A Empresa Criadora do Conhecimento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Empresa Criadora do Conhecimento"

Transcrição

1 A Empresa Criadora do Conhecimento

2 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 1.Alta administração: definição dos campos de conhecimento que deverão ter prioridade nos esforços de aprendizagem dos indivíduos da organização, de acordo com a estratégia organizacional e as metas a serem atingidas

3 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 2. Cultura organizacional: voltada à inovação e aprendizado contínuo, comprometida com os resultados de longo prazo e com a otimização das áreas da empresa

4 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 3. Estrutura organizacional: para superar os limites impostos à inovação, ao aprendizado e à geração de novos conhecimentos comuns nas estruturas tradicionais Normalmente essas novas estruturas estão baseadas no trabalho de equipes multidisciplinares com alto grau de autonomia

5 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 4. Políticas de recursos humanos: associadas à aquisição de conhecimento interno e externo à empresa, bem como à geração, à difusão e ao armazenamento de conhecimentos na empresa;

6 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 5. Sistemas de Informação: uso de tecnologias que ajudem à captação, difusão e armazenamento do conhecimento nas organizações associando com o importante papel do contato pessoal e do conhecimento tácito para os processos de aprendizagem organizacional

7 A Empresa Criadora do Conhecimento 7 DIMENSÕES DA GESTÃO DO CONHECIMENTO (TERRA, 2000) 6. Mensuração dos resultados: avaliar o ganho obtido sob diferentes aspectos, desde a imagem até financeiros e comunicar essas metas atingidas para todos na organização 7. Aprendizado com o ambiente: realização de alianças estratégicas com empresas e aprendizado com os clientes

8 A Empresa Criadora do Conhecimento Para WAH (2000) o tema central da GC é aproveitar os recursos que já existem na empresa para que as pessoas procurem, encontrem e empreguem as melhores práticas em vez de tentar reinventar a roda Para isto elas escolhem os seguintes caminhos:

9 A Empresa Criadora do Conhecimento Captar, armazenar, recuperar e distribuir ativos tangíveis de conhecimento tais como patentes ou direitos autorais; Coletar, organizar e disseminar conhecimentos intangíveis tais como know-how e especialização profissional, experiência individual, solução criativa, etc.;

10 Condições Organizacionais para a Criação do Conhecimento Criar um ambiente de aprendizado interativo no qual as pessoas transfiram prontamente o conhecimento, internalizem-no, e apliquemno para criar novos conhecimentos

11 A Empresa Criadora do Conhecimento Intenção: todo o processo de fluxo e disseminação do conhecimento deve estar associado à intenção organizacional, às suas aspirações, metas e objetivos estratégicos

12 A Empresa Criadora do Conhecimento Autonomia: aumenta a possibilidade dos indivíduos se motivarem a criar novos conhecimentos, pois eles próprios estabelecerão limites para as suas próprias tarefas

13 A Empresa Criadora do Conhecimento Flutuação e Caos Criativo: fatores que estimulam a interação entre a organização e o ambiente externo Abertura quanto aos fatos externos ocorridos e simulação de uma situação de crise com o objetivos de buscar ações criativas

14 A Empresa Criadora do Conhecimento Redundância:refere-se à superposição proposital de informações sobre as atividades da empresa, de forma que todos os membros da organização tomem conhecimento delas

15 A Empresa Criadora do Conhecimento Variedade de Requisitos: enfrentar os inúmeros desafios ambientais existentes A organização deve garantir o acesso rápido à mais ampla gama de informações necessárias com o menor número de etapas possíveis (Nonaka e Takeuchi, 1995)

16 Condições Organizacionais para a Criação do Conhecimento Quando uma organização inova, ela processa informações de fora para dentro com o intuito de resolver os problemas existentes e se adaptar ao ambiente atual de constante transformação (Nonaka e Takeuchi, 1995)

17 Condições Organizacionais para a Criação do Conhecimento Também cria novos conhecimentos e informações de dentro para fora a fim de redefinir tanto os problemas quantos as soluções e neste processo recriar seu meio (Nonaka e Takeuchi, 1995)

18 Condições Organizacionais para a Criação do Conhecimento A capacidade de adaptação de uma empresa a todo esse ambiente é baseada no fato de possuir recursos e capacidades multidisciplinares e de sua abertura às mudanças e conseqüente capacidade de absorção (Nonaka e Takeuchi, 1995)

19 MAPEAMENTO DO CONHECIMENTO Fontes de localização do conhecimento Mapeamento das competências Participação da área de RH Localização das ilhas de eficiência interna promovendo a disseminação das boas práticas (benchmarking interno) Pontos fortes Lacunas

20 MAPEAMENTO DO CONHECIMENTO Competências baseadas em critérios claros e mensuráveis Participação da área de RH Seleção de RH alinhada com a Estratégia da organização e nas áreas onde o conhecimento é deficiente Gestão participativa das informações e dos conhecimentos Visão das competências da organização Área ou departamento que tenha especial atenção nesta gestão das competências e conhecimentos alinhados aos objetivos estratégicos da organização como um todo. Deve ter contato estreito com a área de RH e de TI

21 DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO -As pessoas numa organização devem saber que além do conhecimento há inúmeros outros valores que definem e garantem suas condições no mercado : Perseverança Ambição Energia Capacidade de planejamento Ego Intuição Sorte

22 QUAIS AS BARREIRAS DE TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO?

23 MANEIRAS DE SE TRANSMITIR O CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO Reciprocidade: quando se passa o conhecimento a uma pessoa sabendo que algum dia ela poderá passar algo do seu interesse Reputação: quando há o interesse de mostrar uma certa superioridade de conhecimento na área Altruísmo: quando realmente a pessoa gosta de ajudar sem exigir nada em troca

24 EFICIÊNCIA DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO I Redes e a troca de conhecimento na organização As redes de computadores favorecem a formação de uma infra-estrutura apropriada para a tramitação do conhecimento Comprometimento da alta direção da organização devido as mudanças organizacionais e estratégicas que envolve a GC Desenvolvimento de estrutura organizacional voltada para o conhecimento; definição de atribuições e

25 Obtenção da adesão das pessoas à idéia de compartilhamento do conhecimento EFICIÊNCIA DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO II Cultura voltada para o conhecimento: incentivo às pessoas para que captem, disseminem e compartilhem o conhecimento Mudança do paradigma do treinamento para o paradigma do aprendizado (discussões e aconselhamento)

26 EFICIÊNCIA DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO II Vinculação ao valor econômico ou setorial: percentual da receita destinada à GC Alguma orientação para o processo: descrição em detalhes das providências relativas ao processo de GC

27 EFICIÊNCIA DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO III Clareza de visão e linguagem: terminologia empregada desde os encontros mais simples até os que envolvem profunda mudança organizacional Elementos de incentivo não triviais para os indivíduos criarem, compartilharem e usarem o conhecimento Algum nível de estrutura do conhecimento Múltiplos canais para transferência do conhecimento

28 AVALIAÇÃO DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO Crescimento dos recursos vinculados ao projeto de GC, incluindo pessoal e orçamentos; Crescimento no volume de conteúdo e de uso do conhecimento ( o nº de documentos ou de acesso à repositórios, ou de participantes de projetos aos bancos de dados de discussão)

29 AVALIAÇÃO DA GESTÃO DE CONHECIMENTO NA ORGANIZAÇÃO Probabilidade de que o projeto se sustente de um ou dois indivíduos específicos, ou seja o projeto é uma iniciativa organizacional e não um projeto individual Familiaridade com os conceitos de conhecimento e de gestão do conhecimento em toda a organização Alguma evidência de retorno financeiro seja com relação à atividades de gestão do conhecimento em si ou em relação à organização como um todo (pode ser baseada em percepções)

Assunto 2: Administração do Conhecimento

Assunto 2: Administração do Conhecimento Assunto 2: Administração do Conhecimento Objetivos do Capítulo Administração do Conhecimento 1. Explicar como os sistemas de administração do conhecimento podem ajudar na iniciativa de construir uma empresa

Leia mais

CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL. Jôer Corrêa Batista

CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL. Jôer Corrêa Batista CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL Jôer Corrêa Batista Considerações Preliminares. Filantropia Assistência Ação Social Transformação Social Tendências O amadorismo no Terceiro Setor vem

Leia mais

Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar?

Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar? Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar? Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? É ter pessoas que consigam se adaptar a

Leia mais

CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES

CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES Criação do nas Organizações: 1) Os modos de conversão do conhecimento e sua vinculação com a criação do conhecimento organizacional; 2) As condições capacitadoras

Leia mais

A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa

A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa José Renato S. Santiago Junior www.jrsantiago.com.br Saber usar o que já tem A maior parte dos conhecimentos que uma empresa necessita

Leia mais

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação.

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação. IMPORTANTE: Em ótimas condições do ambiente, a grande maioria das pessoas pode ter a capacidade de desempenhar-se adequadamente em quaisquer das seguintes competências. Referimo-nos a "ótimas condições"

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA APRES ENTAÇÃO O mundo globalizado está em constante transformação em função da implementação de novas tecnologias ao ambiente dos

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 T&D e Estratégia de RH Treinamento & Desenvolvimento 3 4 Coaching & Mentoring Desenvolvimento de Lideranças 1 T&D e Estratégia de RH Relembrando... Os processos

Leia mais

Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira

Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira Anna Nogueira? Formação multidisciplinar Bióloga (São Camilo) Especializada em cultura da marca e marketing de serviços (ESPM) Criatividade e Inovação

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

INTRODUÇÃO. Vamos lá? Então mãos à obra.

INTRODUÇÃO. Vamos lá? Então mãos à obra. INTRODUÇÃO Ter uma comunicação interna eficaz auxilia no desenvolvimento de uma cultura colaborativa e ajuda a alinhar os membros de uma organização às estratégias da empresa. Segundo estudo da Tower Watson,

Leia mais

Negociação Comercial

Negociação Comercial Negociação Comercial Aula 5-16/02/09 1 Negociação Comercial CONCEITOS INTELIGENCIA COMPETITIVA 2 INTELIGENCIA COMPETITIVA 1. Conceitos 2. Inteligência Competitiva no ambiente dos negócios 3. O Sistema

Leia mais

10/8/2011. Administração de Recursos Humanos TREINAMENTO: DESENVOLVIMENTO: Concluindo: T&D é o processo educacional aplicado de

10/8/2011. Administração de Recursos Humanos TREINAMENTO: DESENVOLVIMENTO: Concluindo: T&D é o processo educacional aplicado de TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL Administração de Recursos Humanos É o processo de desenvolver qualidades nos RHs para habilitá-los a serem mais produtivos e contribuir melhor para o alcance dos

Leia mais

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Carta de Missão Ministério da Economia e do Emprego Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Diretor De de de 201. a.. de. de 201 1. Missão do organismo O Gabinete de Prevenção e

Leia mais

Conjunto de elementos interdependentes, ou um todo organizado, ou partes que interagem, formando um todo unitário e complexo

Conjunto de elementos interdependentes, ou um todo organizado, ou partes que interagem, formando um todo unitário e complexo Sistemas de Informações Gerenciais A Empresa e os Sistemas de Informação Conceito de Sistemas Conjunto de elementos interdependentes, ou um todo organizado, ou partes que interagem, formando um todo unitário

Leia mais

Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade?

Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade? Educar em creche que cidadão aos 3 anos de idade? Gabriela Portugal Departamento de Educação, Universidade de Aveiro gabriela.portugal@ua.pt Sumário 1. Importância de orientações pedagógicas para a creche

Leia mais

Gestão do Conhecimento

Gestão do Conhecimento Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Ambiente de Negócio e Marketing Profa. Cynara Carvalho cynaracarvalho@yahoo.com.br Sociedade da Informação e do Conhecimento A sociedade

Leia mais

Desenvolvimento de pessoas e de organizações

Desenvolvimento de pessoas e de organizações Desenvolvimento de pessoas e de organizações www.profsaravalli.com GESTÃO DE CONCEITOS E NOMENCLATURAS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL A Gestão de Pessoas (GP) é responsável por um conjunto de políticas e práticas

Leia mais

COMPOSIÇÃO HISTÓRICA DA FORÇA DE TRABALHO USA

COMPOSIÇÃO HISTÓRICA DA FORÇA DE TRABALHO USA Mario Caixeta 1 100% COMPOSIÇÃO HISTÓRICA DA FORÇA DE TRABALHO USA Autor- Stephen Barley 80% Profissionais Liberais e técnicos Vendas 60% 50% Artesãos e similares 40% 20% Agricultores Operários 1900 1920

Leia mais

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017

Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Prêmio Valor Inovação Brasil 2017 Inovação Inovação é a geração e desenvolvimento estruturado, de maneira recorrente, de novas ideias que geram valor significativo para as empresas Critérios de participação

Leia mais

C u r r í c u l o p o r C o m p e t ê n c i a e Te n d ê n c i a s d e M e r c a d o. E l i a s C a d d a h

C u r r í c u l o p o r C o m p e t ê n c i a e Te n d ê n c i a s d e M e r c a d o. E l i a s C a d d a h C u r r í c u l o p o r C o m p e t ê n c i a e Te n d ê n c i a s d e M e r c a d o E l i a s C a d d a h Agenda Legislação/Contextualização; Conceitos Acadêmicos; Tendências Mercado; Desafios. LEGISLAÇÃO

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 Seminário T&D e Estratégia de RH 3 4 Treinamento & Desenvolvimento Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.;

Leia mais

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação A prática de remuneração variável e gestão por competências no setor público brasileiro Agenda

Leia mais

ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC

ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS 2ª Versão Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Princípios... 4 4 Diretrizes... 5 5 Responsabilidades... 5

Leia mais

ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC

ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC BALANCED SCORECARD ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO BSC Contexto Histórico Origem do BSC Definição Como funciona? Perspectivas Por quê aplicar? Benefícios/ Contribuições Conclusão Referências BALANCED SCORECARD

Leia mais

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x São Bernardo de Campo SP, 04 de março de 2015 Contato: James Allen james@olab.com.br Neste relatório,

Leia mais

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI)

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) Aula baseada em dois artigos: Comportamento e Estratégias de Organizações em

Leia mais

Agências de Promoção das Exportações Portugal e Irlanda

Agências de Promoção das Exportações Portugal e Irlanda Agências de Promoção das Exportações Portugal e Irlanda Aurora A.C. Teixeira* CEF.UP, Faculdade de Economia, Universidade do Porto; OBEGEF; INESC Porto * Trabalho desenvolvido em co-autoria com Inês Ferreira

Leia mais

Rio de Janeiro 16/08/2011. Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas. Francisco Teixeira Neto

Rio de Janeiro 16/08/2011. Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas. Francisco Teixeira Neto Rio de Janeiro 16/08/2011 Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas Francisco Teixeira Neto Só gerencia quem mede! O que é o MPE Brasil? Ferramenta de Gestão para medir o grau

Leia mais

Estruturação por Processo

Estruturação por Processo Como Estimular os Colaboradores se Tornarem Multiplicadores de Conhecimento, Garantindo o Engajamento e a Troca de Experiências em Ambientes Altamente Competitivos Estruturação por Processo Colaboradores

Leia mais

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Viviane Lanunce Paes Supervisora da Gestão Integrada - CAP Carlos Eduardo Tavares de Castro Superintendente

Leia mais

PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO

PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO PRINCÍPIOS DA GESTÃO PARA A EDUCAÇÃO Prof. Dr. Bernardo Meyer Departamento de Ciências da Administração - CAD Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO - A educação vive um processo

Leia mais

Soluções de Nivelamento de Cargos

Soluções de Nivelamento de Cargos Towers Watson Soluções de Nivelamento de Cargos Global Grading System (GGS) e Mapa de Carreira A abordagem sistemática da Towers Watson para nivelamento de cargos ajuda as organizações a gerenciar as

Leia mais

Planejamento SPU/SC. Cristiano De Angelis

Planejamento SPU/SC. Cristiano De Angelis Planejamento SPU/SC Cristiano De Angelis Tópicos da Apresentação 1. O que é missão? 2. O que é visão? 3. O que é um projeto? 4. O que é uma ação? 5. Sugestão de um projeto. Valores da SPU 1. Compromisso

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E EDUCAÇÃO: Uma proposta para aplicação na Educação Básica

EMPREENDEDORISMO E EDUCAÇÃO: Uma proposta para aplicação na Educação Básica EMPREENDEDORISMO E EDUCAÇÃO: Uma proposta para aplicação na Educação Cristina Amboni da Silva João Bosco da Mota Alves Simone Meister Sommer Bilessimo 1. Introdução O ambiente escolar é considerado uma

Leia mais

Nesse artigo falaremos sobre:

Nesse artigo falaremos sobre: Este conteúdo faz parte da série: Consultores Ver 5 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: O mundo da consultoria em Recursos Humanos 1. Planilha de Avaliação de Desempenho (por Competências)

Leia mais

2.2 Elementos formais e informais

2.2 Elementos formais e informais 2.2 Elementos formais e informais A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas, sobretudo com a solidariedade de suas

Leia mais

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Aleksandra Pereira dos Santos Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações UnB Coordenadora-Geral de RH Previc

Leia mais

I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP

I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP NOVEMBRO 2010 Propostas de MISSÃO para a Gestão de Pessoas da USP Criar condições para o engajamento pessoal e profissional dos servidores

Leia mais

NAGEH Pessoas. Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015. Compromisso com a Qualidade Hospitalar

NAGEH Pessoas. Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015. Compromisso com a Qualidade Hospitalar Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015 Agenda: 28/09/2015 8:30 as 9:00 h Recepção dos participantes 9:00 as 11:00 h Eixo: Capacitação e Desenvolvimento 11:00 as 11:30 h Análise de Indicadores

Leia mais

Ativos Intangíveis. Qualidade

Ativos Intangíveis. Qualidade Qualidade Todos os anos são crescentes os índices de qualidade e confiabilidade das usinas do sistema. Os resultados de 2005 comprovam isso: o índice de disponibilidade da unidade geradora (DUG) subiu

Leia mais

Gestão de pessoas e desempenho organizacional

Gestão de pessoas e desempenho organizacional Aula 12 Gestão de pessoas e desempenho organizacional Agenda 1 Seminário 2 Medindo a performance do RH 1 Seminário 5 Competing on talent analytics. Davenport, Harris & Shapiro. Harvard Business Review,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 79-CEPE/UNICENTRO, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Planejamento e Organização de Eventos, modalidades modular e regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara Missão O Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar profissionais com elevados níveis

Leia mais

Marketing, Consumo, Estado e Sociedade

Marketing, Consumo, Estado e Sociedade Marketing, Consumo, Estado e Sociedade Conceito de Marketing...um processo pelo qual se planeja e efetua a concepção, a fixação do preço, a promoção e a distribuição de idéias, bens e serviços que estimulam

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Missão A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Estácio de Sá consiste em formar profissionais

Leia mais

Outubro 2008 Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos

Outubro 2008 Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Outubro 2008 Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Marca de confiança Conteúdo IV Encontro do GIGCI Institucional Inovação GC para Inovação GC Corporativa Correios em números 110 mil empregados 12

Leia mais

Categoria: Gestão da Inovação

Categoria: Gestão da Inovação Prêmio Nacional de Inovação Edição 2014/2015 Anexo I Categoria: Gestão da Inovação Prêmio Nacional de Inovação - Ciclo 2014/2015 Questões para a Autoavaliação na categoria Gestão de Inovação Dimensão Método

Leia mais

Trabalho de Introdução à Gestão da Informação

Trabalho de Introdução à Gestão da Informação Trabalho de Introdução à Gestão da Informação Professor Jorge Tadeu de Ramos Neves Texto: Investigação e análise do processo de gestão da informação na área de melhoria contínua de uma empresa siderúrgica

Leia mais

5 hábitos que a área de RH deve abandonar em Raquel Oliveira Diretora LATAM de Produto e Estratégia de Vendas para Learning, SAP Brasil

5 hábitos que a área de RH deve abandonar em Raquel Oliveira Diretora LATAM de Produto e Estratégia de Vendas para Learning, SAP Brasil 5 hábitos que a área de RH deve abandonar em 2015 Raquel Oliveira Diretora LATAM de Produto e Estratégia de Vendas para Learning, SAP Brasil Um lugar à mesa, mas sem visibilidade Mesmo empresas que dão

Leia mais

Eficiência e Eficácia

Eficiência e Eficácia Eficiência e Eficácia Desempenho das Organizações A eficiência é determinante da eficácia: caso haja recursos disponíveis, e estes forem utilizados corretamente, a probabilidade de atingir os objetivos

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 4: Implementação e controle do planejamento estratégico 1 SEÇÃO 4.1 A ESTRUTURA E A CULTURA ORGANIZACIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA 2 Estrutura organizacional Especifica

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 3: Formulação da estratégia e posicionamento 1 SEÇÃO 3.1 ESTRATÉGIAS GENÉRICAS 2 Relembrando - SWOT A análise do ambiente externo permite que a organização identifique

Leia mais

Soluções para Estruturação de Plano de Cargos

Soluções para Estruturação de Plano de Cargos Towers Watson Soluções para Estruturação de Plano de Cargos Global Grading System (GGS) e Mapas de Carreira A abordagem para estruturação de plano de cargos da Towers Watson ajuda as organizações a gerenciar

Leia mais

PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS

PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS AL INVEST 5.0 03 grandes blocos focados no empoderamento feminino: Mentoring para Mulheres AÇÃO FOCO META Desenvolvimento de negócio, mulheres na política e mulheres

Leia mais

Gestão do conhecimento em. Juliano Statdlober julianostat.blogspot.com.br

Gestão do conhecimento em. Juliano Statdlober julianostat.blogspot.com.br Gestão do conhecimento em serviços de TI Juliano Statdlober jstatdlober@qualitor.com.br julianostat.blogspot.com.br Ponto de partida Vivemos na era da informação e economia do conhecimento Cada vez mais

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos MBA em EXCELÊNCIA EM GESTÃO DE PROJETOS E PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Gerenciamento de s Planejamento e Gestão de s Prof. Msc. Maria C Lage Prof. Newman Serrano, PMP Gerenciamento de Recursos Humanos Introdução

Leia mais

Oficina - Gestão por Processos

Oficina - Gestão por Processos Oficina - Gestão por Processos Isaac da Silva Torres João Francisco da Fontoura Vieira 02/09/2015 Escritório de Processos 1 Tópicos Nesta oficina, apresentaremos a Gestão por Processos e a sua relação

Leia mais

Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis

Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis Recomendação de políticas Serviços de nuvem seguros e confiáveis A oportunidade Na medida em que a computação em nuvem dá origem a novas e poderosas capacidades, ela oferece o potencial de aumentar a produtividade,

Leia mais

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS.

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS. CONCEITOS Prof. Fulvio Cristofoli fulviocristofoli@uol.com.br www.fulviocristofoli.com.br O QUE VAMOS APRENDER... Estratégia Administração Estratégica Planejamento Estratégico Decisão Estratégica Eficiência

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

Estudo sobre o efeito da Crise Econômica nos Investimentos em Tecnologia de Informação

Estudo sobre o efeito da Crise Econômica nos Investimentos em Tecnologia de Informação A Tecnologia de Informação (TI) é recurso organizacional e como tal recebe investimentos, que são afetados pela situação econômica e da própria organização. O momento atual da economia brasileira afeta

Leia mais

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos...

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos... Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais Os caminhos... O que é um orçamento? Orçamento é um plano que detalha as receitas e despesas de uma administração

Leia mais

Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos

Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos Joinville, Fevereiro de 2013 Responsáveis: Equipe Gestão de Talentos 0 Guia para criação de metas Este Guia Rápido tem por objetivo ajudá-lo no alinhamento

Leia mais

Tendências na área de Recursos Humanos

Tendências na área de Recursos Humanos Tendências na área de Recursos Humanos Confira a 6ª edição do maior censo de Recursos Humanos, realizado pelo RH Portal em 2016. Veja o que os profissionais estão falando sobre a realidade do RH no mercado

Leia mais

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

Gestão por Competência

Gestão por Competência Gestão por Competência Vera Gobetti 04/05/2017 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS É UMA EVOLUÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS A Competência é sustentada em 3 pilares: 1- Conhecimento 2- Habilidades 3- Atitudes Aspectos Fundamentais

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL - PRÁTICAS DE DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO EM EMPRESAS GANHADORAS DO PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE - PNQ

GESTÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL - PRÁTICAS DE DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO EM EMPRESAS GANHADORAS DO PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE - PNQ GESTÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL - PRÁTICAS DE DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO EM EMPRESAS GANHADORAS DO PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE - PNQ Debora Cristina Sardelli de Lima (UNIMEP) dbclima@unimep.br

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E OS TIPOS DE CONHECIMENTO EMPREENDEDORISMO. Prof. Dr. Daniel Caetano

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E OS TIPOS DE CONHECIMENTO EMPREENDEDORISMO. Prof. Dr. Daniel Caetano INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO OS TIPOS DE CONHECIMENTO Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-2 Objetivos Compreender o conceito de conhecimento Conhecer os diferentes tipos de conhecimento Formação dos

Leia mais

Estratégia: Planejamento e Execução Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Estratégia: Planejamento e Execução Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ

HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ MERCER LEARNING O Mercer Learning é um programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano aproveitamos os mais de

Leia mais

Gestão de Departamentos Jurídicos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Gestão de Departamentos Jurídicos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Rede Empresarial de Inclusão Social

Rede Empresarial de Inclusão Social Rede Empresarial de Inclusão Social Rede Empresarial de Inclusão Social O que fizemos 2 de Maio 4 de Maio 11 de Maio 18 de Maio 25 de Maio 1º de Junho 26º Fórum de Empregabilidade Avaliação do 26º Fórum

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014 Governo do Estado do Amazonas Equipe Técnica COORDENAÇÃO Marcelo Lima Filho Rodrigo Camelo de Oliveira Ronney César Peixoto ELABORAÇÃO Bernardo Monteiro de Paula Elaine

Leia mais

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos BSC Para KAPLAN & NORTON (1997), o Scorecard deve contar a história da estratégia, começando pelos objetivos financeiros a longo prazo e relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas

Leia mais

QUATRO ESTRATEGIAS MATADORAS PARA GERENCIAR SEUS LEADS E AUMENTAR SUAS VENDAS. Melhor do que divulgar é se comunicar - Figueiredo

QUATRO ESTRATEGIAS MATADORAS PARA GERENCIAR SEUS LEADS E AUMENTAR SUAS VENDAS. Melhor do que divulgar é se comunicar - Figueiredo QUATRO ESTRATEGIAS MATADORAS PARA GERENCIAR SEUS LEADS E AUMENTAR SUAS VENDAS Melhor do que divulgar é se comunicar - Figueiredo Se você não está seguindo essas 4 dicas, você provavelmente está perdendo

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 1 2 FUTUROS Capacitar Acompanhar Avaliar Investir Valorizar Reter ÁREA CRÍTICA Remanejar Traçar metas Disponibilizar MANTENEDORES Desenvolver Manter 3 4 Quem são os talentos de

Leia mais

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Data e Local Turma 1: 07 e 08/10/2016 FDC, Campus RJ Turma 2: 2017 FDC, Campus SP Carga horária 16 horas Investimento R$ 3.500,00 Público-alvo Executivos

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM

Leia mais

EDITAL N.º 16/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica

EDITAL N.º 16/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

PLANO PLURIANUAL

PLANO PLURIANUAL PLANO PLURIANUAL 2004-2007 INTRODUÇÃO O processo de elaboração do Plano Plurianual 2004-2007 inaugura uma nova fase no planejamento governamental. A construção e a gestão do plano a partir de um amplo

Leia mais

SGD Sistema de Gestão do Desempenho II Simpósio de Boas Práticas de Governança e Gestão de Pessoas

SGD Sistema de Gestão do Desempenho II Simpósio de Boas Práticas de Governança e Gestão de Pessoas Diretoria de Administração DA Departamento de Gestão de Pessoas DAG Divisão de Carreira e Remuneração DAGR SGD Sistema de Gestão do Desempenho II Simpósio de Boas Práticas de Governança e Gestão de Pessoas

Leia mais

A importância da gestão do conhecimento para as micro e pequenas empresas

A importância da gestão do conhecimento para as micro e pequenas empresas A importância da gestão do conhecimento para as micro e pequenas empresas Ana Claudia Burgermeister Campos (UFSM) aburgermeister@hotmail.com Cláudio Eduardo Camfield (UFSM) camfield@ibestvip.com.br Leoni

Leia mais

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nº 024/2012 - PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá IDSM está selecionando

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P : O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: P Diversidade de visões. Objetivos - custo para otimização de resultados, para melhoria de

Leia mais

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Administração de Recursos Humanos Autoria: Irma Macário 6 o semestre Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Como citar esse documento: MACÁRIO,

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: Definindo o conhecimento e aprendizagem organizacional.

Resumo Aula-tema 01: Definindo o conhecimento e aprendizagem organizacional. Resumo Aula-tema 01: Definindo o conhecimento e aprendizagem organizacional. Vivemos uma época de overdose de informação graças, em grande parte, à Internet. Diariamente temos que domar uma avalanche de

Leia mais

AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING. Prof. Wilson LAPO

AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING. Prof. Wilson LAPO AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING Prof. Wilson LAPO 1 Excelência é uma habilidade que se conquista com treinamento e prática. Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um ato,

Leia mais

"Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana". Carl Jung

Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana. Carl Jung Instituição de Coaching, Treinamento & Desenvolvimento Humano, com atuação em todo Brasil com a Missão de disseminar a cultura do Coaching para todas as pessoas que puderem fazer uso da metodologia como

Leia mais

Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil

Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil Roberto Schaeffer (PPE/COPPE/UFRJ) Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, 23 de maio de 2013 Objetivo

Leia mais

Política de Comunicação Integrada do Sistema Eletrobrás

Política de Comunicação Integrada do Sistema Eletrobrás Política de Comunicação Integrada do Sistema Eletrobrás Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 3 1 OBJETIVOS Promover a comunicação integrada entre as empresas do Sistema e

Leia mais

Liderança direta líder da área onde o programa de voluntariado está inserido

Liderança direta líder da área onde o programa de voluntariado está inserido Liderança direta líder da área onde o programa de voluntariado está inserido 1. Quais as principais causas da falta de apoio ao programa? Quando o gestor diretor é da área responsável pelo programa ele

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA GESTÃO DE PESSOAS DIREITO EMPRESARIAL E TRABALHISTA CONTABILIDADE Os recursos

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

Sustentabilidade. Corporativa

Sustentabilidade. Corporativa Sustentabilidade Programa Gestão da Sustentabilidade er Programa voltado à construção de um modelo de gestão os sustentável, que combina o domínio dos conceitos e ferramentas essenciais às práticas e conteúdos

Leia mais

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL CAPITAL INTELECTUAL Valor agregado aos produtos da organização por meio de informação e conhecimento. Composto: Habilidades e conhecimentos das pessoas Tecnologia Processos

Leia mais