NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO"

Transcrição

1 NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza EMATER - MG INTRODUÇÃO Os ecossistemas naturais e os agrossistemas existentes nas propriedades rurais, interagem e se complementam. É por meio de uma boa combinação e interação desses sistemas que a sustentabilidade das unidades rurais de produção pode ser alcançada e mantida. A sustentabilidade das propriedades rurais depende portanto da proteção e conservação dos recursos naturais locais que mantêm o funcionamento dos ecossistemas (ciclos ecológicos). Isso inclui a necessidade de manutenção e/ou recomposição das áreas cobertas por vegetação nativa, entre as quais as áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, mas, também, a conservação e o uso adequado das áreas produtivas e demais áreas da propriedade rural. Nessa perspectiva, a gestão das propriedades rurais deve contemplar uma visão sistêmica de todo o espaço rural da propriedade e não apenas de suas áreas produtivas. O uso e a conservação dessas áreas devem estar embasados em conhecimentos técnicos e amparados pela legislação pertinente ao meio rural, incluindo a legislação ambiental e florestal, por meio de sistemas de produção diversificados, integrados e adaptados aos ecossistemas naturais e as estruturas existentes. ASPECTOS LEGAIS RELACIONADOS À GESTÃO AMBIENTAL DE PROPRIEDADES RURAIS Assim, além de adotar procedimentos técnicos adequados e boas práticas agropecuárias, algumas questões legais precisam ser observadas e cumpridas a fim de adequar as unidades rurais de produção às normas ambientais que disciplinam a instalação e o funcionamento de empreendimentos e atividades potencialmente poluidoras e, assim, regularizá-las. Dentre as principais questões ambientais normatizadas, destacam-se o licenciamento ambiental, a outorga de direito de uso da

2 150-2 nd International Symposium of Dairy Cattle água, a autorização para exploração florestal, a preservação de áreas legalmente protegidas e a destinação final de embalagens de agrotóxicos. Nesse artigo, são enfocadas as principais questões e implicações relativas à nova legislação florestal brasileira (Lei Federal , de 25/05/2012) e mineira sobre as propriedades rurais de um modo geral, com ênfase nas propriedades dedicadas à produção de leite. PORQUE UM NOVO CÓDIGO FLORESTAL A aprovação do novo código florestal foi ansiosamente aguardada pela sociedade brasileira e, em especial, pelo setor produtivo rural. A dificuldade em se adequar ambientalmente às exigências da antiga legislação florestal foi motivo de grande preocupação e mereceu, sem dúvida, a revisão de suas regras, uma vez que o rigor de diversas de suas normas e a inexistência de programas de adequação no antigo código o tornaram ineficaz. Essa situação tornou-se mais delicada e crítica com a assinatura do decreto 6.514/08, em 2008, que regulamentava a lei de crimes ambientais. Tal decreto fixava, entre outras coisas, um prazo para que os proprietários de imóveis rurais averbassem suas áreas de reserva legal junto aos cartórios, levando a maior parte dos produtores rurais a se encontrar em condições de irregularidade perante o código florestal vigente. Diante dessas exigências, a adequação de propriedades tornouse praticamente inviável, afetando, em especial, os pequenos produtores rurais e os produtores rurais de regiões com relevo montanhoso, como é o caso da região da Zona da Mata Mineira, onde as áreas de Preservação Permanente são mais expressivas (devido à presença de grande quantidade de cursos d'água e de áreas em situações topográficas com impedimento legal encostas com mais de 45º de declividade e terço final de morros e montes com mais 50 metros de altura e declividade superior a 17º) e, quando somadas às áreas de Reserva Legal, chegavam, em média, a ocupar mais de 65% da área total do imóvel. No estado de Minas Gerais e na própria Zona da Mata, por exemplo, grande parte dessas Áreas de Preservação Permanente são ocupadas por pastagens e pela cultura do café, fato que levaria a

3 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite maior parte dos produtores rurais a se encontrar em condições de irregularidade perante ao código florestal até então vigente. O Novo Código Florestal, além de conter aspectos ambientais fundamentais, ele reconhece e incorpora importantes aspectos sociais e econômicos; flexibiliza e adéqua algumas normas; e cria Programas de Incentivo e de Regularização Ambiental. O Novo Código Florestal é fruto de um amplo debate com a sociedade e de um pacto estabelecido entre ruralistas e ambientalistas : Manutenção das Áreas Agrícolas e Manutenção das Áreas com Vegetação Nativa. A legislação florestal ora estabelecida cria um marco legal coerente com as necessidades de preservação e recomposição dos ecossistemas naturais e com as demandas de um país em desenvolvimento e garante aos produtores rurais mais tranquilidade na implementação das suas atividades. Com a entrada em vigor da Lei Federal nº , de 2012, que trata da proteção da vegetação nativa e dá outras providências, cabe aos Estados adequarem a ela a sua legislação florestal. A referida lei federal substituiu o Código Florestal Lei Federal nº 4.771, de FUNDAMENTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL Em linhas gerais, a nova lei florestal manteve basicamente a sistemática adotada pelo antigo Código Florestal (Lei n 4.771/1965), estabelecendo faixas protegidas nas margens de cursos d água, lagos, reservatórios artificiais, nascentes, bem como nas encostas íngremes, nos topos de morros, veredas, dentre outros. Entre as principais alterações, vale ressaltar: O Reconhecimento de Áreas Consolidadas São áreas do imóvel rural com ocupação antrópica preexistente a 22 de julho de 2008, com edificações, benfeitorias ou atividades agrossilvipastoris, admitida, neste último caso, a adoção do regime de pousio. Assim, as atividades agrossilvipastoris, que já existiam em APPs antes de 22 de julho de 2008, poderão ter continuidade e serão consideradas áreas consolidadas, desde que: não estejam em áreas de risco às pessoas e ao meio ambiente; não ocupem as faixas marginais de corpos d'água (fixadas na legislação como áreas a serem

4 152-2 nd International Symposium of Dairy Cattle recompostas) e sejam observados critérios técnicos de conservação do solo e da água a serem estabelecidos no Programa de Regularização Ambiental PRA. Sendo vedada a conversão de novas áreas. Com isso, ficam proibidos os desmatamentos nessas áreas (ressalvados os casos previstos na legislação) e a utilização de novas áreas em APPs além daquelas já ocupadas antes de 22 de julho de Nas áreas consolidadas das APPs de encosta, topo de morro, borda de chapadas e em áreas de altitude acima de 1.800m, será admitida apenas a manutenção de atividades florestais, culturas de espécies lenhosas, perenes ou de ciclo longo, bem como da infraestrutura física associada ao desenvolvimento dessas atividades agrossilvipastoris. Dessa forma, o pastoreio extensivo nas áreas consolidadas dessas APPs é permitido, mas deverá ficar restrito às áreas de vegetação campestre natural ou já convertidas para vegetação campestre, sendo admitido o consórcio de vegetação campestre com vegetação lenhosa perene ou de ciclo longo (integração pecuária e floresta ou silvipastoril). Cabe aos próprios produtores rurais e, se for o caso, com o apoio de técnicos, comprovar a existências de áreas consolidadas no imóvel, por meio do Cadastro Ambiental Rural - CAR e de documentos previstos na legislação florestal. O órgão ambiental poderá comprovar a situação dessas áreas consolidadas por meio de imagens de satélite, referentes a período anterior a 22 de julho de Os Agricultores Familiares terão apoio das Instituições Públicas ou de outras Instituições Credenciadas para registro do CAR. Os dados do CAR de todos os imóveis do país irão integrar o Sistema de Cadastro Ambiental Rural (SICAR), cujo objetivo é administrar e monitorar a recomposição, regeneração, compensação e a supressão de áreas de vegetação nativa dos imóveis rurais de todo o país. O Reconhecimento de Áreas em Regime de Pousio Pousio é a prática de interrupção temporária de atividades ou usos agrícolas, pecuários ou silviculturais, por no máximo 5 anos, para possibilitar a recuperação da capacidade física do solo. As áreas em regime de pousio devem ser informadas no CAR.

5 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite Tratamento Diferenciado às Pequenas Propriedades Rurais ou Posses Rurais As propriedades ou posses rurais com até 4 módulos fiscais, que desenvolvam atividades agrossilvipastoris, bem como os assentamentos de reforma agrária, as terras indígenas demarcadas e às demais áreas tituladas de povos e comunidades tradicionais que façam uso coletivo do seu território, passam a ter tratamento diferenciado pelo novo Código Florestal. Assim, as exigências para recomposição da área de Reserva Legal; para recomposição das Áreas de Preservação Permanente; para apresentação de documentos necessários para inscrição no CAR, entre outras, foram atenuadas em função dos impactos econômicos e sociais sobre as pequenas propriedades, em especial as pertencentes aos agricultores familiares. A exigência de recomposição de APPs, no caso de atividades agrossilvipastoris desenvolvidas em áreas consolidadas, por exemplo, não poderá ultrapassar de 10% da área total do imóvel, se este tiver até 2 módulos fiscais, ou de 20%, se a propriedade tiver área entre 2 e 4 módulos fiscais. Obs.: Módulo Fiscal é a unidade de medida expressa em hectares, fixada para cada município, a qual considera fatores como tipo de exploração predominante no município e renda obtida com a mesma. A Adoção do Cadastro Ambiental Rural CAR Trata-se de um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento. O produtor rural terá o prazo de 1 ano para se inscrever no CAR, iniciado a partir da sua implantação pelos governos federal e estadual. A inscrição do imóvel rural no CAR deverá ser feita, preferencialmente, no órgão ambiental estadual e é condição obrigatória para posterior adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA). A inscrição no CAR será feita a partir de declaração do próprio produtor rural. Ele é responsável pelos dados declarados, mas poderá contar com apoio de técnicos habilitados. Para o registro das pequenas propriedades rurais no Cadastro Ambiental Rural CAR, caberá aos órgãos públicos competentes ou

6 154-2 nd International Symposium of Dairy Cattle instituição por ele habilitada realizar a captação das respectivas coordenadas geográficas. Adequação dos Conceitos e Dimensões de Áreas de Preservação Permanente APPs Área de Preservação Permanente é área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem,a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas. São consideradas APPs: a) as faixas marginais de qualquer curso d água natural perene e intermitente, excluídos os efêmeros, desde a borda da calha do leito regular, em largura mínima de (Tabela 1): Largura dos Cursos d'água Naturais (Córregos, Riachos, Ribeirões e Rios) Largura Mínima das Faixas Marginais Consideradas como APPs (em metros) < 10 metros 30 De 10 a 50 metros 50 De 50 a 200 metros 100 De 200 a 600 metros 200 > 600 metros 500 Tabela 1 - Largura mínima das faixas marginais de cursos d'água naturais. b) As áreas no entorno das nascentes e dos olhos d'água perenes, qualquer que seja sua situação topográfica, no raio mínimo de 50 metros. c) As áreas no entorno dos lagos e lagoas naturais, em faixa com largura mínima de 100 metros, exceto para corpo d'água com até 20 hectares de superfície, cuja faixa marginal será de 50 metros. d) As áreas no entorno dos reservatórios d'água artificiais, decorrentes de barramento ou represamento de cursos d'água naturais, na faixa definida na licença ambiental do empreendimento.

7 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite Para os reservatórios artificiais de água destinados à geração de energia ou abastecimento público, que foram registrados ou tiveram seus contratos de concessão ou autorização assinados anteriormente à Medida Provisória nº 2166/67 de 24/08/2001, a faixa da Área de Preservação Permanente será a diferença entre estes dois níveis de água da represa: o nível máximo operativo normal e a cota máxima maximorum, que é o nível de água atingido pela represa nos casos de enchentes. No caso da instalação de reservatórios artificiais de água destinados a geração de energia ou abastecimento público, localizados no meio rural, a faixa da área de preservação permanente será no mínimo de 30 metros e no máximo de 100 metros da borda do reservatório. Tais faixas de terra deverão ser adquiridas ou desapropriadas pelos empreendedores do reservatório. Já as acumulações de água com superfície inferior a um hectare serão dispensadas de possuírem faixa de preservação permanente em seu entorno. e) As veredas, na faixa marginal, em projeção horizontal, com largura mínima de 50 metros, a partir do espaço permanentemente brejoso e encharcado. f) As encostas ou partes destas com declividade superior a 45, equivalente a 100% na linha de maior declive. g) Os topos (terço final) de morros, montes, montanhas e serras, com altura mínima de 100 (cem) metros e inclinação média maior que 25.

8 156-2 nd International Symposium of Dairy Cattle h) As bordas dos tabuleiros ou chapadas, até a linha de ruptura do relevo, em faixa não inferior a 100m (cem metros) em projeções horizontais. i) As áreas em altitude superior a metros, qualquer que seja a vegetação. A vegetação das Áreas de Preservação Permanente deverá ser mantida pelo proprietário, possuidor ou ocupante a qualquer título, pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado. Sendo vedada a conversão de novas áreas para uso alternativo do solo nesses locais. A intervenção ou a supressão de vegetação nativa em APPs somente poderá ocorrer nas hipótese de utilidade pública, de interesse social ou de baixo impacto ambiental. Tendo ocorrido supressão de vegetação situada em Área de Preservação Permanente, o proprietário, possuidor ou ocupante a qualquer título é obrigado a promover a recomposição da vegetação, ressalvados os usos autorizados na lei. Flexibilizações quanto a Área de Reserva Legal RL Reserva Legal é a área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos recursos naturais do imóvel rural, auxiliar a conservação e a reabilitação dos processos ecológicos e promover a conservação da biodiversidade, bem como o abrigo e a proteção de fauna silvestre e da flora nativa. A localização da área de Reserva Legal no imóvel rural deverá levar em consideração os seguintes estudos e critérios: o plano de

9 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite bacia hidrográfica; o Zoneamento Ecológico Econômico; a formação de corredores ecológicos com outra RL, com APPs, com Unidade de Conservação ou com outra área legalmente protegida; as áreas de maior importância para a conservação da biodiversidade; e as áreas de maior fragilidade ambiental. Os percentuais de Reserva Legal são definidos de acordo com a região do país em que se situar o imóvel rural. Na Amazônia legal, será de 80%, em áreas de florestas, 35%, em cerrado e 20%, em áreas de campos gerais; se o imóvel apresentar mais de uma dessas formações, o percentual da RL será calculado separadamente. Para o resto do país, a área de Reserva Legal deverá corresponder a 20% da área total do imóvel. Uma das mais significativas flexibilizações da nova legislação florestal é a permissão do cômputo das APPs existentes no imóvel no cálculo da sua Reserva Legal, desde que isso não implique em conversão de novas áreas para uso alternativo do solo, que a área de preservação permanente esteja conservada ou em processo de recuperação e que tenha sido requerida a inscrição do imóvel no Cadastro Ambiental Rural. Outra relevante inovação trazida pela nova legislação florestal é a dispensa de averbação da área de Reserva Legal na matrícula do imóvel, obrigação que foi substituída pelo seu registro no Cadastro Ambiental Rural CAR. Já nos imóveis rurais que detinham, em 22/07/2008, área de até 4 módulos fiscais e que possuam remanescente de vegetação nativa em percentuais inferiores aos legalmente exigíveis, a Reserva Legal será constituída pela área ocupada com a vegetação nativa existente naquela data, ficando vedadas novas conversões para uso alternativo do solo. Criação de Áreas de Uso Restrito Nas áreas rurais com inclinação entre 25 e 45, serão permitidos o manejo florestal sustentável (nas áreas cobertas por florestas nativas) e o exercício de atividades agrossilvipastoris (nas áreas consolidadas), bem como a manutenção da infraestrutura física associada ao desenvolvimento de tais atividades, observadas as boas práticas agronômicas. Todavia, não é permitida a exploração de novas áreas de uso restrito, ou seja, não são permitidos desmates nessas áreas.

10 158-2 nd International Symposium of Dairy Cattle O Estabelecimento de Programa de Regularização Ambiental - PRA O Programa de Regularização Ambiental permitirá ao proprietário rural regularizar as Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, além das áreas com uso consolidado em APPs, desde que essas não estejam em áreas de risco e sejam observados critérios técnicos de conservação do solo e da água. O PRA permitirá solucionar vários passivos ambientais dos produtores rurais e será considerado pelo governo para o acesso de produtores aos incentivos econômicos e financeiros na prestação de serviços ambientais. Para adesão e participação no Programa serão necessários: a inscrição no Cadastro Ambiental Rural CAR; a assinatura do Termo de compromisso de adesão ao PRA e a apresentação de Projeto de Recomposição de Áreas Degradadas e Alteradas. A União, os Estados e o Distrito Federal terão um ano, a partir da implantação do Cadastro Ambiental Rural, para implantar Programas de Regularização Ambiental de posses e propriedades rurais, com o objetivo de adequá-las à nova legislação. Esse prazo poderá ser prorrogado por mais um ano. O período de adesão será de 1 ano, contado a partir da implantação do PRA pelo governo do estado. Após a adesão do interessado ao PRA e enquanto estiver sendo cumprido o termo de compromisso, o proprietário ou possuidor não poderá ser autuado por infrações cometidas antes de 22 de julho de 2008, relativas à supressão irregular de vegetação em Áreas de Preservação Permanente, de Reserva Legal e de uso restrito. O Estabelecimento da Cota de Reserva Ambiental CRA O proprietário ou possuidor de imóvel com RL conservada e inscrita no CAR, cuja área ultrapasse o mínimo exigido pelo Novo Código Florestal, poderá utilizar a área excedente para fins de constituição de servidão ambiental, Cota de Reserva Ambiental e outros instrumentos congêneres previstos. Uso Alternativo do Solo Substituição de vegetação nativa e formações sucessoras por outras coberturas do solo, como atividades agropecuárias, industriais,

11 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite de geração e transmissão de energia, de mineração e de transporte, assentamentos urbanos ou outras formas de ocupação humana. Manejo Sustentável Manejo da vegetação natural para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema objeto do manejo e considerando-se, cumulativa ou alternativamente, a utilização de múltiplas espécies madeireiras ou não, de múltiplos produtos e subprodutos da flora, bem como a utilização de outros bens e serviços. REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL DE PROPRIEDADES RURAIS AO CONTEXTO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL A regularização ambiental de imóveis rurais (propriedades e posses rurais) tem por objetivo atender aos dispositivos da legislação, garantir a manutenção e sustentabilidade das atividades produtivas e adequar ambientalmente os empreendimentos. O novo Código Florestal Brasileiro determina que a inscrição do imóvel rural no Cadastro Ambiental Rural - CAR é condição obrigatória para adesão ao Programa de Regularização Ambiental - PRA, que tem como objetivo adequar e regularizar ambientalmente as propriedades e posses rurais, no que tange à Legislação Florestal. Cumpridas as obrigações estabelecidas no PRA ou no Termo de Compromisso para a readequação ambiental das áreas rurais de acordo com as exigências legais, fica o imóvel rural devidamente regularizado. Inscrição/Cadastramento Ambiental da Propriedade Rural No caso de Minas Gerais, a inscrição do imóvel rural no CAR, deverá ser feita nas Superintendências de Regularização Ambiental SUPRAMs ou nos Núcleos Regionais de Regularização Ambiental NRRAs, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável SEMAD. A SEMAD poderá também firmar convênios com outras instituições (órgão ambiental municipal, cooperativas rurais, sindicatos rurais ou o IBAMA), para o acolhimento do CAR. Para esse

12 160-2 nd International Symposium of Dairy Cattle inscrição e cadastro é necessária a apresentação dos seguintes documentos: 1. Documento de Identidade do proprietário ou posseiro. a. No caso de mais de um proprietário ou posseiro, Carta de Anuência dos demais proprietários ou posseiros; b. No caso de procuração, apresentar a procuração (com firma reconhecida) e o documento de identidade do procurador. c. No caso de pessoa jurídica, cópia do Contrato Social atualizado ou de Ata da última assembleia. 2. Comprovante de propriedade ou posse: a. Certidão de Registro do Imóvel; b. ou, no caso de posse, documento que caracterize a posse por justo título ou, quando for o caso, Declaração de Posse por Simples Ocupação, modelo padrão do IEF, com assinatura dos confrontantes e do presidente do Sindicato Rural. 3. Identificação do Imóvel, por meio de Planta topográfica e Memorial Descritivo, contendo: a. a identificação das coordenadas geográficas do perímetro do imóvel, b. a localização dos Remanescentes de Vegetação Nativa, das Áreas de Preservação Permanente, das Áreas de Uso Restrito e, caso existente, a localização da Reserva Legal c. ou, no caso de pequenas propriedades rurais, apresentação de Croqui indicando o Perímetro do Imóvel, as Áreas de Preservação Permanente e os Remanescentes de Vegetação Nativa que formam a Reserva Legal. Obs. A pequena propriedade ou posse rural familiar (cuja área não supere a 4 Módulos Fiscais) tem direito à simplificação do processo de regularização e à isenção de taxas. Regularização das Áreas de Preservação Permanente APP De acordo com o novo Código Florestal (Lei , de 25/05/2012), nas Áreas de Preservação Permanente é autorizada, exclusivamente, a continuidade das atividades agrossilvipastoris em áreas rurais consolidadas (área de imóvel rural com ocupação antrópica preexistente a 22/07/2008).

13 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite Para imóveis rurais que possuam áreas consolidadas em APPs ao longo de cursos d'água ou ao redor de nascentes e demais corpos d'água naturais, será obrigatória a recomposição das respectivas faixas marginais, contados da borda da calha ou da extremidade da nascente ou corpo d'água, em dimensões que variam de acordo com o tamanho (número de módulos fiscais) do imóvel, com o tipo de corpo d'água (cursos d'água, nascentes, lagos e lagoas) e largura do curso d'água, conforme descrito a seguir. Dimensão (metros) das Faixas de APP Marginais aos Corpos d'água que devem ser Recompostas, quando ocupadas com Atividades Agrossilvipastoris Consolidadas Tamanho do Imóvel (nº de módulos fiscais) Cursos d'água Naturais (Córregos, Riachos e Rios) Nascentes ou Olhos D'água Lagos e Lagoas Naturais Limite máximo em relação à Área total (%) Até De 1 a De 2 a Acima de 4 De 4 a 10 Metade da largura do curso d'água (mínimo de 30 e máximo de 100) 20 (Cursos D'água com até 10m de largura) A recomposição dessas APPs (faixas marginais dos corpos d'água com ocupação consolidada) poderá ser feita, isolada ou conjuntamente, pelos seguintes métodos: Condução da Regeneração Natural das Espécies Nativas; Plantio de mudas de Espécies Nativas; Plantio de mudas de espécies Nativas conjugado com a Regeneração Natural das Espécies Nativas; Plantio intercalado de Espécies Lenhosas, perenes ou de ciclo longo, exóticas com nativas de ocorrência regional; em até 50% da área total a ser recomposta (no caso de imóveis rurais com até 4 módulos fiscais). Nas Áreas Consolidadas em APPs de Encosta (áreas com declividade acima de 45º), de Topo de Morro (1/3 final de morros ou montanhas com altura mínima de 100m e declividade acima de 25º), de

14 162-2 nd International Symposium of Dairy Cattle Bordas de Chapada (100m a partir da ruptura da chapada) e de Altitude (áreas com altitude acima de 1.800m), será admitida a manutenção de atividades florestais, culturas de espécies lenhosas (cafeicultura, citricultura, fruticultura, etc.), perenes ou de ciclo longo, bem como da infraestrutura física associada das atividades agrossilvipastoris. O pastoreio extensivo nesses referidos locais deverá ficar restrito às áreas de vegetação campestre natural ou já convertidas para vegetação campestre. A manutenção de tais atividades é condicionada à adoção de práticas conservacionistas do solo e água. Regularização da Área de Reserva Legal O novo Código Florestal (Lei Federal , de 25/05/2012) determina que todo imóvel rural deve manter 20% de sua área total com cobertura de vegetação nativa, a título de Reserva Legal. Estabelece ainda que nos imóveis com área de até 4 módulos fiscais e que possuam remanescente de vegetação nativa em percentuais inferiores a 20%, a Reserva Legal será a constituída pela área ocupada com a Vegetação Nativa existente. Os Imóveis Rurais acima de 4 módulos fiscais, com área de Reserva Legal inferior a 20%, poderão regularizar sua situação, independente da adesão ao PRA, adotando as seguintes alternativas, isolada ou conjuntamente: Recompor a Reserva Legal, por meio de plantio de mudas de espécies nativas ou plantio intercalado de espécies nativas de ocorrência regional e espécies exóticas ou frutíferas, em sistema agroflorestal (podendo as espécies exóticas ocuparem até 50% da área a ser recomposta), fazendo, se necessário, o cercamento da área a fim de evitar o pastoreio e o pisoteio de animais (gado); Conduzir a Regeneração Natural da Vegetação Nativa na Área de Reserva Legal, fazendo, se necessário, o cercamento da área a fim de evitar o pastoreio e o pisoteio de animais (gado); Compensar a Reserva Legal por outra área equivalente mediante a Aquisição de Cota de Reserva Ambiental CRA; Arrendamento de Área sob regime de Servidão Ambiental ou Reserva Legal; Doação ao Poder Público de área localizada no interior de Unidade de Conservação de domínio público pendente de regularização fundiária; Cadastramento de outra área em imóvel de mesma

15 IV Simpósio Nacional de Bovinocultura de Leite titularidade ou adquirida em imóvel de terceiro, com vegetação nativa estabelecida, em regeneração ou recomposição, desde que localizada no mesmo bioma. Obs. É admitido o cômputo das áreas de preservação permanente (APP) no cálculo do percentual da área de Reserva Legal (RL) do Imóvel, desde que a área a ser computada esteja conservada ou em processo de de recuperação. CONSIDERAÇÕES FINAIS O Brasil é um país onde são desenvolvidas diversas atividades econômicas, com destaque para a agropecuária, responsável pela significativa produção de alimentos, fibras e produtos energéticos. Para atender a essa constante e crescente demanda, a agropecuária necessitou de espaços físicos cada vez mais expressivos e de contínuo aumento de produtividade em um processo que, via de regra, provocou pressões significativas sobre os ecossistemas e os recursos naturais. Esse processo promoveu, em extensas áreas, a substituição da vegetação nativa por culturas agrícolas e atividades pecuárias. Novos territórios passaram a ser ocupados, provocando grande alteração em nossas paisagens naturais. Nesse cenário, surgiram muitos conflitos e inúmeras razões para que tantas discussões fossem travadas visando alterações no Código Florestal Brasileiro. Mas, a preservação e a conservação dos recursos naturais não devem ser entendidas como um empecilho para a manutenção e a expansão das atividades agropecuárias, mas sim como uma proteção para os pilares que a sustentam. É notório que os solos, as águas, as formações vegetais nativas e a fauna silvestre são recursos vitais para a sustentabilidade da produção agrícola. Não podemos pensar nas atividades agrossilvipastoris, no longo prazo, sem nos preocuparmos com a proteção e a conservação desses recursos e dos ecossistemas naturais que eles constituem. Destaca-se também que, nesse contexto, o produtor rural deve ser considerado um grande aliado nesse processo, um guardião dessas riquezas naturais que, quando bem manejadas, permitirão o tão almejado equilíbrio entre produção e conservação.

16 164-2 nd International Symposium of Dairy Cattle Por essas razões, a legislação brasileira por meio do novo Código Florestal, estabelece uma série de normas e regras para conservação, proteção e recuperação das chamadas áreas legalmente protegidas ou áreas com restrição legal, entre as quais: as Áreas de Preservação Permanente, as Áreas de Reserva Legal e as Áreas de Uso Restrito. Mas, ao mesmo tempo, essa legislação reconhece a importância da função estratégica da atividade agropecuária (na sustentabilidade, no crescimento econômico, na melhoria da qualidade de vida da população brasileira e na presença do País nos mercados nacional e internacional de alimentos e bioenergia) e do produtor rural ao criar e estabelecer programa de incentivos aos produtores rurais que promovam a conservação e recuperação dos recursos naturais, por meio do manejo adequado e da adoção de práticas de conservação. A legislação florestal estabelecida cria portanto um marco legal coerente com as demandas de um país em desenvolvimento, garantindo aos produtores rurais condições para regularizarem suas propriedades e tranquilidade para conduzirem suas atividades, além de proporcionar expressiva recuperação ambiental e benefícios à toda sociedade brasileira. REFERÊNCIAS Lei Nº , 25 de Maio de Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para assuntos jurídicos. Lei Nº , 17 de Outubro de Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para assuntos jurídicos. Decreto Nº 7.830, 17 de Outubro de Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para assuntos jurídicos.

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Lei 12.651/2012 Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Considerações Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para aplicação da lei Análise individual

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012 e Decreto Federal 7.830/2012 ESALQ Março/Abril de 2014 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento e Avaliação

Leia mais

TEXTO EM VIGOR EM VERDE

TEXTO EM VIGOR EM VERDE BUREAUX JURÍDICOS ASSOCIADOS Porto Alegre-RS Brasília-DF São Paulo-SP Belo Horizonte-MG Ricardo Alfonsin Advogados Ricardo Barbosa Alfonsin OAB/RS 9.275 Breno Moreira Mussi OAB/RS 5.791 Arilei Ribeiro

Leia mais

Novo Código Florestal Orientações Gerais ao Produtor Rural

Novo Código Florestal Orientações Gerais ao Produtor Rural Outubro 2012 Novo Código Florestal Orientações Gerais ao Produtor Rural Mediante a publicação da lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012; da lei nº 12.727, de 17 de outubro de 2012; e do Decreto nº 7.830,

Leia mais

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12 CÓDIGO FLORESTAL COMO SE REGULARIZAR O QUE É CÓDIGO FLORESTAL? O Código é uma lei que estabelece limites e obrigações no uso da propriedade,, que deve respeitar a vegetação existente na terra, considerada

Leia mais

Iniciativa Verde. Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12

Iniciativa Verde. Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12 Iniciativa Verde Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12 Roberto Ulisses Resende São Paulo, março de 2013 Introdução Esta é a primeira versão do documento elaborado pela Iniciativa

Leia mais

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental BR 116/RS Gestão Ambiental Programa de Apoio às Prefeituras Municipais Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental Novo Código Florestal Inovações e aspectos práticos STE Serviços Técnicos de Engenharia

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal Prazos para o Poder Público Artigo Obrigação Prazo 11, 5º 13, 2º 29 47 59 59, 1º 78-A 82 Conclusão do Zoneamento Ecológico- Econômico da Zona Costeira ZEEZOC

Leia mais

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA Coordenador do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica GITE da Embrapa TULIO BARBOSA Mineiro de Guidoval TULIO BARBOSA

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O que são as APP e quais as suas funções Diferença entre APP e Reserva Legal Os diversos tipos de APP Sobre nascentes e olho d água diferenças

Leia mais

DISPOSIÇÕES PERMANENTES

DISPOSIÇÕES PERMANENTES Revista RG Móvel - Edição 31 DISPOSIÇÕES PERMANENTES CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR): O novo Código Florestal determina a criação do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e torna obrigatório o registro para todos

Leia mais

Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal

Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal Novo Código Florestal (Lei 12651) Eng Agrônomo Ricardo Moraes Witzel, Msc Concepção de Propriedade Sustentável A discussão do novo código florestal

Leia mais

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content Lei nº 12.651, de 25.5.2012 - Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis n os 6.938, de 31 de agosto

Leia mais

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade.

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade. São as áreas protegidas da propriedade. Elas não podem ser desmatadas e por isso são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs). São as faixas nas margens de rios, lagoas, nascentes, encostas

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/33 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Introdução Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli 2/33 Conteúdo

Leia mais

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Novo Código Florestal Lei 12.651/12 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS

Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS O que é Módulo Fiscal / agricultura familiar Classificação dos imóveis até 4 módulos fiscais Como e onde consultar os módulos fiscais

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 Altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, para dispor sobre as Áreas de Preservação Permanentes em áreas urbanas. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços A APP era computada a partir das margens de rio ou cursos d água, pelo nível mais alto do período de cheia. Várzeas eram consideradas parte dos rios ou cursos d água, porque são inundadas durante o período

Leia mais

ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CONSOLIDADAS:

ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CONSOLIDADAS: O mais importante Do novo Código Florestal Engª Agrônoma Carla Beck- FAEP/DTE As propriedades rurais ocupadas até 22 de julho de 2008, terão que cumprir as seguintes regras estabelecidas pelo novo Código

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Programação Manhã: teórica Conceitos da legislação ambiental Conceitos específicos do CAR e do PRA Tarde: prática Considerações sobre o sistema Apresentação

Leia mais

Entendendo o Código Florestal. II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012

Entendendo o Código Florestal. II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012 Entendendo o Código Florestal II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012 Tópicos abordados hoje: * Florestas no Planejamento Federal; * Lei 12.651/12 Estrutura

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL Eduardo de Mércio Figueira Condorelli desenvolvimentosustentavel@farsul.org.br Ibirubá (RS), 08 de maio de 2014 O TAMANHO DA AGROPECUÁRIA NACIONAL Área

Leia mais

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015 1 Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12 4º Ecologia 28/09/2015 Motivação para criação 2 Conservação de ecossistemas naturais é interessante! Única lei nacional que veta a ocupação urbana ou

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP Orientações básicas Cadastro Ambiental Rural - CAR O CAR é o registro público eletrônico das informações ambientais dos imóveis rurais. Objetivos Promover a identificação e integração das informações

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL. ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4

CADASTRO AMBIENTAL RURAL. ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4 CADASTRO AMBIENTAL RURAL ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4 MISSÃO DO SENAR Realizar a educação profissional e promoção social das pessoas do meio rural,

Leia mais

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Índice O que o agricultor brasileiro deve saber sobre o Novo Código Florestal?...1 Começando a regularizar o imóvel rural...2

Leia mais

Código Florestal: APP e RL

Código Florestal: APP e RL Código Florestal: APP e RL Decreto Federal 23793/34: Institui o Código Florestal Brasileiro (Getúlio Vargas) Art. 1º As florestas existentes no territorio nacional, consideradas em conjuncto, constituem

Leia mais

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 Histórico Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente

Leia mais

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS DE APP e RESERVA LEGAL b. PROCESSO

Leia mais

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares URBANIZAÇÃO E OUTROS USOS 4% AGRICULTURA 7% VEGETAÇÃO NATURAL (FLORESTAIS E OUTROS) 65% PASTAGENS 23% FONTES: MMA/IBGE-PAM(2010)/INPE/CENSO AGROPECUÁRIO 2006

Leia mais

PRINCIPAIS REGRAS SOBRE

PRINCIPAIS REGRAS SOBRE PRINCIPAIS REGRAS SOBRE ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP ÁREA DE RESERVA LEGAL - RL CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL - PRA Material desenvolvido e publicado em decorrência

Leia mais

Dispositivos da Lei. Destaques. Áreas de Preservação Permanente (APPs)

Dispositivos da Lei. Destaques. Áreas de Preservação Permanente (APPs) Cursos d água naturais perenes e intermitentes excluídos os efêmeros: art. 4º, inciso I. A proteção vale para os cursos d água naturais. Variados cursos d água, como resultantes de retificações, canalizações

Leia mais

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Considerações Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Prof. Rafaelo Balbinot Curso de Engenharia Florestal UFSM-Campus de Frederico Westphalen Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para

Leia mais

Retrocesso na Proteção Ambiental. Dispositivos. Lei nº 12.651/2012

Retrocesso na Proteção Ambiental. Dispositivos. Lei nº 12.651/2012 Retrocesso na Proteção Ambiental Dispositivos Lei nº 12.651/2012 Áreas de Preservação Permanente (APPs) Dispositivos da Lei Áreas de Preservação Permanente (APPs) TOPOS DE MORRO E MONTANHAS Topos de Morro:

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CURSO INTENSIVO III Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data: 09.12.2009 Aula nº 06 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Lei 4771/65 Art. 2 Consideram-se de preservação permanente, pelo só efeito desta

Leia mais

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código?

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Dr. Sergius Gandolfi IV Simpósio sobre RAD - Ibt 16/11/2011-14h- Capital (SP) Biólogo, Laboratório de Ecologia

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES 25 de Setembro de 2012 ESPAÇOS TERRITORIAIS ESPECIALMENTE PROTEGIDOS Cabe ao Poder Público definir, em todas as unidades da Federação, espaços

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR LEGISLAÇÃO Lei Federal nº 12.651/2012 Código Florestal Brasileiro; Lei Estadual n.º 20.922/2013 - Dispõe sobre as políticas florestal e de proteção à biodiversidade no Estado

Leia mais

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO (Lei Federal n. 12.651/12) PROF. DR. RAFAEL COSTA FREIRIA E-MAIL: RAFAELFREIRIA@COM4.COM.BR DISCIPLINA: DIREITO AMBIENTAL Fundamentos e Temas de Trabalho na Questão Florestal

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP LICENCIAMENTO AMBIENTAL Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP Engª Adriana Maira Rocha Goulart Gerente Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR

CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR 1. MÓDULO DE IDENTIFICAÇÃO DO IMÓVEL Nome do Imóvel: Município: Imóvel em Zona: [ ] Rural [ ] Expansão Urbana [ ] Urbana Referência de acesso: Endereço

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

Dados do Cadastrante: Nome: CPF: Data de Nascimento: / / Nome da mãe: Meios de contato: E-mail: Telefone residencial:

Dados do Cadastrante: Nome: CPF: Data de Nascimento: / / Nome da mãe: Meios de contato: E-mail: Telefone residencial: 1. ETAPA CADASTRANTE Dados do Cadastrante: Nome: CPF: Data de Nascimento: / / Nome da mãe: Meios de contato: E-mail: Telefone residencial: Endereço do Cadastrante: Logradouro Número: Complemento: Bairro:

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Compensação de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Ricardo D. Gomes da Costa 1 Marcelo Araujo 2 A rápida destruição de ambientes naturais, juntamente com a redução

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Decreto Federal 23793/34: Institui o Código Florestal Brasileiro (Getúlio Vargas) Art. 1º As florestas existentes no territorio nacional, consideradas em conjuncto, constituem

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural

Cadastro Ambiental Rural Cadastro Ambiental Rural E suas possíveis contribuições para a gestão de bacias hidrográficas Botucatu 28/06/2013 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos

Leia mais

Obrigatoriedade da Recomposição Florestal em Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, à luz do Código Florestal

Obrigatoriedade da Recomposição Florestal em Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, à luz do Código Florestal 1. Introdução; 2. Fundamentos Jurídicos; 2.1. Definições legais; 2.2. Natureza Jurídica; 3. Obrigação legal de recomposição vegetal; 3.1. Exceções trazidas pela lei; 3.2. Métodos de recomposição; 4. Considerações

Leia mais

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei 12651/12 Áreas de Preservação Permanente CONCEITO - Art. 3º, inciso II Área protegida

Leia mais

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012)

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012) MANUAL DE DIREITO AMBIENTAL ROMEU THOMÉ ATUALIZAÇÃO DA 2ª PARA A 3ª EDIÇÃO CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO BRASILEIRO (LEI 12.651/2012) NA PÁGINA 304: Onde se lê: Já em 25 de maio de 2012, e após intensos debates

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Sindicato dos Produtores Rurais CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

Leia mais

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE -NOVO CÓDIGO FLORESTAL MINEIRO LEI 20922/13 Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE(APPs) ART. 8º - São aquelas cobertas ou não por vegetação

Leia mais

Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira

Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira 2014 Reserva Legal: Conceito: Nova Lei Florestal Mineira - Lei nº 20.922/2013 Área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos da

Leia mais

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE FORMOSA

PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE FORMOSA 1 Altera e atualiza o disposto nos Parágrafos 1º e 2º do Art. 5º e Parágrafo Único do Art. 9º da Lei Municipal nº. 251/04, de 20/12/2004 que instituiu o Plano Diretor do Município de Formosa-GO e dá outras

Leia mais

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data 1 Índice I. Conceitos... 4 II. Área de Preservação Permanente... 5 III. Áreas consolidadas

Leia mais

Boletim CSMG. CSMG Advogados Associados 28/05/2012 Codigo Florestal

Boletim CSMG. CSMG Advogados Associados 28/05/2012 Codigo Florestal Boletim CSMG CSMG Advogados Associados 28/05/2012 Codigo Florestal Após anos de debate, indas e vindas e muita discussão política, foi publicada no Diário Oficial da União de 25 de Maio de 2012 a Lei nº

Leia mais

AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR )

AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR ) AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS 29/04/2015 27 PERGUNTAS E RESPOSTAS DIRETAS E ESSENCIAIS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR ) ÍNDICE POR ASSUNTO ITENS Nº Informações Gerais 1, 4, 9 Responsabilidade

Leia mais

Quadro de mudanças na Lei 12.727/12 (Código Florestal)

Quadro de mudanças na Lei 12.727/12 (Código Florestal) Quadro de mudanças na Lei 12.727/12 (Código Florestal) Data: 18/10/12 Número: B00718052012 DISPOSITIVOS ALTERADOS Artigo Medida Provisória 571/12 (original) LEI 12.727/12 Veto? E agora? Art. 1º Art. 1º-A.

Leia mais

LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA. Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos

LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA. Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado de São Paulo Artigo 1º

Leia mais

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura Planejamento da Propriedade Agrícola (APP e RL) Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes Dept o. Ciências Florestais ESALQ/USP Estação Experimental

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Cadastro Ambiental Rural (CAR) Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Cadastro Ambiental Rural (CAR) Procedimentos e Prazos Nelson Ananias Filho Coordenador de Sustentabilidade Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR)

CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) Manual de inscrição do CAR para o proprietário rural Patrocínio: 2015 Sumário Lista de Siglas... 3 Apresentação... 4 1. O que é o CAR?... 5 2. Objetivo do CAR... 6 3. Vantagens

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE ÉO CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA Daniel Schull Brandão 1 ; Fabiana Raquel Muhl 2, Anderson Rhoden 3, Neuri Antonio Feldmann 4 Palavras-Chave:

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SISEMA

Cadastro Ambiental Rural CAR. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SISEMA Cadastro Ambiental Rural CAR Sistema Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SISEMA Histórico Decreto nº 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal nº 12.651/2012 Decreto nº 7.830/2012

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

A N E X O LEGISLAÇÃO AMBIENTAL

A N E X O LEGISLAÇÃO AMBIENTAL A N E X O V LEGISLAÇÃO AMBIENTAL ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL REFERENTE AO MANEJO FLORESTAL 1. DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA A legislação ambiental traduz um sistema de princípios e normas jurídicas

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Desoneração de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Adequação Legal da Propriedade Rural Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental

Leia mais

QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL RESUMO PARA POLÍTICA PÚBLICA NOVO CÓDIGO FLORESTAL PARTE I: DECIFRANDO O NOVO CÓDIGO FLORESTAL QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL O novo Código Florestal dispõe sobre o uso e a proteção da vegetação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O LEI N.º 1.453/2013. SÚMULA: Autoriza o Poder Executivo Municipal a promover a Concessão de Direto Real de Uso em favor da Colônia Z-20 de Pescadores de Juína, da área urbana que menciona, e dá outras Providências.

Leia mais

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP)

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) Engenharia de Avaliações Aplicada Às Áreas de Preservação Permanente (APP). Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) 1. Fundamento Legal das APPs: Constituição Federal

Leia mais

Mais informações e a lista completa de signatários estão disponíveis no site da iniciativa, em www.dialogoflorestal.org.br.

Mais informações e a lista completa de signatários estão disponíveis no site da iniciativa, em www.dialogoflorestal.org.br. APRESENTAÇÃO Este documento apresenta em detalhes as propostas consolidadas pelo Diálogo Florestal como contribuição ao debate sobre a revisão do Código Florestal Brasileiro, em curso no Congresso Nacional.

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES CICLO DE PALESTRAS E DEBATES PLC PROGRAMA Nº 30/11 NOVO PRODUTOR CÓDIGO FLORESTAL DE ÁGUA Ã NO GUARIROBA Á COMISSÃO DE AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA DO SENADO FEDERAL Devanir Garcia dos Santos Gerente

Leia mais

Proteção e recomposição de nascentes

Proteção e recomposição de nascentes Proteção e recomposição de nascentes PROTEÇÃO E RECOMPOSIÇÃO DE NASCENTES Em diversas propriedades rurais, as nascentes vêm diminuindo suas vazões ou, em muitos casos, até secando. Os córregos, rios e

Leia mais

O Novo Código Florestal

O Novo Código Florestal Madeira 2012 O Novo Código Florestal Prof. Sebastião Renato Valverde SIF/DEF/UFV Vitória, ES Novo Código Florestal Disposições Permanentes.Poucas alterações nos parâmetros de APPs e RL Disposições transitórias.voltam-se

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR 2015

Cadastro Ambiental Rural CAR 2015 Cadastro Ambiental Rural CAR 2015 CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR Decreto nº 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal nº 12.651/2012 Decreto nº 7.830/2012 Lei Estadual n.º 20.922/2013 Decreto nº 8.235/2014

Leia mais

Sensoriamento remoto e SIG

Sensoriamento remoto e SIG Multidisciplinar Sensoriamento remoto e SIG aplicados ao novo Código Florestal Allan Arnesen Frederico Genofre Marcelo Curtarelli Matheus Ferreira CAPÍTULO 3 Mapeamento de APP e Reserva Legal APP de corpos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO Lei 12.651/2012 (alterado pela Lei 12.727/2012) e Decreto Federal 7.830/2012 Exemplos de inclusões ou alterações conceituais na Lei 12.651/12: Conceito de Área de Preservação Permanente (art.3º, item II):

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Decreto nº 53.939, de 6 de janeiro de 2009 Dispõe sobre a manutenção, recomposição, condução da regeneração natural, compensação e composição da área de Reserva Legal de

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Cadastro Ambiental Rural CAR SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Cadastro Ambiental Rural CAR SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Histórico Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 É criado o Cadastro

Leia mais

Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR

Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR João Carlos Dé Carli Assessor Técnico da Comissão Nacional do Meio Ambiente Confederação da Agricultura

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental Regularização fundiária em áreas de preservação permanente APPs em zona urbana: uma proposta de gestão ALEXANDRE

Leia mais

INTRODUÇÃO: NOVO CÓDIGO FLORESTAL, UM MOMENTO DECISIVO PARA O BRASIL

INTRODUÇÃO: NOVO CÓDIGO FLORESTAL, UM MOMENTO DECISIVO PARA O BRASIL RESUMO PARA POLÍTICA PÚBLICA NOVO CÓDIGO FLORESTAL PARTE II: CAMINHOS E DESAFIOS PARA A REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL INTRODUÇÃO: NOVO CÓDIGO FLORESTAL, UM MOMENTO DECISIVO PARA O BRASIL A aprovação do novo

Leia mais

O projeto de Código Florestal goiano em face da lei 12.651/2012

O projeto de Código Florestal goiano em face da lei 12.651/2012 Escola Superior do Ministério Público do Estado de Goiás Semana do Meio Ambiente O projeto de Código Florestal goiano em face da lei 12.651/2012 José Antônio Tietzmann e Silva PUC Goiás Rede Gaia Consultoria

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Apostila SICARMG Página 1

MANUAL DO USUÁRIO. Apostila SICARMG Página 1 MANUAL DO USUÁRIO - *Ultima atualização: 05/10/2015 Apostila SICARMG Página 1 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 1 CONHECENDO O CAR... 4 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 RESUMO DO FUNCIONAMENTO DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR)...

Leia mais

SUMÁRIO LEI N.º 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

SUMÁRIO LEI N.º 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SUMÁRIO COMO ENTENDER O CÓDIGO Art. 1.º (VETADO) LEI N.º 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1.º-A 1-A.1 Do Estado socioambiental de Direito e o princípio do desenvolvimento

Leia mais

Análise técnica dos pontos críticos

Análise técnica dos pontos críticos CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Lei Nº 4.771/65 Foto: Ricardo Ribeiro Lei Nº 12.651/12 MP Nº 571/12 Análise técnica dos pontos críticos Material desenvolvido por: Código Florestal Brasileiro: Versão 01 / Reprodução

Leia mais

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL 1. DISPENSA AOS PROPRIETÁRIOS DE ÁREAS CONSOLIDADAS DE RECOMPOSIÇÃO DA RESERVA LEGAL Art. 61 a. Área rural consolidada: é a área de imóvel rural com ocupação

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara Setorial de Hortaliças O QUE ÉCAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis

Leia mais

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP marciosuganuma@gmail.com Área de preservação permanente (artigos 2 o e 3 o ) Reserva Legal (artigos 16 e 44) Área de preservação permanente

Leia mais

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA Tema: Reserva Legal Norma atual Proposta 1 Proposta Agricultura Proposta Movimento MAPA/ruralistas Familiar/MMA Socioambientalista Recuperação de RL: exige a Reconhecimento de Não aceitar anistia para

Leia mais

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Define a metodologia a ser adotada em caráter experimental para a conversão das obrigações de reposição florestal

Leia mais

DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização

DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO Este material de apoio ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) faz parte das ações de difusão de boas práticas agrícolas do Programa Agricultura Consciente

Leia mais