ART NOUVEAU. TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ART NOUVEAU. TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III"

Transcrição

1 TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III ART NOUVEAU Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Curso de Arquitetura e Urbanismo Prof. Ana Paula Zimmermann

2 Art Nouveau Europa e Inglaterra Art Nouveau: marchand Bing, loja especializada em venda de móveis e objetos avant-gard Liberty: loja em Londres, 1875 Jugendstil: Alemanha, revista Jugend (1896) Reuniu tendências: industrialização, arte oriental, artes decorativas, iluminuras medievais, artes aplicadas (processos industriais) Rejeita as formas meramente funcionais dos objetos decorativos provenientes da produção em massa e adere às formas sinuosas, curvilíneas. 12

3 Caracterizado pela ruptura com as tradições na arte e na arquitetura. Estilo novo, voltado para a originalidade da forma, destituído de preocupações ideológicas e tradições estéticas. Teve principal influência nos objetos decorativos e na arquitetura (Machintosh, Gaudi) Integração das artes: mesmo princípio passou a ser utilizado na arquitetura, decoração, pintura, móveis, joias Queria fugir da opressão da indústria, da linha reta, da igualdade Propunha uma linguagem formal inspirada na natureza, caracterizada pela linha sinuosa e dinâmica e decoração floral. Design foi adaptado ao modo de produção industrial 13

4 Aplicado em joias e demais objetos decorativos O artista não deveria pretender criar uma única obra de arte, mas sim um complexo harmonioso e integrado de partes e elementos que propiciasse um ambiente adequado para a vida social. 14

5 15

6 16

7 Arquitetura: Art Nouveau Características: 1) Motivos fitomorficos, inspirados na natureza 2) Estilização das formas 3) Ritmo baseado nas curvas e na cor 4) Não existe mais simetria perfeita 5) Busca comunicar agilidade, movimento, leveza O elemento decorativo perde o caráter de acréscimo, de sobreposição. Elemento ornamental se adequa ao objeto transformando-se de superestrutura em estrutura. Funcionalidade se identifica com o belo. 24

8 Artistas proclamavam a intenção de basear sua arte na realidade presente. Por isso os termos aplicados fazem referências à modernidade, à inovação. Podem utilizar elementos do passado mas o faziam de estilos tão distanciados no tempo (medievais) ou no espaço (japoneses) que o resultado parecia original e moderno. Rejeitavam o naturalismo puro e simples. Não se deveria imitar a natureza mas sim Hector Guimard, sintetizar suas formas e entrada do metrô de Paris, projetá-las de maneira mais livre e imaginativa

9 Victor Horta (Bélgica 1861/1947) Estudou desenho e arquitetura na Academia de Belas-Artes de Gent começou a trabalhar, desenvolvendo uma arquitetura que rejeita os estilos históricos em voga na época. Casa do Povo (1898) - Casa Horta (1898) - Hotel Solvay (1900). Fortemente decorativista, utiliza em abundância ferro e o vidro, inspirando-se em elementos vegetais. Aproveita os elementos estruturais como decoração leciona na Universidade de Bruxelas e, entre 1912 e 1931, foi professor na Academia de Belas-Artes de Bruxelas. A casa que construiu para si próprio, em 1898, foi transforma da num museu dedicado à Arte Nova. 26

10 Projeta a Casa Tassel, em Bruxelas (Bélgica) considerada o primeiro edifício construído no estilo Art Nouveau. 27

11 Hotel Solvay, Bruxelas,

12 ANTONIO GAUDÍ Barcelona Influenciado por Ruskin e Morris Contrário a ideologias rígidas Produz arquitetura dita religiosa pelos simbolos e signos presentes em seus elementos decorativos Acreditava que a técnica estava a serviço da fantasia, da criação 29

13 Formas abstratas Fluidez, feitio orgânico Forma modelada como uma escultura Cores fortes Revestimento em mosaico Busca a forma pura 30

14 Parque Guell 31

15 Casa Batló Verticalismo quase neogótico Substitui o arco de ponta gótico (ogival) por arcos parabólicos Preferência por formas naturais, biomórficas, ritmos lineares contínuos Linhas ondulantes e paredes côncavas ou convexas com decoração em relevo Integração de macro e microestrutura 32

16 A edificação era projetada como um todo: estrutura, fachada, janelas, portas, escadas, móveis, etc. 33

17 La Pedrera Casa Milá

18

19 Conclusões: Arts & Crafts - Durou pouco tempo, mas influenciou o movimento francês da art nouveau e é considerado por diversos historiadores como uma das raízes do modernismo no design gráfico, desenho industrial e arquitetura. O Arts & Crafts foi uma importante influência para o surgimento da Bauhaus, que também acreditavam que o ensino e a produção do design deveria ser estruturado em pequenas comunidades de artesãos-artistas, sob a orientação de um ou mais mestres. A Bauhaus desejou, assim, uma produção de objetos feito por poucos, nos quais a assinatura do artesão tem um valor simbólico fundamental. De forma ampla, a Bauhaus herda a reação gerada no movimento de Morris contra a produtividade anônima dos objetos da revolução industrial. 35

Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900.

Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900. Art Nouveau significa arte nova; Rompimento com as tradições; Surgiu em 1895, mas teve seu apogeu em 1900. O nome do movimento artístico deriva do nome da loja parisiense, L'art Nouveau, de artigos mobiliários.

Leia mais

ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU

ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Curso de Arquitetura e

Leia mais

período anterior ao aparecimento da escrita

período anterior ao aparecimento da escrita período anterior ao aparecimento da escrita Portocarrero, 2010. Surgimento da Escrita +/- 4000 a.c à Queda do Império Romano do Ocidente, em 476 d.c Templo de Luxor - Egito Antigo A Esfinge de Gizé Templo

Leia mais

Art Nouveau. Introdução e Algumas Considerações

Art Nouveau. Introdução e Algumas Considerações Art Nouveau Introdução e Algumas Considerações Os temas dominantes A Art Nouveau é associada à curva longa e sensível (...), à antena de um inseto, ao filamento de uma flor, ou por vezes a uma delgada

Leia mais

ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX

ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX Pintura Brasileira século XIX Assim como a arquitetura, a pintura irá assimilar as mudanças sociais e políticas. Criaram-se neste período, no Brasil, empresas de mineração,

Leia mais

Vista da Catedral de Colónia, Alemanha

Vista da Catedral de Colónia, Alemanha Arte Gótica A arte gótica, estilo artístico desenvolvido na Europa Ocidental, está diretamente ligada ao contexto histórico da época de sua criação. No fim da Idade Média, o velho continente se deparou

Leia mais

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Movimento das Artes e Ofícios Movimento nascido na Inglaterra, na segunda metade do século XIX; Conhecido como Movimento

Leia mais

Art Nouveau/ Secessão de Viena

Art Nouveau/ Secessão de Viena 1760 Revolução Francesa 1789 Revolução Industrial 1819 Rainha Vitória 1840 1901 1874 Arts and Crafts 1880 1890 Primeira Guerra Mundial 1914 1918 1924 Art Déco Impressionismo 1925 Art Nouveau/ Secessão

Leia mais

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano Arte no Brasil Colonial Arquitetura e urbanismo 8º ano - 2013 A arte no Brasil colonial (1500 a 1808) foi marcada pela forte influência européia. O principal estilo que surge neste período é o BARROCO,

Leia mais

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p. Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio Capítulo 14 A arte no Barroco Europeu 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.141 02 No livro, encontramos duas explicações para o surgimento

Leia mais

A arquitetura foi a principal expressão da Arte Gótica e propagou-se por diversas regiões da Europa, principalmente com as construções de imponentes

A arquitetura foi a principal expressão da Arte Gótica e propagou-se por diversas regiões da Europa, principalmente com as construções de imponentes O ESTILO GÓTICO DESIGNA UMA FASE DA HISTÓRIA DA ARTE OCIDENTAL, IDENTIFICÁVEL POR CARACTERÍSTICAS BEM ESPECÍFICAS DE CONTEXTO SOCIAL, POLÍTICO E RELIGIOSO EM CONJUGAÇÃO COM VALORES ESTÉTICOS E FILOSÓFICOS

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE. Arte gótica Renascimento Barroco

HISTÓRIA DA ARTE. Arte gótica Renascimento Barroco HISTÓRIA DA ARTE Arte gótica Renascimento Barroco ARTE GÓTICA O Gótico foi notadamente a expressão artística mais importante do final da Idade Média. Seu auge ocorre na Baixa Idade Média. Sua importância

Leia mais

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Curso: Técnico em Edificações Disciplina: ICCC I Introdução à Construção Civil I Professora:

Leia mais

Defesa dos valores de universalidade e padronização; Anti-ornamentalismo e relação com ideologia política; Predomínio do uso de materiais artificiais

Defesa dos valores de universalidade e padronização; Anti-ornamentalismo e relação com ideologia política; Predomínio do uso de materiais artificiais Período Moderno: Ênfase em questões funcionais (valores utilitários); Busca de interiores puros e originais; Valorização dos aspectos de higiene e conforto; Defesa dos valores de universalidade e padronização;

Leia mais

Mestre Consolus. Um milagre de São Pedro. Segunda metade do século XIII. A caverna confere sensação de profundidade.

Mestre Consolus. Um milagre de São Pedro. Segunda metade do século XIII. A caverna confere sensação de profundidade. Proposta de Leitura: GOMBRICH, 1999, pp. 133-141; 185-195; 201-205. A arte na Idade Média transmite uma verdadeira integração da pintura, escultura e arquitetura marcados pela arte românica no final do

Leia mais

ARTE MEDIEVAL. Estilo Bizantino

ARTE MEDIEVAL. Estilo Bizantino ARTE MEDIEVAL Durante a Idade Média (século V ao XV), a arte europeia foi marcada por uma forte influência da Igreja Católica. Esta atuava nos aspectos sociais, econômicos, políticos, religiosos e culturais

Leia mais

A Arte na Roma Antiga

A Arte na Roma Antiga A Arte na Roma Antiga 01 Quais as civilizações que influenciaram Roma no campo artístico? R. na pag. 51 02 Como a arte grego-helenística contribuiu com a expressão artística romana? R. na pag. 52 (na caixa

Leia mais

Com a tomada de Roma pelos povos bárbaros, em 476, inicia-se a Idade Média. A arte da Idade Média tem suas raízes na época conhecida como

Com a tomada de Roma pelos povos bárbaros, em 476, inicia-se a Idade Média. A arte da Idade Média tem suas raízes na época conhecida como ARTE ROMÂNICA Nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII, durante o período da história da arte conhecido como românico. Visto principalmente nas igrejas católicas construídas

Leia mais

ARTE GÓTICA Inicialmente, o estilo gótico era aplicado exclusivamente na construção de edifícios religiosos. As características mais importantes

ARTE GÓTICA Inicialmente, o estilo gótico era aplicado exclusivamente na construção de edifícios religiosos. As características mais importantes ARTE GÓTICA Inicialmente, o estilo gótico era aplicado exclusivamente na construção de edifícios religiosos. As características mais importantes desse estilo são os arcos visíveis da estrutura da abóbada;

Leia mais

Arte Medieval. Arte Românica. Profª Mariana Kaadi

Arte Medieval. Arte Românica. Profª Mariana Kaadi Arte Medieval Arte Românica Profª Mariana Kaadi Arte românica É o nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII. O estilo é visto principalmente nas igrejas católicas construídas

Leia mais

Técnico Design Interior

Técnico Design Interior Técnico Design Interior ARTE GÓTICA Professora Alba Baroni Arquiteta ARTE GÓTICA (1100 1300) No século XII a economia é fundamentada no comércio. O centro da vida social volta a ser a cidade. No inicio

Leia mais

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES!

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES! UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2 Prof. M.Sc. KAREN KELES Curso Arquitetura e Urbanismo Carga Horária 80 Horas - 4 horas semanais Ementa: Estética como campo filosófico. 66 horas teórica - prática

Leia mais

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design (1808-1950) professor Rafael Hoffmann (...) uma cultura visual distintamente brasileira entrelaçada com os estilos internacionais do final

Leia mais

by Jetclass coleção addiction

by Jetclass coleção addiction by Jetclass coleção addiction Opium é a proposta de Design Art em mobiliário do Grupo Jetclass. Um conceito único em design de móveis de luxo, as peças da marca Opium são verdadeiras obras de arte e um

Leia mais

Realismo REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE

Realismo REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE A invenção da fotografia em 1823 influencia as artes de diversas maneiras; Surgem duas correntes, os Realistas e os Impressionistas;

Leia mais

Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a

Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a Arquitetura Gótica Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a França.Desprotegidos, o povo se organizou em

Leia mais

EVOLUÇÃO DO DESIGN DE INTERIORES DO EGITO ANTIGO AO MODERNISMO. Prof. Ana Paula Zimmermann

EVOLUÇÃO DO DESIGN DE INTERIORES DO EGITO ANTIGO AO MODERNISMO. Prof. Ana Paula Zimmermann EVOLUÇÃO DO DESIGN DE INTERIORES DO EGITO ANTIGO AO MODERNISMO Prof. Ana Paula Zimmermann NEOCLASSICISMO Elegância, conforto e bom gosto. Volta da pureza das formas do período clássico. O ART NOUVEAU

Leia mais

ART NOUVEAU. Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio

ART NOUVEAU. Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio ART NOUVEAU Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio CONTEXTO SÉCULO XIX BUSCA POR UM NOVO ESTILO DIVÓRCIO ENTRE AS ARTES APLICADAS: ARQUITETURA, PINTURA E ESCULTURA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL PRÁTICAS DE SUCESSO E O CASO DO CENTRO DE INFORMAÇÕES DO CERRADO. Catharina Macedo

ILUMINAÇÃO NATURAL PRÁTICAS DE SUCESSO E O CASO DO CENTRO DE INFORMAÇÕES DO CERRADO. Catharina Macedo PRÁTICAS DE SUCESSO E O CASO DO CENTRO DE INFORMAÇÕES DO CERRADO Catharina Macedo catharina.macedo@gmail.com PRÁTICAS DE SUCESSO E O CASO DO CENTRO DE INFORMAÇÕES DO CERRADO 1. BREVE HISTÓRICO 2. VANTAGENS

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 7/00, de 6 de Março Prova Escrita de História da Cultura e das Artes.º/.º Anos de Escolaridade Prova 7/.ª Fase 0 Páginas Duração da Prova: 0 minutos.

Leia mais

PRINCIPAIS MONUMENTOS

PRINCIPAIS MONUMENTOS ARTE CHINESA ARQUITETURA Grandes construções da engenharia e arquitetura chinesa de caráter civil e militar foram feitas com pedras e escavadas em rocha viva, tais como A Grande Muralha e os templos budistas

Leia mais

Desenhos técnicos dos modelos de camas

Desenhos técnicos dos modelos de camas Desenhos técnicos dos modelos de camas (Documento de trabalho) Equipe FUCAPI Manaus - 2007 Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica FUCAPI Av. Governado Danilo Areosa, 381, Distrito

Leia mais

Módulo 3-2. O alargamento do conhecimento do mundo O conhecimento científico da Natureza

Módulo 3-2. O alargamento do conhecimento do mundo O conhecimento científico da Natureza Módulo 3-2. O alargamento do conhecimento do mundo. 2.2. O conhecimento científico da Natureza - A matematização do real - Álgebra (equações, operações, polinómios ) - Geometria (forma, tamanho, posição

Leia mais

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Prof. André de Freitas Barbosa Altar do Mosteiro de São Bento (Rio de Janeiro, 1617), traçado original de Francisco Frias de Mesquita. Numa época de

Leia mais

Quem somos. A VISÃO Ser reconhecida como a empresa de referência na apresentação de soluções de otimização de recursos para unidades produtivas.

Quem somos. A VISÃO Ser reconhecida como a empresa de referência na apresentação de soluções de otimização de recursos para unidades produtivas. Quem somos A DRAGOTECH A Dragotech é uma empresa que desenvolve e comercializa uma solução de software para a indústria do mobiliário o 3Cad Evolution. O nosso produto nasceu em Itália há 20 anos, tendo

Leia mais

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922.

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Foi um encontro de novas ideias estéticas, que mudaram a arte

Leia mais

Arte Cristã Primitiva. Mosaico Bizantino da Basílica de Santa Sofia em Constantinopla século XII. 1

Arte Cristã Primitiva. Mosaico Bizantino da Basílica de Santa Sofia em Constantinopla século XII. 1 Arte Cristã Primitiva Mosaico Bizantino da Basílica de Santa Sofia em Constantinopla século XII. 1 2 Arte Paleocristã (séc. II séc V) Desenvolveu-se dentro do Império Romano; Perseguidos pelos imperadores;

Leia mais

ARTE NA IDADE MÉDIA. Pintura, Arquitetura, Escultura.

ARTE NA IDADE MÉDIA. Pintura, Arquitetura, Escultura. ARTE NA IDADE MÉDIA Pintura, Arquitetura, Escultura. História da Arte da Idade Média. A arte entre o céu e o inferno, assim pode-se denominar a arte da Idade Média. Os pintores e escultores dos períodos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. 17031461 DISCIPLINA EVOLUÇÃO DAS ARTES VISUAIS I ETAPA 1 CH ANO 2009 CRÉDITOS

Leia mais

APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1

APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1 APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1 Ana Paula Silva Lemos Natalia Cristina Dias Richarles Jesus dos Santos Tais C. Gonçalves Palmieri Thiago

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ARTE

LISTA DE EXERCÍCIOS ARTE LISTA DE EXERCÍCIOS ARTE P2-4º BIMESTRE 8º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Compreender os aspectos históricos-sociais referentes aos objetos

Leia mais

SÉCULO XIX NO BRASIL: A MODERNIZAÇÃO DA ARTE

SÉCULO XIX NO BRASIL: A MODERNIZAÇÃO DA ARTE SÉCULO XIX NO BRASIL: A MODERNIZAÇÃO DA ARTE 1 Em meados do séc. XIX o Brasil passou por um período de crescimento econômico, estabilidade social e incentivo às letras, ciência e arte por parte do imperador

Leia mais

Civilização Cicládica Civilização Minóica ou Cretense Civilização Micênica

Civilização Cicládica Civilização Minóica ou Cretense Civilização Micênica A Arte Egéia ou Arte do Mar Egeu está associada às culturas que floresceram no mar Egeu antes do aparecimento dos Gregos por volta do 3000 A.C. e que foram principalmente três: Civilização Cicládica Civilização

Leia mais

Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo

Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo QUANDO ACONTECEU? 753 a. C. 509 a. C. 27 a. C. 0 218 d. C. 313 476 381 Nascimento República

Leia mais

Ele usa e. abusa do vidro. Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação.

Ele usa e. abusa do vidro. Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação. Vidro em obra Ele usa e abusa do vidro Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação Fotos: divulgação Sidney Quintela: Existem vidros para praticamente todo

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: TÉCNICAS RETROSPECTIVAS CÓDIGO: TAU079 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: CARGA HORÁRIA: TEÓRICA: 45 horas PROFESSOR: Marco Antônio

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CERÂMICA. G12 Humberto Carta Jaime Júnior João Ferreira Mariana Andrade Marta Amorim Rafael Duarte

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CERÂMICA. G12 Humberto Carta Jaime Júnior João Ferreira Mariana Andrade Marta Amorim Rafael Duarte MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CERÂMICA G12 Humberto Carta Jaime Júnior João Ferreira Mariana Andrade Marta Amorim Rafael Duarte CERÂMICA Do grego Keramos (argila) 01 Enquadramento Histórico, Origem e Cronologia

Leia mais

História da Habitação e Mobiliário. Antonio Castelnou AULA 11

História da Habitação e Mobiliário. Antonio Castelnou AULA 11 História da Habitação e Mobiliário Antonio Castelnou AULA 11 CASTELNOU Assinado de forma digital por CASTELNOU DN: cn=castelnou, c=

Leia mais

Visita ao Museu do Azulejo

Visita ao Museu do Azulejo Visita ao Museu do Azulejo Padronização e Repetibilidade: Estudo dos Azulejos Fernando Carreira e José Gaspar A visita ao Museu do Nacional do azulejo permitiu constatar como o azulejo é simultâneamente

Leia mais

Origens da. Cidade Moderna. Tony Garnier. Arturo Soria. Ebenezer Howard

Origens da. Cidade Moderna. Tony Garnier. Arturo Soria. Ebenezer Howard Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira Zimmermann as cidades modernas Origens da Tony

Leia mais

ENCANTO GLOBAL ATMOSFERA ENÉRGICA. Moradas internacionais exalam sofisticação com muita personalidade SWEET DREAMS ESPETÁCULO VISUAL

ENCANTO GLOBAL ATMOSFERA ENÉRGICA. Moradas internacionais exalam sofisticação com muita personalidade SWEET DREAMS ESPETÁCULO VISUAL ENCANTO GLOBAL Moradas internacionais exalam sofisticação com muita personalidade SWEET DREAMS DORMITÓRIOS INFANTIS EVIDENCIAM A DELICADEZA E OS ELEMENTOS LÚDICOS ESPETÁCULO VISUAL BELAS PAISAGENS TRANSFORMAM

Leia mais

STEVEN HOLL e sua. poética arquitetônica. ARIC FACULDADE DAMAS DA INSTRUÇÃO CRISTÃ

STEVEN HOLL e sua. poética arquitetônica. ARIC FACULDADE DAMAS DA INSTRUÇÃO CRISTÃ STEVEN HOLL e sua poética arquitetônica. Por: Juliana Freitas Steven Holl nasceu em 1947, é um arquiteto da américa do norte e também aquarelista. A sua arquitetura passou por uma modificação, devido a

Leia mais

frieze new york 2016 galeria nara roesler nova york preview, 4 de maio aberto ao público 5-8 maio estande C53 spotlight: abraham palatnik

frieze new york 2016 galeria nara roesler nova york preview, 4 de maio aberto ao público 5-8 maio estande C53 spotlight: abraham palatnik frieze new york 2016 preview, 4 de maio aberto ao público 5-8 maio estande C53 spotlight: abraham palatnik curadoria: clara m kim randall s island nova york, eua galeria nara roesler nova york abertura

Leia mais

Pichação e grafite: qual o limite entre arte e vandalismo?

Pichação e grafite: qual o limite entre arte e vandalismo? Pichação e grafite: qual o limite entre arte e vandalismo? Para pensar... O que é arte? O que seria arte de rua? O que é pichação? O que é grafite? Qual a motivação para as pichações? E para o grafite?

Leia mais

A arte medieval: o estilo românico e o gótico

A arte medieval: o estilo românico e o gótico COLÉGIO SALESIANO A arte medieval: o estilo românico e o gótico Prof. Maria José CULTURA MEDIEVAL. Século V ao XV: Idade das Trevas - Humanistas As construções que mais representam o período medieval são:

Leia mais

ANÁLISE DE VALOR DE LADRILHOS HIDRÁULICOS SUSTENTÁVEIS COM ENFOQUE NA EMOÇÃO

ANÁLISE DE VALOR DE LADRILHOS HIDRÁULICOS SUSTENTÁVEIS COM ENFOQUE NA EMOÇÃO ANÁLISE DE VALOR DE LADRILHOS HIDRÁULICOS SUSTENTÁVEIS COM ENFOQUE NA EMOÇÃO VALUE ANALYSIS OF SUSTAINABLE HYDRAULIC TILES FOCUSING ON EMOTION Wanna Carvalho Fontes. Ellen Cristine Pinto da Costa. Giovanni

Leia mais

A Gênese do Urbanismo Moderno

A Gênese do Urbanismo Moderno Teorias Urbanas Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira Zimmermann A Gênese do Urbanismo

Leia mais

METODOLOGIA DE ANÁLISE DE PROJETO

METODOLOGIA DE ANÁLISE DE PROJETO METODOLOGIA DE ANÁLISE DE PROJETO construindo o discurso pela análise gráfica leitura de projeto REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SUJESTÃO DE CONSULTA: REIS, Antônio T. Repertório, Análise e síntese: Uma introdução

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 11: DIMENSÕES DO MOBILIÁRIO. CARÁTER, ATMOSFERA E ESTILO NA COMPOSIÇÃO. Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq.

Leia mais

A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Quando surgiu? Durante o século XVIII. Está ligado ao pensamento filosófico do Iluminismo. Como Surgiu? Através de achados arqueológicos durante o século XVIII

Leia mais

Técnico Design Interior

Técnico Design Interior Técnico Design Interior A ARTE NA GRÉCIA Professora Alba Baroni Arquiteta A ARTE NA GRÉCIA Dos povos da antiguidade os gregos apresentaram uma produção cultural mais livre. Não se submeteram as imposições

Leia mais

A Idade Média inicia-se em 476 com aqueda do Império Romano do Ocidente, devido às invasões de povos barbaros.

A Idade Média inicia-se em 476 com aqueda do Império Romano do Ocidente, devido às invasões de povos barbaros. ArtenaIdadeMédia A Idade Média inicia-se em 476 com aqueda do Império Romano do Ocidente, devido às invasões de povos barbaros. Seu fim foi assinalado pela queda do Império Romano do Oriente em 1453,devido

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 6ª Ensino Fundamental Professora: Ione Botelho Atividades para Estudos Autônomos Data: 5 / 9 / 2016 Valor: xxx pontos Aluno(a): Nº: Turma:

Leia mais

PENA PARQUE E PALÁCIO

PENA PARQUE E PALÁCIO PARQUE E PALÁCIO PENA O Palácio da Pena ergue-se no ponto mais alto da serra de Sintra, de onde se desfruta uma paisagem sublime sobre as colinas circundantes e sobre o Oceano Atlântico. O Palácio foi

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira Antecedentes Históricos da Administração Professor Maurício Teixeira Abordagens Mostrar a história Incipiente preocupação com a Administração na antiguidade Influencias da Administração Filosóficas Da

Leia mais

Campina Grande: olhares multifacetados de sua arquitetura. Vinicius Lima Nunes *

Campina Grande: olhares multifacetados de sua arquitetura. Vinicius Lima Nunes * Campina Grande: olhares multifacetados de sua arquitetura Vinicius Lima Nunes * Cadernos do CEOM - Ano 18, n. 21 - Museus: pesquisa, acervo, comunicação Localizada numa posição geográfica altamente privilegiada

Leia mais

Colégio Avanço de Ensino Programado

Colégio Avanço de Ensino Programado α Colégio Avanço de Ensino Programado Trabalho de Recuperação1º Semestre - 1º Bim. /2016 Nota: Professor (a): Lúcia Disciplina: Arte Turma: 1ª Série Ensino Médio Nome: Nº: ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO

Leia mais

0 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

0 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS 0 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 41, DE 23 DE MARÇO DE 2010 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

A DIFERENÇA ESTÁ NOS DETALHES. CONHEÇA ALGUMAS LINHAS NAS PRÓXIMAS PÁGINAS E ALIE COM SUA CRIATIVIDADE PARA CONQUISTAR RESULTADOS INCRÍVEIS.

A DIFERENÇA ESTÁ NOS DETALHES. CONHEÇA ALGUMAS LINHAS NAS PRÓXIMAS PÁGINAS E ALIE COM SUA CRIATIVIDADE PARA CONQUISTAR RESULTADOS INCRÍVEIS. Nº 03 A DIFERENÇA ESTÁ NOS DETALHES. Você provavelmente já ouviu essa expressão em algum lugar, é um clichê bastante comum, mas carregado de verdade e que cabe perfeitamente no tema desta Imagine Incepa:

Leia mais

A VIDA E A OBRA DE LUDWIG MIES VAN DER ROHE

A VIDA E A OBRA DE LUDWIG MIES VAN DER ROHE A VIDA E A OBRA DE LUDWIG MIES VAN DER ROHE Fabricio Faria Cruvinel Julio César da Trindade Prof. Fernando Eugênio Cabral de Paula Machado História da Arquitetura Moderna Centro Universitáro do Planalto

Leia mais

Spot. Ana Cláudia Rocha. Ana Paula Moreira, engenheira, e Vivi Baobá, advogado, experimentaram a culinária japonesa no restaurante Sapporo

Spot. Ana Cláudia Rocha. Ana Paula Moreira, engenheira, e Vivi Baobá, advogado, experimentaram a culinária japonesa no restaurante Sapporo Spot Ana Cláudia Rocha Sebastião Nogueira Ana Paula Moreira, engenheira, e Vivi Baobá, advogado, experimentaram a culinária japonesa no restaurante Sapporo Sebastião Nogueira Paulo Afonso Sanches, coronel,

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS

INDUSTRIALIZAÇÃO INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS INDUSTRIALIZAÇÃO CONCEITOS É um método produtivo baseado na mecanização e num processo organizado de caráter repetitivo que requer continuidade.

Leia mais

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 7 ANO PROF.ª ARLENE AZULAY PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 7 ANO PROF. LÚCIA REGINA ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ARLENE AZULAY CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 1.2

Leia mais

História do design I. Prof. Ricardo Artur Carvalho

História do design I. Prof. Ricardo Artur Carvalho História do design I Prof. Ricardo Artur Carvalho Bauhaus Parte 2 - Dessau - Berlim Antecedentes Bauhaus Weimar República de Weimar* - 1919 Bauhaus *Alemanha após a I Guerra Mundial Dessau Weimar Berlim

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. História da Arquitetura IV Roteiro do Vídeo

Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. História da Arquitetura IV Roteiro do Vídeo Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo História da Arquitetura IV Roteiro do Vídeo Turma E12 André Dutra Bruna Coutinho Marcela Tozzato Data: 21/05/2013 Gordon Bunshaft

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011 Módulos/Conteúdos Tronco Comum Módulo inicial Criatividade e Rupturas A Cultura, a Arte e a História; as artes

Leia mais

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA CASA

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA CASA COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA CASA PERFIL 3 CHAVE 4 VANTAGENS 5 COMPETITIVAS SETORES 6-14 MOBILIÁRIO 7 TÊXTEIS-LAR 8 UTILIDADES DOMÉSTICAS 9-13 ILUMINAÇÃO 14 + DA FILEIRA 15-16 PERFIL DELIMITAÇÃO DA FILEIRA:

Leia mais

Modernismo século XX BAUHAUS

Modernismo século XX BAUHAUS Modernismo século XX BAUHAUS Fatos e discussões : início do Século XX As discussões do design: produção em série, materiais industriais, possibilidades de produzir artigos antes restritos ao mercado de

Leia mais

Tendência em cadeiras e estofados

Tendência em cadeiras e estofados EDIÇÃO 28 MAIO - 2011 ANO 6 ARQUITETURA DECORAÇÃO ARTE DESIGN ESTILO P E R N A M B U C O B R A S I L ARMANI HOTEL Luxo em Dubai CLASSZOOM Os hot spots de Barcelona, NYC, Paris e Londres CLASS & STYLE Balenciaga,

Leia mais

NEOCLASSICISMO Neoclassicismo

NEOCLASSICISMO Neoclassicismo NEOCLASSICISMO Movimento cultural do fim do século XVIII, e início do século XIX (1780 1830), o NEOCLASSICISMO está identificado com a retomada da cultura clássica (Grécia e Roma) por parte da Europa Ocidental

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque. 8.junho.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque. 8.junho. ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 8.junho.2012 NOME:

Leia mais

Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista

Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista Arquitetos do Urbanismo Progressista e Culturalista Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Arquitetura e Urbanismo Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Profa. Ana Paula de Oliveira

Leia mais

O Designer. Alexandre Salgado

O Designer. Alexandre Salgado O Designer Alexandre Salgado O designer [dizáiner][1] é um profissional que desempenha atividade especializada de caráter técnico-científico, criativo e artístico para elaboração de projetos de design

Leia mais

O Centro da Indústria, Arte e Cidade inscreve-se na nova Praça da Liberdade como um instrumento potencializador desse abrangente projeto de futuro.

O Centro da Indústria, Arte e Cidade inscreve-se na nova Praça da Liberdade como um instrumento potencializador desse abrangente projeto de futuro. O Circuito Cultural é parte de um grande projeto de reestruturação de Belo Horizonte, visando adequá-la aos requisitos dos grandes centros metropolitanos do séc. XXI. O Centro da Indústria, Arte e Cidade

Leia mais

Conceitos gerais de design e composição gráfica. Daniel Barata nº 7 11º 12

Conceitos gerais de design e composição gráfica. Daniel Barata nº 7 11º 12 Conceitos gerais de design e composição gráfica. Daniel Barata nº 7 11º 12 Introdução ao Design Gráfico: Quais os suportes físicos para as primeiras formas comunicativas Os primeiros suportes físicos para

Leia mais

Essência FELIZ JOVIALIDADE. A este projeto, do Atelier Lígia Casanova, não faltou simplicidade e muito conforto.

Essência FELIZ JOVIALIDADE. A este projeto, do Atelier Lígia Casanova, não faltou simplicidade e muito conforto. JOVIALIDADE Essência FELIZ A este projeto, do Atelier Lígia Casanova, não faltou simplicidade e muito conforto. TEXTO: PATRÍCIA ROCHA FOTOS: ANA PAULA CARVALHO Mike Sergeant RESPONSÁVEL Lígia Casanova,

Leia mais

Currículo do Curso de História

Currículo do Curso de História Currículo do Curso de História Bacharelado ATUAÇÃO O historiador formado na UFV poderá atuar em instituições de preservação, divulgação e estudo da memória histórica, como arquivos, museus, editoras, instituições

Leia mais

História e Geografia de Portugal

História e Geografia de Portugal 6.º Ano História e Geografia de Portugal Joana Simas Localização Tempo 2.ª metade do século XIX (1851-1900) Espaço Portugal: Portugal na segunda metade do século XIX Contextualização Aspetos Políticos

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã 2 Habilidades: Reconhecer as manifestações artísticas relacionadas ao período da arte: Roma Antiga e primitiva Cristã. 3 4 5 Todos os caminhos levam à Roma:

Leia mais

ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004

ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004 ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004 Prof. Aline Cancela anc.estacio@gmail.com A.01 APRESENTAÇÃO EMENTA Introdução à arquitetura: projeto e pesquisa; Conceitos fundamentais do projeto arquitetônico; Elaboração

Leia mais

Discreto, mas com PERSONALIDADE. inspiração

Discreto, mas com PERSONALIDADE. inspiração Discreto, mas com PERSONALIDADE Ainda que não exista decoração para homem ou para mulher, o público masculino, eventualmente, acaba optando por cartelas de cores sóbrias e design clássico. Ah, mas isso

Leia mais

CONCEBIDO PARA ESPAÇOS EXPRESSIVOS

CONCEBIDO PARA ESPAÇOS EXPRESSIVOS CONCEBIDO PARA ESPAÇOS EXPRESSIVOS NEVOA é uma marca dedicada ao design de produtos de interior que apresenta uma nova visão sobre a aliança entre o design contemporâneo e a arte manual. Uma visão que

Leia mais

AS MAIS BELAS IGREJAS DE PORTUGAL

AS MAIS BELAS IGREJAS DE PORTUGAL AS MAIS BELAS IGREJAS DE PORTUGAL estilos manuelino e barroco nos monastérios portugueses aula 2 / 3 Prof. Dr. Percival Tirapeli Instituto de Artes da UNESP 2 Santuário Bom Jesus de Braga Escadório do

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Lista de Recuperação do II Trimestre / 1 º ano/arte Professor(a): Ana Cecilia Data: / setembro / 2016. 1) Aponte as principais influências culturais sofridas pela

Leia mais

Design de Sinalização Conceitos

Design de Sinalização Conceitos Conceito - Transmissão de mensagens e informações por meio do ambiente construído - Área multidisciplinar: Comunicação, Psicologia, Design, Arquitetura, Direito - Arquitetura (Concepção do espaço) + Design

Leia mais

Antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do

Antropocentrismo (do grego anthropos, humano; e kentron, centro) é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do ARTE GÓTICA A Arte Gótica se desenvolveu na Europa entre os séculos XII e XV e foi uma das mais importantes da Idade Média, junto com a Arte Românica. Ela teve grande influencia do forte Teocentrismo (O

Leia mais

SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE INSTITUCIONAL 01 CONSTRUÇÃO CIVIL 03 DECORAÇÃO 11 ESPESSOS 19 MOVELEIRO 15

SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE SGG DECOR-LITE INSTITUCIONAL 01 CONSTRUÇÃO CIVIL 03 DECORAÇÃO 11 ESPESSOS 19 MOVELEIRO 15 INSTITUCIONAL 01 SGG DECOR-LITE CONSTRUÇÃO CIVIL 03 SGG DECOR-LITE DECORAÇÃO 11 SGG DECOR-LITE MOVELEIRO 15 SGG DECOR-LITE ESPESSOS 19 SGG DECOR-LITE LINHA BRANCA 23 SGG FOCUS ANTIREFLEXO 25 SGG SATINOVO

Leia mais

COORDENADOR DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

COORDENADOR DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ENIO MORO JUNIOR COORDENADOR DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Graduação (1983), Mestrado (1999) e Doutorado (2005) em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade

Leia mais

Sistemas de Forros Placostil

Sistemas de Forros Placostil Sistemas de Forros Placostil Soluções Construtivas Proteção acústica e térmica, design diferenciado e muita segurança. Ao longo dos anos, os forros melhoraram sua tecnologia e agregaram valor às construções,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho. ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 8.junho.2012 NOME:

Leia mais