MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO"

Transcrição

1 ESTRATÉGAS MUNDO MUDANÇA TAMBÉM NO PENT ÁGONO Dptmnt Dfs s Ests Unis stá pmvn çmnt munçs m su psquis, uzin ênfs n snvlvimnt ms invstin mis m bilgi, ciênci cmputçã, ciêncis sciis. Zchy Lmnis, it psquis ptmnt, iss à vist Ntu qu nv bgm tá p- cussã tmbém f s limits Pntágn, pis univsis nt-micns cbã mis mt US$1,8 bilhã invsti m psquis básic n tul n fiscl. Ent s nvs ás piitáis nstituiçõs filntópics nt-micns mis qu tiplicm pi cuss psquiss lcins às munçs climátics m As çõs sltm US$ 240 milhõs m 2007 p US$ 897 milhõs m 2008, c cm ltói Funtin.Cnt, Nv Yk. O finncimnt bnficiu váis tivis, incluin sfçs p uçã s missõs gss stuf ppçã s cis p tmptus mis lts nívis m mis lvs, tmbém piu pjts psquis. Em 2008, p xmpl, Funçã Rckfll m Nv Yk cncu um tçã p Univsi Stnf, n Clifóni, p stus sb ptçã gicultu. Ms umnt 2008 vu-s pinciplmnt à Willim n Fl Hwltt Funtin, tmbém Clifóni, qu stinu US$ 549 milhõs. O mntnt incluiu um cntibuiçã US$ 500 milhõs p ClimtWks, funçã qu busc ju píss limit s cncntçõs ióxi cbn n tmsf mns 450 pts p milhã. Um munç gcinl xplici gnsi. Rchl Ln, it Envinmntl Gntmks Asscitin, m Nv Yk, iss à vist Ntu qu s chms bby bms, nt-micns nscis pós Sgun Gu Munil, stã cin sus pópis funçõs xibm um pcupçã mi cm s munçs climátics qu gçõs ntis. S qu busc ci fms P vi tificil p smpnh funçõs spcífics. Lmnis iss qu bjtiv 22 MAO DE 2010 PESQUSA FAPESP 171 é ju psquiss cpzs mnit u ms sus hbili- tmbém ns ciêncis sciis. P cmb- P' "sntinls psnç xplsivs s m tc s cmputs, cibsgunç é ut pii. As gus puc cnvncinis fçm nt-micns intss t insugênci stã nvlvis n Afgnistã, Pntágn m qu invst n cmpnsã inâmic cultul pís. Está finncin Lbtói ] vivs", snvlv químics. Cm inimigs stã pfiçn s milits stã bilgi sintétic, 0 CLMA E OS 1 BABY BOOMERS E cl Ncinl Ls Alms p ciçã um ml cpz simul cméci ópi n Afgnistã nlis ficáci s sttégis p cmbtê-t.. fé C s Tmbém pi um pjt Univsi Chicg p h p ml pv ptnciis cnflits n pís. C i H A Cl P' P'

2 OPERAÇÃO RESGATE O tmt 8,8 gus n scl Richt qu scuiu Chil n i 27 fvi stuiu lbtóis, incniu um stc cnt psquis m químic funu um imptnt stçã cngáfic, qu p ts pgss cintífic pís m váis ns. O pjuíz sism tsunmi qu s sguiu l fi vli m US$ 200 milhõs, c cm gup Cintists Unis pl Rcnstuçã Chil, ci lg pós sst. Dis mss pós tgéi, cmuni cintífic pís s ticul p cup s instlçõs pis cntl sistm lt tsunmis n pís. ts m su nfs tin çã t vist p- CAÇADORES DE RECOMPENSAS ntácns bilhã i n ) stã ms nçõs jtiv ivs", ms hbilinç mqu mbém mbst n cin um gnistê-. p Em 2008, sis cinçs chinss mm 300 mil fm tingis pl sut um nç nl pvc p cntminçã lit. Um invstigçã pntu spnsávlum put químic inustil us p lv t ptín lit suscitu um bt sb sistm gssiv cmpnss p psquiss qu puzm invçõs. Oc qu fómul lit hj cnn, ci pl gup mpsil Snlu, hvi cnquist um pêmi ncinl invçã puc nts s cmciliz. O incint vinci pblms qu psquis tcnlógic nfnt n Chin, iss Tng in Ling, psquis Univsi Hng Kng. Em ct Cnin Micl Asscitin [unl, Tng iss qu cmuni cintífic chins é bcc p pêmis. Altu qu "é ifícil vli imptânci cnfibili um psquis lg pós su cnclusã" cscntu qu "fc pêmis pimnt p sult m s". Wng Zh, méic Univsi Tsinghu, iss qu s méts vliçã cêmic nã sã suficintmnt igss n Chin. "Um gulçã mis ftiv é ncssái", iss Wng, sgun gênci SciDv.Nt. TOLERÂNCA Após ÀS RESTRiÇÕES mis um éc fnss snhu s iits s nimis, gns nt psquiss Uniãó Eupi lgl p gul finlmnt us nimis s vt m julh. Um séi nvs stiçõs sá impst. Ficm bnis, pimts p xmpl, u qu cusm Ms há slvgus m pssibili cmitê, mbts um nv cbuç m psquis, O gup vi nvi gvn um lnc cmnçõs qu cnsi ncssáis p clc ns tilhs ciênci n pís. A list inclui um linh céit US$ 90 milhõs p psquiss substituím quipmnts nifics. "Pms instumnts cs qu só stã ispnívis p cmp ns Ests Unis, n Eup n Jpã", iss à vist Scinc Alfns Dgutt, pt-vz Univsi Chil. Os cintists tmbém qum qu gvn ci um cnt civil psquiss m sismlgi, incumbi ssumi mnitmnt tsunmis n lug Minh, cujs flhs lt p tsunmi fvi mplificm s mts s pjuízs. pvists, plçã c um psquiss plng nvlvns bichs. Ptst fv psquis cm nimis qu pá bi bchs m cs "ugênci s stiçõs, clínic". txt cm lívi pl cmuni. c. Oc qu scunhs inspis Aps fi cbi cintífi- ntis, pl fbby s fnss s nimis, m muit mis cnins, pibin té msm us vs glinh, insum ssncil p fbicçã vcins. s bm pi. Pms iss", iss Tu, it Pimts, à vist "Pi cnviv cm Ntu Stfn Cnt Almã m Gõttingn. PESQUSA FAPESP 171 MAO DE

3 : MÉXCO CRA AGÊNCA ESPACAL Após cinc ns bts, Câm s Dputs Méxic pvu n i 20 bil ciçã Agênci Espcil Mxicn Ax). "Estms ntn t n inústi spcil", mitiu Fnn Pn, cn gênci, sgun SciDv.Nt. "Ms bjtiv é cup tmp pi." A gênci nsc cm um çmnt simbólic, cc US$ 800 mil, p ci su stutu ministtiv cná s cs clbçã qu Méxic já mntém cm Ns s gêncis spciis Eup, Rússi Bsil. "Tms cts intnçã fims cm uts 32 píss p pi Ax", iss Pn. A ii g é ci s nvlvn s pincipis instituiçõs cintífics pís tmbém s inústis, p impulsin snvlvimnt cmcilizçã tcnlgis m ás cm snsimnt mt, tlcmunicçõs fs. "Mis 5% nss PB é gst m imptçã tcnlgi", iss Pn. "Ms s gms tcnlgi pópi, c ól invsti pms cup pl mns US$ 10 n cmcilizçã tcnlgi", fimu. COLABORAÇÃOSU~SUL Cinc gônms 10 técnics Vitnã vã pss is ns n Ch p tblh junt fznis pís ficn tnsfi tcnlgi m iigçã, cultiv z, psc ticinl picultu. A clbçã nt s is píss é cn pl FAO, bç s Nçõs Unis p limntçã gicultu, n âmbit su pgm nicitiv Cpçã Sul-Sul, ci _-.::: Sj tnsgênic: VANTAGENS DA TRANSGENA Cultus gnticmnt mifics fcm vntgns cnômics mbintis m lçã vis cnvncinis, c cm ltói public n i 13 bil pl Cnslh Ncinl Psquis s Ests Unis. ntuzis m 1996, s tnsgênics spnm hj p mis 80% sj, milh lgã s Ests Unis p cc mt á gicultuávl pís. D c cm ltói, fznis qu plntm cultus cm tcnlgi Bt, 80% cultiv ns EUA ci p sistênci pgs, usm mns insticis. E us cscnt plnts tlnts hbicis tmbém uziu ncssi gtóxics qu cntminm águ sl, nqunt csc mpg glifst, mns pigs mbint. Agicults qu tm cultus tnsgênics tmbém sgum cm mis fquênci pátics cnsvçã qu uzm sã sl. Ms ltói lt qu s iscs tnsgni pm csc à mi qu tcnlgi s xpn p uts cultus sug nvs invstimnts m psquis. m "Tt-s um ft pgm cpcitçã qu nvlv tnstênci tcnlgi nt píss m snvlvimnt", iss à gênci SciDv.Nt Abul Kbkiwl, FAO. "Clbçõs smlhnts mstm qu s gicults pcim ju, pis s vitnmits pssm p stágis smlhnts snvlvimnt n gícl têm muit nsin:' Os spcilists fm slclns pl FAO pl Ch nt um list nms fnci pl Ministéi Agicultu Vitnã. O Ch stá finncin pjt cm pt um pgm ncinl sgunç limnt qu iá invsti US$ 200 milhõs m cinc ns. O Vitnã mntém clbçõs smlhnts cm fznis Mgsc Sngl. 24 MAO DE 2010 PESQUSA FAPESP 171 Cultiv z n Vitnã: tnsfênci tcnlgi

4 - ESTRATÉGAS BRASL MODELAGEM BRASLERA 10S EUA nstitut Ncinl Psquiss Espciis lnp) cncluiu pcss licitçã p- :ênci >s scnt uziu tóxics gu cmp um nv supcmput qu sá us m pvisõs mtlógics stus sb munçs climátics. A mps nt-micn Cy gnhu cncênci, cm um supcmput cm nós, c um ls cm is pcsss 2 GHz. O smpnh ftiv supcmput sá 15,8 tflps sc tilhõs pçõs mtmátics) it, mbint..tm Cy, jpns NEC psntu ppst. O vl ttl p sgun. Além té fim n sistm stj funcinn n Cnt Pvisã Tmp Estus Climátics uzm chi Pulist, n Vl Píb. Pt tmp us CPTEC), m C- s supcmput sá sv p s s psqui- iscs csc ilgi 's ss váis ás vinculs Pgm FAPESP S BRASLERO NA REVSÃO DO PCC invstimnt é R$ 50 milhõs, sn qu Ministéi Ciênci Tcnlgi vi nt cm R$ 35 milhõs R$ 15 milhõs sã pvnints FAPESP. A pvisã é qu n mis Psquis sb Munçs Climátics Glbis. O cmput tmbém sá um pç funmntl pgm, qu é snvlvimnt p ut bjtiv n Bsil um ml 10S climátic glbl, um sftw cpz fz simulçõs s- squis. fistics sb fnômns clim. Cls Hniqu Bit Cuz, it cintífic FAPESP it Univsi Estul Cmpins Unicmp) nt , fi sign p pticip cmitê 12 mmbs qu fá um visã s pcimnts pcsss Pinl ntgqvnmntl Munçs Climátics PCC). O psint cmitê sá Hl Shpi, cnmist x-psint s univsis Pinctn Michign, ns Ests Unis. A visã inpnnt fi qui m mç pl Ognizçã s Nçõs Unis, qu PCC é vincul, pós scbt s pntuis ns ltóis pinl ivulgs m A tf fi ncmn ntacmy Cuncil AC), qu ún s pincipis cmis ciêncis mun mntu cmitê. Ent s tópics sm nliss figum cntl quli s s, tip littu qu v s cit m ltóis PCC s mcnisms cpzs gnti qu ts s pnts vist cintífics sjm cnsis. Shpi tá cm vic-psint Rsnn Dib, pfss Univsi KwZulu-Ntl, Áfic Sul. Os mis mmbs sã lu cm Nbl Químic Mi Mlin, Univsi Clifóni, Sn Dig; Mun Cpp, Univsi Myln; [ingyun Fng, Univsi Pquim; Luis Fsc, Univsi Amstã; Syuku Mnb, Univsi Tóqui; Gvhn Mht, nstitut nin Ciênci; Pt Willims, chncl Univsi Licst, nglt; Enst -Luwig Winnck, sctái-gl Cnslh Psquis Eup nt ; Abul Hmi Zki, cnslhi gvn Mlási. PESQUSA FAPESP 171 MAO DE

5 = CONTROLE DA FAUNA SLVESTRE A gstã fun silvst st Sã Pul, tulmnt bili nstitut sb spns- Bsili Mi Ambint s Rcuss Ntuis R- E nvávis bm), pssá p Cn- t Fun Silvst Scti Mi Ambint SMA) Est Sã t Pul. A tnsfênci sá xcut gulmnt cm pticipçã técnics s is ógãs. P iss, s E pfissinis stã linhn Sistm ntg Gstã Ambintl Sigm) SMA Sistm Ncinl Gstã Fun Sisfun), p pl b- m. Atulmnt bm cntl ts s mpnimnts qu usm mn- t c jm nimis silvsts n st Sã Pul. A ppst é qu zlógics, ci- us cmciis cintífics, cis pásss utilizs m tnis, cnts tigm bilitçã, nt uts, pssm s cst n Sigm p qu Cnt Fun Silvst SMA sj instânci spnsávl pl mnj s cuss. O cst sviá cm bnc s stblcimnts qu utilizm nimis fun silvst ntiv u xótic, ssim cm sus puts subputs. A ii é qu Sigm fcilit gstã fun giliz tnimnt usuái. BBLOTECA VRTUAL Qunts psss stã psquisn nst mmnt-u psquism, ns últims ns - sb ibts, txin btulínic, btx, pixs u vis m Sã Pul? Dá p sb m instnts spst ss uts pgunts smlhnts ntn n Biblitc Vitul Cnt Dcumntçã nfmçã FAPESP m mi 2005, BV cmplt cinc ns......,.;;., ~ utili cscnt: MAO DE 2010 PESQUSA FAPESP , núm visitnts únics pssu 20 mil p 744 mil visits, 41 mil p 925 mil. Enqunt uts bss s psntm pns s sults s psquiss, BV mst ciênci sn fit. "A biblitc pmit s usuáis cnhc s psquiss s puts qu gm", iz cn biblitc, Rsly Fv Kzyznwski. Rún s sums pjts guls psquis, tmátics, 972 mli Jvns Psquiss, 377 Plítics Públics 929 Psquis p nvçã Tcnlógic, pis pl Funçã. Lá stã tmbém fêncis sb tss isstçõs, tigs cintífics tblhs psnts m ncnts 162 slicitçõs ptnts, lém gists tblhs ivulgçã cintífic 131 publicçõs FAPESP. SSTEMA DE PARQUES CRESCE T Pqu Tcnlógic Cnt Psquis Dsnvlvimnt m Tlcmunicçõs CPqD) pssu intg Sistm Pulist Pqus Tcnlógics SPTc). Tt-s sgun inicitiv cnci m Cmpins, qu já cnt cm Pl Psquis nvçã Unicmp. O CPqD fi ci há 33 ns cm uni psquis Sistm Tlbás s 1998 tu fm inpnnt. Além s pls Cmpins, SPTc já cnciu pvisimnt inicitivs m Bts, Btuctu, lh Slti, Bui-Sntn Pníb Mcknzi Tmbé), Picicb, Snt Ané, Snts, Sã Jsé s Cmps, Sã Pul Jgué Zn Lst), Scb, Sã Cls PqTc Pqu EcTcnlógic) Sã Jsé Ri Pt. j' 1 li -

6 NOVAÇÃO PARA O AGRONEGÓCO CE ~D) ~us A Emps Bsili Psquis Agpcuái Embp) multincinl Syngnt ssinm um cntt cpçã qu stblc um pci m psquis, snvlvimnt tnsfênci tcnlgi. O c vi xpl ptunis cpçã ns cultus sj, milh lgã. N á sj, bjtiv s us mpss é, num pimi mmnt, pfiç su cpci intificçã ttmnt s nçs. P cultu milh, c pvê lizçã stus n Embp tcnlgis snvlvis pl Syngnt, cm mt ispnibilizá-ls s gicults bsilis. N cs lgã, já stã sn lizs nsis cm plnti nvs vis. Tmbém há ngciçõs OS VE~CEDORES FCW DO PREMO Pci: nvs vis p qu cn--çúc sj póxim cultu cntmpl n pci. "Tt-s um cpçã técnic cintífic us mpss lís, qu invstm m invçã buscm sluçõs p gngóci. Ess pci sultá m nvs ltntivs fts cmciis p s gicults bsilis", fim it-gl Syngnt Ptçã Cultivs, Léci Gimpni. A Funçã Cn Wssl FCW) ivulgu s vncs itv içã Pêmi FCW Ciênci Cultu. Os sclhis fm sn Lim Silv, pfss nstitut Biquímic Méic Univsi Fl Ri Jni ctgi Ciênci Gl); Jã Fnn Gms Olivi, it psint nstitut Psquiss Tcnlógics Est Sã Pul - PT Ciênci Aplic); Ric Psquini, pfss Univsi Fl Pná pini ns tnsplnts mul óss Micin); cític músic Antôni Nóbg Cultu). C um cbá um pêmi R$ 200 mil m cimôni n i 14 junh. Os júis s qut ctgis sã cmpsts p spcilists inics pls pcis FCW, cm FAPESP, Sci Bsili p Pgss Ciênci, Cnslh Ncinl Dsnvlvimnt Cintífic Tcnlógic, Cnslh Ncinl s Funçõs Amp à Psquis, Acmi Bsili Lts Acmi Bsili Ciêncis. ARTE E TECNOLOGA Sis instlçõs inttivs t cibnétic ficã x- psts té i 23 mi m stçõs mtô cpitl pulist. As bs ptncm à Funçã tú Cultul, qu ispõ um cv qu xpl lçã nt tcnlgi t lizu vnts cm Binl lntnclnl At Tcnlgi Sã Pul. N itiv ns, Estçã Bás, p n ciculm 102 mil psss p i, b Dscn sc, Rgin Silvi, á s visitnts ilusã um sci vitul. N Estçã Rpúblic, cntns linhs vticis luminss cis pls tists bsilis Dnil Kutscht Rjn Cn- ms, tni puzm luz sm qun tcs pls usuáis. As st- vs lh lnt s.ué çõs Pís Sé gnhã jins vituis. A pimi tá um spç cm smnts fls nts--ã, qu pã s ssps vitulmnt. A uçã sp visitnt á mvimnt às fls. N sgun, b Ult-ntu, Migul Chvli, pmit s spcts cntl cscimnt fls cm s mãs. PESQUSA FAPESP 171 MAO DE

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO RECURSOS HUMANOS Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos.

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos. C, O Mkz Vlá é m j sl Mkz, sm fs lvs (D º 8668 3/11/1981), q m sl bsl há 141 s. Iml m 24, m m l fl ssblz, mblz g s s ss gs, gss, lbs, fsss, ls, gs ls, fs, s, mgs fmls m mvm xmçã s ms q bgm s ss m, lém

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça, g u f R d Qum ã? Um fugd é td p qu dvd tm d pgud p mtv d ç, lgã, ncnldd, p ptnc dtmnd gup cl p u pnõ plítc, ncnt f d pí d u ncnldd nã p u nã qu c à ptçã d tl pí. Ou qu, ccnd d ncnldd tnd f d pí nd tv u

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PESQUISA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPUS CAMBORIÚ 1

DESENVOLVIMENTO DE PESQUISA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPUS CAMBORIÚ 1 Msta Nacinal Iniciaçã Cintífica Tcnlógica Intisciplina VI MICTI Institut Fal Catainns Câmpus Cambiú 30 a 31 utub 2013 DEENVOLVIMENTO DE PEQUIA EM CLOUD COMPUTING NO IFC - CÂMPU CAMBORIÚ 1 Dig Alvs a Rcha

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra &xttlt 91/li á ghl á Si!lJát tjll Czi O t içõ t t Ftz lv á git lõ: I O vi t i é fit i i l t gi t fix :;:ã;"4 l ll 1tlt xit á fi " """" t i t j it z 1 t A gitçã Iti ttt v i á g l vt bt l é itt q gã i fiíi

Leia mais

Mother s D. Recepção. A Festa. continua...

Mother s D. Recepção. A Festa. continua... 3 Ediçã 35 Mi 2013 Fi c i cih q s ls, fsss clbs d FC cçã di ds ãs. Cd lh d Mh's Dy fi sd ibi d cih dçã dd ls ãs. Os ls si bs fz c q d ccss c fiçã: c s cgfis, s sis s ls úss. Cd sçã fi cid c bs s s sdds

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) 1 Univsidd Fd Ru d Ri d Jni Pgm d Pós-gduçã d Ciêncis Sciis m Dsnvvimnt, Agicutu Scidd (CPDA) Rtói cm s pincipis ntícis divugds p mídi cinds cm gicutu Á Tmátic: Cédit p Agicutu Fmii Píd d Anáis: 01/09/2012

Leia mais

TECNOLOGIA PETCHANNEL EM. 4K 60P HEVC 20 Mb. Nelson Faria

TECNOLOGIA PETCHANNEL EM. 4K 60P HEVC 20 Mb. Nelson Faria TECNOLOGIA PETCHANNEL EM 4K 60P HEVC 20 Mb Nln Fi TV nlógic cmç dligd m 2015. ADOÇÃO ADOÇÃO DA DA TECNOLOGIA TECNOLOGIA 4K 4K DIAGRAMA DIAGRAMA DE DE UMA UMA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO POR POR IP IP EQUIPAMENTOS

Leia mais

Plano Anual de atividades 2015/2016 1ºPeriodo

Plano Anual de atividades 2015/2016 1ºPeriodo Anua atividas 2015/2016 1ºPid Atividas a aiza Ecíci vacuaçã Assciaçã atística andant tat Afina Íbis 1ª Runiã ga ncagads ducaçã Mês da aimntaçã, atividas pmçã paa a saú Gup av Pésca Pésca Pésca Pésca Rcuss

Leia mais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais Shw C TÓPICOS Vã Gl Mé cv Mé cv O Mc Vã Ngóc Alg ú Pcp fc Rl N vç Pc Q fz Vã Gl A ESTRUTURA ECOLÓGICA CONSTRUTORA, g c l é c cçã à v pcpçã q lz écc clógc. Sb p v é pf pívl v, p g cl c fã. N çã ppc c, c

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation

Cleber Giorgetti Assessoria e Consultoria. Business & Strategy Marketing & Sales Products & Services Technology & Innovation Cb Gg A C B & Sgy Mkg & S P & Sv Thgy & v Qm Sm N m 2002, mp v x mp çm bjv gó, m m f óg, pb-h m mpv. Apçã hm é gó q vé xpê 20 f, q xm pçõ gã m pçõ m: G Tg, Avy, L Thg, B Lb, AT&T, SD T,. R m p m gó g,

Leia mais

Por que escolher a CWC?

Por que escolher a CWC? P q lh CWC? t õ ç t 1. I i l ã à t t N it, l it, l ti á g l f E g i. t lê g I ívl t é á ti, tblh lh it h l. z i lh i iglê 4. V i Ativ Of i vi g tivi lt t i ii t. E tiv t v i ã t it çã tbé t t, xõ til lt

Leia mais

Ferramentas para Usinagens

Ferramentas para Usinagens S Fmt lt F m t l t M í. 43 Máx. 54 R E G U L A G E M Ø 43 - Ø 54 EMS - 92585000142 EDIÇÃO - 01/08 Pjt Gáfic - ROBERTO CAMPOS YNOWA FERRAMENTAS LTDA RUA CLÁUDIA SOARES, Nº 153 - BAIRRO PORTAL DO SOL SÃO

Leia mais

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS T K Dí Mz 1 (UFAL) mz.p@hm.m V C B 2 (UFAL) v2@yh.m.b M Lm Qz F 3 (UFAL) 12@hm.m RESUMO N g pm p á bvçõ z m m m pó-fbzçã jv, m m púb. O f vgçã - fmçã p zçã

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Minha vida está mudando.

Minha vida está mudando. U jt v vv. Mh v tá. Q á, z, t Q. 11 h t M é Alc b h l t g, c FLR DA IDAD. t ql. c l, ã, q é pcólg c z. l íc f tã é ã cêc Sb, t l t c é É, t, t b. h c M. g c p lh! t q h c Pq t, tbé c t j, q é, bc, á c.

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

O EMPREITEIRO. Copatrocínio

O EMPREITEIRO. Copatrocínio KH T M W TÃ G A N F NAL UC Lp D CA -A 1200 ÁT X A JT - / A ã 5 1 0 2 D m 26 A A ç p 27 MW c áb fz h C J F g c h Lb 290/ -116 6 1 0 y 2 w h çã f pc G pc m D x f L ª 4 G c M A Jg q A b é C gh H V V g ã M

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem?

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem? Svi -il It Nv? 4 CLOUD SOLUTIONS Pgt q t p vi fz p ã p pi. Svi -il It Nv? 4 Pgt q t p vi fz p ã p pi. CLOUD SOLUTIONS Mi. S Epilit Cl. E-il é lg tã pt i i p, tã bái p fit qlq gizçã, q ã é p igi q l fi

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA COMISSÃO DE ARTICULAÇÃO INTERMUNICIPAL - CAI CAPANEMA. PERIODO: JANEIRO a DEZEMBRO de 2012 CAPANEMA PA

PLANO DE AÇÃO DA COMISSÃO DE ARTICULAÇÃO INTERMUNICIPAL - CAI CAPANEMA. PERIODO: JANEIRO a DEZEMBRO de 2012 CAPANEMA PA PLN D ÇÃ D CISSÃ D TICULÇÃ INTUNICIPL - PID: JNI a DZ de 2012 QUIP: DICLI CHICUI CDND NGLIC LI SCTÁI SILN GCI TSUI CPN P 2012 CLNDÁI D TIVIDDS D CISSÃ D TICULÇÃ INTUNICIPL - PID: JNI a DZ de 2012 ÊS TIVIDD

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Estudo comparativo das técnicas não destrutivas de ultrassom e esclerometria na avaliação do desempenho mecânico de estruturas em concreto armado.

Estudo comparativo das técnicas não destrutivas de ultrassom e esclerometria na avaliação do desempenho mecânico de estruturas em concreto armado. XII Cngs Ltinn Ptlgí l Cnsuión y XIV Cngs Cnl Cli n l Cnsuión CONPAT-Clbi stu ptiv s tns nã sutivs ulss sli n vliçã spnh ân sutus nt. C.H. Cvlh¹, M.C.S.S. M 2 ; J.B. Sv Juni 3 ; S.Giz 4 ; C..C. An 1 ;

Leia mais

PORTFÓLIO EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL NA ÁREA DAS TIC HUGO GONÇALVES

PORTFÓLIO EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL NA ÁREA DAS TIC HUGO GONÇALVES PTFÓLI XPIÊNCI PFISSINL N Á DS TIC HUG GNÇLVS PTFÓLI IDNTIFICÇÃ Nome : HugoMiguelGomesGonçalves Data de nascimento : 1977-12-10 CC : 11051976 NIF : 223716375 ÍNDIC INTDUÇÃ XPIÊNCI PFISSINL N Á DS TIC 2011-2013

Leia mais

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS Mpmnt Cstr cm Ap d Imgns d Stélts THEOS 1 Glbrt Pssnh Rbr, glbrt.pssnh@gml.cm Artur Wllcx ds Snts, rturwllcx@gml.cm Ubrtn d Suz Ds Junr, ubrtn.ds.junr@gml.cm Agrdcmnts: Rbr Brn, Gfísc/UFF UNIFESP Ls Unvrsdd

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina Estimtivs s impcts s munçs climátics s znmnts cultur bnn mçã Est Snt Ctrin Cristin Pnlf1, Luiz Alb Hmms2, Cláudi Cmrg3, Angl Mns Mssignm4, Emnul Sl Prir Pint5 Mriln Lim6 qustã mátics t s munçs si discuti

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

Norton R. Caetano Patrícia C. Genovez Roberto D. Estrada

Norton R. Caetano Patrícia C. Genovez Roberto D. Estrada NÁS SPC STTÍSTC MTG CNSTUÇÃ ÍNC XCUSÃ/NCUSÃ SC : TV À Á UBN SÃ JSÉ S CMPS- SP (CNS BG 1991) SPT - 02 /09 /97 Norton. Caetano Patrícia C. Genovez oberto. strada SUMÁ 1 NTUÇÃ 2 BJTVS 3 MTG 3.1 GSSÃ N PC

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

Semana da Consciência Negra

Semana da Consciência Negra ESPECIAL N OTÍCIAS DA R E EGIONAIS DUCAÇÃO INFORMATIVO DO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE TOLEDO Smn d Cnciênci Ng EDITORIAL A Smn d Cnciênci Ng mvimntu NRE Tld. D 15 21 d nvmb, fm dzn d tividd nvlvnd milh

Leia mais

INFORMAÇÕES CONTIDAS NOS DOCUMENTOS

INFORMAÇÕES CONTIDAS NOS DOCUMENTOS fupcarga Página 1 INFORMAÇÕES CONTIDAS NOS DOCUMENTOS ireland fábrica ireland Aep Guarulhos Columbia embalagem em caixas de papelão EmbPallets embalagem em pallets embalagem em pallets Invoice Ordem Conhecim

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

faz toda diferença em sua dieta. Escolha seu prato principal e

faz toda diferença em sua dieta. Escolha seu prato principal e Há i d 10 n, COMABEM - Rfiçõ Ditétic - v tund pciliznd n fncint d fiçõ fc cngld, ppd d ni udávl. Aqui, vcê ncnt vái pçõ c bix t clóic vind duçã d p, lh d qulidd d vid qund ptd d lgu ptlgi, nutnçã d p c

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 2010 JUNHO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA TARDE - MÓDULO DISCURSIVO São curiosos os números. Às vezes é mis útil rredondá-los do que trblhr com seu vlor

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos 2º/3º ciclo O Ã Ç A T N E M A LIndo d pgunt u u ni u i ct n u Exit co? d d dit, d á l tção, f n ão p t t N n nci li ê f p tnt o p i hábito i g ê t d indic udávl. o ã ç t n d li Filip, 12 no lid 1 EguNntTAÇÃO

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

Indução x Cementação. Fragilização por Hidrogênio 35 Integridade do Sinal 38 Medição de Temperatura Móvel 46 Comparando Gás, Óleo e Sal 50

Indução x Cementação. Fragilização por Hidrogênio 35 Integridade do Sinal 38 Medição de Temperatura Móvel 46 Comparando Gás, Óleo e Sal 50 BRASIL Th Intntnl Jnl Of Thml Pcssng Jn M 2016 Inçã x Cmntçã Cmpn Cmntçã Têmp p Inçã 42 Fglzçã p Hgên 35 Intg Snl 38 Mçã Tmpt Móvl 46 Cmpn Gás, Ól Sl 50 Fs Thmpcss, Gf, Mtc Nwcst sgm 4 m 4 ns n Almnh 17

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA "PIO DÉCIMO" S/C LTDA FACULDADE PIO DÉCIMO. Relatório horário Disciplina por Curso

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO S/C LTDA FACULDADE PIO DÉCIMO. Relatório horário Disciplina por Curso SSOCIÇÃO D NSINO CULTUR "PIO DÉCIMO" S/C LTD FCULDD PIO DÉCIMO Rua stância 362, Centro - racaju/s - Fone (79) 2106-3050 - C.G.C. 13.014.758/0001-20 to de autorização de funcionamento: Portaria 965-12/11/1954

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

Conheça o Instituto Bola Pra Frente

Conheça o Instituto Bola Pra Frente p n p p v n l l? B Qu u v p p c u h l b v n Cnhç Inu Bl P Fn O Inu Bl P Fn ncu nh cpã unl fubl, Jgnh, qun l nh 11 n jgv bl n cp váz n f cnuí Inu - Gulup, Zn N R Jn - nugu n n 2000. N buc p u plc cl ju,

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Gabarito - Química - Grupo A

Gabarito - Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada nos meados do séc. XIX, com os estudos de ouper e Kekulé, referentes ao comportamento químico do

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo Flh d Clul O qu é: U Flh d Clul é, dç, u ju d élul qu u glh u bl qu d l- vé d xõ lóg /u O qu : Ogzç ç d bl l d vl; F, í,, qu jud xu lul lx; Auzç d, vé d gç u d ódg d lul u d uld; Rç g d ç; d bl ulzd çõ

Leia mais

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o .. u p v g c C C O ) F h C I ( É, - p c c ç u u g w w p g c u F C I ã ) A U E ( C D h W k N f N h C F. z c v p ç p g u ) k M U ( E ã A M ) P S ( M P S E k M G p v h F C O ã b S Apc gc Agc Ag c R z O v

Leia mais

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto Cu A f ê glblz fçã pu u f hv u p. v ég p pl, vé pç fl pu, qul pp vçã uz. O Hj Tp P v é á v v pê âb gh lg pu u fz ppçã qu. P v u f é á lz p u l up à ê, u p p. Só é pívl l lv u v vlv pê ful à gh pu. Qul

Leia mais

compras hospedagem gastronomia lazer cultura

compras hospedagem gastronomia lazer cultura cm gtnmi hdgm lz cultu AEOPOTOS Cngnh (ditânci-15km) Intncinl d Cumbic (ditãnci-40km) Intncinl d Vic (Cmin) COMPANHIAS AÉEAS AZUL GOL/VAIG TAM EMEGÊNCIAS - SAÚDE Bmbi (gt) Hitl d Clínic SAMU-Sv d Atndimnt

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO

GABINETE DO SECRETÁRIO GABINT DO SRTÁRIO DITAL Nº 006/20 SLÇÃO INTRNA D DONTS ARA ATUAR NOS ROGRAAS STRUTURANTS DA SRTARIA D DUAÇÃO DO STADO DA BAHIA: NSINO ÉDIO AÇÃO IÊNIA NA SOLA, NA ONDIÇÃO D SURVISORS ONITORS/TUTORS ONLIN.

Leia mais

Confira: ENTREVISTA ESPECIAL COM O MINISTRO DA DEFESA WALDIR PIRES

Confira: ENTREVISTA ESPECIAL COM O MINISTRO DA DEFESA WALDIR PIRES 2006: O ANO DO BRASIL NO ESPORTE B Indutil d Df: PREOCUPAÇÃO CONSTANTE DO MD Cnfi: ENTREVISTA ESPECIAL COM O MINISTRO DA DEFESA WALDIR PIRES Editil ESTRATÉGIA E DESAFIO O Bil á, dngn- dmnt, nt écul XXI,

Leia mais

!"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!

!#$%& '( &)*$+,-& '( +!,& .!(,()/'& & (.!/0()/& '( (&1!23 '& ()/!& '( 34)*3, +0),( /+!3,' )35(!,3''( ('(!$ '&,.6! !"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!3/& ")/& *&0&!(7+3,3/&."!*3"$."!" " &#/()8-& '& 1!"+ '( "*%"!($ (0 (&1!"23"!3()/"'&!!$9+'3&+3:;")&/($$3

Leia mais

Transformada de Laplace

Transformada de Laplace Capítulo 8 Transformada de Laplace A transformada de Laplace permitirá que obtenhamos a solução de uma equação diferencial ordinária de coeficientes constantes através da resolução de uma equação algébrica.

Leia mais

NBR 8417 TUBO PEAD PE80 RAMAL PRED 50M 4776 RL 20X2,3MM. NCM - 39172100. DTC - 4776. Código 1 - Tubo PEAD Amanco 119,35 0,00

NBR 8417 TUBO PEAD PE80 RAMAL PRED 50M 4776 RL 20X2,3MM. NCM - 39172100. DTC - 4776. Código 1 - Tubo PEAD Amanco 119,35 0,00 NBR 8417 TUBO PEAD PE80 RAMAL PRED 100M 793 RL 20X2,3MM. NCM - 39172100. DTC - 793. Código 1 - Tubo PEAD Tigre 236,97 0,00 fabricante10101433 794 RL NBR 8417 TUBO PEAD PE80 RAMAL PRED 100M 32X 3,0. NCM

Leia mais

O sinal Impulso Unitário 1. Definição

O sinal Impulso Unitário 1. Definição O sinl mpuls Uniári. Dfiniçã mpuls uniári mp iscr [n] [ n], n, cs cnrári mpuls uniári mp cnínu, 2. Hisóric O sinl l Dirc fi cri pl físic inglês Pul A. Muric Dirc 92-984 p sr is cm quiln cnínu l Krnckr

Leia mais

P a. e s. q u i. Gestão de Recursos. I n. s s a d a s. Entrada

P a. e s. q u i. Gestão de Recursos. I n. s s a d a s. Entrada SO TS 16949:2002 A uu d pcfcçã écnc E g pná cnc d m d gã d quldd, uu d pcfcçã écnc SO TS 16949:2002 bdgm d m d quldd umv. A pcfcçã écnc SO TS 16949:2002 é bd n pncíp d gã d quldd pnd n nm NBR SO 9001:2000:

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde Plítics públics sú: Sistm Únic Sú Dnizi Olivir Ris, Elin Crs Arúj Luiz Crls Olivir Ccíli Sumári Aprsntçã 2 Os impsss u ificuls SUS 13 O Pct pl Sú (buscn sís pr s prblms impsss) 16 Rfrêncis 17 2 Plítics

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

SOLUÇÃO DA EQUAÇÃO DE LAPLACE PARA O POTENCIAL DE LIGAÇÃO IÔNICA

SOLUÇÃO DA EQUAÇÃO DE LAPLACE PARA O POTENCIAL DE LIGAÇÃO IÔNICA SOLUÇÃO D EQUÇÃO DE LPLCE PR O POTENCIL DE LIGÇÃO IÔNIC Bathista,. L. B. S., Ramos, R. J., Noguia, J. S. Dpatamnto d Física - ICET - UFMT, MT, v. Fnando Coa S/N CEP 786-9 Basil, -mail: andlbbs@hotmail.com

Leia mais

EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1983-2003

EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1983-2003 EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1983-23 IMPORTADO Ano VENDAS PART % EVOL % VENDAS PART % EVOL % VENDAS EVOL % 1983 1.24.25 87,16% -9,62% 15.858 12,84% 5,28%

Leia mais

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia)

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia) COLÉGIO NAVAL 016 (1º di) MATEMÁTICA PROVA AMARELA Nº 01 PROVA ROSA Nº 0 ( 5 40) 01) Sej S som dos vlores inteiros que stisfzem inequção 10 1 0. Sendo ssim, pode-se firmr que + ) S é um número divisíel

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO JULHO/2015

BOLETIM INFORMATIVO JULHO/2015 BOLETIM INFORMATIVO JULHO/2015 A 9 Eçã 107 DESTAQUES ASSEMBLEIA GERAL ORDINARIA RECEITAS X DESPESAS BENEFÍCIOS, SERVIÇOS E PARCERIAS SEGURO AUTO CONSCIENTE DEPARTAMENTOS APOSENTADOS CULTURAL E RECREATIVO

Leia mais

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012 Prova Discursiva Medicina 16/12/2012 Caderno de Prova Este caderno, com 16 páginas numeradas sequencialmente, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica dos Elementos

Leia mais

1 a) O que é a pressão atmosférica? No S.I. em que unidades é expressa a pressão?

1 a) O que é a pressão atmosférica? No S.I. em que unidades é expressa a pressão? Escol Secundái Anselmo de Andde Ciêncis Físico - Químics 8º Ano Ano Lectivo 07/08 ACTIVIDADES: Execícios de plicção Pof. Dulce Godinho 1 ) O que é pessão tmosféic? No S.I. em que uniddes é expess pessão?

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO COM FOCO EM INVESTIMENTO NO EXTERIOR FIM MORTGAGE

FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO COM FOCO EM INVESTIMENTO NO EXTERIOR FIM MORTGAGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO COM FOCO EM INVESTIMENTO NO EXTERIOR FIM MORTGAGE O estouro da bolha imobiliária nos EUA abriu uma janela de oportunidade inédita para investir no mercado imobiliário

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais