ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190. Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190. Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em 10.11.2010."

Transcrição

1 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190 Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - REGISTRO C100 - NOTA FISCAL (CÓDIGO 01), NOTA FISCAL AVULSA (CÓD. 1B), NOTA FISCAL DE PRODUTOR (CÓD. 04) E NF-E (CÓD. 55) Coluna Tipo Coluna Tam Dec Entrada e Saída Preenchimento da Tabela do Registro C Casos de Não Preenchimento dos Registros C170 e C Notas Fiscais Canceladas, Denegadas e Inutilizadas Notas Fiscais Eletrônicas de Emissão Própria Nota Fiscal Complementar Regime Especial Escrituração de Documentos Emitidos por Terceiros em Operações de Saída Unidade da Federação de Consumo Diversa da UF do Destinatário 3 - REGISTRO C170 - ITENS DO DOCUMENTO (CÓDIGO 01, 1B, 04 E 55) Termo Item Coluna Tipo Coluna Tam Dec Entrada e Saída Preenchimento da Tabela do Registro C REGISTRO C190 - REGISTRO ANALÍTICO DO DOCUMENTO (CÓDIGO 01, 1B, 04 E 55) Coluna Tipo Coluna Tam Dec Entrada e Saída Preenchimento do Registro C INTRODUÇÃO O projeto do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), instituído pelo Decreto nº 6.022/2007, faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC) e, portanto mais um avanço na informatização e fiscalização entre o Fisco e o contribuinte. O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é composto por três grandes subprojetos: Escrituração Contábil Digital, Escrituração Fiscal Digital e a Nota Fiscal Eletrônica.

2 A Escrituração Fiscal Digital (EFD), também chamada de Sped Fiscal, é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das unidades federadas e da Secretaria da Receita Federal do Brasil, bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. O arquivo da EFD deverá ser assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente SPED. Neste trabalho abordaremos o preenchimento dos Registros C100, C170 e C190, da Escrituração Fiscal Digital - EFD. 2 - REGISTRO C100 - NOTA FISCAL (CÓDIGO 01), NOTA FISCAL AVULSA (CÓDIGO 1B), NOTA FISCAL DE PRODUTOR (CÓDIGO 04) E NF-E (CÓDIGO 55) Conforme Portaria Sef 08/2010, no registro C100 deverá ser escriturado a nota fiscal de modelo 1 ou 1-A, nota fiscal avulsa, nota fiscal de produtor e a nota fiscal eletrônica Coluna Tipo A coluna Tipo do Registro C100, indica o tipo de caractere com que o campo será preenchido, ou seja, se o campo será "N" - numérico ou "C" alfanumérico (Portaria Sef 08/2010) Coluna Tam Segundo a Portaria Sef 08/2010, a coluna Tam do Registro C100, indica a quantidade de caracteres com que cada campo deve ser preenchido. A indicação de um algarismo após um campo "N" representa o seu tamanho máximo. A indicação "-" após um campo "n" significa que não há um número máximo de caracteres. Já a indicação de um algarismo após um campo "C" representa o seu tamanho máximo, no caso geral e a indicação "-" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é 255 caracteres, no caso geral. No caso da indicação "65536" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é de caracteres. O caractere "*" no tamanho do campo indica que o campo deverá ser preenchido exatamente com o número de caracteres informado Dec A coluna Dec do Registro C100, indica a quantidade de caracteres que devem constar como casas decimais, quando necessárias. A indicação de um algarismo representa a quantidade máxima de decimais do campo "N". Já a indicação "-" após um campo "N" significa que não deve haver representação de casas decimais (Portaria Sef 08/2010) Entrada e Saída As colunas de Entrada e Saída do Registro C100, indicam segundo o manual da EFD, constante na Portaria Sef nº 08/2010, que a obrigatoriedade do registro cumprirá o disposto abaixo: O - o registro é sempre obrigatório; OC - o registro é obrigatório, se houver informação a ser prestada.

3 2.5 - Preenchimento da Tabela do Registro C100 Este registro deve ser gerado para os documentos fiscais classificados nos códigos 01, 1B, 04 e 55, para documentar a entrada ou a saída de produtos ou outras situações que envolvam a emissão dos documentos fiscais mencionados (Portaria Sef 08/2010). Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Entr Saída 01 REG Texto fixo contendo "C100" C O O 02 IND_OPER Indicador do tipo de operação: C 001* - O O 0- Entrada; 1- Saída 03 IND_EMIT Indicador do emitente do documento fiscal: C 001* - O O 0- Emissão própria; 1- Terceiros 04 COD_PART Código do participante (campo 02 do Registro C O O 0150): - do emitente do documento ou do remetente das mercadorias, no caso de entradas; - do adquirente, no caso de saídas 05 COD_MOD Código do modelo do documento fiscal, C 002* - O O conforme a Tabela COD_SIT Código da situação do documento fiscal, N 002* - O O conforme a Tabela SER Série do documento fiscal C OC OC 08 NUM_DOC Número do documento fiscal N O O 09 CHV_NFE Chave da Nota Fiscal Eletrônica N 044* - OC OC 10 DT_DOC Data da emissão do documento fiscal N 008* - O O 11 DT_E_S Data da entrada ou da saída N 008* - O OC 12 VL_DOC Valor total do documento fiscal N - 02 O O 13 IND_PGTO Indicador do tipo de pagamento: C 001* - O O 0- À vista; 1- A prazo; 9- Sem pagamento. 14 VL_DESC Valor total do desconto N - 02 OC OC 15 VL_ABAT_NT Abatimento não tributado e não comercial Ex. N - 02 OC OC desconto ICMS nas remessas para ZFM. 16 VL_MERC Valor das mercadorias constantes no documento N - 02 O OC fiscal 17 IND_FRT Indicador do tipo do frete: C 001* - O O 0- Por conta de terceiros; 1- Por conta do emitente; 2- Por conta do destinatário; 9- Sem frete 18 VL_FRT Valor do frete indicado no documento fiscal N - 02 OC OC 19 VL_SEG Valor do seguro indicado no documento fiscal N - 02 OC OC 20 VL_OUT_DA Valor de outras despesas acessórias N - 02 OC OC 21 VL_BC_ICMS Valor da base de cálculo do ICMS N - 02 O OC 22 VL_ICMS Valor do ICMS N - 02 O OC 23 VL_BC_ICMS_ST Valor da base de cálculo do ICMS substituição N - 02 OC OC tributária 24 VL_ICMS_ST Valor do ICMS retido por substituição tributária N - 02 OC OC 25 VL_IPI Valor total do IPI N - 02 OC OC 26 VL_PIS Valor total do PIS N - 02 OC OC 27 VL_COFINS Valor total da COFINS N - 02 OC OC 28 VL_PIS_ST Valor total do PIS retido por substituição N - 02 OC OC tributária

4 29 VL_COFINS_ST Valor total da COFINS retido por substituição tributária N - 02 OC OC Campo 01 - REG: será informado o número do registro, ou seja, C100; Campo 02 - IND_OPER: indicar a operação conforme os códigos, ou seja, código 0 para notas fiscais de entrada e código 1 para notas fiscais de saída. Poderão ser informados como documentos de entrada, os documentos emitidos por terceiros e documentos emitidos pelo próprio informante da EFD; Campo 03 - IND_EMIT: preencher com o código 0 ou 1. Considera-se de emissão própria somente os documentos fiscais emitidos pelo informante da EFD. Os documentos emitidos por outros estabelecimentos, ainda que da mesma empresa, devem ser considerados como documentos emitidos por terceiros; Campo 04 - COD_PART: preencher com o código do participante, que será informado no registro O Registro 0150 corresponde a Tabela de Cadastro do Participante, abaixo demonstrada: Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig 1 REG Texto fixo contendo C O 02 COD_PART Código de identificação do participante no arquivo. C O 03 NOME Nome pessoal ou empresarial do participante. C O 04 COD_PAIS Código do país do participante, conforme a tabela indicada N O no item CNPJ CNPJ do participante. N 014* - OC 06 CPF CPF do participante. N 011* - OC 07 IE Inscrição Estadual do participante. C OC 08 COD_MUN Código do município, conforme a tabela IBGE N 007* - OC 09 SUFRAMA Número de inscrição do participante na Suframa. C 009* - OC 10 END Logradouro e endereço do imóvel C O 11 NUM Número do imóvel C - - OC 12 COMPL Dados complementares do endereço C OC 13 BAIRRO Bairro em que o imóvel está situado C OC Campo 05 - COD_MOD: preencher com o código do documento fiscal, de acordo com a tabela do item 4.1.1, abaixo demonstrada: Código Descrição modelo 01 Nota Fiscal 1/1A 1B Nota Fiscal Avulsa - 02 Nota Fiscal de Venda a Consumidor 2 2D Cupom Fiscal - 2E Cupom Fiscal Bilhete de Passagem - 04 Nota Fiscal de Produtor 4 06 Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica 6 07 Nota Fiscal de Serviço de Transporte 7 08 Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas 8 8B Conhecimento de Transporte de Cargas Avulso - 09 Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas 9 10 Conhecimento Aéreo Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas 11

5 13 Bilhete de Passagem Rodoviário Bilhete de Passagem Aquaviário Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem Despacho de Transporte Bilhete de Passagem Ferroviário Resumo de Movimento Diário Ordem de Coleta de Cargas Nota Fiscal de Serviço de Comunicação Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicação GNRE Autorização de Carregamento e Transporte Manifesto de Carga Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas Nota Fiscal De Transporte Ferroviário De Carga - 28 Nota Fiscal/Conta de Fornecimento de Gás Canalizado - 29 Nota Fiscal/Conta De Fornecimento D'água Canalizada - 55 Nota Fiscal Eletrônica - 57 Conhecimento de Transporte Eletrônico CT-e - Campo 06 - COD_SIT: preencher com o código da situação do documento fiscal, de acordo com a tabela do item Tabela Situação do Documento. Os códigos 04 e 05 somente são válidos para a NF-e de emissão própria. Segue abaixo a Tabela Tabela Situação do Documento: Código Descrição 00 Documento regular 01 Escrituração extemporânea de documento regular 02 Documento cancelado 03 Escrituração extemporânea de documento cancelado 04 NF-e ou CT-e - denegado 05 NF-e ou CT-e - Numeração inutilizada 06 Documento Fiscal Complementar 07 Escrituração extemporânea de documento complementar 08 Documento Fiscal emitido com base em Regime Especial ou Norma Específica Campo 07 - SER: preencher com a série do documento fiscal que está sendo escriturado; Campo 08 - NUM_DOC: preencher com o número do documento fiscal que está sendo escriturado; Campo 09 - CHV_NFE: preencher com a chave da NF-e de emissão própria, portanto este campo somente será preenchido quando o campo COD_MOD for 55 e o Campo IND_EMIT for 0 (emissão própria); Campo 10 - DT_DOC: preencher com a data de emissão do documento, no formato ddmmaaaa, sem utilizar caracteres especiais de separação; Campo 11 - DT_E_S: este campo somente será preenchido nas operações de entrada (código 0 do campo IND_OPER), devendo ser informada a data de entrada da mercadoria, no formato ddmmaaaa, sem utilizar caracteres especiais de separação. Este campo não deve ser informado nas operações de saída (código 1 do campo IND_OPER);

6 Campo 12 - VL_DOC: preencher com o valor total do documento fiscal que está sendo escriturado. O valor informado neste campo deve ser igual à soma do campo VL-OPR do registro C190; Campo 13 - IND_PGTO: preencher com o código que indica o tipo de pagamento; Campo 14 - VL_DES: preencher com o valor do desconto incondicional concedido no documento fiscal; Campo 15 - VL_ABAT_NT: preencher quando houver abatimento não tributado ou não comercial, como por exemplo: desconto ICMS nas remessas para a Zona Franca de Manaus; Campo 16 - VL_MERC: preencher com o valor total do item/produto, somente relativo ao valor das mercadorias (quantidade x preço unitário); Campo 17 - IND_FRT: preencher com o código que indica o tipo de frete. Informar o código 9 (sem frete) para as operações em que não há cobrança de frete, tais como remessas simbólicas, operações de simples faturamento, transporte próprio, venda no balcão, etc. Quando houver transporte onde existe mais de um responsável pelo pagamento do mesmo, será informado o indicador do frete relativo ao responsável pelo primeiro percurso; Campo 18 - VL_FRT: preencher com o valor do frete, quando cobrado do destinatário através do documento fiscal; Campo 19 - VL_SEG: preencher com o valor do seguro, quando identificado no documento fiscal; Campo 20 - VL_OUT_DA: preencher com o valor de outras despesas acessórias indicada no documento fiscal; Campo 21 - VL_BC_ICMS: preencher com o valor da base de cálculo identificada no documento fiscal; Campo 22 - VL_ICMS: preencher com o valor do ICMS identificado no documento fiscal. Informar o valor do ICMS creditado, na operação de entrada ou o valor do ICMS debitado, na operação de saída; Campo 23 - VL_BC_ICMS:_ST: preencher com o valor da base de cálculo do ICMS substituição tributária na operação de saída; Campo 24 - VL_ICMS_ST: preencher com o valor do ICMS retido por substituição tributária, na operação de saída; Campo 25 - VL_IPI: preencher com o valor total do IPI constante no documento fiscal; Campo 26 - VL_PIS: preencher com o valor total do PIS para esta operação;

7 Campo 27 - VL_COFINS: preencher com o valor total da COFINS para esta operação; Campo 28 - VL_PIS_ST: preencher com o valor total do PIS retido por substituição tributária; Campo 29 - VL_COFINS_ST: preencher com o valor total da COFINS retido por substituição tributária. Cabe ressaltar que para cada Registro C100 deve ser apresentado pelo menos um Registro C170 e um Registro C Casos de Não Preenchimento dos Registros C170 e C190 Existem algumas situações em que os registros C170 e C190 não serão preenchidos, informadas a seguir Notas Fiscais Canceladas, Denegadas e Inutilizadas Segundo a Portaria Sef 08/2010, em relação ao documento cancelado, documento cancelado extemporâneo, nota fiscal eletrônica (NF-e) denegada ou NF-e numeração inutilizada (respectivamente códigos 02, 03, 04 ou 05 do campo COD_SIT) devem ser informados somente os campos REG, IND_OPER, IND_EMIT, COD_MOD, COD_SIT, SER e NUM_DOC do registro C100, enquanto que os demais campos do registro devem ser apresentados com conteúdo vazio Notas Fiscais Eletrônicas de Emissão Própria Para as notas fiscais eletrônicas de emissão própria devem ser apresentados somente os registros C100 e C190, e se existirem ajustes de documento fiscal, serão apresentados os registros C195 e C197, conforme Portaria Sef 08/ Nota Fiscal Complementar De acordo com a Portaria Sef 08/2010, para as notas fiscais complementares ou notas fiscais complementares extemporâneas (códigos 06 ou 07 do campo COD_SIT) devem ser informados somente os campos REG, IND_EMIT, COD_PART, COD_MOD, NUM_DOC e DT_DOC do registro C100, os registros filhos do registro C100, se existir e o registro C Regime Especial Conforme a Portaria Sef 08/2010, em relação aos documentos fiscais emitidos com base em regime especial ou norma específica (código 08 do campo COD_SIT) serão apresentados obrigatoriamente os registros C100 e C190 e os demais registros filhos exigidos pela legislação fiscal. Como exemplo podemos citar: Nota Fiscal emitida em substituição ao cupom fiscal - CFOP igual a ou Lançamento efetuado em decorrência de emissão de documento fiscal relativo à operação ou prestação também registrada em equipamento emissor de cupom fiscal - ECF.

8 Cabe ressaltar que para os documentos fiscais emitidos de acordo com o estabelecido em regimes especiais ou normas específicas devidamente autorizadas pelo Fisco (campo COD_SIT igual a 08) será permitida a informação de data de emissão de documento maior que a data de entrada ou saída, como por exemplo: aquisição de cana-de-açúcar, venda de derivados de petróleo, etc. Neste caso, será emitida advertência pelo programa validador da EFD Escrituração de Documentos Emitidos por Terceiros em Operações de Saída A Portaria Sef 08/2010, determina que nos casos de escrituração de documentos fiscais emitidos por terceiros, inclusive NF-e, como por exemplo, os consórcios constituídos nos termos do disposto nos arts. 278 e 279 da Lei nº 6.404/1976, e os documentos emitidos por estabelecimentos filiais que possuem Inscrição Estadual Única ou centralizada, deve ser informado, os documentos como sendo emitidos por terceiros com código de situação do documento igual a 08 - Documento Fiscal emitido com base em Regime Especial ou Norma Específica e, portanto não preencher o campo CHV_NF-e, quando for o caso. Neste caso o programa validador informará a mensagem de advertência para esses documentos Unidade da Federação de Consumo Diversa da UF do Destinatário Nos casos de NF-e de emissão própria, quando o campo UF de consumo for preenchido, onde a UF de consumo é diversa da UF do destinatário, deve ser informado o registro C105, conforme Portaria Sef 08/ REGISTRO C170 - ITENS DO DOCUMENTO (CÓDIGO 01, 1B, 04 E 55) O registro C170 é obrigatório para discriminar os itens da nota fiscal (mercadorias e/ou serviços constantes em notas conjugadas), inclusive em operações de entrada de mercadorias acompanhadas de Nota Fiscal Eletrônica - NF-e de emissão de terceiros Termo Item Conforme o item do Ato Cotepe/ICMS nº 09/2008, o termo item é aplicado às operações fiscais que envolvam mercadorias, serviços, produtos ou quaisquer outros itens concernentes às transações fiscais suportadas pelo documento, como por exemplo nota fiscal complementar, nota fiscal de ressarcimento, transferências de créditos e outros casos.cabe ressaltar que não podem ser informados para um mesmo documento fiscal, dois ou mais registros com o mesmo conteúdo no campo NUM_ITEM Coluna Tipo A coluna Tipo do Registro C100, indica o tipo de caractere com que o campo será preenchido, ou seja, se o campo será "N" - numérico ou "C" alfanumérico (Portaria Sef 08/2010).

9 3.3 - Coluna Tam Segundo a Portaria Sef 08/2010, a coluna Tam do Registro C100, indica a quantidade de caracteres com que cada campo deve ser preenchido. A indicação de um algarismo após um campo "N" representa o seu tamanho máximo. A indicação "-" após um campo "n" significa que não há um número máximo de caracteres. Já a indicação de um algarismo após um campo "C" representa o seu tamanho máximo, no caso geral e a indicação "-" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é 255 caracteres, no caso geral. No caso da indicação "65536" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é de caracteres. O caractere "*" no tamanho do campo indica que o campo deverá ser preenchido exatamente com o número de caracteres informado Dec A coluna Dec do Registro C100, indica a quantidade de caracteres que devem constar como casas decimais, quando necessárias. A indicação de um algarismo representa a quantidade máxima de decimais do campo "N". Já a indicação "-" após um campo "N" significa que não deve haver representação de casas decimais (Portaria Sef 08/2010) Entrada e Saída As colunas de Entrada e Saída do Registro C100, indicam segundo o manual da EFD, constante na Portaria Sef nº 08/2010, que a obrigatoriedade do registro cumprirá o disposto abaixo: O - o registro é sempre obrigatório; OC - o registro é obrigatório, se houver informação a ser prestada Preenchimento da Tabela do Registro C170 O registro C170 para os casos de entrada de mercadorias, nos campos de valor de imposto/contribuição, base de cálculo e alíquota somente serão informados se o adquirente tiver direito à apropriação do crédito (visão do informante da EFD). Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Entr Saída 01 REG Texto fixo contendo C O O "C170" 02 NUM_ITEM Número seqüencial do N O O item no documento fiscal 03 COD_ITEM Código do item (campo C O O 02 do Registro 0200) 04 DESCR_COMPL Descrição complementar C - - OC OC do item como adotado no documento fiscal 05 QTD Quantidade do item N - 05 O O 06 UNID Unidade do item (Campo C O O 02 do registro 0190) 07 VL_ITEM Valor total do item N - 02 O O 08 VL_DESC Valor do desconto N - 02 OC OC comercial 09 IND_MOV Movimentação física do C 001* - O O ITEM/PRODUTO: 0. SIM

10 1. NÃO 10 CST_ICMS Código da Situação N 003* - O O Tributária referente ao ICMS, conforme a Tabela indicada no item CFOP Código Fiscal de N 004* - O O Operação e Prestação 12 COD_NAT Código da natureza da C OC OC operação (campo 02 do Registro 0400) 13 VL_BC_ICMS Valor da base de cálculo N - 02 OC OC do ICMS 14 ALIQ_ICMS Alíquota do ICMS N OC OC 15 VL_ICMS Valor do ICMS N - 02 OC OC creditado/debitado 16 VL_BC_ICMS_ST Valor da base de cálculo N - 02 OC OC referente à substituição tributária 17 ALIQ_ST Alíquota do ICMS da N - 02 OC OC substituição tributária na unidade da federação de destino 18 VL_ICMS_ST Valor do ICMS referente N - 02 OC OC à substituição tributária 19 IND_APUR Indicador de período de C 001* - OC OC apuração do IPI: 0 - Mensal; 1 Decendial 20 CST_IPI Código da Situação C 002* - OC OC Tributária referente ao IPI, conforme a Tabela indicada no item COD_ENQ Código de C 003* - OC OC enquadramento legal do IPI, conforme tabela indicada no item VL_BC_IPI Valor da base de cálculo N - 02 OC OC do IPI 23 ALIQ_IPI Alíquota do IPI N OC OC 24 VL_IPI Valor do IPI N - 02 OC OC creditado/debitado 25 CST_PIS Código da Situação N 002* - OC OC Tributária referente ao PIS. 26 VL_BC_PIS Valor da base de cálculo N 02 OC OC do PIS 27 ALIQ_PIS Alíquota do PIS (em N - 02 OC OC percentual) 28 QUANT_BC_PIS Quantidade Base de N 03 OC OC cálculo PIS 29 ALIQ_PIS Alíquota do PIS (em N 04 OC OC reais) 30 VL_PIS Valor do PIS N - 02 OC OC 31 CST_COFINS Código da Situação N 002* - OC OC Tributária referente ao COFINS. 32 VL_BC_COFINS Valor da base de cálculo N 02 OC OC da COFINS

11 33 ALIQ_COFINS Alíquota do COFINS N OC OC (em percentual) 34 QUANT_BC_COFINS Quantidade Base de N 03 OC OC cálculo COFINS 35 ALIQ_COFINS Alíquota da COFINS N 04 OC OC (em reais) 36 VL_COFINS Valor da COFINS N - 02 OC OC 37 COD_CTA Código da conta analítica C - - OC OC contábil debitada/creditada Campo 01 - REG: preencher com C170; Campo 02 - NUM_ITEM: preencher com o número seqüencial do item no documento fiscal que está sendo escriturado; Campo 03 - COD_ITEM: preencher com o código da mercadoria, conforme cadastrado no registro Tabela de Identificação do Item. Nas operações de entradas deve ser informado o código do item definido pelo estabelecimento informante e não o constante do documento fiscal. Segue abaixo a tabela Tabela de Identificação do Item: Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig 01 REG Texto fixo contendo "0200" C O 02 COD_ITEM Código do item C O 03 DESCR_ITEM Descrição do item C - - O 04 COD_BARRA Representação alfanumérico do código de barra do C - - OC produto, se houver 05 COD_ANT_ITEM Código anterior do item com relação à última C OC informação apresentada. 06 UNID_INV Unidade de medida utilizada na quantificação de C O estoques. 07 TIPO_ITEM Tipo do item Atividades Industriais, Comerciais N 2 - O e Serviços: 00 Mercadoria para Revenda; 01 Matéria-Prima; 02 Embalagem; 03 Produto em Processo; 04 Produto Acabado; 05 Subproduto; 06 Produto Intermediário; 07 Material de Uso e Consumo; 08 Ativo Imobilizado; 09 Serviços; 10 Outros insumos; 99 Outras 08 COD_NCM Código da Nomenclatura Comum do Mercosul C OC 09 EX_IPI Código EX, conforme a TIPI C OC 10 COD_GEN Código do gênero do item, conforme a Tabela N 002* - OC 11 COD_LST Código do serviço conforme lista do Anexo I da N 004 OC Lei Complementar Federal nº 116/ ALIQ_ICMS Alíquota de ICMS aplicável ao item nas operações N OC internas

12 Campo 04 - DESCR_COMPL: preencher com a descrição complementar do item, conforme adotado no documento fiscal; Campo 05 - QTD: preencher com a quantidade do item, expressa na unidade informada no Campo UNID; Campo 06 - UNID: preencher com a unidade de medida de comercialização do item utilizada no documento fiscal. Este código será informado no registro 0190; Segue abaixo o registro Identificação das Unidades de Medida: Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig 01 REG Texto fixo contendo "0190" C O 02 UNID Código da unidade de medida C O 03 DESCR Descrição da unidade de medida C - - O Campo 07 - VL_ITEM: preencher com o valor total do item/produto, somente com o valor das mercadorias (equivalente à quantidade vezes o preço unitário) ou serviço. A soma dos valores dos registros C170 deve ser igual ao valor informado no campo VL_MERC do registro C100; Campo 08 - VL_DESC: preencher com o valor do desconto comercial, ou seja, os descontos incondicionais constantes do documento fiscal; Campo 09 - IND_MOV: este campo identifica a movimentação física do produto. Será informado o código 0 se houver movimentação física do item (produto) ou o código 1 quando não houver movimentação física do produto, como por exemplo: notas fiscais complementares, simples faturamento, remessa simbólica, etc; Campo 10 - CST_ICMS: preencher com o código da situação tributária - CST, de acordo com as tabelas A e B da Seção I, do Anexo 10, do RICMS-SC/01. Nos documentos fiscais de emissão própria o campo deverá ser preenchido com o código da Situação Tributária sob o enfoque do declarante. Já nas operações de entrada (documentos de terceiros), deverá ser informado o CST constante no documento fiscal de aquisição dos produtos. Nas aquisições de produtos de empresas do Simples Nacional, deverá ser indicado somente o constante a nível de item (CSOSN), isto é, a tabela B, do Ajuste Sinief 03/2010; Campo 11 - CFOP: informar o CFOP, de acordo com a Seção II, do Anexo 10, do RICMS-SC/01, sendo que nas operações de entrada deve ser informado o CFOP que corresponde ao tratamento tributário relativo à destinação do item; Campo 12 - COD_NAT: preencher com o código da natureza da operação, de acordo com o informado no registro Tabela de Natureza da Operação/Prestação. Segue abaixo a tabela Tabela de Natureza da Operação/Prestação: Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig 01 REG Texto fixo contendo "0400" C O 02 COD_NAT Código da natureza da operação/prestação C O 03 DESCR_NAT Descrição da natureza da operação/prestação C - - O

13 Campo 13 - VL_BC_ICMS: preencher com o valor da base de cálculo do ICMS; Campo 14 - ALIQ_ICMS: preencher com a alíquota do ICMS; Campo 15 - VL_ICMS: preencher com o valor do ICMS debitado ou creditado; Campo 16 - VL_BC_ICMS_ST: preencher com o valor do ICMS referente à substituição tributária; Campo 17 - ALI_ST: preencher com a alíquota do ICMS da substituição tributária na unidade da federação de destino; Campo 18 - VL_ICMS_ST: preencher com o valor do ICMS retido por substituição tributária; Campo 19 - IND-APUR: preencher com o período de apuração do IPI (0 mensal ou 1 decendial). Este campo servirá para identificar quais documentos serão considerados em cada apuração do IPI para períodos distintos no mesmo mês, nos casos em que um mesmo contribuinte esteja submetido simultaneamente a mais de uma apuração; Campo 20 - CST_IPI: preencher somente se o declarante for contribuinte do IPI, sendo que a tabela do Código de Situação Tributária do IPI, consta na IN RFB nº 1009/2010; Segue tabela do Código de Situação Tributária do IPI: Código Descrição 00 Entrada com Recuperação de Crédito 01 Entrada Tributável com Alíquota Zero 02 Entrada Isenta 03 Entrada Não-Tributada 04 Entrada Imune 05 Entrada com Suspensão 49 Outras Entradas 50 Saída Tributada 51 Saída tributável com Alíquota Zero 52 Saída Isenta 53 Saída Não-Tributada 54 Saída Imune 55 Saída com Suspensão 99 Outras Saídas Campo 21 - COD_ENQ: esta tabela ainda não foi criada pela Receita Federal; Campo 22 - VL_BC_IPI: preencher com o valor da base de cálculo do IPI; Campo 23 - ALIQ_IPI: preencher com a alíquota do IPI; Campo 24 - VL_IPI: preencher com o valor do IPI debitado ou creditado;

14 Campo 25 - CST_PIS: preencher com o Código da Situação Tributária do PIS, constante na IN RFB nº 1009/2010; Campo 26 - VL_BC_PIS: preencher com o valor da base de cálculo do PIS; Campo 27 - ALIQ_PIS: preencher com a alíquota do PIS, quando em percentual; Campo 28 - QUANT_BC_PIS: preencher com a quantidade da base de cálculo do PIS; Campo 29 - ALIQ_PIS: preencher com a alíquota do PIS em reais; Campo 30 - VL_PIS: preencher com o valor do PIS; Campo 31 - CST_COFINS: preencher com o Código da Situação Tributária da COFINS, constante na IN RFB nº 1009/2010; Campo 32 - VL_BC_COFINS: preencher com o valor da base de cálculo da COFINS; Campo 33 - ALIQ_COFINS: preencher com a alíquota da COFINS, quando em percentual; Campo 34 - QUANT_BC_COFINS: preencher com a quantidade da base de cálculo da COFINS; Campo 35 - ALI_COFINS: preencher com a alíquota da COFINS em reais; Campo 36 - VL_COFINS: preencher com o valor da COFINS; Campo 37 - COD_CTA: preencher com o código da principal conta analítica contábil (devedora ou credora). A conta analítica pode ser substituída pela respectiva conta sintética. 4 - REGISTRO C190 - REGISTRO ANALÍTICO DO DOCUMENTO (CÓDIGO 01, 1B, 04 E 55) O registro C190, representa a escrituração dos documentos fiscais totalizados por CST, CFOP e alíquota de ICMS, conforme Portaria Sef 08/ Coluna Tipo A coluna Tipo do Registro C100, indica o tipo de caractere com que o campo será preenchido, ou seja, se o campo será "N" - numérico ou "C" alfanumérico (Sef 08/2010) Coluna Tam Segundo a Portaria Sef 08/2010, a coluna Tam do Registro C100, indica a quantidade de caracteres com que cada campo deve ser preenchido. A indicação de um algarismo após um campo "N" representa o seu tamanho máximo. A indicação "-" após um campo "n" significa que não há um número máximo de caracteres. Já a indicação de um

15 algarismo após um campo "C" representa o seu tamanho máximo, no caso geral e a indicação "-" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é 255 caracteres, no caso geral. No caso da indicação "65536" após um campo "C" representa que seu tamanho máximo é de caracteres. O caractere "*" no tamanho do campo indica que o campo deverá ser preenchido exatamente com o número de caracteres informado Dec A coluna Dec do Registro C100, indica a quantidade de caracteres que devem constar como casas decimais, quando necessárias. A indicação de um algarismo representa a quantidade máxima de decimais do campo "N". Já a indicação "-" após um campo "N" significa que não deve haver representação de casas decimais (Portaria Sef 08/2010) Entrada e Saída As colunas de Entrada e Saída do Registro C100, indicam segundo o manual da EFD, constante na Portaria Sef nº 08/2010, que a obrigatoriedade do registro cumprirá o disposto abaixo: O - o registro é sempre obrigatório; OC - o registro é obrigatório, se houver informação a ser prestada Preenchimento do Registro C190 No preenchimento do Registro C190 não poderá ser informado dois ou mais registros com a mesma combinação de valores dos campos CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS. A combinação dos valores dos campos CST_ICMS, CFOP e ALI_ICMS corresponderá à soma dos respectivos itens informados no registro C170, quando este registro for exigido. Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Entr Saída 01 REG Texto fixo contendo "C190" C O O 02 CST_ICMS Código da Situação Tributária, conforme a N 003* - O O Tabela indicada no item CFOP Código Fiscal de Operação e Prestação do N 004* - O O agrupamento de itens 04 ALIQ_ICMS Alíquota do ICMS N OC OC 05 VL_OPR Valor da operação na combinação de N - 02 O O CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS, correspondente ao somatório do valor das mercadorias, despesas acessórias (frete, seguros e outras despesas acessórias), ICMS_ST e IPI 06 VL_BC_ICMS Parcela correspondente ao "Valor da base de N - 02 O O cálculo do ICMS" referente à combinação de CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS. 07 VL_ICMS Parcela correspondente ao "Valor do ICMS" N - 02 O O referente à combinação de CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS. 08 VL_BC_ICMS_ST Parcela correspondente ao "Valor da base de N - 02 O O cálculo do ICMS" da substituição tributária referente à combinação de CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS. 09 VL_ICMS_ST Parcela correspondente ao valor N - 02 O O creditado/debitado do ICMS da substituição

16 tributária, referente à combinação de CST_ICMS, CFOP, e alíquota do ICMS. 10 VL_RED_BC Valor não tributado em função da redução da base de cálculo do ICMS, referente à combinação de CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS. 11 VL_IPI Parcela correspondente ao "Valor do IPI" referente à combinação CST_ICMS, CFOP e alíquota do ICMS. 12 COD_OBS Código da observação do lançamento fiscal (campo 02 do Registro 0460) N - 02 O O N - 02 O O C OC OC Campo 01 - REG: preencher com C190; Campo 02 - CST_ICMS: preencher com o Código da Situação Tributária CST, de acordo com as tabelas A e B, da Seção I, do Anexo 10, do RICMS-SC/01. A situação tributária do ICMS do item (tributado integralmente, tributado e com cobrança do ICMS por substituição tributária, tributado com redução da base de cálculo, isento, não tributado, diferido, etc) é identificada através do CST, como por exemplo: mercadoria nacional tributada integralmente, CST mercadoria estrangeira adquirida no mercado interno, tributada integralmente; CST mercadoria estrangeira de importação direta e isenta, etc; Campo 03 - CFOP: preencher com o Código Fiscal de Operação e Prestação, de acordo com a Seção II, do Anexo 10, do RICMS-SC/01. Nas operações de entrada deve ser informado o CFOP que corresponde ao tratamento tributário relativo à destinação do item (produto ou serviço; Campo 04 - ALIQ_ICMS: preencher com a alíquota do ICMS; Campo 05 - VL_OPR: na combinação de CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS, informar neste campo o valor das mercadorias somadas aos valores de fretes, seguros e outras despesas acessórias e os valores de ICMS_ST e IPI (somente quando o IPI está destacado na nota fiscal); Campo 06 - VL_BC_ICMS: preencher com a base de cálculo do ICMS, referente à combinação CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS, sendo que o valor deste campo deve corresponder à soma dos valores do campo VL_BC_ICMS dos registros C170, se existirem; Campo 07 - VL_ICMS: preencher com o valor referente à combinação dos campos CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS, sendo que o valor deste campo deve corresponder à soma dos valores do campo VL_ICMS dos registros C170, se existirem; Campo 08 - VL_BC_ICMS-ST: preencher com a base de cálculo do ICMS ST referente à combinação dos campos CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS, sendo que o valor deste campo deve corresponder à soma dos valores do campo VL_BC_ICMS-ST dos registros C170, se existirem; Campo 09 - VL_ICMS_ST: preencher com o valor creditado/debitado do ICMS da substituição tributária, referente à combinação dos campos CST_ICMS, CFOP e

17 ALIQ_ICMS, sendo que o valor deste campo deve corresponder à soma dos valores do campo VL_ICMS-ST dos registros C170, se existirem; Campo 10 - VL_RED_BC: preencher com o valor não tributado em função de redução da base de cálculo do ICMS, referente à combinação dos campos CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS. O valor constante neste campo deve corresponder à soma dos valores do campo VL_ITEM menos VL_BC_ICMS do registro C170, se existirem; Campo 11 - VL_IPI: preencher com o valor do IPI referente à combinação dos campos CST_ICMS, CFOP e ALIQ_ICMS, sendo que o valor deste campo deve existir nos registros C170, se existirem; Campo 12 - COD-OBS: preencher com o código da observação do lançamento fiscal (campo 02 do registro 0460). Segue abaixo o Registro Tabela de Observações do Lançamento Fiscal: Nº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig 01 REG Texto fixo contendo "0460" C O 02 COD_OBS Código da Observação do lançamento fiscal. C O 03 TXT Descrição da observação vinculada ao lançamento C - - O fiscal

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ESCRITURAÇÃO DA REDUÇÃO Z. Matéria Elaborada com base na legislação vigente em: 07.12.2010.

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ESCRITURAÇÃO DA REDUÇÃO Z. Matéria Elaborada com base na legislação vigente em: 07.12.2010. ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ESCRITURAÇÃO DA REDUÇÃO Z Matéria Elaborada com base na legislação vigente em: 07.12.2010. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - OBRIGAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO CUPOM FISCAL 2.1 - Dispensa

Leia mais

Lay-out de importação do SPED Serviços

Lay-out de importação do SPED Serviços Lay-out de importação do SPED Serviços REGISTRO 0000: (Sped Pis/Cofins) REGISTRO 0150: (Sped Fiscal) REGISTRO 0175: (Sped Fiscal) REGISTRO 0200: (Sped Fiscal) REGISTRO 0450: (Sped Fiscal) REGISTRO A100:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped)

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) Escrituração Fiscal Digital Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Decreto nº 6.022-22/01/07 Institui o (Sped) Objetivo: promover a atuação integrada dos fiscos, mediante a padronização e racionalização das

Leia mais

Pergunte à CPA. EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas

Pergunte à CPA. EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas 13/05/2013 Pergunte à CPA EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas Apresentação: José A. Fogaça Neto Registro C100 Este registro deve ser gerado para cada documento fiscal código 01,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações Gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das Informações

Leia mais

ANEXO IV A NOTA TÉCNICA:

ANEXO IV A NOTA TÉCNICA: Simples SPED ICMS/IPI (RPA) Deverão escriturar os registros C800, C850, C860 e C890 no SPED ICMS/IPI e os registros C860, C870, C880 e C890 na Escrituração Fiscal Digital (EFD) Contribuições. As empresas

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA LANÇAMENTO DE UM DOCUMENTO FISCAL. 1. APRESENTAÇÃO. 2. PREPARAÇÃO PARA A GERAÇÃO DOS REGISTROS. 2.1. Classificação Física dos Documentos

Leia mais

Espaço EFD. EFD icms/ipi. Comentários do Guia EFD Icms/Ipi

Espaço EFD. EFD icms/ipi. Comentários do Guia EFD Icms/Ipi Espaço EFD EFD icms/ipi Comentários do Guia EFD Icms/Ipi SUMÁRIO BLOCO 0: ABERTURA, IDENTIFICAÇÃO E REFERÊNCIAS...2 BLOCO C: DOCUMENTOS FISCAIS I MERCADORIAS (ICMS/IPI)...3 BLOCO D: DOCUMENTOS FISCAIS

Leia mais

Implantação do Bloco K

Implantação do Bloco K 1) Estrutura e Layout: Primeiramente, cabe nos registrar que Escrituração Fiscal Digital (EFD), ou simplesmente Sped-Fiscal, deverá ser efetuada pelo contribuinte mediante o registro eletrônico, em arquivo

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Controle de Produção e Estoque

Controle de Produção e Estoque www.pwc.com.br Controle de Produção e Estoque do SPED Fiscal e seus registros Junho de 2015 Índice 1. Bloco 0 1.1 Registro 0200 Cadastro de itens 1.2 Registro 0210 Consumo específico padronizado 1.3 Registro

Leia mais

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI Esse manual tem por objetivo mostrar os campos que necessariamente devem estar preenchidos no AC Fiscal e os principais erros por conta da falta nas informações. A seguir,

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

QAD Localização Brasil

QAD Localização Brasil QAD Localização Brasil Documentação Interface SPED FISCAL (EFD) Versão eb2, eb21 e QAD 2007 Revisão 02 Julho/2009 QAD 2007 Localizada - Distribuição Ultima Atualização - 7/10/2009 i Índice Geral EFD (ESCRITURAÇÃO

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO. PERFIL O perfil do contribuinte pode ser alterado? Sim, a critério da unidade Federada.

BOLETIM INFORMATIVO. PERFIL O perfil do contribuinte pode ser alterado? Sim, a critério da unidade Federada. BOLETIM INFORMATIVO PERGUNTAS FREQUENTES SPED FISCAL-EFD 1 INSCRIÇÃO ESTADUAL ISENTA Como tratar as empresas que não são contribuintes de ICMS, com Inscrição Estadual ISENTA? Informar o campo vazio (II),

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

1 Geração dos arquivos

1 Geração dos arquivos Orientação Técnica EFD nº 010/2014 versão 2.0 Dispõe sobre a obrigatoriedade da entrega de arquivos EFD para contribuintes do SIMPLES NACIONAL. Em 01/01/2014, os contribuintes optantes pelo SIMPLES NACIONAL

Leia mais

Manual Prático do MerchSintegra

Manual Prático do MerchSintegra Manual Prático do MerchSintegra Bento Gonçalves Setembro de 2010 Índice 1. Introdução... 3 2. O MerchSintegra... 4 2.1. Configurador... 4 2.2. Inconsistências... 16 2.2.1. Gerar Nota Entrada... 16 2.2.2.

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Sistema Público de Escrituração Digital SPED Sistema Público de Escrituração Digital SPED Escrituração Fiscal Digital EFD Perguntas e Respostas (FAQ Frequently Asked Questions) Índice ( + Clique para seguir o link) Conceitos Gerais... 7 Formas

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital

Escrituração Fiscal Digital Escrituração Fiscal Digital Secretarias de Fazenda Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Emenda Constitucional nº 42 19/12/03 Art. 37 da Constituição Federal... XXII - as administrações tributárias da União,

Leia mais

Manual do Sistema para plificada do Crédito Acumulado. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda

Manual do Sistema para plificada do Crédito Acumulado. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda Manual do Sistema para Apuração Simplificad plificada do Crédito Acumulado Versão 1.0.0.1 do Anexo I da Portaria CAT - 207, de 13-10-2009 Página 1 de

Leia mais

O Coordenador Da Administração Tributária, tendo em vista o disposto no Decreto nº 57.608, de 12 de dezembro de 2011, expede a seguinte portaria:

O Coordenador Da Administração Tributária, tendo em vista o disposto no Decreto nº 57.608, de 12 de dezembro de 2011, expede a seguinte portaria: Portaria CAT nº 6, de 19.01.2012 - DOE SP de 20.01.2012 Disciplina o cumprimento das obrigações principais e acessórias relativas ao regime especial previsto no Decreto nº 57.608, de 12 de dezembro de

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013

CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013 SINDICATO DOS CONTABILISTAS ESTADO GOIÁS CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE GOIÁS CONVÊNIO CRC-GO /SCESGO CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos

Leia mais

Apresentadores: Fernanda Silva José A. Fogaça Neto

Apresentadores: Fernanda Silva José A. Fogaça Neto Apresentadores: Fernanda Silva José A. Fogaça Neto SPED - APRESENTAÇÃO Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa

Leia mais

Parâmetros. Instalação

Parâmetros. Instalação Gera Arquivo para a Receita (GeraArq 8) Este aplicativo permite gerar um arquivo para ser enviado à Receita Federal com os registros de nota/ cupons fiscais impressos pelos sistema. Instalação Para fazer

Leia mais

EFD ICMS/IPI. Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE

EFD ICMS/IPI. Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE 16/09/2014 EFD ICMS/IPI Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE Apresentação: José A. Fogaça Neto Legislação Ato COTEPE/ICMS 52/2013 alteração do Ato COTEPE 09/2008 para inclusão do Bloco K Ajuste SINIEF

Leia mais

BLOCO K. CIESP Leste 29/10/2015

BLOCO K. CIESP Leste 29/10/2015 BLOCO K CIESP Leste 29/10/2015 Objetivo do Bloco K O objetivo desse controle é acabar de vez com a emissão de notas fiscais com informações incorretas, como as subfaturadas ou espelhadas e as meia-notas,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

Importante: A BMA utiliza como banco de dados padrão o MySql 5.x.

Importante: A BMA utiliza como banco de dados padrão o MySql 5.x. As estruturas abaixo descritas, referem-se as tabelas utilizadas no armazenamento de geração de dados para o Sistema Público de Escrituração Digital de Dados Fiscais SPED - Fiscal. Importante: A BMA utiliza

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Capítulo I Informações gerais sobre a EFD Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD Seção 4 Periodicidade das informações

Leia mais

Anexo Único. Leiaute do arquivo digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007)

Anexo Único. Leiaute do arquivo digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007) Anexo Único Leiaute do digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007) 1. Cada digital deverá conter informações relativas às Notas Fiscais, modelo 1

Leia mais

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A LIVRO - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 19.09.2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - LIVRO, MODELO 1 OU 1-A 2.1 - Documentos Fiscais Registrados

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI Capítulo I Informações gerais sobre a EFD ICMS/IPI Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD-ICMS/IPI Seção

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG 06/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 8 5. Informações Complementares... 8 6. Referências...

Leia mais

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1. OPERAÇÕES INTERNAS 1.1-BASE DE CÁLCULO - OPERAÇÃO INTERNA No RICMS/SP temos as hipóteses de definição da base de cálculo do ICMS-ST

Leia mais

Portaria CAT nº 32/1996 ANEXO 1 MANUAL DE ORIENTAÇÃO

Portaria CAT nº 32/1996 ANEXO 1 MANUAL DE ORIENTAÇÃO Portaria CAT nº 32/1996 ANEXO 1 MANUAL DE ORIENTAÇÃO Nova redação dada ao Anexo 1 pela Portaria CAT nº 92/02, efeitos a partir de 3/01/03. Redações anteriores: Portarias CAT nºs 13/97 (vig.: 21/2/97),

Leia mais

Preenchimento da NFC-e. Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro

Preenchimento da NFC-e. Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro Atualizado em 19 de agosto de 2015 2 Contribuinte, Este manual tem como objetivo ajudá-lo no preenchimento da NFC-e (Nota Fiscal de Consumidor

Leia mais

Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT

Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT 12/02/2015 SEMPRE UTILIZAR A FORMATAÇÃO UTF-8 NA COMUNICAÇÃO DO DADO DE VENDA OU CANCELAMENTO COM O SAT 1) Preenchimento de campos de CST e

Leia mais

EFD PIS / COFINS. Leiaute - ADE Cofis 31. 08 de julho de 2010. Leiaute - ADE Cofis 34. 28 de outubro de 2010

EFD PIS / COFINS. Leiaute - ADE Cofis 31. 08 de julho de 2010. Leiaute - ADE Cofis 34. 28 de outubro de 2010 EFD PIS / COFINS Leiaute - ADE Cofis 31 08 de julho de 2010 Leiaute - ADE Cofis 34 28 de outubro de 2010 Atualizado pelo ADE Cofis 37 21 de dezembro de 2010 ENTENDENDO A ESTRUTURA DO ARQUIVO 1 ENTENDENDO

Leia mais

Bloco K SPED EFD. Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br. Você sabe o que contempla o Bloco K?

Bloco K SPED EFD. Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br. Você sabe o que contempla o Bloco K? Bloco K SPED EFD Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br Você sabe o que contempla o Bloco K? Resposta O livro modelo 03, este livro contempla o controle de todas as movimentações de estoque, incluindo

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

Confira alguns dos possíveis impedimentos de validação do arquivo SPED

Confira alguns dos possíveis impedimentos de validação do arquivo SPED No validador SPED poderão ocorrer erros e/ou advertências ao importar o arquivo. As advertências não impedem a transmissão do arquivo, no entanto é importante analisar e corrigir as informações. Os erros

Leia mais

Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12. País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12. País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Relatório de Conferência - EFD - Contribuições Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Chamado : TEHRSH Está disponível

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária

Parecer Consultoria Tributária Questão O cliente, no ramo de atividade industrial no segmento de produtos elétricos para profissionais de beleza, sediado em São Paulo, informa que na emissão da nota fiscal complementar de ICMS em sua

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Versão 1.0.0.2 do Anexo I da Portaria CAT83/2009

Leia mais

Sped Fiscal do Shop Control 8

Sped Fiscal do Shop Control 8 Sped Fiscal do Shop Control 8 O Sped Fiscal do Shop Control 8 gera o arquivo de Escrituração Fiscal Digital (EFD) que faz parte do projeto SPED. O layout deste arquivo encontra-se no site http://www.fazenda.gov.br/confaz/confaz/atos/atos_cotepe/2008/ac009_08.htm

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APURAÇÃO DO ICMS. 1. APRESENTAÇÃO. 2. PREPARAÇÃO PARA A GERAÇÃO DOS REGISTROS. 2.1. Tabela de Ajuste da Apuração e Dedução. 2.2. Tabela

Leia mais

SINTEGRA Convênio ICMS 57/95

SINTEGRA Convênio ICMS 57/95 Soluções em Gerenciamento e Produtividade SINTEGRA Convênio ICMS 57/95 Ficam obrigados às disposições deste Convênio os seguintes contribuintes: Todas as empresas que emitirem documento fiscal e/ou escriturar

Leia mais

Manual SPED Fiscal MANUAL SPED FISCAL

Manual SPED Fiscal MANUAL SPED FISCAL MANUAL SPED FISCAL Digisat Tecnologia Ltda Rua Marechal Deodoro, 772 Edifício Mirage 1º Andar Sala 5 e 6 Centro Concórdia/SC CEP: 89700-000 Fone/Fax: (49) 3441-1600 suporte@digisat.com.br www.digisat.com.br

Leia mais

expert PDF Trial SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital Elaborado por: Antonio Sérgio de Oliveira

expert PDF Trial SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital Elaborado por: Antonio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO DO ARQUIVO DIGITAL RELATIVO ÀS INFORMAÇÕES FIS- CAIS A SEREM PRESTADAS POR PRODUTORES RURAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO DO ARQUIVO DIGITAL RELATIVO ÀS INFORMAÇÕES FIS- CAIS A SEREM PRESTADAS POR PRODUTORES RURAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO DO ARQUIVO DIGITAL RELATIVO ÀS INFORMAÇÕES FIS- CAIS A SEREM PRESTADAS POR PRODUTORES RURAIS Versão 1.0.0.1 Página

Leia mais

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011.

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. SUMÁRIO: 12 INTRODUÇÃO 2.1 NOTA CSTs que FISCAL, Não São MODELO

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF Página: /0 do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial Final Valor Fixo "N" de Nota (...) Constante "00000" Sistema (...) Valor Fixo "" 9 0 4 4 0 4 4 0 44 44 4 46 4 4

Leia mais

Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra

Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra 1 - Qual a legislação pertinente a arquivos eletrônicos e onde encontrá-la? O assunto é tratado pelo Convênio ICMS 57/95 e alterações e pelo Anexo VII ao Regulamento de

Leia mais

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE OBSERVAÇÃO: Para alteração desta portaria e de seu anexo foram utilizadas as nomenclaturas: Texto

Leia mais

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI

GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI GUIA PRÁTICO DA ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD- ICMS/IPI Capítulo I Informações gerais sobre a EFD ICMS/IPI Seção 1 Apresentação Seção 2 Legislação Seção 3 Da apresentação do arquivo da EFD-ICMS/IPI Seção

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição SUMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. Contribuintes Obrigados à EFD 3.1. Contribuintes optantes pelo SIMPLES Nacional ou Microempreendedor Individual (MEI) 4. Livros Fiscais 5. Contribuintes Obrigados

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE O arquivo digital do Sistema de Escrituração Fiscal (SEF) deve ser declarado pelos contribuintes inscritos no Cadastro de Contribuintes do Estado de Pernambuco CACEPE,

Leia mais

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL 1 Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos

Leia mais

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal INTRODUÇÃO Um dos objetivos do uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF é a automação comercial. O ECF é, sem dúvida, um instrumento importante nesse processo.

Leia mais

WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL?

WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL? WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL? 2 O CONTRIBUINTE DE PERNAMBUCO ESTÁ PREPARADO PARA O SPED FISCAL (EFD-ICMS/IPI)? Através da Instrução Normativa nº 1.371/2013

Leia mais

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Quando vou transmitir o arquivo o sistema me pede nome de usuário e senha. O que fazer? Você esta tentando transmitir o arquivo no formato TXT.

Leia mais

PROPOSTA APRESENTATIVA PACOTE SPEDDLL SPED FISCAL

PROPOSTA APRESENTATIVA PACOTE SPEDDLL SPED FISCAL PROPOSTA APRESENTATIVA PACOTE SPEDDLL SPED FISCAL INTEGRAÇÃO EFD e EFD-Contribuições http://sped.asscomponentes.com.br 1. Conceito A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui

Leia mais

Pendências de Validação

Pendências de Validação Total de advertências 394 inválido. Preencher, se os dois últimos dígitos do CST_ICMS = 20 ou 70. 11 Documento fiscal emitido por terceiros deverá ter indicador de operação = Zero (entradas). Se os dois

Leia mais

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda.

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda. Legislação pertinente ao SPED FISCAL em ordem anticronológica: Ato COTEPE/ICMS 17, de 15 de junho de 2011 - Altera o Ato COTEPE/ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. NF Modelo 1 e 1A, Avulsa, Produtor e NF-e. Este anexo detalha todos os lançamentos de Observações e Ajustes (filhos

Leia mais

ICMS DEVIDO NO DESTINO

ICMS DEVIDO NO DESTINO ICMS DEVIDO NO DESTINO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA EFD PELOS CONTRIBUINTES DA BAHIA A EC 87/2015 alterou a sistemática de cobrança do ICMS nas operações e prestações que destinem bens e serviços

Leia mais

C F O P. Código Fiscal de Operações e Prestações

C F O P. Código Fiscal de Operações e Prestações C F O P Código Fiscal de Operações e Prestações 1 Que é É o código fiscal destinado a aglutinar em grupos homogêneos, nos documentos fiscais, nos livros fiscais, nas guias de informação e em todas as análises

Leia mais

Palestra Makrosystem. SPED Fiscal voltado ao. Makro Contábil

Palestra Makrosystem. SPED Fiscal voltado ao. Makro Contábil Palestra Makrosystem SPED Fiscal voltado ao Makro Contábil Instrutor: Ademar Antônio da Silva Data: 20 de outubro de 2010 Max Gehringer Mensagem Importante Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) voltada

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br COMUNICADO SEFAZ Nº 003/2007 Informa sobre a instituição da Declaração de Informações

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 15 Layout 18 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - SAÍDA Sumário 1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços 1. INTRODUÇÃO Neste trabalho, dando continuidade

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições 08/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5 Espécie do documento 1 3 Alfanumérico - espécie da nota ou *CT Série e subsérie 4 3 Alfanumérico-0 a 9/A a Z Número da Nota Fiscal ( ) 7 6 Numérico com zeros a esquerda Número da Nota Fiscal ( Final )

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração 06/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal)

EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal) SPED Sistema Público de Escrituração Digital Instituído pelo Decreto nº 6022, de 22/01/2007, o projeto é composto: EFD Escrituração Fiscal Digital (SPED Fiscal).

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011 Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS São Paulo, agosto de 2011 m28 Obrigações Tributárias: Emissão de Documento Fiscal Escrituração Contábil Obrigação Acessória Escrituração Fiscal Entrega de Declarações

Leia mais

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital? 2 SPED - Sistema Público de Escrituração Digital Projeto do PAC 2007-2010 Instituído pelo Convênio ICMS 143/06.

Leia mais

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo trazer considerações relevantes quanto a dados inerentes à Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

Layout Soma NF-e 2.4.5

Layout Soma NF-e 2.4.5 Layout Soma NF-e 2.4.5 Leiaute para ENTRADAS e SAÍDAS Delimitador ';' Formato Data: dd/mm/yyyy Separador decimal '.' Campos não obrigatórios null e delimitador null; Obrigatoriedade S=Sim N=Não OS= Opicional

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF 2012 Livros da Apuração do ICMS. (atualizado até 27/09/2013)

ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF 2012 Livros da Apuração do ICMS. (atualizado até 27/09/2013) ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF 2012 Livros da Apuração do ICMS (atualizado até 27/09/2013) 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...5 2. REQUISITOS GERAIS DA ESCRITURAÇÃO FISCAL...5 2.1 Fonte dos lançamentos...5 2.2 Tempestividade

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP 1. Certificado Digital - Antes de mais nada você precisa possuir um certificado digital

Leia mais

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04.11.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ALÍQUOTAS DO ICMS 2.1 - Operações

Leia mais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais 03/04/2014 Pergunte à CPA Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto Devolução regras gerais Artigo 4º - Para efeito de aplicação da legislação do imposto, considera-se...

Leia mais