QUESTÕES PARA A PROVA DE DIREITO COMERCIAL IV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUESTÕES PARA A PROVA DE DIREITO COMERCIAL IV"

Transcrição

1 QUESTÕES PARA A PROVA DE DIREITO COMERCIAL IV Prof. José Carlos Vaz e Dias 1º. Semestre de ) O que é falência e qual é a etimologia deste vocábulo? Explique a falência sobre o ponto de vista jurídico, sob a perspectiva processual. Confirme justificadamente se é um procedimento ordinário ou extraordinário de execução do devedor. 2) Qual é a natureza jurídica da falência e do procedimento de recuperação judicial? 3) Qual são as diferenças entre o procedimento falimentar e o procedimento da execução singular do devedor (insolvência civil)? Apresente 4 diferenças, explicandoas. 4) Quais são as pessoas sujeitas ao procedimento de falência e recuperação judicial? Explique ainda cada um dos 5 tipos societários e se estes estão ou não sujeitos ao procedimento falimentar e de recuperação judicial. 5) A Lei de Falência e Recuperação Judicial exclui algumas pessoas desse procedimento. Explique essa exclusão. Exemplifique as hipóteses de exclusão total e exclusão parcial do regime falencial, seguindo os seguintes critérios: (a) Quando totalmente excluído da falência e (b) Quando parcialmente excluídos da falência. 6) Favor confirme e explique se o instituto da falência e da recuperação judicial é aplicável: (a) ao devedor civil; (b) a uma sociedade de advogados; (c) às cooperativas; (d) ao empresário individual e (e) às sociedades em comum. 7) Explique os efeitos da falência sobre o empresário individual e sobre os sócios dos seguintes empresários: (a) Sócio de responsabilidade solidária e ilimitada; (b) Sócios de responsabilidade limitada comandita simples, sociedade limitada (c) Sócios de responsabilidade ilimitada = sociedade em comum. 8) A retirada e/ou a exclusão de sócio de uma sociedade empresária exime ou não o referido sócio das obrigações sociais? Explique, principalmente relevando o disposto no art do C.C. e art. 81, 1º. da LRF (Lei /2005). 9) No tocante à falência, quais são as hipóteses de responsabilização do administrador das sociedades empresárias. Aborde também a responsabilização civil, qual seja perante a sociedade e terceiros prejudicados pelos prejuízos causados. 10) Aborde a responsabilização do sócio oculto e do sócio ostensivo na sociedade em conta de participação.

2 11) Identifique a pessoa que iniciará a propositura de ação de responsabilidade do sócio da sociedade empresária. 12) Identifique os pressupostos necessários para a instauração da execução concursal. 13) Explique a insolvência do devedor empresário sobre o ponto de vista econômico e sob o sentido jurídico. Explique também a seguinte assertiva: Não é necessário ao requerente da quebra demonstrar o estado patrimonial da insolvência do requerido, para que se instaure a execução concursal falimentar, nem por outro lado se livra da execução concursal a sociedade empresária que lograr demonstra eventual superioridade do ativo em relação ao passivo. 14) Quais são os principais sistemas para determinar o estado de falência Aborde e explique 4 desses sistemas. 15) Qual é o sistema adotado na LFR pelo ordenamento jurídico brasileiro para determinar o estado de falência de um empresário devedor? Qual é a razão da prevalência deste sistema? Explique. 16) Explique a regra do 1º. do art. 94 da LRF, por meio da explicitação dos seguintes pontos: (a) liquidez da obrigação; (b) protesto do título e (c) valor superior a 50 SM. Quais seriam as razões de direito para afastar a decretação da falência, nos moldes do referido parágrafo. Identifique e Explique 5 razões. 17) Explique o conceito de executado por quantia certa. 18) Explique o que é um título executivo no processo falimentar e qual é a controvérsia existente na doutrina relativa ao protesto especial apontado no livro do Prof. Sérgio Campinho. Qual seria a razão na LRF para determinar este protesto especial e próprio? 19) Identifique e explique quais são os procedimentos falimentares a serem adotados pelo devedor 20) Explique cada ato de falência explicitado no inc. III do art. 94 da LRF. 21) Explique o trespasse e os procedimento a serem adotados pelo alienante, para que o trespasse possa ser válido e eficaz. Qual é a importância do estabelecimento empresarial no procedimento falimentar? 22) Qual é a diferença entre estabelecimento empresarial e ponto comercial? 23) Qual é a diferença entre transferência simulada do estabelecimento principal e transferência do estabelecimento sem o consentimento de todos os credores? 24) O que é a ocultação, fuga ou abandono do estabelecimento? Porque a LRF classifica esses atos como evidência da falência de um devedor empresário? 25) Explique a regra do juízo competente no procedimento falimentar ou homologação da recuperação judicial. O que seria o estabelecimento principal? Existe a possibilidade

3 de o estabelecimento principal alterar-se durante o curso de sua insolvabilidade? Cite uma possibilidade aceita pela lei brasileira e outra vedada pela lei. 26) Explique a excepcionalidade relativa à competência quando o requerimento da falência se dirige em face do empresário individual ou sociedade empresária cujas atividades encontram-se definitivamente encerradas. Qual seria o foro competente? 27) Qual é a atuação do Ministério Público no procedimento falimentar ou de recuperação judicial? Cite e explique 4 momentos que exijam essa participação. 28) Existe a possibilidade de o MP requer a falência? Qual seria essa possibilidade. Explique em detalhes. 29) Quais são as funções básicas do administrador judicial no processo de falência e na recuperação judicial? 30) Explique quais são as características objetivas e subjetivas exigidas pela lei para que uma pessoa física seja classificada como administrador judicial. 31) No caso de pessoa jurídica, existem também requisitos objetivos e subjetivos. Por favor, identifique 1 requisito objetivo e 1 subjetivo para a classificação da pessoa física como administrador judicial. 32) Quais são os deveres e atribuições do administrador. Identifique e explique 3 dessas atribuições na recuperação judicial e 3 no procedimento falimentar. 33) Quais são os efeitos da substituição do administrador judicial e aqueles referentes à destituição? Explique também o procedimento da substituição e aquele da destituição? Pode ser substituído ou destituído somente pelo juiz? 34) Como o administrador judicial pode ser pago pelos serviços prestados como auxiliar do juiz? Explique as regras relativas a esse pagamento. Explicite também os critérios para a remuneração do administrador judicial. 35) Explique se haverá remuneração proporcional ao trabalho realizado pelo administrador que tenha sido substituído, como nas hipóteses de interdição, morte ou dissolução da pessoa jurídica. 36) Quais são as 2 hipóteses de prestação de conta por parte do administrador. Existe prestação de contas no processo de recuperação judicial? Explique. 37) Quais são as diferenças entre estabelecimento, estabelecimento principal e sede social? 38) Explicite 3 hipóteses de impedimento para que uma pessoa seja escolhida administrador judicial. 39) Caracterize o Comitê de Credores e explique 3 atribuições desse órgão. Quais são as regras de instalação? Qual é a composição desse órgão?

4 40) Caracterize a Assembléia geral de credores e quais são as matérias exigidas pela lei como deliberativas da referida assembléia. 41) A instalação da assembléia geral de credores é obrigatória? Existem exceções? Quais são as situações, na recuperação judicial e na falência, que exigem a convocação da assembléia? 42) Explicite as regras para a instalação da assembléia-geral de credores? Quem gerenciará o conclave? Qual será a composição da assembléia? Direito de voto? Podem participar terceiros nas assembléias? Explique. 43) Explique todas as etapas relativas ao procedimento de verificação e habilitação de créditos, conforme explicitado em sala de aula dos dias 25 e 29/05. 44) Quais são as duas fases distintas dentro da verificação dos créditos? Explique. 45) Até quando os credores podem solicitar a sua inclusão no quadro-geral de credores, seja no procedimento falimentar ou de recuperação judicial? Explique. 46) A habilitação dos credores é endereçada ao juiz ou ao administrador judicial, ou à assembléia de credores? Explique. Existe alguma forma exigida por lei para essa solicitação de inclusão de credores? 47) A impugnação deverá ser dirigida ao juiz ou ao administrador judicial? Ela será autuada em separado ou em conjunto? Quem está legitimado para apresentar ao juiz a impugnação contra a relação de credores? 48) O prazo para impugnação do quadro-geral de credores dá ensejo também à inclusão de credores? Até quando podem ser inseridos novos credores no referido quadro? Como são chamados esses credores? 49) Explique quais são os procedimentos a serem tomados pelo juiz nos seguintes procedimentos: (a) em não havendo impugnação; (b) em havendo impugnação do crédito 50) Explique qual é a principal característica do crédito tributário, quando formado o quadro-geral de credores e determinada a classificação dos créditos. 51) Pode o juiz homologar a recuperação judicial com o devedor tendo um passivo tributário? Existe alguma possibilidade de a recuperação judicial ser homologada mesmo o devedor tendo débitos tributários? 52) A decretação da falência ou o deferimento do processamento da recuperação judicial provoca a suspensão de todas as ações ou execuções em face da massa falida ou do devedor. Existem exceções a esta regra? Quais?

5 53) Qual era a polêmica dos créditos trabalhistas no procedimento de verificação e homologação de créditos? Confirme se essa polêmica foi dirimida e de qual foram? 54) Pode ocorrer a habilitação de créditos trabalhistas por meio da comunicação ao administrador judicial? Explique. Quando é que a Justiça do Trabalho intervém e suas decisões prevalecem, no procedimento de verificação e homologação? 55) Como são atingidos pela falência os sócios de uma sociedade de fato? 56) Como são atingidos pela falência os sócios de uma sociedade irregular? 57) O que significa a expressão per conditio creditorum? 58) O credor A, de uma sociedade empresária, é informado de que a empresa não pagou, no vencimento, um título do credor B. O título de que dispõe A vencerá somente dentro de 45 dias. Com fundamento na impontualidade da empresa relativamente ao título pertencente a B, poderá o credor A pedir a falência da empresa? 59) Qual a característica marcante do juízo falimenar? 60) Qual a razão prática que fundamenta a necessidade da unidade do juízo falimentar? 61) Explique qual é a razão, no procedimento falimentar, para a classificação dos créditos. Explique ainda se essa classificação modifica os créditos dos credores face ao devedor falido. 62) Explique o tratamento privilegiado ao crédito de natureza trabalhista e decorrente de acidente de trabalho, bem como responda as seguintes questões: (a) o alinhamento dos créditos trabalhistas com aqueles decorrentes de acidente do trabalho significa que os créditos por acidente de trabalho estão limitados ao teto de 150 Salários Mínimos? (b) Como o credor trabalhista poderá concorrer ao saldo que ultrapassar o teto de 150 Salários Mínimos? (c) os créditos de comissão e indenização dos representantes comerciais autônomos são classificados como créditos trabalhistas? Explique. 63) Porque os créditos de garantia geral foram priorizados em relação aos créditos tributários? 64) A possui um crédito em relação à B, no valor de R$ 240 mil. Esse crédito encontrase garantido por um imóvel de 1 quarto no bairro Flamengo. Na data devida, o pagamento não foi realizado. A solicitou a decretação da falência de B, sendo que o bem em garantia foi vendido sob o valor de R$ 290 mil. Confirme se esse valor total ou somente parte dele será disponibilizado para A. Se o bem for vendido por R$ 180 mil, como A procederá para obter o valor total de seu crédito? 65) Quais são as diferenças entre os créditos com privilégio real, os créditos com privilégio real e os créditos com garantia real? Cite e explique 3 diferenças. 66) O que são créditos quirografários? Explique.

6 67) Explique a diferença básica entre os créditos quirografários e os créditos subquirografários. 68) O que são créditos subordinados? Explique e dê 1 exemplo.

Sumário. Capítulo 1 - Introdução ao Direito Falimentar 1

Sumário. Capítulo 1 - Introdução ao Direito Falimentar 1 Sumário Capítulo 1 - Introdução ao Direito Falimentar 1 1.1. Antecedentes... 1 LU. O princípio...2 1.1.2. Operacionalidade.. 3 1.1.3. Forma... 3 1.2. Justiça distributiva e procedimento concursal... 4

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR323 Direito Empresarial IV - Recuperações e Falência

Programa Analítico de Disciplina DIR323 Direito Empresarial IV - Recuperações e Falência Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina DIR33 Direito Empresarial IV - Recuperações e Falência Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de

Leia mais

CONCEITO. (Rocha Azevedo)

CONCEITO. (Rocha Azevedo) FALÊNCIA CONCEITO "é o processo de execução específico, contra empresário ou sociedade empresária insolvente, instaurador de comunhão incidental organizada entre todos os credores, por direitos e obrigações

Leia mais

CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS

CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS 1 1 Aula 5 - ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES E DIREITO DE VOTO PARTE 3 2 O DIREITO DE VOTO NA ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES 3 VOTO PONDERADO

Leia mais

Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa

Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa SUMÁRIO Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa... 17 1. Origens do Direito Empresarial.... 17 2. Autonomia do Direito Empresarial... 20 3. Fontes do Direito Empresarial... 21 4. Do Direito de Empresa...

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV Período: 6 Carga Horária: 72 h/a EMENTA Teoria geral do direito falimentar. Evolução histórica. Processo falimentar: Requisitos. Fases do processo

Leia mais

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Benigno Cavalcante MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Sumário Apresentação... 17 Abreviatura... 21 CAPÍTULO I HISTÓRIA DO DIREITO COMERCIAL 1. O Surgimento do Direito Comercial... 25 1.2. Evolução do Direito

Leia mais

1 INSOLVÊNCIA 1 O risco de empreender 2 Obrigação e solução 3 Princípio geral da solvabilidade jurídica 4 Execução coletiva 5 Histórico

1 INSOLVÊNCIA 1 O risco de empreender 2 Obrigação e solução 3 Princípio geral da solvabilidade jurídica 4 Execução coletiva 5 Histórico 1 INSOLVÊNCIA 1 O risco de empreender 2 Obrigação e solução 3 Princípio geral da solvabilidade jurídica 4 Execução coletiva 5 Histórico 2 INSOLVÊNCIA EMPRESÁRIA 1 Regime jurídico para a insolvência empresária

Leia mais

ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR

ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR Conceito de falência DIREITO FALIMENTAR Falência (do latim fallere e do grego sphallein ): falha, defeito, carência, engano ou omissão ARMINDO DE CASTRO JÚNIOR E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage:

Leia mais

CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 PERÍODO: 8º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO COMERCIAL III NOME DO CURSO: DIREITO

CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 PERÍODO: 8º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO COMERCIAL III NOME DO CURSO: DIREITO 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D. 40 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 PERÍODO: 8º NOME DA DISCIPLINA: DIREITO COMERCIAL III NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA RECUPERAÇÃO

Leia mais

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL VII (ADE)

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL VII (ADE) FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL VII (ADE) I FALÊNCIA 1. Introdução: - Constitui o patrimônio do devedor a garantia dos credores, e, em assim sendo, não cumprindo o devedor com as suas obrigações,

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

Em uma sociedade limitada constituída em 1998, com contrato arquivado na junta

Em uma sociedade limitada constituída em 1998, com contrato arquivado na junta DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL Em uma sociedade limitada constituída em 1998, com contrato arquivado na junta comercial, Alfonso, titular de 55% do capital social, durante reunião de sócios sem

Leia mais

ÓRGÃOS DA FALÊNCIA O MINISTÉRIO PÚBLICO. instituições designadas na lei para atuarem diretamente no, cada uma dentro de suas respectivas competências.

ÓRGÃOS DA FALÊNCIA O MINISTÉRIO PÚBLICO. instituições designadas na lei para atuarem diretamente no, cada uma dentro de suas respectivas competências. ÓRGÃOS DA FALÊNCIA Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi São as instituições designadas na lei para atuarem diretamente no, cada uma dentro de suas respectivas competências. O MINISTÉRIO PÚBLICO É a autoridade

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL A SOCIEDADE NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Art. 981. Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha,

Leia mais

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas Administrador Judicial O administrador judicial será profissional idôneo, preferencialmente advogado, economista, administrador de empresas

Leia mais

A NOVA LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E LEGITIMADOS PASSIVOS PARA DECLARAÇÃO JUDICIAL DA FALÊNCIA

A NOVA LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E LEGITIMADOS PASSIVOS PARA DECLARAÇÃO JUDICIAL DA FALÊNCIA A NOVA LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E LEGITIMADOS PASSIVOS PARA DECLARAÇÃO JUDICIAL DA FALÊNCIA LUÍS FELIPE SALOMÃO* Desembargador do Tribunal de Justiça - RJ 1. Introdução A nova Lei (11.101/2005) que

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 7 Empresário e estabelecimento empresarial Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Evolução - Empresa Teoria subjetiva Corporações de ofício Teoria objetiva atos de comércio lista taxativa

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Período 5º Período

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Período 5º Período Página 1 de 5 DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS Código 92 Curso Graduação Período 5º Período Eixo de Formação Eixo de formação profissional Docente: Prof. Dr. Elias

Leia mais

DECISÃO CONCLUSÃO. Em 10 de junho de 2014, faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito. Eu, Márcio Antonio de Oliveira, mat. nº

DECISÃO CONCLUSÃO. Em 10 de junho de 2014, faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Direito. Eu, Márcio Antonio de Oliveira, mat. nº fls. 1 DECISÃO Processo Físico nº: 0044833-46.2013.8.26.0100 Classe - Assunto Habilitação de Crédito - Assunto Principal do Processo > Requerente: Alfredo Luiz Kugelams

Leia mais

Texto da questão. Escolha uma: a. Aos consórcios. b. Apenas às sociedades de economia mista.

Texto da questão. Escolha uma: a. Aos consórcios. b. Apenas às sociedades de economia mista. Questão 1 O Direito Falimentar está consagrado na Lei n. 11.101, de 9 de fevereiro de 2005, a qual aborda e disciplina a falência, a recuperação judicial e a recuperação extrajudicial. Desta forma, o Direito

Leia mais

Além disso, houve problemas na assinatura da lista de presença, de identificação de credores e o indevido cômputo de votos dos que se abstiveram.

Além disso, houve problemas na assinatura da lista de presença, de identificação de credores e o indevido cômputo de votos dos que se abstiveram. fls. 1 CONCLUSÃO Em 09 de agosto de 2016, faço conclusos estes autos ao MM. Juiz de Direito, Dr. Paulo Furtado de Oliveira Filho. Eu, Breno Oliveira, Assistente Judiciário, subscrevi. DECISÃO Processo

Leia mais

CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS

CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS CURSO ONLINE APERFEIÇOAMENTO EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DE EMPRESAS 1 1 Aula 5 - ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES E DIREITO DE VOTO PARTE 1 2 ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES NA RECUPERAÇÃO JUDICIAL E NA FALÊNCIA

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. Exame de Ordem Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL

DIREITO EMPRESARIAL. Exame de Ordem Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL Um representante legal de cooperativa de crédito, com sede e principal estabelecimento localizados no Distrito Federal, voltada precipuamente para a realização de

Leia mais

Direito Empresarial e Trabalhista

Direito Empresarial e Trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani Direito Empresarial e Trabalhista As sociedades organização formada por duas ou mais pessoas, por meio de um contrato com ou sem o registro, para o exercício de uma atividade

Leia mais

Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010).

Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010). Prof. Thiago Gomes Empresariais O que é uma sociedade? Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010). Qual o foco de nosso estudo? As sociedades cujo o objetivo é lucro para seus sócios.

Leia mais

FALÊNCIA. Armindo de Castro Júnior. Homepage: Facebook: Armindo Castro Cel.

FALÊNCIA. Armindo de Castro Júnior.   Homepage:  Facebook: Armindo Castro Cel. FALÊNCIA Armindo de Castro Júnior E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage: www.armindo.com.br Facebook: Armindo Castro Cel.: (65) 99352-9229 HIPÓTESES Fatos que autorizam a DECRETAÇÃO DE FALÊNCIA (LF,

Leia mais

LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E FALÊNCIA Capítulo II Disposições comuns à recuperação judicial e à falência

LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E FALÊNCIA Capítulo II Disposições comuns à recuperação judicial e à falência LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E FALÊNCIA Capítulo II Disposições comuns à recuperação judicial e à falência Armindo de Castro Júnior E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage: www.armindo.com.br Facebook:

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL CAPÍTULO 1 Do Direito Comercial ao Direito Empresarial 3 1. Origem do Direito Comercial... 3 2. Teoria dos atos de comércio (sistema francês)... 4 3.

Leia mais

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias Michele Schwan Advogada OAB/RS 86.749 As três modalidades de constituição de empresa mais utilizadas no Rio Grande do Sul, conforme a Junta

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

Capítulo II REGRAS GERAIS DO DIREITO DE EMPRESA NO CÓDIGO CIVIL DE 2002

Capítulo II REGRAS GERAIS DO DIREITO DE EMPRESA NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Sumário Capítulo I EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO DIREITO COMERCIAL 1. Origens do direito comercial 2. Da definição do regime jurídico dos atos de comércio 2.1. Definição e descrição dos atos de comércio e sua

Leia mais

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades Clique para editar o nome do autor Diretoria de Normas e Habilitação Clique para das editar Operadoras o cargo do - DIOPE autor Gerência-Geral

Leia mais

VILMAR SANTOS GUIMARÃES - ME

VILMAR SANTOS GUIMARÃES - ME COMARCA DE PORTO ALEGRE VARA DE FALÊNCIAS, CONCORDATAS E INSOLVÊNCIAS Rua Márcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10 Processo nº: Natureza: Recuperação de Empresa Autor: Vilmar Santos Guimarães

Leia mais

Direito Tributário. Aula 14. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 14. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 14 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

ÍNDICE. Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5

ÍNDICE. Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5 ÍNDICE Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5 TIPOS DE SOCIEDADES COMERCIAIS 1. Princípio da tipicidade 7 1.1. Sentido 7 1.2. Justificação 9 2. Caracterização geral dos tipos legais

Leia mais

Unidade II. Direito Comercial. Profª. Vanessa Brihy

Unidade II. Direito Comercial. Profª. Vanessa Brihy Unidade II Direito Comercial Profª. Vanessa Brihy Títulos de Crédito - Origem Teve origem na Idade Média com o intuito de facilitar a circulação da moeda (meio utilizado para a troca de mercadorias em

Leia mais

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição]

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] CAPÍTULO I. Introdução ao Curso de Contabilidade Introdução ao Curso de Contabilidade 1. Contabilidade. 2. Contabiliza.se o quê. 3. O

Leia mais

Recuperação Judicial de Créditos vs Recuperação da Empresa

Recuperação Judicial de Créditos vs Recuperação da Empresa RODOLFO VERMELHO Agente de Execução Cédula n.º 5357 Recuperação Judicial de Créditos vs Recuperação da Empresa A Tramitação da Acção Executiva e a Probabilidade da Recuperação do Crédito 02 de Abril de

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO

DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO Grupos societários e o regime legal das insolvências e recuperação de empresas Paulo Valério Relevância do tema no contexto da conferência a) Aspetos

Leia mais

Setor de Tributário. Direito Tributário I

Setor de Tributário. Direito Tributário I Setor de Tributário Direito Tributário I conceito de tributo e suas espécies; hipóteses de incidência dos tributos; competência tributária; fontes do direito tributário; princípios constitucionais do direito

Leia mais

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual.

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Leandro Antunes Monitor: André Manso AULA 19 Da responsabilidade Qualquer ato praticado pelo administrador que venha a prejudicar

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Intervenção de terceiros. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Intervenção de terceiros. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Intervenção de terceiros Prof. Luiz Dellore 1. Conceito: figura processual que possibilita ao terceiro participar do processo. Pode ocorrer de duas formas: a) Espontânea: terceiro

Leia mais

O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio

O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio O valor da recuperação judicial na continuidade do negócio VISÃO CRÍTICA DA LEI PALESTRANTE ALEXANDRE ABBY 25.SETEMBRO.2015 SÃO PAULO Observações Iniciais Contexto: 10 anos da edição da LRF e Instabilidade

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM Prof. Ma Marina Zava de Faria FACE: Marina Zava INSTA: Marina Zava Periscope:@marinazava E-mail: profmarinazava@hotmail.com DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM 1. CONCEITO: Modalidade

Leia mais

CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS

CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS Pelo presente instrumento particular de contrato [Nome do Advogado], [nacionalidade], [estado civil], advogado(a), inscrito(a) na OAB/Ba sob n. [...], inscrito(a)

Leia mais

Associação Jataiense de Educação Faculdade de Administração PLANO DE ENSINO

Associação Jataiense de Educação Faculdade de Administração PLANO DE ENSINO EMENTA Direito Comercial; Definição de Direito Comercial; Atos de comércio e a teoria da empresa; Direito de Empresa; Nome Empresarial; Estabelecimento Empresarial; Sociedades Empresariais Dos Vários tipos

Leia mais

Atividades Não Empresariais. Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais.

Atividades Não Empresariais. Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais. Atividades Não Empresariais Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais. Atividades Não Empresariais Profissionais liberais que prestam os serviços de forma direta e profissionais

Leia mais

Sobre a matéria, transcreve-se a seguinte jurisprudência:

Sobre a matéria, transcreve-se a seguinte jurisprudência: COMARCA DE PORTO ALEGRE VARA DE FALÊNCIAS, CONCORDATAS E INSOLVÊNCIAS Rua Manoelito de Ornellas, 50 Processo nº: Natureza: Recuperação de Empresa Autor: Manzoli S/A Comércio e Indústria MANLEC Réu: Manzoli

Leia mais

OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS

OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS OS DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS SÓCIOS O contrato social é o regulador das relações obrigacionais entre os sócios, alicerçada na Constituição Federal, nas leis e nos princípios gerais do Direito, sendo os

Leia mais

GABARITO SIMULADO WEB 1

GABARITO SIMULADO WEB 1 GABARITO SIMULADO WEB 1 PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A. J. Estofador, empresário individual domiciliado na Cidade do Cuiabá, é credor, por uma duplicata de prestação de serviços, devidamente

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS PORTARIA 02/2007 28 de junho de 2007 (republicação) Dispõe sobre a emissão, via internet, de CERTIDÃO NEGATIVA, CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITO DE CERTIDÃO NEGATIVA, CERTIDÃO NEGATIVA DE TRIBUTOS VINCULADA

Leia mais

PLANO DE ENSINO ANO DO VESTIBULAR: 2004 CURSO: ANO LETIVO: 2007 TURMA: 4º ANO PERICIA CONTÁBIL EMENTA

PLANO DE ENSINO ANO DO VESTIBULAR: 2004 CURSO: ANO LETIVO: 2007 TURMA: 4º ANO PERICIA CONTÁBIL EMENTA PLANO DE ENSINO ANO DO VESTIBULAR: 2004 DEPARTAMENTO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAMPUS UNIVERSITÁRIO TANGARÁ DA SERRA CURSO: ANO LETIVO: 2007 CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA: 4º ANO DISCIPLINA: PERICIA CONTÁBIL CARGA

Leia mais

Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal

Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal Rafhael Frattari Professor de Direito Tributário da FUMEC/MG Vilas Boas, Lopes e Frattari Advogados Aplicação do NCPC à Execução Fiscal»

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2016.0000591378 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2085576-68.2016.8.26.0000, da Comarca de Piracicaba, em que é agravante M.PEREIRA ADVOGADOS ASSOCIADOS,

Leia mais

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica:

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: 1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: a) sociedade em nome coletivo b) sociedade em comandita simples c) sociedade de capital e indústria

Leia mais

DECISÃO. Processo nº: Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência

DECISÃO. Processo nº: Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência fls. 394 DECISÃO Processo nº: 1012115-52.2014.8.26.0032 Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência Requerente: CENTRO DE TORNEAMENTO TONHEIRO LTDA ME Tipo Completo da Parte

Leia mais

ÓRGÃOS DA RECUPERAÇÃO E DA FALÊNCIA

ÓRGÃOS DA RECUPERAÇÃO E DA FALÊNCIA Curso de Direito Falimentar 2010, Ivanildo Figueiredo ÓRGÃOS DA RECUPERAÇÃO E DA FALÊNCIA FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO Processo judicial de intervenção estatal na atividade econômica RESPONSABILIDADE DO PROCESSO

Leia mais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais POLÍTICA DE EXERCÍCIO DO DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS 1. Objetivo A presente Política tem por objetivo estabelecer os princípios gerais,

Leia mais

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I Sumário Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas... 15 Apresentação... 17 Parte I Questões preliminares Capítulo I Formação do título executivo... 21 Marilei Fortuna Godoi Introdução... 21 1. Aspectos

Leia mais

Direção-geral da Administração da Justiça. Centro de Formação de Funcionários de Justiça

Direção-geral da Administração da Justiça. Centro de Formação de Funcionários de Justiça Centro de Formação de Funcionários de Justiça Especial Revitalização Finalidade: Destina-se a devedores em comprovada situação económica difícil ou em situação de insolvência meramente iminente. O PER

Leia mais

Manuel Nogueira Martins

Manuel Nogueira Martins Processo Especial de Revitalização PER Comarca de Leiria Alcobaça Inst. Central 2ª Sec. Comércio J2 Proc. N.º 804/15.0T8ACB 2.º Juízo Administrador Judicial Provisório: Orlando José Ferreira Apoliano Carvalho

Leia mais

RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação)

RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação) RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação) Direito Societário e a Nova Lei de Falências e Recuperação de Empresas Editora Quartier Latin do Brasil Castro, Rodrigo R. Monteiro

Leia mais

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Cobrança do ISSQN Inscrição em Dívida Ativa A Inscrição dos débitos

Leia mais

PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO

PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO Pretende-se com este artigo fazer uma analise simplificada, do que se trata a penhora online e o seu relacionamento com as empresas. O risco existente

Leia mais

Direito Empresarial. Direito Empresarial

Direito Empresarial. Direito Empresarial DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL Jorge Luís e Ana Cláudia são casados no regime de comunhão parcial de bens desde 1979. Em 17/8/2005, sem que Ana Cláudia ficasse sabendo ou concordasse, Jorge Luís,

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS PARA INCLUSÃO DA CONSULTORIA NA LISTA CURTA

PRÉ-REQUISITOS PARA INCLUSÃO DA CONSULTORIA NA LISTA CURTA PRÉ-REQUISITOS PARA INCLUSÃO DA CONSULTORIA NA LISTA CURTA A etapa pública do processo de licitação se iniciada pelo chamamento público à manifestação de Interesse de consultorias (pessoa jurídica), que

Leia mais

Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior

Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior 1 - O título de crédito, documento necessário ao exercício do direito literal e autônomo nele contido, somente

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Quinta Câmara Cível A C Ó R D Ã O

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Quinta Câmara Cível A C Ó R D Ã O Agravo de Instrumento nº 0015379-20.2016.8.19.0000 Agravante: Massa Falida de Banco Morada S/A Agravado: Maria Idelzenth Magalhães Relator: Desembargadora Maria Isabel Paes Gonçalves A C Ó R D Ã O AGRAVO

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 4.847, DE 2005

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 4.847, DE 2005 COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 4.847, DE 2005 Altera a Lei n.º 11.101, de 9 de fevereiro de 2005, que Regula a recuperação judicial, a extrajudicial e a falência

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS APROVADO EM RCA DE 27/07/2016 CAPÍTULO I DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS Art. 1º. O Comitê de Gestão de Pessoas ( Comitê ) é um órgão não estatutário, subordinado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Jorge Boeira) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Jorge Boeira) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2005 (Do Sr. Jorge Boeira) Dispõe sobre parcelamento para empresas em recuperação judicial de débitos com a Secretaria da Receita Federal, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 6 Personalidade e direitos pessoa física e jurídica Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Personalidade pessoas naturais Código Civil pessoa física sujeito de direitos e deveres Pessoas naturais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL 1. APRESENTAÇÃO A Pós-Graduação em Direito Processual Civil da FAACZ visa à conjugação das referidas áreas em meio à atualização da legislação em vigor,

Leia mais

DO ENCERRAMENTO DA FALÊNCIA E DA EXTINÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DO FALIDO

DO ENCERRAMENTO DA FALÊNCIA E DA EXTINÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DO FALIDO DO ENCERRAMENTO DA FALÊNCIA E DA EXTINÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DO FALIDO Thiago Penzin Alves Martins * RESUMO: O processo falimentar é compreendido por três fases distintas, quais sejam: a préfalimentar; a etapa

Leia mais

Aula de 16/03/15. a) Total; b) Parcial (resolução da sociedade em relação a um sócio).

Aula de 16/03/15. a) Total; b) Parcial (resolução da sociedade em relação a um sócio). Aula de 16/03/15 14. DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE CONTRATUAL - Espécies: a) Total; b) Parcial (resolução da sociedade em relação a um sócio). Todas as duas hipóteses podem ocorrer de forma judicial ou extrajudicial.

Leia mais

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS I. OBJETO Esta Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias ( Política ) tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC)

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Conceito: título de crédito nominativo, transferível e de livre negociação, que representa promessa de pagamento em dinheiro e constitui título executivo extrajudicial.

Leia mais

João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10

João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10 DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10 anos, um restaurante de comida portuguesa, que contava com clientela fiel e constante.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR PARA O QUADRIÉNIO 2009-2013 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas do concurso para

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2016.0000652885 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2104978-38.2016.8.26.0000, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é agravante ANTONIA DANTAS

Leia mais

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis AULA 5 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 5.1. Desconsideração da personalidade jurídica da empresa Em algumas situações, o patrimônio

Leia mais

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei /2005)

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei /2005) TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei 11.101/2005) TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E DECLARAÇÃO DA FALÊNCIA Da caracterização da falência Art. 1.º... Art. 94 Art. 2.º... Art. 94 Art. 3.º...

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Índice Geral...5 Nota dos Autores...7 Lei n.º 16/2012, de 20 de Abril...9 CÓDIGO DA INSOLVÊNCIA E DA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Índice Geral...5 Nota dos Autores...7 Lei n.º 16/2012, de 20 de Abril...9 CÓDIGO DA INSOLVÊNCIA E DA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS ÍNDICE SISTEMÁTICO Índice Geral...5 Nota dos Autores...7 Lei n.º 16/2012, de 20 de Abril...9 CÓDIGO DA INSOLVÊNCIA E DA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS Título I - Disposições introdutórias... 29 Capítulo I - Disposições

Leia mais

SENTENÇA. Processo Digital nº: Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência

SENTENÇA. Processo Digital nº: Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência fls. 2027 SENTENÇA Processo Digital nº: 4004874-49.2013.8.26.0019 Classe - Assunto Recuperação Judicial - Recuperação judicial e Falência Requerente: Têxtil Tabacow S/A Requerido: Textil Tabacow S/A Juiz(a)

Leia mais

Resumão sobre Cooperativismo

Resumão sobre Cooperativismo Resumão sobre Cooperativismo Apresentação Com o intuito de facilitar a compreensão em relação às cooperativas, eu tive a ideia de fazer este resumão. A iniciativa visa, primordialmente, esclarecer e tirar

Leia mais

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE 1 CONTRATO DE SOCIEDADE 1 Elementos contratuais 2 Sociedades simples e empresárias 3 Sociedades não personificadas 4 Sociedade em comum 4.1 Patrimônio social e responsabilidade

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Exposição de motivos Apesar de ter sido criado há já mais de 10 anos e muito embora esteja previsto no artigo 336.º do Código

Leia mais

DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA. Paula Freire 2012

DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA. Paula Freire 2012 DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA Paula Freire 2012 Sociedade por quotas de responsabilidade limitada e o Decreto 3.708/19 Antes da vigência do CC/2002 era regida pelo Decreto 3.708/19

Leia mais

Direito Tributário. Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro. Professora Giuliane Torres

Direito Tributário. Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro. Professora Giuliane Torres Direito Tributário Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro Professora Giuliane Torres www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Tributário SUCESSÃO EMPRESARIAL, RESPONSABILIDADE

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

1 Classificação das sociedades

1 Classificação das sociedades 1 Classificação das sociedades Qto à forma de exploração do objeto Qto à personificação Qto ao regime de constituição Qto à forma de constituição Qto à nacionalidade Qto ao capital Qto à responsabilidade

Leia mais

DIREITOS DOS ACIONISTAS

DIREITOS DOS ACIONISTAS DO GRUPO DE ESTUDOS DE DIREITO EMPRESARIAL FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Mário Tavernard Martins de Carvalho Patrocinadores: 2 Direitos essenciais

Leia mais

Da Empresa e das Pessoas que a Exercem

Da Empresa e das Pessoas que a Exercem Abreviaturas............................. 9 CAPÍTULO 1 Da Empresa e das Pessoas que a Exercem 1. Plano de estudo..................... 27 2. Teoria da empresa............... 29 3. Perfis da empresa...................

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

Direito Empresarial Prof. Gabriel Rabelo

Direito Empresarial Prof. Gabriel Rabelo Direito Empresarial Prof. Gabriel Rabelo Empresa, empresário e estabelecimento - Teoria dos atos do comércio: Sempre que alguém praticava atividade econômica que o direito considerava ato de comércio,

Leia mais