Aula no SAS. Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado. Saídas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula no SAS. Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado. Saídas"

Transcrição

1 Aula no SAS Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado Saídas title "Antes da Casualização"; data plano; do parc=1 to 20;*DEVE SER MÚLTIPLO DO NÚMERO DE TRATAMENTOS; trat=int((parc-1)/5)+1;*tratamentos+1=5; output; end; proc print; run; title "Delineamento Inteiramente Casualizado"; proc plan seed=123;*aleatorizando; factors parc=20; output data=plano out=croqui; run; proc sort data=croqui; by parc; proc print noobs; run; Antes da Casualização 1 Obs parc trat

2 Delineamento Inteiramente Casualizado 2 The PLAN Procedure Factor Select Levels Order parc Random parc Delineamento Inteiramente Casualizado 3 parc trat

3 * Entrada dos dados para análise; DATA milho; INPUT trat$ prod_yij; OUTPUT; DATALINES; A 25 A 26 A 20 A 23 A 21 B 31 B 25 B 28 B 27 B 24 C 22 C 26 C 28 C 25 C 29 D 33 D 29 D 31 D 34 D 28 ; TITLE ' Análise de Variância e resíduos'; PROC GLM DATA=milho; CLASS trat; MODEL prod_yij=trat/ss3; OUTPUT OUT=residuos PREDICTED=yij_est RESIDUAL=erroij STUDENT=erroij_stud; QUIT; Análise de Variância e resíduos 4 Class Level Information Class trat Levels Values 4 A B C D Number of Observations Read 20 Number of Observations Used 20

4 Análise de Variância e resíduos 5 Dependent Variable: prod_yij Sum of Source DF Squares Mean Square F Value Pr > F Model Error Corrected Total R-Square Coeff Var Root MSE prod_yij Mean Source DF Type III SS Mean Square F Value Pr > F trat TITLE 'Resíduos'; PROC PRINT NOOBS DATA=residuos; Resíduos 6 trat prod_yij yij_est erroij erroij_ stud A A A A A B B B B B C C C C C D D D D D

5 TITLE ' Análise gráfica dos resíduos - homogeneidade'; PROC PLOT DATA=residuos; PLOT erroij_stud*yij_est="*"/vpos=12; Análise gráfica dos resíduos - homogeneidade 7 Plot of erroij_stud*yij_est. Symbol used is '*'. erroij_stud ˆ * ˆ * * * ˆ * * * ˆ * ˆ * * * * ˆ * ˆ * * * ˆ * * * ˆ * Šƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒƒƒƒƒƒƒƒƒˆƒ yij_est TITLE 'Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica'; PROC UNIVARIATE DATA=residuos PLOT NORMAL; VAR erroij_stud; Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 8 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Moments N 20 Sum Weights 20 Mean 0 Sum Observations 0 Std Deviation Variance Skewness 0 Kurtosis Uncorrected SS 20 Corrected SS 20 Coeff Variation. Std Error Mean Basic Statistical Measures Location Variability Mean 0 Std Deviation Median 0 Variance Mode 0 Range Interquartile Range

6 Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 9 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Tests for Location: Mu0=0 Test -Statistic p Value Student's t t 0 Pr > t Sign M 0 Pr >= M Signed Rank S 0 Pr >= S Tests for Normality Test --Statistic p Value Shapiro-Wilk W Pr < W Kolmogorov-Smirnov D Pr > D > Cramer-von Mises W-Sq Pr > W-Sq > Anderson-Darling A-Sq Pr > A-Sq Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 10 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Quantiles (Definition 5) Quantile Estimate 100% Max % % % % Q % Median % Q % % % % Min

7 Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 11 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Extreme Observations Lowest Highest----- Value Obs Value Obs Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 12 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Stem Leaf # Boxplot *--+--* Verificação da normalidade dos resíduos e análise gráfica 13 The UNIVARIATE Procedure Variable: erroij_stud Normal Probability Plot * *+*++* *+**++ **+***+ +*++ ++**+* *++*+* *

8 TITLE 'Teste do F máximo - Hartley'; PROC MEANS NOPRINT DATA=residuos; VAR prod_yij; BY trat; OUTPUT OUT=var_med MEAN=media VAR=varianc; PROC MEANS NOPRINT DATA=var_med; VAR varianc; OUTPUT OUT=razao MIN=varmin MAX=varmax; DATA hartley; SET razao; fmax=varmax/varmin; TITLE 'Valor do F máximo'; PROC PRINT DATA=hartley; VAR varmin varmax fmax; Valor do F máximo 14 Obs varmin varmax fmax TITLE ' Análise de Variância com testes de comparações múltiplas'; PROC GLM DATA=milho; CLASS trat; MODEL prod_yij=trat/ss3; MEANS trat / TUKEY; MEANS trat / TUKEY ALPHA=0.01; MEANS trat / DUNCAN; MEANS trat / DUNCAN ALPHA=0.01; * Teste de Tukey; * Teste de Duncan; CONTRAST 'A_B vs C_D' trat ; * Contrastes; CONTRAST 'A vs B' TRAT ; CONTRAST 'C vs D' TRAT ; QUIT; ODS RTF CLOSE; Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 15 Class Level Information Class trat Levels Values 4 A B C D Number of Observations Read 20 Number of Observations Used 20

9 Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 16 Dependent Variable: prod_yij Sum of Source DF Squares Mean Square F Value Pr > F Model Error Corrected Total R-Square Coeff Var Root MSE prod_yij Mean Source DF Type III SS Mean Square F Value Pr > F trat Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 17 Tukey's Studentized Range (HSD) Test for prod_yij NOTE: This test controls the Type I experimentwise error rate, but it generally has a higher Type II error rate than REGWQ. Alpha 0.05 Error Degrees of Freedom 16 Error Mean Square 7 Critical Value of Studentized Range Minimum Significant Difference Tukey Grouping Mean N trat A D A B A B B

10 Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 18 Tukey's Studentized Range (HSD) Test for prod_yij Tukey Grouping Mean N trat B C B B A Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 19 Tukey's Studentized Range (HSD) Test for prod_yij NOTE: This test controls the Type I experimentwise error rate, but it generally has a higher Type II error rate than REGWQ. Alpha 0.01 Error Degrees of Freedom 16 Error Mean Square 7 Critical Value of Studentized Range Minimum Significant Difference Tukey Grouping Mean N trat A D A B A B B A

11 Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 20 Tukey's Studentized Range (HSD) Test for prod_yij Tukey Grouping Mean N trat B A C B B A Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 21 Duncan's Multiple Range Test for prod_yij NOTE: This test controls the Type I comparisonwise error rate, not the experimentwise error rate. Alpha 0.05 Error Degrees of Freedom 16 Error Mean Square 7 Number of Means Critical Range Duncan Grouping Mean N trat A D Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 22 Duncan's Multiple Range Test for prod_yij Duncan Grouping Mean N trat B B B C B C C C A

12 Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 23 Duncan's Multiple Range Test for prod_yij NOTE: This test controls the Type I comparisonwise error rate, not the experimentwise error rate. Alpha 0.01 Error Degrees of Freedom 16 Error Mean Square 7 Number of Means Critical Range Duncan Grouping Mean N trat A D A Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 24 Duncan's Multiple Range Test for prod_yij Duncan Grouping Mean N trat B A B B A B A C B B A Análise de Variância com testes de comparações múltiplas 25 Dependent Variable: prod_yij Contrast DF Contrast SS Mean Square F Value Pr > F A_B vs C_D A vs B C vs D

Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO. *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL);

Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO. *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL); Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL); ods rtf; title 'Planejamento do Experimento - Quadrados Latinos';

Leia mais

Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo

Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo /* Linha de comando com configurações de página */ options ps=60 ls=80 nodate pageno=1; /* Entrando com um arquivo

Leia mais

Mario de Andrade Lira Junior - Reservados todos os direitos autorais.

Mario de Andrade Lira Junior   - Reservados todos os direitos autorais. Mario de Andrade Lira Junior www.lira.pro.br todos os direitos autorais. 27/6/2010 1 Caso especial do fatorial, com todas as características do mesmo Principal diferença é o uso de parcelas diferentes

Leia mais

SHOW. [DataSet1] C:\Documents and Settings\Tito\Ambiente de trabalho\almas\dadostodoscomresiduos.sav

SHOW. [DataSet1] C:\Documents and Settings\Tito\Ambiente de trabalho\almas\dadostodoscomresiduos.sav GET FILE=' '. DATASET NAME Set1 WINDOW=FRONT. PRESERVE. SET RNG=MT MTINDEX=2000000. SHOW RNG. SHOW Output Created 21-DEC-2013 23:23:56 Active set Set1 SHOW RNG. Processor Time 00:00:00,00 Elapsed Time

Leia mais

DELINEAMENTO EM BLOCOS CASUALIZADOS (DBC) Mario de Andrade Lira Junior

DELINEAMENTO EM BLOCOS CASUALIZADOS (DBC) Mario de Andrade Lira Junior DELINEAMENTO EM BLOOS ASUALIZADOS (DB) Mario de Andrade Lira Junior GENERALIDADES Delineamento mais comum em ciências agrárias Delineamento mais simples com controle local Só usar quando confiar que pode

Leia mais

1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way:

1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way: Gabarito aula anova e teste não-paramétrico: 1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way: One-way ANOVA: AREA versus VIRUS Analysis of Variance for AREA Source DF SS MS F P VIRUS 2 215,54 107,77

Leia mais

O Sistema SAS 1. Figura 1: Janela de abertura do SAS, versão 9.4.

O Sistema SAS 1. Figura 1: Janela de abertura do SAS, versão 9.4. O Sistema SAS 1 I - O ambiente SAS: O Sistema SAS é um sistema integrado de software que permite o desenvolvimento de entradas, recuperação e manipulação de dados, análises estatísticas e matemáticas,

Leia mais

Uma Aplicação de Modelos Lineares Mistos

Uma Aplicação de Modelos Lineares Mistos UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA Uma Aplicação de Modelos Lineares Mistos Professor Jomar Antonio Camarinha Filho CURITIBA - PARANÁ SETEMBRO/2003ÍNDICE Modelos Mistos Prof. Jomar

Leia mais

Análise de Variância simples (One way ANOVA)

Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de experiências com vários grupos de observações classificados através de um só factor (por exemplo grupos de indivíduos sujeitos a diferentes tratamentos

Leia mais

Proc Univariate:Testando a normalidade

Proc Univariate:Testando a normalidade Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Seção Técnica de Informática Proc Univariate:Testando a normalidade Proc Step Piracicaba / 2016 2 Proc Univariate: Testando a normalidade

Leia mais

Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados.

Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados. TESTES NÃO PARAMÉTRICOS Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados. Bioestatística, 2007 15 Vantagens dos testes não

Leia mais

INTRODUÇÃO A MODELOS MISTOS

INTRODUÇÃO A MODELOS MISTOS INTRODUÇÃO A MODELOS MISTOS Delineamento experimental ou desenho experimental, de uma forma bastante simples, é a forma em que os tratamentos (níveis de um fator ou combinações de níveis de fatores) são

Leia mais

Group Statistics. residência N Mean Std. Deviation Std. Error Mean. Avaliação Breve do Estado Mental. meio rural 11 27,73 1,849,557

Group Statistics. residência N Mean Std. Deviation Std. Error Mean. Avaliação Breve do Estado Mental. meio rural 11 27,73 1,849,557 ANEXO M: Output 1 Teste t de Student para amostras independentes, para comparação entre médias obtidas nos quatro instrumentos de avaliação pelas duas amostras: meio rural e meio urbano. Group Statistics

Leia mais

Arranjo fatorial de tratamentos

Arranjo fatorial de tratamentos Matéria Seca de Nódulos (mg/planta) Mario Andrade Lira Junior Estatística Aplicada à Agricultura 01- Exemplo gráfico com fator quantitativo Arranjo fatorial de tratamentos Características básicas Utilizável

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Centro de Métodos Quantitativos Programa de Curso e de Algumas Noções s da Disciplina LCF-5759 Bioestatística Prof. Dr. Hilton Thadeu

Leia mais

Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade

Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade Dean Leverett Senior Scientist UK Environment Agency Science Biological Effects Measures Plano Resultados dos testes de toxicidade

Leia mais

Regressão Linear em SPSS

Regressão Linear em SPSS Regressão Linear em SPSS 1. No ficheiro Calor.sav encontram-se os valores do consumo mensal de energia, medido em milhões de unidades termais britânicas, acompanhados de valores de output, em milhões de

Leia mais

ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Instituições do Ensino Superior do Município de São Paulo

ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Instituições do Ensino Superior do Município de São Paulo PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP MÉTODOS QUANTITATIVOS DE PESQUISA EMPÍRICA Prof. Dr. ARNOLDO HOYOS ENADE 9 Exame Nacional de Desempenho de Estudantes Instituições do Ensino Superior

Leia mais

Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Mestrado em Recreação e Lazer

Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Análise de Variância. Mestrado em Recreação e Lazer Mestrado em Recreação e Lazer Estudos Práticos ANalysis Of VAriance O que é? Permite verificar qual o EFEITO de uma variável independente, de natureza qualitativa (factor), numa variável dependente ou

Leia mais

VALIDAÇÃO DE MODELOS DE REGRESSÃO POR BOOTSTRAP. João Riboldi 1

VALIDAÇÃO DE MODELOS DE REGRESSÃO POR BOOTSTRAP. João Riboldi 1 VALIDAÇÃO DE MODELOS DE REGRESSÃO POR BOOTSTRAP João Riboldi 1 1. Introdução Na construção de um modelo de regressão, de uma maneira geral segue-se três etapas: executa-se o ajuste do modelo, obtendo-se

Leia mais

ANÁLISE DE DADOS. Nome:

ANÁLISE DE DADOS. Nome: UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULADADE DE AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL Departamento de Economia Agrária e Desenvolvimento Rural Secção de Economia Agrária ANÁLISE DE DADOS 31.05.2012 Nome: 1. Das

Leia mais

Resultados dos testes estatísticos

Resultados dos testes estatísticos Resultados dos testes estatísticos Estudo da fiabilidade do instrumento para avaliação dos comportamentos e atitudes Factor Analysis Communalities Initial Extraction Item47 1,000,759 Item48 1,000,801 Item49

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO

RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO Aluno : Alexandro Vieira Lopes Professora : Profª Miriam Silvestre Presidente Prudente 2007 1 Alexandro Vieira Lopes Relatório da Disciplina Pesquisa de Mercado Estudo do

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 EXAME: DATA 24 / 02 / NOME DO ALUNO:

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 EXAME: DATA 24 / 02 / NOME DO ALUNO: INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 Estudos de Mercado EXAME: DATA 24 / 02 / 20010 NOME DO ALUNO: Nº INFORMÁTICO: TURMA: PÁG. 1_ PROFESSOR: ÉPOCA: Grupo I (10

Leia mais

Introdução ao R. Anderson Castro Soares de Oliveira

Introdução ao R. Anderson Castro Soares de Oliveira Castro Soares de Oliveira Distribuição Normal Distribuição Normal dnorm(x,mean,sd) - calcula a densidade de probabilidade no ponto x; Distribuição Normal dnorm(x,mean,sd) - calcula a densidade de probabilidade

Leia mais

Analise discriminante rácios Económico - Financeiros - VI Page 1

Analise discriminante rácios Económico - Financeiros - VI Page 1 Frequencies ANALISE DOS RÁCIOS Notes Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used Userdefined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data.

Leia mais

Análise de Variância a um factor

Análise de Variância a um factor 1 Análise de Variância a um factor Análise de experiências com vários grupos de observações classificados através de um só factor (por exemplo grupos de indivíduos sujeitos a diferentes tratamentos para

Leia mais

TESTES DE NORMALIDADE E SIGNIFICÂNCIA. Profª. Sheila Regina Oro

TESTES DE NORMALIDADE E SIGNIFICÂNCIA. Profª. Sheila Regina Oro TESTES DE NORMALIDADE E SIGNIFICÂNCIA Profª. Sheila Regina Oro A suposição de normalidade dos dados amostrais ou experimentais é uma condição exigida para a realização de muitas inferências válidas a respeito

Leia mais

ANÁLISE DE MEDIDAS REPETIDAS NO TEMPO USANDO O SAS

ANÁLISE DE MEDIDAS REPETIDAS NO TEMPO USANDO O SAS ANÁLISE DE MEDIDAS REPETIDAS NO TEMPO USANDO O SAS Euclides Braga MALHEIROS * Medidas repetidas no tempo: medidas tomadas em uma seqüência de tempos, em uma mesma unidade experimental. Os experimentos

Leia mais

Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I. Aula I

Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I. Aula I Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I Aula I Chang Chiann MAE 5704- IME/USP 1º Sem/2008 1 Análise de Um conjunto de dados objetivo: tratamento de um conjunto de dados. uma amostra de

Leia mais

([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV

([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV Data: 09/07/2003 ([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV Duração: 2 horas Nome: N.º: Curso: Regime: Número de folhas suplementares entregues pelo aluno: Declaro que desisto (VWDSURYDFRQVLVWHHPTXHVW}HVGHUHVSRVWDDEHUWDHDVUHVSHFWLYDVFRWDo}HVHQFRQWUDPVHQDWDEHODTXHVHVHJXH

Leia mais

ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais

ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais Totalmente em desacordo Em desacordo Indeciso De acordo Totalmente de acordo Não me afecta Afecta-me um pouco Afecta-me moderada/ Afecta-me

Leia mais

Teste de hipóteses. Testes de Hipóteses. Valor de p ou P-valor. Lógica dos testes de hipótese. Valor de p 31/08/2016 VPS126

Teste de hipóteses. Testes de Hipóteses. Valor de p ou P-valor. Lógica dos testes de hipótese. Valor de p 31/08/2016 VPS126 3/8/26 Teste de hipóteses Testes de Hipóteses VPS26 Ferramenta estatística para auxiliar no acúmulo de evidências sobre uma questão Média de glicemia de um grupo de animais é diferente do esperado? Qual

Leia mais

Curso de MINITAB Universidade Federal de Ouro Preto. Planejamento de Experimentos (DOE)

Curso de MINITAB Universidade Federal de Ouro Preto. Planejamento de Experimentos (DOE) Planejamento de Experimentos (DOE) - Introdução Um experimento é um procedimento no qual as alterações propositais são feitas nas variáveis de entrada de um processo ou sistema, de modo que se possa avaliar

Leia mais

Teste F-parcial 1 / 16

Teste F-parcial 1 / 16 Teste F-parcial Ingredientes A hipótese nula, H 0, define o modelo restrito. A hipótese alternativa, H a : H 0 é falsa, define o modelo irrestrito. SQR r : soma de quadrado dos resíduos associada à estimação

Leia mais

Teste F-parcial 1 / 16

Teste F-parcial 1 / 16 Teste F-parcial A hipótese nula, H 0, define o modelo restrito. Ingredientes SQR r : soma de quadrado dos resíduos sob H 0. R 2 r: coeficiente de determinação sob H 0. g: número de restrições a serem testadas

Leia mais

Capítulo 6. Experimentos com um Fator de Interesse. Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior

Capítulo 6. Experimentos com um Fator de Interesse. Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior Capítulo 6 Experimentos com um Fator de Interesse Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Setor de Estatística Viçosa 2007 Capítulo 6 Experimentos

Leia mais

Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues. Departamento de Cirurgia e Anatomia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo

Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues. Departamento de Cirurgia e Anatomia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Bioestatística Básica RCA 5804 1. Experimentos no qual o sujeito recebe + de 1 tratamento 2. Alternativas para teste T e Análise de Variância 3. Correlação Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues Departamento de

Leia mais

Diagnóstico do Modelo e Tratamento. Frases. Roteiro

Diagnóstico do Modelo e Tratamento. Frases. Roteiro Diagnóstico do Modelo e Tratamento Frases Por serem mais precisos que as palavras, os números são particularmente adequados para transmitir conclusões científicas Pagano e Gauvre, 4 Roteiro. Suposições

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia. Análise de Dados

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia. Análise de Dados UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia Análise de Dados Exame Data: 200 06 07 Duração: 2 horas Nota: Justifique todas as suas afirmações. Um investigador pretende saber se existem ou não diferenças

Leia mais

A densidade de CoRoT-Exo-3b

A densidade de CoRoT-Exo-3b A densidade de CoRoT-Exo-3b Por Hindemburg Melão Jr. http://www.sigmasociety.com Em 6 de outubro foi anunciada a descoberta de um objeto com algumas características planetárias e outras estelares, situado

Leia mais

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Análise de Variância Objectivo: comparar medidas de localização para mais do que

Leia mais

Curso de Estatística Descritiva e Inferencial (Planejamento Experimental) Prof. Dr. Jomar Camarinha

Curso de Estatística Descritiva e Inferencial (Planejamento Experimental) Prof. Dr. Jomar Camarinha Curso de Estatística Descritiva e Inferencial (Planejamento Experimental) Prof. Dr. Jomar Camarinha CONTEÚDO Estatística Descritiva e Exploratória Noções de Estimação de Parâmetros Intervalos de Confiança

Leia mais

O Sistema SAS 1. I - O ambiente SAS:

O Sistema SAS 1. I - O ambiente SAS: O Sistema SAS 1 I - O ambiente SAS: O Sistema SAS é um sistema integrado de software que permite o desenvolvimento de entradas, recuperação e manipulação de dados, análises estatísticas e matemáticas,

Leia mais

INTERAÇÕES DE EXPERIMENTOS FATORIAIS

INTERAÇÕES DE EXPERIMENTOS FATORIAIS 68 EFEITOS POR COMPARAÇÕES PERECIN, D. & CARGNELUTTI E POR FILHO, EXPERIMENTO A. EM INTERAÇÕES DE EXPERIMENTOS FATORIAIS Comparisonwise and experimentwise effects in fatorial experiments interactions Dilermando

Leia mais

Capacitação em R e RStudio PROJETO DE EXTENSÃO. Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre.

Capacitação em R e RStudio PROJETO DE EXTENSÃO. Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre. UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Cerro Largo PROJETO DE EXTENSÃO Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre Fonte: https://www.r-project.org/

Leia mais

file://c:\documents and Settings\porlum\Local Settings\Temp\ca0d8908-118f-4768-a...

file://c:\documents and Settings\porlum\Local Settings\Temp\ca0d8908-118f-4768-a... Page 1 of 17 The MEANS Procedure Variable Label Mean Std Dev Minimum Maximum Range N Satisfação Global Satisfação Global 6.4000000 0.5163978 6.0000000 1.0000000 Expectativas cumpridas Expectativas cumpridas

Leia mais

Função R para analisar experimentos em DBC com Fatorial Duplo e um Tratamento Adicional, em uma só Rodada

Função R para analisar experimentos em DBC com Fatorial Duplo e um Tratamento Adicional, em uma só Rodada Função R para analisar experimentos em DBC com Fatorial Duplo e um Tratamento Adicional, em uma só Rodada Pórtya Piscitelli Cavalcanti 1 2 Eric Batista Ferreira 1 Denismar Alves Nogueira 1 1 Introdução

Leia mais

Harvest Year Municipality-State Cultivar Region Elevation. SCLmax (g ha -1 ) Montividiu-GO

Harvest Year Municipality-State Cultivar Region Elevation. SCLmax (g ha -1 ) Montividiu-GO Table 1S Field-specific information for 35 uniform fungicide trials conducted in Brazil during four seasons (2009 to 2012 harvest years) and summaries of the mean white mold incidence (INCchk) in non-treated

Leia mais

Modelos ARCH e GARCH Aula 8. Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8

Modelos ARCH e GARCH Aula 8. Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8 Modelos ARCH e GARCH Aula 8 Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8 Motivação Pesquisadores que se dedicam a prever séries temporais, tais como preços

Leia mais

População e Amostra. Amostra é uma parte da população, denotada por n. Ex.: todos processos executados pela máquina em 18/03/2005

População e Amostra. Amostra é uma parte da população, denotada por n. Ex.: todos processos executados pela máquina em 18/03/2005 População e Amostra População (ou universo): todos os N membros de uma classe ou grupo. Ex.: todos os processos executados numa máquina durante o período que esteve ativa. Amostra é uma parte da população,

Leia mais

Curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica / 2010 NOÇÕES DE STICA

Curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica / 2010 NOÇÕES DE STICA Curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica / 2010 NOÇÕES DE BIOSTATÍSTICA STICA Prof a. Lilian Pinto da Silva Faculdade de Fisioterapia Universidade Federal de Juiz de Fora lilian.pinto@ufjf.edu.br

Leia mais

Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época

Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época Duração: 2h +30m Nota: Não são prestados esclarecimentos durante a prova!

Leia mais

Tabela 1 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço futuro. Teste ADF 0, ,61% Tabela 2 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço à vista

Tabela 1 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço futuro. Teste ADF 0, ,61% Tabela 2 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço à vista 32 5. Resultados 5.1. Séries Log-preço Para verificar se as séries logaritmo neperiano dos preços (log-preço) à vista e futuro e as séries logaritmo neperiano dos retornos (log-retorno) à vista e futuro

Leia mais

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuariais. ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS Disciplina: Métodos Quantitativos

Leia mais

Exemplo 1. a)faça a análise exploratória dos dados e verifique que a amostra é muito enviezada e não normal.

Exemplo 1. a)faça a análise exploratória dos dados e verifique que a amostra é muito enviezada e não normal. Exemplo 1 O tempo médio de de recuperação da daanestisia usada numa determinada cirurgia é de de 7 horas. Um novo agente anestésico está a ser proposto, com a vantagem de de ter um tempo de de recuperação

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade José Pedro Fragoso de Almeida Luís Figueira Carlos Sousa

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo

UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo APLICAÇÕES NO SPSS Disciplina de Estatística Gestão Disciplina de Estatística Gestão Hoteleira Disciplina de Estatística Descritiva

Leia mais

CAPÍTULO II. Descrevendo Dados: análise inicial dos dados

CAPÍTULO II. Descrevendo Dados: análise inicial dos dados CAPÍTULO II Descrevendo Dados: análise inicial dos dados Objetivo: O objetivo do presente trabalho é descrever a rotina básica de comandos para realização de uma inspeção inicial dos dados utilizando o

Leia mais

TUTORIAL SOBRE ANÁLISE DE REGRESSÃO

TUTORIAL SOBRE ANÁLISE DE REGRESSÃO TUTORIAL SOBRE ANÁLISE DE REGRESSÃO I. No R: ### Exemplo dados dos alunos: altura x peso ### x = altura e y = peso ############################################ # Entrada de Dados x

Leia mais

Pesquisa Quantitativa. Comparações de Médias. Pesquisa Quantitativa Roteiro Geral. Roteiro do Módulo. Prof. Lupércio França Bessegato - UFJF 1

Pesquisa Quantitativa. Comparações de Médias. Pesquisa Quantitativa Roteiro Geral. Roteiro do Módulo. Prof. Lupércio França Bessegato - UFJF 1 Pesquisa Quantitativa Comparações de Médias Lupércio França Bessegato Mestrado em Administração/UFJF 1. Introdução 2. Coleta de dados Roteiro Geral 3. Modelos probabilísticos 4. Distribuições amostrais

Leia mais

IMC para adolescentes:

IMC para adolescentes: ANEXO 1 Anexo 1 IMC para adolescentes: Idade Sexo Baixo Peso Peso Normal 6 anos 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos 13 anos 14 anos 15 anos 16 anos 17 anos Masculino Feminino Masculino Feminino

Leia mais

Planejamento e Pesquisa 1. Dois Grupos

Planejamento e Pesquisa 1. Dois Grupos Planejamento e Pesquisa 1 Dois Grupos Conceitos básicos Comparando dois grupos Testes t para duas amostras independentes Testes t para amostras pareadas Suposições e Diagnóstico Comparação de mais que

Leia mais

Estatística Aplicada à Administração II

Estatística Aplicada à Administração II Estatística Aplicada à Administração II Tópico: Análise Discriminante (No SPSS e no Minitab) Bibliografia: R.A. Johnson, Applied Multivariate Statistical Analysis, Prentice Hall, 1992 L.J. Corrar; E. Paulo;

Leia mais

Métodos Experimentais em Ciências Mecânicas

Métodos Experimentais em Ciências Mecânicas Métodos Experimentais em Ciências Mecânicas Professor Jorge Luiz A. Ferreira Pertencem ao grupo de ferramentas estatísticas que permitem caracterizar um conjunto de dados sob ponto de vista da tendência

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO. Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706)

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO. Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706) FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706) Exame Final 10 de Janeiro de 2005 NOTAS PRÉVIAS: 1. A prova tem três horas de duração. 2. Apenas é permitida a

Leia mais

Análise de Regressão Linear no Pacote R

Análise de Regressão Linear no Pacote R Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Estatística Análise de Regressão Linear no Pacote R Gabriela Domingues do Amaral Vanessa Loureiro Silva Edna Afonso Reis

Leia mais

PODER E TAXAS DE ERRO TIPO I DOS TESTES SCOTT-KNOTT, TUKEY E STUDENT-NEWMAN- KEULS SOB DISTRIBUIÇÕES NORMAL E NÃO NORMAIS DOS RESÍDUOS

PODER E TAXAS DE ERRO TIPO I DOS TESTES SCOTT-KNOTT, TUKEY E STUDENT-NEWMAN- KEULS SOB DISTRIBUIÇÕES NORMAL E NÃO NORMAIS DOS RESÍDUOS PODER E TAAS DE ERRO TIPO I DOS TESTES SCOTT-KNOTT, TUKEY E STUDENT-NEWMAN- KEULS SOB DISTRIBUIÇÕES NORMAL E NÃO NORMAIS DOS RESÍDUOS Lívia Costa BORGES 1 Daniel Furtado FERREIRA 1 RESUMO: O objetivo deste

Leia mais

Bioestatística Básica

Bioestatística Básica Bioestatística Básica Curso de Pós-Graduação RCA 5804 PROF. DR. ALFREDO J RODRIGUES DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ANATOMIA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO alfredo@fmrp.usp.br

Leia mais

AULA 19 Análise de Variância

AULA 19 Análise de Variância 1 AULA 19 Análise de Variância Ernesto F. L. Amaral 18 de outubro de 2012 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro: LTC. Capítulo

Leia mais

APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY

APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY Álvaro José Lelé (Centro Universitário de Lavras, Laboratório de Avaliação das Diferenças Individuais-UFMG), Marilourdes do Amaral Barbosa (Universidade da

Leia mais

Precificação de apartamentos para o bairro Água Verde em Curitiba

Precificação de apartamentos para o bairro Água Verde em Curitiba Precificação de apartamentos para o bairro Água Verde em Curitiba Chuck Norris Arnold Schwarzenegger 18 de julho de 2013 O preço de imóveis depende principalmente do seu tamanho e localização. A infraestrutura

Leia mais

TEAZ Técnicas Experimentais Aplicadas à Zootecnia PLANO DE ENSINO

TEAZ Técnicas Experimentais Aplicadas à Zootecnia PLANO DE ENSINO TEAZ Técnicas Experimentais Aplicadas à Zootecnia PLANO DE ENSINO II EMENTA Principais delineamentos experimentais usados em pesquisas zootécnicas. Condução de pesquisas e análises estatísticas mais utilizadas.

Leia mais

Experimentos Fatoriais 2 k em Blocos

Experimentos Fatoriais 2 k em Blocos Experimentos Fatoriais 2 k em Blocos Prof. Dr. Silvio Sandoval Zocchi 15 de Setembro de 2016 Prof. Dr. Silvio Sandoval Zocchi Experimentos Fatoriais 2 k em Blocos 15 de Setembro de 2016 1 / 32 1. Introdução

Leia mais

ÍNDICE DE COMPETITIVIDADE URBANA 2008 (ICUR): ESTUDO DAS MELHORES CIDADES PARA SE FAZER NEGÓCIOS NA AMÉRICA LATINA

ÍNDICE DE COMPETITIVIDADE URBANA 2008 (ICUR): ESTUDO DAS MELHORES CIDADES PARA SE FAZER NEGÓCIOS NA AMÉRICA LATINA ÍNDICE DE COMPETITIVIDADE URBANA 28 (ICUR): ESTUDO DAS MELHORES CIDADES PARA SE FAZER NEGÓCIOS NA AMÉRICA LATINA FABRICIO CÉSAR BASTOS e PAULA FERNANDA PRADO PEREIRA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DETF DEPTº ENG. TECNOLOGIA FLORESTAL LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DA MADEIRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DETF DEPTº ENG. TECNOLOGIA FLORESTAL LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DA MADEIRA DETERMINATION OF SOME PHYSICAL AND MECHANICAL PROPERTIES OF EUCALYPTUS GLUED LAMINATED TIMBER (Scantling Eucalipto) Requester : ScanCom do Brasil Ltda CURITIBA August 2014 Version 1 80210-170 Rua Lothário

Leia mais

II Análise de variância... 17

II Análise de variância... 17 Índice Página I Introdução... 1 1 População e amostra... Intervalo de confiança da média da população... 4 3 Comparação das médias de duas amostras Teste t... 6 4 Testes à normalidade da distribuição e

Leia mais

Teste modificado de Tukey: avaliação do poder e eficiência

Teste modificado de Tukey: avaliação do poder e eficiência Teste modificado de Tukey: avaliação do poder e eficiência Paulo César de Resende Andrade 1 Alailson França Antunis 1 Douglas Mendes Cruz 1 Jéssica Rodrigues Andrade 1 Valdeane Figueiredo Martins 1 1 Introdução

Leia mais

TREINAMENTO SISTEMA - S.A.S.

TREINAMENTO SISTEMA - S.A.S. MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E DESPORTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E EXATAS DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA LABORATÓRIO - S.A.S. TREINAMENTO SISTEMA - S.A.S. Prof. Dr. Luis

Leia mais

ANÁLISE MULTIVARIADA APLICADA AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS ANÁLISE DISCRIMINANTE

ANÁLISE MULTIVARIADA APLICADA AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS ANÁLISE DISCRIMINANTE ANÁLISE MULTIVARIADA APLICADA AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA CIÊNCIA DO SOLO: CPGA-CS ANÁLISE DISCRIMINANTE Carlos Alberto Alves Varella ÍNDICE ANÁLISE MULTIVARIADA APLICADA AS CIÊNCIAS

Leia mais

Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling

Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used User-defined missing values are treated as missing in the analysis phase. In the analysis

Leia mais

MAE0325 - Séries Temporais

MAE0325 - Séries Temporais MAE0325 - Séries Temporais Fernando Henrique Ferraz Pereira da Rosa Vagner Aparecido Pedro Junior 26 de setembro de 2004 E7p80. Considere a série A (M-ICV): Lista 1 1 (a) teste a existência de tendência,

Leia mais

A DETERMINAÇÃO DE EQUAÇÕES VOLUMÉTRICAS NA ENGENHARIA FLORESTAL

A DETERMINAÇÃO DE EQUAÇÕES VOLUMÉTRICAS NA ENGENHARIA FLORESTAL IPEF Série Técnica, Piracicaba, 9(6): -36, mar.993 ISSN 00-837 A DETERMINAÇÃO DE EQUAÇÕES VOLUMÉTRICAS NA ENGENHARIA FLORESTAL Frederico Pimentel Gomes Carlos Henrique Garcia INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS

Leia mais

ERRO TIPO I E PODER DE CINCO TESTES DE COMPARAÇÃO MÚLTIPLA DE MÉDIAS

ERRO TIPO I E PODER DE CINCO TESTES DE COMPARAÇÃO MÚLTIPLA DE MÉDIAS ERRO TIPO I E PODER DE CINCO TESTES DE COMPARAÇÃO MÚLTIPLA DE MÉDIAS Luís Henrique GIRARDI 1 Alberto CARGNELUTTI FILHO 2 Lindolfo STORCK 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho foi avaliar os testes t, Tukey,

Leia mais

Case Processing Summary

Case Processing Summary 17. O ficheiro Banco.sav encerra informação relativa a 474 empregados contratados por um banco, entre 1969 e 1971. Este banco esteve envolvido num processo judicial no âmbito da Igualdade de Oportunidade

Leia mais

Modificação do teste de Tukey para uso sob heterocedasticidade e desbalanceamento

Modificação do teste de Tukey para uso sob heterocedasticidade e desbalanceamento Modificação do teste de Tukey para uso sob heterocedasticidade e desbalanceamento Paulo César de Resende Andrade 1 Lucas Luciano Barbosa 1 Regiane Teixeira Farias 1 Ana Luisa de Castro Pereira Martins

Leia mais

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS.

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS. Frequencies Notes Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. FREQUENCIES VARIABLES=Ano

Leia mais

Teste de Wilcoxon-Mann-Whitney

Teste de Wilcoxon-Mann-Whitney ## Distribuição exata de U m

Leia mais

MOQ-14 Projeto e Análise de Experimentos

MOQ-14 Projeto e Análise de Experimentos Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Mecânica-Aeronáutica MOQ-14 Projeto e Análise de Experimentos Profa. Denise Beatriz Ferrari www.mec.ita.br/ denise denise@ita.br Regressão Linear

Leia mais

CAPÍTULO IV Análise de variância

CAPÍTULO IV Análise de variância CAPÍTULO IV Análise de variância O objectivo principal da análise de variância (analysis of variance - ANOVA) é a comparação de mais do que dois grupos no que diz respeito à localização. Para exemplificar,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE BOTUCATU PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE BOTUCATU PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA PLANO DE ENSINO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: ANÁLISE DE EXPERIMENTOS EM FITOTECNIA ÁREA: DOMÍNIO ESPECÍFICO ( ) NÍVEL: MESTRADO ( X ) DOMÍNIO CONEXO (X ) DOUTORADO

Leia mais

LCE 602 - Estatística Experimental (aulas práticas)

LCE 602 - Estatística Experimental (aulas práticas) LCE 602 - Estatística Experimental (aulas práticas) Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciências Exatas - ESALQ/USP Março de 2002 (versão 3,14159265) Antonio Augusto Franco Garcia

Leia mais

Capítulo 7. Experimentos com dois ou três Fatores de Interesse. Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior

Capítulo 7. Experimentos com dois ou três Fatores de Interesse. Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior Capítulo 7 Experimentos com dois ou três Fatores de Interesse Gustavo Mello Reis José Ivo Ribeiro Júnior Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Setor de Estatística Viçosa 2007 Capítulo

Leia mais

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME:

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME: DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME: Observação: A resolução completa das perguntas inclui a justificação

Leia mais

Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística. Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas

Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística. Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas Pesquisa em laboratórios na Embrapa Anos 70 Anos 80 Anos 90 Século 21 Precisão em Laboratórios:

Leia mais

Estimação de Parcelas Perdidas em Experimentos Agrícolas Utilizando-se...

Estimação de Parcelas Perdidas em Experimentos Agrícolas Utilizando-se... 1 2 Estimação de Parcelas Perdidas em Experimentos Agrícolas Utilizando-se... 3 ISSN 0103-0205 Agosto, 2000 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Documentos

Leia mais

USO DE MACROS NO SAS

USO DE MACROS NO SAS USO DE MACROS NO SAS Euclides Braga MALHEIROS * O uso de Macros no SAS permite que uma variável ou uma seqüência de comandos SAS seja chamada tantas vezes quanto necessária. É o mesmo princípio de subrotinas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Programa de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Produção. Disciplina: Estatística Multivariada

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Programa de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Produção. Disciplina: Estatística Multivariada UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Programa de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Produção Disciplina: Estatística Multivariada Aula: Introdução a MVDA e Revisão Estatística Professor: Valdecy Pereira,

Leia mais

Anexo H Estudo Longitudinal Outputs

Anexo H Estudo Longitudinal Outputs Anexo H Estudo Longitudinal Outputs SATISFAÇÃO 0 Satisfação_D ed Samples Statistics 4,88,384,62 5,25,245,46 ed Samples Correlations Satisfação_D &,50,000 ed Samples Test ed Differences Satisfação_D - Std.

Leia mais