O ARQUEANO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DE CAMPESTRE, LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ARQUEANO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DE CAMPESTRE, LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE"

Transcrição

1 O ARQUEANO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DE CAMPESTRE, LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE Zorano Sérgio de Souza 1 Elton Luiz Dantas 2 1 Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica e Departamento de Geologia da UFRN, 2 Instituto de Geociências da UnB RESUMO O Maciço São José de Campestre (extremo NW do Brasil) é dos mais antigos núcleos cratônicos da Plataforma Sul-Americana. Ele compõe-se principalmente de rochas variando em composição de quartzo dioritos a tonalitos e monzogranitos (3,4 a 3,2 Ga) e sienogranitos (2,7 Ga) e ocorrências menores de metanoritos e anortositos (3,0 Ga). Paragnaisses em alto grau metamórfico, contendo cordierita, silimanita e granada, além de lentes de mármores e gnaisses cálcio-silicáticos também são encontrados e interpretados como mais antigos do que essas metaplutônicas. Os ortognaisses seguem seja a linhagem de diferenciação cálcio-alcalina clássica, ou seja, enriquecimento em K (gnaisses monzograníticos de Serra Caiada ca. 3.3 Ga e sienograníticos de São José de camesptre ca. 2,7 Ga), ou trondhjemítica, ou de enriquecimento em Na (gnaisses tonalíticos de Bom Jesus ca. 3,4 Ga e metanoritos / anortositos Senador Elói de Souza ca. 3,0 Ga). Concentrações em óxidos, elementos traços, terras raras e isótopos de Sr e Nd sugerem contribuição tanto de crosta oceânica quanto do manto superior na gênese destas rochas. Palavras Chave: Maciço São José do Campestre; Arqueano, Plataforma da América do Sul; Magmatismo Cálcio-alcalino Estudos Geológicos v. 18 (1),

2 O Arqueano Do Maciço São José De Campestre, Leste Do Rio Grande... ABSTRACT The São José de Campestre Massif (northeasternmost part of Brazil) is one of the oldest Archean cratonic units of the South America platform. It is composed mainly of metaplutonic rocks ranging from quartz diorite to tonalite and monzogranite (3.4 to 3.2 Ga) and syenogranites (2.7 Ga) and small occurrences of metanoritos e meta-anorthosites (3.0 Ga). High-grade cordierite-sillimanitegarnet-bearing paragneisses, marble and calc-silicate gneisses are also found and supposed to be older than the metaplutonics. They follow either the classic calc-alkaline K-enrichment (the 3.3 Serra Caiada monzogranitic gneisses and the 2.7 São José de Campestre syenogranite gneisses) or the trondhjemitic Na-enrichment (the 3.4 Ga Bom Jesus tonalitic gneisses and 3.0 Ga Senador Elói de Souza anorthositic / noritic gneisses) differentiation trends. Major, trace and rare earth element concentrations and Sr and Nd isotopes suggest contributions from both oceanic crust and depleted and undepleted Archean mantle in the generation of magma precursors of these metaplutonic rocks. Keywords: São José do Campestre Massif; Archean; South American Platform; Calc-alkaline magmatism. 123 Estudos Geológicos v. 18 (1), 2008

3 Zorano Sérgio de Souza et. al. OBJETIVO DA EXCURSÃO Os zircões mais antigos datados até hoje foram encontrados no gnaisse Acasta (NW do Canadá), com ~4,0 Ga (Bowring et al., 1989). Na América do Sul, são registradas ocorrências de gnaisses tonalíticos de ~3,42 Ga no Maciço Sete Voltas, SE da Bahia (Martin et al., 1997) e gnaisses tonalíticos a quartzo dioríticos do Maciço São José de Campestre, leste do Rio Grande do Norte, com ~3,41 Ga (Dantas et al., 2004). O objetivo desta excursão é apresentar os componentes principais do núcleo arqueano São José de Campestre, visitando ortognaisses de ca. 3,41 Ga e demais unidades, mais jovens (até 2,7 Ga), e discutir sucintamente os processos petrogenéticos envolvidos em sua gênese. LITOESTRATIGRAFIA O Maciço São José de Campestre (MSJC) representa um fragmento de crosta arqueana com área aflorante de aproximadamente 1300 km 2 situado no leste do Rio Grande do Norte. A figura 1 representa o mapa geológico da área (Viegas, 2007). Os limites SW e SE do MSC são marcados por zonas de cisalhamento dúcteis de alta temperatura. O MSJC compõe-se de duas grandes unidades litoestratigráficas, uma volumetricamente dominante, de natureza ortoderivada, e outra paraderivada. A primeira inclui rochas de diferentes idades de intrusão (3,45 a 2,7 Ga), de acordo com resultados U/Pb em zircão obtidos por Dantas (1996) e Dantas et al. (2004): (1) suíte Bom Jesus (3,45 Ga) - gnaisses tonalíticos a granodioríticos com enclaves máficos (Foto 1); (2) suíte Serra Caiada (anteriormente denominada Presidente Juscelino, 3,25 Ga) - gnaisses monzograníticos; (3) suíte Brejinho (3,2 Ga) gnaisses tonalíticos a granodoríticos; (4) suíte Senador Elói de Souza (3,0 Ga) - hedembergita-grossulária anortosito, granada anfibolitos; (5) suíte São José de Campestre (2,7 Ga) - gnaisses monzo a sienograníticos. A unidade paraderivada aflora na porção SW, sendo formada por cordierita-silimanita-granada-biotita paragnaisses, podendo ter lentes de mármores, granada anfibolitos e gnaisses calciossilicáticos. As relações da seqüência paraderivada com as demais unidades ainda não estão bem definidas; todavia, os ortognaisses monzograníticos de Serra Caiada aparentam serem intrusivos, o que indicaria uma idade >3.25 Ga para as metasupracrustais. PETROGRAFIA DOS ORTOGNAISSES Os ortognaisses tonalíticos têm biotita como ferromagnesiano principal. Os monzogranitos têm sua melhor exposição na Pedreira do Teixeira (sul de Serra Caiada); contêm biotita marrom (raros clinopiroxênio e hornblenda), proporções equivalentes de plagioclásio (albita-oligoclásio) e ortoclásio mesopertítico. Os sienogranitos possuem ortoclásio, plagioclásio (oligoclásio), hornblenda hastingsítica e biotita rica em ferro. No diagrama Q-A-P, os complexos Bom Jesus e Elói de Souza seguem o trend de diferenciação de baixo potássio, enquanto os complexos Serra Caiada e São José de Campestre seguem o trend de potássio médio (Fig. 2). GEOQUÍMICA E PETROGÊNESE DOS ORTOGNAISSES Estudos Geológicos v. 18 (1),

4 O Arqueano Do Maciço São José De Campestre, Leste Do Rio Grande... No diagrama K-Na-Ca (Fig. 3), os gnaisses arqueanos do MSJC se alinham Os espectros de elementos terras raras (ETR, Fig. 4) da suíte Serra Caiada são paralelos à Figura 1 Mapa geológico simplificado do Leste do Rio Grande do Norte, destacando o núcleo arqueano (modificado de Barbosa et al., 1974; DNPM/UFRN/PETROBRAS/CRM, 1998; Dantas et al., 2004) e Viegas (2007) aproximadamente paralelos ao trend de diferenciação cálcio-alcalina. Algumas amostras das suítes Bom Jesus, Serra Caiada e Brejinho plotam na terminação do trend trondhjemítico, mas não parecem fazer parte de uma série propriamente dita. média de TTGs arqueanos, tendo anomalias variadas de Eu (Eu*=0,77-1,76). As suítes Bom Jesus, Brejinho e São José de Campestre distinguem-se por serem menos fracionadas, forte anomalia negativa de Eu (exceto uma amostra de Brejinho) e forte enriquecimento 125 Estudos Geológicos v. 18 (1), 2008

5 Zorano Sérgio de Souza et. al. em ETRP, deste modo assemelhando-se ao padrão de granitóides fanerozóicos. Comparados à média de TTGs arqueanos, os monzogranitos são empobrecidos em MgO e CaO, e enriquecidos em K 2 O, o que requer fonte toleítica enriquecida tanto em Na 2 O como em K 2 O na sua gênese. Portanto, o complexo Serra Caiada apresenta parâmetros geoquímicos (forte intermediários (quartzo dioríticos ou granodioríticos) que, por sua vez, fracionariam diferentes combinações de anfibólio, clinopiroxênio e plagioclásio, resultando em magmas tonalíticos a graníticos que compõem os ortognaisses atualmente observados no MSJC. Diversas ocorrências de rochas metamáficas e metaultramáficas no interior do MSJC podem representar os líquidos ou Figura 2 Composição modal no diagrama Q-A-P de ortognaisses arqueanos do MSJC. To = tonalito, Gd = granodiorito, Gr = granito, QM = Quartzo monzonito, QMD = Quartzo monzodiorito. As setas correspondem a trends de diferenciação clássicos (Lameyre & Bowden 1982): T - toleítica; A - alcalina; trends cálcio-alcalinos são subdivididos em a = baixo K, b = médio K and c = alto-k. fracionamento de ETRL, baixo Yb N, A/CNK < 1,1, e Nd (t) variando de +0,1 a -3,9) condizentes com origem por fusão parcial de crosta toleítica transformada em anfibolito ou granada anfibolito, a exemplo de TTGs clássicos. Por outro lado, os complexos Bom Jesus (tonalitos), Brejinho (tonalitos) e São José de Campestre (granitos) não apresentam qualquer afinidade com TTGs; suas composições geoquímicas (altos K 2 O, Yb N e Sc) requerem fonte enriquecida em potássio e sem granada, de modo a deixar o líquido de fusão enriquecido em Yb. Isto permite descartar fontes do tipo granada anfibolito, eclogito e a crosta continental inferior. Uma possibilidade aqui admitida seria a fusão parcial do manto astenosférico ou litosférico; cumulados básicos referidos. Estudos geocronológicos se encontram em andamento por um dos autores (ELD) para posicionar a intrusão destas rochas. A hipótese manto e crosta oceânica como fontes de magmas no Mesoarqueano do MSJC deixa em aberto a presença de ambiente de subducção com o mais adequado para explicar o contexto geológico e geoquímico. representar os líquidos ou cumulados básicos referidos. Estudos geocronológicos se encontram em andamento por um dos autores (ELD) para posicionar a intrusão destas rochas. A hipótese manto e crosta oceânica como fontes de magmas no Mesoarqueano do MSJC deixa em aberto a presença de ambiente Estudos Geológicos v. 18 (1),

6 O Arqueano Do Maciço São José De Campestre, Leste Do Rio Grande... de subducção com o mais adequado para explicar o contexto geológico e geoquímico. AFLORAMENTOS A SEREM VISITADOS A Tabela 1 corresponde aos afloramentos que serão visitados na excursão de campo, enquanto que as figuras 5 e 6 representam exemplos de campo das rochas do Arqueano do Maciço São José de Campestre. Figura 3 Diagrama catiônico K-Na-Ca mostrando as linhagens de diferenciação cálcio-alcalina (CA) e trondhjemítica (Tdh) de acordo com Nockolds & Allen (1953) e Barker & Arth (1976), respectivamente. Tabela 1 Localização dos afloramentos a serem visitados. Figura 4 Espectros de elementos terras raras, normalizados, com respeito ao condrito de Sun & McDonough (1989) para ortognaisses arqueanos do MSJC. Também foram plotados para comparação médias de granitóides fanerozóicos e TTGs arqueanos [Martin, 1994, In Condie, K. C. (ed.) The Archean crustal evolution, Amsterdam, Elsevier, p ]. Figura 5 Gnaisse tonalítico a granodiorítico, com idade U/Pb zircão de 3,45 Ga (Dantas et al., 2004). 127 Estudos Geológicos v. 18 (1), 2008

7 Zorano Sérgio de Souza et. al. Figura 6 Serra Caiada (antiga Presidente Juscelino), com idade U/Pb zircão de 3,25 Ga (Dantas et al., 2004). Referências Barbosa, A.J.; Braga, P.G.; Bezerra, M.A.; Gomes, J.A.V., Projeto Leste da Paraíba e Rio Grande do Norte. Mapa Geológico, escala 1: MME/DNPM. Barker, F.; Arth, J.G., Generation of trondhjemite-tonalite liquids and Archean bimodal trondhjemite-basalt suites. Geology, 4: Bowring, S.A.; Williams, I.S.; Compston, W., Ga gneisses from the Slave province, Northwest Territories, Canada. Geology, 17: Dantas, E.L., Geocronologia U-Pb e Sm-Nd de terrenos arqueanos e paleoproterozóicos do Maciço Caldas Brandão, NE do Brasil. Ph. D. Thesis, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Rio Claro, 206 p. Dantas, E.L.; Van Schmus, W.R.; Hackspacher, P.C.; Fetter, A.H.; Brito Neves, B.B.; Cordani, U.G.; Nutman, A.P.; Williams, I.S., The Ga São José do Campestre massif, NE Brazil: remnants of the oldest crust in South America. Precambrian Research, 130: DNPM/UFRN/PETROBRAS/CRM, Mapa Geológico do Estado do Rio Grande do Norte na escala 1: Lameyre, J.; Bowden, P., Plutonic rock type series: discrimination of various granitoid series and related rocks. Journal of Volcanology and Geothermal Research, 14: Martin, H., The Archean grey gneiss and the genesis of continental crust. In: Condie, K. C. (ed.) The Archean crustal evolution. Amsterdam: Elsevier, Martin, H.; Peucat, J.J.; Sabaté, P.; Cunha, J.C., Crustal evolution in the early Archean of South America: example of the Sete Voltas Massif, Bahia State, Brazil. Precambrian Research, 82: Nockolds, S.R.; Allen, R., The geochemistry of some igneous rock series. Geochimica et Cosmochimica Acta, 4: Sun, S.S.; McDounough, W.F., Chemical and isotopic systematic of ocean basalts: implications for mantle composition and processes. In: Saunders, A.D. & Norry, M.J. (eds) Magmatism in the ocean basins. Geological Society Special Publication, 42" Viegas, M.C.D., Síntese geológica do Leste do Rio Grande do Norte na escala 1: Monografia de Graduação, Curso de Geologia, UFRN, Natal, 78 p. + mapas. Estudos Geológicos v. 18 (1),

12º Simpósio de Geologia da Amazônia, 02 a 05 de outubro de 2011 - Boa Vista - Roraima

12º Simpósio de Geologia da Amazônia, 02 a 05 de outubro de 2011 - Boa Vista - Roraima Caracterização petrográfica, estrutural e novos dados geocronológicos (U-Pb, Sm-Nd) do Complexo Jamari, Folha Rio Machadinho, Rondônia Marcos Luiz do Espírito Santo Quadros 1 & Luis Carlos Melo Palmeira

Leia mais

DADOS AEROGAMAESPECTROMÉTRICOS APLICADOS NA DELIMITAÇÃO DO COMPLEXO CRUZETA (MACIÇO ARQUEANO DE TRÓIA), DOMÍNIO CEARÁ CENTRAL DA PROVÍNCIA BORBOREMA

DADOS AEROGAMAESPECTROMÉTRICOS APLICADOS NA DELIMITAÇÃO DO COMPLEXO CRUZETA (MACIÇO ARQUEANO DE TRÓIA), DOMÍNIO CEARÁ CENTRAL DA PROVÍNCIA BORBOREMA DADOS AEROGAMAESPECTROMÉTRICOS APLICADOS NA DELIMITAÇÃO DO COMPLEXO CRUZETA (MACIÇO ARQUEANO DE TRÓIA), DOMÍNIO CEARÁ CENTRAL DA PROVÍNCIA BORBOREMA Tercyo Rinaldo Gonçalves Pinéo, Felipe Grandjean da

Leia mais

Roberto Dall Agnol Universidade Federal do Pará/Instituto Tecnológico Vale. Davis Carvalho de Oliveira Universidade Federal do Pará

Roberto Dall Agnol Universidade Federal do Pará/Instituto Tecnológico Vale. Davis Carvalho de Oliveira Universidade Federal do Pará Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Nat., Belém, v. 7, n. 3, p. 191-194, set.-dez. 2012 Magmatismo granitoide arqueano e evolução geológica do Subdomínio de Transição da Província Carajás, sudeste do

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA A COMPREENSÃO DO ARCABOUÇO TECTÔNICO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DO CAMPESTRE, PROVÍNCIA BORBOREMA, COM BASE EM DADOS AEROGEOFÍSICOS

CONTRIBUIÇÃO PARA A COMPREENSÃO DO ARCABOUÇO TECTÔNICO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DO CAMPESTRE, PROVÍNCIA BORBOREMA, COM BASE EM DADOS AEROGEOFÍSICOS CONTRIBUIÇÃO PARA A COMPREENSÃO DO ARCABOUÇO TECTÔNICO DO MACIÇO SÃO JOSÉ DO CAMPESTRE, PROVÍNCIA BORBOREMA, COM BASE EM DADOS AEROGEOFÍSICOS Israel Lacerda de Araújo, Roberto A. V. de Moraes, Elton Luiz

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA TESE DE DOUTORADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA TESE DE DOUTORADO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA TESE DE DOUTORADO GEOLOGIA DOS METATONALITOS/METATRONDHJEMITOS E GRANULITOS BÁSICOS DAS REGIÕES DE CAMAMU-UBAITABA-ITABUNA,

Leia mais

PETROLOGIA DO PLÚTON SERRA DA MACAMBIRA, NEOPROTEROZOICO DA FAIXA SERIDÓ, PROVÍNCIA BORBOREMA (NE DO BRASIL)

PETROLOGIA DO PLÚTON SERRA DA MACAMBIRA, NEOPROTEROZOICO DA FAIXA SERIDÓ, PROVÍNCIA BORBOREMA (NE DO BRASIL) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica DISSERTAÇÃO DE MESTRADO PETROLOGIA DO PLÚTON SERRA DA MACAMBIRA, NEOPROTEROZOICO

Leia mais

S. Abdallah 1. Artigo Curto Short Article

S. Abdallah 1. Artigo Curto Short Article Versão online: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/185 Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial I, 21-26 IX CNG/2º CoGePLiP, Porto 2014 ISSN: 0873-948X; e-issn: 1647-581X Caracterização

Leia mais

AULA 10c: BORDAS DE PROCESSOS ÍGNEOS

AULA 10c: BORDAS DE PROCESSOS ÍGNEOS GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 10c: BORDAS DE PLACAS CONVERGENTES PROCESSOS ÍGNEOS MAGMATISMO EM BORDAS CONVERGENTES Em zonas de convergência a construção de arcos de ilhas e

Leia mais

- Principal agente das mudanças de estado: Tectônica Global.

- Principal agente das mudanças de estado: Tectônica Global. Classificação de bacias sedimentares: mecanismos de subsidência e contexto tectônico - Bacias sedimentares: áreas da superfície terrestre que sofrem ou sofreram subsidência continuada. - Subsidência resposta

Leia mais

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DOS BATÓLITOS GRANITÓIDES NEOPROTEROZÓICOS DO SUDESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DOS BATÓLITOS GRANITÓIDES NEOPROTEROZÓICOS DO SUDESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DOS BATÓLITOS GRANITÓIDES NEOPROTEROZÓICOS DO SUDESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Antonio Misson GODOY 1, Peter Christian HACKSPACHER 1, Marcos Aurélio Farias de OLIVEIRA 1, Larissa Marques

Leia mais

Geocronologia e Geologia Isotópica dos Terrenos Pré-Cambrianos da Porção Sul-Oriental do Estado de São Paulo

Geocronologia e Geologia Isotópica dos Terrenos Pré-Cambrianos da Porção Sul-Oriental do Estado de São Paulo Geologia Série Científica USP Revista do Instituto de Geociências - USP Geol. USP Sér. Cient., São Paulo, v. 4, n. 1, p. 55-74, abril 2004 Geocronologia e Geologia Isotópica dos Terrenos Pré-Cambrianos

Leia mais

Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899

Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899 Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899 Estrutura geológica é a base do território. Corresponde à sua composição rochosa. Já o relevo é a forma apresentada pelo território ao nossos olhos: montanhas

Leia mais

Norito e Charnoenderbitos da Borda do Maciço Intrusivo de Venda Nova, Espírito Santo

Norito e Charnoenderbitos da Borda do Maciço Intrusivo de Venda Nova, Espírito Santo Norito e Charnoenderbitos da Borda do Maciço Intrusivo de Venda Nova, Espírito Santo Julio Cezar Mendes 1, Cristina Maria Wiedemann 1 & Ian McReath 2 (1) Departamento de Geologia - I. Geociências / UFRJ

Leia mais

Silva, M. G. 1999 Dissertação de Mestrado

Silva, M. G. 1999 Dissertação de Mestrado 51 5.4 - Processos Atuantes Apesar dos minerais pesados serem indicadores sensitivos da composição mineralógica da área fonte, a composição da assembléia de minerais pesados é afetada por uma variedade

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA I N S T IT U T O D E G E O C I Ê N C I A S - U N IV E R S I D A D E FE D E R A L D A BA H IA CAMPUS ONDINA - SALVADOR (BA) - CEP 40210-340 TEL: (71) 3203 8534 - FAX:

Leia mais

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL O Brasil apresenta, em seu território, um dos mais completos registros da evolução geológica do planeta Terra, com expressivos testemunhos geológicos das primeiras

Leia mais

A evolução do Planeta Terra à luz dos dados do magmatismo

A evolução do Planeta Terra à luz dos dados do magmatismo A evolução do Planeta Terra à luz dos dados do magmatismo João Mata Departamento de Geologia Centro de Geologia FCUL Universidade de Lisboa jmata@fc.ul.pt www.fc.ul.pt/node/2165 Organização: Apoios: VII

Leia mais

Capítulo 4 - ROCHAS CLASSIFICAÇÃO DAS ROCHAS QUANTO À QUANTIDADE DE TIPOS DE MINERAL

Capítulo 4 - ROCHAS CLASSIFICAÇÃO DAS ROCHAS QUANTO À QUANTIDADE DE TIPOS DE MINERAL Capítulo 4 - ROCHAS DEFINIÇÕES MINERAL: Toda substancia inorgânica natural, de composição química estrutura definidas. Quando adquire formas geométricas próprias, que correspondam à sua estrutura atômica,

Leia mais

O Magmatismo Alcalino Neoproterozóico na Ilha do Cardoso, Sudeste do Estado de São Paulo

O Magmatismo Alcalino Neoproterozóico na Ilha do Cardoso, Sudeste do Estado de São Paulo Geologia Revista do Instituto de Geociências - Geo. Sér. Cient., São Paulo, v.1, p.115-127, agosto 2001 O Magmatismo Alcalino Neoproterozóico na Ilha do Cardoso, Sudeste do Estado de São Paulo Werner Weber

Leia mais

A taxa de alimentação das usinas de beneficiamento são diretamente proporcionais à dureza e à qualidade do minério è Estudo dos Materiais Duros;

A taxa de alimentação das usinas de beneficiamento são diretamente proporcionais à dureza e à qualidade do minério è Estudo dos Materiais Duros; SUMÁRIO INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA LOCALIZAÇÃO GEOLOGIA REGIONAL GEOLOGIA LOCAL METODOLOGIA ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS MAPAS COLETA DE DADOS RESULTADOS CONCLUSÕES PRÓXIMOS PASSOS INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

Departamento de Recursos Minerais - Instituto de Ciências Exatas e da Terra - UFMT Av. Fernando Corrêa s/n, CEP 78060-900, Cuiabá, MT, BRA 2

Departamento de Recursos Minerais - Instituto de Ciências Exatas e da Terra - UFMT Av. Fernando Corrêa s/n, CEP 78060-900, Cuiabá, MT, BRA 2 Geologia Série Científica USP Revista do Instituto de Geociências - USP Geol. USP Sér. Cient., São Paulo, v. 5, n. 2, p. 65-84, março 2006 Estudo Geoquímico e Petrológico dos Diques Máficos da Região de

Leia mais

Vladimir Cruz de Medeiros 1, Marcos Antonio Leite do Nascimento 2, Antônio Carlos Galindo 2, Elton Luiz Dantas 3 1

Vladimir Cruz de Medeiros 1, Marcos Antonio Leite do Nascimento 2, Antônio Carlos Galindo 2, Elton Luiz Dantas 3 1 33 DOI:.537/Z59-874X Revista do Instituto de Geociências - USP Geol. USP, Sér. cient., São Paulo, v., n., p. -4, Agosto Augen gnaisses riacianos no Domínio Rio Piranhas-Seridó Província Borborema, Nordeste

Leia mais

EVOLUÇÃO PETROLÓGICA E ESTRUTURAL DAS ROCHAS GRANITÓIDES E METABÁSICAS DA SERRA LESTE, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS

EVOLUÇÃO PETROLÓGICA E ESTRUTURAL DAS ROCHAS GRANITÓIDES E METABÁSICAS DA SERRA LESTE, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA E GEOQUÍMICA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EVOLUÇÃO PETROLÓGICA E ESTRUTURAL DAS ROCHAS GRANITÓIDES E METABÁSICAS DA

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM MINERAÇÃO RELATÓRIO DE CAMPO

CURSO TÉCNICO EM MINERAÇÃO RELATÓRIO DE CAMPO CURSO TÉCNICO EM MINERAÇÃO RELATÓRIO DE CAMPO PROFESSORA: MARILANE GONZAGA DE MELO DISCIPLINA: GEOLOGIA GERAL II DATA: 05/04/2013 Coordenação Pedagógica 2013 RELATÓRIO: TRABALHO DE CAMPO MARILANE GONZAGA

Leia mais

Ortho-amphibolites from Novo Gosto Units, Canindé Domain: Record of the Neoptoterozóic Continental Rifting in the Sergipana Fold Belt, NE Brazil

Ortho-amphibolites from Novo Gosto Units, Canindé Domain: Record of the Neoptoterozóic Continental Rifting in the Sergipana Fold Belt, NE Brazil ORTOANFIBOLITOS DA UNIDADE NOVO GOSTO, DOMÍNIO CANINDÉ: REGISTRO DE RIFTEAMENTO CONTINENTAL NEOPROTEROZÓICO NA FAIXA DE DOBRAMENTOS SERGIPANA, NE-BRASIL Leidiane C. de C. de Liz 1 (M), Adriane Machado

Leia mais

Thirteenth International Congress of the Brazilian Geophysical Society

Thirteenth International Congress of the Brazilian Geophysical Society Inversão 3D de dados Magnéticos na Região de Mara Rosa Goiás, Brasil, utilizando Geosoft VOXI Ray Diego Barbosa, Geosoft Latinoamerica; Janaína Gattermann Pereira, Geosoft Latinoamerica. Copyright 2013,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS Liliana Sayuri Osako CARACTERIZAÇÃO GEOLÓGICA DA REGIÃO SITUADA ENTRE AS LOCALIDADES DE PARANATAMA E CURRAIS

Leia mais

FABIO SOUZA E SILVA DA CUNHA

FABIO SOUZA E SILVA DA CUNHA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEODINÂMICA E GEOFÍSICA TESE DE DOUTORADO CONDICIONAMENTO ESTRUTURAL DAS ZONAS DE CISALHAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL. DPV 053 Geologia e Pedologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL. DPV 053 Geologia e Pedologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DPV 053 Geologia e Pedologia Rochas Ígneas Alegre - ES 2017 ROCHAS ÍGNEAS Etnologia termo

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, Natal, RN, BR 3

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, Natal, RN, BR 3 6161 DOI: 10.5327/Z1519-874X201400040004 Revista do Instituto de Geociências - USP Geol. USP, Sér. cient., São Paulo, v. 14, n. 4, p. 6-80, Dezembro 2014 Definição de suítes magmáticas em corpos ediacaranos

Leia mais

Introdução. Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma

Introdução. Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma MAGMATISMO Introdução Importância - 70 % das rochas da crosta terrestre são formadas a partir de magma Definições Rochas ígneas = rochas formadas através da cristalização de magma Magma rocha fundida termo

Leia mais

ASPECTOS PETROGRÁFICOS E TECNOLÓGICOS DE GRANITOS NO NORTE DE MATO GROSSO- PROVÍNCIA RIO NEGRO - JURUENA NO CRÁTON AMAZÔNICO

ASPECTOS PETROGRÁFICOS E TECNOLÓGICOS DE GRANITOS NO NORTE DE MATO GROSSO- PROVÍNCIA RIO NEGRO - JURUENA NO CRÁTON AMAZÔNICO ASPECTOS PETROGRÁFICOS E TECNOLÓGICOS DE GRANITOS NO NORTE DE MATO GROSSO- PROVÍNCIA RIO NEGRO - JURUENA NO CRÁTON AMAZÔNICO Maria Emília Mesquita Tenreiro 1 Márcia Aparecida de Sant Ana Barros 2 1 Programa

Leia mais

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Projecto financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia A Península Ibérica é essencialmente constituída por um fragmento

Leia mais

O COMPLEXO CARAÍBA E A SUÍTE SÃO JOSÉ DO JACUÍPE NO CINTURÃO SALVADOR-CURAÇÁ (BAHIA, BRASIL): PETROLOGIA, GEOQUÍMICA E POTENCIAL METALOGENÉTICO

O COMPLEXO CARAÍBA E A SUÍTE SÃO JOSÉ DO JACUÍPE NO CINTURÃO SALVADOR-CURAÇÁ (BAHIA, BRASIL): PETROLOGIA, GEOQUÍMICA E POTENCIAL METALOGENÉTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA ÁREA DE GEOLOGIA ECONÔMICA TESE DE DOUTORADO O COMPLEXO CARAÍBA E A SUÍTE SÃO JOSÉ DO JACUÍPE NO CINTURÃO SALVADOR-CURAÇÁ

Leia mais

Keywords: U-Pb SHRIMP, Western Bahia Belt (Orogen), São Francisco Craton, Jequié Complex

Keywords: U-Pb SHRIMP, Western Bahia Belt (Orogen), São Francisco Craton, Jequié Complex Revista Brasileira de Geociências Luiz Carlos da Silva et al. 32(4):501-512, dezembro de 2002 REAVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO GEOLÓGICA EM TERRENOS PRÉ- CAMBRIANOS BRASILEIROS COM BASE EM NOVOS DADOS U-Pb SHRIMP,

Leia mais

CAPÍTULO 2 ELEMENTOS SOBRE A TERRA E A CROSTA TERRESTRE

CAPÍTULO 2 ELEMENTOS SOBRE A TERRA E A CROSTA TERRESTRE Definição CAPÍTULO 2 ELEMENTOS SOBRE A TERRA E A CROSTA TERRESTRE A Terra Esferóide achatado nos Pólos e dilatado no Equador. Diâmetro Polar: 12.712 Km. Diâmetro Equatorial: 12.756 Km. Maior elevação:

Leia mais

MAPEAMENTO GEOLÓGICO E ANÁLISE ESTRUTURAL DO AFLORAMENTO DA PRAIA DA PACIÊNCIA (SETOR E), SALVADOR, BAHIA.

MAPEAMENTO GEOLÓGICO E ANÁLISE ESTRUTURAL DO AFLORAMENTO DA PRAIA DA PACIÊNCIA (SETOR E), SALVADOR, BAHIA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS Curso de graduação em Geologia GABRIEL PARENTE DA SILVA ALEM MARINHO MAPEAMENTO GEOLÓGICO E ANÁLISE ESTRUTURAL DO AFLORAMENTO DA PRAIA DA PACIÊNCIA

Leia mais

O método Rb-Sr. Os cuidados na coleta de amostras para a sistemática Rb-Sr, no geral são os mesmos dos para a coleta para Ar-Ar e Sm-Nd.

O método Rb-Sr. Os cuidados na coleta de amostras para a sistemática Rb-Sr, no geral são os mesmos dos para a coleta para Ar-Ar e Sm-Nd. O método Rb- Sistemática Rb- Os cuidados na coleta de amostras para a sistemática Rb-, no geral são os mesmos dos para a coleta para Ar-Ar e Sm-Nd. O tamanho da amostra deve ser aproximadamente 10 (dez)

Leia mais

Max de Jesus Pereira dos Santos I, Claudio Nery Lamarão I, Paulo Henrique Araújo Lima I, Marco Antônio Galarza I, Jardel Carlos Lima Mesquita I

Max de Jesus Pereira dos Santos I, Claudio Nery Lamarão I, Paulo Henrique Araújo Lima I, Marco Antônio Galarza I, Jardel Carlos Lima Mesquita I Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Nat., Belém, v. 8, n. 3, p. 325-354, set.-dez. 2013 Granitoides arqueanos da região de Água Azul do Norte, Província Carajás, sudeste do estado do Pará: petrografia,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS i UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS Maria Angélica Fonseca Sampaio PETROLOGIA, GEOQUÍMICA E EVOLUÇÃO CRUSTAL DO COMPLEXO GRANÍTICO ESPERANÇA,

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Geologia Juliana Maceira Moraes Geologia do Granito Silva Jardim (RJ) Implicações na evolução tectônica dos Terrenos Oriental e Cabo Frio Rio de Janeiro

Leia mais

CAPÍTULO 5. GRANITOGÊNESE NA REGIÃO DO GRUPO RIO DOCE

CAPÍTULO 5. GRANITOGÊNESE NA REGIÃO DO GRUPO RIO DOCE CAPÍTULO 5. GRANITOGÊNESE NA REGIÃO DO GRUPO RIO DOCE Este capítulo apresenta uma revisão do conhecimento sobre o magmatismo granítico na região de ocorrência do Grupo Rio Doce, incluindo trabalhos do

Leia mais

As amostras submetidas a esses ensaios foram designadas e agrupadas conforme mostrado na Tabela VI.4.

As amostras submetidas a esses ensaios foram designadas e agrupadas conforme mostrado na Tabela VI.4. VI.4 - PRESENTÇÃO E NÁLISE DOS RESULTDOS VI.4.1 Introdução Os resultados mostrados a seguir foram obtidos com base nos métodos apresentados nos itens anteriores. Os tópicos e aspectos abordados foram:

Leia mais

Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa estrutura como os terremotos e vulcões.

Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa estrutura como os terremotos e vulcões. Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 1ª Ano Tema da aula: Estrutura Interna da Terra (pag. 59 a 69 Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa

Leia mais

COMPARTIMENTAÇÃO DO RIFTE GUARITAS, BACIA DO CAMAQUÃ - RS

COMPARTIMENTAÇÃO DO RIFTE GUARITAS, BACIA DO CAMAQUÃ - RS COMPARTIMENTAÇÃO DO RIFTE GUARITAS, BACIA DO CAMAQUÃ - RS preissler; a.g.- rolim; s.b.a. - philipp, r.p. CEPSRM - UFRGS e-mail: dricagp@hotmail.com RESUMO O estudo contribui no conhecimento da evolução

Leia mais

Riolito, o Vulcão Pernambucano

Riolito, o Vulcão Pernambucano SEÇÃO LIVRE Riolito, o Vulcão Pernambucano Texto: Gorki Mariano Desenhos: Antonio Barbosa Para Brian Mariano Derocy Um pouco da história da Terra À luz da Geologia Meu nome é Riolito Sei que parece esquisito

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Geologia Teses Defendidas - Doutorado

Programa de Pós-Graduação em Geologia Teses Defendidas - Doutorado Programa de Pós-Graduação em Geologia Teses Defendidas - Doutorado Nome: Renato Fontes Guimarães Orientador: Nelson Ferreira Fernandes Título: Utilização de um modelo de previsão de áreas susceptíveis

Leia mais

Determinações Geocronológicas no Estado de Sergipe. Convenções. Domínios Tectono-Estratigráficos

Determinações Geocronológicas no Estado de Sergipe. Convenções. Domínios Tectono-Estratigráficos Determinações Geocronológicas no Estado de Sergipe Convenções Domínios Tectono-Estratigráficos CSF Cráton do São Francisco DIT Domo de Itabaiana DSD Domo de Simão Dias DES Domínio Estância DVB Domínio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS PETROLOGIA E AMBIENTE GEOTECTÔNICO DO GRUPO NOVA BRASILÂNDIA-RO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS PETROLOGIA E AMBIENTE GEOTECTÔNICO DO GRUPO NOVA BRASILÂNDIA-RO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS PETROLOGIA E AMBIENTE GEOTECTÔNICO DO GRUPO NOVA BRASILÂNDIA-RO GILMAR JOSÉ RIZZOTTO ORIENTADOR: Prof. Dr. EVANDRO FERNANDES

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. MÉTODOS

1. INTRODUÇÃO 2. MÉTODOS 1 ESCUDO SUL-RIO-GRANDENSE, O REGISTRO DE COLISÃO ENTRE O CRÁTON RIO DE LA PLATA E O CRÁTON KALAHARY DURANTE O NEOPROTEROZÓICO: UMA DISCUSSÃO SOBRE O POSICIONAMENTO ESTRATIGRÁFICO E PETROLOGIA DO MAGMATISMO

Leia mais

Figura 1: Localização geotectônica da área de estudo no contexto do Cráton do São Francisco e da Província Borborema.

Figura 1: Localização geotectônica da área de estudo no contexto do Cráton do São Francisco e da Província Borborema. Integração de dados Aeromagnetométricos, Aerogamaespectrométricos e Geológicos na Região de Bom Jardim (Piauí) Nordeste do Brasil Elizângela Soares Amaral (CPRM/SGB), Roberto Gusmão de Oliveira (CPRM/SGB).

Leia mais

PETROLOGIA DO STOCK GRANÍTICO GLÓRIA SUL, FAIXA SERGIPANA, SETOR SUL DA PROVÍNCIA BORBOREMA, SERGIPE

PETROLOGIA DO STOCK GRANÍTICO GLÓRIA SUL, FAIXA SERGIPANA, SETOR SUL DA PROVÍNCIA BORBOREMA, SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PETROLOGIA DO STOCK GRANÍTICO GLÓRIA SUL, FAIXA SERGIPANA, SETOR SUL DA PROVÍNCIA BORBOREMA, SERGIPE Joane Almeida da Conceição Orientadora:

Leia mais

Capítulo 3 Petrologia Ígnea e Metamórfica

Capítulo 3 Petrologia Ígnea e Metamórfica Capítulo 3 Petrologia Ígnea e Metamórfica 1. GEOLOGIA, PETROGRAFIA E GEOQUÍMICA DO TRONDHJEMITO COLORADO E TONALITO SÃO CARLOS, CERCANIAS DE VILA JUSSARA PROVÍNCIA CARAJÁS, PA... 243 2. MAGMATISMO RAPAKIVI

Leia mais

RELATÓRIO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO

RELATÓRIO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO RELATÓRIO GEOLÓGICO-GEOTÉCNICO CLIENTE: BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL OBRA: LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE EDIFÍCIO COMERCIAL RIO DE JANEIRO - RJ NOVEMBRO/2011 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ELEMENTOS

Leia mais

GEOLOGIA DA FAIXA RIBEIRA SETENTRIONAL: ESTADO DA ARTE E CONEXÕES COM A FAIXA ARAÇUAÍ

GEOLOGIA DA FAIXA RIBEIRA SETENTRIONAL: ESTADO DA ARTE E CONEXÕES COM A FAIXA ARAÇUAÍ GEONOMOS 15(1): 67-79, 2007 67 GEOLOGIA DA FAIXA RIBEIRA SETENTRIONAL: ESTADO DA ARTE E CONEXÕES COM A FAIXA ARAÇUAÍ Miguel Tupinambá 1, Monica Heilbron 1, Beatriz Paschoal Duarte 1, José Renato Nogueira

Leia mais

ESTRUTURA, GEOCRONOLOGIA E ALOJAMENTO DOS BATÓLITOS DE QUIXADÁ, QUIXERAMOBIM E SENADOR POMPEU CEARÁ CENTRAL

ESTRUTURA, GEOCRONOLOGIA E ALOJAMENTO DOS BATÓLITOS DE QUIXADÁ, QUIXERAMOBIM E SENADOR POMPEU CEARÁ CENTRAL UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Instituto de Geociências e Ciências Exatas Campus de Rio Claro ESTRUTURA, GEOCRONOLOGIA E ALOJAMENTO DOS BATÓLITOS DE QUIXADÁ, QUIXERAMOBIM E SENADOR POMPEU CEARÁ CENTRAL

Leia mais

INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS.

INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS. BR99H0657 GEOLOGIA DA REGIÃO DO MÉDIO CURIMATAU (PB) E O ALOJAMENTO DO GRANITO DE DONA INÊS ASSOCIADO A ZONAS DE CISALHAMENTO TRANSCORRENTES BRASILIANAS

Leia mais

F. C. Freitas 1, C. Juliani 1, A. Bustamante 1* 1. Introdução. Artigo original Original article

F. C. Freitas 1, C. Juliani 1, A. Bustamante 1* 1. Introdução. Artigo original Original article Versão online: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/125 Comunicações Geológicas (2012) 99, 2, 61-69 ISSN: 0873-948X; e-issn: 1647-581X Evolução P-T de rochas metamórficas de alto grau da região

Leia mais

DEDICO ESTE TRABALHO A MEUS PAIS E AVÓS POR TODO AMOR, DEDICAÇÃO E CONFIANÇA QUE SEMPRE TIVERAM EM MIM

DEDICO ESTE TRABALHO A MEUS PAIS E AVÓS POR TODO AMOR, DEDICAÇÃO E CONFIANÇA QUE SEMPRE TIVERAM EM MIM DEDICO ESTE TRABALHO A MEUS PAIS E AVÓS POR TODO AMOR, DEDICAÇÃO E CONFIANÇA QUE SEMPRE TIVERAM EM MIM i AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus, pois sem sua ajuda nada disso seria possível; A todos

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 7 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Preencha as lacunas do esquema com as seguintes legendas: Planalto ocidental, Depressão periférica, Serra do Mar e Planície litorânea.

Leia mais

Elsevier R&D Solutions. CONHECIMENTO GEOLÓGICO ESSENCIAL Centenas de milhares de mapas científicos compilados de publicações geológicas confiáveis

Elsevier R&D Solutions. CONHECIMENTO GEOLÓGICO ESSENCIAL Centenas de milhares de mapas científicos compilados de publicações geológicas confiáveis Elsevier R&D Solutions Uma solução de geociências que capacita pesquisadores e instituições acadêmicas a fim de fortalecer a pesquisa, apoiar as metas de publicação e formar os estudantes. CONHECIMENTO

Leia mais

Evolução metamórfica do Terreno Oriental da Faixa Ribeira entre Italva e Bom Jesus do Itabapoana, noroeste do RJ.

Evolução metamórfica do Terreno Oriental da Faixa Ribeira entre Italva e Bom Jesus do Itabapoana, noroeste do RJ. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE GEOLOGIA Evolução metamórfica do Terreno Oriental da Faixa Ribeira entre Italva e Bom Jesus do Itabapoana, noroeste do RJ. Rodson de Abreu Marques

Leia mais

Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br

Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ www.anuario.igeo.ufrj.br Stockscheider Quartzo-Moscovíticos e Pegmatíticos na Zona de Cúpula do Granitóide Ritápolis, Região de São João del Rei, Minas Gerais

Leia mais

IDADE DOS PEGMATITOS DA PROVÍNCIA PEGMATÍTICA DE SÃO JOÃO DEL REI, MINAS GERAIS

IDADE DOS PEGMATITOS DA PROVÍNCIA PEGMATÍTICA DE SÃO JOÃO DEL REI, MINAS GERAIS IDADE DOS PEGMATITOS DA PROVÍNCIA PEGMATÍTICA DE SÃO JOÃO DEL REI, MINAS GERAIS Fabiano R. L. Faulstich 1,2 (D), Ciro A. Ávila 1,2, Reiner Neumann 3 1 Museu Nacional Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

GEOLOGIA DA KLIPPE ITALVA NA REGIÃO ENTRE CANTAGALO E ITAOCARA, NORDESTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

GEOLOGIA DA KLIPPE ITALVA NA REGIÃO ENTRE CANTAGALO E ITAOCARA, NORDESTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GEOLOGIA DA KLIPPE ITALVA NA REGIÃO ENTRE CANTAGALO E ITAOCARA, NORDESTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Caroline PEIXOTO 1, 2 & Monica HEILBRON 3 (1) Programa de Pós Graduação em Análise de Bacias e Faixas

Leia mais

PROJETO GERENCIAMENTO COSTEIRO - GERCO (3ª FASE)

PROJETO GERENCIAMENTO COSTEIRO - GERCO (3ª FASE) PROJETO GERENCIAMENTO COSTEIRO - GERCO (3ª FASE) Praia do Estaleiro Mun. de Balneário Camboriú (SC) GEOLOGIA INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

GEOLOGIA E PETROLOGIA DAS INTRUSÕES BÁSICAS ASSOCIADAS À PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ NO CENTRO-LESTE DO RS

GEOLOGIA E PETROLOGIA DAS INTRUSÕES BÁSICAS ASSOCIADAS À PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ NO CENTRO-LESTE DO RS GEOLOGIA E PETROLOGIA DAS INTRUSÕES BÁSICAS ASSOCIADAS À PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ NO CENTRO-LESTE DO RS Carla C. Treib Sarmento; Carlos Augusto Sommer; Evandro Fernandes de Lima Programa de Pós-graduação

Leia mais

CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL

CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL Alvaro Penteado Crósta Instituto de Geociências, Unicamp As crateras de impacto são estruturas formadas quando um planeta ou satélite é atingido por meteoritos, asteróides

Leia mais

Ana Catarina Fernandes Coriolano 1 ; Emanuel Ferraz Jardim de Sá 2 & Carlos César Nascimento da Silva 3

Ana Catarina Fernandes Coriolano 1 ; Emanuel Ferraz Jardim de Sá 2 & Carlos César Nascimento da Silva 3 IMPLICAÇÕES DA NEOTECTÔNICA NO CONDICIONAMENTO ESTRUTURAL DE ÁGUA SUBTERRÂNEA EM TERRENOS CRISTALINOS: EXEMPLO DO SEMI-ÁRIDO DO LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE, NORDESTE DO BRASIL 1 Ana Catarina Fernandes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA E GEOQUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA E GEOQUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA E GEOQUÍMICA TESE DE DOUTORADO GEOCRONOLOGIA EM ZIRCÃO, MONAZITA E GRANADA E ISOTÓPOS DE Nd DAS ASSOCIAÇÕES LITOLÓGICAS

Leia mais

Fraccionação geoquímica nas rochas encaixantes do Campo Pegmatítico do Licungo, Moçambique

Fraccionação geoquímica nas rochas encaixantes do Campo Pegmatítico do Licungo, Moçambique Versão online: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/185 Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial I, 151-155 IX CNG/2º CoGePLiP, Porto 2014 ISSN: 0873-948X; e-issn: 1647-581X Fraccionação

Leia mais

A FAIXA KHONDALÍTICA MARANGATU E A DESCOBERTA DE NOVAS MINERALIZAÇÕES DE GRAFITA NO N-NW DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

A FAIXA KHONDALÍTICA MARANGATU E A DESCOBERTA DE NOVAS MINERALIZAÇÕES DE GRAFITA NO N-NW DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A FAIXA KHONDALÍTICA MARANGATU E A DESCOBERTA DE NOVAS MINERALIZAÇÕES DE GRAFITA NO N-NW DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Ronaldo Mello PEREIRA 1 & Paulo GUIMARÃES 2 (1) Faculdade de Geologia, Universidade

Leia mais

INTERPRETAÇÃO GEOLÓGICA DO DOMÍNIO CANINDÉ, FAIXA SERGIPANA (NE DO BRASIL), A PARTIR DE IMAGEM LANDSAT ETM+

INTERPRETAÇÃO GEOLÓGICA DO DOMÍNIO CANINDÉ, FAIXA SERGIPANA (NE DO BRASIL), A PARTIR DE IMAGEM LANDSAT ETM+ Anais XI SBSR, Belo Horizonte, Brasil, 05-10 abril 2003, INPE, p. 937-942. INTERPRETAÇÃO GEOLÓGICA DO DOMÍNIO CANINDÉ, FAIXA SERGIPANA (NE DO BRASIL), A PARTIR DE IMAGEM LANDSAT ETM+ JULIANO JOSÉ DE SOUZA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS. "EVOLUÇÃO CRUSTAL DA PLATAFORMA SUL AMERICANA, COM BASE NA GEOQUÍMICA ISOTÓPICA Sm-Nd.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS. EVOLUÇÃO CRUSTAL DA PLATAFORMA SUL AMERICANA, COM BASE NA GEOQUÍMICA ISOTÓPICA Sm-Nd. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS "EVOLUÇÃO CRUSTAL DA PLATAFORMA SUL AMERICANA, COM BASE NA GEOQUÍMICA ISOTÓPICA Sm-Nd Kei Sato Orientador: Prof.Dr. Umberto Giuseppe Cordani, 3! Pt!...'O'

Leia mais

o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros. o Províncias minerais com histórico de produção de Ouro.

o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros. o Províncias minerais com histórico de produção de Ouro. Projetos Projetos Mapa de Localização Projeto Pau D arco (Estado do Pará) Projetos Igaracy 1 e 2 (Estado da Paraíba) Projeto Jatobá (Estado do Pará) o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros.

Leia mais

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano)

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) 10.º Ano Objetivos Averiguar os conhecimentos prévios dos alunos acerca de alguns dos temas de Geociências que irão ser tratados ao longo do ensino secundário,

Leia mais

2. Conhecimentos fundamentais

2. Conhecimentos fundamentais 2. Conhecimentos fundamentais - 7 - Ao estudar petrologia de rochas ígneas, deve-se confirmar alguns conhecimentos fundamentais da geologia geral. O mundo da geologia está com cheio de mitos e superstições.

Leia mais

ARQUITETURA DE PLUTONS ZONADOS DA FAIXA ARAÇUAÍ- RIBEIRA*

ARQUITETURA DE PLUTONS ZONADOS DA FAIXA ARAÇUAÍ- RIBEIRA* GEONOMOS 8 (1): 25-38 ARQUITETURA DE PLUTONS ZONADOS DA FAIXA ARAÇUAÍ- RIBEIRA* Cristina M.Wiedemann-Leonardos 1, Isabel P. Ludka 2, Sílvia R. de Medeiros 1, Júlio C. Mendes 2, J. Costa-de-Moura 2 ABSTRACT

Leia mais

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LOCALIZAÇÃO E ACESSO A região de Guarituba esta localizada no Município de Piraquara entre o rio Iguaçu e o rio Itaqui. Os principais acessos à área são a PR 415 e

Leia mais

A OROGÊNESE BRASILIANA NO SEGMENTO CENTRAL DA FAIXA RIBEIRA, BRASIL

A OROGÊNESE BRASILIANA NO SEGMENTO CENTRAL DA FAIXA RIBEIRA, BRASIL Revista Brasileira de Geociências 25(4):249-266, dezembro de 1995 A OROGÊNESE BRASILIANA NO SEGMENTO CENTRAL DA FAIXA RIBEIRA, BRASIL MONICA HEILBRON*, CLÁUDIO DE MORISSON VALERIANO*, CLÁUDIA SAYÃO VALLADARES*

Leia mais

3.2.5 - Estudos Geológicos... 1/19. 3.2.5.1 - Metodologia... 1/19. 3.2.5.2 - Síntese da Caracterização Geológica das Áreas de Estudo...

3.2.5 - Estudos Geológicos... 1/19. 3.2.5.1 - Metodologia... 1/19. 3.2.5.2 - Síntese da Caracterização Geológica das Áreas de Estudo... 2818-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV ESTREITO FERNÃO DIAS ÍNDICE 3.2.5 - Estudos Geológicos... 1/19 3.2.5.1 - Metodologia... 1/19 3.2.5.2 - Síntese da Caracterização Geológica das Áreas de Estudo... 2/19 3.2.5.3

Leia mais

A. F. da Silva Filho 1*, I. P. Guimarães 1, E. Dantas 2, L. M. Cocentino 1, D. R. Lima 1, E. Rufino 1

A. F. da Silva Filho 1*, I. P. Guimarães 1, E. Dantas 2, L. M. Cocentino 1, D. R. Lima 1, E. Rufino 1 Versão online: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/185 Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial I, 325-329 IX CNG/2º CoGePLiP, Porto 2014 ISSN: 0873-948X; e-issn: 1647-581X Geochemistry

Leia mais

A Escala do Tempo Geológico

A Escala do Tempo Geológico A Escala do Tempo Geológico Registro Geológico testemunha a história da evolução geológica no planeta. Escala de Tempo Geológico organiza esta evolução no tempo, em uma seqüência de eventos. O Tempo Geológico

Leia mais

ROCHAS E MINERAIS. Disciplina: Ciências Série: 5ª EF - 1º BIMESTRE Professor: Ivone de Azevedo Fonseca Assunto: Rochas & Minerais

ROCHAS E MINERAIS. Disciplina: Ciências Série: 5ª EF - 1º BIMESTRE Professor: Ivone de Azevedo Fonseca Assunto: Rochas & Minerais ROCHAS E MINERAIS Disciplina: Ciências Série: 5ª EF - 1º BIMESTRE Professor: Ivone de Azevedo Fonseca Assunto: Rochas & Minerais A crosta terrestre é basicamente constituída de rochas. A rocha é produto

Leia mais

Petrografia, Litogeoquímica, Geocronologia e Geoquímica. Isotópica da Mineralização Aurífera e Rochas Hospedeiras do

Petrografia, Litogeoquímica, Geocronologia e Geoquímica. Isotópica da Mineralização Aurífera e Rochas Hospedeiras do UNIVERSIDADE DE BRASILIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA Petrografia, Litogeoquímica, Geocronologia e Geoquímica Isotópica da Mineralização Aurífera e Rochas Hospedeiras do

Leia mais

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ASTRONOMIA, GEOFÍSICA E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS Departamento de Geofísica EXPOSIÇÃO ITINERANTE DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA USP ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

Leia mais

Zona de sutura e organização do Orógeno Ribeira Setentrional

Zona de sutura e organização do Orógeno Ribeira Setentrional DOI: 10.5327/Z0375-75362012000400012 42(4): 812-823, dezembro de 2012 Zona de sutura e organização do Orógeno Ribeira Setentrional Mario Jorge Gesteira Fonseca 1 *, Julio Cesar Mendes 2, Zenaide Carvalho

Leia mais

ANEXO 3. Imagens das Unidades de Relevo e Terreno do Parque Estadual da Cantareira. Anexo 3 Imagens das Unidades de Terreno e Relevo do PEC 1

ANEXO 3. Imagens das Unidades de Relevo e Terreno do Parque Estadual da Cantareira. Anexo 3 Imagens das Unidades de Terreno e Relevo do PEC 1 ANEXO 3 Imagens das Unidades de Relevo e Terreno do Parque Estadual da Cantareira Anexo 3 Imagens das Unidades de Terreno e Relevo do PEC 1 2 Anexo 3 Imagens das Unidades de Relevo e Terreno do PEC Foto

Leia mais

Thais Vargas *, Akihisa Motoki *, José Luíz Peixoto Neves*

Thais Vargas *, Akihisa Motoki *, José Luíz Peixoto Neves* - 1 - ROCHAS ORNAMENTAIS DO BRASIL, SEU MODO DE OCORRÊNCIA GEOLÓGICA, VARIEDADE TIPOLÓGICA, EXPLOTAÇÃO COMERCIAL E UTILIDADES COMO MATERIAIS NOBRES DE CONSTRUÇÃO Thais Vargas *, Akihisa Motoki *, José

Leia mais

AULA 11a: MINERALIZAÇÃO PLACAS BORDAS TRANSFORMANTES

AULA 11a: MINERALIZAÇÃO PLACAS BORDAS TRANSFORMANTES GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 11a: MINERALIZAÇÃO ASSOCIADA A BORDAS DE PLACAS BORDAS DIVERGENTES E TRANSFORMANTES MINERALIZAÇÕES E TECTÔNICA DE PLACAS INTRODUÇÃO A Tectônica

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Logo após a elaboração de mapas geológicos em formato digital, é feita a preparação de leiautes para a impressão, uma das últimas etapas do geoprocessamento. Com relação à coordenada

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS SIMULAÇÃO MAPSAR EM PESQUISA MINERAL NA PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS (AMAZÔNIA) E NO DISTRITO CUPRÍFERO DO VALE DO RIO CURAÇÁ (SEMI-ÁRIDO DA BAHIA) Apresentador: Athos R. Santos Principais pesquisadores:

Leia mais

MAGMATISMO GRANITÓIDE DAS SUÍTES INTRUSIVAS SANTA CRUZ E ALVORADA NO DOMÍNIO TECTÔNICO CACHOEIRINHA, SW DO CRÁTON AMAZÔNICO

MAGMATISMO GRANITÓIDE DAS SUÍTES INTRUSIVAS SANTA CRUZ E ALVORADA NO DOMÍNIO TECTÔNICO CACHOEIRINHA, SW DO CRÁTON AMAZÔNICO Geochimica Brasiliensis, 23(2) 219-240, 2009 Geochimica Brasiliensis MAGMATISMO GRANITÓIDE DAS SUÍTES INTRUSIVAS SANTA CRUZ E ALVORADA NO DOMÍNIO TECTÔNICO CACHOEIRINHA, SW DO CRÁTON AMAZÔNICO 1* L. M.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GEOQUÍMICAS DOS GRANITÓIDES TRANSAMAZÔNICOS NO BLOCO GAVIÃO, CRATON SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL

CARACTERÍSTICAS GEOQUÍMICAS DOS GRANITÓIDES TRANSAMAZÔNICOS NO BLOCO GAVIÃO, CRATON SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL CARACTERÍSTICAS GEOQUÍMICAS DOS GRANITÓIDES TRANSAMAZÔNICOS NO BLOCO GAVIÃO, CRATON SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL A.B. Menezes Leal ; L.R. Bastos Leal ; J.C. Cunha 2 ; W. Teixeira 3 - angelab@ufba.br; lrogerio@ufba.br

Leia mais

8.1. Rochas Vulcânicas e Vulcanoclásticas do Grupo Rio Doce

8.1. Rochas Vulcânicas e Vulcanoclásticas do Grupo Rio Doce CAPÍTULO 8. LITOQUÍMICA Este capítulo apresenta os estudos litoquímicos que foram realizados sobre amostras do metatufo da Formação Palmital do Sul, de rochas vulcanoclásticas da Formação Tumiritinga e

Leia mais

LITOSFERA SIMA SIAL. Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade).

LITOSFERA SIMA SIAL. Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade). ESTRUTURA GEOLÓGICA ESTRUTURA DA TERRA LITOSFERA SIMA SIAL Litosfera (crosta): camada rochosa da Terra (até 70 km de profundidade). DESCONTINUIDADE DE MOHOROVICIC Limite entre a Litosfera e o manto MANTO

Leia mais

ATIVIDADES DO 226Ra EM ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EXTRAÍDAS DE DOIS POÇOS LOCALIZADOS NO PLÚTON MERIDIONAL, GRANITÓIDES DE MORUNGABA, SP

ATIVIDADES DO 226Ra EM ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EXTRAÍDAS DE DOIS POÇOS LOCALIZADOS NO PLÚTON MERIDIONAL, GRANITÓIDES DE MORUNGABA, SP 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 ATIVIDADES DO 226Ra EM

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROFa. JULIANA NOME N o 8 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais