REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO (ANEXO II) GUIA PRÁTICO DOS RELATÓRIOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO (ANEXO II) GUIA PRÁTICO DOS RELATÓRIOS"

Transcrição

1 Página 1 de 5 Âmbito: O estágio curricular posiciona-se na reta final dos ciclos de estudos, perspetivando a aplicação e treino de conceitos e técnicas que foram objeto da relação de ensino-aprendizagem ao longo do mesmo. É uma experiência fundamental pela aprendizagem e desenvolvimento de competências que proporciona, de difícil ou mesmo impossível reprodução em contexto académico, devendo, por isso, ser perspetivada como uma oportunidade para a consolidação de saberes (ser/saber/fazer) e, igualmente, como porta de acesso ao mercado de trabalho, aconselhando-se a uma atitude de forte comprometimento por parte daqueles a que a ela acedam. Cada situação de estágio é única e irreproduzível: cada estudante; organização; equipa de trabalho e timing (contexto) são igualmente únicos. Os relatórios de estágio, enquanto trabalhos escritos que visam registar essa experiência, ao longo de várias etapas, devem, por isso, reproduzir essa personalização e originalidade. Número de páginas: Aconselha-se que os relatórios parciais não excedam as 10 páginas e o final as 20 páginas (excluindo os anexos). RELATÓRIOS PARCELARES 1. Página de rosto Designação da organização, nome do estudante, curso e ano letivo, indicação se é o 1.º, 2.º, 3.º ou 4.º relatório parcelar de estágio e data do relatório. 2. Índice 3. Lista de abreviaturas e siglas 4. Introdução Descrição do estágio; Como surgiu a ideia do aluno fazer o estágio na organização em causa; Motivação; Contatos realizados para a obtenção do estágio (quando tenha sido por iniciativa do próprio); Identificação do orientador e do supervisor; Descrição sumária da empresa (localização, setor de atividade); Identificação do departamento onde o estágio é desenvolvido; Indicação do desenvolvimento do relatório (variável em função do estádio em que se encontra o estágio); Outras informações relevantes. 5. Desenvolvimento Descrição detalhada das tarefas desenvolvidas ao longo das 100 horas de estágio. Identificação das áreas de intervenção e ações tratadas que: Tenham coincidido com as planificadas, por cada 100 horas, Estando planificadas, não chegaram a ser tratadas, Não estando planificadas, foram desenvolvidas. Identificação dos resultados/competências adquiridas ou reforçadas, no final de cada 100 horas, descriminando-se as que: Coincidiram com as que se previu promover, por cada 100 horas, Não estando previstas, ocorreram efetivamente, em função do desenvolvimento de determinadas tarefas ou ações, Não chegaram a ser trabalhadas ou tendo sido trabalhadas não o foram na medida necessária à produção de resultados. Identificação da(s) ação(ões) desenvolvidas da total iniciativa do Estudante: Como surgiu a ideia; Quais os conceitos base, e sua fundamentação teórica; Como decorreu a sua operacionalização (implementação prática); Que tipo de resultados trouxe ao próprio e à instituição de acolhimento. 6. Conclusão Comentários sobre o desenvolvimento do estágio. Reflexão sobre o estágio: Conceitos base (fundamentação teórica); Limitações; Resultados obtidos da implementação prática; Potencialidades e lições para o futuro. Reflexão sobre os resultados do estágio: Grau de cumprimento dos objetivos, Fundamentação.

2 Página 2 de 5 Apreciação final do estágio (avaliação do estágio pelo próprio). 7. Bibliografia Em ambas as situações indicar AUTOR, DATA, TÍTULO, e no caso de referências eletrónicas a ligação. 8. Anexos Anexo 1 Plano de Estágio Anexo 2,3,4, Documentos que o estudante tenha realizado *inquérito; conteúdos escritos, outros anexos pertinentes] (Utilizar o documento modelo de elaboração de trabalhos e relatórios, disponível em recursos livres do site da Biblioteca do ISVOUGA: ). RELATÓRIO FINAL 1. Página de rosto Designação da organização, nome do estudante, curso, ano letivo, indicação de relatório final e data. 2. Índice 3. Lista de abreviaturas e siglas 4. Introdução Objetivos do Estágio (incluindo expectativas à partida para o estágio formação teórica à aplicação prática); Duração do Estágio; Identificação do(s) orientador(es) que o acompanham na organização; Indicação do desenvolvimento do relatório. 5. Desenvolvimento - Tarefas desenvolvidas e seu enquadramento organizacional Identificação o mais completa e pormenorizada possível da organização: designação, localização, setor de atividade, capital social, natureza jurídica, forma de gestão, marcas, produtos/serviços, hierarquia dos produtos ou das gamas de produtos que produz ou comercializa, concorrência e caracterização do mercado, organigrama, importância relativa do Departamento/Setor em que se irá desenvolver o estágio, número de trabalhadores com ou sem especialização e se possível objetivo ou estratégia da organização. Análise sumária da organização, estrutura e inserção da atividade do Estagiário no departamento e nas funções que lhe foram atribuídas. Descrição sumária da(s) atividade(s) desenvolvida(s), quer a nível da fundamentação teórica, quer a nível da implementação pratica, e das responsabilidades de que foi incumbido. Comentário geral sobre a estrutura e funcionamento da organização e do departamento em que se enquadrou, referindo os aspetos positivos e negativos pontos fortes e fracos relacionando o conhecimento teórico com a sua aplicação. 6. Conclusão Concretização dos objetivos estabelecidos à partida (sim ou não) e sua justificação (fundamentação teórica e implementação prática); Vantagens, pontos fortes, perspetivas; Desvantagens, pontos fracos, limitações; Análise crítica relativa à forma como decorreu o acompanhamento, quer pelo ISVOUGA, quer pela organização; Grau de interesse do estágio para a formação pessoal do estudante numa futura inserção profissional. 7. Bibliografia 8. Anexos (Utilizar o documento modelo de elaboração de trabalhos e relatórios, disponível em recursos livres do site da Biblioteca do ISVOUGA: ). OUTRAS INDICAÇÕES Todo o relatório deve ser desenvolvido tendo como ponto de partida e perspetiva de análise, as matérias e as áreas temáticas principais (conceitos teóricos e aplicação prática), abordadas ao longo do curso. Será pois, natural, que os estudantes de Gestão de Empresas e Contabilidade aprofundem, por exemplo, questões relacionadas com as áreas, administrativa e financeira, e que os estudantes de Marketing, Publicidade e Relações Públicas desenvolvam questões relacionadas com as áreas, comercial e de mercado, imagem institucional, comunicação, etc. Os anexos são parte do relatório devendo assumir-se como auxiliares da compreensão do texto do relatório e não um seu substituto. Assim, é desejável que nos anexos constem materiais elucidativos e realmente pertinente (por exemplo: documentos produzidos durante o estágio, pelos estudantes).

3 Página 3 de 5 NOTA IMPORTANTE Em parte alguma do relatório ou dos seus anexos devem ser publicitados elementos confidenciais das entidades acolhedoras. Nunca devem ser divulgados, por exemplo, documentos sobre: Situação financeira da entidade; Declarações fiscais; Relação de fornecedores ou clientes; Remunerações de funcionários ou outros colaboradores; Valores/volumes de produtos/peças em stock; Volume de vendas; Relação com terceiros (incluindo condições comerciais com clientes). Sempre que haja necessidade de incluir algum destes elementos no relatório ou nos anexos, devem os estudantes solicitar aos responsáveis da entidade uma autorização escrita, que também deve ser incluída nos anexos.

4 Página 4 de 5 Exemplos de estrutura do Relatório de Estágio: - Exemplo 1: Estágio realizado na Caixa de Crédito Agrícola subordinado ao tema DETERMINANTES DA OFERTA DE CRÉDITO BANCÁRIO CASO PORTUGUÊS.

5 Página 5 de 5 - Exemplo 2: Estágio realizado na Grés Panaria Portugal, S.A..

REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR ESTÁGIO / PROJETO

REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR ESTÁGIO / PROJETO Página 1 de 5 Artigo 1.º (definições) 1. O Estágio corresponde a uma das duas vertentes de uma unidade curricular do 2º semestre do 3.º ano dos cursos de licenciatura de Contabilidade, Gestão de Empresas

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR Designação Seminário de Estágio Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR Designação Seminário de Estágio Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2017-2018 Designação Seminário de Estágio Secção de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações Docente (s) Rosário Lima (Responsável) Manuel Rafael Vânia

Leia mais

Regulamento de Estágios - Mestrados

Regulamento de Estágios - Mestrados Regulamento de Estágios - Mestrados (Em anexo, formulário do plano de estágio e ficha de avaliação do estágio) Faro, Setembro de 2012 1. ENQUADRAMENTO A estrutura curricular dos Mestrados da Faculdade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade Profissional para os licenciados pré-bolonha, com vista à obtenção do grau de Mestre ao abrigo da

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DE VERÃO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DE VERÃO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DE VERÃO Nos termos do art.º 24º da Lei nº 62/2007 de 10 de Setembro, compete às Instituições de Ensino Superior apoiar a inserção dos seus estudantes no mundo do trabalho. Tal

Leia mais

REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJETO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO. Equipa docente: _

REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJETO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO. Equipa docente: _ REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJETO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO Equipa docente: _ Prof. Aux. Raquel Ribeiro Regulamento de Avaliação de Conhecimentos e Competências do I Ciclo de Estudos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS. Mestrado em Design de Interiores

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS. Mestrado em Design de Interiores REGULAMENTO DE ESTÁGIOS Mestrado em Design de Interiores (Em anexo, formulário do plano de estágio e ficha de avaliação do estágio) 1. ENQUADRAMENTO CURRICULAR A estrutura curricular do Mestrado de Design

Leia mais

PREÂMBULO REGULAMENTO

PREÂMBULO REGULAMENTO 1 PREÂMBULO O presente Regulamento organiza a unidade curricular de Projecto II (Execução) do plano de estudos do curso de mestrado em Comunicação Organizacional: Cidadania, Confiança e Responsabilidade

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO REGULAMENTO DE FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO ANO LETIVO 2014/2015 Artigo 1.º Âmbito, organização e desenvolvimento da Formação em Contexto de Trabalho 1. A FCT integra um conjunto de atividades profissionais

Leia mais

Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Departamento de Sociologia. Mestrado em Sociologia

Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Departamento de Sociologia. Mestrado em Sociologia Faculdade de Letras da Universidade do Porto Departamento de Sociologia Mestrado em Sociologia PRINCÍPIOS ORIENTADORES DA DISSERTAÇÃO, ESTÁGIO E RELATÓRIO DE ESTÁGIO (aplicável no ano letivo de 2014/2015)

Leia mais

REGULAMENTO DO 2.º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO

REGULAMENTO DO 2.º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO REGULAMENTO DO 2.º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior (UBI), através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - Departamento de

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE FCT (ESTÁGIO) CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (TESP)

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE FCT (ESTÁGIO) CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (TESP) CAPITULO I PROCEDIMENTOS GERAIS Artigo 1.º Objetivo e âmbito 1. O presente documento regulamenta o funcionamento da Formação em Contexto de Trabalho (FCT) e a realização dos respetivos relatórios, dos

Leia mais

Regulamento de Estágio para o curso de Engenharia de Computação

Regulamento de Estágio para o curso de Engenharia de Computação Regulamento de Estágio para o curso de Engenharia de Computação UTFPR Campus Pato Branco 1. Introdução: Os estágios, para o curso de Engenharia de Computação da UTFPR, podem ser de dois tipos: Estágio

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Projeto 2º ano - Percurso B

Regulamento do Trabalho de Projeto 2º ano - Percurso B CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Regulamento do Trabalho de Projeto 2º ano - Percurso B COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO Coimbra 2017-2018 Índice

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades Art. 1 - Nos termos da lei 11.788 de Vinte e Cinco de Setembro de Dois Mil e Oito, considera-se

Leia mais

Documentos de Estágio

Documentos de Estágio 5. Documentos de Estágio 31 5. Documentos de Estágio 5.1 Protocolo de Estágio (Modelo - Anexo A) A concretização do Estágio será antecedida pelo estabelecimento de um Protocolo de Estágio enquadrador,

Leia mais

Regulamento de Estágios CET- Cursos Especialização Tecnológica

Regulamento de Estágios CET- Cursos Especialização Tecnológica Regulamento de Estágios CET- Cursos Especialização Tecnológica A Objectivos dos Estágios 1) Os Estágios que integram a componente de formação em contexto de trabalho dos Cursos de Especialização Tecnológica

Leia mais

REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJECTO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS

REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJECTO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO E AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS PROJECTO E SEMINÁRIO OU ESTÁGIO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS Equipa docente: Coord.: Prof. Cat. João Bettencourt da Câmara Reg:

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA. Regulamento da Componente de Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos de Especialização Tecnológica

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA. Regulamento da Componente de Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos de Especialização Tecnológica INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA Cursos de Especialização Tecnológica Regulamento da Componente de Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos de Especialização Tecnológica A componente de formação em contexto

Leia mais

PROPOSTA DE. Regulamento de funcionamento da unidade curricular de Projeto Final, do 1º ciclo em Artes e Multimédia

PROPOSTA DE. Regulamento de funcionamento da unidade curricular de Projeto Final, do 1º ciclo em Artes e Multimédia PROPOSTA DE Regulamento de funcionamento da unidade curricular de Projeto Final, do 1º ciclo em Artes e Multimédia Artigo 1º Projeto Final integrado no plano curricular De acordo com o disposto no Aviso

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES DE APRESENTAÇÃO

NORMAS COMPLEMENTARES DE APRESENTAÇÃO Faculdade de Medicina Dentária NORMAS COMPLEMENTARES DE APRESENTAÇÃO DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA DENTÁRIA 1. Estrutura da dissertação A dissertação deve ter a seguinte sequência de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS (LICENCIATURAS)

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS (LICENCIATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIOS (LICENCIATURAS) CAPÍTULO I OBJETIVOS, TIPOLOGIA E CONCEITOS Artigo 1.º Objetivos Os estágios têm como finalidade proporcionar aos estudantes: a) Um contacto com métodos e técnicas

Leia mais

NCE/17/00176 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/17/00176 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/17/00176 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior: Ipam - Instituto Português De Administração De Marketing De

Leia mais

No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final.

No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final. No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final. 2.1. Relatório de Estágio O relatório final do estágio tem uma dimensão

Leia mais

GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário)

GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário) GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário) Versão de 17 de maio de 2012 1 CARACTERIZAÇÃO DO CICLO DE ESTUDOS A.1. Instituição

Leia mais

Mestrado em Gestão 2016/2017. Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado. - Sessão de Aconselhamento -

Mestrado em Gestão 2016/2017. Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado. - Sessão de Aconselhamento - Mestrado em Gestão - Sessão de Aconselhamento - Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado 2016/2017 Mestrado em Gestão Tópicos a abordar na apresentação Enquadramento dos trabalhos

Leia mais

Mestrado em Gestão 2017/2018. Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado. - Sessão de Aconselhamento -

Mestrado em Gestão 2017/2018. Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado. - Sessão de Aconselhamento - Mestrado em Gestão - Sessão de Aconselhamento - Relatório de Estágio Trabalho de Projeto Dissertação de Mestrado 2017/2018 Mestrado em Gestão Tópicos a abordar na apresentação Enquadramento dos trabalhos

Leia mais

índice V 05 31/01/2014 sim

índice V 05 31/01/2014 sim manual de garantia da qualidade índice V 05 31/01/2014 sim I*01 promulgação V 00 31/10/2011 sim I*02 estrutura V 01 30/03/2012 sim I*03 revisão V 01 30/03/2012 sim I*04 distribuição V 02 31/01/2013 sim

Leia mais

Resolução 025/2012 da Pró-Reitoria de Graduação

Resolução 025/2012 da Pró-Reitoria de Graduação REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E URBANA Resolução 025/2012 da Pró-Reitoria de Graduação Capitulo I Da definição Art. 1º - O estágio não obrigatório, de caráter

Leia mais

Regulamento Específico do Processo de Creditação das Qualificações Profissionais. Preâmbulo

Regulamento Específico do Processo de Creditação das Qualificações Profissionais. Preâmbulo Regulamento Específico do Processo de Creditação das Qualificações Profissionais Preâmbulo A implementação da declaração de Bolonha preconiza a possibilidade, para prosseguimento de estudos no ensino superior,

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º 02/SAICT/2018 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO SISTEMA DE APOIO À INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO. Ano letivo 2014/2015 PLANO DE FORMAÇÃO. Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GAVIÃO. Ano letivo 2014/2015 PLANO DE FORMAÇÃO. Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes. Ano letivo 2014/2015 PLANO DE FORMAÇÃO Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes. (Paulo Freire) Índice Introdução... 2 Objetivos... 3 Destinatários do Plano de Formação... 4 Etapas de Concretização

Leia mais

relatório do diretor de curso

relatório do diretor de curso relatório do diretor de curso ano letivo 2016-17 unid código curso curso estga 8908 LICENCIATURA EM GESTÃO COMERCIAL (1ºCICLO) unid UU nome estga mjfelicio@ua.pt MARIA JOSÉ RODRIGUES FELÍCIO DE MOURA E

Leia mais

Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho

Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho A Formação em Contexto de Trabalho (FCT) faz parte integrante do Plano Curricular de qualquer Curso Profissional e é indispensável para a obtenção de um

Leia mais

Capítulo I OBJETO Artigo 1.º. Este regulamento aplica-se, especificamente, aos estágios curriculares no âmbito do Mestrado em Economia da FEUC.

Capítulo I OBJETO Artigo 1.º. Este regulamento aplica-se, especificamente, aos estágios curriculares no âmbito do Mestrado em Economia da FEUC. REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES NO ÂMBITO DO MESTRADO EM ECONOMIA (EM VIGOR A PARTIR DO ANO LETIVO 2014/2015) Capítulo I OBJETO Artigo 1.º Este regulamento aplica-se, especificamente, aos estágios

Leia mais

Maiêutica Cooperativa de Ensino Superior, C.R.L. Regulamento Geral das Unidades Curriculares De Estágio

Maiêutica Cooperativa de Ensino Superior, C.R.L. Regulamento Geral das Unidades Curriculares De Estágio Maiêutica Cooperativa de Ensino Superior, C.R.L. Regulamento Geral das Unidades Curriculares De Estágio PREÂMBULO ( ) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Âmbito de Aplicação) O presente regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO Atualizado em janeiro de 2015 UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO Organização Vera Lucia Lima do Espírito Santo Colaboração Coordenadores de Cursos de Graduação 1 Sumário Lista de Anexos... 3 Apresentação... Fundamentação

Leia mais

mestrado normas para a realização de prova de estágio

mestrado normas para a realização de prova de estágio natureza O perfil do Relatório de Estágio deve obedecer ao artigo 20º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 7 de agosto, ou seja, corresponder a um trabalho realizado no âmbito de um estágio curricular de caráter

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais PROJETO REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR DISSERTAÇÃO/PROJETO/ESTÁGIO DOS CURSOS DE MESTRADO DO INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Ao abrigo da autonomia científica,

Leia mais

NCE/14/01721 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01721 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01721 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Viseu A.1.a.

Leia mais

REGULAMENTO DE PROJETO E INTERVENÇÃO PRÁTICA LICENCIATURA EM DESPORTO E ATIVIDADE FÍSICA

REGULAMENTO DE PROJETO E INTERVENÇÃO PRÁTICA LICENCIATURA EM DESPORTO E ATIVIDADE FÍSICA REGULAMENTO DE PROJETO E INTERVENÇÃO PRÁTICA LICENCIATURA EM DESPORTO E ATIVIDADE FÍSICA Ano Semestre(s) Tempo de trabalho (horas) Total Contato Autónomo ECTS 3º 1º e 2º 405+405 SM: 15+15; E:75+75; OT:30+30

Leia mais

Avaliação da formação. Um estudo de caso. Ana Veloso

Avaliação da formação. Um estudo de caso. Ana Veloso Avaliação da formação. Um estudo de caso. Ana Veloso Levantamento necessidades de formação Definição de objectivos Desenho do programa Avaliação e acompanhamento Implementação do programa Modelo de Kirkpatrick

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 6º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 6º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO 0 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 6º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II CAMPOS DOS GOYTACAZES

Leia mais

Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015

Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015 João Adelino Matias Lopes dos Santos Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015 Ciclos de Sábados Porto, 16 de abril de 2016 Índice Enquadramento normativo Fases do processo de transição

Leia mais

TCE Manual para Apresentação de Trabalho de Conclusão de Estágio

TCE Manual para Apresentação de Trabalho de Conclusão de Estágio UNIVILLE SENAI TCE Manual para Apresentação de Trabalho de Conclusão de Estágio Roteiro para apresentação do TCE Consultar: Guia para Apresentação de Trabalhos Acadêmicos UNIVILLE 2003 (livreto verde)

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Licenciatura em Contabilidade. Sara Sofia Vidal Arede. novembro H.1. r9 [[1

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Licenciatura em Contabilidade. Sara Sofia Vidal Arede. novembro H.1. r9 [[1 Tp Licenciatura em Contabilidade ;. 71 - r9 [[1 RELATÓRIO DE ESTÁGIO H.1 novembro 1 2016 Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda RELATÓRIO DE ESTÁGIO ALIANÇA - Vinhos de

Leia mais

Escola Secundária /3 de Amarante

Escola Secundária /3 de Amarante Cursos Profissionais Regulamento da Prova de Aptidão Profissional ARTIGO 1.º Enquadramento Legal A Portaria n.º 74-A/2013 de 15 de fevereiro estabelece no seu ponto 1 do artigo 19.º que a A PAP rege-se,

Leia mais

VAGA DE ESTÁGIO NA ÁREA COMERCIAL Atividades: Auxiliar no acompanhamento de pedidos de vendas, prazos de entrega das propostas e serviços, elaboração de propostas comerciais, realização de pesquisa de

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Regulamento de Estágios 01.10.05 Conteúdo Enquadramento... 3 1 Caracterização... 3 2 Candidatura... 3 2.1 Estágios organizados pelos estudantes... 3 2.1.1 Trabalhadores estudantes... 3 3 Colocação... 4

Leia mais

Programa Nacional de Formação de Treinadores Portugal

Programa Nacional de Formação de Treinadores Portugal Programa Nacional de Formação de Treinadores Portugal VIAS DE ACESSO AO TÍTULO DE TREINADOR PROFISSIONAL DE DESPORTO José Curado Vice-Presidente ICCE (Europa) GCH/Rio de Janeiro 2016.08.11 Eduardo Galeano

Leia mais

Regulamento da Unidade Curricular de Estágio (Formação em Contexto de Trabalho) dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP)

Regulamento da Unidade Curricular de Estágio (Formação em Contexto de Trabalho) dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP) Regulamento da Unidade Curricular de Estágio (Formação em Contexto de Trabalho) dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP) Página 1 de 7 CAPÍTULO I Conceitos, objetivo e âmbito Artigo 1º Conceitos

Leia mais

ENG09046 Terça-feira, das 16h30 às 18h10 Agosto de 2012

ENG09046 Terça-feira, das 16h30 às 18h10 Agosto de 2012 ENG09046 Terça-feira, das 16h30 às 18h10 Agosto de 2012 Objetivo geral da disciplina Preparar o aluno à prática profissional. A disciplina deve ser cursada paralelamente ao estágio supervisionado. Plano

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG COLEGIADO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 100, DE 13 DE DEZEMBRO DE CAPÍTULO I Da Definição

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG COLEGIADO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 100, DE 13 DE DEZEMBRO DE CAPÍTULO I Da Definição MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitoria de Graduação Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-001 Fone: (35) 3701-9152 grad@unifal-mg.edu.br UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA PRÁTICA SIMULADA DOS CURSOS VOCACIONAIS (9º ANO)

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA PRÁTICA SIMULADA DOS CURSOS VOCACIONAIS (9º ANO) Escola Profissional de Tecnologia e Eletrónica ESPECÍFICO DA PRÁTICA SIMULADA DOS CURSOS VOCACIONAIS (9º ANO) Rua António Silva Marinho, 117. 4100-064. PORTO Tel. 22 610 6 1 94 / 5. Fax: 22 610 61 96 E-mail:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Definição e Objetivos

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Definição e Objetivos REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento fixa as normas gerais relativas ao funcionamento da componente de formação prática

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTÁGIO Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTÁGIO Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular ESTÁGIO Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ESTÁGIO (L4425) 5. Área Científica

Leia mais

4ª Conferência Internacional Educação Financeira Desafios e oportunidades

4ª Conferência Internacional Educação Financeira Desafios e oportunidades Educação Financeira nas Escolas no quadro da Educação para a Cidadania O Referencial de Educação Financeira para a Educação Pré-Escolar, o Ensino Básico, o Ensino Secundário e a Educação e Formação de

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO. Coordenadora de Estágio - Diurno: Prof.ª Ma. Marlene de Jesus Silva Santos.

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO. Coordenadora de Estágio - Diurno: Prof.ª Ma. Marlene de Jesus Silva Santos. Coordenadora de Estágio - Diurno: Prof.ª Ma. Marlene de Jesus Silva Santos e-mail: estagioss@unb.br e-mail: marlenedjss@unb.br Quarta-feira: 10h às 12h. 1 / 11 Prof.ª Dr.ª Karen Santana de Almeida Vieira

Leia mais

MESTRADOS. PARTE I (Aula comum) TRABALHO FINAL DE MESTRADO Trabalho Projecto Relatório de Estágio. ISEG PROGRAMA Tópicos Principais

MESTRADOS. PARTE I (Aula comum) TRABALHO FINAL DE MESTRADO Trabalho Projecto Relatório de Estágio. ISEG PROGRAMA Tópicos Principais Mestrados MESTRADOS PARTE I (Aula comum) TRABALHO FINAL DE MESTRADO Trabalho Projecto Relatório de Estágio 1 PROGRAMA Tópicos Principais Tipos de trabalho final Trabalho Projecto Relatório de Estágio Explicação

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Introdução O presente regulamento constitui um documento interno do curso de Ciências Contábeis e tem por objetivo reger as atividades relativas ao Estágio Supervisionado.

Leia mais

Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C

Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO Coimbra 2016-2017 Índice Introdução...

Leia mais

Câmpus Universitário de Bauru REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS UNESP / CÂMPUS BAURU

Câmpus Universitário de Bauru REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS UNESP / CÂMPUS BAURU REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS UNESP / CÂMPUS BAURU Capítulo I Caracterização e Objetivos Art. 1º - O presente regulamento constitui parte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1 Curso: Bacharelado em Administração Pública. 1.2 Ano: 3 1.3 Módulo: 6 1.4 Disciplina: Administração Estratégica 1.5 Carga Horária: 60h 1.6 Caráter: Obrigatória

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO PROCESSO DE BOLONHA 2008/2009

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO PROCESSO DE BOLONHA 2008/2009 RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO PROCESSO DE BOLONHA 2008/2009 1. Introdução O ano lectivo de 2008/2009 assinalou a adopção plena no ISG das reformas curriculares previstas no acordo de Bolonha, bem com de outras

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR Câmpus Londrina Departamento Acadêmico de Engenharia de Produção

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR Câmpus Londrina Departamento Acadêmico de Engenharia de Produção MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR Câmpus Londrina Departamento Acadêmico de Engenharia de Produção NORMAS E PROCEDIMENTOS COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 26/16, de 06/07/16. CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

relatório do diretor de curso

relatório do diretor de curso relatório do diretor de curso ano letivo 2016-17 unid código curso curso isca 8294 LICENCIATURA EM CONTABILIDADE (ENSINO À DISTÂNCIA) (1º CICLO) unid UU nome isca cecilia.carmo@ua.pt CECÍLIA MARGARITA

Leia mais

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário. Resolução n.º 31/2015 Estabelece a Criação Regulamento de Estágio do Curso de Bacharelado em Engenharia de Produção da Faculdade Campo Real O Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Licenciatura em Desporto Ano letivo 2015/2016 Unidade Curricular Organização e Gestão do Desporto ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 3ºAno Semestre 1º Horas de trabalho globais Docente(s) António Albino

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA.

NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA. ANEXO 02 DA RESOLUÇÃO CGESA Nº 001, DE 27 DE MARÇO DE 2013. NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA. A estrutura do TCC deverá ser composta por pré-texto,

Leia mais

CEF/0910/25926 Decisão de Apresentação de Pronúncia (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/25926 Decisão de Apresentação de Pronúncia (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/25926 Decisão de Apresentação de Pronúncia (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/25926 Decisão de Apresentação de Pronúncia (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Decisão de

Leia mais

Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO DE LIVROS NA BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO

Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO DE LIVROS NA BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO DE LIVROS NA BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO 001 Ciência e conhecimento geral D 004 Informática (em geral) D 004.4 Programas de computador (software)

Leia mais

Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO DE LIVROS NA BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO

Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO DE LIVROS NA BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO Lista de Rubricas LOCALIZAÇÃO E LIVROS NA BIBLIOTECA OMINGOS CRAVO (ISCA-UA) BIBLIOTECA OMINGOS CRAVO Lista de rubricas Rubrica Assunto Local Estante 001 Ciência e conhecimento geral 004 Informática (em

Leia mais

REGULAMENTO DE PROJETO / ESTÁGIO DO MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA PREÂMBULO ARTIGO 1º (ÂMBITO) ARTIGO 2º (NATUREZA DO PROJETO/ESTÁGIO)

REGULAMENTO DE PROJETO / ESTÁGIO DO MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA PREÂMBULO ARTIGO 1º (ÂMBITO) ARTIGO 2º (NATUREZA DO PROJETO/ESTÁGIO) REGULAMENTO DE PROJETO / ESTÁGIO DO MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA PREÂMBULO A unidade curricular de Projeto/Estágio, do 2º ano do Mestrado em Engenharia Mecânica, pretende proporcionar aos alunos a aplicação

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Relatório de Autoavaliação às Unidades Curriculares MESTRADO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO- 2016/2017 1. Introdução A avaliação está intimamente ligada ao processo de qualidade,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO O presente regulamento normatiza a atividade de Estágio, componente dos Projetos Pedagógicos dos cursos oferecidos pela Faculdades Gammon, mantida pela Fundação Gammon de Ensino

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Medicina do Trabalho (CMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das atividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo em conta o respetivo

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO E SÓCIO-ECONÔMICAS CCA/ESAG DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E

Leia mais

3/9/2017 O presente formulário serve apenas para CONSULTA. A candidatura apenas será válida se for apresentada através do formulário online.

3/9/2017 O presente formulário serve apenas para CONSULTA. A candidatura apenas será válida se for apresentada através do formulário online. O presente formulário serve apenas para CONSULTA. A candidatura apenas será válida se for apresentada através do formulário online. Formulário de candidatura ao Programa de Apoio aos Agentes Culturais

Leia mais

Ano Letivo: Grupo Disciplinar: Fiscalidade ECTS: 6,0. Regime: D, PL. Semestre: S2

Ano Letivo: Grupo Disciplinar: Fiscalidade ECTS: 6,0. Regime: D, PL. Semestre: S2 IMPOSTOS SOBRE A DESPESA [12102] GERAL Ano Letivo: 201718 Grupo Disciplinar: Fiscalidade ECTS: 6,0 Regime: D, PL Semestre: S2 OBJETIVOS Esta unidade curricular oferece uma cobertura abrangente das questões

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

REGIMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO FACULDADE CAMPO REAL REGIMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Prof. Carlos Bernardo Gouvea Pereira COORDENADOR ADJUNTO GUARAPUAVA 2013 REGIMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Leia mais

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TRABALHO FINAL DE CURSO Ano Lectivo 2017/2018

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TRABALHO FINAL DE CURSO Ano Lectivo 2017/2018 Programa da Unidade Curricular TRABALHO FINAL DE CURSO Ano Lectivo 2017/2018 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Regulamento Geral da Formação em Contexto de Trabalho. (Nos termos do artº 5º da Portaria nº 74-A/2013, de 15 de fevereiro)

Regulamento Geral da Formação em Contexto de Trabalho. (Nos termos do artº 5º da Portaria nº 74-A/2013, de 15 de fevereiro) Regulamento Geral da Formação em Contexto de Trabalho (Nos termos do artº 5º da Portaria nº 74-A/2013, de 15 de fevereiro) I - Enquadramento 1. A matriz curricular para os Cursos Profissionais, de acordo

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 5º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 5º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO 0 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE CAMPUS CAMPOS CENTRO LICENCIATURA EM... 5º PERÍODO NOME DO ESTAGIÁRIO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I CAMPOS DOS GOYTACAZES

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares. Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares. Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estrate gico Compreender o conceito de marketing e as diferentes orientações das organizações para

Leia mais

Concurso Todos Contam. 5.ª edição

Concurso Todos Contam. 5.ª edição PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Concurso Todos Contam 5.ª edição Regulamento do Concurso O Concurso Todos Contam é uma iniciativa promovida pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, entidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG COLEGIADO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 003, DE 22 DE JANEIRO DE CAPÍTULO I Da Definição

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG COLEGIADO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 003, DE 22 DE JANEIRO DE CAPÍTULO I Da Definição MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitoria de Graduação Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-001 Fone: (35) 3701-9152 grad@unifal-mg.edu.br UNIVERSIDADE

Leia mais

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura. Consideração Prévia

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura. Consideração Prévia Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura Consideração Prévia A Dissertação para Conclusão do Mestrado Integrado em Arquitectura

Leia mais

Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C

Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C CURSO DE 2º CICLO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Regulamento de Estágios 2º ano - Percurso C COORDENAÇÃO DO CURSO DE 2º CICLO EM GRHCO Coimbra 2015-2016 Índice Introdução...

Leia mais

Programa de Mestrado em Relações Internacionais Anos letivos

Programa de Mestrado em Relações Internacionais Anos letivos Programa de Mestrado em Relações Internacionais Anos letivos 2013-2015 Regras de funcionamento Regras de avaliação Todos os seminários do programa de mestrado funcionam exclusivamente em regime de avaliação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LICENCIATURA EM PEDAGOGIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2013 SUMÁRIO 1. TCC 3 2. Atividade de Orientação 4 3. Avaliação 5 4. Disposições Gerais 7 1. TCC O Trabalho

Leia mais

Adenda ao PLANO DE ATIVIDADES PARA 2018 DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO ISEG

Adenda ao PLANO DE ATIVIDADES PARA 2018 DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO ISEG Adenda ao PLANO DE ATIVIDADES PARA 2018 DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO ISEG Adenda em abril 2018 (V1) ÍNDICE MISSÃO, VALORES E VISÃO DA ESCOLA... 4 CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA... 5 I. SITUAÇÃO

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão de Recursos Humanos

Curso de Especialização em Gestão de Recursos Humanos Curso de Especialização em Gestão de Recursos Humanos Índice Designação do Curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais