RELATÓRIO DE ENSAIO N.º 0826 / 2005

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ENSAIO N.º 0826 / 2005"

Transcrição

1 Pág.: 1 / 16 INTERESSADO: INOVATEC ENGENHARIA E TECNOLOGIA LTDA. NATUREZA DO TRABALHO: Verificação da resistência à impactos de corpo mole e impactos de corpo duro, Comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas, Solicitações transmitidas ao sistema através dos ensaios de fechamento brusco e choque de abalo em portas e estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso. PROTÓTIPO: Residência construída pelo interessado utilizando o sistema construtivo CADEX. 1. AMOSTRA 1.1 Indicação Declarada Pelo Interessado Interessado: Inovatec Engenharia e Tecnologia Ltda. Endereço: Rua Cel. Arthur Witaker, 684. Cidade: Descalvado - SP. CEP: Obra: Residência construída pelo sistema Cadex. Endereço: Rua Quinze, L. 18, Q. AJ - Parque Residencial São Clemente. Cidade: Monte Mor - SP. CEP: Data dos Ensaios: 04/07/2005 a 05/07/2005. Data da Concretagem do Protótipo: 30/06/ Descrição do Protótipo Ensaiado Uma (01) residência unifamiliar construída por equipe treinada e apresentando as características descritas no documento fornecido pelo interessado, anexos a este relatório. 2. MÉTODOS UTILIZADOS IPT ME-43/81 IPT ME-44/81 NBR 8054/83 NBR 8051/83 NBR 11678/90 NBR 11679/90 - Verificação da resistência à impactos de corpo mole. - Verificação da resistência à impactos de corpo duro. - Porta de Edificação - Resistência ao fechamento brusco. - Porta de Edificação - Resistência a choque de abalo. - Verificação do comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas. - Divisórias internas leves moduladas Verificação da estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso.

2 Pág.: 2 / Objetivo O presente trabalho tem como escopo avaliar o desempenho do sistema construtivo produzido pelo interessado, utilizando a metodologia desenvolvida pelo IPT-SP. Tal metodologia estabelece requisitos mínimos de desempenho para as paredes com função estrutural, que para os ensaios solicitados pelo interessado são descritos abaixo Verificação da resistência à impactos de corpo mole O ensaio consiste em submeter a parede externa com função estrutural, através de corpo mole com massa de 40 kg, à impactos subseqüentes e em energias crescentes, conforme a tabela abaixo: Impacto Energia (J) Exigências IPT-SP Não ocorrência de danos Não ocorrência de danos e dh h/250 Não ocorrência de danos Não ocorrência de danos e dhr h/1250 Não ocorrência de danos Não ocorrência de danos Não ocorrência de ruína Não ocorrência de ruína Obs.: - dh = deformação horizontal máxima (deformação máxima no momento do impacto); - dhr = deformação horizontal residual (deformação residual, medida 5 minutos após a aplicação do impacto). - h = altura da parede no local do ensaio Verificação da resistência à impactos de corpo duro O ensaio consiste em submeter a parede externa com função estrutural, através de esferas de aço maciço (corpo duro) com massas de 500 e 1000 gramas, à impactos aplicados aleatoriamente na face do corpo de prova, conforme a tabela abaixo: Massa da esfera (g) Qtd. impactos Energia (J) , ,00 Exigências IPT-SP Não ocorrência de danos e profundidade de mossas 2 mm. Não ocorrência de ruptura ou transpassamento da esfera.

3 Pág.: 3 / Verificação do comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas Consiste em submeter a parede a um carregamento de 1 KN (100 Kgf), durante vinte e quatro (24) horas. Ao término do período de ensaio a parede é inspecionada visualmente e são anotadas as deformações horizontais, o sistema de aplicação de carga é descarregado e após quinze (15) minutos são anotadas as deformações horizontais residuais. O IPT-SP estabelece os seguintes critérios de aceitação: - Não ocorrência de rupturas, fissuras, arrancamento do sistema de fixação da peça suspensa ou qualquer outro dano, porém são admitidas mossas nos locais de compressão; - Não ocorrência de deformações horizontais superiores a h/500, onde h = altura da parede; - Não ocorrência de deformações horizontais residuais superiores a h/2500, onde h = altura da parede Verificação do comportamento de paredes de edificações submetidas aos ensaios de fechamento brusco e choque de abalo em portas. Consiste em submeter a folha de porta aos ensaios de choque de abalo e fechamento brusco, visando verificar as ocorrências sofridas pelos painéis. No ensaio de choque de abalo, com o auxílio de uma esfera de couro de 5 Kg, a folha de porta recebe dez (10) impactos de 30 J, no sentido de fechamento da folha. No ensaio de fechamento brusco a folha de porta, aberta a um ângulo de 60º, é submetida a dez (10) impactos de fechamento provocados por uma força de 147 N. É considerado o seguinte critério de aceitação: - Não devem ocorrer danos na parede e nas regiões de solidarização ao marco Verificação da estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso Consiste na instalação de uma semicaixa de chapa de aço galvanizado na junção do piso com o painel a ser ensaiado. Em toda a sua periferia de contato com o piso e com o corpo de prova é aplicado um vedante. No interior do compartimento formado pela semicaixa e o corpo de prova é adicionada água até atingir a altura recomendada no método de ensaio. O sistema deve permanecer montado durante vinte e quatro (24) horas. É considerado o seguinte critério de aceitação: - Não ocorrência de formações de gotas d água aderentes ou deslizantes, manchas de umidade e/ou vazamentos no lado oposto à semicaixa.

4 Pág.: 4 / EQUIPAMENTOS Descrição Patrimônio Cert. de Calibração Validade Paquímetro /04 10/2005 Relógio Comparador /04 10/2006 Relógio Comparador /04 10/2006 Relógio Comparador /04 10/2006 Cronômetro R0831/05 07/2007 Régua Metálica /03 10/2005 Conjunto de Pesos Padrão a R 10558/03 10/2005 Equipamento de ensaios em paredes /04 10/ RESULTADOS OBTIDOS 4.1 Verificação da Resistência à Impactos de Corpo Mole Impacto Altura de Deflexão Horizontal (mm) Nº Energia (J) Queda (m) Máxima (dh) Residual (dhr) Ocorrências ,30 1,0 0,0 Sem ocorrências ,60 2,5 0,5 Sem ocorrências ,60 2,5 0,5 Sem ocorrências ,60 2,5 0,5 Sem ocorrências ,90 4,0 0,5 Sem ocorrências ,20 5,0 0,5 Sem ocorrências ,80 5,5 0,5 Sem ocorrências ,40 8,0 0,5 Sem ocorrências. Obs.: 1) Ensaio realizado na parede do quarto, no fundo da residência. 2) Altura da parede (h) no local do ensaio = 2800 mm.

5 Pág.: 5 / Gráfico da deformação horizontal máxima e residual versus impacto Deformação Horizontal (mm) Máxima (dh) Residual (dhr) Impacto 4.2 Verificação da Resistência à Impactos de Corpo Duro Esfera de 500 gramas Impacto Nº Energia(J) Altura de Queda (m) Profundidade da Mossa (mm) Ocorrências 01 3,75 0,75 0,55 Sem ocorrências. 02 3,75 0,75 0,70 Sem ocorrências. 03 3,75 0,75 0,50 Sem ocorrências. 04 3,75 0,75 0,60 Sem ocorrências. 05 3,75 0,75 0,55 Sem ocorrências. 06 3,75 0,75 0,75 Sem ocorrências. 07 3,75 0,75 0,55 Sem ocorrências. 08 3,75 0,75 0,50 Sem ocorrências. 09 3,75 0,75 0,50 Sem ocorrências. 10 3,75 0,75 0,60 Sem ocorrências. Obs.: Ensaio realizado na parede do quarto, no fundo da residência.

6 4.2.2 Esfera de 1000 gramas Impacto Nº Energia(J) RELATÓRIO DE ENSAIO N.º 0826 / 2005 Altura de Queda (m) Profundidade da Mossa (mm) Ocorrências Verificadas 01 20,00 2,00 1,25 Sem ocorrências ,00 2,00 1,30 Sem ocorrências ,00 2,00 1,60 Sem ocorrências ,00 2,00 1,35 Sem ocorrências ,00 2,00 1,55 Sem ocorrências ,00 2,00 1,45 Sem ocorrências ,00 2,00 1,85 Sem ocorrências ,00 2,00 1,45 Sem ocorrências ,00 2,00 1,50 Sem ocorrências ,00 2,00 1,60 Sem ocorrências. Obs.: Ensaio realizado na parede do quarto, no fundo da residência. Pág.: 6 / Verificação do comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas Relógio Comparador Deflexão Horizontal (mm) Nº Posição no Painel Máxima Residual 01 ¾ altura 0,06 0,04 02 ½ altura 0,09 0,08 Ocorrências Verificadas Sem ocorrências. 03 ¼ altura 0,10 0,08 Obs.: 1) Ensaio realizado na parede da sala/copa com o quarto. 2) Altura da parede (h) no local do ensaio = 2800 mm. 3) Foram utilizados para fixação da mão francesa dois parafusos sextavados de rosca soberba de 60 mm de comprimento e duas buchas de nylon S10, conforme instrução do interessado. 4.4 Verificação do Comportamento de Paredes de Edificações Submetidas aos Ensaios de Fechamento Brusco e Choque de Abalo em Portas Resistência à choque de abalo em porta externa Impacto Nº Energia (J) Ocorrências Verificadas no Sistema Construtivo Movimentos de Abertura e Fechamento 01 à Sem ocorrências. Preservados. Obs.: 1) Ensaio realizado na porta da cozinha da residência. 2) Este ensaio tem como objetivo a detecção de ocorrências transmitidas ao sistema construtivo e não atesta a qualidade da porta.

7 Pág.: 7 / Fechamento brusco em porta externa Impacto Nº Carga (N) Ocorrências Verificadas no Sistema Construtivo Movimentos de Abertura e Fechamento 01 à Sem ocorrências. Preservados. Obs.: 1) Ensaio realizado na porta da cozinha da residência. 2) Este ensaio tem como objetivo a detecção de ocorrências transmitidas ao sistema construtivo e não atesta a qualidade da porta Resistência à choque de abalo em porta interna Impacto Nº Energia (J) Ocorrências Verificadas no Sistema Construtivo Movimentos de Abertura e Fechamento 01 à Sem ocorrências. Preservados. Obs.: 1) Ensaio realizado na porta do quarto da residência. 2) Este ensaio tem como objetivo a detecção de ocorrências transmitidas ao sistema construtivo e não atesta a qualidade da porta Fechamento brusco em porta interna Impacto Nº Carga (N) Ocorrências Verificadas no Sistema Construtivo Movimentos de Abertura e Fechamento 01 à Sem ocorrências. Preservados. Obs.: 1) Ensaio realizado na porta do quarto da residência. 2) Este ensaio tem como objetivo a detecção de ocorrências transmitidas ao sistema construtivo e não atesta a qualidade da porta. 4.5 Verificação da estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso Decorridas vinte e quatro (24) horas de ensaio, o corpo de prova foi submetido a análise visual, onde não foram constatadas a ocorrência de formações de gotas d água aderentes ou deslizantes, manchas de umidade e/ou vazamentos no lado oposto à semicaixa.

8 Pág.: 8 / DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA 5.1 Vista frontal da residência antes da execução dos ensaios. 5.2 Vista traseira da residência preparada para a execução do ensaio de impacto de corpo mole.

9 Pág.: 9 / Detalhe do posicionamento do saco de couro para a aplicação do impacto de 720J. 5.4 Detalhe do dispositivo utilizado para realizar as leituras de deformações horizontais.

10 Pág.: 10 / Detalhe do ensaio de impacto de corpo duro. 5.6 Detalhe do décimo ponto de impacto de corpo duro com a esfera de 500 g.

11 Pág.: 11 / Detalhe do oitavo ponto de impacto de corpo duro com a esfera de 1000 g. 5.8 Vista geral do ensaio de comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas.

12 Pág.: 12 / Detalhe do ensaio de comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas Detalhe do posicionamento dos relógios comparadores instalados do lado oposto da parede submetida ao ensaio de comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas.

13 Pág.: 13 / Detalhe do ensaio de choque de abalo na porta externa (cozinha) Detalhe do ensaio de choque de abalo na porta interna (quarto).

14 Pág.: 14 / Detalhe do ensaio de fechamento brusco na porta externa (cozinha) Detalhe do ensaio de fechamento brusco na porta interna (quarto).

15 Pág.: 15 / Detalhe do ensaio de estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso Detalhe do lado oposto da parede submetida ao ensaio de estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso, após 24 horas.

16 Pág.: 16 / CONCLUSÃO A residência unifamiliar construída pelo sistema CADEX, após submetida aos ensaios de verificação da resistência à impactos de corpo mole, verificação da resistência à impactos de corpo duro, comportamento sob ação de cargas provenientes de peças suspensas, verificação do comportamento de paredes de edificações submetidas aos ensaios de fechamento brusco e choque de abalo em portas e estanqueidade à água proveniente de lavagem de piso atende aos requisitos mínimos de desempenho estabelecido na metodologia desenvolvida pelo IPT-SP nos ensaios solicitados pelo interessado e descritos neste relatório. Notas: 1. As informações descritas no item 1 e anexos são declaradas e fornecidas pelo interessado. 2. Encontra-se anexo e é parte integrante deste documento o projeto arquitetônico (folha 01/01), fornecido pelo interessado. Lins, 20 de Julho de CETEC - Centro Tecnológico da Fundação Paulista LEM - Laboratório de Ensaios de Materiais Emilio Shizuo Fujikawa Engª Simone Cristina Caldato Engenheiro do Laboratório Coordenadora do Laboratório CREA /D CREA /D

RELATÓRIO DE ENSAIO ECC/ /05 SISTEMA CONSTRUTIVO TIJOL-ECO ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO ECC/ /05 SISTEMA CONSTRUTIVO TIJOL-ECO ENSAIOS DIVERSOS Fl.: 1/16 RELATÓRIO DE ENSAIO ECC/107.871/05 SISTEMA CONSTRUTIVO TIJOL-ECO ENSAIOS DIVERSOS Interessado: ARTIGOS DE SOLO CIMENTO TIJOL-ECO Avenida São Pedro, 204. 13520-000 São Pedro SP. Ensaios: (45.150)

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /1/10 PORTA DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÃO ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /1/10 PORTA DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÃO ENSAIOS DIVERSOS Relatório de Ensaio nº CCC/190.966/1/10 Pág.: 1/6 Laboratório de Ensaio Acreditado pela Cgcre/Inmetro de acordo com a NBR ISO/IEC 17025 sob o nº CRL-003. O INMETRO é signatário do Acordo de Reconhecimento

Leia mais

ABESC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS DE CONCRETAGEM SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CONCRETO MOLDADO IN LOCO E TILT-UP

ABESC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS DE CONCRETAGEM SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CONCRETO MOLDADO IN LOCO E TILT-UP Relatório DCT.C.15.003.2006-R1 MAIO/2008 ABESC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS DE CONCRETAGEM SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CONCRETO MOLDADO IN LOCO E TILT-UP AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DEPARTAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº LPC/ /14 ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº LPC/ /14 ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA ENSAIOS DIVERSOS Página: 1/12 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº LPC/278.990/14 ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA ENSAIOS DIVERSOS INTERESSADO: ADELMO DE MEDEIROS JUNIOR ME Rua Giacomo Bressan, 280 Vila Eliza 09401-060 Ribeirão Pires SP Ref.:

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /13 MASSA PRONTA PARA ASSENTAMENTO ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /13 MASSA PRONTA PARA ASSENTAMENTO ENSAIOS DIVERSOS Página. 1/08 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/266.578/13 MASSA PRONTA PARA ASSENTAMENTO ENSAIOS DIVERSOS INTERESSADO: MARBAG COMERCIAL LTDA Rua Rosália Kubis Weigert, 215 barracão 01 Roça Grande. 83402-730 Colombo

Leia mais

PAINEL DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014

PAINEL DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014 Tecnologias, Sistemas Construtivos e Tipologias para Habitações de Interesse Social PAINEL DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014 Tecnologias, Sistemas Construtivos e

Leia mais

18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP. Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz

18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP. Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz 18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz 1 Quem deve atender é o sistema construtivo como um todo (paredes,

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO ESTRUTURAL 14x19x39cm N07 ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO ESTRUTURAL 14x19x39cm N07 ENSAIOS DIVERSOS Fl.: 1/ 8 Relatório nº 1062/14-07 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/14-07 BLOCO CERÂMICO ESTRUTURAL 14x19x39cm N07 ENSAIOS DIVERSOS Interessado: CCB CENTRO CERÂMICO DO BRASIL Rua Nossa Senhora do Carmo, 82 Jd.

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 19x19x39cm N01 ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 19x19x39cm N01 ENSAIOS DIVERSOS Fl.: 1/ 8 Relatório nº 1062/14-01 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/14-01 BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 19x19x39cm N01 ENSAIOS DIVERSOS Interessado: CCB CENTRO CERÂMICO DO BRASIL Rua Nossa Senhora do Carmo,

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 11,5x19x39cm N03 ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/ BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 11,5x19x39cm N03 ENSAIOS DIVERSOS Fl.: 1/ 8 Relatório nº 1062/14-03 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 1062/14-03 BLOCO CERÂMICO VEDAÇÃO VERTICAL 11,5x19x39cm N03 ENSAIOS DIVERSOS Interessado: CCB CENTRO CERÂMICO DO BRASIL Rua Nossa Senhora do Carmo,

Leia mais

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Execução de Coberturas

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Execução de Coberturas Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Construção Civil II Execução de Coberturas Prof. André L. Gamino Cargas para o Projeto: NBR 6120 (1980): Cargas para

Leia mais

PROJETO INTERNO TELHA FRANCESA PICSL

PROJETO INTERNO TELHA FRANCESA PICSL Pág. 1 de 6 1 OBJETÍVO Este projeto fixa as condições exigíveis para a aceitação de telhas planas de encaixes, modelo Telhas Francesas, destinadas à execução de telhados de edificações. 2 APLICAÇÃO DE

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS.

ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS. ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS. RESUMO Ricardo frazzetto Guetner (1), Alexandre Vargas (2). UNESC Universidade do Extremo Sul

Leia mais

CIA CONSTRUTORA E INCORPORADORA AGUIRRE LTDA

CIA CONSTRUTORA E INCORPORADORA AGUIRRE LTDA MINUTA DO RELATÓRIO TÉCNICO 16 de agosto de 2010 CIA CONSTRUTORA E INCORPORADORA AGUIRRE LTDA Avaliação técnica complementar do desempenho térmico de sistema construtivo integrado por paredes de concreto

Leia mais

MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO

MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) MESA DE ATIVIDADES MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO ELABORADO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE SISTEMA DE VEDAÇÃO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE SISTEMA DE VEDAÇÃO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE SISTEMA DE VEDAÇÃO VERTICAL INTERNA SVVI EM DRYWALL COM CHAPAS DE GESSO EM RELAÇÃO À NBR15.575:2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO Cliente: DRYWALL - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

Substrato utilizado: Alvenaria de blocos cerâmicos ranhurados, conforme Figura 01. Não houve regularização do substrato com aplicação de chapisco.

Substrato utilizado: Alvenaria de blocos cerâmicos ranhurados, conforme Figura 01. Não houve regularização do substrato com aplicação de chapisco. LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL LMCC ENDEREÇO: Cidade Universitária Camobi, Santa Maria/RS CEP 97105 900 TELEFONE: (55) 220 8608 (Fax) Direção 220 8313 Secretaria 220 8468 Ensaios E-MAIL:

Leia mais

Laboratório de Ensaios Tecnológicos de Argila - LETA RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO VISUAL DOS BLOCOS CERÂMICOS NBR /

Laboratório de Ensaios Tecnológicos de Argila - LETA RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO VISUAL DOS BLOCOS CERÂMICOS NBR / Laboratório de Ensaios Tecnológicos de Argila - LETA RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO VISUAL DOS BLOCOS CERÂMICOS NBR 15270-1 / 15270-2 Página 1/1 Revisão: 01 Data: 05/05/2016 Código: FT - 076 FORNECEDOR: ENDEREÇO

Leia mais

agrupados Nº DET 1

agrupados Nº DET 1 CAIXA COM TAMPA VISTA SUPERIOR 22 100 27 53 FURO PARA LACRE Ø2 20 VISTA LATERAL DIREITA ROSCA W 1/4" PARA PARAFUSO DE SEGURANÇA 11 DET 1 VISTA INFERIOR DET 1 Código 6790320 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei

Leia mais

Caixa concentradora de disjuntores

Caixa concentradora de disjuntores FIGURA 1 - CAIXA COM TAMPA 532 15 4 2,5 162 120 42 DETALHE 1 VISTA SUPERIOR DETALHE 2 49 ALINHAMENTO ENTRE A JANELA PARA DISJUNTOR E O TRILHO PARA DISJUNTOR TAMPA DA JANELA PARA DISJUNTOR JANELA VENEZIANA

Leia mais

UNIP Universidade Paulista. Engenharia Ciclo Básico. Atividades Práticas Supervisionadas (APS) 1º e 2º semestres

UNIP Universidade Paulista. Engenharia Ciclo Básico. Atividades Práticas Supervisionadas (APS) 1º e 2º semestres UNIP Universidade Paulista Engenharia Ciclo Básico Atividades Práticas Supervisionadas (APS) 1º e 2º semestres 2º semestre de 2013 I. TEMA: PONTE DE MACARRÃO II. ETAPAS DO TRABALHO 1. Pesquisar o tema.

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /12 PRISMAS DE BLOCO CERÂMICO RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO NA FLEXÃO DE PRISMAS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/ /12 PRISMAS DE BLOCO CERÂMICO RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO NA FLEXÃO DE PRISMAS Página: 1/5 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/227.976/12 PRISMAS DE BLOCO CERÂMICO RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO NA FLEXÃO DE PRISMAS INTERESSADO: FCC FORNECEDORA COMPONENTES QUIMICOS E COUROS LTDA. Rua Paineira,

Leia mais

REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL

REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL REGULAMENTO: CONCURSO GUINDASTE DE PAPEL A engenharia estrutural é o ramo da engenharia civil que utiliza cálculos concepção de estruturas. De forma simplificada, é a aplicação da mecânica das estruturas

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171000 A norma de desempenho de edificações NBR 15.575 Julio Cesar Sabadini de Souza Slides apresentado no Encontro Nacional da Indústria de Cerâmica Vermelha, 41., 2012, Campo Grande/MS

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 539 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 539 / 13 Folha 1/7 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 103/13 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

Desempenho de edifícios habitacionais de até cinco pavimentos Parte 4: Fachadas e paredes internas

Desempenho de edifícios habitacionais de até cinco pavimentos Parte 4: Fachadas e paredes internas JULHO 2004 02:136.01.004 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Desempenho de edifícios habitacionais de até cinco pavimentos Parte 4: Fachadas e paredes internas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE PAREDES DE GESSO ACARTONADO SOB IMPACTO DE CORPO MOLE DE ELEMENTOS VISANDO O ATENDIMENTO A NBR 15575/2013

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE PAREDES DE GESSO ACARTONADO SOB IMPACTO DE CORPO MOLE DE ELEMENTOS VISANDO O ATENDIMENTO A NBR 15575/2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE PAREDES DE GESSO ACARTONADO SOB IMPACTO DE CORPO MOLE DE ELEMENTOS VISANDO O ATENDIMENTO A NBR 15575/2013 Pedro Henrique Meloquero Câmara 1; Júlio Ricardo de Faria Fiess RESUMO:Esta

Leia mais

MONTAGEM E EXECUÇÃO DE ENSAIOS DE PLACA EM LABORATÓRIO

MONTAGEM E EXECUÇÃO DE ENSAIOS DE PLACA EM LABORATÓRIO MONTAGEM E EXECUÇÃO DE ENSAIOS DE PLACA EM LABORATÓRIO Rafael Batezini Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, Brasil, rafaelbatezini@gmail.com Maciel Donato Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo,

Leia mais

web CurSo 2015 InStALAção DE ProDutoS EConomIzADorES DE ÁguA ACESSIBILIDADE

web CurSo 2015 InStALAção DE ProDutoS EConomIzADorES DE ÁguA ACESSIBILIDADE web curso 2015 Instalação de Produtos Economizadores de Água ACESSIBILIDADE A Linha Benefit da Docol possui produtos adequados a pessoas com dificuldades de locomoção, deficientes físicos e crianças. Os

Leia mais

ANDADOR CONVENCIONAL PARA ADULTOS MANUAL DE CONFECÇÃO

ANDADOR CONVENCIONAL PARA ADULTOS MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) ANDADOR CONVENCIONAL PARA ADULTOS MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO

Leia mais

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa 6. Procedimento de Execução Elaboração Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa 92 Instruções para a contratação de mão-de-obra

Leia mais

LANÇAMENTO. Placo Impact. Soluções para paredes resistentes a impactos.

LANÇAMENTO. Placo Impact. Soluções para paredes resistentes a impactos. LANÇAMENTO Placo Impact Soluções para paredes resistentes a impactos. O que é rigidez? A rigidez de um sistema define a capacidade do mesmo suportar situações imprevisiveis, trata-se de uma propriedade

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO PRELIMINAR. LUCIANO MÓDENA (Engº Civil) PRÉ-ENSAIO DE LAJES PRÉ-MOLDADAS E MOLDADAS IN-LOCO COM ARMAÇÃO TRELIÇADA.

RELATÓRIO TÉCNICO PRELIMINAR. LUCIANO MÓDENA (Engº Civil) PRÉ-ENSAIO DE LAJES PRÉ-MOLDADAS E MOLDADAS IN-LOCO COM ARMAÇÃO TRELIÇADA. RELATÓRIO TÉCNICO PRELIMINAR LUCIANO MÓDENA (Engº Civil) PRÉ-ENSAIO DE LAJES PRÉ-MOLDADAS E MOLDADAS IN-LOCO COM ARMAÇÃO TRELIÇADA São Paulo 2008 1 RESUMO Nenhum sistema construtivo pode ser apontado como

Leia mais

MONOCOLOR CRONOS>NUDE DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 112

MONOCOLOR CRONOS>NUDE DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 112 DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO FICHA TÉCNICA MONOCOLOR CRONOS>NUDE Código 112 ACABAMENTOS Superficial lixado interno Lixado externo Nude e a simplicidade de sua cor permitiram a criação de um produto de beleza

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 542 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 542 / 13 Folha 1/6 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 103/13 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO OBJETIVO DA DISCIPLINA: Fornecer ao aluno as informações necessárias sobre a constituição,

Leia mais

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013.

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. Ensaios de Desempenho. Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. CONCREMAT INSPEÇÓES E LABORATÓRIOS. UMA MARCA DAS EMPRESAS CONCREMAT. Com mais de 60 anos de experiência no mercado nacional e

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE ANEXO VIII - PROJETO DE TELHA COLONIAL

MANUAL DA QUALIDADE ANEXO VIII - PROJETO DE TELHA COLONIAL Página: 01/09 1. OBJETIVO Este documento visa estabelecer diretrizes para a sistemática dos requisitos dimensionais, físicos e mecânicos exigidos para as telhas cerâmicas da Lemos de Neves Ltda. (Cerâmica

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 189 / 092 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 189 / 092 / 13 Folha 1/5 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 189/12 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

Em conformidade com a ABNT NBR

Em conformidade com a ABNT NBR Em conformidade com a ABNT NBR 16259. Único e inovador, o Reiki UP já se tornou referência no mercado, como produto diferenciado em design, tecnologia e segurança. Totalmente em conformidade com a ABNT

Leia mais

PRI 638/311 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO IMPACTO SEGUNDO ISO INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM ENGENHARIA DE POLÍMEROS

PRI 638/311 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO IMPACTO SEGUNDO ISO INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM ENGENHARIA DE POLÍMEROS PRI 638/311 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO IMPACTO SEGUNDO ISO 14607 INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM ENGENHARIA DE POLÍMEROS REVISÃO 02 PÁGINA 1 DE 5 DOCUMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - PROCEDIMENTO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: janeiro/2004 FOLHA : 1 / 7 OBS : 1 Dimensões

Leia mais

DESEMPENHO DE PAINÉIS DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO CRIADOS NO BRASIL A IMPACTOS DE CORPO DURO

DESEMPENHO DE PAINÉIS DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO CRIADOS NO BRASIL A IMPACTOS DE CORPO DURO DESEMPENHO DE PAINÉIS DE VEDAÇÃO VERTICAL DE TUBOS DE PAPELÃO CRIADOS NO BRASIL A IMPACTOS DE CORPO DURO Gerusa C. Salado 1 e Eduvaldo P. Sichieri 2 1 Universidade de São Paulo (Instituto de Arquitetura

Leia mais

LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - UFRJ

LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - UFRJ LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - Alexandre Landesmann, Prof. Associado, D.Sc. Dep. Estruturas (FAU) e Lab. Estruturas

Leia mais

SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Disponível em dois modelos: Com Braço Fixo que distancia da parede. Peso líquido: 4,3 kg. Com Braço Articulável que distancia

Leia mais

Relatório de Ensaio Nº 6152 Data do relatório: 28/06/2016

Relatório de Ensaio Nº 6152 Data do relatório: 28/06/2016 LOGO SENAI LETA - Tecnológicos de Argila RELATÓRIO DE ENSAIO - RELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS - CARACTERISTICAS DA TELHA Data: 13/05/2016 FT - 097 Material Ensaio: TELHAS CERÂMICA Inspeção Visual, Dimensional,

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 10 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

5 Resultados Experimentais

5 Resultados Experimentais 5 Resultados Experimentais 5.1. Introdução Neste capítulo são apresentados os resultados medidos dos dois testes experimentais em escala real realizados para a comparação dos resultados teóricos. 5.2.

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os produtos Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação em ambientes

Leia mais

3. Descrição dos Testes Experimentais

3. Descrição dos Testes Experimentais 36 3. Descrição dos Testes Experimentais Neste capítulo serão descritos todos os testes experimentais realizados. 3.1. Considerações Iniciais O sistema estrutural construído consiste em uma laje mista

Leia mais

CE-18: Comissão de Estudos de Piso Intertravado

CE-18: Comissão de Estudos de Piso Intertravado CE-18:600.11 Comissão de Estudos de Piso Intertravado ATA DA 1ª REUNIÃO DATA: 17/02//2011 INÍCIO: 14h TÉRMINO: 17h LOCAL: ABCP COORDENADOR: Claudio Oliveira SECRETÁRIO: Mariana Marchioni 1 PARTICIPANTES

Leia mais

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples CONTEÚDO CAPÍTULO 1 - RESISTÊNCIA DO MATERIAL 1.1. Introdução 1.2. Definição: função e importância das argamassas 1.3. Classificação das alvenarias

Leia mais

Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos. 1ª PARTE Inspeção Visual e Dimensional de Juntas. Preparadas Para Soldagem

Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos. 1ª PARTE Inspeção Visual e Dimensional de Juntas. Preparadas Para Soldagem Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos Introdução Nesta prova prática, o aluno deve verificar as condições exigíveis para a realização de ensaio visual e dimensional de juntas preparadas para

Leia mais

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br BLOCOS CERÂMICOS ABNT NBR 15270 / 2005 Componentes

Leia mais

Avaliação do desempenho térmico de Sistema Construtivo em Concreto de Alto Desempenho Estrutural Leve CADEX

Avaliação do desempenho térmico de Sistema Construtivo em Concreto de Alto Desempenho Estrutural Leve CADEX UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO Relatório Avaliação do desempenho térmico de Sistema Construtivo em Concreto de Alto Desempenho Estrutural

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA Módulo 3 Sumário Módulo 3 Dimensionamento das vigas a flexão 3.1 Dimensionamento de vigas de Perfil I isolado página 3 3.2 Dimensionamento

Leia mais

Análise dos requisitos da parte 4 da NBR 15.575 para vedações internas de drywall ABNT INSTITUTO DE ENGENHARIA DIVISÕES TÉCNICAS

Análise dos requisitos da parte 4 da NBR 15.575 para vedações internas de drywall ABNT INSTITUTO DE ENGENHARIA DIVISÕES TÉCNICAS Análise dos requisitos da parte 4 da NBR 15.575 para vedações internas de drywall ABNT INSTITUTO DE ENGENHARIA DIVISÕES TÉCNICAS Análise dos requisitos da parte 4 da NBR 15.575 para vedações internas de

Leia mais

Regulamento UTFPR- 2015

Regulamento UTFPR- 2015 5ª Competição de Ponte de Macarrão da UTFPR- Câmpus Pato Branco Departamento de Engenharia Civil Universidade Tecnológica Federal do Paraná a) Disposições gerais: Regulamento UTFPR- 2015 1. Cada grupo

Leia mais

TITECON é utilizado em substratos sólidos (concreto, bloco e tijolo maciço), para a fixação de:

TITECON é utilizado em substratos sólidos (concreto, bloco e tijolo maciço), para a fixação de: Titecon Parafuso para concreto 1. APRESENTAÇÃO: 1.1 Descrição TITECON é um parafuso para aplicações leves e médias em materiais como concreto, blocos e tijolos maciços, de instalação rápida e fácil sem

Leia mais

Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014.

Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 341, de 22 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

SUPORTE FIXO DE PAREDE PARA PLASMA OU LCD

SUPORTE FIXO DE PAREDE PARA PLASMA OU LCD SUPORTE FIXO DE PAREDE PARA PLASMA OU LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Sistema com hastes de ajuste horizontal e vertical. - Profundidade máx.: 37 mm. - Carga máxima:

Leia mais

Acessórios para painéis

Acessórios para painéis Tampa inferior Instruções de montagem (pág. 143) Dimensões (pág. 137) Emb. Acessórios para painéis modulares desmontáveis e kit painel Cemar Tampa inferior Para painéis com as seguintes dimensões (Largura

Leia mais

Relatório de Ensaio Nº 6151 Data do relatório:

Relatório de Ensaio Nº 6151 Data do relatório: LOGO SENAI LETA - Tecnológicos de Argila RELATÓRIO DE ENSAIO CARACTERISTICAS DA TELHA - TELHA SIMPLES Relatório de Ensaio Nº 6151 Data do relatório: FT - 108 28/06/2016 Material Ensaio: TELHAS CERÂMICA

Leia mais

Relatório de Ensaio Nº 6196 Data do relatório:

Relatório de Ensaio Nº 6196 Data do relatório: LOGO SENAI LETA - Tecnológicos de Argila Material Ensaio: Tecnológicos de Argila - LETA RELATÓRIO DE ENSAIO CARACTERISTICAS DA TELHA - TELHA SIMPLES Relatório de Ensaio Nº 6196 Data do relatório: TELHAS

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD - até 46. - Para Tv s e monitores LED até

Leia mais

Estrutura: Torre Autoportante quadrada de 40 metros fabricação Sade Vigesa

Estrutura: Torre Autoportante quadrada de 40 metros fabricação Sade Vigesa Porto Alegre, 03 de Dezembro de 2008. PROJETO DE REFORÇO ESTRUTURAL Local: Rua Mem de Sá, nº. 162 Curitiba PR Site: GK19 JARDIM LINDÓIA Estrutura: Torre Autoportante quadrada de 40 metros fabricação Sade

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/235.585/12 ESPUMA EXPANSIVA PARA FIXAÇÃO DE PORTAS DE MADEIRA ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/235.585/12 ESPUMA EXPANSIVA PARA FIXAÇÃO DE PORTAS DE MADEIRA ENSAIOS DIVERSOS Pág.: 1/5 RELATÓRIO DE ENSAIO Nº CCC/235.585/12 ESPUMA EXPANSIVA PARA FIXAÇÃO DE PORTAS DE MADEIRA ENSAIOS DIVERSOS INTERESSADO: ULTRALUB QUIMICA LTDA. Estrada dos Crisantemos, 155 Jardim Flórida. 06407-120

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED 2A 400 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para TV s e monitores Plasma ou LCD até 46. * - Para TV s e monitores LED até 55.

Leia mais

VT - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ. Disciplina Resistência dos Materiais Eng. de Produção

VT - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ. Disciplina Resistência dos Materiais Eng. de Produção VT - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ REGULAMENTO V.1.1 2017/1 Disciplina Resistência dos Materiais Eng. de Produção Prof. Dr. Diego Mendonça - Universo BH a) Objetivos: O VT compreende a avaliação de um protótipo

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO

RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO Belo Horizonte, de março de 07. RL 06 RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO (Segundo as Normas Brasileiras NBR 68 e NBR 750) Responsável Técnico: Engenheiro Rogério Avelar Marinho Fillho (CREA:08.86/D)

Leia mais

CONCURSO l - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ

CONCURSO l - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ CONCURSO l - PONTES DE PALITOS DE PICOLÉ REGULAMENTO 2013 a) Objetivos: O concurso compreende a avaliação de um protótipo de uma ponte, executado com palitos de picolé de madeira e ligados com cola. O

Leia mais

Ensaio de embutimento

Ensaio de embutimento A U A UL LA Ensaio de embutimento Introdução Nossa aula É na estamparia que o ensaio de embutimento encontra sua principal aplicação. E você sabe por quê? É fácil encontrar resposta a esta pergunta: basta

Leia mais

Bianca Martins Dias graduando em Engenharia Civil do Centro Universitário de Patos de Minas UNIPAM. (2)

Bianca Martins Dias graduando em Engenharia Civil do Centro Universitário de Patos de Minas UNIPAM. (2) FLEXÃO EM VIGAS METÁLICAS Bianca Martins Dias (1) ; Dener Cunha Santos () ; Heitor Augusto de Barcelos Marciano (3) ; Eduardo Pains de Morais (4) ; (1) Bianca Martins Dias graduando em Engenharia Civil

Leia mais

MESA ESTABILIZADORA MANUAL DE CONFECÇÃO

MESA ESTABILIZADORA MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) MESA ESTABILIZADORA MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO ELABORADO

Leia mais

O QUE É EPS ( EXPANDED POLYS

O QUE É EPS ( EXPANDED POLYS CONSTRUÇÃO CIVIL O QUE É ( EXPANDED POLYS TYRENE)? é a sigla internacional do Poliestireno Expandido, de acordo com a definição da norma DIN ISO 1043/78. O é um plástico celular rígido, resultado da polimerização

Leia mais

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 05: Revestimentos Verticais Conceituação e Classificação

Leia mais

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3.1.Características dos modelos ensaiados 3.1.1.Parâmetros e variáveis A Figura 3.1 apresenta as características geométricas dos espécimes. Figura 3.1 Características geométricas

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 255/ 266 / 15

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 255/ 266 / 15 Folha 1/6 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Argamassa Brasil Pedido n º 255/14 Endereço: R9 QD 15 Cidade: Maricá CEP: 24900-000 DADOS DO MATERIAL ENSAIADO

Leia mais

COMPORTAS DE CANAL ( AWWA C513) - VCO-17

COMPORTAS DE CANAL ( AWWA C513) - VCO-17 FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA. DESCRIÇÃO GERAL As Comportas de Canal Aberto FKB, são desenvolvidas conforme norma AWWA C513 e tem como função o controle e bloqueio na vazão de fluidos em canais. São

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

ITEN - INSTITUTO TECNOLÓGICO DE ENSAIOS LTDA.

ITEN - INSTITUTO TECNOLÓGICO DE ENSAIOS LTDA. ITEN - INSTITUTO TECNOLÓGICO DE ENSAIOS LTDA. Laboratório pertencente à RBLE. Relatório de Ensaios de Produtos (REP): n. 1403054-2/01 Emissão: 25.06.2014 Solicitante: Endereço: Fabricante: Eletrocal Indústria

Leia mais

RENATO FERREIRA LAZARI Chefe da Divisão de Instrumento de Medição de Volume Dimel/Divol

RENATO FERREIRA LAZARI Chefe da Divisão de Instrumento de Medição de Volume Dimel/Divol Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Ofício nº 164/Divol INMETRO/SITAD/NÚMERO

Leia mais

I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO

I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO I COMPETIÇÃO DA PONTE DE MACARRÃO REGULAMENTO 1. INTRODUÇÃO O Grupo PET - Estruturas do Curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Brasília estará realizando neste semestre a I Competição da

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Resistência característica da dosagem. Responsabilidades

Leia mais

Instituto Lab System de Pesquisas e Ensaios LTDA.

Instituto Lab System de Pesquisas e Ensaios LTDA. RL 0154 acordo com a NBR ISO/IE 17025 Relatório de Análises e Ensaios de Produtos (RAE) N.º 1220705 Pág.: 1 / 5 Data de emissão: 03/08/2005 1 Solicitante: BVQI do Brasil Sociedade ertificadora Ltda. Rua:

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 556 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 556 / 13 Folha 1/6 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 103/13 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA O padrão tipo caixa termoplástica para assentamento na parede é utilizado para instalação de hidrômetro em ligações com expectativa de consumo de até 270 m3 por mês, e poderá ser empregado nas seguintes

Leia mais

5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar

5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar Relatório Técnico nº 96 289-205- 6/10 5 RESULTADOS 5.1 Ensaio Hidrostático Estanqueidade do dispositivo eliminador de ar Durante o teste hidrostático (estanqueidade), o dispositivo foi submetido à constante

Leia mais

Soluções Integradas para PCHs. SEMI Industrial Ltda.

Soluções Integradas para PCHs. SEMI Industrial Ltda. Soluções Integradas para PCHs SEMI Industrial Ltda. Empresas do Grupo SEMI Engenharia SEMI Sistemas SEMI Industrial Montagens Eletromecânicas Automação de Centrais Reguladores de Velocidade e Tensão Projetos

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO N o 14413/2015 EMPRESA: O. C. ROQUE - METALURGICA - ME

RELATÓRIO TÉCNICO N o 14413/2015 EMPRESA: O. C. ROQUE - METALURGICA - ME RELATÓRIO TÉCNICO N o 14413/2015 EMPRESA: O. C. ROQUE - METALURGICA - ME Arapongas - PR Novembro de 2015 SUMÁRIO 1. CONCEITOS... 3 2. OBJETIVO... 3 3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 4. METODOLOGIA... 3 5.

Leia mais

Ferragens Ferragens Ferragens

Ferragens Ferragens Ferragens Catálogo de Produtos Ferragens Apoio Sistema para Estantes Trilhos Regulável Permite regular a altura entre as prateleiras a cada 3 cm, sem desencaixar o suporte do trilho. Suportes para Trilhos Excelente

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 12 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS

CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS ETM 007 VERSÃO 2 Jundiaí 2014 ETM-007 Sumário 1 Objetivo...2 2 Referências normativas...2 3 Definições...2 4 Requisitos gerais...2 Requisitos da caixa padrão DAE S/A para

Leia mais

Concreto Protendido. ESTADOS LIMITES Prof. Letícia R. Batista Rosas

Concreto Protendido. ESTADOS LIMITES Prof. Letícia R. Batista Rosas Concreto Protendido ESTADOS LIMITES Prof. Letícia R. Batista Rosas Concreto Protendido Como se pôde ver até agora, a tecnologia do concreto protendido é essencialmente a mesma do concreto armado, com a

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA DE TERMOGRAFIA ATIVA NA INSPEÇÃO NÃO-DESTRUTIVA DE TAMBORES DE REJEITO NUCLEAR

APLICAÇÃO DA TÉCNICA DE TERMOGRAFIA ATIVA NA INSPEÇÃO NÃO-DESTRUTIVA DE TAMBORES DE REJEITO NUCLEAR APLICAÇÃO DA TÉCNICA DE TERMOGRAFIA ATIVA NA INSPEÇÃO NÃO-DESTRUTIVA DE TAMBORES DE REJEITO NUCLEAR Aluno: Ivan Ramalho Tonial Orientador: Marcos Venicius Soares Pereira Introdução Inicialmente nas primeiras

Leia mais

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas ENG. PRISCILA FREITAS Engenheira Civil, UEFS (2006) Especialista em Engenharia da Qualidade, UFBA (2007) Mestranda em Gestão e Tecnologia Industrial GETEC, SENAI

Leia mais

Caixa para Medidor Monofásico

Caixa para Medidor Monofásico N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 1 de 6 75± 75±5 N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 2 de 6 N O Data Revisões Visto Vanderlei

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção Damper tipo Borboleta ISO 9001:2008 VENTEC AMBIENTAL EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES LTDA Rua André Adolfo Ferrari, nº 550 - Distrito Industrial Nova Era

Leia mais

Engate Esférico 90mm. Manual de Montagem, Operação e Manutenção

Engate Esférico 90mm. Manual de Montagem, Operação e Manutenção Engate Esférico 90mm PT Manual de Montagem, Operação e Manutenção Índice 1 Montagem... 4 1.1 Montagem Engate Esférico 90mm Modelo JB*BC 90 PT 2 Operação... 5 2.1 Acoplamento 2.2 Desacoplamento 3 Manutenção...

Leia mais