O inabarcável da rua em movimento uma apresentação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O inabarcável da rua em movimento uma apresentação"

Transcrição

1 1 O inabarcável da rua em movimento uma apresentação Essa história começa ao rés do chão, com passos. Michel de Certeau Faz algum tempo Roberto da Matta disse que se não se quer perder de vista as relações sociais e seus paradoxos não se pode construir casamatas, mas apenas cabanas, barracos e choças. Moradas feitas de espaços abertos 1, destinadas ao encontro naquelas conversações onde se ama o que se fala. A lembrança deste pequeno trecho tem muito a ver com o modo pelo qual este número foi organizado, com aqueles que dele participam e como o fazem e com o que, ao final, é oferecido ao leitor da Revista Alegrar. Pois bem, em julho de 2013, recebi o generoso convite para organizar este número da revista tendo como eixo o movimento que tomou as ruas no mundo e mais especialmente no Brasil, desde junho. Movida pela euforia, e também por certa fúria, ambas decorrentes das então recentes experiências paulistanas na rua, aceitei sem nem pestanejar. Mas à medida que os dias passavam e que tanto as ruas quanto a rede experimentavam embates, flutuações, redirecionamentos, me ocorreu toda sorte de pensamento: que o mundo era muito grande... que o Brasil era uma enormidade... que o movimento tinha uma amplitude difícil de abarcar... que não faltariam livros, revistas e especialistas debruçando-se sobre ele, coisa que sem dúvida fariam muito melhor do que eu... Ocorreu-me ainda que, entre julho e dezembro, mês em que este número seria publicado, muita coisa aconteceria, e o número em questão poderia facilmente ser derrotado por aquilo que pretendia abordar: o movimento. Pensei então que talvez pudesse fazer muito pior, ao estilo de Da Matta, e apresentar também eu uma construção inacabada, uma espécie de ocupação, de abrigo para as tantas experiências, tentativas, aproximações, incisivas e apaixonadas afirmações que, ao longo 1 Da Matta, R., 1997, p. 12.

2 2 desses meses, se espalharam pelas ruas e pela rede. E se podemos nos arriscar a dizer que este, afinal, é o caráter da rua quando suspensas as datas que autorizam a ocupá-la e os padrões que estabelecem como se deve fazê-lo, por outro lado, a própria novidade da experiência rueira não é separável de um certo uso da rede, num jogo móvel de confluências, alternâncias, sobreposições, alavancamentos e interrupções, em que hashtags e práticas de jamming não são de modo algum indiferentes ao encontro de corpos na rua. Enquanto pensava no rumo que daria à organização deste número, lembrei-me de uma mensagem recebida via de um dos grupos do quais participo. Nela, havia uma pequena crônica, escrita por Eduardo Losicer, acompanhada pela resposta que lhe dera, também via , Osvaldo Saidon. A lembrança oportuna definiu não somente o modo de montagem do dossiê em rede e o meio utilizado para compor as sessões a própria rede, mas sobretudo a perspectiva que me pareceu mais convidativa e desafiadora, e que dá nome a este número: Na rua/em movimento. Mas qual seria o desafio afinal de contas? Começar ali, ao rés do chão, em meio a uma certa atmosfera indefinível, e surpreender a rua em movimento [o incalculável da política] desde a rede formada por estas inúmeras escrituras, imagens, pessoas, ideias. A barra interpolada no título tem aqui um papel importante: diz de uma certa precaução, uma vez que o movimento não começa nem acaba na rua, e a materialidade da rua imprime a ele ritmos disparatados. Pois na rua em movimento, como disse um jovem em meio ao gás lacrimogêneo, a coisa já é sempre outra intensa ondulação que se expande e retrai. Pois na rua, em movimento, experimenta-se sobretudo uma estranha movência nas coisas. De outra parte, bastaria fazer um recorrido das inúmeras transformações concretas que a rua sofreu, e vem sofrendo, para perceber que ela nunca deixou de arrastar consigo a ameaça de desorganização dos estratos da cidade. Tomá-la, ocupá-la, caotizar seus fluxos, seja por qual meio for, nos lembra de que a rua, em sua mais alta intensidade, é farra e fúria zona onde os corpos e toda uma constelação de valores são postos em jogo no variado embate com o não pode e o não deve, determinações negativas de uma subsistência paralisante, tanto mais insuportável quanto mais intoleráveis são os meios de produzi-la.

3 3 Mas é na rua em movimento, por força de uma transumância que nos arrasta, em meio aos mais violentos enfrentamentos e aos mais suaves e delicados encontros, que somos arrancados de nós mesmos e nos tornamos outra coisa que não pedestres ou transeuntes; e as pequenas permanências que surgem - ocupações, acampamentos, demonstrações, atos, manifestações são o suficiente para que fabulemos uma outra terra desde um outro corpo que não o habitual. * * * Quando abrir a porta e assomar a escada, saberei que lá embaixo começa a rua; não a norma já aceita, não as casas já conhecidas, não o hotel em frente; a rua, a floresta viva onde cada instante pode jogar-se em cima de mim como uma magnólia [...] Julio Cortázar João do Rio disse certa vez que as ruas matam os substantivos transformando a significação dos termos 2. Em que pesem outras compreensões que disso poderíamos ter, prefiro pensar que ali onde se pensa ter matado a rua, aniquilando certa potência insurrecional pela designação de seus frequentadores como malandros, marginais, vândalos, etc., é o próprio movimento que ao tomá-la, premidos por uma frequentação que em muito ultrapassa sua materialidade, que mata tudo aquilo que se impõe na pretensão de abafar, sob o peso das instituições e dos discursos, aquilo que ali se enseja. Assim é que se as ruas matam os substantivos é porque, como diria o poeta Roberto Juarroz, qualquer movimento mata algo 3. É desta perspectiva que pouco importa onde a rua esteja e qual ela seja, é para ela que se vai, é nela que se põem em jogo os corpos e o que somos capazes de criar, e é o que nela se experimenta e o modo como se experimenta que configura a rede da qual ela é inseparável. Assim, sua vastidão, seus insuspeitados prolongamentos e encadeamentos, sua latejante 2 Rio, J., Roberto Juarroz, poema 66, 2001, p

4 4 inquietude é o que insiste e não nos deixa esquecer que os discursos que a pretendem dominar, bem como controlar aquilo que acontece, vêm sempre carregados de componentes legais e jurídicos. Talvez, porque nossa experiência civilizacional destinou à rua os insolentes e os desregrados, talvez, porque ela seja a própria experiência da insolência, do desregramento, da insubordinação, a rua, o estar nela e o que nela acontece, foi e permanece sendo caso de polícia, forma pela qual se procura garantir e perpetuar um dado conjunto de relações, bloqueando o que Deleuze e Guattari chamaram de a aventura própria das cidades 4. No entanto, o acontecimento rua jamais pode ser esmagado sob a força policial e apreendido pela lei. Ao institucional, ao jurídico-legal que dele tentam se apossar, seja pelo viés explicativo ou meramente informativo, seja por aquele normativo ou excessivamente formal, é precisamente o singular, o informal que responde. Na rua/em movimento o que há para dizer e para ver, o que há para fazer se insurge diante do como deve ser dito, visto e feito. Começamos então pela rua, embora saibamos que a rua não é o começo, mas um meio... E ali, ao rés do chão, começamos com passos, os passos e as pessoas, as pessoas e as ações Ensaia-se algo (nas ocupações, nos acampamentos, nas manifestações, nos atos), tenta-se, e já se está em meio à aventura própria das cidades. Passa-se algo, e talvez o que se passa não coincida com o que nos leva para a rua. Talvez essa não coincidência seja o próprio movimento, que atesta as modificações que sofremos... Mais uma vez é preciso repetir, o movimento não começa e nem acaba na rua. E é preciso insistir, a materialidade da rua não é menos importante que o acontecimento que ela porta. Isso porque é na rua em movimento que a própria vida é posta em jogo. E se podemos ora nos aproximar de uma ora de outro, desta ou daquela maneira, sem dúvida não podemos ignorar o que nos move ou comove, ou ainda aquilo que vemos onde dizem não haver nada para ser visto. Daí porque o convite estendido aos participantes insistia na ideia de compor o dossiê com trabalhos elaborados por todos aqueles que, independentemente de suas especialidades, foram pegos ou arrastados pelo movimento ou nele se lançaram e engajaram, ou aqueles 4 Deleuze, G.; Guattari, F., 1997, p. 125.

5 5 cujas práticas os colocaram no meio do que se passa ou ainda encontraram nele a ocasião para pensar desde um aspecto ou experiência que considerassem relevantes. A intenção era reunir textos breves, ensaios, notas, tentativas de aproximação que, de uma forma ou de outra, deixassem entrever/entre-sentir as singularidades que o movimento porta desde a rua. Por esta razão, este dossiê é igualmente um ensaio, uma tentativa; de certo modo, é também ele uma ocupação, no sentido de uma ação política direta no assim chamado espaço acadêmico, uma vez que no seu arranjo diz-se e faz-se o que se deseja até o ponto em que interessa, sem com isso significar que não haja mais nada a ser dito ou feito. Assim, aqui se encontram ensaios escritos e fotográficos, cartas, poemas, intervenções, vídeos, breves notas de gente vinda de muitas partes, compondo as sessões desse dossiêocupação. As sessões, por sua vez, são esse breve tempo em que nos reunimos, nos voltamos ou dedicamos a algo para em seguida avançarmos, recuarmos, partirmos ou regressarmos. Uma pequena permanência em que ressoam aquelas tantas que foram criadas e as que ainda serão. Os sete ensaios escritos que compõem a primeira sessão são um desafio e um convite para o leitor abandonar a tranquilidade das casamatas. Longe de pacificar as inquietações ou os combates nos quais os corpos se veem implicados, a liberdade temática e formal que distingue os trabalhos aqui reunidos é antes a abertura para que não nos apartemos da vida e de suas expressões concretas, para que não as aprisionemos nos padrões do que cabe na política, para que não desprezemos as ferramentas e seus usos, para que não percamos de vista o lugar de experiência, as exigências que ela nos endereça, sua amplitude e radicalidade e a novidade que se produz. A segunda sessão do dossiê reúne, por sua vez, sete ensaios fotográficos pautados pelo mesmo convite feito aos participantes da sessão anterior. Cada ensaio fotográfico se faz acompanhar de um pequeno texto escrito pelos fotógrafos, uma vez que aqui o fotógrafo não é menos importante do que a fotografia. Em meio ao que se passa, o fotógrafo na rua se move acoplado à câmera, saltando por estas e aquelas regiões perceptivas, permutandoas, ocupando pontos de vista, seguindo algo, algo que nos chega de cima ou debaixo, de fronte ou de viés. Algo que talvez seja o próprio ato fotográfico, a abertura da percepção

6 6 para deixar-se tornar um receptor para o movimento e assim criar o tempo em que isso acontece. Há algo de testemunho, sim, nestes ensaios, mas o que eles testemunham é sobretudo nossa capacidade de nos inquietarmos, nossa corajosa nudez diante do que nos afronta e à vida, ou pretende aniquilá-la. Intercalada entre a sessão de ensaios fotográficos e a sessão seguinte, uma experimentação em intervenção urbana que põem em jogo a relação entre a fotografia e a rua, as manifestações e as pessoas, por meio da ocupação do espaço da cidade. Nascidos na rua e em meio ao movimento, como tantos outros em tantos lugares, a ideia e o coletivo são esse necessário investimento na disseminação dos relatos, de modo que o que se passou na rua ocupe outras ruas, reverberando pela cidade, enfrentando tanto a injunção totalizadora do boato, que a mídia alimenta, quanto a própria privatização dos relatos pelos indivíduos e grupos, que impede a passagem para outras paisagens. A última sessão intitula-se Cartas da Rua. De fato, a ideia dessa sessão precede todas as outras. Ela foi construída inteiramente através do facebook via um convite que, caso aceito, implicava na indicação de alguém a quem o mesmo convite seria dirigido. As cartas me foram entregues entre os meses de junho e outubro, e reportam-se a dias, momentos, mais ou menos distantes. São 17 relatos vindos de cidades diversas. Aqui, o que interessa é tanto assinalar a importância da topologia em rede que as relações descrevem, e que tem um papel fundamental no movimento e na rua, no Brasil e fora dele, como o modo pelo qual a rua em movimento nos afeta, se imprime em nossa sensibilidade, marca nossos corpos. Não há a boa carta. Há somente cartas. Cartas que dizem da perplexidade, das dores, dos amores, dos encantamentos e dos terrores que nos tomam logo ali, ao irmos para a rua, ao dobrarmos uma esquina, ao nos debruçarmos numa janela, em que cada instante pode atirar-se sobre nós como uma magnólia, como uma espécie de esplendor pressagiando o início de incontáveis e ínfimas primaveras. Elas dizem do modo como respondemos ao incalculável da rua e à variação do movimento. São também, em alguma medida, manifestos e testemunhos de luta, de liberação, de combate consigo, de perda de sentido, de criação, de paixão, e de um certo exílio. E se escrevê-las pode ser uma forma de narrar o acontecido, dando a ele algum contorno, é também um meio de acolher o que nos acontece em meio ao que acontece.

7 7 Enquanto as cartas mal haviam começado a chegar, no transcurso do mês de julho, um poeta publica na rede uma série de três poemas que acompanham momentos cruciais do movimento nas ruas do Rio de Janeiro e a crescente violência da polícia em todo o Brasil. Em São Paulo, no mesmo mês, valendo-se de vídeos do movimento no Rio, postados no youtube, outro poeta lança na rede um videoprotesto. Em agosto, quando a mídia oficial define abertamente seus alvos, aliando-se à força policial, às vésperas da lei das máscaras, intensificando o processo de criminalização do movimento, novo poema é publicado na rede. Em 29 de setembro, após a violenta retomada da Câmara pela polícia no Rio de Janeiro, que assinala o ponto extremo do que foi chamado setembro negro em várias capitais, circula na rede um poema de São apenas estilhaços. E estes pequenos estilhaços lançados na rede assinalam os muitos estilhaçamentos vividos na rua e os infra-ritmos que o movimento experimenta. Se testemunham algo é antes o apego da poesia às coisas e ao mundo, aquele sem o qual nada criamos, e uma certa desafeição para com tudo que lhes roube o impossível. Ao final, encerrando o dossiê, um vídeo-documentário realizado por um coletivo, gravado durante uma manifestação de rua que aconteceu em 19 de junho e durante as que seguiram até o mês de julho. Neste período, o termo vandalismo ganha espaço na grande mídia e se instala definitivamente como marcador policial que insistentemente procura destituir o movimento e a rua das nuanças que lhe são imprescindíveis. O vídeo é acompanhado do relato de um dos participantes do coletivo sobre a experiência de fazê-lo, mas principalmente sobre a experiência de aprender a fazer enquanto a própria experiência se faz. Talvez seja este o aspecto mais importante do movimento e da rua quando tomada por ele: aprender enquanto a própria experiência se faz, uma vez que não se sabe antes o que vai acontecer. Não há como saber. E aquilo que se sabe ou se sabia até então, sofre remanejamentos por vezes violentos. Na rua, em movimento, qualquer coisa é por um triz.

8 8 Todavia, seja em meio à farra ou à fúria, a gesta ambulatória da rua em movimento joga com todas as formas de organização, e por isso ela é o próprio efeito dos encontros que a transformam. Assim, cada rua e cada ensaio, cada pequeno texto, cada carta, imagem e poema presentes neste dossiê participa de uma geografia nebulosa de sentidos ; são constelações que acompanham os incontáveis percursos, mais ou menos visíveis, às vezes imperceptíveis, que se desenham nos corpos e nas ruas do Brasil e do mundo. São elas as ruas de Fortaleza, de São Paulo, de Belo Horizonte, do Rio de Janeiro, do México, de Porto Alegre, de Vitória, de Manaus, de Belém. São eles Luiz B. L. Orlandi, Nildo Avelino, Peter Pál Pelbart, Natalia Montebello, Bernardo Gutierrez, Elizabeth de Araújo Lima, Stine Krøijer, Ricardo Chacal, Ma Cca, André Queiroz, Coletivo FotoProtestoSP, Coletivo Nigéria, Coletivo selvasp, Ana Carolina Fernandes, Guilherme Minoti, Leonardo Carrato, Leonardo Merçon, Luiz Roberto Lima, Marcio Garcia, Eduardo Losicer, Oswaldo Saidon, Silvia D Almeida, Agilson Jânio C. Lobato Junior, A. B. M., Isadora Szklo, J. L., Ana Cernov, L. G., Danilo Bezerra, C. M., Michael Franklin Donatti, I. F., Jony Pupo, J. A., Sylvia, Diego, W. V., e ainda Estefan Radovicz, Marcos Camargo, Walther Von Der Vogelweide, Patrícia Zapletal, Kátia Kasper, Cíntia Vieira da Silva, Jonathan Braga e tantos outros. Hoje, enquanto escrevo essa apresentação, para aqueles que acompanham o movimento pela grande mídia, o movimento é o que não há, nunca houve. Há apenas fatos policiais e administrativos, uma empobrecida e desvitalizada cena que insistentemente se apresenta como a Cidade, o Mundo. Mas o horizonte esboçado nas ruas, nesse aqui dilatado e inabarcável que se confunde com a própria existência individual e coletiva, é radicalmente outro. Estar aqui é mover-se. Ana Godoy São Paulo, 15 de novembro de 2013.

9 9 Referências DA MATTA, Roberto. A casa e a rua. 5. ed. Rio de Janeiro: Rocco, GILLES, Deleuze; GUATTARI, Félix. Mil Platôs - capitalismo e esquizofrenia, v. 5. Coord. da trad. Ana Lúcia de Oliveira. São Paulo: Ed. 34. JUARROZ, Roberto. Poesía vertical. Antología essencial. Buenos Aires: Emecé, RIO, João. A alma encantadora das ruas. Organização de Raul Antelo. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS

CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS Irmgard Birmoser de Matos Ferreira 1 Apresento aqui algumas reflexões sobre aspectos presentes na experiência do brincar que me parecem merecer

Leia mais

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 1. Um músico muito importante do nosso país é Milton Nascimento, cantor e compositor brasileiro, reconhecido, mundialmente, como um dos mais influentes e talentosos cantores

Leia mais

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

10 Regras Para Ter Sucesso Com Negócios Digitais

10 Regras Para Ter Sucesso Com Negócios Digitais http://aguiavirtual.com.br/ Por Tiago Bastos 1 10 Regras Para Ter Sucesso Com Negócios Digitais Ao longo dos últimos 4 anos, venho trabalhando na internet de forma profissional. Já errei muito e acertei

Leia mais

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Público: Sextos anos Data: 25/5/2012 Após a realização do Provão, nossos alunos do

Leia mais

REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS

REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS Rafael Echeverría REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS São chaves para as pessoas e as organizações, porque são as únicas que apoiam as grandes transformações pelas quais a sociedade e o mundo estão

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Palestra tudo O QUE VOCE sobre precisa entender Abundância & Poder Pessoal EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Como aprendemos hoje na palestra: a Lei da Atração, na verdade é a Lei da Vibracao. A frequência

Leia mais

CÓPULA CLODOALDO TURCATO

CÓPULA CLODOALDO TURCATO CÓPULA CLODOALDO TURCATO 2 CÓPULA Primeira Edição Editora do Livre Pensador Recife, Pernambuco 2013 Titulo Original Cópula Primeira Edição 3 Copyright @ 2012 by Clodoaldo Turcato Copyright da edição @

Leia mais

Aprender é inventar-se e inventar o mundo, ensinar também.

Aprender é inventar-se e inventar o mundo, ensinar também. Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Unidade de Montenegro Curso de Graduação em Teatro: Licenciatura Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência PIBID Bolsista: Gleniana da Silva Peixoto

Leia mais

Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes

Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes Introdução Como foi explicitado no Projeto de Desenvolvimento de Produto, a minha intenção

Leia mais

GMAIL - Criação de uma conta de correio electrónico

GMAIL - Criação de uma conta de correio electrónico COMO CRIAR UMA CONTA PESSOAL NO FACEBOOK Em primeiro lugar é necessário ter um endereço de correio electrónico (email) pessoal. Qualquer endereço de correio electrónico (email) serve perfeitamente. Pode

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego.

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego. Mensagem: O HOMEM QUE ABRIU OS OLHOS PARA DEUS Pastor: José Júnior Dia: 22/09/2012 sábado AMAZON JOVENS Texto-base: Lucas 18:35-43 A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser

Leia mais

UMA TOPOLOGIA POSSÍVEL DA ENTRADA EM ANÁLISE 1

UMA TOPOLOGIA POSSÍVEL DA ENTRADA EM ANÁLISE 1 UMA TOPOLOGIA POSSÍVEL DA ENTRADA EM ANÁLISE 1 Celso Rennó Lima A topologia..., nenhum outro estofo a lhe dar que essa linguagem de puro matema, eu entendo por aí isso que é único a poder se ensinar: isso

Leia mais

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social instituto fonte... Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social e a arte de neles intervir. Buscamos potencializar a atuação de iniciativas sociais,

Leia mais

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número: este, esse, aquele. Existem três invariáveis:

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

Alguns exemplos de problemas resolvidos

Alguns exemplos de problemas resolvidos Alguns exemplos de problemas resolvidos Partilhamos contigo alguns problemas e respetivas resoluções que selecionámos, para ilustrar todo este desafiante processo de resolução de problemas. Vais reparar

Leia mais

* DO PREFÁCIO; para informação publica e dos leitores assíduo, buscando contribuir com a classe segurança da área de escoltas, e levando a

* DO PREFÁCIO; para informação publica e dos leitores assíduo, buscando contribuir com a classe segurança da área de escoltas, e levando a * DO PREFÁCIO; para informação publica e dos leitores assíduo, buscando contribuir com a classe segurança da área de escoltas, e levando a conhecimento publico os heróis que nem sempre são vistos desta

Leia mais

Uma trufa e... 1000 lojas depois!

Uma trufa e... 1000 lojas depois! Uma trufa e... 1000 lojas depois! Autor: Alexandre Tadeu da Costa. Aluna: Lays Roberta Caçandro. Turma: 1º Ciências Contábeis. Venda Nova do Imigrante, Maio de 2012. Qual o principal assunto do livro.

Leia mais

Encontros de vida que se faz vivendo.

Encontros de vida que se faz vivendo. Encontros de vida que se faz vivendo. Thatiane Veiga Siqueira 1 A menina do coração de chocolate. Juliana tem nove anos, é uma menina de olhos esbugalhados, com sorriso fácil, ao primeiro olhar já se vê

Leia mais

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA

Leia mais

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS QUE OPORTUNIDADES PÓS-LICENCIATURA ESPERAM? EXPECTATIVAS QUE INQUIETAÇÕES TÊM OS ALUNOS DE DC? MADALENA : M QUAL É A TUA PERSPECTIVA DO MERCADO

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE Cuidando de quem cuida Instituto de Capacitação e Intervenção Psicossocial pelos Direitos da Criança e Adolescente em Situação de Risco O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

Leia mais

Professor de Harvard diz que, por falta de intimidade com as novas mídias, responsáveis deixam de preparar as crianças para o mundo digital

Professor de Harvard diz que, por falta de intimidade com as novas mídias, responsáveis deixam de preparar as crianças para o mundo digital Professor de Harvard diz que, por falta de intimidade com as novas mídias, responsáveis deixam de preparar as crianças para o mundo digital MARCO AURÉLIO CANÔNICO DO RIO Atordoados com um desenvolvimento

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

Acerca das cartografias cidadianas de lucimarbello da Vila Olímpia

Acerca das cartografias cidadianas de lucimarbello da Vila Olímpia http://www.lucimarbello.com.br 1 Acerca das cartografias cidadianas de lucimarbello da Vila Olímpia Como é possível que tudo possa ser feito e desfeito, criado e destruído, mas que o próprio Z estivesse

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02 Olá, amigos! AULA 02 Tudo bem com vocês? E aí, revisaram a aula passada? Espero que sim. Bem como espero que tenham resolvido as questões que ficaram pendentes! A propósito, vamos iniciar nossa aula de

Leia mais

Frequentemente você utiliza certos termos que não

Frequentemente você utiliza certos termos que não 10 Não se distraia demais Frequentemente você utiliza certos termos que não dão o mínimo problema na hora da fala, mas que, na escrita, podem fazê-lo oscilar entre uma forma ou outra. Ainda há muita gente

Leia mais

Mostra Cultural 2015

Mostra Cultural 2015 Mostra Cultural 2015 Colégio Marista João Paulo II Eu e as redes sociais #embuscadealgumascurtidas Uma reflexão sobre a legitimação do eu através das redes sociais. Iago Faria e Julio César V. Autores:

Leia mais

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis)

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (Este

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

IV PARTE FILOSOFIA DA

IV PARTE FILOSOFIA DA IV PARTE FILOSOFIA DA 119 P á g i n a O que é? Como surgiu? E qual o seu objetivo? É o que veremos ao longo desta narrativa sobre a abertura do trabalho. Irmos em busca das estrelas, no espaço exterior,

Leia mais

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Você já pensou alguma vez que é possível crescer 10 vezes em várias áreas de sua vida e ainda por cima melhorar consideravelmente sua qualidade

Leia mais

Dicas para investir em Imóveis

Dicas para investir em Imóveis Dicas para investir em Imóveis Aqui exploraremos dicas de como investir quando investir e porque investir em imóveis. Hoje estamos vivendo numa crise política, alta taxa de desemprego, dólar nas alturas,

Leia mais

CUIDADO COM O CUIDADO: O CASO DA FILA DO TOQUE E A IMPLICAÇÃO DO ATO DE CUIDAR. Emerson Elias Merhy médico sanitarista (formado em 1976)

CUIDADO COM O CUIDADO: O CASO DA FILA DO TOQUE E A IMPLICAÇÃO DO ATO DE CUIDAR. Emerson Elias Merhy médico sanitarista (formado em 1976) CUIDADO COM O CUIDADO: O CASO DA FILA DO TOQUE E A IMPLICAÇÃO DO ATO DE CUIDAR Emerson Elias Merhy médico sanitarista (formado em 1976) Lá pelos anos 1971, vivi uma experiência que sempre me incomodou.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES JOGO EURO RUN www.novas-notas-de-euro.eu A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES A Ana e o Alex são da mesma turma e amigos inseparáveis. Estão sempre a viver aventuras incríveis e hoje não é exceção.

Leia mais

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES JOGO EURO RUN www.novas-notas-de-euro.eu A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES - 2 - A Ana e o Alex são da mesma turma e amigos inseparáveis. Estão sempre a viver aventuras incríveis e hoje não é exceção.

Leia mais

coleção Conversas #18 - janeiro 2015 - m m Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #18 - janeiro 2015 - m m Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #18 - janeiro 2015 - ul ç u m verdade m an o que é todo ter r or i s ta? É Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

DIFERENTES PERCEPÇÕES

DIFERENTES PERCEPÇÕES 1 RESUMO DO TRABALHO DIFERENTES PERCEPÇÕES Colégio Londrinense Alunas: Isadora Ferreira Pelisson Raquel Maria de Barros Orientadora: Wiviane Knott Sá Oliveira Silva Os olhos são considerados uns dos principais

Leia mais

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte?

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte? CAIXAS DE MEMÓRIAS No CAM existem muitas obras de arte, cheias de ideias e histórias para nos contar, tantas que nem sempre nos conseguimos lembrar de todas... a não ser que elas se transformem em memórias!

Leia mais

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Habitados Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Jesus referiu-se em algum momento de suas pregações à existência de outros mundos habitados? Qualquer pessoa que pensa, ao

Leia mais

Análise spot publicitário

Análise spot publicitário Análise spot publicitário Trabalho Realizado por: Carlos Nunes carlosmmnunes@gmail.com Nº 20240 Para a disciplina: Multimédia Scriptwriting Leccionada por: Profª Joana Carvalho Porto, 13 de Abril de 2011

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de PAULO FREIRE E A ALFABETIZAÇÃO Vera Lúcia Queiroga Barreto 1 Uma visão de alfabetização que vai além do ba,be,bi,bo,bu. Porque implica uma compreensão crítica da realidade social, política e econômica

Leia mais

Dia 4. Criado para ser eterno

Dia 4. Criado para ser eterno Dia 4 Criado para ser eterno Deus tem [...] plantado a eternidade no coração humano. Eclesiastes 3.11; NLT Deus certamente não teria criado um ser como o homem para existir somente por um dia! Não, não...

Leia mais

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro Histórias do Velho Testamento 3 a 6 anos Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro O Velho Testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e Reinventando o Ensino Médio Profª. Welessandra A. Benfica- Doutoranda FAE-UFMG Universidade do

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e Reinventando o Ensino Médio Profª. Welessandra A. Benfica- Doutoranda FAE-UFMG Universidade do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e Reinventando o Ensino Médio Profª. Welessandra A. Benfica- Doutoranda FAE-UFMG Universidade do Estado de Minas Gerais Mas o que é mesmo que esse caderno

Leia mais

Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional. Unidade I:

Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional. Unidade I: Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional Unidade I: 0 Unidade: Comunicação e Liderança como Fator Motivacional http://pro.corbis.com/enlarge ment/enlargement.aspx?id=4 2-22634984&caller=search

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Romance familiar poesia familiar

Romance familiar poesia familiar Romance familiar poesia familiar Em busca de imagens para uma apresentação, dou com a foto, feita em estúdio, de um garoto de 11 anos de idade chamado Walter Benjamin (1892-1940). Serve de ilustração a

Leia mais

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA DEPUTADO MARCELO SERAFIM

Leia mais

O que é Ética? Uma pessoa que não segue a ética da sociedade a qual pertence é chamado de antiético, assim como o ato praticado.

O que é Ética? Uma pessoa que não segue a ética da sociedade a qual pertence é chamado de antiético, assim como o ato praticado. 1 O que é Ética? Definição de Ética O termo ética, deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Ética é um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana na sociedade.

Leia mais

Manoel de Barros Menino do mato

Manoel de Barros Menino do mato Manoel de Barros Menino do mato [ 3 ] SUMÁRIO Menino do mato 7 Caderno de aprendiz 23 [ 5 ] Primeira parte MENINO DO MATO O homem seria metafisicamente grande se a criança fosse seu mestre. SÖREN KIERKEGAARD

Leia mais

O legado de AGOSTINHO DA SILVA 15 anos após a sua morte i

O legado de AGOSTINHO DA SILVA 15 anos após a sua morte i O legado de AGOSTINHO DA SILVA 15 anos após a sua morte i LUÍS CARLOS SANTOS luis.santos@ese.ips.pt Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal 1- Agostinho da Silva, um adepto da Educação

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Graduados, empreendedores lançaram-se estrada fora

Graduados, empreendedores lançaram-se estrada fora 2015-08-05 09:00:55 Uma das frases que mais se tem ouvido neste final do ano lectivo, dos recém licenciados, é que o que os espera é o desemprego. Outra palavra que hoje se ouve bastante é empreendadorismo.

Leia mais

O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário

O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário epílogo O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário do rebuliço que batia em seu peito. Quase um ano havia se passado. O verão começava novamente hoje, ao pôr do sol, mas Line sabia que,

Leia mais

introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional.

introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional. introdução Olá, eu chamo-me Paulo Rebelo e sou apostador profissional. O ensino é uma das minhas paixões, pois é muito gratificante poder transmitir aos meus alunos a experiência que adquiri ao longo de

Leia mais

Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25

Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25 1 Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25 Domingo, 7 de setembro de 2014 19 Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: "Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando?

Leia mais

Semeadores de Esperança

Semeadores de Esperança Yvonne T Semeadores de Esperança Crônicas de um Convite à Vida Volume 11 Crônicas de um Convite à Vida Livre d IVI Convidados a Viver PREFÁCIO Estou comovida por escrever este prefácio : tudo o que se

Leia mais

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE "EMANUEL"

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE EMANUEL Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7.14 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão

Leia mais

SEO PARA FOTÓGRAFOS. contato@viniciusmatos.com.br

SEO PARA FOTÓGRAFOS. contato@viniciusmatos.com.br SEO PARA FOTÓGRAFOS contato@viniciusmatos.com.br APRESENTAÇÃO O serviço de SEO oferecido por mim nada mais é que uma parceria minha com o profissional que me colocou no topo das buscas na internet (GOOGLE)

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. não Eu Não r que o f existe coleção Conversas #14 - outubro 2014 - a z fu e r tu r uma fa o para c ul m d im ad? e. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS

A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS Diana Carvalho (E. M. Argentina Sala de Leitura) Eixo temático: Fazendo escola com múltiplas linguagens RESUMO Este texto relata uma experiência em leitura

Leia mais

A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA

A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA Autora: (Elda Elbachá Psicoterapeuta Sistêmica, Diretora, Docente e Supervisora do Centro de Estudos da Família e Casal - CEFAC/BA)

Leia mais

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Este cordel pode ser distribuído e modificado, desde que você respeite a licença Creative Commons Atribuição Compartilhamento pela Mesma Licença. Ou seja, você

Leia mais

Profª Drª Maria Aparecida Baccega

Profª Drª Maria Aparecida Baccega Profª Drª Maria Aparecida Baccega http://lattes.cnpq.br/8872152033316612 Elizabeth Moraes Gonçalves - UMESP Alguns dados de currículo Livre Docente em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da

Leia mais

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima.

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima. Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público Alexia Melo Clebin Quirino Michel Brasil Gracielle Fonseca Rafaela Lima Satiro Saone O projeto Rede Jovem de Cidadania é uma iniciativa da Associação

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI O SR. GUILHERME CARBONI (Instituto de Direito do Comércio Internacional e Desenvolvimento): Gostaria de

Leia mais

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet 5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet Uma das verdades absolutas sobre Produtividade que você precisa saber antes de seguir é entender que se ocupar não é produzir. Não sei se é o

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária A arte da apresentação oral de trabalhos científicos Como se comportar durante a apresentação de um pôster em um evento científico? Fobia Social ou Timidez??? (Medo excessivo contato ou exposição social)

Leia mais

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

Entrevistado por Maria Augusta Silva. Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração.

Entrevistado por Maria Augusta Silva. Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração. ANDRÉ LETRIA Entrevistado por Maria Augusta Silva Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração. Um traço sinónimo de qualidade. Desenho e cor para a infância. Aos 26 anos

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

Nº 14 - Set/15. PRESTA atenção. egresso

Nº 14 - Set/15. PRESTA atenção. egresso Nº 14 - Set/15 PRESTA atenção egresso! Apresentação Após passar anos dentro de uma penitenciária, finalmente chega o momento de liberdade. Ao mesmo tempo que o corpo é tomado por uma alegria, é também

Leia mais

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Lc 18.1-8 Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele disse: "Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava

Leia mais