CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A"

Transcrição

1 CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A Ensino Médio Ciências da Natureza I Conteúdo Habilidade da Questão Matriz da EJA/FB 1 Equação do 2º grau H22 2 Gráficos H27 3 Gráficos H62 4 Progressão aritmética H20 5 Função do 1º grau H26 6 Porcentagem / Progressão H20 geométrica 7 Escalas termométricas H43 8 Equilíbrio térmico H44 9 Dilatação térmica H44 10 Transformações gasosas H47 11 Quantidade de calor H45 12 Formas de propagação do calor H46 1

2 1. Das equações do 2º grau mostradas nas alternativas abaixo qual delas fornece como respostas as raízes 6 e 2? a) x 2 5x + 6 = 0 b) x 2 4x 12 = 0 c) x 2 4x + 3 = 0 d) x 2 5x + 4 = 0 e) x 2 10x + 25 = 0 2. (Enem, 2009) Uma pousada oferece pacotes promocionais para atrair casais a se hospedarem por até oito dias. A hospedagem seria em apartamento de luxo e, nos três primeiros dias, a diária custaria R$ 150,00, preço da diária fora da promoção. Nos três dias seguintes, seria aplicada uma redução no valor da diária, cuja taxa média de variação, a cada dia, seria de R$ 20,00. Nos dois dias restantes, seria mantido o preço do sexto dia. Nessas condições, um modelo para a promoção idealizada é apresentado no gráfico a seguir, no qual o valor da diária é função do tempo medido em número de dias. De acordo com os dados e com o modelo, comparando o preço que um casal pagaria pela hospedagem por sete dias fora da promoção, um casal que adquirir o pacote promocional por oito dias fará uma economia de A) R$ 90,00. B) R$ 110,00. C) R$ 130,00. D) R$ 150,00. E) R$ 170,00. 2

3 3. (Enem, 2009) A suspeita de que haveria uma relação causal entre tabagismo e câncer de pulmão foi levantada pela primeira vez a partir de observações clínicas. Para testar essa possível associação, foram conduzidos inúmeros estudos epidemiológicos. Dentre esses, houve o estudo do número de casos de câncer em relação ao número de cigarros consumidos por dia, cujos resultados são mostrados no gráfico a seguir. De acordo com as informações do gráfico, A) o consumo diário de cigarros e o número de casos de câncer de pulmão são grandezas inversamente proporcionais. B) o consumo diário de cigarros e o número de casos de câncer de pulmão são grandezas que não se relacionam. C) o consumo diário de cigarros e o número de casos de câncer de pulmão são grandezas diretamente proporcionais. D) uma pessoa não fumante certamente nunca será diagnosticada com câncer de pulmão. E) o consumo diário de cigarros e o número de casos de câncer de pulmão são grandezas que estão relacionadas, mas sem proporcionalidade. 4. Problemas de congestionamento já fazem parte do cotidiano das grandes cidades brasileiras. Todos os dias uma grande quantidade de novos veículos são emplacados e passam a circular. Considere uma cidade com uma frota de veículos na manhã de uma 2ª feira. Considerando que por dia, novos carros passam a circular, podemos afirmar que ao final da 6ª feira, dessa semana, a quantidade de veículos novos e a quantidade total de veículos circulando serão respectivamente de a) e b) e c) e d) e e) e

4 5. Dentre as alternativas abaixo indique aquela que contem os pontos (-1,9). a) y = 8x + 6 b) y = - 2x + 1 c) y = 3x - 4 d) y = - x + 8 e) y = x Uma indústria de cosméticos foi fundada em 1990 com uma produção anual de unidades do seu principal produto. Ao final de um ano ela aumentou sua produção em 10% mantendo esse ritmo de crescimento por mais 4 anos. Ao final desse período qual era a produção anual do produto? a) b) c) d) e) Um turista brasileiro sente-se mal durante a viagem e é levado a um hospital. Após recuperar os sentidos, sem saber em que local estava, é informado de que a temperatura de seu corpo atingira 104 graus. Assustado, ele posteriormente conclui que a escala termométrica utilizada era a Fahrenheit. Desta forma, na escala Celsius, a temperatura do turista era de a) 10 o C. b) 20 o C. c) 38 o C. d) 40 o C. e) 44 o C. 8. (Unesp) Quando uma enfermeira coloca um termômetro clínico de mercúrio sob a língua de um paciente, por exemplo, ela sempre aguarda algum tempo antes de fazer a sua leitura. Esse intervalo de tempo é necessário. a) para que o termômetro entre em equilíbrio térmico com o corpo do paciente. b) para que o mercúrio, que é muito pesado, possa subir pelo tubo capilar. c) para que o mercúrio passe pelo estrangulamento do tubo capilar. d) devido à diferença entre os valores do calor específico do mercúrio e do corpo humano. e) porque o coeficiente de dilatação do vidro é diferente do coeficiente de dilatação do mercúrio 4

5 9. Duas barras de ferro de 2 m a uma temperatura de 20 C, encontram-se a 2 cm uma da outra. Qual deve ser aproximadamente a temperatura para que elas se encostem, considerando que a única direção da dilatação acontecerá no sentido do encontro? (Adote f erro = 1, o C -1.) a) 350 o C b) 400 o C c) 417 o C d) 427 o C e) 437 o C 10. Um recipiente, feito de um material cujo coeficiente de dilatação é desprezível, contém um gás perfeito que exerce uma pressão de 6,00 atm quando sua temperatura é de 111 o C. Quando a pressão do gás for de 4,00 atm, sua temperatura será de a) - 17 o C. b) 47 o C. c) 256 o C. d) - 11 o C. e) 19 o C. 11. Um bloco de alumínio (c = 0,22 cal/g C) inicialmente a -10 C absorve 15 kcal. Considerando que o bloco de alumínio possui massa de 5 kg, qual será a temperatura atingida? a) 13,6 o C b) 10,0 o C c) 3,6 o C d) 2,2 o C e) 1,0 o C 12. Considere as situações abaixo: I - Passar roupas utilizando um ferro elétrico. II - O uso de chaminés para escape de gases quentes provenientes de combustão. III - Uma pessoa agachada perto de uma fogueira de festa junina. Os processos de transmissão de calor, relacionados com as situações I, II e III, são, respectivamente a) condução, condução e radiação. b) convecção, convecção e radiação. c) condução, convecção e radiação. d) radiação, convecção e condução. e) convecção, radiação e condução. 5

6 Equações Tc = Tf L = L. θ P i. V i T i = P f. V f T f Q = m.c. θ 6

7 GABARITO COMENTADO 1. Alternativa B Na resolução da equação x 2 4x 12 = 0, utilizando a expressão x = b± b2 4ac 2a Onde a = 1, b = -4 e c = -12, teremos: x = ( 4) ± ( 4)2 4. (1). ( 12) 2.1 x = 4 ± x = 4 ± 64 2 x = 4 ± 8 2 x 1 = = 12 2 = 6 x 2 = = 4 2 = 2 Utilizando o mesmo raciocínio na resolução das outras equações das outras alternativas encontramos como raízes: Para a equação x 2 5x + 6 = 0, as raízes x 1 = 2 e x 2 = 3. Para a equação x 2 4x + 3 = 0, as raízes x 1 = 1 e x 2 = 3. Para a equação x 2 5x + 4 = 0, as raízes x 1 = 4 e x 2 = 1. Para a equação x 2 10x + 25 = 0, as raízes x 1 = 5 e x 2 = Alternativa A Valor gasto em dias, fora da promoção: 7x150 = R$ 1.050,00 Valor promocional em 8 dias: 3 de 150 = R$ 450,00 1 de 130 = R$ 130,00 1 de 110 = R$ 110,00 3 de 90 = R$ 270,00 Total: R$ 960,00,00 Economia = = 90 reais 7

8 3. Alternativa E Observando o gráfico verificamos que as grandezas estão relacionadas, sem seguir nenhum modelo apresentado nas alternativas anteriores. 4. Alternativa D Na manhã de 2ª feira tem-se em circulação veículos. Considerando que entram em circulação por dia novos carros, ao final desse dia teremos carros no transito. Na 3ª feira de manha teremos veículos e como mais novos carros entrarão em circulação teremos ao final do dia veículos. Seguindo esse raciocino teremos ao longo da semana os valores apresentados na tabela: Dia Quantidade de veiculos 2ª feira = ª feira = ª feira = ª feira = ª feira = Portanto até a 6ª feira, teremos novos veículos em circulação. E a quantidade total de veículos circulando na cidade será de Alternativa D Substituindo o valor x = -1, em cada uma das equações apresentadas nas alternativas teremos para y os seguintes valores: y = 8x + 6 y = 8.(-1) + 6 y = y = -2 y = - 2x + 1 y = -2(-1) +1 y = y = 3 y = 3x 4 y = 3.(-1) 4 y = -3-4 y = -7 y = - x + 8 y = -(-1) + 8 y = y = 9 8

9 y = x + 9 y = y = 8 6. Alternativa E A produção anual de 1990 foi de unidades. Ao final de um ano (1991) constatou-se um aumento de 10%. A produção foi então de: % de = unidades Esse aumento de 5% manteve-se por mais 4 anos: 1992, 1993, 1993 e Teremos então a evolução mostrada na tabela abaixo: Ano Quantidade de unidades % de = % de = % de = % de = % de = Alternativa D Transformando 104 o F em o C teremos: Tc = Tf Tc = Tc = Tc = 8 5 Tc = 40 o C 8. Alternativa A O termômetro clinico ao entrar em contato com a língua do paciente ficará, depois de certo tempo, à mesma temperatura deste. Essa condição na qual dois corpos com temperaturas iniciais distintas ao final de certo intervalo de tempo estão à mesma temperatura é denominado equilíbrio térmico. 9

10 9. Alternativa E Para que se encontrem, as barras distantes de 2cm, deverão, cada uma, sofrer um aumento de 1cm. Calculemos inicialmente a variação de temperatura ( θ) necessária para uma barra de 2 m sofrer um aumento de 1 cm (0,01 m). Utilizando a expressão: L = L. θ Onde L = 1 cm = 0,01 m L o = 2 m = 1, o C -1 θ =? Teremos: L = L. θ 0,01 = 2 x 1, x θ θ = 0,01 2 x 1, θ = 0,01 2 x 0, θ = 0,01 0, θ 417 o C Portanto haverá uma variação de temperatura de aproximadamente 417 o C. O enunciado do exercício informa que a barra está a uma temperatura de 20 o C. Para que ocorra uma variação de aproximadamente 417 a temperatura final da barra será de aproximadamente 437 o C. 10. Alternativa A Utilizando a expressão: P i. V i T i = P f. V f T f onde Pi = 6 atm Ti = 111 o C = 384 K (lembre-se que no uso dessa formula, a temperatura precisa estar em Kelvin. P f = 4 atm Vi = Vf T f =? Como não ocorre variação do volume (transformação isovolumétrica), pois foi informado que o coeficiente de dilatação é desprezível, a expressão fica reduzida a: E teremos: P i T i = P f T f 10

11 6 = T f 6. T f = 4 x 384 T f = T f = 256 K Expressando esse resultado em graus Kelvin, teremos: Temperatura na escala Kelvin = Temperatura na escala Celsius = Temperatura na escala Celsius = Temperatura na escala Celsius - 17 = Temperatura na escala Celsius Portanto o valor 256 K corresponde a 17 o C. 11. Alternativa C Utilizando a expressão Q = m.c. θ, onde: Q = 15 kcal = cal (lembre-se que 1 kcal = cal.) m = 5 kg = (lembre-se que no uso dessa formula a massa precisa estar em gramas!) c = 0,22 cal/g C θ = variação da temperatura que queremos determinar. Teremos: Q = m.c. θ = x 0,22 x θ = x θ = θ ,6= θ θ = 13,6 C O enunciado do exercício informa que o bloco está inicialmente a uma temperatura de -10 o C. Para que ocorra uma variação de aproximadamente 13,6 o C a temperatura final do bloco será de 3,6 o C. 12. Alternativa C A situação I apresenta um exemplo de propagação de calor por condução. A situação II apresenta um exemplo de propagação de calor por convecção. A situação III apresenta um exemplo de propagação de calor por radiação. 11

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D 10) Antes de medir a temperatura de um paciente, uma enfermeira verifica que o termômetro clínico indica 35 C. Em seguida, usando esse termômetro, ela mede a temperatura do paciente, encontrando o valor

Leia mais

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA??

O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? TERMOMETRIA O QUE É TERMOMETRIA E TEMPERATURA?? Termometria: Área específica da Termodinâmica que estuda a temperatura e suas diferentes escalas usadas pelo mundo Temperatura: Parâmetro termométrico que

Leia mais

Termologia. Em um dia de inverno, a temperatura abaixou de 9 F. Essa variação na escala Celsius seria de: a) 12,7 C b) 5 C c) 9 C d) 12,5 C e) n.r.a.

Termologia. Em um dia de inverno, a temperatura abaixou de 9 F. Essa variação na escala Celsius seria de: a) 12,7 C b) 5 C c) 9 C d) 12,5 C e) n.r.a. 1. Questão Termologia Nas lâmpadas de filamento de tungstênio, a temperatura desse filamento atinge o valor de 2500 C. Determinar o valor dessa temperatura na escala Fahrenheit. a) 2685 F b) 4532 F c)

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ 1º Exame de Qualificação 011 Vestibular 011 Utilize as informações a seguir para responder às questões de números e 3. Um

Leia mais

Exercício Termodinâmica (com solução comentada)

Exercício Termodinâmica (com solução comentada) Exercício ermodinâmica (com solução comentada ara o cálculo do trabalho realizado pelo gás em uma transformação em que a pressão varia devemos calcular a área do gráfico, porém deve-se dividir a área do

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação Física Geral e Experimental III Exercícios Temperatura e Dilatação 1. Em um dia quando a temperatura alcança 50ºF, qual é a temperatura em graus Celsius e Kelvins? R: 10ºC; 283 K. 2. O ouro tem um ponto

Leia mais

NÚMEROS E OPERAÇÕES. Sistema de Numeração Decimal. Exercícios Resolvidos

NÚMEROS E OPERAÇÕES. Sistema de Numeração Decimal. Exercícios Resolvidos 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES Sistema de Numeração Decimal O Sistema de Numeração Decimal possui duas características importantes: ele possui base 10 e é um sistema posicional Na base 10, dispomos de 10 algarismos

Leia mais

Considere que, no intervalo de temperatura entre os pontos críticos do gelo e da água, o mercúrio em um termômetro apresenta uma dilatação linear.

Considere que, no intervalo de temperatura entre os pontos críticos do gelo e da água, o mercúrio em um termômetro apresenta uma dilatação linear. 1. (Uerj 2014) Observe na tabela os valores das temperaturas dos pontos críticos de fusão e de ebulição, respectivamente, do gelo e da água, à pressão de 1 atm, nas escalas Celsius e Kelvin. Pontos críticos

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2F

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2F CADERNO DE EXERCÍCIOS F Ensino Fundamental Matemática Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Números inteiros (positivos e negativos) H9 Proporcionalidade H37 3 Média aritmética H50 4 Comprimento

Leia mais

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1

Diretoria de Ciências Exatas. Laboratório de Física. Roteiro 03. Física Geral e Experimental III 2012/1 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 03 Física Geral e Experimental III 2012/1 Experimento: Dilatação Térmica de um Líquido 1. Dilatação Térmica de um Líquido Nesta tarefa será abordado

Leia mais

Função Afim: Gráfico e Estudo do Sinal

Função Afim: Gráfico e Estudo do Sinal Função Afim: Gráfico e Estudo do Sinal Material de Apoio para Monitoria 1. (Enem - 2012) Certo vendedor tem seu salário mensal calculado da seguinte maneira: ele ganha um valor fixo de R$ 750,00, mais

Leia mais

Lista de Exercícios 06 Modularização (Procedimentos e Funções)

Lista de Exercícios 06 Modularização (Procedimentos e Funções) Lista de Exercícios 06 Modularização (Procedimentos e Funções) Procedimentos: Passagem de parâmetros. 1) Escreva um procedimento que receba um número inteiro e imprima o mês correspondente ao número. Por

Leia mais

Resoluções dos exercícios propostos

Resoluções dos exercícios propostos P.22 Dados: L 0 00 cm; θ 0 0 C; θ 50 C; α 5 0 6 C L α L 0 θ 5 0 6 00 50 L 0,075 cm O comprimento da barra, quando a temperatura é 50 C, é dado por: L L 0 L L 00 0,075 L 00,075 m P.23 Dados: L 00 L 0; θ

Leia mais

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t TERMOMETRIA TERMOLOGIA Temperatura grandeza escalar associada ao grau de vibração térmica das partículas de um corpo. Equilíbrio térmico corpos em contato com diferentes temperaturas trocam calor, e após

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

Unidade XII: Termologia

Unidade XII: Termologia Colégio Santa Catarina Unidade XII Termologia 163 Unidade XII: Termologia 12.1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria.

Leia mais

Resolução Comentada Unesp - 2013-1

Resolução Comentada Unesp - 2013-1 Resolução Comentada Unesp - 2013-1 01 - Em um dia de calmaria, um garoto sobre uma ponte deixa cair, verticalmente e a partir do repouso, uma bola no instante t0 = 0 s. A bola atinge, no instante t4, um

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIO DE REVISÃO I UNIDADE FÍSICA 2º ANO B ENSINO MÉDIO

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIO DE REVISÃO I UNIDADE FÍSICA 2º ANO B ENSINO MÉDIO ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIO DE REVISÃO I UNIDADE FÍSICA 2º ANO B ENSINO MÉDIO 1 ) Considere que o calor específico de um material presente nas cinzas seja c = 0,8 J/g C.

Leia mais

Estudo dos Gases. Equação de estado de um gás f(m, p, V, T) Estado de um gás m (p, V, T) estado inicial: p 1, V 1, T 1. estado final: p 2, V 2, T 2

Estudo dos Gases. Equação de estado de um gás f(m, p, V, T) Estado de um gás m (p, V, T) estado inicial: p 1, V 1, T 1. estado final: p 2, V 2, T 2 Estudo dos Gases Introdução Na fase gasosa as forças de atração entre as artículas são raticamente desrezíveis quando comaradas com as das fases sólida e líquida; or isso elas se movimentam desordenadamente

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº08

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº08 Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 1. Conceitos básicos 3º Ano do Ensino Médio Aula nº08 Assunto: Funções, Equações e Inequações do 1º grau Introdução: Representação de uma equação com 2 variáveis

Leia mais

Segmento: Pré-vestibular. Coleção: Alfa, Beta e Gama. Disciplina: Matemática. Unidade 1: Série 17. Conjuntos

Segmento: Pré-vestibular. Coleção: Alfa, Beta e Gama. Disciplina: Matemática. Unidade 1: Série 17. Conjuntos Segmento: Pré-vestibular Coleção: Alfa, Beta e Gama Disciplina: Matemática Volume: 1 Unidade 1: Série 17 Resoluções Conjuntos 1. A = {1, } O Conjunto A possui dois elementos: 1 e. O total de subconjuntos

Leia mais

REFRAÇÃO DA LUZ. Neste capítulo estudaremos as leis da refração, a reflexão total e a formação de imagens nas lentes esféricas.

REFRAÇÃO DA LUZ. Neste capítulo estudaremos as leis da refração, a reflexão total e a formação de imagens nas lentes esféricas. REFRAÇÃO DA LUZ AULA 18 1- INTRODUÇÃO Neste capítulo estudaremos as leis da refração, a reflexão total e a formação de imagens nas lentes esféricas. 2- A REFRAÇÃO A refração ocorre quando a luz ao passar

Leia mais

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO REVISÃO ENEM ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Quanto maior for o grau de agitação molecular,

Leia mais

16 - Funçã o Exponenciãl e Funçã o Logãrí tmicã

16 - Funçã o Exponenciãl e Funçã o Logãrí tmicã 16 - Funçã o Exponenciãl e Funçã o Logãrí tmicã Lista de Exercícios 1 01) (ESPCEX 2002) A solução de 2 (48/x) = 8 a) múltiplo de 16. b) múltiplo de 3. c) número primo. d) divisor de 8. e) divisor de 9.

Leia mais

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br 1. (Unicamp 93) Um aluno simplesmente sentado numa sala de aula dissipa uma quantidade de energia equivalente à de uma lâmpada de 100W. O valor energético da gordura é de 9,0kcal/g. Para simplificar, adote

Leia mais

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13 Aula 13 Medindo o calor 1. Mudança de estado físico (solidificação) (liquefação) Sólido - Líquido - Gás (fusão) (ebulição) 2. Curvas de aquecimento Gráfico de Temperatura x Quantidade de calor: T x Q Exemplos:

Leia mais

MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO

MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa T4 FÍSICA EXPERIMENTAL I - 007/08 MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO 1. Objectivo Estudo do movimento de rotação de um corpo

Leia mais

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1

αchumbo= ºC -1 αbronze= ºC -1 Exercícios dilatação e transferência de calor 1.Um cilindro de aço, que se encontra em um ambiente cuja temperatura é de 20 C, tem como medida de seu diâmetro 10,00 cm. Levado para outro ambiente cuja

Leia mais

Lista de Termoquímica Prof. Paulo Carollo

Lista de Termoquímica Prof. Paulo Carollo 1. (UFRGS) Considerando a reação representada bromo ao alceno, representada pela equação. pela equação termoquímica N (g) + 3H (g) ë 2NHƒ (g) ÐH= -22kcal são feitas as seguintes afirmações. I - A quantidade

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA FONTE DA IMAGEM: CESGRANRIO. Esfriando-se o conjunto e supondo-se que o álcool não evapore, o volume da gota:

DILATAÇÃO TÉRMICA FONTE DA IMAGEM: CESGRANRIO. Esfriando-se o conjunto e supondo-se que o álcool não evapore, o volume da gota: DILATAÇÃO TÉRMICA 1. Fausto é dono de uma empresa que fabrica recipientes termicamente isolados. Ele herdou a empresa do pai e seguiu seus passos. Um dos recipientes termicamente isolados de Fausto contém

Leia mais

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C.

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. H (g) + 1/2 O (g) ë H O(Ø) (ÐH) H (g) + 1/2 O (g) ë H O(s) (ÐH) A diferença entre os efeitos térmicos, (ÐH) - (ÐH), é igual a) a

Leia mais

Física Experimental - Termodinâmica - Conjunto para termodinâmica - EQ054

Física Experimental - Termodinâmica - Conjunto para termodinâmica - EQ054 Índice Remissivo... 4 Abertura... 6 Guarantee / Garantia... 7 Certificado de Garantia Internacional... 7 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa)

ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa) ESCALAS DE TEMPERATURA (Proporcionalidade Directa) Citações: Utilização das tecnologias na aprendizagem da Matemática Todos os alunos devem aprender a utilizar não só a calculadora elementar mas também,

Leia mais

Questão 2. Questão 1. Questão 3. Resposta. Resposta. Resposta

Questão 2. Questão 1. Questão 3. Resposta. Resposta. Resposta ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço a ela reservado. Não basta escrever apenas o resultado final: é necessário mostrar os cálculos ou o raciocínio utilizado. Questão Emumasalaháumalâmpada,umatelevisão

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA COLÉGIO FRANCO-BRASILEIRO NOME: N : TURMA: PROFESSOR(A: ANO: 7º DATA: / 07 / 0 Calcule o valor das expressões: a ( 6 ( ( EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA b { [ 9 ( ]} ( [ 6( ] c ( 9 : ( 7. ( ² +

Leia mais

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA 1 T.1 (MACK) Dois fios, A e B, constituídos por massas iguais do mesmo cobre, são submetidos à mesma diferença de potencial e mantidos à mesma temperatura. O fio A tem o dobro

Leia mais

Prova Resolvida Raciocínio Lógico Quantitativo e Estatística (ANAC/2016) Prof. Guilherme Neves

Prova Resolvida Raciocínio Lógico Quantitativo e Estatística (ANAC/2016) Prof. Guilherme Neves Prova Resolvida Raciocínio Lógico Quantitativo e Estatística (ANAC/2016) 31- (ANAC 2016/ESAF) A negação da proposição se choveu, então o voo vai atrasar pode ser logicamente descrita por a) não choveu

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A 01) Baseado no que foi visto no laboratório sobre transmissão de calor, analise as alternativas abaixo. I. A convecção térmica só ocorre nos fluidos,

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone: PARA QUEM CURSA A 2 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM Disciplina: MATEMÁTICA

Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone:   PARA QUEM CURSA A 2 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM Disciplina: MATEMÁTICA Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 2 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2016 Disciplina: MATEMÁTICA Prova: DESAFIO NOTA: QUESTÃO 16 Uma pessoa estava lendo um livro que possui

Leia mais

Tipos de transmissão. Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO

Tipos de transmissão. Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO Tipos de transmissão Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO Transmissão por CONVECÇÃO Transmissão por IRRADIAÇÃO Transmissão

Leia mais

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 Painel para análise de circuitos resistivos CC (Revisão 00) Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 2 Circuitos Série e a Associação Série de Resistores Utilizando as chaves disponíveis

Leia mais

F A. Existe um grande número de equipamentos para a medida de viscosidade de fluidos e que podem ser subdivididos em grupos conforme descrito abaixo:

F A. Existe um grande número de equipamentos para a medida de viscosidade de fluidos e que podem ser subdivididos em grupos conforme descrito abaixo: Laboratório de Medidas de Viscosidade Nome: n turma: Da definição de fluido sabe-se que quando se aplica um esforço tangencial em um elemento de fluido ocorre uma deformação. Considere a situação em que

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

Lista de Exercícios 3ª Série Trabalho, Potência e Energia

Lista de Exercícios 3ª Série Trabalho, Potência e Energia 1) Uma pessoa sobe um lance de escada, com velocidade constante, em 1,0 min. Se a mesma pessoa subisse o mesmo lance, também com velocidade constante em,0 min, ela realizaria um trabalho a) duas vezes

Leia mais

4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais

4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais Ciências Físico-químicas - 7º ano de escolaridade Unidade 4 O MUNDO MATERIAL 4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais - Propriedades físicas e químicas dos materiais - Densidade

Leia mais

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada.

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada. 1. (Uerj 2015) No mapa abaixo, está representada a variação média da temperatura dos oceanos em um determinado mês do ano. Ao lado, encontra-se a escala, em graus Celsius, utilizada para a elaboração do

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples 1. INTRODUÇÃO Um pêndulo é um sistema composto por uma massa acoplada a um pivô que permite sua movimentação livremente. A massa fica sujeita à força restauradora

Leia mais

Questão 1. Como podemos explicar a dilatação dos corpos ao serem aquecidos?

Questão 1. Como podemos explicar a dilatação dos corpos ao serem aquecidos? SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2º TURMA(S):

Leia mais

CONTEÚDO HABILIDADES INSTRUÇÕES

CONTEÚDO HABILIDADES INSTRUÇÕES Prova Oficial de Física 1 Trimestre/2013 Data: Professor: Leandro Nota: Valor : [0,0 5,0] Nome do(a) aluno(a): Nº Turma: 2 M Ciência do responsável: CONTEÚDO Escalas Termométricas; Conversão entre escalas;

Leia mais

NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA I - TURMA 232 PROFº RODRIGO 1º BIMESTRE (VALENDO 2 PONTOS) FAZER EM PAPEL ALMAÇO COM LETRA LEGÍVEL)

NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA I - TURMA 232 PROFº RODRIGO 1º BIMESTRE (VALENDO 2 PONTOS) FAZER EM PAPEL ALMAÇO COM LETRA LEGÍVEL) 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2015 90 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA I - TURMA 232 PROFº RODRIGO 1º BIMESTRE

Leia mais

VERDADES E MENTIRAS. Quem está mentindo e quem está dizendo a verdade. Quantas pessoas estão mentindo e quantas estão dizendo a verdade

VERDADES E MENTIRAS. Quem está mentindo e quem está dizendo a verdade. Quantas pessoas estão mentindo e quantas estão dizendo a verdade VERDADES E MENTIRAS Chamamos de a um tipo específico de questão, cujo enunciado nos apresenta uma situação qualquer, envolvendo normalmente alguns personagens, que irão declarar algo. O ponto principal

Leia mais

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA 1 SOBRE Apanhado de exercícios sobre física térmica selecionados por segrev. O objetivo é que com esses exercícios você esteja preparado para a prova, mas

Leia mais

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados:

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Modelos Atômicos Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Os elétrons giram, ao redor do núcleo, somente em determinadas órbitas permitidas e com energia quantizada. ONDAS ELETROMAGNÉTICAS Os

Leia mais

TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA

TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA TEORIA 6: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA Nome: Turma: Data / / Prof: Walnice Brandão Machado Equações de 2º grau Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação

Leia mais

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases Apostila de Química 01 Estudo dos Gases 1.0 Conceitos Pressão: Número de choques de suas moléculas contra as paredes do recipiente. 1atm = 760mHg = 760torr 105Pa (pascal) = 1bar. Volume 1m³ = 1000L. Temperatura:

Leia mais

ENEM 2013 Resolução de Física Caderno ROSA = 5 40 = 0,125

ENEM 2013 Resolução de Física Caderno ROSA = 5 40 = 0,125 ENEM 203 Resolução de Física Caderno ROSA 47. Alternativa (B) Sendo uma troca de calor, podemos resolver da seguinte orma: Q q Q p m q c T m c T m q.. (70 30) m.. (25 30) m q. 40 m. 5 m q m 5 40 0,25 49.

Leia mais

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22

Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 Introdução à Estatística Estatística Descritiva 22 As tabelas de frequências e os gráficos constituem processos de redução de dados, no entanto, é possível resumir de uma forma mais drástica esses dados

Leia mais

Polinômios. 02) Se. (x 1), então. f(x) (x 2) (x 1) 5ax 2b, com a e b reais, é divisível por a b 1. 04) As raízes da equação

Polinômios. 02) Se. (x 1), então. f(x) (x 2) (x 1) 5ax 2b, com a e b reais, é divisível por a b 1. 04) As raízes da equação Polinômios 1. (Ufsc 015) Em relação à(s) proposição(ões) abaixo, é CORRETO afirmar ue: 01) Se o gráfico abaixo representa a função polinomial f, definida em por f(x) ax bx cx d, com a, b e c coeficientes

Leia mais

ENG1200 Mecânica Geral Lista de Exercícios 1 Equilíbrio da Partícula

ENG1200 Mecânica Geral Lista de Exercícios 1 Equilíbrio da Partícula ENG1200 Mecânica Geral 2013.2 Lista de Exercícios 1 Equilíbrio da Partícula Questão 1 - Prova P1 2013.1 Determine o máximo valor da força P que pode ser aplicada na estrutura abaixo, sabendo que no tripé

Leia mais

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 =

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 = PROVA DE FÍSIA 2º ANO - AUMULATIVA - 1º TRIMESTRE TIPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as seguintes afirmativas. (F) Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem,

Leia mais

Resultado dos recursos contra questões da prova objetiva

Resultado dos recursos contra questões da prova objetiva BIOLOGIA Uma antiga brincadeira consiste em questionar: Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha?. Embora seja baseada em um raciocínio cíclico e retórico, à luz da Biologia, é possível estabelecer uma reposta

Leia mais

FÍSICA. A) 2 J B) 6 J C) 8 J D) 10 J E) Zero. A) 6,2x10 6 metros. B) 4,8x10 1 metros. C) 2,4x10 3 metros. D) 2,1x10 9 metros. E) 4,3x10 6 metros.

FÍSICA. A) 2 J B) 6 J C) 8 J D) 10 J E) Zero. A) 6,2x10 6 metros. B) 4,8x10 1 metros. C) 2,4x10 3 metros. D) 2,1x10 9 metros. E) 4,3x10 6 metros. FÍSICA 16) Numa tempestade, ouve-se o trovão 7,0 segundos após a visualização do relâmpago. Sabendo que a velocidade da luz é de 3,0x10 8 m/s e que a velocidade do som é de 3,4x10 2 m/s, é possível afirmar

Leia mais

Elevador Hidráulico. O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico.

Elevador Hidráulico. O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico. Elevador Hidráulico Objetivo Contexto O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico. Em 1652 um jovem cientista francês Blaise Pascal (1623-1662),

Leia mais

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante.

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante. Setor 2306 Aula 06 Transformações Gasosas em sistemas fechados Complemento. Como vimos em aula, as transformações realizadas em sistemas fechados tem sua quantidade de gás constante. Nessa situação, a

Leia mais

Lei de Coulomb. Página 1 de 9

Lei de Coulomb. Página 1 de 9 1. (Unesp 2015) Em um experimento de eletrostática, um estudante dispunha de três esferas metálicas idênticas, A, B e C, eletrizadas, no ar, com cargas elétricas 5Q, 3Q e 2Q, respectivamente. Utilizando

Leia mais

FÍSICA 9ºano 2º Trimestre / 2016 BATERIA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES

FÍSICA 9ºano 2º Trimestre / 2016 BATERIA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES FÍSICA 9ºano 2º Trimestre / 2016 BATERIA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1. Um atleta deseja percorrer 25 km em 2 h. Por dificuldades encontradas no trajeto, percorre 10 km com a velocidade média de 8 km/h.

Leia mais

Água no feijão, que chegou mais um!

Água no feijão, que chegou mais um! Água no feijão, que chegou mais um! A UU L AL A Sábado! Cristiana passou a manhã toda na cozinha, preparando uma feijoada! Roberto tinha convidado sua vizinha, Maristela, para o almoço. Logo cedo, Cristiana

Leia mais

02)Numa reação endotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a

02)Numa reação endotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a 01)Numa reação exotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a variação de entalpia é [3] que zero. Completa-se corretamente essa frase substituindo-se

Leia mais

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas 1. Introdução Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas O ponto de ebulição normal de uma mistura binária líquida é a temperatura na qual a pressão de vapor total da mistura é igual a 1 atm. Ou seja,

Leia mais

Condução. t x. Grupo de Ensino de Física da Universidade Federal de Santa Maria

Condução. t x. Grupo de Ensino de Física da Universidade Federal de Santa Maria Condução A transferência de energia de um ponto a outro, por efeito de uma diferença de temperatura, pode se dar por condução, convecção e radiação. Condução é o processo de transferência de energia através

Leia mais

JUSPODIVM

JUSPODIVM MATERIAL ETRA COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES DA PROVA AFRF - 2005 31 - Ana quer vender um apartamento por R$ 400.000,00 à vista ou financiado pelo sistema de juros compostos a taxa de 5% ao semestre. Paulo está

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS

TRANSMISSÃO DE DADOS TRANSMISSÃO DE DADOS Aula 2: Dados e sinais Notas de aula do livro: FOROUZAN, B. A., Comunicação de Dados e Redes de Computadores, MCGraw Hill, 4ª edição Prof. Ulisses Cotta Cavalca

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA Progressão Aritmética e Geométrica Progressão Aritmética Uma sucessão de números na qual a diferença entre dois termos consecutivos é constante, é denominada progressão aritmética,

Leia mais

SISTEMA DE UNIDADES A ESTRUTURA DO SISTEMA INTERNACIONAL

SISTEMA DE UNIDADES A ESTRUTURA DO SISTEMA INTERNACIONAL SISTEMA DE UNIDADES INTRODUÇÃO: Um sistema de unidades é caracterizado por um conjunto de unidades e regras que as definam. O sistema internacional de unidades (S.I) possui sete unidades de base e, todas

Leia mais

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL TRLHO D FORÇ ELÉTRIC E ENERGI POTENCIL 1. (OF 006) Um corpo esférico, condutor, oco, de espessura irrelevante e com carga total nula tem um raio R = 50,0 cm e envolve um corpo esférico, a ele concêntrico,

Leia mais

SISTEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU

SISTEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU SISTEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU I INTRODUÇÃO: Os sistemas de equação são ferramentas muito comuns na resolução de problemas em várias áreas ( matemática, química, física, engenharia,...) e aparecem sempre

Leia mais

Cursinho TRIU 22/04/2010. Física Mecânica Aula 1. Cinemática Escalar Exercícios Resolução

Cursinho TRIU 22/04/2010. Física Mecânica Aula 1. Cinemática Escalar Exercícios Resolução Física Mecânica Aula 1 Cinemática Escalar Exercícios Resolução 1. O ônibus movimenta-se com velocidade constante, sem mudar sua trajetória. Então, tanto a lâmpada quanto o passageiro, que estão dentro

Leia mais

Geometria (X 6 ) Português (X 3 ) Álgebra (X 4 )

Geometria (X 6 ) Português (X 3 ) Álgebra (X 4 ) ROTAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DAS COMPONENTES PRINCIPAIS Consideremos o seguinte exemplo (exercício 6): 15 alunos de uma determinada escola foram sujeitos a testes de 6 disciplinas e os resultados obtidos encontram-se

Leia mais

Matéria: Matemática Assunto: Porcentagem Prof. Dudan

Matéria: Matemática Assunto: Porcentagem Prof. Dudan Matéria: Matemática Assunto: Porcentagem Prof. Dudan Matemática Porcentagem DEFINIÇÃO: A percentagem ou porcentagem (do latim per centum, significando por cento, a cada centena ) é uma medida de razão

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II CALORIMETRIA 1 Objetivos Gerais: Determinação da capacidade térmica C c de um calorímetro; Determinação do calor específico de um corpo de prova; *Anote a incerteza dos instrumentos de medida utilizados:

Leia mais

Exercícios de Física Associação de Resistores

Exercícios de Física Associação de Resistores Questão 01 - Dada a associação de resistores abaixo, a resistência equivalente entre os terminais A e B vale: b) 4 A e 250 Ω c) 1 A e 150 Ω d) 5 A e 100 Ω Questão 03 - Calcule a resistência equivalente

Leia mais

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças 1) (UNIGRANRIO) Um veículo de massa 1200kg se desloca sobre uma superfície plana e horizontal. Em um determinado instante passa a ser acelerado uniformemente, sofrendo uma variação de velocidade representada

Leia mais

Editorial Módulo: Física

Editorial Módulo: Física 1. No gráfico a seguir, está representado o comprimento L de duas barras e em função da temperatura θ. Sabendo-se que as retas que representam os comprimentos da barra e da barra são paralelas, pode-se

Leia mais

Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10)

Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10) Matemática Matemática financeira 3 os anos João/Blaidi out/13 Nome: Nº: Turma: Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10) 1. (Fgv 013) Para o consumidor individual, a editora fez esta promoção na compra

Leia mais

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta.

Exercício 3) A formação de cargas elétrica em objetos quotidianos é mais comum em dias secos ou úmidos? Justifique a sua resposta. Exercícios Parte teórica Exercício 1) Uma esfera carregada, chamada A, com uma carga 1q, toca sequencialmente em outras 4 esferas (B, C, D e E) carregadas conforme a figura abaixo. Qual será a carga final

Leia mais

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua).

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Como vimo anteriormente, para que haja fluxo de corrente pelo circuito,

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 01 Disciplina: matemática Prova: desafio nota: QUESTÃO 16 (UNESP) O gráfico a seguir apresenta dados

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 MATEMÁTICA

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA I MATEMÁTICA ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA I MATEMÁTICA ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA I MATEMÁTICA ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO Título do Podcast Área Segmento Duração Razões e proporções Ciências da Natureza I Matemática Ensino

Leia mais

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito,

Leia mais

Substâncias puras e misturas; análise imediata

Substâncias puras e misturas; análise imediata Segmento: Pré-vestibular Resoluções Coleção: Alfa, Beta e Gama Disciplina: Química Volume: 1 Série: 5 Substâncias puras e misturas; análise imediata 1. C Considerando as ilustrações, temos: I. Mistura

Leia mais

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Função do 1 Grau. Rafael Carvalho - Engenharia Civil

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Função do 1 Grau. Rafael Carvalho - Engenharia Civil CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA 06. Função do Grau Rafael Carvalho - Engenharia Civil Equações do primeiro grau Equação é toda sentença matemática aberta que exprime uma relação de igualdade.

Leia mais

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug MATEMÁTICA Professor Diego Viug PORCENTAGEM QUESTÃO 1 Os dados do gráfico foram coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Supondo-se que, no Sudeste, 14900 estudantes foram entrevistados

Leia mais

MATEMÁTICA (11º ano) Exercícios de Exames e Testes Intermédios Funções racionais

MATEMÁTICA (11º ano) Exercícios de Exames e Testes Intermédios Funções racionais MATEMÁTICA (11º ano) Exercícios de Exames e Testes Intermédios Funções racionais 1 Na figura ao lado, está representada, num referencial o.n., parte da hipérbole que é o gráfico de uma função As retas

Leia mais