Desenho geométrico. Ponto: Elemento geométrico considerado sem dimensão, apenas com posição. Reta:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenho geométrico. Ponto: Elemento geométrico considerado sem dimensão, apenas com posição. Reta:"

Transcrição

1 Desenho geométrico Ponto: Elemento geométrico considerado sem dimensão, apenas com posição. Reta: Linha que estabelece a menor distância entre 2 pontos. Por 1 ponto podem passar infinitas retas. Por 2 pontos pode passar apenas 1 reta. Plano: Superfície reta em todos os sentidos. 1

2 Por 1 reta podem passar infinitos planos. Por uma reta e um ponto passa apenas 1 plano. Por duas retas pode passar apenas 1 plano. 2

3 Tipos de reta: Tipos Comentário exemplos Concorrentes Tem somente um ponto em comum Obliquas Paralelas Coincidentes São concorrentes e não formam ângulo reto São co-planares e não tem nenhum ponto em comum Todos os pontos são comuns Transversais Quando cortam 2 retas paralelas Perpendiculares Encontram-se em um ponto formando um ângulo de 90 ortogonais Quando não tem pontos em comum, mas suas projeções formam um ângulo reto. 3

4 Usando régua e compasso traçar uma reta paralela à reta r passando pelo ponto Usando régua e compasso traçar uma perpendicular e uma paralela à reta r passando pelo ponto : Traçar a mediatriz do segmento de reta 4

5 Traçar uma perpendicular à reta a, no ponto P, usando régua e compasso: Dada a semi-reta O, traçar uma perpendicular no ponto O usando régua e compasso: Ângulos issetriz: reta que divide um ângulo em 2 partes iguais. O 5

6 Divisão do segmento de reta em n partes iguais. Obs.: n pode ser qualquer valor maior que 1 (no exemplo n = 5) Etapas: 1- Traçar uma reta auxiliar com qualquer inclinação passando pelo ponto ; 2- Dividir essa reta auxiliar em 5 partes iguais; 3- Unir o ponto 5 com o ponto 4- Utilizando o jogo de esquadros traçar paralelas passando pelos pontos 4; 3; 2 e 1 Divisão de um ângulo em 3 partes iguais. [nota] existem duas situações uma para o ângulo reto (90 ) e outra para qualquer ângulo não reto Para o ângulo de 90 : Para um ângulo diferente de 90 (esta divisão é aproximada): 6

7 D O E H G F C Passos: 1- Traçar uma circunferência auxiliar 2- Prolongar os lados do ângulo (pontos C e D ) 3- Traçar a bissetriz EF = OE (raio da circunferência) 4- Unir F à C e D Os pontos G e H dividem o ângulo em 3 partes aproximadamente iguais. issetriz de um ângulo formado pelas retas r e s e cujo vértice é desconhecido: r s Passos: 1- Traçar uma reta cortando as retas r e s 2- char as bissetrizes dos ângulos formados pelas retas 3- Onde cruzam as bissetrizes dos quatro ângulos formados indicar os pontos e 4- Traçar uma reta (que é a bissetriz) passando por esses dois pontos 7

8 Construir os ângulos de: 30, 45, 60 e O O O Construções fundamentais de triângulo Tipo Características Ângulos Eqüilátero Três lados iguais Três ângulos iguais de 60. Isósceles Dois ângulos iguais e um Dois lados iguais e um diferente, mas os valores diferente dos ângulos não são fixos. Escaleno Três lados diferentes 3 ângulos diferentes com valores que também não são fixos. Quando os triângulos isósceles e escaleno têm um ângulo reto (90 ) são chamados de triângulo retângulo Construir um triângulo conhecendo-se um lado e os ângulos adjacentes: Ângulo = 30 Ângulo = 45 Lado = 4 cm 8

9 C 30 4 cm 45 Construir um triângulo conhecendo-se 2 lados e o ângulo = 5 cm C = 4 cm  = cm 5 cm C Construir um triângulo conhecendo-se seus três lados: = 6 cm C = 4,5 cm C = 3,5 cm C 3,5 cm 4,5 cm 6 cm 9

10 Construir um triângulo retângulo conhecendo-se sua hipotenusa e um cateto. C = 4 cm C = 7 cm 7 cm 4 cm C Construir um triângulo retângulo conhecendo-se a hipotenusa e um ângulo agudo. C = 5 cm ng. = C 5 cm Construir um triângulo isósceles cuja base mede 4 cm e sua altura 6 cm. 10

11 ltura 6 cm ase 4 cm Mediatriz Polígonos regulares São figuras geométricas que tem todos os seus lados do mesmo tamanho. Triangulo eqüilátero: 11

12 Quadrado: Pentágono: D F E C M L K H r G Etapas: 1- Traçar uma perpendicular à reta r passando pelo ponto M 2- Traçar uma circunferência com centro em M 3- Com a ponta seca do compasso no ponto H, traçar um arco passando pelo ponto M 4- Unir os pontos F e G e determinar o ponto K na reta r 12

13 5- Com a ponta seca do compasso no ponto K, abrir até o ponto D e achar o ponto L na reta r 6- Com a ponta seca do compasso no ponto D, abrir até o ponto L e traçar um arco que corta a circunferência achando o ponto E. 7- distância de D até E é o lado do pentágono. Com o compasso aberto nesta distância achar os pontos, e C e unir os pontos. Hexágono: D E C M F Circunferência e concordância char o centro Mediatriz Mediatriz O 13

14 Circunferência inscrita a um triângulo issetriz M issetriz issetriz Circunscrita a um triângulo Mediatriz Mediatriz M Mediatriz 14

15 Concordância Concordância de duas retas por meio de um arco (por exemplo, com raio de 15mm): 15mm r = 15mm 15mm Etapas 1. Traçar paralelas às retas na mesma distância do raio do arco; 2. Onde as paralelas cruzarem é o centro do arco ode deve ser colocada a ponta seca do compasso. 15mm r = 15mm 15mm 15

16 r 15mm r = 15mm 15mm Concordância de duas circunferências por meio de um arco M r1 r1 r O M = OM = r+r1 Concordância de um arco e uma reta M O r1 OM = r1+r r 16

17 Oval C O D Etapas: 1. Com centro em O traçar uma circunferência 2. Traçar as linhas partindo de passando por C e D 3. Traçar as linhas partindo de passando por C e D 4. Com a ponta seca do compasso em abrir até e traçar um arco até as retas. 5. Repetir o mesmo passo com a ponta seca em 6. Com a ponta seca em C e D fazer a concordância dos arcos. Observação da natureza: Perspectiva com pontos de fuga o observarmos a foto de uma rua, paisagem, edifício, etc, podemos perceber que todas as linhas convergem para um ponto na profundidade do espaço. Esse ponto é denominado ponto de fuga. Modificando-se a posição do observador ou a altura dos olhos modifica-se também a perspectiva. O ponto de fuga localiza-se sempre na altura dos olhos do observador 17

18 Em ralação ao observador e ao horizonte todos os objetos podem assumir três posições básicas: O observador poderá estar acima, no meio ou abaixo do objeto focalizado. Perspectiva frontal: Tem um único ponto de fuga, que pode ser central ou não. Projeção angular lateral: Permite desenhar uma imagem tridimensional à partir de 2 pontos de fuga. 18

QUADRILÁTEROS. Um quadrilátero é um polígono de quatro lados. Pode ser dito que é porção do plano limitada por uma poligonal fechada,

QUADRILÁTEROS. Um quadrilátero é um polígono de quatro lados. Pode ser dito que é porção do plano limitada por uma poligonal fechada, QUADRILÁTEROS Um quadrilátero é um polígono de quatro lados. Pode ser dito que é porção do plano limitada por uma poligonal fechada, A B C Lados: AB BC CD AD Vértices: A B C D Diagonais: AC BD D Algumas

Leia mais

Aula 10 Triângulo Retângulo

Aula 10 Triângulo Retângulo Aula 10 Triângulo Retângulo Projeção ortogonal Em um plano, consideremos um ponto e uma reta. Chama-se projeção ortogonal desse ponto sobre essa reta o pé da perpendicular traçada do ponto à reta. Na figura,

Leia mais

LISTÃO DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO IFMA PROFESSOR: ARI

LISTÃO DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO IFMA PROFESSOR: ARI 01.: A figura mostra um edifício que tem 15 m de altura, com uma escada colocada a 8 m de sua base ligada ao topo do edifício. comprimento dessa escada é de: a) 12 m. b) 30 m. c) 15 m. d) 17 m. e) 20 m.

Leia mais

MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II

MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II 1 MATEMÁTICA PARA CONCURSOS II Fonte: http://www.migmeg.com.br/ MÓDULO II Estudaremos neste módulo geometria espacial e volume dos principais sólidos geométricos. Mas antes de começar a aula, segue uma

Leia mais

Raio é o segmento de recta que une um ponto da circunferência com o seu centro.

Raio é o segmento de recta que une um ponto da circunferência com o seu centro. Catarina Ribeiro 1 Vamos Recordar: Circunferência de centro C e raio r é o lugar geométrico de todos os pontos do plano que estão à mesma distância r de um ponto fixo C. Círculo de centro C e raio r é

Leia mais

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é:

2) Se z = (2 + i).(1 + i).i, então a) 3 i b) 1 3i c) 3 i d) 3 + i e) 3 + i. ,será dado por: quando x = i é: Aluno(a) Nº. Ano: º do Ensino Médio Exercícios para a Recuperação de MATEMÁTICA - Professores: Escossi e Luciano NÚMEROS COMPLEXOS 1) Calculando-se corretamente as raízes da função f(x) = x + 4x + 5, encontram-se

Leia mais

Como fazer para deixar firme uma estante de hastes com prateleiras que está balançando para os lados?

Como fazer para deixar firme uma estante de hastes com prateleiras que está balançando para os lados? cesse: http://fuvestibular.com.br/ o triângulo é uma das figuras mais importantes da Geometria, e também uma das mais interessantes. Na nossa vida diária, existem bons exemplos de aplicação de triângulos

Leia mais

Teorema de Pitágoras e

Teorema de Pitágoras e page 1 Teorema de Pitágoras e Áreas Eduardo Wagner page 2 Texto já revisado pela nova ortografia. page 3 Sobre o Autor Eduardo Wagner é formado em engenharia pela UFRJ e mestre em matemática pelo IMPA.

Leia mais

Matemática 3. Aula 1. Geometria Plana. A escolha de quem pensa! 1

Matemática 3. Aula 1. Geometria Plana. A escolha de quem pensa! 1 Matemática Aula 1 Geometria Plana 01. A bandeira do Brasil, hasteada na Praça dos Três Poderes, em Brasília, é uma das maiores bandeiras hasteadas do mundo. A figura abaixo indica as suas medidas de acordo

Leia mais

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD 1 1. INTRODUÇÃO. RETAS CAD Iniciaremos o estudo das retas construindo no CAD alguns exercícios já construídos na aula teórica utilizando a régua e o compasso. Entretanto, o nosso compasso aqui será o comando

Leia mais

AV2 - MA 12-2012. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de modo que todos os CDs de rock fiquem juntos?

AV2 - MA 12-2012. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de modo que todos os CDs de rock fiquem juntos? Questão 1. Num porta-cds, cabem 10 CDs colocados um sobre o outro, formando uma pilha vertical. Tenho 3 CDs de MPB, 5 de rock e 2 de música clássica. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de

Leia mais

GEOMETRIA ESPACIAL. Escola SESC de Ensino Médio PRISMAS/CILINDROS MÓDULO VIII. Prismas e cilindros. 01. O volume de uma caixa cúbica é 216 litros.

GEOMETRIA ESPACIAL. Escola SESC de Ensino Médio PRISMAS/CILINDROS MÓDULO VIII. Prismas e cilindros. 01. O volume de uma caixa cúbica é 216 litros. GEOMETRIA ESPACIAL PRISMAS/CILINDROS PROFESSORES: CONES/TRONCOS EDU/VICENTE ESFERAS TURMA: A MELHOR 2302 MÓDULO VIII Prismas e cilindros 01. O volume de uma caixa cúbica é 216 litros. A medida de sua diagonal,

Leia mais

Exercícios de Matemática Geometria Espacial

Exercícios de Matemática Geometria Espacial Exercícios de Matemática Geometria Espacial e se ) (FUVEST-00) Dois planos interceptam ao longo de uma reta r, de maneira que o ângulo entre eles meça α radianos, 0. Um triângulo equilátero ABC, de lado

Leia mais

Pirâmide. P e R pertencem, respectivamente, às faces ABCD e EFGH; Q pertence à aresta EH; T é baricentro do triângulo ERQ e pertence à diagonal EG RF

Pirâmide. P e R pertencem, respectivamente, às faces ABCD e EFGH; Q pertence à aresta EH; T é baricentro do triângulo ERQ e pertence à diagonal EG RF Pirâmide 1. (Unifesp 01) Na figura, ABCDEFGH é um paralelepípedo reto-retângulo, e PQRE é um tetraedro regular de lado 6cm, conforme indica a figura. Sabe-se ainda que: P e R pertencem, respectivamente,

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na fgv

CPV O cursinho que mais aprova na fgv O cursinho que mais aprova na fgv FGV economia a Fase 0/novembro/008 MTEMÁTI 0. umentando a base de um triângulo em 0% e reduzindo a altura relativa a essa base em 0%, a área do triângulo aumenta em %.

Leia mais

EXAME DE ACESSO PROFMAT - 2015 - SOLUÇÕES (B) 7 (E) 12

EXAME DE ACESSO PROFMAT - 2015 - SOLUÇÕES (B) 7 (E) 12 EXAME DE ACESSO PROFMAT - 015 - SOLUÇÕES 1. Se x é um número real tal que x + 1 x = 3, então x + 1 é igual a: x (A) 6 (D) 9 Resposta: B) (B) 7 (E) 1 (C) 8 Elevando ambos os membros da equação x + 1 = 3

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto

3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto Questões COVEST Óptica Geométrica 3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto Assunto: Óptica Geométrica 1. Considere um objeto iluminado, um anteparo com um pequeno orifício circular e um segundo anteparo,

Leia mais

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas

Obs.: São cartesianos ortogonais os sistemas de coordenadas MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números complexos : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números inteiros = {0,,, 3,...} * = {,, 3,...} Ø: conjunto vazio A\B =

Leia mais

Geometria Espacial - Pirâmides

Geometria Espacial - Pirâmides ) (Fuvest) Geometria Espacial - Pirâmides ABE e CDE são, respectivamente, Calcule o volume da pirâmide. 0 e 7. No sólido S representado na figura a cima, a base ABCD é um retângulo de lados AB = x e AD

Leia mais

Bases Matemáticas. Aula 2 Métodos de Demonstração. Rodrigo Hausen. v. 2013-7-31 1/15

Bases Matemáticas. Aula 2 Métodos de Demonstração. Rodrigo Hausen. v. 2013-7-31 1/15 Bases Matemáticas Aula 2 Métodos de Demonstração Rodrigo Hausen v. 2013-7-31 1/15 Como o Conhecimento Matemático é Organizado Definições Definição: um enunciado que descreve o significado de um termo.

Leia mais

CAP/UERJ 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO PROF. ILYDIO SÁ

CAP/UERJ 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO PROF. ILYDIO SÁ CP/URJ ª SÉRI DO NSINO MÉDIO PROF. ILYDIO SÁ 1 LUNO () : Nº GOMTRI SPCIL PRISMS XRCÍCIOS 01) Qual o volume de um cubo de área 54 cm? 0) diagonal de uma face de um cubo tem medida 5 cm. Qual a área do cubo?

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA DAS PERSPECTIVAS ISOMÉTRICA E CAVALEIRA A PARTIR DAS PROJEÇÕES CILÍNDRICAS ORTOGONAIS DE UM OBJETO REAL.

APLICAÇÃO DA TÉCNICA DAS PERSPECTIVAS ISOMÉTRICA E CAVALEIRA A PARTIR DAS PROJEÇÕES CILÍNDRICAS ORTOGONAIS DE UM OBJETO REAL. APLICAÇÃO DA TÉCNICA DAS PERSPECTIVAS ISOMÉTRICA E CAVALEIRA A PARTIR DAS PROJEÇÕES CILÍNDRICAS ORTOGONAIS DE UM OBJETO REAL. Lucas Michael Luzzi - lucasluzzi0@gmail.com UNIOESTE Endereço 85803-125 Cascavel

Leia mais

PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA

PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA PROGRESSÕES 1. PROGRESSÃO ARITMÉTICA Vamos considerar as seqüências numéricas a) (, 4, 6, 8, 10, 1). Veja que a partir do º termo a diferença entre cada termo e o seu antecessor, é constante: a - a 1 =

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Insper 01) De cada vértice de um prisma hexagonal regular foi retirado um tetraedro, como exemplificado para um dos vértices do prisma desenhado a seguir. O plano que definiu cada corte feito para

Leia mais

(x, y) = (a, b) + t*(c-a, d-b) ou: x = a + t*(c-a) y = b + t*(d-b)

(x, y) = (a, b) + t*(c-a, d-b) ou: x = a + t*(c-a) y = b + t*(d-b) Equação Vetorial da Reta Dois pontos P e Q, definem um único vetor v = PQ, que representa uma direção. Todo ponto R cuja direção PR seja a mesma de PQ está contido na mesma reta definida pelos pontos P

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA 010 UNIVERIDDE NT CECÍLI ETÁTIIC N ETRUTUR José Carlos Morilla Estática nas Estruturas 1. Estruturas... 3 1.1. arras... 3 1.1.1. Classificação das barras... 4. Esforços que atuam nas estruturas... 4.1.

Leia mais

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_5ºANO (OK)

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_5ºANO (OK) 000 IT_023672 As balanças podem ser utilizadas para medir a massa dos alimentos nos supermercados. A reta numérica na figura seguinte representa os valores, em quilograma, de uma balança. 0 1 2 3 A partir

Leia mais

Geometria Espacial - Troncos

Geometria Espacial - Troncos Geometria Espacial - Troncos ) (SpeedSoft) ) (Fuvest) A altura de um cone circular reto é H. Seja α um plano que é paralelo à base e que divide o cone em dois sólidos de mesmo volume. Calcule a distância

Leia mais

Existe, mas não sei exibir!

Existe, mas não sei exibir! Existe, mas não sei exibir! Você já teve aquela sensação do tipo ei, isso deve existir, mas não sei exibir um exemplo quando resolvia algum problema? O fato é que alguns problemas existenciais são resolvidos

Leia mais

GUIA DE EXERCÍCIOS DE DESENHO TÉCNICO EM FERRAMENTA CAD

GUIA DE EXERCÍCIOS DE DESENHO TÉCNICO EM FERRAMENTA CAD UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UFC CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TRANPORTES - DET GUIA DE EXERCÍCIOS DE DESENHO TÉCNICO EM FERRAMENTA CAD Monitor: Michel Wendell Silva Sousa Professora

Leia mais