A P R E S E N T A Ç Ã O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A P R E S E N T A Ç Ã O"

Transcrição

1 A P R E S E N T A Ç Ã O 1 Não é segredo algum o sentimento de insatisfação geral que o modelo processual adotado em nosso país provoca no seio social; todavia, refoge ao objetivo desta cartilha apontar, de maneira individuada, cada um dos problemas, das mazelas, das dificuldades encontradas na realização da prestação jurisdicional. Também não se quer expurgar culpas ou apontar responsáveis, porque isso é recurso daqueles que não querem caminhar, que não desejam seguir em frente na tarefa de progredir. O escopo desse trabalho é olhar para o futuro e nele identificar a solução, ou ao menos o caminho, para reduzir a distância entre o anseio do jurisdicionado e as possibilidades da jurisdição. Há tempos, convenci-me de que só há progresso se houver propósito de mudar, de quebrar paradigmas, sendo de pouca valia a modernização das leis se o olhar do aplicador da norma permanece voltado para o passado. A radical revolução provocada pelo fenômeno mundial da internet não pode ser ignorada pelo Poder Judiciário; ao contrário, deve ele se valer dessa poderosa ferramenta para otimizar seus atos, acelerar a entrega da prestação jurisdicional, atender ao desejo cada vez mais clemente pela realização da Justiça no menor tempo possível. Essa visão já contagiou as Cortes e o legislador, que já permitem o processo virtual; a intimação por diário eletrônico; o próprio peticionamento por , e, claro, a realização da penhora por sistema eletrônico. É imperativo que se avance em termos da celeridade, economia e praticidade da informática no âmbito das ações de execução, tornando comum a utilização da penhora on line, regida pelo convênio de cooperação celebrado entre o Banco Central do Brasil e o Superior Tribunal de Justiça, e conhecido nacionalmente como Bacen Jud. Trata-se de sistema informático desenvolvido pelo Banco Central que permite aos juízes solicitar informações sobre movimentação dos clientes das instituições financeiras e determinar o bloqueio de contas-correntes ou qualquer conta de investimento, utilizando tão-somente a internet, racionalizando os serviços e conferindo mais agilidade no cumprimento de ordens judiciais no âmbito do Sistema Financeiro Nacional.

2 O Bacen Jud é poderosa ferramenta colocada à disposição do Poder Judiciário na realização do processo de execução, principalmente na sua etapa mais aguda, que é a constrição de bens do devedor. Por ele coloca-se à disposição do Juiz um mecanismo rápido e eficaz de comunicação de ordens judiciais às entidades integrantes do Sistema Financeiro Nacional. O que pretende este manual é auxiliar o magistrado nas dúvidas mais corriqueiras quando da utilização do Sistema Bacen Jud, procurando demonstrar, de forma mais simples, os procedimentos necessários para o manuseio da ferramenta. Essa é a meta que pretende seguir a Corregedoria-Geral da Justiça na gestão que se inicia, contribuindo para o aprimoramento do Poder Judiciário, e dando dimensão concreta às palavras da Presidência da Corte em seu discurso de posse, parafraseando Joaquim Nabuco para deixar a mensagem de que a hora de mudar é agora. 2

3 SISTEMA BACEN JUD INFORMAÇÃO A criação de um novo BACEN JUD (2.0) em substituição ao 1.0, decorreu da necessidade de implementar novas funcionalidades ao sistema, de forma que o Banco Central pudesse atender, com maior presteza e tempestividade, as solicitações oriundas do Poder Judiciário, na busca de bens que servirão à garantia da execução. Pelo sistema o juiz emitirá ordens judiciais de bloqueio, desbloqueio, solicitará informações bancárias, saldos, extratos e endereços de pessoas físicas e jurídicas clientes do Sistema Financeiro Nacional, como também poderá comunicar e extinguir falência. O novo sistema apresenta as seguintes melhorias: a) Inclusão das respostas das instituições financeiras, de forma automatizada, para consultas do Poder Judiciário; b) Transferência de valores bloqueados para contas judiciais; c) Redução do prazo de processamento das ordens judiciais, possibilitando maior agilidade no desbloqueio; d) Controle de respostas das instituições financeiras pelo Juízo solicitante; e) Padronização no processamento das ordens judiciais pelas instituições financeiras; f) Minimização do trâmite de papéis (ofícios judiciais); g) Segurança no processamento das ordens judiciais; h) Cadastro atualizado das Varas/Juízos; e i) Inserção da suspensão e reativação da falência. O sistema BACEN JUD 2.0 é de uso exclusivo do Poder Judiciário e para a sua utilização os usuários (juízes e servidores) deverão se cadastrar e depois

4 poderão acessar o sistema, via internet, mediante senha individual e intransferível, e emitir as ordens judiciais. O cadastro será realizado perante o Master do TJ/MT, devendo ser feito por intermédio de ofício eletrônico enviado à Corregedoria-Geral contendo: (Nome, endereço, CEP, CPF, Telefones, s da comarca e do magistrado). Com relação ao trânsito das informações entre a Justiça, o Banco Central e as instituições financeiras, será garantida a máxima segurança, em face da tecnologia de criptografia de dados, de acordo com os padrões de segurança, principalmente porque o sistema não permite interferência manual. 4 GERENTE SETORIAL DE SEGURANÇA (MASTER) Quando do credenciamento do Tribunal junto ao Departamento de Tecnologia da Informação do Banco Central (DEINF) é instituída a figura do Gerente Setorial de Segurança da Informação (Master), responsável pelos acessos realizados em nome do Tribunal. Cabe ao Master credenciar, descredenciar, alterar, autorizar transação/serviço, desautorizar, estender autorização de transação aos usuários (magistrados e servidores/assessores) para acesso ao sistema BACEN JUD 2.0. SENHA DE ACESSO A senha atribuída durante o credenciamento ou pelo Master deve ser trocada imediatamente pelo usuário, antes do seu primeiro acesso. A senha deve obedecer às seguintes regras de formação: mínimo de 6 caracteres, máximo de 8; caractere inicial obrigatoriamente alfabético; não admite caracteres especiais (tais como etc.); a senha tem validade de 30 dias, devendo o magistrado, obrigatoriamente, renová-la antes do término de sua validade.

5 Existe um limite máximo de tentativas frustradas ao efetuar o login por fornecimento de senha incorreta. Esgotado o número de tentativas, o sistema bloqueia o acesso do operador ao Bacen Jud 2.0 e ao Sisbacen. O desbloqueio deve ser feito pelo Master do Tribunal, com o fornecimento de nova senha ao operador. O operador deve dar especial atenção ao uso de caracteres minúsculos e maiúsculos no processo de troca de senhas e/ou login no Bacen Jud 2.0, pois o Bacen Jud 2.0 diferencia caracteres minúsculos e maiúsculos. Tentativas frustradas de efetuar o login devido à utilização de caracteres minúsculos e maiúsculos podem implicar bloqueio do acesso do operador. 5

6 6 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DÚVIDAS. 1. Como é feito o procedimento de cadastramento e renovação de senhas? As senhas são criadas pelos usuários (magistrados e servidores) por meio de solicitação eletrônica ao Master do TJ/MT e devem ser renovadas a cada 30 dias (improrrogáveis), pois o sistema do Banco Central não permite a utilização de senha por período superior, não sendo possível ao operador do sistema alterar esta condição. 2. Quem pode renovar a senha? É possível repetir o código anterior? A senha é renovada pelo próprio usuário, diretamente no site do Banco Central, respeitado o limite temporal de 30 dias (ex: senhas cadastradas dia 1 tem até o dia 30 do mesmo mês para serem renovadas). Não é permitida a repetição da mesma senha anteriormente cadastrada, somente sendo possível a reiteração após a 10ª renovação. 3. Que hipóteses a senha expira? Expirando a senha como deve ser o procedimento de revalidação? A senha cadastrada expira se: a) não for acessado o sistema num período de 30 dias; b) não for renovada pelo usuário, nesse mesmo período. Expirando a senha, será necessário que o usuário envie ofício ao Corregedor, solicitando novo cadastramento, conforme artigo 3º, 1º do Provimento n. 04/2007-CGJ. Deve ser ressaltado que a renovação de senha pode ser feita em qualquer computador, não se suspendendo a necessidade de alteração nem nos períodos de férias e afastamentos dos magistrados. 4. Como serão cumpridas as ordens de bloqueio de valor? As ordens judiciais de bloqueio de valor têm como objetivo tornar indisponível ao devedor qualquer ativo financeiro até o limite das importâncias especificadas. Essas ordens judiciais atingirão o saldo credor inicial, livre e disponível, apurado no dia útil seguinte ao que o arquivo for disponibilizado às Instituições Financeiras, sem considerar, nos depósitos à vista, quaisquer limites de crédito (cheque especial, crédito rotativo, conta garantida, etc). 5. Como serão cumpridas as ordens de bloqueio total? As ordens judiciais de bloqueio total visam atender as decretações de indisponibilidade total de bens e/ou casos análogos, e vedam débitos em todas as contas e aplicações financeiras dos réus/executados. Atingirão além do saldo inicial, livre e disponível, apurado no dia útil seguinte

7 ao que o arquivo for disponibilizado às Instituições Financeiras, também os valores creditados posteriormente, até o limite especificado, sem considerar, nos depósitos à vista, quaisquer limites de crédito (cheque especial, crédito rotativo, conta garantida, etc). 6. Havendo mais de uma conta, o bloqueio do valor solicitado será feito em apenas uma delas ou em todas? Se a ordem judicial não indicar qual a conta deverá sofrer a constrição, o sistema realiza o bloqueio em todas as contas encontradas, cabendo ao magistrado, determinar o desbloqueio dos valores excedentes, de acordo com o 2º do artigo 1º do Provimento n. 004/2007. Sugere-se que durante o processamento da ordem judicial de bloqueio, os processos sejam identificados com tarja vermelha, apontando a sua urgência e preferência na análise de eventuais desbloqueios. 7. É possível realizar a constrição em apenas uma conta de ativos financeiros? O sistema Bacen Jud fornece três opções ao usuário: 1) se o Juiz informar apenas o banco, todas as contas de titularidade do réu/executado mantidas na instituição serão bloqueadas; 2) sendo informados apenas banco/agência, todas as contas do réu/executado mantidas no banco/agência informados serão bloqueadas; 3) sendo informados banco/agência/conta, a instituição financeira cumprirá a ordem de bloqueio de conta específica, com base apenas no saldo dessa conta, sem considerar demais contas e aplicações financeiras do réu/executado. Nesse último caso, ou o devedor deverá apontar, especificadamente, a conta sobre a qual requer seja realizada a constrição eletrônica (art.1º, 3º do Provimento), ou o próprio magistrado poderá indicá-la, quando o devedor tiver solicitado à Corregedoria-Geral da Justiça, nos termos do art. 6º do Provimento n. 004/2007, o cadastramento de conta de ativos financeiros sobre a qual deverá, preferencialmente, recair a penhora. 8. Como o magistrado terá acesso à relação de contas cadastradas junto à Corregedoria-Geral da Justiça, como definido no artigo 6º e parágrafos do Provimento n. 004/2007/CGJ? Todas as contas de ativos financeiros que tiverem recebido pedido de cadastramento na CGJ/MT, bem como aquelas que tiverem sido excluídas do cadastro, serão disponibilizadas no site do TJ/MT, na página da Corregedoria, de acesso exclusivo aos magistrados cadastrados no sistema Bacen Jud. 9. Como é processada a ordem judicial de bloqueio? As ordens judiciais protocolizadas no sistema até às 18h00min dos dias úteis bancários serão consolidadas pelo sistema BACEN JUD 2.0, transformadas em 7

8 arquivos de remessa e disponibilizadas simultaneamente para todas as instituições financeiras até às 22h00min do mesmo dia. As ordens judiciais protocolizadas após às 18h00min ou em dias não-úteis bancários serão tratadas e disponibilizadas às instituições financeiras no arquivo de remessa do dia útil bancário imediatamente posterior. Em caso de o BACEN não disponibilizar o arquivo de remessa às instituições financeiras até as 22h00 min, a ordem será processada no primeiro dia útil subseqüente, com comunicação ao Juízo. 10. Qual o prazo de resposta pelas instituições financeiras? As instituições financeiras cumprirão as ordens judiciais disponibilizadas no arquivo de remessa, gerarão o arquivo de retorno com a data/hora do cumprimento da ordem e o enviarão ao sistema BACEN JUD 2.0 até às 22h59min do dia útil bancário seguinte ao do seu recebimento, ainda que em dia de feriado local, exceto quando a instituição financeira tiver representação apenas em uma cidade e o feriado ocorrer nesse Município. 11. Quando a resposta será disponibilizada ao usuário (magistrado)? Os arquivos de resposta enviados pelas instituições financeiras serão submetidos a processo de validação (sintática e semântica) no sistema BACEN JUD 2.0, que consolidará as informações e as disponibilizará ao juízo expedidor da ordem judicial até às 07h00min do dia útil bancário seguinte ao do recebimento desses arquivos. *Assim, emitida ordem judicial de bloqueio, até as 18h00 de um dia, a resposta sobre quantas e quais contas foram constritas chegará às 07h00 do segundo dia útil posterior (horário local). 12. O sistema Bacen Jud permite solicitação de extratos e outras informações diferentes do bloqueio? O sistema BACEN JUD 2.0 permitirá ao Poder Judiciário solicitar as seguintes informações: saldo consolidado, extrato de contas (corrente, poupança e investimento), de aplicações financeiras e de outros ativos (bloqueáveis e não bloqueáveis pelo sistema) e endereços das pessoas físicas/jurídicas a serem pesquisadas. A resposta a essas solicitações tem caráter meramente informativo. As solicitações de extrato, limitadas ao período dos últimos cinco anos, serão respondidas por oficio (em papel), em até 30 dias. As demais solicitações serão respondidas via sistema, no mesmo prazo previsto para as ordens de bloqueio. 13. O que acontece quando um bloqueio é efetuado via Bacen Jud 2.0 e a instituição financeira recebe a ordem de desbloqueio via papel? Como responder ao Bacen Jud 2.0? As ordens judiciais enviadas fora do sistema (em papel), diretamente às 8

9 9 Instituições Financeiras, não serão respondidas por meio do Bacen Jud O que ocorre caso uma instituição financeira receba o arquivo de remessa do Bacen Jud 2.0, cumpra as ordens judiciais, mas não consiga enviar o arquivo de resposta? A instituição financeira sempre deverá cumprir as ordens judiciais e só deverá desfazê-las em caso de outra ordem judicial. Enquanto o juízo não determinar o desbloqueio ou a transferência, os valores permanecerão bloqueados nas contas ou aplicações financeiras atingidas. Se a instituição financeira não conseguir, por algum motivo, enviar o arquivo de respostas ao Bacen Jud 2.0, esse fato será caracterizado como não resposta. O sistema permitirá ao Poder Judiciário a reiteração ou cancelamento (cancelamento somente para ordens judiciais de bloqueio) das ordens judiciais inadimplidas (ausência de respostas) pelas Instituições Financeiras, sem prejuízo da adoção de outras medidas cabíveis. 15. Qual será a prioridade de cumprimento das ordens judiciais? E no caso de serem enviadas, em um mesmo arquivo de remessa, mais de uma ordem de bloqueio para um mesmo réu? As Instituições Financeiras cumprirão as ordens judiciais com observância da data e horário de protocolamento no sistema Bacen Jud Quais ordens subseqüentes podem ser cadastradas pelos Juizes nos casos de bloqueio de valor e bloqueio total de débitos? O bloqueio de valor, após efetivado, permitirá desbloqueio e/ou transferência de valor específico. O bloqueio total, após efetivado, permitirá desbloqueio total e/ou transferência total ou de valor específico. Somam-se às ordens acima as solicitações de reiteração ou cancelamento de ordens não respondidas. Vale ressaltar que no caso de bloqueio total de débitos, o Juiz pode optar por desbloquear (totalmente) apenas em algumas das instituições financeiras que responderam ao bloqueio, permanecendo o bloqueio total de débitos nas demais, até segunda ordem. 17. Qual funcionalidade o sistema Bacen Jud 2.0 oferecerá a um Juiz que, ao receber as respostas de uma ordem de bloqueio, identifique que não atingiu o valor desejado? Utilizando o Bacen Jud 2.0, o Juiz poderá solicitar um novo bloqueio, gerando um novo número de protocolo. O valor do novo bloqueio será a critério do Juiz. Vale lembrar que duas ordens de bloqueio distintas (que possuem números de protocolo distintos) nunca estarão associadas no Bacen Jud 2.0 e nunca serão unificadas pelo mesmo, sendo tratadas separadamente. 18. O número de conta informado pelo Juiz, no caso de bloqueio de valor, pode

10 ser de uma conta-corrente, conta poupança ou aplicação financeira? Pode se referir a algum outro ativo? Quando e sobre quais ativos deve ser efetuado o bloqueio? O certificado de depósito bancário quando é garantia de operação de crédito é passível de bloqueio? São passíveis de bloqueio os valores existentes em contas de depósitos à vista (contas correntes), de investimento e de poupança, depósitos a prazo, aplicações financeiras e outros ativos passíveis de bloqueio, respeitadas as fases de implementação do Bacen Jud 2.0. Caberá à Instituição Financeira definir em qual(is) conta(s) ou aplicação(ões) financeira(s) recairá(ão) o bloqueio de valor quando o réu/executado possuir saldo suficiente para atender a ordem em duas ou mais contas e aplicações financeiras. No caso de bloqueio total de débitos, todos os créditos e rendimentos futuros estarão automaticamente bloqueados. Entretanto, a resposta da instituição financeira continua a ser única e relativa ao fechamento do movimento do dia da execução da ordem. Foram criados códigos especiais, no "Layout" do Arquivo de Resposta, que possibilitam às instituições financeiras informarem ao Poder Judiciário que parte ou totalidade do montante bloqueado se refere a aplicação com depósito a prazo. 19. O Juiz pode emitir uma ordem de desbloqueio de valor informando um valor maior do que o valor da ordem de bloqueio correspondente? E no caso de ordem de transferência de valor? O sistema Bacen Jud 2.0 não impedirá o Juiz de comandar um desbloqueio ou transferência informando um valor maior que o bloqueado. Entretanto, respeitando-se o fluxo de operação do sistema, apenas valores previamente bloqueados poderão ser efetivamente desbloqueados ou transferidos No caso de transferência, como o banco destino será identificado no registro enviado às instituições financeiras? O Banco destino, enviado no registro de transferência, será sempre um CNPJ de 8 dígitos (de acordo com o "Layout" do arquivo de remessa). 21. Como será processada a transferência para a Conta Única do TJ/MT, conforme determinado no artigo 4º do Provimento n. 04/2007-CGJ? O sistema Bacen Jud ainda não possui uma ferramenta ou mecanismo específico que possibilite a transferência direta do numerário bloqueado para a conta única mantida pelo TJ/MT. Por isso, realizado o bloqueio de numerários, o magistrado indicará, no campo instituição financeira a opção Outros, abrindo-se o campo para apresentação do CNPJ do Banco de destino, o qual deverá ser informado o seguinte:

11 (CNPJ do Banco Bradesco S.A.). Na tela seguinte (campo agência) deverá ser indicada a agência onde é movimentada a Conta Única (n. 0417). Finalizada essa fase do procedimento, o próprio sistema expedirá notificação ao magistrado da transferência do montante bloqueado, que, ao recebê-la, deverá remeter, via , os dados da transferência (número do processo; Vara Judicial; partes; valor da constrição) para a Gerência da Conta Única do TJ/MT, possibilitando a identificação do depósito. 22. Como a instituição financeira deve proceder na transferência, caso parte do valor a ser transferido tenha resgate imediato e outra parte tenha que aguardar um prazo de resgate? A ordem judicial de transferência será respondida até às 22h59min do dia útil bancário seguinte ao do seu recebimento, mas o seu integral cumprimento observará o prazo de resgate e os procedimentos necessários à sua efetivação, podendo ser realizada uma única vez, à critério da instituição financeira. Não se aguardará o vencimento dos prazos dos contratos de aplicação financeira e o aniversário das contas de poupança. 23. É possível um Juiz solicitar um bloqueio e no mesmo arquivo de remessa solicitar uma transferência para tal bloqueio? Para ordens de bloqueio e transferência que sejam cadastradas diretamente no Bacen Jud 2.0, não é possível. A transferência, nesse caso, somente poderá ser solicitada após o Bacen Jud 2.0 receber a resposta das instituições financeiras à ordem inicial de bloqueio. 24. Uma ordem judicial de desbloqueio ou transferência que envolva um dos réus/executados atingidos por um bloqueio se aplica também aos demais réus/executados atingidos por esse mesmo bloqueio? Não. Cada bloqueio será dividido em registros individualizados por réu, banco, e se for o caso, agência e conta. As instituições financeiras recebem os registros individuais, e nunca a ordem de bloqueio como um todo. Cada registro recebido pela instituição financeira deve ser tratado individualmente. Sempre que um Juiz comandar uma transferência ou um desbloqueio, tal comando estará associado a um registro específico, que já se encontra individualizado. Portanto, a transferência e o desbloqueio também sempre estarão relacionados a um réu, banco, agência e conta específicos. 25. É possível bloqueio de valores de instituições em processo de intervenção ou liquidação extrajudicial? As ordens judiciais destinadas a bloquear valores das próprias instituições em processo de Intervenção ou Liquidação Extrajudicial serão encaminhadas pelo sistema BACEN JUD 2.0 diretamente ao Banco Central do Brasil, que as 11

12 remeterá aos interventores ou liquidantes para o devido cumprimento ou justificativa ao juízo da eventual impossibilidade de sua efetivação. 26. Há alguma ferramenta de controle e verificação estatística sobre a utilização do sistema? O sistema possibilitará consultas a relatórios e estatísticas para controle gerencial pelo Poder Judiciário e pelo BACEN 27. Em que momento deve ser lançada a decisão judicial que determinou a utilização do sistema Bacen Jud para realização da constrição judicial? A decisão judicial que deferir a penhora on line, deve ser lançada no sistema informatizado de movimentação processual, conforme a norma da CNGC, contudo, esse lançamento deve ser realizado sob sigilo (opção existente no APOLO) até que se confirme o bloqueio judicial, evitando que o devedor tenha ciência da ordem de constrição antes que ela seja operacionalizada. 28. Que conteúdo deve conter o relatório mensal a que se reporta o 2º do artigo 3º do Provimento n. 04/ CGJ? Em conjunto ao relatório de produção mensal, deverá ser enviado à Corregedoria relatório de utilização do sistema Bacen Jud, identificando o status da senha (se ativa; bloqueada ou vencida), assim como a quantidade de ordens judiciais de bloqueio emitidas e os eventuais problemas identificados na utilização da ferramenta eletrônica. 12 * Para obter mais informações: Master do Tribunal de Justiça (Laurence Assaoka: Mesa de Controle do BACEN: endereço eletrônico: ou ligar para (85) , no horário das 9 às 18h.

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1 o O presente regulamento visa a disciplinar a operacionalização e a utilização do sistema BACEN JUD 2.0. Parágrafo único. A utilização do sistema

Leia mais

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 Finalidade da Regulamentação ARTIGO 1º - A presente regulamentação visa a disciplinar a operacionalização e utilização do sistema BACEN JUD 2.0, bem como padronizar os procedimentos

Leia mais

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO I PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE MAGISTRADOS FÓRUM BRIC Exchange Program for Judges BRIC Forum Marivaldo Dantas de Araújo Juiz de Direito

Leia mais

CONVÊNIO BACEN / STJ / CJF 2005.

CONVÊNIO BACEN / STJ / CJF 2005. CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICO- INSTITUCIONAL QUE FAZEM ENTRE SI O BANCO CENTRAL DO BRASIL, O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA E O CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL, PARA FINS DE OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA BACEN

Leia mais

PENHORA ON LINE. Noções Introdutórias

PENHORA ON LINE. Noções Introdutórias PENHORA ON LINE Noções Introdutórias Caracterizada como ato específico da ação de execução por quantia certa contra devedor solvente, a penhora nada mais é do que um ato executório, uma vez que produz

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015 PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015 Regulamenta os critérios para operacionalização do Sistema de Investigações Bancárias Simba no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE E O CORREGEDOR

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03.

RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03. RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03. Disciplina, no âmbito do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, os procedimentos relativos à

Leia mais

RENAJUD. Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0

RENAJUD. Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0 RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores Manual do Usuário Versão 1.0 Sumário I. SOBRE O SISTEMA RENAJUD... 3 1 RENAJUD versão 1.0... 3 2 Usuários... 3 3 Habilitação no Sistema... 4 II. ACESSO

Leia mais

RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0

RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0 RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores Manual do Usuário Versão 1.0 1 ÍNDICE I. SOBRE O SISTEMA RENAJUD... 3 1- RENAJUD versão 1.0... 3 2- Usuários... 4 3- Habilitação no Sistema... 4 II.

Leia mais

PORTARIANº 032/2015-DF

PORTARIANº 032/2015-DF PORTARIANº 032/2015-DF O Doutor ARISTEU DIAS BATISTA VILELLA, Juiz de Direito e Diretor do Foro da, no uso de suas atribuições legais, com fundamento nos artigos 52, inciso XV, da Lei nº 4.964, de 26 de

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES ELETRÔNICAS

TERMO DE ADESÃO PARA INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES ELETRÔNICAS TERMO DE ADESÃO PARA INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES ELETRÔNICAS A ASSOCIAÇÃO DOS REGISTRADORES IMOBILIÁRIOS DE SÃO PAULO ARISP, CNPJ/MF nº 69.287.639/0001-04, entidade civil sem fins lucrativos, com sede na

Leia mais

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUÇÃO Nº. 16/2009 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 CONTEXTO O Portal FGI é a ferramenta que serve para a comunicação entre o BNDES FGI e os Agentes Financeiros cotistas e como interface para o processamento operacional da

Leia mais

NORMATIVO SARB 002/2008

NORMATIVO SARB 002/2008 O Conselho de Auto-Regulação Bancária, com base no art. 1 (b), do Código de Auto-Regulação Bancária, sanciona as regras abaixo dispostas, formalizando preceitos comuns a todas as signatárias da auto-regulação

Leia mais

ROTEIRO DE ENCERRAMENTO DE CONTAS CORRENTES

ROTEIRO DE ENCERRAMENTO DE CONTAS CORRENTES Como resultado de uma série de reuniões técnicas envolvendo representantes da Febraban, do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e do Banco Central do Brasil, no sentido de aprimorar ainda mais os procedimentos

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY Os presentes termos e condições gerais de uso (os Termos de Uso ) definem os direitos e obrigações aplicáveis aos usuários do

Leia mais

I - Partes 1 - Designado TRIBANCO

I - Partes 1 - Designado TRIBANCO I - Partes 1 - Designado TRIBANCO CONVÊNIO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SISTEMA TRIBANCO Banco Triângulo S.A., com a sede na Avenida Cesário Alvim, nº. 2.209 - Bairro Aparecida - Uberlândia/MG - Inscrito no

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS Através do serviço de extratos do Banrisul Office Banking, o correntista pode consultar e imprimir os movimentos em suas contas (correntes ou poupança),

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ-PAGO AVISTA MASTERCARD PAG

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ-PAGO AVISTA MASTERCARD PAG TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ-PAGO AVISTA MASTERCARD PAG O presente instrumento denominado Termos e Condições Gerais de Uso do Cartão Pré-Pago Avista MasterCard PAG ( Termo ) aplica-se

Leia mais

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 0 SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 1. APOLO Descrição: Sistema de acompanhamento processual. Usuários: Juízes, servidores, advogados e partes de processos distribuídos nas Comarcas. Objetivo:

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES DE USO

TERMO E CONDIÇÕES DE USO TERMO E CONDIÇÕES DE USO O presente Termo de Uso e Condições (Termo) apresenta as condições gerais aplicáveis ao uso dos serviços de Vale-Presente e é celebrado entre: 1. PARTES De um lado, 1.1. Vale Presente

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços - Loja Virtual

Contrato de Prestação de Serviços - Loja Virtual Por este instrumento de Contrato de Prestação de Serviços, que celebram entre si, de um lado CLIENTE CADASTRADO na Loja Virtual Credito&Veiculo (www.creditoeveiculo.com.br), doravante denominado CONTRATANTE,

Leia mais

Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento

Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento (Versão 05/2014) Estas são as Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento, solicitado por você e contratado por meio de digitação de senha ou ligação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais

CCS. Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional. Manual do Usuário

CCS. Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional. Manual do Usuário CCS Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional Manual do Usuário Banco Central do Brasil Junho/2009 Sumário I. SOBRE O SISTEMA CCS... 1 1 Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional -

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA Nota Fiscal Paulista Manual da Entidade Social V.2 28.07.2009 Índice Analítico 1. Considerações Gerais 3 1.1 Definição 3 1.2

Leia mais

PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010

PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010 PROVIMENTO N.º CGJ- 03/2010 Disciplina a implantação e estabelece normas para o funcionamento do processo judicial eletrônico nas unidades jurisdicionais do Poder Judiciário do Estado do Bahia. A DESEMBARGADORA

Leia mais

AVISO DE VENDA DE CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA DE ARROZ EM CASCA Nº 177/2007

AVISO DE VENDA DE CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA DE ARROZ EM CASCA Nº 177/2007 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB DIRETORIA DE GESTÃO DE ESTOQUES - DIGES SUPERINTENDÊNCIA DE OPERAÇÕES - SUOPE GERÊNCIA DE COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Resumo do Regulamento da Utilização dos Cartões de Crédito Bradesco Empresariais IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

SUMÁRIO EXECUTIVO. Resumo do Regulamento da Utilização dos Cartões de Crédito Bradesco Empresariais IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização dos Cartões de Crédito Bradesco Empresariais IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO Este sumário representa um resumo das principais informações

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO O presente instrumento estabelece as normas regulamentares do AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO, destinado ao atendimento de Pessoas Jurídicas de direito público,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.232. Art. 1º Introduzir alterações no Regulamento do Sisbacen, que passa a vigorar conforme o documento anexo.

CIRCULAR Nº 3.232. Art. 1º Introduzir alterações no Regulamento do Sisbacen, que passa a vigorar conforme o documento anexo. CIRCULAR Nº 3.232 Divulga novo Regulamento do Sisbacen - Sistema de Informações Banco Central. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 24 de março de 2004, D E C I D I

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o. 222 1 a. PARTE ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N o. 42/2010-DG/DPF,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 26/2014/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 26/2014/CM PROVIMENTO N. 26/2014/CM Dispõe sobre o envio, por meio digital, pelo Portal Eletrônico do Advogado - PEA, das petições iniciais e intermediárias de processos físicos que tramitam na Primeira e Segunda

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS O Banco Modal S/A, ora designado Banco Modal, em atendimento ao disposto no art. 20, 4º e 31, caput, da Instrução nº 505, de 27 de Setembro

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 23/2015-CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 23/2015-CM PROVIMENTO N. 23/2015-CM Dispõe sobre o envio, por meio digital, pelo Portal Eletrônico do Advogado PEA, das petições iniciais e intermediárias de processos físicos que tramitam na Primeira e Segunda Instância

Leia mais

Cobrança Itaú. Conheça como funciona o serviço de protesto de títulos.

Cobrança Itaú. Conheça como funciona o serviço de protesto de títulos. Cobrança Itaú Conheça como funciona o serviço de protesto de títulos. Para garantir uma gestão de Cobrança ainda mais eficiente, é preciso que você saiba como funciona o serviço de protesto de títulos

Leia mais

Termos e Condições de uso do sistema PAGUEVELOZ

Termos e Condições de uso do sistema PAGUEVELOZ Termos e Condições de uso do sistema PAGUEVELOZ Este documento constitui um contrato de adesão ("Contrato") entre o proponente ("USUÁRIO"), qualificado na ficha de cadastro online e a PAGUEVELOZ Serviços

Leia mais

PROVIMENTO Nº 148, DE 16 DE ABRIL DE 2008. (Ver Provimento n. 70, de 9.1.2012 DJMS, de 17.1.2012.)

PROVIMENTO Nº 148, DE 16 DE ABRIL DE 2008. (Ver Provimento n. 70, de 9.1.2012 DJMS, de 17.1.2012.) PROVIMENTO Nº 148, DE 16 DE ABRIL DE 2008. (Ver Provimento n. 70, de 9.1.2012 DJMS, de 17.1.2012.) Institui, no âmbito da Justiça de Primeiro Grau do Estado de Mato Grosso do Sul, o sistema eletrônico

Leia mais

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou?

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? O Conselho Superior da Justiça do Trabalho editou a nova Resolução 136/2014, revogando a Resolução 94/2012 que regulamenta o sistema PJe-JT

Leia mais

BACEN JUD 2.0 SISTEMA DE ATENDIMENTO AO PODER JUDICIÁRIO

BACEN JUD 2.0 SISTEMA DE ATENDIMENTO AO PODER JUDICIÁRIO BACEN JUD 2.0 SISTEMA DE ATENDIMENTO AO PODER JUDICIÁRIO Manual Básico SUMÁRIO I. SOBRE O SISTEMA BACEN JUD 2.0... 1 1 O Bacen Jud 2.0...1 2 Arquivos...1 3 Usuários...2 II. ACESSO AO SISTEMA... 3 1 Telas

Leia mais

Versão: 09/09/2013 Atualizado em: 09/09/2013

Versão: 09/09/2013 Atualizado em: 09/09/2013 Versão: 09/09/2013 Atualizado em: 09/09/2013 Identificação de Comitentes Conteúdo Introdução à Identificação de Comitentes... 1 Conhecendo o Produto... 2 Ações dos Botões das Telas... 9 Cadastros... 11

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ. L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: -

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ. L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: - CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ C Dados do Cliente (Empresa): L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: - Bairro: Município: UF: São partes

Leia mais

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto A Lei que instituiu o processo judicial informatizado, em vigor desde março de 2007, aplica-se indistintamente aos processos civil, penal,

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO A UMUARAMA S/A C.T.V.M, denominada simplesmente Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM, define através deste documento, suas regras e

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ- PAGO HABBO CARTÃO AMIGO

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ- PAGO HABBO CARTÃO AMIGO TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO CARTÃO PRÉ- PAGO HABBO CARTÃO AMIGO O presente instrumento denominado Termos e Condições Gerais de Uso do Cartão Pré- Pago Habbo Cartão Amigo ( Termo ) aplica- se de

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social. (Assistência Social e da Área da Saúde) V.6

Nota Fiscal Paulista. Manual da Entidade Social. (Assistência Social e da Área da Saúde) V.6 Nota Fiscal Paulista Manual da Entidade Social (Assistência Social e da Área da Saúde) V.6 Índice Analítico 1. Considerações Gerais 3 1.1 Definição 3 1.2 Participação das Entidades 1.3 Entidades de Assistência

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago

REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago O BOM+ é um cartão pré-pago que oferece aos seus clientes as funcionalidades de pagamento de compras em toda a rede MasterCard e também pagamento de tarifas

Leia mais

Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil S/A

Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil S/A 1. PARTES CONVÊNIO PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA INTERNET BANKING (CORRETORA DE CÂMBIO) O presente Convênio disciplina o uso pela CORRETORA de CÂMBIO do Sistema INTERNET BANKING ( INTERNET BANKING CORRETORA

Leia mais

CARTILHA CONTROLE ELETRÔNICO DA SITUAÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CARTILHA CONTROLE ELETRÔNICO DA SITUAÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CARTILHA CONTROLE ELETRÔNICO DA SITUAÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aracaju-SE, junho de 2015 1 SUMÁRIO I - APRESENTAÇÃO... 3 II - PROCEDIMENTO NO SISTEMA INFORMATIZADO... 3 III - DO REGISTRO DA SITUAÇÃO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS INTERNET BANKING NBC BANK

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS INTERNET BANKING NBC BANK CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS INTERNET BANKING NBC BANK Pelo presente instrumento contratual o Novo Banco Continental S. A. Banco Múltiplo, com sede na Rua Uruguai, 155 conjunto 1.308, Porto Alegre

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Resumo do Contrato de Utilização do Cartão Cencosud

SUMÁRIO EXECUTIVO. Resumo do Contrato de Utilização do Cartão Cencosud SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Contrato de Utilização do Cartão Cencosud SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Contrato de Utilização do Cartão Cencosud A seguir você encontrará um resumo das principais condições a

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32 NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA Controle Judicial Manual de Instruções Versão 8.32 1 Sumário 1 CONTROLE DE COBRANÇA JUDICIAL... 4 1.1 ARQUIVO... 4 1.1.1 Processos...4 1.1.1.1 Réus Principais do Processo...13

Leia mais

PROVIMENTO Nº 38/2012. O Corregedor-Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 38/2012. O Corregedor-Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 38/2012 Dispõe sobre o envio, por meio eletrônico, através do Portal Eletrônico do Advogado - PEA, das petições iniciais e em andamento de processos físicos que tramitam na primeira instância

Leia mais

MANUAL DE USO SERASAJUD

MANUAL DE USO SERASAJUD MANUAL DE USO SERASAJUD JULHO DE 2015 Controle de Revisão Data da Revisão Versão Documento Versão DF-e Manager Executor Assunto Revisado 08/10/2013 1.0 Rodrigo Vieira Ambar/Gigiane Martins Criação 18/03/2104

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Corregedoria Regional Eleitoral PROVIMENTO CRE-RJ Nº 3 /2012 Disciplina a utilização do Sistema de Informações Eleitorais no âmbito do TRE/RJ e dá outras providências.

Leia mais

TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849

TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849 1 REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO BOVESPA TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849 ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. nº 4-3 com sede no Município de São

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO RESOLUÇÃO Nº 221/2011 Regulamenta as atividades da Central de Atendimento, a forma de assinatura eletrônica e a utilização do meio eletrônico para a prática de atos processuais e dá outras providências.

Leia mais

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014 Manual Cartão Pesquisa /CNPq Atualizado em 25/08/2014 Sumário Introdução... 3 Cartão BB Pesquisa... 4 Passo a Passo... 8 Perguntas e Respostas.... 14 Cartão BB Pesquisa O Cartão BB Pesquisa éresultado

Leia mais

Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários

Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários m Av. Brigadeiro Faria Lima, 3400 16º andar 04538-132 São Paulo, SP - Brasil Tel. (55 11) 2188-4000 Fax: (55 11) 2188-4074 Merrill Lynch S.A.

Leia mais

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Versão 1.0 23/07/2009 Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE USO DO VACCINE

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE USO DO VACCINE CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE USO DO VACCINE Pelo presente instrumento particular, NTKW Solutions Equipamentos e Serviços Ltda., inscrita no CNPJ sob o nº 13.662.836/0001-01, com Sede à Rua Fidêncio

Leia mais

Secundária Secundária Secundária

Secundária Secundária Secundária PARTES BANCO Cash Management Convênio para Pagamento de Salários CNPJ Banco Santander (Brasil) S.A. Endereço Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 e 2235 - Bloco A CONVENENTE TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

Registrado no 1º Cartório de Registro de Títulos e Documentos da Cidade de Ponta Grossa Estado do Paraná, sob o nº 143.698

Registrado no 1º Cartório de Registro de Títulos e Documentos da Cidade de Ponta Grossa Estado do Paraná, sob o nº 143.698 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA OPERAR, MANTER E ADMINISTRAR CARTEIRA DE COBRANÇA NA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES EM SITE DE PROPRIEDADE DA REGULARIZA IMOVEIS E COBRANÇAS LTDA Registrado no 1º Cartório

Leia mais

Condições Gerais Para Abertura de Conta

Condições Gerais Para Abertura de Conta O Cliente, devidamente qualificado no Cadastro, doravante designado simplesmente Cliente, toma conhecimento dos termos definidos pelo Banco BTG Pactual S.A. para a abertura de conta corrente de depósitos

Leia mais

CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL

CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO CEARÁ - CRCCE E O INSTITUTO DE ESTUDOS DE PROTESTO DE TÍTULOS DO BRASIL SEÇÃO CEARÁ (IEPTB-CE). O CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE

Leia mais

Condições Gerais Contrato de Abertura de Crédito em Conta Corrente de Depósito CEP Plus PF

Condições Gerais Contrato de Abertura de Crédito em Conta Corrente de Depósito CEP Plus PF Condições Gerais Contrato de Abertura de Crédito em Conta Corrente de Depósito CEP Plus PF 1. Partes 1.1. Cliente - é o cliente do Personnalité e solicitante da abertura de crédito em conta corrente de

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 3010. Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002.

CARTA-CIRCULAR N 3010. Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002. CARTA-CIRCULAR N 3010 Documento normativo revogado pela Carta-Circular 3.040, de 30/08/2002, a partir de 09/09/2002. Esclarece procedimentos para operação de participante em regime de contingência no âmbito

Leia mais

REDE PRÓPRIA DO BANCO: é a rede de estabelecimentos conveniados ao BANPARÁ.

REDE PRÓPRIA DO BANCO: é a rede de estabelecimentos conveniados ao BANPARÁ. Este instrumento tem como objetivo regulamentar a participação do CLIENTE na CAMPANHA DE FIDELIDADE BCARD, instituída pelo Banco do Estado do Pará S.A. 1. EMPRESA PROMOTORA: O BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A.,

Leia mais

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney BANCO RENDIMENTO S/A, com sede na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.092, 19ºandar, São Paulo, Capital, inscrito no C.N.P.J. sob no. 68.900.810/0001-38,

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/ E O BANCO DO BRASIL S.A.. O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/,

Leia mais

REGULAMENTO TESOURO DIRETO

REGULAMENTO TESOURO DIRETO REGULAMENTO TESOURO DIRETO Tesouro Nacional GLOSSÁRIO 4 CAPÍTULO I REGRAS GERAIS 6 CAPÍTULO II PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 7 1. CADASTRO... 7 1.1. ASPECTOS GERAIS 7 1.2. CADASTRO DE AGENTES DE CUSTÓDIA

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido Conceito e Características do Cartão de Crédito O cartão de crédito Private Label Híbrido, de uso doméstico

Leia mais

CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO

CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO MANUAL DE SERVIDORES DE CORREGEDORIA Versão 1.2 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 4 USUÁRIOS... 5 1. ACESSO AO SISTEMA... 6 2. TELA DE LOGIN DO CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO:... 8 2.0

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DE PAGAMENTO,

Leia mais

Portal Comissões Online Perguntas Frequentes

Portal Comissões Online Perguntas Frequentes Portal Comissões Online Perguntas Frequentes 1. Esse processo foi criado para que a Receita Federal tenha acesso às comissões dos corretores de imóveis? A Receita Federal pode, a qualquer momento, solicitar

Leia mais

CORRETORA DE CÂMBIO TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S/A REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

CORRETORA DE CÂMBIO TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S/A REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM, define através deste documento, suas regras e parâmetros relativos ao recebimento,

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 REGULAMENTO PARA ARRECADAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA O FUNDO DE UNIVERSALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS Orientador Empresarial CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF nº 580/2005

Leia mais

A JUÍZA PRESIDENTE E CORREGEDORA DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais;

A JUÍZA PRESIDENTE E CORREGEDORA DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais; ATO TRT GP Nº 280/2008 João Pessoa, 14 de novembro de 2008. A JUÍZA PRESIDENTE E CORREGEDORA DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais;

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Corregedoria Regional Eleitoral PROVIMENTO CRE-RJ Nº 03/2012 (consolidado com o Provimento CRE/RJ nº 01/2015) Disciplina a utilização do Sistema de Informações

Leia mais

PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012 Disciplina o controle de acesso de usuários e sistemas clientes ao Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento SIOP. A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL, no uso

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INFORMAÇÕES ÚTEIS SOBRE CONSIGNADO EMPRÉSTIMO, CARTÃO DE CRÉDITO E/OU SERVIÇOS CONTRATADOS - ANO 2015. 1) O que é Margem Consignável? Resposta: É o dado que indica os limites estabelecidos por lei específica

Leia mais

TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR. Dezembro/2014

TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR. Dezembro/2014 TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR Dezembro/2014 1. Introdução... 2 2. Estrutura de contas no BC... 2 3. Formas de acesso ao STR... 3 Acesso via RSFN... 3 Acesso via Internet...

Leia mais

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014.

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do processo eletrônico no âmbito do Ministério das Comunicações. O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso das

Leia mais

1. Do Cadastro Nacional de Adoção CNA

1. Do Cadastro Nacional de Adoção CNA Guia do Usuário APRESENTAÇÃO A Constituição Federal, art. 227, e a Lei 8.069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente, art. 19, elevaram o direito de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária

Leia mais

Clique no nome do canal de atendimento e confira: Internet Fone Fácil Autoatendimento

Clique no nome do canal de atendimento e confira: Internet Fone Fácil Autoatendimento Clique no nome do canal de atendimento e confira: Internet Fone Fácil Autoatendimento 1 Internet Ir para o início Transferências Produto Horário Limite Diário Entre Contas Cadastradas 30.000,00 Entre Contas

Leia mais

VALIDAÇÃO DE DADOS o cadastro de usuário só será validado, se todas as informações pessoais estiverem corretas;

VALIDAÇÃO DE DADOS o cadastro de usuário só será validado, se todas as informações pessoais estiverem corretas; Este Termo de Uso apresenta as "Condições Gerais" aplicáveis ao uso dos serviços oferecidos por Nome Fantasia: Acordo Certo, inscrito no CNPJ sob n.º 08.702.298/0001-93, com sede a Rua Sete de Abril, 97-6º

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX Atualizado em 27.05.2011 MANUAL DO USUÁRIO 1. Apresentação 1.1. Acessando o Sistema 1.2. Tela Principal 2. Página Principal SUMÁRIO 3. Módulo Corregedoria

Leia mais

Regulamento de Abertura de Limite de Cheque Especial - PF

Regulamento de Abertura de Limite de Cheque Especial - PF O Regulamento de Abertura de Limite de Cheque Especial - PF (Cheque Especial) por Meios Eletrônicos Aplicável ao Cliente Pessoa Física ( Regulamento ), tem por objetivo disciplinar a relação jurídica entre

Leia mais

CADASTRO NACIONAL DE CONDENAÇÕES CÍVEIS POR ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E INELEGIBILIDADE MANUAL DO USUÁRIO

CADASTRO NACIONAL DE CONDENAÇÕES CÍVEIS POR ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E INELEGIBILIDADE MANUAL DO USUÁRIO CADASTRO NACIONAL DE CONDENAÇÕES CÍVEIS POR ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E INELEGIBILIDADE MANUAL DO USUÁRIO Sumário 1. Tela de login do Sistema de Controle de Acesso...3 2. Tela de seleção dos sistemas...4

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE EQUIPAMENTO E LICENÇA INDIVIDUAL DE USO DO SOFTWARE DE RASTREAMENTO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE EQUIPAMENTO E LICENÇA INDIVIDUAL DE USO DO SOFTWARE DE RASTREAMENTO Atenção: Ao FINALIZAR CADASTRO no site www.nipponsat.com.br e clicar em LI E ACEITO OS TERMOS DO CONTRATO estará automaticamente aceitando todos os termos e condições do presente instrumento. Ressaltamos

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios - SICONV Acompanhamento e Fiscalização

Leia mais

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I DISPONIBILIZAÇÃO: sexta-feira, 12 de abril de 2013 PUBLICAÇÃO: segunda-feira, 15 de abril de 2013 Senhores(as) Usuários(as), A Seção I do Diário da Justiça Eletrônico

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015 O Cliente, pela assinatura física e/ou eletrônica do Termo de Adesão e Uso do NetBanking Paraná Banco, adere ao presente Regulamento, definido conforme os seguintes termos e condições: 1. Regras de uso

Leia mais