Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 Destinatário: Notarial Editor. Advogado Militante(s): Rogério Nahas Grijó OAB/SP Objeto: Parecer sobre o Provimento 34/2013 do Conselho Nacional de Justiça e suas implicações nas rotinas dos Notários e Registradores Paulistas. 1 SOBRE O PROVIMENTO 34 CNJ Trata-se de ato administrativo do CNJ que Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial de notas e de registro e dá outras providências. Obrigação que teve sua vigência iniciada em 12 de agosto de 2013 (em função do Provimento 35/2013 CNJ) trata-se de ato que visa aumentar a transparência e criar regras para a fiscalização das receitas e despesas das serventias. Referido livro serviria para que eventual descontrole financeiro não coloque em risco a regular prestação do serviço público, assim como para permitir o exercício das atividades de regulamentação e de fiscalização que abrange a verificação da regular arrecadação e destinação de parcelas de emolumentos que na forma das diferentes legislações estaduais são destinadas ao Tribunal de Justiça, ao Estado, ao Distrito Federal ou outras entidades de direito público, e a Fundos de Renda Mínima e de Reembolso de Atos Gratuitos. Além do mais, a fiscalização da prestação do serviço extrajudicial de notas e de registro abrange a verificação do regular cumprimento das obrigações tributárias a que estão sujeitos os titulares e os responsáveis interinamente por delegações vagas, inclusive no que tange ao lançamento de valores que compõem as bases de cálculo do Imposto de Renda (IR) e do Imposto Sobre Serviços (ISS). Desta forma, o Livro Diário Auxiliar também servirá como mais um elemento de fiscalização colocado de forma obrigatória ao contribuinte, embora se alegue que tal livro não terá caráter de obrigação acessória tributária. 1

2 Embora não conste nenhuma penalidade pela ausência de manutenção do Livro Diário Auxiliar ou pela Escrituração tida como incorreta. Certamente a ausência de tais livros acarretará sanção ao Notário ou Registrador. Inobstante a existência de Livros Contábeis que claramente demonstram toda a movimentação da serventia, com a possibilidade de verificação dos valores percebidos pelos Titulares e pelos Designados, criou-se outro Livro Contábil para facilitar a apuração de haveres e a verificação de eventuais prejuízos que possam colocar em risco a prestação dos serviços delegados. No mais, é o antigo problema da transferência da fiscalização ao próprio contribuinte. Entendemos que o maior problema será com relação aos cartórios deficitários, que além de todas as responsabilidades e obrigações acessórias terão ainda outra para minimizar a sua renda, pois tudo custa dinheiro e tempo. Claro está que as declarações a serem prestadas, a princípio não trazem nenhuma consequência brusca e radical à continuidade dos serviços, uma vez que os atos declarados praticamente já constam dos outros livros contábeis obrigatoriamente mantidos pelas serventias. De outra sorte, fazendo uma analise minuciosa do Provimento 34/2013 CNJ e as Normas da Corregedoria Geral da Justiça de São Paulo, vimos que o Provimento Federal COPIOU as disposições a que os Notários e Registradores Paulistas se submetem, senão vejamos: Provimento 34 - CNJ Normas de Serviço CGJ/SP Art. 1º Os serviços notariais e de registro Art. 44 Os serviços notariais e de registro prestados mediante delegação do Poder Público a particulares, ainda que sob a respon- a) Registro Diário da Receita e da Despe- possuirão os seguintes livros: sabilidade de interinos, possuirão Livro de sa; Registro Diário Auxiliar da Receita e da Despesa. Art. 2º Os responsáveis por unidades cujos Art Os notários e registradores cujos serviços admitam o depósito prévio de emolumentos manterão, separadamente, Livro de lumentos possuirão, ainda, o Livro de Con- serviços admitam o depósito prévio de emo- Controle de Depósito Prévio. trole de Depósito Prévio. 2

3 Art. 4º A responsabilidade pela escrituração Art. 49 A responsabilidade pela escrituração do Livro Diário Auxiliar e do Livro de Controle de Depósito Prévio é direta do notário Despesa é direta do notário ou registrador, do livro Registro Diário da Receita e da ou registrador, ou do responsável interinamente pela unidade vaga, mesmo quando mesmo quando escriturado por seu preposto. escriturado por seu preposto. Art. 5º O Livro Diário Auxiliar poderá ser Art O livro de que trata o item anterior impresso e encadernado em folhas soltas, as poderá ser impresso e encadernado em folhas quais serão divididas em colunas para anotação da data e do histórico da receita ou da para anotação da data, do histórico, da receita soltas, as quais serão divididas em colunas despesa, obedecido o modelo usual para a ou da despesa, obedecido o modelo usual, em forma contábil. forma contábil. Art. 6º O histórico dos lançamentos será sucinto, mas deverá identificar, sempre, o ato cinto, mas deverá permitir, sempre, a identifi- Art. 50 O histórico dos lançamentos será su- que ensejou a cobrança de emolumentos ou a cação do ato que ensejou a cobrança ou a natureza da despesa. natureza da despesa. 1º Os lançamentos compreenderão apenas Art. 51 Os lançamentos compreenderão apenas os emolumentos percebidos como receita os emolumentos percebidos como receita do notário ou registrador, ou recebidos pelo responsável por unidade vaga, pelos atos pratidos de acordo com a lei e com a tabela de do notário ou registrador pelos atos praticacados de acordo com a lei e com a tabela de emolumentos, não devendo ser incluídas a emolumentos, excluídas a parcela de emolumentos, a taxa de fiscalização, o selo ou ou- Carteira das Serventias não Oficializadas, as receita devida ao Estado, a contribuição à tro valor que constituir receita devida ao Estado, ao Distrito Federal, ao Tribunal de Justos praticados pelos Oficiais de Registro Civil partes destinadas ao custeio dos atos gratuitiça, a outras entidades de direito, e aos fundos de renda mínima e de custeio de atos grasas Especiais do Tribunal de Justiça, bem das Pessoas Naturais e ao Fundo de Despetuitos, conforme previsão legal específica. como outras quantias recebidas em depósito para a prática futura de atos. Art 6, 3º Serão lançadas separadamente, de Art. 54 Serão lançadas separadamente, de forma individualizada, as receitas oriundas da forma individualizada, as receitas oriundas da prestação dos serviços de diferentes especia- prestação de serviços de diferentes especiali- lidades. dades. 3

4 Art. 9º A despesa será lançada no dia em que se efetivar. Art. 10 Admite-se apenas o lançamento das despesas relacionadas à serventia notarial e de registro. Art. 11 Ao final do mês, serão somadas a receita e a despesa, apurando-se separadamente a renda líquida ou o déficit de cada unidade de serviço notarial e de registro. Art. 12 Ao final do ano, será feito o balanço, indicando-se a receita, a despesa e o líquido mês a mês, apurando-se, em seguida, a renda líquida ou o déficit de cada unidade de serviço notarial e de registro no exercício. Art. 13 Anualmente, até o décimo dia útil do mês de fevereiro, o Livro Diário Auxiliar será visado pelo Juiz Corregedor Permanente, que determinará, sendo o caso, as glosas necessárias, podendo, ainda, ordenar sua apresentação sempre que entender conveniente. Art. 14 Sem prejuízo do Livro Diário Auxiliar, e obedecida a legislação específica, poderá ser adotado outro livro contábil para fins de recolhimento do Imposto de Renda (IR), bem como do Imposto Sobre Serviços (ISS) se assim for exigido. Art. 57 A despesa será lançada no dia em que se efetivar. Art Admite-se apenas o lançamento das despesas relacionadas com a serventia notarial e de registro, sem restrição. Art. 58 Ao final do mês, serão somadas a receita e a despesa, apurando-se separadamente a renda líquida ou o déficit de cada unidade de serviço notarial e de registro. Art. 59 Ao final do ano, será feito o balanço, indicando-se a receita, a despesa e o líquido mês a mês, apurando-se, em seguida, a renda líquida ou o déficit de cada unidade de serviço notarial e de registro no exercício. Art. 60 Anualmente, até o décimo dia útil do mês de fevereiro, o Diário será visado pelo Juiz Corregedor Permanente, que determinará, sendo o caso, as glosas necessárias, podendo determinar sua apresentação sempre que entender conveniente. Art. 61 Sem prejuízo do livro Registro Diário da Receita e da Despesa, pode-se adotar outro livro contábil para fins de recolhimento do imposto sobre a renda, obedecida a legislação específica. 2 Livro Diário Auxiliar (CNJ) X Livro Diário (CGJ/TJSP) Se os livros são idênticos, devo trocar a denominação do meu livro e passar a escriturar apenas o do CNJ? NÃO! Determina o artigo 15 do Provimento 34/2013, que: Este Provimento não revoga as normas editadas pelas Corregedorias Gerais da Justiça e 4

5 pelos Juízes Corregedores, ou Juízes competentes na forma da organização local, para a escrituração de Livro Diário, Livro Diário Auxiliar, ou Livro Contábil, no que forem compatíveis. Entendemos que a escrita dos dois livros é idêntica, porem, recomendamos a impressão de ambos de forma autônoma, alterando-se a denominação até que a CGJ/SP, altere as normas de serviços de forma a adequá-la a denominação utilizada pelo CNJ, órgão superior. 3 O QUE HÁ DE NOVO NO PROVIMENTO 34/ CNJ Determina em seu artigo 11, e parágrafos que os responsáveis interinamente por delegações vagas de notas e de registro lançarão no Livro Diário Auxiliar o valor da renda líquida excedente a 90,25% dos subsídios de Ministro do Supremo Tribunal Federal que depositarem à disposição do Tribunal de Justiça, indicando a data do depósito e a conta em que realizado, observadas as normas editadas pelo respectivo Tribunal para esse depósito. Para apuração do valor excedente a 90,25% dos subsídios de Ministro do Supremo Tribunal Federal que deverá ser depositado à disposição do Tribunal de Justiça será abatida, como despesa do responsável interinamente pela unidade vaga, a quantia que for paga a título de Imposto Sobre Serviços (ISS), observada a legislação municipal específica. Nos prazos previstos no art. 2º do Provimento nº 24 desta Corregedoria Nacional de Justiça, os responsáveis interinamente pelas unidades vagas lançarão no sistema "Justiça Aberta", em campos específicos criados para essa finalidade, os valores que, nos termos do parágrafo anterior, depositarem mensalmente na conta indicada pelo respectivo Tribunal de Justiça. 4 LIVRO CAIXA CARNÊ LEÃO Ambas as citadas legislações abrem espaço para a apuração do Imposto de Renda em livro próprio, em consonância a legislação Federal, sobre o assunto. Recomendamos que além do registro de receitas de despesas do cartório, nos livros 5

6 Diário e Diário Auxiliar, seja realizado controle fiscal via software carnê leão, disponibilizado pela Receita Federal, ou outro controle equivalente, levando em consideração o CPF do tabelião. Sugerimos a leitura de: Leao-Edicao-Extra.pdf. 5 CORREIÇÃO Sugerimos adotar e regularizar o Livro Diário Auxiliar do CNJ, com data retroativa de 12 de agosto de 2013, pois o mesmo será exigido nas Correições. Acesse o material de apoio em: Procedimentos-Correicao.pdf. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Para não dizer que NADA mudou, mudou o nome do Livro. Para os Registradores e Notários Paulistas, o Provimento 34/2013 CNJ, trata-se de mais uma obrigação pro forma, pois já exista a obrigação pelas Normas de Serviço da Corregedoria, conforme demonstramos. Cabe ressaltar que existem empresas que estão se aproveitando desse momento de incerteza e dúvida para oferecerem pacotes de serviços milagrosos, porem DESNECESSÁRIOS. Entendemos que pequenos ajustes nos softwares utilizados para a escrita do Livro Diário os farão emitir também o Diário Auxiliar CNJ. ROGÉRIO NAHAS GRIJÓ OAB n /SP 6

PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ

PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial

Leia mais

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO NOTARIAL E DE REGISTRO NATAL - RN O SISTEMA TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AOS SERVIÇOS DE NOTAS E REGISTROS PÚBLICOS

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO NOTARIAL E DE REGISTRO NATAL - RN O SISTEMA TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AOS SERVIÇOS DE NOTAS E REGISTROS PÚBLICOS XV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO NOTARIAL E DE REGISTRO NATAL - RN O SISTEMA TRIBUTÁRIO APLICÁVEL AOS SERVIÇOS DE NOTAS E REGISTROS PÚBLICOS PAINEL TRIBUTÁRIO Rubens Harumy Kamoi rubens@gruposerac.com.br

Leia mais

Os recentes Provimentos do CNJ relativos ao Registro de Imóveis

Os recentes Provimentos do CNJ relativos ao Registro de Imóveis Os recentes Provimentos do CNJ relativos ao Registro de Imóveis Vander Zambeli Vale Oficial do Registro de Imóveis da Comarca de Betim Compete ao CNJ : CRIAÇÃO DO CNJ PELA EMENDA 45/2004 COMPETÊNCIA REGULAMENTAR

Leia mais

LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA!

LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA! LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA! Por Daniel Lago Rodrigues Curso de Iniciação nas Atividades Registrais Imobiliárias Escola Nacional de Registradores - IRIB 03 de junho ee 2017 EMOLUMENTOS O QUE SÃO COMPOSIÇÃO

Leia mais

LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA!

LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA! LIVRO DIÁRIO &! LIVRO CAIXA! Por Daniel Lago Rodrigues Curso de Iniciação nas Atividades Registrais Imobiliárias Escola Nacional de Registradores - IRIB 15 de maio de 2017 EMOLUMENTOS O QUE SÃO COMPOSIÇÃO

Leia mais

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais;

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais; PROVIMENTO Nº 34 Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial de notas

Leia mais

BEM-VINDO a mais um Curso

BEM-VINDO a mais um Curso BEM-VINDO a mais um Curso TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL Impostos Municipais: Noções Essenciais Professor Instrutor: JANETE PROBST MUNHOZ Receita e renuncia de Receita RECEITA IMPOSTO SOBRE PROPRIEDADE PREDIAL E

Leia mais

AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A Associação dos Notários e Registradores do Estado do Rio Grande do Sul, integrada pelo

Leia mais

PROVIMENTO Nº 017/2014-CGJ

PROVIMENTO Nº 017/2014-CGJ Processo nº 0010-13/000964-1 PROVIMENTO Nº 017/2014-CGJ Dispõe sobre a emissão de Certidão Eletrônica pela a Central de Buscas e informações do Registro Civil de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul CRC

Leia mais

Aspectos tributários da usucapião extrajudicial. Antonio Herance Filho

Aspectos tributários da usucapião extrajudicial. Antonio Herance Filho Aspectos tributários da usucapião extrajudicial Antonio Herance Filho herance@inrpublicacoes.com.br www.inrpublicacoes.com.br 2 Edições diárias Boletim Eletrônico INR Classificadores INR Base de Dados

Leia mais

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA PROTESTO. Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável:

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA PROTESTO. Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA PROTESTO Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: CABEÇALHO Data da correição: Horário da

Leia mais

o DESEMBARGADOR Luís DE MACEDO,

o DESEMBARGADOR Luís DE MACEDO, PROVIMENTO N 8/2000 Acrescenta o subitem 57.6., e altera a redação dos subitens 57.4. e 57.5., do Capítulo XIII; acrescenta os subítens 3.5.. 3.6., 3.7. e 3.8., e a letra "i". do item 11., e altera a redação

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG Nota 07/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências...

Leia mais

Parágrafo único - Os serviços notariais e de registro manterão a tabela de emolumentos de seus atos afixada à vista do público.

Parágrafo único - Os serviços notariais e de registro manterão a tabela de emolumentos de seus atos afixada à vista do público. Dispõe sobre os emolumentos dos serviços notariais e de registro, cria o Selo Digital de Fiscalização Notarial e Registral, institui o Fundo Notarial e Registral e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

PROCEDIMENTOS DO SUBSTITUÍDO (COMPRADOR) Nota Fiscal

PROCEDIMENTOS DO SUBSTITUÍDO (COMPRADOR) Nota Fiscal As normas básicas de escrituração, relativas ao regime de substituição tributária, se encontram respaldadas no Ajuste SINIEF 04/1993 e alterações posteriores. PROCEDIMENTOS DO SUBSTITUÍDO (COMPRADOR) Nota

Leia mais

TABELA 2008 Registro de Imóveis

TABELA 2008 Registro de Imóveis TABELA 2008 Registro de Imóveis Lei Estadual 11.331/02 2008 - Ufesp = R$ 14,88 1. Registro com valor declarado a Mais de até 893,00 60,44 17,19 12,72 3,18 3,18 96,71 b 893,00 até 2.231,00 96,99 27,58 20,42

Leia mais

DECRETO N.º DE 11 DE MAIO DE 2010.

DECRETO N.º DE 11 DE MAIO DE 2010. DECRETO N.º 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica- NFS-e - NOTA CARIOCA - e dá outras providências. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

1. Retirada de pró-labore: Escrituração no livro-diário e GFIP com comprovação de sua transmissão.

1. Retirada de pró-labore: Escrituração no livro-diário e GFIP com comprovação de sua transmissão. ANEXO II RESOLUÇÃO CFC N.º 1.364/2011 RELAÇÃO RESTRITA DOS DOCUMENTOS QUE SERVEM PARA FUNDAMENTAÇÃO DA EMISSÃO DA DECORE, DE ACORDO COM A NATUREZA DE CADA RENDIMENTO Quando o rendimento for proveniente

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 200/2009 Poder Judiciário

PROJETO DE LEI Nº 200/2009 Poder Judiciário DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, sexta-feira, 15 de março de 2013. PRO 1 Poder Judiciário Altera a redação do artigo 19 da Lei nº 12.692, de 29 de dezembro de 2006. Art. 1º O artigo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 22/2008

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 22/2008 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 22/2008 EMENTA. Disciplina a investidura nos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Pernambuco e dá outras providências.

Leia mais

Dispõe sobre a outorga, mediante delegação a particulares, dos serviços notariais e de registros no Estado da Bahia e dá outras providências.

Dispõe sobre a outorga, mediante delegação a particulares, dos serviços notariais e de registros no Estado da Bahia e dá outras providências. LEI Nº 12.352 DE 08 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a outorga, mediante delegação a particulares, dos serviços notariais e de registros no Estado da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Manual de Plano de Contas do LALUR

Manual de Plano de Contas do LALUR Manual de Plano de Contas do LALUR Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que possa usufruir ao máximo

Leia mais

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA PROTESTO Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: Data da correição: Horário da correição:

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Livros Empresariais e Fiscais Parte 2. Prof. Cláudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Livros Empresariais e Fiscais Parte 2. Prof. Cláudio Alves CONTABILIDADE GERAL Noções Gerais Livros Empresariais e Fiscais Parte 2 Prof. Cláudio Alves LIVRO DE REGISTRO DE DUPLICATAS No livro de Registro de Duplicatas, registram-se as vendas em prazos superiores

Leia mais

O ISS NOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS PÚBLICOS

O ISS NOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS PÚBLICOS O ISS NOS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS PÚBLICOS O QUE SÃO SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTROS PÚBLICOS? Art. 236 - CF/88 - Os serviços notariais e de registro são exercidos em caráter privado, por delegação

Leia mais

PEDIDO DE PROVIDÊNCIA 45/ Vistos.

PEDIDO DE PROVIDÊNCIA 45/ Vistos. PEDIDO DE PROVIDÊNCIA 45/2013 0013767-74.2013.8.11.0000 Vistos. Trata-se de pedido de providências formulado pela Presidente do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil Seção Mato Grosso (IEPTBMT)

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Demonstrações Contábeis Análise das DCASP Parte 1 Prof. Cláudio Alves A análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público constitui-se num processo de meditação sobre

Leia mais

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO SEÇÃO DE LEGISLAÇÃO DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014.

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO SEÇÃO DE LEGISLAÇÃO DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014. DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014. Dá nova regulamentação ao gerenciamento eletrônico do ISSQN - Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, a Escrituração Econômico-Fiscal e a emissão de Documento

Leia mais

operação de crédito estará proibida no último ano de mandato do Presidente, Governador ou Prefeito Municipal.)

operação de crédito estará proibida no último ano de mandato do Presidente, Governador ou Prefeito Municipal.) DIREITO FINANCEIRO Fiscalização, Controle Interno e Externo da Execução Orçamentária e Tribunal de Contas Parte - 2 Prof. Thamiris Felizardo c) do cumprimento do disposto no inciso II e na alínea b do

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

Lei Estadual nº /2011

Lei Estadual nº /2011 Lei Estadual nº 12.352/2011 LEI Nº 12.352 DE 08 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a outorga, mediante delegação a particulares, dos serviços notariais e de registros no Estado da Bahia e dá outras providências.

Leia mais

Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ

Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ Ofício Colégio Registral - Convenção da Apostila Belo Horizonte, 23/09/2016 Srs. Usuários dos Serviços Notariais e de Registro de Minas Gerais REF: CONVENÇÃO DA APOSTILA E RESOLUÇÃO Nº 228/CNJ O Colégio

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO. A Receita Pública. Fundos Públicos Financeiros (de participação e de destinação) Prof. Thamiris Felizardo

DIREITO FINANCEIRO. A Receita Pública. Fundos Públicos Financeiros (de participação e de destinação) Prof. Thamiris Felizardo DIREITO FINANCEIRO A Receita Pública Prof. Thamiris Felizardo -FUNDOS PÚBLICOS Fundos: consistem na individualização dos recursos e na sua vinculação a uma área especifica. -CONCEITO: Dentre as suas diversas

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Demonstração do Resultado do Exercício. Lucro Real, Presumido e Arbitrado Parte 3. Prof. Cláudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Demonstração do Resultado do Exercício. Lucro Real, Presumido e Arbitrado Parte 3. Prof. Cláudio Alves CONTABILIDADE GERAL Demonstração do Resultado do Exercício Lucro Real, Presumido e Arbitrado Parte 3 Prof. Cláudio Alves LUCRO PRESUMIDO É uma modalidade optativa de apurar o lucro e, conseqüentemente,

Leia mais

Tabela 11 REGISTRO DE IMÓVEIS

Tabela 11 REGISTRO DE IMÓVEIS ~no[~gsp Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo Rua Quintino Bocaiúva, n0107-8 andar - CEP 01004-010 - São Paulo - SP. Telefax: (11) 3105-8767 / 3106-3176 / 3478-234 www.anoregsp.org.br

Leia mais

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS Tabela elaborada sob responsabilidade do IEPTB-SP. Lei 11.331, de 26 de dezembro de 2002, publicada no DOE-SP em 27 de dezembro de 2002. Decreto 47.589,

Leia mais

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Diogo José Mendes Tenório Auditor Fiscal de Tributos Municipais Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Conforme: Lei Complementar 123/2006; Resolução do CGSN nº 94/2011 O que será abordado?

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UBAITABA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UBAITABA DECRETO Nº 257/2011 Regulamenta os procedimentos para Escrituração Fiscal e estabelece obrigatoriedade de emissão de Nota Fiscal Eletrônica de ISSQN Imposto Sobres Serviços de Qualquer Natureza. ALEXANDRE

Leia mais

Valor da Faixa E: do valor de: R$ ,01 até o valor de: R$ ,00 ao Oficial: R$ 240,94. ao Estado: R$ 68,48. ao Ipesp: R$ 46,87. ao Registro C

Valor da Faixa E: do valor de: R$ ,01 até o valor de: R$ ,00 ao Oficial: R$ 240,94. ao Estado: R$ 68,48. ao Ipesp: R$ 46,87. ao Registro C TABELA 3. DOS OFICIAIS DE REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS. Tabela elaborada sob responsabilidade do Instituto de Registro de Títulos e Documentos e Registro Civil de Pessoa

Leia mais

O PROVIMENTO 65 DO CNJ: O RECONHECIMENTO DE QUE A ATA NOTARIAL PARA FINS DE USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL SEMPRE TEVE CONTEÚDO FINANCEIRO

O PROVIMENTO 65 DO CNJ: O RECONHECIMENTO DE QUE A ATA NOTARIAL PARA FINS DE USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL SEMPRE TEVE CONTEÚDO FINANCEIRO O PROVIMENTO 65 DO CNJ: O RECONHECIMENTO DE QUE A ATA NOTARIAL PARA FINS DE USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL SEMPRE TEVE CONTEÚDO FINANCEIRO Letícia Franco Maculan Assumpção* Introdução Em 18 de novembro de 2015,

Leia mais

B D anco ados. Recepção de Boas Vindas aos aprovados no 9º Concurso de Provas e Títulos para Outorga de Delegações no Estado de São Paulo

B D anco ados. Recepção de Boas Vindas aos aprovados no 9º Concurso de Provas e Títulos para Outorga de Delegações no Estado de São Paulo Recepção de Boas Vindas aos aprovados no 9º Concurso de Provas e Títulos para Outorga de Delegações no Estado de São Paulo C R A - S P Ce nt ral de Re me ssa de Arquivos Ce nt ral de Re me ssa de Arquivos

Leia mais

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: CABEÇALHO Data da correição:

Leia mais

Carnê leão Obrigatoriedade Pessoa Física

Carnê leão Obrigatoriedade Pessoa Física Carnê leão Obrigatoriedade Pessoa Física Se você é autônomo, ou recebe rendimentos vindos de pessoas físicas é fundamental se informar sobre o Carnê leão, um imposto mensal obrigatório extremamente importante.

Leia mais

CNJ - Prov. n. 72/18 - Dispõe sobre medidas de incentivo à quitação ou à renegociação de dívidas protestadas PROVIMENTO N. 72, DE 27 DE JUNHO DE 2018.

CNJ - Prov. n. 72/18 - Dispõe sobre medidas de incentivo à quitação ou à renegociação de dívidas protestadas PROVIMENTO N. 72, DE 27 DE JUNHO DE 2018. CNJ - Prov. n. 72/18 - Dispõe sobre medidas de incentivo à quitação ou à renegociação de dívidas protestadas PROVIMENTO N. 72, DE 27 DE JUNHO DE 2018. Dispõe sobre medidas de incentivo à quitação ou à

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM, Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais,

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM, Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais, Decreto N 1041 de 14 de maio de 2014 EMENTA: REGULAMENTA A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DO IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS - DEISS, INSTITUÍDA PELO ART. 01 DA LEI MUNICIPAL N 812 de 12 de maio de 2014. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

A Contabilidade no Registro Civil Um Panorama Geral

A Contabilidade no Registro Civil Um Panorama Geral A Contabilidade no Registro Civil Um Panorama Geral João Pessoa/PB, 16.09.2008 Antonio Herance Filho herance@gruposerac.com.br (11) 2959.0220 A Contabilidade no Registro Civil Explicando o tema... O Oficial

Leia mais

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA

REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PARA PROTESTO Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: Data da correição: Horário da correição:

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 53, DE 14 DE OUTUBRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 53, DE 14 DE OUTUBRO DE 2016 INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 53, DE 14 DE OUTUBRO DE 2016 *Publicado no DOE em 17/10/2016. ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS RELACIONADOS À OPERACIONALIZAÇÃO DA ARRECADAÇÃO DOS VALORES RELATIVOS AO FUNDO ESTADUAL

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO

PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO Responsabilidade Tributária Art. 138 A responsabilidade é excluída pela denúncia espontânea da infração, acompanhada, se for o caso, do pagamento do tributo

Leia mais

TABELIONATO DE PROTESTO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE DÍVIDA. Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia:

TABELIONATO DE PROTESTO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE DÍVIDA. Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: TABELIONATO DE PROTESTO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE DÍVIDA Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: Data da correição: Horário da correição:

Leia mais

CAPÍTULO 8 LIVROS CONTÁBEIS

CAPÍTULO 8 LIVROS CONTÁBEIS CONTABILIDADE GERAL Prof. Régio Ferreira 1 2 CAPÍTULO 8 LIVROS CONTÁBEIS OBJETIVOS: Ao final deste capítulo, o aluno terá condições de: Conhecer os livros obrigatórios exigidos pela legislação; Escriturar

Leia mais

1. Quem pode direcionar parte do Imposto de Renda? 2. Qual é o limite máximo possível de redirecionamento de meu IR sem que eu tenha custo?

1. Quem pode direcionar parte do Imposto de Renda? 2. Qual é o limite máximo possível de redirecionamento de meu IR sem que eu tenha custo? 1. Quem pode direcionar parte do Imposto de Renda? Que façam declaração do Imposto de Renda por formulário completo. O cálculo é feito com base no valor do Imposto de Renda Devido, seja ele a pagar ou

Leia mais

GABARITO DIREITO Tributário Professor Fabrício Magalhães

GABARITO DIREITO Tributário Professor Fabrício Magalhães GABARITO DIREITO Tributário Professor Fabrício Magalhães 1. Qual a função da prescrição no Direito Tributário? Elemento indispensável à estabilidade e consolidação das relações jurídicas ocorridas em sociedade,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP 13/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

CARTÓRIO ON-LINE. A peça que faltava no quebra-cabeça da Arrecadação Municipal.

CARTÓRIO ON-LINE. A peça que faltava no quebra-cabeça da Arrecadação Municipal. CARTÓRIO ON-LINE CARTÓRIO ON-LINE A peça que faltava no quebra-cabeça da Arrecadação Municipal. CARTÓRIO ON-LINE O IBRAPE já disponibiliza para seus clientes um completo sistema de gerenciamento das atividades

Leia mais

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015.

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Designação da Juíza Soníria Rocha Campos D?Assunção, para exercer a Coordenação do Programa Nacional de Governança Diferenciada das Execuções Fiscais,

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 DOU de 17.10.2011 Dispõe sobre procedimentos fiscais dispensados aos consórcios constituídos nos termos dos arts. 278 e 279 da Lei nº 6.404, de

Leia mais

PROVIMENTO Nº 036/2018-CGJ

PROVIMENTO Nº 036/2018-CGJ PROVIMENTO Nº 036/2018-CGJ DISPONIBILIZADO NO DJE Nº 6.378, PÁG. 28, DE 29/10/2018 Expediente nº 8.2018.0010/002685-6 ALTERA A REDAÇÃO DE ARTIGOS DA CONSOLIDAÇÃO NORMATIVA NOTARIAL E REGISTRAL RELATIVOS

Leia mais

LEI Nº1972, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2007.

LEI Nº1972, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2007. LEI Nº1972, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2007. Institui O Gerenciamento Eletrônico Do ISSQN, Imposto Sobre Serviços De Qualquer Natureza, A Escrituração Econômico- Fiscal E A Emissão De Guia De Recolhimento Por

Leia mais

Tabela II. Registro de Imóveis

Tabela II. Registro de Imóveis G~~ Tabela II Registro de Imóveis Em vigor a partir de 6 de janeiro de 2006. Lei 11.331, de 26 de dezembro de 2002, publicada no DOE-SP em 27 de dezembro de 2002. Decreto 47.589, de 14 de janeiro de 2003,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal DECRETO Nº 4.986, DE 19 DE JULHO DE 2.007, com as alterações do Decreto Nº 5.027, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. Disposições relativas às Declarações Eletrônicas de serviços prestados e tomados CAPÍTULO IV

Leia mais

A CONVENÇÃO DA APOSTILA

A CONVENÇÃO DA APOSTILA A CONVENÇÃO DA APOSTILA A Convenção da Haia de 05 de outubro de 1961, sobre a Eliminação da Exigência da Legalização de Documentos Públicos Estrangeiros (também conhecida como Convenção da Apostila) é

Leia mais

Comissão de Estudos de Organizações Contábeis do CRCRS. Sped Responsabilidades do Profissional da Contabilidade ou do Empresário?

Comissão de Estudos de Organizações Contábeis do CRCRS. Sped Responsabilidades do Profissional da Contabilidade ou do Empresário? Sped Responsabilidades do Profissional da Contabilidade ou do Empresário? A RESPONSABILIDADE É PRIMEIRAMENTE DO EMPRESÁRIO / CLIENTE / CONTRATANTE. No código Civil ela está prevista no Art. 932 Principais

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL PODER JUDICIÁRIO MALOTE DIGITAL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL PODER JUDICIÁRIO MALOTE DIGITAL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL PODER JUDICIÁRIO MALOTE DIGITAL Tipo de documento: Administrativo Código de rastreabilidade: 81320185580283 Nome original: SEI_0050125_42.2017.8.13.0000 todos os RCPN.pdf

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE VALE DO SOL,

O PREFEITO MUNICIPAL DE VALE DO SOL, Lei Complementar n.º 37/2016 De 27 de junho de 2016. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e a Declaração Eletrônica de Serviços das Instituições Financeiras (DES-IF), nos termos que especifica.

Leia mais

Limites da Responsabilidade do Contabilista. Aspectos tributários

Limites da Responsabilidade do Contabilista. Aspectos tributários Limites da Responsabilidade do Contabilista Aspectos tributários Responsabilidade/Legislação Código Civil CTN DE 9.295/46 (Lei Orgânica Profissional Contábil) Resoluções do CFC Lei 6.404/76 Lei 8.218/91

Leia mais

PROVIMENTO nº 53/2008-CGJ

PROVIMENTO nº 53/2008-CGJ PROVIMENTO nº 53/2008-CGJ Cuida da implantação do Selo de Controle Digital nos atos praticados pelos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Mato Grosso. O Excelentíssimo Senhor Desembargador ORLANDO

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 07, ANO IV JULHO DE 2012 1 RECEITA FEDERAL CRIA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA TRANSAÇÕES COM ESTRANGEIROS Receita Federal edita Instrução Normativa

Leia mais

Limites da Responsabilidade do Contabilista. Aspectos tributários

Limites da Responsabilidade do Contabilista. Aspectos tributários Limites da Responsabilidade do Contabilista Aspectos tributários Responsabilidade/Legislação Código Civil CTN DE 9.295/46 (Lei Orgânica Profissional Contábil) Resoluções do CFC Lei 6.404/76 Lei 8.218/91

Leia mais

EMISSÃO E ESCRITURAÇÃO DOS DOCUMENTOS FISCAIS DE PRODUTOS SUJEITOS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PELO CONTRIBUINTE SUBSTITUTO

EMISSÃO E ESCRITURAÇÃO DOS DOCUMENTOS FISCAIS DE PRODUTOS SUJEITOS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PELO CONTRIBUINTE SUBSTITUTO EMISSÃO E ESCRITURAÇÃO DOS DOCUMENTOS FISCAIS DE PRODUTOS SUJEITOS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PELO CONTRIBUINTE SUBSTITUTO Matéria Elaborada com base na legislação vigente em 02.08.2010. SUMÁRIO:

Leia mais

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017.

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. REGULAMENTA O ARTIGO 303 DA LEI COMPLEMENTAR Nº110, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2003, QUE ESTABELECEU O CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL. O Prefeito do Município de Rio

Leia mais

ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos

ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos ICMS. Arbitramento. A fiscalização deve apurar o montante devido no lançamento tributário com o abatimento dos créditos ainda que não declarados em GIA? Paulo Campilongo Mestre e doutor PUC/SP ALTERNATIVAS

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Livros Empresariais e Fiscais Parte 1. Prof. Cláudio Alves

CONTABILIDADE GERAL. Noções Gerais. Livros Empresariais e Fiscais Parte 1. Prof. Cláudio Alves CONTABILIDADE GERAL Noções Gerais Livros Empresariais e Fiscais Parte 1 Prof. Cláudio Alves Fiscais:Vários Diário Livros Utilizados Pela Contabilidade. Leis Finalidade: Obrigatórios Lei S/A: Vários Novo

Leia mais

11/01/ :54 Tabela E de Protesto Interior - ISS 3%25-emol. do tabelião Plan1 1

11/01/ :54 Tabela E de Protesto Interior - ISS 3%25-emol. do tabelião Plan1 1 TABELA IV DOS TABELIONATOS DE ROTESTO DE TÍTULOS Discriminação Ao Ao À Cart.da Custeio do Tribunal de Ministério Contr.Solid. Imposto ao Item Tabelião Estado revidêncireg. Civil Justiça úblico Sta.Casa

Leia mais

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: Data da correição: Horário

Leia mais

Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003)

Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003) EVOLUÇÃO Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003) Art. 37 da Constituição Federal... XXII as administrações tributárias da União dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,... e autuarão de forma

Leia mais

TABELA DE EMOLUMENTOS 2016 CARTÓRIOS DE PROTESTO DO ESTADO DE SÃO PAULO

TABELA DE EMOLUMENTOS 2016 CARTÓRIOS DE PROTESTO DO ESTADO DE SÃO PAULO ATENÇÃO: AOS EMOLUMENTOS DA TABELA ACRESCER OS VALORES REFERENTES AO IMPOSTO MUNICIPAL, SEGUNDO A LEGISLAÇÃO DE CADA MUNICÍPIO, BEM COMO ACRESCER O VALOR RELATIVO ÀS INTIMAÇÕES Item 1: Item Pelo acolhimento

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO Aula Ministrada pelo Prof. Pedro Bonifácio 30/11/2017

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO Aula Ministrada pelo Prof. Pedro Bonifácio 30/11/2017 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO - 03 Aula Ministrada pelo Prof. Pedro Bonifácio 30/11/2017 E-mail: tributario@legale.com.br AULA 25 Responsabilidade Tributária RESPONSABILIDADES Sucessão Pessoal

Leia mais

DESPACHO SEJUR Nº 092/2014

DESPACHO SEJUR Nº 092/2014 DESPACHO SEJUR Nº 092/2014 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 27/03/2014) Expediente nº 1739/2014 Ementa: É obrigatória a apresentação de declaração de bens e renda para o exercício em cargo, emprego

Leia mais

Lei nº /14: a tributação dos juros sobre capital próprio. Fernando Mombelli

Lei nº /14: a tributação dos juros sobre capital próprio. Fernando Mombelli Lei nº 12.973/14: a tributação dos juros sobre capital próprio Fernando Mombelli Conceito de JCP O art. 9º da Lei nº 9.249, de 26 de dezembro de 1995 permite a dedutibilidade dos Juros sobre o Capital

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 185 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2018

PROJETO DE LEI Nº 185 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2018 1 PROJETO DE LEI Nº 185 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2018 Origem: Poder Executivo Altera dispositivos da Lei Municipal nº 1.607, de 30 de dezembro de 2003, que instituiu o Código Tributário e dá outras providências.

Leia mais

ANEXO II DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR

ANEXO II DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR ANEXO II DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR O coordenador do ProUni deverá solicitar, salvo em caso de dúvida, somente um dos seguintes comprovantes de identificação:

Leia mais

LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010.

LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. INSTITUI NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE ITAIÓPOLIS, O REGIME JURÍDICO -TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO, FAVORECIDO E SIMPLIFICADO CONCEDIDO ÀS MICROEMPRESAS ME, E ÀS EMPRESAS

Leia mais

PROVIMENTO Nº 30. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA, Ministro Francisco Falcão, no uso de suas atribuições legais e constitucionais;

PROVIMENTO Nº 30. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA, Ministro Francisco Falcão, no uso de suas atribuições legais e constitucionais; PROVIMENTO Nº 30 Disciplina a recepção e protesto de cheques, nas hipóteses que relaciona, visando coibir fraudes que possam acarretar prejuízos aos devedores ou a terceiros O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA,

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NA PRÁTICA

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NA PRÁTICA PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NA PRÁTICA Escolha do regime tributário para 2011 Planejamento tributário- DEFINIÇÃO Estudo dos ATOS e NEGÓCIOS jurídicos que a pessoa física ou jurídica PRETENDA realizar, por

Leia mais

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS

REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS E CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS Comarca: Entrância: Juiz(a) Diretor(a) do Foro: Município/Distrito: Serventia: Titular/Responsável: Substituto: Data da correição: Horário

Leia mais

I ENCONTRO DAS ÁGUAS. 13 a 15 de maio de Campo Grande MS. Realização: SINTERCON. Painel : Gestão Financeira e Tributária

I ENCONTRO DAS ÁGUAS. 13 a 15 de maio de Campo Grande MS. Realização: SINTERCON. Painel : Gestão Financeira e Tributária I ENCONTRO DAS ÁGUAS 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel : Gestão Financeira e Tributária Título da Palestra: SPED - Sistema Público de Escrituração Digital Palestrante:

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 108/2012 Poder Judiciário

PROJETO DE LEI Nº 108/2012 Poder Judiciário DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, quinta-feira, 10 de maio de 2012. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 108/2012 Poder Judiciário Desmembra, anexa e cria serviços extrajudiciais em diversas comarcas.

Leia mais

O Provimento CNJ nº 34 e a Legislação Federal do IRPF: os livros Diário Auxiliar e Caixa que coexistem - Antonio Herance Filho*

O Provimento CNJ nº 34 e a Legislação Federal do IRPF: os livros Diário Auxiliar e Caixa que coexistem - Antonio Herance Filho* 1 O Provimento CNJ nº 34 e a Legislação Federal do IRPF: os livros Diário Auxiliar e Caixa que coexistem - Antonio Herance Filho* *O palestrante no XV Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro,

Leia mais

OS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTRO VAGOS. A SITUAÇÃO JURÍDICA DO INTERINO APÓS A FIXAÇÃO DE TETO REMUNERATÓRIO A PARTIR

OS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTRO VAGOS. A SITUAÇÃO JURÍDICA DO INTERINO APÓS A FIXAÇÃO DE TETO REMUNERATÓRIO A PARTIR OS SERVIÇOS NOTARIAIS E DE REGISTRO VAGOS. A SITUAÇÃO JURÍDICA DO INTERINO APÓS A FIXAÇÃO DE TETO REMUNERATÓRIO A PARTIR DE 2010 PELA CORREGEDORIA NACIONAL DE JUSTIÇA. DIREITOS E DEVERES DO ESTADO REPRESENTADO

Leia mais

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo - ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2010. Lei 11.331,

Leia mais

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS 1 Pelo acolhimento do aceite ou devolução, recebimento do pagamento, desistência ou sustação judicial definitiva do protesto de titulo, documento de dívida

Leia mais

SEMINÁRIO AUDITORIA CONTÁBIL APLICAÇÕES NA AUDITORIA FISCAL AFRE ALBANIR RAMOS

SEMINÁRIO AUDITORIA CONTÁBIL APLICAÇÕES NA AUDITORIA FISCAL AFRE ALBANIR RAMOS SEMINÁRIO AUDITORIA CONTÁBIL APLICAÇÕES NA AUDITORIA FISCAL AFRE ALBANIR RAMOS SEMINÁRIO AUDITORIA CONTÁBIL NOVOS PARADIGMAS Flexibilização do direito à espontaneidade Era Digital das obrigações acessórias

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Procedimentos Contábeis Patrimoniais Tratamento Contábil aplicável a Impostos e Contribuições Prof. Cláudio Alves De acordo como o MCASP, as receitas sem contraprestação compõem a

Leia mais

QUADRO 3 Rendimentos Tributáveis, Deduções e Imposto Retido na Fonte

QUADRO 3 Rendimentos Tributáveis, Deduções e Imposto Retido na Fonte Entenda o Comprovante de Rendimentos dos Assistidos Para a Declaração do IRPF exercício 2017, ano-calendário 2016, a FAPES preparou um roteiro explicando os principais campos do Comprovante de Rendimentos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ibotirama publica:

Prefeitura Municipal de Ibotirama publica: 1 Ano Nº 2701 Prefeitura Municipal de publica: Decreto Nº046/2018, de 0-Fica nomeada a senhora Ailane de Queiroz Romeiro para o cargo de Coordenador de Educação Especial. Decreto Nº047/2018, de 0-Regulamenta

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIOECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS ELAINE FERREIRA NOLAÇO ANÁPOLIS 2012 Lucro arbitrado ou presumido Lucro arbitrado é uma forma

Leia mais

PORTARIA Nº 14 de

PORTARIA Nº 14 de COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA CAT PORTARIA Nº 14 de 19.03.2004 Institui o Demonstrativo de Crédito do ICMS no Transporte Aéreo e dá outras providências. O Coordenador da Administração Tributária,

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Processo Seletivo 1º/2017 6ª CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA CÂMPUS SÃO JOÃO DA BOA VISTA

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Processo Seletivo 1º/2017 6ª CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA CÂMPUS SÃO JOÃO DA BOA VISTA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Processo Seletivo 1º/2017 6ª CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA CÂMPUS SÃO JOÃO DA BOA VISTA Considerando o Edital IFSP 717, de 07 de outubro de

Leia mais