Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais"

Transcrição

1 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Esta política estabelece os procedimentos e normas aplicáveis a todo e qualquer investimento pessoal que venha a ser realizado pelos sócios, diretores, empregados, funcionários, trainees, estagiários e demais colaboradores da LOG FUND GESTÃO DE ATIVOS LTDA. ( Colaboradores e LOG FUND, respectivamente), além de estabelecer o tratamento da confidencialidade de informações alcançadas na execução de suas ações cotidianas. É condição prévia ao início das atividades de todo Colaborador da LOG FUND a leitura do presente documento, assim como a adesão às regras nele contidas mediante a assinatura de seus respectivos Anexos. Disposições Gerais As instruções aqui contidas devem ser observadas em todas as negociações realizadas pelos Colaboradores da LOG FUND nos Mercados Financeiros e de Capitais em benefício próprio, bem como por qualquer pessoa jurídica em que o Colaborador integre o respectivo grupo de controle ( investimentos pessoais ). Os Colaboradores devem observar os seguintes princípios: (i) conduzir seus investimentos pessoais em conformidade com a legislação, regulamentação e políticas internas aplicáveis; (ii) evitar situações em que sua conduta possa ser questionada sob o ponto de vista ético, expondo a sua própria reputação e a da LOG FUND; (iii) priorizar os interesses dos clientes da LOG FUND em detrimento de seus interesses pessoais. Os investimentos pessoais dos Colaboradores devem ser realizados de modo a não interferir no desempenho de suas atividades profissionais. Esta Política exprime parte dos objetivos e valores de ética que devem orientar os negócios da LOG FUND, sendo complementares àqueles constantes no Contrato Individual de Trabalho, se aplicável, no Código de Ética e em outras regras contidas neste Manual, cuja violação será dada como infração contratual, estando o autor sujeito às sanções cabíveis, inclusive afastamento por justa causa. Algumas das regras aqui contidas decorrem da própria legislação e regulação aplicáveis às atividades da LOG FUND, sujeitando o infrator a sanções disciplinares também em tais esferas. Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais A realização de investimentos pessoais por Colaboradores da LOG FUND, dependerá de prévia e expressa autorização do setor de Compliance, a ser concedida a exclusivo critério de tal setor.

2 (i) A negociação dos seguintes ativos não estará sujeita à previa comunicação e autorização do setor de Compliance: (a) títulos emitidos pelo poder público (União, Estados e Municípios, Banco Central do Brasil e Tesouro Nacional); (b) cotas de fundos de investimentos abertos, fundos de investimento imobiliário e fundos de índices negociados em bolsa (ETFs); (c) certificados de depósito bancários (CDBs); e (d) qualquer título de renda fixa com prazo menor que 2 (dois anos). (ii) Os Colaboradores poderão realizar operações com instrumentos derivativos (contratos futuros e opções), desde que tais operações tenham por objetivo proteção patrimonial (hedge) ou posicionamento direcional, caso em que, se autorizada, a respectiva negociação estará sujeita aos procedimentos indicados no item (iii) abaixo, não podendo a posição direcional (calculado pelo valor nocional) exceder a 50% (cinquenta por cento) do valor do patrimônio líquido do colaborador ou a 100% (cem por cento) do valor de mercado das posições compradas (long) em ações e outros títulos e valores mobiliários em caso de hedge. (iii) Sempre que autorizada a realização de operações nos ambientes de negociação da BM&FBOVESPA, devem ser obedecidas as seguintes condições: (a) caso o ativo a ser negociado integre a carteira de quaisquer fundos ou carteiras de valores mobiliários sob gestão da LOG FUND, o Colaborador deverá manter a respectiva posição em sua carteira pelo período de 30 (trinta) dias. Em razão das circunstâncias específicas de cada caso, esse período de 30 (trinta) dias pode ser aumentado ou reduzido discricionariamente, caso a caso, pelo setor de Compliance; (b) o desfazimento das posições mencionadas no item anterior deverá ser comunicada ao setor de Compliance pelo Colaborador no prazo de até 24 (vinte e quatro) horas contado da respectiva negociação; e (c) o Colaborador não será autorizado a realizar transações que envolvam títulos, valores mobiliários ou derivativos, objeto de ordens de compra ou venda por parte dos fundos e carteiras de investimentos geridos pela LOG FUND antes que tais ordens tenham sido integralmente cumpridas. De modo a permitir a fiscalização do cumprimento das regras contidas na presente política, os Colaboradores somente poderão realizar investimentos pessoais por intermédio de sociedades corretoras e/ou distribuidoras previamente aprovadas pelo setor de Compliance. Sendo preferível que tais operações sejam executadas pela mesa de operações da LOG FUND onde a fiscalização é imediata. Os Colaboradores estão cientes do CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA PROFISSIONAL e de suas obrigações com a LOG FUND e seus clientes. O cumprimento desta Política é necessário para limitar qualquer conflito de interesses entre o Colaborador, a empresa e os clientes. Assim sendo, o Colaborador se obriga a dar a máxima transparência aos seus investimentos pessoais.

3 Os Colaboradores poderão opcionalmente divulgar os estrados mensais de suas contas na corretora/distribuidora ao departamento de Complaince, sendo que esta pratica é optativa por parte do Colaborador por se tratar de documentos pessoais. Caso opte por não divulgar estas informações, o colaborador se obriga a comunicar ao Departamento de Compliance suas posições e suas intenções de compra e venda dos ativos sujeitos a previa comunicação conforme acima definidos. Caso no momento do início de suas atividades na LOG FUND o Colaborador já possua uma carteira de ativos, este está autorizado a manter sua posição, devendo porém informar ao setor de Compliance acerca da composição de tal carteira, estando o desfazimento das respectivas posições sujeito aos procedimentos previstos no item (iii)(b) acima. Os Fundos de Investimento Exclusivos ou de Condomínio Fechado em que funcionários da LOG FUND possuírem mais de 75% das cotas devem ser geridos pela LOG FUND e as operações destes devem seguir as regras citadas acima. Confidencialidade e Tratamento da Informação A Informação alcançada em função da atividade profissional desempenhada na LOG FUND não pode ser transmitida de forma alguma a terceiros não funcionários ou a funcionários que não estejam diretamente envolvidos na respectiva atividade. Neste item, incluem se, por exemplo, posições compradas ou vendidas, estratégias e conselhos de investimento ou de desinvestimento, relatórios, análises e opiniões sobre ativos financeiros, dados a respeito de resultados financeiros antes da publicação dos balanços e balancetes das empresas da LOG FUND e dos fundos geridos pelo grupo, transações efetuadas e que ainda não foram publicadas. Também é considerada informação sigilosa aquela oriunda de estudo efetuado pela LOG FUND mesmo que os ativos correspondentes não componham a carteira dos fundos geridos pela LOG FUND. Quanto à confidencialidade e tratamento da informação, o Colaborador deve cumprir o estabelecido nos itens a seguir: Informação privilegiada e insider trading (i) pode se considerar como informação privilegiada qualquer informação relevante a respeito de determinado emissor, ativo, empresa ou cliente da LOG FUND, que não tenha sido publicada e que seja obtida de maneira privilegiada, em consequência da ligação profissional ou pessoal mantida com um cliente, com colaboradores de empresas estudadas ou investidas ou com terceiros, ou da condição de funcionário. (ii) são exemplos de informações privilegiadas: informações verbais ou documentadas referentes a resultados operacionais de empresa, alterações societárias (fusões, cisões e incorporações), informações sobre compra e venda de empresas, títulos ou valores mobiliários, e qualquer outro

4 acontecimento caracterizável como confidencial de uma empresa com a LOG FUND ou com terceiros. (iii) o Colaborador que tiver acesso a uma informação privilegiada deverá comunicar tal fato ao setor de Compliance, não sendo permitido divulga-la a outros Colaboradores da LOG FUND, profissionais de mercado, amigos e parentes, tampouco usá la, seja em seu próprio benefício ou de terceiros. Ainda que não exista certeza quanto ao caráter privilegiado da informação, deve se relatar imediatamente o ocorrido ao setor de Compliance. As empresas envolvidas serão incluídas na lista de empresas com restrições para negociação, que será mantida sigilosamente pelo setor de Compliance. (iv) a compra e venda de títulos ou valores mobiliários com base no uso de informação privilegiada, com o objetivo de obter benefício próprio ou para terceiros (compreendendo a própria LOG FUND e Colaboradores), é vedada não apenas pela presente política, mas também pela legislação e regulação aplicáveis, configurando a prática de insider trading. (v) configura ainda prática igualmente vedada pela presente Política a transmissão a qualquer terceiro de dicas decorrentes do acesso a qualquer tipo de informação privilegiada, que possa ser usada com um benefício na compra e venda de títulos ou valores mobiliários. Termo de Adesão e Considerações Finais O não cumprimento de quaisquer dos procedimentos estipulados nesta política deverá ser encaminhado ao setor de Compliance. Todo Colaborador da LOG FUND, ao receber essa Política, deve assinar o Termo de Adesão (Anexo I). Por esse documento, cada envolvido atesta o conhecimento do conteúdo desta política, aderindo às regras e princípios aqui contidos. A LOG FUND não se responsabilizará por Colaboradores que violem a lei ou cometam infrações no desempenho de suas atividades. A LOG FUND se reserva ao direito de exercer o competente direito de regresso caso seja penalizada ou sofra prejuízo de qualquer natureza em decorrência de atos praticados por seus Colaboradores.

5 ANEXO I TERMO DE ADESÃO Eu...,declaro para os devidos fins que: Estou ciente da existência da Política de Investimento Pessoal, que recebi li e mantenho em meu poder. Tenho total conhecimento sobre o teor da política em questão, e essa passa a fazer parte das minhas obrigações como Colaborador da LOG FUND. A partir desta data, o não cumprimento da Política de Investimento Pessoal pressupõe falta grave, fato que poderá ser passível da aplicação das sanções cabíveis, inclusive demissão por justa causa. São Paulo, XX de XXXXXXX de XXXX. XXXXXXXXXXXXXXXXXX

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL Versão: Abri/2016 1. Introdução POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL 1.1 Esta política visa determinar procedimentos e normas para os investimentos pessoais dos colaboradores

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS INTRODUÇÃO Esta política, com fundamento no art. 16, IX, da Instrução CVM n 558/15, visa determinar procedimentos

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 Código: MCICCVRC-0116 Vigente desde: 01/2016 Data de referência: 11/2015 2 1. DISPOSIÇÕES

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS & NORMAS INTERNAS Versão: 1- Objetivo O objetivo desta Política de Investimento Pessoal (ou Política) é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais

Política de Investimentos Pessoais Política de Investimentos Pessoais Procedimentos e Normas Área de Gestão de Risco e Compliance 1 I Objetivo... 3 II Disposições Gerais... 3 III Investimentos Pessoais... 4 IV Confidencialidade e Tratamento

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL 1.1 Esta política do Banco Daycoval S.A. ( Banco Daycoval ) ( Política de Investimento Pessoal ) visa determinar procedimentos e normas para investimentos pessoais dos

Leia mais

Manual de Política de Investimento Pessoal

Manual de Política de Investimento Pessoal Manual de Política de Investimento Pessoal A Mach investimentos acredita que um dos principais pilares para uma gestão eficiente e com bons resultados seja o alinhamento de objetivos entre os gestores

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS NORTE INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Versão 2.0 Vigência Agosto / 2016 Classificação das Informações [ X ] Uso Interno [ ] Uso Público Conteúdo 1. Objetivo

Leia mais

Política de Investimento Pessoal

Política de Investimento Pessoal Política de Investimento Pessoal Introdução Com fundamento no art. 16, IX, da Instrução CVM n.º 558/15, o objetivo da política de investimento pessoal é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos

Leia mais

Política de Compra e Venda TVM

Política de Compra e Venda TVM POLÍTICA ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 1 de 6 Política de Compra e Venda TVM POLÍTICA ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 2 de 6 ÍNDICE 1) Introdução...3 2) Objetivo...3 3) Negociações...3 4) Prazos de Restrições

Leia mais

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MAIO 2016 Introdução O objetivo desta Política é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais dos sócios, associados, dirigentes,

Leia mais

Política de Investimento Pessoal

Política de Investimento Pessoal Política de Investimento Pessoal Novembro 2015 Objetivo O objetivo desta Política de Investimento Pessoal (ou Política) é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais dos Colaboradores

Leia mais

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS da ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Política de Investimentos Pessoais... 4 2 1. Introdução 1.1 Sumário Esta Política de Investimentos

Leia mais

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores Política de Investimentos para Negociação de Ativos Pelos Colaboradores ( Politica de Investimentos Pessoais ) www.moreinvest.com.br POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA NEGOCIAÇÃO DE ATIVOS PELOS COLABORADORES

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 1. OBJETIVO Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários define os padrões de condutas internas exigidas

Leia mais

Código de Ética Elaborado em Janeiro de 2016 Atualizado em Junho de 2016 1. INTRODUÇÃO Este Código de Ética estabelece as regras e princípios que nortearão os padrões éticos e de conduta profissional,

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Aplicação... 2 III - Regras de Conduta... 3 IV - Disposições Gerais... 6 ANEXO A - Declaração Anual

Leia mais

Banco Safra S.A. Política de Investimentos Pessoais

Banco Safra S.A. Política de Investimentos Pessoais Banco Safra S.A Política de Investimentos Pessoais Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 PROCEDIMENTOS PARA OPERAÇÕES:... 3 1.2 OPERAÇÕES QUE REQUEREM PRÉ-APROVAÇÃO:... 4 1.3 OPERAÇÕES QUE NÃO REQUEREM PRÉ-APROVAÇÃO

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários (Revisão: Junho 2016) Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Grupo Stratus:... 3 1.2. Atividades do Grupo Stratus:... 3 1.3. A Política:... 3 1.4. Conhecimento

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM 1. OBJETIVOS O objetivo das Normas de Conduta é estabelecer os procedimentos necessários para o exercício das atividades dos Analistas

Leia mais

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar (versão 05.2016) 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 2 INTRODUÇÃO Esta Política de Confidencialidade dos Colaboradores da

Leia mais

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política;

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política; Sistemas de Controles Internos Categoria: Políticas e Conceitos Gerais Códigos: NCO 01 Título : Política de Investimentos Próprios 1. APRESENTAÇÃO A Icatu Gestão Patrimonial Ltda. ( IGP ), instituição

Leia mais

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1 HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL Rio de Janeiro, Junho de 2016. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL 1.1. Introdução O objetivo desta política é descrever as normas e procedimentos

Leia mais

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES ÍNDICE I - POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS,

Leia mais

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS ENTRE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA.

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS ENTRE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS ENTRE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS da ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Política de Rateio e Divisão de Ordens... 4

Leia mais

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Samba Investimentos Página1 Este manual de operações estabelece princípios e regras de conduta aplicáveis a todos colaboradores da Samba Investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Este material foi elaborado pela BlackRock Brasil Gestora de Investimentos Ltda. ( BlackRock Brasil ou Gestora ), e não pode ser copiado, reproduzido ou distribuído sem

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO Agosto / 2015 SUMÁRIO I) INTRODUÇÃO... 2 II) METODOLOGIA PARA DISTRIBUIÇÃO DE ORDENS... 2 III) METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO... 3

Leia mais

BRASIL - BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM - Exercício de Direito de Voto

BRASIL - BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM - Exercício de Direito de Voto BRASIL - BTG - Exercício de Direito de Voto Classificação: Legal, Compliance, Governance & Ethics Objetivo da Política: O objetivo desta política é estabelecer princípios que deverão ser observados pela

Leia mais

Política de Negociação POL CPL 002

Política de Negociação POL CPL 002 POL CPL 002 1. OBJETIVO A presente política tem como objetivo a conformidade com os parâmetros de atuação no mercado, a adequação às normas emitidas pelos órgãos reguladores e o afastamento de atividades

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Atualizado em: Jan/12 Última atualização em: Out/13 Este documento rege as atividades desemprenhas pelos Analistas de Valores Mobiliários vinculados a Um Investimentos,

Leia mais

Política de Rateio de Ordem

Política de Rateio de Ordem Política de Rateio de Ordem Área de Gestão de Risco e Compliance 1 I Introdução... 3 II Objetivos... 4 III Princípios... 4 IV Procedimentos... 4 V Responsabilidades... 5 VI Penalidades... 5 2 I Introdução

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº RESOLVEU: RESOLUÇÃO Nº 3.334 Estabelece normas a serem observadas pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, bem como altera e revoga disposições regulamentares

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES

POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES Última atualização: 20/06/2016 A reprodução e a distribuição deste Manual fora do MODAL sem a devida autorização

Leia mais

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Classificação: Legal, Compliance, Governance & Ethics Objetivo da Política: O objetivo desta política é estabelecer princípios que deverão ser observados pela BTG

Leia mais

Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores

Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores Assunto Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores Data 30 de junho de 2016 Páginas. 5 De Eros Henriques Dalhe e Rodrigo Gatti Telefone 3509 6600 Área Diretoria de Operações Para As sociedades

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. Versão: Junho/2016 CAPÍTULO I Definição e Finalidade 1.1 A presente Política

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. I - Definição e Finalidade 1. A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Leia mais

Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A.

Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A. MULTINER S.A. CNPJ/MF: 08.935.054/0001-50 Companhia Aberta Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A. A presente Política foi elaborada nos termos da Instrução da CVM n.º 358, de 3

Leia mais

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE CNPJ/MF nº / POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE CNPJ/MF nº / POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS I. DEFINIÇÕES E ADESÃO 1.1. As definições utilizadas nesta Política de

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. 1. Objetivos e Abrangência 1.1. O objetivo da presente Política de Negociação é estabelecer as regras que deverão ser observadas pelos acionistas

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. Versão 1.0 Página 1 de 10 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. 1. OBJETIVO 1.1. A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como

Leia mais

Política Formal de Decisão de Investimento

Política Formal de Decisão de Investimento Política Formal de Decisão de KAETÉ INVESTIMENTOS LTDA. Órgão responsável: Comitê de Compliance e Controles Internos Data da atualização: 17 de junho de 2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos CM CAPITAL MARKETS ASSET MANAGEMENT LTDA. Data de Atualização: 06/2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas.

Leia mais

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS I. OBJETO Esta Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias ( Política ) tem por objetivo estabelecer

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS

POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS 1.1. O Modal Asset Management Ltda. ( Gestor ), em conformidade ao Código de Auto- Regulação da ANBIMA para os Fundos de Investimento, vem, através

Leia mais

Comissão de Valores Mobiliários

Comissão de Valores Mobiliários Comissão de Valores Mobiliários A informação nas Companhias Abertas Sigilo e Divulgação Maio/2015 Ressalto que as opiniões que expressarei aqui hoje refletem exclusivamente a minha visão e não necessariamente

Leia mais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais POLÍTICA DE EXERCÍCIO DO DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS 1. Objetivo A presente Política tem por objetivo estabelecer os princípios gerais,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA NOS MERCADOS DE VALORES O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS?

CÓDIGO DE CONDUTA NOS MERCADOS DE VALORES O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS? O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS? Introdução Este assunto é tratado no Código como Operações por Conta Própria. As Pessoas Sujeitas devem realizar suas operações de investimentos pessoais

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO Esta Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da LINX S.A. ( Companhia ), nos termos da Instrução CVM

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO Cláusula 1.1 Objeto. Esta Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da UNIDAS S.A. ( Companhia )

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF:

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Janeiro de 2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

", em que: RWA CAM F EXP. Exp 1 CIRCULAR Nº 3.641, DE 4 DE MARÇO DE 2013

, em que: RWA CAM F EXP. Exp 1 CIRCULAR Nº 3.641, DE 4 DE MARÇO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.641, DE 4 DE MARÇO DE 2013 Estabelece os procedimentos para o cálculo da parcela dos ativos ponderados pelo risco (RWA) referente às exposições em ouro, em moeda estrangeira e em ativos sujeitos

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Estácio Participações S.A. 1. Propósito Esta Política visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados pelos (i) Administradores

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1.1 - As definições utilizadas na presente Política de Divulgação têm os significados que lhes são

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS CM CAPITAL MARKETS ASSET MANAGEMENT LTDA. Data de Atualização: 06/2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas. Se você não

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A. 1 PROPÓSITO A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como propósito estabelecer

Leia mais

Política de Negociação de Títulos e Valores Mobiliários

Política de Negociação de Títulos e Valores Mobiliários 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADOR REVISOR APROVADOR Olympia Baptista Gerência de Controles Internos e Compliance Julia Costa Diretora Corporativa Luiz Eduardo Franco de Abreu Diretor Presidente 2/7

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Versão: 31 de Maio de 2017 Sumário 1. Introdução... 2 2. Classificação dos Colaboradores... 2 3. Declaração de Investimentos Pessoais dos Colaboradores... 3

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE GERAL 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 3.1 DISPOSIÇÕES INICIAIS...

Leia mais

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157 Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157 1- Denominação do Fundo: O Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157,

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A. ANEXO I À ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A., REALIZADA EM 10 DE JULHO DE 2015. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA MOVIDA PARTICIPAÇÕES S.A.

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME Sumário I. Introdução... 3 II. Política de Confidencialidade... 4 III. Políticas de

Leia mais

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS Objetivo Estabelecer regras gerais para os processos de contratação de terceiros e obrigações básicas que devem ser adotadas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO NET FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO NET FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO NET FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA 14.104.106/0001-40 Informações referentes a Junho de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda.

Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda. Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda. Este Código de Ética estabelece princípios e regras aplicáveis a todos os Colaboradores da FOCUS ASSESSORIA EM INVESTIMENTOS

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 483, de 06 de Julho de 2010, que dispõe sobre a atividade do profissional de Análise de Valores Mobiliários.

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO Sumário INTRODUÇÃO... 3 LAVAGEM DE DINHEIRO... 3 FERRAMENTAS DE COMBATE E PREVENÇÃO AOS CRIMES DE LAVAGEM DE DINHEIRO... 4 KNOW YOUR CLIENT KYC... 5 MONITORAMENTO...

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / JANEIRO/2017

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / JANEIRO/2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Dividendos Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Regulamento e Formulário

Leia mais

KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS Abril/2016 INTRODUÇÃO A Kronos Asset Management Ltda. ( Gestora ou Kronos Asset ), na qualidade

Leia mais

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS Junho/2016 Sócios / Administração 1 / 5 1. Sumário 2. Introdução... 3 3. Processo de execução de Ordens de Compra e Venda de Ativos e Derivativos... 3 4. Critérios

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI /

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI / LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI 00.875.318/0001-16 Informações referentes a Dezembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO. JHSF Participações S.A. CNPJ /

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO. JHSF Participações S.A. CNPJ / 1 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO JHSF Participações S.A. CNPJ 08.294.224/0001-65 A presente política de negociação visa estabelecer os parâmetros de negociação de valores mobiliários de emissão da JHSF Participações

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA (política de investimentos pessoais) OURO PRETO GESTÃO DE RECURSOS S.A. ( Gestora

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. Política de Exercício do Direito de Voto em Assembleias gerais relativas a ativos detidos pelos fundos de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 1 de 7 Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 2 de 7 ÍNDICE 1) Introdução...3 2) Responsabilidade da Área...3 3) Monitoramento

Leia mais

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst.

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst. de Analista de Valores Mobiliários - Inst. CVM nº 483 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Contêm os requisitos e diretrizes básicas para o credenciamento e as responsabilidades de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO 02.129.653/0001-09 Informações referentes a Dezembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética TERCON INVESTIMENTOS LTDA. Rua Américo Brasiliense, 1765 cj. 32 Chácara Santo Antonio - São Paulo - SP CEP 04715-005 Fone (11) 5181 5841 Código de Conduta Ética O conjunto de princípios

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO 2016 1 Política de Exercício do Direito de Voto Objeto A GERVAL INVESTIMENTOS LTDA. ( GESTOR ) adota a presente política ( POLITICA DE VOTO ), a qual tem por objeto

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O L2 EXCLUSIVE FUNDO DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO CNPJ: 13.659.375/0001-00 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS ORIGINAL ASSET MANAGEMENT

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS ORIGINAL ASSET MANAGEMENT POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS ORIGINAL ASSET MANAGEMENT Índice A) OBJETIVOS 3 B) APROVAÇÃO 3 C) ABRANGÊNCIA 3 D) DISPOSIÇÕES GERAIS 3 1. EXCLUSÕES 3 2. PRINCÍPIOS 4 3.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER MACRO MULTIMERCADO / Informações referentes a Dezembro de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER MACRO MULTIMERCADO / Informações referentes a Dezembro de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER MACRO MULTIMERCADO 11.714.716/0001-77 Informações referentes a Dezembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve:

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve: Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 02.09.2016 1. Objetivo: Este procedimento visa regular as atividades dos Agentes Autônomos de Investimento no ambiente da Guide Investimentos

Leia mais

CFO Política de Voto

CFO Política de Voto POLÍTICA DE VOTO ÍNDICE POLÍTICA DE VOTO... 1 1. Introdução e Objetivo... 2 2. Exclusões... 2 3. Princípios Gerais... 2 4. Potencias situações de Conflito de Interesse... 2 5. Da Política de Voto... 3

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO INVEST TRADE ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS Junho/2016 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONTROLES FÍSICOS e LÓGICOS... 3 4. SIGILO BANCÁRIO... 4 5. PADRÃO DE CONDUTA... 4 6. INFORMAÇÕES

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD ÍNDICE I. Introdução II. Objetivos do Manual III. Setor de Compliance IV. Comitê de Compliance V. Diretor Responsável pelo Compliance VI. Comitê de Compliance CÓDIGO DE CONDUTA

Leia mais

Política de Partes Relacionadas

Política de Partes Relacionadas Política de Partes Relacionadas SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 A QUEM SE APLICA... 3 3 DEFINIÇÃO DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS... 3 4 DEFINIÇÃO DE PARTES RELACIONADAS... 4 5 DEFINIÇÃO DE SITUAÇÕES

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Página 1 de 20 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ MIX FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO 02.129.653/0001-09 Informações referentes a Setembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

XP Investimentos CCTVM SA

XP Investimentos CCTVM SA Política de Exercício de Direito de voto XP Investimentos CCTVM SA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas I. Introdução 1. A presente Política de Divulgação foi elaborada nos termos da Instrução CVM

Leia mais

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A Política de Rateio e Divisão de Ordens A política de Rateio e Divisão de Ordens do Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro SMBCB estabelece

Leia mais