Em busca de um Novo Portfolio de Negócios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Em busca de um Novo Portfolio de Negócios"

Transcrição

1 Em busca de um Novo Portfolio de Negócios - Case Study - 11 Outubro 2005

2 Índice Quem somos e onde estamos? Situação de Partida Que pressões enfrentamos? Desafios Quais as nossas ambições? Estratégia Que iniciativas estamos a desenvolver? Acção 2

3 Índice Quem somos e onde estamos? Situação de Partida Que pressões enfrentamos? Desafios Quais as nossas ambições? Estratégia Que iniciativas estamos a desenvolver? Acção 3

4 Principais Indicadores (2004) Económico-Financeiros Outros Indicadores Proveitos (Consolidados) 707 (+2,5%) Tráfego Postal (+2,1%) Custos Operacionais 647 Efectivo médio (+1051 participadas) Resultado Operacional 60 Nº Estações Correio 1005 EBITDA (%margem) 98 (13,7%) Nº Postos Correio Res. Líquido 50 Centros Distribuição Postal 408 Investimento 59 Giros de Distribuição Activo Líquido Valores Movimentados SFP Unidade Monetária: Milhões de 4

5 Portfolio de participações dos CTT Correios Empresas Descrição Participação Vol. Negócios Empresas Descrição Participação Vol. Negócios CTT Expresso Negócios de correio urgente e de transporte e distribuição de mercadorias no âmbito nacional e internacional 100% Multicert Serviços de Certificação Electrónica Fornecimento de soluções tecnológica no domínio da certificação electrónica 20% Holding Mailtec Prestação de serviços de «preparação» do correio, em particular nas áreas de impressão e envelopagem Telepost Prestação de serviços de correio electrónico 100% PostContacto Distribuição de Correio Não Endereçado em áreas geográficas predeterminadas 100% Mailtec TI Prestação de serviços de correio preparação de correio (impressão e envelopagem) DSTS Prestação de serviços de formatação e integração de sistemas de suporte à impressão e envelopagem Tourline Express Serviços de Expresso e Encomendas em Espanha % * Campos EMPRESA DE MARKETING DIRECTO Campos Envelopagem Serviços na área de finishing Payshop Rede de pagamento de serviços e carregamento de telemóveis 70% % Nota: Valores referem-se a 2004 *Estimação

6 Os Correios no mercado global de comunicações Quota de Mercado (% Receita) SMS 2,0% Internet 3,0% CTT 10,0% Outros OP 2,0% Telef. Móvel 52,0% Telef. fixa 31,0% O negócio postal tem vindo a perder importância 6

7 Cadeia de valor /pipeline postal Recolha/Aceitação Tratamento Transporte Distribuição Estações de Correio Postos de Correio Trabalhadores 3 Centros Tratamento Correio (Lisboa, Porto, Coimbra) Trabalhadores automóveis outros veículos Km/dia 410 Trabalhadores 408 Centros Distribuição Trabalhadores 7.2 Milhões de Objectos Postais /dia Objectos por Carteiro 7

8 Estrutura de Proveitos do Grupo CTT Ano: 2004 Marketing Directo 8% Produtos Terceiros 1% Printing & Finishing 3% Expresso 9% Total dos Proveitos*: 765 (Milhões ) Serviços Financeiros 7% 49% Área Reservada* * Correio 72% *Proveitos não consolidados. Resultam da soma algébrica dos Proveitos de todas as empresas do universo CTT **Estimativa DEQ/EST A estrutura de vendas dos CTT apresenta uma grande concentração em produtos de baixo valor e com potencial de crescimento limitado (Correspondências) - Por via da diminuição da procura - Ameaçado pela Liberalização total a partir de 2009 Os Serviços Financeiros são um negócio que, no modelo actual, tende a decrescer e, consequentemente, a contribuir para a relativa degradação da estrutura dos proveitos O Marketing Directo, e de acordo com padrões internacionais, evidencia um peso abaixo das expectativas na composição do negócio global Os Produtos de Terceiros revelam um peso diminuto, decorrente de uma capitalização ainda incipiente da rede de lojas na venda de outros produtos/serviços 8

9 Interacções do sector postal Sentido da pressão competitiva - Depósitos - Créditos - Seguros -... Mercado Financeiro Vale/Cobrança Certificados Transferências Direct Mail Mercado Publicitário - Televisão - Rádio - Imprensa - Internet - Marketing Directo -... Sector Postal - Telefone - Telemóvel - SMS - - Fax -... Correio Normal Correio Azul Expresso Mercado das Comunicações Logística Encomendas Outsourcing Mercado de Transporte/ Logística - Comércio electrónico - Transporte de mercadorias - Gestão de Stocks -... As fronteiras entre os mercados estão a esbater-se se 9

10 Índice Quem somos e onde estamos? Situação de Partida Que pressões enfrentamos? Desafios Quais as nossas ambições? Estratégia Que iniciativas estamos a desenvolver? Acção 10

11 Os grandes desafios Contingências Regulatórias 1. Novas Tecnologias 2. Liberalização / Concorrência 3. Globalização / Internacionalização Novo Conceito de Negócio Postal 11

12 Substituição tecnológica +7,5% Comunicações Electrónicas +1,5% Comunicações Postais Até 2010, 25% do correio físico será substituído por novas comunicações electrónicas 12

13 Procura Postal Evolução da variação do Tráfego Postal -13,0% -6,1% -4,0% -2,4% -2,5% -2,6% ES IT LU UK FR -0,3% -0,4% -0,9% -1,0% -1,3% 2,6% 1,0% 0,3% 0,3% 0,0% US AU DE DK CH SE NL PT IS IE BE Tx. Crescimento 7,8% 5,5% 4,1% 3,4% 2,0% -0,1% E -2,6% -3,6% Apesar de uma recuperação recente da variação da procura, a tendência global evidencia uma desaceleração e/ou mesmo redução do tráfego postal 13

14 Liberalização / Concorrência Milhares de euros Receitas em Concorrência Percentagem de receitas em concorrência 52% 59% 100% Correspondências Correio normal Correio com valor acrescentado DM endereçado <50g 50g 100g 100g 350g > 350g CEP Outros Mais de metade do actual negócio dos CTT já está sob concorrência. No máximo até 2009 o mercado estará totalmente liberalizado 14

15 Liberalização Acesso à rede postal Pontos possíveis de acesso à rede Cliente / remetente Recolha Tratamento Outward Transporte Tratamento Inward Entrega (reservada) Receptor / destinatário 15

16 Globalização / Internacionalização TNT Post Group German Parcel logistics Groupe La Poste Spring DPWN City Mail Global Internacional Local O mercado postal, com maior destaque no negócio CEP, tende a consolidar-se à escala internacional 16

17 Condicionamento dos preços ,7 IPC ,4 Preço em termos Nominais Queda real de preço de 6,5 % Preço em termos Reais 93,5 A evolução do preço médio real do serviço postal é negativa 17

18 Cream Skimming / Tarifa Uniforme custos unitários Custo unitário Tarifa uniforme 18

19 Visão mais dinâmica dos mercados Antes... Agora... Produtos Correspondência Encomendas Serviços Financeiros Postais Estações de Correio Necessidades de Mercado Mensagens Logística e Distribuição (CEP) Serviços financeiros Conveniência e Multi-serviços INTEGRAÇÃO 19

20 Novas Propostas de Valor Competências Core Rede de Acesso e Distribuição Confiança Gestão de Endereços Proposta de Valor Serviços de (e)-logística Comunicações Híbridas e Electrónicas Serviços de Certificação Electrónica Serviços de Proximidade Serviço Integrado no M. Relacional e-bpp / e-factura (Caixa Electrónica Postal) 20

21 Novo conceito do negócio postal Distribuição Física de Correio Finishing Center Hybrid Mail Postal Electronic Mail Hybrid Mail / Revers e HM Distribuição de Mensagens multi-canal 21

22 Índice Quem somos e onde estamos? Situação de Partida Que pressões enfrentamos? Desafios Quais as nossas ambições? Estratégia Que iniciativas estamos a desenvolver? Acção 22

23 Missão e Visão Missão Os CTT Correios de Portugal têm por Missão o estabelecimento de ligações físicas e electrónicas, entre os cidadãos, a Administração Pública, as empresas e as organizações sociais em geral nos mercados doméstico e internacional Visão Os CTT Correios de Portugal serão uma poderosa plataforma multiserviços, visando a satisfação das necessidades dos cidadãos e dos agentes económicos, através de uma rede comercial e logística de elevada qualidade, eficiência e proximidade do Cliente 23

24 Análise SWOT Pontos Fortes Marca Forte (Notoriedade e Valores) Deter as seguintes 5 características que, no seu conjunto, são únicas: Confiança/Fiabilidade, Rapidez, Segurança, Universalidade e Conveniência Dimensão ( Poder Negocial ) Economias de Escala ( Operações ) Pontos Fracos Baixa Produtividade Reduzida Flexibilidade na gestão de R.H. Estrutura de Custos ( fixos vs. variáveis ) Orientação Comercial Capacidade de resposta / Tempo de reacção Forte dependência da área reservada ( Proveitos ) Internacionalização Oportunidades Crescimento dos mercados de Marketing Relacional, Expresso e Logística Novas tecnologias/inovação ao nível das comunicações Electrónicas e e-commerce (Certificação, Correio Híbrido, EBPP) Alavancagem da rede Estações para suporte a novo modelo de negócio para a Banca Entrada em novos negócios (Serviços de Back Office, incluindo a gestão documental; telecomunicações; ) Alianças / Parcerias estratégicas Internacionalização de negócios e tecnologias Decréscimo do tráfego das correspondências Substituição tecnológica Concentração e racionalização operacional (empresas) Liberalização Ameaças Pressão sobre as margens operacionais via perda de poder negocial ( concorrência / grandes clientes ) Aumento da concorrência / perda de posição competitiva Incerteza do ambiente regulatório Conjuntura económica muito desfavorável 24

25 Objectivos Estratégicos 1. Promover o crescimento e manter a liderança nos negócios actuais (negócios core) Qualidade de Serviço Imagem Empresarial/Confiança Produtividade e o Controlo de custos Expansão dos Serviços e Incremento da sua Utilização Marketing e Serviço ao Cliente Portfolio de Serviços e Produtos Rebalanceamento de preços Novo Portfolio de Negócios 2. Desenvolver novas áreas de negócio Diversificação para novas áreas de negócio Printing & Finishing Gestão / Logística Documental Logística Serviços financeiros / novo Banco Postal Diversificação para novos mercados (internacionalização) - Espanha e mercados de influência Criação de Valor para o Accionista 3. Gerar crescimento através da inovação Correio Híbrido / hub electrónico de comunicações postais (CEPU) Garantir uma variação positiva de EVA 25

26 Actuação estratégica Melhoria da Eficiência e Qualidade Ser eficiente! Manter liderança no Negócio Actual 1 Manter o enfoque no Serviço Universal Gerir a Qualidade Optimizar estrutura de custos fixos Racionalizar Rede Influenciar processo de liberalização 2 3 Estratégia de Crescimento Sustentado Crescer! Novos negócios e serviços de valor acrescentado Captar Sinergias entre negócios Optimizar custos de funções de suporte ( back-office) Visão de retailing (Rede Estações de Correio) Parcerias/Internacionalizar Ser fast-mover nos novos negócios Oferta global e integrada Redesenhar a rede (objectivos e conteúdo) Aumentar notoriedade e adequar posicionamento Desenvolvimento do Negócio 26

27 Ambição Evolução dos Proveitos* (Horizonte 2008) Unidades: Milhões Taxa Média Crescimento Anual 7,1% Cenário PMR 813 3,6% Gap Estratégic o E A ambição dos CTT será atingir Milhões de Proveitos em 2008 para o conjunto do seu universo empresarial. Para colmatar o Gap Estratégico, além da evolução consistente com os PMR, será necessário, numa perspectiva de reequilíbrio do portfolio de negócios, acrescentar o lançamento de novas iniciativas. *Soma algébrica dos proveitos de todos os negócios dos CTT incluídos nos PMR 27

28 Índice Quem somos e onde estamos? Situação de Partida Que pressões enfrentamos? Desafios Quais as nossas ambições? Estratégia Que iniciativas estamos a desenvolver? Acção 28

29 Novas oportunidades estratégicas de Negócio Lançar o serviço de Caixa Electrónica Postal Desenvolvimento de oferta integradas de serviços de Back office, dando prioridade à componente de serviços de Gestão/Logística Documental Desenvolvimento de serviço integrado de logística de objectos / encomendas Inclui o desenvolvimento de canais alternativos para distribuição de objectos/encomendas, promovendo a conveniência de entrega para segmentos específicos que a valorizem (i.e., e-logistics de suporte a operações de e- commerce, sector mailer, ) Oferta integrada de serviços de Marketing Relacional Internacionalização Printing & Finishing; Expresso e Encomendas; Pagamentos Novo modelo para o sector financeiro/banco Postal Entrada no negócio das telecomunicações como MVNO Completar o ciclo da cadeia de valor do Correio Híbrido Desenvolver solução de Hybrid Mail web-based dirigida a PME e SOHO para Marketing Directo/Correio Empresarial Desenvolver soluções de Reverse Hybrid-Mail para GE 29

30 Plataforma Integrada de serviços de comunicações Empresas Grandes Remetentes Telecomunicações; Bancos; Utilities. Facturas, notificações, correspondência simples, publicidade, etc. Pagamentos, correspondência e aviso de recepção. Disponibilização de Caixa de Correio Electrónica Consolidação dos dados e configuração de layouts Electrónica Caixa Correio Electrónica dos CTT Distribuição Física Administração Pública DGCI/DGITA; Tribunais; Notificações Identificação de preferências DGV; Câmaras; Etc. Aviso de Recepção Entrega electrónica, física ou mista Futuro SMS, MMS, Voz, etc. 30

31 Novas oportunidades estratégicas de Negócio Lançar o serviço de Caixa Electrónica Postal Desenvolvimento de oferta integradas de serviços de Back office, dando prioridade à componente de serviços de Gestão/Logística Documental Desenvolvimento de serviço integrado de logística de objectos / encomendas Inclui o desenvolvimento de canais alternativos para distribuição de objectos/encomendas, promovendo a conveniência de entrega para segmentos específicos que a valorizem (i.e., e-logistics de suporte a operações de e- commerce, sector mailer, ) Oferta integrada de serviços de Marketing Relacional Internacionalização Printing & Finishing; Expresso e Encomendas; Pagamentos Novo modelo para o sector financeiro/banco Postal Entrada no negócio das telecomunicações como MVNO Completar o ciclo da cadeia de valor do Correio Híbrido Desenvolver solução de Hybrid Mail web-based dirigida a PME e SOHO para Marketing Directo/Correio Empresarial Desenvolver soluções de Reverse Hybrid-Mail para GE 31

32 Gestão Documental Os CTT propõem uma integração da componente de gestão documental lógica e física Arquitectura do fluxo de gestão documental Recepção/ Recolha Tipo de documento? Físico I Digitalização sim Utilização corrente? não II Arquivo Corrente In-site Nas instalações do cliente III Arquivo Intermédio Off-site Arquivo Físico Mailroom Sistemas de informação (SIs) Digital IV Arquivo Digital Arquivo Lógico V Consultoria de Gestão documental Mensagens electrónicas Imagens Outputs de SIs 32

33 Novas oportunidades estratégicas de Negócio Lançar o serviço de Caixa Electrónica Postal Desenvolvimento de oferta integradas de serviços de Back office, dando prioridade à componente de serviços de Gestão/Logística Documental Desenvolvimento de serviço integrado de logística de objectos / encomendas Inclui o desenvolvimento de canais alternativos para distribuição de objectos/encomendas, promovendo a conveniência de entrega para segmentos específicos que a valorizem (i.e., e-logistics de suporte a operações de e- commerce, sector mailer, ) Oferta integrada de serviços de Marketing Relacional Internacionalização Printing & Finishing; Expresso e Encomendas; Pagamentos Novo modelo para o sector financeiro/banco Postal Entrada no negócio das telecomunicações como MVNO Completar o ciclo da cadeia de valor do Correio Híbrido Desenvolver solução de Hybrid Mail web-based dirigida a PME e SOHO para Marketing Directo/Correio Empresarial Desenvolver soluções de Reverse Hybrid-Mail para GE 33

34 Logística Gestão de ordens de entrega e pedidos de recolha Pickup Request Warehousing Embalagem e rotulagem dos artigos Gestão de encomendas a fornecedores e de gestão armazéns Assembling Invoicing Gestão do processo de facturação aos clientes finais Expedição e distribuição Progress of shipment/delivery Gestão e re-encaminhamento de devoluções Billing Facturação e Gestão de Cobranças Devoluções Informação de logística e assistência pós-venda Customer Care 34

35 Novas oportunidades estratégicas de Negócio Lançar o serviço de Caixa Electrónica Postal Desenvolvimento de oferta integradas de serviços de Back office, dando prioridade à componente de serviços de Gestão/Logística Documental Desenvolvimento de serviço integrado de logística de objectos / encomendas Inclui o desenvolvimento de canais alternativos para distribuição de objectos/encomendas, promovendo a conveniência de entrega para segmentos específicos que a valorizem (i.e., e-logistics de suporte a operações de e- commerce, sector mailer, ) Oferta integrada de serviços de Marketing Relacional Internacionalização Printing & Finishing; Expresso e Encomendas; Pagamentos Novo modelo para o sector financeiro/banco Postal Entrada no negócio das telecomunicações como MVNO Completar o ciclo da cadeia de valor do Correio Híbrido Desenvolver solução de Hybrid Mail web-based dirigida a PME e SOHO para Marketing Directo/Correio Empresarial Desenvolver soluções de Reverse Hybrid-Mail para GE 35

36 Marketing Relacional Recolha Transporte Divisão Entrega Cadeia Postal Tradicional Serviços de Valor Acrescentado Serviços de Valor Acrescentado DB MKT Criatividade P&F Correio Resposta Serviços Multicanal DB MKT Cadeia Postal data-driven 36

37 Novas oportunidades estratégicas de Negócio Lançar o serviço de Caixa Electrónica Postal Desenvolvimento de oferta integradas de serviços de Back office, dando prioridade à componente de serviços de Gestão/Logística Documental Desenvolvimento de serviço integrado de logística de objectos / encomendas Inclui o desenvolvimento de canais alternativos para distribuição de objectos/encomendas, promovendo a conveniência de entrega para segmentos específicos que a valorizem (i.e., e-logistics de suporte a operações de e- commerce, sector mailer, ) Oferta integrada de serviços de Marketing Relacional Internacionalização Printing & Finishing; Expresso e Encomendas; Pagamentos Novo modelo para o sector financeiro/banco Postal Entrada no negócio das telecomunicações como MVNO Completar o ciclo da cadeia de valor do Correio Híbrido Desenvolver solução de Hybrid Mail web-based dirigida a PME e SOHO para Marketing Directo/Correio Empresarial Desenvolver soluções de Reverse Hybrid-Mail para GE 37

Serviços de Correio Expresso Serviços não enquadrados na categoria de Correio Expresso

Serviços de Correio Expresso Serviços não enquadrados na categoria de Correio Expresso 26 S E R V I Ç O S P O S T A I S E X P L O R A D O S E M C O N C O R R Ê N C I A N Ú M E R O D E P R E S T A D O R E S Número de Prestadores licenciados/ autorizados Serviços de Correio Expresso 1,2 5

Leia mais

Proposta de fiscalidade sustentável para o tabaco Dr. Juan José Marco Jurado Director-Geral de Portugal Director de Assuntos Corporativos de Ibéria

Proposta de fiscalidade sustentável para o tabaco Dr. Juan José Marco Jurado Director-Geral de Portugal Director de Assuntos Corporativos de Ibéria Proposta de fiscalidade sustentável para o tabaco Dr. Juan José Marco Jurado Director-Geral de Portugal Director de Assuntos Corporativos de Ibéria Assembleia da República Comissão de Orçamento, Finanças

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência profissional. Nome Miguel Ângelo Teixeira Oliveira, Miguel Ângelo Oliveira

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência profissional. Nome Miguel Ângelo Teixeira Oliveira, Miguel Ângelo Oliveira Curriculum Vitae In pessoal Nome Miguel Ângelo Teixeira Oliveira, Morada Rua Infante D. Henrique 8, 1º Esq. - Santa Joana - 3810-377 Aveiro Telemóvel 929 263 263 Endereço de correio eletrónico miguelangelo.mkt@gmail.com

Leia mais

Serviço postal universal. Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas

Serviço postal universal. Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas Serviço postal universal Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas 20 de janeiro de 2017 Sector Postal em Portugal Abril 2012: liberalização plena do sector Parte do tráfego que antes era reservado

Leia mais

A liberalização do sector postal

A liberalização do sector postal A liberalização do sector postal Jornada APOCEEP, Lisboa José Ferrari Careto Novembro 2007 A liberalização do sector postal ÍNDICE A. Quadro legal nacional e comunitário B. Liberalização gradual do sector

Leia mais

Consigo sempre à frente

Consigo sempre à frente CTT/CTT EXPRESSO/PROPOSTAS COMERCIAIS/2013-07/17 Apresentação CTT Expresso Consigo sempre à frente www.cttexpresso.pt LINHA CTT Expresso 707200 118 Dias úteis das 8h30 às 19h Quem somos Consigo o melhor

Leia mais

MEIO ENVOLVENTE TRANSACCIONAL. O meio envolvente transaccional é constituído pelos elementos que interagem directamente com a indústria.

MEIO ENVOLVENTE TRANSACCIONAL. O meio envolvente transaccional é constituído pelos elementos que interagem directamente com a indústria. MEIO ENVOLVENTE TRANSACCIONAL O meio envolvente transaccional é constituído pelos elementos que interagem directamente com a indústria. Clientes: consumidores actuais e potenciais dos bens e serviços oferecidos

Leia mais

Soluções de Comunicação Publicitária

Soluções de Comunicação Publicitária Soluções de Comunicação Publicitária Direct Mail Tabelas de preços Condições gerais Versão set15 Informação geral Direct Mail SEGMENTO OCASIONAL Preços aplicáveis a qualquer pessoa singular ou coletiva

Leia mais

4º ENCONTRO REDE PME INOVAÇÃO COTEC

4º ENCONTRO REDE PME INOVAÇÃO COTEC 4º ENCONTRO REDE PME INOVAÇÃO COTEC CONTRIBUTO DAS GRANDES EMPRESAS PARA O CRESCIMENTO DAS PME ORADOR CARLOS BARBOT PRESIDENTE DO GRUPO BARBOT Lisboa, 09 de Novembro de 2010 Cooperação empresarial um caminho

Leia mais

REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009

REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009 REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009 1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 1 2. ENQUADRAMENTO... 3 3. EVOLUÇÃO DA REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS... 3

Leia mais

Receitas Internacionais da Reditus aumentam 22,4% em 2014

Receitas Internacionais da Reditus aumentam 22,4% em 2014 Receitas Internacionais da Reditus aumentam 22,4% em 2014 Proveitos Operacionais de 120 milhões de euros (+ 6,4%) EBITDA de 11,5 milhões de euros (vs. 11,7 milhões de euros) Margem EBITDA 9,5% (vs. 10,4%)

Leia mais

Estratégia Empresarial Análise Estratégica

Estratégia Empresarial Análise Estratégica Estratégia Empresarial Análise Estratégica Análise do Meio Envolvente (análise externa): Análise do meio envolvente contextual; Análise do meio envolvente transaccional; Análise da atractividade e estrutura

Leia mais

PESSOA A CONTACTAR Nome telefone/ telemóvel

PESSOA A CONTACTAR Nome telefone/ telemóvel INSERRALVES Incubadora de Indústrias Criativas FORMULÁRIO DE CANDIDATURA A preencher pela Fundação de Serralves Entidade receptora Data de recepção DESIGNAÇÃO DO PROJECTO Nome Actividade PESSOA A CONTACTAR

Leia mais

ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business

ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business GS1 Portugal GTIN Global Trade Item Number GLN Global Location Number 2 GS1 Portugal Standards globais para identificação

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde. Lisboa, 11 de Setembro de 2014

Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde. Lisboa, 11 de Setembro de 2014 Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde Lisboa, 11 de Setembro de 2014 JOSÉ DE MELLO SAÚDE OPERADOR DE REFERÊNCIA NO SECTOR DA SAÚDE EM PORTUGAL Operador com maior experiência no sector Referência

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

ESPANHA Mercado Um parceiro de confiança /

ESPANHA Mercado Um parceiro de confiança / Mercado 1º cliente (25% de quota) e 1º fornecedor (cerca de 33%) Mais de 6.000 empresas portuguesas exportam para Espanha Portugal é o 5º cliente de Espanha (7%) e 8º fornecedor (quase 4%) Espanha vende

Leia mais

SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede: Estrada de Alfragide, 67, Amadora Capital Social: 169.764.398,00 NIPC 503 219 886 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre: APAVT - Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, com sede em Lisboa, na Rua Duque de Palmela, 2-1º Dtº, pessoa colectiva n.º 500910839, adiante

Leia mais

Projecção Internacional e Competitividade Prioridades para Portugal

Projecção Internacional e Competitividade Prioridades para Portugal Projecção Internacional e Competitividade Prioridades para Portugal Francisco Luís Murteira Nabo Alfândega do Porto, 20 de Dezembro de 2011 1 SUMÁRIO 1 - O Contexto Competitivo Estratégias Potenciadoras

Leia mais

Case study. Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos é o banco público português e o maior grupo financeiro nacional.

Leia mais

II. O mesmo investigador efetuou um conjunto de testes sobre a informação do Prazo Médio de Pagamentos cujos resultados são apresentados no Anexo I.

II. O mesmo investigador efetuou um conjunto de testes sobre a informação do Prazo Médio de Pagamentos cujos resultados são apresentados no Anexo I. ANO LECTIVO DE 2015-2016 MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS Mestrados de: Economia e Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação, Economia e Políticas Públicas, Economia Internacional e Estudos Europeus Prova

Leia mais

- Para uma contabilidade mais específica, o serviço base pode ser complementado com a contabilidade por centro de custos.

- Para uma contabilidade mais específica, o serviço base pode ser complementado com a contabilidade por centro de custos. Solução RCR GERIR Destinatários Micro e pequenas empresas Objectivo da solução A Solução RCR GERIR disponibiliza os serviços e o apoio essencial para introduzir mais tranquilidade e segurança na gestão

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 07 Entidades Inquiridas

Leia mais

REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO

REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO Relatório Anual ano 2015 ÍNDICE 1. Enquadramento... 2 2. Indicadores de Qualidade de Serviço Comercial... 3 2.1. Indicadores gerais... 3 2.2. Indicadores individuais...

Leia mais

Apoios Incentivos. Marketing Digital. Formação. Contabilidade e reporting. Consultoria. BWS Consulting

Apoios Incentivos. Marketing Digital. Formação. Contabilidade e reporting. Consultoria. BWS Consulting A nasce do espírito empreendedor de um grupo de profissionais multidisciplinares (Gestão, Economia, Marketing, Contabilidade, Psicologia, Engenharia...) com mais de 15 anos de experiência âmbito de actuação

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE ANOS DA CRIAÇÃO DO CIUEM 3ª FASE DO DESENVOLVIMENTO DO CIUEM 2009 2013 TICs PARA TODOS NO ENSINO, INOVAÇÃO E INVESTIGAÇÃO Tecnologias de Informação e Comunicação A expansão

Leia mais

MAURÍCIO MACHADO DE MINAS Vice Presidente Executivo

MAURÍCIO MACHADO DE MINAS Vice Presidente Executivo 1 MAURÍCIO MACHADO DE MINAS Vice Presidente Executivo NOVA REALIDADE Experiência do cliente, inovação e eficiência CLIENTE Novas Experiências Mais que segmentação Sob medida MERCADO Inovações Novos modelos

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira dos primeiros nove meses

Leia mais

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013

RESULTADOS 1T13. Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo. 30 de abril de 2013 RESULTADOS 1T13 Grupo Pão de Açúcar e Viavarejo 30 de abril de 2013 RESULTADO GPA CONSOLIDADO 1T13 Vendas Brutas R$ milhões, 1T13 x 1T12 Cresc. mesmas lojas vs 1T12 14.984 +9,7% ML +6,6% EBITDA R$ milhões,

Leia mais

RADIOGRAFIA DO SECTOR DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) EM PORTUGAL

RADIOGRAFIA DO SECTOR DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) EM PORTUGAL RADIOGRAFIA DO SECTOR DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) EM PORTUGAL Empresas que apresentam como actividade económica principal: Pág.06 Barómetro Informa D&B Maio 2014 Fonte: Análise

Leia mais

RESULTADOS 3T16 11 DE NOVEMBRO,

RESULTADOS 3T16 11 DE NOVEMBRO, RESULTADOS 3T16 11 DE NOVEMBRO, 2016 AGENDA 3T16 1. RESULTADOS 3T16 2. DESTAQUES OPERACIONAIS 3. INVESTIMENTOS 4. SESSÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS 2 1. PRINCIPAIS INDICADORES 3T16 GMV TOTAL (R$) GMV MARKETPLACE

Leia mais

IES Cidade Empresa Área Cursos Descrição da Vaga Código. Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas

IES Cidade Empresa Área Cursos Descrição da Vaga Código. Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas Os interessados poderão filtrar as vagas por área de atuação Cada interessado deverá guardar o código da vaga que lhe interessou para preencher o formulário de inscrição IES Cidade Empresa Área Cursos

Leia mais

Plano de Actividades

Plano de Actividades Plano de Actividades 2011 Elaboração: Equipa Técnica Coordenação: Aprovado por: Grupo Coordenador CML IEFP Fundação LIGA Revisto por: Data: 30/10/2010 Data: / / Data: / / Índice Introdução 1. Objectivos

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do primeiro semestre de

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação

Introdução aos Sistemas de Informação GSI Introdução aos Sistemas de Informação- 1 Introdução aos SI - 1 Gestão de Sistemas Informáticos Introdução aos Sistemas de Informação Carlos Conceição Elsa Cardoso Outubro 2001 Management Information

Leia mais

GRUPOS DE COLABORAÇÃO SETORIAIS PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO. NERBA; Bragança;

GRUPOS DE COLABORAÇÃO SETORIAIS PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO. NERBA; Bragança; GRUPOS DE COLABORAÇÃO SETORIAIS PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO NERBA; Bragança; 29.03.2017 GRUPOS DE COLABORAÇÃO SETORIAIS PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO CAPACITAÇÃO DAS PME PARA CONTACTOS INTERNACIONAIS NERBA;

Leia mais

A empresa e o seu ambiente

A empresa e o seu ambiente A empresa e o seu ambiente 1. Noção de empresa A) EMPRESA VS ORGANIZAÇÃO (A. SOUSA, 1994) Perspectiva 1 (externa): Inserção da organização no meio socioeconómico «Entidades que surgem para operar tecnologias

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Modo de Proceder Descrição Capítulo I Disposições e regras genéricas 1. No exercício das competências afectas ao Departamento de Suporte Técnico e Administrativo (DSTA), compete à directora do departamento

Leia mais

O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS

O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS CONFERÊNCIA COMEMORATIVA DOS 30 ANOS DO IVA EM PORTUGAL II Painel: O funcionamento do IVA: A experiência do funcionamento do imposto em Portugal O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS Jorge Oliveira*

Leia mais

Desenho da Estratégia Sectorial para o Desenvolvimento Estatístico. stico. Por Norah Madaya

Desenho da Estratégia Sectorial para o Desenvolvimento Estatístico. stico. Por Norah Madaya Desenho da Estratégia Sectorial para o Desenvolvimento Estatístico stico Por Norah Madaya Consultora da ScanStat,, INE, 18 de Junho,, 2008 1 VISÃO GERAL Avaliação da situação actual Análise FOFA (SWOT)

Leia mais

O que Fazer na Internet

O que Fazer na Internet Internet Histórico O que é a Internet O que é a Internet A Internet é uma rede de computadores à escala mundial, destinada à troca de informações. Os computadores são interligados através de linhas comuns

Leia mais

ANEXO II - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

ANEXO II - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ANEXO II - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS I. S. 1. LEVANTAMENTOS AO BALCÃO - Com apresentação de caderneta ou cheque Gratuito -- -- -- Gratuito Gratuito - Sem apresentação de caderneta ou cheque (só com identificação

Leia mais

RESULTADOS 1T16 06 DE MAIO,

RESULTADOS 1T16 06 DE MAIO, RESULTADOS 06 DE MAIO, 2016 AGENDA 1. Resultados e LTM 2. Destaques Comerciais e Operacionais 3. Investimentos 2 1. PRINCIPAIS INDICADORES GMV Total (R$) GMV Marketplace (R$) Marketplace (% GMV Total)

Leia mais

5º Congresso APECATE. Contextualização do Turismo Cultural em Portugal ESTRUTURAR NEGÓCIO PARA POTENCIAR O CRESCIMENTO. Évora, 2 a 4 de Fevereiro 2017

5º Congresso APECATE. Contextualização do Turismo Cultural em Portugal ESTRUTURAR NEGÓCIO PARA POTENCIAR O CRESCIMENTO. Évora, 2 a 4 de Fevereiro 2017 5º Congresso APECATE ESTRUTURAR NEGÓCIO PARA POTENCIAR O CRESCIMENTO Évora, 2 a 4 de Fevereiro 2017 Contextualização do Turismo Cultural em Portugal José Maria Lobo de Carvalho 3 de Fevereiro de 2017 ÁREA

Leia mais

AUDIÇÃO GRUPO DE TRABALHO REGULAÇÃO DA CONCORRÊNCIA E DEFESA DO CONSUMIDOR. Instituto de Seguros de Portugal. 18 de Novembro de 2010

AUDIÇÃO GRUPO DE TRABALHO REGULAÇÃO DA CONCORRÊNCIA E DEFESA DO CONSUMIDOR. Instituto de Seguros de Portugal. 18 de Novembro de 2010 AUDIÇÃO GRUPO DE TRABALHO REGULAÇÃO DA CONCORRÊNCIA E DEFESA DO CONSUMIDOR Instituto de Seguros de Portugal 18 de Novembro de 2010 1 ÍNDICE 1. O INTERESSE DO CONSUMIDOR NA ACTUAÇÃO DO ISP 2. INICIATIVAS

Leia mais

133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal

133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal ORDEM DOS ENGENHEIROS AVEIRO 133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal MsC. Raquel Castro Madureira Prof. Dr. A. Manuel de Oliveira Duarte Prof.ª Dr.ª Raquel Matias-Fonseca Raquel Castro

Leia mais

NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL

NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL ESTUDO COMPARATIVO 2011-2013 ABAP / IBGE 1 2 O IBGE MEDE A IMPORTÂNCIA DE TODAS AS EMPRESAS LIGADAS À COMUNICAÇÃO DENTRO DO CENÁRIO ECONÔMICO NACIONAL. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

ANACOM. Resposta Consulta Publica TDT Interactividade Portugal Resposta Consulta Publica TDT. Lisboa,

ANACOM. Resposta Consulta Publica TDT Interactividade Portugal Resposta Consulta Publica TDT. Lisboa, ANACOM Resposta Consulta Publica TDT Interactividade Portugal 15-10-07 António Ventura INDRA SISTEMAS PORTUGAL, S.A. Rua da Indústria, nº6, 2610-088 Alfragide, Portugal T + 351 21 472 46 00 F + 351 21

Leia mais

CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL

CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL EMPREENDEDORISMO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE ÍNDICE 1. PREÂMBULO... 2 2. OBJECTIVO DO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL... 4 3. CANDIDATOS... 4

Leia mais

A importância dos Sistemas de Informação

A importância dos Sistemas de Informação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto A importância dos Uma reflexão empresarial Carlos Moreira da Silva António Magalhães Porto, 30 de Maio de 2000 Apresentação do grupo BA A importância dos

Leia mais

1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para a Europa e a América Latina

1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para a Europa e a América Latina Tema de Pesquisa: Internacional 27 de Fevereiro de 2013 Revista de Imprensa 27-02-2013 1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para

Leia mais

1. Sumário Executivo Enquadramento Rede postal e oferta de serviços Comparação internacional Glossário...

1. Sumário Executivo Enquadramento Rede postal e oferta de serviços Comparação internacional Glossário... Rede postal e oferta de serviços dos CTT Correios de Portugal, S.A. 4.º trimestre de 2014 a 3.º trimestre de 2016 ÍNDICE 1. Sumário Executivo... 2 2. Enquadramento... 3 3. Rede postal e oferta de serviços...

Leia mais

A informação como prevenção do conflito. Isabel Andrade Álvaro Carvalho

A informação como prevenção do conflito. Isabel Andrade Álvaro Carvalho A informação como prevenção do conflito Isabel Andrade Álvaro Carvalho Encontro Nacional de Entidades Gestoras Coimbra, 4 de dezembro de 2013 A importância da informação aos utilizadores Abastecimento

Leia mais

Oferta e Procura Desportiva: Tendências e Desafios Futuros

Oferta e Procura Desportiva: Tendências e Desafios Futuros SEMINÁRIO EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS, QUE FUTURO, QUE TENDÊNCIAS?! Câmara Municipal de Almada Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada, 23 Novembro, 2012 Oferta e Procura Desportiva: Tendências

Leia mais

JULHO 2011 Millennium bcp Agenda estratégica no novo contexto de mercado

JULHO 2011 Millennium bcp Agenda estratégica no novo contexto de mercado JULHO 2011 Millennium bcp Agenda estratégica no novo contexto de mercado LIS-192090110720 Agenda Alteração estrutural do contexto de mercado Agenda estratégica do Millennium para o próximo triénio Princípios

Leia mais

Os projectos ou pedidos de participação devem ser enviados para o seguinte endereço:

Os projectos ou pedidos de participação devem ser enviados para o seguinte endereço: ANÚNCIO DE CONCURSO DE CONCEPÇÃO O presente anúncio está abrangido pela: Directiva 2004/18/CE* Directiva 2004/17/CE («sectores especiais»)* SECÇÃO I: ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO, ENDEREÇOS E PONTOS

Leia mais

MARIA JOÃO VARELA BATISTA CORREIA Av. Vasco da Gama, nº4-5ºc 2660 448 Sto. António dos Cavaleiros, Loures, Portugal 96 484 45 68 mariajvarelac@hotmail.com Portuguesa 25 Janeiro, 1975 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de setembro de Série. Número 168

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de setembro de Série. Número 168 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 27 de setembro de 2016 Série Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA SAÚDE Despacho conjunto n.º 116/2016 Fixa

Leia mais

Nota Prévia 7 Prefácio... 23

Nota Prévia 7 Prefácio... 23 Indice Nota Prévia 7 Prefácio................................................... 23 I PARTE - Definição, classificações e funções da Publicidade 25 O Que é Publicidade? 27 Importância e Desenvolvimento

Leia mais

RESULTADOS 1S2015 AGOSTO 2015

RESULTADOS 1S2015 AGOSTO 2015 1 ANÁLISE DE RESULTADOS CARTEIRA DE ENCOMENDAS PERSPETIVAS FUTURAS 2 DESTAQUES ANÁLISE DE RESULTADOS CARTEIRA DE ENCOMENDAS PERSPETIVAS FUTURAS Recuperação operacional no 1º semestre, com EBITDA (8,8 M

Leia mais

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011 O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA 2011 Funchal, 10 de Novembro de 2011 BUSINESS PLAN Financial Analysis Agenda O tecido empresarial

Leia mais

RESULTADOS 1T2015 MAIO 2015

RESULTADOS 1T2015 MAIO 2015 1 ANÁLISE DE RESULTADOS CARTEIRA DE ENCOMENDAS PERSPETIVAS FUTURAS 2 DESTAQUES ANÁLISE DE RESULTADOS CARTEIRA DE ENCOMENDAS PERSPETIVAS FUTURAS Acentuada recuperação operacional no 1T, com o EBITDA e o

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2007

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2007 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2007 DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA - DIPJ 2007 CNPJ: 50.152.826/0001-44 Ano-Calendário:

Leia mais

Maio Normas de representação gráfica Produtos ctt correios

Maio Normas de representação gráfica Produtos ctt correios Maio 2005 Normas de representação gráfica Produtos ctt correios Introdução Este manual estabelece regras gráficas do Correio por Contrato CTT Correios com vista a uma uniformização das peças gráficas e

Leia mais

BANCO DO BRASIL Resultados 2011

BANCO DO BRASIL Resultados 2011 BANCO DO BRASIL Resultados 2011 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

Sessão 6 A Economia Portuguesa

Sessão 6 A Economia Portuguesa Sessão 6 A Economia Portuguesa Neves (216) População portuguesa (império e emigração) após 1415 3 25 2 15 1 Africa Emig. PORTUGAL P+Ilhas P+Isl+Asia P+I+As+Brasil P+I+A+B+Afric P+Emp+Emi 5 Brasil continental

Leia mais

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada Introdução Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança Adotar uma ESTRATÉGIA Criar vantagem competitiva sustentada Elemento unificador que dá coerência e direcção às decisões individuais da empresa Introdução

Leia mais

SEG Consulting. apresentação corporativa

SEG Consulting. apresentação corporativa SEG Consulting apresentação corporativa empresa highlights > a SEG Consulting opera há mais de 20 anos e dedica-se à consultoria estratégica, táctica e operacional dos seus Clientes, transversal aos diversos

Leia mais

Profissionais Liberais. Vodafone Negócios Janeiro Apresentação de Serviço

Profissionais Liberais. Vodafone Negócios Janeiro Apresentação de Serviço Vodafone Negócios Janeiro 2016 Profissionais Liberais Apresentação de Serviço Profissionais Liberais Oferta personalizada para profissionais liberais, combinando serviços para estar sempre contactável,

Leia mais

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2016, DE 19 DE MAIO DE 2016 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO SAÚDE UNIDADE TERESINA; B-01 - ASSESSOR TECNICO

Leia mais

Formulário de Candidatura

Formulário de Candidatura Formulário de Candidatura Finicia do Concelho de Vila Nova de Cerveira (a preencher pela XXX) N.º de Processo: Data de Entrada : (a preencher pela entidade receptora) Entidade Receptora : Local e data

Leia mais

TERMO DE CONDIÇÕES COMERCIAIS DOS PACOTES DE SERVIÇOS DE ENCOMENDAS

TERMO DE CONDIÇÕES COMERCIAIS DOS PACOTES DE SERVIÇOS DE ENCOMENDAS TERMO DE CONDIÇÕES COMERCIAIS DOS DE SERVIÇOS DE ENCOMENDAS 1 OBJETO DO TERMO 1.1 Apresentar as condições de acesso aos pacotes de serviços de encomendas. 2 CONDIÇÕES PARA UTILIZAÇÃO 2.1 Poderão utilizar

Leia mais

Comércio Eletrônico. Criação de um e-commerce. Criação de um e-commerce

Comércio Eletrônico. Criação de um e-commerce. Criação de um e-commerce Comércio Eletrônico Anhanguera Taboão da Serra Criação de um e-commerce Muitas empresas baseadas na Internet necessitam de menor investimento do que empresas tradicionais. Podem ser através de: Poupança

Leia mais

RESULTADOS 4T15 11 DE MARÇO,

RESULTADOS 4T15 11 DE MARÇO, RESULTADOS 4T15 11 DE MARÇO, 2016 AGENDA 1. CONQUISTAS 2013-2015 2. RESULTADOS 4T15 3. DESTAQUES COMERCIAIS E OPERACIONAIS 4. INVESTIMENTOS 2013-2015 2 1. IMPORTANTES CONQUISTAS - 2013/2015 GMV LTM (R$

Leia mais

Seminário de Regulação AICEP Macau Março A Regulação na Era Digital

Seminário de Regulação AICEP Macau Março A Regulação na Era Digital Seminário de Regulação AICEP Macau 21-22 Março 2016 A Regulação na Era Digital João Confraria Autoridade Nacional de Comunicações Universidade Católica Portuguesa 21 março 2016 AICEP Macau jc 1 Regulação

Leia mais

1

1 1 Desde 1967, que mantemos na ilha da Madeira e do Porto Santo, a confiança e a satisfação dos nossos clientes. No início, as instalações de infra-estruturas eléctricas assim como dos equipamentos eléctricos

Leia mais

Desemprego da Construção em máximo histórico

Desemprego da Construção em máximo histórico Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 62 Agosto

Leia mais

Listagem de Campos de Dados a integrar na Base de Dados Pessoais de Membros da Ordem dos Arquitectos

Listagem de Campos de Dados a integrar na Base de Dados Pessoais de Membros da Ordem dos Arquitectos opções de resposta pré-formatadas 1.º nível 2.º nível QUADRO 1 Identificação nome completo nome profissional nome próprio apelido foto sexo masculino feminino data de nascimento nacionalidade lista fechada

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE Museu do Douro PESO DA RÉGUA, 6 de setembro de 2016 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial Estratégico GRANDES

Leia mais

1. A CMVM O QUE É A CMVM?

1. A CMVM O QUE É A CMVM? 1.. A CMVM 1. A CMVM O QUE É A CMVM? A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários - também conhecida pelas iniciais CMVM - foi criada em Abril de 1991 com a missão de supervisionar e regular os mercados

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL www.jcsexpress.com QUEM SOMOS A JCS Express Logística & Distribuição nasceu da experiência de um profissional que gerenciou grandes empresas e atuou no segmento de distribuição

Leia mais

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016 PREÇOS DO LEITE À PRODUÇÃO - Preços Médios Mensais PRODUTO (Leite de vaca cru com teores reais de matérias gordas e proteínas) Newsletter Informação Mensal - MARÇO dezembro As Newsletter do SIMA podem

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Depósitos à Ordem Particulares Clientes Particulares, maiores de 18 anos Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada através

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da Cofidis, contém

Leia mais

Apresentação da Companhia

Apresentação da Companhia Apresentação da Companhia Janeiro 2006 www.cyrela.com.br Aviso - Informações e Projeções O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos

Leia mais

Serviços Postais: Serviço Postal Universal Liberalização. Privatização. Concessão

Serviços Postais: Serviço Postal Universal Liberalização. Privatização. Concessão 1 2 Liberalização: Evolução do setor 3 Privatização: Caso CTT 4 Concessão: Impacto 2 1. Serviços Postais Instrumento essencial de comunicação e intercâmbio de informações Serviços de Interesse Económico

Leia mais

Poupança e Investimento

Poupança e Investimento Poupança e Investimento Fernando Alexandre Ordem dos Economistas, Lisboa 19 de abril 2017 Poupança e Financiamento da Economia Portuguesa 1. A importância da poupança 2. Desequilíbrios e estagnação: uma

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Implementação da Televisão Digital Terrestre em Portugal. Lisboa, 16 de Abril de 2009

Implementação da Televisão Digital Terrestre em Portugal. Lisboa, 16 de Abril de 2009 Implementação da Televisão Digital Terrestre em Portugal Lisboa, 16 de Abril de 2009 Índice Implementação da TDT Iniciativas para a divulgação da TDT 2 Portugal encontra-se no grupo dos países que deverão

Leia mais

pedido de portabilidade e denúncia do contrato

pedido de portabilidade e denúncia do contrato pedido de portabilidade e denúncia do contrato ORIGINAL (tmn) 2. INFORMAÇÃO DE CONTACTO Morada Telemóvel contacto E-mail 3. DADOS DE PORTABILIDADE MÓVEL Para efeitos de portabilidade, procede-se à denúncia

Leia mais

http://www.anacom.pt/template15.jsp?categoryid=57929 ÍNDICE 1. SUMÁRIO... 1 2. OBJECTIVO...2 3. ENQUADRAMENTO REGULAMENTAR... 3 4. EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO CORREIO AZUL E CORREIO NORMAL... 5 4.1 METODOLOGIA...

Leia mais

InfoMais. Tenha uma visão mais completa de seus clientes.

InfoMais. Tenha uma visão mais completa de seus clientes. InfoMais Tenha uma visão mais completa de seus clientes. InfoMais. A solução da Serasa Experian que enriquece seu banco de dados Manter um bom relacionamento com seus clientes é a chave para gerar boas

Leia mais