Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde. Senhor Presidente da União das Misericórdias Portuguesas. Senhor Arcebispo Primaz de Braga

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde. Senhor Presidente da União das Misericórdias Portuguesas. Senhor Arcebispo Primaz de Braga"

Transcrição

1 Cerimónia de passagem da assinatura de Protocolos com Santas Casas da Misericórdia 31 de julho de 2015 Senhor Ministro da Saúde Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde Senhor Presidente da União das Misericórdias Portuguesas Senhor Arcebispo Primaz de Braga Senhor Presidente do INFARMED Senhor Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde e, em si, cumprimento igualmente todos os Senhores Provedores que subscreveram os Acordos há pouco assinados e outros aqui presentes Distintos dirigentes da saúde, Entidades civis, militares e militarizadas Minhas Senhoras e meus senhores A saúde dos portugueses deve muito às Misericórdias. Na maior parte do século XX, as Misericórdias asseguraram a prestação de cuidados hospitalares saúde a todos, mesmo aqueles mais 1

2 carenciados que não dispunham de suporte económico que lhes permitisse recorrer aos hospitais privados, e foram responsáveis pela construção e gestão do grosso da rede hospitalar portuguesa. Em 1974, o peso dos hospitais das Misericórdias na rede hospitalar era de tal forma elevado que quando o Governo de então decidiu criar uma rede hospitalar pública a nível nacional, não encontrou outra solução senão apropriar-se dos hospitais das Misericórdias, vindo a assumir a gestão de quase todos os seus hospitais. A partir de então, o papel das Misericórdias na prestação de cuidados de saúde aos portugueses mudou. As Santas Casas deixaram de ser a base da rede hospitalar portuguesa, mas continuaram a assumir um papel importante na prestação de cuidados de saúde, em complementaridade com o SNS. Para além de uma prestação de cuidados de saúde de cariz social, as Misericórdias foram estabelecendo parcerias com o Serviço Nacional de Saúde. As formas de cooperação com o SNS em geral, e com a ARS Norte em particular, foram evoluindo, mas existem desde o século passado, em alguns casos desde a década de 70. A ARS Norte tem vindo a manter Acordos de Cooperação com um grupo de hospitais das Misericórdias para a prestação de serviços na área de meios complementares de diagnóstico e terapêutica, consultas e cirurgias, com excelentes resultados. As parcerias com as Misericórdias têm também gerado excelentes 2

3 resultados ao nível da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, e na reabilitação como é o caso do Centro de Reabilitação do Norte. Em suma, as Misericórdias têm sempre estado associadas à prestação de cuidados de saúde na região Norte, mas o seu papel no sistema de saúde regional e a forma como se associam à prossecução do interesse público tem evoluído, e tem mesmo de evoluir. A publicação do Decreto-Lei 138/2013, de 9 de outubro, veio formalizar tal evolução. Como se lê no seu preambulo, este diploma estabelece um modelo de partilha mais efetiva de responsabilidades entre os vários intervenientes, alicerçada na definição e implementação de regras claras, e procedimentos de controlo eficazes, que garantam o acesso, em tempo útil, dos utentes do SNS aos cuidados de saúde clinicamente adequados, com qualidade e segurança. O Decreto-Lei 138/2013 veio introduzir alterações ao modelo de regulação das formas de articulação entre as IPSS e os serviços e estabelecimentos do SNS, pelo que a sua entrada em vigor criou a necessidade de rever e adaptar os acordos de cooperação existentes aos termos previstos em tal decreto-lei. Por outro lado, a evolução tecnológica, o envelhecimento da população e outros movimentos demográficos, as alterações do perfil epidemiológico da população, e as mudanças na oferta de serviços do SNS, geram alterações nas necessidades de prestação 3

4 de cuidados de saúde que têm necessariamente de se refletir no conteúdo das parcerias entre as Misericórdias e a ARS Norte. Os Acordos que hoje celebramos resultam da conjugação destas duas necessidades: a necessidade formal de adaptar os acordos existentes aos termos do Decreto-Lei 138/2013; e a necessidade substantiva de prestar melhores cuidados de saúde aos cidadãos da região Norte, mais ajustados às suas reais necessidades. Neste último domínio, os novos acordos introduzem alterações importantes. Em primeiro lugar, estes oito hospitais passam a integrar o Serviço Nacional de Saúde: são hospitais do SNS como os hospitais públicos, o que implica que a realização das prestações de saúde ocorrerá com respeito das regras aplicáveis aos restantes estabelecimentos do SNS. Significa isto que no âmbito da atividade contratualizada pela ARS, os utentes não pagarão qualquer montante para além da taxa moderadora. Nem mais um euro, nem mesmo nos Serviços de Atendimento Permanente. Fica assim assegurado o princípio constitucional de universalidade de acesso. Em segundo lugar, adota-se um modelo de financiamento idêntico ao dos hospitais públicos, incluindo o pagamento de incentivos se forem atingidos determinados objetivos de acessibilidade e de qualidade do serviço. Introduz-se assim um mecanismo adicional de garantia de acesso e qualidade na prestação, que certamente se traduzirá em aumentos de bemestar dos utentes. 4

5 Em terceiro lugar, alarga-se o leque de serviços prestados pelos hospitais das Misericórdias aos utentes do SNS. Em 2016, os utentes do SNS vão beneficiar de 91 mil Consultas Externas, nas especialidades de Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Cirurgia Vascular, Dermatologia, Gastrenterologia, Ginecologia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrino e Urologia; vão beneficiar de Cirurgias (convencionais e em regime de ambulatório), nas especialidades de Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Cirurgia Vascular, Dermatologia, Ginecologia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrino e Urologia; vão beneficiar de um vasto leque de Meios complementares de diagnóstico e terapêutica; e em alguns casos vão beneficiar de Serviços de Atendimento Permanente, em horário complementar às consultas abertas dos centros de saúde. O impacto destes serviços na saúde dos cidadãos da região Norte será certamente significativo. Por isso, hoje é um dia importante para a região. E neste momento marcante, gostaria de reconhecer e agradecer a todos que contribuíram para que este acordo fosse possível: à União das Misericórdias Portuguesas, na pessoa do Dr. Manuel Lemos, e da sua equipa negocial (Dr. Humberto Carneiro, Dr. Salazar Coimbra e Dr. Paulo Coelho); às Senhoras e Senhores Provedores das oito Santas Casas da Misericórdia; e a toda equipa da ARS Norte, aqui representados pelo meu colega do Conselho Diretivo, Dr. José Carlos Pedro, e pela Dra. Sofia Vaz. Senhor Ministro da Saúde 5

6 Minhas Senhoras e meus Senhores Na região Norte, a maior parte das primeiras consultas de especialidade, solicitadas pelos cuidados de saúde primários através do Sistema de Consulta a Tempo e Horas, tiveram lugar no tempo recomendado para o nível de prioridade atribuído. Diminuímos drasticamente os tempos de espera em cirurgia (nas diferentes áreas) e em consultas seguintes de especialidade. Para ambos os resultados, foram fundamentais os acordos de cooperação com as Misericórdias atualmente existentes. Foi por essa razão que o Conselho Diretivo da ARS Norte decidiu renovar e alargar o investimento nestes Acordos de Cooperação. Em 2016 vamos investir cerca de 25 milhões de euros nestes oito Acordos para assegurar maior acessibilidade aos cuidados de saúde para a população da região Norte. É um esforço significativo, mas é um esforço que vale a pena, como penso que resulta claro do que referi antes. É também a demonstração que mesmo em época de rigor orçamental, é possível, com vontade, trabalho, e alguma imaginação e criatividade, reorganizar os recursos disponíveis em benefício dos utentes do SNS. E, finalmente, é também, Senhor Ministro, uma demonstração da aposta do Ministério que V. Exa. lidera no reforço da acessibilidade dos cidadãos portugueses a cuidados de saúde. 6

7 Muito Obrigado 7

Hospital de Proximidade de Amarante

Hospital de Proximidade de Amarante Hospital de Proximidade de Amarante Novo Hospital de Amarante: Saúde de Proximidade A funcionar desde Dezembro do ano passado, e dotado das mais avançadas tecnologias, o novo Hospital de Amarante é a concretização

Leia mais

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Os Ministérios das Finanças, da Economia e da Saúde, e a Indústria Farmacêutica, por intermédio

Leia mais

PROJECTO INTEGRADO SOCIAL E SAÚDE DE SESIMBRA

PROJECTO INTEGRADO SOCIAL E SAÚDE DE SESIMBRA PROJECTO INTEGRADO SOCIAL E SAÚDE DE SESIMBRA PRESSUPOSTOS 1. INFRA-ESTRUTURAS E EQUIPAMENTOS Lares sem Condições. Edifício Deteriorado sem utilização. Centro de Dia e ATL sem condições. Inexistência de

Leia mais

Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso

Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso A EXPERIÊNCIA DA CLÍNICA SAGRADA ESPERANÇA, LDA. POR ESMAEL TOMÁS, MD Clínica Sagrada Esperança, Luanda, Angola, Sumário 1- Introdução

Leia mais

Identificação da empresa. Missão. Objetivos. Políticas da Empresa. Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E.

Identificação da empresa. Missão. Objetivos. Políticas da Empresa. Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E. Identificação da empresa Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E. Missão O Hospital da Senhora da Oliveira tem como missão prestar os melhores cuidados de saúde, com elevados níveis de competência,

Leia mais

SNS Recursos Humanos. Dados de junho de Recursos Humanos do SNS por Região. Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros.

SNS Recursos Humanos. Dados de junho de Recursos Humanos do SNS por Região. Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros. Recursos Humanos do SNS por Região Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros 40 740 9 941 13 450 23 894 5 118 8 171 Serviços Centrais 62 42 140 Serviços Centrais 3.528 9 414 13 466 200 Médicos

Leia mais

Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório

Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório Com a criação do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV), em Dezembro de 2010, os hospitais de Aveiro, Estarreja e Águeda passaram

Leia mais

Novo Hospital de Proximidade de Lamego

Novo Hospital de Proximidade de Lamego Novo Hospital de Proximidade de Lamego 1 CONCEITO O hospital de proximidade é um conceito inovador, em desenvolvimento na Europa, cujo objectivo é aproximar a prestação de cuidados de saúde diferenciados

Leia mais

CONFERÊNCIA O VALOR ECONÓMICO DA SAÚDE. Centro de Congressos de Lisboa, 12 de outubro de Sessão de Abertura. António Saraiva, Presidente da CIP

CONFERÊNCIA O VALOR ECONÓMICO DA SAÚDE. Centro de Congressos de Lisboa, 12 de outubro de Sessão de Abertura. António Saraiva, Presidente da CIP CONFERÊNCIA O VALOR ECONÓMICO DA SAÚDE Centro de Congressos de Lisboa, 12 de outubro de 2016 Sessão de Abertura António Saraiva, Presidente da CIP Senhor Ministro da Saúde, Professor Adalberto Campos Fernandes,

Leia mais

Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA

Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA Ministério da Saúde Ministro da Saúde Luís Filipe Pereira Apresentação dos Resultados dos Hospitais SA Centro Cultural de Belém,

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil: A implementação e a sustentabilidade

Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil: A implementação e a sustentabilidade Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil: A implementação e a sustentabilidade Bárbara Menezes Coordenadora do Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil Divisão de Saúde Sexual,Reprodutiva, Infantil

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 368/XIII/1.ª POUPAR NO FINANCIAMENTO A PRIVADOS PARA INVESTIR NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 368/XIII/1.ª POUPAR NO FINANCIAMENTO A PRIVADOS PARA INVESTIR NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE b Grupo Parlamentar PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 368/XIII/1.ª POUPAR NO FINANCIAMENTO A PRIVADOS PARA INVESTIR NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE Nos últimos anos o Serviço Nacional de Saúde perdeu orçamento e profissionais;

Leia mais

Direito. Lições. Professora Catedrática da Faculdade de Direito de Lisboa e da Faculdade de Direito da Univ. Católica Portuguesa

Direito. Lições. Professora Catedrática da Faculdade de Direito de Lisboa e da Faculdade de Direito da Univ. Católica Portuguesa MARIA JOÃO ESTORNINHO Professora Catedrática da Faculdade de Direito de Lisboa e da Faculdade de Direito da Univ. Católica Portuguesa TIAGO MACIEIRINHA Assistente da Escola de Lisboa da Faculdade de Direito

Leia mais

RNCCI ANÁLISE SWOT. Análise SWOT da RNCCI

RNCCI ANÁLISE SWOT. Análise SWOT da RNCCI Análise SWOT da RNCCI PONTOS FORTES Convergência de esforços entre a Saúde e Segurança Social, no sentido da implementação de um modelo de intervenção multisectorial (integração da RNCCI no SNS e SS);

Leia mais

Apresentação do Orçamento do SNS

Apresentação do Orçamento do SNS Apresentação do Orçamento do SNS 2010 ÍNDICE 1. Evolução da Dotação Inicial do SNS 2. Execução Económico-Financeira do SNS (2008 a 2010 - Estimativa) - Apresentação Tradicional 3. Execução Económico-Financeira

Leia mais

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana Região Centro Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica Cuidados de Saúde Primários ACeS Dão Lafões Unidade de Saúde Familiar Lusitana Unidade de Saúde Familiar Viseu Cidade Unidade de

Leia mais

Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro

Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro Administração Regional de Saúde do Centro, I.P. www.arscentro.min-saude.pt I. ENQUADRAMENTO MISSÃO: Garantir à população o acesso à prestação

Leia mais

Gestão do SUS nos Municípios

Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS Como o Município participa do SUS? - Atenção básica/primária Atenção integral à saúde - Média complexidade - Alta complexidade Atenção Básica A Atenção Básica

Leia mais

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5)

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5) PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5) A duração desta prova é de 30 minutos MATERIAL O material desta prova é constituído por este caderno de questões e pela folha de respostas para

Leia mais

LEGISLAÇÃO E ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR

LEGISLAÇÃO E ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR 1º Regulamento do Hospital de Todos os Santos 19/1/1504 Autonomia Administrativa Superintendência por um provedor Participação dos representantes dos ofícios Casa dos 23 Associação ao ensino e investigação

Leia mais

AS TAXAS E AS CONTRIBUIÇÕES NA LEI OE/2016 (Lei nº 7-A/2016, de 30 de Março) S U ZA N A TAVA R ES DA S I LVA ESCRITOS BREVES.1 www.cedipre.fd.uc.pt/observatorio ESCRITOS BREVES 1 AS TAXAS E AS CONTRIBUIÇÕES

Leia mais

Protocolo de Cooperação entre o Ministério da Saúde e a. União das Misericórdias Portuguesas

Protocolo de Cooperação entre o Ministério da Saúde e a. União das Misericórdias Portuguesas Protocolo de Cooperação entre o Ministério da Saúde e a União das Misericórdias Portuguesas O Ministério da Saúde, representado pela Ministra da Saúde e a União das Misericórdias Portuguesas representada

Leia mais

Rede de Referenciação Hospital de Braga

Rede de Referenciação Hospital de Braga Rede de Referenciação Hospital de Braga ÍNDICE: 1. Contrato de Gestão de Parceria Público Privada 2. Enquadramento assistencial 3. Área de influência 4. Área de influência por Áreas Assistenciais 4.1.

Leia mais

PROJETO DO NOVO HOSPITAL DE LISBOA ORIENTAL - HLO. Apresentação das linhas gerais do projeto. 1 de agosto de 2017

PROJETO DO NOVO HOSPITAL DE LISBOA ORIENTAL - HLO. Apresentação das linhas gerais do projeto. 1 de agosto de 2017 PROJETO DO NOVO HOSPITAL DE LISBOA ORIENTAL - HLO Apresentação das linhas gerais do projeto. 1 de agosto de 2017 1 PROJETO DO NOVO HOSPITAL DE LISBOA ORIENTAL - HLO A preparação do processo relativo ao

Leia mais

Os desafios da oncologia: a sociedade, o sistema, o doente. Gabriela Sousa Oncologia Médica IPO Coimbra

Os desafios da oncologia: a sociedade, o sistema, o doente. Gabriela Sousa Oncologia Médica IPO Coimbra Os desafios da oncologia: a sociedade, o sistema, o doente Gabriela Sousa Oncologia Médica IPO Coimbra Na União Europeia, e tendo como base apenas o envelhecimento da população, é previsto um aumento dos

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1021/XII/4ª

PROJETO DE LEI N.º 1021/XII/4ª PROJETO DE LEI N.º 1021/XII/4ª Procede à sétima alteração ao Decreto-Lei n.º 113/2011, de 29 de Novembro, através da aplicação do pagamento de taxas moderadoras na interrupção de gravidez, quando realizada

Leia mais

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA)

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) PISO 0 CASA MORTUÁRIA SERVIÇOS GERAIS (ESPÓLIO) 30037 GABINETE 914208510 31501 SECRETARIADO 255714434 GABINETE MÉDICO LEGAL 30023

Leia mais

Critérios de Mérito. Critério Sub critério Descrição e regras de avaliação Pontuação CRITÉRIOS QUALITATIVOS

Critérios de Mérito. Critério Sub critério Descrição e regras de avaliação Pontuação CRITÉRIOS QUALITATIVOS Critérios de Selecção A fim de assegurar um nível mínimo de qualidade das candidaturas, os candidatos seleccionados têm de pontuar pelo menos 30 pontos nos critérios qualitativos, sob pena de exclusão.

Leia mais

Colégio de Radiologia

Colégio de Radiologia Colégio de Radiologia Inquérito para atribuição de idoneidade e capacidade formativa aos serviços Assinale com (x) ou preencha as quadrículas, quando for caso disso. Escreva com letras maiúsculas. Se necessitar,

Leia mais

Orçamento do Estado 2016

Orçamento do Estado 2016 Orçamento do Estado 2016 Programa Orçamental da Saúde 25 de fevereiro de 2016 1 1. Orçamento do Estado 2016 2 ORÇAMENTO DO ESTADO 2016 RESPONSÁVEL CONSTITUCIONAL VALORIZA OS PROFISSIONAIS PROMOVE A EQUIDADE

Leia mais

9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica. Lisboa, 9 de dezembro de 2015

9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica. Lisboa, 9 de dezembro de 2015 9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica Lisboa, 9 de dezembro de 2015 Intervenção do Senhor Ministro do Planeamento e Infraestruturas Pedro Marques Exmo. Senhor Presidente em exercício

Leia mais

Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental

Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental Porto, 29 de setembro de 2015 Exmºs Senhores Ministro da Saúde Caros Colegas do Conselho

Leia mais

Acesso à inovação terapêutica. Política coerente ou maratona de obstáculos? Tânia Furtado

Acesso à inovação terapêutica. Política coerente ou maratona de obstáculos? Tânia Furtado Acesso à inovação terapêutica. Política coerente ou maratona de obstáculos? Tânia Furtado III Conferência VIH Portugal, Auditório Tomé Pires - INFARMED Lisboa, 22 de Novembro 2013 Agenda 1. Investimento

Leia mais

PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004

PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004 PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, e Considerando a Portaria 1.169/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA Exposição de motivos A sociedade moderna tem por obrigação fornecer os instrumentos

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A QUALIDADE NA SAÚDE 3ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA DE PROGRESSO

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A QUALIDADE NA SAÚDE 3ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA DE PROGRESSO ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A QUALIDADE NA SAÚDE 3ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA DE PROGRESSO CUIDADOS DE SAÚDE TRANSFRONTEIRIÇOS Direção Geral da Saúde Julho de 2012 Áreas de intervenção ASSISTÊNCIA MÉDICA ESPECIALIZADA

Leia mais

Programa da Qualidade Política Geral

Programa da Qualidade Política Geral O Hospital Pulido Valente definiu como MISSÂO: Programa da Qualidade Política Geral 1. O Hospital é o estabelecimento de referência para a população envolvente, para as especialidades de que dispõe, desenvolvendo

Leia mais

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52-A/2015, de 23 de julho, o Governo criou a estrutura de missão designada por Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro

Leia mais

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental INTERVENÇÃO DO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Dr. Isaltino Afonso Morais Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa

Leia mais

Associação Médica de Assistência I ntegrada

Associação Médica de Assistência I ntegrada Circular aos Associados (Convênio BACEN) 39/10 Comunicamos aos associados que a partir de 15 de abril de 2010 as guias de atendimento, relativas às consultas e visitas hospitalares deverão ser preenchidas

Leia mais

Art. 29. Caberá à SAS/MS decidir acerca da solicitação de qualificação, mediante avaliação técnica da documentação listada no art. 28.

Art. 29. Caberá à SAS/MS decidir acerca da solicitação de qualificação, mediante avaliação técnica da documentação listada no art. 28. PORTARIA MS/GM - Nº 1.010, DE 21 DE MAIO DE 2012 Redefine as diretrizes para a implantação do Serviço de Atendimento Móvel de (SAMU 192) e sua Central de Regulação das s, componente da Rede de Atenção

Leia mais

CANDIDATO A PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE

CANDIDATO A PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE Belo Horizonte, 08 de setembro de 2016. AO CANDIDATO A PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE Prezado senhor, Na oportunidade de sua visita à Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, instituição

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a. Associação Nacional das Farmácias

Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a. Associação Nacional das Farmácias Acordo entre os Ministérios das Finanças e da Saúde e a Associação Nacional das Farmácias O Estado Português, aqui representado pelos Ministros das Finanças e da Saúde e a Associação Nacional das Farmácias,

Leia mais

MOVIMENTO GERAL DO HOSPITAL

MOVIMENTO GERAL DO HOSPITAL MOVIMENTO GERAL DO HOSPITAL SERVIÇOS OFERECIDOS PELO HOSPITAL OBJETIVO: Oferecer aos nossos clientes, pacientes, profissionais, médicos, enfermagem, técnicos e administrativos, dentro do possível, um hospital

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 CONVOCAÇÃO PARA ESCOLHA DE VAGAS, REALIZAÇÃO DE MATRÍCULAS OU INSCRIÇÃO NA FILA DE ESPERA

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 CONVOCAÇÃO PARA ESCOLHA DE VAGAS, REALIZAÇÃO DE MATRÍCULAS OU INSCRIÇÃO NA FILA DE ESPERA PROCESSO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, Complexo Hospitalar Ouro Verde e Maternidade de Campinas CONVOCAÇÃO PARA ESCOLHA DE VAGAS, REALIZAÇÃO DE MATRÍCULAS OU

Leia mais

Fundo Florestal Permanente

Fundo Florestal Permanente Fundo Florestal Permanente Encontro Nacional Zonas de Intervenção Florestal Centro de Interpretação da Serra da Estrela Seia 30 de abril de 2013 Enquadramento legal e objetivos Sumário Mecanismos de financiamento

Leia mais

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho 2015 www.acss.min-saude.pt Monitorização do Serviço Nacional de Saúde http://benchmarking.acss.min-saude.pt/benchmarking.aspx 2 Monitorização

Leia mais

Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara e Serviços Municipalizados

Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara e Serviços Municipalizados BOLETIM CCD Setembro de 2011 Número 18 ma ia ccd. wordpress. com Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara e Serviços Municipalizados Hospitalcuf Porto e Institutocuf estabelecem parceria

Leia mais

Sustentabilidade do Sistema de Saúde Garantir o futuro. Pedro Pita Barros Universidade Nova de Lisboa

Sustentabilidade do Sistema de Saúde Garantir o futuro. Pedro Pita Barros Universidade Nova de Lisboa Sustentabilidade do Sistema de Saúde Garantir o futuro Pedro Pita Barros Universidade Nova de Lisboa Sustentabilidade voltou a ser um tema da moda Mas cada um usa o entendimento que acha apropriado Não

Leia mais

Regulação e Contratualização

Regulação e Contratualização Regulação e Contratualização Data: 3/1/2005 Autor: Ana Cristina Portugal, Ana Paula Pereira, Dídia Eusébio, Eduardo Carlos Noronha, Margarida Baltazar (mbaltazar@alunos.ensp.unl.pt) Num cenário de mudança,

Leia mais

Quadro legal sobre proteção radiológica aplicado à saúde

Quadro legal sobre proteção radiológica aplicado à saúde Quadro legal sobre proteção radiológica aplicado à saúde A perspetiva de um operador privado Lisboa, setembro de 2013 João Rebelo Com a colaboração de Joana Pita Índice O regime jurídico do licenciamento

Leia mais

PARA: Hospitais do SNS. ASSUNTO: Plano de Intervenção em Cirurgia

PARA: Hospitais do SNS. ASSUNTO: Plano de Intervenção em Cirurgia CIRCULAR NORMATIVA Nº 11/2015/DPS_UCGIC/ACSS DATA: 21-07-2015 PARA: Hospitais do SNS ASSUNTO: Plano de Intervenção em Cirurgia A evolução das necessidades em saúde da população que se têm registado nos

Leia mais

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS FEDERAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS O Acordo e as medidas nele inseridas O longo processo negocial desenvolvido pelas duas organizações sindicais médicas visou materializar aspectos fundamentais para a salvaguarda

Leia mais

Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos)

Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos) Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos) 17 de Abril de 2015 1 Sumário 1. Caracterização 2. Instalações 3. Pontos Fortes e Fracos 4. Indicadores 2 1. Caracterização: abrangência Atendimento: a) Primeira

Leia mais

Economia da Saúde. Pedro Pita Barros

Economia da Saúde. Pedro Pita Barros Economia da Saúde Pedro Pita Barros Economia da saúde é um tema demasiado amplo Vamos tratar apenas de um aspecto importante, mas apenas um: Sustentabilidade financeira do Serviço Nacional de Saúde O que

Leia mais

Parceria para a expansão do mercado dos cuidados médicos e turismo de saúde

Parceria para a expansão do mercado dos cuidados médicos e turismo de saúde Parceria para a expansão do mercado dos cuidados médicos e turismo de saúde 1 Antecedentes e Enquadramento 2 Análise swot 3 Visão Estratégica 4 A Parceria, o Projeto e a Ambição 8 de maio de 2012 1 Antecedentes

Leia mais

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE 1ª CONSULTA EFECTUADOS NO ANO 2014, POR REFERENCIAÇÃO EXTERNA

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE 1ª CONSULTA EFECTUADOS NO ANO 2014, POR REFERENCIAÇÃO EXTERNA LEC - Ano 2014 18 de Março de 2014 ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE 1ª CONSULTA EFECTUADOS NO ANO 2014, POR REFERENCIAÇÃO EXTERNA 18-03-2015 IPOLFG ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE 1ª CONSULTA EFECTUADOS

Leia mais

Novo Regime Jurídico do Internato Médico Decreto-Lei nº 86/2015. Novo Regulamento do Internato Médico Portaria n.º 224-B/2016

Novo Regime Jurídico do Internato Médico Decreto-Lei nº 86/2015. Novo Regulamento do Internato Médico Portaria n.º 224-B/2016 Novo Regime Jurídico do Internato Médico Decreto-Lei nº 86/2015 Novo do Internato Médico Portaria n.º 224-B/2016 ENQUADRAMENTO LEGAL Anterior REGIME JURÍDICO: Decreto-Lei n.º 203/2004 Alterado pelos: Decreto-Lei

Leia mais

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR:

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE FUTURO PAULA SANTANA HELENA PEIXOTO 27º Encontro Nacional de Clínica Geral, Vilamoura, Março de 2010 Objectivos do Estudo

Leia mais

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete na Cimeira de Chefes de Estado e de Governo para a adoção da Agenda do Desenvolvimento Pós-2015 MOD07 PR07/V02 Senhor

Leia mais

Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de Novembro. (Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios)

Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de Novembro. (Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios) Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de Novembro. (Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios) PROCESSO LEGISLATIVO ACTUAL Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de Novembro: (Regime Jurídico de SCIE).

Leia mais

Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo. Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto

Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo. Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto Caro Paulo Lopes Lourenço, Consul Geral de Portugal em São Paulo Estimado Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto Caros empresários e empreendedores aqui presentes, Minhas senhoras e meus

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Colaborar na elaboração do Plano Nacional de Saúde e acompanhar a respetiva execução a nível regional.

CARTA DE MISSÃO. Colaborar na elaboração do Plano Nacional de Saúde e acompanhar a respetiva execução a nível regional. CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo Cargo: Vogal do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: Período de 5 anos a contar

Leia mais

Jornadas de Cuidados Continuados Integrados

Jornadas de Cuidados Continuados Integrados WWW.ACSS.MIN-SAUDE.PT 2 May 2016 Jornadas de Cuidados Continuados Integrados Para onde caminhamos? Rede de cuidados continuados como estrutura nacional: evolução, atualidade, futuro e Sustentabilidade

Leia mais

13:00-14:00 almoço. Protocolo de rastreio Manuel Sousa. Ligação entre os Cuidados de Saúde Primários e o Hospital Marta Tavares Sara Conde

13:00-14:00 almoço. Protocolo de rastreio Manuel Sousa. Ligação entre os Cuidados de Saúde Primários e o Hospital Marta Tavares Sara Conde 08:00-20:00 Abertura do secretariado 08:45-09:00 Boas vindas António Moreira Pinto Céu Amorim 09:00-10:30 Cancro da mama Moderadores: Fernanda Fernandes Enrique Dias Pedro Oliveira Protocolo de rastreio

Leia mais

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA REPÚBLICA DE ANGOLA ----*---- PROVEDORIA DE JUSTIÇA RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA LUANDA, AGOSTO DE 2013

Leia mais

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras

O acesso à água e saneamento como direito humano. O papel das entidades gestoras O acesso à água e saneamento como direito humano O papel das entidades gestoras Álvaro Carvalho, David Alves Departamento de Estudos e Projetos da ERSAR ENEG 2013 Coimbra, 4 de dezembro de 2013 O acesso

Leia mais

Mapa de Vagas IM-2009 B

Mapa de Vagas IM-2009 B Mapa de IM-2009 B colocação Centro Hospitalar do Porto, EPE colocação Hospital de São João, EPE - Porto colocação Anatomia Patológica Anestesiologia Cardiologia Hospitais da Universidade de Coimbra, EPE

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª SIMPLIFICA E PREVINE EVENTUAIS FRAUDES NA ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO SOCIAL DE MOBILIDADE ATRIBUÍDO A RESIDENTES NAS REGIÕES AUTÓNOMAS (Primeira alteração

Leia mais

Programa de Financiamento dos Investimentos na Qualificação. das Unidades de Cirurgia de Ambulatório do SNS. Relatório de Acompanhamento

Programa de Financiamento dos Investimentos na Qualificação. das Unidades de Cirurgia de Ambulatório do SNS. Relatório de Acompanhamento Programa de Financiamento dos Investimentos na Qualificação das Unidades de Cirurgia de Ambulatório do SNS Junho 2010 I. Projectos objecto de financiamento No âmbito do Programa de Financiamento dos Investimentos

Leia mais

SAÚDE Diagnóstico Social do Concelho de Cadaval

SAÚDE Diagnóstico Social do Concelho de Cadaval SAÚDE 54 A nível de equipamentos de saúde no concelho existem, um Centro de Saúde, uma Delegação de Saúde Pública e seis Extensões do Centro de Saúde, distribuídas pelas freguesias de Cadaval, Figueiros,

Leia mais

1. Seja bem-vindo! 3. Plano de Saúde SAÚDEGLOBAL PREMIUM. 5. Rede Médica SAÚDEGLOBAL 6. Como utilizar os Serviços associados a Planos de Saúde

1. Seja bem-vindo! 3. Plano de Saúde SAÚDEGLOBAL PREMIUM. 5. Rede Médica SAÚDEGLOBAL 6. Como utilizar os Serviços associados a Planos de Saúde ÍNDICE 1. Seja bem-vindo! 2. Planos de Saúde SAÚDEGLOBAL 3. Plano de Saúde SAÚDEGLOBAL PREMIUM 4. Características do Plano de Saúde SAÚDEGLOBAL 5. Rede Médica SAÚDEGLOBAL 6. Como utilizar os Serviços associados

Leia mais

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG)

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) Nacional Percentagem de e de realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) ARS Norte 70% 93% ARS Centro 76% 90% ARS Lisboa e Vale do Tejo 75% 86% ARS Alentejo 72% 89% ARS Algarve 67% 65%

Leia mais

Rui Alexandre Ramos Silva Adjunto de Relações Publicas

Rui Alexandre Ramos Silva Adjunto de Relações Publicas Estimado camarada, O Decreto-Lei n.º 84/2014, de 27 de maio, veio proceder à criação do Hospital das Forças Armadas (HFAR), como um estabelecimento hospitalar militar único, na dependência do Chefe do

Leia mais

Caso não consiga visualizar a newsletter clique aqui.

Caso não consiga visualizar a newsletter clique aqui. Caso não consiga visualizar a newsletter clique aqui. O Programa de Emergência Social (PES) vai ter um reforço de 251 milhões de euros, passando dos atuais cerca de 600 milhões de euros anuais para 851

Leia mais

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012 Circular 365/2012 São Paulo, 14 de setembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira,

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS,

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

Exmos. Senhores Presidentes das Câmaras Municipais e demais autarcas de. Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Benavente e Vila Franca de Xira

Exmos. Senhores Presidentes das Câmaras Municipais e demais autarcas de. Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Benavente e Vila Franca de Xira Inauguração do Hospital Vila Franca de Xira 22 de Maio de 2013 Exmo. Sr. Ministro da Saúde Exmo. Sr. Secretário Adjunto do Ministro da Saúde Exmo. Sr. Secretário de Estado da Saúde Exmos. Senhores Presidentes

Leia mais

A Farmácia no Sistema de Saúde

A Farmácia no Sistema de Saúde A Farmácia no Sistema de Saúde João Silveira 24 de Abril de 2008 A Farmácia O Farmacêutico O Medicamento O Doente Farmacêuticos - Competências 1. I&D, fabrico, qualidade, registo, distribuição e dispensa

Leia mais

Jornadas Enfermagem no ambulatório: o futuro

Jornadas Enfermagem no ambulatório: o futuro Jornadas Enfermagem no ambulatório: o futuro 14 e 15 de Março de 2013 (PROGRAMA PROVISÓRIO) 14 de Março de 2013 8h30m Abertura do Secretariado 9h Comunicações Livres (1 hora) Moderadora: Eulália Sousa

Leia mais

Portaria n.º 1098/2008

Portaria n.º 1098/2008 Portaria n.º 1098/2008 (Com as alterações introduzidas pela Portaria n.º 1254/2009 e pela Portaria n.º 479/2010) SUMÁRIO Aprova as taxas relativas a actos e serviços prestados no âmbito da propriedade

Leia mais

A crise e a saúde em Portugal

A crise e a saúde em Portugal A crise e a saúde em Portugal Jorge Simões Lisboa, 29 de Novembro de 2013 1 Agenda 1. Contexto político, demográfico e económico 2. Política de saúde recente 3. Desempenho do sistema 2 Agenda 1. Contexto

Leia mais

SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL]

SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL] 2017 SEAS Secretário de Estado Adjunto e da Saúde Prof. Doutor Fernando Araújo [DISCURSO SESSÃO SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL] Secretário de Estado Adjunto e da Saúde (20 março, Lisboa) (vocativos) Minhas

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 Legislação Aplicável Esta Audiência Pública está sendo realizada nos termos do ART. 39 da Lei 8.666/1993. Lei nº 11.079, de 30 de Dezembro de 2004 Lei de Parcerias

Leia mais

INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social

INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016 1 - INTRODUÇÃO Ao longo de dezoito anos, um grupo de voluntários determinados, tem levado adiante,

Leia mais

Projecto de Lei n.º 620/X

Projecto de Lei n.º 620/X Grupo Parlamentar Projecto de Lei n.º 620/X Altera as Regras da Atribuição do Subsídio de Desemprego, introduzindo uma maior justiça social A crise económica e financeira mundial tem vindo a gerar recessão

Leia mais

Orientações Programáticas

Orientações Programáticas Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e Resistências aos Antimicrobianos Orientações Programáticas 1 - Enquadramento As infeções associadas aos cuidados de saúde dificultam o tratamento adequado

Leia mais

O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital

O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital Cirurgia do Ambulatório 15. 12. 2005 CIRURGIA DE AMBULATÓRIO 1 Organização. Manual de Boas práticas 1. Estrutura Organizacional

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE Conjunto de reformas institucionais do SUS. Pacto entre União, Estados e Municípios. Objetivo - promover inovações nos processos

Leia mais

Viver com Saúde vantagens e benefícios

Viver com Saúde vantagens e benefícios ÍNDICE 1. Seja bem-vindo! 2. Planos de Saúde MEDICARE 3. Plano de Saúde MEDICARE Platinium 4. Plano de Saúde MEDICARE Sénior 5. Características dos Planos de Saúde MEDICARE 6. Rede Médica MEDICARE 7. Como

Leia mais

As tarifas sociais dos serviços de águas e resíduos em Portugal Continental

As tarifas sociais dos serviços de águas e resíduos em Portugal Continental As tarifas sociais dos serviços de águas e resíduos em Portugal Continental David Alves Gisela Robalo Inês Gonçalves ENEG 2013 3 a 5 de dezembro, Coimbra Estrutura Introdução O setor das águas e resíduos

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL Considerando: Que o NERGA é uma Pessoa Coletiva de Utilidade Pública que, tem como objetivo

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO. Entre. a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO. Entre. a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência e o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. Ministério dos Negócios Estrangeiros para promover a consolidação

Leia mais

José Alberto Azeredo Lopes. Ministro da Defesa Nacional

José Alberto Azeredo Lopes. Ministro da Defesa Nacional José Alberto Azeredo Lopes Ministro da Defesa Nacional Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, por ocasião da cerimónia de condecoração do Almirante General D. Fernando

Leia mais

VIVER SEM LIMITE PLANO NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Direito à cidadania, à inclusão e à autonomia

VIVER SEM LIMITE PLANO NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Direito à cidadania, à inclusão e à autonomia 1 por o Brasil ter ratificado, em 2008, a Convenção sobre os Direitos VIVER SEM LIMITE PLANO NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Direito à cidadania, à inclusão e à autonomia Uma sociedade

Leia mais

Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada

Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada Internamento Hospitalar Francisco Sampaio Braga, 15 de outubro de 2016 Sampaio, F. (2016). Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada: Internamento

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 86/XI

PROJECTO DE LEI N.º 86/XI Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 86/XI Altera o Decreto-Lei n.º 173/2003, de 1 de Agosto, isentando do pagamento das taxas moderadoras os portadores de Doença Inflamatória do Intestino - DII (Colite

Leia mais