Planificação da Formação Total

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planificação da Formação Total"

Transcrição

1 Planificação da Formação Total Mobility Coach - Introdução e Indução - Duração 5 horas Tempo: Assunto: Método: Resultado: Material: Introdução à Formação e ao Projeto Mobility Coach Apresentação-PP Os participantes recebem informação sobre o projecto e sobre a estrutura e método de formação. Apresentação em PowerPoint: Introdução, projector, computador 1 Apresentação dos Participantes Definição de Mobility Coach Exercício de Grupo Orgulho & Preconceito : Cada participante recebe um mesmo número de cartões e fica a conhecer os outros participantes. Este exercício deve ser realizado em Inglês. Exercício em pequenos grupos: Entrevista a transeuntes (indoor e outdoor) Os participantes apresentam-se de forma simples e agradável. Os participantes sentem-se como forasteiros num país estrangeiro, com o objetivo de refletirem sobre os perfis e deveres de um/a Mobility Coach em maior profundidade. O resultado concreto do exercício será uma lista das dificuldades que podem surgir. Descrição do exercício Orgulho & Preconceito, cartões tal como descrito no exercício Descrição do exercício Entrevista a transeuntes, smartphone ou computador, quadro branco, cartões, canetas, papel 45 Definição de Mobility Coach Exercício em pequeno grupo e em plenário. Brainstorming sobre Mobility Coaches: discussão sobre o perfil e tarefas de um Mobility Coach em pequenos grupos e na sessão plenária. Os participantes ficam com uma noção do perfil de um/a Mobility Coach e dos seus deveres. Dividido em três fases: indução, orientação e comunicação intercultural. O resultado concreto deverá ser a definição de Mobility Coach e uma lista dos seus deveres. Quadro branco, cartões, canetas, papel 1

2 70 Criação de um processo de indução Exercício em pequeno grupo e na sessão plenária Os participantes aprendem a criar a situação de indução de um jovem estrangeiro Descrição do exercício, quadro branco, cartões, canetas, papel 30 Feedback de todo o módulo A definição de Mobility Coach, o seu perfil e tarefas serão genericamente discutidos Os participantes devem estar seguros do perfil, papel e deveres de um/a Mobility Coach Quadro branco, cartões, canetas, papel 2

3 Planificação do Mobility Coach- Módulo 2: Orientação Duração do Módulo: 4 horas Tempo: Assunto: Método: Resultado: Material: Exercício para casa - Apresentação Exercício Individual Caso não desejem utilizar o Facebook: Poderão faze-lo via ou mailgroups. Padlet.com Os participantes refletem individualmente, partilham os seus pensamentos, e reúnem as conclusões do grupo com recurso às TIC - Computador Pessoal / Computador Portátil - Apresentação (PowerPoint) - Guião do exercício - Anexo 1: exercício Roda da Vida - Internet - Conta de Facebook 45 Exercício para casa - Reflexão - Sessão plenária para recolha e discussão das conclusões do exercício realizado em casa Os participantes irão fazer um debate conjunto, alcançando algumas conclusões sobre o perfil e conpetências do MC - Computador Pessoal / Computador Portátil - Internet - Conta de Facebook Introdução ao tema - Coaching - Apresentação em PowerPoint com imagens e palavras-chave para salientar: Reflexão Interpretação livre Discussão Os participantes aprendem a definição de coaching, os seus princípios e ferramentas principais. - Colunas - Computador Pessoal / Computador Portátil - Apresentação (PowerPoint) - Video Sabia que? - Video da curtametragem A origem dos guardiões - Documentos de apoio 3

4 25 60 Exercício de Escuta Ativa Comunicação e Coaching Exercício de Escuta Ativa Metodologia de Coaching Simulação de uma sessão de Coaching - Exercício Exercício para compreender os resultados de uma má comunicação Tema da discussão plenária: - Antecedentes da comunicação e principais aspectos da comunicação para um coach Exercício para introduzir uma reflexão sobre as próprias competências de escuta activa Temas da discussão plenária: - Antecedentes do coaching - Metodologia - Ferramentas de coaching para uma sessão/intervenção neste âmbito - Apresentação em PowerPoint Role play para simular a situação de um/a mobility coach a apresentar a mobilidade, o coaching e aspetos interculturais Os participantes experienciam de forma engraçada as barreiras de comunicação e os efeitos do ruído na comunicação, etc. Os participantes aprendem a reconhecer a abordagem de comunicação adequada à actividade de coach. Os participantes respondem individualmente a um questionário sobre competências de escuta activa e, posteriormente, partilham e discutem os resultados. Os participantes aprendem sobre a Metodologia de Coaching, bem como a reconhecer as atitudes e ferramentas principais numa sessão/intervenção de Coaching Alguns participantes voluntariam-se para a simulação de uma sessão de coaching em situação de mobilidade - Guiões dos exercícios - Outro equipamento para as tarefas / exercícios - Anexo 2: exercício Relatório de Ocorrência - Computador Pessoal / Computador Portátil - Apresentação (PowerPoint) - Quadro e marcadores (flipchart) - Documentos de apoio - Anexo 3: exercício Auto-avaliação da Escuta Activa - Computador Pessoal / Computador Portátil - Apresentação (PowerPoint) - Vídeos - Documentos de apoio - Anexo 4: exercício Simulação de uma Sessão de Coaching - Guiões dos exercícios 4

5 Os restantes participantes observam a simulação, de cordo com uma grelha de avaliação Exercício sobre o perfil de Coach Avaliação Exercício para encorajar a reflexão sobre as competências e aptidões individuais de coaching Discussão final sobre o tópico Coaching para a Mobilidade: Os participantes são questionados sobre o modo como se vêem no papel de Coach, e o modo como o aplicam na prática, enquanto Mobility Coach. Discussão plenária e conclusões Os participantes respondem, individualmente, a um questionário sobre competências e aptidões de coaching, e posteriormente partilham e debatem os resultados. Os participantes refletem sobre as aprendizagens realizadas e identificam aquilo que poderão transportar para a sua prática. - Anexo 5: exercício Auto-avaliação de Coaching - Quadro (flipchart) com questões de avaliação - Plenário 5

6 Planificação do Mobility Coach - Módulo 3: Comunicação Intercultural Duração do Módulo: 3.10 horas Tempo: Assunto: Método: Resultado: Material: 10 Introdução ao Tema - Comunicação Intercultural Introdução plenária: I = Interesse: Começa com um exemplo claro de comunicação intercultural N = Necessidade: Porque é importante lidar extensamente com esta questão? T = Tempo: Quanto tempo vai durar este módulo? (gestão de expetativas) R = Resposta: Como pode o participante responder? O = Objetivos: Como o podemos utilizar na prática? I = Interesse: O formador conta uma história sobre o modo como a comunicação intercultural ocorre na realidade. A história é sobre a forma como as pessoas olham o outro, independentemente da sua origem. Ela sublinha um fenómeno com o qual todos temos, eventualmente, de lidar, pelo que será reconhecido por todos os participantes. N = Necessidade: Importa que, no contexto da mobilidade, observemos a imagem que temos dos outros e de outras culturas, sendo que esta imagem é, frequentemente, configurada por preconceitos firmados no nosso ambiente. Esta imagem, que é por vezes distorcida, afeta o modo como comunicamos com os outros. - Colunas - Computador Pessoal / Computador Portátil- Apresentação (PowerPoint) e vídeos (YouTube, USB) - Quadro (flipchart) com marcadores - Fita-cola - Crachás de identificação - Caneta - Pastas para o material de apoio - Documentos de apoio: Enquadramento - Documentos de apoio: tarefas / exercícios - Outro equipamento para as tarefas / exercícios T = Tempo: Este módulo tem a duração de aproximadamente três horas, durante as quais iremos trabalhar com diferentes métodos. 6

7 R = Resposta: Os participantes são livres de colocar questões, e são incentivados a fazê-lo após a apresentação teórica. Quebra-gelo Diz Olá Comunicação Intercultural Um exercício para criar a disponibilidade adequada entre os participantes (cf. Anexo 1: exercício 'Diz Olá') Tema da discussão plenária: (c.f. Anexo 2: Teoria da Cultura) - São explicados os antecedentes do desenvolvimento das diferenças culturais. - Visualização de um vídeo sobre diferenças culturais O = Objectivos: Este módulo ensina o formando a estar consciente das muitas concepções prévias que tem em relação aos outros e às outras culturas. Estas não irão desaparecer de imediato, no entanto, a tomada de consciência das mesmas é já um importante passo na direcção certa. Ajuda a manter a comunicação com pessoas de outras culturas, tendo em consideração as diferenças e semelhanças culturais Os participantes experienciam, de forma divertida, algumas diferenças entre várias culturas. Em grupos de participantes que não se conhecem bem, é importante que o façam de forma interativa neste exercício. No contexto da comunicação, os participantes aprendem a facultar feedback uns aos outros, de forma não ameaçadora. Os participantes aprendem a reconhecer diferenças culturais e a estarem despertos para essas diferenças. Pretendemos descobrir o que faz as pessoas de outras culturas reagirem e de onde vêm esses indutores. - Anexo 1: exercício 'Diz Olá' - Cartões com as tarefas, dados pelo formador aos participantes à em alternativa, utilizar o Anexo 1 A: O Expresso Oriente - Documento com a teoria sobre diferenças culturais - Vídeo (YouTube, USB) sobre diferenças culturais =-mxqoug1bns =bdefdfebuqk =PSt_ op3fqck =2-QNSCVQ-7Y - Questões /afirmações utilizadas na apresentação 7

8 - Apresentação em PowerPoint com algumas questões ou afirmações que deverão constituir o ponto de partida para uma discussão sobre preconceitos. Comece com um filme, exiba a apresentação em powerpoint e depois promova um debate com os participantes 10 Reconhecer a Comunicação Não-Verbal (gestos) Apresentação em PowerPoint com vários gestos: qual o seu significado em vários países? Este é um pequeno exercício que pode não ser utilizado Os participantes irão visualizar a apresentação em PowerPoint e discutir os gestos presentes nas imagens. Permite-lhes perceber o quão facilmente pode ocorrer uma falha na comunicação, apenas utilizando e interpretando gestos. Apresentação em PowerPoint com imagens de diferentes gestos e hábitos. Documento de apoio (Anexo 3) 'Comunicação Não-verbal noutras culturas ' Representa a tua cultura Posterior Discussão Plenária Exercício individual: (ver Anexo 3 a tua cultura com ficha de trabalho Representa a tua cultura seguindo os passos da teoria (camadas da cebola) Muito difícil de realizar em Inglês Os participantes representam a sua 'cultura' numa folha de papel, sendo o resultado partilhado em discussão de grupo. Permitelhes reflectirem sobre as diferenças que já se - Fichas de trabalho a tua cultura verificam presentes num grupo de colegas. - Canetas coloridas Torna-os mais conscientes das diferenças. Com este exercício pretende-se criar um espaço de mente aberta a outras perspectivas e formas de ser. Representa outras culturas Posterior Exercício em pares: (c.f. Anexo 4: 'cultura diferente' com Os participantes representam a cultura de outro país, com base nas ideias, preconceitos e experiências que têm dessa cultura. - Ficha de trabalho Cultura diferente - Canetas de cores - Cartões com os nomes (ou bandeiras) de diferentes países, sendo necessários 2 cartões por cada país 8

9 Discussão Plenária folha de trabalho) Este é o mesmo exercício do Anexo 3, mas agora é realizado com outro participante, tendo como objetivo a representação de uma cultura de outro país, baseada nas ideias que o próprio possui sobre o país. Neste exercício, os participantes trabalham, sobretudo, para tomar consciência dos preconceitos em relação a outras culturas. Os pares são formados pelo formador, utilizando cartões com os nomes (ou bandeiras) de diferentes países, e cada participante recebe um cartão. Os dois cartões correspondentes ao mesmo país formam um par. Discussão plenária sobre o tema, com base num conjunto de questões: à O que sobressai? 10 Discussão diferenças culturais à Que camada foi mais difícil de caracterizar? à Que preconceitos surgiram? à Que preconceitos reconheces? Comunicação Comunicação de alto ou baixo contexto: O formador discute a teoria da comunicação de alto ou baixo contexto Os participantes irão ter percepção das diferenças na comunicação entre diferentes culturas. O objectivo é a sensibilização para situações de comunicação com pessoas que Documento 5 Culturas de alto e baixo contexto 9

10 (high/low context communication). Permite que as diferenças se exteriorizem. Conversa orientada Narração de História: Um exercício em que as aptidões de comunicação dos participantes será testada e desenvolvida. possuem um antecedente cultural diferente. As coisas podem ser sempre diferenças daquilo que as pessoas inicialmente pensaram. Comunicação Os participantes irão experienciar como poderá ser comunicar, quer com pessoas que conseguem, quer com outras que estão impedidas de ouvir.este é um exercício simples de comunicação. Anexo 6: exercício Narração de história à em alternativa usar o Anexo 6A: o carrossel da comunicação O quiz dos preconceitos: (cf. Anexo 7: quiz) Cada participante recebe um papel, devendo escrever o seu nome no topo. Preconceitos (alternativa) Uma vez escrito o nome, o participante dá o seu papel ao colega que está do seu lado direito. Após a leitura do nome que consta no papel, este participante escreve a idade estimada da pessoa. O papel é entregue, novamente, à pessoa que se situa à sua direita. Esta ação repete-se após cada nova questão, até que regresse à pessoa cujo nome consta no papel. Os participantes são confrontados com os seus próprios preconceitos, mas também experienciam o modo como são vistos e percebidos pelos outros - Papéis com números - Documento 7 com as questões do quiz à exercício: Orgulho & Preconceito Exemplos de questões no Anexo 7: quiz 30 Preconceitos Discussão plenária sobre a teoria dos (desenvolvimento) preconceitos: (cf. Anexo 8: preconceitos) 10

11 Os participantes ficam a saber como surgem os preconceitos, o que são exatamente e como podem interferir na formação de uma opinião sobre alguém ou sobre as suas ações/comportamentos. É exibido um vídeo sobre um preconceito identificável. Poderão surgir questões, que serão respondidas, caso o tempo disponível o permita. 10 Avaliação Discussão final sobre o tópico: Comunicação Intercultural: Os participantes reflectem sobre o que foi Os participantes são questionados aprendido e identificam o que pode ser relativamente ao que poderão fazer com transportado para a sua prática. esta informação e ao modo como a aplicar na prática como Mobility Coach. - Quadro (flipchart) / PowerPoint com questões de avaliação 11

Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa Centro Novas Oportunidades da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa Rua Saraiva de Carvalho, nº41, 1269-099 Lisboa Tel: 21 114 89 00 Fax: 21 849 31 30 QUESTIONÁRIO IV Avaliação de Impacto (após 6 meses

Leia mais

MATERIAL DE FORMAÇÃO COM BASE NOS RESULTADOS DA APRENDIZAGEM

MATERIAL DE FORMAÇÃO COM BASE NOS RESULTADOS DA APRENDIZAGEM MATERIAL DE FORMAÇÃO COM BASE NOS RESULTADOS DA APRENDIZAGEM Organizar o Programa Educativo SFA-Fomentar novas qualificações e novos métodos de ensino para favorecer o desenvolvimento do SISTEMA DE FORMAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO UTILIZANDO A TÉCNICA DO GRAFFITI

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO UTILIZANDO A TÉCNICA DO GRAFFITI SESSÃO Nº 1 Conversa com todo o grupo: Objetivos: -Conhecimento do Grupo - Falar um pouco de si - especificar se gostariam de mudar algum comportamento (encontrar denominadores comuns) - Apresentação do

Leia mais

Título do Cenário: Trabalho Colaborativo -

Título do Cenário: Trabalho Colaborativo - Título do Cenário: Trabalho Colaborativo - Atividades de Tempo (Horas\semanas) Normalmente 2 Normal 3/4 Normal 1/2 Normal 3/4 Normal 1 Normal 1 Normal 1 Objetivo (Resultados de, correspondem às especificações)

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: Distinguir características de vários materiais riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis de cera,

Leia mais

CIDADANIA E MUNDO ATUAL

CIDADANIA E MUNDO ATUAL CIDADANIA E MUNDO ATUAL COMPETÊNCIAS (1) TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania A língua materna enquanto dimensão transversal Utilização das novas tecnologias de informação Competências Transversais

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA Língua Estrangeira I- Inglês 5ºANO Oral / Listening Compreender sons, entoações e ritmos da língua. Leitura / Reading Compreender palavras, conceitos simples e frases isoladas. Compreender palavras, frases

Leia mais

ateriais: elaboração e testagem

ateriais: elaboração e testagem M Formador: ateriais: elaboração e testagem Luís Fernando Pinto Salema Guião para elaboração de atividade (s) 1. Competência dominante a desenvolver: CEL (Conhecimento Explícito da Língua) 2. Destinatários

Leia mais

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto Didáctica da Expressões Expressão Dramática Plano de sessão Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Sessão n.º 25 Idade

Leia mais

Moocs- Curso de Competências Digitais para Professores 5º Edição

Moocs- Curso de Competências Digitais para Professores 5º Edição 22-11-2016 Moocs- Curso de Competências Digitais para Professores 5º Edição ECO Elearning Communication Open-Data Semana 3 e 4 [14 de novembro a 27 de novembro] Tema 2 - Utilizar competências digitais

Leia mais

Abril de Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo. Ano Letivo 2013/2014. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Abril de Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo. Ano Letivo 2013/2014. Gabinete de Apoio ao Tutorado Abril de 2014 Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo Ano Letivo 2013/2014 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação do De Bom a Excelente

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009

DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009 1 DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009 N.º Acreditação: CCPFC/ACC- 56951/09 Modalidade: Oficina de Formação

Leia mais

Trabalho de investigação. Matemática. Padrão dos Nomes

Trabalho de investigação. Matemática. Padrão dos Nomes < Nome: Trabalho de investigação Matemática Data: Padrão dos Nomes 1. Escreve o teu nome na seguinte grelha, usando um quadrado para cada letra e repete-o até a preencheres totalmente, sem deixares quadrados

Leia mais

PROGRAMA DO CURSO. Gestão Associativa Contabilidade e Fiscalidade Associativa

PROGRAMA DO CURSO. Gestão Associativa Contabilidade e Fiscalidade Associativa PROGRAMA DO CURSO Gestão Associativa Contabilidade e Fiscalidade Associativa Í N D I C E Pág. 1. DESTINATÁRIOS... 3 2. OBJECTIVO GERAL... 3 3. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS... 3 4. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS...

Leia mais

Alcançando metas através da abordagem fria!

Alcançando metas através da abordagem fria! Orientação On Line AO VIVO Alcançando metas através da abordagem fria! HOJE, 27/06 21:00 Acesse o link abaixo: https://www.eventials.com/raquelpassos/alcancando-metas-com-abordagem-fria/ Com a Diretora

Leia mais

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Apresentação de Diapositivos - 90 min. 1. Criação de transições entre diapositivos

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Apresentação de Diapositivos - 90 min. 1. Criação de transições entre diapositivos Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint Apresentação de Diapositivos - 90 min Ficha orientada nº5 Objectivos: Criação de transições entre diapositivos Aplicação de efeitos de animação Definição de

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE INGLÊS - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE INGLÊS - 9.º ANO DE INGLÊS - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No final do 9.º ano, o aluno deve ser capaz de: compreender as questões principais, quando é usada uma linguagem clara e estandardizada e os assuntos

Leia mais

Curso: Segurança digital: melhorar a segurança nas escolas. José Moura Carvalho Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas

Curso: Segurança digital: melhorar a segurança nas escolas. José Moura Carvalho Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas Curso: Segurança digital: melhorar a segurança nas escolas José Moura Carvalho Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas Enquadramento Autoria FNBE (Tina Heino, Elisa Helin, Ella Kiesi and Jukka Tulivuori)

Leia mais

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ)

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) INTEGRAÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS SUPERIORES BACHARÉIS, LICENCIADOS E MESTRES CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) GUIA DE CURSO ÍNDICE 1 - Objectivo do curso 2 - Destinatários 3 - Pré-requisitos

Leia mais

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes Índice Introdução... 2 Método Orienta... 3 Técnica das frases para completar... 6 Realização do Teste Vocacional... 8 Autoavaliação do Teste Vocacional... 9 Exploração de Valores... 10 Autoconhecimento...

Leia mais

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Sumário Conceito de Feedback Escuta ativa Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Recomendações para eficácia de sua sessão de feedback Conceito de Feedback Feedback é o retorno que alguém obtém

Leia mais

5 passos para a valorização profissional. Nara Araujo Nutricionista e Coach

5 passos para a valorização profissional. Nara Araujo Nutricionista e Coach 5 passos para a valorização profissional Nara Araujo Nutricionista e Coach Olá se você ainda não me conhece meu nome é Nara Araujo, sou Nutricionista, coach de emagrecimento e coach de carreira de Nutricionistas.

Leia mais

NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY...

NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY... NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY... ...E COMECE SUA CARREIRA ARRASANDO NOSSOS VALORES Afinal, toda empresa precisa de uma base Nossos Valores O QUE É? Doar-se sem esperar nada em troca

Leia mais

Leitura em Vai e Vem. Projecto de promoção de leitura em família. Apresentação do projecto reunião de pais. Educação Pré-Escolar.

Leitura em Vai e Vem. Projecto de promoção de leitura em família. Apresentação do projecto reunião de pais. Educação Pré-Escolar. Projecto de promoção de leitura em família Apresentação do projecto reunião de pais 1 Colégio Santiago 2 A Leitura em Família e o Plano Nacional de Leitura O Plano Nacional de Leitura (PNL) tem como missão

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Relatório de Avaliação às Unidades Curriculares 1.º semestre /2016

Escola Superior de Educação João de Deus. Relatório de Avaliação às Unidades Curriculares 1.º semestre /2016 Licenciatura em EDUCAÇÃO BÁSICA às Unidades Curriculares 1.º semestre - 2015/2016 1. Introdução A avaliação está intimamente ligada ao processo de qualidade, de desenvolvimento e de aperfeiçoamento organizacional.

Leia mais

Projeto Volta às aulas

Projeto Volta às aulas Projeto Volta às aulas Educador(a), Este projeto tem como objetivo sugerir diferentes propostas para as primeiras aulas com a sua turma. Esse é um momento especial. Mesmo que você já conheça os alunos,

Leia mais

NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY...

NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY... NOVA CONSULTORA, DESCUBRA O QUE VOCÊ AMA EM MARY KAY... Nossa Empresa tem base e valores 53 anos no mundo 18 anos no Brasil 2016 LIDER NA VENDA DE BASES LIDER NA VENDA DE BATONS NO ULTIMO TRIMESTRE Nossos

Leia mais

Grelha de Análise de Conteúdo

Grelha de Análise de Conteúdo Mestrado em Comunicação Educacional Multimédia Metodologias de Investigação Ano Lectivo 2012-2013 Tema 3 A Análise de Dados Grelha de Análise de Conteúdo Laura Ferreira Aluna nº 1202067 1 Grelha de Análise

Leia mais

CASA DOS SABORES GUIA DE CAMPANHA

CASA DOS SABORES GUIA DE CAMPANHA CASA DOS SABORES GUIA DE CAMPANHA ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO À CAMPANHA 1.1 - Como funciona a campanha? 1.2 - Nesta campanha queremos... 2 - IGLO 3 - CASA DOS SABORES 4 - A CAMPANHA 4.1 Fase 1 Experimentar

Leia mais

Cláudia Moura. IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação. Centro Cultural Entroncamento,

Cláudia Moura. IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação. Centro Cultural Entroncamento, Cláudia Moura claudiamoura@portugalmail.pt IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação Centro Cultural Entroncamento, 30 Setembro 2010 O envelhecimento demográfico é um fenómeno social e actual, mas

Leia mais

Abril de Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo. Ano Letivo 2012/2013. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Abril de Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo. Ano Letivo 2012/2013. Gabinete de Apoio ao Tutorado Abril de 2013 Relatório de Avaliação do Workshop De Bom a Excelente para Alunos do 2º Ciclo Ano Letivo 2012/2013 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação do De Bom a Excelente

Leia mais

Urgência do CHAlgarve: iniciativa de internos deu «ferramentas a quem está a começar»

Urgência do CHAlgarve: iniciativa de internos deu «ferramentas a quem está a começar» 2017-02-17 19:24:38 http://justnews.pt/noticias/urgencia-do-chalgarve-iniciativa-de-internos-deu-ferramentas-a-quem-esta-a-comecar Urgência do CHAlgarve: iniciativa de internos deu «ferramentas a quem

Leia mais

Avaliação da Qualidade e Eficácia da Formação

Avaliação da Qualidade e Eficácia da Formação P ERFIL E D ELTAC ONSULTORES EM CONSÓRCIO Avaliação da Qualidade e Eficácia da Formação Ficha Técnica Autores: Jorge Fatal Nogueira e Luísa Alves Oliveira Título: Programa do Curso de Avaliação da Qualidade

Leia mais

O aprendiz de investigador

O aprendiz de investigador O aprendiz de investigador Criar um filme com o Movie Maker literacia digital L i t e r a c i a s n a e s c o l a : f o r m a r o s p a r c e i r o s d a b i b l i o t e c a O que é? O é um software de

Leia mais

Revisão - Reveja os pontos principais, o Plano de Ação ou os tópicos da discussão do encontro anterior.

Revisão - Reveja os pontos principais, o Plano de Ação ou os tópicos da discussão do encontro anterior. Preparação do Instrutor Trazer para a reunião/encontro de vendas: DVD : Módulo 5 Aparelho de DVD e TV Flip chart e canetas ( pincel atômico) Canetas/lápis apontados Manuais dos participantes (workbooks)

Leia mais

Escola Básica Júlio Dinis, Gondomar

Escola Básica Júlio Dinis, Gondomar Escola Básica Júlio Dinis, Gondomar 2016 / 2017 Conteúdos e nº de aulas previstas - 9º ano Inglês Período Conteúdos Nº aulas Personal information Summer camps School exchanges (extreme) sports/activities

Leia mais

ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS DOCENTES 2010/2011. O edifício da escola convida ao ensino aprendizagem

ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS DOCENTES 2010/2011. O edifício da escola convida ao ensino aprendizagem ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS DOCENTES 2010/2011 A equipa do GAP elaborou um questionário com o objectivo de averiguar o Grau de Satisfação do pessoal docente. Este questionário

Leia mais

Programa de Português 2º Ano

Programa de Português 2º Ano Programa de Português 2º Ano Introdução Reconhece-se a Língua Materna como o elemento mediador que permite a nossa identificação, a comunicação com os outros e a descoberta e compreensão do mundo que nos

Leia mais

Planificação anual de Economia A -10º ano Ano lectivo 2015/2016 Página 1

Planificação anual de Economia A -10º ano Ano lectivo 2015/2016 Página 1 CURSO CIÊNCIAS ECONÓMICAS E SOCIAIS DISCIPLINA: ECONOMIA A-10º PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015-2016 MATRIZ DE CONTEÚDOS E DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDOS PROCEDIMENTOS TEMPOS LETIVOS DE 45M Módulo Inicial A importância

Leia mais

Bom dia, sou João Neves Amado, sou assistente convidado da Universidade Católica Portuguesa no

Bom dia, sou João Neves Amado, sou assistente convidado da Universidade Católica Portuguesa no Bom dia, sou João Neves Amado, sou assistente convidado da Universidade Católica Portuguesa no 1 Porto, membro do grupo de investigação em Espiritualidade da UCP 2 Mas então quando comecei a ver o programa

Leia mais

Anexo 1 Alguns exercícios da actividade diagnóstico

Anexo 1 Alguns exercícios da actividade diagnóstico Anexo 1 Alguns exercícios da actividade diagnóstico Relembre a lista de palavras incluídas na actividade diagnóstico: Geosfera Sistema Terra Biosfera Água Oxigénio molecular Hidrosfera Atmosfera Homem

Leia mais

Avaliando os vínculos externos

Avaliando os vínculos externos Módulo 2 Avaliando os vínculos Conteúdo SESSÃO 1 Avaliando os vínculos 54 53 Módulo 2 Sessão 1 Avaliando os vínculos As áreas chaves ligadas aos vínculos são: Relacionamentos com outras organizações Defesa

Leia mais

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado 9. Apêndices 47 Apêndice 1 Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado Colega, O Estudo Acompanhado é uma área destinada a apoiar

Leia mais

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário 93 Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário Pretende-se, com este questionário, fazer o levantamento de alguns aspetos que o GAP considera relevantes para

Leia mais

Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados

Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados 633 634 Anexo 1 Calendário das sessões de recolha de dados Margarida Nº Data Aula Reflexão Entrevista temática pós-aula 1 30/12/99 E0 Primeiro contacto 2 12 /01/00 E1 Percurso biográfico 3 26/01/00 E2

Leia mais

Síntese das principais conclusões

Síntese das principais conclusões Círculo de Estudo 3 O papel do Mediador DREAlentejo, 26 de Maio de 2010 ÉVORA Síntese das principais conclusões Na sessão de grupo foram abordados /discutidos três tópicos, cujas principais conclusões

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Manual de Supervisão Pedagógica INTRODUÇÃO

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Manual de Supervisão Pedagógica INTRODUÇÃO 2 ( ) A construção de uma cultura colegial é um processo longo, não isento de dificuldades e conflitos, e que requer a criação de condições várias, nomeadamente de espaços e tempos destinados ao trabalho

Leia mais

A porta e o zíper. Meu desejo: AMOR VERDADEIRO

A porta e o zíper. Meu desejo: AMOR VERDADEIRO UNIDADE 6: A porta e o zíper. Meu desejo: AMOR VERDADEIRO 1ºESO 4º ESO O amor é um caminho. Cada etapa é importante. Não tem que queimar etapas. Estar noivos: conhecer-nos e conhecer juntos o amor verdadeiro

Leia mais

Curso de Formação STAP - Segurança em Trabalhos em Altura em Postes (Telecomunicações Rede Fixa)

Curso de Formação STAP - Segurança em Trabalhos em Altura em Postes (Telecomunicações Rede Fixa) Curso de Formação STAP - Segurança em Trabalhos em Altura em Postes (Telecomunicações Rede Fixa) Programa de Formação Ed.2 21-11-2016 Equipa de trabalho A equipa de trabalho, coordenação pedagógica, gestão

Leia mais

R E F L E X O D E U M S Ó C O R P O

R E F L E X O D E U M S Ó C O R P O Índice Introdução pág.3 1º Etapa I Reflexão e Interiorização.pág.4 2º Etapa I União e Partilha..pág.5/6 3º Etapa I Apresentação.pág.7 Organização pág.8 2 Introdução O presente projecto surge de uma necessidade

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA Nome: Nº 9º Data: / /2015 Professores: Belisa, Natália e Willian Nota: A - Introdução Neste ano, sua média final foi inferior a 6,0, o que revela

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês - Prova Escrita e Prova Oral 2016 11º Ano de Escolaridade (Decreto-lei nº 139/2012 de 5 de Julho) O presente documento

Leia mais

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Inserção de Objectos min

Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint. Inserção de Objectos min Apresentador Gráfico - Microsoft PowerPoint Inserção de Objectos - 180 min Ficha orientada nº4 Objectivos: Inserir imagem Inserir vídeos, sons Inserir objecto Inserir tabela Inserir gráfico Inserir diagrama

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico Edital Nº

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO VISUAL ANO: 8º ANO LECTIVO 010/011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

MATERIAIS PARA PROFESSORES, PAIS E FILHOS

MATERIAIS PARA PROFESSORES, PAIS E FILHOS Nível de competência B2 Oficina de escrita (Adaptada de Materiais para o Novo Programa de Português do Ensino Básico SD3_Ano7_FT03) Vai propor a aquisição de novas obras para a biblioteca escolar. Comece

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Inglês

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Inglês Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Inglês Ano Letivo 2016 / 2017 Código da Prova: 367 Ensino Secundário Tipo de Prova: Escrita e Oral 1. Objeto de avaliação A prova de exame tem por referência

Leia mais

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android )

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Índice Antes de utilizar o equipamento Brother... Definições de notas... Marcas registadas... Introdução... Descarregar o Brother

Leia mais

e-manual Premium 2 Mapas desdobráveis (oferta ao aluno) Caderno de Apoio (oferta ao aluno) Guia do Professor (com o +Manual) Caderno de Atividades

e-manual Premium 2 Mapas desdobráveis (oferta ao aluno) Caderno de Apoio (oferta ao aluno) Guia do Professor (com o +Manual) Caderno de Atividades Geografia A. ano Manual zona de cola Mapas desdobráveis (oferta ao aluno) Caderno de Atividades Caderno de Apoio (oferta ao aluno) Guia do Professor (com o +Manual) e-manual Premium Contamos com o seu

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A lectivo:2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Inglês,, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos cinco as dos dois Ciclos, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

Conhecimento explícito da língua LEITURA

Conhecimento explícito da língua LEITURA Compreensão do oral/expressão oral Leitura Conhecimento explícito da língua Escrita LEITURA 1 Apresentação 1. Nome da Sequência: 2. Contexto/projecto: Conhecimento explícito da língua 3. Ano de escolaridade:

Leia mais

OFERTA COMPLEMENTAR 1º ciclo

OFERTA COMPLEMENTAR 1º ciclo OFERTA COMPLEMENTAR 1º ciclo PROJETOS NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL Educação cultural A Pediculose A dentição A Escola ensina a comer Cuidados com o sol Trocas e banhocas Contar carneirinh os

Leia mais

CARTA ABERTA DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS. Compromisso para Portugal a Cuidar da Casa Comum ASSEMBLEIA NACIONAL DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS

CARTA ABERTA DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS. Compromisso para Portugal a Cuidar da Casa Comum ASSEMBLEIA NACIONAL DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS CARTA ABERTA DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS Compromisso para Portugal a Cuidar da Casa Comum ASSEMBLEIA NACIONAL DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS Sugestão para dinamização de uma Assembleia Local Não existe nenhuma

Leia mais

GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA

GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA Ao utilizar a sua câmara GoPro enquanto parte do seu estilo de vida ativo, tenha sempre atenção ao meio que o rodeia para evitar ferimentos a si e a terceiros, e para evitar danificar

Leia mais

2- Competências a Desenvolver

2- Competências a Desenvolver ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO 1º ANO - ANO LETIVO 2014/15 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: TURISMO-INFORMAÇÃO E ANIMAÇÃO TURÍSTICA Componente de Formação Técnica 1- Elenco

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português Ensino Básico Ano letivo: 16/17 5º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Domínios Interpretar discursos orais breves (Referir

Leia mais

Auscultação Dinâmica & Gestão de Rumores

Auscultação Dinâmica & Gestão de Rumores Auscultação Dinâmica & Gestão de Rumores Módulo B7 A tradução deste documento foi feita por Translators Without Borders, único responsável pela qualidade e fidelidade ao original desta versão em português.

Leia mais

Escola Sec. do Padrão da Légua OE: TIC Ano: 2008/2009

Escola Sec. do Padrão da Légua OE: TIC Ano: 2008/2009 Ficha de Trabalho: Aula 05 Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Como já sabes o SOFTWARE pode ser de sistema ou de aplicação, conforme seja um conjunto de programas responsáveis pelo funcionamento do

Leia mais

APRIMORANDO A EXPERIÊNCIA NO CLUBE

APRIMORANDO A EXPERIÊNCIA NO CLUBE APRIMORANDO A EXPERIÊNCIA NO CLUBE A força do seu clube está nos associados. Ao pedir suas opiniões regularmente, você demonstra que está aberto a mudanças e possibilita que eles o ajudem a criar uma experiência

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Competências de Interpretação CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3.º Ciclo do Ensino Básico 7º Ano Departamento de Línguas Disciplina: Inglês Domínios Objeto de avaliação Domínios/ Metas de aprendizagem Instrumentos

Leia mais

Questões Legais e Financeiras

Questões Legais e Financeiras Módulo 2 GUIA DO FORMADOR Questões Legais e Financeiras Editor Miguel Santos Autores Pîrvu IONICĂ Luminiţa OPREA ROMÊNIA Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta

Leia mais

FORM-COMMERCE: FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM VITRINISMO E ATENDIMENTO AO PÚBLICO ÁREA DE COMPETÊNCIA: 2. ATENDIMENTO AO PÚBLICO

FORM-COMMERCE: FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM VITRINISMO E ATENDIMENTO AO PÚBLICO ÁREA DE COMPETÊNCIA: 2. ATENDIMENTO AO PÚBLICO OBJECTIVOS Contribuir para um melhor conhecimento do Clientes e para a satisfação das suas necessidades e expectativas; Contribuir para a atracção e fidelização de novos Clientes; Contribuir para a melhoria

Leia mais

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA Microsoft Surface Hub

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA Microsoft Surface Hub GUIA DE CONSULTA RÁPIDA Microsoft Surface Hub Saiba como tirar pleno partido das potencialidades do grupo com o Microsoft Surface Hub. Índice Iniciar sessão Faça uma chamada Adicionar pessoas a uma chamada

Leia mais

MANUAL DE MICROSOFT EXCEL 2003 Sem bichos de sete cabeças

MANUAL DE MICROSOFT EXCEL 2003 Sem bichos de sete cabeças MANUAL DE MICROSOFT EXCEL 2003 Sem bichos de sete cabeças Trabalho realizado para Metodologia de Investigação I para a Professora M. Isabel Chagas por: Deolinda Canelo Dulce Mourato Sandra Gaspar Eugénia

Leia mais

DESENHO E MONTAGEM DE EXPOSIÇ ÕE

DESENHO E MONTAGEM DE EXPOSIÇ ÕE Fundamentos de DESENHO E MONTAGEM DE EXPOSIÇ ÕE S Formador Bruno Filipe Soares Cabede Pág. 1 de 9 0 INDÍCE DIAGNÓSTICO PÁG. 03 JUSTIFICAÇÃO PÁG. 04 ÁREA TEMÁTICA PÁG. 04 MODALIDADES PÁG. 04 PÚBLICOS-ALVO

Leia mais

Introdução ao programa de formação Let me be ME!

Introdução ao programa de formação Let me be ME! Introdução ao programa de formação Let me be ME! O Let me be ME! é um programa de formação para combater o bullying laboral em adultos com deficiências mentais (DM). O programa é para ser utilizado por

Leia mais

Indicadores e Objectivos 2011

Indicadores e Objectivos 2011 Indicadores e s 2011 1. Gestão do Sistema da Qualidade Indicador Resp. Acomp. Periodicid. Obj. Resultado Column7 Column72 Column8 Análise Níveis de satisfação do Cliente: Formação Inter, Formação Intra,

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h CONSTRUÇÃO ONLINE DE QUESTIONÁRIOS 21 e 28 Maio - 9h às 16h ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h A ESCRITA DA ESCRITA CIENTÍFICA 18 e 25 Junho -

Leia mais

CONTEÚDO OBJETIVOS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO. - Roda de música. cantadas - Momentos

CONTEÚDO OBJETIVOS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO. - Roda de música. cantadas - Momentos CUIDAR DE I, DO OUTRO E DO AMBIENTE. CONTEÚDO OBJETIVO ETRATÉGIA RECURO Higiene e cuidado pessoal Reconhecimento do próprio corpo Respeito às características pessoais relacionadas ao gênero, etnia, peso,

Leia mais

QUESTIONÁRIO: ADAPTAÇÃO, CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO 9 Julho - 9h às 13h e 14h às 18h

QUESTIONÁRIO: ADAPTAÇÃO, CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO 9 Julho - 9h às 13h e 14h às 18h INICIAÇÃO AO SPSS 9, 16 e 23 Abril - 9h às 12h e 13h às 16h INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS QUALITATIVOS 30 Abril - 9h às 13h e 14h às 18h ANÁLISE DE DADOS MULTIVARIADA 7 e 14 Maio - 9h às 13h e 14h às 18h CONSTRUÇÃO

Leia mais

Plano Nacional de Leitura

Plano Nacional de Leitura 2012-2014 Plano Nacional de Leitura 1 I. O que motivou o projeto? Centralidade da leitura Leitura como ponto de partida para: - Aprender (competência transversal ao currículo) - Colaborar - Interagir /

Leia mais

LEADERS O que é? Programa LEADERS Desenvolvimento de Competências de Liderança novos Líderes e reforço de competências em Líderes experientes

LEADERS O que é? Programa LEADERS Desenvolvimento de Competências de Liderança novos Líderes e reforço de competências em Líderes experientes Programa LEADERS 1 O que é? O Programa LEADERS consiste numa abordagem inovadora ao Desenvolvimento de Competências de Liderança alinhada com a Estratégia das organizações. Este Programa assume uma óptica

Leia mais

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Universidade de Aveiro BTL 2014 Lisboa, 13.03.2014 01. Enquadramento da atividade Evolução da Oferta Instalada Enquadramento da atividade Evolução

Leia mais

Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho. Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho

Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho. Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho Pág 1 Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho Pág 2 Tema: Seminário: Como Minimizar os riscos no Trabalho Questões Geradoras:

Leia mais

A importância da Comunicação na Negociação

A importância da Comunicação na Negociação Nem sempre o que se pretende falar é o que de fato é falado. E pior, nem sempre o que é falado é o que de fato é entendido. Anônimo. A importância da Comunicação na Negociação - A habilidade de entender

Leia mais

Teoria da Gestalt. Introdução

Teoria da Gestalt. Introdução Teoria da Gestalt Introdução A teoria foi criada pelos psicólogos alemães Max Wertheimer (1880-1943), Wolfgang Köhler (1887-1967) e Kurt Koffka (1886-1940), nos princípios do século XX. A teoria da Gestalt,

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA QUESTIONÁRIO AOS TREINADORES DE FUTEBOL Este questionário faz parte de um estudo sobre a Análise do perfil de competências e das necessidades

Leia mais

Portfolio MEEC 1. Portfolio MEEC. J. Miranda Lemos. Professor Catedrático do IST 2014/2015

Portfolio MEEC 1. Portfolio MEEC. J. Miranda Lemos. Professor Catedrático do IST 2014/2015 Portfolio MEEC 1 Portfolio MEEC J. Miranda Lemos Professor Catedrático do IST 2014/2015 Portfolio MEEC 2 Aula 1 Apresentação da unidade curricular Objectivos Apresentação dos objectivos, conteúdo, organização

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico 2015/2016 Alunos com Necessidades Educativas Especiais Inglês Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5

Leia mais

*****SECÇÃO I***** ***Rotação A*** **PERGUNTAR A TODOS

*****SECÇÃO I***** ***Rotação A*** **PERGUNTAR A TODOS *****SECÇÃO I***** ***Rotação A*** **PERGUNTAR A TODOS *QUESTION 9910001 Para nos ajudar a melhorar as perguntas a apresentar no futuro, iremos colocar-lhe de seguida um conjunto de questões sobre uma

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos DGEstE Direção de Serviços da Região Norte Agrupamento de Escolas LEONARDO COIMBRA FILHO, PORTO Código 152213 Departamento da Educação Pré-Escolar Ano Letivo 2016/2017 Perfil de Aprendizagens Específicas,

Leia mais

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma MASCARILHA DE CARNAVAL Ano Letivo: 2012/2013 DOMÍNIOS OBJETIVOS DESCRITORES ATIVIDADES MATERIAIS / RECURSOS CALENDARIZAÇÃO AVALIAÇÃO Técnica Produzir objectos plásticos explorando temas, ideias e situações

Leia mais

Bem Vindos!!! Módulo 3

Bem Vindos!!! Módulo 3 Bem Vindos!!! Módulo 3 Como foi essa semana? Cumpriram nossas Tarefas? 1- Realizar no mínimo 10 entrevistas e preencher as Fichas de Iniciação Quais estratégias novas vocês usaram? Quantos Inícios vocês

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Disciplina Inglês Prova 2013 Tipo de Prova Escrita e Oral 2.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar

Leia mais

Portugal: Ditadura, Revolução Democracia

Portugal: Ditadura, Revolução Democracia A Associação 25 promove em Lisboa e Faro, um curso para professores, em parceria com a Associação de Professores de História Portugal: Ditadura, Revolução Democracia Público Alvo: Professores do 1º ciclo

Leia mais

Sumário. Organizar 1 Motivar alunos sem hábitos de leitura 3 Discutir à volta das leituras realizadas 5 Sessões de leitura 7 Saber mais 8

Sumário. Organizar 1 Motivar alunos sem hábitos de leitura 3 Discutir à volta das leituras realizadas 5 Sessões de leitura 7 Saber mais 8 Clube de leitura Sumário Clube de leitura Editor Design gráfico Autor fevereiro de 2015 CDU 027.8 028 Rede de Bibliotecas Escolares Travessa Terras de Sant Ana, 15 1250-269 Lisboa http://www.rbe.mec.pt

Leia mais

Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano

Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE ANO LETIVO 2011-2012 Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano Conteúdos Metodologias Objetivos Activides Calenrização Disciplinas envolvis Avaliação Diverside,

Leia mais