Pedro F. Carvalho Analista de Sistemas As cláusulas ROLLUP, CUBE e GROUPING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pedro F. Carvalho Analista de Sistemas contato@pedrofcarvalho.com.br www.pedrofcarvlho.com.br. As cláusulas ROLLUP, CUBE e GROUPING"

Transcrição

1 As cláusulas ROLLUP, CUBE e GROUPING A conjugação das funções de grupo com a cláusula GROUP BY permite obter contagens, somas ou médias sobre os valores dos elementos de um grupo. As cláusulas ROLLUP e CUBE permitem agregar esses resultados, produzindo contagens sobre as contagens, somas das somas ou médias das médias: ROLLUP A cláusula ROLLUP é usada juntamente com GROUP BY e permite agregações sobre grupos de linhas. Vamos analisar a sua utilidade seguindo uma sequência de exemplos. Usando funções de grupo conseguimos determinar a soma de salários por função (JOB) mas, usando um único query, não conseguimos determinar também a soma total. Adicionando a cláusula ROLLUP ao GROUP BY conseguimos obter essa soma, como mostra o primeiro exemplo: select job, sum(sal) group by rollup(job) order by job; JOB SUM(SAL) ANALYST 6 CLERK 45 MANAGER 8275 PRESIDENT 5 SALESMAN rows selected A cláusula ROLLUP(JOB) permite obter a soma agregada de todos os salários; O uso da cláusula GROUP BY não garante que o resultado vai aparecer ordenado, pelo que forçamos a ordenação com ORDER BY; O exemplo abaixo determina a soma de salários por departamento e usa a cláusula ROLLUP para a soma total:

2 select deptno, sum(sal) group by rollup(deptno) order by deptno; DEPTNO SUM(SAL) rows selected A cláusula ROLLUP(DEPTNO) permite obter a soma agregada de todos os salários; Vamos complicar o problema inicial; agora pretendemos a soma de salários por função (JOB) e por departamento (DEPTNO) e vamos utilizar GROUP BY ROLLUP: select job, deptno, sum(sal) group by rollup(job,deptno) JOB DEPTNO SUM(SAL) ANALYST 2 6 ANALYST 6 CLERK 3 CLERK 2 9 CLERK 3 95 CLERK 45 MANAGER 245 MANAGER MANAGER MANAGER 8275 PRESIDENT 5 PRESIDENT 5 SALESMAN 3 56 SALESMAN rows selected

3 A cláusula ROLLUP(JOB,DEPTNO) permitiu obter agregações por (JOB,DEPTNO) assim como as agregações totais por JOB e a soma total; No quarto exemplo invertemos a ordem de GROUP BY para fazer um ROLLUP(DEPTNO,JOB): select deptno, job, sum(sal) group by rollup(deptno, job) order by deptno, job; DEPTNO JOB SUM(SAL) CLERK 3 MANAGER 245 PRESIDENT ANALYST 6 2 CLERK 9 2 MANAGER CLERK 95 3 MANAGER SALESMAN rows selected A cláusula ROLLUP(DEPTNO,JOB) permitiu obter agregações por (DEPTNO,JOB) assim como as agregações totais por DEPTNO e a soma total;

4 No quinto exemplo adicionamos o cálculo da média de salários e a contagem do número de empregados. Vamos fazer um GROUP BY ROLLUP(JOB, DEPTNO): select job, deptno, sum(sal), round(avg(sal)), count(*) group by rollup(job, deptno) JOB DEPTNO SUM(SAL) ROUND(AVG(SAL)) COUNT(*) ANALYST ANALYST CLERK 3 3 CLERK CLERK CLERK MANAGER MANAGER MANAGER MANAGER PRESIDENT 5 5 PRESIDENT 5 5 SALESMAN SALESMAN rows selected A cláusula ROLLUP permitiu as agregações por (JOB, DEPTNO) assim como as agregações totais por JOB e as somas totais; Repare que a coluna que calcula a média faz arredondamento às unidades. Nesta coluna a cláusula ROLLUP obtem uma média, enquanto que nas outras agregações obtem somas;

5 O sexto exemplo faz as mesmas selecções que o quinto, mas alteramos a cláusula GROUP BY ROLLUP de (JOB, DEPTNO) para (DEPTNO, JOB): select deptno, job, sum(sal), round(avg(sal)), count(*) group by rollup(deptno, job) order by deptno, job; DEPTNO JOB SUM(SAL) ROUND(AVG(SAL)) COUNT(*) CLERK 3 3 MANAGER PRESIDENT ANALYST CLERK MANAGER CLERK MANAGER SALESMAN rows selected A cláusula ROLLUP permitiu as agregações por (DEPTNO, JOB) assim como as agregações totais por DEPTNO e as somas totais; Repare que a coluna que calcula a média faz arredondamento às unidades. Nesta coluna a clausula ROLLUP obtem uma média, enquanto que nas outras agregações obtem somas; A cláusula ROLLUP(coluna, coluna2) permite fazer agregações parciais pelo par (coluna, coluna2), agregações totais por coluna e as somas totais.

6 CUBE A clausula CUBE é uma extensão de ROLLUP que permite as agregações totais por todas as colunas envolvidas. Na prática cria um cubo. O exemplo abaixo determina a soma de salários usando GROUP BY CUBE(JOB, DEPTNO): select job, deptno, sum(sal) group by cube(job, deptno) JOB DEPTNO SUM(SAL) ANALYST 2 6 ANALYST 6 CLERK 3 CLERK 2 9 CLERK 3 95 CLERK 45 MANAGER 245 MANAGER MANAGER MANAGER 8275 PRESIDENT 5 PRESIDENT 5 SALESMAN 3 56 SALESMAN rows selected A cláusula CUBE permitiu todas as agregações por (JOB, DEPTNO); O próximo exemplo adiciona à soma de salários a média de salários e a contagem do número de empregados. Usamos GROUP BY CUBE(JOB, DEPTNO) para obter todas as agregações possíveis: select job, deptno, sum(sal), round(avg(sal)), count(*)

7 group by cube(job, deptno) JOB DEPTNO SUM(SAL) ROUND(AVG(SAL)) COUNT(*) ANALYST ANALYST CLERK 3 3 CLERK CLERK CLERK MANAGER MANAGER MANAGER MANAGER PRESIDENT 5 5 PRESIDENT 5 5 SALESMAN SALESMAN rows selected A cláusula CUBE permitiu todas as agregações por (JOB, DEPTNO) e as somas totais; Repare que a coluna que calcula a média faz arredondamento às unidades. Nesta coluna a clausula CUBE obtem uma média, enquanto que nas outras agregações obtem somas;

8 GROUPING A função GROUPING pode ser usada com ROLLUP ou CUBE e serve para determinar se a linha devolvida pelo query resulta de uma agregação: select job, deptno, sum(sal), round(avg(sal)), count(*), grouping(job), grouping(deptno) group by cube(job, deptno) JOB DEPTNO SUM(SAL) ROUND(AVG(SAL)) COUNT(*) GROUPING(JOB) GROUPING(DEPTNO) ANALYST ANALYST CLERK 3 3 CLERK CLERK CLERK MANAGER MANAGER MANAGER MANAGER PRESIDENT 5 5 PRESIDENT 5 5 SALESMAN SALESMAN rows selected

9 A coluna GROUPING(JOB) devolve quando essa linha contem uma agregação por JOB e nos restantes casos; A coluna GROUPING(DEPTNO) devolve quando essa linha contem uma agregação por DEPTNO e nos restantes casos; Este comando pode ser muito útil quando estamos a analisar o resultado do query num programa, já que ao percorrer as linhas do cursor conseguimos determinar as que resultam de uma agregação; A cláusula GROUPING pode beneficiar com da função CASE: select case when grouping(deptno)= then to_char(deptno,'99') when grouping(job)= then 'Soma por função ' job else 'Total geral' end as deptno, case when grouping(job)= then job when grouping(deptno)= then 'Soma por departamento ' to_char(deptno,'99') else 'Total geral' end as job, sum(sal) group by cube(deptno, job) order by deptno, job; DEPTNO JOB SUM(SAL) CLERK 3 MANAGER 245 PRESIDENT 5 Soma por departamento ANALYST 6 2 CLERK 9 2 MANAGER Soma por departamento CLERK 95 3 MANAGER SALESMAN 56 3 Soma por departamento 3 94 Soma por função ANALYST ANALYST 6 Soma por função CLERK CLERK 45 Soma por função MANAGER MANAGER 8275 Soma por função PRESIDENT PRESIDENT 5 Soma por função SALESMAN SALESMAN 56 Total geral Total geral rows selecte

Extend Statistics Multcolumn Statistics

Extend Statistics Multcolumn Statistics Extend Statistics Multcolumn Statistics Extendend Statistics é uma feature do 11g que ajuda o otimizador baseado em custo (CBO) tomar melhores decisões utilizando estatisticas em grupo de colunas, quando

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Agrupando Dados Relacionados Rollup, Cube e Grouping Sets Após o término do Capítulo: Utilizar ROLLUP para gerar sub-totais.

Leia mais

SQL Comandos para Relatórios e Formulários. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Comandos para Relatórios e Formulários. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Comandos para Relatórios e Formulários Laboratório de Bases de Dados SELECT SELECT FROM [ WHERE predicado ] [ GROUP BY ]

Leia mais

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Banco de Dados II Aula do dia 10/03 Revisão SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Operadores de Comparação Operador = > >= <

Leia mais

DML. SQL (Select) Verificando estrutura da tabela

DML. SQL (Select) Verificando estrutura da tabela SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BANCO DE DADOS 2 SQL (Select) PROF: EDSON THIZON DML É a parte mais ampla da SQL. Permite pesquisar, alterar, incluir e deletar dados da base de dados. São quatro as sentenças mais

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho Laboratório de Banco de Dados II Aula 04 Prof. Érick de Souza Carvalho 1 SQL (Structured Query Language ) Prof. Érick de Souza Carvalho 2 SQL Structured Query Language - Introdução É uma Linguagem para

Leia mais

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Objectivos: Funções de agregação Agrupamento e sumário de dados Funções de agregação Nesta tarefa orientada iremos formular consultas que sumariam os

Leia mais

A lista abaixo possui funções especiais, que em alguns contextos podem ser enquadradas como "pseudo-colunas" da tabela.

A lista abaixo possui funções especiais, que em alguns contextos podem ser enquadradas como pseudo-colunas da tabela. Funções especiais A lista abaixo possui funções especiais, que em alguns contextos podem ser enquadradas como "pseudo-colunas" da tabela. USER UID USERENV ROWID ROWNUM ORA_ROWSCN USER Mostra o nome do

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas

MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas MySQL: Inserção e Seleção em Tabelas Programação de Servidores Marx Gomes Van der Linden http://marx.vanderlinden.com.br/ INSERT INTO Para inserir novas entradas (linhas) em um tabela, usa-se INSERT INTO.

Leia mais

BANCO DE DADOS. SQL Select. Engenharia da Computação. Aula 20. Vamos considerar a tabela EMP para os exemplos a seguir. SELECT colunas FROM tabelas;

BANCO DE DADOS. SQL Select. Engenharia da Computação. Aula 20. Vamos considerar a tabela EMP para os exemplos a seguir. SELECT colunas FROM tabelas; Engenharia da Computação BANCO DE DADOS Aula SQL Select SELECT - recupera informação do Banco de Dados. Formato mais simples: SELECT colunas FROM tabelas; Vamos considerar a tabela EMP para os exemplos

Leia mais

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE

SQL UMA ABORDAGEM INTERESSANTE SQL é uma linguagem de consulta estruturada, do inglês Structured Query Language. É uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

1. Assinale as afirmações que são verdadeiras e as que são falsas, corrigindo-as:

1. Assinale as afirmações que são verdadeiras e as que são falsas, corrigindo-as: Curso Profissional Técnico de Informática de Gestão 10ºB Prof. Pedro Lopes S i s t e m a s d e I n f o r m a ç ã o M ó d u l o : L i n g u a g e m S Q L T e s t e s u m a t i v o d u r a ç ã o 8 0 m i

Leia mais

DML - SELECT Agrupando Dados

DML - SELECT Agrupando Dados DML - SELECT Agrupando Dados 1. Apresentação Já conhecemos os comandos básicos de manipulação de dados: insert; delete; update e select. O comando de consulta select utilizado até aqui era aplicado sobre

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

SQL - Structured Query Language

SQL - Structured Query Language SQL - Structured Query Language Pág.: 2/48 SUMÁRIO ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR... 4 BANCOS DE DADOS BASEADOS NA ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR... 4 VANTAGENS DA TECNOLOGIA CLIENTE/SERVIDOR... 5 SEPARAÇÃO

Leia mais

Ana Cristina de Figueiredo Dornelas SQL E ORACLE 3ª. PARTE

Ana Cristina de Figueiredo Dornelas   SQL E ORACLE 3ª. PARTE Ana Cristina de Figueiredo Dornelas E-mail: anacristina.dornelas@gmail.com SQL E ORACLE 3ª. PARTE 1 Exibindo dados de várias tabelas O que é uma junção? Use uma junção para consultar dados a partir de

Leia mais

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados Múltiplas Tabelas Uma das grandes características de um sistema de banco de dados relacional é a capacidade de interagir com múltiplas tabelas, como se elas fossem apenas uma. Para exemplificar esse tipo

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro SQL- Strutured Query Language é a linguagem mais usada nas bases dados relacionais. Originalmente desenvolvida pela IBM Actualmente é um standard, o mais recente é o SQL:2003

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Consultas SQL Parte II

Consultas SQL Parte II CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COMPONENTE CURRICULAR: BANCO DE DADOS PROFESSOR (A): Josiane Ferri TURMA: 11/1 - Tarde Consultas SQL Parte II Outras cláusulas que o comando select apresenta são DISTINCT,

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 28/8/2015 Índices Para os testes com os índices criaremos uma tabela chamada tteste com o comando teste=> CREATE TABLE tteste (id int4);

Leia mais

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DML. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DML Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br SQL - DML Os exemplos da aula serão elaborados para o esquema de dados a seguir: Empregado(matricula, nome, endereco, salario, supervisor,

Leia mais

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2 Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Introdução Como vimos, um SGBD possui duas linguagens: DDL: Linguagem de Definição de Dados. Usada

Leia mais

Introdução ao SQL Avançado

Introdução ao SQL Avançado Introdução ao SQL Avançado Introdução as consultas, manipulação e a filtragem de dados com a linguagem SQL Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Recuperando Dados com Sub-Consultas Correlacionadas Após o término do Capítulo: Escrever uma sub-consulta de colunas

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Dicas de Ajuste (Tuning) de SQL Após o término do Capítulo: Mostrar algumas dicas de como refinar SQLs, de modo a obter

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL Objetivos Revisando a sintaxe SQL SELECT, UPDATE, INSERT, DELETE Manipulando expressões Funções matemáticas, etc Condições de Pesquisa Funções de Agregação

Leia mais

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 1

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 1 Bases de Dados DML Data Manipulation Language Parte 1 DML Data Manipulation Language Diz respeito à manipulação dos dados. É utilizada para: Inserir dados numa tabela(tuplos) Remover dados de uma tabela(tuplos)

Leia mais

8VDQGRDVRSo}HVGH64/DYDQoDGRGR %URZVHGR&ODULRQ

8VDQGRDVRSo}HVGH64/DYDQoDGRGR %URZVHGR&ODULRQ 8VDQGRDVRSo}HVGH64/DYDQoDGRGR %URZVHGR&ODULRQ -XOLR&pVDU3HGURVR No Clarion 6 na janela %URZVH %R[ %HKDYLRU, uma nova guia foi adicionada, e tenho certeza, poucos programadores já fizeram uso dela, ou melhor,

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Agrupamento de Dados Após o término do Capítulo: Identificar as funções de agrupamento. Descrever o uso das funções

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One.

Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One. Bem-vindo ao tópico sobre consultas no SAP Business One. 1 Neste tópico, você aprenderá a criar consultas SQL utilizando as ferramentas de consulta do SAP Business One Assistente de consultas e Gerador

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada Revisão de tpicos anteriores BANCO DE DADOS Linguagem de consulta SQL Roberto Duarte Fontes Brasília - DF roberto@fontes.pro.br Projeto de banco de dados Modelagem Conceitual (independe da implementação)

Leia mais

Logado no OracleXE vamos acessar a opção:

Logado no OracleXE vamos acessar a opção: Tutorial PL/SQL O PL/SQL é uma linguagem procedural que roda diretamente no núcleo do SGBD Oracle. O objetivo deste tutorial é mostrar a criação de funções e procedimentos em PL/SQL, interagindo com comandos

Leia mais

Texto Base Livro texto: SQL Guia Prático 2ª Edição Rogério Luís de C. Costa. Banco de Dados II Comando Select. Gustavo Dibbern Piva

Texto Base Livro texto: SQL Guia Prático 2ª Edição Rogério Luís de C. Costa. Banco de Dados II Comando Select. Gustavo Dibbern Piva Texto Base Livro texto: SQL Guia Prático 2ª Edição Rogério Luís de C. Costa Banco de Dados II Comando Select Gustavo Dibbern Piva 1 Sintaxe do comando Select. Select

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Treinamento sobre SQL

Treinamento sobre SQL Treinamento sobre SQL Como Usar o SQL Os dois programas que você mais utilizara no SQL Server são: Enterprise Manager e Query Analyzer. No Enterprise Manager, você pode visualizar e fazer alterações na

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

Criando Instruções SQL Básicas Objetivos:

Criando Instruções SQL Básicas Objetivos: Criando Instruções SQL Básicas Objetivos: Listar os recursos das instruções SELECT SQL Executar uma instrução SELECT básica Diferenciar instruções SQL e comandos SQL*Plus 1 Recursos das Instruções SELECT

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

2008.2. SQL Avançado Continuação. Renata Viegas

2008.2. SQL Avançado Continuação. Renata Viegas SQL Avançado Continuação Renata Viegas Cláusula COMPUTE Sintaxe: SELECT FROM ORDER BY COMPUTE BY Para que serve? Gerar totalizadores

Leia mais

Consultas (Queries) ou Interrogações

Consultas (Queries) ou Interrogações Consultas (Queries) ou Interrogações Principal finalidade das interrogações: Extracção, manipulação (inserção, alteração e remoção) e definição de dados. As interrogações mais comuns destinam-se a pesquisar

Leia mais

DICIONÁRIO DE DADOS. Contém detalhes dos objetos pertencentes ao usuário.

DICIONÁRIO DE DADOS. Contém detalhes dos objetos pertencentes ao usuário. DICIONÁRIO DE DADOS Podemos dizer que dicionário de dados, é um conjuto de tabelas e views somente leitura, utilizado pelo banco de dados Oracle. Este conjunto é criado e mantido pelo Oracle e contém informações

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Oracle University Entre em contato: 0800 891 6502 Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Duração: 5 Dias Objetivos do Curso Esta classe se aplica aos usuários do Banco de Dados Oracle8i,

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

Exercícios de SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

Exercícios de SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Exercícios de SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Esquemas Funcionarios (Codigo, PrimeiroNome, SegundoNome, UltimoNome, DataNasci, CPF, RG, Endereco, CEP, Cidade, Fone, CodigoDepartamento,

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Engenharia de Software Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 12 Consultas JPQL Consultas JPQL Consultas em JPQL

Leia mais

Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios

Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios Linguagem de Banco de Dados DML Exercícios 1. A partir do modelo conceitual abaixo e das descrições das tabelas, crie o modelo físico e implanteo no banco de dados. 2. Acrescente os dados, conforme descrito

Leia mais

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA

MODELO DE DADOS VS ESQUEMA MODELO DE DADOS VS ESQUEMA Um modelo de dados é um conjunto de conceitos usados para se descrever dados. Um esquema é uma descrição de uma determinada coleção de dados, descrição essa baseada num certo

Leia mais

ANALÓGICA X DIGITAL. Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica. Eletrônica Digital

ANALÓGICA X DIGITAL. Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica. Eletrônica Digital ANALÓGICA X DIGITAL Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica Eletrônica Digital ANALÓGICA X DIGITAL A eletrônica analógica é caracterizada por um sinal que

Leia mais

AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS. Funções Agregadas

AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS. Funções Agregadas BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 AULA 7 FUNÇÕES AGREGADAS Funções Agregadas São funções aquelas que tomam uma coleção (um conjunto ou subconjunto) de valores como entrada, retornando um único valor. O número

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO.

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO. Curso: SQL Básico Glauco Luiz Rezende de Carvalho glauco.rezende@banese.com.br Este material foi baseado e adaptado pelo material do Prof. MSc. Fábio Soares Silva da Universidade Tiradentes - UNIT SQL

Leia mais

Fórmulas e Funções 7

Fórmulas e Funções 7 Fórmulas e Funções 7 7.9. Visualização automática do resultado Para visualizar rapidamente o resultado das funções mais simples média, soma, contar, mínimo e máximo: 1. Menu de contexto sobre a barra de

Leia mais

BACO BAse de Co-Ocorrências

BACO BAse de Co-Ocorrências BACO? BACO BAse de Co-Ocorrências Luís Sarmento O BACO é uma base de dados que guarda informação gerada a partir um processamento efectuado a um ou vários corpora. O objectivo: Permitir pesquisar rapidamente

Leia mais

Nome: n.º WEB Série 2B 2C 2D 2E Barueri, 17/08/2009 2ª Postagem Disciplina: Gerenciamento e Estrutura de Banco de Dados Professor: Márcio

Nome: n.º WEB Série 2B 2C 2D 2E Barueri, 17/08/2009 2ª Postagem Disciplina: Gerenciamento e Estrutura de Banco de Dados Professor: Márcio Nome: n.º WEB Série 2B 2C 2D 2E Barueri, 17/08/2009 2ª Postagem Disciplina: Gerenciamento e Estrutura de Banco de Dados Professor: Márcio MySQL Query Browser Após usarmos o ambiente MySQL Monitor, que

Leia mais

Excel Avançado. 2ª Edição. Antonio Fernando Cinto Wilson Moraes Góes. Novatec

Excel Avançado. 2ª Edição. Antonio Fernando Cinto Wilson Moraes Góes. Novatec Excel Avançado 2ª Edição Antonio Fernando Cinto Wilson Moraes Góes Novatec Copyright 2015 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

SQL consulta com operadores

SQL consulta com operadores A empresa Virtual Data Comunication Ltda. Deseja fazer uma simulação de aumento de salário em R$ 100,00 sobre o salário de cada funcionário SELECT NOME, SALARIO + 100 FROM cadfun; Esta forma de apresentação

Leia mais

Microsoft Access: Criar relatórios para um novo banco de dados. Vitor Valerio de Souza Campos

Microsoft Access: Criar relatórios para um novo banco de dados. Vitor Valerio de Souza Campos Microsoft Access: Criar relatórios para um novo banco de dados Vitor Valerio de Souza Campos Conteúdo do curso Visão geral: O produto final Lição: Inclui oito seções Tarefas práticas sugeridas Teste Visão

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL 1) Visão Geral A PL/pgSQL é uma linguagem de programação procedural para o Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 Ao nível das linguagens de manipulação de dados (Data Manipulation Language - DML) o SQL

Leia mais

FERRAMENTA DE APOIO A REESTRUTURAÇÃO DE CÓDIGO FONTE EM LINGUAGEM PL/SQL BASEADO EM PADRÕES DE LEGIBILIDADE

FERRAMENTA DE APOIO A REESTRUTURAÇÃO DE CÓDIGO FONTE EM LINGUAGEM PL/SQL BASEADO EM PADRÕES DE LEGIBILIDADE FERRAMENTA DE APOIO A REESTRUTURAÇÃO DE CÓDIGO FONTE EM LINGUAGEM PL/SQL BASEADO EM PADRÕES DE LEGIBILIDADE Formando: Dyckson Dyorgio Dolla Orientador: Prof. Everaldo Artur Grahl Julho / 2001 ROTEIRO DA

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL Complementos da Linguagem SQL - Eliminando Tuplas Repetidas Exemplo: Obter o código das editoras que têm livros publicados CodEditora Titulo Publicacao... 04 Banco de Dados 1989 02 Análise 2000 01 XML

Leia mais

Oracle Advanced Compression x External Tables (Armazenamento de dados históricos)

Oracle Advanced Compression x External Tables (Armazenamento de dados históricos) Oracle Advanced Compression x External Tables (Armazenamento de dados históricos) Agenda Sobre Rodrigo Mufalani Clico de dados Visão Geral Avanced Compression Visão Geral External Tables Performance Disponibilidade

Leia mais

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO Tutorial SQL Fonte: http://www.devmedia.com.br/articles/viewcomp.asp?comp=2973 Para começar Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Relacionais (SGBDr) são o principal mecanismo de suporte ao armazenamento

Leia mais

Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 083020 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/04/2008

Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 083020 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/04/2008 Universidade Federal de São Carlos Departamento de Matemática 08300 - Curso de Cálculo Numérico - Turma E Resolução da Primeira Prova - 16/0/008 1. (0 pts.) Considere o sistema de ponto flutuante normalizado

Leia mais

Aula 4: Mais Microsoft Access e Bancos de Dados Relacionais

Aula 4: Mais Microsoft Access e Bancos de Dados Relacionais Página 1 de 14 Aula 4: Mais Microsoft Access e Bancos de Dados Relacionais Todas as telas são do MS Access 23 de Janeiro de 2002 Meta: Introdução ao modelo relacional de banco de dados e consultas intermediárias

Leia mais

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer

BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE. Prof.: Elvis Bloemer Meurer BANCO DE DADOS II LINGUAGEM SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Prof.: Elvis Bloemer Meurer ORLEANS, 2011 1 CAPITULO 6: FUNÇÕES DE GRUPO...4 6.1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO...4 6.2 FUNÇÕES DISPONÍVEIS...4 6.3

Leia mais

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009 Laboratório 3 Base de Dados II 2008/2009 Plano de Trabalho Lab. 3: Programação em Transact-SQL MYSQL Referências www.mysql.com MICROSOFT SQL SERVER - Procedimentos do Lado do Servidor (Stored Procedures)

Leia mais

Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais.

Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais. Structured Query Language (SQL) SQL é uma linguagem normalizada (ANSI) para consultas e actualizações de bases de dados relacionais. A instrução SELECT As consultas a uma base de dados relacional fazem-se

Leia mais

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si.

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si. NOME: BRUNO BRUNELI BANCO DE DADOS - ADS create database ProducaoMinerais use ProducaoMinerais create table Mineral( nome varchar(15) primary key, preco real) create table Pais( nome varchar(30) primary

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Projeto de Banco de Dados

Projeto de Banco de Dados Projeto de Banco de Dados SQL-Consultas Comando SELECT Prof. Luiz Antônio Vivacqua C. Meyer (la.vivacqua@gmail.com) Sintaxe Geral SELECT [ALL/DISTINCT] coluna1, coluna2,..., colunan FROM nome_tabela1,

Leia mais

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL OBJECTIVOS Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL O objecto DOCMD Este objecto permite o acesso a todas as operações sobre todos os objectos

Leia mais

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados.

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Principais Instruções em SQL Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Atenção: Esta apostila foi desenvolvida com o auxílio on-line do banco MS-ACCESS,

Leia mais

OLAP. Introdução. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

OLAP. Introdução. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática OLAP Introdução Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática OLAP Online analytical processing Existem dois tipos distintos de processamento sobre bases de dados: OLTP Online

Leia mais

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 2.3. Linguagens Relacionais SQL Structured Query Language Linguagem para o modelo relacional: Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 Adoptada em 1987 como um standard internacional

Leia mais

Manual Dashboard XD. (Versão 0.91 Beta)

Manual Dashboard XD. (Versão 0.91 Beta) Manual Dashboard XD (Versão 0.91 Beta) Conteúdo Introdução... 3 Registo e ativação... 4 Login... 5 Menu Principal... 6 Configuração de servidores... 7 Visualizar Gráficos... 8 Personalização dos gráficos

Leia mais

Fortes Report Parte 2 Agrupando Informações

Fortes Report Parte 2 Agrupando Informações Fortes Report Parte 2 1 Fortes Report Parte 2 Agrupando Informações Na primeira parte deste artigo, fizemos o nosso primeiro relatório usando Fortes Report. Agora vamos incrementar as funcionalidades que

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE PERFORM O comando PERFORM permite a execução de um comando SELECT desprezando o resultado do comando. PERFORM query; A variável especial FOUND é definida como verdadeiro se a instrução produzir pelo menos

Leia mais

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL SQL TGD/JMB 1 Projecto de Bases de Dados Linguagem SQL SQL TGD/JMB 2 O que é o SQL? SQL ("ess-que-el") significa Structured Query Language. É uma linguagem standard (universal) para comunicação com sistemas

Leia mais

Tarefa Orientada 14 Subconsultas

Tarefa Orientada 14 Subconsultas Tarefa Orientada 14 Subconsultas Objectivos: Subconsultas não correlacionadas Operadores ALL, SOME e ANY Subconsultas correlacionadas Operador EXISTS Subconsultas incluídas na cláusula FROM de uma consulta

Leia mais

1. FILTRAR OS DADOS ATRAVÉS DE FORMULÁRIO (FILTER BY FORM)

1. FILTRAR OS DADOS ATRAVÉS DE FORMULÁRIO (FILTER BY FORM) Nesta aula prática iremos usar uma base de dados fictícia já preenchida com o nome Espaço Projecto - InfantJaundice2006.accdb. Este ficheiro foi criado pelo curso Data Management for Research, 2005, UCSF.

Leia mais

PL/pgSQL por Diversão e Lucro

PL/pgSQL por Diversão e Lucro PL/pgSQL por Diversão e Lucro Roberto Mello 3a. Conferência Brasileira de PostgreSQL - PGCon-BR Campinas - 2009 1 Objetivos Apresentar as partes principais do PL/pgSQL Apresentar casos de uso comum do

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Introdução Cursor é usado para percorrer um conjunto de linhas retornadas por uma consulta

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Curso Oracle 10g Prof. MSc. Luciano Blomberg lblomberg@uol.com.br 2011/1

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências Bases de Dados 2007/2008 Aula 1 Sumário 1. SQL Server 2000: configuração do acesso ao servidor. 1.1. SQL Server Service Manager. 1.2. SQL Server Enterprise Manager. 1.3. SQL Query Analyzer. 2. A base de

Leia mais

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

Basicamente iremos precisar de uma base de dados na qual iremos armazenar os registros feitos pelos vistantes: Vamos armazenar os seguintes dados:

Basicamente iremos precisar de uma base de dados na qual iremos armazenar os registros feitos pelos vistantes: Vamos armazenar os seguintes dados: Livro de Visitas Basicamente iremos precisar de uma base de dados na qual iremos armazenar os registros feitos pelos vistantes: Vamos armazenar os seguintes dados: ID nome email mensagem data O código

Leia mais