ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO. Nome: Nº: Classificação: O EE:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO. Nome: Nº: Classificação: O EE:"

Transcrição

1 V/V ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA 1: Lei de Ohm 7 1. Complete os espaços em branco. (A) Um amperímetro é um aparelho que serve para medir a da corrente eléctrica e a sua unidade no SI é o. (B) Um amperímetro tem de ser instalado em. (C) Nos circuitos eléctricos em série, a intensidade da corrente é em qualquer ponto do circuito. (D) Os voltímetros servem para medir a e a sua unidade no SI é o. (E) Os voltímetros têm de ser instalados em. 2. Numa aula prática foram efectuadas medições da intensidade da corrente que atravessava três condutores, X, Y e Z, para diferentes valores de diferença de potencial eléctrico. Os resultados obtidos foram registados graficamente: 2.1 Indique, justificando, o(s) condutores que são Óhmicos X Z Y Dos condutores X e Z, indique o que possui maior 0 0, 1 1, 2 I/A valor de resistência eléctrica. 2.3 Calcule o valor da resistência eléctrica para o condutor X.

2 ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA 2: Resistência e circuitos eléctricos 3. Três condutores, x, y e z, feitos do mesmo material e com a mesma espessura, têm comprimentos respectivamente iguais a 2 m, 3 m e m A resistência dos condutores pode relacionar-se por: A) R x > R y > R z B) R x < R y < R z C) R x = R y = R z 3.2. Justifique a resposta ao item Que factores afetam o valor da resistência de um condutor? 4. Para cada um dos seguintes itens, seleccione a opção correcta No circuito representado esquematicamente ao lado os valores X, Y e Z são respectivamente: A) 0,40 A; 4,2 V; 0,10 A. B) 0,10 A; 2,2 V; 0,10 A. C) 0,40 A; 2,2 V; 0,40 A. D) 0,40 A; 1,2 V; 0,10 A Justifique a resposta ao item A intensidade da corrente num circuito relaciona-se com: A) A energia das cargas eléctricas do circuito. B) O número de cargas eléctricas que passa numa secção do circuito por unidade de tempo. C) A oposição à passagem das cargas eléctricas do circuito. D) O comprimento do condutor.

3 ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA 3: Resistência e circuitos eléctricos.1. Para um condutor não-óhmico é verdade que: A) A resistência não varia quando o condutor é colocado em circuitos diferentes. B) A intensidade da corrente que percorre o condutor não depende da diferença de potencial nos seus terminais. C) A representação gráfica da diferença de potencial nos terminais do condutor em função da intensidade da corrente que o percorre não é uma linha recta. D) A resistência pode ser variável..2. Para três condutores, um de cobre, outro de cromoníquel e outro de grafite com o mesmo comprimento e a mesma espessura, é verdade que: A) Todos têm resistência eléctrica diferente porque são feitos de materiais diferentes. B) Nada se pode afirmar sobre a maneira como as suas resistências eléctricas se relacionam. C) Todos têm a mesma resistência eléctrica uma vez que têm igual comprimento e espessura. D) A resistência é independente da natureza do material que constitui o condutor..3. O gráfico em baixo refere-se a dois condutores, x e y, para os quais é verdade que: A) x oferece maior oposição à passagem dos electrões do que y. B) x permite que os electrões fluam mais facilmente do que y. C) A resistência de x é maior do que a de y. D) Os condutores não são óhmicos porque têm diferentes resistências eléctricas. 4. A potência de uma lâmpada de incandescência é de 7 W..1. Explique o significado da afirmação anterior..2. Calcule a energia tranferida pela lâmpada durante 1 h. Expresse o resultado em J e em kwh. Apresente todos os cálculos que efectuar.

4 ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA 4: Posição, repouso e movimento; rapidez 7. Tendo em conta as seguintes palavras chave, preenche os espaços em branco do texto por forma a torná-lo cientificamente correcto. Rectilínea(s) Repouso Trajectória(s) Posição(ões) Referencial Deslocamento Circular(es) Movimento Distância percorrida Curvilínea(s) Nem sempre é óbvio que determinado corpo se encontra em, já que este conceito é relativo. Em Física, diz-se que um corpo se encontra em se a sua varia com o tempo relativamente a um determinado. Este poderá ser um ponto ou conjunto de pontos que terá de ser previamente definido. Por outro lado, se a de um corpo não varia com o tempo, em relação ao, diz-se que aqueles se encontram em. Uma corresponde à união dos pontos correspondentes a todas as ocupadas pelo corpo durante o seu ; as podem ser classificadas, em função da forma geométrica que representam, em, ou. No movimento de um corpo podemos determinar a que corresponde à medição de toda a distância percorrida sobre a, e o que corresponde à diferença entre as final e inicial do corpo. 8. Os conceitos de repouso e de movimento de um corpo são relativos, isto é, é necessário definir um referencial. Indica se, em cada uma das situações descritas, o Daniel se encontra em repouso ou em movimento. A. O Daniel a viajar de avião em relação à Lua. B. O Daniel a viajar de comboio em relação à cadeira onde se encontra sentado. C. O Daniel a viajar de metro em relação à Terra. D. O Daniel sentado numa esplanada em relação à gota de água que cai numa fonte. 9. As trajectórias efectuadas por um corpo em movimento podem ser classificar-se de duas formas diferentes. Dá um exemplo para cada uma delas. 10. Um avião airbus demora a fazer a viagem entre o aeroporto Sá Carneiro (Porto) e o aeroporto do Funchal (Madeira), em média, 1 h e 40 min com uma radidez média de 900 km/h. Calcule a distância aproximada entre os dois aeroportos.

5 ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA : Distância e deslocamento 11. O Luís saiu de casa às 14:00 h e foi à papelaria, que fica a 00 m da sua casa, comprar uma revista. Depois, foi à padaria, que fica 0 m depois da papelaria, comprar pão, tendo regressado a casa pelo mesmo caminho plano e horizontal. Considere a casa do Luís a origem do referencial e que a padaria se encontra no sentido positivo do referencial Faz um esquema que traduza o percurso do Luís. 12. Determina a distância total percorrida. 13. Qual o deslocamento efectuado pelo Luís. 14. Sabendo que o Luís chegou a casa às 14 h 20, calcule em unidade SI A. A rapidez média. B. O valor da velocidade média. 1. Classifica as seguintes afirmações em verdadeiras (V) ou falsas (F). A. As grandezas físicas características do movimento são todas grandezas vectoriais. B. As grandezas vectoriais ficam totalmente definidas quando indicada a direcção, sentido, módulo e ponto de aplicação. C. O valor de uma grandeza vectorial indica exclusivamente módulo. D. A rapidez média de um corpo determina-se tendo em conta a distância que esse corpo percorreu num determinado intervalo de tempo sendo por isso uma grandeza escalar. E. Quando o valor da velocidade média varia ao longo do tempo, pode-se determinar a velocidade instantânea. F. A velocidade média é uma grandeza vectorial através da qual se pode saber qual o deslocamento efectuado pelo corpo num determinado intervalo de tempo. G. A velocidade instantânea é uma grandeza vectorial e representa a velocidade em cada instante do movimento.

6 H. O movimento diz-se acelerado quando o valor da velocidade aumenta longo do tempo enquanto um movimento é considerado retardado quando o valor da velocidade diminui ao longo do tempo E) Um automóvel encontrava-se, às 10h da manhã, no quilómetro 40 de uma estrada, e às 12h estava a passar no quilómetro 200. Calcula: 1.1 O valor da velocidade média com que se deslocou o automóvel entre esses dois locais, em unidades S.I.? 1.2 A distância, em unidades S.I., que o automóvel percorre em 1hora, com a mesma velocidade média. 1.3 O tempo, em unidades S.I., que o automóvel demorou a percorrer 10 km, com a mesma velocidade média. Bom Trabalho!!!

Movimento. Movimento e Repouso são conceitos relativos. PORQUÊ?

Movimento. Movimento e Repouso são conceitos relativos. PORQUÊ? Movimento Movimento e Repouso são conceitos relativos. PORQUÊ? 1 Movimento -Referencial Referencial Durante o voo as posições ocupadas pelo avião variam no decurso do tempo x x x x x x Avião está em Movimento

Leia mais

I.1.2. RAPIDEZ MÉDIA E VELOCIDADE

I.1.2. RAPIDEZ MÉDIA E VELOCIDADE Ciências Físico-químicas - 9º ano de escolaridade Quão rápido és tu? COMPETÊNCIAS Definir rapidez média, indicar a respetiva unidade SI e aplicar a definição em movimentos com trajetórias retilíneas ou

Leia mais

Aplicação dos conceitos de posição, velocidade e aceleração. Aplicação de derivadas e primitivas de

Aplicação dos conceitos de posição, velocidade e aceleração. Aplicação de derivadas e primitivas de Ano lectivo 2010-2011 Engenharia Civil Exercícios de Física Ficha 4 Movimento a uma Dimensão Capítulo 3 Conhecimentos e e capacidades a adquirir a adquirir pelo pelo aluno aluno Aplicação dos conceitos

Leia mais

Repouso e movimento UMA VIAGEM INESQUECÍVEL

Repouso e movimento UMA VIAGEM INESQUECÍVEL UMA VIAGEM INESQUECÍVEL Imagina que lês na imprensa um anúncio: Repouso e movimento Agência de Viagens Espacial Aos espíritos ávidos de aventuras oferecemos a primícia de uma maravilhosa viagem. Em duas

Leia mais

MOVIMENTO - considera-se que um objecto está em movimento quando a sua posição muda relativamente ao referencial considerado.

MOVIMENTO - considera-se que um objecto está em movimento quando a sua posição muda relativamente ao referencial considerado. SEGURANÇA RODOVIÁRIA Os condutores não devem: - Ingerir bebidas alcoólicas; - Fazer refeições pesadas; - Falar ao telemóvel; Os Condutores devem: - Respeitar as regras de trânsito; - Respeitar os limites

Leia mais

Elementos básicos de um circuito eléctrico. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo de energia.

Elementos básicos de um circuito eléctrico. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo de energia. Elementos básicos de um circuito eléctrico Fonte de Energia Fornece energia ao circuito. Fios Condutores conduzem a corrente eléctrica. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo

Leia mais

REPOUSO OU MOVIMENTO?

REPOUSO OU MOVIMENTO? REPOUSO OU MOVIMENTO? Para a pessoa na rua o automóvel está em repouso ou em movimento? Para a pessoa na rua o comboio está em repouso ou em movimento? Para a pessoa na rua o avião está em repouso ou em

Leia mais

Docente Marília Silva Soares Ano letivo 2012/2013 1

Docente Marília Silva Soares Ano letivo 2012/2013 1 Ciências Físico-químicas - 9º ano de 1.1. COMPETÊNCIAS Reconhecer que repouso e movimento são conceitos relativos; Conhecer a noção de referencial; Identificar situações de movimento e repouso em relação

Leia mais

Ciências Físico-Químicas 11º ano Ficha de trabalho nº1 Mecânica 1: Movimentos.

Ciências Físico-Químicas 11º ano Ficha de trabalho nº1 Mecânica 1: Movimentos. 1. A Ana vai de casa para a escola, que fica a 200 m de distância, caminhando sempre sobre um passeio retilíneo. Quando se encontra em frente a uma pastelaria e a 50 m da escola, apercebe-se de que se

Leia mais

Energia e fenómenos elétricos

Energia e fenómenos elétricos Energia e fenómenos elétricos 1. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II. Estabelece a correspondência correta entre as grandezas elétricas e os seus significados.

Leia mais

CORRECÇÃO. 1 pilha; 1 interruptor; 3 lâmpadas; 1 resistência

CORRECÇÃO. 1 pilha; 1 interruptor; 3 lâmpadas; 1 resistência 4 DISCIPLINA C.F.Q. 9ºANO Março 2011 CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico. Não manusear equipamentos eléctricos com as mãos molhadas,

Leia mais

SALESIANOS DO ESTORIL - ESCOLA

SALESIANOS DO ESTORIL - ESCOLA SALESIANOS DO ESTORIL - ESCOLA FÍSICA E QUÍMICA A 11º ANO 2015/2016 A.P.S.A. F1 Movimentos: caracterização e representação gráfica 1. Selecione a alternativa correta que completa a frase. Uma partícula

Leia mais

CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico.

CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico. 4 DISCIPLINA C.F.Q. 9ºANO Março 2011 CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico. Não manusear equipamentos eléctricos com as mãos molhadas,

Leia mais

REPOUSO, MOVIMENTO, TRAJETÓRIA, ESPAÇO, DESLOCAMENTO, RAPIDEZ MÉDIA.

REPOUSO, MOVIMENTO, TRAJETÓRIA, ESPAÇO, DESLOCAMENTO, RAPIDEZ MÉDIA. REPOUSO, MOVIMENTO, TRAJETÓRIA, ESPAÇO, DESLOCAMENTO, RAPIDEZ MÉDIA. 1 MOVIMENTO OU REPOUSO? Quais são os corpos que estão em repouso? Quais são os corpos que estão em movimento? Para definir repouso ou

Leia mais

Unidade: Em trânsito ESCOLA SECUNDÁRIA ANSELMO DE ANDRADE, ALMADA. 9º Ano -Turma E. Parte 1 Actividade Prática

Unidade: Em trânsito ESCOLA SECUNDÁRIA ANSELMO DE ANDRADE, ALMADA. 9º Ano -Turma E. Parte 1 Actividade Prática ESCOLA SECUNDÁRIA ANSELMO DE ANDRADE, ALMADA 9º Ano -Turma E Ano Lectivo 2009 / 10 Data: 20-22 / 10 / 09 Unidade: Em trânsito Temas: Descrição do movimento, posição, distância percorrida e deslocamento,

Leia mais

Deslocamento e espaço percorrido a partir de gráficos velocidade-tempo

Deslocamento e espaço percorrido a partir de gráficos velocidade-tempo 3.ºB: Velocidade e gráficos posição-tempo (de movimentos retilíneos) Deslocamento e espaço percorrido a partir de gráficos velocidade-tempo 1 É possível determinar o valor da velocidade, v, de um movimento

Leia mais

FQA Ficha 2 - deslocamento, espaço e rapidez média

FQA Ficha 2 - deslocamento, espaço e rapidez média ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS FQA Ficha 2 - deslocamento, espaço e rapidez média 11.º Ano Turma A e B 24 Setembro 2014 NOME Nº Turma 1. Considere o movimento de um carrinho de brinquedo que se move numa

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 2º teste sumativo de FQA 24. novembro. 2014 Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 11 páginas

Leia mais

3ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA. Física e Química A - 11ºAno

3ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA. Física e Química A - 11ºAno 3ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA Física e Química A - 11ºAno Professora Paula Melo Silva Data: 22 de novembro Ano Letivo: 2016/2017 135 min + 15 min 1. Considere o gráfico v(t) correspondente

Leia mais

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Ciências Físico Químicas 9º ano Movimentos e Forças e Circuitos Eléctricos 1.º Período 1.º Unidade 2010 / 2011 Momento de Força 1 - Para abrir uma porta, exerce-se no puxador

Leia mais

CURSINHO PRÓ-ENEM 2015 FÍSICA PROF. MARCO ANTÔNIO

CURSINHO PRÓ-ENEM 2015 FÍSICA PROF. MARCO ANTÔNIO CURSINHO PRÓ-ENEM 2015 FÍSICA PROF. MARCO ANTÔNIO INTRODUÇÃO À MECÂNICA Movimento O que é o movimento? O que é o Movimento? Um corpo está em movimento em relação a um dado referencial quando a posição

Leia mais

Abril Educação Medidas e movimentos Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Abril Educação Medidas e movimentos Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Abril Educação Medidas e movimentos Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 Diferencie uma grandeza escalar de uma grandeza vetorial. Questão 2 No estudo dos movimentos, é de grande

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Informática Disciplina Sistemas de Instrumentação Engenharia de Sistemas e 1 Ano Curso Ano 2º Semestre Informática º Lectivo Aulas TeóricoPráticas Ficha de Trabalho N.º1 2005/2006 Título Conceitos

Leia mais

Mecânica. Cinemática Dinâmica

Mecânica. Cinemática Dinâmica MOVIMENTO RETILÍNEO CAPÍTULO 2 MOVIMENTO RETILÍNEO 2.1 - INTRODUÇÃO 2.2 DESLOCAMENTO, TEMPO E VELOCIDADE MÉDIA 2.3 VELOCIDADE INSTANTÂNEA 2.4 ACELERAÇÃO INSTANTÂNEA E MÉDIA 2.5 MOVIMENTO COM ACELERAÇÃO

Leia mais

Física e Química A 11º ano B

Física e Química A 11º ano B Escola Técnica Liceal Salesiana de S. to António Estoril Física e Química A 11º ano B MINI-TESTE 1 3/10/2008 versão 1 Nome: nº Classificação Enc. Educ. Professor 1. Uma pedra de massa m = 0,10 kg é lançada

Leia mais

3ª Ficha. Corrente, resistência e circuitos de corrente contínua

3ª Ficha. Corrente, resistência e circuitos de corrente contínua 3ª Ficha Corrente, resistência e circuitos de corrente contínua 1- Um condutor eléctrico projectado para transportar corrente elevadas possui um comprimento de 14.0 m e uma secção recta circular com diâmetro

Leia mais

Versão 1. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 1. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Ciências Físico-Químicas Versão 1 Teste Intermédio Ciências Físico-Químicas Caderno 1 Versão 1 Duração do Teste: 40 min (Caderno 1) + 10 min (pausa) + 40 min (Caderno 2) 19.05.2011

Leia mais

CIRCUITO ELÉTRICO. Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA

CIRCUITO ELÉTRICO. Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA CIRCUITO ELÉTRICO Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA A corrente elétrica é um fluxo de eletrões que transportam energia elétrica. COMPONENTES DE

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL FÍSICA. F = m a MÓDULO 1 FORÇAS E MOVIMENTOS. Prof: Marília Pacheco Ano lectivo

CURSO PROFISSIONAL FÍSICA. F = m a MÓDULO 1 FORÇAS E MOVIMENTOS. Prof: Marília Pacheco Ano lectivo CURSO PROFISSIONAL FÍSICA F = m a MÓDULO 1 FORÇAS E MOVIMENTOS Prof: Marília Pacheco Ano lectivo 2013-14 ÍNDICE 1. A FÍSICA ESTUDA A INTERACÇÃO ENTRE CORPOS... 2 1.1 INTERACÇÕES FUNDAMENTAIS... 2 FORÇAS...

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA MECÂNICA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA MECÂNICA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

CINEMÁTICA. Introdução

CINEMÁTICA. Introdução CINEMÁTICA Introdução Cinemática Parte da Física que estuda o movimento sem preocupar-se com as causas que deram origem ou interferem no movimento. Ponto material ou partícula Dizemos que um corpo é uma

Leia mais

Ficha de trabalho 5 AMPLIAÇÃO

Ficha de trabalho 5 AMPLIAÇÃO Nome: N. o : Turma: Data: Ficha de trabalho 5 AMPLIAÇÃO 1. Uma pedra é lançada do ponto P com uma velocidade de 10 m s 1 numa direcção que forma um ângulo de 45º com a horizontal, atingindo o ponto Q conforme

Leia mais

1ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA. Física e Química A - 11ºAno

1ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA. Física e Química A - 11ºAno 1ª Ficha de Avaliação de Conhecimentos Turma: 11ºA Física e Química A - 11ºAno Professora Paula Melo Silva Data: 11 de outubro Ano Letivo: 2016/2017 135 min + 15 min 1. Um carro telecomandado moveu-se

Leia mais

Introdução à Cinemática

Introdução à Cinemática Introdução à Cinemática Física_1 EM Profa. Kelly Pascoalino Nesta aula: Conceitos fundamentais da cinemática; Deslocamento escalar; Velocidade média; Aceleração média. Conceitos fundamentais da cinemática

Leia mais

PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES RODOVIÁRIOS. Falha humana Mau estado da via e sinalização deficiente Mau estado da viatura Más condições atmosféricas

PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES RODOVIÁRIOS. Falha humana Mau estado da via e sinalização deficiente Mau estado da viatura Más condições atmosféricas PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES RODOVIÁRIOS Falha humana Mau estado da via e sinalização deficiente Mau estado da viatura Más condições atmosféricas PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES DEVIDO A FALHA HUMANA

Leia mais

Cinemática REVISÃO ENEM 1. SISTEMAS DE REFERÊNCIA

Cinemática REVISÃO ENEM 1. SISTEMAS DE REFERÊNCIA REVISÃO ENEM Cinemática CINEMÁTICA é a parte da Mecânica que descreve os movimentos, sem levar em consideração as causas do mesmo. Os conceitos de espaço, movimento, repouso e trajetória são relativos,

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho. 6º Teste de Avaliação de Física. GRUPO I (Versão 1)

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho. 6º Teste de Avaliação de Física. GRUPO I (Versão 1) Escola Secundária com º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho 8- Figueira da Fo Telefone: Fa: 9 E-mail: esjcff@mail.telepac.pt 6º Teste de Avaliação de Física º ano, turma A de Junho de 6 GRUPO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

LISTA UERJ. Bolas Massa (g) Velocidade inicial (m/s) X 5 20 Y 5 10 Z (Uerj 2012) As relações entre os respectivos tempos de queda t x

LISTA UERJ. Bolas Massa (g) Velocidade inicial (m/s) X 5 20 Y 5 10 Z (Uerj 2012) As relações entre os respectivos tempos de queda t x LISTA UERJ TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES: Três bolas X, Y e Z são lançadas da borda de uma mesa, com velocidades iniciais paralelas ao solo e mesma direção e sentido. A tabela abaixo mostra as magnitudes

Leia mais

Circuitos eléctricos

Circuitos eléctricos Circuitos eléctricos O que é? n Designa-se de circuito eléctrico o caminho por onde a corrente eléctrica passa. n A corrente eléctrica é um movimento orientado de cargas, que se estabelece num circuito

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Dinis. Ficha de Apoio nº3

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Dinis. Ficha de Apoio nº3 Escola Secundária com 3º Ciclo D. Dinis Ano Lectivo 2008 /2009 Matemática B Ano 10º Turma D 1.Indique, justificando, se são funções as correspondências seguintes. Em caso afirmativo, indique o domínio,

Leia mais

Nome: Nº: Classificação: O EE: Leia, atentamente, cada uma das questões e apresente todos os cálculos que efectuar.

Nome: Nº: Classificação: O EE: Leia, atentamente, cada uma das questões e apresente todos os cálculos que efectuar. ESCOLA SECUNDÁRIA C/º CEB DE RIO TINTO Novembro 21 2ª FICHA DE AVALIAÇÃO Ciências Físico-Químicas - 9º Ano - Turma B PROFESSOR: Miguel Viveiros Núcleo de Estágio: Filipa Vilaça e Mariana Silva Nome: Nº:

Leia mais

Introdução à Cinemática

Introdução à Cinemática Mecânica: Cinemática Introdução à Cinemática Conceitos Iniciais Prof. Murillo Nascente I- CONCEITOS BÁSICOS DE CINEMÁTICA 1. Cinemática: É a parte da mecânica que estuda os movimentos dos corpos ou partículas

Leia mais

Disciplina: Física Ano: 2º Ensino Médio Professora: Daniele Santos Lista de Exercícios 04 Cinemática Vetorial e Composição de Movimentos

Disciplina: Física Ano: 2º Ensino Médio Professora: Daniele Santos Lista de Exercícios 04 Cinemática Vetorial e Composição de Movimentos INSTITUTO GAY-LUSSAC Disciplina: Física Ano: 2º Ensino Médio Professora: Daniele Santos Lista de Exercícios 04 Cinemática Vetorial e Composição de Movimentos Questão 1. Um automóvel percorre 6,0km para

Leia mais

CURSO PRF 2017 FÍSICA. diferencialensino.com.br FÍSICA NIVELAMENTO 01 1

CURSO PRF 2017 FÍSICA. diferencialensino.com.br FÍSICA NIVELAMENTO 01 1 FÍSICA NIVELAMENTO 01 1 PROFESSOR AULA 001 MATEMÁTICA VICTOR ROCHA (VITINHO) 2 EXERCÍCIOS DE NIVELAMENTO 01) Um automóvel aproxima-se de um paredão, como ilustra a figura. É incorreto afirmar-se que a)

Leia mais

Atividade de Recuperação de Física Setor A

Atividade de Recuperação de Física Setor A Atividade de Recuperação de Física Setor A Professor da Disciplina: Macaubal Data: / /16 1º TRIMESTRE Aluno(a): Nº: Nota: 1 ano Ensino Médio Período: Matutino Instruções gerais: Antes de responder as atividades,

Leia mais

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 9.º Ano - Ano Lectivo 09/10

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 9.º Ano - Ano Lectivo 09/10 Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Avaliação Sumativa - Ciências Físico - Químicas 9.º Ano - Ano Lectivo 09/10 Duração da Actividade: 45 minutos Data: 4 / 12 / 09 Utiliza a folha de respostas para

Leia mais

Professor Rafael Colucci Facebook: Rafael Colucci ou Aprenda com o Colucci (FANPAGE)

Professor Rafael Colucci Facebook: Rafael Colucci ou Aprenda com o Colucci (FANPAGE) Me chamo Rafael Colucci, sou licenciado em física pela Universidade Federal de Itajubá e atuo no ensino de física e matemática nos níveis médio e superior Trabalho com criação de conteúdos digitais e possuo

Leia mais

Conteúdo: Cinemática Resumo para a Prova. Turma: 9º ano

Conteúdo: Cinemática Resumo para a Prova. Turma: 9º ano Conteúdo: Cinemática Resumo para a Prova. Turma: 9º ano A cinemática é a parte da Mecânica que descreve o movimento, determinando a posição, a velocidade e a aceleração de um corpo em cada instante. Os

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

MRU Movimento Retilíneo Uniforme

MRU Movimento Retilíneo Uniforme MRU Movimento Retilíneo Uniforme Podemos dizer que qualquer corpo da natureza descreve um movimento retilíneo e uniforme quando este móvel anda em linha reta e percorre distâncias iguais em tempos iguais.

Leia mais

Conceitos Essenciais da Cinemática 1

Conceitos Essenciais da Cinemática 1 Conceitos Essenciais da Cinemática 1 Física_9 EF Profa. Kelly Pascoalino Mecânica Cinemática: Estudo das características do movimento de um corpo sem se preocupar com o (s) agente (s) que o causou. Dinâmica:

Leia mais

FÍSICA 1ºTA REPOSICAÇÃO 2015 CINEMÁTICA ESCALAR DEFINIÇÕES E CONCEITOS

FÍSICA 1ºTA REPOSICAÇÃO 2015 CINEMÁTICA ESCALAR DEFINIÇÕES E CONCEITOS FÍSICA ºTA REPOSICAÇÃO 205 CINEMÁTICA ESCALAR DEFINIÇÕES E CONCEITOS O QUE É A CINEMÁTICA A Cinemática estuda o movimento dos corpos, independentemente das causas desse movimento. Seu objetivo é descrever

Leia mais

MÓDULO 3 aula 21 (velocidade escalar média)

MÓDULO 3 aula 21 (velocidade escalar média) MÓDULO 3 aula 21 (velocidade escalar média) ACELERAÇÃO ESCALAR MÉDIA Nos movimentos em que a velocidade escalar é variável, pode-se definir a taxa de variação dessa velocidade como a razão entre a variação

Leia mais

5º Teste de Física e Química A 10.º A Abr minutos /

5º Teste de Física e Química A 10.º A Abr minutos / 5º Teste de Física e Química A 10.º A Abr. 2013 90 minutos / Nome: n.º Classificação Professor E.E. GRUPO I As seis questões deste grupo são todas de escolha múltipla. Para cada uma delas são indicadas

Leia mais

INTRODUÇÃO À. Capítulo 2 CINEMÁTICA

INTRODUÇÃO À. Capítulo 2 CINEMÁTICA INTRODUÇÃO À Capítulo 2 Introdução CINEMÁTICA à Cinemática Conceitos iniciais Uma pessoa está viajando sentada num ônibus que se aproxima de um ponto de parada. A pessoa está em movimento ou em repouso?

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

Lista de Exercícios de Física. Cinemática - Velocidade Escalar Média e Velocidade Relativa

Lista de Exercícios de Física. Cinemática - Velocidade Escalar Média e Velocidade Relativa Cinemática - Velocidade Escalar Média e Velocidade Relativa 1. (UFRJ) Heloísa, sentada na poltrona de um ônibus, afirma que o outro passageiro sentado á sua frente não se move, ou seja, está em repouso.

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Física Geral e experimental I Engenharia Civil e Produção

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Física Geral e experimental I Engenharia Civil e Produção Notas de aula: Cinemática escalar: Conceitos Iniciais Para descrição de movimento sempre há necessidade de um ponto base, ou seja, um ponto de referencia, o qual dá se o nome de referencial. Fisicamente

Leia mais

MRUV Movimento Retilíneo Uniformemente Variado

MRUV Movimento Retilíneo Uniformemente Variado MRUV Movimento Retilíneo Uniformemente Variado MRUV é o movimento de qualquer móvel com as seguintes características: Aceleração constante e diferente de zero. O módulo da velocidade varia de modo uniforme

Leia mais

Ficha de Trabalho (C) (D) (A) (B) (A) (B) (C) (D) (A) (B) (C) (D) Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos

Ficha de Trabalho (C) (D) (A) (B) (A) (B) (C) (D) (A) (B) (C) (D) Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos icha de Trabalho Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos DISCIPLINA: ísica e Química Módulo: 1 2016/2017 11 ºAno de escolaridade Nome: N.º 1- Uma aluna do 7. ano

Leia mais

Fís. fevereiro. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão)

Fís. fevereiro. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) 06 10 fevereiro Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA

Leia mais

Cinemática Profº Jaison Mattei

Cinemática Profº Jaison Mattei Cinemática Profº Jaison Mattei Quais são as coisas e fenômenos relacionados ao movimento? Na Mecânica, estudaremos os movimentos dos corpos e, para melhor compreensão, dividiremos a mecânica em três partes:

Leia mais

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA Prof. Patricia Caldana 1. Uma corrente elétrica de intensidade igual a 5 A percorre um fio condutor. Determine o valor da carga que passa através de uma secção transversal em

Leia mais

Movimentos na Terra e no Espaço Dulce Campos 2

Movimentos na Terra e no Espaço Dulce Campos 2 Unidade 1 Síntese Movimentos na Terra e no Espaço 23-11-2011 Dulce Campos 2 Sobre a função x(t) podemos resumir: X(t) é crescente A partícula move-se no sentido positivo da trajetória X(t) é decrescente

Leia mais

MOVIMENTO UNIFORME E VELOCIDADE MÉDIA APOSTILA 3 CAPÍTULO 12 E 13 DE FÍSICA

MOVIMENTO UNIFORME E VELOCIDADE MÉDIA APOSTILA 3 CAPÍTULO 12 E 13 DE FÍSICA MOVIMENTO UNIFORME E VELOCIDADE MÉDIA APOSTILA 3 CAPÍTULO 12 E 13 DE FÍSICA Movimento O que é o movimento? É a variação de posição espacial de um objeto ou ponto material em relação a um referencial no

Leia mais

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA:

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: Física II PROFESSOR(A): Eduardo R Emmerick Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: NOME: Nº.: 01) Vamos supor que temos uma partícula carregada com carga q = 4 μc

Leia mais

Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química

Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química ANDRÉ SOARES (150952) Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química 1º 2º 3º Períodos Período Período Período Número de aulas previstas (50minutos) 39 33 23 Apresentação 1 Avaliação (preparação,

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

Teste Sumativo Parte B - de Ciências Físico - Químicas 9º Ano Ano Lectivo 08/09

Teste Sumativo Parte B - de Ciências Físico - Químicas 9º Ano Ano Lectivo 08/09 Escola Secundária Anselmo de Andrade Teste Sumativo Parte B - de Ciências Físico - Químicas 9º Ano Ano Lectivo 08/09 1ºTeste Sumativo (Parte B) 2ºPeríodo Duração do Teste (Parte B): 90 minutos Data: 17

Leia mais

Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química

Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Calendarização da Componente Letiva 9º Ano Físico Química 1º 2º 3º Períodos Período Período Período Número de aulas previstas (45 minutos) 39 36 21 Apresentação

Leia mais

Colégio Marista de Carcavelos 2010/2011

Colégio Marista de Carcavelos 2010/2011 Colégio Marista de Carcavelos 2010/2011 Ciências Físico-Químicas 9ºAno Prof: FICHA DE TRABALHO NOME: Nº ANO: TURMA: DATA: 1. Classifica como verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmações seguintes, corrigindo

Leia mais

Curso de Engenharia Civil. Física Geral e Experimental I Movimento Prof.a: Msd. Érica Muniz 1 Período

Curso de Engenharia Civil. Física Geral e Experimental I Movimento Prof.a: Msd. Érica Muniz 1 Período Curso de Engenharia Civil Física Geral e Experimental I Movimento Prof.a: Msd. Érica Muniz 1 Período Posição e Coordenada de Referência Posição é o lugar no espaço onde se situa o corpo. Imagine três pontos

Leia mais

[Pot] = = = M L 2 T 3

[Pot] = = = M L 2 T 3 1 e No Sistema Internacional, a unidade de potência é watt (W). Usando apenas unidades das grandezas fundamentais, o watt equivale a a) kg m/s b) kg m 2 /s c) kg m/s 2 d) kg m 2 /s 2 e) kg m 2 /s 3 A equação

Leia mais

Escola Secundária Jacome Ratton Ficha Formativa Matemática 9º Ano Preparação para o teste Intermédio de 17/05/2011

Escola Secundária Jacome Ratton Ficha Formativa Matemática 9º Ano Preparação para o teste Intermédio de 17/05/2011 Escola Secundária Jacome Ratton Ficha Formativa Matemática 9º Ano Preparação para o teste Intermédio de 17/05/2011 1. A Figura ilustra um painel que a Rita vai pintar, para afixar na sala de aula. O painel

Leia mais

RETRÓGRADO OU REGRESSIVO: É quando o móvel aumenta suas posições no passar do tempo, ou seja, movimenta-se no mesmo sentido do referencial.

RETRÓGRADO OU REGRESSIVO: É quando o móvel aumenta suas posições no passar do tempo, ou seja, movimenta-se no mesmo sentido do referencial. MRU Movimento Retilíneo Uniforme MRU é o movimento de qualquer móvel com as seguintes características: O móvel percorre distâncias iguais em intervalos de tempo iguais Velocidade constante. Como não varia

Leia mais

UNIDADES DE MEDIDA. 1 litro = 1 dm 3 GRANDEZAS:

UNIDADES DE MEDIDA. 1 litro = 1 dm 3 GRANDEZAS: UNIDADES DE MEDIDA GRANDEZAS: COMPRIMENTO - No sistema métrico decimal, a unidade fundamental para medir comprimentos é o metro, cuja abreviação é m. Existem os múltiplos e os submúltiplos do metro, veja

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuito Elétrico Está associado à: Presença de corrente elétrica: agente que transfere energia da fonte (pilha) para o aparelho (lâmpada). O que é necessário para se

Leia mais

9º Ano/Turma: Data / /2016

9º Ano/Turma: Data / /2016 Estudante: Educadora: Daiana Araújo 9º Ano/Turma: Data / /2016 C.Curricular: Ciências / Física 1) Em uma situação corriqueira do dia a dia, um observador parado no acostamento vê dois automóveis que percorrem

Leia mais

9 ANO Ensino Fundamental

9 ANO Ensino Fundamental E n s in o F o r t e e d e R e s u l t a do s Estudante: Centro Educacio nal Juscelino K ub itschek G u a r á / Valp ar aíso Exercícios Recuperação Semestral F Í S I C A 9 ANO Ensino Fundamental Data:

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOÃO GUALBERTO

COLÉGIO SÃO JOÃO GUALBERTO RESOLUÇÃO COMENTADA Prof.: Pedro Bittencourt Série: 1ª Turma: A Disciplina: Física Nota: Atividade: Avaliação mensal 1º bimestre Valor da Atividade: 10 Instruções Esta avaliação é individual e sem consulta.

Leia mais

Lista de exercícios MUV. Aceleração média e equação horária de velocidade

Lista de exercícios MUV. Aceleração média e equação horária de velocidade Lista de exercícios MUV Aceleração média e equação horária de velocidade 01) (Unirio) Caçador nato, o guepardo é uma espécie de mamífero que reforça a tese de que os animais predadores estão entre os bichos

Leia mais

Sugestão de resolução do Teste Intermédio de Janeiro de 2008

Sugestão de resolução do Teste Intermédio de Janeiro de 2008 Sugestão de resolução do Teste Intermédio de Janeiro de 008 1. Leia atentamente o seguinte texto. O receptor GPS utilizado nos carros é uma parte do chamado sistema GPS (Global Positioning System), que

Leia mais

No instante em que ele passa por Oliveira, dizemos que a sua posição é o km 175 da estrada. Ele percorreu uma distância de 175 km:

No instante em que ele passa por Oliveira, dizemos que a sua posição é o km 175 da estrada. Ele percorreu uma distância de 175 km: Definições: Cinemática: Parte da mecânica que estuda o movimento sem se preocupar com suas causas. Ponto de referência (referencial, observador): Todas as medidas e observações feitas de um determinado

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto) Cursos Gerais e Cursos Tecnológicos PROVA 115/12 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2006 1.ª FASE

Leia mais

Unidade 5: Força e movimento

Unidade 5: Força e movimento Unidade 5: Força e movimento Desde a antiguidade até os dias atuais que nós, seres humanos, estudamos e aprendemos sobre a produção do movimento e como dominá-lo. E essa constante evolução tecnológica

Leia mais

COLÉGIO APHONSIANO. Educando com Seriedade. Lista de MU e MUV 9º ano Profº: Luciano Dias

COLÉGIO APHONSIANO. Educando com Seriedade. Lista de MU e MUV 9º ano Profº: Luciano Dias 1 Conteúdos: - Velocidade Média - Função horária da Posição do MU - Função horária da Posição do MUV - Função horária da Velocidade do MUV - Equação de Torricelli COLÉGIO APHONSIANO Educando com Seriedade

Leia mais

Eletrodinânica - Exercícios

Eletrodinânica - Exercícios Eletrodinânica - Exercícios Professor Walescko 13 de outubro de 2005 Sumário 1 Exercícios 1 2 Vestibulares UFRGS 7 3. O gráfico representa a corrente elétrica i em função da diferença de potencial V aplicada

Leia mais

Exercícios cinemática Conceitos básicos e Velocidade média

Exercícios cinemática Conceitos básicos e Velocidade média Física II Professor Alexandre De Maria Exercícios cinemática Conceitos básicos e Velocidade média COMPETÊNCIA 1 Compreender as Ciências Naturais e as tecnologias a elas associadas como construções humanas,

Leia mais

Recuperação de Física - Giovanni

Recuperação de Física - Giovanni Nome: nº Ano: LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA Recuperação de Física - Giovanni 1 - Qual a diferença entre o movimento uniforme (MU) e o movimento uniformemente variado (MUV)? 2 - A equação que representa

Leia mais

FÍSICA. Prof. Emerson. Módulo 3

FÍSICA. Prof. Emerson. Módulo 3 FÍSICA Prof. Emerson Módulo 3 GRANDEZA FÍSICA A tudo aquilo que pode ser medido, associando-se um valor numérico a uma unidade de medida, dá-se o nome de GRANDEZA FÍSICA. TIPOS DE GRANDEZAS GRANDEZA ESCALAR

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A TEMA 2 Funções e Gráficos Generalidades. Funções polinomiais. Função módulo.

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A TEMA 2 Funções e Gráficos Generalidades. Funções polinomiais. Função módulo. Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A TEMA Funções e Gráficos Generalidades. Funções polinomiais. Função módulo. TPC nº1 plano de trabalho nº Resolver os exercícios 5 a 30 das

Leia mais

ANO LECTIVO DE 2008/2009 Teste de Física e Química A Dezembro 2008

ANO LECTIVO DE 2008/2009 Teste de Física e Química A Dezembro 2008 ESCOLA SECUNDÁRIA STUART CARVALHAIS ANO LECTIVO DE 008/009 Teste de Física e Química A Dezembro 008 11º ano A final da Taça de Portugal de futebol é um evento desportivo que se realiza do estádio do Jamor

Leia mais

Apresenta todos os cálculos que efectuares. No final do enunciado, encontrarás um anexo com alguma informação relevante à sua realização.

Apresenta todos os cálculos que efectuares. No final do enunciado, encontrarás um anexo com alguma informação relevante à sua realização. Escola Secundária Filipa de Vilhena 2010/2011 Curso: Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Física e Química TESTE DE AVALIAÇÃO Módulo F4 Circuitos Eléctricos 11ºAno Turma I 21 de Janeiro de 2011

Leia mais

Curso Vocacional RAI (Restauro, Administração e Informática) Planificação Anual da Disciplina de Ciências Físico-Químicas 9º Ano Ano letivo

Curso Vocacional RAI (Restauro, Administração e Informática) Planificação Anual da Disciplina de Ciências Físico-Químicas 9º Ano Ano letivo Curso Vocacional RAI (Restauro, Administração e Informática) Planificação Anual da Disciplina de Ciências Físico-Químicas 9º Ano Ano letivo 2015-2016 Elenco Modular Número Designação Duração de referência

Leia mais

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V)

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V) Acesse. www.professorarnon.com Eletricidade Básica. Associação de Resistências em Série Vários resistores estão associados em série quando são ligados um em seguida do outro, de modo a serem percorridos

Leia mais

Introdução à Cinemática

Introdução à Cinemática Introdução à Cinemática Física_1 EM Profa. Kelly Pascoalino Mecânica Cinemática: Estudo das características do movimento de um corpo sem se preocupar com o (s) agente (s) que o causou. Dinâmica: Estudo

Leia mais

CAPÍTULO 2 - MECÂNICA. MOVIMENTOS A parte da Física que estuda os movimentos é a Mecânica. Ela está dividida em três partes:

CAPÍTULO 2 - MECÂNICA. MOVIMENTOS A parte da Física que estuda os movimentos é a Mecânica. Ela está dividida em três partes: Física CAPÍTULO 2 - MECÂNICA MOVIMENTOS A parte da Física que estuda os movimentos é a Mecânica. Ela está dividida em três partes: Cinemática: estuda os movimentos, sem levar em conta as causas que os

Leia mais