ISSN São Paulo, Ano I, n. 02, MAI./aGO. de O ser humano é um capital que pode ser gerido?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN São Paulo, Ano I, n. 02, MAI./aGO. de O ser humano é um capital que pode ser gerido?"

Transcrição

1 ISSN São Paulo, Ano I, n. 02, MAI./aGO. de 2014 O ser humano é um capital que pode ser gerido?

2 Família: gerar e gerir pessoas Autor: José Ulisses Leva O homem: entre a coisificação do capital e a unidade física e espiritual Autor: Robert Gonzales Jr O capital humano: um olhar baseado no budismo de Nitiren Daishonin Autor: Luiz dos Santos Vieira Marques São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de

3 São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de Família: gerar e gerir pessoas José Ulisses Leva 1 Introdução Para responder à proposta apresentada pela revista na sua segunda edição É possível gerir pessoas?, articulei uma possível resposta tendo como referência a Família. A Família é lugar adequado para gerir pessoas? A Família busca parceria com a Igreja e a Universidade para gerir pessoas? A Família e a Universidade geram valores às pessoas que estão sob sua responsabilidade? A Família, célulanúcleo da Sociedade, administra e transmite os valores e princípios universais? Gerar na Família Na Família, de fato, aprendemos nossas primeiras noções teórico-práticas e vivenciamos as nossas primeiras reações (LEVA, 1996). Sendo neto de imigrantes italianos, fui a fundo para descobrir minhas origens. No centenário da chegada dos LEVA às terras bandeirantes e no sexagésimo aniversário da Festa em Louvor a Nossa Senhora da Penha, introduzida pelos ZECHINEL, no bairro rural Cachoeira dos Martins, município de Monte Alto, apresento Famiglia Zechinel Leva, como memória resgatada, registrada e perpetuada, compreendendo a formação do povo 1 Mestre em Teologia Dogmática pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção e doutor em História Eclesiástica pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Itália). É professor de História Eclesiástica na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

4 São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de paulista, a História da Imigração Italiana e mostrando ao mundo hodierno e à posteridade o caráter, a conduta e o valor dessa bravíssima gente (LEVA, 1996, p. 5). Carinho eterno e inestimável aos meus antepassados e reconhecimento dos valores humano-cristãos recebidos dos meus pais. Objetivamente, na Família encontramos um canteiro favorável para exercitar o que aprendemos. No Dicionário Houaiss achamos a definição para o verbo gerar: dar existência ou origem; fazer nascer (HOUAISS, 2004, p. 1446). Entendemos que fazer nascer significa vir ao mundo, mas, também, significa oportunizar conhecimentos e aprendizagem. Portanto, nascemos na Família e em Família aprendemos gerenciar as noções básicas que atuam no conjunto da Sociedade.

5 São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de Gerir valores e princípios éticos O Dicionário Houaiss apresenta o verbo gerir com as seguintes definições: administrar; dirigir, cuidar de um negócio; proceder como alguém; nutrir (HOUAISS, 2004, p. 1447). A Família administra e cuida das pessoas, e essas passam a dirigir e cuidar dos seus próprios negócios. Assim dizemos que o que aprendemos em Família também nutrimos e administramos na Família, na Empresa e na Sociedade. Saindo das Famílias, muitos jovens ingressam nas Universidades gerindo o que em suas casas aprenderam como valores. A Faculdade de Teologia produz os ensaios teológicos e protagoniza o diálogo com a sociedade em transformação [...] A Universidade é composta na pluralidade das ideias e na diversidade de opiniões (LEVA, 2014, p ). Gerenciar princípios éticos aprendidos e apreendidos Gerenciar significa dirigir empresa, negócio, serviço; desempenhar função de gerente; organizar em conjunto (HOUAISS, 2004, p. 1446). Na Família em que somos gerados, recebemos as noções de princípios éticos. Podemos assim dizer que esses mesmos valores apreendidos nos laços familiares utilizaremos em quaisquer lugares em que estivermos e atuarmos, seja numa empresa, num negócio como gerente ou no conjunto de uma organização. Até quanto as Famílias influenciam a Sociedade? Até quanto a Sociedade influencia as Famílias? Como gerir pessoas, com princípios éticos, nos espaços sociais onde pouco se valoriza a Ética? Podemos sonhar uma Sociedade com valores e princípios éticos universais? Como pensar nas famílias que não valorizam valores e princípios e não possuem espaços para preparar seus pares?

6 São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de Acredito no papel da Família e no desempenho que ela proporciona quando chamada a gerir pessoas. Valorizo, também, o papel da Igreja e da Universidade, convocadas a guiar os homens através do conhecimento e do valor dado aos princípios éticos. Mesmo e apesar dos conflitos nas Famílias e nas Universidades, elas são canal imprescindível na formação humano-afetiva dos seres humanos. Estudando caso a caso e chegando à maturação oportuna, devemos entender gerir pessoas como alcance possível a todos. Conclusão Somos homens e mulheres do nosso tempo. Somos gerados nas Famílias para perpetuar e gerenciar o que acreditamos e vivemos. A Família, a Igreja Católica e a Universidade devem promover parceria para o bem comum na Sociedade Contemporânea. A Teologia na PUC-SP não

7 São Paulo, Ano I, n. 02, mai./ago. de somente se expressa, mas está em sintonia com alunos de todas as Faculdades que compõem a Universidade, trabalhando e produzindo argumentos científicos para o bem da Sociedade (LEVA, 2014, p. 168). Partindo do pensamento cristão e do ambiente de produção técnica, falamos da Família e da Universidade como bens fundamentais para gerir pessoas. Sugerimos dizer, também, que é imprescindível promover a pessoa em qualquer situação em que ela nasce e é educada. Mantenho o firme propósito de um ambiente familiar e um campus universitário para gerir pessoas, ao mesmo tempo, pensando em todos e quaisquer outros ambientes de laços afetivos e instrumentais de conhecimento. A Família e a Universidade devem sempre exercer o papel de parceria e de inclusão. Não devem jamais proporcionar a exclusão de quem quer que seja. Referências bibliográficas Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, LEVA, J. U. Famiglia Zechinel Leva. São Paulo: Loyola, A teologia católica e a ética no consumo. In: Revista Espaço Ética, ano I, n. 1, p , jan./abr Imagens: e

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática Profª. M.e Cláudia Benedetti Profa. M.e Cláudia Benedetti Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano. Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos

Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano. Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos Texto para reflexão Pão Nosso Item 41 No Futuro Quem aqui gosta de manga? Prefere comprida ou curta? Evolução da

Leia mais

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA[1] PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA SISTEMA EAD DE NATUREZA JURÍDICA LIVRE ALUNO (A): MAT: 000/2014 MATÉRIA: INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

Leia mais

Palavra & Vida Sugestões Didáticas 4 T/2013. Dulce Helena da Silva Mota de Lima Educadora Religiosa / Professora e Assistente Social

Palavra & Vida Sugestões Didáticas 4 T/2013. Dulce Helena da Silva Mota de Lima Educadora Religiosa / Professora e Assistente Social Palavra & Vida Sugestões Didáticas 4 T/2013 Dulce Helena da Silva Mota de Lima Educadora Religiosa / Professora e Assistente Social Lição 2- Pais, criem seus filhos Texto Bíblico: PROVÉRBIOS 22.6 Objetivos

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática Profª. M.e Cláudia Benedetti Profa. M.e Cláudia Benedetti Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo Socialização Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley (1924 2013) Sociólogo As pessoas não são mais do que indivíduos socializados Todos os homens nascem

Leia mais

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa LIST DE CONTEÚDOS PR RECUPERÇÃO FINL - 2015 Professor :irton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa CONTEÚDOS DO EXME 6º no 16 C e D Quem sou eu? mizade, cooperação, respeito... Convivência

Leia mais

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Sou bem que ele mais v coleção Conversas #21 - ABRIL 2015 - m o c está l e g i o h a que e l apenas por in e t. er e s se? Será Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

Leia mais

Gordon-Conwell Theological Seminary (CUME) ET ÉTICA CRISTÃ Outono de Ryder Road - Weymouth, MA , 11, 18 e 25 de novembro;

Gordon-Conwell Theological Seminary (CUME) ET ÉTICA CRISTÃ Outono de Ryder Road - Weymouth, MA , 11, 18 e 25 de novembro; Gordon-Conwell Theological Seminary (CUME) ET-501 - ÉTICA CRISTÃ Outono de 2012 Prof. Cairo Marques Aulas: 22 e 29 de outubro; 43 Ryder Road - Weymouth, MA 02190 4, 11, 18 e 25 de novembro; Celular: 781-258-8546

Leia mais

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio TEMA CADERNO 3 : O CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO, SEUS SUJEITOS E O DESAFIO DA FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL Moderadora: Monica Ribeiro da Silva Produção: Rodrigo

Leia mais

Sexta-feira 1. Definições: 2. Salvação: Casamento é uma maquete de uma realidade maior 3. Santificação: 4. Perseverança:

Sexta-feira 1. Definições: 2. Salvação: Casamento é uma maquete de uma realidade maior 3. Santificação: 4. Perseverança: Sexta-feira 1. Definições: Casamento regido pela graça 2. Salvação: Casamento é uma maquete de uma realidade maior 3. Santificação: Casamento é um palco onde a transformação acontece 4. Perseverança: Casamento

Leia mais

Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a

Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a Lucas 10,38-42 Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a sua palavra. Marta, porém, estava ocupada

Leia mais

XVIII Encontro da Pastoral Familiar

XVIII Encontro da Pastoral Familiar XVIII Encontro da Pastoral Familiar Sub-Região Campinas Dioceses: Campinas, São Carlos, Piracicaba, Bragança Paulista, Limeira e Amparo Serra Negra, 03 e 04 de agosto de 2013 Tema: Fé, Família e Juventude

Leia mais

Estudo 01 Guia do Par cipante

Estudo 01 Guia do Par cipante Estudo 01 Guia do Par cipante 01 PREFÁCIO Vivemos numa sociedade caracterizada pela ausência de grandes líderes. Líderes que defendam ideais e inspirem outros a sonhar com um mundo melhor. Líderes que

Leia mais

AS PRÁTICAS RELIGIOSAS E A DIVERSIDADE DE CRENÇAS

AS PRÁTICAS RELIGIOSAS E A DIVERSIDADE DE CRENÇAS ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE VITÓRIA FACULDADE DE SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL CRISTINA BARBOSA BENJAMIM AS PRÁTICAS RELIGIOSAS E A DIVERSIDADE DE CRENÇAS Vitória 2015

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Jesus Cristo revela três passos para a felicidade

Jesus Cristo revela três passos para a felicidade Jesus Cristo revela três passos para a felicidade Introdução O desejo de felicidade está enraizado profundamente em cada pessoa, infelizmente muitos não alcançam este objetivo. São diversos os motivos

Leia mais

Autos de Natal. Apresentação

Autos de Natal. Apresentação Autos de Natal Apresentação Esta pequena colecção de Autos de Natal parece, à primeira vista, composta por textos que não são nem autos, nem de Natal. Se alguns respeitam a forma dialogante do teatro e

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

Uma oração especial para São José das Aflições

Uma oração especial para São José das Aflições Uma oração especial para São José das Aflições A Poderosa Oração de São José dos momentos mais difíceis. Esta é uma daquelas orações que fazemos para momentos de muitos conflitos, dúvidas, dívidas, medo

Leia mais

Ensinar e aprender História na sala de aula

Ensinar e aprender História na sala de aula Ensinar e aprender História na sala de aula Séries iniciais do Ensino Fundamental Ensino de História nas séries iniciais do Ensino Fundamental Por que estudar História? Quais ideias os educandos possuem

Leia mais

PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA CRISTÃ

PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA CRISTÃ PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA CRISTÃ Por Evaristo Filho SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO BÍBLICO SETEB Global http://seminarioevangelico.com.br setebonline@gmail.com Apresentação da Disciplina Pré-Tarefas Informações

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

27/02/2017. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM

27/02/2017. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM FÉ: Primeiro você coloca o pé, depois Deus coloca o chão. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM Para muitos, a

Leia mais

Tópicos de Pesquisa em Administração

Tópicos de Pesquisa em Administração Tópicos de Pesquisa em Administração Professor LUCIEL HENRIQUE DE OLIVEIRA luciel@uol.com.br Do conhecimento ao saber científico Do conhecimento ao saber científico CERVO e BERVIAN (década 1970) estabelecem

Leia mais

ENSINANDO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA ALUNOS SURDOS: SABERES E PRÁTICAS

ENSINANDO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA ALUNOS SURDOS: SABERES E PRÁTICAS 1 ENSINANDO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA PARA ALUNOS SURDOS: SABERES E PRÁTICAS Resumo Karina Ávila Pereira Universidade Federal de Pelotas Este artigo refere se a um recorte de uma tese de Doutorado em Educação

Leia mais

QUAL É O NOSSO CAMPO DE ATUAÇÃO?

QUAL É O NOSSO CAMPO DE ATUAÇÃO? QUEM SOMOS? Caros jovens participantes do Jovens em Ação, para ajudar o grupo na realização do seu empreendimento social, o projeto entregará a vocês, em partes, algumas propostas de atividades que contribuirão

Leia mais

Revista Pandora Brasil Número 57, Agosto de 2013 ISSN Alisson Flores Caires VIDA ENQUANTO VONTADE DE POTÊNCIA

Revista Pandora Brasil Número 57, Agosto de 2013 ISSN Alisson Flores Caires VIDA ENQUANTO VONTADE DE POTÊNCIA VIDA ENQUANTO VONTADE DE POTÊNCIA RESUMO: O presente artigo pretende investigar a concepção Nietzscheana de Vida e natureza, buscando esclarecer a relação que há entre essas duas forças contrárias e únicas.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

CENTRO UNIVERSITÁRIO TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária CENTRO UNIVERSITÁRIO TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano 2016 Título do Projeto: INTERCOM Tipo de Projeto: Projeto novo (

Leia mais

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO Sociologia I PLANO DE DISCIPLINA COMPONENTE CURRICULAR: Sociologia I CURSO: Técnico em Segurança do Trabalho (Integrado) SÉRIE: 1ª CARGA HORÁRIA: 67 h (80 aulas) DOCENTE: EMENTA A introdução ao pensamento

Leia mais

Família Presente de Deus, Lugar de Amor

Família Presente de Deus, Lugar de Amor Família Presente de Deus, Lugar de Amor Amadas irmãs e amados irmãos, Paz e Bem! É com felicidade que trazemos mais este presente para a IMMF do Brasil: mais um encarte no caderno de formação! Um material

Leia mais

SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO

SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO 1 SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO Acadêmica: Raquel Luchese Orientadora: SilandraBadch Rosa Universidade Luterana do Brasil- ULBRA raquelluchese@hotmail.com RESUMO O presente trabalho refere-se ao Estágio

Leia mais

Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2015.

Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2015. Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2015. Ofício 025DG/2015 Prezado presidente do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional COFFITO, MD Sr. Roberto Mattar Cepeda A Sociedade Brasileira de Geriatria

Leia mais

Relato. Objetivos. Recursos Didáticos

Relato. Objetivos. Recursos Didáticos Conteúdo Estruturante: BIODIVERSIDADE Nome da autora: Cleusa Novais Escher Nome do Coautor: Gilson Lopes CRTE de Toledo E-mail: wesbia@seed.pr.gov.br Instituição: Colégio Estadual Jardim Europa Município:

Leia mais

Teoria e Análise das Organizações. Prof. Dr. Onofre R. de Miranda Setembro, 2014

Teoria e Análise das Organizações. Prof. Dr. Onofre R. de Miranda Setembro, 2014 Teoria e Análise das Organizações Prof. Dr. Onofre R. de Miranda Setembro, 2014 OBJETIVOS OBJETIVO GERAL: Ressaltar a organização enquanto objeto de estudo científico; OBJETIVOS ESPECÍFICOS: o Comparar

Leia mais

PEQUENA CASA DA CRIANÇA

PEQUENA CASA DA CRIANÇA PROJETO REDE EXTENSIVA DE APRENDIZAGEM ENTIDADE BREVE HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO MISSÃO VISÃO VALORES IMPACTO DIAGNÓSTICO DA REGIÃO Pequena Casa da Criança CNPJ: 92.852.953/0001-04 Registrada sob o nº 429

Leia mais

TEXTO DO DIA. "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39)

TEXTO DO DIA. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. (1 Co 14.39) TEXTO DO DIA "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39) SÍNTESE Os dons espirituais são presentes dados por Deus à sua Igreja para edificação do Corpo

Leia mais

PARTE 1. O que você sempre quis saber

PARTE 1. O que você sempre quis saber PARTE 1 O que você sempre quis saber Vamos ser francos. Namoro é um dos temas mais falados entre os jovens cristãos. As reações à abordagem repetitiva do tema combinam fascínio e cansaço. Por quê? Acreditamos

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Pedagogia Missão O Curso de Pedagogia tem por missão a formação de profissionais de educação autônomos e cooperativos, capazes de pensar, investigar, decidir, planejar,

Leia mais

Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO

Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO A TV DA NOSSA GENTE Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO A TV Humaitá é uma emissora fundamentada na valorização da cultura e tradições do povo de Guarapuava e região com destaque para conteúdo religioso e ao

Leia mais

EBD CONSOLIDAÇÃO O Ano da Adoração

EBD CONSOLIDAÇÃO O Ano da Adoração EBD CONSOLIDAÇÃO 2015 O Ano da Adoração FAMÍLIA CRISTÃ "Centro de Formação de Adoradores - Estudos de Casos" Pb. André Buarque Pb. José Inácio Objetivo Geral Contribuir na consolidação de sua fé e caráter

Leia mais

Aquilo que aprendemos numa situação (fonte de transferência) outras aprendizagens em outra situação semelhante (destino da transferência

Aquilo que aprendemos numa situação (fonte de transferência) outras aprendizagens em outra situação semelhante (destino da transferência PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM Educação Social, 1º Ano, 1º Semestre DEFINIÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE APRENDIZAGEM TIPOS DE TRANSFERÊNCIA DE APRENDIZAGEM IMPLICAÇÕES DA TRANSFERÊNCIA DE APRENDIZAGEM

Leia mais

Resolução Normativa PUC n o 021/05

Resolução Normativa PUC n o 021/05 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Resolução Normativa PUC n o 021/05 Campinas (SP), 20-12-05 DESTINATÁRIO: TODAS AS UNIDADES DA PUC-CAMPINAS ASSUNTO: ENSINO SISTEMA DE BIBLIOTECAS E INFORMAÇÃO

Leia mais

GT8. A SAF e Auxiliadoras não SAF (nossos tesouros): o que fazer para alcançá-las?

GT8. A SAF e Auxiliadoras não SAF (nossos tesouros): o que fazer para alcançá-las? GT8 A SAF e Auxiliadoras não SAF (nossos tesouros): o que fazer para alcançá-las? Quais os fatores que implicam na desmotivação de mulheres em tomar a decisão de ser sócia da SAF? Jovens casadas não sentem-se

Leia mais

Festa da Imaculada Conceição 2015

Festa da Imaculada Conceição 2015 Festa da Imaculada Conceição 2015 Maria nos estimula a viver a misericórdia de Jesus Cristo Libertador Dia 29 de novembro Domingo 1 dia da Maria nos ensina a sermos solidários e fraternos com os irmãos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM PLANO DE ENSINO 2017-1º Semestre CURSO: DIREITO DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO SEMESTRE: 1º SEMESTRE DE 2017 TURNO: NOTURNO CARGA HORÁRIA: 40 h/a PROFESSOR Me. DANILO CÉSAR SIVIERO RÍPOLI

Leia mais

FOTO 3 X 4. Nome: Endereço: Bairro: CEP: Cidade: Estado: Fone: Associação ou Missão: União: Igreja: Distrito: Clube: Região: Iniciado em / /

FOTO 3 X 4. Nome: Endereço: Bairro: CEP: Cidade: Estado:   Fone: Associação ou Missão: União: Igreja: Distrito: Clube: Região: Iniciado em / / FOTO 3 X 4 Nome: Endereço: Bairro: CEP: Cidade: Estado: E-mail: Fone: Associação ou Missão: União: Igreja: Distrito: Clube: Região: Iniciado em / / PRÉ-REQUISITOS Ter completado 18 anos de idade, no mínimo

Leia mais

coleção Conversas #24 Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #24 Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #24 Eu Posso sou me G ay. curar? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar

Leia mais

Direito é na Católica

Direito é na Católica é na Católica D UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE DIREITO Índice Um Curso de D inovador Dos métodos de ensino ao plano curricular, descubra porque estamos na vanguarda. Internacionalização:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Propostas e ações inclusivas: impasses e avanços Belo Horizonte 17 a 20 de outubro de 2006 Sessões

Leia mais

Roteiro para análise do filme Escritores da. Liberdade

Roteiro para análise do filme Escritores da. Liberdade Roteiro para análise do filme Escritores da Liberdade É importante reforçar que toda a comunidade escolar é responsável e participante no processo educativo e que a ação dos funcionários na escola é, sobretudo,

Leia mais

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 Fiéis em cristo Direitos e deveres dos fiéis leigos Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 A igreja Necessidade de se fazer a distinção quando usamos o termo IGREJA. Quando falamos em

Leia mais

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 RESUMO PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA Monique Santos Ysmael Rocha Fátima

Leia mais

CAMPANHA DA FRATERNIDADE

CAMPANHA DA FRATERNIDADE CAMPANHA DA FRATERNIDADE A Campanha da Fraternidade é uma campanha realizada anualmente pela Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil, sempre no período da Quaresma. Essa ação já existe há mais de 50

Leia mais

1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação.

1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação. Introdução 1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação. 4º A Regra Espiritual da Interpretação 5º O que disse Jesus

Leia mais

CIVITAS AVGVSTINIANA Revista Internacional de Estudos Agostinianos

CIVITAS AVGVSTINIANA Revista Internacional de Estudos Agostinianos CIVITAS AVGVSTINIANA Revista Internacional de Estudos Agostinianos Vol. 1, nº2, Jul/Dez 2012 ISSN 164/2012 Diretora Paula Oliveira e Silva Vice-Diretor Luis Evandro Hinrichsen Gabinete de Filosofia Medieval

Leia mais

Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais

Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais Darlinda Moreira Universidade Aberta ProfMat-2003 Santarém A complexidade da realidade social O mundo foi sempre multicultural, sempre coexistiram

Leia mais

Projeto Escola Brasil

Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil - PEB Programa de voluntariado corporativo do Grupo Santander Brasill Criado em 1998 Conta com suporte institucional do Instituto Escola Brasil - IEB Gestão

Leia mais

IDENTIDADE. Jovem, Igreja e Sociedade Paulo Alves

IDENTIDADE. Jovem, Igreja e Sociedade Paulo Alves IDENTIDADE Jovem, Igreja e Sociedade Paulo Alves EFÉSIOS 4.17-24 Jovem, Igreja e Sociedade Paulo Alves 17 Assim, eu lhes digo, e no Senhor insisto, que não vivam mais como os gentios, que vivem na futilidade

Leia mais

Um plano de ação para andar em saúde divina

Um plano de ação para andar em saúde divina Um plano de ação para andar em saúde divina Capítulo 1 Relembr ando os fundamentos Muitas vezes, assim que o pastor inicia um sermão dizendo: A Palavra de hoje é sobre cura, a maioria das pessoas na congregação

Leia mais

ESPORTE PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

ESPORTE PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO ESPORTE PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO O esporte é uma via privilegiada para o desenvolvimento humano. Por meio do esporte, as crianças e jovens têm oportunidade de desenvolver valores, atitudes e competências

Leia mais

Escola de alternância na Educação rural

Escola de alternância na Educação rural Escola de alternância na Educação rural O Projeto da Escola de alternância intercala um período de convivência na sala de aula com outro no campo para diminuir a evasão escolar em áreas rurais A vida no

Leia mais

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Atual DE Denominação PÚBLICOS Social DE da Draft II Participações INTERESSE S.A. Sumário Introdução 3 Objetivo da Norma 4 Conceitos básicos

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO À MISSÃO

BREVE INTRODUÇÃO À MISSÃO BREVE INTRODUÇÃO À MISSÃO O QUE É MISSÃO? Jesus chama a igreja a participar da missão divina de redenção do mundo e restauração de toda a criação. Este pequeno guia introduz a teologia da Tearfund sobre

Leia mais

EVANGELISMO. Por Evaristo Filho. SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO BÍBLICO SETEB Global

EVANGELISMO. Por Evaristo Filho. SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO BÍBLICO SETEB Global EVANGELISMO Por Evaristo Filho SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO BÍBLICO SETEB Global http://seminarioevangelico.com.br setebonline@gmail.com 2 Apresentação da Disciplina Informações Gerais Pré-Tarefas Antes

Leia mais

Educação Moral e Religiosa Católica

Educação Moral e Religiosa Católica Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto Ano letivo: 016/17 Educação Moral e Religiosa Católica Planos de Unidade do 1º ano de escolaridade Unidade letiva 1: Ter um coração bom Metas: B. Construir uma

Leia mais

1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO 1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Um relato supõe uma seleção de fatos a partir da sua relevância, por critérios estabelecidos por alguém. Como ele o estuda? Porque? Quais os pressupostos teóricos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO LICENCIANDO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: ANSEIOS E DIFICULDADES Mauricio André Morales Garcia 1 Simone Medianeira Franzin 2 Resumo: O estágio em qualquer curso superior

Leia mais

Centro Social Monsenhor Júlio Martins

Centro Social Monsenhor Júlio Martins Centro Social Monsenhor Júlio Martins Plano Anual de Atividades 2014/2015 Tema do Projeto Educativo: Brincar a Aprender Tema do Projeto Curricular de Turma: Descobrir com as emoções Sala dos 3,4 e 5 anos

Leia mais

O contexto: as incertezas

O contexto: as incertezas O contexto: as incertezas As pessoas estão em busca de esperança e de uma orientação segura. Diferentes vozes dirigem-se aos problemas da vida das mais diversas maneiras. Precisamos de recursos que nos

Leia mais

COLÉGIO CORAÇÃO DE MARIA Educando para a Vida, a Solidariedade e a Paz LÍNGUA PORTUGUESA 8º ano Profª Adriana Pacheco Pozzebon

COLÉGIO CORAÇÃO DE MARIA Educando para a Vida, a Solidariedade e a Paz LÍNGUA PORTUGUESA 8º ano Profª Adriana Pacheco Pozzebon COLÉGIO CORAÇÃO DE MARIA Educando para a Vida, a Solidariedade e a Paz LÍNGUA PORTUGUESA 8º ano Profª Adriana Pacheco Pozzebon Nome: Turma 81 Pais querem paz em casa; filhos querem os pais TEXTO: Ter filhos

Leia mais

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas Série: Um Natal de Esperança (02/04). JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas 1.26-38 Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele

Leia mais

V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS

V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS VEM e VAI: imigração, migração, emigração ANA LUZIA LAPORTE São Paulo - Setembro de 2014 ROTEIRO Conceitos: Migração, emigrante e imigrantecausas da migração 3. Causas

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade Tanto o Documento de Aparecida (248) como a Exortação Apostólica Verbum Domini (73) se referem à uma nova linguagem e a um novo passo na questão bíblica:

Leia mais

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente Boletim Econômico Edição nº 61 maio de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico A visão da OIT sobre o Trabalho Decente 1 1. CONCEITO DE TRABALHO DECENTE O conceito de Trabalho

Leia mais

Reescrevendo uma história: a produção de textos para cidadania

Reescrevendo uma história: a produção de textos para cidadania Reescrevendo uma história: a produção de textos para cidadania Ana Paula Vieira Prado 1 ; Alessandro Martins Prado 2 1 Estudante do Curso de Direito da UEMS, Unidade Universitária de Paranaíba; E-mail:

Leia mais

Uberaba. Jovens criam grupos de fé em universidade

Uberaba. Jovens criam grupos de fé em universidade Força da diversidades Uberaba Jovens criam grupos de fé em universidade oração une religiosas em Uberaba completou nesta quinta-feira (2) 197 anos de história. Na mesma data, é comemorado o Dia da Oração.

Leia mais

Valores de uma Igreja RELACIONAL

Valores de uma Igreja RELACIONAL Valores de uma Igreja RELACIONAL O que já aprendemos... A Igreja deve valorizar e incentivar os relacionamentos Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum... Da multidão dos que creram, uma

Leia mais

É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a

É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a É Maria quem nos convida a refletir e guardar no coração a vida e projeto de seu FILHO. A missão dela era nos dar Jesus e fez isso de maneira ímpar. Vamos refletir nos fatos na vida de Jesus onde ELA está

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017 ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017 Consulte sempre o site da Arquidiocese, pois irão sendo registradas as alterações e complementações que ocorrerem. DIA/SEM 20.01.2017

Leia mais

CALENDÁRIO GERAL DE ATIVIDADES PARA JANEIRO Oração

CALENDÁRIO GERAL DE ATIVIDADES PARA JANEIRO Oração CALENDÁRIO GERAL DE ATIVIDADES PARA 2014 AB Acampamento Baptista Departamento Feminino DH Departamento de Homens DJ Departamento da Juventude DM - Departamento de Missões Seminário Teológico Baptista DIR-CBP

Leia mais

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

EAD COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Joel Dutra aula de

EAD COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Joel Dutra aula de EAD 521 - COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Joel Dutra aula de 08.03.17 Conteúdo Programa Desafios presentes e futuros para a gestão de pessoas Compreendendo a da gestão de pessoas Bibliografia 2 EAD

Leia mais

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento HOMILÉTICA Roney Ricardo roneyricardoteologia@gmail.com REFLEXÃO O Deus Todo-Poderoso tinha apenas um Filho, e este tornou-se pregador Anônimo DEFINIÇÃO O termo Homilética vem do grego e significa homiletike,

Leia mais

Lição 1 EFEITOS RELEVANTES DE UMA VIDA DE ORAÇÃO. Pra. Rosa Maria Valadão IEBI Rio Grande, RS

Lição 1 EFEITOS RELEVANTES DE UMA VIDA DE ORAÇÃO. Pra. Rosa Maria Valadão IEBI Rio Grande, RS Lição 1 EFEITOS RELEVANTES DE UMA VIDA DE ORAÇÃO Pra. Rosa Maria Valadão IEBI Rio Grande, RS Texto Áureo Orem Continuamente. 1 Tessalonicenses 5.17 CONHECER: Aspectos doutrinários sobre o tema Vida em

Leia mais

Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior

Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS EM SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior As demandas e as respostas da categoria profissional aos projetos societários Projetos societários são aqueles de determinada classe

Leia mais

1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do grupo, a série e a data em que foi elaborado.

1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do grupo, a série e a data em que foi elaborado. MODELO E NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DO PROJETO DA JORNADA CULTURAL 2015 O projeto a ser elaborado deve conter: 1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do

Leia mais

Portanto, ética e moral, pela própria etimologia, diz respeito a uma realidade. socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas

Portanto, ética e moral, pela própria etimologia, diz respeito a uma realidade. socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas ÉTICA Definição A origem da palavra ÉTICA vem do grego ethos, que quer dizer o modo de ser, o caráter. Os romanos traduziram o ethos grego, para o latim mos (ou no plural mores ), que quer dizer costume,

Leia mais

ESCOLA DA FÉ. Paróquia Santo Antonio do Pari. Aula 9: Jesus, o Filho de Deus -4ªparte.

ESCOLA DA FÉ. Paróquia Santo Antonio do Pari. Aula 9: Jesus, o Filho de Deus -4ªparte. ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 9: Jesus, o Filho de Deus -4ªparte. Frei Hipólito Martendal, OFM. São Paulo-SP, 2 de agosto de 2012. revisão da aula anterior. 1- Nota: para o nosso vocabulário

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO A ESTUDANTES DE TEOLOGIA DA IECLB INFORMAÇÕES GERAIS

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO A ESTUDANTES DE TEOLOGIA DA IECLB INFORMAÇÕES GERAIS PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO A ESTUDANTES DE TEOLOGIA DA IECLB INFORMAÇÕES GERAIS Sede Nacional da IECLB Rua Senhor dos Passos, 202 Centro Histórico CEP: 90020-180 Porto Alegre - RS Sumário 1. Introdução...

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade LIVROS DE ENSINO RELIGIOSO: uma produção de conhecimento no período de 1995 a 2010 Isabel Cristina

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Programa de Extensão do Curso de Licenciatura em Matemática do PARFOR

Programa de Extensão do Curso de Licenciatura em Matemática do PARFOR Programa de Extensão do Curso de Licenciatura em Matemática do PARFOR Profª. Msc. Iza Helena Travassos ICED/AEDI/UFPA Prof. Dr. José Maria Rodrigues ICED/UFPA (Supervisores de Extensão) Bolsista: Mauro

Leia mais

A Santa Sé CARTA APOSTÓLICA EM FORMA DE MOTU PROPRIO LATINA LINGUA DO SUMO PONTÍFICE BENTO XVI

A Santa Sé CARTA APOSTÓLICA EM FORMA DE MOTU PROPRIO LATINA LINGUA DO SUMO PONTÍFICE BENTO XVI A Santa Sé CARTA APOSTÓLICA EM FORMA DE MOTU PROPRIO LATINA LINGUA DO SUMO PONTÍFICE BENTO XVI COM A QUAL SE INSTITUI A PONTIFÍCIA ACADEMIA DE LATINIDADE 1. A língua latina foi sempre tida em grandíssima

Leia mais

Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? Wilson Gellacic

Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? Wilson Gellacic Carreira bem sucedida: Sorte ou Planejamento? 1 Agenda 1. O contexto atual 2. O que é sucesso profissional 3. Competências necessárias 4. Uma visão sistêmica 5. A diferença que faz a diferença 6. Roadmap

Leia mais

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história.

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA Escola Básica Fernando Caldeira Departamento de Ciências Humanas e Sociais Educação Moral e Religiosa Católica - 5º ano Ano letivo 2016/2017 5 º ANO Unidade Letiva 1 -

Leia mais

OBJETIVOS E CONTEÚDOS

OBJETIVOS E CONTEÚDOS OBJETIVOS E CONTEÚDOS 1º BIMESTRE SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO História 1º ano Capítulo 1 Minha história, meu nome Explorar as fotografias de família para reconhecer a trajetória pessoal desde o nascimento;

Leia mais

O que um professor de química precisa saber e saber fazer

O que um professor de química precisa saber e saber fazer O que um professor de química precisa saber e saber fazer Contribuições de estudos Visões de ensino como uma técnica, basta combinar, de modo eficaz, os meios e os fins. componentes afetivos processo de

Leia mais