!"#$%&'()*+ du futur de la Présidente de la Commission

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "!"#$%&'()*+ E-mail du futur de la Présidente de la Commission"

Transcrição

1 concurrentiel. En fait, si l'afrique était un pays en 2006, nous aurions été la 10e puissance économique du monde! Cependant, au lieu de nous unir dans l action, alors que nous possédions pratiquement toutes les ressources du monde (les terres, les océans, les minéraux, l'énergie) et avions une population de plus d'un milliard d habitants, nous avons agi comme cinquante-cinq petits pays individuels fragmentés. Les plus grands pays qui 1 auraient dû être les locomotives de l'intégration africaine n'ont pas joué leur rôle à ce moment-là, et c est une des raisons qui explique tout le temps pris pour arriver où nous sommes aujourd hui. Nous n'avons pas usé de notre puissance, mais nous nous sommes plutôt appuyés sur les bailleurs de fonds qui nous appellent par euphémisme partenaires. C était le cas en Maintenant, nous avons enfin pris conscience de la réalité et avons eu de longs débats sur la forme que nous voulions donner à notre unité : une Confédération, des États unis, une fédération ou un syndicat. Comme vous pouvez le voir, mon ami, ces débats ont pris fin et la Confédération des États d'afrique a été lancée en 2051, il y a douze ans. Le plus intéressant était le rôle joué par des générations successives de jeunes africains. Déjà en 2013, lors des célébrations du Jubilé d'or, ce sont les jeunes qui ont exprimé leur impatience face à la lenteur des progrès sur la voie de l'intégration. Ils ont formé des Clubs de l union africaine dans les écoles et les universités à travers le continent et ont créé des liens les uns avec les autres par le biais des médias sociaux. Nous avons donc assisté à un important mouvement en faveur de l'intégration, de la libre circulation des personnes, de l'harmonisation de l'éducation et des qualifications professionnelles. L'Université panafricaine et le secteur universitaire et l'intelligentsia jouent un rôle déterminant dans ce processus. Nous étions un continent jeune au début du 21e siècle, mais avec l explosion démographique de jeunes, les jeunes hommes et les jeunes femmes sont devenus encore plus actifs, créatifs, impatients et sûrs d eux-mêmes, nous disant souvent à nous, plus âgés, qu ils représentent l'avenir, et qu'ils (conjointement avec les femmes) forment la plus grande partie de l'électorat de tous nos pays! Bien sûr, ce n'était là qu'un des moteurs de l'unité. La mise en œuvre accélérée du Traité d'abuja et la création de la Communauté économique africaine en 2034 ont entrainé une progression spectaculaire de l'intégration économique. L'intégration économique, associée au développement des infrastructures, a vu la multiplication des échanges intra-africains qui sont passés de moins de 12 % en 2013 à près de 50 % en Cette intégration a été davantage renforcée par la croissance des échanges de produits de base et la présence de géants commerciaux africains. Commençant par l'entreprise pharmaceutique africaine, les entreprises panafricaines dominent non seulement notre marché intérieur de plus de deux milliards de personnes à présent, mais elles ont dépassé les multinationales du reste du monde sur leurs propres marchés. Le plus important de tous ces progrès, c est la croissance des centres de fabrication régionaux pour la valorisation de nos ressources minérales et naturelles, comme dans l'est du Congo, au nord-est de l'angola et dans la ceinture de cuivre de Zambie et les grandes vallées de silicium de Kigali, d Alexandrie, de Brazzaville, de Maseru, de Lagos et de Mombasa, pour n en citer que quelques-uns.!"#$%&'()*+ du futur de la Présidente de la Commission H.E. DR. NKOSAZANA DLAMINI ZUMA!"#$%!&'!()!$'*$)+*'!,+-+%*é$+'(('!&.!/#-%'+(!'0é1.*+2! &'!(34-+#-!)2$+1)+-'5! ()!C$é%+&'-*'!&'!()!/#,,+%%+#-!&'!(34D5!?$!EF#%)G)-)!?(),+-+!H.,)5! )!&é1$+*!%)!:+%+#-!&'!(3d2$+i.'!&)-%!j;!)-%5!a)$!('!k+)+%!&l.-!«!'m,)+(!&.!2.*.$!»n Présidente Commission de l Union africaine Mon cher ami Kwame,!"#$%&"'()*$)+,-(.'#/0&"'()$&)*$)10)2'//3("%0&"'() 2'//"44"'()*$)1,5("'()0.#"%0"($ AO/0"1P)*"(.'Q0.#"%0O3("'(7'#R S$?4"&$P)TTT7037"(& Date : Le 24 janvier 2063 À : De : Objet : Unité africaine Mes salutations aux parents et amis, et mes meilleurs vœux de bonne santé pour Je vous écris de la belle ville éthiopienne de Bahir Dar, aux environs du lac Tana, alors que nous finalisons les préparatifs des célébrations du Centenaire de l'organisation de l'unité africaine devenue l'union africaine en 2002, qui a jeté les bases de ce qui est maintenant notre Confédération des États de l'afrique (CAS). Oui, qui aurait pensé que le rêve de Kwame Nkrumah et de sa génération, lorsqu en 1963 ils ont appelé les Africains à s'unir ou périr, deviendrait un jour une réalité? Et quelle réalité grandiose! Au début du XXIe siècle, nous nous irritions de ce que les étrangers considéraient l'afrique comme un pays : comme si nous n'étions pas un continent de plus d'un milliard d habitants et constitué de 55 États souverains! Mais, l évolution de la tendance mondiale en faveur des blocs régionaux nous a rappelé que l'intégration et l'unité sont le seul moyen pour l'afrique de tirer parti de son avantage

2 Mon ami, l'afrique s est en effet transformée, passant d un exportateur de matières premières avec un secteur manufacturier en déclin en 2013, à un exportateur de produits alimentaires, une plateforme mondiale de production industrielle, un centre de connaissances, en valorisant nos ressources naturelles et nos produits agricoles comme moteurs de l'industrialisation. Les Entreprises panafricaines, allant de l'extraction, des finances, des produits alimentaires et des boissons, de l'hôtellerie et du tourisme, des produits pharmaceutiques, de la mode, de la pêche et des TIC, stimulent l'intégration et font partie des leaders mondiaux dans leurs secteurs. Nous sommes à présent la troisième puissance économique mondiale. Comme le soulignait la retraite des ministres des Affaires étrangères à Bahir Dar en janvier 2014, nous y sommes parvenus en trouvant l'équilibre entre les forces du marché, des États développementistes forts et responsables et des CER, pour donner une impulsion aux infrastructures, à la prestation de services sociaux, à l'industrialisation et à l'intégration économique. Permettez-moi de rappeler ce que notre ami commun a récemment écrit : «la révolution agraire (africaine) a eu des débuts modestes. Des entrepreneurs connaissant la réussite (et les gouvernements locaux) ayant des racines dans les zones rurales ont lancé de vastes programmes d'irrigation afin d exploiter les eaux des vastes systèmes hydrographiques du continent. Les projets panafricains de bassins fluviaux - sur le Congo, le Nil, le Niger, la Gambie, le Zambèze, le Kunene, le Limpopo et bien d'autres - financés par les PPP avec la participation de l'afrique et des investisseurs BRIC, ainsi que de la diaspora africaine, ont libéré le potentiel agricole inexploité du continent. Grâce à l'application intelligente des connaissances indigènes séculaires acquises et conservées par les femmes africaines qui se sont, de tout temps, occupées des cultures, des récoltes exceptionnelles ont été signalées dès les premières années. Les agronomes ont consulté les femmes sur la qualité des différentes graines celles qui ont survécu aux faibles chutes de pluie et celles qui ont bien poussé par temps pluvieux ; les types de maladies qui ravagent les cultures et comment les combattre sans nuire à l équilibre des systèmes écologiques. L'impact social de la révolution agraire a sans doute été le changement le plus durable qu'elle a suscité. Le statut des femmes, des travailleurs de la terre par tradition s est amélioré de façon exponentielle. La fillette condamnée à passer sa vie dans la cuisine ou dans les champs dans un passé pas trop lointain, a maintenant, comme le garçon, la possibilité d'acquérir une éducation moderne (et de posséder une ferme ou une entreprise agroalimentaire). Aujourd'hui, les mères africaines ont accès aux tracteurs et aux systèmes d'irrigation pouvant être facilement assemblés. Les coopératives de producteurs (agro-industries) et les offices de commercialisation créés par ces femmes ont permis d accroitre leur production et sont devenus les géants alimentaires que nous voyons aujourd'hui. Nous avons refusé de faire les frais des changements climatiques et avons activement fait la promotion de l'économie verte, faisant de l économie bleue notre cheval de bataille. Nous avons éclairé l'afrique, continent autrefois sombre, au moyen de l énergie hydraulique, solaire, éolienne, géothermique, en plus des combustibles fossiles. Parlant de l'économie bleue, la décision de former des compagnies maritimes à l'échelle continentale et d'encourager les sociétés minières à expédier leurs marchandises par des navires battant pavillon africain signifiait une importante poussée de croissance. Bien sûr, la décision prise à Dakar de créer un Commandement des forces navales africaines afin d assurer la sécurité collective de nos longues côtes y a certainement également contribué. Permettez-moi une fois de plus de citer notre ami commun : «Le système des bassins fluviaux africain, les lacs et les côtes abondent de poissons. Grâce au financement des différents États et de la diaspora, les jeunes entrepreneurs ont découvert que les embouchures de pratiquement toutes les rivières de la côte Est sont riches en espèces d'anguilles considérées comme une délicatesse à travers le continent et dans le monde. Un marketing adroit a également créé un marché en croissance pour la perche du Nil, une espèce dont la prolifération incontrôlée eu, à un moment, menacé la survie d autres espèces dans le lac Victoria et dans le Nil. La Namibie et l'angola exploitent aujourd'hui le courant de Benguela regorgeant d espèces marines, à travers des projets communs financés par des fonds souverains et la Banque africaine de développement». Sur la côte Est, les anciens États insulaires des Seychelles, des Comores, de Madagascar et de Maurice sont chefs de file en matière d'économie bleue et leurs universités et instituts de recherche attirent les spécialistes des sciences de la mer et les étudiants du monde entier. Cher ami, vous m'avez rappelé dans votre dernier qu un magazine nous a une fois appelé «Le continent sans espoir», citant les conflits, la faim et la malnutrition, la maladie et la pauvreté comme si c était un état permanent de l Afrique. Peu de personnes croyaient en notre engagement pris dans la Déclaration du cinquantième anniversaire de faire taire les armes en En raison de notre expérience directe de la dévastation résultant des conflits, nous nous sommes attaqués aux causes profondes, notamment la diversité, l'inclusion et la gestion de nos ressources. Si je ne devais relever qu une seule question qui a fait de la paix une réalité, ce serait notre engagement à investir dans nos peuples, en particulier l'autonomisation des jeunes et des femmes. Nous avons dit en 2013 que l'afrique avait besoin d'une révolution en matière de compétences et que nous devions changer nos systèmes éducatifs pour former des jeunes qui ont le sens de l innovation et l'entreprise et possèdent de fortes valeurs panafricaines. De l'éducation de la petite enfance, à l'enseignement secondaire, technique, professionnel et supérieur - nous avons connu une véritable renaissance, grâce aux investissements que nous avons faits, en tant que gouvernements et secteur privé, dans l'éducation et dans la technologie, la science, la recherche et l'innovation. Associés à nos campagnes concertées pour éradiquer les principales maladies, fournir un accès aux services de santé, à une bonne alimentation, à l'énergie et au logement, nos peuples sont en effet devenus et restent notre ressource la plus importante. Pouvez- vous le croire mon ami, même le paludisme redoutable est de l histoire ancienne. Bien sûr, ce changement ne pouvait se faire sans l appropriation par l'afrique de sa transformation, notamment le financement de son développement. Comme l ont déclaré les ministres des Affaires étrangères en 2014 : l'afrique est riche, mais les Africains sont pauvres. Avec une détermination politique et une solidarité communes, et faisant parfois un pas en arrière et deux pas en avant, nous avons fait du financement de notre développement et de l appropriation de nos ressources une priorité, en commençant par le financement de l'union africaine, de nos élections démocratiques et de nos missions de maintien de la paix. Les festivités du Jubilé ont marqué le début d'un changement radical de paradigme concernant l appropriation de notre histoire. L Agenda 2063, sa mise en œuvre et les étapes qu'il a fixées ont permis ce changement. L Agenda 2063 a pour objectif de mobiliser et d unir tous les Africains et la diaspora dans l'action autour de la vision commune d'une Afrique pacifique, intégrée et prospère. Comme cadre global, l'agenda 2063 a permis la cohésion interne de nos différents cadres et plans adoptés sous l égide de l'oua et de l'ua. Il a relié et coordonné nos nombreux cadres nationaux et régionaux dans une dynamique de transformation continentale commune. La planification à l horizon des 50 ans nous a permis de rêver, de penser de façon créative, et de devenir parfois fous comme l a déclaré l'un des ministres qui a accueilli la retraite ministérielle 2014, en nous voyant franchir les obstacles immédiats. Ancré dans le panafricanisme et la Renaissance africaine, l Agenda 2063 a promu les valeurs de solidarité, de confiance en soi, de non-sexisme, d'autonomie et de célébration de notre diversité. Au fur et à mesure que nos sociétés se développaient, que nos classes ouvrières et moyennes augmentaient, que les femmes prenaient leur place dans nos sociétés, notre héritage et nos industries de loisirs ont augmenté, de même que nos arts et notre culture, notre littérature, nos médias, nos langues, notre musique et notre cinéma. Le grand projet d'encyclopédia Africana de WEB du Bois devint enfin réalité et Kinshasa est aujourd'hui la capitale mondiale de la mode. D entrée de jeu, la diaspora, dans les traditions du panafricanisme, a joué son rôle grâce aux investissements, en revenant sur le continent, dotée de ses compétences et apportant sa contribution non seulement au lieu d'origine, mais là où il y avait des besoins et des opportunités. Permettez-moi de conclure cet , avec quelques nouvelles de la famille. Les jumeaux, après avoir achevé leurs études spatiales à l Université de Bahir Dar, ont décidé de prendre un mois de vacances pour parcourir le continent avant de commencer leur travail à l'agence spatiale africaine. Mon vieil ami, il aurait été impossible de le faire en un mois à notre époque! Mais, l African Express Rail relie maintenant toutes les capitales de nos anciens États, et ils pourront en effet sillonner et voir la beauté, la culture et la diversité de ce berceau de l'humanité. La merveille de l African Express Rail, c'est que c'est non seulement un train à grande vitesse avec des autoroutes adjacentes, mais il contient également des pipelines pour le gaz, le pétrole et l'eau, ainsi que des câbles TIC à large bande : la propriété, la planification et l'exécution intégrées africaines à leur meilleur niveau! Les réseaux routiers et ferroviaires continentaux qui sillonnent maintenant l'afrique, nos compagnies aériennes dynamiques, nos paysages spectaculaires et nos magnifiques couchers de soleil, les initiatives culturelles de nos villes, font du tourisme l'un des secteurs les plus importants de notre économie. Notre fille aînée, la linguiste, donne des conférences en kiswahili au Cap-Vert, siège de l'université virtuelle panafricaine. Le Kiswahili est maintenant l une des principales langues de travail de l'afrique, et mondialement enseignée dans la plupart des facultés à travers le monde. Nos petits-enfants rient encore des difficultés que nous rencontrions avec les interprétations en anglais, en français et en portugais lors des réunions de l UA, comment nous dénoncions le manque d harmonisation entre la version anglaise et la version française ou arabe. Maintenant, nous avons une lingua franca, et le multilinguisme est à l'ordre du jour. Rappelez-vous comment nous nous plaignions que notre voix ne soit pas entendue dans les négociations commerciales et au Conseil de sécurité, comment nous étions désorganisés, parfois divisés et nationalistes dans ces forums, comment nous étions convoqués par les différents pays dans leurs capitales pour discuter de leurs politiques sur l'afrique? Comme les choses ont changé! L an dernier, la Confédération a fêté vingt ans depuis que nous avons un siège de membre permanent du Conseil de sécurité des Nations unies, et nous sommes un pôle majeur pour la stabilité, la paix, les droits humains, le progrès, la tolérance et la justice dans le monde. Mon cher ami, j'espère vous voir le mois prochain en Haïti pour le second cycle des pourparlers d'unité entre la Confédération des États de l'afrique et les États des Caraïbes. Il s'agit d'une étape logique, car le panafricanisme tire son origine des premières générations en tant que mouvement de libération, d'autodétermination et de progrès communs des Africains du continent mère et de la diaspora. Je conclus cet et me réjouis de vous voir en février. J apporterai quelques-uns des chocolats d Accra que vous aimez tant et que nos enfants peuvent maintenant s offrir. Au revoir et à la prochaine! Nkosazana.

3 tives of African integration, failed to play their role at that time, and that is part of the reasons it took us so long. We did not realize our power, but instead relied on donors, that we euphemistically called partners. That was the case tion, a united states, a federation or a union. Agenda 2063 As you can see, my friend, those debates are over and the Confederation of African States is now twelve years old, launched in What was interesting was the role played by successive generations of African youth. Already in 2013 during the Golden Jubilee celebrations, it was the youth that loudly questioned the slow progress towards integration. They formed African Union Clubs in schools and universities across the continent, and linked with each other on social media. We thus saw the grand push for integration, for the free movement of people, for harmonization of An from the future intelligentsia playing an instrumental role. We were a youthful continent at the start of the 21st century, but as our youth bulge grew, young men and women became even more active, creative, impatient and assertive, often telling us oldies that they are the future, and that they (together with women) form the largest part of the electorates in all our countries! Of course this was but one of the drivers towards unity. The accelerated implementation of the Abuja Treaty and the creation of the African Economic Community by 2034 saw economic integration moved to unexpected levels. H.E. DR. NKOSAZANA DLAMINI ZUMA Economic integration, coupled with infrastructure development, saw intra-africa trade mushrooming, from less than 12% in 2013 to approaching 50% by This integration was further consolidated with the growth of commodity exchanges and continental commercial giants. Starting with the African pharmaceutical company, Pan African companies now not only dominate our domestic market of over two billion people, but they have overtak- Presentation by Dr. Nkosazana Dlamini Zuma, Chairperson of the AU Commission to the Retreat of Foreign Ministers held at Bahir Dar, Ethiopia on January 2014 Eastern Congo, north-eastern Angola and Zambia s copper belt and at major Silicon valleys in Kigali, Alexandria, Brazzaville, Maseru, Lagos and Mombasa, to mention but a few such hubs. My friend, Africa has indeed transformed herself from an exporter of raw materials with a declining manufacturing our natural resources and agricultural products as drivers to industrialization. Pan African companies, from mining CHAIRPERSON African Union Commission integration, and are amongst the global leaders in their sectors. We are now the third largest economy in the world. As the Foreign Minister s retreat in Bahir Dar in January 2014 states and RECS to drive infrastructure, the provision of social services, industrialization and economic integration. Let me recall what our mutual friend recently wrote: The (African) agrarian revolution had small beginnings. Successful business persons (and local governments) with roots in the rural areas started massive irrigation schemes to harness the waters of the continent s huge river systems. The pan-african river projects - on the Congo, My dear friend Kwame, Greetings to the family and friends, and good health and best wishes for 2063 Centenary celebrations of the Organisation of African Unity, which became the African Union in 2002 and laid the foundations for what is now our Confederation of African States (CAS). Yes, who would have thought that the dream of Kwame Nkrumah and his generations, when they called in 1963 on Africans to unite or perish, would one day become a reality; And what a grand reality. BRIC investors, as well as the African Diaspora, released the continent s untapped agricultural potential. By the intelligent application of centuries-old indigenous knowledge, acquired and conserved by African women consulted women about the qualities of various grains which ones survived low rainfalls and which thrived in wet weather; what pests threatened crops and how could they be combated without undermining delicate ecological systems. The social impact of the agrarian revolution was perhaps the most enduring change it brought about. The status of women, the tillers of the soil by tradition, rose exponentially. The girl child, condemned to a future in the kitchen or farm or an agribusiness). African mothers today have access to tractors and irrigation systems that can be easily Directorate of Information and Communication African Union Commission P.O. Box 3243 Addis Ababa, Ethiopia Tel. Direct , (ext. 236) Fax E- mail: union.org Website: Date: 24 Janurary 2063 To: From" Subject: African Unity country: as if we were not a continent of over a billion people and 55 sovereign states! But, the advancing global trend towards regional blocks, reminded us that integration and unity is the only way for Africa to leverage its competitive advantage. In fact, if Africa was one country in 2006, we would have been the 10th largest economy in the world! However, instead of acting as one, with virtually every resource in the world (land, oceans, minerals, energy) and over a billion people, -

4 assembled. The producers cooperatives, (agribusinesses) and marketing boards these women established help move their produce and became the giant food companies we see today. We refused to bear the brunt of climate change and aggressively moved to promote the Green economy and to claim the Blue economy as ours. We lit up Africa, the formerly Dark Continent, using hydro, solar, wind, geo-thermal energy, in addition to fossil fuels. And, whilst I m on the Blue economy, the decision to form Africa-wide shipping companies, and encourage mining houses to ship their goods in vessels flying under African flags, meant a major growth spurt. Of course the decision taken in Dakar to form an African Naval Command to provide for the collective security of our long coastlines, certainly also helped. Let me quote from our mutual friend again: Africa s river system, lakes and coast lines abound with tons of fish. With funding from the different states and the Diaspora, young entrepreneurs discovered that the mouths of virtually all the rivers along the east coast are rich in a species of eel considered a delicacy across the continent and the world. Clever marketing also created a growing market for Nile perch, a species whose uncontrolled proliferation had at one time threatened the survival of others in Lake Victoria and the Nile. Today Namibia and Angola exploit the Benguela current, teaming with marine life, through the joint ventures funded by sovereign funds and the African Development Bank. On the east coast, former island states of Seychelles, Comoros, Madagascar and Mauritius are leading lights of the Blue economy and their universities and research institutes attract marine scientists and students from all over the world. Dear friend, you reminded me in your last how some magazine once called us The hopeless continent, citing conflicts, hunger and malnutrition, disease and poverty as if it was a permanent African condition. Few believed that our pledge in the 50th Anniversary Declaration to silence the guns by 2020 was possible. Because of our firsthand experience of the devastation of conflicts, we tackled the root causes, including diversity, inclusion and the management of our resources. If I have to single out one issue that made peace happened, it was our commitment to invest in our people, especially the empowerment of young people and women. By 2013 we said Africa needed a skills revolution and that we must change our education systems to produce young people that are innovative and entrepreneurial and with strong Pan African values. From early childhood education, to primary, secondary, technical, vocational and higher education we experienced a true renaissance, through the investments we made, as governments and the private sector in education and in technology, science, research and innovation Coupled with our concerted campaigns to eradicate the major diseases, to provide access to health services, good nutrition, energy and shelter, our people indeed became and are our most important resource. Can you believe it my friend, even the dreaded malaria is a thing of the past. Of course this shift could not happen without Africa taking charge of its transformation, including the financing of our development. As one esteemed Foreign minister said in 2014: Africa is rich, but Africans are poor. With concerted political determination and solidarity, and sometimes one step back and two steps forward, we made financing our development and taking charge of our resources a priority, starting with financing the African Union, our democratic elections and our peacekeeping missions. The Golden Jubilee celebrations were the start of a major paradigm shift, about taking charge of our narrative. Agenda 2063, its implementation and the milestones it set, was part of what brought about this shift. We developed Agenda 2063 to galvanize and unite in action all Africans and the Diaspora around the common vision of a peaceful, integrated and prosperous Africa. As an overarching framework, Agenda 2063 provided internal coherence to our various sectoral frameworks and plans adopted under the OAU and AU. It linked and coordinated our many national and regional frameworks into a common continental transformation drive. Planning fifty years ahead, allowed us to dream, think creatively and sometimes crazy as one of the Ministers who hosted the 2014 Ministerial retreat said, to see us leapfrog beyond the immediate challenges. Anchored in Pan Africanism and the African renaissance, Agenda 2063 promoted the values of solidarity, self-belief, non-sexism, self-reliance and celebration of our diversity. As our societies developed, as our working and middle classes grew, as women took their rightful place in our societies, our recreational, heritage and leisure industries grew: arts and culture, literature, media, languages, music and film. WEB du Bois grand project of Encyclopedia Africana finally saw the light and Kinshasa is now the fashion capital of the world. From the onset, the Diaspora in the traditions of Pan Africanism played its part, through investments, returning to the continent with their skills and contributing not only to their place of origin, but where the opportunities and needs were found. progress, tolerance and justice. My dear friend, I hope to see you next month in Haiti, for the second round of unity talks between the Confederation of African States and the Caribbean states. This is a logical step, since Pan Africanism had its roots amongst those early generations, as a movement of Africans from the mother continent and the Diaspora for liberation, self-determination and our common progress. Let me conclude this , with some family news. The twins, after completing their space studies at Bahir Dar University, decided to take the month before they start work at the African Space Agency to travel the continent. My old friend, in our days, trying to do that in one month would have been impossible! But, the African Express Rail now connects all the capitals of our former states, and indeed they will be able to crisscross and see the beauty, culture and diversity of this cradle of humankind. The marvel of the African Express Rail is that it is not only a high speed-train, with adjacent highways, but also contains pipelines for gas, oil and water, as well as ICT broadband cables: African ownership, integrated planning and execution at its best! The continental rail and road network that now crisscross Africa, along with our vibrant airlines, our spectacular landscapes and seductive sunsets, the cultural vibes of our cities, make tourism one of our largest economic sectors. I end this , and look forward to seeing you in February. I will bring along some of the chocolates from Accra that you so love, which our children can now afford. Our eldest daughter, the linguist, still lectures in KiSwahili in Cabo Verde, at the headquarters of the Pan African Virtual University. KiSwahili is now a major African working language, and a global language taught at most faculties across the world. Our grand children still find it very funny how we used to struggle at AU meetings with English, French and Portuguese interpretations, how we used to fight the English version not in line with the French or Arabic. Now we have a lingua franca, and multi-lingualism is the order of the day. Remember how we used to complain about our voice not being heard in trade negotiations and the Security Council, how disorganized, sometimes divided and nationalistic we used to be in those forums, how we used to be summoned by various countries to their capitals to discuss their policies on Africa? How things have changed. The Confederation last year celebrated twenty years since we took our seat as a permanent member of the UN Security Council, and we are a major force for global stability, peace, human rights, Till we meet again, Nkosazana.

5 integração africana, não conseguiu desempenhar o seu papel nessa altura, e essa é uma parte das razões que contribuíram para que levássemos muito tempo. Não materializarmos o nosso poder, mas ao invés disso depositamos confiança nos doadores, que eufemísticamente chamamos por parceiros. Agenda 2063 Esse foi o caso em 2013, mas finalmente a realidade materializou-se e tivemos longos debates sobre a forma que a nossa unidade deve tomar: confederação, estados unidos, federação ou união. Conforme podemos depreender, meu amigo, esses debates já chegaram ao fim e a Confederação dos Estados Africanos tem agora doze anos de idade, lançada em O do futuro O que foi interessante foi o papel desempenhado pelas gerações sucessivas da juventude africana. Já em 2013 durante as celebrações do Jubileu de Ouro, foi a juventude que questionou em voz alta o fraco progresso em prol da integração. Constituíram Clubes da União Africana nas escolas e nas universidades no continente e estabeleceram ligação entre eles nos meios de comunicação social. Deste modo, vimos o grande avanço para a integração, para a livre circulação de pessoas, para a harmonização de qualificações educacionais e profissionais com a Universidade Pan-africana e, na verdade, o sector universitário e os intelectuais desempenharam um papel fundamental. H.E. DR. NKOSAZANA DLAMINI ZUMA Éramos um continente jovem no início do século 21, mas à medida que o número dos nossos jovens aumentava de forma súbita, os jovens do sexo masculino e feminino tornaram-se mais activos, criativos, impacientes e afirmativos, muitas vezes considerando-nos velhos, informando-nos que são o futuro e que (juntamente com as mulheres) formam a maior parte dos eleitorados em todos os nossos países! Mensagem de correio electrónico da Presidente da Comissão da União Africana (CUA) sobre o futuro Obviamente este foi apenas um dos factores conducentes à unidade. A implementação acelerada do Tratado de Abuja e a criação da Comunidade Económica Africana em 2034 contribuíram para a integração económica movida para níveis inesperados. A integração económica, aliada ao desenvolvimento de infra-estruturas, testemunhou uma rápida expansão do comércio intra-africano, de menos de 12% em 2013 para aproximadamente 50% em Esta integração foi Dirigida ao hipotético Kwame no ano de 2063, a mensagem de correio electrónico completa é transcrita abaixo: consolidada ainda mais com o aumento da troca de mercadorias e o desenvolvimento dos gigantes comerciais continentais. Começando com a empresa farmacêutica africana, actualmente as empresas Pan-africanas não só dominam o nosso mercado interno de mais de dois biliões de pessoas, mas superaram as multi-nacionais do resto do mundo nos seus próprios mercados. Ainda mais significativo do que isso, foi o crescimento dos centros de produção regionais, o benefício dos nossos recursos minerais e recursos naturais, tais como a parte Oriental de Congo, o noroeste de Angola e o cinturão de cobre da Zâmbia, bem como os grandes vales de silício em Kigali, Alexandria, Brazzaville, Maseru, Lagos e Mombaça, para mencionar alguns desses centros. Meu amigo, na verdade África transformou-se de exportador de matéria-prima, com um sector de produção em declínio em 2013, para se tornar num grande exportador de alimentos, um centro mundial de produção, um centro de conhecimentos, beneficiando dos nossos recursos naturais e produtos agrícolas como factores conducentes à industrialização. As empresas Pan-africanas, desde a mineração até às finanças, alimentos e bebidas, hospitalidade e turismo, farmacêuticas, de moda, pesca e TIC, são a força motriz da integração e estão entre os líderes mundiais nos seus sectores. Actualmente somos a terceira maior economia do mundo. Tal como enfatizou o retiro dos Ministros dos Negócios Estrangeiros em Bahir Dar, em Janeiro de 2014, estabelecemos o equilíbrio entre as forças de mercado e os Estados fortes e de desenvolvimento responsáveis e as CER para o desenvolvimento de infra-estruturas, prestação de Presidente Comissão da União Africano Meu caro amigo Kwame, Saudação à família e amigos e votos de boa saúde e sucessos para Escrevo-lhe a partir da linda cidade etíope de Bahir Dar, localizada no Lago Tana, numa altura em que concluímos os preparativos para as celebrações do Centenário da Organização da Unidade Africana, que se tornou União Africana em 2002 e criou as bases para o que é agora a nossa Confederação dos Estados Africanos (CAS). Sim, quem poderia pensar que esse sonho de Kwame Nkrumah e das suas gerações, quando em 1963 apelaram aos africanos para se unirem ou perecerem, que um dia iria tornar-se realidade. E que grande realidade! DIRECÇÃO DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Comissão da União Africano P.O. Box 3243 Addis Ababa, Ethiopia Tel. Direct , (ext. 236) Fax E- mail: union.org Website: Data: 24 de Janeiro de 2063 Para: De: Assunto: Unidade Africana No início do século vinte e um, costumávamos ficar irritados com os estrangeiros quando tratavam África como um país, como se não fôssemos um continente de mais de um bilião de pessoas e 55 estados soberanos! Mas, a tendência mundial de avançar para blocos regionais recordou-nos que a integração e a unidade é a única forma de África impulsionar a sua vantagem competitiva. De facto, se África fosse um país em 2006, teríamos sido a 10ª maior economia do mundo! Contudo, ao invés de agir como um, com todos os recursos virtualmente no mundo (terra, oceanos, minerais, energia) e mais de uma bilião de pessoas, agimos como cinquenta e cinco países pequenos, fragmentados e individuais. O maior país que teria sido a locomotiva da

6 serviços sociais, industrialização e integração económica. Permita-me lembrar-lhe o que o nosso amigo mútuo escreveu recentemente: A revolução agrária (africana) teve avanços de menor escala. Homens de negócio bem-sucedidos (e governos locais) enraizados nas zonas rurais iniciaram esquemas de irrigação massiva para aproveitar o potencial dos recursos hídricos dos enormes rios do continente. Os projectos de rios pan-africanos - no Congo, Nilo, Níger, Gâmbia, Zambeze, Kunene, Limpopo e muitos outros financiados pelas Parcerias Público - Privadas (PPP) que envolveram os investidores africanos e os BRIC, bem como a Diáspora Africana, divulgaram o potencial agrícola ainda inexplorado do continente. Através da aplicação inteligente de conhecimentos antigos e ancestrais de séculos, adquiridos e conservados pelas mulheres africanas que tinham culturas alimentares bem desenvolvidas em todas as estações, dentro dos primeiros anos apresentavam colheitas abundantes. Os agrónomos consultaram as mulheres sobre as qualidades dos vários cereais quais delas sobreviviam à fraca precipitação e quais prosperavam durante a época chuvosa; que pragas ameaçavam as culturas e como é que poderiam ser combatidas sem subestimar os sistemas ecológicos delicados. O impacto social da revolução agrária foi, talvez, a mudança mais duradoura que ocorreu. O estatuto da mulher, pessoas que por tradição trabalham a terra, foi reforçado de forma exponencial. A rapariga, condenada a um futuro na cozinha ou nos campos agrícolas no nosso futuro não muito distante, tem agora uma oportunidade igual de obter uma educação moderna (e de possuir um campo agrícola ou um negócio no sector agrícola). Actualmente, as mães africanas têm acesso aos tractores e aos sistemas de irrigação que podem ser facilmente montados. As cooperativas de produtores (empreendimentos agrícolas) e entidades de marketing que estas mulheres criaram, ajudam a escoar a sua produção e tornaram-se empresas gigantes de produtos alimentares que vemos actualmente. Recusamo-nos em arcar com as consequências das alterações climáticas e avançamos de forma agressiva para promover a economia Verde e clamamos pela economia Azul como sendo nossas. Iluminamos África, o antigo continente negro, usando energia hidroeléctrica, solar, eólica, geotérmica, para além dos combustíveis fósseis. E, enquanto estou na economia Azul, a decisão de criar grandes empresas de navegação e incentivar as empresas de mineração a escoar os seus produtos em embarcações que se deslocam sob bandeiras africanas, significaram um grande crescimento. Obviamente a decisão tomada em Dakar para formar um Comando Naval Africano para garantir segurança colectiva das nossas longas costas, certamente que também ajudou. Permita-me citar, mais uma vez, o nosso amigo mútuo: Os rios, lagos e zonas costeiras de África são ricos em toneladas de peixe. Com o financia- mento de diferentes Estados e a Diáspora, empresários jovens descobriram que virtualmente as fozes dos rios ao longo da costa oriental são ricas em espécies de enguias consideradas delicadas no continente e no mundo. O marketing inteligente também criou um mercado em crescimento para a Perca do Nilo, uma espécie cuja proliferação não controlada tinha, a uma determinada altura, ameaçado a sobrevivência das outras espécies no Lago Vitória e no Nilo. Hoje, Namíbia e Angola exploram a corrente de Benguela, fazendo parceria com a vida marinha através de empreendimentos conjuntos financiados por fundos soberanos e o Banco Africano de Desenvolvimento. Na costa oriental, antigos Estados insulares de Seychelles, Comoros, Madagáscar e Maurícias que são as luzes condutoras da economia Azul e as suas universidades e institutos de investigação atraem cientistas marinhos e estudantes de todo o mundo. Caro amigo, recordou-me na sua última mensagem de correio electrónico como uma revista considerou-nos continente sem esperança, citando conflitos, fome e desnutrição, doenças e pobreza, como se fosse uma condição africana permanente. Poucas pessoas acreditavam que a nossa promessa durante a Declaração do 50º Aniversário de silenciar as armas até 2020 seria possível. Por causa da nossa primeira experiência da devastação de conflitos, abordamos as causas principais incluindo a diversidade, inclusão e gestão dos nossos recursos. Se eu tivesse que destacar uma questão que contribuiu para a paz, seria o nosso compromisso de investir no nosso povo, especialmente a capacitação dos jovens e das mulheres. Até 2013, afirmamos que África necessitava de uma revolução de habilidades e que devemos alterar os nossos sistemas de educação, para formar jovens inovadores e empresários e com fortes valores Pan-africanos. Desde a educação pré-escolar até ao ensino primário, secundário, técnico, profissional e superior tivemos um verdadeiro renascimento, através dos investimentos que efectuamos como governos e como sector privado na educação, tecnologia, ciência, investigação e inovação. Aliado às nossas campanhas concertadas para erradicar as principais doenças, garantir acesso aos serviços de saúde, boa nutrição, energia e abrigo, o nosso povo, na verdade, tornou-se e constitui o recurso mais importante. Acredita nisso, meu amigo, mesmo a temida malária é algo do passado. Obviamente, esta mudança não poderia acontecer sem que África assumisse a sua transformação, incluindo o financiamento do nosso desenvolvimento. Tal como um estimado ministro dos negócios estrangeiros afirmou em 2014: África é rica, mas os africanos são pobres. Com determinação política e solidariedade concertadas e, às vezes, um passo para trás e dois passos para frente, tornamos o nosso financiamento em nosso desenvolvimento e assumindo responsabilidade pelos nossos recursos como nossa prioridade, começando com o financiamento da União Africana, as nossas eleições democráticas e as nossas missões de manutenção da paz. As celebrações do Jubileu de Ouro foram o início de uma grande mudança de paradigma em relação ao controlo da nossa narrativa. A Agenda 2063, a sua implementação e os marcos definidos, foi parte do que trouxe esta mudança. Desenvolvemos a Agenda 2063 para galvanizarmos e unirmos em acção todos os africanos e a Diáspora sobre a visão comum de uma África em paz, integrada e próspera. Como um quadro geral, a Agenda 2063 garantiu coerência interna para os nossos vários quadros e planos sectoriais adoptados, sob a égide da OUA e UA. Estabeleceu a ligação e coordenou os nossos vários quadros nacionais e regionais numa força motriz comum de transformação continental. A planificação antecipada de cinquenta anos permitiu-nos sonhar, pensar criativamente e, às vezes, de forma louca, tal como afirmou um dos ministros que acolheu o retiro ministerial de 2014, para que possamos fazer face aos desafios imediatos. Ancorada no Pan-africanismo e no renascimento africano, a Agenda 2063 promoveu os valores de solidariedade, auto-convicção, não-sexismo, auto-confiança e celebração da nossa diversidade. À medida que as nossas sociedades desenvolviam, à medida que a nossa classe trabalhadora e a classe média desenvolviam, à medida que as mulheres assumiam o seu legítimo lugar nas nossas sociedades, as nossas indústrias de recreação, património e de lazer desenvolveram: artes e cultura, literatura, meios de comunicação social, línguas, música e filmes. O grande projecto intitulado WEB du Bois da Enciclopédia Africana finalmente viu luz e Kinshasha é agora a capital da moda no mundo. Desde o início, a Diáspora nas tradições do Pan-africanismo, desempenhou o seu papel através de investimentos, regressando ao continente com as suas habilidades e contribuindo, não só no seu lugar de origem, mas também onde se constatava que havia oportunidades e necessidades. Permita-me concluir esta mensagem de correio electrónico com algumas notícias da família. Os gémeos, depois de concluírem os seus estudos espaciais na Universidade de Bahir Dar, decidiram passar um mês antes de iniciar o trabalho na Agência Espacial Africana para viajar pelo continente. Meu velho amigo, nos nossos dias, tentar fazer isso num mês teria sido impossível! Mas actualmente, o African Express Rail estabelece ligação com todas as capitais dos nossos antigos Estados e, na verdade, será capaz de atravessar e apreciar a beleza, cultura e diversidade deste Berço da Humanidade. A maravilha do African Express Rail é que não é apenas um comboio de alta velocidade, com rotas adjacentes, mas também contém gasodutos, oleodutos e condutas de água, bem como cabos de banda larga de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC): apropriação africana, planificação integrada e execução no seu melhor! Actualmente, a rede ferroviária e rodoviária continental que atravessa África, juntamente com as nossas linhas aéreas vibrantes, as nossas paisagens espectaculares e o pôr-do-sol sedutor, as agitações culturais das nossas cidades, tornam o turismo num dos nossos maiores sectores económicos. A nossa filha mais velha, a linguista, ainda lecciona em KiSwahili em Cabo Verde, na sede da Universidade Virtual Pan-africana. KiSwahili é agora uma grande língua africana e uma língua mundial ensinada na maior parte das faculdades no mundo. Os nossos netos ainda consideram muito engraçado quando enfrentávamos dificuldades nas reuniões da UA com interpretação em Inglês, Francês e Português, quando constatávamos que as versões em Inglês e Francês ou Árabe não estavam em consonância. Agora temos uma língua franca e o multilinguismo é a ordem do dia. Recorde-se como nos queixávamos do facto da nossa voz não ser ouvida nas negociações comerciais e no Conselho de Segurança, a forma como éramos desorganizados, às vezes, divididos e nacionalistas nestes fóruns, como éramos notificados por vários países para as suas capitais, para discutir as suas políticas sobre África? Como as coisas mudaram. A Confederação celebrou no ano passado vinte anos em que assumimos o nosso lugar como membro do Conselho de Segurança das Nações Unidas e somos uma grande força para a estabilidade, paz, direitos humanos, progresso, tolerância e justiça no mundo. Meu amigo, espero vê-lo no próximo mês em Haiti, para a segunda ronda de conversações sobre a unidade entre a Confederação dos Estados Africanos e os Estados das Caraíbas. Este é um passo lógico, uma vez que o Pan-africanismo teve as suas origens entre as anteriores gerações, como um movimento de africanos do continente mãe e a Diáspora para a libertação, auto-determinação e o nosso progresso comum. Concluo esta mensagem de correio electrónico e espero vê-lo em Fevereiro. Trarei alguns dos chocolates de Acra que o senhor tanto gosta, que os nossos filhos agora podem comprar. Até breve, Nkosazana.

FAIRTRADE LABELLING ORGANIZATIONS INTERNATIONAL

FAIRTRADE LABELLING ORGANIZATIONS INTERNATIONAL A: Tous les acteurs de la filière du Commerce Equitable certifiés pour la mangue, la banane, la pulpe d araza / Produtores e Comerciantes certificados da manga, da banana e da polpa de araza de CJ Tous

Leia mais

As questões de 01 a 05, cujas respostas deverão ser redigidas EM PORTUGUÊS, referem -se ao texto abaixo.

As questões de 01 a 05, cujas respostas deverão ser redigidas EM PORTUGUÊS, referem -se ao texto abaixo. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

PAAES/UFU 2ª Etapa Subprograma 2011-2014

PAAES/UFU 2ª Etapa Subprograma 2011-2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos PAAES 2ª ETAPA SUBPROGRAMA 2011/2014 24 de fevereiro de 2013

Leia mais

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire.

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Caros pais, A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Esta iniciativa insere-se no âmbito de um projeto

Leia mais

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FRANCÊS 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém quatro questões, constituídas de itens e

Leia mais

6 Só será permitido o uso de dicionário FRANCÊS/FRANCÊS.

6 Só será permitido o uso de dicionário FRANCÊS/FRANCÊS. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Ce qui ne change pas O que não se altera entre o pré-escolar e o 1º ano no LFIP L organisation administrative/a organização administrativa -Les contacts

Leia mais

FRANCÊS INSTRUÇÕES 1 - ESTA PROVA CONTÉM 1 (UM) TEXTO SEGUIDO DE QUESTÕES DE COMPREENSÃO 2 - ESCOLHA E ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA, SEMPRE DE ACORDO COM O TEXTO EXISTE-T-IL DES RECETTES POUR ÊTRE HEUREUX?

Leia mais

Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família. Tese de Doutorado

Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família. Tese de Doutorado Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família Tese de Doutorado Tese apresentada ao Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-Rio como requisito

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS DISCIPLINA:Francês 7ºAno Nível I (Turmas A/B/C/D/E)

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS DISCIPLINA:Francês 7ºAno Nível I (Turmas A/B/C/D/E) PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS DISCIPLINA:Francês 7ºAno Nível I (Turmas A/B/C/D/E) Ano Letivo 2012/2013 Temáticos Unité 0 JE COMMENCE Os pronomes pessoais Os números cardinais (1) ( 0-19) Conteúdos Nº

Leia mais

Catalogue des nouvelles acquisitions

Catalogue des nouvelles acquisitions Bulletin Bibliographique Edition Nº 03 Bissau, 18/06/2013 CID Centre d Information et Documentation Nations Unies, Guine-Bissau www.gw.one.un.org www.cidnubissau.net Catalogue des nouvelles acquisitions

Leia mais

PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E

PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E FRANCÊS 12.ºANO NÍVEL DE CONTINUAÇÃO PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E Esta prova desenvolve-se em três partes e tem uma duração aproximada de 20 minutos para cada grupo de dois alunos. Domínios de referência

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

E S P A Ç. O L i. awesome hotel

E S P A Ç. O L i. awesome hotel E S P A Ç O L i b r i s awesome hotel PT EN FR Portefólio Portfolio Portefeuille www.espacolibris.com www.espacolibris.com www.espacolibris.com Í N D I C E PT EN FR I N D E X I N D E X Quem somos About

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais

Descrição das actividades

Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Em Acção Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos Guião D 1.º MOMENTO Intervenientes

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

CAFEZINHO BRASILEIRO A5

CAFEZINHO BRASILEIRO A5 1 PRONOMES (adjetivo) DEMONSTRATIVOS Déterminant Démonstratifs Oi Paulo, esse bola é do seu filho? Salut Paulo, ce balon est à ton fils? Sim, é dele. Oui, c est à lui. Les déterminants démonstratifs (pronomes

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS 2015 /16 ESTÁGIOS ERASMUS EM ESCOLAS * ERASMUS PLACEMENTS IN SCHOOLS * [POR FAVOR, PREENCHA O FORMULÁRIO NA (NUMA DAS) LÍNGUA(S) DE TRABALHO DO ESTÁGIO:

Leia mais

ÉCOLE D HIVER ESCOLA DE INVERNO 2013 (DES)ENGAGEMENTS POLITIQUES ET CULTURELS PROGRAMME PROGRAMA. De 14 a 18 de Janeiro ORGANISATION ORGANIZAÇÃO

ÉCOLE D HIVER ESCOLA DE INVERNO 2013 (DES)ENGAGEMENTS POLITIQUES ET CULTURELS PROGRAMME PROGRAMA. De 14 a 18 de Janeiro ORGANISATION ORGANIZAÇÃO ÉCOLED HIVER ESCOLADEINVERNO2013 PROGRAMME PROGRAMA De14a18deJaneiro (DES)ENGAGEMENTSPOLITIQUESETCULTURELS ORGANISATION ORGANIZAÇÃO PARTENAIRES PARCEIROS DES)ENGAGEMENTSPOLITIQUESETCULTURELS SCIENCESPO

Leia mais

PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006

PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006 ESCOLA PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006 I Lisez attentivement le texte ci-dessous et les questions pour avoir une vision globale de ce qu'on vous demande. Une eau pas très écolo!

Leia mais

PLUS QU UNE ÉCOLE UN AVENIR MAIS QUE UMA ESCOLA UM FUTURO

PLUS QU UNE ÉCOLE UN AVENIR MAIS QUE UMA ESCOLA UM FUTURO PLUS QU UNE ÉCOLE UN AVENIR MAIS QUE UMA ESCOLA UM FUTURO MAIS QUE UMA ESCOLA UM FUTURO O Lycée Français International de Porto, localizado num local excecional, com amplos espaços verdes, não tem parado

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009

Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009 Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009 Esta prova desenvolve-se em três partes e tem uma duração aproximada de 15-20 minutos para cada grupo

Leia mais

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE?

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE? Visitor, is this is very important contact with you. I m Gilberto Martins Loureiro, Piraí s Senior Age Council President, Rio de Janeiro State, Brazil. Our city have 26.600 habitants we have 3.458 senior

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

Metacognition for online learning

Metacognition for online learning Metacognition for online learning OpenClips http://pixabay.com/en/homer-simpsons-cartoon-comic-155238/ nemo http://pixabay.com/en/cloud-thinking-cartoon-clouds-text-34424/ Tsai, M.-J. (2009). The Model

Leia mais

A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE

A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE 1º Ten Al BERNARDINO GOMES JÚNIOR A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE RIO DE JANEIRO 2008 G633a Gomes Júnior, Bernardino. A atuação do Brasil na missão de paz no Timor Leste /. - Bernardino

Leia mais

DIÁRIO DE BORDO CONTINGENTE PORTUGUÊS. 22 a 25 de Abril de 2011

DIÁRIO DE BORDO CONTINGENTE PORTUGUÊS. 22 a 25 de Abril de 2011 DIÁRIO DE BORDO CONTINGENTE PORTUGUÊS. 22 a 25 de Abril de 2011 2 MENSAGEM DO CHEFE DE CONTINGENTE Meus caros Caminheiros, Companheiros e Dirigentes... Mais uma vez, uns quantos de nós, terão oportunidade

Leia mais

FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016.

FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016. FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016. L association In Extenso est historiquement liée aux projets «hors les murs» puisque sa

Leia mais

PORTAS EM COMPACTO FENÓLICO PORTES COMPACTE PHÉNOLIQUE - COMPACT PHENOLIC DOORS

PORTAS EM COMPACTO FENÓLICO PORTES COMPACTE PHÉNOLIQUE - COMPACT PHENOLIC DOORS PORTAS EM COMPACTO FENÓLICO PORTES COMPACTE PHÉNOLIQUE - COMPACT PHENOLIC DOORS ARCHIWOODXXI Instituto CUF Porto, Portugal Instituto CUF Porto, Portugal Porta em compacto fenólico e aro em alumínio - Porte

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM. Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 61/2013. TEXTO In Ten Years of Bolsa Família, Federal Expenses with Assistance Triple

WWW.ADINOEL.COM. Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 61/2013. TEXTO In Ten Years of Bolsa Família, Federal Expenses with Assistance Triple TEXTO In Ten Years of Bolsa Família, Federal Expenses with Assistance Triple In the ten years of the Bolsa Familia program, completed on Sunday, the biggest change in the federal government's budget was

Leia mais

Enterprise Europe - Portugal

Enterprise Europe - Portugal Enterprise Europe - Portugal Oportunidades de Cooperação Internacional Agência de Inovação Bibiana Dantas Lisboa, 5-Jun-2012 Enterprise Europe Portugal Jun 2012 2 A União Europeia é um mercado de oportunidades!

Leia mais

2.2. Ensino e a construção da cidadania: da moral religiosa à moral cívica.

2.2. Ensino e a construção da cidadania: da moral religiosa à moral cívica. 2.2. Ensino e a construção da cidadania: da moral religiosa à moral cívica. Cinq mémoires sur l instruc1on publique (1791). Présenta@on, notes, bi- bliographie et chronologie part Charles Coutel et Catherine

Leia mais

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?.

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?. Part A I. TEXT. WORKING CHILDREN Over a million school children in Britain have part-time Jobs. The number is growing, too. More and more teenagers are working before school, after school or on weekends.

Leia mais

A formação do engenheiro para as próximas décadas

A formação do engenheiro para as próximas décadas Seminário Inovação Pedagógica na Formação do Engenheiro Universidade de São Paulo Maio de 2003 A formação do engenheiro para as próximas décadas Henrique Lindenberg Neto Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Mestrado em Tradução. Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES. Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR DOUTOR PIERRE LEJEUNE

Mestrado em Tradução. Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES. Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR DOUTOR PIERRE LEJEUNE Mestrado em Tradução Tradução da primeira parte de Droit de la Famille de Dominique Fenouillet Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR

Leia mais

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1.

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1. weaker people. This definition includes three important components:1. Bullying is aggressive behavior that involves unwanted, negative actions. 2. Bullying involves a pattern of behavior repeated over

Leia mais

Annales zéro baccalauréat 2013. Bac L - LV2. Ressources pour la classe de terminale. Portugais. Novembre 2012

Annales zéro baccalauréat 2013. Bac L - LV2. Ressources pour la classe de terminale. Portugais. Novembre 2012 éduscol Annales zéro baccalauréat 2013 Ressources pour la classe de terminale Bac L - LV2 Portugais Ces documents peuvent être utilisés et modifiés librement dans le cadre des activités d'enseignement

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade II Science Health and nature 2 Aula 5.1 Conteúdos Phrasal Verbs in texts 3 Habilidade Identificar os phrasal verbs em textos

Leia mais

Vu de ma fenêtre O que eu vejo da minha janela

Vu de ma fenêtre O que eu vejo da minha janela Vu de ma fenêtre O que eu vejo da minha janela Jean Foucault Gloria Kirinus Appel à projet d écriture Chamado geral ao projeto de criação literária Août 2012 Agosto 2012 répondre à : Jean Foucault, jean.foucault0@orange.fr

Leia mais

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado Mateus Geraldo Xavier Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral Dissertação de Mestrado Programa de Pós-graduação em Teologia do Departamento de Teologia

Leia mais

1. Out of 61 African territories, of which 53 are independent, how many of them are considered never have been colonized?

1. Out of 61 African territories, of which 53 are independent, how many of them are considered never have been colonized? Africa Em que pensas quando lês a palavra África? Que imagens, pensamentos ou idéias vêm à tua mente? Que preconceitos ou estereótipos constróis em seu torno? Quantos deles são realmente verdade? What

Leia mais

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Belém, 25 de Setembro 2014 Estrutura da apresentação 1. Porque a cooperação com a União Europeia em inovação é importante para o Brasil? 2.

Leia mais

1 por quarto, por estada 1 par chambre, par séjour

1 por quarto, por estada 1 par chambre, par séjour 1 por quarto, por estada 1 par chambre, par séjour 1 por quarto, por estada Desde 2012 que depositamos anualmente 10 000 na conta Small Gestures Big Hopes. Adicionalmente, contamos com os nossos hóspedes

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 75/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 75/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

Gerenciamento de projetos SMART GRID

Gerenciamento de projetos SMART GRID Gerenciamento de projetos SMART GRID OBJETIVO Em razão da (o): Grandiosidade e complexidade dos projetos SMART GRID Contexto econômico local e global vs. QUALIDADE dos serviços públicos. p Exigências de

Leia mais

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo PRESS RELEASE 8 de Dezembro de 2009 Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo FNABA representou Portugal, em Pequim (China), na First Global Conference da World Business

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise. - Carlos Paz Professor Associado ISG -

Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise. - Carlos Paz Professor Associado ISG - Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise - Carlos Paz Professor Associado ISG - Agenda Introdução O Tempo de Crise Debate sobre saídas profissionais Conclusões 2 Accenture Accenture:

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil SOARES, Nathalia Fernandes Brasil - Angola: aproximando-os

Leia mais

Inglês 17 Past Perfect

Inglês 17 Past Perfect Inglês 17 Past Perfect O Past Perfect é um tempo verbal utilizado quando temos duas ações que ocorreram no passado, porém uma delas ocorreu antes da outra. When you called, she had just received the bad

Leia mais

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as Exercícios extras Assunto do dia Na aula de hoje, você deverá arregaçar as mangas e entrar de cabeça nos exercícios extras, que têm como tema tudo que vimos nas aulas do Segundo Grau. Atenção: 3, 2, 1...

Leia mais

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa;

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; 2. Associa-se o Present Perfect entre uma ação do passado que tenha uma relação com o presente; My life has changed

Leia mais

INVESTIGADORA DO CPIHTS DEFENDE TESE DE MESTRADO EM COIMBRA

INVESTIGADORA DO CPIHTS DEFENDE TESE DE MESTRADO EM COIMBRA INVESTIGADORA DO CPIHTS DEFENDE TESE DE MESTRADO EM COIMBRA A Dra. Sónia Maria dos Santos, Assistente Social, docente do Instituto Superior Miguel Torga, Investigadora do Centro Português de Investigação

Leia mais

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil SOUSA, Lázaro Mariano de Reseña de "A África Ensinando

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

RARI Construções Metálicas, Engenharia, Projectos e Soluções Industriais, SA. RARI TECH Septembre 2015

RARI Construções Metálicas, Engenharia, Projectos e Soluções Industriais, SA. RARI TECH Septembre 2015 RARI Construções Metálicas, Engenharia, Projectos e Soluções Industriais, SA. RARI TECH Septembre 2015 QUI SOMMES-NOUS? RARI Construções Metálicas, Engenharia, Projectos e Soluções Industriais SA. est

Leia mais

ACEF/1112/02477 Decisão de apresentação de pronúncia

ACEF/1112/02477 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/02477 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/02477 Decisão de apresentação de pronúncia Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA CONFÉDÉRATION SUISSE PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA VISA APPLICATION

REPÚBLICA DE ANGOLA CONFÉDÉRATION SUISSE PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA VISA APPLICATION REPÚBLICA DE ANGOLA Missão Diplomàtica em Mission Diplomatique à Diplomatic Mission in CONFÉDÉRATION SUISSE PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA VISA APPLICATION Diplomàtico Oficial Ordinário Diplomatique Officielle

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

REPÚPLICA DE ANGOLA MISSÃO DIPLOMÁTICA OU CONSULAR NA ARGÉLIA PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA APPLICATION FOR VISA

REPÚPLICA DE ANGOLA MISSÃO DIPLOMÁTICA OU CONSULAR NA ARGÉLIA PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA APPLICATION FOR VISA REPÚPLICA DE ANGOLA MISSÃO DIPLOMÁTICA OU CONSULAR NA ARGÉLIA PEDIDO DE VISTO DEMANDE DE VISA APPLICATION FOR VISA Diplomático Oficial Ordinário Diplomatique Officiel Ordinaire Diplomatic Official Ordinary

Leia mais

PROFESIONALIDAD Y EXPERIENCIA

PROFESIONALIDAD Y EXPERIENCIA TABERSEO Nuestra actividad principal está enfocada a la distribución moderna de productos de menaje para el hogar básicamente cocina, mesa y ordenación. We are focused to the mass distribution market being

Leia mais

Informações básicas e. política de salário mínimo. Étude preliminaire de Claudio Dedecca (consultant BIT) avec appui de l INE PATRICK BELSER OIT

Informações básicas e. política de salário mínimo. Étude preliminaire de Claudio Dedecca (consultant BIT) avec appui de l INE PATRICK BELSER OIT Informações básicas e parâmetros para adoção da política de salário mínimo em Cabo Verde : Étude preliminaire de Claudio Dedecca (consultant BIT) avec appui de l INE PATRICK BELSER OIT STRUCTURE DE LA

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014 TEXTO Brazil Leads Decline Among World's Biggest Companies THE losses OF São Paulo's stock market AND THE decline OF Brazil's real made Brazilian companies THE biggest losers among THE world's major companies,

Leia mais

Championnat du Monde des Jeunes Eau Douce U14 U18 U23

Championnat du Monde des Jeunes Eau Douce U14 U18 U23 Championnat du Monde des Jeunes Eau Douce U14 U18 U23 Organization: Support: Invitation Monsieur le Président, La Fédération Portugaise de Pêche Sportive a l honneur d inviter l équipe nationale de votre

Leia mais

Bienvenue à l'ecole en France Bemvindo à escola em França

Bienvenue à l'ecole en France Bemvindo à escola em França Bienvenue à l'ecole en France Bemvindo à escola em França Ses objectifs / OBJECTIVOS Éduquer pour vivre ensemble -> Educar para viver juntos Portugais Português Instruire pour comprendre aujourd hui, construire

Leia mais

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects Local & Regional Development Expanding the positive impacts of mining projects Defining local and regional development Factors: Economic Social Specific to communities Need for ongoing consultations Link

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

DOSSIER DE CANDIDATURE EN ECHANGE PROGRAMME GRENOBLE-BRESIL 2012-2013

DOSSIER DE CANDIDATURE EN ECHANGE PROGRAMME GRENOBLE-BRESIL 2012-2013 Réservé à L Université de Grenoble : Dossier reçu le : // Dossier n : Brésil 2012/ Photo DOSSIER DE CANDIDATURE EN ECHANGE PROGRAMME GRENOBLE-BRESIL 2012-2013 Ce formulaire vous est remis par le service

Leia mais

As Novas Formas de Financiamento da Economia

As Novas Formas de Financiamento da Economia As Novas Formas de Financiamento da Economia Francisco Fonseca Vice-Presidente ANJE 2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS - LISBOA O que são? Formas alternativas de financiamento incluem

Leia mais

CAFEZINHO BRASILEIRO A7

CAFEZINHO BRASILEIRO A7 1 VERBOS REGULARES -ER e -IR Verbes Réguliers -ER et -IR COMER ASSISTIR eu como assisto você come assiste nós comemos assistimos vocês comem assistem BEBER boire DEVER devoir VENDER vendre VIVER vivre

Leia mais

6 Não será permitido o uso de dicionário.

6 Não será permitido o uso de dicionário. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Je remercie Mme Narvaez-Goldstein et M. Fourneyron d avoir accepté de suivre ce travail. Je remercie les personnes qui m ont accordé des entretiens

Je remercie Mme Narvaez-Goldstein et M. Fourneyron d avoir accepté de suivre ce travail. Je remercie les personnes qui m ont accordé des entretiens Je remercie Mme Narvaez-Goldstein et M. Fourneyron d avoir accepté de suivre ce travail. Je remercie les personnes qui m ont accordé des entretiens et m ont fait partager leurs connaissances et leurs expériences

Leia mais

Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário

Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário IP/97/133 Bruxelas, 26 de Novembro de 1997 Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário A Comissão Europeia adoptou o seu relatório anual sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

Since its beginning, DESIGNLAB has as guidelines the quality of its products and the innovation of the solutions given to the customers.

Since its beginning, DESIGNLAB has as guidelines the quality of its products and the innovation of the solutions given to the customers. DESIGNLAB is a brand from a Portuguese company with more than 40 years of experience, dedicated to conceptualising, manufacturing and selling of kitchens, closets and bathrooms to the upper and middle

Leia mais

CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012

CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012 CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012 (CHARTER OF RECOMMENDATION AND PRINCIPLES OF FORUM EMPRESARIAL RIO+20 TO UNCSD-2012) Nós, membros participantes do FÓRUM

Leia mais

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Os principais modelos Modelo europeu tradicional: diferenciação no secundário entre vertentes acadêmicas e técnico-profissionais

Leia mais

Inglês 12 Present perfect continuous

Inglês 12 Present perfect continuous Inglês 12 Present perfect continuous Este tempo é ligeiramente diferente do Present Perfect. Nele, notamos a presença do TO BE na forma BEEN, ou seja, no particípio. Conseqüentemente, nota-se também a

Leia mais

Empreendedorismo Urbano:

Empreendedorismo Urbano: Empreendedorismo Urbano: As cidades (smart) como oportunidade Seminário PLACES Lisboa, 7 de Março de 2013 estrutura Cidades (smart): uma oportunidade Empreendedorismo urbano: soluções para cidades Caso

Leia mais

FAUUSP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo. Programme de Cooperation International

FAUUSP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo. Programme de Cooperation International FAUUSP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade de São Paulo Programme de Cooperation International Brésil Territoire 8.500.000 km² Population 170.000.000 Hab. Republique Federative Presidentialiste

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO Questão: 26 30 41 A questão 26 do código 02, que corresponde à questão 30 do código 04 e à questão 41 do código 06 Nº de Inscrição: 2033285 2041257 2030195 2033529 2032517 2080361 2120179 2120586 2037160

Leia mais

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo Questão Internet: . Acesso em: abr. 0. Considerando a figura acima apresentada, redija um texto dissertativo que atenda, necessariamente, ao que se pede a seguir. Identifique a

Leia mais

Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone +251 11 5517700 Website : www.au.int

Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone +251 11 5517700 Website : www.au.int AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone +251 11 5517700 Website : www.au.int A União Africana, estabelecida como um único órgão continental Pan-africano

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

Língua : Português e Francês Tradução simultânea. Sinopses das Intervenções :

Língua : Português e Francês Tradução simultânea. Sinopses das Intervenções : Encontro - Debate «Jóia, Espelho da Sociedade» Instituto Franco Português 25 de Fevereiro 2010 15h - 18h Parceria : IFP Ar.Co Comissariado e Moderação: Cristina Filipe Língua : Português e Francês Tradução

Leia mais

Biblioteca Hilda Hilst (na República Dominicana) Cristiane Grando *

Biblioteca Hilda Hilst (na República Dominicana) Cristiane Grando * Biblioteca Hilda Hilst (na República Dominicana) Cristiane Grando * São Domingos, março de 2012 Escrito especialmente para o blog de Sônia Mara: http://www.aventurasdasonia.blogspot.com/2012/03/brasileiro-doseculo-o-homem-livro.html

Leia mais

WELCOME Entrevista Au Pair In America

WELCOME Entrevista Au Pair In America WELCOME Entrevista Au Pair In America MÓDULO 2. ENTREVISTA ENTREVISTA FÓRMULA PARA O SUCESSO Passo 1 Vai ser uma conversa informal, então relaxe! Parte 2 Algumas perguntas vão ser as mesmas do Skype com

Leia mais

We, and. We authorize the Consulate-General of Brazil to issue a visa to the above mentioned child (children). ,, of of

We, and. We authorize the Consulate-General of Brazil to issue a visa to the above mentioned child (children). ,, of of CONSULADO-GERAL DO BRASIL FORMULÁRIO DE AUTORIZAÇÃO PARA PEDIDO DE VISTO PARA MENORES DE 18 ANOS Authorization Form for minors under 18 years-old to apply for a visa We, and are the lawful custodial parents

Leia mais

ENTRE NÓS I ENTRE NOUS De Hélène Veiga Gomes & Pauliana Valente Pimentel

ENTRE NÓS I ENTRE NOUS De Hélène Veiga Gomes & Pauliana Valente Pimentel ENTRE NÓS I ENTRE NOUS De 52', cores couleurs, 2014 Partenaires Parceiros DgArtes, Instituto Camões, LARGO Residências, Galeria das Salgadeiras ENTRE NÓS explora a vida urbana de duas ruas : a Rua do Benformoso,

Leia mais

ENSINO MÉDIO 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS

ENSINO MÉDIO 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS SÍNTESE DA AULA DE INGLÊS ENSINO MÉDIO I VOCABULÁRIO IMPORTANTE: 1. MEMBROS DA FAMÍLIA 2. ALIMENTOS 3. DIAS DA SEMANA 4. MESES 5. ESTAÇÕES DO ANO 6. NUMERAIS CARDINAIS E ORDINAIS II - PERSONAL PRONOUNS

Leia mais