ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS"

Transcrição

1 IMAGEM DIGITAL BITMAP ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS 1 Tipos de imagem Existem várias formas de armazenar uma imagem num computador. Nesta secção abordam-se as imagens do tipo bitmap e as imagens do tipo vectorial. 1.1 Mapa de bits (bitmap ou raster) Uma imagem de mapa de bits é definida como uma grelha (ou mapa traduzindo directamente do Inglês) de pequenos quadrados, designados por píxeis. O termo píxel resulta da contracção dos termos ingleses picture e element. Desta designação pode-se entender que o píxel é o elemento base de uma imagem. Uma imagem bitmap é uma grelha ou tabela de píxeis em que, para cada píxel, é gravada a cor que esse píxel contém. O ficheiro guardado num computador será uma sequência de números indicando esses valores. De uma forma um pouco simplificada, os 3 píxeis apresentados seriam gravados Figura 1: Imagem do tipo bitmap. em ficheiro da seguinte forma: Deste modo, a digitalização da uma imagem é a conversão de uma imagem natural para um conjunto de valores numéricos que correspondem aos píxeis que compõem essa imagem. Estas imagens apresentam certas desvantagens dado o modo como são construídas. Normalmente ocupam muito espaço em disco e não são flexíveis para sofrerem certas alterações (alterar a dimensão ver Figura 2, cores, etc). Em contrapartida, podem reproduzir imagens reais com bastante fidelidade. 1 / 7

2 Os programas mais conhecidos para trabalhar com este tipo de imagens são o GIMP, Adobe Photoshop, Paint Shop Pro, etc. 1.2 Vectorial São construídas utilizando linhas e curvas definidas matematicamente (designados vectores). Este tipo de imagem é utilizada para desenhos feitos em computador, tais como, logotipos, símbolos, etc. A vantagem deste tipo é que sendo constituídas por funções matemáticas podem sofrer alterações (diminuir/aumentar tamanho, mover, alterar cores, etc) sem haver perdas de qualidade na imagem, o que nem sempre acontece nas imagens de mapas de bits. Para trabalhar com este tipo de imagem são utilizados programas de desenho vectorial, tal como o InkScape, Figura 2: Redimensionar imagem bitmap. Macromedia Freehand, Adobe Illustrator, etc. Nesta fase iremos trabalhar com imagem de mapa de bits. Seguidamente apresentam-se alguns aspectos fundamentais deste tipo de imagem. 2 Imagens bitmap 2.1 Número de píxeis de uma imagem O número de píxeis existentes na imagem corresponde ao produto do número de linhas pelo número de colunas existentes na grelha de píxeis referida anteriormente. Por exemplo, uma imagem com 116 colunas por 119 linhas tem um total de píxeis. Uma máquina digital capaz de tirar fotografias com 2272 colunas por 1704 linhas tem um total de píxeis (4 Mega píxeis). Ao número de píxeis que uma câmara fotográfica digital permite designa-se muitas vezes por resolução. No entanto, esta designação não será a mais correcta, no caso da imagem digital, uma vez que a resolução indica o detalhe de uma imagem e não a quantidade de píxeis que nela existe. 2 / 7

3 2.2 Resolução da imagem No contexto da imagem digital, a resolução é uma medida do detalhe da imagem. Isto é, quanto mais fino for esse detalhe, menos perceptíveis serão os píxeis que a compõem e, no limite, o olho humano já não é capaz de notar a diferença entre uma imagem captada com uma câmara analógica e uma câmara digital. Como referido anteriormente, uma imagem bitmap é definida por uma grelha de píxeis. Se imaginarmos que essa grelha é mais apertada (isto é, os mesmos píxeis numa área menor) obtemos mais detalhe. Assim, a resolução é medida pelo número de píxeis que existem numa determinada área da imagem. Habitualmente, é medida em píxeis por polegada 1 (ppp ou dpi em Inglês dots per inch). Se uma imagem tem uma resolução de 72 dpi, significa que contém 5184 píxeis numa polegada quadrada (72 píxeis de altura por 72 píxeis de largura > 72x72=5184). Tipicamente, para apresentar no écran (nas páginas www, por exemplo) utilizase uma resolução de 72 dpi, mas para se imprimir uma fotografia digital utiliza-se 300 dpi. No entanto, o conceito de resolução tem implicações nas dimensões físicas da imagem quando é impressa (ou apresentada num monitor). Por exemplo, considere-se uma imagem com 200 (horizontal) por 100 píxeis (vertical). Se esta imagem for impressa com uma resolução de 100 dpi então a imagem impressa terá 2 polegadas por 1 polegada. No entanto, se for impressa com uma resolução de 200 dpi então a imagem impressa terá 1 polegada por 0,5 polegada. Figura 3: Resolução A fórmula que relaciona estes conceitos é: Resolução = píxeis / tamanho_impressão Sendo: píxeis: número de píxels da largura/altura da imagem tamanho_impressão: largura/altura de impressão da imagem, em polegadas Como se trata de uma equação matemática, podemos também deduzir que: Píxeis = resolução * tamanho_impressão Ou que: 1 Uma polegada (inch) = 2, 54 centímetros 3 / 7

4 tamanho_impressão = píxeis / resolução Considere-se por exemplo, uma imagem captada com uma câmara fotográfica de 4 Mp que tem 2272 x 1704 píxeis. Caso se pretenda imprimir essa imagem numa impressora de qualidade, é conveniente alterá-la para uma resolução de 300 dpi. Pela fórmula anterior a dimensão da imagem impressa seria: largura = 2272 / 300 = 7, 57 pol. = 19,24 cm altura = 1704 / 300 = 5, 68 pol. = 14,43 cm Mas imagine-se que se pretendia imprimir num tamanho maior, por exemplo, 40x30 cm (15,75 pol. x pol.)? Pela fórmula anterior podemos calcular que seriam necessários: largura = 300 * 15,75 = 4725 píxeis altura = 300 * = 3543 píxeis No entanto, a câmara fotográfica apenas tirou 2272x1704! Neste caso o software teria de acrescentar píxeis à imagem. Para acrescentar artificialmente píxeis o software efectua um cálculo matemático designado por interpolação. Em muitos casos, não é facilmente perceptível que este processo ocorreu. No entanto, se o aumento do número de píxeis for muito significativo, existirá uma perda de qualidade da imagem. Assim, convém distinguir bem estes conceitos: número de píxeis, resolução e dimensão de impressão. A escolha da melhor relação entre estes três parâmetros está relacionada com o destino que vamos dar à imagem final: colocar numa página Web; imprimir num tamanho grande ou pequeno; a qualidade do papel e impressora onde vamos imprimir, etc. Para uma análise da relação entre estes conceitos ver a tabela dinâmica existente em: offsite/pixel/ 2.3 Profundidade de cor É o número de bits de informação de cor que são guardados para cada píxel. Quanto maior a profundidade de cor do píxel maior o número de cores possíveis e logo maior é a aproximação da cor do píxel à cor real. Por exemplo, uma profundidade de 8 bits permite ter 256 cores; com 24 bits poderemos obter 16 milhões de cores. 3 Formatos em imagens bitmap ficheiro. Resumidamente, um formato é a forma como as imagens são guardadas num 4 / 7

5 A forma mais simples de guardar uma imagem bitmap em ficheiro é guardar a informação píxel a píxel. No entanto, uma das questões que se coloca é a grande quantidade de informação a armazenar em ficheiro. O tamanho dos ficheiros das imagens (expresso em bytes) aumenta com o número de píxeis da imagem e com a profundidade do píxel. Por exemplo, considere-se uma máquina digital actual de 8 Megapíxeis e com 24 bits de profundidade de cor. Uma imagem gravada desta forma ocupa bytes em disco: Tamanho (bytes 2 ) = píxeis * 24 bits / 8 bits = bytes 24 Mb (Mega bytes) No sentido de evitar estes problemas, foram criadas outras formas de gravar imagens bitmap. Estes formatos de imagem comprimem a informação existente na imagem, isto é, reduzem substancialmente o tamanho em bytes das imagens. Existem duas grandes categorias de formatos de imagem: comprimidos e não comprimidos. Os não-comprimidos, gravam as imagens píxel a píxel (como referido anteriormente) sem qualquer tipo de esquema para reduzir a quantidade de bytes necessários. Nos formatos comprimidos existem, por sua vez, duas sub-categorias: com perdas e sem perdas. Nos primeiros, o termo perdas refere-se a perdas de informação (de píxeis) existentes na imagem original. Isto é, são removidos píxeis da imagem original. A remoção obedece a um conjunto bastante complexo de cálculos de forma a que não sejam perceptíveis as alterações em relação à imagem original. No casos em que a taxa de compressão for muito elevada poderá resultar na diminuição da qualidade da imagem. Neste formatos consegue-se obter grandes reduções no tamanho ocupado pelos ficheiros. No formatos comprimidos sem perdas são aplicados cálculos mais simples que não conseguem taxas de redução tão grandes quanto os anteriores, mas evitam a remoção de píxeis da imagem. 3.1 Formatos habituais JPG ou JPEG (Joint Photographic Experts Group) Permite taxas de compressão muito elevadas. Devido à forma como comprime as imagens é fundamentalmente utilizado para imagem natural (fotografia). TIFF (Tagged Image Format) este formato permite ser utilizado com ou sem perdas. Este formato é ainda muito utilizado no sector da impressão gráfica. 2 1 byte = 8 bits 5 / 7

6 RAW é uma opção de gravação de imagens existente em algumas câmaras fotográficas digitais profissionais. Permite gravar as imagens sem compressão mas com tamanhos de ficheiros grandes. Não é um formato standard pelo que difere entre os vários construtores de câmaras digitais. GIF (Graphics Interchange Format) formato comprimido sem perdas. Está limitado a 256 cores. Devido à forma como comprime as imagens é muito utilizado em páginas web para pequenos desenhos, por exemplo, símbolos, bonecos, botões, etc, não sendo utilizado em imagem natural (imagens fotográficas). Para além disso, suporta pequenas animações. PNG (Portable Network Graphics) formato comprimido sem perdas. Este formato tem vindo a substituir o formato GIF. Suporta o mesmo que o formato GIF e permite 16 milhões de cores. Também é utilizado para imagem não fotográfica (desenhos, logos, botões, etc). BMP Abreviatura de bitmap. Formato utilizado em algumas aplicações Microsoft Windows (Paint, por exemplo). Não tem compressão. Na tabela seguinte são indicadas algumas das características principais de alguns destes formatos. Formato JPG PNG GIF Características elimina píxeis não perceptíveis ao olho humano permite definir a quantidade de compressão obtém-se uma grande redução no tamanho de ficheiro não permite transparências não há perda de píxeis permite definir a quantidade de compressão utilizado em grafismos: logos, botões substituto do GIF permite transparências não permite camadas formato livre o IE versões antigas não percebe as transparências do PNG; o IE 7 já percebe formato antigo limitado em cores permite animações permite transparências 3.2 Formatos nativos de software de edição de imagem Para além dos formatos referidos, cada software de edição de imagem, tem normalmente um formato próprio de gravação dos ficheiros de imagem. A grande vantagem da utilização destes formatos é que permitem guardar muita informação utilizada ao longo de um trabalho de tratamento de imagem. De uma maneira geral permitem guardar: todas as camadas selecções actuais 6 / 7

7 canais transparências path's guias, etc Assim, é conveniente durante um trabalho mais complexo de edição de imagem digital utilizar estes formatos de forma a ficarmos com toda a informação possível para uma posterior correcção ou re-utilização. No entanto, como são formatos não comprimidos e, em geral, proprietários das marcas do software, não são bons formatos para quando se pretende enviar a imagem a alguém ou colocar, por exemplo, numa página Web. A questão destes formatos serem proprietários das marcas do software, implica que ao enviar um ficheiro nesse formato para uma pessoa, ela tenha de ter o mesmo software (e muitas vezes a mesma versão) instalado no seu computador para poder visualizar a imagem. A estratégia passa por utilizarmos estes formatos enquanto estamos a trabalhar nas imagens e quando se chega à versão final, utiliza-se a opção de Exportação para gerar uma imagem igual, mas num formato mais pequeno (em bytes) e que em qualquer computador possa ser visualizado (ex.: JPG, PNG, etc, ou mesmo, em alguns casos, PDF). criado por: Alexandre Martins Escola Secundária Artística de Soares dos Reis Janeiro de 2007 Copyright Copyright (c) 2006 Escola Secundária Artística de Soares dos Reis, Alexandre Martins É permitido copiar, distribuir e/ou modificar este documento de acordo com os termos da GNU Free Documentation License - versão 1.2 ( ou outra mais recente publicada pela Free Software Foundation. 7 / 7

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação conteúdos tipos de imagem conceitos base cor em digital formatos de imagem imagem na web Tipos de imagens

Leia mais

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap:

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap: Imagem Bitmap: As imagens bitmap (mapa de bits), são tal como o nome indica, uma colecção de bits que formam uma imagem. A imagem consiste numa matriz de pontos individuais (ou píxeis) em que cada um tem

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

Formatos Imagem. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8.

Formatos Imagem. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Formatos Imagem Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8.2 Siglas DIB: Device Independent Bitmap windows BMP: Windows Bitmap GIF:

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial > Existem dois tipos de arquivos fundamentais na computação gráfica: bitmap e vetorial. Alguns programas mais

Leia mais

OFICINA DE MULTIMÉDIA B

OFICINA DE MULTIMÉDIA B OFICINA DE MULTIMÉDIA B Ficheiros de imagem Índice Manipulação - procedimentos 3 Captura 4 Visualização 5 Processamento 6 Armazenamento/compressão 7 Arquivos de imagem 9 Profundidade de bit e de cor 11

Leia mais

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos Tipos de arquivos gráficos! Os mais comuns do tipo raster ". TIF TIFF -Tagged Image File Format -é suportado por todos os aplicativos de edição de imagens. É usado em editoração. # éo maior em tamanho

Leia mais

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica Fundamentos de Computação Gráfica Editoração Eletrônica Editoração Eletrônica Também conhecido como Editoração Eletrônica ou simplesmente DTP, é a área da Computação Gráfica que cuida da criação de material

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Mapas e suas representações computacionais

Mapas e suas representações computacionais Mapas e suas representações computacionais Atributos não espaciais É qualquer informação descritiva relacionada a um único objeto ou um conjunto deles. Os SIGs armazenam estes dados em um Sistema de

Leia mais

Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens

Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens Trabalho de: Vitor Vieira e Joaquim Vieira Formador: António Guimarães Extensões de ficheiros de imagem Nos primórdios, os computadores eram

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais Sobre imagens bitmap e gráficos vetoriais Os elementos gráficos de um computador podem ser divididos em duas categorias principais -- bitmap e vetor. Imagem bitmap Gráfico vetorial Imagens bitmap são ideais

Leia mais

Fundamentos II. Guillermo Cámara-Chávez

Fundamentos II. Guillermo Cámara-Chávez Fundamentos II Guillermo Cámara-Chávez Introdução Imagens digitais podem ser capturadas por uma variedade de sensores. O processamento dessas imagens possibilita diversas aplicações: transmissão de vídeo,

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Tamanho e resolução da imagem

Tamanho e resolução da imagem Tamanho e resolução da imagem Para se produzir imagens de alta qualidade, é importante compreender como é que os dados dos pixels da imagem são medidos e mostrados. Dimensões dos pixels O número de pixels

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

PROJETO TRANSFORMAÇÕES PONTUAIS

PROJETO TRANSFORMAÇÕES PONTUAIS Colégio Pedro II Campus Realengo II Informática Educativa 2015 9º ano Professores: Sônia Sá Vianna (Desenho Geométrico), Simone da Costa Lima, Érika Santana e Alexandra Alves (informática Educativa) PROJETO

Leia mais

Tratamento de Imagens

Tratamento de Imagens Sociedade dos Irmãos da Congregação de Santa Cruz Colégio Notre Dame de Campinas 2011 Tratamento de Imagens Danilo Cunha IMAGENS Formato de Arquivos Tipo de arquivo é uma forma padrão de armazenar

Leia mais

Representação da Informação

Representação da Informação Conteúdo Representação da Informação Bit, Byte e múltiplos Conversão de Unidades Representação de Informação Representação de Símbolos/Texto Representação de Imagem Representação de Vídeo Bit BInary digit

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Oficina de. Multimédia B. Imagem Digital

Oficina de. Multimédia B. Imagem Digital Oficina de Multimédia B Imagem Digital Índice Imagens vetoriais 3 Imagens bitmap 5 Pontilhismo 7 Pixel 9 Redes de pixeis 11 Dimensão da imagem 15 Imagens vetoriais: características 17 Imagens bitmap: características

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

5. Aquisição e reprodução de som 5.1. Formatos de ficheiro 5.2. Software

5. Aquisição e reprodução de som 5.1. Formatos de ficheiro 5.2. Software Utilização do Sistema Multimédia 5.2. Software Gravar som analógico para digital: Obter um conjunto de amostras de sinal analógico por segundo. Quanto maior é o nº de amostras/seg. maior é a fidelidade

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal GS1 Portugal Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 1. Propriedades da imagem... 4 2. Cor e Qualidade... 5 3. Clipping Paths... 5 4. Fundo... 5 5. Borda... 5 6. Formato para o utilizador

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Folha de Cálculo. Manual de Apoio. Fórmulas e Gráficos

Folha de Cálculo. Manual de Apoio. Fórmulas e Gráficos Folha de Cálculo Manual de Apoio Fórmulas e Gráficos Copyright Copyright 2006 Escola Secundária Artística de Soares dos Reis, Carla Mansilha, Alexandre Martins. É permitido copiar, distribuir e/ou modificar

Leia mais

COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A

COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A 24 O Software Gráfico A concepção de imagens em computador implica dois conceitos imagem bitmap e imagem vectorial. Bitmap Bitmap significa Mapa de Bits imagem formada por

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO BLOCO I

PLANIFICAÇÃO INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO BLOCO I PLANIFICAÇÃO INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO BLOCO I MÉDIO PRAZO 1 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA OBJECTIVOS CONTEÚDOS DATA Conceitos Introdutórios Conhecer os conceitos básicos relacionados

Leia mais

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 Formatos Imagem Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2 Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 1 Na última aula Ray-Tracing Ferramentas Utilizadas: POV-Ray 3.6 (modelling, texturing,

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Objectivos As Tabelas: Aula 8 Sumário O Processador de Texto Word

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

Como capturar imagens de alta resolução?

Como capturar imagens de alta resolução? Perguntas frequentes sobre captura de imagens com câmeras de alta resolução que utilizam conexão USB. O Laudo & Imagem oferece a opção de captura de imagens de câmeras de alta resolução que utilizam a

Leia mais

Manual Prático. Elisabete Aguiar

Manual Prático. Elisabete Aguiar Manual Prático Elisabete Aguiar Índice A BARRA DE OPÇÕES... 4 Abrir um documento existente... 6 Guardar um documento Word... 7 Ambiente de Trabalho no Microsoft Word 2007... 9 Configuração de Páginas...

Leia mais

Manual de utilizador

Manual de utilizador Manual de utilizador Índice Introdução... 1 NOTAS IMPORTANTES... 1 Declarações Legais... 3 Instalação e Configuração... 5 Requisitos do Sistema... 5 Instalação... 5 Activação... 7 Actualização Automática...

Leia mais

Ficha de trabalho Nº 1 Utilizar adequadamente o computador e/ou dispositivos similares que processem dados.

Ficha de trabalho Nº 1 Utilizar adequadamente o computador e/ou dispositivos similares que processem dados. TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Data: 016/017 TURMAS: 7ºano Ficha de trabalho Nº 1 Utilizar adequadamente o computador e/ou dispositivos similares que processem dados. 1. Estabelece a correspondência

Leia mais

Manual do Intermediário: Módulo 3 Digitalização

Manual do Intermediário: Módulo 3 Digitalização Manual do Intermediário Módulo 3 Digitalização Leonel Morgado Jacinta Vilela Isabel Bastos Abril de 2002 1 Índice geral O que é a digitalização?... 3 Como funciona o scâner... 3 Como digitalizar uma imagem...

Leia mais

Imagem Digital. Claudio Carvilhe

Imagem Digital. Claudio Carvilhe Imagem Digital Claudio Carvilhe Imagem Digital Roteiro Introdução. Pixel. Resolução espacial. Cor. Processamento de imagens. Introdução Informação Visual: Imagem vista na tela. Informação Descritiva: Modelo

Leia mais

RESOLUÇÃO. RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir.

RESOLUÇÃO. RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir. RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir. PPI - É a abreviatura de 'pixels per inch' (pixeis por polegada). Refere-se

Leia mais

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Vídeo

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Vídeo Redes Multimídia 2016.2 Formatos de Áudio e Introdução ao Vídeo Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.4T Redes Multimídia Conteúdo Programático :: 1 a Unidade 1. Aplicações

Leia mais

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress Introdução a Informática - 1º semestre AULA 04 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Criar apresentações básicas com uso do LibreOffice Impress; o Manipular a estrutura de tópicos para a digitação de

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED. Preparação de documentos

Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED. Preparação de documentos Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED Preparação de documentos 1 Preparação de Documentos Quais documentos digitalizar? Eliminação: remoção e destruição de duplicatas, materiais sem importância

Leia mais

Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/

Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/ Crie uma pasta (0) no ambiente de trabalho com o seu nome. Inicie o Internet Explorer através do: W O R K S H O P Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SIG FORMATOS DE REPRESENTAÇÃO DE DADOS FORMATO VETORIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SIG FORMATOS DE REPRESENTAÇÃO DE DADOS FORMATO VETORIAL FORMATO VETORIAL 1 FORMATO VETORIAL Formato que utiliza como primitivas Pontos, Linhas e Polígonos, baseadas em equações matemáticas para representar imagens na computação gráfica Primitivas: elementos

Leia mais

As Professoras: Marilene Rodrigues da Silva Cunha Graça Carla Martins Fonseca

As Professoras: Marilene Rodrigues da Silva Cunha Graça Carla Martins Fonseca As Professoras: Marilene Rodrigues da Silva Cunha Graça Carla Martins Fonseca Ano lectivo 2010/2011 INTRODUÇÃO Neste ano lectivo, a EB1/Pe de São Martinho a actividade de TIC irá contemplar todos os alunos

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT. PosteRazor. Joaquim Ferreira

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT. PosteRazor. Joaquim Ferreira Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica PosteRazor Manual e Guia de exploração do PosteRazor para utilização em contexto de Educação

Leia mais

O Photoshop, esse (des)conhecido

O Photoshop, esse (des)conhecido Lições de Photoshop I O tamanho de uma imagem O Photoshop, esse (des)conhecido O Adobe Photoshop é, para os utilizadores profissionais, o padrão em edição digital de imagem e retoque fotográfico. Conhece-o?

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Scriblink M a

Leia mais

Photoshop / Tamanho e resolução da imagem

Photoshop / Tamanho e resolução da imagem Photoshop / Tamanho e resolução da imagem Sobre dimensões em pixels e resolução da imagem impressa Tamanho do arquivo Sobre a resolução do monitor Sobre a resolução da impressora Determinação de uma resolução

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta TRATAMENTO DE IMAGENS Elisa Maria Pivetta CATEGORIAS DE IMAGENS Distinguem-se geralmente duas grandes: Bitmap (ou raster) - trata-se de imagens "pixelizadas", ou seja, um conjunto de pontos (pixéis) contidos

Leia mais

UNIDADE 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MULTIMÉDIA. Objectivos

UNIDADE 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MULTIMÉDIA. Objectivos UNIDADE 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MULTIMÉDIA Objectivos 1 2 Objectivos Caracterizar os diferentes tipos de media existentes Definir o conceito de multimédia Diferenciar o conceito de multimédia Diferenciar

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2010/2011 AIB_U4C 1 TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO EM COMPUTADOR A animação por computador pode ser definida como a produção do movimento de imagens utilizando

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

Manual do. Peticionamento Eletrônico

Manual do. Peticionamento Eletrônico Manual do Peticionamento Eletrônico Este documento contém orientações sobre como gerar documentos para o serviço de Peticionamento Eletrônico no Portal e-saj Tribunal de Justiça de São Paulo. Resumo Os

Leia mais

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP Docente: Bruno Duarte Fev 2010 O que é uma imagem digital? Uma imagem diz-se digital quando existe um ficheiro em computador que guarda a informação gráfica desta

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U3A 1 Introdução ao multimédia digital Multimédia Etimologicamente, a palavra multimédia é composta por duas partes Media é o plural da

Leia mais

Imagens - Formatos. GIF (Graphics Interchange Format) JPEG (ou JPG) (Joint Pictures Experts Graphis)

Imagens - Formatos. GIF (Graphics Interchange Format) JPEG (ou JPG) (Joint Pictures Experts Graphis) Imagens - Formatos GIF (Graphics Interchange Format) - Muito popular na web. - Permite ter um máximo de 256 cores. - Indicado para cartoons, logos, imagens com áreas transparentes e animações. JPEG (ou

Leia mais

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android )

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Índice Antes de utilizar o equipamento Brother... Definições de notas... Marcas registadas... Introdução... Descarregar o Brother

Leia mais

Fotografia Digital. Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão. Alexandre Cruz Leão.

Fotografia Digital. Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão. Alexandre Cruz Leão. Fotografia Digital Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão Alexandre Cruz Leão www.fotodearte.com.br/cursos/fotodigital e-mail: alexandre@fotodearte.com.br Junho 2016 Luiz Claudio Marigo 1950

Leia mais

Como Começar? Criação Páginas. Etapas. Apresentação INTERNET

Como Começar? Criação Páginas. Etapas. Apresentação INTERNET Como Começar? Criação Páginas Apresentação Etapas Como começar Para que um site tenha sucesso é necessário um correcto planeamento do mesmo. Todos os aspectos de desenho de um site devem ser pensados de

Leia mais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais Curso Técnico em Multimídia ETI - Edição e tratamento de imagens digitais 2 Fundamentos "Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus." 2 Timóteo 1:13

Leia mais

MANUAL Formação: TIC (Word) Maio/2011

MANUAL Formação: TIC (Word) Maio/2011 Formatar colunas (1, 2 ou 3 ) Limites à volta do texto: Pág. 1/21 Capitulares Maiúsculas / Minúsculas Seleccionar a opção pretendida: (não esquecer que tem de estar já seleccionado o texto ao qual se pretende

Leia mais

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits)

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) Geração e captura de imagem 1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) 1.1. Formatos mais comuns Existe a necessidade muitas vezes de transferir uma imagem de um programa para outro, quando um

Leia mais

Aviso importante: Português

Aviso importante: Português Aviso importante: Primeiro instale o controlador e, de seguida, ligue a VideoCAM Messenger na porta USB. Leia este aviso importante, antes de realizar a instalação 1. Instalar o software da VideoCAM Messenger

Leia mais

GERAÇÃO DE TEXTOS A PARTIR DE MATERIAL IMPRESSO

GERAÇÃO DE TEXTOS A PARTIR DE MATERIAL IMPRESSO 1 GERAÇÃO DE TEXTOS A PARTIR DE MATERIAL IMPRESSO A tecnologia atual permite que sejam gerados textos em formato digital a partir de material originalmente impresso. O objetivo principal de tais procedimentos

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO... 2 CRIAR, ABRIR E GUARDAR DOCUMENTOS... 6 EDIÇÃO DE DOCUMENTOS... 7 FORMATAÇÃO DE TEXTO Manual de Word INTRODUÇÃO...

O AMBIENTE DE TRABALHO... 2 CRIAR, ABRIR E GUARDAR DOCUMENTOS... 6 EDIÇÃO DE DOCUMENTOS... 7 FORMATAÇÃO DE TEXTO Manual de Word INTRODUÇÃO... INTRODUÇÃO... 2 Noção de processador de texto... 2 O AMBIENTE DE TRABALHO... 2 Área de trabalho... 3 Barra de menus... 3 Barras de ferramentas... 4 Réguas... 5 Botões de visualização... 5 Barra de estados...

Leia mais

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Aspectos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais Imagens computacionais e programas que

Leia mais

Plano de Aula - Illustrator CC - cód Horas/Aula

Plano de Aula - Illustrator CC - cód Horas/Aula Plano de Aula - Illustrator CC - cód.5764 24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Illustrator CC Aula 2 Continuação do Capítulo 1 - Introdução ao Illustrator CC Aula 3 Capítulo 2 - Ferramentas

Leia mais

O Manual do Skanlite. Kåre Särs Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires

O Manual do Skanlite. Kåre Särs Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires Kåre Särs Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 Usar o Skanlite 6 2.1 Selecção do Scanner.................................... 6 3 Janela Principal do Skanlite 8 3.1 Digitalização.........................................

Leia mais

O aprendiz de investigador

O aprendiz de investigador O aprendiz de investigador Criar um filme com o Movie Maker literacia digital L i t e r a c i a s n a e s c o l a : f o r m a r o s p a r c e i r o s d a b i b l i o t e c a O que é? O é um software de

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U4A 1 Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas digitais (red / Green / blue) Modelo CMYK (cyan / magenta / yellow + Black) Modelo

Leia mais

MÓDULO 3 PÁGINAS WEB. Criação de Páginas Web

MÓDULO 3 PÁGINAS WEB. Criação de Páginas Web MÓDULO 3 PÁGINAS WEB Criação de Páginas Web TÉCNICAS DE IMPLANTAÇÃO DE PÁGINAS NA WEB Linguagens de Programação O HTML é a linguagem mais utilizada para criar páginas Web com hipertexto. Utilizando a linguagem

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1 Linhas de Orientação de Media GS1 Portugal 1 Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 Propriedades da imagem... 5 Cor e Qualidade... 5 Clipping Paths... 5 Fundo... 6 Borda... 6 Formato

Leia mais

YourFonts Manual e Guia de exploração do YourFonts para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. António Oliveira

YourFonts Manual e Guia de exploração do YourFonts para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. António Oliveira Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica YourFonts Manual e Guia de exploração do YourFonts para utilização em contexto de Educação

Leia mais

Antes de começarmos o processo de Vetorização, precisamos saber a diferença entre imagem e vetor.

Antes de começarmos o processo de Vetorização, precisamos saber a diferença entre imagem e vetor. Parte 1: Vetorizando 1.1: Imagem e Vetor Antes de começarmos o processo de Vetorização, precisamos saber a diferença entre imagem e vetor. Imagens são quaisquer tipos de figura apresentada ao usuário do

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Exame a Nível de Escola Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 357/2007, de 29 de Outubro Prova Escrita Aplicações Informáticas B 11º Ano Curso Científico-Humanistícos

Leia mais

Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico

Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico Escola Básica e Secundária de Velas Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico 1 Conceitos Básicos No final

Leia mais

Circuito CELEPAR de Software Livre 2010 GIMP 2. 4. 7. Editor de Imagens. CELEPAR Companhia de Informática do Paraná.

Circuito CELEPAR de Software Livre 2010 GIMP 2. 4. 7. Editor de Imagens. CELEPAR Companhia de Informática do Paraná. Gimp 2. 4. 7 Editor de Imagens 1 GIMP GNU Image Manipulation Program é um programa de código aberto. Utilizado na criação ou manipulação de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos, logotipos,

Leia mais

TcpImagen V 2.1. Gestão e Transformação de Imagens

TcpImagen V 2.1. Gestão e Transformação de Imagens TcpImagen V 2.1 Gestão e Transformação de Imagens Esta aplicação permite realizar todo tipo de operações sobre imagens digitais, georreferenciadas ou não, em uma ampla variedade de formatos. Foi desenvolvida

Leia mais

Tutorial. Georreferenciamento de Imagens. versão 1.0-23/08/2008. Autores: Rafael Bellucci Moretti, Vitor Pires Vencovsky

Tutorial. Georreferenciamento de Imagens. versão 1.0-23/08/2008. Autores: Rafael Bellucci Moretti, Vitor Pires Vencovsky Tutorial Georreferenciamento de Imagens versão 1.0-23/08/2008 Autores: Rafael Bellucci Moretti, Vitor Pires Vencovsky 1. Introdução O tutorial tem como objetivo fornecer informações básicas para georreferenciar

Leia mais

ÁBACO MÓDULOS DE CÁLCULO

ÁBACO MÓDULOS DE CÁLCULO 1 / 9 1. CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO ÁBACO. 2. ECRÃ PRINCIPAL 3. INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DE DADOS. (TECLADO E RATO) 4. LARGURA DE COLUNAS DAS PASTAS, DADO E VALOR 5. MENU SUPERIOR 6. IMAGENS DE INFORMAÇÃO.

Leia mais

Nero AG Nero DiscCopy

Nero AG Nero DiscCopy Manual do Nero DiscCopy Nero AG Nero DiscCopy Informações sobre direitos de autor e marcas O manual do Nero DiscCopy e a totalidade do respectivo conteúdo estão protegidos por copyright e são propriedade

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

A A.1 A.2 Proceder às formalidades de início de módulo: Apresentação do Monitor e dos formandos Apresentação do Módulo Noções básicas de informática:

A A.1 A.2 Proceder às formalidades de início de módulo: Apresentação do Monitor e dos formandos Apresentação do Módulo Noções básicas de informática: Módulo: WinJúnior Data: Setembro a Dezembro 1.º Período da sessão: 50min. Gerais Específicos A- Proceder às formalidades de início de módulo A.1 Apresentação do Monitor e dos formandos; A.2 Apresentação

Leia mais

04 -Salvar Como e Duplicar

04 -Salvar Como e Duplicar 04 -Salvar Como e Duplicar Muito importante! Trabalhar Sempre numa cópia da imagem original e NUNCA na própria imagem, por isso, gravar (guardar) SEMPRE a imagem em que se trabalhou com outro nome. Guardar

Leia mais

CONFIGURANDO TRABALHO NO WORD 2003 a 2007 (NORMAS DA ABNT)

CONFIGURANDO TRABALHO NO WORD 2003 a 2007 (NORMAS DA ABNT) CONFIGURANDO TRABALHO NO WORD 2003 a 2007 (NORMAS DA ABNT) PROF. DANIEL MARTINS CONFIGURANDO O TRABALHO NO WORD Página Segundo a NBR 14724 o texto deve estar impresso em papel branco, formato A4 (21,0

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Apresentação Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE PUBLISHER 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha.

Leia mais

Domine o Word Professor: Rafael Henriques

Domine o Word Professor: Rafael Henriques Domine o Word 2010 Professor: 1 08-03-2016 Rafael Henriques Sumário Introdução aos Processadores de texto; Microsoft Word 2010 O ambiente de trabalho O Friso Os Tabuladores do Word 2010; Realização e correcção

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais