Ricardo Abreu & Advogados Associados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ricardo Abreu & Advogados Associados"

Transcrição

1 I. DA TRANSFERÊNCIA 1. A transferência se caracteriza pelo deslocamento do empregado, de um estabelecimento ou empresa, para outro (a) do mesmo grupo, com mudança de seu domicílio (art. 469, da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT), que é o local no qual fixa sua residência com ânimo definitivo. A transferência não implica em rompimento da relação de emprego, não existindo qualquer dispositivo legal que obrigue uma empresa a rescindir o contrato de trabalho do empregado, nessas circunstâncias Entretanto, a CLT, como regra geral, proíbe a transferência de empregado, salvo quando: (i) expressamente prevista no Contrato de Trabalho; (ii) decorrente da natureza da função exercida pelo empregado; (iii) o empregado exercer cargo de confiança; e (iv) ocorrer extinção do estabelecimento; Não existindo, porém, cláusula contratual prevendo a transferência, ou não tendo ela jamais sido exercida, somente será reputada válida se existir (i) mútuo acordo; (ii) não existir prejuízo ao empregado (art. 468 da CLT) e (iii) decorrer de real necessidade de serviço. II. DA RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA 4. - Conforme art. 2º, parágrafo 2º da CLT, sempre que "... uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, constituindo grupo industrial, comercial, ou de qualquer outra atividade econômica, serão, para os efeitos da relação de emprego, solidariamente responsáveis a empresa principal e cada uma das subordinadas." 5. - Conclui-se que, perante a legislação trabalhista brasileira, as duas empresas envolvidas na transferência serão havidas como pertencentes a um mesmo grupo econômico, mesmo que juridicamente distintas entre si, sem qualquer vínculo de subordinação entre elas. Nesse sentido, caso os direitos de um empregado transferido para o exterior não sejam quitados regularmente, poderão esses direitos ser aqui reclamados, quando do retorno ao Brasil. Do mesmo modo, se os direitos relativos ao período trabalhado no exterior não forem totalmente quitados, poderão ser, igualmente, pleiteados no Brasil. 6. Cumpre observar que de acordo com a Súmula 207, do Tribunal Superior do Trabalho, a relação jurídica trabalhista é regida pelas leis vigentes no país da prestação do serviço e não por aquelas do local da contratação do empregado e que a competência das Varas do Trabalho do Brasil estende-se aos dissídios 1

2 ocorridos em agência ou filial no estrangeiro, desde que o empregado seja brasileiro e não haja convenção internacional dispondo em contrário. III. DO ADICIONAL E DAS DESPESAS DE TRANSFERÊNCIA 7. - O art. 470 da CLT determina que as despesas resultantes da transferência correrão às expensas do empregador. Verifica-se, portanto, que todas as despesas resultantes da transferência do empregado, tais como, passagens, fretes, carretos, diárias para viagem, numerário para imprevistos, etc., deverão não só ser suportadas pelo empregador, como também colocadas à disposição do empregado antes de sua partida Além disso e nos casos de transferência provisória, uma vez que já se tem definida a data ou a época do retorno do empregado, o empregador está obrigado a pagar ao empregado um adicional de no mínimo 25% de seu salário, ressalvadas eventuais normas coletivas, mais favoráveis ao trabalhador. Esse pagamento tem natureza salarial, incidindo, pois, em todas as demais verbas decorrentes do Contrato de Trabalho, enquanto durar a transferência. Ressaltamos, entretanto, a existência de jurisprudência entendendo ser indevido o pagamento do adicional, nos casos (i) de empregado exercente de cargo de confiança e (ii) onde haja condição expressa ou implícita, da possibilidade de remoção A ajuda de custo mensal, a ser paga ao empregado, não se confunde com o adicional de transferência mencionado, sendo institutos totalmente distintos. No entanto, nada impede que parte da Ajuda de Custo mensal seja paga, destacadamente, a título de Adicional de Transferência, desde que seja respeitado o percentual mínimo acima mencionado. Observamos que se a Ajuda de Custo é verba tipicamente trabalhista, ligada à viagem, só deve ser paga uma só vez, e não mensalmente. 10. Observe-se que a prática de reunir, sob um mesmo título, diversas parcelas legais, é repudiada pela Justiça do Trabalho, na medida em que impede a verificação do correto pagamento dos direitos assegurados ao empregado. Dessa forma, não é aconselhável que a quantia a ser concedida mensalmente ao empregado, a título de Ajuda de Custo, seja paga globalmente, a título de Ajuda de Custo e Adicional de Transferência, devendo ser atribuída uma quantia diferente a cada uma dessas rubricas O Regulamento da Previdência Social - Decreto n /99, dispõe, em seu artigo 214, parágrafo 9º, item VII, que não integra o salário de contribuição: 2

3 "a ajuda de custo, em parcela única, recebida exclusivamente em decorrência de mudança de local de trabalho do empregado, na forma do art. 470 da Consolidação das Leis do Trabalho" Assim, conforme esse dispositivo legal, verifica-se que a Ajuda de Custo, paga de uma única vez, pelo empregador, em decorrência da transferência do local de trabalho do empregado, não constitui base de cálculo da contribuição previdenciária Dessa forma, deverá o empregador efetuar o pagamento antecipado ao empregado, das verbas necessárias à sua locomoção, bem como a de sua família, de uma só vez. Nessa hipótese, será necessário que o empregado efetue, antes da transferência, uma estimativa do valor dos seus gastos com passagens, frete, mudança e outras necessidades, lógicas e necessárias à sua transferência, para que a empresa, antecipadamente, conceda o valor a ser utilizado conforme as necessidades do empregado Entretanto, tendo em vista a provisoriedade da transferência, existirão despesas que deverão ser pagas mensalmente, como, por exemplo, o aluguel de um imóvel. Para essas despesas, que não podem ser quitadas de uma única vez, conforme prevê a legislação previdenciária, haverá a possibilidade de caracterizá-las como Ajuda de Custo, na forma do art. 457, da CLT., que determina: "Art Compreende-se na remuneração do empregado, para todos os efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, como contraprestação do serviço, as gorjetas que receber. Parágrafo segundo - Não se incluem nos salários as ajudas de custo, assim como as diárias para viagem que não excedam de cinqüenta por cento do salário percebido pelo empregado." Vale mencionar que essa ajuda de custo tem natureza de indenização dos gastos efetuados pelo empregado no desempenho de suas funções. Não importa se o valor pago a título de ajuda de custo é maior ou menor do que 50%, pois em nenhuma hipótese integrará o salário, até porque não há qualquer remissão a ajuda de custo no parágrafo primeiro do art. 457, da CLT. O percentual indicado diz respeito, apenas, a diárias Ressalte-se que no caso de ser efetuado qualquer pagamento, a título de ajuda de custo, o empregado deverá apresentar ao empregador todas as Notas Fiscais, identificadoras dos gastos, lançadas no próprio nome do empregado, para que fique devidamente caracterizado o ressarcimento de despesas, referindo-se a desembolsos em função de o empregado ter de trabalhar em local diverso do que foi contratado, ou de seu domicílio, dentro do período da transferência provisória. 3

4 IV. BENEFÍCIOS Todo e qualquer benefício, concedido por mera liberalidade pelo empregador, expressa ou tacitamente convencionado, passará a integrar as condições gerais do Contrato de Trabalho, para todos os efeitos legais, não podendo mais ser suprimido. Isto porque, conforme a legislação brasileira, qualquer alteração contratual que venha a causar prejuízos ao empregado, até mesmo com seu consentimento, é proibida, e será considerada nula de pleno direito Assim, tendo em vista a natureza protecionista do direito do trabalho brasileiro, na hipótese do retorno de um empregado transferido para o exterior, poderá ele vir a reclamar, em Juízo, no Brasil, que todas as vantagens e benefícios concedidos pela empresa estrangeira, durante o período em que trabalhou no exterior, sejam incorporados ao Contrato de Trabalho mantido com o empregador nacional Poderá pleitear, por exemplo, que os depósitos relativos ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, no Brasil, sejam feitos considerando a remuneração global, paga no Brasil e no exterior. Por outro lado, poderão ser reclamados os pagamentos dos direitos havidos no Brasil, que vieram a ser reduzidos no período trabalhado para a empresa estrangeira Existem boas possibilidades de êxito para o empregado, caso haja essa reclamação, uma vez que a lei brasileira veda qualquer alteração contratual que gere prejuízos ao empregado. No mesmo sentido, a jurisprudência reconhece que todas as vantagens concedidas aos empregados não podem ser suprimidas posteriormente. V. DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Consoante a legislação previdenciária, todo empregado deve necessariamente estar filiado à Previdência Social. A Seguridade Social no Brasil é custeada pelas contribuições mensais dos empregados, dos empregadores e do Estado. Esses pagamentos darão o direito ao empregado de receber os direitos que lhe são assegurados pela Previdência Social O empregado de empresa brasileira, transferido para o exterior - conservando, portanto, seu vínculo empregatício também continua como segurado obrigatório da previdência social. Os recolhimentos respectivos devem continuar a ser feitos, tal qual ocorreu até o momento da transferência. Rio de Janeiro, 2 de abril de

5 Mathias G. H. von Gyldenfeldt 5

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas (Aula 3) Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Alteração do contrato 1. Complete a frase: A mudança

Leia mais

Política de Transferência

Política de Transferência 1. Objetivo Objetivo de definir uma política corporativa para transferência provisória de empregados entre as filiais da Zatix, visando uniformidade de práticas. 2. Abrangência Todas as empresas pertencentes

Leia mais

Tabela de incidência de INSS, FGTS e Imposto de Renda e legislação correlata

Tabela de incidência de INSS, FGTS e Imposto de Renda e legislação correlata Tabela de incidência de INSS, FGTS e Imposto de Renda e legislação correlata RUBRICAS INCIDÊNCIAS INSS FGTS IR Abono de qualquer natureza, salvo o de férias Incide Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Cargo de confiança 1) A determinação do empregador para que

Leia mais

Aviso Prévio indenizado OBS: o posicionamento do STJ não há a incidência de INSS sobre o aviso prévio indenizado, devendo o verificado o posicionament

Aviso Prévio indenizado OBS: o posicionamento do STJ não há a incidência de INSS sobre o aviso prévio indenizado, devendo o verificado o posicionament de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono Adicionais (Insalubridade, periculosidade, noturno, de função e tempo de serviço, de transferência, Horas extras)

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS Abono Adicionais RUBRICAS de qualquer natureza, salvo o de férias pecuniário de férias (Insalubridade, periculosidade, noturno, de função e tempo de serviço,

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 11/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 4 5. Informações

Leia mais

Relatório. Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 368 - Cosit Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS DIRETOR DE SOCIEDADE ANÔNIMA.

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF -Tabela de Incidências

INSS/FGTS/IRRF -Tabela de Incidências INSS/FGTS/IRRF -Tabela de Incidências RUBRICAS de qualquer natureza, salvo o de férias INCIDÊNCIAS INSS FGTS IR 28, I, e 1º, art. 457 da CLT Não. Abono pecuniário de férias Não. Arts. 28, 9º, e, 6 Art.

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF Tabela de incidências Tabela de incidências Fonte: ECONET EDITORA RUBRICAS INCIDÊNCIAS INSS FGTS IR 28, I, Lei n de qualquer natureza, salvo o de Sim. Arts. 3 e 7 e 1, art. férias 457 da

Leia mais

DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS

DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS 1 NOTA JURÍDICA N.º 003/2007 DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS Primeiramente teceremos alguns comentários

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Fontes e princípios do Direito do Trabalho. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Fontes e princípios do Direito do Trabalho. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Fontes e princípios do Direito do Trabalho Prof. Hermes Cramacon 1. Fontes materiais - norma ainda não positivada. Momento pré-jurídico. Correntes de pensamento econômico, jurídico,

Leia mais

Jornada de trabalho.

Jornada de trabalho. Jornada de trabalho. 1. Conceito: é uma medida de tempo no qual se inclui o labor diário. a) 1ª concepção: teoria do tempo efetivamente trabalhado, sendo o período do dia em que o empregado efetivamente

Leia mais

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS

REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS REMUNERAÇÃO E ADICIONAIS LEGAIS 1 Conceito Salário complessivo corresponde aos pagamentos efetuados diretamente pelo empregador em favor do empregado, em virtude da vigência do contrato de trabalho, bem

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Remuneração e salário Prof. Hermes Cramacon Remuneração Consiste na somatória da contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em pecúnia, seja em utilidades, com a quantia

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2000 Entre as partes, de um lado: SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS FABRICANTES DE PEÇAS E PRÉ-FABRICADOS EM CONCRETO DO ESTADO DE SÃO PAULO e de outro lado: SINDICATO

Leia mais

Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 05 Filiação e inscrição e salário-de-contribuição

Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 05 Filiação e inscrição e salário-de-contribuição Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 05 Filiação e inscrição e salário-de-contribuição Filiação e Inscrição ao RGPS 33. (1º Simulado/Profº Francisco Júnior/Preparatório INSS- 2015)

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos. Atraso no pagamento das verbas rescisórias (Art. 477, 8º- CLT)

Orientações Consultoria de Segmentos. Atraso no pagamento das verbas rescisórias (Art. 477, 8º- CLT) Atraso no pagamento das verbas rescisórias (Art. 477, 8º- CLT) 29/03/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 4 4 Conclusão... 5 5 Informações Complementares...

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

Legislação Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p REMUNERAÇÃO

Legislação Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p REMUNERAÇÃO 15 Legislação Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p REMUNERAÇÃO Definição É o conjunto de retribuições recebidas habitualmente pelo empregado pela prestação de serviços, seja em dinheiro ou utilidades,

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.302-E DE 1998 Altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Cálculo das verbas rescosórias *Adriano Martins Pinheiro Este artigo apontará quais são as verbas rescisórias a serem recebidas após a rescisão. Enumeramos as possibilidades de rescisão:

Leia mais

Salário de Contribuição

Salário de Contribuição Salário de Contribuição Prof. Eduardo Tanaka 1 Conceito: Salário-de-contribuição é a denominação da base de cálculo da contribuição a ser recolhida pelos segurados empregados, avulsos, empregados domésticos,

Leia mais

Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos

Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos Direitos Trabalhistas Justiça do Trabalho e Recursos Humanos Palestrante: Estabilidade gestante Estabilidade Acidentária Jornada 12 x 36 Períodos de Intervalo Insalubridade Prof. Cristiano Magalhães 1

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO Atualizado em 13/01/2016 PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIO PROTETOR Nas relações empregatícios sempre existe o conflito entre o detentor

Leia mais

HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO CONTRATUAL DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Homologação da terminação do. Maria Inês Gerardo

HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO CONTRATUAL DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Homologação da terminação do. Maria Inês Gerardo Aula 9 Homologação da terminação do contrato de trabalho Maria Inês Gerardo www.mariainesgerardo.com.br Facebook: Maria Inês Gerardo Conteúdo Programático desta aula Homologação da terminação do contrato

Leia mais

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula Aula 9 Indenização do tempo de serviço Conteúdo Programático desta aula Indenização por tempo de serviço: conceito, fundamentos jurídicos e evolução histórica. O sistema do FGTS: evolução histórica; natureza

Leia mais

Tabela de Remuneração Equipe de Lazer e Recreação

Tabela de Remuneração Equipe de Lazer e Recreação Tabela de Remuneração Equipe de Lazer e Recreação Tipos de contrato/relacionamento: São pessoas contratadas para um evento ou período específico não tendo relações trabalhistas entre as partes (Contratante

Leia mais

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CESSÃO DE EMPREGADOS COD: NOR 318 APROVAÇÃO: Resolução Nº 14/2010, de 08/10/2010 NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 1/6 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 02 2.

Leia mais

DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário

DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº 28.206 Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário pode atuar profissionalmente com naturezas de prestação

Leia mais

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016 Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016 Nota: Em caso de feriados estaduais e municipais, os vencimentos das obrigações principais deverão ser antecipados

Leia mais

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados Projeto de lei 4330/2004 - quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados PL 4330 - projeto original apresenta à Ementa: Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços e as relações

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO Índice 1. Jornada de trabalho...3 2. Formas de Prorrogação da Jornada de Trabalho...4 3. Horas Extras no Caso de Força Maior...5 4. Trabalho Noturno...6

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Horas In Itinere

Orientações Consultoria de Segmentos Horas In Itinere 28/07/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 8 6. Referências... 8 7.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO FEDERAL Justiça do Trabalho - 15ª Região 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

Leia mais

Reflexos, repercussões, incidências e integrações nas parcelas trabalhistas pleiteadas na petição inicial e deferidas na sentença

Reflexos, repercussões, incidências e integrações nas parcelas trabalhistas pleiteadas na petição inicial e deferidas na sentença BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Reflexos, repercussões, incidências e integrações nas parcelas trabalhistas pleiteadas na petição inicial e deferidas na sentença Rodrigo Ribeiro Bueno* 1.INTRODUÇÃO : Os reflexos

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010 - DOU DE 03/01/2011 Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores

Leia mais

Posicionamento Consultoria de Segmentos Empregado com mais de um Vínculo Empregatício

Posicionamento Consultoria de Segmentos Empregado com mais de um Vínculo Empregatício Empregado com mais de um Vínculo Empregatício 25/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

ANO XXVI ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2015

ANO XXVI ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2015 ANO XXVI - 2015-5ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2015 ASSUNTOS TRABALHISTAS DIÁRIAS PARA VIAGEM E AJUDA DE CUSTO CONSIDERAÇÕES... Pág.1110 PEÃO DE RODEIO - EQUIPARAÇÃO A ATLETA PROFISSIONAL...

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Contrato de Experiência - Afastamento

Posicionamento Consultoria De Segmentos Contrato de Experiência - Afastamento Contrato de Experiência - Afastamento 03/06/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares...

Leia mais

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU )

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU ) PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU 30.06.2010) Dispõe sobre o salário mínimo e o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes

Leia mais

Aula 12 Constituição Formal de Empresa

Aula 12 Constituição Formal de Empresa Considerações iniciais Todas as sociedades empresariais e entidades, independente do seu objeto social e porte econômico, estão sujeitas às regras estabelecidas pelo MTE, quando tiverem pessoas físicas

Leia mais

Medida Provisória nº 529, de 2011

Medida Provisória nº 529, de 2011 Medida Provisória nº 529, de 2011 Altera os arts. 21 e 24 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre o Plano de Custeio da Previdência Social, para estabelecer alíquota diferenciada de contribuição

Leia mais

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE

MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE MUDANÇAS NAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO, ABONO SALARIAL ANUAL, AUXILIO-DOENÇA E PENSÃO POR MORTE Em 30/12/2014, por meio das Medidas Provisórias 664 e 665, publicadas no Diário Oficial da União, as normas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

Não obstante, passou a existir algumas estabilidades provisórias em detrimento de casos específicos como será visto posteriormente.

Não obstante, passou a existir algumas estabilidades provisórias em detrimento de casos específicos como será visto posteriormente. DIREITO DO TRABALHO 1. Estabilidade Anteriormente a lei do FGTS, o empregado adquiria a estabilidade no emprego após 10 anos de serviço no mesmo empregador. Assim, a partir disso, o empregado estável ficava

Leia mais

Tabela de Incidência de Contribuição Previdenciária, FGTS e IRRF - Disponibilização

Tabela de Incidência de Contribuição Previdenciária, FGTS e IRRF - Disponibilização Tabela de Incidência de Contribuição Previdenciária, FGTS e IRRF - Disponibilização Uma das tarefas mais importantes dos profissionais que elaboram uma folha de pagamento é a definição do tratamento a

Leia mais

Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo

Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo Questão 52: 52. Na década de 30 do século passado, as caixas de aposentadoria e pensões foram reunidas nos institutos de aposentadoria

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula 1. Fontes materiais e formais. 2. Normas Jurídicas de Direito do Trabalho. Constituição, Leis, Atos do Poder Executivo, Sentença normativa, Convenções e Acordos Coletivos, Regulamentos de empresa, Disposições

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 093/2014

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 093/2014 DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA ADM 207/2014-14/11/2014 BOLETIM 093/2014 Trabalho temporário tem novas normas de fiscalização definidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Por meio da norma em

Leia mais

Tabela de incidências Tributárias

Tabela de incidências Tributárias Tabela de incidências Tributárias Abaixo, apresentamos uma Tabela Prática para facilitar a verificação da incidência ou não do INSS, FGTS e IR/Fonte sobre os rendimentos mais comumente pagos. Rendimentos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. 15/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000469/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018152/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.004307/2016-50 DATA

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DA 20ª. VARA DO TRABALHO DO RIO DE JANEIRO RJ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DA 20ª. VARA DO TRABALHO DO RIO DE JANEIRO RJ EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DA 20ª. VARA DO TRABALHO DO RIO DE JANEIRO RJ RT n 0001948-10.2011.5.03.0020 PEDRO DE OLIVEIRA (completo, sem abreviaturas e em caixa alta), pessoa física, brasileiro, estado

Leia mais

REMUNERAÇÃO E SALÁRIO

REMUNERAÇÃO E SALÁRIO REMUNERAÇÃO E SALÁRIO Artigo 457 da CLT; Conceito doutrinário: salário é o conjunto de parcelas contraprestativas pagas pelo empregador ao empregado em função do contrato de trabalho. São elementos da

Leia mais

O que estudamos aula passada

O que estudamos aula passada O que estudamos aula passada Cessação, suspensão e interrupção dos contratos de trabalho Rescisão Contratual As formas de extinção do Contrato de Trabalho Pedido de demissão Dispensa sem justa causa Dispensa

Leia mais

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL OUTUBRO DE 2011 NOTA TÉCNICA AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL A Lei 12.506/11, publicada no Diário Oficial da União do dia 13 de outubro de 2011, amplia o aviso prévio dos atuais 30 dias para até 90 dias. Esta

Leia mais

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória?

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? CADERNO DE EXERCÍCIOS 1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? 2) Vale transporte pago em dinheiro, vale refeição pago em dinheiro, concessão de

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 3 - Data 6 de janeiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO. PROGRAMA

Leia mais

Participação nos Lucros e Resultados Lei10.101/2000. João Roberto Liébana Costa

Participação nos Lucros e Resultados Lei10.101/2000. João Roberto Liébana Costa Participação nos Lucros e Resultados Lei10.101/2000 João Roberto Liébana Costa jcosta@viseu.com.br Constituição Federal, de 1988. CONCEITOS Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos - THZMPX - Dedução INSS da base de imposto de renda sobre salários e férias do empregado quando ela tiver

Parecer Consultoria Tributária Segmentos - THZMPX - Dedução INSS da base de imposto de renda sobre salários e férias do empregado quando ela tiver - THZMPX - Dedução INSS da base de imposto de renda sobre 19/02/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 6 3. Análise da Legislação... 7 4. Conclusão... 9

Leia mais

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 Esta circular do segmento VAREJISTA se aplica aos comerciários da base comum dos sindicatos signatários deste documento: SINCOMÉRCIARIOS E SINCOMÉRCIO,

Leia mais

Simulado TRT Direito do Trabalho Simulado Konrad Mota

Simulado TRT Direito do Trabalho Simulado Konrad Mota Simulado TRT Direito do Trabalho Simulado Konrad Mota 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01. (Analista/TRT-24/2011-FCC) Maria, estudante de direito, está discutindo

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Remuneração 1. Sobre o salário utilidade, assinale a afirmação

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL P 2 Na peça profissional que vale cinco pontos e nas cinco questões a seguir que valem um ponto cada uma, faça o que se pede, usando os espaços indicados no presente caderno

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União LEI 8.666/1993 Art. 71. O contratado é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO EMENTA DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO DISCIPLINA: Teoria Geral do Direito do Trabalho CARGA-HORÁRIA: 10 horas EMENTA: Estudo sobre a introdução ao direito do trabalho, analisando

Leia mais

Tron Informática

Tron Informática 13º Salário Gratificação Natalina 1 Veja uma vídeo-aula sobre este assunto em: http://www.trontv.com.br/t/index.php/videos/gestao-contabil/fp/76-como-calcular calcular-o-13-salario.html A Gratificação

Leia mais

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas?

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas? ENTENDA SEUS DIREITOS O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. O que é Banco de horas? O chamado banco de horas é uma possibilidade admissível de controle e compensação

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP 1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 - CELETISTA Pelo presente instrumento particular de Acordo Coletivo de Trabalho de um lado o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Itu, entidade

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016)

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes do Regulamento da

Leia mais

CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO

CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO Capítulo 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 109 CAPÍTULO 10 DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO O décimo terceiro salário é devido aos empregados urbanos, rurais e domésticos, bem como aos trabalhadores

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021962/2013 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46219.014494/2012-05

Leia mais

ANEXO III TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS MEDIADORES. Consoante dispõe o Regulamento de Mediação, os custos dos procedimentos de mediação comportam:

ANEXO III TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS MEDIADORES. Consoante dispõe o Regulamento de Mediação, os custos dos procedimentos de mediação comportam: ANEXO III TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS MEDIADORES Consoante dispõe o Regulamento de Mediação, os custos dos procedimentos de mediação comportam: 1. TAXA DE ADMINISTRAÇÃO 1.1. A Taxa de Administração

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO Contrato individual de trabalho é o acordo, tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego. Relação de emprego entre EMPREGADOR e EMPREGADO. DEFINIÇÃO LEGAL: O

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 41 DE 26/12/ 2001 ( DOPE 27/12/2001) SALÁRIO FAMÍLIA

LEI COMPLEMENTAR Nº 41 DE 26/12/ 2001 ( DOPE 27/12/2001) SALÁRIO FAMÍLIA LEI COMPLEMENTAR Nº 41 DE 26/12/ 2001 ( DOPE 27/12/2001) SALÁRIO FAMÍLIA NOTA: Ver Lei Complementar nº 43/2002,Lei Complementar nº48/2003.atualizada até Lei complementar nº64, de 20 de dezembro de 2004.

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO:

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: 1- Como se dá o Acidente de Trabalho? R- Trata-se, evidentemente, de um acidente ocorrido em razão do trabalho exercido pelo trabalhador, que pode causar uma

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. 15/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4.

Leia mais

CAPÍTULO III DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL SEÇÃO I

CAPÍTULO III DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL SEÇÃO I CAPÍTULO III DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL SEÇÃO I Da Fixação e do Recolhimento da Contribuição Sindical (Vide o Lei Complementar nº 123 (art. 53) - DOU 15/12/2006) Art. 578 - As contribuições devidas aos Sindicatos

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP005372/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023931/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 47998.003161/2013-66

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010. SALÁRIO-FAMÍLIA - Considerações Gerais Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010. Sumário: 1 - Introdução 2 - Beneficiários 2.1 - Verificação da Invalidez 2.2 - Pai e Mãe 3 - Início

Leia mais

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados A INCIDÊNCIA DE IMPOSTO NA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS Roque Calixto Choairy Pinto Advogado de Almeida Guilherme Advogados e Natalia Barbieri Bortolin Advogada de Almeida Guilherme Advogados Os

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016. Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 02/2016 TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

Leia mais

Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros)

Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros) Projeto de Lei do Senado nº, de 2010 (do Senador Renan Calheiros) Altera a Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, a Consolidação das Leis do Trabalho aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio

Leia mais

8 - PRESTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES NOS CÓDIGOS 650 E 660

8 - PRESTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES NOS CÓDIGOS 650 E 660 8 - PRESTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES NOS CÓDIGOS 650 E 660 A elaboração nos códigos 650 e 660 com informações relativas a Anistiados, Conversão de Licença Saúde em Acidente de Trabalho, lamatória Trabalhista,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA RESOLUÇÃO CONFE N.º 311 de 14 de OUTUBRO de 2015. DISPÕE SOBRE O VALOR DA ANUIDADE, TAXAS E MULTAS DEVIDAS AOS CONSELHOS REGIONAIS DE ESTATÍSTICA PARA O EXERCÍCIO DE 2016. O CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA,

Leia mais

Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos

Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos INFORME JURÍDICO 27/03/2015 473 Prezados (as) Câmara aprova projeto que regulamenta direitos de trabalhadores domésticos O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação do Projeto de Lei Complementar

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista www.sato.adm.br 1987-2001 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Relatório Trabalhista Nº 023 21/03/2002 TRABALHO NOTURNO O trabalho noturno é compreendido

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado compensado, o empregado terá direito ao descanso

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado compensado, o empregado terá direito ao descanso Quando o aviso prévio termina na sexta-feira ou no sábado remunerado (DSR) 16/10/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

Orientações Consultoria De Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família.

Orientações Consultoria De Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. Orientações Consultoria De Segmentos Cálculo de proporcionalidade referente ao pagamento do Salário Família. 15/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO FUNDAMENTOS Como um dos princípios do Direito do Trabalho, a continuidade da relação de emprego reflete-se no ordenamento jurídico, entre outros, por meio

Leia mais

NOVO TRCT Portaria 2.685/2011;

NOVO TRCT Portaria 2.685/2011; SEÇÃO DE RELAÇÕES DO TRABALHO NOVO TRCT Portaria 2.685/2011; Portaria 1.621/2010; Portaria 1.057/2012 Portaria 1.057/2012 (altera e complementa a Portaria 1.621/10, que instituiu os novos modelos do TRCT)

Leia mais

IV local para onde o empregado irá se deslocar;

IV local para onde o empregado irá se deslocar; Alterada pela resoução 23/2007 RESOLUÇÃO OABMS Nº 16/2007 Estabelece as condições para pagamento de diárias a empregados da Seção da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul nos deslocamentos

Leia mais

A tributação do direito de imagem

A tributação do direito de imagem A tributação do direito de imagem Rodrigo de Macedo e Burgos PGFN/COCAT (debatedor) Art. 129. Para fins fiscais e previdenciários, a prestação de serviços intelectuais, inclusive os de natureza científica,

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010 Dia 06-12-2010 (Segunda-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

ETEC SÃO MATEUS

ETEC SÃO MATEUS AULA 5 GESTÃO DE PESSOAS I PROF. PROCÓPIO ETEC SÃO MATEUS - 11-03-2016 Não fique sem o conteúdo, acesse: www.professorprocopio.com Processo de Admissão A área de Recursos Humanos (RH) / Departamento Pessoal

Leia mais