Formas de apoio do BNDES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Formas de apoio do BNDES"

Transcrição

1 Formas de apoio do BNDES ABIMAQ São Paulo/SP 24 de março de 2011

2 Novas condições BNDES PSI 3

3 Quadro comparativo BNDES PSI 2 BNDES PSI 3 Atual A partir de 01/04/2011 Itens Financiáveis Taxa Participação Máxima (1)(3) Orçamento Taxa Participação Máxima (2)(3) Acréscimo no Orçamento Ônibus Híbridos e Elétricos Ônibus Padrão BRT Demais Ônibus e Caminhões 8% MPME: 100% MG e GE: 80% (+20%) R$ 38,3 bilhões ESGOTADO 5% 10% 90% MPME: 80% (+10%) MG e GE: 70% (+20%) R$ 1 bilhão R$ 20 bilhões R$ 12 Demais Bens de Capital (MPME) 100% 6,5% 90% bilhões R$ 62,4 5,5% bilhões R$ 24 Demais Bens de Capital (MG e GE) 80% (+20%) 8,7% 70% (+20%) bilhões ESGOTADO Bens de Informática e Automação 100% 5% 100% R$ 1 bilhão com Tecnologia Nacional (1) Participação Máxima no BNDES Finame Leasing é de 80%, sem possibilidade de aumento de participação (2) Participação Máxima no BNDES Finame Leasing será de 70%, sem possibilidade de aumento de participação (3) A participação no financiamento à aquisição de aeronaves executivas e comerciais não poderá ser superior a 85%

4 Quadro comparativo BNDES PSI 2 BNDES PSI 3 Programa Taxa Participação Máxima Atual A partir de 01/04/2011 Orçamento Taxa Participação Máxima Acréscimo no Orçamento BNDES Procaminhoneiro 4,5% Finame: 100% Leasing: 80% R$ 7,7 bilhões ESGOTADO 7% Finame: 90% Leasing: 70% R$ 4 bilhões BNDES Finame Componentes Não há taxa de juros fixa equalizada 5% 90% R$ 2 bilhões Subprograma Inovação Taxa Participação Máxima Atual A partir de 01/04/2011 Orçamento Taxa Participação Máxima Acréscimo no Orçamento Inovação Tecnológica 3,5% Capital Inovador 4,5% BNDES Proengenharia e Inovação Produção 90% R$ 900 milhões ESGOTADO R$ 300 milhões ESGOTADO 4% R$ 1 bilhão 90% 5% R$ 1 bilhão - 7% R$ 1 bilhão

5 Quadro comparativo BNDES PSI 2 BNDES PSI 3 Subprograma Exportação Pré- Embarque Taxa Participação Máxima Atual A partir de 01/04/2011 Orçamento Taxa Participação Máxima Acréscimo no Orçamento Exportação de Bens de Capital 5,5% R$ 15,9 bilhões 9% 80% R$ 7 bilhões Exportação de Bens de Consumo 8% R$ 7 bilhões - 100% Exportação de Bens de Capital (MPME) 5,5% 7% 90% - R$ 500 Exportação de Bens de Consumo 8% milhões - (MPME) Observações: 1. Foi excluída a possibilidade de apoio à produção de bens de consumo. 2. O prazo total de financiamento foi diminuído de 36 para 24 meses. 3. Foi transferido o valor de R$ 7 bilhões do orçamento de Bens de Consumo para os Bens de Capital, mantidos R$ 500 milhões exclusivos para MPME.

6 MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS BNDES Moderniza BK BNDES Finame Componentes

7 Algumas linhas e modalidades de financiamento BK Aquisição Financiamento a compradora Financiamento a fabricante para comercialização BK Produção Financiamento à produção durante o período de fabricação de máquinas já negociadas com os compradores Finame Moderniza BK Financiamentos a serviços de modernização de máquinas (fornecedor do serviço ou ao proprietário do bem) Finame Componentes (não se aplica a todos os setores) Financiar a aquisição de componentes para incorporação em máquinas e equipamentos em fase de produção

8 Estrutura das taxas, prazos e níveis de participações Taxas de Financiamento (variam conforme o programa) Custo Financeiro (em geral, TJLP) Remuneração Básica do BNDES Intermediação Financeira (0,5% a.a., mas MPME s estão isentas) Remuneração da Instituição Financeira (em geral, livre) Prazos (prazo de amortização + prazo de carência) Variam conforme o programa e o equipamento Exemplos: Serviços de modernização - 18 meses Aquisição de locomotivas meses Níveis de participação Variam conforme o porte da empresa: MPME s até 100% Grandes empresas até 80% Pode ser expandido, utilizando como Custo Fin. a TJLP + 1% a.a.

9 Finame Componentes (atual) Financiar a aquisição de componentes para incorporação em máquinas e equipamentos em fase de produção Beneficiárias: Fabricantes credenciados no CFI Itens Financiáveis São passíveis de financiamento as aquisições de peças, partes e componentes, inclusive eletrônicos, de fabricação nacional Taxas, Prazos e Participação: TJLP (capitação) + 1,5% (Rem. Básica) + 0,5% (int. Fin.) + Spread Livre 90% de nível de participação Taxa variável: Até 18 meses com possibilidade de 3 meses de carência

10 Finame Componentes (versão nova em elaboração) Poderão ser adquiridos serviços tecnológicos a taxas mais competitivas Itens Financiáveis Peças, partes e componentes, inclusive eletrônicos Serviços tecnológicos relacionados à produção e desenvolvimento de máquinas Taxas, Prazos e Participação: Opção 1: TJLP(capitação)+1,5%(Rem. Básica)+0,5% (int. Fin.)+ Spread Opção 2: 5% de taxa fixa (spread do Ag. varia conforme o porte do beneficiário) 90% de nível de participação Taxa variável: Até 18 meses com possibilidade de 3 meses de carência Taxa fixa: Até 36 meses com possibilidade de 3 ou 6 meses de carência

11 Finame Moderniza BK(continuação) Limites: Financiamentos de 250 mil a 10 milhões de reais. Prazos taxa e participação por modalidade de financiamento Modalidade Participação Taxa Carência Prazo Total Fin. Proprietário 100% para MPME 70% para outras TJLP + 2,% (rem. do BNDES) + 0,5% (Int. fianceira) + Sprad Livre Tempo de execução do serviço 48 meses Fin. Fornecedor 90% TJ-462 (TJLP +1%) + 2,% (rem. do BNDES) + 0,5% (Int. fianceira) + Sprad Livre meses

12 Credenciamento de Máquinas e Equipamentos

13 Histórico CFI Criado há 18 anos base de dados análise setorial da indústria BK Gerenciamento informações das empresas fabricantes localização, nº empregados, faturamento, segmento industrial, controle acionário, maquinário, contatos e linha de produtos 7 mil empresas autorizadas a operar total 13 mil empresas cadastradas 130 mil produtos aptos total de 250 mil PSI quadruplicou a demanda por credenciamento incremento da participação FINAME de 20% para 60% nos desembolso do BNDES 2010 Comitê de Credenciamento melhorias pontuais - sistemas

14 Riscos da manutenção do CFI Inconsistência de informação: não há críticas ex: CNAE, NCM Informações desatualizadas: grande empresa apoiada como pequena, índice desatualizado 400 empresas na fila de espera para credenciamento Fim do PSI sem credenciamento das empresas perda de negócios Perda de mercado pela empresa nacional Perda de competitividade Concorrência equipamento estrangeiro Financiamento a equipamento estrangeiro Impossibilidade de geração de Relatórios Gerenciais: CFI x PAC On line Sistema não integrado: dados com órgãos de governo, ex: Receita Federal, INSS, MF Defasagem tecnológica: falta de ferramentas modernas para tratamento de dados

15 PROJETO NOVO MODELO OPERACIONAL Banco de Dados de Credenciamento EMPRESA SOLICITA CREDENCIAMENTO ANÁLISE CADASTRAL EMPRESA AVALIAÇÃO PRODUTO CREDENCIAMENTO FINANCIAMENTO PAC On line CONTROLE OPERAÇÕES RELATÓRIOS ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES

16 Banco de Dados de Credenciamento Padrão Cartão BNDES PREMISSAS Autodeclaratório - RESPONSABILIDADE EMPRESA Renovação anual do credenciamento da empresa Renovação semestral do cadastro do produto Mapear Cadeia Produtiva e segmentar por setores Fornecedores até o 2º nível Incluir NCM, CNAE 2.0 Erradicação do papel operar em ambiente web Integração externa (CADIN e outros) e interna: PAC On-line

17 Vantagens: O novo cadastro possibilita Implementar testes de validação Validar dados - CNAE 2.0, NCM, faturamento Evitar pedidos de credenciamento indevidos Verificar consistência de dados de empresas e produtos credenciados Interface web para empresas credenciadas atualizarem dados Notificação automáticas a empresas credenciadas para atualização Desativar empresas que não atualizam informações Relatórios de credenciamento e financiamentos com cruzamento de dados sobre empresas, produtos e operações Integração com sistemas operacionais e atualização automática com programas e políticas Compartilhamento de dados com o BNDES

18 Como apoiamos Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Empresário Informação e Relacionamento Instituição Financeira Credenciada Empresário

19 Fluxo BNDES FINEM Roteiro Informações Consulta Prévia EMPRESÁRIO Roteiro Informações Consulta Prévia Carta Consulta Enquadramento EMPRESÁRIO Roteiro Apresentação Roteiro Apresentação Projeto Projeto Projeto Análise do projeto Contratação Acompanhamento durante todo o projeto

20 BNDES Finem Apoio financeiro Produtos BNDES FINEM

21 Roteiro de Informações para Consulta Prévia Roteiro para Apresentação do Projeto Roteiros e manuais

22 Demais formas de Apoio Indireto Automático

23 Classificação de porte utilizada Porte Receita Operacional Bruta Anual M P M E MICRO PEQUENA MÉDIA até R$ 2,4 milhões até R$ 16 milhões até R$ 90 milhões MÉDIA-GRANDE até R$ 300 milhões GRANDE acima de R$ 300 milhões

24 Requisitos mínimos Agente Financeiro - Análise cadastral - Capacidade de pagamento - Garantias: normas Banco Central BNDES - Em dia obrigações fiscais e previdenciárias - Legislação ambiental - Não estar em regime de recuperação de crédito O BNDES não exige tempo mínimo de faturamento!

25 Formas de apoio Projetos de Investimento BNDES Finem BNDES Automático Máquinas e Equipamentos BNDES Finame BNDES PSI Cartão BNDES + Insumos e serviços CAPITAL DE GIRO BNDES PROGEREN

26 PROJETOS DE INVESTIMENTO BNDES Automático

27 Projetos de investimento BNDES AUTOMÁTICO Obras civis, montagem e instalações Móveis e utensílios Despesas pré-operacionais Pesquisa e Desenvolvimento / Certificação Máquinas e equipamentos nacionais Novos Usados - MICROEMPRESA Capital de Giro Micro até 70% Pequena e média até 40% Grande até 15% a O BNDES não financia a aquisição de terrenos, imóveis, ou a compra de empresas.

28 BNDES Automático - Inovação Em P D & I: Aquisição, transferência e absorção de tecnologia, desde que incorporadas ao projeto, e exceto quando de empresas que integrem o mesmo grupo econômico a que a Beneficiária pertença; Mão-de-obra direta relacionada ao projeto de P D & I; Capacitação técnica e gerencial, limitada a 10% (dez por cento) dos itens financiáveis; Contratação de ensaios, testes, certificações, dentre outros, e registro de patentes, no país; Gastos para adequação aos padrões regulatórios nacionais e/ou internacionais relacionados ao projeto. a

29 MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS BNDES FINAME BNDES PSI

30 Máquinas e equipamentos BNDES FINAME / BNDES PSI Novos Nacionais Sem limite de valor Credenciados no BNDES CFI (www.bndes.gov.br) Capital de Giro Associado Microempresa: até 50% Pequena e Média: até 30%

31 PEÇAS, PARTES E COMPONENTES BNDES Finame Componentes

32 Beneficiárias: Fabricantes, de qualquer porte, credenciados no BNDES Objetivos: Financiar a aquisição de serviços tecnológicos e peças, partes e componentes credenciados no CFI para incorporação em máquinas e equipamentos em fase de produção

33 Capital de Giro BNDES PROGEREN

34 Beneficiárias MPMEs empresas de controle nacional Micro e pequenas empresas Seção B Indústria de extração Petróleo e gás natural (B06) Extração de minerais metálicos (B / B0721-9, B0722-7, B e B0729-4) Seção C Indústria de transformação TODOS CNAES Ativ. apoio à extração mineral (B09)

35 Beneficiárias Médias empresas Seção C - Indústria de transformação Indústria de bens de capital (C2513-6, C252, C271, C2731-7, C2790-2, C28 e C301); Preparação de couros, seus artefatos e calçados (C15); Confecção de artigos do vestuário e acessórios (C14); Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico (C325); Fabricação de equipamentos de informática (C262); Fabricação de material eletrônico e de comunicações (C261, C263, C264, C265 e C266).

36 Progeren PARTICIPAÇÃO Até 20% da ROB ou até R$ 10 milhões a cada 12 meses Garantia Será possível a utilização do FGI Vigência: 31/03/2012

37 CONDIÇÕES BNDES Automático BNDES Finame BNDES Finame Componentes BNDES Progeren

38 Condições CONDIÇÕES Automático PSI Componentes Progeren Custo Financeiro + Remuneração BNDES + + Remuneração Agente Financeiro* 6% aa TJLP + 0,9% aa + Negociada 3,3% aa 6,5% aa 5% aa TJLP + 1% + 3% aa + Negociada 3,7% aa Taxa Final 0,53% am 0,41% am +/- 0,81% am +/- 1,08% am Prazo Negociado Até 120 meses Até 36 meses Até 24 meses Carência Negociado Até 24 meses 3 ou 6 meses Até 12 meses Fonte: AOI/DESCO * média 2010

39 GARANTIAS BNDES FGI

40 Fundo Garantidor para Investimentos (FGI) Beneficiárias: MPMEs + Transportador Autônomo de carga + Microempreendedor individual (MEI) Apenas para operações com risco AA, A, B e C

41 Fundo Garantidor para Investimentos (FGI) Limites: Até 80% do valor do financiamento Até 10 milhões por beneficiário Custos: Encargo de Concessão de Garantia (ECG) Função de: Tipo de investimento (se investimento ou capital de giro) Percentual da garantia Outros Pode ser financiado junto com o empreendimento

42 FGI Agentes Financeiros Parceiros Agentes Financeiros Cotistas: Agentes Financeiros em Subscrição:

43 CAPTALIZAÇÃO DE EMPRESAS BNDES Procap BK

44 BNDES Procap BK Promover a capitalização das empresas fabricantes de Bens de Capital, Componentes e Autopeças (S.A. ou Ltda.) ROB até R$ 300 milhões

45 Procap BK - CNAEs abrangidos Classificação Nacional de Atividades Econômicas C28 (fabricação de máquinas e equipamentos); C29 (fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias); C30 (fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores); C271 (fabricação de geradores, transformadores e motores elétricos); C272 (fabricação pilhas, baterias e acumuladores elétricos); C273 (fabricação de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica); C (fabricação de equipamentos e aparelhos elétricos não especificados anteriormente); C (fabricação de obras de caldeiraria pesada); e C252 (fabricação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras).

46 Beneficiárias e itens financiáveis Beneficiárias Empregados não acionistas / quotistas Acionistas (S.A.) e Quotistas (Ltda.) Empresas Itens financiáveis Subscrição / integralização de ações Capital de giro Capacitação Fusão e Aquisição

47 Limites de financiamento - capitalização CAPITALIZAÇÃO = 30% do Patrimônio Líquido EMPREGADOS Até 12x salário (mínimo 25% da folha) ACIONISTAS / QUOTISTAS Até 50% do valor dos empregados CAPITAL DE GIRO 30% PL - (empregados + acionistas / quotistas)

48 Exemplo de cálculo capitalização Patrimônio Líquido = R$ 20 milhões Folha de pagamento (ano) = R$ 10 milhões Valor máximo de capitalização R$ 6 milhões (30% do PL) INTEGRALIZAÇÃO DE QUOTAS Empregados (Mínimo 25% FOPAG) R$ 2,5 milhões Quotistas (Máximo 50% vlr. empregados) R$ 1,25 milhões Capital de giro [ (30% PL) - (empregados + quotistas) ] TOTAL R$ 2,25 milhões R$ 6 milhões Empregados Quotistas Giro

49 Limites de financiamento - resumo CAPITALIZAÇÃO = 30% do Patrimônio Líquido CAPACITAÇÃO = R$ 150 mil - (Ltda.) FUSÃO E AQUISIÇÃO = R$ 50 milhões Participação do BNDES - Até 100% dos itens financiáveis

50 Condições TAXA DE JUROS Custo + BNDES financeiro + Agente financeiro Taxa final PRAZO Subscrição / Integralização TJLP + 1% aa + Até 3% aa Até 0,8% am 120 meses (12 carência) Giro TJLP 2,5% aa + + Até 3% aa Até 0,91% am 60 meses (12 carência) Capacitação TJLP 2% aa + + Até 3% aa Até 0,87% am 12 meses (s/ carência) F&A TJLP 1,5% aa + + Até 3% aa Até 0,84% am 96 meses (12 carência)

51 Posto de Informações 50 Postos de Informações Todas as regiões 24 estados ABIMAQ Giselle Rezende / Érika Fialho Tel. (11) ABIMAQ/BNDES XXXXX / BNDES

52 Cartão BNDES

53 Cartão BNDES Objetivo Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das micro, pequenas e médias empresas (MPMEs).

54 Cartão BNDES Como funciona? As transações são realizadas pela internet, através do Portal de Operações O cartão emitido não possui tarja magnética ou chip, o que não o possibilita realizar determinados tipos de operações, como saque em caixas eletrônicos. Os fornecedores e os produtos necessitam estar previamente credenciados pelo BNDES.

55 Ambiente de negócios 363 mil Compradores MPMEs R$16,1 bilhões de crédito préaprovado Parceiros 28 mil Fornecedores Credenciados 150 mil produtos

56 Cartão BNDES O que pode ser financiado? Mais de 150 mil itens, incluindo: Máquinas, equipamentos, computadores, móveis, motocicletas, veículos pesados e softwares; Insumos industriais (têxtil, coureiro-calçadista, moveleiro, resinas, laminados metálicos ou plásticos, entre outros); Peças e componentes de bens de capital, informática, automação, autopeças e navipeças; Materiais para construção civil; Qualificação profissional para o turismo; Inovação Serviços tecnológicos.

57 Cartão BNDES Inovação Serviços tecnológicos Avaliação de conformidade (calibração, certificação, ensaios laboratoriais), normalização, regulamentação técnica e metrologia, prestados por entidades acreditadas pelo INMETRO ou credenciadas por outros órgãos federais; Acreditação para hospitais e demais instituições de saúde, desde que prestados segundo os padrões reconhecidos pela ANS; Avaliação da qualidade de software nos modelos CMMI, MPS.BR e MEDE-PROS. Inovação e extensão tecnológica; e

58 Cartão BNDES Inovação e extensão tecnológica Aquisição e Transf. de Tecnologia (INPI) Avaliação e Pedido de Registro de PI (INPI) Design de Produto, Ergonomia e Desenvolvimento de embalagens Eficiência energética e Impacto ambiental Extensão tecnológica Projeto de experimento Prototipagem Resposta técnica de alta complexidade Contrapartida financeira - SEBRAE e FINEP

59 Cartão BNDES COMPRADORES

60 Cartão BNDES Vantagens Limite de até R$ 1 milhão, por banco emissor; Prestações fixas em até 48 meses; Taxa de juros atrativa: 1,02% a.m. (mar/11); Crédito rotativo, pré-aprovado; Uso automático.

61 Como solicitar o Cartão BNDES? Solicite seu Cartão BNDES

62 Cartão BNDES CREDENCIAMENTO DE FORNECEDORES

63 Cartão BNDES - Fornecedor Empresas de qualquer porte: - Fabricantes ou distribuidores de bens de interesse das MPME (com índice de nacionalização igual ou superior a 60%). Fornecedores Credenciados - Instituições acreditadas pelo INMETRO ou credenciadas por outros órgãos federais (avaliação de conformidade) - Cursos de qualificação profissional (turismo) e idiomas (inglês e espanhol)

64 Cartão BNDES Vantagens para o fornecedor Mais de 360 mil potenciais clientes do Cartão BNDES; Financiamento automático para o cliente; Garantia de recebimento da venda; Indicação de distribuidores/revendedores; Exposição do catálogo de produtos gratuita. Custo Taxa de desconto de até 2,5% sobre o valor da venda.

65 Cartão BNDES Como o fabricante solicita o credenciamento? 1ª Análise 2ª Análise Fabricante solicita credenciamento no Portal do Cartão BNDES Montagem do catálogo de produtos Processo de afiliação (visita, documentos conta corrente) Fabricante credenciado

66 Cartão BNDES Indicação (credenciamento) de distribuidores Fabricante credenciado indica o CNPJ do distribuidor no Portal Distribuidor autorizado a vender Distribuidor indicado acessa o Portal e preenche um cadastro eletrônico Processo de afiliação (visita, documentos, conta corrente.)

67 Como solicitar seu credenciamento? Seja um Fornecedor Credenciado Campo destinado a Fabricantes Campo destinado a Distribuidores

68 Cartão BNDES Credenciamento Análise do BNDES CNAE e endereço no Portal = Receita Federal? Produto Principal Compatível com o CNAE? Fabricação própria? Certificações? Índice de Nacionalização? Sintegra (ICMS) Existência de outra empresa do mesmo grupo econômico já cadastrada no Portal Site máquinas e equipamentos e softwares Atribuição de Gestor informação de disponível no Portal para o fabricante

69 Cartão BNDES NÚMEROS

70 Cartão BNDES Evolução dos desembolsos (R$ milhões) 500 mil operações ,2 12,1 71,7 225,2 509,2 845, * *Projeção

71 Cartão BNDES Informações Dúvidas Manuais

72 Apoio à Inovação

73 Agenda Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas Programas Fundos Cartão BNDES

74 Política de Inovação do BNDES Objetivo Diretrizes Fomentar e apoiar operações associadas à formação de capacitações e ao desenvolvimento de ambientes inovadores, com o intuito de gerar valor econômico ou social e melhorar o posicionamento competitivo das empresas, contribuindo para a criação de empregos de melhor qualidade, o aumento da eficiência produtiva, a sustentabilidade ambiental e o crescimento sustentado do País. atuação em todos os setores da economia de forma complementar a outras instituições do Sistema Nacional de Inovação conjugação de instrumentos de renda fixa e renda variável

75 Incentivo à Inovação Complementaridade com o SNI Parceria com FINEP Agente Financeiro do PSI Cartão BNDES pode ser utilizado para financiar as contrapartidas financeiras exigidas em programas executados pela FINEP (Sibratec) e Sebrae (Sebraetec) Condições Diferenciadas Custo menor quando comparado às demais linhas Valor mínimo para apoio direto - R$ 1 milhão Combinação de instrumentos de renda fixa e renda variável Financiamento a capitais intangíveis Financiamento a serviços de inovação pelo Cartão BNDES

76 Política de Inovação do BNDES RENDA FIXA / RENDA VARIÁVEL CAPITAL INOVADOR INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INOVAÇÃO PRODUÇÃO PROSOFT, PROFARMA, PROPLÁSTICO, PROTVD, PRO-Aeronáutica e Proengenharia FOCO NA ESTRATÉGIA FOCO NO PROJETO SETORIAIS Fundos Mútuos Fechados e Participação EQUITY Participação direta Programa Criatec (Seed Money) PRODUTOS DE APOIO A INOVAÇÃO CARTÃO BNDES BNDES AUTOMÁTICO APLICAÇÃO NÃO- REEMBOLSÁVEL FUNTEC Fundo Tecnológico Projetos de Pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico e inovação em áreas de interesse nacional

77 Capital Inovador Empresa Estratégia de Inovação Plano de Investimento em Inovação (PII) Objetivo: apoiar os esforços inovativos alinhados com a estratégia e previstos nos Planos de Investimento em Inovação das empresas Itens Financiáveis: infra-estrutura física + ativos tangíveis e intangíveis Modalidade Direta: financiamento e/ou capitalização Valor Mínimo: R$ 1 milhão Custo: TJLP + Taxa de Risco (ROB < R$ 60 milhões: isentas) Participação: até 90% Prazo: até 12 anos Garantias: definidas na análise PSI Custo: 5% a.a. Prazo: 8 anos * Contratações até 31/12/2011

78 Inovação Tecnológica Risco Tecnológico Projeto Oportunidade de Mercado Novidade para Mercado Nacional Objetivo: apoiar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação com risco tecnológico e oportunidade de mercado, compreendendo o desenvolvimento de produtos e/ou processos novos (para o mercado nacional) ou significativamente aprimorados Modalidade direta: financiamento e/ou capitalização Valor Mínimo: R$ 1 milhão Custo: 4,5% a.a Participação: até 90% Prazo: até 14 anos Garantias: definidas na análise PSI Custo: 4% a.a. Prazo: 10 anos * Contratações até 31/12/2011

79 Inovação Produção Objetivo: apoiar projetos de investimento que visem à implantação, expansão e modernização da capacidade produtiva, necessárias à absorção dos resultados do processo de pesquisa e desenvolvimento ou inovação; e projetos de pesquisa e desenvolvimento ou inovação que apresentem oportunidade comprovada de mercado, inclusive o desenvolvimento de inovações incrementais de produtos e/ou processos. Modalidade direta: financiamento e/ou capitalização Valor Mínimo: R$ 3 milhões Custo: TJLP (6% a.a.) + 0,9% a.a. + Taxa de Risco de Crédito (até 3,57%a.a.) Equipamentos importados: Cesta de Moedas + 0,9% a.a. + Taxa de Risco (até 3,57% a.a.) Participação: MPME: até 90% dos itens financiáveis Grande empresa: até 80% Garantias: definidas na análise PSI Custo: 7% a.a. Prazo: 8 anos * Contratações até 31/12/2011

80 BNDES Automático Objetivo: financiamento, através de Instituições Financeiras Credenciadas, para implantação, ampliação, recuperação e modernização de ativos fixos, bem como projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, nos setores de indústria, comércio, prestação de serviços e agropecuária. Modalidade indireta e automática Não existe valor mínimo Valor Máximo: R$ 20 milhões Divide-se em Linhas de Financiamento, com objetivos e condições financeiras específicas. Custo: a partir de TJLP + 0,9% a.a. + Remuneração da Instituição Financeira Credenciada Participação: até 90% dos itens financiáveis Prazos: definidos pela Instituição Financeira Credenciada

81 Criatec Objetivo: capitalizar as micro e pequenas empresas inovadoras de capital semente e prover-lhes um adequado apoio gerencial Gestores Regionais: SC, SP, RJ, MG, PE, CE, BA e PA Patrimônio Comprometido: 100 milhões (80% BNDESPar) Duração: 10 anos (quatro primeiros: período de investimento) Política de Investimento Empresas com faturamento líquido máximo de R$ 6 milhões Máximo de investimento por empresa: R$ 1,5 milhão Setores em foco: TI, Biotecnologia, Novos Materiais, Nanotecnologia, Agronegócios e outros

82 Criatec Critérios de Avaliação Tecnologia: grande diferencial tecnológico e/ou competitivo com relação aos concorrentes Mercado: solução de um problema de mercado claro e economicamente relevante Empreendedor: empreendedor(es) altamente competentes, com grande diferencial e bom relacionamento Resultado Financeiro: possibilidade de margens significativas Necessidade de Capital: capital capaz de levar empresa ao próximo estágio Desinvestimento: compradores identificados Maiores informações

83 FUNTEC Fundo Tecnológico Objetivo: apoiar financeiramente projetos que objetivam estimular o desenvolvimento tecnológico e a inovação de interesse estratégico para o País, em conformidade com os Programas e Políticas Públicas do Governo Federal. Aplicação direta e não reembolsável Projetos de natureza científica e tecnológica Beneficiárias: Instituições tecnológicas e Instituições de apoio Com a interveniência de empresas Participação: até 90% As solicitações serão recebidas de maneira contínua pelo BNDES, sendo apreciadas por Comitê Consultivo em três reuniões distintas ao longo do ano. Focos: Energia, Meio Ambiente, Saúde, Eletrônica, Novos Materiais, Química, Transportes e Petróleo e Gás

84 FUNTEC Focos Energia: bioenergia (cana-de-açúcar); energias alternativas; redução da emissão e aumento da eficiência de usinas térmicas; energia nuclear; distribuição de energia; Meio Ambiente: Prevenção, controle e tratamento de resíduos; e Recuperação de solos e de recursos hídricos contaminados. Saúde: Biofármacos, vacinas, terapias celulares e gênicas de origem biotecnológica, não produzidos no país, para tratamento de doenças oncológicas, autoimunes e dos sistemas nervoso e cardiovascular. Eletrônica: Microeletrônica, nanotecnologia; Tecnologias emergentes em mostradores de informação (displays); e Equipamentos para a implementação do Plano Nacional de Banda Larga.

85 FUNTEC Focos Novos materiais: Desenvolvimento de metais ferrosos ou não ferrosos. Química: Fertilizantes; Resinas, plásticos, fios e fibras sintéticas e naturais, elastômeros e compósitos; Produtos químicos por meio de rotas biotecnológicas; e Intermediários químicos não fabricados no país. Transportes: Transporte regional com foco na redução da poluição ambiental e do consumo energético por passageiro e/ou carga; Dispositivos destinados ao armazenamento de energia para uso em propulsão veicular. Petróleo e Gás: Processos de caldeiraria compreendendo revestimento, soldagem e fundição; Processos de construção naval compreendendo corte, soldagem, dobramento, controle dimensional, movimentação de cargas e lançamento de embarcações; e Equipamentos e processos para operações remotas.

86 Cartão BNDES Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das MPMEs. Limite de até R$ 1 milhão, por banco emissor Prestações fixas em até 48 meses Taxa de juros atrativa: 1,02% a.m. (mar/11) Crédito rotativo e pré-aprovado Fornecedores Credenciados Uso automático Micro, Pequenas e Médias Empresas Financia etapas do processo de inovação das empresas, ao invés de projetos.

87 Cartão BNDES Inovação Serviços de: Avaliação de conformidade, normalização, regulamentação técnica e metrologia; Acreditação hospitalar; Design, Ergonomia e Modelagem de produto; Prototipagem; Resposta técnica de alta complexidade; Serviços técnico-especializados em eficiência energética e impacto ambiental; Desenvolvimento de embalagens; Extensão tecnológica; Projeto de experimento; Aquisição de conhecimentos tecnológicos e transferência de tecnologia (contratos averbados de INPI); Avaliação de viabilidade e pedido de registro de propriedade intelectual; Avaliação da qualidade de software: -avaliação CMMI -avaliação e implementação MPS.BR -avaliação MEDE-PROS (CTI/CenPRA) Contrapartidas financeiras de MPMEs em programas voltados para a inovação, executados pelo MCT/FINEP e SEBRAE em cooperação com ICTs.

88 Apoio à Exportação BNDES Exim

89 BNDES Exim Objetivos: Apoiar a exportação de bens e serviços de maior valor agregado; Aumentar a base exportadora do país; Expandir a capacidade de geração de renda e empregos no país. Produtos Financiáveis Bens de maior valor agregado que necessitem de maior prazo de fabricação e/ou comercialização; Bens cadastrados conforme regra do FINAME; Produtos enquadrados no Processo Produtivo Básico (PPB); Serviços de engenharia e software.

90 Desembolsos Anuais para a Exportação BNDES Exim: Desembolsos Anuais - USD Milhões Obs: Conversão em dólares na data do desembolso dos recursos

91 Modalidades de Apoio BNDES Exim Pré-embarque Produção no Brasil Pós-embarque Comercialização Externa Capital de giro destinado a financiar a produção de bens e serviços a serem exportados Apoio à comercialização de bens e serviços no exterior

92 Como apoiamos? Pré-embarque Pós-embarque Operações Indiretas Procedimentos: Exportador contrata o financiamento do BNDES por meio dos agentes financeiros. Garantias: Exportador negocia as garantias com os agentes financeiros. Operações Diretas Procedimentos: Exportador contrata o financiamento direto com o BNDES; Banco mandatário realiza as atividades de suporte à operação. Garantias: Exportador estrutura as garantias com o BNDES.

93 Linhas de Financiamento Linhas Modalidades Pré-embarque Produção destinada à exportação Pré-embarque Pré-embarque Ágil Produção associada a um compromisso de exportação Pré-embarque Especial Produção para incremento da exportação Pré-embarque Empresa Âncora Produção das MPMEs destinada à exportação via empresa-âncora Pós-embarque Comercialização de bens e serviços no exterior

94 Bens e Serviços Financiáveis Produtos de alto valor agregado Grupo I Bens de capital: máquinas e equipamentos industriais, motores, caminhões e ônibus, etc Grupo II Bens de consumo: linha branca, móveis, calçados, vestuário, etc Grupo III Bens especiais: automóveis de passeio, café verde, etc Ver Relação de Produtos Financiáveis

95 Pré-embarque Novas Condições para MPME Linhas Prazo Custo Financeiro Remuneração BNDES Agente Participação do BNDES Pré-embarque Ágil Pré-embarque Pré-embarque Empresa Âncora Grupo I (máquinas industriais): até 24 meses Grupo I (demais bens de capital) II e III: até 18 meses TJLP (6% a.a.) ou LIBOR + Var. Cambial 0,9% a.a. Negociada entre o exportador e o agente financeiro até 30% até 90% Pré-embarque Especial até 18 meses

96 Fluxo da Operação: Pré-embarque Brasil 3 Exterior Exportador 4 Importador Agente Financeiro 1 2 BNDES 4 1. Solicitação de recursos 2. Financiamento 3. Produção e Exportação 4. Pagamentos

97 Fluxo da Operação: Pós-embarque Brasil 1 Exterior Exportador 2 Importador Banco Mandatário 2 3 BNDES 4 1. Bens exportados 2. Títulos cambiais 3. Reais 4. Pagamentos

98 BNDES PSI Programa de Sustentação do Investimento Pré-embarque PSI Produtos Apoiados: Grupo I Bens de Capital Prazo Total: até 24 meses Taxa de Juros Fixa: MPMEs: 7% aa. Grandes Empresas: 9% aa. Prazo de Vigência: até 31/12/2011

99 Linhas de Crédito para Bancos no Exterior BNDES Exim Automático

100 Contexto do BNDES Exim Automático Estratégia do BNDES de expansão internacional Estabelecimento de rede de agentes financeiros no exterior aptos a operar linhas de financiamento do BNDES Apoio às exportações brasileiras de bens de capital Foco em operações de varejo Priorização nos mercados da América Latina e África Instrumento para abertura de novos mercados

101 Conceito da linha de crédito Contrato master entre BNDES e banco no exterior BNDES assume o risco político dos financiamentos Condições financeiras competitivas (juros e prazos) Procedimentos operacionais ágeis Banco no exterior origina operações com importadores Operações não produzem regresso contra o exportador Liberação de recursos em reais (R$) no Brasil Certeza do crédito com o BNDES Sem encargo de compromisso

102 Estrutura da linha de crédito Estrutura 1: Banco Devedor Banco no exterior, como devedor da linha de crédito, emite uma autorização ao BNDES para desembolso de recursos ao exportador. Estrutura 2: Banco Garantidor Banco no exterior, como garantidor do importador, emite uma carta de crédito ou presta aval nos títulos de crédito ( pagaré ou letra de câmbio).

103 Estrutura da linha de crédito Estrutura 1: Banco Devedor Banco no exterior, como devedor da linha de crédito, emite uma autorização ao BNDES para desembolso de recursos ao exportador. Estrutura 2: Banco Garantidor Banco no exterior, como garantidor do importador, emite uma carta de crédito ou presta aval nos títulos de crédito ( pagaré ou letra de câmbio).

104 9.R$ 10.R$ 7.Doc. de Exportação Estrutura 1: Banco Devedor Exterior 10.US$ Brasil 5.Doc. de Importador 4. Bens 2.Contrato Comercial Exportador Exportação 9.R$ Banco Mandatário 10.US$ Banco Devedor 6. Autorização de Desembolso 3. Termo de Adesão 1. Contrato master BNDES 8.Comprovação da Exportação

105 Estrutura 1: Banco Devedor Vantagens da Estrutura 1: Banco Devedor Uso do Sistema SWIFT Sem título de crédito ou carta de crédito Possibilidade de automatização do processo Liberdade do banco devedor para negociar spreads com o importador Redução de custo operacional e administrativo do financiamento

106 Estrutura da linha de crédito Estrutura 1: Banco Devedor Banco no exterior, como devedor da linha de crédito, emite uma autorização ao BNDES para desembolso de recursos ao exportador. Estrutura 2: Banco Garantidor Banco no exterior, como garantidor do importador, emite uma carta de crédito ou presta aval nos títulos de crédito ( pagaré ou letra de câmbio).

107 4. Solicita emissão C/C 10. US$ 9.R$ 12.R$ 8.FRO + PL + C/C 3.Consulta Estrutura 2: Banco Garantidor Exterior 11. US$ BRASIL Importador 6.Bens 2.Contrato Comercial Exportador 7.Doc + CC** 9.R$ Banco Mandatario 5. C/C* Banco Garantidor 3.o BNDES aprova a operação BNDES 1.Contrato master * A garantia também pode ser um aval nos títulos de crédito * * Documentos de comprovação da exportação e o contrato de cessão da CC

108 Estrutura 2: Banco Garantidor Vantagens da Estrutura 2: Banco Garantidor Solução alternativa (adaptada à legislação de cada país) Rapidez de implementação da estrutura Garantias bancárias usuais em trade finance

109 Condições da Linha de Crédito Modalidade Formalização Relacionamento com o BNDES Prazo de financiamento Pagamentos Custo Financeiro Remuneração do BNDES Remuneração do banco no exterior Encargo de Administração do BNDES Linha Crédito Contrato master Estreito e formalizado Até 5 anos* Semestrais Libor de 0,40% a 1,20% aa Fee de garantia ou spread 0,3% flat Comissão do Banco Mandatário - Brasil * Nas operações para Argentina os prazos estão limitados em 4 anos até 1,0% flat

110 Bancos com limite de crédito BNDES (1/4) ARGENTINA BANCO BRADESCO ARGENTINA S.A. BANCO DE LA PROVINCIA DE BUENOS AIRES BANCO SANTANDER RIO S.A. BANCO ITAÚ ARGENTINA S.A. BBVA BANCO FRANCÉS S.A. FIAT CRÉDITO COMPAÑIA FINANCEIRA S.A. HSBC BANK ARGENTINA S.A. STANDARD BANK ARGENTINA S.A. BANCO DO BRASIL Negociação Exim Automático

111 Bancos com limite de crédito BNDES (2/4) CHILE Negociação Exim Automático BANCO DE CHILE BANCO DE CRÉDITO E INVERSIONES BANCO DEL ESTADO DE CHILE BANCO HSBC - CHILE BANCO ITAU - CHILE BANCO SANTANDER - CHILE CORPBANCA BANCO DO BRASIL

112 Bancos com limite de crédito BNDES (3/4) BANCO DE BOGOTÁ BANCOLDEX BANCOLOMBIA BBVA (COLÔMBIA) COLÔMBIA PANAMÁ BANCO GENERAL S.A. HSBC PANAMÁ PARAGUAI BBVA PARAGUAY BANCO DO BRASIL BANCO ITAÚ PARAGUAI S.A. Negociação Exim Automático

113 Bancos com limite de crédito BNDES (4/4) PERU BANCO DE CRÉDITO DEL PERÚ BBVA BANCO CONTINENTAL BANCO BHD REPÚBLICA DOMINICANA URUGUAI CRÉDIT URUGUAY BANCO BANCO ITAU - URUGUAY BRANCH Negociação Exim Automático BANCO REPÚBLICA ORIENT. URUGUAY (BROU) BANCO SANTANDER, S.A. (URUGUAY) NUEVO BANCO COMERCIAL S.A.(URUGUAY) BANCO BBVA (URUGUAY)

114 Canais de comunicação Atendimento Empresarial (21) Operações Indiretas (21) Cartão BNDES GP / DESUL (11)

115

Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009

Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009 Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das

Leia mais

Apoio à Inovação. Novembro 2009

Apoio à Inovação. Novembro 2009 Apoio à Inovação Novembro 2009 Agenda O BNDES Inovação Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas Programas Fundos Produtos Prioridades 1950 1960 1970 1980 1990 Infra-estrutura

Leia mais

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica Belo Horizonte MG dezembro /2007 Missão do BNDES Promover o desenvolvimento econômico e social Redução das desigualdades sociais e regionais Geração

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Aracaju-SE 14.março.2016 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet São José do Rio Preto - SP 29.setembro.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas

Leia mais

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Soluções BNDES para pequenos negócios Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada Informação

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. Campinas - São Paulo 23 de Novembro de 2010

O BNDES Mais Perto de Você. Campinas - São Paulo 23 de Novembro de 2010 O BNDES Mais Perto de Você Campinas - São Paulo 23 de Novembro de 2010 Material de apoio Formulário de Perguntas Formulário de Avaliação 3 1 7 5 Informações Institucionais Informações gerais Quem somos

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba SP 27/03/2014

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba SP 27/03/2014 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Sorocaba SP 27/03/2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Empresário Como apoiamos? Operações Indiretas Instituições

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba SP 04/06/2014

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba SP 04/06/2014 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Sorocaba SP 04/06/2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Empresário Como apoiamos? Operações Indiretas Instituições

Leia mais

Feira da Mecânica 2012

Feira da Mecânica 2012 Feira da Mecânica 2012 Reunião de expositores São Paulo - SP 15 de Maio de 2012 Agenda Informações Institucionais Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Aquisição de Máquinas e Equipamentos

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Londrina - PR 26.janeiro.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações

Leia mais

Instrumentos de Apoio do BNDES à BID

Instrumentos de Apoio do BNDES à BID Instrumentos de Apoio do BNDES à BID Brasília, 28 de Setembro de 2016 Apoio do BNDES: Aspectos Básicos OPERAÇÕES DIRETAS OPERAÇÕES INDIRETAS Empresa financiada diretamente pelo BNDES Empresas financiadas

Leia mais

Apoio à Inovação Nov/2015

Apoio à Inovação Nov/2015 Apoio à Inovação Nov/2015 http://www.bndes.gov.br O objetivo do BNDES é fomentar e apoiar operações associadas à formação de capacitações e ao desenvolvimento de ambientes inovadores, com o intuito de

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas CUIABÁ - MT 28/06/2016 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada Informação

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Feira de Santana BA 30/09/2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? No de operações 2013 R$ 1,1 milhões

Leia mais

Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos

Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos Apoio do BNDES Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Hospitalares e Odontológicos Seminário Internacional sobre Diretivas RoHS e WEEE Brasília, 08 de fevereiro de 2011 Complexo Industrial da Saúde

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Fevereiro de 2016 Bruno Plattek bruno.plattek@bndes.gov.br Como apoiamos Tx. de Interm. Fin. Organização Interna Área

Leia mais

Slide 1. MP1 Micro Padrão; 3/4/2008

Slide 1. MP1 Micro Padrão; 3/4/2008 VII Seminário Rio-Metrologia Rio de Janeiro 04.08.09 Slide 1 MP1 Micro Padrão; 3/4/2008 Objetivo Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

Financiamento para o Setor Autopeças

Financiamento para o Setor Autopeças Financiamento para o Setor Autopeças Principais linhas do BNDES Inovação e Competitividade Financiamento para o Setor Autopeças Principais linhas do BNDES Inovação e Competitividade São Paulo, agosto de

Leia mais

Apoio a Região Serrana do RJ. 02 e 03 de fevereiro de 2011

Apoio a Região Serrana do RJ. 02 e 03 de fevereiro de 2011 Apoio a Região Serrana do RJ 02 e 03 de fevereiro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

Apoio do BNDES Complexo Industrial da Saúde. Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2010

Apoio do BNDES Complexo Industrial da Saúde. Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2010 Apoio do BNDES Complexo Industrial da Saúde Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2010 Seminário Áreas Estratégicas na Indústria de Saúde São Paulo, 26 de outubro de 2010 Complexo Industrial da Saúde - CIS

Leia mais

Apoio do BNDES à Inovação

Apoio do BNDES à Inovação Apoio do BNDES à Inovação 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Margarida Baptista 31 de Março, 2011 BNDES Instrumento chave para implementação de Políticas

Leia mais

Apoio do BNDES às Exportações

Apoio do BNDES às Exportações Apoio do BNDES às Exportações ABINEE São Paulo outubro/2015 Classificação: Documento Ostensivo - Unidade Gestora AEX Objetivos Objetivos Apoiar a exportação de bens e serviços de alto valor agregado; Aumentar

Leia mais

enfrentarem os desafios 2016

enfrentarem os desafios 2016 Contribuição do BNDES para as empresas Economia enfrentarem os desafios 2016 Fevereiro de 2016 1 A racionalidade da contribuição do BNDES aos desafios de 2016 Apoiar necessidades das empresas; atender

Leia mais

PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde

PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde Banco Nacional de Desenvolvimento Econômco e Social - BNDES PROFARMA Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde Belo Horizonte dezembro/2007 1 Aprovado em maio / 2004 MACRO-OBJETIVO

Leia mais

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008 Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G Helena Tenório Chefe do Departamento de Programas e Políticas do 2 de julho de 2008 Parceria Petrobras INVESTIMENTO FINANCIAMENTO Desenvolvimento da

Leia mais

PROSOFT. Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação. Prosoft Exportação

PROSOFT. Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação. Prosoft Exportação PROSOFT Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Prosoft Exportação Florianópolis, 16 de novembro de 2009 1 Apresentação do BNDES Fundado

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. São Paulo SP 22.jul.2016

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. São Paulo SP 22.jul.2016 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas São Paulo SP 22.jul.2016 Agenda 1. 2. Quem pode solicitar financiamento? O que podemos financiar? Principais produtos do BNDES para apoio às MPMEs Cartão

Leia mais

CARTÃO BNDES. Cartão BNDES

CARTÃO BNDES. Cartão BNDES Cartão BNDES Objetivos do Cartão BNDES Estabelecer maior proximidade com as Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME) Agilizar o acesso aos recursos financeiros do BNDES Disponibilizar financiamento automático

Leia mais

LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO BNDES

LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO BNDES LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO Linhas de Financiamento para Geração Distribuída O APOIO DO AO SETOR SOLAR FOTOVOLTAICO NELSON TORTOSA - Credenciamento Setor Solar Fotovoltaico EMPRESAS CREDENCIADAS NO Já

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

DEMPI Micro, pequena e média

DEMPI Micro, pequena e média LINHAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO ACESSO AO CRÉDITO MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FIESP - 15/8/14 COMPESCA LINHAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO AGÊNCIAS DE FOMENTO As agências de fomento são

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G -

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás - Área de Insumos Básicos Departamento Regional Sul Gabinete da Presidência (GP/DESUL) Abril

Leia mais

BRDE ENERGIA. Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética

BRDE ENERGIA. Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética BRDE ENERGIA Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética Felipe Castro do Couto: Gerente de Planejamento - BRDE Santa Catarina Um pouco de BRDE Banco público de fomento, criado

Leia mais

CARTÃO BNDES. Nome do Banco Emissor. Departamento de Operações de Internet - BNDES. 22 de agosto de 2007

CARTÃO BNDES. Nome do Banco Emissor. Departamento de Operações de Internet - BNDES. 22 de agosto de 2007 CARTÃO BNDES Departamento de Operações de Internet - BNDES Nome do Banco Emissor 22 de agosto de 2007 Agenda Um novo produto no mercado Conceito O Portal de Operações do Cartão BNDES Rede de Compradores

Leia mais

Missão do BNDES MPME. Promover o desenvolvimento econômico e social. Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego e renda

Missão do BNDES MPME. Promover o desenvolvimento econômico e social. Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego e renda BNDES APLs como Estratégia de Desenvolvimento de MPMEs Brasília DF novembro 2007 Missão do BNDES Promover o desenvolvimento econômico e social Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Novas políticas OPERACIONAIS Condições Destaques 02 Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação de agente

Leia mais

A atuação do BNDES na Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Odontológicos e Hospitalares

A atuação do BNDES na Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Odontológicos e Hospitalares A atuação do BNDES na Indústria de Equipamentos e Materiais Médicos, Odontológicos e Hospitalares 1º CIMES São Paulo, abril 2012 Agenda Complexo Industrial da Saúde A Indústria de EMHO Desafios e propostas

Leia mais

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

Hospital Unimed de Piracicaba. Investimentos + Fontes Financiamentos

Hospital Unimed de Piracicaba. Investimentos + Fontes Financiamentos Hospital Unimed de Piracicaba Investimentos + Fontes Financiamentos Base: 06/2007 Fontes de Financiamentos: BIRD Banco Mundial BID Banco do Brasil BNDES FINEP Ex Im Bank Crédito Mobiliário Bancos Privados.

Leia mais

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015.

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. Apoio Específico aos Municípios Linha de Financiamento para Modernização

Leia mais

Agenda. Política de Inovação do BNDES. Instrumentos de Apoio à Inovação. Linhas; Programas; Fundos; Cartão BNDES. Canais de Comunicação

Agenda. Política de Inovação do BNDES. Instrumentos de Apoio à Inovação. Linhas; Programas; Fundos; Cartão BNDES. Canais de Comunicação O BNDES e Inovação Agenda Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas; Programas; Fundos; Cartão BNDES. Canais de Comunicação Perguntas e Respostas Política de Inovação do BNDES

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

c) limite de recursos: até R$ ,00 (sessenta e um bilhões e oitocentos milhões de reais);

c) limite de recursos: até R$ ,00 (sessenta e um bilhões e oitocentos milhões de reais); RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece as condições para contratação dos financiamentos passíveis de subvenção econômica de que tratam as Leis ns. 12.096, de 24 de novembro de 2009, e

Leia mais

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015 Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços São Paulo - SP 24.jun.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro A seguir as informações sobre as condições financeiras, o objetivo do financiamento, a orientação sobre como solicitar

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BNDES BK Usados

Ass.: Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BNDES BK Usados Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 60/2012-BNDES Rio de Janeiro, 28 de setembro de 2012. Ref.: BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Ass.: Programa BNDES de Apoio à Aquisição

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Campinas - SP 17.mar.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014*

Leia mais

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 São Paulo Inova O Programa São Paulo Inova é uma iniciativa do Estado de São Paulo para apoiar empresas paulistas de base tecnológica e de perfil inovador em

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

Apoio à Eficiência Energética. Financiamento pelo BDMG

Apoio à Eficiência Energética. Financiamento pelo BDMG Apoio à Eficiência Energética Financiamento pelo BDMG 08/06/2016 3 Agenda 1. Sobre o BDMG 2. Financiamento a Eficiência Energética 3. Produtos Financeiros Foco Atendimento ao Mercado Atributos Segmentos

Leia mais

PORTAL DO CARTÃO BNDES

PORTAL DO CARTÃO BNDES DO CARTÃO DO CARTÃO 3 6 O ADQUIRENTE PARA 8 9 PRODUTOS CONTRATADOS 10 11 12 13 14 2 DO CARTÃO A É A MAIS NOVA ADQUIRENTE DO CARTÃO. VOCÊ PODE ESCOLHER A ADQUIRENTE DAS VENDAS REALIZADAS PELA SUA EMPRESA

Leia mais

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades Workshop sobre o Marco Regulatório do Pré-Sal CNI 01.10.2009 Mensagem Inicial Pré-sal: Grande oportunidade para o Brasil Investimentos pré-sal:

Leia mais

Agência do Paraná. Paulo Marques Ferreira. Analista econômico-financeiro e representante do BRDE na região Oeste do PR

Agência do Paraná. Paulo Marques Ferreira. Analista econômico-financeiro e representante do BRDE na região Oeste do PR Agência do Paraná Paulo Marques Ferreira Analista econômico-financeiro e representante do BRDE na região Oeste do PR O BRDE Região de atuação: MS - PR SC - RS Criado em 1961 por três estados da região

Leia mais

LIVRO VERDE DO ETANOL

LIVRO VERDE DO ETANOL III Workshop INFOSUCRO sobre Economia do Etanol e Indústria Sucroenergética O Apoio do BNDES ao Setor Sucroenergético Carlos Eduardo Cavalcanti Chefe do Dept de Biocombustíveis - BNDES Rio, 26/11/2010

Leia mais

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações Gerência Regional de Araraquara Financiamentos às Exportações BB no mundo Experiência: Há mais de 70 anos em comércio exterior, inclusive com embaixadas e consulados; Cobertura internacional: mais de 30

Leia mais

APOIO A VEÍCULOS HÍBRIDOS E ELÉTRICOS. Rafael Alves da Costa 07 de Dezembro/2011

APOIO A VEÍCULOS HÍBRIDOS E ELÉTRICOS. Rafael Alves da Costa 07 de Dezembro/2011 APOIO A VEÍCULOS HÍBRIDOS E ELÉTRICOS Rafael Alves da Costa 07 de Dezembro/2011 Fatores Impulsionadores Segurança energética Desenvolvimento tecnológico de componentes (especialmente baterias) Meio ambiente

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Márcia Leal Chefe do Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura mleal@bndes.gov.br Maio 2012 O BNDES Evolução dos desembolsos 168,4 R$ bilhão 137,4 140,0 92,2

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Janeiro de 2015 Os indicadores demonstram as dificuldades que as empresas de BK vêm encontrando... 2 O acirramento da concorrência

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Financeiras

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Financeiras Novas políticas OPERACIONAIS Condições Financeiras Destaques Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação

Leia mais

Palestra MPME. 30 de junho de 2011

Palestra MPME. 30 de junho de 2011 Palestra MPME 30 de junho de 2011 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Empresário Informação e Relacionamento

Leia mais

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado INOVAR PARA CRESCER QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo. Atua como banco de desenvolvimento apoiando financeiramente às iniciativas que estimulam o crescimento

Leia mais

Linha MPME Inovadora para empresas de TIC de Santa Catarina. André Medrado Florianópolis 04/08/2014

Linha MPME Inovadora para empresas de TIC de Santa Catarina. André Medrado Florianópolis 04/08/2014 Linha MPME Inovadora para empresas de TIC de Santa Catarina André Medrado Florianópolis 04/08/2014 Condições do Programa Porte: MPME s Beneficiárias Controle do Capital: Nacional ou Estrangeiro Financiamento

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga São Paulo - SP 16.abr.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte

Leia mais

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil I SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA -ABRIL/2008 Política Nacional de Biotecnologia Instituída

Leia mais

Financiamentos à Inovação Agência do Rio Grande do Sul

Financiamentos à Inovação Agência do Rio Grande do Sul Porto Alegre - 2016 Financiamentos à Inovação Agência do Rio Grande do Sul Estados-sócios BRDE É uma instituição pública de fomento, constituída como banco de desenvolvimento. Área de Atuação PRESENÇA

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG

INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG "Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia para a retomada do desenvolvimento INFORMAÇÕES SOBRE O BDMG BDMG: Foco em Inovação Novembro/14 Dezembro/15 O BDMG em resumo 2 O Banco de Desenvolvimento de Minas

Leia mais

Linhas de Financiamento para a Construção Civil

Linhas de Financiamento para a Construção Civil Linhas de Financiamento para a Construção Civil Câmara Brasileira da Indústria de Construção 16 de dezembro de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da

Leia mais

Equipamentos Médicos e Tecnologias para a Saúde Fiesp, 02 de maio de 2013

Equipamentos Médicos e Tecnologias para a Saúde Fiesp, 02 de maio de 2013 Equipamentos Médicos e Tecnologias para a Saúde Fiesp, 02 de maio de 2013 Agenda O que é o Inova Saúde? Linhas Temáticas Instrumentos Disponíveis Etapas do Inova Saúde O Inova Saúde é parte do Plano Inova

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

O BNDES mais perto de você. abril de 2009

O BNDES mais perto de você. abril de 2009 O BNDES mais perto de você abril de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio ao mercado

Leia mais

Fecomercio BNDES R$ 1 bilhão R$ 9 bilhões

Fecomercio BNDES R$ 1 bilhão R$ 9 bilhões A Fecomercio oferece novo serviço para micro e pequenas empresas terem acesso às linhas do BNDES. Nos últimos dez anos, o volume de créditos destinados pelo Banco às micro e pequenas empresas subiu de

Leia mais

7º Gestão das Cidades

7º Gestão das Cidades 7º Gestão das Cidades INVESTIMENTO PRODUTIVO NOS MUNICÍPIOS Vitória, 21 de novembro de 2012 Walsey de Assis Magalhães O BNDES e a Administração Pública Objetivo estratégico: redução das desigualdades regionais

Leia mais

CIRCULAR N 12/2009. Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de Ref.: Produto BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa Especial de Crédito PEC - BNDES

CIRCULAR N 12/2009. Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de Ref.: Produto BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa Especial de Crédito PEC - BNDES CIRCULAR N 12/2009 Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2009 Ref.: Produto BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa Especial de Crédito PEC - BNDES O Superintendente da Área de Operações Indiretas, consoante Resolução

Leia mais

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ):

3. CNAE E FATURAMENTO: 3.1. CNAE Principal (Código e Descrição da Atividade Econômica Principal, conforme CNPJ): BNDES/GOIÁSFOMENTO CARTA-CONSULTA 1. RESUMO DA OPERAÇÃO PROPOSTA: 1.1. Sobre a Empresa 1.1.1. Empresa/Proponente: 1.1.2. Objetivo Social: 1.1.3. Localização do Empreendimento Proposto (município): 1.2.

Leia mais

BRDE Soluções para o. Próprios. Paulo Cesar Starke Junior Superintendente Juliana Souza Dallastra Gerente de Planejamento

BRDE Soluções para o. Próprios. Paulo Cesar Starke Junior Superintendente Juliana Souza Dallastra Gerente de Planejamento BRDE Soluções para o Financiamento de Recursos Paulo Cesar Starke Junior Superintendente Juliana Souza Dallastra Gerente de Planejamento 2 Onde conseguir recursos UOL 03/09/2013 A resposta é a mais óbvia

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014 Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Curitiba / PR 17 de março de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 69/2012-BNDES Rio de Janeiro, 23 de novembro de 2012. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento

Leia mais

Apoio à Inovação e à Indústria de Defesa. 1º Seminário de Inovação Outubro 2016

Apoio à Inovação e à Indústria de Defesa. 1º Seminário de Inovação Outubro 2016 Apoio à Inovação e à Indústria de Defesa 1º Seminário de Inovação Outubro 2016 Objetivos Estratégicos do BNDES Infraestrutur a Equacionar os gargalos estruturais (energia, logística, transporte e telecom)

Leia mais

Alterações nas condições a serem observadas no Produto BNDES AUTOMÁTICO

Alterações nas condições a serem observadas no Produto BNDES AUTOMÁTICO CARTA-CIRCULAR Nº 43/2008 Rio de Janeiro, 29 de agosto de 2008 Ref.: Ass.: BNDES AUTOMÁTICO Alterações nas condições a serem observadas no Produto BNDES AUTOMÁTICO O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras. Florianópolis, 09 de abril de 2010

Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras. Florianópolis, 09 de abril de 2010 Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras Florianópolis, 09 de abril de 2010 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal

Leia mais

Provedores Serviços de Internet (ISP): Apoio do BNDES

Provedores Serviços de Internet (ISP): Apoio do BNDES Provedores Serviços de Internet (ISP): Apoio do BNDES Encontro Provedores Regionais Bauru BNDES / P&D Brasil Luís Otávio Reiff Assessor da Presidência BNDES/GP Brasília, 17 Novembro de 2015 Histórico Programa

Leia mais

Formas de apoio do BNDES ABIMAQ

Formas de apoio do BNDES ABIMAQ Formas de apoio do BNDES ABIMAQ São Paulo/SP 04 de junho de 2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Empresário Como apoiamos? Operações Indiretas Instituições financeiras

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS FIESP CIESP Ricardo Cunha da Costa Assessor da Área de Infraestrutura BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social 24 de Abril de 2009 1 Missão e Visão

Leia mais

Apresentação INOVACRED

Apresentação INOVACRED Apresentação INOVACRED Financiamento Reembolsável Objetivo: Financiar empresas no desenvolvimento e/ou aprimoramento de produtos, processos ou serviços, bem como inovação em marketing ou inovação organizacional,

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente ENCADEAMENTO PRODUTIVO Luiz Barretto - Presidente MISSÃO DO SEBRAE Promover a competividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Defesa da Indústria e do Mercado Interno

Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Defesa da Indústria e do Mercado Interno Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Competitividade Exportadora Financiamento à Exportação Defesa Comercial Defesa da Indústria e do Mercado Interno Desoneração da Folha de Pagamento

Leia mais

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Junho de 2016 Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Líderes em Renováveis Investimentos em 2014 3 Source: Renewables 2015 Global Status Report (year base: 2014) Participação das renováveis

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil CLIQUE PARA EDITAR O TÍTULO MESTRE 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ampliando mercado de Placas de CI através s da Certificação São Paulo -SP 28 de novembro de 2006 João Florencio da Silva Analista do Escritório

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você

O BNDES Mais Perto de Você O BNDES Mais Perto de Você Rio de Janeiro - RJ 11 de março de 2010 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Federal Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de Bens de Capital BNDES Finame Componentes

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de Bens de Capital BNDES Finame Componentes CIRCULAR Nº 49/2011 Rio de Janeiro, 22 de novembro de 2011 Ref.: Ass.: Produto BNDES Finame Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de

Leia mais

Sistemática Convencional x Check List

Sistemática Convencional x Check List 1) Analisa a operação Atualização Crédito Aprovado Proposta contendo as condições de Financiamento: Dados do comprador (CNPJ, endereço, local de instalação,cnae, etc...); CNAE Solicitação de Carta de Finalidade,

Leia mais

Formas de apoio do BNDES

Formas de apoio do BNDES Formas de apoio do BNDES ABIMAQ São Paulo/SP 16 de junho de 2011 BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Contexto BNDES FGI - Fundo Garantidor para Investimentos Micro, Pequena e Média Empresa Solicitação

Leia mais

Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ

Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ Área de Operações Indiretas Departamento de Credenciamento e Financiamento a Máquinas e Equipamentos Apresentação ABIMAQ - Credenciamento Rodrigo Vides Cunha AOI/DEMAQ Atividades das Gerências de Credenciamento

Leia mais