METODOLOGIA CIENTÍFICA. 9ª edição revista CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO ...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "METODOLOGIA CIENTÍFICA. 9ª edição revista CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO ..."

Transcrição

1 CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO METODOLOGIA... CIENTÍFICA CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÉMICOS 9ª edição revista UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2008

2 SUMÁRIO 0. INTRODUÇÃO 11 PARTE I - A INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA Capítulo um - Procedimentos metodológicos Características da investigação científica Processo de investigação científica Identificação do objecto Selecção das fontes Problematização e explicitação da hipótese Escolha do método Elaboração de um plano de trabalho Recolha e tratamento dos dados Apresentação das conclusões e redacção do trabalho Técnicas auxiliares 28 Capítulo dois - O estudo para a investigação Planificação do estudo Estratégias de leitura As fichas de trabalho Outras modalidades de estudo 38 Capítulo três - Fontes de informação A informação científico-técnica Tipologia das fontes de informação Serviços e sistemas de informação 55 PARTE II - A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Capítulo um - Tipos de produtos Trabalhos académicos Monografias 61 7

3 METODOLOGIA CIENTÍFICA 3. Artigos de periódicos Relatórios técnicos Conferências Seminários Recensões Repertórios bibliográficos «Curriculum vitae» 75 Capítulo dois - Apresentação de produtos impressos Redacção do trabalho Partes do texto Citações Notas Sumário Abreviaturas e siglas Apêndices e Anexos Índices Bibliografia Apresentação exterior 94 Capítulo três - Elaboração de referências biliográficas Referências bibiliográficas por tipo de documentos Monografias Partes ou capítulos de monografias Publicações em série Palavra ou artigo em léxico ou enciclopédia Dissertações, teses e outras provas académicas Recensões Actas de conferências, congressos, seminários Documentos legislativos e judiciais Documentos pontifícios e conciliares Documento de Arquivo Cartas, ofícios e circulares Documentos não publicados 107 8

4 SUMÁRIO Obras musicais Documentos não textuais Documentos sonoros Documentos audio-visuais Documentos gráficos Ficheiros informáticos Documentos tridimensionais Documentos electrónicos Referências bibliográficas: casos especiais Menção de responsabilidade Menção secundária de responsabilidade Título Menção de edição Dados de publicação Editor Ano de edição Descrição física Notas especiais Número Internacional Normalizado Correcção de anomalias Referência bibliográfica abreviada Obras normais Obras clássicas, patrísticas, escolásticas Índice dos exemplos de referências bibliográficas 121 PARTE III - FONTES DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIAS RELIGIOSAS 1. Generalidades Enciclopédias gerais Bibliografias gerais Teologia Generalidades 128 9

5 METODOLOGIA CIENTÍFICA Sagrada Escritura Magistério História da Teologia História da Igreja Teologia Moral Mariologia Ecumenismo Pastoral Liturgia Direito Canónico Espiritualidade Ciências Humanas, Artes e Letras Filosofia Ciências Sociais Arte e Arqueologia Léxicos 172 EPÍLOGO 175 BIBLIOGRAFIA

6 INTRODUÇÃO O. Introdução Este livro nasceu da leccionação da disciplina de Metodologia Científica na Universidade Católica Portuguesa (Porto) desde Destina-se especialmente aos alunos dos primeiros anos das Universidades. Quer fornecer o conhecimento e o domínio de regras metodológicas para preparar um trabalho como prova final de uma disciplina, para realizar um estudo mais racional e organizado, para munir os alunos de um conjunto de meios que permitam um aproveitamento contínuo do trabalho intelectual anterior, próprio ou de outros. Trata-se de um ensino de metodologia geral, isto é de princípios gerais válidos para qualquer ciência. A metodologia tem fundamentos teóricos enquanto se baseia em princípios provenientes do bom-senso, da experiência de muitos e em técnicas e métodos de validade científica comprovada. Mas é ao mesmo tempo eminentemente prática, enquanto técnica de orientação para atingir um fim preciso: o trabalho científico 1. Será na perspectiva essencialmente prática que se orientará este nosso contributo. Tentamos uma síntese de diferentes abordagens. Metodologia é etimologicamente a ciência em ordem a encontrar um caminho para, a arte de adoptar o caminho próprio para atingir um determinado fim. O programa previamente estabelecido para atingir determinado fim, de modo mais conveniente, é o método. Quanto mais houver correspondência entre a série de 1 Cf. BESSUTI, G. M. Note di metodologia. 3ª ed. Roma: Ed. Marianum, 1975, vol. 1, p

7 METODOLOGIA CIENTÍFICA acções a desenvolver e o fim desejado melhor será o método, que assim se poderá aplicar em casos análogos 2. Do que ficou dito já se depreende a importância da metodologia. Bastaria ver os resultados a que a ciência pode chegar quando procede racionalmente para nos convencermos do alcance de um bom método. O tempo que se poupa a tentar experiências, a esclarecer dúvidas, o evitar de erros e enganos, é deveras encorajador a adoptarmos um método anteriormente provado. Trata-se de uma ajuda à inteligência, que a facilita, simplificando e garantindo o processo de comunicar com clareza e verdade os resultados do esforço intelectual empreendido. Há procedimentos que têm uma validade indiscutível e devem ser adoptadas com rigor, como por exemplo não apresentar as ideias de outro como se fossem próprias. Outros são de tipo mais relativo e podem variar segundo a escolha pessoal ou de escola, por exemplo as modalidades concretas de citar. No entanto, depois de ter escolhido uma modalidade convém segui-la sistematicamente. Nós optamos pelo conjunto das normas portuguesas, nomeadamente a Norma 405, que pela primeira vez é aplicada a um número tão largo e concreto de casos. Começaremos, numa primeira parte, por caracterizar a investigação científica. Passaremos de seguida a descrever as várias fases do trabalho científico e os diferentes tipos de produtos. Na terceira parte apresentaremos as fontes de informação, especialmente aplicadas às ciências religiosas, embora campos específicos como a exegese bíblica, a história, a liturgia, o direito canónico, a pastoral, tenham as suas características próprias. 2 Cf. FARINA, Raffaello Metodologia: avviamento alla tecnica del lavoro scientifico. 2 ed. Roma: PAS, 1974, p. 27; BESSUTI Note, p

Identificar e avaliar criticamente uma variedade métodos de investigação utilizados pelos investigadores.

Identificar e avaliar criticamente uma variedade métodos de investigação utilizados pelos investigadores. METODOLOGIAS DE INVESTIGAÇÃO [25800] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Fornecer os conceitos teóricos inerentes ao conhecimento científico e, por outro lado, fornecer os instrumentos metodológicos essenciais

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 Sumário Introdução, 1 1 Como tomar o estudo e a aprendizagem mais eficazes, 5 1 Eficácia nos estudos, 5 2 Anotação, 8 2.1 Anotações corridas, 9 2.2 Anotações esquemáticas, 10 2.3 Anotações resumidas, 12

Leia mais

Ensino Superior: Exigências e Competências de. Novembro de Magda Pinheiro

Ensino Superior: Exigências e Competências de. Novembro de Magda Pinheiro Ensino Superior: Exigências e Competências de Aprendizagem Novembro de 2010 Magda Pinheiro Competências de Escrita Académica Objectivos da sessão: Perceber a importância da escrita no contexto académico;

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA DOS CURSOS DE ENGENHARIA NÚCLEO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARACAJU 2012 NÚCLEO

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA SUMÁRIO

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA SUMÁRIO GUIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA SUMÁRIO 1. INTODUÇÃO...01 1. 1. Importância do Projeto...01 1.2. Modelo de Projeto de Pesquisa...03. 2. O TEMA...04 2.1. Delimitação do Tema...04 3 JUSTIFICATIVA...

Leia mais

Universidade Pedagógica. Programa Temático de Métodos de Estudo e Investigação Científica

Universidade Pedagógica. Programa Temático de Métodos de Estudo e Investigação Científica Universidade Pedagógica Programa Temático de Métodos de Estudo e Investigação Científica Disciplina Métodos de Estudo e Investigação Científica Código -... Tipo Nuclear Nível II Ano 1º Semestre 1º Créditos

Leia mais

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica Código: CTB-190 Pré-requisito: ----------

Leia mais

Cada autor traz em suas obras uma indicação para tal. Algumas pequenas alterações podem ser percebidas e não fazem diferença no corpo do texto.

Cada autor traz em suas obras uma indicação para tal. Algumas pequenas alterações podem ser percebidas e não fazem diferença no corpo do texto. 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 5: Formatação de trabalhos acadêmicos Para uma melhor visualização, interpretação, estética e organização, todo trabalho acadêmico precisa ser organizado de forma

Leia mais

Metodologia da Pesquisa Científica. Profa. Ms. Daniela Cartoni

Metodologia da Pesquisa Científica. Profa. Ms. Daniela Cartoni Metodologia da Pesquisa Científica Profa. Ms. Daniela Cartoni Aula 3 As etapas da pesquisa Fontes de pesquisa Técnicas de leitura Interpretação de dados Técnicas de documentação Redação científica Planejamento

Leia mais

Bibliografia. Referências bibliográficas. Porque usar referências bibliográficas?

Bibliografia. Referências bibliográficas. Porque usar referências bibliográficas? Bibliografia descrição do conhecimento dos livros quanto à edição, papel e tipo; notícia acerca das obras de determinado autor ou assunto» Dicionário da Língua Portuguesa, Porto Editora Todos os trabalhos

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Cariacica 2011 1 1 - INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso é uma atividade obrigatória

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO MODELO DE APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Nome e Sobrenome do autor 1 - Nome e SIGLA DA INSTITUIÇÃO Nome e Sobrenome do autor 2 - Nome e SIGLA DA INSTITUIÇÃO Nome e Sobrenome do autor 3 - Nome e SIGLA

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE

INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE INSTITUTO DE ESTUDOS MEDIEVAIS INDICADORES DE PRODUTIVIDADE INVESTIGADORES INTEGRADOS DOUTORADOS (IID) 1. PRODUÇÃO CIENTÍFICA Critérios mínimos Cada investigador integrado deve cumprir, por triénio, três

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS ESCOLA DE ARQUIVOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS ESCOLA DE ARQUIVOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS ESCOLA DE ARQUIVOLOGIA MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 2 TCC2 Direção da Escola de Arquivologia Coordenação

Leia mais

INFORMATION LITERACY COURSE

INFORMATION LITERACY COURSE SAIBA COMO O USO EFICAZ DA INFORMAÇÃO PODE CONTRIBUIR PARA O SEU SUCESSO SESSÃO 1. Definição do objecto de pesquisa. Utilização de recursos e desenvolvimento de estratégias de pesquisa A. Definição do

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Ciência da Computação. Normas da ABNT

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Ciência da Computação. Normas da ABNT Universidade Estadual do Oeste do Paraná Ciência da Computação Normas da ABNT Claudia Brandelero Rizzi claudia_rizzi@hotmail.com ou claudia.rizzi@unioeste.br 27/03 e 01/04/2014 Metodologia da Pesquisa

Leia mais

Sumário Prefácio 11 Apresentação 13 1 Introdução 15 2 O Método Científico O Conhecimento Científico Método de Pesquisa Método D

Sumário Prefácio 11 Apresentação 13 1 Introdução 15 2 O Método Científico O Conhecimento Científico Método de Pesquisa Método D Antonio Carlos de Souza Francisco Antonio Pereira Fialho Nilo Otani TCC: Métodos e Técnicas Visual Books Sumário Prefácio 11 Apresentação 13 1 Introdução 15 2 O Método Científico 17 2 1 O Conhecimento

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA. João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA. João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae Braga. Nasceu a 3 de Julho de 1948, em Merelim S. Pedro, Concelho e Distrito de Habilitações Académicas: Licenciatura

Leia mais

Análise da Informação Económica e Empresarial

Análise da Informação Económica e Empresarial Análise da Informação Económica e Empresarial Aula 4: Noções fundamentais sobre a realização de trabalho empírico em Economia e Gestão tratamento de informação e elaboração de relatórios Análise da Informação

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Por deliberação da Comissão Coordenadora do, de 3

Leia mais

Preparando um projeto de pesquisa - ideias apresentadas no texto de Raul Wazlawick Metodologia de Pesquisa para Ciência da Com

Preparando um projeto de pesquisa - ideias apresentadas no texto de Raul Wazlawick Metodologia de Pesquisa para Ciência da Com Preparando um projeto de pesquisa - ideias apresentadas no texto de Raul Wazlawick Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação Maria Angélica de Oliveira Camargo Brunetto Universidade Estadual de

Leia mais

RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Conselho Científico RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Por deliberação da Comissão Coordenadora

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL 01/2015 INCLUSÃO Nº 11/2015 Área de Conhecimento: Gestão de Operações,Tecnologia e Inovação BAREMA PARA AVALIAÇÃO DOS TÍTULOS DOS CANDIDATOS

Leia mais

COMO ORGANIZAR UM TRABALHO

COMO ORGANIZAR UM TRABALHO COMO ORGANIZAR UM TRABALHO 1 Sempre que os professores te pedirem um trabalho, convém que saibas as partes que o constituem: Capa / Página de rosto Sumário ou índice Introdução Corpo do trabalho Conclusão

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: PTCC - Contabilidade Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Módulo:

Leia mais

Normas para formatação de Artigo Científico

Normas para formatação de Artigo Científico Normas para formatação de Artigo Científico Cursos Cinema de Animação e Cinema e Audiovisual Profa. Dra. Ivonete Pinto 1 As normas a seguir foram aprovadas pelo colegiado dos cursos de Cinema de Animação

Leia mais

João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae

João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae Nasceu a 3 de Julho de 1948, em Merelim S. Pedro, Concelho e Distrito de Braga. Membro da Ordem Franciscana (OFM), com profissão solene em 1978 e ordenação sacerdotal

Leia mais

Como Elaborar Artigos para Publicação?

Como Elaborar Artigos para Publicação? Material compilado pelo Prof. Dr. Luiz Alberto Pilatti do Programa de Mestrado em Engenharia de Produção da UTFPR Campus Ponta Grossa Como Elaborar Artigos para Publicação? Apresentar a norma NBR 6022

Leia mais

Dicas Acadêmicas. Elaboração de Trabalhos Acadêmicos Normas ABNT

Dicas Acadêmicas. Elaboração de Trabalhos Acadêmicos Normas ABNT Dicas Acadêmicas Elaboração de Trabalhos Acadêmicos Normas ABNT ABNT Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o órgão responsável pela normalização técnica no país, fornecendo

Leia mais

Volta Redonda, março de 2009

Volta Redonda, março de 2009 Trabalho de Conclusão de Curso TCC Prof. José Maurício dos Santos Pinheiro Núcleo de Graduação Tecnológica Volta Redonda, março de 2009 Agenda Objetivos Alcance Coordenação Orientação O Aluno Pesquisador

Leia mais

DADOS PESSOAIS. Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz. Naturalidade: Luanda. Nacionalidade Angolana.

DADOS PESSOAIS. Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz. Naturalidade: Luanda. Nacionalidade Angolana. CURRICULUM VITAE 1 DADOS PESSOAIS Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz Naturalidade: Luanda Nacionalidade Angolana e-mail: ecveracruz@gmail.com Telemóvel # 00244-927 20 24 87 HABILITAÇÕES

Leia mais

Parâmetros para pontuação das Atividades Complementares do curso de graduação em Ciência da Computação

Parâmetros para pontuação das Atividades Complementares do curso de graduação em Ciência da Computação Parâmetros para pontuação das Atividades Complementares do curso de graduação em Ciência da Computação Acadêmico: Código de Matrícula: Data do Requerimento: Período: Nº do processo: Data do Parecer: Obs.:

Leia mais

Orientadores. São Paulo, de de.

Orientadores. São Paulo, de de. Nº Nome do aluno (a): Registro Acadêmico: Turma: Período: ( ) Diurno ( ) Noturno Telefone Residencial: ( ) Telefone Celular: ( ) Sexo: ( )Masculino ( )Feminino Endereço: Cep: Bairro: Estado: E-mail: 01-02

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA 1 REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA Em conformidade com o que estabelece o Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Sociais

Leia mais

Unidade IV METODOLOGIA CIENTÍFICA. Prof. Aparecido Carlos Duarte

Unidade IV METODOLOGIA CIENTÍFICA. Prof. Aparecido Carlos Duarte Unidade IV METODOLOGIA CIENTÍFICA Prof. Aparecido Carlos Duarte Monografia Cientifica É apresentação escrita dos resultados da pesquisa, ou seja, é o projeto de pesquisa concluído, sua estrutura segue

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2. Actividades Rítmicas Expressivas: Danças Sociais (latino-americanas)

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2. Actividades Rítmicas Expressivas: Danças Sociais (latino-americanas) CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA EQE040 METODOLOGIA CIENTÍFICA www.liviajatoba.com/eqe040 Professora Livia Jatobá liviajatoba@eq.ufrj.br 1 /22 SOBRE A DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA METODOLOGIA CIENTÍFICA ÉTICA NA PESQUISA E NOS TRABALHOS

Leia mais

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Etapas do Trabalho de Pesquisa Escolha do

Leia mais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO Elementos Pré-textuais O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais Profª. Drª. Berenice Gonçalves Hackmann Elementos Pré-textuais

Leia mais

DICAS SOBRE RESUMO E FICHAMENTO

DICAS SOBRE RESUMO E FICHAMENTO O objetivo destas rápidas orientações é auxiliar na tarefa do pesquisador principiante, instrumentalizando-o de modo que, desde os primeiros passos da sua jornada pelo mundo da investigação acadêmica,

Leia mais

Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Universidade Portucalense Infante D. Henrique As teses de mestrado e de doutoramento, para todos os trabalhos desenvolvidos na Universidade Portucalense, devem obedecer às normas definidas neste documento. 1. Aspecto geral As teses são apresentadas

Leia mais

NORMALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA: aspectos introdutórios 1 Márcia Feijão de Figueiredo 2

NORMALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA: aspectos introdutórios 1 Márcia Feijão de Figueiredo 2 NORMALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA: aspectos introdutórios 1 Márcia Feijão de Figueiredo 2 INTRODUÇÃO No meio acadêmico, é comum por parte dos professores solicitarem o uso de normas bibliográficas em trabalhos

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA CURSO PROFESSOR CÓDIGO DA DISCIPLINA Normalização

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra Orientação Escolar e Profissional 9.º Ano e Agora Serviço de Psicologia e Orientação Psicóloga Eduarda Seabra Dossier Informação Escolar e Profissional Pág.1 1 Natureza dos Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa 2014. 1 Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa FACULDADE POLIS DAS ARTES Professor: Tiago Silva de Oliveira E-mail: psicotigl@yahoo.com.br Noturno/2014.1 Carga Horária 80h 1 Dia da Semana

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC -

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - SUMÁRIO CAPITULO I... 3 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO II... 3 DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES...

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS PLANO DE ENSINO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS PLANO DE ENSINO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PARA ASSUNTOS EDUCACIONAIS DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA Código: UR2024 Semestre letivo e ano em que será ministrada: 2º/2012 I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 INTRODUÇÃO As orientações aqui apresentadas são baseadas na norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para apresentação de artigos científicos impressos:

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Metodologia Científica Código da Disciplina: NDC 137 Curso: Direito Período de oferta da disciplina: 1 Faculdade responsável: Núcleo de Disciplinas Comuns (NDC) Programa

Leia mais

RELATÓRIO FINAL Disciplina de Estágio Obrigatório

RELATÓRIO FINAL Disciplina de Estágio Obrigatório RELATÓRIO FINAL Disciplina de Estágio Obrigatório Como orientação e para facilitar a elaboração, apresentamos a seguir um roteiro de relatório final, que poderá ser utilizado pelo estudante e pelo supervisor

Leia mais

Metodologia da Pesquisa

Metodologia da Pesquisa Metodologia da Pesquisa Apresentação Nome Área de atuação Tema de interesse para pesquisa O SABER CIENTÍFICO O SER HUMANO TEM UMA NECESSIDADE DE CONSTRUIR SABER POR SI SÓ. O PRINCIPAL OBJETIVO DA PESQUISA

Leia mais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais Artigo 1º Enquadramento, âmbito de aplicação e objectivo

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 A Redação Quando se fala em redação, em geral se associa a uma composição literária ou a uma dissertação de tese. No primeiro caso, relaciona-se a um trabalho fantasioso;

Leia mais

Instituto de Educação Universidade de Lisboa

Instituto de Educação Universidade de Lisboa Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação e Tecnologias Digitais 14 15 Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade

Leia mais

4. A submissão de trabalhos prevê as seguintes categorias: É um trabalho único, que pode ser organizado por um ou mais autores.

4. A submissão de trabalhos prevê as seguintes categorias: É um trabalho único, que pode ser organizado por um ou mais autores. NORMAS PARA PARTICIPAÇÃO 1. Inscrições no site: http://unisal.br/seminariointernacional 2. A inscrição confirmada dará direito à participaç ão nas atividades do evento e à submissão e apresentação de 04

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E.S.A.B. ESCOLA SECUNDÁRIA DE AVELAR BROTERO Filosofia 11º Ano Duração: 135m Ano letivo: 2015/2016 Matriz da Prova de Avaliação Sumativa Interna na Modalidade de Frequência não Presencial

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO JANEIRO 2014 CAPÍTULO I DA MODALIDADE E OBJETIVOS Artigo 1º. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no Curso de Direito será elaborado na modalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA P R O G R A M A D E PÓ S -G R A D U A Ç Ã O E M ENGENHARIA DE EDIFICAÇÕES E AMBIENTAL UFMT PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA TROPICAL Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga CURRICULUM VITAE

INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA TROPICAL Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga CURRICULUM VITAE INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA TROPICAL Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga CURRICULUM VITAE Maria João Soares LISBOA, 2004 DADOS PESSOAIS Nome: Maria João Soares Nome completo: Maria

Leia mais

Elaboração de Monografia. Elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais

Elaboração de Monografia. Elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais Os trabalhos de conclusão de curso de graduação e pós-graduação (especialização) conhecidos como (TCC) constituem uma etapa fundamental para a formação do estudante. O aluno apresenta um trabalho abordando

Leia mais

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE UM ARTIGO CIENTÍFICO PRODUZIR ARTIGOS CIENTÍFICOS Os artigos científicos são pequenos estudos, porém completos, que tratam de uma questão verdadeiramente científica, mas que

Leia mais

Normas para inscrições de trabalhos IV SIMPOM (2016)

Normas para inscrições de trabalhos IV SIMPOM (2016) Normas para inscrições de trabalhos IV SIMPOM (2016) A Secretaria do IV SIMPOM receberá inscrições de trabalhos, nas categorias comunicação oral e pôster, no período de 25/10/2015 a 15/1/2016, impreterivelmente.

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Desenvolvimento de Trabalho de Conclusão de Curso (DTCC) em

Leia mais

NORMA 01/ INSTRUÇÕES E PROCEDIMENTOS NORMATIVOS PARA ELABORAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMA 01/ INSTRUÇÕES E PROCEDIMENTOS NORMATIVOS PARA ELABORAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano (PPGCMH) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no uso de suas atribuições, estabelece: NORMA 01/2014 - INSTRUÇÕES

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científic Código: ADM 290 Pré-requisito: Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

1ª Circular - Chamada de Trabalhos

1ª Circular - Chamada de Trabalhos 1ª Circular - Chamada de Trabalhos Datas: Local de Realização: De 22 a 26 de Junho de 2011 (quarta - domingo) Universidade Federal Fluminense, Campus Gragoatá, Bloco O (ICHF), Niterói, Rio de Janeiro.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA ANEXO III

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA ANEXO III SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA ANEXO III Fichas de Avaliação das Provas: Escrita, Didática e/ou Prática e de Títulos Porto Velho -RO SERVIÇO PÚBLICO

Leia mais

Unidade: Campus Metodologia Científica - Diurno Terça-feira 10h Professor: Mônica Agda de Souza Alário Cursos: Moda e Engenharia Civil

Unidade: Campus Metodologia Científica - Diurno Terça-feira 10h Professor: Mônica Agda de Souza Alário Cursos: Moda e Engenharia Civil Unidade: Campus Metodologia Científica - Diurno Terça-feira 10h Professor: Mônica Agda de Souza Alário Cursos: Moda e Engenharia Civil F E V E R E I R O 02 Aula Presencial 09 FERIADO FERIADO FERIADO 16

Leia mais

O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU

O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU O que é a CDU A Classificação Decimal Universal CDU) é um esquema internacional de classificação de documentos. Baseia-se no conceito de que todo o conhecimento

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Objetivos Gerais Este Curso, homologado pelo IEFP, visa dotar os participantes das técnicas, conhecimentos e competências necessárias á apresentação com sucesso

Leia mais

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, p

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, p LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodológica científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 1993. p.238-243. 1. ARTIGOS CIENTÍFICOS Os artigos científicos são pequenos estudos, porém

Leia mais

REGRAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS E RELATÓRIOS

REGRAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS E RELATÓRIOS REGRAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS E RELATÓRIOS ANO LETIVO 2014/2015 1 REGRAS METODOLÓGICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS E RELATÓRIOS NO ISTEC-PORTO Quando se pretende elaborar um relatório de atividades

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

TABELA ELEMENTOS PARA ESTRUTURA DO TRABALHO CIENTÍFICO

TABELA ELEMENTOS PARA ESTRUTURA DO TRABALHO CIENTÍFICO TABELA ELEMENTOS PARA ESTRUTURA DO TRABALHO CIENTÍFICO TIPO DE ELEMENTO ELEMENTOS DESCRIÇÃO Elementos externos Capa Nome da Instituição, Nome do autor, título e subtítulo, local (cidade), Ano. Elementos

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

Título do artigo Subtítulo (opcional)

Título do artigo Subtítulo (opcional) 1 MODELO Título do artigo Subtítulo (opcional) Nome Completo dos autores em Ordem Alfabética 1 Professor Orientador (Nome Completo) 2 RESUMO O resumo só poderá ser elaborado depois de concluído o trabalho.

Leia mais

Para se inscrever o candidato deverá observar o disposto no Edital nº01/2016.

Para se inscrever o candidato deverá observar o disposto no Edital nº01/2016. Aos Presbíteros Paz e Bem! Seminário São José Instituto de Teologia Mariana, 01 de julho de 2016 Após o Seminário Arquidiocesano São José ter firmado o convênio de afiliação com o Centro de Estudos Superiores

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Administração Disciplina: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO Profª Msc: Maria Gilvanira Gomes da Silva e-mail: gilvaniragomes@yahoo.com.br

Leia mais

METODOLOGIA DE PESQUISA UNIDADE VI - TRABALHOS ACADÊMICOS E OS INSTRUMENTOS DE ESTUDO

METODOLOGIA DE PESQUISA UNIDADE VI - TRABALHOS ACADÊMICOS E OS INSTRUMENTOS DE ESTUDO METODOLOGIA DE PESQUISA UNIDADE VI - TRABALHOS ACADÊMICOS E OS INSTRUMENTOS DE ESTUDO 0 UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA UNIDADE INSTRUCIONAL VI Autoria: Prof. Msc. Mathias

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Orientação Bibliográfica. Normas Técnicas. Bases de dados.

PALAVRAS-CHAVE Orientação Bibliográfica. Normas Técnicas. Bases de dados. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Metodologias de Pesquisa em Ciências: análises quantitativa e qualitativa

Metodologias de Pesquisa em Ciências: análises quantitativa e qualitativa Metodologias de Pesquisa em Ciências: análises quantitativa e qualitativa 2ª Edição MAKILIM NUNES BAPTISTA DINAEL CORRÊA DE CAMPOS SUMÁRIO PARTE I - CIÊNCIA E PESQUISA... 1 1 OS DILEMAS DO PRESENTE...

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso MESTRADO EM ENSINO DE ARTES VISUAIS NO 3.º CICLO

Leia mais

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso 1. ASPECTOS LEGAIS: O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é uma exigência curricular para a colação

Leia mais

MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO

MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO A palavra método é derivada do grego Méthodos, que significa caminho para se chegar a um fim. Assim, entende-se por método, a ordem em que se devem dispor

Leia mais

A estrutura de um relatório

A estrutura de um relatório ÁREA DE PROJECTO 12ºANO Turma A A estrutura de um relatório Guião para a elaboração de relatórios COMO SE FAZ UM RELATÓRIO A consulta de um dicionário de Língua Portuguesa dá-nos a seguinte definição de

Leia mais

A MÚSICA NA SÉ DE CASTELO BRANCO APONTAMENTO HISTÓRICO E CATÁLOGO DOS FUNDOS MUSICAIS

A MÚSICA NA SÉ DE CASTELO BRANCO APONTAMENTO HISTÓRICO E CATÁLOGO DOS FUNDOS MUSICAIS MARIA LUÍSA FARIA DE SOUSA CERQUEIRA CORREIA CASTILHO A MÚSICA NA SÉ DE CASTELO BRANCO APONTAMENTO HISTÓRICO E CATÁLOGO DOS FUNDOS MUSICAIS FACULDADEDE LETRAS COIMBRA, 1992 ÍNDICE Pag. Nota introdutória........

Leia mais

Normas para a produção de textos

Normas para a produção de textos Normas para a produção de textos O presente documento tem como objetivo fornecer as normas básicas de edição de textos (artigos, comunicações ou outros) a serem publicados pelo CIDEHUS. Pede-se aos autores

Leia mais

Manual para Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2013 / Cursos de Música CCBM/LEM

Manual para Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2013 / Cursos de Música CCBM/LEM Manual para Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2013 / Cursos de Música CCBM/LEM fevereiro/2013 A existência do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é prevista no artigo 9 da Resolução Nº

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E A ETICA CARGA HORÁRIA 72 h CURSO Biblioteconomia

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS

NORMAS GERAIS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS 1 NORMAS GERAIS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS O evento oferece as seguintes possibilidades de envio de trabalhos: mesa-redonda, comunicação e pôster. Cada proponente poderá inscrever-se como autor principal

Leia mais

RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO

RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO Conteúdo resumido Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Resumo da pesquisa com palavras chave Lista de quadros, gráficos, tabelas, abreviaturas e siglas (se houver) Sumário

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 005/2015 CONSELHO DO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTU SENSU NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA

RESOLUÇÃO Nº 005/2015 CONSELHO DO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTU SENSU NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM GEOGRAFIA RESOLUÇÃO Nº 005/2015 CONSELHO DO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTU SENSU

Leia mais

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 19 de março de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Curso

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Curso PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Curso Algumas Informações Importantes: a) O modelo da proposta está especificado

Leia mais

COLOQUE AQUI O TÍTULO DO SEU ANTEPROJETO (Letra tamanho 12 (letra caixa alta e em negrito)

COLOQUE AQUI O TÍTULO DO SEU ANTEPROJETO (Letra tamanho 12 (letra caixa alta e em negrito) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências COLOQUE AQUI O TÍTULO DO SEU ANTEPROJETO (Letra tamanho 12 (letra caixa alta e em negrito) Anteprojeto de pesquisa

Leia mais

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO Índice Siglas e abreviaturas 6 Introdução 7 PARTE 1 - A PALAVRA INSPIRADA CAPÍTULO I - NATUREZA DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA 12 1. A inspiração bíblica no limiar do Vaticano II 13 1.1. Deus, autor principal,

Leia mais

CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS

CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS MARÇO 2006. ÍNDICE 1. Boas Vindas. 3 2. Horário e Funcionamento.. 4 3. Metodologia das Sessões....... 5 4. Programa...... 6 5. Calendarização das

Leia mais

Psicologia Cognitiva I

Psicologia Cognitiva I 1 Psicologia Cognitiva I 1. Resumo descritivo 1.1. Elementos básicos Curso Unidade Curricular Área Científica Ano / Semestre ECTS Horas de Contacto Professores responsáveis Docentes 1.2. Síntese descritiva

Leia mais