVALI 1 Esta pesquisa visa investigar os momentos

Leia mais

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL José Euriques de Vasconcelos Neto (UFCG); Dennis Cláudio Ferreira (UFCG) Resumo O atual sistema educacional tem buscado

Leia mais

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS GT 06 Formação de professores de matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, Univates, madalena@univates.br Angélica

Leia mais

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS.

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. Fernanda Gabriely Andrade 1 Lindeberg Ventura de Sousa 2 Antônio Gautier Falconiere

Leia mais

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca Projetos de informatização educacional Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca O uso do computador como instrumento de educação ainda não é uma realidade para muitos no Brasil, mas aqui

Leia mais

Ana Paula R. Gonçalves (E. E. Médio Macário Borba-Unesc-Bolsista PIBID) Jucimara Generoso Magenis (Escola de Ensino Médio Macário Borba)

Ana Paula R. Gonçalves (E. E. Médio Macário Borba-Unesc-Bolsista PIBID) Jucimara Generoso Magenis (Escola de Ensino Médio Macário Borba) O USO DE MÉTODOS ALTERNATIVOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DESTILADOR NAS DISCIPLINAS DE BIOLOGIA, QUÍMICA E FÍSICA, USANDO A INTERDICIPLINARIDADE COM OS ALUNOS Ana Paula R. Gonçalves (E. E. Médio Macário Borba-Unesc-Bolsista

Leia mais

Dicas para elaborar um relatório científico

Dicas para elaborar um relatório científico Dicas para elaborar um relatório científico Prof. Dr. Jean Jacques Bonvent Laboratório de Física Geral Universidade de Mogi das Cruzes A elaboração de um relatório científico é um exercício bastante importante

Leia mais

Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem

Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem 91 Eixo Temático: Processos de Ensino-Aprendizagem ET-06-015 INFLUÊNCIA DA MONTAGEM DE UM JOGO DIDÁTICO DO SISTEMA DIGESTÓRIO PARA A MELHORIA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM Jéssica Maria Bernardo da Silva,

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Luã Carvalho Resplandes², Renata Fonseca Bezerra³, Francisco Cleiton da Rocha 4

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Marques, J 1, 2,* ; Queiroz, T. V. 1,2 ; Ennes, M. R. 1,2 ; Dornfeld, C. B. 1,3. ¹Universidade Estadual Paulista (UNESP),

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COMO UMA PROPOSTA EDUCACIONAL DEMOCRÁTICA

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COMO UMA PROPOSTA EDUCACIONAL DEMOCRÁTICA A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COMO UMA PROPOSTA EDUCACIONAL DEMOCRÁTICA Maria Cleonice Soares (Aluna da Graduação UERN) 1 Kátia Dayana de Avelino Azevedo (Aluna da Graduação UERN) 2 Silvia

Leia mais

RESUMO. Elaine Peres da Silva 1 Viviane Silva Nunes 2

RESUMO. Elaine Peres da Silva 1 Viviane Silva Nunes 2 Educação Ambiental sob a Perspectiva do trabalho coletivo dentro da Escola Elaine Peres da Silva 1 Viviane Silva Nunes 2 RESUMO A educação ambiental aplicada ao currículo escolar vem demonstrando resultados

Leia mais

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO.

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014 Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. RESUMO Adriana Vieira de Lima Colégio Marista Arquidiocesano

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS NO ENSINO DE FÍSICA.

DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS NO ENSINO DE FÍSICA. 1 DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS NO ENSINO DE FÍSICA. Thiago Lima de Vasconcelos 1, Thathawanna Tenório Aires 2, Kátia Calligaris Rodrigues 3 1 Universidade Federal de Pernambuco/Núcleo de Formação Docente/

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA ELEMENTOS COMPLEMENTARES NO COTIDIANO ESCOLAR LUZ, Janes Socorro da 1, MENDONÇA, Gustavo Henrique 2, SEABRA, Aline 3, SOUZA, Bruno Augusto de. 4 Palavras-chave: Educação

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

CHARGE COMO ESTRATÉGIA INTERDISCIPLINAR TRANSVERSAL DE ENSINO NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO AUZANIR LACERDA

CHARGE COMO ESTRATÉGIA INTERDISCIPLINAR TRANSVERSAL DE ENSINO NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO AUZANIR LACERDA CHARGE COMO ESTRATÉGIA INTERDISCIPLINAR TRANSVERSAL DE ENSINO NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO AUZANIR LACERDA Ivete Marcelino Campos 1; Carlos Muriel de Medeiros Pinho 1; Maria das Graças Veloso Marinho

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Luciana Pereira de Sousa 1 Carmem Lucia Artioli Rolim 2 Resumo O presente estudo propõe discutir o contexto da formação dos pedagogos para o ensino da

Leia mais

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Projeto de Supervisão Escolar Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Justificativa O plano de ação do professor pedagogo é um guia de orientação e estabelece as diretrizes e os meios de realização

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL ISSN 2316-7785 CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Jéssica Goulart da Silva Universidade Federal do Pampa

Leia mais

RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA EM TRIGONOMETRIA

RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA EM TRIGONOMETRIA ISSN 2316-7785 RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA EM TRIGONOMETRIA Priscila Sonza Frigo Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões- Campus Santiago E-mail: prisaninho@hotmail.com Franciele

Leia mais

A Interdisciplinaridade e a Transversalidade na abordagem da educação para as Relações Étnico-Raciais

A Interdisciplinaridade e a Transversalidade na abordagem da educação para as Relações Étnico-Raciais CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS LEILA MARIA DE OLIVEIRA Mestre em Educação: Currículo pelo Programa de Pós Graduação da PUC-SP; professora de educação física; e integrante do Grupo

Leia mais

A Experimentação Investigativa no Ensino de Química: Reflexões. partir do PIBID FRANCIELLE DA SILVA BORGES ISIS LIDIANE NORATO DE SOUZA CURITIBA 2013

A Experimentação Investigativa no Ensino de Química: Reflexões. partir do PIBID FRANCIELLE DA SILVA BORGES ISIS LIDIANE NORATO DE SOUZA CURITIBA 2013 A Experimentação Investigativa no Ensino de Química: Reflexões de práticas experimentais a partir do PIBID FRANCIELLE DA SILVA BORGES ISIS LIDIANE NORATO DE SOUZA CURITIBA 2013 PIBID- Programa Institucional

Leia mais

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Pavão, Antonio, C.¹, Rocha, Claudiane, F..S.², Silva, Ana, P.³ Espaço Ciência - www.espacociencia.pe.gov.br pavao@ufpe.br¹,

Leia mais

A TEMÁTICA ÁGUA ABORDADA ATRAVÉS DE SEQUÊNCIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM

A TEMÁTICA ÁGUA ABORDADA ATRAVÉS DE SEQUÊNCIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM A TEMÁTICA ÁGUA ABORDADA ATRAVÉS DE SEQUÊNCIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM Souza, T.G.S. (1) ; Verçosa, C.J. (2) ; Moura, D.B. (1) ; Silva Filho, T. P. (1) ; Almeida, W.M. (1) ; Neves, R.F. (1) talitagiselly@hotmail.com

Leia mais

Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados.

Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados. www..botanicaonline.com.br Site organizado pela Profa. Dra. Suzana Ursi Depto. de Botânica, Instituto de Biociências, USP Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados. Autor: João Rodrigo

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

como tutor, com a finalidade de estimular o processo de aprendizagem dos estudantes da

como tutor, com a finalidade de estimular o processo de aprendizagem dos estudantes da PROJETO FEIRA DE ITABAIANA: RELATOS DE UMA ATIVIDADE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO FUTURO PROFESSOR Crislaine Barreto de Gois (UFS) 1 Antônio Carlos Pinto Oliveira (UFS) Sérgio Matos Santos (UFS)

Leia mais