InterAção. É Legal Ter Pai. contra as drogas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "InterAção. É Legal Ter Pai. contra as drogas"

Transcrição

1 DR/GO MPGO Ano 6 nº 29 Goiânia, fevereiro/março InterAção contra as drogas Programa construído em conjunto pelo MP-GO e entidades públicas e privadas pretende criar rede de serviços que atuará na prevenção e tratamento do usuário e no combate ao tráfico em Goiás. Página 3 BANCO DE IMAGENS É Legal Ter Pai Por meio de campanha, MP-GO quer reforçar divulgação do trabalho que a instituição realiza para garantir o direito à paternidade e ampliar acesso da população ao serviço. Página 8

2 02 Goiânia, fevereiro/março de Editorial Um caminho construído em conjunto Apontadas por muitos como uma das epidemias do século 21, as drogas há muito deixaram de ser apenas um problema da área criminal para se tornar uma questão de saúde pública. O último Relatório Mundial sobre Drogas, divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano passado, mostra que o quadro no Brasil é grave: pelas estimativas da entidade, o País tem aproximadamente 900 mil usuários de cocaína ou de derivados da coca, como o crack. Em Goiás, a disseminação daquela que é considerada uma das drogas mais devastadoras, o crack, também alcançou índices de risco. Ciente desta realidade e preocupado com as danosas consequências do problema para toda a sociedade, o Ministério Público de Goiás elegeu o enfrentamento à dependência das drogas como sua prioridade de atuação para. A meta transformou-se na proposta do Programa Interação, que pretende integrar as diferentes e bem-sucedidas ações que vêm sendo realizadas no Estado para formar uma rede integrada de serviços voltada para a prevenção ao uso, tratamento, reabilitação e reinserção social do usuário, e também na repressão ao tráfico de drogas. A essência do programa é fazer com que se forme uma rede, onde estarão presentes todos os segmentos que lidam com essa questão, e fazer com que caminhem em um só sentido, explica o promotor de Justiça Maurício Gebrim, que coordena o programa. A proposta do Interação é detalhada nesta edição do Jornal MP Goiás, em reportagem na página 3, que retrata a conjugação de esforços dentro da própria instituição para construir um projeto abrangente e multidisciplinar, enfocado não apenas no combate às substâncias entorpecentes, mas fundamentado na necessidade do resgate da dignidade humana. Como bem definem as palavras do professor e médico baiano Antônio Nery Filho, muito mais do que demonizar uma droga, é necessário reinventar a ética enquanto espaço de reflexão, ressignificar valores morais e refazer os laços sociais indispensáveis para a convivência humana. Outra iniciativa que mobiliza a instituição e já tem mostrado resultados significativos, embora recém-lançada, é a campanha É Legal Ter Pai. O texto na página 8 ressalta os objetivos do projeto, idealizado pela promotora Gislene Barbosa, e suas perspectivas em relação à atuação do MP na garantia do direito de paternidade. Já na página 6, o foco é o trabalho que o Ministério Público realiza na defesa dos animais, assunto que ganhou repercussão nos últimos meses, com o caso do yorkshire vitimado pela agressão de uma enfermeira em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. A coluna O promotor responde (página 2), por sua vez, traz esclarecimentos a respeito de delitos de trânsito, numa conversa com o promotor Fernando Viggiano. Os resultados alcançados em pelo Projeto do Entorno do DF e as prioridades traçadas para na região são destaque nas páginas 4 e 5, inclusive em artigo elaborado pela coordenadora da iniciativa, promotora Patrícia Teixeira Guimarães Gimenes. O promotor responde: Crimes de Trânsito Dirigir sob a influência de álcool, deixar de prestar socorro às vítimas e fugir do local do acidente são ações que configuram crime de trânsito, segundo o Código de Trânsito Brasileiro. Somente em, esses e outros crimes de trânsito resultaram em cinco mortes por semana em Goiânia e quase feridos durante todo o ano. Na entrevista abaixo, o promotor de Justiça Fernando Braga Viggiano, titular da 18ª Promotoria de Justiça da capital, que é especializada na área, fala um pouco mais o assunto, destacando as penalidades aplicadas a esse tipo de delito, como é a atuação do MP-GO nos casos bem como o funcionamento da Vara dos Crimes de Trânsito. O que define os crimes de trânsito? São aqueles previstos na Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro. Entre os mais frequentes estão lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e homicídio culposo aquele em que a pessoa não tem a intenção de matar, omissão de socorro em casos de acidente e embriaguez ao volante. Esses crimes têm ocorrido com frequência? Sim, porque as políticas públicas na área da segurança de trânsito não estão delineadas pelos integrantes do sistema de justiça criminal. Falta também integração entre os órgãos da segurança pública e de trânsito. O que mudaria essa situação? Investimentos nas áreas de educação, engenharia, fiscalização, primeiros socorros e punição dos infratores. As penalidades são consideradas leves para aqueles que cometem crimes de trânsito? Não. Proporcionalmente em relação aos demais delitos descritos no Código Penal e leis extravagantes, as penalidades são consideradas suficientes para a prevenção e a reprovação do crime. No entanto, as infrações de trânsito não devem ser combatidas apenas com a imposição de pena criminal, mas sim com ações eficazes e abundantes PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O ASSUNTO: 18ª Promotoria de Justiça (5ª Vara Criminal) (62) ª Promotoria de Justiça (12ª Vara Criminal) (62) Delegacia Especializada em Investigações de Crimes de Trânsito de Goiânia (62) dos órgãos de trânsito, visando à prevenção e, eventualmente, à aplicação de multa administrativa. De que forma o Ministério Público tem atuado nessa área? Por meio da aproximação com os órgãos de trânsito e da segurança pública. Com essa aproximação e estudos realizados, participamos da elaboração do projeto Balada Responsável, que visa não somente a autuação das pessoas que conduzem veículos sob o efeito de bebida alcoólica, mas também a apreensão de armas de fogo, veículos em situação irregular, entre outras medidas de prevenção criminal. Essa aproximação do MP com as instituições tem tido resultados positivos? Somente a ação integrada dos órgãos de trânsito, segurança pública e MP é que poderá resultar numa efetiva diminuição dos acidentes de trânsito em Goiânia. De igual modo, foram feitas diversas reuniões com os delegados lotados na Delegacia Especializada em Investigações de Crimes de Trânsito de Goiânia, a fim de que fossem uniformizados os procedimentos e investigações policiais, reduzindo o tempo de conclusão dos inquéritos policiais. Atualmente, como funciona a Vara dos Crimes de Trânsito? Com a alteração introduzida pela Lei n , de 10 de janeiro de, a competência para o processo e julgamento das infrações de trânsito passou para a 12ª Vara Criminal, na qual atua a 28ª Promotoria de Justiça. Assim, na 5ª Vara Criminal, onde atuo, somente permanecerão as ações penais em andamento, ou seja, aqueles feitos em que as denúncias já foram devidamente recebidas pelo juiz de direito. Agora, a 5ª Vara Criminal processará e julgará as infrações punidas com reclusão. Quais são as responsabilidades da escola, seja pública ou particular, quando o assunto é segurança? A escola deve agir de forma preventiva, orientando os alunos, tomando medidas básicas de segurança, como o controle das pessoas que entram na instituição, ter contato com a Polícia Militar para informar atitudes suspeitas nas redondezas e solicitar apoio quando necessário. Expediente Informativo oficial do Ministério Público do Estado de Goiás Rua 23 esq. c/ Av. B, qd. A-6, lts , Jardim Goiás, Goiânia-GO, CEP Twitter: Procurador-Geral de Justiça Benedito Torres Neto Assessora de Comunicação Social Marília Assunção DRT-GO 986 JP Assessora de Imprensa Ana Cristina Arruda DRT-GO 894 JP Coordenação Mac Editora e Jornalismo Ltda. Editora Mirian Tomé DRT-GO 629 JP Reportagem Fernando Dantas DRT-GO 1895 JP Fotografias João Sérgio Araújo Isabela Dias (estagiária) Diagramação Fernando Rafael Fotolito e Impressão Ellite Gráfica Tiragem 7000 unidades Fale conosco Para falar com o MP em todo o Estado: 127 Telefone Geral (Goiânia) Denúncia de Nepotismo Portal do MP (www.mp.go.gov.br) Centros de Apoio Operacionais (CAOs): CAO dos Direitos Humanos e do Cidadão CAO da Saúde CAO de Defesa do Consumidor CAO do Meio Ambiente CAO do Patrimônio Público CAO da Infância e Juventude CAO da Educação CAO Criminal e da Segurança Pública Centro de Segurança Institucional e Inteligência Escola Superior do Ministério Público Assessoria de Comunicação Social / 8499/ 8307/8498

3 Goiânia, fevereiro/março de 03 COMBATE ÀS DROGAS Construindo parcerias e resultados PROGRAMA INTERAÇÃO PRETENDE CRIAR UMA REDE INTEGRADA DE SERVIÇOS EM GOIÁS, QUE ATUARÁ NA PREVENÇÃO, TRATAMENTO, REABILITAÇÃO, REINSERÇÃO E REPRESSÃO AO TRÁFICO DE DROGAS Procurador-geral de Justiça e sua equipe de assessores apresentaram ao governador detalhes do programa em reunião no MP Cerca de 10% da população dos centros urbanos de todo o mundo consome abusivamente substâncias consideradas psicoativas, independente de idade, sexo, nível de instrução e poder aquisitivo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Os números em Goiás não fogem a esta estatística. O crack, droga que antes era associada à pobreza e hoje se espalhou por diversas classes sociais, está disseminado em 187 municípios goianos, de acordo com levantamento feito em pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Foram avaliadas 206 cidades, de um total de 246, o que posiciona o Estado como o maior em número de municípios com incidência do crack na Região Centro-Oeste. Apesar da proliferação em Goiás, o que não faltam aos municípios goianos são programas e projetos voltados para coibir o avanço das drogas álcool, cigarro, maconha, crack, cocaína, entre outros e prevenir e conscientizar dos perigos da dependência química. Esse trabalho tem sido feito com resultados positivos por instituições públicas e privadas e organizações não-governamentais (ONGs). Segundo observa o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Cidadão (CAODHC), Maurício Gebrim, o que falta é uma integração entre as diversas ações. É necessário que os projetos conversem entre si. É preciso caminhar na mesma direção, enfatiza. REDE ARTICULADA Saiba como contribuir com o Programa Interação: Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Cidadão Contato: (62) / 8203 / O diagnóstico sobre esta desarticulação contribuiu para que o Ministério Público de Goiás (MP-GO) desse início, em maio do ano passado, à estruturação do Programa Interação, que visa exatamente formar uma rede integrada de serviços, para trabalhar na prevenção ao uso, tratamento, reabilitação e reinserção social do usuário, e também na repressão ao tráfico de drogas. A essência do programa é fazer com que se forme uma rede, onde estarão presentes todos os segmentos que lidam com essas situações, inclusive as instâncias policiais, e fazer com que caminhem em um só sentido. Devemos agir de forma articulada, sem a imposição de ideias. Na verdade, é preciso existir a concatenação destas ideias, explica o promotor. Maurício Gebrim ressalta ainda que as três vertentes do programa prevenir, cuidar e coibir o tráfico de drogas englobam a principal meta da instituição para, conforme anunciado pelo procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto. Por esse motivo, diversas áreas de atuação do MP estão trabalhando em conjunto na construção e desenvolvimento do Interação. Gebrim salienta ainda que coube ao MP-GO a responsabilidade por mapear as entidades que atuam nas vertentes do programa e convidá-las a fazer parte da rede integrada de serviços. O Interação não é um programa que será apresentado pronto pelo MP. Será construído por aqueles que venham integrá-lo. São todos co-construtores, ressalta. Etapas O primeiro passo do Ministério Público foi mapear todas as ações, governamentais ou não, que são desenvolvidas para prevenir, tratar, reabilitar e combater o tráfico de drogas em Goiás. Até janeiro de, mais de 100 ações e projetos tinham sido listados pelo CAO dos Direitos Humanos. Após essa etapa, foram realizadas visitas institucionais. Segundo Gebrim, a aceitação ao programa tem superado as expectativas. Representantes das esferas públicas municipais e estadual têm aderido ao Interação pela proposta de trabalho conjunto que será desenvolvida, relata. Outra estratégia será a assinatura de termos de cooperação para a capacitação de comunidades terapêuticas no Estado de Goiás. Conhecidas como locais que prestam serviços de atenção a pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substâncias psicoativas, as comunidades vão passar por treinamento, por meio de parceria com a Associação Goiana dos Municípios (AGM), Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC) e Universidade Federal de Goiás (UFG). Da forma que as comunidades estavam atuando, era praticamente impossível que continuassem a existir. Mas elas são fundamentais para promover novos hábitos de vida para os dependentes químicos, avalia Maurício Gebrim. O promotor acrescenta ainda que estão sendo realizados espaços conversacionais para formatação de agendas microssistêmicas por áreas de atuação, como saúde, educação, esporte e lazer, cidadania, direitos humanos e questões criminais. Serão discriminadas, nessas agendas, ações que precisam ser desenvolvidas e que já são realizadas nessas áreas para alcançar o objetivo do programa. Quando todas as agendas microssistêmicas estiverem formadas, iremos trabalhar na agenda integrada do macrossistema, que é integrar todas as ações, esclarece o coordenador do CAODHC. Apesar de dividido em ciclos, o Programa Interação não será necessariamente realizado com uma etapa sucedendo a outra. Os ciclos podem coexistir, afirma Maurício Gebrim. De acordo com ele, entre as etapas previstas estão a apresentação do Programa Interação à sociedade, marcada para 5 de março, e sua divulgação por meio de campanha publicitária. Todo o trabalho também será monitorado e com avaliação e controle dos recursos e das ações da agenda integrada. Caminho certo Para o coordenador do Programa Escola Sem Drogas, da Polícia Civil do Estado de Goiás, José Gonçalves Póvoa, a proposta do Programa Interação é relevante por apresentar um diferencial que é reunir diversos segmentos - que atuam na prevenção, tratamento, reinserção e repressão ao tráfico e consumo de drogas - para atuar conjuntamente em prol da mesma causa. Esse é o caminho. Colocar as esferas públicas e privadas, cada uma com sua realidade, para expor suas ideias e formar uma articulação que falará a mesma língua. Isso é um ganho para a cidadania, avalia. José Gonçalves ressalta ainda que, se a Polícia Civil integrar o programa, poderá contribuir de diversas maneiras, principalmente no trabalho de prevenção e conscientização, que é o foco do Escola Sem Drogas. De janeiro a novembro de, o programa da Polícia Civil atendeu pessoas, visitou 336 escolas e esteve em 156 instituições de diversos segmentos para realizar palestras sobre os males causados pelas drogas, com temas como consumo de drogas lícitas, por exemplo.

4 04 Goiânia, fevereiro/março de PROJETO DO ENTORNO DO DF Ações integradas em busca da efetivação da cidadania Com ações nas diversas áreas de atuação institucional do Ministério Público de Goiás, o Projeto do Entorno do Distrito Federal foi criado em 2007 com o objetivo de resgatar a cidadania para a população que vive nessa região. Coordenado pela promotora de Justiça Patrícia Teixeira Guimarães Gimenes, o projeto tem alcançado resultados relevantes nas áreas de segurança pública, combate à criminalidade e às organizações criminosas, saúde, meio ambiente, infância e juventude, consumidor, patrimônio público e cidadania. Assim como na edição anterior, que abordou os Centros de Apoio Operacional, o Jornal MP Goiás apresenta, agora, um resumo das principais ações desenvolvidas em e as metas de trabalho para do Projeto do Entorno do DF. Confira. CONSUMIDOR Transporte coletivo - Articulação com os governos de Goiás e Distrito Federal e demais instituições estaduais e federais para a integração do sistema de transporte entre os municípios goianos do Entorno e o DF. Abastecimento de água - Acompanhamento da assinatura de termo de ajustamento de conduta (TAC) nos municípios do Entorno para regularização do serviço. Efetivação do Sistema Integrado de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Brasília; implantação da linha ferroviária para transporte de passageiros entre Brasília e Luziânia; assinatura de termos de ajustamento de conduta (TACs) nos demais municípios do Entorno para regularização do abastecimento de água e das ações do Estado em relação à implantação do sistema de esgotamento sanitário. CRIMINAL E DA SEGURANÇA PÚBLICA Sistema prisional - TAC com o Estado de Goiás para reforma e ampliação de cadeias em Santo Antônio do Descoberto, Novo Gama e Valparaíso e para a construção de três unidades prisionais no Entorno (Águas Lindas, Novo Gama e Formosa), totalizando 900 vagas. Diagnóstico - Situação da execução penal na região e celebração de TAC para que o Estado apresente cronograma de obras. - Melhoria e ampliação das unidades da Polícia unidade em Águas Lindas; realização de concurso público para Prisional e encaminhamento dos aprovados de forma prioritária para o Entorno, além de implantação de unidade do Corpo de Bombeiros em Águas Lindas, que também atenderá Santo Antônio do Descoberto. Sistema prisional - Fiscalização e acompanhamento dos TACs para reforma, ampliação de cadeias e construção dos presídios regionais; cronograma apresentado pelo Estado para a melhoria e construção dos Núcleos Regionais da Polícia Técnico- EDUCAÇÃO - Diagnóstico de toda a rede escolar municipal e estadual no Entorno - estrutura física, pedagógica, merenda escolar, transporte escolar etc. Escola em tempo integral - TAC para adequação das irregularidades apontadas no diagnóstico e implantação de escolas em tempo integral.

5 Goiânia, fevereiro/março de 05 MEIO AMBIENTE Articulações Reuniões setoriais com os promotores da região e articulação com prefeitos e com a Agência Goiana de Habitação (Agehab) para promoção de regularização fundiária na região. Aterro sanitário - Articulação para a celebração de consórcios entre os municípios goianos e o Distrito Federal para a implantação de aterros sanitários; ações para preservação da Bacia do Descoberto. SAÚDE Hospitais - Articulação para retomada das obras inacabadas do Hospital Municipal de Valparaíso de Goiás, Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto; inauguração e efetivo funcionamento do Hospital Municipal de Valparaíso; aparelhamento do Hospital Municipal de Valparaíso. hospitais com construções paralisadas e acompanhamento das obras e verbas disponibilizadas. PATRIMÔNIO PÚBLICO / - Parceria com o Tribunal de Contas da União, Tribunal de Contas dos Municípios, Denasus, Caixa Econômica Federal, Ministério Público Federal, Ministério dos convênios celebrados entre os municípios, o Estado e a União. INFÂNCIA E JUVENTUDE / - Articulação para construção de unidade de internação para adolescentes infratores em Águas Lindas de Goiás e para construção de unidade para tratamento de adolescentes dependentes de substâncias entorpecentes. Artigo Desafios e conquistas no Entorno do DF Patrícia Teixeira Guimarães Gimenes* A inauguração de Brasília, na década de 1960, levou um crescimento populacional explosivo e desordenado à região do Entorno do Distrito Federal, sem que houvesse uma contrapartida de estruturação dos serviços públicos essenciais, como abastecimento de água, saneamento básico, saúde, segurança, transporte coletivo, educação. Este cenário fez explodir índices altíssimos de criminalidade, violência e vulnerabilidade social. Atualmente, o Entorno é considerada uma das regiões mais violentas do País. A taxa de homicídio considerada limite pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 10 por 100 mil habitantes. No Entorno, ela é de 39.00, sendo que em Valparaíso esse número chega a É o caos total. Somente em, foram registrados cerca de 600 homicídios na região. A precariedade de serviços básicos de infraestrutura urbana e social é diretamente proporcional aos índices de violência e insegurança. O cenário predominante na região é de hospitais municipais superlotados, sem estrutura mínima, sem centros cirúrgicos, sem leitos de UTI, sem médicos suficientes. Há anos, obras de hospitais estão paradas em municípios como Águas Lindas e Santo Antônio do Descoberto, em negação a um direito fundamental dos cidadãos, a saúde. Os dois municípios juntos receberam mais de R$ 30 milhões de recursos federais e estaduais para a finalização das obras. Mesmo assim, o cenário atual é de abandono. Uma população desesperada diariamente dirige-se para os hospitais não menos superlotados do Distrito Federal. O transporte coletivo é caótico e frequentemente coloca a região na mídia nacional, em virtude da revolta da população com as péssimas condições dos ônibus. As cadeias estão superlotadas. Celas que deveriam abrigar quatro detentos, têm 15, 18 presos. Obras de construção, reforma e ampliação de cadeias e presídios na região ficam parados por entraves burocráticos e ineficiência estatal. Os Núcleos Regionais da Polícia Técnico- -Científica de Formosa e Luziânia atendem juntos quase 40 municípios. Muitos crimes que necessitam de laudos periciais para comprovação de materialidade acabam em absolvições ou entram para a lista dos insolúveis, o que aumenta a impunidade. Faltam delegados, policiais civis e militares, agentes prisionais e viaturas. Não há base do Corpo de Bombeiros em todos os municípios. O Centro de Internação Regional de adolescentes infratores de Luziânia não consegue atender à demanda de toda a região. O abastecimento de água nos municípios ainda é precário. Em alguns, a rede não foi totalmente implantada. Coleta e tratamento de esgoto? Muito menos. Lixões a céu aberto predominam. Enfim, o cenário é de ausência de serviços públicos essenciais. Os motivos há muito são conhecidos de todos: o crescimento demográfico explosivo, a flexibilidade normativa do uso do solo, a proliferação de assentamentos urbanos de baixa renda, em sua grande maioria clandestinos e irregulares, e a ausência estatal, em sentido amplo. Toda esta situação se arrasta há anos, apenas com muita discussão, mas sem o envolvimento sério e efetivo dos responsáveis. Ao Ministério Público não compete executar políticas públicas. Contudo, por determinação constitucional, cabe à instituição proteger a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis. Diante da ausência do poder público na região, desde 2008, o Ministério Público de Goiás deflagrou o Projeto de Cidadania do Entorno do DF. Muito foi feito desde então, mas o desafio é enorme e muito mais ainda há que se fazer. Como não poderia deixar de ser, o projeto começou de dentro para fora. Primeiro, foi preciso fazer o dever de casa e melhorar a estrutura da própria instituição na região. E isso foi feito. Em 2008, após modificação legislativa, houve a elevação de entrância das promotorias de Águas Lindas, Cidade Ocidental, Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás, que passaram de inicial para intermediária. O número de Promotorias de Justiça na região passou de 25 para 49. Com isso, houve também aumento no quadro de serviço auxiliar e construção de sedes próprias. Marco importante do Projeto de Cidadania do Entorno foi a articulação para a retomada das obras do Hospital de Valparaíso, que se arrastaram por 13 anos. Em julho de, o hospital foi inaugurado, equipado por intervenção também do MP e encontra-se em pleno funcionamento. É necessário ressaltar também que, pela intervenção do projeto, em 2008, o Ministério da Justiça, via Depen, liberou quase R$ 50 milhões para construção de presídios regionais na região, totalizando 900 vagas. Diante da omissão estatal, que mesmo com verba disponibilizada não executou os projetos necessários, em setembro de, o Ministério Público assinou com o Estado dois termos de ajuste de conduta visando à efetiva construção de penitenciárias na região. Em relação ao transporte coletivo, incontáveis reuniões em Goiânia e no Distrito Federal foram e vêm sendo realizadas para a integração do sistema de transporte coletivo, com cobrança de tarifa única e melhoria geral de todo o sistema. Na área de educação, foram feitos o diagnóstico e o mapeamento de toda a rede escolar municipal e estadual, incluindo estrutura física e pedagógica das escolas, merenda escolar, transporte escolar, entre outros aspectos. O próximo passo será assinar TAC para solucionar as irregularidades e até para a implantação de escolas em tempo integral, como foi feito, através do projeto em 2010, no Jardim Ingá, em Luziânia. Outras ações nas áreas de segurança pública, infância e juventude, meio ambiente e consumidor estão em andamento. O caos na região provocou algo inédito: a união para atuação conjunta entre Ministério Público de Goiás, Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e Ministério Público Federal. Enfim, muito foi feito, por todos os que se engajaram no projeto. Porém, mais ainda está por vir. * PATRÍCIA TEIXEIRA GUIMARÃES GIMENES é promotora de Justiça, coordenadora do Projeto do Entorno do DF do MP-GO

6 06 Goiânia, fevereiro/março de MAUS-TRATOS A ANIMAIS ATENTO AO CRIME MP-GO TEM ATUADO EM CONJUNTO COM OUTRAS INSTITUIÇÕES PARA APURAR E PUNIR CONDUTAS QUE ENVOLVEM ABUSO, MAUS-TRATOS, FERIMENTOS OU MUTILAÇÃO DE ANIMAIS D iversos casos de maus-tratos a animais chamaram a atenção da sociedade goiana no último ano. Em uma das situações, um homem de 65 anos obrigava um burro a puxar uma carroça com a perna quebrada em Aparecida de Goiânia. Segundo informações da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (Dema), o animal foi encaminhado para uma propriedade rural em Itauçu e o homem responderá criminalmente pelo fato. Outro caso que ganhou grande repercussão foi o espancamento e morte de um cão yorkshire em Formosa, no Entorno do Distrito Federal, em novembro do ano passado. A enfermeira que causou a morte do animal foi denunciada em fevereiro pelo Ministério Público pelos crimes de maus-tratos a animal e submissão de criança a constrangimento isso porque a filha de 1 ano da acusada presenciou toda a agressão. De acordo com a Lei de Crimes Ambientais (Lei n º 9.605/98), casos que representam abuso, ferimentos ou mutilação de animais podem resultar em penas que variam de três meses a um ano de prisão e multa. A punição pode aumentar entre um sexto e um terço se o animal agredido morrer. Mas, antes de se chegar à definição de punições aos agressores, o primeiro passo para identificar e coibir situações de maus-tratos como as ocorridas em Aparecida de Goiânia e Formosa é a denúncia. Diversas instituições estão aptas a receber e apurar denúncias deste tipo de crime em Goiás. O Ministério Público (MP-GO), por exemplo, tem legitimidade para propor ação de responsabilidade civil e criminal por danos causados ao meio ambiente, o que inclui a proteção da fauna. Isso está previsto expressamente na Lei Federal nº 6.938/1981, alterada pela Lei Além disso, o Decreto Lei nº determina que o MP é representante legal dos animais. Nos últimos quatro anos, o MP-GO atuou em casos como da denúncia de suposto uso de métodos cruéis para execução de animais no Centro de Zoonoses de Goiânia; na vistoria do Ibama ao Zoológico da capital goiana; permanência de animais em áreas públicas de Senador Canedo, investigação de maus-tratos a cães durante pesquisa médica na Universidade Federal de Goiás (UFG) etc. Segundo o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CAOMA), Jales Guedes Coelho Mendonça, cabe aos membros da instituição decidir se acatam ou não as denúncias ou as conclusões de inquéritos policiais, para que o caso se transforme em denúncia criminal em tramitação no Judiciário. Entretanto, Jales lembra que cada caso tem sua particularidade e é avaliado de forma diferente, sendo necessário trabalho completo de apuração ou investigação para determinar se as acusações são procedentes. Investigação Uma das instituições responsáveis por receber denúncias e investigar casos de maus-tratos em Goiás é a Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (Dema). Segundo o delegado responsável pelo órgão, Luziano de Carvalho, a instituição tem trabalhado constantemente em conjunto com o MP-GO. É uma parceria que tem buscado a solução para os casos de maus-tratos a animais, principalmente porque o Ministério Público tem agilidade de atuação, salienta. Hoje, a delegacia possui equipe técnica, formada inclusive por médicos veterinários, que faz visitas para verificar locais de abrigo, a situação do animal, produzindo avaliações sobre os casos. São observados na investigação desde a existência de cobertura para proteger de chuva e sol, se há oferta de água e alimento, o jeito do animal, doenças, entre outras situações. Após essa etapa de verificação, é feito relatório apontando se ocorrem abusos ou crimes. Com a conclusão positiva da equipe, é instaurado inquérito policial. Luziano de Carvalho observa, contudo, que a população precisa saber melhor o que significa a conduta de maus-tratos. Segundo destaca, a Polícia Civil realizou, em dezembro de, a chamada Operação Arca de Noé, para apurar 70 denúncias de crimes praticados contra animais domésticos, silvestres e exóticos, mas em apenas cinco situações foram registrados Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO). Não é porque o cão ladra à noite que ele está sendo vítima de maus-tratos. Antes de denunciar, é preciso entender a situação, orienta o delegado. Ele ressalta que o ideal é antes fotografar ou filmar os animais vítimas de abusos antes de denunciar o caso, além de obter o maior número de informações para identificar o agressor. Em caso de comprovação de maustratos, o animal é retirado do agressor e encaminhado ao Centro de Zoonoses ou a um depositário fiel, pessoa responsável pela posse enquanto o caso é apurado na Justiça. Às vezes, explica o delegado, o próprio agressor se torna depositário fiel. Como é feita fiscalização periodicamente para verificar a situação do animal, o agressor precisa mudar a postura na forma de tratamento. O que ocorre é que a pessoa passa a ter consciência do jeito correto de cuidar do animal, enfatiza. Com a decisão judicial, é determinado se o animal será encaminhado à adoção, por meio da posse responsável. Fonte: ONDE DENUNCIAR Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do MP (62) /8026/8028 Delegacia do Meio Ambiente (Dema) (62) /2626/2631/2633 Corpo de Bombeiros 193 Polícia Militar 190 Ibama Linha Verde BANCO DE IMAGENS Denúncia é caminho para evitar impunidade &RQÀUD FRQGXWDV TXH SRGHP UHSUHVHQWDU maus-tratos a animais: Abandono, espancamento, golpes, mutilação e envenenamento; Manter preso permanentemente em correntes; Manter em locais pequenos e antihigiênicos; Não abrigar o animal do sol, da chuva e do frio; Deixar sem ventilação ou luz solar; Deixar sem água e comida diariamente; Negar assistência veterinária ao animal doente e ferido; Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força; Capturar animais silvestres; Utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse; Promover atos sistemáticos de violência, como rinhas de galo, farra do boi etc.

7 Goiânia, fevereiro/março de 07 Acolhendo pedidos feitos pelo Ministério Público, o Judiciário decretou, no início de fevereiro, a prisão temporária de quatro dirigentes da Associação de Combate ao Câncer de Goiás (ACCG) e de um empresário e afastou esses dirigentes da administração da entidade. A ACCG é a mantenedora do Hospital Araújo Jorge, especializado no tratamento de pacientes com câncer. Os detidos estão sendo investigados na Operação Biópsia, que visa apurar desvio de recursos públicos da associação. ção criminal instaurada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com o apoio do Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar, a Prefeito de Trindade é condenado por propaganda eleitoral extemporânea operação resultou no cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, com o recolhimento e contratos, e CPUs de computadores. Os presos acabaram conseguindo obter habeas-corpus no Tribunal de Justiça, mas seus depoimentos vão instruir a investigação. Em outra frente de atuação, o MP articulou a continuidade do serviço de referência prestado pelo hospital. O juiz Eder Jorge, acolhendo representação do promotor eleitoral Francisco Bandeira de Carvalho Melo, condenou o prefeito de Trindade, Ricardo Fortunato de Oliveira, por propaganda eleitoral extemporânea, que ocorre quando se tem a intenção de revelar o cargo político almejado ao eleitorado antes do prazo permitido em lei. O Ministério Público acionou a Justiça no caso porque o atual prefeito divulgou no site da prefeitura sua candidatura à reeleição, com destaque ao projeto político de alianças com outros partidos. Por ser considerado reincidente na conduta, o juiz condenou Fortunato a pagar multa de R$ 10 mil. Audiência orienta sobre correto gerenciamento PROMOTORIAS DE CATALÃO Cerca de 80 pessoas, entre do- tos de combustíveis, participaram de audiência pública no dia 30 de janeiro para discutir a adequação do gerenciamento dos resíduos de petróleo de estabelecimentos comerciais de Catalão. Coordenado pelo promotor de Justiça Mário Henrique Cardoso Caixeta, o encontro serviu para orientar sobre o perigo da poluição por hidrocarbonetos ao meio ambiente e à saúde humana, apresentar os parâmetros legais para a adequação dos empreendimentos que lidam com - rá responsável por propor estratégias de atuação que tenham como abrangência pequenos e grandes empreendimentos. O grupo, que deverá ser formado até março deste ano por empreendedores e integrantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, terá o prazo de quatro meses para encaminhar ao MP um plano de trabalho. Alto Paraíso de Goiás recebe primeira Promotores de Justiça de comarcas localizadas no Nordeste goiano par ticiparam do primeiro encontro do PGJ Presente em, realizado no dia 9 em Alto Paraíso de Goiás. Criado para aproximar a administração e os órgãos de execução, além de valorizar o trabalho de procuradores e promotores de Justiça, o PGJ Presente tem conseguido ampliar a discussão sobre soluções para problemas regionais. Em, seis municípios receberam edições do encontro Porangatu, Luziânia, Formosa, Catalão, Aparecida de Goiânia e Anápolis. O calendário das reuniões de pode ser consultado Prefeitura de Goiânia proibida de vender 70 áreas públicas na capital A determinação é do juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Goiânia, que acolheu, no dia 31 de janeiro, pedido feito em ação civil pública proposta pelo promotor de Justiça Maurício Nardini. Segundo consta na ação, o prefeito Paulo Garcia enviou, projeto de lei complementar prevendo a venda, à iniciativa privada, de 33 áreas públicas próximas ao Paço. O projeto tramitou no Legislativo e, em menos de 45 dias, foi analisado e votado em suas sessões pelos vereadores, que ainda acrescentaram 37 novas áreas às 33 descritas. Nardini ressalta que não houve estudo sobre os impactos advindos da venda, principalmente em relação à ocupação desordenada da região. O promotor pediu ainda condenação do prefeito por improbidade administrativa, já que a forma adotada, sem consulta prévia ou participação popular, desobedece aos princípios da administração pública. Este pedido, contudo, só será analisado no mérito. A Prefeitura anunciou que pretende recorrer da decisão. Formalizado Conselho da Comunidade de Cocalzinho Desde o início de fevereiro, o Conselho da Comunidade da comarca de Cocalzinho de Goiás possui estatuto e conta corrente para depósito. A formalização da criação do órgão é resultado da iniciativa do promotor de Justiça Eliseu da Silva Belo e da juíza Franciely Herradon. Agora, de acordo com o estatuto, o conselho vai cução das penas aplicadas a réus na comarca, auxiliando o MP, autoridades judiciária e policial, Agência Goiana do Sistema de Execução Penal e órgãos de segurança nas tarefas de readaptação ao meio social dos sentenciados, dos presos provisórios e egressos da cadeia pública da comarca, além de colaborar com a prevenção à criminalidade. O conselho será formado por até nove representantes efetivos, que serão escolhidos pelo juiz da execução entre pessoas maiores de 18 anos, com idoneidade moral e sem antecedentes criminais.

8 08 Goiânia, fevereiro/março de PATERNIDADE Direito ao nome e à dignidade MINISTÉRIO PÚBLICO DE GOIÁS DEU INÍCIO EM FEVEREIRO À CAMPANHA QUE PRETENDE ORIENTAR POPULAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DISPONÍVEL NA INSTITUIÇÃO PARA ATUAR NA ASSISTÊNCIA A QUEM NÃO TEM O REGISTRO DE NASCIMENTO COM O NOME DO PAI Cerca de 400 atendimentos por mês esta é a média de pessoas que tem procurado a 51ª Promotoria de Justiça de Goiânia em busca de informações e assistências no reconhecimento de paternidade. Este número levou a promotoria a ocupar a segunda posição no ranking de atendimentos na Recepção Cidadã - espaço que serve de porta de entrada à população do edifício-sede do Ministério Público e onde são feitos os pré-atendimentos e encaminhamentos das demandas às promotorias. Embora bastante expressivo, o volume de pessoas atendidas pela instituição ainda tinha margem para ser ampliado. Era o que entendia a promotora Gislene Silva Barbosa, titular da 51ª Promotoria desde Com essa ideia em mente, a de intensificar a atuação do Ministério Público na área de investigação de paternidade, ela partiu para a elaboração de um projeto visando alcançar o objetivo traçado. Daí nasceu o projeto É Legal Ter Pai, que contou com o apoio, na sua elaboração, da equipe do Gabinete de Planejamento e Gestão Integrada do MP (GGI). Para colocá-lo em prática e concretizar os objetivos planejados, foi concebida a campanha de mesmo nome, É Legal Ter Pai, lançada em fevereiro. Com ela, o MP quer divulgar em todo o Estado o trabalho que a instituição realiza na garantia do direito à paternidade, colocando a estrutura existente hoje à disposição para atender o público que necessita do serviço. A ideia é que as pessoas tenham conhecimento o de que o Ministério Público pode ajudá-las na conquista deste direito. A campanha está sendo realizada a em vários pontos de Goiânia e nos municípios que aderiram ao projeto até 6 de fevereiro, eram 25 cidades (Acreúna, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Caldas as Novas, Campos Belos, Corumbaíba, Cocalzinho, Edéia, Fazenda Nova, Itaberaí, Itapaci, Itauçu, Jataí, Luziânia, Minaçu, Nerópolis, Nova Crixás, Novo Gama, Panamá, Petrolina de Goiás, Posse, Rialma, Rio Verde, Senador Canedo e Trindade). Com apoio da Assessoria de Comunicação Social, foram criadas peças informativas como cartazes, flyers, banners, camisetas, entre outros, com a indicação dos canais de comunicação e dos locais onde a população pode buscar mais informações. Por meio de parcerias com instituições públicas e privadas, o material da campanha estará disponível em ônibus do consórcio da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo de Goiânia (RMTC), 90 veículos da Metrobus, terminais de embarque e desembarque de passageiros, 2,5 mil postos de venda e recarga do sitpass, mantidos pelo Setransp, promotorias de Justiça do interior, além do Araguaia Shopping e Terminal Rodoviário de Goiânia. As 23 unidades do Vapt-Vupt espalhadas pelo Estado também integram a cam- DE OLHO Ao procurar o MP, tenha em mãos: Cópia da certidão de nascimento em que não consta o nome do pai Nome e endereço completo do suposto pai Documento de identidade da mãe ou responsável legal (no caso de menor de 18 anos) panha a 51ª Promotoria promoveu, inclusive, a capacitação de cerca de 40 servidores para serem multiplicadores da campanha. Segundo explica a promotora Gislene Silva Barbosa, a intenção da campanha é mostrar à população que o MP oferece desde a orientação sobre o direito de ter o nome do pai no registro de nascimento até a promoção da ação de investigação para reconhecimento de paternidade (no caso de menores). Pretendemos, com todos esses locais de divulgação, fazer com que o cidadão saiba que pode encontrar esse serviço à disposição dele no Ministério Público e repassar essa informação adiante, enfatiza. A campanha será realizada no período de 15 dias (ônibus) e 30 dias (Vapt-Vupt), a partir da data de lançamento. Mesmo assim, destaca Gislene, nada impede que o prazo seja estendido. Serviço gratuito Pai que não registrou o filho porque estava viajando, que não tem certeza da paternidade e até que já faleceu. Em todas essas situações é possível conseguir o reconhecimento de paternidade e a inclusão do nome no registro de nascimento do filho. E não é só crian- ça que tem esse direito, explica Gislene Barbosa. Adolescente e adulto tam- bém podem e devem ter o nome do pai na certidão, ressalta. Nessas situações, o MP atua quando o caso não foi concluído pelo juiz ou quando a mãe ou interessado procura diretamente a sede da instituição. O MP, contudo, não pode representar judicialmente o adulto, podendo apenas buscar um acordo. Se não houver dúvida da paternidade, o acordo é feito na hora, em audiência. Já nas situações que são necessários exames de DNA, o acordo entre o suposto pai e a mãe é feito após a leitura do resultado em audiência, caso comprovada a paternidade. Nos casos de falecimento do suposto pai, são usados como recursos o exame de DNA e testemunhas. É importante ressaltar que o processo de investigação de paternidade não tem ônus para as famílias. Tudo é feito de forma gratuita, inclusive a inclusão do nome do pai no registro de nascimento pelos cartórios, enfatiza a promotora.

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

O projeto abrange atuação em áreas distintas, visando os seguintes resultados:

O projeto abrange atuação em áreas distintas, visando os seguintes resultados: PROJETO ENTORNO 1 OBJETIVOS DO PROJETO Proporcionar melhoria das condições de cidadania da população do Entorno do Distrito Federal, fomentando e coordenando ações nas áreas de segurança pública, saúde,

Leia mais

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS Na data de 03 de maio de 2011 1 o então Coordenador do Projeto Entorno, Luís Guilherme Martinhão Gimenes, reuniu-se com o Comandante Geral do

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

PROJETO DA POLÍTICA SOBRE DROGAS REGIÃO DA GRANDE GOIÂNIA E ENTORNO DO DISTRITO FEDERAL

PROJETO DA POLÍTICA SOBRE DROGAS REGIÃO DA GRANDE GOIÂNIA E ENTORNO DO DISTRITO FEDERAL PROJETO DA POLÍTICA MUNICIPAL SOBRE DROGAS REGIÃO DA GRANDE GOIÂNIA E ENTORNO DO DISTRITO FEDERAL DECLARAÇÃO DE ESCOPO Preparado por MARIA JOSÉ F. SOARES Versão 01/2012 Aprovado por I - DESCRIÇÃO DO PROJETO

Leia mais

Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes

Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes 1. Introdução Fenômeno dos mais graves de nosso tempo, a exploração sexual-comercial de crianças e adolescentes não deve ser

Leia mais

Rede de Defesa e Segurança

Rede de Defesa e Segurança Rede de Defesa e Segurança 1 PROGRAMA ALIANÇA PELA VIDA Objetivo: Estruturar ações integradas de prevenção, acolhimento e tratamento dos usuários e dependentes de álcool e outras drogas e seus familiares,

Leia mais

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador Coordenador: SEGURANÇA Visão: Que Santa Maria tenha os melhores indicadores de Segurança Pública, entre os municípios do Rio Grande do Sul com mais de 100 mil habitantes, garantindo a prevenção e o controle

Leia mais

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06)

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06) Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006 (pt. nº. 3.556/06) Constitui, na comarca da Capital, o Grupo de Atuação Especial de Inclusão Social, e dá providências correlatas. O Colégio de Procuradores

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Por meio do Programa Rede Judicial de Proteção objetiva-se reduzir a reprodução de infrações penais semelhantes às cometidas, a partir de intervenções orientadas para

Leia mais

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO Diversos problemas levaram à situação atual O problema sempre foi tratado com uma série de OUs Natureza ou policial ou social Responsabilidade ou

Leia mais

PLANO SETORIAL DE AÇÃO PROCURADORIA/PROMOTORIA DE JUSTIÇA PROCURADORIA / PROMOTORIA DE JUSTIÇA: COMARCA DE SIQUEIRA CAMPOS. Resultados de Pesquisas de

PLANO SETORIAL DE AÇÃO PROCURADORIA/PROMOTORIA DE JUSTIÇA PROCURADORIA / PROMOTORIA DE JUSTIÇA: COMARCA DE SIQUEIRA CAMPOS. Resultados de Pesquisas de MINISTÉRI O PÚBLICO do Estado do Paraná PLANO SETORIAL DE AÇÃO PROCURADORIA/PROMOTORIA DE JUSTIÇA SUBPLAN ANO: 2014 PROCURADORIA / PROMOTORIA DE JUSTIÇA: COMARCA DE SIQUEIRA CAMPOS RECONHECIMENTO EXTERNO

Leia mais

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher Lucinery Helena Resende Ferreira do Nascimento Túlio Carlos Souza Ortiz Desde o nascimento da Lei 11.340, em

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

Indicadores de Violência e Segurança Pública

Indicadores de Violência e Segurança Pública Indicadores de Violência e Segurança Pública 1 2 3 Indicadores de Violência e Segurança Pública Proposta: criação e implementação do Sistema Estadual de Informações de Violência e Segurança Pública Parcerias

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 Dispõe sobre as atribuições da Coordenação de Atendimento ao Preso Provisório da Defensoria Pública da Capital e dá outras providências.

Leia mais

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 Estabelece as competências da Secretaria de Segurança Legislativa do Senado Federal e das Subsecretarias e Serviços a ela subordinados. O DIRETOR-GERAL DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº de de 2015.

PROJETO DE LEI Nº de de 2015. PROJETO DE LEI Nº de de 2015. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL PARA O SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NO ESTADO DE GOIÁS, DENOMINADO OBSERVATÓRIO ESTADUAL DA VIOLÊNCIA CONTRA O

Leia mais

CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDENAÇÃO DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA

CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDENAÇÃO DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA CARTA ABERTA DE INTENÇÕES DO II ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS PARA COORDEN DO ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE EM CASA Aos trinta dias do mês de novembro do ano de dois mil e sete, reuniram-se no município

Leia mais

Combate e prevenção à violência contra a mulher

Combate e prevenção à violência contra a mulher Combate e prevenção à violência contra a mulher O CIM - Centro Integrado de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar - tem por objetivo fazer valer a Lei n.º 11.340/06, Lei Maria da

Leia mais

ANEXO I. Relatório de Atividades Anuais do Ministério Público: Rol de informações mínimas necessárias por órgão

ANEXO I. Relatório de Atividades Anuais do Ministério Público: Rol de informações mínimas necessárias por órgão ANEXO I Relatório de Atividades Anuais do Ministério Público: Rol de informações mínimas necessárias por órgão 1. SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS INSTITUCIONAIS 1.1 Atividades Institucionais

Leia mais

Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do

Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do Projeto: adolescente. Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do Organização responsável pela execução: Instituto Educar da Infância e da Juventude CNPJ:03.135.626/0001 01

Leia mais

Segunda-feira, 30.01.12

Segunda-feira, 30.01.12 Segunda-feira, 30.01.12 Veja os destaques de hoje e do fim de semana: 1. OVG recebe doação de cadeiras de rodas do Complexo Prisional 2. Exame gratuito de DNA Jornal O Hoje, Capa - 28.01.12 OVG vai doar

Leia mais

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS Os Juizados Especiais foram criados para atender; de uma forma rápida e simples, problemas cujas soluções podem ser buscadas por qualquer cidadão. Antes deles,

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

RECOMENDAÇÃO MINISTERIAL Nº 002/2015

RECOMENDAÇÃO MINISTERIAL Nº 002/2015 Procedimento administrativo nº 201400036940 RECOMENDAÇÃO MINISTERIAL Nº 002/2015 Objeto: Dispõe sobre o dever de atuação de diversas autoridades públicas, durante a Romaria Nossa Senhora d'abadia do Muquém

Leia mais

BRASIL. (tradução não oficial para o português)

BRASIL. (tradução não oficial para o português) Distr. GERAL CCPR/C/BRA/CO/2 2 de Novembro 2005 Original: Inglês Comitê de Direitos Humanos 85ª Sessão CONSIDERAÇÃO DE RELATÓRIOS ENVIADOS POR ESTADOS PARTES SOB O ARTIGO 40 DO PACTO Observações finais

Leia mais

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal O QUE É? Conjunto de medidas, que pretende reorganizar o atendimento aos dependentes químicos na Rede do Sistema Único

Leia mais

[FÊNIX ASSOCIAÇÃO PRÓ SAÚDE MENTAL]

[FÊNIX ASSOCIAÇÃO PRÓ SAÚDE MENTAL] A IMPORTÂNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO NA SAÚDE O Ministério Público tem a sua razão de ser na necessidade de ativar o Poder Judiciário, em pontos em que esta remanesceria inerte porque o interesse agredido

Leia mais

1 Ampliar e qualificar as ações do GGIM - Gabinete de Gestão Integrada Municipal

1 Ampliar e qualificar as ações do GGIM - Gabinete de Gestão Integrada Municipal Fortalecer a atuação conjunta das Forças de Reuniões Operações conjuntas das Forças de Número de reuniões Número de operações conjuntas das forças PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SEGURANÇA

Leia mais

Crack, é possível vencer

Crack, é possível vencer Crack, é possível vencer Prevenção Educação, Informação e Capacitação Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão?

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? PERGUNTAS FREQUENTES O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? A mulher em situação de violência doméstica poderá comparecer a uma delegacia de Defesa da Mulher mais próxima à sua casa para registrar

Leia mais

Inclusão. Construindo o Futuro

Inclusão. Construindo o Futuro Inclusão. Construindo o Futuro Mostra Local de: Irati Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Conselho da Comunidade da Comarca de Irati

Leia mais

CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012

CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012 CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012 Os participantes do I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE, representantes de Conselhos da Comunidade

Leia mais

CONFERÊNCIA ESTADUAL BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA São Luís - 18 a 20 de Agosto de 2008

CONFERÊNCIA ESTADUAL BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA São Luís - 18 a 20 de Agosto de 2008 CONFERÊNCIA ESTADUAL BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA São Luís - 18 a 20 de Agosto de 2008 Relatório do Painel PANORAMA LEGAL 1. A DEFENSORIA PÚBLICA ESTADUAL NA PREVENÇÃO E NO COMBATE À VIOLÊNCIA Carência de

Leia mais

I Fórum Políticas Públicas do Idoso"

I Fórum Políticas Públicas do Idoso I Fórum Políticas Públicas do Idoso" O idoso no mundo Em 2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 30% da população mundial será de idosos; 2 bilhões dos habitantes do planeta terão mais de

Leia mais

Publicação DOU nº 98, seção 1 de 23 de maio de 2007

Publicação DOU nº 98, seção 1 de 23 de maio de 2007 Publicação DOU nº 98, seção 1 de 23 de maio de 2007 Atos do Poder Executivo DECRETO Nº 6.117, DE 22 DE MAIO DE 2007 Aprova a Política Nacional sobre o Álcool, dispõe sobre as medidas para redução do uso

Leia mais

ATO (N) N.º 171/99 - PGJ, de 14 de janeiro de 1999

ATO (N) N.º 171/99 - PGJ, de 14 de janeiro de 1999 ATO (N) N.º 171/99 - PGJ, de 14 de janeiro de 1999 PLANO GERAL DE ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA 1999 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO, no exercício de suas atribuições legais,

Leia mais

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral.

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral. EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente nos âmbitos federal, estadual,

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS FUNDO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS GUIA PARA CRIAÇÃO ABRIL 2013

CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS FUNDO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS GUIA PARA CRIAÇÃO ABRIL 2013 CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS FUNDO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS GUIA PARA CRIAÇÃO ABRIL 2013 ÍNDICE I - Apresentação 03 II - Fases para a criação 04 III - Informações gerais sobre

Leia mais

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420)

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420) Fica autorizada a reprodução do texto e ilustrações, no todo ou em parte, desde que se não altere o sentido, bem como seja citada a fonte. As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

* DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais,

* DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais, Governo do Estado do Rio Grande do Norte Gabinete Civil Coordenadoria de Controle dos Atos Governamentais * DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui o Programa Estadual de Proteção a Vitimas

Leia mais

O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos PROGRAMAÇÃO ETAPA BELÉM 18 DE SETEMBRO DE 2014 O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Raimundo Moraes Ministério Público do Pará CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES

Leia mais

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Coordenação dos Núcleos de Direitos Humanos - CNDH Núcleo de Gênero Pró-Mulher Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo

Leia mais

PROJETO SER NATUREZA

PROJETO SER NATUREZA PROJETO SER NATUREZA DECLARAÇÃO DE ESCOPO Preparado por Adriane Chagas Santana Oliveira Versão 01/2012 Aprovado por I - DESCRIÇÃO DO PROJETO: Nome do Projeto: Área Responsável: Objetivo Estratégico: Estratégias:

Leia mais

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ Princípio A segurança pública deve promover a cidadania e prevenir a criminalidade. Princípio As políticas de segurança pública devem ser transversais.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

ESTADO DE GOIÁS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA RELATÓRIO DA VISITA FEITA AO CENTRO DE INSERÇÃO SOCIAL DE ANÁPOLIS (PRESÍDIO DE ANÁPOLIS), REALIZADA EM 25 DE MAIO DE 2011, PELA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS

I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS CARTA DE CURITIBA Os participantes do I CONGRESSO BRASILEIRO DE EXECUÇÃO DE PENAS E MEDIDAS ALTERNATIVAS, realizado em Curitiba PR, de

Leia mais

Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista

Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA O PROCESSO SELETIVO E CONSULTIVO PARA DIRETORES ESCOLARES Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista

Leia mais

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema Região Metropolitana de São Paulo Área total: 7.944 Km² População: 20,3 milhões de habitantes Densidade hab/km² Município de Diadema Área total: 30,7 Km2 População: 386.089 (IBGE/2010) Densidade demográfica:

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

PRINCÍPIOS. 2. Pautar-se na manutenção da previsão constitucional vigente dos órgãos da área, conforme artigo 144 da Constituição Federal.

PRINCÍPIOS. 2. Pautar-se na manutenção da previsão constitucional vigente dos órgãos da área, conforme artigo 144 da Constituição Federal. PRINCÍPIOS 1. Ser uma política de Estado que proporcione a autonomia administrativa, financeira, orçamentária e funcional das instituições envolvidas, nos três níveis de governo, com descentralização e

Leia mais

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Cidadão com Segurança Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público e Procurador-Geral da República Roberto Monteiro Gurgel Santos Comissão do Sistema Prisional,

Leia mais

Políticas Públicas sobre drogas no Brasil. Luciana Cordeiro Aline Godoy

Políticas Públicas sobre drogas no Brasil. Luciana Cordeiro Aline Godoy Políticas Públicas sobre drogas no Brasil Luciana Cordeiro Aline Godoy O que são políticas públicas? Para que servem? Como são elaboradas? Políticas Públicas para quê? Instrumento na organização da sociedade

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador RENATO CASAGRANDE

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador RENATO CASAGRANDE PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 37, de 2010, da Senadora Lúcia Vânia, que altera o art. 10 do Código de

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians I. INTRODUÇÃO Durante uma pesquisa realizada exclusivamente com homens pelo Instituto Avon/Data Popular e lançada em novembro de 2013, alguns dados

Leia mais

MANUAL do sistema. SIMPR - Crack, é possível vencer Plano de Ação Local

MANUAL do sistema. SIMPR - Crack, é possível vencer Plano de Ação Local MANUAL do sistema SIMPR - Crack, é possível vencer Plano de Ação Local 1 Observação: Recomenda-se a leitura prévia da cartilha do programa Crack, É Possível Vencer, disponível no endereço http://www.brasil.gov.br/crackepossivelvencer/home/publicacoes/materialinformativo/destaques/cartilha-crack-e-possivel-vencer-compromisso-detodos-1

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas.

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas LEVANTAMENTO DOS MARCOS TEÓRICOS E LEGAIS DO CAPS CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL 1. Marco Teórico NORMATIVAS

Leia mais

Conheça os projetos lançados no Acre

Conheça os projetos lançados no Acre Conheça os projetos lançados no Acre 1. Renaesp e Bolsa Formação Os policiais que trabalharão no Território de Paz estão mais capacitados e valorizados. O Bolsa Formação oferece um auxílio mensal de R$

Leia mais

Palestrante: Silvana Ferreira Fernandes silvanaff@yahoo.com.br Psicopedagoga e Neuropedagoga

Palestrante: Silvana Ferreira Fernandes silvanaff@yahoo.com.br Psicopedagoga e Neuropedagoga Palestrante: Silvana Ferreira Fernandes silvanaff@yahoo.com.br Psicopedagoga e Neuropedagoga CONTRA MULHERES, CRIANÇAS E IDOSOS CONCEITO DE VIOLÊNCIA A violência é um fenômeno polissêmico e complexo que

Leia mais

A redução da maioridade penal não é a solução

A redução da maioridade penal não é a solução A redução da maioridade penal não é a solução Mandato do Deputado Estadual Marcelo Freixo 2 Redação: Ana Marcela Terra Bruno Villa Sidney Teles Tomás Ramos Edição: Renata Souza Revisão: Bruno Villa Fotos:

Leia mais

Apresentação Este documento apresenta as diretrizes e estratégias propostas pelo Programa Municipal de Atenção às Drogas da Prefeitura de São José

Apresentação Este documento apresenta as diretrizes e estratégias propostas pelo Programa Municipal de Atenção às Drogas da Prefeitura de São José 1 2 Apresentação Este documento apresenta as diretrizes e estratégias propostas pelo Programa Municipal de Atenção às Drogas da Prefeitura de São José dos Campos-SP. Trata-se de um conjunto de ações intersecretariais,

Leia mais

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Karina Balduino Leite e Rivadavio Anadão de Oliveira Guassú Maria da Penha foi uma entre as incontáveis vítimas de violência doméstica espalhadas pelo planeta.

Leia mais

CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES DO 1 SEMESTRE DE 2014 PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO

CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES DO 1 SEMESTRE DE 2014 PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES DO 1 SEMESTRE DE 2014 PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO ATIVIDADES - OFICINAS DE TRABALHO - REUNIÕES - CURSOS - EVENTOS - SEMINÁRIOS - CONGRESSOS FEVEREIRO 10 (segunda)

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55. Planejamento Estratégico

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55. Planejamento Estratégico PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55 Planejamento Estratégico Criança e Adolescente 2010 PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 56 INTRODUÇÃO Tema: Criança e Adolescente A questão da infância

Leia mais

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Resolução CNMP Nº 20 de 28/05/2007 Dados da Entidade Visitada Nome: CPF ou CNPJ:: Endereço: Município: UF: Telefones c/ddd: Seção I Identificação

Leia mais

MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL

MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL Cuiabá-MT teve a primeira Promotoria de Justiça a aplicar a Lei Maria da Penha no Brasil, iniciando seus trabalhos no dia 22/09/2006, dia em que a Lei Maria da

Leia mais

Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Políticas Públicas Sobre Drogas, Um Compromisso de Todos! Mostra Local de: Piraí do Sul Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura

Leia mais

PROJETO DE DEFESA DA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO A GRANDE DEVASTAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

PROJETO DE DEFESA DA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO A GRANDE DEVASTAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO CADERNO DE METAS 2009 PROJETO DE DEFESA DA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO A GRANDE DEVASTAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO Após longos anos de devastação e exploração, o povo e a cultura do Rio São Francisco vêem

Leia mais

TERMO DE INTEGRAÇÃO OPERACIONAL PARA INSTITUIR O FÓRUM PERMANENTE DE PREVENÇÃO À VENDA E AO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES

TERMO DE INTEGRAÇÃO OPERACIONAL PARA INSTITUIR O FÓRUM PERMANENTE DE PREVENÇÃO À VENDA E AO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES TERMO DE INTEGRAÇÃO OPERACIONAL PARA INSTITUIR O FÓRUM PERMANENTE DE PREVENÇÃO À VENDA E AO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES CONSIDERANDO que o art. 227 da Constituição da República

Leia mais

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Serviços técnicos do Serviço Social na área da família e infância nos processos do Fórum de União da Vitória O Serviço

Leia mais

GALBA TACIANA SARMENTO VIEIRA

GALBA TACIANA SARMENTO VIEIRA GALBA TACIANA SARMENTO VIEIRA No Brasil, a questão do combate ao uso de drogas teve início na primeira metade do século XX, nos governos de Eptácio Pessôa e Getúlio Vargas; A primeira regulamentação sobre

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA TEMA: AS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS, S.U.A.S., S.I.N.A.S.E. E OS MUNICÍPIOS Juiz: Marcos Antônio S. Bandeira CONTEXTUALIZAÇÃO REALIDADE DO ADOLESCENTE EM CONFLITO COM

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE Carta Aberta aos candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Municipais: Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos,

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FABIANO CONTARATO, brasileiro, solteiro, com 48 anos de idade, Delegado de Polícia Civil e Professor Universitário,

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A sensação de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU SISTEMA JURÍDICO N.º 001/2011 Versão: 001/2011 Aprovação em: 28/11/2011 Ato de aprovação: Decreto nº. 2995/2011. Unidade Responsável: Sistema Jurídico I - FINALIDADE: Representar

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Coleção Sinopses para Concursos... 15 Guia de leitura da Coleção... 17 Apresentação da 2ª edição... 19 Apresentação... 21

Coleção Sinopses para Concursos... 15 Guia de leitura da Coleção... 17 Apresentação da 2ª edição... 19 Apresentação... 21 Sumário Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 15 Guia de leitura da Coleção... 17 Apresentação da 2ª edição... 19 Apresentação... 21 Capítulo I LIÇÕES PRELIMINARES... 23 1. Introdução... 23 2. Proteção

Leia mais

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo.

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo. REGIÃO SUL Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Realizar campanhas articuladas entre as políticas para prevenção do turismo sexual (agentes de saúde, professores

Leia mais

Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência

Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência Grêmio em Forma: o fomento à participação dos jovens na escola como estratégia de prevenção da violência (Artigo publicado no livro Violência & Juventude, editora Hucitec, 2010) Este texto pretende apresentar

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professora: Juliana Petrocelli Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS

Leia mais

Cinco mitos que precisam ser quebrados

Cinco mitos que precisam ser quebrados Cinco mitos que precisam ser quebrados Há muitos avanços na luta contra a violência no Brasil. Contudo, ainda vivemos um triste círculo vicioso. Com base em alguns mitos sobre como vencer a violência,

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 28 a 31 de julho de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos e mais Amostra 2.002 entrevistas em 140 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Nordeste Oficinas 334 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Pedro Afonso. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Elizabeth Leitão Secretária Municipal Adjunta de Assistência Social Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Março de 2012 Conceito

Leia mais

APRESENTAÇÃO erapêutica

APRESENTAÇÃO erapêutica erapêutica Justiça APRESENTAÇÃO No Brasil, a proposta de cumprimento da legislação penal de forma harmônica, com medidas sociais e de tratamento às pessoas que praticam crimes, nos quais o elemento droga

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1 Mensagens aos jovens Nós, jovens, devemos nos organizar para a construção de projetos, em que possamos, juntos com a população e os órgãos responsáveis, nos responsabilizar pelo bem-estar do nosso patrimônio.

Leia mais