LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)"

Transcrição

1 EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve ser LOTSAI - Entradas: O nome do arquivo deve ser LOTENT ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO O arquivo deverá ter um formato LINE-SEQUENCIAL ( TEXTO) TIPOS DE DADOS DO REGISTRO Os tipos de dados encontrados são os seguintes: - : Campo que pode ter letras e números; - : Campo que só pode ter números; Obs: Caso exista casas decimais estas devem vir separadas por um ponto(.). Ex.: 9.2 = : Campo que só tem número no seguinte formato: AAAAMMDD Onde AAAA é o ano, MM é o mês e DD é o dia. Ex.: A seguinte data 25/05/1995 = CGC/CPF: Campo com 18 caractere contendo um CGC ou CPF editado. Ex.: Um CGC = /0-91; um CPF = CAMPOS DO REGISTRO Pi Pf Tm - Posição inicial - Posição final - Tamanho do campo TIPOS DE REGISTRO Registro Chave (TR) Descrição Número 1 Número 2 Número 3 Número 4 Número 5 Número Valores fiscais da Nota Fiscal e CTRC. Informações dos produtos da nota fiscal. Informações para desdobramento duplicatas. Informações das notas fiscais que acobertam a carga transportada. Dados Adicionais - Informações Complementares da Nota Fiscal para EFD PIS/ COFINS. Volumes transportados (Códigos 01 e 04), exceto combustíveis Operações de saída Para EFD FISCAL Nota: As informações assinaladas em vermelho indicam os novos campos criados a partir da necessidade da geração do SPED PIS e COFINS. As assinaladas em azul indicam os novos campos criados para a geração do SPED FISCAL.

2 Registro número 1 - Valores fiscais da Nota Fiscal e CTRC. Pi Pf Tm Tipo Descrição CGC/CPF CGC/CPF Valor da TR - Constante 1 Tipo de lançamento: E - Entradas ou S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final: Quando o lançamento for referente a uma única nota este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data da entrada da nota. Nas saídas é igual a data de emissão Data da emissão da nota Valor contábil da nota Base de cálculo tributada de ICMS Base de cálculo isenta de ICMS Base de cálculo outras de ICMS Alíquota de ICMS Valor de ICMS Base de cálculo tributada de IPI Base de cálculo isento de IPI Base de cálculo outras de IPI Valor do IPI Observações Unidade de federação CGC ou CPF do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Nome do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Endereço do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Bairro do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Cidade do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) CEP do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Inscrição estadual do fornecedor (entrada) ou do cliente(saída) Código do município de embarque no caso de transportadoras Alíquota de ISSQN Conta Contábil Valor deduções do ISSQN Valor do IRF ISSQN retido por Substituição tributária. Use S qdo Sim e N qdo Não. Sequência do tipo de operação fornecida pelo escritório contábil. Código para base isenta/não tributada das notas fiscais de saída Código para base outras das notas fiscais de saída Base de cálculo ICMS Substituição Tributária Valor ICMS Substituição Tributária Valor base ISSQN. Valor Observação IPI Código fiscal de operação (CFOP) Valor Observação ICMS Substituição Tributária Valor retenção COFINS Valor retenção PIS Valor retenção CSLL Modalidade do frete: 1 Pago CIF ou 2 A pagar FOB Unidade de federação do remetente para notas de saída de transportadora CGC ou CPF do remetente para notas de saída de transportadora Nome do remetente para notas de saída de transportadora Endereço do remetente para notas de saída de transportadora Bairro do remetente para notas de saída de transportadora Cidade do remetente para notas de saída de transportadora CEP do remetente para notas de saída de transportadora Inscrição estadual do remetente para notas de saída de transportadora Forma de pagamento: 1- A vista, 2 - A prazo, 3 Outros

3 Tabela para tributação SIMPLES Nacional Código atividade ISS para Prefeitura Caxias do Sul Percentual Funrural Valor Funrural Valor Funrural outras entidades Valor Frete Valor Seguro Valor Outras Despesas Chave NF-e ou Chave CT-e ou Chave NFS-e Ver Obs 12 Indicador do tipo de frete (C100 e D100) Ver Obs 13 Indicador da natureza do frete contratado (D101 e D105) Ver Obs 14 Tipo de conhecimento de transporte eletrônico (D100) Ver Obs 15 Valor total do PIS Ver Obs 17 Valor total do COFINS Ver Obs 17 Chave CT-e referenciado (D100) Ver Obs 16 Valor do pedágio a excluir do faturamento federal Ver Obs 18 Observações: 1- Para uma mesma nota fiscal deverá existir mais de um registro número 1 em sequência quando esta nota possuir diferentes CFOPs ou diferentes alíquotas de ICMS, desta forma todos os valores constantes em cada registro se referem aquele CFOP ou àquela alíquota de ICMS. Para a EFD PIS/ COFINS, também mais de um registro número 1 em sequência quando diferentes combinações de CFOP, CST PIS e CST COFINS, Alíquota PIS e COFINS, constando as diferentes sequências do tipo de operação, conforme fornecido pelo escritório de contabilidade. Cada registro número 1 com a sequência do tipo de operação (Posição 430 a 431) e os seus respectivos produtos no registro número 2 com a mesma sequência (Posição 555 a 556). 2-Tanto nas entradas quanto nas saídas é obrigatório o campo Unidade de Federação. Quando a nota fiscal se tratar de uma exportação ou importação verificar com o escritório contábil, qual o código correspondente aos países referentes. 3- Os campos número da nota fiscal inicial e número da nota fiscal final quando numérico, deve ser alinhado pela esquerda, preenchendo os campos a direita com espaços em branco. Ex.: 000, 000, A conta contábil será fornecida pelo escritório contábil que lhe forneceu o lay-out. 4.1 Notas de saída. O escritório contábil deve ter o relacionamento dos tipos de operações com as contas. - Para operações que não contabilizam, informe conta para não contabilizar: Para forma de pagamento à vista,informe conta caixa: - Para forma de pagamento a prazo, informe conta sintética dos clientes: 4.2 Notas de entrada. - Para operações que não contabilizam, informe conta para não contabilizar: Para forma de pagamento à vista, informe conta caixa: Se houver diferentes contas débito para compras à vista, como por exemplo, compra de matéria prima à vista e compra de material de embalagem à vista, é necessário preencher o campo sequência do tipo de operação (posição 430 a 431). Este é fornecido pelo escritório contábil, que, por exemplo, nos seus cadastros terá a operação para compra de matéria prima, então sequência 01 e para compra de material de embalagem, então sequência Para forma de pagamento a prazo, quando o escritório contábil tiver o relacionamento do tipo de operações com com as contas, e por consequência tipos de operações cadastrados com sequências que deverão constar neste arquivo, da mesma forma que o exemplo anterior, informe conta sintética de fornecedores: - Para forma de pagamento a prazo, quando o escritório contábil não tiver o relacionamento do tipo de operações com com as contas, o escritório contábil deverá fornecer documento informando a conta débito do valor contábil para cada tipo de operação de entrada utilizada pela empresa.

4 5- Quando a nota fiscal estiver cancelada, as posições a 181 e 389 a 870 e 934 a 961 deverão estar zerados, devendo constar nas observações da nota fiscal somente a descrição CANCELADA. 6- Escritório contábil definirá se poderão ser acumuladas notas fiscais na sequência ( Número da nota fiscal final maior que Número da nota fiscal inicial ) desde que estas possuam mesma data, mesmo Código fiscal de operação (CFOP), mesma alíquota de ICMS e mesma Conta contábil. No caso de acumular notas fiscais na sequência não deverão ser preenchidas as posições 214 a 384. Acumular notas fiscais na sequência: ( ) Sim ( ) Não 7-Código para base isenta/não tributada das notas fiscais de saída: Somente preencher para notas fiscais de saída (Tipo de lançamento 'S'), quando a empresa possuir Gia Mensal Completa e a nota fiscal possuir base de cálculo isenta de ICMS. ( ) Gia Mensal Completa ( ) Gia Mensal Resumida ou Não lançar. 8- Código para base outras das notas fiscais de saída: Somente preencher para notas fiscais de saída (Tipo de lançamento 'S'), quando a empresa possuir Gia Mensal Completa e a nota fiscal possuir base de cálculo outras de ICMS. ( ) Gia Mensal Completa ( ) Gia Mensal Resumida ou Não lançar. 9- O campo Modalidade do frete deve ser preenchido para notas de saída e entrada dos seguintes modelos: 07 Nota fiscal de serviço de transporte, 08 Conhecimento de transporte rodoviário de cargas, 09 Conhecimento de transporte aquaviário de cargas, 10 Conhecimento aéreo, 11 Conhecimento de transporte ferroviário de cargas e 57 Conhecimento de transporte eletrônico - CT-e. Nas notas fiscais de saída, quando for 1 Pago CIF define que o Remetente é o Tomador e este será usado para contabilização, quando for 2 A pagar FOB, será usado o cliente, isto é, o destinatário. 10- Os dados cadastrais do remetente devem ser preenchidos para notas fiscais de saída de transportadoras, necessários para a correta contabilização e geração do registro tipo 71 do Convênio ICMS 76/ Tabela para tributação SIMPLES Nacional: Código fornecido pelo escritório contábil. Deve ser informado somente para empresas enquadradas no SIMPLES, nos lançamentos a partir de 01/07/2007, de tipos de operações com incidência para o faturamento federal. NOTA: Quando não informada no arquivo, poderá ser atualizada no momento da importação dos lançamentos, conforme base de dados do escritório contábil, nas seguintes regras: Para as notas de saída: Será a tabela sugestão dos parâmetros fiscais da empresa, ou quando não definida na empresa, será a tabela sugestão do cadastro de tipos de operações. Para as notas de entrada: Será a tabela sugestão definida no cadastro de tipos de operações Chave NF-e ou Chave CT-e ou Chave NFS-e: Chave da Nota fiscal eletrônica (Modelo 55) ou Chave do Conhecimento de transporte eletrônico (Modelo 57) ou Chave/Código de Verificação da nota fiscal de serviço eletrônica (Documento Fiscal Instituído pelo Fisco Municipal) Indicador do tipo de frete: 0- Por conta de terceiros; 1- Por conta do emitente; 2- Por conta do destinatário; 9- Sem cobrança de frete Indicador da natureza do frete contratado: Somente preencher para documentos fiscais de entrada (Tipo de lançamento 'E'), para os modelos 07, 08, 09, 10, 11, 26, 27 e 57, podendo conter as seguintes opções: 0 Operações de vendas, com ônus suportado pelo estabelecimento vendedor; 1 Operações de vendas, com ônus suportado pelo adquirente; 2 Operações de compras (bens para revenda, matérias prima e outros produtos, geradores de crédito); 3 Operações de compras (bens para revenda, matérias prima e outros produtos, não geradores de crédito); 4 Transferência de produtos acabados entre estabelecimentos da pessoa jurídica; 5 Transferência de produtos em elaboração entre estabelecimentos da pessoa jurídica; 9 Outras Tipo de conhecimento de transporte eletrônico: definido no Manual de Integração do CT-e. Somente preencher para documentos fiscais de entrada (Tipo de lançamento 'E'), para o modelo 57. Seguintes opções: 0_Normal, 1_Complemento de valores, 2_Anulação de valores, 3_Substituto. 16 Chave CT-e referenciado: Quando o Tipo de conhecimento de transporte eletrônico for 1_Complemento de valores ou 2_Anulação de valores, informe a chave de acesso do conhecimento de transporte eletrônico referenciado. 17 Valor total do PIS e Valor total do COFINS: informar o valor total do PIS/Pasep e COFINS (débito ou crédito) referente ao documento fiscal, ou referente ao multi-lançamento do documento fiscal que esta sendo escriturado em cada registro número 1, observando que deverá existir um registro número 1 para cada combinação de CFOP, CST PIS e CST COFINS, Alíquota PIS e COFINS, com diferentes sequências do tipo de operação, conforme fornecido pelo escritório de contabilidade.

5 Dados PIS e COFINS: ( ) Constar arquivo texto. ( ) Não constar arquivo texto. Sugerido pelo tipo de operação fornecido pelo escritório de contabilidade Valor do pedágio a excluir do faturamento federal: No lançamento de saída de prestação de serviço de transporte, nos modelos dos códigos 07, 08, 8B, 09, 10, 11, 26, 27 e 57, este valor deve ser informado quando optado por diminuir da base de cálculo do imposto federal o valor do pedágio destacado em campo específico no documento fiscal.

6 Registro número 2 - Informações dos produtos da nota fiscal. Pi Pf Tm Tipo Descrição Valor da TR - Constante 2 Tipo de lançamento: E - Entradas ou S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final. Quando o lançamento for referente a uma única nota, este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data da entrada da nota. Nas saídas é igual a data de emissão Data da emissão da nota Valor do produto (valor unitário * quantidade) Valor do desconto por item Base de cálculo tributada do ICMS Base de cálculo p/substituição tributária Alíquota ICMS Percentual de redução na base de cálculo do ICMS Origem da mercadoria da situação tributária será 0,1 ou 2 Tributação pelo ICMS da situação tributária CSOSN Código de Situação da Operação no Simples Nacional Código interno do produto/serviço na empresa Descrição do produto Descrição da Unidade de Medida Código de barras do produto Quantidade para até ou zeros Alíquota do IPI Conta gerencial Classificação fiscal Ex.: Unidade de medida Quantidade para até ou zeros Base de cálculo tributada do IPI Base de cálculo isento do IPI Base de cálculo outros do IPI Valor do imposto do IPI Código fiscal de Operação (CFOP). Sequência do tipo de operação fornecida pelo escritório contábil. Código combustível ANP (0206) Código de classificação do item do serviço comunicação ou telecomunicação (D601 e D605) Ver Obs 16 Valor do frete do item Valor do seguro do item Valor outras despesas do item Tipo do item (0200) Ver Obs 5 Código EX da TIPI (0200) Código do gênero (0200) Ver Obs 6

7 Código do serviço Lei Complementar 116/03 (0200) Ver Obs 7 CST PIS - Código Situação Tributária referente ao PIS/PASEP Ver Obs 8 Código Natureza da receita PIS (M410 e M810) Ver Obs 9 Valor base cálculo PIS Ver Obs 10 Alíquota PIS em percentual Ver Obs 11 Valor do PIS Ver Obs 12 CST COFINS - Código Situação Tributária referente à COFINS Ver Obs 8 Código Natureza da receita COFINS (M410 e M810) Ver Obs 9 Valor base cálculo COFINS Ver Obs 10 Alíquota COFINS em percentual Ver Obs 11 Valor do COFINS Ver Obs 12 Movimentação física do item (0_Sim, 1_Não) Alíquota ICMS Substituição Tributária Valor ICMS Substituição Tributária CST IPI Código Situação Tributária referente ao IPI Ver Obs 14 Código de enquadramento legal do IPI Ver Obs 15 Observações: 1- O campo classificação fiscal não pode ser zeros. A descrição do produto não pode ser brancos. O valor do produto não pode ser zeros porque representa o valor total do produto na nota fiscal. 2- Os bytes ( a 046) e (494 a 497) deste registro devem conter exatamente os mesmos dados do registro de TR=1 ; bytes ( a 046) e (494 a 497), referentes a identificação da nota fiscal. Para a EFD PIS/ COFINS, obrigatoriamente a sequência do tipo de operação (bytes 555 a 556) deste registro deve conter exatamente a mesma informação do registro de TR=1 (bytes 430 a 431), para que os produtos constem corretamente em seu multi-lançamento. 3- Registros número 2 devem estar em sequência do registro número 1, ou seja para cada nota os seus lançamentos dos produtos. 4- Existem duas quantidades, mas somente uma delas deve conter valores, como por exemplo, se a empresa trabalhar com quantidades grandes, informar a quantidade nas posições 375 a 384, e nas posições 414 a 423 informar zeros. 5 Tipo do item: Atividades Industriais, Comerciais e Serviços com as seguintes opções: 00 Mercadoria para Revenda; 01 Matéria-Prima; 02 Embalagem; 03 Produto em Processo; 04 Produto Acabado; 05 Subproduto; 06 Produto Intermediário; 07 Material de Uso e Consumo; 08 Ativo Imobilizado; 09 Serviços; 10 Outros insumos; 99 Outras. 6 - Código do gênero: Obrigatório para todos os contribuintes na aquisição de produtos primários. A Tabela "Gênero do Item de Mercadoria/Serviço", referenciada no Item do Manual de Orientação do Leiaute da EFDPIS/ Cofins (ADE Cofis nº 34/2010), corresponde à tabela de "Capítulos da NCM", acrescida do código "00 Serviço". 7 - Código do serviço: Informar o código do serviço de acordo com a Lei Complementar 116/ CST PIS - Código Situação Tributária referente ao PIS/PASEP e CST COFINS - Código Situação Tributária referente à COFINS: Conforme a Tabela II e a Tabela III, constantes no Anexo Único da Instrução Normativa RFB nº 1.009, de 2010, referenciada no Manual do Leiaute da EFD-PIS/Cofins. 9 - Código Natureza da receita PIS e Código Natureza da receita COFINS: Para cada CST conforme abaixo, observar as tabelas externas especificadas pela RFB e disponibilizada no Portal do SPED no sítio da RFB na Internet, no endereço <http://www.receita.fazenda.gov.br/sped>: Para o CST 04 - Operação Tributável Monofásica - Revenda a Alíquota Zero, utilize os códigos constantes nas tabelas : Produtos Sujeitos à Incidência Monofásica da Contribuição Social Alíquotas Diferenciadas e : Produtos Sujeitos à Incidência Monofásica da Contribuição Social Alíquotas por Unidade de Medida de Produto. Para o CST 05 (e alíquota zero) - Operação Tributável por Substituição Tributária, utilize os códigos da Tabela : Produtos Sujeitos à Substituição Tributária da Contribuição Social. Para o CST 06 - Operação Tributável a Alíquota Zero, utilize os códigos da Tabela : Produtos Sujeitos à Alíquota Zero da Contribuição Social. Para o CST 07 - Operação Isenta da Contribuição, utilize os códigos da Tabela : Operações com Isenção da Contribuição Social.

8 Para o CST 08 - Operação sem Incidência da Contribuição, utilize os códigos da Tabela : Operações sem Incidência da Contribuição Social. Para o CST 09 - Operação com Suspensão da Contribuição, utilize os códigos da Tabela : Operações com Suspensão da Contribuição Social Valor base cálculo PIS e Valor base cálculo COFINS: informar o valor da base de cálculo referente ao item documento fiscal, para fins de apuração da contribuição social ou de apuração do crédito, conforme o caso Alíquota PIS em percentual e Alíquota COFINS em percentual: informar neste campo o valor da alíquota ad valorem aplicável para fins de apuração da contribuição social ou do crédito, conforme o caso Valor do PIS e Valor do COFINS: deve corresponder ao valor da base de cálculo multiplicado pela alíquota aplicável ao item. A soma do Valor do PIS e do Valor do COFINS de todos os registros número 2 deve ser igual ao Valor total do PIS e Valor total do COFINS constantes no registro número 1 a que se referem os registros número 2, conforme o item 2 destas observações Dados PIS e COFINS: ( ) Constar arquivo texto ( ) Não constar arquivo texto. Sugerido pelo tipo de operação fornecido pelo escritório de contabilidade CST IPI Código Situação Tributária referente ao IPI: Tabela externa publicada pela RFB e disponibilizada no Portal do SPED no sítio da RFB na Internet, no endereço <http://www.receita.fazenda.gov.br/sped>. Com as seguintes opções: 50 Saída tributada, 51 Saída tributada com alíquota zero, 52 Saída isenta, 53 Saída não tributada, 54 Saída imune, 55 Saída com suspensão, 99 Outras saídas, 00 Entrada com recuperação crédito, 01 Entrada tributada com alíquota zero, 02 Entrada isenta, 03 Entrada não tributada, 04 Entrada imune, 05 Entrada com suspensão, 49 Outras entradas Código de enquadramento legal do IPI: Tabela a ser criada pela RFB. Informar Código de classificação do item do serviço comunicação ou telecomunicação: Informar nos lançamentos dos itens das notas fiscais de saída dos modelos de documentos 21 e 22, conforme a Tabela do Ato COTEPE/ICMS nº 09, de 18 de abril de 2.

9 Registro número 3 - Informações para desdobramento duplicatas. Pi Pf Tm Tipo Descrição Observações: Somente gerar registro número 3 para notas fiscais a prazo. Valor da TR - Constante 3 Tipo de lançamento: E Entradas ou S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final. Quando o lançamento for referente a uma única nota, este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data da entrada da nota. Nas saídas é igual a data de emissão Data de vencimento da duplicata Número duplicata até 6 dígitos ou zeros Sequência da duplicata Número duplicata até 9 dígitos ou zeros Valor da duplicata 2- Da posição inicial até a posição final 038 deve ser igual ao Registro Número 1 a que se refere as duplicatas. 3- No número da duplicata colocar o número da fatura, se não tiver o número da fatura colocar o número da nota fiscal. Existem duas posições para informar o número da duplicata, mas informe em somente uma delas. 4- Só informa a sequência se houver mais de uma duplicata. A sequência pode ser número ou letras. Ex.: 01, 02, 03 ou A, B, C, etc.

10 Registro número 4 - Informações das notas fiscais que acobertam a carga transportada. Pi Pf Tm Tipo Descrição Observações: Valor da TR - Constante 4 Tipo de lançamento: S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final. Quando o lançamento for referente a uma única nota, este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data de emissão da nota Data da emissão da nota fiscal que acoberta a carga transportada Valor total da nota fiscal que acoberta a carga transportada Espécie da nota fiscal que acoberta a carga transportada Série da nota fiscal que acoberta a carga transportada Número da nota fiscal que acoberta a carga transportada até 6 dígitos ou zeros Número da nota fiscal que acoberta a carga transportada até 9 dígitos ou zeros 1- Somente gerar registro número 4 para notas fiscais de saída de transportadoras (conhecimentos), com o objetivo de gerar o registro tipo 71 do Convênio ICMS 76/03 (Sintegra), com dados das notas fiscais que acobertam a carga transportada. 2- Da posição inicial até a posição final 038 deve ser igual ao Registro Número 1 a que se refere as notas fiscais. 3- Gerar um registro número 4 para cada nota fiscal que consta no conhecimento. 4- Existem duas posições para informar o Número da nota fiscal que acoberta a carga transportada, mas informe em somente uma delas.

11 Registro número 5 - Dados Adicionais - Informações Complementares da Nota Fiscal para EFD PIS/ COFINS. Pi Pf Tm Tipo Descrição Observações: Valor da TR - Constante 5 Tipo de lançamento: E Entradas ou S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final. Quando o lançamento for referente a uma única nota, este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data da entrada da nota. Nas saídas é igual a data de emissão Número de ordem sequencial Informações complementares 1- Somente gerar registro número 5, com as informações complementares, que constam no campo Dados adicionais dos documentos fiscais, para a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep e da COFINS. 2- Da posição inicial até a posição final 038 deve ser igual ao Registro Número 1 a que se refere as notas fiscais. 3- Número de ordem sequencial: Contador sequencial (01, 02, ) de registros número 5 em cada registro número 1, necessário até constar todas as informações complementares. Somente haverá mais de um registro número 5 quando todo o conteúdo das informações complementares tiverem tamanho superior a 200 caracteres.

12 Registro número 6 - Volumes transportados (Códigos 01 e 04), exceto combustíveis Operações de saída Para EFD FISCAL Pi Pf Tm Tipo Descrição Observações: CGC/CPF Valor da TR - Constante 6 Tipo de lançamento: S - Saídas Número da nota fiscal inicial Número da nota fiscal final. Quando o lançamento for referente a uma única nota, este campo deve ter o mesmo valor da nota fiscal inicial. Espécie da nota fiscal Série da nota fiscal Data de emissão da nota Unidade de federação do transportador CGC ou CPF do transportador Nome do transportador Endereço do transportador Bairro do transportador Cidade do transportador CEP do transportador Inscrição estadual do transportador Unidade de federação da placa do veículo Placa do veículo automotor Quantidade de volumes transportados Peso bruto dos volumes transportados Peso líquido dos volumes transportados 1- Somente gerar registro número 6, com o objetivo de informar detalhes dos volumes, do transportador e do veículo empregado no transporte nas operações de saídas, para os modelos de documentos 01 e 04, exceto combustíveis, quando houver necessidade de gerar o SPED Fiscal. 2- Da posição inicial até a posição final 038 deve ser igual ao Registro Número 1 a que se refere as notas fiscais. 3 - Quando o transportador for o próprio emitente do documento, não é necessário informar os dados cadastrais do transportador. 4 São informações obrigatórias para o SPED Fiscal a quantidade de volumes, o peso bruto e o peso líquido.

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF Página: /0 do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial Final Valor Fixo "N" de Nota (...) Constante "00000" Sistema (...) Valor Fixo "" 9 0 4 4 0 4 4 0 44 44 4 46 4 4

Leia mais

Importante: A BMA utiliza como banco de dados padrão o MySql 5.x.

Importante: A BMA utiliza como banco de dados padrão o MySql 5.x. As estruturas abaixo descritas, referem-se as tabelas utilizadas no armazenamento de geração de dados para o Sistema Público de Escrituração Digital de Dados Fiscais SPED - Fiscal. Importante: A BMA utiliza

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 15 Layout 18 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5 Espécie do documento 1 3 Alfanumérico - espécie da nota ou *CT Série e subsérie 4 3 Alfanumérico-0 a 9/A a Z Número da Nota Fiscal ( ) 7 6 Numérico com zeros a esquerda Número da Nota Fiscal ( Final )

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais.

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais. Página: / do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial das Notas Fiscais Final das Notas Fiscais Valor Fixo "N" da Nota Constante "00000" Sistema Valor Fixo "" 0 0 0 6

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 17 Layout 19 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA LANÇAMENTO DE UM DOCUMENTO FISCAL. 1. APRESENTAÇÃO. 2. PREPARAÇÃO PARA A GERAÇÃO DOS REGISTROS. 2.1. Classificação Física dos Documentos

Leia mais

Ato Declaratório Executivo COFIS nº 15, de 23 de Outubro de 2001 - Anexo Único

Ato Declaratório Executivo COFIS nº 15, de 23 de Outubro de 2001 - Anexo Único Ato Declaratório Executivo COFIS nº 15, de 23 de Outubro de 2001 - Anexo Único 1. Especificações Técnicas dos Sistemas e Arquivos Os arquivos digitais solicitados por AFRF deverão obedecer às regras de

Leia mais

Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE

Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE 100 - Registro de consulta cadastro do Contribuinte 02 UF do contribuinte 03 CNPJ ou CPF do contribuinte Se for pessoa física, deverá conter apenas

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

Anexo Único. Leiaute do arquivo digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007)

Anexo Único. Leiaute do arquivo digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007) Anexo Único Leiaute do digital da Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A (a que se refere o artigo 2º, I, da Portaria CAT 102/2007) 1. Cada digital deverá conter informações relativas às Notas Fiscais, modelo 1

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG 06/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 8 5. Informações Complementares... 8 6. Referências...

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

L e i a u t e d e I mp o r t a ç ã o Ar q u i v o T e x t o

L e i a u t e d e I mp o r t a ç ã o Ar q u i v o T e x t o Notas de Entrada Filler 1 4 Deixar em branco CNPJ do emitente 5 14 Preencher sem pontuação Data da entrada 19 6 Formato DDMMAA Data da emissão 25 6 Formato DDMMAA Número do documento 31 6 Numérico com

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190. Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em 10.11.2010.

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190. Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em 10.11.2010. ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - Preenchimento dos Registros C100, C170 e 190 Matéria Elaborada com Base na Legislação Vigente em 10.11.2010. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - REGISTRO C100 - NOTA FISCAL (CÓDIGO

Leia mais

Layout Soma NF-e 2.4.5

Layout Soma NF-e 2.4.5 Layout Soma NF-e 2.4.5 Leiaute para ENTRADAS e SAÍDAS Delimitador ';' Formato Data: dd/mm/yyyy Separador decimal '.' Campos não obrigatórios null e delimitador null; Obrigatoriedade S=Sim N=Não OS= Opicional

Leia mais

ANEXO IV A NOTA TÉCNICA:

ANEXO IV A NOTA TÉCNICA: Simples SPED ICMS/IPI (RPA) Deverão escriturar os registros C800, C850, C860 e C890 no SPED ICMS/IPI e os registros C860, C870, C880 e C890 na Escrituração Fiscal Digital (EFD) Contribuições. As empresas

Leia mais

Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12. País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12. País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Relatório de Conferência - EFD - Contribuições Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 23/05/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Chamado : TEHRSH Está disponível

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.108A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.108A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped)

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) Escrituração Fiscal Digital Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Decreto nº 6.022-22/01/07 Institui o (Sped) Objetivo: promover a atuação integrada dos fiscos, mediante a padronização e racionalização das

Leia mais

Configuração de Acumuladores

Configuração de Acumuladores Configuração de Acumuladores Os acumuladores são cadastro usados pelo Módulo Domínio Sistemas Fiscal para permitir a totalização dos valores lançados nos movimentos de entradas, saídas, serviços, outras

Leia mais

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1. OPERAÇÕES INTERNAS 1.1-BASE DE CÁLCULO - OPERAÇÃO INTERNA No RICMS/SP temos as hipóteses de definição da base de cálculo do ICMS-ST

Leia mais

Manual Prático do MerchSintegra

Manual Prático do MerchSintegra Manual Prático do MerchSintegra Bento Gonçalves Setembro de 2010 Índice 1. Introdução... 3 2. O MerchSintegra... 4 2.1. Configurador... 4 2.2. Inconsistências... 16 2.2.1. Gerar Nota Entrada... 16 2.2.2.

Leia mais

Sped Fiscal do Shop Control 8

Sped Fiscal do Shop Control 8 Sped Fiscal do Shop Control 8 O Sped Fiscal do Shop Control 8 gera o arquivo de Escrituração Fiscal Digital (EFD) que faz parte do projeto SPED. O layout deste arquivo encontra-se no site http://www.fazenda.gov.br/confaz/confaz/atos/atos_cotepe/2008/ac009_08.htm

Leia mais

Manual do Sistema para plificada do Crédito Acumulado. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda

Manual do Sistema para plificada do Crédito Acumulado. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda Manual do Sistema para Apuração Simplificad plificada do Crédito Acumulado Versão 1.0.0.1 do Anexo I da Portaria CAT - 207, de 13-10-2009 Página 1 de

Leia mais

L e i a u t e d e I mp o r t a ç ã o Ar q u i v o T e x t o

L e i a u t e d e I mp o r t a ç ã o Ar q u i v o T e x t o Notas de Saída Espécie do documento 1 3 Alfanumérico - espécie da nota ou *CT Série e subsérie 4 3 Alfanumérico-0 a 9/A a Z Número da Nota Fiscal ( ) 7 6 Numérico com zeros a esquerda Número da Nota Fiscal

Leia mais

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos.

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. Simples Nacional Senhores empresários, deverão ser escriturados todos os Documentos Fiscais

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011 Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS São Paulo, agosto de 2011 m28 Obrigações Tributárias: Emissão de Documento Fiscal Escrituração Contábil Obrigação Acessória Escrituração Fiscal Entrega de Declarações

Leia mais

L e i a u t e d e Imp o r t a ç ã o A r qu i v o Te x t o

L e i a u t e d e Imp o r t a ç ã o A r qu i v o Te x t o Notas de Entrada Filler 1 4 Deixar em branco CNPJ do emitente 5 14 Preencher sem pontuação Data da entrada 19 6 Formato DDMMAA Data da emissão 25 6 Formato DDMMAA Número do documento 31 6 Numérico com

Leia mais

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 1 ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 5. CADASTRO OPERAÇÕES FISCAIS (CFOP)...7 6. GERAR SINTEGRA...8 7. CONTROLE DE

Leia mais

CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013

CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013 SINDICATO DOS CONTABILISTAS ESTADO GOIÁS CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE GOIÁS CONVÊNIO CRC-GO /SCESGO CURSO PRÁTICA CONTÁBIL - CFOP www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

TÍTULO 06 - AGF DIRETA E INDIRETA Documento 1 - Nota Fiscal

TÍTULO 06 - AGF DIRETA E INDIRETA Documento 1 - Nota Fiscal 1) FINALIDADE: 2) EMISSÃO: uma NF para cada aquisição. 3) DESTINAÇÃO DAS VIAS: encaminhar na forma abaixo: a) 1ª Via - Destinatário; b) 2ª Via - CONAB/Contabilidade (Via Fixa); c) 3ª Via - Fisco da Unidade

Leia mais

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Quando vou transmitir o arquivo o sistema me pede nome de usuário e senha. O que fazer? Você esta tentando transmitir o arquivo no formato TXT.

Leia mais

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Apresentador: José Alves F. Neto Transporte - conceito ICMS X ISS Como determinar a competência Fato gerador RICMS/SP Artigo 2º - Ocorre

Leia mais

Roteiro para usar Sped no JB Cepil

Roteiro para usar Sped no JB Cepil Roteiro para usar Sped no JB Cepil Este roteiro tem o objetivo orientar os passos básicos dentro do sistema JB Cepil, para preparar o sistema e as informações para a correta geração do arquivo magnético

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos.

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. 1. No cadastro de empresas 1.1. Informar o regime de apuração dos impostos 1.1.1. LUCRO PRESUMIDO

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Versão 1.0.0.2 do Anexo I da Portaria CAT83/2009

Leia mais

BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 CORDILHEIRA RECURSOS HUMANOS CRH 2.82a Protocolo 87504 1) O reajuste salarial será calculado corretamente mesmo quando o

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática 1 A Rotina de lançamento de Notas Fiscais de Serviço foi alterada, agora os

Leia mais

SPED3100 Geração Registro Apuração PIS/COFINS

SPED3100 Geração Registro Apuração PIS/COFINS SPED3100 Geração Registro Apuração PIS/COFINS v04.35 Março/2011 Conforme processo ( SPED_DIV_PIS_COFINS ), o objetivo do programa é gerar/listar o registro de apuração do PIS/COFINS segundo o Manual de

Leia mais

Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT

Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT Orientações de Preenchimento de Campos do Leiaute do CF-e-SAT 12/02/2015 SEMPRE UTILIZAR A FORMATAÇÃO UTF-8 NA COMUNICAÇÃO DO DADO DE VENDA OU CANCELAMENTO COM O SAT 1) Preenchimento de campos de CST e

Leia mais

INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades

INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades Vamos direto ao ponto! Monitoramento do FI$CO Modelo convencional Obrigações Acessórias Obrigações acessórias A participação do cliente no processo

Leia mais

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12 IMPORTAÇÃO DE NF-E (ENTRADA) SUMÁRIO Importação de Notas pelo Arquivo XML... 2 Parametrização dos Produtos... 4 Parametrização de Código de Situação Tributária (CST)... 5 CST de ICMS... 5 CST de IPI...

Leia mais

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011.

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. SUMÁRIO: 12 INTRODUÇÃO 2.1 NOTA CSTs que FISCAL, Não São MODELO

Leia mais

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE CADASTROS 2 CADASTROS Tabela de Conteúdo Cadastro de Clientes 4 Cadastro de Produtos 5 1 Cadastro... de Produtos Básico 5 2 Cadastro... de Produtos Básico + Grade de Produtos 7 3 Cadastro... de Produtos

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS. Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP

MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS. Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP Página: 1 INTRODUÇÃO Este material traz as informações sobre as características do SPED

Leia mais

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0 Manual de Frete sobre Compras Reselase 1.1.0 1 Indexe: 1- Tipos de Frete Pagina 03 2- Como funciona o frete sobre compras Pagina 04 3- Configurando a CFOP de frete sobre compras Pagina 05 4 Fazendo um

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 Consignação Mercantil é a operação entre duas empresas

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE

GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE Leiaute Syspan versão 1.0 Atualização: 3 de abril de 2012 Página 1 de 12 GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE Preenchimento de campos Para campos alfanuméricos, representados

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

EFD PIS / COFINS. Leiaute - ADE Cofis 31. 08 de julho de 2010. Leiaute - ADE Cofis 34. 28 de outubro de 2010

EFD PIS / COFINS. Leiaute - ADE Cofis 31. 08 de julho de 2010. Leiaute - ADE Cofis 34. 28 de outubro de 2010 EFD PIS / COFINS Leiaute - ADE Cofis 31 08 de julho de 2010 Leiaute - ADE Cofis 34 28 de outubro de 2010 Atualizado pelo ADE Cofis 37 21 de dezembro de 2010 ENTENDENDO A ESTRUTURA DO ARQUIVO 1 ENTENDENDO

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Arquivo de Envio de RPS em Lote - Instruções e Layout - Versão 1.0 Manual de Envio de RPS em Lote Instruções e Layout 1. Recibo Provisório de Serviços RPS O RPS é o documento

Leia mais

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE OBSERVAÇÃO: Para alteração desta portaria e de seu anexo foram utilizadas as nomenclaturas: Texto

Leia mais

Layout Soma NF-e 2.4

Layout Soma NF-e 2.4 Layout Soma NF-e 2.4 Leiaute para ENTRADAS e SAÍDAS Delimitador ';' Formato Data: dd/mm/yyyy Separador decimal '.' Campos não obrigatórios null e delimitador null; Dados da Nota - 1:1 Reg Campo Pos Tipo/Tamanho

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

1. Fluxo de documentação

1. Fluxo de documentação 1. Fluxo de documentação É de fundamental importância o envio de toda documentação financeira para atender as exigências impostas pelo fisco e evitar problemas futuros à empresa. Prazo de envio: É ideal

Leia mais

Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido

Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido 1º Acesse o menu Controle, opção Parâmetros, clique na guia Impostos, e certifique-se de que estão incluídos os impostos do regime 4- Pis e 5 Cofins. Na guia Federal,

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É?

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É? ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É? A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse

Leia mais

Pergunte à CPA. EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas

Pergunte à CPA. EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas 13/05/2013 Pergunte à CPA EFD ICMS/IPI Registros C100, C170 e C190 principais dúvidas Apresentação: José A. Fogaça Neto Registro C100 Este registro deve ser gerado para cada documento fiscal código 01,

Leia mais

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos.

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. 1 Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. Simples Nacional Senhores empresários, deverão ser escriturados todos os Documentos

Leia mais

Portaria CAT-95, de 17-11-2003

Portaria CAT-95, de 17-11-2003 Republicação COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT-95, de 17-11-2003 Dispõe sobre a prestação de informações fiscais pelos contribuintes do setor de combustíveis O Coordenador da Administração

Leia mais

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital? 2 SPED - Sistema Público de Escrituração Digital Projeto do PAC 2007-2010 Instituído pelo Convênio ICMS 143/06.

Leia mais

Parâmetros. Instalação

Parâmetros. Instalação Gera Arquivo para a Receita (GeraArq 8) Este aplicativo permite gerar um arquivo para ser enviado à Receita Federal com os registros de nota/ cupons fiscais impressos pelos sistema. Instalação Para fazer

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

Lay-out de importação do SPED Serviços

Lay-out de importação do SPED Serviços Lay-out de importação do SPED Serviços REGISTRO 0000: (Sped Pis/Cofins) REGISTRO 0150: (Sped Fiscal) REGISTRO 0175: (Sped Fiscal) REGISTRO 0200: (Sped Fiscal) REGISTRO 0450: (Sped Fiscal) REGISTRO A100:

Leia mais

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE?

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? O que é a Nota Fiscal Eletrônica? Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) tem como intuito emitir e armazenar eletronicamente, para fins fiscais,

Leia mais

G5 PHOENIX INTEGRAÇÃO CONTÁBIL

G5 PHOENIX INTEGRAÇÃO CONTÁBIL G5 PHOENIX INTEGRAÇÃO CONTÁBIL G5 PHOENIX - COMO FAZER INTEGRAÇÃO DOS LANÇAMENTOS FISCAIS PARA A CONTABILIDADE 1º passo Através do menu Cadastro/ das Empresas, ficha Escrita, determinar se o plano de contas

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS 1. Introdução 2. Obrigatoriedade e dispensa 3. Periodicidade e prazo de entrega (Alterações IN nº 1.305/2012 e ADE Cofis nº 65/2012) 4. Dispensa do Dacon 5. Forma

Leia mais

1 Geração dos arquivos

1 Geração dos arquivos Orientação Técnica EFD nº 010/2014 versão 2.0 Dispõe sobre a obrigatoriedade da entrega de arquivos EFD para contribuintes do SIMPLES NACIONAL. Em 01/01/2014, os contribuintes optantes pelo SIMPLES NACIONAL

Leia mais

AOB SOFTWARE INFORMATICA LTDA

AOB SOFTWARE INFORMATICA LTDA 2 Tabela de Conteúdo Compras 3 Lançando N.F Simples Nacional 3 1 Preenchendo... o cabeçalho 5 2 Preenchendo... o Produto 6 3 Lançamento... de Impostos 7 4 Confirmando... o Lançamento NF 8 Lançando N.F

Leia mais

Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e

Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico - CT-e Sumário: 1. Orientações Gerais:... 3 1.1 Cadastros Básicos:... 3 1.2 Conhecimento de Transporte Eletrônico CTe:... 3 1.3 Tela inicial:... 4 2. CT-e (Conhecimento

Leia mais

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda.

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda. Legislação pertinente ao SPED FISCAL em ordem anticronológica: Ato COTEPE/ICMS 17, de 15 de junho de 2011 - Altera o Ato COTEPE/ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de

Leia mais

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. APRESENTAÇÃO...4 1 2. ACESSO AO APLICATIVO...5 3. GERAÇÃO DE NFS-e...6 3.1. Preenchimento dos dados para emissão da NFS-e...6

Leia mais

Detalhamento dos Ajustes

Detalhamento dos Ajustes Detalhamento dos Ajustes 1- Tabela de Ajuste dos Saldos de Apuração do ICMS: Tabela de Códigos de Ajustes da Apuração do ICMS Tabela de códigos de ajustes da apuração será disponibilizada pelas administrações

Leia mais

PARTE 2. Para iniciar a digitação dos dados da nota, o emitente deve clicar no menu Nota Fiscal / Emitir nova NFe.

PARTE 2. Para iniciar a digitação dos dados da nota, o emitente deve clicar no menu Nota Fiscal / Emitir nova NFe. PARTE 2. Para iniciar a digitação dos dados da nota, o emitente deve clicar no menu Nota Fiscal / Emitir nova NFe. Após clicar no menu Nota Fiscal / Emitir nova NF-e, o sistema irá exibir uma série de

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 Para toda remessa de demonstração haverá retorno. Quando a remessa

Leia mais

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL 1 Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 A venda fora do estabelecimento deve ser realizada

Leia mais

SISTEMA DE NFS-e. Manual de Exportação de NFS-e Instruções e Layout. Versão: 2.1

SISTEMA DE NFS-e. Manual de Exportação de NFS-e Instruções e Layout. Versão: 2.1 SISTEMA DE NFS-e Instruções e Layout Versão: 2.1 Para baixar a versão mais atualizada deste documento, acesse o link: http://nfse.manaus.am.gov.br 10/10/2007 Página 1 de 12 Índice 1 Introdução... 3 2 Especificações...

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2 EFD PIS/COFINS SUMÁRIO O que é a EFD PIS/COFINS?...2 A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2 1. Procedimentos Iniciais...2 a) Classificando as Empresas... 3 b) Conferindo os Cadastros que Influenciam

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições 08/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais