PRÊMIO SOROCABA DA GESTÃO PÚBLICA CICLO Modalidade Melhoria de Processos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRÊMIO SOROCABA DA GESTÃO PÚBLICA CICLO 2011. Modalidade Melhoria de Processos"

Transcrição

1 PRÊMIO SOROCABA DA GESTÃO PÚBLICA CICLO 2011 Modalidade Melhoria de Processos Título do trabalho: REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DO CONJUNTO HABITACIONAL ANA PAULA ELEUTÉRIO HABITETO Secretária de Negócios Jurídicos Área da Regularização Fundiária Período de realização: de 01/01/2010 até 11/12/2010 Componentes: Secretário: Luiz Ângelo Verrone Quilici Diretor de Área : Francisco Carlos Rodrigues da Silva Componentes da Equipe: Saulo Joel Freddi, Jean Benitez Mello, Cristina Matos Bolzan, Camila Pontes Moreira, Elias Augusto Correa, Adriana Paschoal Costa, Daniele Teixeira de Lemes, Neide Aparecida Pontes Moreira, Marcos da Cruz Pedroso Filho, Fernando Canhavate da Silva, Daniele Aparecida Gomes Vestina, Rogéria Pereira, Débora Espirito Santo Ramos. Coordenador da equipe de melhoria: Fábio Gomes Camargo 1

2 Descrição da situação anterior ao processo de melhoria Histórico O Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério, conhecido popularmente como Habiteto, localizado na zona norte de Sorocaba. Teve seu início em 16 de junho de 1998, num programa habitacional desenvolvido pelo município e relacionado à população de baixa renda, que através de um projeto de desfavelamento beneficiou famílias originarias de áreas públicas e de risco. Contudo existia a necessidade da regularização fundiária para providenciar o registro da documentação do imóvel, ou seja, do título de propriedade dos imóveis aos seus ocupantes de direito. Ocorre que isto não acontecia, o que existia era a permissão de uso de um bem público municipal através de um Título Precário, que periodicamente tinha que ser renovado. O processo antes O processo acontecia a partir do atendimento ao munícipe pela SECID, onde o interessado, por iniciativa própria, procurava o Poder Público, por meio do CIS- Habiteto, para solicitar o Título, onde nesta ocasião era orientado por uma equipe a preencher um requerimento pedindo a autorização de uso do imóvel por ele ocupado, sendo feito também o cadastro social, e orientado-o a providenciar cópias dos documentos necessários para dar seqüencia ao processo. O munícipe assim que conseguia as cópias dos documentos entregava-os no CIS-Habiteto, que em seqüencia encaminhava-os junto com o requerimento e o cadastro social à DCDAO para abertura de um P.A. O P.A. retornava a SECID, para ciência e encaminhamento a SEJ, onde era elaborada a Minuta do Decreto e automaticamente o Decreto. A SEJ encaminhava o P.A. para DCDAO, para a juntada do Decreto e sua publicação, que em seguida encaminhava a SECID para tomada de providências. A SECID através do CIS-Habiteto, providenciava, junto ao munícipe a assinatura do Termo de Recebimento e Responsabilidade, e a entrega do Título Precário, que concedia a permissão de uso do bem público por tempo determinado, sendo este prazo renovado no seu vencimento, tornando assim um processo cíclico e sem definição, o que gerava uma expectativa negativa ao munícipe quanto ao seu futuro, e conseqüentemente algumas limitações quanto as melhorias ou benfeitorias que pretendiam fazer nos imóveis por eles ocupados, criando conseqüentemente uma grande insatisfação. IDENTIFICAÇÃO DOS PROBLEMAS PROBLEMAS CAUSAS Dificuldade do munícipe em conseguir um Título de Propriedade do imóvel ocupado. Dificuldade da renovação do Título Precário Dificuldade dos munícipes em requerer seus direitos quanto ao imóvel ocupado. Só era concedido um Título Precário de uso de um bem público por tempo determinado. Falta de iniciativa do Poder Público em conceder um Título de Propriedade. A renovação dependia da solicitação do munícipe, que sem orientação não o fazia. Falta de local exclusivo para atendimento. Falta de funcionários capacitados no processo. Falta de procedimentos. Ferramentas inadequadas. Insatisfação do munícipe. Falta de informação e orientação Demora no trâmite do processo. 2

3 FLUXOGRAMA DO PROCESSO ANTES DA MELHORIA SECID DCDAO SEJ INICIO ATENDIMENTO AO MUNÍCIPE REQUERIMENTO CADASTRO SOCIAL ENTREGA DAS CÓPIAS DOS DOCUMENTOS PELO MUNÍCIPE JUNTADA DOS DOCUMENTOS E ABERTURA DO P.A. CIÊNCIA E PROVIDÊNCIAS ELABORAÇÃO DO DECRETO ASSINATURA DO MUNÍCIPE NO TERMO DE RECEBIMENTO E COMPROMETIMENTO JUNTADA DO DECRETO E SUA PUBLICAÇÃO DECRETO ENTREGA AO MUNÍCIPE DO TÍTULO PRECÁRIO 3 AGUARDANDO PRAZO DO VENCIMENTO DO TÍTULO PRECÁRIO

4 Plano de ação Desenvolveu-se um plano que tinha como objetivo dar sustentabilidade ao processo de Regularização Fundiária no Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério de forma clara, sucinta e ágil proporcionando assim ao morador local, meios de exercer sua cidadania, requerendo os seus direitos legais quanto ao imóvel de sua ocupação, o que permitiria o alcance do objetivo maior que era de fornecer os Títulos de Propriedade (Termo Administrativo de Concessão de Direito Real de uso para fins de moradia) dos imóveis aos moradores legalmente habilitados do conjunto. Para atingir o objetivo proposto foram definidas algumas metas, conforme relatado: Adequação de um trailer, com estrutura de um escritório, com máquina copiadora, computador, moveis e etc..., para atendimento ao munícipe no local, visando à celeridade do processo. Capacitação de auxiliares administrativos, orientando-os quanto aos procedimentos no atendimento aos munícipes no trailer (preenchimento do requerimento, documentação necessária, esclarecimento das dúvidas, etc...) Implantação do serviço social para cadastramento sócio-econômico do munícipe no trailer. Capacitação de auxiliares administrativos responsáveis pela finalização do processo junto ao cartório de registro de imóveis, após o deferimento do jurídico. Algumas práticas/ações foram adotadas agilizando o processo conforme segue: Agendamento com dia e hora para atendimento ao munícipe. Atendimento domiciliar em casos de incapacidade do munícipe em comparecer ao trailer (idosos, doentes, dificuldade de mobilidade física, etc...). Sistema de Tira Dúvidas, onde todos os funcionários envolvidos estavam constantemente atualizados quanto as informações dos processos, tornando-os capazes de sanar a maioria das dúvidas dos munícipes. Solicitação de todos os processos referentes a regularização já existentes para serem centralizados em um arquivo no próprio trailer, otimizando assim o rastreamento dos mesmos. O resultado esperado após a implantação do processo era de conceder ao munícipe um Título de Propriedade (Termo Administrativo de Concessão de Direito de Uso Real) ao invés de um Título Precário (Permissão de uso de um bem público por tempo determinado), prevendo a entrega de 400 Títulos de Propriedade no ano de 2010, conforme objetivo definido no SIG (Sistema de Informações Gerenciais), que tem como finalidade auxiliar na Gestão do Planejamento Estratégico. Outros ganhos esperados com a implantação do processo a saber: a satisfação do munícipe diretamente envolvido, e também da população de todo município, vendo no Poder Público o interesse na legalização de todas as moradias, inclusive no que diz respeito à arrecadação dos tributos municipais, que é uma obrigação de todos os cidadãos. 4

5 O QUE FAZER? QUEM VAI FAZER? QUANDO VAI FAZER? POR QUE VAI FAZER? ONDE VAI FAZER? COMO FAZER? Orientar o munícipe Auxiliar Adm. Na data e hora previamente agendada Para o munícipe requerer a regularização de seu imóvel Copiar os documentos do munícipe Auxiliar Adm. No dia da orientação Embasar o pedido no Processo Administrativo Avaliar Socialmente Assistente Social No dia da orientação Preencher o cadastro social Verificar se já existe P.A. sobre o assunto Confeccionar o Termo Administrativo Auxiliar Adm. Após a Avaliação Social Decidir entre abrir um P.A., ou fazer juntada em um já existente Auxiliar Adm. Após a abertura do P.A. ou a juntada Analisar o pedido Chefe de Divisão da RF Após a confecção do Termo Administrativo Para documentar a permissão de uso do imóvel concedido ao munícipe Conferir juridicamente Diretor de Área da RF Após a analise do DRF Verificar se a solicitação é legal Autorizar o registro do Termo Administrativo Secretário de Negócios Jurídicos Após a conferência do DARF Conferir o Termo Administrativo Auxiliar Adm. Após a autorização do registro Providenciar assinaturas no Termo Administrativo Auxiliar Adm. Após conferência do Termo Administrativo SCRA (Trailer) SCRA (trailer) SCRA (Trailer) SCRA (Trailer) SCRA (Trailer) Atendimento pessoal Utilizando máq. copiadora Consultando o munícipe Consultando o Net Term Preenchendo um modelo padrão com os dados do munícipe Tomar providências DRF Consultando o P.A. DARF Analisando a luz da Lei vigente Autorizar o registro do Termo Administrativo no cartório SEJ Tomando ciência Evitar erros no registro SAPOCI Conferindo os dados dos documentos do munícipe Para encaminhar ao cartório para registro SAPOCI Colhendo as assinaturas das partes Encaminhar ao cartório Auxiliar Adm. Após as assinaturas Solicitar o registro SAPOCI Entregando pessoalmente Registrar o Termo Administrativo Auxiliar Cartorário No prazo legal Tornar o Termo Adm. Cartório Anotando nos livros Auxiliarizado auxiliares e microfilmando o Copiar o Termo Administrativo e o Registro do Imóvel Juntar a cópia do Termo Administrativo registrado no P.A Entregar ao munícipe o Título de Propriedade (Termo Administrativo) registrado Auxiliar Adm. Após o registro do Termo Administrativo Auxiliar Adm. Após a cópia. Para completar e finalizar o P.A. SEJ/Regularização Fundiária PLANO DE AÇÃO Após a conclusão do P.A. Termo Adm. Juntar ao P.A. SAPOCI Utilizando máq. copiadora Conceder ao munícipe o Título de propriedade de seu imóvel, registrado SAPOCI Local público através de sessão solene Anexando no P.A. Através de ato solene 5

6 Descrição do processo melhorado O processo melhorado foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, onde atuavam Auxiliares Administrativos, Assistentes Sociais, Técnicos e Advogados, todos pertencentes à Secretaria de Negócios Jurídicos/Área da Regularização Fundiária, atuando diretamente com o processo e sincronizados no mesmo propósito. Após a adequação do espaço físico para o trabalho, a capacitação dos funcionários e a implantação de algumas ações, para dar sustentabilidade e agilidade ao processo, conforme mencionado no item anterior Plano de Ação, iniciou-se o processo melhorado de acordo com o descritivo abaixo: Atendimento ao munícipe no trailer, feito por um Auxiliar Administrativo que orienta o mesmo sobre o processo da regularização fundiária, desde o auxilio no preenchimento do requerimento padrão onde o munícipe solicita a regularização do imóvel por ele ocupado, providenciando também todas as cópias dos documentos que farão parte do processo. Esta ação proporcionou agilidade ao processo e satisfação ao munícipe, visto que: O Poder Público foi até o cidadão (trailer no bairro) evitando que o mesmo perambulasse por diversos setores da prefeitura solicitando informações, que na maioria das vezes não eram esclarecidas. O Poder Público disponibilizou uma prestação de serviço no Trailer, onde o requerimento, e as cópias dos documentos, que antes eram providenciados pelo munícipe, passaram a ser providenciado pelo Auxiliar administrativo no momento do atendimento. Avaliação Social do munícipe no trailer, feita por um Assistente Social, que após a avaliação, providência o Cadastro Sócio-Econômico do mesmo. Esta ação proporcionou agilidade ao processo e satisfação ao munícipe, visto que: O Assistente Social, já no momento do atendimento inicial, faz a avaliação e o Cadastro Sócio-Econômico, dando agilidade ao processo e satisfação ao munícipe, não precisando de outro agendamento. Verificação se já existe Processo Administrativo, feita pelo Auxiliar Administrativo que verifica através do Net Term se já existe algum P.A. em nome o requerente, ou no endereço a ser regularizado, decidindo desta forma se encaminha os documentos à DCDAO para abertura do novo P.A., ou se faz a juntada dos documentos, ao P.A. existente, que se encontra arquivado no Trailer. Esta ação proporcionou agilidade ao processo, visto que: Durante o Plano de Ação, foi providenciada a centralização de todos os processos de regularização já existentes no Trailer, o que facilitou, e agilizou a juntada dos documentos, e conseqüentemente o trâmite do processo. 6

7 Confecção do Termo Administrativo e juntada do mesmo ao P.A., feito pelo Auxiliar Administrativo, de acordo com os dados constantes no P.A. Esta ação proporcionou agilidade ao processo, visto que: Utiliza-se um documento padronizado, onde são informados os dados constantes no P.A. e automaticamente se faz a juntada do mesmo ao processo. Conferência Administrativa e tomada de providências, feita pelo Chefe da Divisão da Regularização Fundiária de acordo informações do P.A. Conferência e considerações jurídicas, feita pelo Diretor de Área da Regularização Fundiária, de acordo informações do P.A., e a legislação vigente. Caso em que o processo não confere e não a possibilidade de correção, o pedido é indeferido, mas se houver possibilidade de correção segue para que sejam providenciadas. Ciência e autorização do registro do Termo Administrativo, feito pelo Secretário dos Negócios Jurídicos. Estas ações demonstraram planejamento, controle e sustentabilidade ao processo, e proporcionou a concessão de um Título de Propriedade através do Termo Administrativo, de acordo com o que preconiza as leis, visto que: As conferências são realizadas em função de um planejamento administrativo e jurídico já existente, a sistemática do processo implica em um controle, e o conjunto dessas ações demonstram a sustentabilidade. Providência das assinaturas com reconhecimento de firma da parte cedente no Termo Administrativo, feito pelo Auxiliar Administrativo. Envio do Termo Administrativo junto com as cópias dos documentos pessoais do munícipe ao Cartório de Registro de Imóveis, feito pelo Auxiliar Administrativo. Registro do Termo Administrativo, feito pelo Auxiliar Cartorário. Cópia do Termo Administrativo registrado, feita pelo Auxiliar Administrativo. Juntada da cópia do Termo Administrativo registrado no P.A., feita pelo Auxiliar Administrativo. Entrega do Termo Administrativo (Título de Propriedade) ao munícipe, feita em uma Sessão Solene. Estas ações demonstraram uma finalização do P.A., concluindo de uma maneira clara, sucinta e honrosa com o munícipe, de forma a atender a solicitação inicial. 7

8 FLUXOGRAMA DO PROCESSO DEPOIS DA MELHORIA SCRA (TRAILER) DCDAO DRF DARF SEJ SAPOCI CARTÓRIO INICIO ATENDIMENTO AO MUNÍCIPE REQUERIMENTO PADRÃO CONFERÊNCIA CÓPIA DOS DOCUMENTOS AVALIAÇÃO SOCIAL PROVIDENCÍA ASSINATURAS DO CADASTRO SOCIAL VERIFICAÇÃO SE JÁ EXISTE P.A. ENCAMINHA AO CARTÓRIO SOLICITANDO O REGISTRO DO REGISTRA O TERMO ADM. SIM EXISTE? CONFECÇÃO NÃO JUNTADA DOS DOC./ABERTURA P.A. CÓPIA DO REGISTRADO REGISTRADO ANÁLISE E TOMADA DE PROVIDÊNCIAS CONFERÊNCIA JURÍDICA SIM CONFERE? NÃO CIÊNCIA E AUTORIZAÇÃO DO REGISTRO DO TERMO ADM. JUNTADA DA CÓPIA DO TERMO ADM. AO P.A. PROVIDÊNCIAR CORREÇÃO SIM NÃO POSSIBILITA CORREÇÃO? ENTREGA DO REGISTRADO AO MUNÍCIPE EM ATO SOLENE INDEFERIDO FIM 8 FIM

9 Padronização Formulários padronizados utilizados no processo: Requerimento padronizado Documento padronizado a ser preenchido e assinado pelo munícipe, requerendo a regularização do imóvel. Cadastro Sócio-Econômico Documento padronizado a ser preenchido pelo Assistente Social em função da Avaliação Social. Termo Administrativo de Concessão de Direito de Uso Real Documento padronizado preenchido pelo Auxiliar Administrativo com os dados do munícipe e do imóvel objeto da regularização. Planilha de controle dos munícipes atendidos Ferramenta utilizada no SCRA para controle dos munícipes atendidos. Padronização dos Trailers utilizados na Regularização Fundiária identificando os locais de atendimento. Padronização dos uniformes utilizados na Regularização Fundiária identificando os funcionários que fazem o atendimento. : 9

10 Resultados alcançados Como previsto no Plano de Ação, o objetivo inicial era a concessão de Títulos de Propriedade dos imóveis aos seus ocupantes de direito, ao invés de Títulos Precários que tinham prazos pré-estabelecidos. Atingimos o proposto, inclusive superando em quantidades, conforme demonstrado no gráfico abaixo. TÍTULO PRECÁRIO X TÍTULO DE PROPRIEDADE Título Precário Título de Propriedade Entregamos 400 Títulos de Propriedade aos munícipes em 2010, atendendo as expectativas, e ao objetivo proposto conforme relatado no Plano de Açao, e que era a meta programada no SIG Sistema de Informações Gerenciais. Devido a este resultado nos comprometemos com a entrega de mais 640 Títulos de Propriedade para o próximo ciclo, demonstrando assim uma tendência favorável ao processo. PROGRAMADO X EXECUTADO Programado no SIG Executado

11 Outro objetivo proposto era a satisfação do munícipe no processo, o que foi comprovado por meio de uma pesquisa de opinião feita com os mesmos, durante a sessão solene de entrega dos Títulos. Os munícipes eram questionados sobre três itens que serviram para medir a sua satisfação, tendo quatro alternativas para respostas, sendo elas: ótimo, bom, regular e ruim. PESQUISA DE OPINIÃO COM O MUNÍCIPE Quanto ao atendimento ÓTIMO - 89% BOM - 11% REGULAR - 0% RUIM - 0% Quanto a clareza das informações ÓTIMO - 73% BOM - 27% REGULAR - 0% RUIM - 0% 11

12 Quanto a ter um Título de Propriedade do imóvel ÓTIMO - 96% BOM - 4% REGULAR - 0% RUIM - O% Procuramos apresentar outro índice comparativo, que serviu de indicador para avaliar o êxodo no processo, comparamos Títulos de Propriedades entregues em outros municípios da região em 2010, conforme segue: MUNICÍPIO No. DE HABITANTES No. TÍTULO % Sorocaba ,070 Itu ,041 Tatui ,067 TÍTULOS DE PROPRIEDADES ENTREGUES EM ,07 0,06 0,05 0,04 0,03 0,02 Sorocaba Itu Tatuí 0,

13 Glossário ARF CIS DARF DCDAO DRF PA RF SAPOCI SCRA SECID SIG - Área da Regularização Fundiária - Centro de Integração Social - Diretor de Área da Regularização Fundiária - Divisão de Controle de Documentos a Atos Auxiliares - Divisão da Regularização Fundiária - Processo Administrativo - Regularização Fundiária - Seção de Apoio ao Cidadão - Seção de Cadastro e Regularização Fundiária - Secretaria da Cidadania - Sistema de Informações Gerenciais 13

PEDIDO DE VIABILIDADE. Pedido de Viabilidade. Página 1 / 42

PEDIDO DE VIABILIDADE. Pedido de Viabilidade. Página 1 / 42 Pedido de Viabilidade Página 1 / 42 ÍNDICE Apresentação... 3 Pedido de Viabilidade para Inscrição de Primeiro Estabelecimento... 4 Solicitante e Pessoa Jurídica... 4 Quadro Societário... 8 Nome Empresarial,

Leia mais

Serviço de Informações Municipais Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e. Manual de Operação Versão 2.0

Serviço de Informações Municipais Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e. Manual de Operação Versão 2.0 Manual de Operação Versão 2.0 Índice de Operações 1. Apresentação...2 2. Solicitação de Uso da NFS-e...3 3. Consultar Andamento da Solicitação de Uso...5 4. Emitindo a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica...5

Leia mais

38ª. ASSEMBLÉIA NACIONAL DA ASSEMAE SANEAMENTO AMBIENTAL: NOVAS FORMAS DE GESTÃO PÚBLICA Salvador, 25 a 30 de mio de 2008.

38ª. ASSEMBLÉIA NACIONAL DA ASSEMAE SANEAMENTO AMBIENTAL: NOVAS FORMAS DE GESTÃO PÚBLICA Salvador, 25 a 30 de mio de 2008. 1 MAPEAMENTO E GESTÃO DOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO NAS ÁREAS ONDE HÁ RISCO IMINENTE DE DANOS EM IMÓVEIS, MÓVEIS, VEÍCULOS E IMAGEM DA EMPRESA Alessandro Siqueira Tetzner

Leia mais

DECRETO Nº 23581. De 09 de janeiro de 2006

DECRETO Nº 23581. De 09 de janeiro de 2006 DECRETO Nº 23581 De 09 de janeiro de 2006 Cria a Comissão de Locação de Imóveis e estabelece procedimentos para celebração, prorrogação e rescisão de contratos de locação. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014

MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014 MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014 MANUAL DE TRABALHO A Qualitá Ocupacional, com o objetivo de facilitar a utilização dos serviços prestados

Leia mais

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM 1- ATRAVÉS DA REDESIM PORTAL REGIN 1.1 -SOLICITAÇÃO DE INSCRIÇÃO MUNICIPAL ( EMPRESA SEM REGISTRO NA JUCEB) PASSO 1: PEDIDO DE VIABILIDADE DE INSCRIÇÃO A empresa

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 Dispõe sobre o Registro de Entidades não Governamentais e Inscrição de Programas, Projetos e Serviços de Atendimento, governamentais e não governamentais, que tenham por

Leia mais

Inventário 2014 Manual de Procedimentos

Inventário 2014 Manual de Procedimentos Inventário 2014 Manual de Procedimentos O Inventário anual de bens móveis Conforme está previsto na legislação vigente (Instrução Normativa 205/88), é obrigatório aos gestores das Unidades responsáveis

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 1 - Recadastramento 3. Capítulo 2 - Tabelas 24

SUMÁRIO. Capítulo 1 - Recadastramento 3. Capítulo 2 - Tabelas 24 1 SUMÁRIO Capítulo 1 - Recadastramento 3 INTRODUÇÃO 3 QUEM DEVE SE RECADASTRAR 3 PRAZO PARA O RECADASTRAMENTO 3 FLUXO 4 EMPRESA/ AUTÔNOMO 4 Orientações para o Recadastramento das EMPRESAS 4 Cadastro de

Leia mais

Formalizando o negócio

Formalizando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Formalizando o negócio Manual Etapa 3/Parte 2 Bem-vindo! É um prazer ter você participando da Etapa 3 do Programa de Auto-Atendimento Negócio Certo,

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/9 1 - DOS OBJETIVOS 1.1 Regulamentar os procedimentos para a concessão de incentivos à empresas industriais, comerciais e de serviços no Município com base na Legislação Municipal e no artigo 174 da

Leia mais

A LAVRATURA DOS CONTRATOS PARTICULARES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO POR ESCRITURA PÚBLICA: POSSÍVEIS CONVÊNIOS COM BANCOS SEGURANÇA JURÍDICA E FÉ PÚBLICA

A LAVRATURA DOS CONTRATOS PARTICULARES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO POR ESCRITURA PÚBLICA: POSSÍVEIS CONVÊNIOS COM BANCOS SEGURANÇA JURÍDICA E FÉ PÚBLICA A LAVRATURA DOS CONTRATOS PARTICULARES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO POR ESCRITURA PÚBLICA: POSSÍVEIS CONVÊNIOS COM BANCOS SEGURANÇA JURÍDICA E FÉ PÚBLICA Rodrigo Reis Cyrino Tabelião do Cartório do 2º Ofício

Leia mais

MANUAL SISTEMA DE GESTÃO DA CARREIRA DE EPPGG

MANUAL SISTEMA DE GESTÃO DA CARREIRA DE EPPGG MANUAL SISTEMA DE GESTÃO DA CARREIRA DE EPPGG O Núcleo de Gestão da Carreira de EPPGG e a DRH/SEPLAG disponibilizam a partir de setembro de 2013 o acesso a todos os EPPGG s ao SISTEMA DE GESTÃO DA CARREIRA

Leia mais

Manual do Usuário. Manual do Usuário 1

Manual do Usuário. Manual do Usuário 1 Manual do Usuário Manual do Usuário 1 Manual do Usuário DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP UNIDADE 2.6.15.1 Atender cliente Atender o cliente e analisar a solicitação para identificar se é restituição por pagamento indevido (erro de leitura, erro de cadastro, faturamento indevido), pagamento

Leia mais

PROJETO DE LEI N 504/2013

PROJETO DE LEI N 504/2013 PROJETO DE LEI N 504/2013 AUTORIZA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO TRANSPORTE AOS ESTUDANTES DE CURSO SUPERIOR E CURSO TÉCNICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais, por seus

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes 1) Quem passará a receber por meio de conta no BRADESCO e quem deverá providenciar a sua formalização? a. Magistrados, bem como, seus pensionistas e cotistas b. Serventuários ativos

Leia mais

Guia Rápido Registro Integrado/ES

Guia Rápido Registro Integrado/ES Guia Rápido Registro Integrado/ES O Registro Integrado/ES, através do sistema REGIN integra os órgãos públicos envolvidos no registro de empresas como Junta Comercial (JUCEES), Receita Federal (RFB), Secretaria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.730, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2015 Institui o "Programa Nota Fiscal Jaboticabalense" com o objetivo de estimular a cidadania fiscal e incentivar o Programa de Arrecadação Tributária do Município e

Leia mais

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015 COMUNICADO Assunto: Bolsas de Estudos 2015 O Colégio Franciscano Santa Clara informa os critérios para concorrer à bolsa de estudos 2015, aos candidatos que cumprirem com as seguintes condições: 1º Requisitos:

Leia mais

FACULDADE DE COMPUTAÇÃO DE MONTES CLAROS - FACOMP REGULAMENTO DA DIVISÃO DE CONTROLE E REGISTRO ACADÊMICO

FACULDADE DE COMPUTAÇÃO DE MONTES CLAROS - FACOMP REGULAMENTO DA DIVISÃO DE CONTROLE E REGISTRO ACADÊMICO FACULDADE DE COMPUTAÇÃO DE MONTES CLAROS - FACOMP REGULAMENTO DA DIVISÃO DE CONTROLE E REGISTRO ACADÊMICO (ATUALIZADO EM AGOSTO DE 2013) SUMÁRIO: CAPÍTULO I... 3 DA DIVISÃO DE CONTROLE E REGISTRO ACADÊMICO,

Leia mais

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre a campanha de fiscalização e melhoria da arrecadação de tributos, mediante o sorteio de prêmios e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JACOBINA-BA, no uso de suas atribuições

Leia mais

MICROCREDITO. 1.2.1 Beneficiários:

MICROCREDITO. 1.2.1 Beneficiários: MICROCREDITO 1 OBJETIVO Conceder crédito ágil, desburocratizado, acessível e adequado aos empreendedores dos setores formal e informal, excluídos da política do sistema financeiro tradicional, auxiliando-os

Leia mais

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO CADASTRO ELETRÔNICO Abaixo seguem as orientações sobre os serviços mais utilizados do Cadastro no efisco - ARE Virtual. OBS: Use sempre o navegador Internet Explorer para acessar o efisco - ARE Virtual

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO/2011

CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO/2011 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ UEPR Campus Universitário Frei Ulrico Goevert - Av. Gabriel Esperidião S/N Telefone (044) 3423-3210 Fax 3423-2178 CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO/2011 PERÍODO DE INSCRIÇÃO:

Leia mais

DECRETO Nº 30.090, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009.

DECRETO Nº 30.090, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009. DECRETO Nº 30.090, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009. Regulamenta o Capítulo VII da Lei nº 4.257, de 02 de dezembro de 2008 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que

Leia mais

DECRETO Nº 721 DE 07 DE FEVEREIRO DE 2.003

DECRETO Nº 721 DE 07 DE FEVEREIRO DE 2.003 DECRETO Nº 721 DE 07 DE FEVEREIRO DE 2.003 Dispõe sobre Regulamentação da Isenção de IPTU e Contribuição de Melhoria. ÉRICO PIANA PINTO PEREIRA, PREFEITO MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE, ESTADO DE MATO

Leia mais

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração Cartilha Micro Empreendedor Individual (MEI) Alvará de Licença para Localização e Funcionamento Micro empreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO M A N U A L D A NOTA FISCAL AVULSA ÍNDICE 1. Acesso ao Portal do Sistema...6 2. Requerimento de Acesso para os novos usuários...6 2.1 Tipo

Leia mais

REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO DE GRADUAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO DE GRADUAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO DE GRADUAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul

Leia mais

Passo a Passo para preenchimento do Pedido de Viabilidade no Sistema de Registro Integrado REGIN. Empresários Requerentes Contadores

Passo a Passo para preenchimento do Pedido de Viabilidade no Sistema de Registro Integrado REGIN. Empresários Requerentes Contadores Passo a Passo para preenchimento do Pedido de Viabilidade no Sistema de Registro Integrado REGIN Empresários Requerentes Contadores Maio / 2011 ÍNDICE Introdução... 3 Pedido de Consulta da Viabilidade...

Leia mais

Mauro Gaspar Gomes Secretário Municipal de Fazenda

Mauro Gaspar Gomes Secretário Municipal de Fazenda GUIA PARA OS NOVOS PROCEDIMENTOS DE EMISSÃO DE ALVARÁ O novo trâmite para Consulta de Viabilidade de atividades econômicas e para emissão do Alvará de Localização faz parte da implantação de uma série

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. Súmula: Estabelece normas e procedimentos para a realização de inscrição dos mutuários, relaciona os documentos necessários a instruir

Leia mais

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 2009 DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 Institui, no âmbito da Secretaria de Estado da Habitação Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais Cidade Legal Comitê de Regularização

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 6.996, DE 7 DE JUNHO MAIO DE 1982. Dispõe sobre a utilização de processamento eletrônico de dados nos serviços eleitorais e

Leia mais

I seja aprovado o projeto arquitetônico;

I seja aprovado o projeto arquitetônico; PROJETO DE LEI Nº 106/2015. INSTITUI A LICENÇA PRÉVIA PARA FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS QUE ESPECIFICA, EM IMÓVEIS E EDIFICAÇÕES QUE NÃO CUMPRAM OS REQUISITOS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO EM VIGOR PARA

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO DE 04 DE JUNHO DE 2011.

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO DE 04 DE JUNHO DE 2011. DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO DE 04 DE JUNHO DE 2011. DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO Portaria Detran-754, de 3-6-2011 Estabelece as rotinas dos serviços prestados pelo Departamento Estadual

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

BOLSA DE ESTUDOS 2016

BOLSA DE ESTUDOS 2016 INSTITUTO DAS APÓSTOLAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS AV. VISCONDE DE GUARAPUAVA, 4747 BATEL CURITIBA/PR CNPJ: 76.570.084/0001-60 BOLSA DE ESTUDOS 2016 I INFORMAÇÕES GERAIS a) A bolsa de estudo é benefício

Leia mais

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO Tipo: 1 - Finalístico Programa: 5363 - FORTALECIMENTO DO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Objetivo: MELHORAR O DESEMPENHO DA GESTÃO MUNICIPAL, MEDIANTE A CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS E DO ADEQUADO USO

Leia mais

Regulamentação do licenciamento ambiental de movelarias no Amazonas

Regulamentação do licenciamento ambiental de movelarias no Amazonas Regulamentação do licenciamento ambiental de movelarias no Amazonas propostas de instrução normativa elaborada pelo Projeto Floresta Viva e colaboradores dezembro de 2006 INDICE 1. Contexto 3 2. Situação

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 PREENCHIMENTO DO PEDIDO DE VIABILIDADE E BUSCA PRÉVIA (CONSULTA PRÉVIA)...5 CONSULTA PEDIDO DE VIABILIDADE...13.

ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 PREENCHIMENTO DO PEDIDO DE VIABILIDADE E BUSCA PRÉVIA (CONSULTA PRÉVIA)...5 CONSULTA PEDIDO DE VIABILIDADE...13. Página 1 / 15 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 PREENCHIMENTO DO PEDIDO DE VIABILIDADE E BUSCA PRÉVIA (CONSULTA PRÉVIA)...5 CONSULTA PEDIDO DE VIABILIDADE...13 Página 2 / 15 APRESENTAÇÃO O que é: O Sistema de Registro

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROGRAMA ISS-Londrina-DMS - Perguntas (Seqüencia Atual e Anterior) 001-001 - O que é o ISS-Londrina Declaração Mensal de Serviço? O ISS-Londrina-DMS é um sistema Integrado para gerenciamento do

Leia mais

REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO TÉCNICO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO TÉCNICO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA EMISSÃO, REGISTRO E EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA DE CURSO TÉCNICO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - IFMS,

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 Resolução CMAS nº 16, 26 de setembro de 2011, revoga a Resolução CMAS nº 01/2002 e define os parâmetros para

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO 1 Proc. nº 27.401/2008 LEI COMPLEMENTAR Nº 674 de 25 de novembro de 2013 Altera a Lei Complementar nº 582, de 19 de dezembro de 2008, alterada pela Lei Complementar nº 644, de 05 de abril de 2012, no que

Leia mais

ORIENTAÇÕES 1- DECLARAR A ÚLTIMA ALTERAÇÃO CONTRATUAL CONSOLIDAÇÃO CONTRATUAL

ORIENTAÇÕES 1- DECLARAR A ÚLTIMA ALTERAÇÃO CONTRATUAL CONSOLIDAÇÃO CONTRATUAL ORIENTAÇÕES 1- DECLARAR A ÚLTIMA ALTERAÇÃO CONTRATUAL CONSOLIDAÇÃO CONTRATUAL (Ou o último documento de atualização de dados conforme o tipo de pessoa jurídica): 1.1- Antes de iniciar o processo de alteração

Leia mais

1. Finalidade Estabelecer critérios e procedimentos para a efetivação das Aposentadorias Compulsória, Voluntária e por Invalidez.

1. Finalidade Estabelecer critérios e procedimentos para a efetivação das Aposentadorias Compulsória, Voluntária e por Invalidez. 1. Finalidade Estabelecer critérios e procedimentos para a efetivação das Aposentadorias Compulsória, Voluntária e por Invalidez. 2. Base Legal e Normativa 2.1. Art. 40, 1º, inciso II, da Constituição

Leia mais

www.viradouro.sp.gov.br www.viradouro.dioe.com.br Sexta-feira, 15 de agosto de 2014 Ano II Edição nº 251 Página 1 de 9

www.viradouro.sp.gov.br www.viradouro.dioe.com.br Sexta-feira, 15 de agosto de 2014 Ano II Edição nº 251 Página 1 de 9 Sexta-feira, 15 de agosto de 2014 Ano II Edição nº 251 Página 1 de 9 SUMÁRIO PODER EXECUTIVO DE VIRADOURO 2 Atos Oficiais 2 Licitações e Contratos 7 Secretaria de Negócios Jurídicos 7 Outros Atos 7 Secretaria

Leia mais

Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN. Contadores

Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN. Contadores Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN Contadores Abril / 2011 ÍNDICE Introdução...3 Pedido de Consulta da Viabilidade...4 Acompanhamento do Pedido de Viabilidade...13 Esqueceu

Leia mais

PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1

PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1 PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1 Dispõe sobre o credenciamento de empresas especializadas na avaliação de imóveis

Leia mais

LICENÇA ADOÇÃO E LICENÇA GUARDA DE MENOR

LICENÇA ADOÇÃO E LICENÇA GUARDA DE MENOR PREFEITURA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO PMSP SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SEMPLA COORDENADORIA DE GESTÃO DE PESSOAS COGEP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DERH DIVISÃO DE GESTÃO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. (publicado no DOE n.º 137, de 17 de julho de 2012) Institui o Programa

Leia mais

http://www.leismunicipais.com.br/cgi-local/forpgs/showinglaw.pl

http://www.leismunicipais.com.br/cgi-local/forpgs/showinglaw.pl Página 1 de 7 LEI Nº 9430, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010. DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO MUNICÍPIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Projeto de Lei nº 481/2010 - autoria do EXECUTIVO. A Câmara

Leia mais

Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos

Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos 1 Conteúdo Apresentação... 1 O que é a aprovação eletrônica de projetos?... 2 Quais os serviços disponíveis?... 3 Como cadastrar sua senha web?... 4 Aprovação

Leia mais

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO Parte:...................................... Gabarito Assunto:............................ Atualização: Original........................ Página: 1 SIA 7.5 - Sistema Integrado de Arrecadação APLICAÇÕES

Leia mais

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal ASCOM t ru ir l e g a legal construir cons Quero l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Elaboração: Lilian Márcia Neves Haddad Arquiteta Urbanista, CREA 90.776/D MG - Especialista em Planejamento

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Protocolo, Documentos Eletrônicos e Processos. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 Documentos Eletrônicos e Processos PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução ão: Com a necessidade do controle efetivo da tramitação de documentos, o s veio proporcionar

Leia mais

Caderno de Orientações Emissão de NFS-e - Sociedades Simples ISSQN recolhido pelo número de profissionais

Caderno de Orientações Emissão de NFS-e - Sociedades Simples ISSQN recolhido pelo número de profissionais Caderno de Orientações Emissão de NFS-e - Sociedades Simples ISSQN recolhido pelo número de profissionais Página 1 de 19 PREFEITURA DO RECIFE Prefeito: Geraldo Júlio de Mello Filho Vice-Prefeito: Luciano

Leia mais

ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001

ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001 ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL A presente Instrução Normativa obedece ao disposto no 3º, art. 3º do Decreto Lei nº 2.398, de 21 de dezembro de 1987, Lei nº 5.194, de 24 de dezembro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO UNIDADE CENTRAL DE CONTROLE INTERNO COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE CARIACICA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO UNIDADE CENTRAL DE CONTROLE INTERNO COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE CARIACICA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº SLC-03.1/2014 Data: 20/03/2014 Versão: Original 01 SISTEMA ADMINISTRATIVO SLC - SISTEMA DE LICITAÇÕES E CONTRATOS. 02 ASSUNTO SLC-03.1 - CONTROLE DE ESTOQUES - CDC 03 SETORES ENVOLVIDOS

Leia mais

Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão Curso de Integração: Arquitetos e Engenheiros Setembro de 2013

Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão Curso de Integração: Arquitetos e Engenheiros Setembro de 2013 DIVISÃO DOS PROCESSOS MUNICIPAIS DGDP - 1 PAULO ROBERTO DUTRA E-mail: prdutra@prefeitura.sp.gov.br Fone: 3101-1733 / 3396-7079 / 3396-7276 Curso sobre Manuseio de Processos para: Secretaria Municipal de

Leia mais

REPASSE IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

REPASSE IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO Prezado Cliente, Com o objetivo de concretizar o negócio, os bancos oferecem condições especiais de financiamento para pessoas física, quando Imóvel Residencial e Comercial e com regras distintas para

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO VAPT VUPT EMPRESARIAL PREFEITURA DE GOIANIA Responsável: Rosana Mérola Martins Cópia

Leia mais

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências INSTRUÇÃO NORMATIVA MMA Nº 4, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências A MINISTRA DE ESTADO

Leia mais

PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE. Abertura Simplificada de Empresas

PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE. Abertura Simplificada de Empresas PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE Abertura Simplificada de Empresas 2 Sumário INTRODUÇÃO...04 1 Como preparar o computador para uso do certificado digital...05 2 Primeiro

Leia mais

Sistema Registro Integrado REGIN

Sistema Registro Integrado REGIN Sistema Registro Integrado REGIN ÍNDICE 1. Apresentação... 2 2. O que é o projeto REGIN?... 2 3. Objetivo do REGIN... 3 4. Funcionamento do REGIN... 3 5. Módulos do REGIN... 4 6. Pedido de Viabilidade

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014.

Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014. Instrução Normativa nº 008, de 08 de agosto de 2014. O diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo - IDAF, usando das atribuições que lhe confere o artigo 48 do

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO O Reitor no uso de suas atribuições, torna público o Edital para o Processo de Concessão de Bolsas Sociais. O Programa de Bolsas Sociais

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015 EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015 A Diretoria de Colégios da ABEU Colégios, no uso de suas atribuições, torna público o Edital para o Processo de Concessão de Bolsas Sociais destinadas a estudantes regularmente

Leia mais

MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE

MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE LOTEAMENTO GOLF GARDENS 1 INTRODUÇÃO VOCÊ É NOSSO CLIENTE ESPECIAL. Na parceria estabelecida entre as três empresas, caberá a CONSURB o relacionamento com os clientes.

Leia mais

Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN. Contadores

Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN. Contadores Passo a Passo para utilização do Sistema de Registro Integrado REGIN Contadores Maio / 2008 Índice Introdução... 3 Pedido de Consulta da Viabilidade... 4 Acompanhamento do Pedido de Viabilidade... 11 Registro

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica MENSAGEM PROJETO DE LEI xxx/gp/2012 Tangará da Serra/MT, xx de xxxxxxxxxx de 2012. Excelentíssimo Senhor Presidente, Excelentíssimos (a) Senhores (a) Vereadores (a), Cumprimentando-o cordialmente, vimos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-014-R01 DIMENSIONAMENTO DE RECUROS HUMANOS NA SIA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-014-R01 DIMENSIONAMENTO DE RECUROS HUMANOS NA SIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-014-R01 DIMENSIONAMENTO DE RECUROS HUMANOS NA SIA 10/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 09 de outubro de 2015. Aprovado, Leandro Costa Pereira Crispim de Sousa Fabio

Leia mais

Cartilha de incentivos fiscais

Cartilha de incentivos fiscais Cartilha de incentivos fiscais Lei Municipal nº 11.186/2015 Por Secretaria de senvolvimento Econômico e Trabalho SUMÁRIO SOROCABA... 2 PORQUE INVESTIR?... 2 BENEFÍCIOS DE SE ESTABELECER EM SOROCABA...

Leia mais

A Bolsa de Estudo não está condicionada a nenhuma forma de desembolso monetário ou assunção de compromissos de prestação de serviços.

A Bolsa de Estudo não está condicionada a nenhuma forma de desembolso monetário ou assunção de compromissos de prestação de serviços. EDITAL - 2010 A União Brasileira de Educação e Ensino UBEE e a União Norte Brasileira de Educação e Cultura - UNBEC mantenedoras dos Colégios e Faculdades Maristas, no uso de suas atribuições previstas

Leia mais

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos...

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos... Índice 1. 2. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6. 3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 3.6. 3.7. 3.8. 4. 5. 5.1. 5.2. 5.3. APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 Primeiros Passos... 2 Minha Empresa... 3 Certificado

Leia mais

a.1) em área desapropriada ou em desapropriação por Estado, por Município, pelo Distrito Federal ou pela União;

a.1) em área desapropriada ou em desapropriação por Estado, por Município, pelo Distrito Federal ou pela União; INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 4, DE 17 DE MAIO DE 2007 DOU de 18.5.2007 _ Retificação _DOU de 21.5.2007 Altera dispositivos, que especifica, da Instrução Normativa nº 1, de 15 de janeiro de 1997, disciplinadora

Leia mais

8. Regularização do Negócio

8. Regularização do Negócio 8. Regularização do Negócio Conteúdo 1. Forma Jurídica das Empresas 2. Consulta Comercial 3. Busca de Nome Comercial 4. Arquivamento do contrato social/requerimento de Empresário 5. Solicitação do CNPJ

Leia mais

M a n u a l de E m i s s ã o NFeI

M a n u a l de E m i s s ã o NFeI M a n u a l de E m i s s ã o NFeI Sistema Versão 1.8 21/08/2009. ÍNDICE Apresentação... 1 Objetivos... 2 Conceitos... 2 Recibo Provisório de Serviços RPS... 3 Geração da NFeI... 3 Cancelamento de NFeI...

Leia mais

Como funciona a aquisição de moradia pela COHAB Curitiba?

Como funciona a aquisição de moradia pela COHAB Curitiba? Como funciona a aquisição de moradia pela COHAB Curitiba? Os interessados em adquirir um imóvel pela COHAB Curitiba devem efetuar inscrição nas agências de atendimento da Companhia e aguardar a classificação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei;

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei; DECRETO N.º 9185 EMENTA: Institui o DCU SIMPLES, um conjunto de Programas de Ação do Departamento de Controle Urbanístico da Secretaria Municipal de Planejamento, para aprovação de projetos e licenciamento

Leia mais

P5 Selos extrajudiciais: Redesenho de processos. Bizagi Process Modeler

P5 Selos extrajudiciais: Redesenho de processos. Bizagi Process Modeler P5 Selos extrajudiciais: Redesenho de processos Bizagi Process Modeler 1 P 5 S E L O S E X T R AJ U D I C I A I S 2 P5ME - MAPA DE ESPECIFICAÇÃO 3 P5ME1 - MAPA DE ESPECIFICAÇÃO SUB-PROCESSO Informada demanda

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

. ORegistro Imobiliário (PARA OS DADOS LEGAIS) e;. O Cadastro Imobiliário (PARA OS DADOS GEOMÉTRICOS).

. ORegistro Imobiliário (PARA OS DADOS LEGAIS) e;. O Cadastro Imobiliário (PARA OS DADOS GEOMÉTRICOS). A IMPORTÂNCIA DOS CONVÊNIOS COM OS CARTÓRIOS E A RECEITA FERAL PARA PURAÇÃO DOS DADOS DA CERTIDÃO DÍVIDA ATIVA. 1 INTRODUÇÃO O 1.1 A CIDA ARACAJU CAPITAL DO ESTADO SERGIPE /BRASIL POPULAÇÃO SERGIPE 1.939.426

Leia mais

INSTITUI O SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES ESTATUTÁRIOS DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

INSTITUI O SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES ESTATUTÁRIOS DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI N INSTITUI O SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES ESTATUTÁRIOS DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. JOÃO PAULO TAVARES PAPA, Prefeito Municipal de Santos, faço saber

Leia mais