INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão 4.0

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão 4.0"

Transcrição

1 2

2 3

3 INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão VALORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS, CONSULTAS E SERVIÇOS AUXILIARES DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS. 1.1 Os portes representados ao lado de cada procedimento não expressam valores monetários, apenas estabelecem a comparação entre os diversos atos médicos no que diz respeito à sua complexidade técnica, tempo de execução, atenção requerida e grau de treinamento necessário para a capacitação do profissional que o realiza. 1.2 A pontuação dos procedimentos médicos está agrupada em 14 portes e três sub-portes (A, B e C). Os portes anestésicos (AN) são em número de oito e mantém correspondência com os demais portes. Quanto à unidade de custo operacional (UCO), a mesma não será adotada, ou seja, não poderá ser cobrado no Intercâmbio Nacional (salvo para os procedimentos de SADT que não tenham código correspondente em AMB, ou seja, somente códigos correlacionados de CBHPM para CBHPM). 1.3 Os atendimentos contratados de acordo com este Rol de Procedimentos serão realizados em locais, dias e horários pré-estabelecidos. 1.4 Este Rol constitui referência para acomodações hospitalares coletivas (enfermaria, quartos com dois ou mais leitos, ou semi-privativos). 1.5 O Rol de Procedimentos Médicos Unimed, além dos procedimentos com cobertura pela, contempla os procedimentos já consagrados e alguns que correspondem a variação técnica do procedimento. 1.6 Procedimentos cirúrgicos com indicação de internação, mas realizados em ambulatório, constantes na tabela aprovada na 42ª ata do Colégio Nacional de Auditores Médicos, devem ser pagos de acordo com o plano do cliente. (apartamento x 2). 2. ATENDIMENTO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA 2.1 Os atos médicos praticados exclusivamente em caráter de urgência ou emergência terão um acréscimo de trinta por cento (30%) em seus portes nas seguintes eventualidades: No período compreendido entre 19h e 7h do dia seguinte; Em qualquer horário, aos sábados, domingos e feriados (Municipal, Estadual e Nacional) Não estão sujeitos às condições deste item os atos médicos dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos (SADT), para os quais não há incidência de qualquer percentual, independentemente do dia ou horário em que seja realizado o procedimento de SADT. 3. NORMAS GERAIS 3.1 Os portes atribuídos a cada procedimento cirúrgico incluem os cuidados pós-operatórios relacionados com o tempo de permanência do paciente no hospital, até 10 (dez) dias após o ato cirúrgico. Esgotado esse prazo, a valoração do porte passa ser regida, conforme critérios estabelecidos para as visitas hospitalares (código ). 3.2 Vídeolaparoscopia e Vídeoendoscopia a) Os procedimentos cirúrgicos realizados por Técnica Videolaparoscópica ou Técnica Videoendoscópica têm portes independentes dos seus correlatos realizados por técnica convencional. Para a sua valoração foram utilizados os mesmos atributos aplicados aos atos convencionais: tempo, cognição, complexidade e risco. Estes portes estão sujeitos ao item 6 destas Instruções. b) Aos procedimentos diagnósticos realizados por Técnica Videolaparoscópica ou Técnica Videoendoscópica, não se aplicam o disposto no item 6 destas Instruções. 3.3 Anestesiologista 4

4 a) O ato anestésico se inicia com a visita pré-anestésica, prossegue com a administração da técnica anestésica indicada, que compreende o acesso venoso, intubação traqueal (quando indicada), instalação de controles e equipamentos necessários à anestesia e administração de drogas, encerrando-se com a recuperação dos parâmetros vitais, exceto nos casos que haja indicação de seguimento em UTI. a.1) Não inclui medidas/controles invasivos que poderão ser valorados separadamente pelo anestesiologista, que deverá utilizar, para tal, o porte previsto para o cirurgião. Ex. dissecção de veia central não está incluso na anestesia e poderá ser feita pelo anestesista com porte especifico para tal. b) Neste trabalho, os atos anestésico estão classificados em portes de 0 a 8, conforme as indicações do quadro abaixo: Porte Anestésico 0 Anestesia local 1 3 A 2 3 C 3 4 C 4 6 B 5 7 C 6 9 B 7 10 C 8 12 A c) O porte anestésico 0 significa Não Participação do Anestesiologista d) Quando houver a necessidade do concurso do anestesiologista em atos médicos (não diagnósticos) que não tenham seus portes especificamente previstos na classificação, a remuneração será equivalente ao estabelecido para o porte 3. Portanto, AN3 que equivale ao porte 4C. e) Nos atos cirúrgicos em que haja indicação de intervenção em outros órgãos através do mesmo orifício natural, a partir da MESMA VIA DE ACESSO ou dentro da MESMA CAVIDADE ANATÔMICA, o porte a ser atribuído ao trabalho do anestesiologista será o que corresponder, por aquela via, ao procedimento de maior porte, acrescido de 50% dos demais atos praticados. f) Quando a mesma equipe ou grupos diversos realizarem durante o mesmo ato anestésico procedimentos cirúrgicos diferentes através de outras incisões (exceto aquela complementar do ato principal) ou outros orifícios naturais, os portes relativos aos atos do anestesiologista serão estabelecidos em acréscimo ao ato anestésico de maior porte 70% dos demais. g) Em caso de cirurgia bilateral no mesmo ato anestésico, inexistindo código específico, os atos praticados pelo anestesiologista serão acrescidos de 70% do porte atribuído ao primeiro ato cirúrgico. h) Para os atos AN7 e AN8 ou naqueles nos quais seja utilizada Circulação Extracorpórea (CEC), ou procedimentos de neonatologia cirúrgica, gastroplastia para obesidade mórbida e cirurgias com duração acima de 6 horas, o anestesiologista responsável poderá, quando necessário, solicitar o concurso de um auxiliar (também anestesiologista), sendo atribuído a essa intervenção um porte correspondente a 30% dos portes previstos para o (s) ato (s) realizados pelo anestesiologista principal. i) Na valoração dos portes constantes incluem a anestesia geral, condutiva regional ou local, bem como a assistência do anestesiologista, por indicação do cirurgião ou solicitação do paciente, seja em procedimentos cirúrgicos, diagnósticos ou terapêuticos tanto em regime de internamento com ambulatorial. j) Quando for necessária ou solicitada consulta com o anestesiologista, em consultório, previamente à internação juridicamente estabelecida, seja com o hospital ou terceiros por ele contratados, será remunerado como 01 consulta eletiva no Intercâmbio Nacional Quando houver necessidade do concurso do anestesiologista, os atos médicos diagnósticos (inclusive endoscópicos) praticados por este profissional serão valorados pelo porte 2, os terapêuticos pelo porte 3 e os diagnósticos + terapêuticos (inclusive endoscópicos intervencionistas) pelo porte 3. Portanto, pagar-se-á o correspondente a apenas um porte anestésico, não importando o tempo de duração nem a simultaneidade com outro procedimento Os atos médicos praticados pelo anestesiologista, quando houver necessidade do concurso deste especialista, serão valorados conforme tabela abaixo: 5

5 Descrição Códigos Porte Anestésico Procedimentos Clínicos Ambulatoriais a Porte 1 Procedimentos Clínicos Hospitalares a Porte 1 Medicina Nuclear a Porte 2 Métodos diagnósticos por imagem a Porte 3 Ultra-Sonografia a Porte 2 Tomografia Computadorizada a Porte 2 Ressonância Magnética a Porte 3 Radioterapia a Porte 3 Exames específicos a Porte 1 Testes para diagnósticos a Porte 1 Outros a Porte 1 Observação: Métodos Intervencionistas por Imagem possuem porte anestésico próprio ( a ). 3.4 A consulta Oftalmológica padrão inclui: anamnese, refração, inspeção das pupilas, acuidade visual, retinoscopia e ceratometria, fundoscopia (com ou sem midríase), microscopia do segmento anterior, exame sumário da motilidade ocular e do senso cromático. 3.5 Atendimento ao recém-nascido: a) Em caso de parto múltiplo, o atendimento pediátrico a cada recém-nato deve ser considerado individualmente. b) Se o recém-nascido permanecer internado após o terceiro dia, será feita guia de internação com o diagnóstico da patologia e fixado o porte, a partir daí, corresponde a uma visita hospitalar por dia até a alta, de acordo com o código (Tratamento Clínico). c) Para atendimento em sala de parto (parto normal ou operatório de alto risco) será considerado o atendimento ao recém nascido prematuro ou que necessita de manobras de reanimação com uso de O2 sob pressão positiva e/ou entubação traqueal. d) Será obedecido o que consta no item 6 das Instruções Gerais. 3.6 Honorários do Intensivista: a) Nos portes indicados para o plantonista de UTI não estão incluídos: diálise, acesso vascular para hemodiálise, implante de marca-passo ou traqueostomia. b) Estão incluídos nos portes do plantonista: intubação, monitorizações clínicas com ou sem auxilio de equipamentos, desfibrilação e punção venosa (intracath). c) Os atos do médico assistente ou de especialistas, estes quando praticados por solicitação do intensivista, serão valorados considerando os atendimentos realizados e registrados em prontuário. 3.7 A remuneração prevista para as sessões de quimioterapia já contempla a visita hospitalar (Procedimentos Clínicos Ambulatoriais). Aos portes destas sessões aplica-se o disposto no item 6 das Instruções Gerais, no caso de paciente internado Classificação e graduação das doenças venosas (CEAP) São indicados para tratamento cirúrgico os portadores de varizes de classificação clinica CEAP 2, 3, 4, 5. a. Classe 0 não apresenta doença venosa b. Classe 1 teleangiectasias e/ou veias reticulares (2 a 4 mm) c. Classe 2 veias Varicosas (> 4mm) d. Classe 3 classe 2 + edema e. Classe 4 classe 3 + pigmentação, eczema e lipodermoesclerose f. Classe 5 classe 4 + úlcera varicosa cicatrizada g. Classe 6 úlcera varicosa aberta 3.9 Hemodinâmica e cardiologia intervencionista Quando realizados concomitantemente procedimentos diagnósticos, terapêuticos e diagnósticos/terapêuticos, para fins de valoração dos atos praticados será obedecido o que consta no ítem Cirurgia cardíaca códigos ; e a) As cirurgias cardíacas com circulação extracorpórea compõem-se do procedimento principal acrescido dos códigos ; ; ; , observando-se o previsto no item 4. b) Quando utilizado enxerto com veia, acrescentar porte 3C, com artéria porte 5 A. Os códigos foram criados para trafegar no Intercâmbio Nacional, conforme deliberação do Colégio Nacional de Auditores Médicos Unimed Enxerto de veia para revascularização miocárdica Enxerto com artéria para revascularização miocárdica 6

6 c) Os procedimentos códigos ; ; ; ; ; ; ; ; e são considerados atos integrantes da cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea Atendimento ortopédico a) Nos portes atribuídos aos procedimentos ortopédicos e traumatológicos já está incluída a primeira imobilização. Em se tratando de entorses, contusões e distensões musculares, a valoração do ato corresponderá à consulta acrescida da imobilização realizada. b) Para o tratamento clinico em regime de internação, o porte equivalerá a uma visita hospitalar c) Havendo necessidade de troca de aparelho gessado em ato posterior, a ele corresponderá novo porte, conforme o presente ROL. d) Revisão de coto de amputação, equivale à metade dos portes estipulados para a amputação do mesmo segmento com direito a 1 auxiliar. e) Referente aos códigos ; ; ; ; e Nas cirurgias videoartroscópicas quando houver a necessidade de atuar em mais de uma estrutura articular, procedimentos intra-articulares poderão ser associados para conclusão do ato operatório até um limite de três por articulações. Os procedimentos extra-articulares poderão ser associados a qualquer procedimento ou associações de procedimentos intra-articulares para conclusão em bom termo do ato medito cirúrgico (retirada e transposições tendíneas, retirada e transposições osteocondrais, osteotomias). Exclui a captura e transposição de enxertos, que devem ser cobrados em códigos específicos Observações referentes a queimaduras ( ; e ): a) Por unidade topográfica (UT) compreende segmento do corpo facilmente delimitável que tem uma área aproximada de 9% da superfície corporal. No corpo humano existem 11 UT: cabeça e pescoço; cada um dos membros superiores; face anterior do tórax; face posterior do tórax, abdome, nádegas(da cintura a raiz da coxa); cada uma das coxas; cada um dos conjuntos pernas e pés. Os Genitais constituem uma UT a parte. Critério para determinar o número de auxiliares de cirurgia necessários pra o tratamento de queimado: uma UT, não comporta auxílio; duas a três Uts, um auxiliar; quatro ou mais Uts, dois auxiliares. b) Face, pescoço, mão, axila, regiões inguinais, joelhos, genitais, assim como regiões onde as lesões atingem estruturas profundas (tendões, vasos e ossos quando isoladas), cada um corresponde a 2 UT. c) Cada procedimento refere-se a um único ato cirúrgico dos códigos acima mencionado. d) Para curativos de queimados realizados por médico cooperado, a UNIMED obedecerá à Tabela de Honorários Médicos Unimed vigente Cabeça e Pescoço os procedimentos com esvaziamento ganglionar incluem ligadura de vasos e traqueostomia Os exames que forem realizados por técnica tomográfica devem ser acrescidos em 50% no seu valor. 4. VALORAÇÃO DOS ATOS CIRÚRGICOS 4.1 Quando previamente planejada, ou quando se verificar, durante o ato cirúrgico, a indicação de atuar em vários órgãos ou regiões a partir da mesma via de acesso, a quantificação do porte da cirurgia será a que corresponder, por aquela via, ao procedimento de maior porte, acrescido de 50% do previsto para cada um dos demais atos médicos praticados, desde que não haja um código específico para o conjunto. 4.2 Quando ocorrer mais de uma intervenção por diferentes vias de acesso, deve ser adicionado ao porte da cirurgia considerada principal o equivalente a 70% do porte de cada um dos demais atos praticados. 4.3 Obedecem às normas acima as cirurgias bilaterais, realizadas por diferentes incisões (70%), ou pela mesma incisão (50%). Exceto as que tiverem codificação especifica para bilateralidade neste Rol. 4.4 Quando duas equipes distintas realizarem simultaneamente atos cirúrgicos diferentes, a cada uma delas será atribuído porte de acordo com o procedimento realizado e previsto neste Rol. 4.5 Quando um ato cirúrgico for parte integrante de outro, valorar-se-á não o somatório do conjunto, mas apenas o ato principal. 4.6 Nas cirurgias em crianças com peso inferior a 2,500g, fica previsto acréscimo de 100% sobre o porte do procedimento realizado. 7

7 5. AUXILIARES DE CIRURGIA 5.1 A valoração dos serviços prestados pelos médicos auxiliares dos atos cirúrgicos corresponderá ao percentual de 30% do porte do ato praticado pelo cirurgião para o primeiro auxiliar, de 20% para os demais auxiliares previstos. 5.2 Quando uma equipe, num mesmo ato cirúrgico, realizar mais de um procedimento, o número de auxiliares será igual ao previsto para o procedimento de maior porte, e a valoração do porte para os serviços desses auxiliares será calculada sobre a totalidade dos serviços realizados pelo cirurgião. 6. CONDIÇÕES DE INTERNAÇÃO 6.1 Quando o paciente voluntariamente internar-se em ACOMODAÇÕES HOSPITALARES SUPERIORES, diferentes das previstas no item 1.5 destas Instruções e do previsto em seu plano de saúde original, a valoração do porte referente aos procedimentos será complementada por negociação entre o paciente e o médico, servindo como referência o item 6.2 destas Instruções. 6.2 Para os usuários detentores de planos com acomodações privativas, diferentemente do previsto no citado item 1.5, fica prevista a valoração dos honorários do médico assistente e equipe por no máximo o dobro de sua quantificação. Não estão sujeitos às condições deste item os atos médicos dos procedimentos diagnósticos Os atos do médico assistente quando o paciente estiver internado em UTI terão seus valores de Honorários remunerados de acordo com o tipo de acomodação do paciente O critério do item 6.3 não se aplica ao intensivista plantonista Os atos do médico assistente quando o procedimento for realizado em day clinic será pago de acordo com o tipo de acomodação do paciente. 7. APLICAÇÃO 7.1 Cabe à Comissão Permanente de Implantação do Rol de Procedimentos Médicos Unimed, definir alterações neste Rol sempre que julgar necessário corrigir, atualizar ou modificar o que nele estiver contido. 7.2 Os materiais e medicamentos devem ser cobrados de acordo com os códigos e nomenclaturas definidas na Tabela Nacional Unimed de Materiais e Medicamentos. 8. RADIOLOGIA 8.1 Tomografia Computadorizada Quando solicitado exame de 02 áreas, na segunda área será cobrado 70% do Coeficiente de Remuneração Radiologica. (CRR) Quando solicitado exame de 03 áreas, na segunda área será cobrado 70% e na terceira 50% do CRR. Somam-se os valores dos filmes de cada área. 8.2 Ressonância Magnética Quando solicitado exame de dois (2) segmentos a serem realizados no mesmo período, o segundo será cobrado com 80% do CRR Artrografia por RM: acrescentar 30% ao Honorário Médico Estudo dinâmico de RM: acrescentar 50% ao valor do CRR. *Quando solicitada conjuntamente com outro exame segue a regra de 02 segmentos. 8.3 Desdobramento de exames Os exames de imagem que foram desdobrados ou sofreram sobreposição tiveram seus valores adequados no ROL de Procedimentos Médicos Unimed, mantendo-se o preço praticado. (p.ex: Ultra-sonografia vascular com doppler colorido, deixa de ser remunerado em dois códigos, porem mantém o preço praticado). 8.4 Ultra-Sonografias A cada ultra-sonografia realizada, será pago o valor de 100% no Intercâmbio Nacional. 9. MÉTODOS INTERVENCIONISTAS POR IMAGEM 9.1 Quando houver procedimento intervencionista o exame de base (Ultrassom, TC, RM, Rx), devera ser pago. Exceto quando houver código específico para este procedimento, inexistente na tabela AMB 92 ou código já valorado conforme as regras vigentes. 8

8 9.2 Os procedimentos de radiologia intervencionista serão valorados por vaso tratado, por número de cavidades drenadas e por número de corpos estranhos retirados. 9.3 Angiografias por cateter ( , , , e ) incluemse no máximo 3 vasos. 9.4 Quando realizado angiografia diagnóstica e/ou radiologia intervencionista sucessivas, para fins de valoração dos atos médicos praticados, deve ser observado o disposto no item 4 das Instruções Gerais. 10. PROCEDIMENTOS ENDOSCÓPICOS INTERVENCIONISTAS 10.1 Nos procedimentos endoscópicos, onde há necessidade do concurso de endoscopista auxiliar, este será remunerado com o correspondente a 30% do honorário estabelecido para o endoscopista principal Nos portes dos procedimentos intervencionistas já estão incluídos os respectivos exames diagnósticos. Contudo, quando realizados dois ou mais procedimentos intervencionistas, a valoração destes atos obedecerá ao item 4.1 das Instruções Gerais, desde que não haja um código específico para o conjunto Os procedimentos realizados por videoendoscopia não terão acréscimos em seus portes. Quando utilizado equipamento radiológico associado a procedimento endoscópico a remuneração dos mesmos devera ser individualizada e paga conforme as regras vigentes para a Radiologia Para pacientes internados os portes dos procedimentos endoscópicos intervencionistas obedecerão ao previsto no item 6 das Instruções Gerais. 11. PROCEDIMENTOS REALIZADOS POR LASER E RADIOFREQÜÊNCIA Os procedimentos realizados por laser e radiofreqüência somente terão cobertura assegurada quando assim especificados na RN 211, anexo I, de acordo com a segmentação contratada. 12. CINTILOGRAFIA DO MIOCÁRDIO O procedimento (Cintilografia do miocardio perfusão - estresse físico) não inclui teste ergométrico convencional ( ) nem o teste ergométrico computadorizado ( ), que devem ser remunerados à parte, desde que realizado por médico. 13. BANCO DE SANGUE Pagamento para banco de sangue quando cobrado na forma de pacote, no Intercâmbio Nacional informar o código principal, composição e respectivo valor no campo de observações. 14. RESSONÂNCIA DE MAMA Para ressonância magnética de mama, a valoração do código CBHPM refere-se ao pagamento de ressonância unilateral ou bilateral. 15. PULSOTERAPIA A importância do médico durante a realização do ato. No caso de internação, não será remunerada nem a consulta, nem a visita hospitalar. 16. EXAMES CONCOMITANTES Forma de remuneração dos procedimentos ultra-sonográficos Próstata transretal e Abdome inferior masculino. Não se remunera esses dois exames concomitantemente. O mesmo critério se aplica a US transvaginal, com o Abdome inferior feminino, Contudo, a concomitância será autorizada quando justificada pelo médico assistente. 17. SEGMENTO EM COLUNA O conceito de segmento em coluna vertebral se refere a uma unidade motora de movimento, composta de duas vértebras, um disco intervertebral e estruturas capsuloligamentares e musculares. 9

9 GLOSSÁRIO DUT Diretriz de Utilização - Autorizar somente se atender as diretrizes do Anexo I; Hospitalar Sem Obstetrícia HCO Hospitalar Com Obstetrícia AMB Ambulatorial Cobertura nos Planos Ambulatoriais Resolução Normativa 167 RN 211 Resolução Normativa 211 Procedimento de Alta Complexidade 10

10 INDICE GERAL CAPÍTULO 1 - PROCEDIMENTOS GERAIS Consultas ( ) 16 Visitas ( ) 16 Recém-Nascido ( ) 16 UTI ( ) 16 Remoção / Acompanhamento de Paciente ( ) 16 Outros ( ) 16 CAPÍTULO 2 - PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS Avaliações / Acompanhamentos ( ) 17 Monitorizações ( ) 17 Reabilitações - Sessões ( ) 17 Terapêutica ( ) 18 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS HOSPITALARES Avaliações / Acompanhamentos ( ) 18 Monitorizações ( ) 19 Reabilitações - Sessões ( ) 19 Terapêutica ( ) 19 CAPÍTULO 3 - PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS E INVASIVOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO / ANEXOS Procedimentos ( ) 20 CABEÇA E PESCOÇO Lábio ( ) 21 Boca ( ) 21 Língua ( ) 22 Glândulas Salivares ( ) 22 Faringe ( ) 22 Laringe ( ) 22 Trauma Crânio-Maxilo-Facial ( ) 23 Cirurgia Reparadora e Funcional da Face ( ) 23 Sequelas de Trauma da Face ( ) 23 Face ( ) 23 Mandíbula ( ) 24 Pescoço ( ) 24 Tireóide ( ) 24 Paratireóide ( ) 24 Crânio ( ) 24 OLHOS Pálpebra ( ) 24 Cavidade Orbitária ( ) 25 Conjuntiva ( ) 25 Córnea ( ) 25 Câmara Anterior ( ) 26 Cristalino ( ) 26 Corpo Vítreo ( ) 26 Esclera ( ) 26 Bulbo Ocular ( ) 26 Íris e Corpo Ciliar ( ) 26 Músculos ( ) 26 Retina ( ) 26 Vias Lacrimais ( ) 27 ORELHA Pavilhão Auricular ( ) 27 11

11 Orelha Externa ( ) 27 Orelha Média ( ) 27 Orelha Interna ( ) 27 NARIZ E SEIOS PARANASAIS Nariz ( ) 28 Seios Paranasais ( ) 28 PAREDE TORÁCICA Parede Torácica ( ) 29 Mamas ( ) 29 SISTEMA MÚSCULO-ESQUELÉTICO E ARTICULAÇÕES Transplantes Cutâneos (Com Microanastomoses Vasculares) ( ) 30 Transplantes Músculo-Cutâneos (Com Microanastomoses Vasculares) ( ) 30 Transplantes Musculares (Com Microanastomoses Vasculares) ( ) 30 Transplantes Ósseos Vascularizados e Transplantes Osteomusculocutâneos Vascularizados (Com Microanastomoses Vasculares) ( ) 31 Microcirurgia nas Grandes Reconstruções de Cabeça e Pescoço, Nas Extensas Perdas de Substância e Na Ablação de Tumores Ao Nível dos Membros (Com Microanastomoses Vasculares) ( ) 31 Reimplantes e Revascularizações dos Membros ( ) 31 Transplantes de Dedos do Pé para a Mão ( ) 31 Tração ( ) 31 Retirada de Material de Síntese ( ) 31 Imobilizações Provisórias ( ) 31 Aparelhos Gessados ( ) 31 Outros Procedimentos / Punções ( ) 32 Retirada de Corpo Estranho ( ) 32 Coluna Vertebral ( ) 32 Articulação Escápulo-Umeral e Cintura Escapular ( ) 33 Braço ( ) 33 Cotovelo ( ) 33 Antebraço ( ) 33 Punho ( ) 33 Mão ( ) 34 Cintura Pélvica ( ) 35 Articulação Coxo-Femoral ( ) 35 Coxa / Fêmur ( ) 36 Joelho ( ) 36 Perna ( ) 37 Tornozelo ( ) 37 Pé ( ) 37 Músculos e Fascias ( ) 38 Tendões, Bursas e Sinóvias ( ) 38 Ossos ( ) 38 Procedimentos Videoartroscópicos de Joelho ( ) 39 Procedimentos Videoartroscópicos de Tornozelo ( ) 39 Procedimentos Videoartroscópicos de Ombro ( ) 39 Procedimentos Videoartroscópicos de Cotovelo ( ) 39 Procedimentos Videoartroscópicos de Punho e Túnel do Carpo ( ) 39 Procedimentos Videoartroscópicos de Coxofemoral ( ) 39 SISTEMA RESPIRATÓRIO E MEDIASTINO Traquéia ( ) 40 Brônquios ( ) 40 Pulmão ( ) 40 Pleura ( ) 40 Mediastino ( ) 41 Diafragma ( ) 41 SISTEMA CÁRDIO-CIRCULATÓRIO Defeitos Cardíacos Congênitos ( ) 41 Valvoplastias ( ) 42 Coronariopatias ( ) 42 12

12 Marca-Passo ( ) 42 Outros Procedimentos ( ) 42 Cirurgia Arterial ( ) 42 Cirurgia Venosa ( ) 43 Fístulas Arteriovenosas Congênitas ou Adquiridas ( ) 43 Hemodiálise de Curta e Longa Permanência ( ) 43 Cirurgia Vascular de Urgência ( ) 43 Hemodinâmica - Cardiologia Intervencionista (Procedimentos Diagnósticos) ( ) 44 Hemodinâmica - Cardiologia Intervencionista (Procedimentos Terapêuticos) ( ) 44 Acessos Vasculares ( ) 44 Cirurgia Linfática ( ) 45 Periocárdio ( ) 45 Hipotermia ( ) 45 Miocárdio ( ) 45 SISTEMA DIGESTIVO E ANEXOS Esôfago ( ) 45 Estômago ( ) 46 Intestinos ( ) 46 Ânus ( ) 48 Fígado e Vias Biliares ( ) 48 Pâncreas ( ) 49 Baço ( ) 50 Peritônio ( ) 50 Abdome, Parede e Cavidade ( ) 50 SISTEMA URINÁRIO Rim, Bacinete e Supra-Renal ( ) 51 Ureter ( ) 52 Bexiga ( ) 52 Uretra ( ) 53 SISTEMA GENITAL E REPRODUTOR MASCULINO Próstata e Vesículas Seminais ( ) 54 Escroto ( ) 54 Testículo ( ) 54 Epidídimo ( ) 54 Cordão Espermático ( ) 54 Pênis ( ) 54 SISTEMA GENITAL E REPRODUTOR FEMININO Vulva ( ) 55 Vagina ( ) 55 Útero ( ) 55 Tubas ( ) 56 Ovários ( ) 56 Períneo ( ) 56 Cavidade e Paredes Pélvicas ( ) 56 Partos e Outros Procedimentos Obstétricos ( ) 57 SISTEMA NERVOSO - CENTRAL E PERIFÉRICO Encéfalo ( ) 57 Medula ( ) 57 Nervos Periféricos ( ) 58 Nervos Cranianos ( ) 58 Sistema Nervoso Autônomo ( ) 58 TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS Córnea ( ) 58 Renal ( ) 58 OUTROS PROCEDIMENTOS INVASIVOS Acupuntura ( ) 58 Bloqueios Anestésicos de Nervos e Estímulos Neurovasculares ( ) 58 13

13 CAPÍTULO 4 - PROCEDIMENTOS DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS ELETROFISIOLÓGICOS/MECÂNICOS E FUNCIONAIS ECG - TE ( ) 60 Tubo Digestivo ( ) 60 Sistema Nervoso ( ) 60 Exames Ósteo - Músculo - Articulares ( ) 61 Função Respiratória ( ) 61 ENDOSCÓPICOS Endoscopia Diagnóstica ( ) 61 Endoscopia Intervencionista ( ) 62 MEDICINA LABORATORIAL Bioquímica ( ) 63 Coprologia ( ) 65 Hematologia Laboratorial ( ) 66 Endocrinologia Laboratorial ( ) 67 Imunologia ( ) 68 Líquidos (Cefalorraqueano (Líquor), Seminal, Amnipotico, Sinovial e Outros) ( ) 71 Cefalorraqueano (Líquor) 71 Seminal 71 Amniótico 71 Sinovial e Outros 72 Microbiologia ( ) 72 Urinálise ( ) 72 Diversos ( ) 73 Toxicologia / Monitorização Terapêutica ( ) 73 Biologia Molecular ( ) 74 Radioimunoensaio - In Vitro ( ) 74 MEDICINA TRANSFUSIONAL Transfusão ( ) 75 Processamento ( ) 76 Procedimentos ( ) 76 Transplante de Medula Óssea ( ) 77 GENÉTICA Citogenética ( ) 78 Genética Bioquímica ( ) 79 Genética Molecular ( ) 79 ANATOMIA PATOLÓGICA E CITOPATOLOGIA Procedimentos ( ) 79 MEDICINA NUCLEAR (CINTILOGRAFIA) Cardiovascular - In Vivo ( ) 80 Digestivo - In Vivo ( ) 80 Endócrino - In Vivo ( ) 81 Giniturinário - In Vivo ( ) 81 Hematológico - In Vivo ( ) 81 Músculo - Esquelético - In Vivo ( ) 81 Nervoso - In Vivo ( ) 81 Oncologia / Infectologia - In Vivo ( ) 82 Respiratório - In Vivo ( ) 82 Terapia - In Vivo ( ) 82 Outros - In Vivo ( ) 82 MÉTODOS DIAGNÓSTICOS POR IMAGEM RADIOGRAFIAS 82 Crânio e Face ( ) 82 Coluna Vertebral ( ) 83 Esqueleto Torácico e Membros Superiores ( ) 83 Bacia e Membros Inferiores ( ) 83 Tórax ( ) 83 Sistema Digestivo ( ) 84 14

14 Sistema Urinário ( ) 84 Outros Exames ( ) 84 Procedimentos Especiais ( ) 84 Neurorradiologia ( ) 84 Radioscopia ( ) 85 Angiorradiologia ( ) 85 Métodos Intervencionistas por Imagem ( ) 85 ULTRA-SONOGRAFIA Ultra-sonografia Diagnóstica ( ) 87 Ultra-sonografia Intervencionista ( ) 88 TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Tomografia Computadorizada Diagnóstica ( ) 88 Tomografia Computadorizada Intervencionista ( ) 89 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA Ressonância Magnética Diagnóstica ( ) 89 Ressonância Magnética Intervencionista ( ) 90 RADIOTERAPIA Procedimentos / Técnicas de Radioterapia Externa Procedimentos Secundários de Radioterapia Externa Procedimentos de Braquiterapia Procedimentos Secundários de Braquiterapia EXAMES ESPECÍFICOS Procedimentos ( ) 91 TESTES PARA DIAGNÓSTICO Procedimentos OUTROS Procedimentos Diagnósticos ( ) 92 15

15 Consultas( ) CAPÍTULO 1 - PROCEDIMENTOS GERAIS Visitas( ) Recém-Nascido( ) UTI( ) Remoção/AcompanhamentodePaciente( ) Outros( ) médico Em consultorio (no horario normal ou preestabelecido) AMB Em pronto socorro AMB Consulta Saude Ocupacional AMB Sessoes de Fonoaudiologia AMB - DUT - RN Consulta/sessao de terapia ocupacional - conforme diretriz de utilizacao AMB - DUT - RN Consulta/sessao de nutricao - conforme diretriz de utilizacao AMB - DUT - RN Sessao de Psicoterapia (Psicólogo)- conforme diretriz de utilização AMB - DUT - RN Atividade educacional para planejamento familiar AMB Visita hospitalar (paciente internado) HCO Atendimento ao recem-nascido em bercario HCO Atendimento ao recém-nascido em sala de parto (parto normal ou operatório de baixo risco) HCO Atendimento ao recém-nascido em sala de parto (parto normal ou operatório de alto risco) HCO Atendimento do intensivista diarista (por dia e por paciente) HCO - Atendimento medico do intensivista em UTI geral ou pediatrica (plantao de 12 horas - por paciente) HCO Transporte extra-hospitalar terrestre de pacientes graves, 1ª hora - a partir do deslocamento do Transporte extra-hospitalar terrestre de pacientes graves, por hora adicional - até o retorno do médico à base HCO - - HCO Aconselhamento genetico AMB - HCO Atendimento pediátrico a gestantes (3º trimestre) AMB - HCO - Junta Médica (tres ou mais profissionais) destina-se ao esclarecimento diagnóstico ou decisão de conduta em caso de difícil solução - por profissional HCO - - Junta Medica - pagamento de honorarios medicos referente a 3ª opiniao, conforme Resolução CONSU nº 8 HCO - RN Pericia Medica HCO

16 CAPÍTULO 2 - PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS Avaliações / Acompanhamentos ( ) Acompanhamento clinico ambulatorial pos-transplante renal - por avaliacao HCO Avaliação nutrológica (inclui consulta) AMB - RN Avaliacao nutrológica pre e pos cirurgia bariatrica (incluido na consulta) AMB Rejeicao de enxerto renal - tratamento ambulatorial - avaliacao clinica diaria HCO Avaliacao clinica e eletronica de paciente portador de marcapasso ou sincronizador ou desfibrilador AMB - HCO Acompanhamento clinico ambulatorial pos-transplante de cornea HCO Acompanhamento clinico ambulatorial pos-transplante de medula ossea autologa HCO - - Monitorizações ( ) Holter de 24 horas - 2 ou mais canais - analogico AMB Holter de 24 horas - 3 canais - digital AMB Monitorizacao ambulatorial da pressao arterial - MAPA (24 horas) AMB Tilt Teste Reabilitações - Sessões ( ) - DUT Adaptacao e treinamento de recursos opticos para visao subnormal (por sessao) - binocular AMB Amputacao bilateral (preparacao do coto) AMB - HCO Amputacao bilateral (Treinamento Protetico) AMB - HCO Amputacao unilateral (preparacao do coto) AMB - HCO Amputacao unilateral (treinamento protetico) AMB - HCO Assistencia fisiatrica respiratoria em pre e pos-operatorio de condicoes cirurgicas AMB - HCO Ataxias AMB - HCO Atendimento fisiatrico no pre e pos operatorio de pacientes para prevencao de sequelas AMB - HCO Biofeedback com EMG AMB - HCO Bloqueio fenolico, alcoolico ou com toxina botulinica por segmento corporal AMB - HCO Desvios posturais da coluna vertebral AMB - HCO Disfuncao vesico-uretral AMB - HCO Distrofia simpatico-reflexa AMB - HCO Disturbios circulatorios arterio-venosos e linfaticos AMB - HCO Doencas pulmonares atendidas em ambulatorio AMB - HCO Exercicios de ortoptica (por sessao) AMB Exercicios para reabilitacao do asmatico (ERAC) - por sessao coletiva AMB - HCO Exercicios para reabilitacao do asmatico (ERAI) - por sessao individual AMB - HCO Hemiparesia AMB - HCO Hemiplegia AMB - HCO Hemiplegia e hemiparesia com afasia AMB - HCO Hipo ou agenesia de membros AMB - HCO Infiltração de ponto gatilho (por músculo) ou agulhamento seco (por músculo) AMB - HCO Lesao nervosa periferica afetando mais de um nervo com alteracoes sensitivas e/ou motoras AMB - HCO Lesao nervosa periferica afetando um nervo com alteracoes sensitivas e/ou motoras AMB - HCO Miopatias AMB - HCO Paciente com D.P.O.C. em atendimento ambulatorial necessitando reeducacao e reabilitacao respiratoria AMB - HCO Paciente em pos-operatorio de cirurgia cardiaca, atendido em ambulatorio, duas a tres vezes por semana AMB - HCO Pacientes com doenca isquemica do coracao, atendido em ambulatorio de 8 a 24 semanas AMB - HCO Pacientes com doencas neuro-musculo-esqueleticas com envolvimento tegumentar AMB - HCO Paralisia cerebral AMB - HCO Paralisia cerebral com disturbio de comunicacao AMB - HCO Paraparesia/tetraparesia AMB - HCO Paraplegia e tetraplegia AMB - HCO Parkinson AMB - HCO Patologia neurologica com dependencia de atividades da vida diaria AMB - HCO Patologia osteomioarticular em um membro AMB - HCO Patologia ostemioarticular em dois ou mais membros AMB - HCO Patologia osteomioarticular em um segmento da coluna AMB - HCO Patologia osteomioarticular em diferentes segmentos da coluna AMB - HCO Patologias Osteomioarticulares com dependencia de atividades da vida diaria AMB - HCO Recuperacao funcional pos-operatoria ou por imobilizacao da patologia vertebral AMB - HCO - 17

17 Processos inflamatorios pelvicos AMB - HCO Queimados - seguimento ambulatorial para prevencao de sequelas (por segmento) AMB - HCO Reabilitacao labirintica (por sessao) Reabilitacao perineal com biofeedback Recuperacao funcional de Disturbios cranio-faciais AMB - HCO Recuperacao funcional pos-operatoria ou pos-imobilizacao gessada de patologia ortopedica ou traumatologica com complicacoes neuro-vasculares afetando um membro Recuperacao funcional pos-operatoria ou pos-imobilizacao gessada de patologia osteomioarticular com complicacoes neurovasculares afetando mais de um membro AMB - HCO - AMB - HCO Retardo do desenvolvimento psicomotor AMB - HCO Sequelas de traumatismos toracicos e abdominais AMB - HCO Sequelas em politraumatizados (em diferentes segmentos) AMB - HCO Sinusites AMB - HCO Reabilitacao cardiaca supervisionada. Programa de 12 semanas. Duas a tres sessoes por semana (por sessao) Terapêutica ( ) AMB - HCO Actinoterapia (por sessao) AMB - HCO Aplicacao de hipossensibilizante em consultorio (AHC) exclusive o alergeno - "Planejamento técnico para" AMB - HCO Cateterismo vesical em retencao urinaria AMB - HCO Cauterizacao quimica vesical AMB - HCO Cerumen - remocao (bilateral) AMB - HCO Crioterapia (grupo de ate 5 lesoes) AMB - HCO Curativos em geral com anestesia, exceto queimados AMB - HCO Curativo de extremidades de origem vascular AMB - HCO Curativos em geral sem anestesia, exceto queimados AMB - HCO Dilatacao uretral (sessao) AMB - HCO Fototerapia com UVA (PUVA) (por sessao) AMB Imunoterapia especifica - 30 dias - planejamento tecnico AMB - HCO Imunoterapia inespecifica - 30 dias - planejamento tecnico AMB - HCO Instilacao vesical ou uretral AMB - HCO Sessao de Oxigenoterapia hiperbarica - conforme diretriz de utilização HCO - - DUT - RN Sessao de psicoterapia individual AMB - DUT Sessao de psicoterapia infantil AMB - DUT Terapia Inalatoria - por nebulizacao (Faz parte do atendimento médico) AMB - HCO Terapia oncologica com altas doses - planejamento e 1 dia de tratamento Terapia oncologica com altas doses - por dia subsequente de tratamento Terapia oncologica com aplicacao de medicamentos por via intracavitaria ou intratecal - por procedimento HCO Terapia oncologica com aplicacao intra-arterial ou intravenosa de medicamentos em infusao de duracao minima de 6 horas - planejamento e 1º dia de tratamento Terapia oncologica com aplicacao intra-arterial ou intravenosa de medicamentos em infusao de duracao minima de 6 horas - por dia subsequente de tratamento Terapia oncologica - planejamento e 1º dia de tratamento Terapia oncologica - por dia subsequente de tratamento Curativo de ouvido (cada) AMB - HCO Pulsoterapia / terapia imunológica intravenosa (por sessão) - ambulatorial AMB - HCO - PROCEDIMENTOS CLÍNICOS HOSPITALARES Avaliações / Acompanhamentos ( ) Acompanhamento clinico de transplante renal no periodo de internacao do receptor e do doador (posoperatorio ate 15 dias) HCO Cardioversao eletrica eletiva (avaliacao clinica, eletrocardiografica, indispensavel a desfibrilacao) AMB - HCO Rejeicao de enxerto renal - tratamento internado - avaliacao clinica diaria - por visita AMB - HCO Tratamento Conservador de traumatismo cranioencefalico, hipertensao intracraniana e hemorragia (por dia) AMB - HCO Avaliacao clinica diaria enteral HCO Avaliacao clinica diaria parenteral HCO

18 Avaliacao clinica diaria parenteral e enteral HCO - Monitorizações ( ) Cardiotocografia anteparto AMB - HCO Cardiotocografia intraparto (por hora) ate 6 horas externa AMB - HCO Monitorizacao hemodinamica invasiva (por 12 horas) HCO Monitorizacao neurofisiologica intra-operatoria HCO Potencial evocado intra-operatorio - monitorizacao cirurgica (PE/IO) HCO Monitorizacao da pressao intracraniana (por dia) HCO - Reabilitações - Sessões ( ) Assistencia fisiatrica respiratoria em paciente internado com ventilacao mecanica AMB - HCO Assistencia fisiatrica respiratoria em doente clinico internado AMB - HCO - Terapêutica ( ) Cardioversao eletrica de emergencia AMB - HCO Cardioversao quimica de arritmia paroxistica em emergencia AMB - HCO Priapismo - tratamento nao cirurgico AMB - HCO Terapia oncologica com aplicacao intra-arterial de medicamentos, em regime de aplicacao peroperatoria, por meio de cronoinfusor ou perfusor extra corporea HCO Pulsoterapia / terapia imunológica intravenosa (por sessão) - hospitalar AMB - HCO - 19

19 CAPÍTULO 3 - PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS E INVASIVOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO / ANEXOS Procedimentos ( ) Apendice pre auricular - resseccao Autonomizacao de retalho - por estagio HCO Biopsia de pele, tumores superficiais, tecido celular subcutaneo, linfonodo superficial, etc AMB - HCO Biopsia de unha AMB - HCO Calosidade e/ou mal perfurante - desbastamento (por Lesao) AMB - HCO Cauterizacao quimica (por grupo de ate 5 lesoes) AMB - HCO Cirurgia da Hidrosadenite ( por regiao) HCO Correcao cirurgica de linfedema (por estagio) HCO Correcao cirurgica de sequelas de alopecia traumatica com microenxertos pilosos ( por regiao) HCO Correcao de deformidades por exerese de tumores, cicatrizes ou ferimentos com o emprego de expansores em retalhos musculares ou miocutaneos (por estagio) HCO - Correcao de deformidades por exerese de tumores, cicatrizes ou ferimentos com o emprego de expansores em retalhos cutaneo (por estagio) HCO - HCO Somente Correcao de lipodistrofia braquial, crural ou trocanteriana de membros superiores e inferiores Criocirurgia (nitrogenio liquido) de neoplasias cutaneas AMB - HCO Curativo de queimaduras - por unidade topografica (UT) ambulatorial AMB - HCO Curativo de queimaduras - por unidade topografica (UT) hospitalar AMB - HCO Curativo especial sob anestesia - por unidade topografica (UT) HCO Curetagem e eletrocoagulacao de CA de pele (por Lesao) AMB - HCO Curetagem simples de lesoes de pele (por grupo de ate 5 lesoes) AMB - HCO Dermoabrasao de lesoes cutaneas Dermolipectomia para correcao de abdomen em avental HCO - DUT Desbridamento cirurgico - por unidade topografica (UT) AMB - HCO Eletrocoagulacao de lesoes de pele e mucosas - com ou sem curetagem (por grupo de ate 5 lesoes) AMB - HCO Enxerto cartilaginoso HCO Enxerto composto HCO Enxerto de mucosa HCO Enxerto de pele (homoenxerto inclusive) HCO Enxerto de pele multiplo - por unidade topografica (UT) HCO Escalpo parcial - tratamento cirúrgico HCO Escalpo total - tratamento cirurgico HCO Escarotomia descompressiva (pele e estruturas profundas) - por unidade topografica (UT) Exerese de higroma cistico HCO Exerese de higroma cistico no RN e lactente HCO Exerese de Lesao com auto-enxertia AMB - HCO Exérese e sutura de lesões (circulares ou não) com rotação de retalhos cutâneos AMB - HCO Exerese de tumor de pele e mucosas AMB - HCO Exerese de tumor e rotacao de retalho musculo-cutaneo AMB - HCO Exerese de unha AMB - HCO Exerese e sutura simples de pequenas lesoes, grupo de ate 5 lesoes AMB - HCO Expansao tissular (por sessao) HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - excisao e retalhos cutaneos da regiao HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - exerese e emprego de retalhos cutaneos ou musculares cruzados (por estagio) HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - exérese e retalhos cutâneos à distância HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - exerese e rotacao de retalho fasciocutaneo ou axial HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - exerese e rotacao de retalhos miocutaneos HCO Extensos ferimentos, cicatrizes ou tumores - exerese e rotacao de retalhos musculares HCO Extensos ferimentos, cicatrizes, ou tumores - exerese e enxerto cutaneo HCO Face - Biopsia AMB - HCO Ferimentos imfectados e mordidas de animais (desbridamento) 20

20 Incisão e drenagem de tenossinovites purulentas OD Incisao e drenagem de abscesso, hematoma ou panaricio OD Incisao e drenagem de flegmao OD Infiltracao intralesional, cicatricial e hemangiomas - por sessao AMB - HCO Matricectomia por dobra inguenal Plastica em Z ou W AMB - HCO Reconstrucao com retalhos de galea aponeurotica HCO Retalho composto (incluindfo cartilagem ou osso) HCO Retalho local ou regional HCO Retalho muscular ou miocutaneo HCO Retirada de corpo estranho subcutaneo AMB - HCO Retracao cicatricial de axila - tratamento cirurgico HCO Retracao cicatricial de zona de flexao e extensao de membros superiores e inferiores HCO Retracao cicatricial do cotovelo - tratamento cirurgico HCO Retracao de aponevrose palmar (Dupuytren) HCO Sutura de extensos ferimentos com ou sem desbridamento AMB - HCO Sutura de pequenos ferimentos com ou sem desbridamento AMB - HCO Transeccao de retalho HCO Transferencia intermediaria de retalho HCO Tratamento cirurgico de bridas constrictivas HCO Tratamento cirurgico de grandes hemangiomas HCO Tratamento da miiase furunculoide (por Lesao) AMB - HCO Tratamento de escaras ou ulceracoes com enxerto de pele HCO Tratamento de escaras ou ulceracoes com retalhos cutaneos locais HCO Tratamento de escaras ou ulceracoes com retalhos miocutaneos ou musculares HCO Tratamento de fistula cutanea HCO TU parte moles - exerese HCO Exérese e sutura de hemangioma, linfangioma ou nevus (por grupo de até 5 lesões) HCO Abscesso de unha (drenagem) - tratamento cirurgico AMB - HCO Cantoplastia ungueal AMB - HCO Unha (enxerto) - tratamento cirurgico AMB - HCO - CABEÇA E PESCOÇO Lábio ( ) Biopsia de labio DUT - OD Excisao com plastica de vermelhao HCO Excisao com reconstrucao a custa de retalhos HCO Excisao com reconstrucao total HCO Excisao em cunha AMB - HCO Frenotomia labial OD Queiloplastia para fissura labial unilateral - por estagio HCO Reconstrucao de sulco gengivo-labial HCO Reconstrucao total do labio HCO Tratamento cirurgico da macrostomia HCO Tratamento cirurgico da microstomia HCO - Boca ( ) Alongamento cirurgico do palato mole HCO Biopsia de boca DUT - OD Excisao de Lesao maligna com reconstrucao a custa de retalhos locais HCO Excisao de tumor de boca com mandibulectomia HCO Exerese de tumor e enxerto cutaneo ou mucoso HCO Fistula orofacial - tratamento cirurgico HCO Glossectomia subtotal ou total, com ou sem mandibulectomia HCO Palato-queiloplastia unilateral HCO Palatoplastia com enxerto osseo HCO Palatoplastia com retalho faringeo HCO Palatoplastia com retalho miomucoso HCO - 21

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS -

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - Código SUGRUPO 10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - RECÉM-NASCIDO 10104003 PROCEDIMENTOS

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS DA TABELA DE CÓDIGOS E PROCEDIMENTOS

INSTRUÇÕES GERAIS DA TABELA DE CÓDIGOS E PROCEDIMENTOS INTRODUÇÃO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA IMPLANTAÇÃO 1. VALORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS, CONSULTAS E SERVIÇOS AUXILIARES DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS. Para honorários de procedimentos pagos à pessoa física,

Leia mais

PROCEDIMENTOS QUE NECESSITAM DE AUTORIZAÇÃO PRÉVIA / PERÍCIA DO PAS / TRT8

PROCEDIMENTOS QUE NECESSITAM DE AUTORIZAÇÃO PRÉVIA / PERÍCIA DO PAS / TRT8 PROCEDIMENTOS QUE NECESSITAM DE AUTORIZAÇÃO PRÉVIA / PERÍCIA DO PAS / TRT8 s Fisioterápicos Acupuntura (sessão) RPG (Sessão) Fisioterapia (Sessão) Hidroterapia (sessão) Pilates (Sessão) - Para autorização

Leia mais

OFICIAL das tabelas (THM 1990/1992, LPM 1996/1999 e CBHPM 3ª, 4ª e 5ª Edições) com a TUSS

OFICIAL das tabelas (THM 1990/1992, LPM 1996/1999 e CBHPM 3ª, 4ª e 5ª Edições) com a TUSS OFICIAL das tabelas (THM 1990/1992, LPM 1996/1999 e ª, 4ª e 5ª Edições) com a Relacionamento das tabelas (THM 1990/1992, LPM 1996/199 e ª, 4ª e 5ª Edições) com a Descrição 00010014 00010014 00010014 00010014

Leia mais

Life Empresarial Saúde - De/Para TUSS Out/2010

Life Empresarial Saúde - De/Para TUSS Out/2010 Life Empresarial Saúde - De/Para TUSS Out/2010 THM 1990 THM 1992 LPM 1996 LPM 1999 00010014 00010014 00010014 00010014 10101012 10101012 10101012 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido)

Leia mais

CÓDIGO GRUPO TUSS PROCEDIMENTO ROL ANS ROL ANS RN/211. Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) Consulta em domicílio

CÓDIGO GRUPO TUSS PROCEDIMENTO ROL ANS ROL ANS RN/211. Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) Consulta em domicílio CÓDIGO GRUPO TUSS PROCEDIMENTO ROL ANS ROL ANS RN/211 10101012 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10101020 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10101039 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS

Leia mais

Pag. 1 CÓDIGO. ROL ANS Resolução Normativa nº 262,/2011 TUSS ROL

Pag. 1 CÓDIGO. ROL ANS Resolução Normativa nº 262,/2011 TUSS ROL Resolução Normativa nº 262,/2011 GRUPO - SUBGRUPO - PROCEDIMENTO - 10101012 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) CONSULTA MÉDICA 10101012

Leia mais

COD CB 3ª e. SIM 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido)

COD CB 3ª e. SIM 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) L - LEGENDA AZ VM VR COD AMB 92 Não consta no ROL / Consta na TUSS Não consta no ROL / Consta na TUSS / Consta na CBHPM 3ª 4ª ou 5ª Edição Consta no ROL / Consta na TUSS / Referencia de valores CBHPM 4ª

Leia mais

ANEXO XXIV TABELA DE HONORÁRIOS DE FISIOTERAPIA E NORMAS DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS

ANEXO XXIV TABELA DE HONORÁRIOS DE FISIOTERAPIA E NORMAS DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS NEUROLOGIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOMUNICÍPIO - IPM IPM SAÚDE AUDITORIA EM SAÚDE ANEXO XXIV TABELA DE HONORÁRIOS DE FISIOTERAPIA E NORMAS DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO: REDIMENSIONAMENTO DO

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS Instruções Gerais: TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS 01. A presente Tabela de Honorários Médicos foi elaborada com base em critérios uniformes para todas as especialidades e tem como finalidade estabelecer

Leia mais

Relacionamento das tabelas(cbhpm 3ª, 4ª, 5ª Edições) e a TUSS

Relacionamento das tabelas(cbhpm 3ª, 4ª, 5ª Edições) e a TUSS Relacionamento das tabelas(cbhpm 3ª, 4ª, 5ª Edições) e a TUSS CBHPM 3 10101012 10101012 10101012 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 10101020 10101020 10101020 10101020 Em domicílio

Leia mais

Trabalho realizado pela Comissão de Intercâmbio da Unimed/RS

Trabalho realizado pela Comissão de Intercâmbio da Unimed/RS 2010 Rol de Procedimentos Médicos Unimed/RS, codificados conforme a Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS) e valorizados de acordo com os portes da CBHPM. Trabalho realizado pela Comissão de

Leia mais

98200003 50000446 RPG FISIOTERAPIA R$ 33,35. Avaliação Terapia Ocupacional 98400029 não possui Não possui TERAPIA OCUPACIONAL R$ 42,35 98200143

98200003 50000446 RPG FISIOTERAPIA R$ 33,35. Avaliação Terapia Ocupacional 98400029 não possui Não possui TERAPIA OCUPACIONAL R$ 42,35 98200143 DESCRIÇÃO ANTERIOR CÓDIGO ANTERIOR CÓD. TUSS NOMENCLATURA TUSS SERVIÇO VALOR REAJUSTADO EM 17,65% - (VIGENTE A PARTIR DE 01/04/2015) Avaliação Nutricionista 98800140 não possui não possui NUTRICIONISTA

Leia mais

ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS

ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS Anexo A ao Edital de Credenciamento 01/2015 47º BI...página 1/5 ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS Os serviços médico-hospitalares e laboratoriais, objeto

Leia mais

Rol de Procedimentos - Resolução Normativa Nº 262

Rol de Procedimentos - Resolução Normativa Nº 262 Rol de Procedimentos - Resolução Normativa Nº 262 Código TUSS Tab 22 10101012 10101012 10101012 Tabela 22 - Terminologia de Procedimentos e Eventos em Saúde (TUSS) 2012 Consulta em consultório (no horário

Leia mais

TUSS (Terminologia Unificada em Saúde Suplementar) (COMPATÍVEL COM O ROL 2010 - RN 211)

TUSS (Terminologia Unificada em Saúde Suplementar) (COMPATÍVEL COM O ROL 2010 - RN 211) TUSS (Terminologia Unificada em Saúde Suplementar) (COMPATÍVEL COM O ROL 2010 - RN 211) TRABALHO COORDENADO E PRODUZIDO PELO DR. AMILCAR MARTINS GIRON, PRESIDENTE DA CÂMARA TÉCNICA PERMANENTE DA CBHPM

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS

CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS Montagem: Dr. Jorge Utaliz Silveira - Diretor da AMRIGS Sra. Maria da Graça Gonzalez Schneider Gerente de Defesa Profissional AMRIGS Conceito:

Leia mais

Código AMB. Descrição AMB

Código AMB. Descrição AMB TUSS 1.01.01.012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 00.01.0014 CONSULTA - CLINICO GERAL 1.01.01.012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 00.01.0025

Leia mais

REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2016 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS

REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2016 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2016 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS Código Procedimento Autorização Prévia Valor 2.01.03.00-0

Leia mais

Gestão de Planos CÓDIGO TUSS. 10103015 Atendimento ao recém-nascido em berçário

Gestão de Planos CÓDIGO TUSS. 10103015 Atendimento ao recém-nascido em berçário Situações onde um mesmo código CBHPM é relacionado a diversas AMBs, o relacionamento que está grifado em amarelo é o que será valorizado para pagamento. Procedimentos que foram exclusos da cobertura pelo

Leia mais

Tabela de Honorários e Serviços Médicos (THSM)

Tabela de Honorários e Serviços Médicos (THSM) 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório - consulta médica N 0 0 0 0,0000 R$ 46,20 R$ 49,80 10101039 CONSULTAS CONSULTAS Em pronto socorro - consulta médica N 0 0 0 0,0000 R$ 46,20 R$ 49,80 10102019

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS DA AMAGIS SAÚDE - VIGÊNCIA 01/08/2015

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS DA AMAGIS SAÚDE - VIGÊNCIA 01/08/2015 TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS DA AMAGIS SAÚDE - VIGÊNCIA 01/08/2015 CÓDIGO 1.01.01.00-4 1.01.01.01-2 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 100,00 - - 100,00 1.01.01.03-9 Em pronto socorro

Leia mais

TUSS GRUPOS TUSS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO ROL ANS

TUSS GRUPOS TUSS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO ROL ANS TERMINOLOGIA UNIFICADA DA SAÚDE SUPLEMENTAR Versão 1.0 Conforme determinação legal da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), disposta na Instrução Normativa nº 36 de 04/06/2009, apresentamos a 1ª

Leia mais

TUSS ROL ANS 2014 - RN 338-2013

TUSS ROL ANS 2014 - RN 338-2013 2014 - -2013 NOMENCLATURA AT.DIRETO 10101012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) AT.DIRETO 10101012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) NOMENCLATURA

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR

COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR A Comissão Nacional de Honorários Médicos, em conformidade

Leia mais

Tabela de Honorários e Serviços Médicos (THSM)

Tabela de Honorários e Serviços Médicos (THSM) 10101012 GERAIS (CONSULTAS) CONSULTA CONSULTA EM CONSULTORIO (NO HORARIO NORMAL OU PREE TABELECIDO) N R$ 78,00 R$ 78,00 10101039 GERAIS CONSULTA CONSULTA EM PRONTO SOCORRO N R$ 78,00 R$ 78,00 (CONSULTAS)

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Novembro de 2012 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: Dr. Florentino

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 33.02.01.01 biópsia do colo uterino 0.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

30031 ASSISTENCIA AO RECEM-NASCIDO PEDIATRA EM SALA DE PARTO. 40010 PLANTAO DE 12 HORAS EM UTI

30031 ASSISTENCIA AO RECEM-NASCIDO PEDIATRA EM SALA DE PARTO. 40010 PLANTAO DE 12 HORAS EM UTI 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 10014 CONSULTA MEDICA EM CONSULTORIO 10101039 Em pronto socorro 11037 CONSULTA DE URGENCIA EM PRONTO SOCORRO 10102019 Visita hospitalar (paciente

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº239 FORTALEZA, 18 DE DEZEMBRO DE 2012

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº239 FORTALEZA, 18 DE DEZEMBRO DE 2012 DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº239 FORTALEZA, 18 DE DEZEMBRO DE 2012 73 INSTITUTO DE SAÚDE DOS SERVIDORES DO ESTADO DO CEARÁ PORTARIA Nº211/2012 - A SUPERINTENDENTE DO INSTITUTO DE SAÚDE DOS

Leia mais

PROCEIDMENTOS GERAIS - CONSULTAS - REMOÇÃO / ACOMPANHAMENTO DE PACIENTE PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - OUTROS

PROCEIDMENTOS GERAIS - CONSULTAS - REMOÇÃO / ACOMPANHAMENTO DE PACIENTE PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - OUTROS Código SUGRUPO 10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - RECÉM-NASCIDO 10104003 PROCEDIMENTOS

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED - 2012.02

INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED - 2012.02 0 INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED - 2012.02 1. NORMAS GERAIS PARA VALORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS, CONSULTAS E SERVIÇOS AUXILIARES DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS. 1.1 Os portes

Leia mais

Em consultório (no horário normal 10101012 CONSULTAS CONSULTAS ou preestabelecido)

Em consultório (no horário normal 10101012 CONSULTAS CONSULTAS ou preestabelecido) ANEXO I TABELA TUSS CÓDIGO TUSS TUSS GRUPOS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO Em consultório (no horário normal 10101012 CONSULTAS CONSULTAS ou preestabelecido) 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório (no horário

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS

PROCEDIMENTOS GERAIS OBSERVAÇÕES GERAIS ) O IPSEMG se responsabiliza exclusivamente pelo pagamento dos procedimentos constantes nessa Tabela. 2) O IPSEMG remunera os seus credenciados através de pacotes pré-acordados que contemplam:

Leia mais

Código Tab 22 Tabela 22 - Terminologia de Procedimentos e Eventos em Saúde (TUSS) ROL ANS ROL ANS Resolução Normativa nº 338/2013

Código Tab 22 Tabela 22 - Terminologia de Procedimentos e Eventos em Saúde (TUSS) ROL ANS ROL ANS Resolução Normativa nº 338/2013 Correlação - Terminologia de Procedimentos e Eventos em Saúde e Rol de Proce Código Tab 22 Tabela 22 - Terminologia de Procedimentos e Eventos em Saúde (TUSS) ROL ANS ROL ANS Resolução Normativa nº 338/2013

Leia mais

Tabela Unificadora de Procedimento da Saúde TussAns 02/02/2012 16:08

Tabela Unificadora de Procedimento da Saúde TussAns 02/02/2012 16:08 10101012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) GERAIS (CONSULTAS) GERAIS (CONSULTAS) - CONSULTA 10101020 Consulta em domicílio GERAIS (CONSULTAS) GERAIS (CONSULTAS) - CONSULTA

Leia mais

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada SÅo Paulo, 20 de setembro de 2011 Protocolo: 0115/2011 Informo que a partir de 20/09/2011 alguns protocolos de atendimento da especialidade Cirurgia PlÑstica do Hospital das ClÖnicas foram desativados,

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS

ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS l ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS INTRODUÇÃO O Rol de Procedimentos Médicos 2014 da Unimed Sul Capixaba, em vigor desde 02/01/2014, lista os procedimentos, exames e tratamentos com cobertura obrigatória para

Leia mais

Porte Peso R$ PA INC FILME UCO R$

Porte Peso R$ PA INC FILME UCO R$ Baixo Risco = B Alto Risco = A CÓDIGO CBHPM CONSULTAS 1.01.01.00-4 DESCRIÇÃO PROCEDIMENTO HONORÁRIOS MÉDICOS FILME CUSTO OPERACIONAL Porte Peso R$ PA INC FILME UCO R$ Nº de AUX AUTORIZ AÇÃO B 1.01.01.01-2

Leia mais

10103015 Atendimento ao recém-nascido em berçário

10103015 Atendimento ao recém-nascido em berçário 10014 Em consultório (no horário normal ou pré-estabelecido) 10101012 Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 10073 Consulta de urgência 10101039 Consulta em pronto socorro 20010 Visita hospitalar

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 66.02.01.01 biópsia do colo uterino 4.02.01.01 Biópsia de

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Setembro de 2008 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: José Luiz

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 43.02.01.01 biópsia do colo uterino 1.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES CARDIOLOGIA 20010010 ELETROCARDIOGRAMA - ECG R$ 165,00 20010028 TESTE ERGOMÉTRICO R$ 330,00 20010141 ECODOPPLERCARDIOGRAMA R$ 385,00 20010052 HOLTER 24 HORAS R$ 385,00 20020058 MAPA 24 HORAS R$ 385,00

Leia mais

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA:

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: C o b e r t u r a C o n t r a t u a l ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: -ATENDIMENTO 24 horas; I - AS CONSULTAS DE URGÊNCIA serão realizadas com médico plantonista no HOSPITAL

Leia mais

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011 H Convencionados Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010 7 11 de Fevereiro de 2011 Título Actividade cirúrgica dos Convencionados Versão V1 Autores Unidade Central de Gestão

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO COM OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE

GUIA DE RELACIONAMENTO COM OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE GUIA DE RELACIONAMENTO COM OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE www.sbd.org.br 1 EXPEDIENTE ÍNDICE MENSAGEM DA DIRETORIA Guia de relacionamento com operadoras de planos de saúde Uma publicação da Sociedade Brasileira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO Identificação do animal Nome/número RG do HV Espécie: Raça: Idade: Sexo: Peso: Cor: Data e hora do

Leia mais

Rol de Procedimentos Versão: 2012.01 Vigência: 01/01/2012 TUSS / CBHPM 2012.01

Rol de Procedimentos Versão: 2012.01 Vigência: 01/01/2012 TUSS / CBHPM 2012.01 Rol de Procedimentos Versão: 2012.01 Vigência: 01/01/2012 TUSS / CBHPM 2012.01 10100008 10100008 CONSULTAS Consultas 10101004 Código: Procedimentos: Qte.UT: Valor HM: Custo: Fime: N.º Aux.: Porte A.: :

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Setembro de 2005 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: Eleuses Vieira

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Novembro de 2012 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: Dr. Florentino

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 107.02.01.01 biópsia de pele e partes moles 39.02.01.01 Biópsia

Leia mais

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 *****

Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Convênio de reconhecimento de especialidades médicas - Resolução CFM 1666 de 7/5/2003 ***** Ementa: Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM n.º 1.634/2002, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS CONSULTAS CONSULTAS 10101012 CONSULTA EM CONSULTORIO (NO HORARIO NORMAL OU PREESTABELECIDO) 0,00 43,00 0,00 Ambulatorial 0 Suplementar 43,00 N N 10101039 CONSULTA EM PRONTO SOCORRO

Leia mais

TPSR INSTRUÇÕES GERAIS

TPSR INSTRUÇÕES GERAIS TPSR INSTRUÇÕES GERAIS 1 INSTRUÇÕES GERAIS HONORÁRIOS MÉDICOS 1. A TABELA PORTO SEGURO DE REEMBOLSO - TPSR constitui-se como instrumento para cálculo de reembolso das despesas cobertas pelo contrato de

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192)

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192) Página 1 de 17 RESOLUÇÃO CFM Nº 1.763/05 (Publicada no D.O.U., de 09 Mar 2005, Seção I, p. 189-192) Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 1.666/2003, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

Tabela TUSS Eletros-Saúde INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS

Tabela TUSS Eletros-Saúde INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS Tabela TUSS Eletros-Saúde INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS 1.1 A presente Classificação de Procedimentos foi elaborada com base em critérios técnicos e tem como

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 1/2014-EBSERH/HUSM-UFSM ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 Médico Alergia

Leia mais

1. Os atendimentos contratados de acordo com esta TPMC serão realizados em locais, dias e horários preestabelecidos.

1. Os atendimentos contratados de acordo com esta TPMC serão realizados em locais, dias e horários preestabelecidos. INSTRUÇÕES GERAIS 1. TUSS PROCEDIMENTOS MÉDICOS CABERGS - TPMC 1. Os atendimentos contratados de acordo com esta TPMC serão realizados em locais, dias e horários preestabelecidos. 1.2 Esta TPMC constitui

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Outubro de 2010 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: José Luiz Gomes

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO 2015 VIGÊNCIA 01/07/2015. Gerência de Saúde 1

TABELA DE REEMBOLSO 2015 VIGÊNCIA 01/07/2015. Gerência de Saúde 1 AUXILIARES 10101012 CONSULTA EM CONSULTÓRIO (NO HORÁRIO NORMAL OU PREESTABELECIDO) R$ 90,00 R$ - 0 GERAIS GERAIS 10101039 CONSULTA EM PRONTO SOCORRO R$ 45,20 R$ - 0 GERAIS GERAIS 10102019 VISITA HOSPITALAR

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Setembro de 2008 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos Organizador: José Luiz

Leia mais

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA

ADITIVO DE REDUÇÃO MÁXIMA DE CARÊNCIA E DOS PRAZOS PARA INÍCIO DA COBERTURA DE DOENÇAS PREEXISTENTES - CONTRATOS - PESSOA FÍSICA FOLHA 1/5 DO OBJETO Este aditivo tem por finalidade alterar a redução dos prazos de carência e dos prazos para início das coberturas e eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta

Leia mais

TUSS ROL ANS 2014 - RN 338-2013

TUSS ROL ANS 2014 - RN 338-2013 27/03/2014 27/03/2014 27/03/2014 17/12/2009 17/12/2009 14/06/2010 27/04/2006 27/01/2010 AT.DIRETO 10101012 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) AT.DIRETO 10101012 Consulta em

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 Honorário de Psicologia 1010111 8 Sessao de Psicoterapia / Psicologo - (12 ou ate 40 por ano se cumprir diretriz de utilização definida pelo

Leia mais

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011.

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011. Portaria 024/2011 Estabelece protocolos operacionais para a atividade de Regulação e Auditoria no âmbito do IPSEMG. A Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, no

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR

COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR COMISSÃO NACIONAL DE HONORÁRIOS MÉDICOS COMUNICADO OFICIAL AOS MÉDICOS E ÀS ENTIDADES CONTRATANTES QUE INTEGRAM O SISTEMA DE SAÚDE SUPLEMENTAR A Comissão Nacional de Honorários Médicos, em conformidade

Leia mais

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85

FAMILIAR Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a 18 anos 76,35 106,89 19 a 23 anos 76,35 106,89 24 a 28 anos 92,75 129,85 Imprimir Voltar http://www.melhoresplanosdesaude.com.br (11 ) 2348-1100 - 3226-3000 MEDICAL HEALTH - MAIO 2014 - Taxa de Adesão : R$ 20,00 INDIVIDUAL Planos IND 200 IND 250 Acomodação Enfer. Apto. 00 a

Leia mais

Atualizado em Março/2014.

Atualizado em Março/2014. ANEXO I PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER REGISTRADOS EM BPA INDIVIDUALIZADO DE ACORDO COM A PORTARIA Nº 380, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Atualizado em Março/2014. CÓDIGO NOME 0201010062 BIOPSIA DE BEXIGA 0201010216

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ ANEXO I EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N 008/2014 PARA CREDENCIAMENTO DE HOSPITAIS E CLÍNICAS HABILITADOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE, ASSIM COMPREENDIDOS OS CENTROS DE INFUSÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS;

Leia mais

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO Tabela Comercial UNIFAMÍLIA EMPRESARIAL POR ADESÃO COPARTICIPATIVO 50% Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia Cobertura de consultas médicas de pré-natal, exames complementares bem como atendimentos

Leia mais

Tabela SulAmérica Saúde

Tabela SulAmérica Saúde Tabela SulAmérica Saúde Jan/14 Índice 1. Instruções Gerais... 2 1.1 Atendimento de Urgência e Emergência... 2 1.2 Normas Gerais... 2 1.3 Valoração dos Atos Cirúrgicos... 3 1.4 Auxiliares de Cirurgia...

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010 SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO ESTADO Republicação da resolução n 04 de 21 de dezembro de 2009 Número de Publicação:

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão 2014.03 Vigência: 01/06/2014

INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão 2014.03 Vigência: 01/06/2014 INSTRUÇÕES GERAIS DO ROL DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS UNIMED Versão 2014.03 Vigência: 01/06/2014 1. NORMAS GERAIS PARA VALORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS, CONSULTAS E SERVIÇOS AUXILIARES DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS.

Leia mais

Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE

Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE Prezado (a) Associado (a) Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE Somos uma Operadora de Planos de Saúde constituída fundamentalmente por hospitais e centros médicos que, preocupados com a qualidade,

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO SABESPREV - VIGÊNCIA 01/05/2013

TABELA DE REEMBOLSO SABESPREV - VIGÊNCIA 01/05/2013 00060020 SESSÃO DE NUTRIÇÃO R$ 45,00 R$ - 0 GERAIS GERAIS 00100323 SESSÃO DE TERAPIA OCUPACIONAL R$ 45,00 R$ - 0 10101012 CONSULTA EM CONSULTÓRIO (NO HORÁRIO NORMAL OU PRÉ-ESTABELECIDO) R$ 80,00 R$ - 0

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS

INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS INSTRUÇÕES GERAIS 1. CLASSIFICAÇÃO HIERARQUIZADA DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS 1.1 A presente Classificação de s foi elaborada com base em critérios técnicos e tem como finalidade hierarquizar os procedimentos

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina CFM, a Associação

Leia mais

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Dispõe sobre a duração e o conteúdo programático da Residência Médica de Cirurgia da Mão O PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA, no uso das

Leia mais

Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade

Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade 0002 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 00039 Consulta em pronto socorro 00209 Visita hospitalar (paciente internado)

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015 RESOLUÇÃO CFM Nº 2.116/2015 (Publicada no D.O.U. de 04 de fevereiro de 2015, Seção I, p. 55) Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 2.068/2013, que celebra o convênio de reconhecimento

Leia mais

EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE

EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE RADIOLOGIA Radiologia - CABEÇA E PESCOÇO Crânio, 1 incidência 15,00 1,10 Crânio, 2 incidências 20,00 1,20 Sela turca 10,00 0,60 Mastóides, 1 incidência 30,00 1,00 Mastóides,

Leia mais

Lista de Procedimentos e Preços - LPP - CEMIG SAÚDE

Lista de Procedimentos e Preços - LPP - CEMIG SAÚDE CAPÍTULO 1 - PROCEDIMENTOS GERAIS CONSULTAS - 1.01.00.00-8 CONSULTAS (1.01.01.00-4) Autorização Código Procedimento Incidência Filme Auxiliar Porte Anestésico Porte Peso Qte Uco Uco DA 10101012 Em consultório

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS

QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS QUESTIONÁRIO PARA O SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL PARA MÉDICOS, PSICÓLOGOS, FISIOTERAPEUTAS E DEMAIS PRESTADORES DE SERVIÇOS MÉDICOS O objetivo deste questionário é analisar as atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro - CISNORPI, no uso de suas atribuições legais, resolve: Regulamentar o Credenciamento

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, n. 81, 29 abr.2002. Seção 1, p. 265-66 Alterada pela Resolução CFM nº 1666/03 (Anexo II) O CONSELHO

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Procedimentos videoartroscópicos Procedimentos Porte

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Procedimentos videoartroscópicos Procedimentos Porte RESOLUÇÃO NORMATIVA CNHM Nº 003/2007 AOS MÉDICOS, HOSPITAIS E ENTIDADES CONTRATANTES A Comissão Nacional de Honorários Médicos e Sociedades Brasileiras de Especialidade comunicam as seguintes alterações,

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO E/OU TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA COM NUTRICIONISTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA/SESSÃO COM TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA.

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA. Nome do setor/especialidade: Horário de funcionamento: Meios de agendamento oferecidos ao usuário para utilização/acesso aos serviços: Requisitos necessários para a obtenção dos serviços: Serviços oferecidos:

Leia mais

Tabela TUSS. CÓDIGO TUSS GRUPOS TUSS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório (no horário normal ou preestabelecido)

Tabela TUSS. CÓDIGO TUSS GRUPOS TUSS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) Tabela TUSS CÓDIGO TUSS GRUPOS TUSS SUBGRUPOS PROCEDIMENTO 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 10101012 CONSULTAS CONSULTAS Em consultório (no horário normal

Leia mais

TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013

TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 Vigência: 21/03/2015 10101118 10101121 de Psicologia Sessao de Psicoterapia / Psicologo - (12 ou ate 40 por ano se cumprir diretriz de utilização definida

Leia mais

COBERTURAS E CARÊNCIAS:

COBERTURAS E CARÊNCIAS: PLANO REGIONAL E LOCAL UNIVERSITARIO PESSOA FÍSICA Lei 9656/98 ANS Beneficiários que residem em Guaratinguetá, Aparecida, Cunha ou Potim Definições: Unimed: Cooperativa de Trabalho Médico, regida pela

Leia mais

I - PATOLOGIAS NEUROLÓGICAS (25.02.000.-5):

I - PATOLOGIAS NEUROLÓGICAS (25.02.000.-5): PORTARIA NORMATIVA Nº. 011-2009/DIASS Regulamenta o atendimento de Fisioterapia aos usuários do IPASGO SAÚDE. O Diretor de Assistência do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás

Leia mais

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA TABELA DE RADIOLOGIA RADIOLOGIA CONVENCIONAL CABEÇA E PESCOÇO 10004 700.5 Crânio, uma incidência 5,13 1,80 10005 084.1 Crânio, duas incidências 5,46 1,80 10010 109.0 Sela turca 2,65 1,80 10024 094.9 Mastóides,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Biomedicina (17) Ano: 2013 Semestre: 2 Período: 2 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS

CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO 09/2014-EBSERH/HU-UFMS ANEXO II DO EDITAL Nº 02 - EBSERH - ÁREA MÉDICA, DE 17 DE ABRIL DE 2014 RELAÇÃO DE EMPREGOS E REQUISITOS Código Especialidade Requisitos 801 802 Médico Alergia e

Leia mais