Praia, 20 de Outubro de 2016

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Praia, 20 de Outubro de 2016"

Transcrição

1 DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL, ENG. JORGE SANTOS, NA CERIMÓNIA DE TOMADA DE POSSE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE CABO VERDE, DR. JORGE CARLOS FONSECA Praia, 20 de Outubro de 2016 Son Excellence, M. Macky Sall, Président de la République du Sénégal Son Excellence, M. Ibrahim Boubacar Keita, Président de la République du Mali et son Epouse Madame Keita Sua Excelência, José Mário Vaz, Presidente da República da Guiné Bissau e Excelentíssima Esposa; Son Excellence le Président du Parlement de la CEDEAO, M. Moustapha Cisse Lo Sua Excelência Senhor Primeiro-Ministro e Excelentíssima Esposa; Sua Excelência Senhor Primeiro-Ministro da República Togolesa, Sr. Komi Selom Klassou 1

2 Sua Excelência Senhor Presidente do Tribunal Constitucional; Sua Excelência Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Exmo. Senhor Antigo Presidente da República Portuguesa, General Ramalho Eanes e Excelentíssima Esposa Sua Excelência Antigo Presidente da República de Cabo Verde, Comandante Pedro Pires e Excelentíssima Esposa; Son Excellence, M. Charles Koffi Diby, Président du Conseil Économique et Social de la République du Côte D Ivoire Excelentíssimos Senhores Membros do Governo Estrangeiros e Nacionais Exmo. Senhor Vice-Presidente da Comissão da CEDEAO, Sr. Edward Singhatey Exmo. Senhor Secretário Executivo da CEDEAO, Embaixador Murade Murargy Exmos. Senhores Deputados à Assembleia Nacional; Exmos. Senhores Antigos Presidentes da Assembleia Nacional; Exmos. Senhores Antigos Primeiros-Ministros; Exmo. Senhor Presidente do Tribunal de Contas; Exmo. Senhor Procurador-Geral da República; Exma. Senhora Presidente do Conselho Superior da Magistratura Judicial; Exmo. Senhor Provedor de Justiça; 2

3 Exmos. Senhores Representantes do Corpo Diplomático e dos Organismos Internacionais acreditados em Cabo Verde; Exmos. Senhores Magistrados Judiciais e do Ministério Público, Exmo. Senhor Presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde; Exmos. Senhores Presidentes das Câmaras Municipais de Cabo Verde e do Benin Exmos. Senhores Presidentes das Assembleias Municipais; Exmo. Senhores Altos Representantes do Governo Estrangeiros e Nacionais; Exmos. Senhores Representantes das Confissões Religiosas; Exmo. Senhor Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas; Exmos. Senhores Membros do Conselho da República; Exmo. Senhor Governador do Banco de Cabo Verde; Exmo. Senhor Chefe da Casa Civil do Presidente da República; Exmo. Senhor Conselheiro de Segurança Nacional do Governo; Exmo. Senhor Director Nacional da Defesa; Exmo. Senhor Director Nacional da Política Externa e da Cooperação; Exmo. Senhor Director Nacional do Protocolo do Estado; Exmo. Senhor Director Nacional da Polícia Nacional; 3

4 Exmo. Senhor Director Nacional da Polícia Judiciária; Exma. Senhora Presidente da Comissão Nacional de Eleições; Exma. Senhora Presidente da Comissão Nacional dos Direitos Humanos e Cidadania; Exmos. Senhores Reitores e Presidentes das Universidade e Institutos de Ensino Superior em Cabo Verde; Exmos. Senhores Bastonários das Ordens e Associações Profissionais; Exmos. Senhores Jornalistas Caros Convidados Estrangeiros e Nacionais Caras amigas e caros amigos; 4

5 É para mim uma honra e um prazer presidir a esta sessão de empossamento de V. Exa, Dr. Jorge Carlos Fonseca, no mais elevado cargo da Nação, o do Presidente da República de Cabo Verde. Esta cerimónia solene que decorre hoje nesta Casa Parlamentar, cumprindo um imperativo Constitucional, é o resultado da confiança que os cabo-verdianos, nas ilhas e nas comunidades emigradas, depositaram na sua candidatura presidencial, que obteve uma expressiva votação de cerca de 74% dos votos expressos, sinal muito claro da vontade do povo cabo-verdiano. Gostaria de saudar, nesta ocasião, em nome do Parlamento, os candidatos presidenciais Albertino Graça e Joaquim Monteiro, que com a sua participação cidadã deram um bom contributo para a concorrência eleitoral e a valorização da função presidencial. Esta cerimónia está a ser testemunhada por ilustres personalidades nacionais e estrangeiras, presenças que nos honram e dão mais brilho e significado à posse do mais Alto Magistrado da Nação cabo-verdiana. Uma saudação de estima e reconhecimento é dirigida aos Chefes de Estado de países amigos, nas pessoas de Sua Excelência o Presidente do Senegal, Macky Sall; Sua Excelência o Presidente da Republica da Guine Bissau, José Mário Vaz; sua Excelência o Presidente da Republica do Mali, Ibrahim Boubacar Keita; 5

6 Dirijo uma saudação especial ao Senhor Primeiro Ministro, empossado este ano na sequência da vitória nas eleições legislativas, bem assim, às autoridades nacionais, confissões religiosas e organismos da sociedade civil. Uma saudação especial a Sua Excelencia o Presidente do Parlamento da CEDEAO, Cisse Lou. Saudações calorosas aos representantes de chefes de Estados e de Governos de países amigos, Portugal, Brasil, Angola, Estados Unidos da América, China, São Tome e Príncipe, Costa do Marfim, Guine Equatorial e, de representações diplomáticas e das organizações internacionais. A vossa presença nesta cerimónia é um sinal da vossa amizade, da confiança no nosso sistema democrático e de esperança num futuro melhor para Cabo Verde. A realização desta cerimónia, com essa magnitude, na mais absoluta normalidade e tranquilidade, é motivo de enorme satisfação para todos os cabo-verdianos, motivo mesmo de um grande orgulho. Pois somos um país que, não obstante os seus escassos vinte e cinco anos de regime democrático, goza de uma grande estabilidade política. 6

7 As escolhas democráticas, as alternâncias políticas, fazem parte natural da nossa vida, sendo absolutamente impensável a existência de qualquer modelo alternativo de exercício de poder em Cabo Verde. O mundo reconhece este nosso feito, de eleições livres, transparentes e democráticas, com alternância política sem qualquer sobressalto, o que muito nos honra! Ilustres convidados Minhas senhoras e meus senhores As presidenciais fecharam o nosso ciclo eleitoral de três eleições num ano, situação que não se verificava desde Nesta hora, é de justiça, enaltecer, especialmente a Comissão Nacional de Eleições, a Direcção-Geral da Administração Eleitoral, as Comissões de Recenseamento, os membros das mesas das assembleias de votos e a comunicação social, pelo trabalho levado a cabo no país e na diáspora. A gestão normal deste ciclo eleitoral, não obstante algumas dificuldades sentidas, prova que o país dispõe de instituições que funcionam a um bom nível, que a democracia cabo-verdiana consolida-se gradualmente, ganhando projecção e prestígio. Prova que somos capazes de enfrentar com êxito as dificuldades que se nos deparam e dão-nos confiança em relação ao futuro. 7

8 Fechado este ciclo eleitoral, podemos agora, com naturalidade, questionar se algumas normas que regulam as eleições dos titulares dos órgãos do poder político não mereciam uma reavaliação, especialmente quando são soluções adotadas há mais de vinte anos. Temos tempo suficiente para, com ampla participação de todos e a serenidade necessária que a importância desta matéria requer, de questionarmos, por exemplo, se ainda faz sentido mantermos a solução de suspensão de funções, quando um Presidente da República se candidata a um segundo mandato. A gradual consolidação das nossas instituições e o prestígio da nossa democracia apontam claramente no sentido de que talvez já não faça muito sentido mantermos esta solução. Quer isto dizer, por outras palavras, que as forças políticas devem abrir espaços de diálogo para, nos próximos anos, se proceder à revisão do Código Eleitoral, visando o seu aperfeiçoamento e melhor adaptação à nossa realidade, sem transigir com os grandes princípios que regulam as eleições numa democracia. Minhas senhoras e meus senhores. Um outro desafio que deve merecer a nossa atenção. Há anos e anos que o país espera pela realização da experiência de votação eletrónica, de forma a modernizarmos o nosso processo eleitoral. Trata-se de uma área em que dispomos de boas condições para termos êxito absoluto, tanto mais que os desenvolvimentos 8

9 recentes do país na área das novas tecnologias de informação e os projectos existentes a médio e longo prazo nos colocam num nível de vanguarda do sector no continente Africano. O futuro interpela-nos no sentido de que devemos caminhar para a introdução de novos tecnologias na democracia, formando a nova geração para que possa exercer o seu poder no século XXI de acordo com os desafios tecnológicos da humanidade. Ilustres convidados Se hoje nós podemos orgulhar de sermos uma referência da democracia ou um bom exemplo em matéria de protecção dos direitos humanos, liberdade religiosa, equidade de género, liberdade de imprensa ou nos indicadores do índice de desenvolvimento humano, como a educação e a saúde, foi graças ao empenho e contributo de várias gerações de caboverdianos. Cabo-Verdianos que no país e na diáspora, vencendo os obstáculos e as dificuldades abriram caminho para um país independente e soberano, democrático e preparado para ganhar os desafios do desenvolvimento sustentável. A democracia é sempre um processo em construção. 9

10 Já demos passos importantes e decisivos, mas restará ainda um longo caminho a percorrer em matéria de atitude e valores democráticos, na relação entre eleitos e eleitores e no aprimoramento dos mecanismos e instrumentos ligados aos processos eleitorais, propiciador de uma efectiva participação dos cidadãos na vida política e social, quer no país, quer na diáspora. Aliás, a própria natureza da função presidencial, apela a uma maior participação das nossas diásporas, porquanto o Presidente da República é, por imperativo constitucional e social, o garante da unidade da Nação, composta por cidadãos residentes e nas nossas comunidades emigradas, realizando a ideia de Nação Global Crioula. A classe política deve ter sempre presente os sinais que os cidadãos transmitem. Precisamos ter em conta que a realidade das nossas gentes é muito mais complexa que os nossos pensamentos ou estratégicas de intervenção política e pública, em cada momento. A cooperação franca e leal entre os diferentes órgãos de soberania é algo que deve ser construído e reforçado, aproveitando as sinergias e tirando proveito de todos os órgãos do poder e das virtualidades do próprio sistema político que temos. 10

11 O segredo estará sempre na interdependência entre os órgãos com responsabilidades legislativa, executiva e de moderação do sistema constitucional. Senhor Presidente Caros convidados Minhas Senhoras e meus Senhores A política não é e nem deve ser algo abstrato. Ela é feita por homens e mulheres para servir o bem comum Neste sentido, Senhor Presidente, deu um grande contributo para a consolidação do nosso sistema democrático. Na verdade, há alguns anos, constitucionalistas e politólogos discutiam que era necessário um juízo apenas provisório sobre o nosso sistema constitucional, se era adequado ou não à nossa realidade, porquanto apesar da estabilidade, da afirmação constante do Parlamento e da eficácia do sistema, traduzido numa constante satisfação das necessidades colectivas e aumento dos indicadores de desenvolvimento humano, devíamos esperar para uma prova que ainda o sistema não tinha dado. Pois bem: uma das singulares do seu mandato traduziu-se numa prova de que muitos estavam à espera; pela primeira vez, tivemos um Presidente eleito por votos globalmente diferentes dos obtidos pela maioria parlamentar que sustenta o Governo, e os piores receios foram afastados. 11

12 Vossa Excelência soube dialogar com todos e esta experiência inédita na II República, foi um grande contributo que deu para a nossa democracia e demonstra a sua abertura de espírito para, sem abdicar das suas competências, auscultar e trabalhar com os que podem pensar de forma diferente e que na diferença podemos levar Cabo Verde a bom porto. Assim, o exercício do seu primeiro mandato deixa-nos tranquilos quanto ao futuro. O Dr. Jorge Carlos Fonseca tem sabido cumprir a sua missão desde o seu empossamento em 2011 como Presidente da Republica, o de fazer da Constituição o seu caderno de encargos. A Nação cabo-verdiana tem a garantia de um Presidente atento e sempre preocupado com os problemas das pessoas, com as suas aspirações, comprometido na busca de soluções junto da Assembleia Nacional, do Governo e das Autarquias Locais. Um Presidente que é parceiro responsável, sem abdicar do seu apito, se entender que as regras do jogo podem estar a ser postas em causa. Sua Excelência Senhor Presidente da República. Esta Casa Parlamentar que tenho a honra de presidir vai continuar a cumprir a sua missão constitucional, de ser o centro do debate político, de produção das leis e de deliberações sobre os aspetos fulcrais da nossa vida em comum, mas também de fiscalização ativa das atividades do governo. 12

13 Pode estar certo que tudo faremos para uma cooperação institucional leal, para um relacionamento respeitoso e franco, na criação de um ambiente que permita tratar os assuntos do estado com elevação e responsabilidade. Auguramos a V. Exa muitos sucessos na sua nobre e elevada missão de Presidente da República de todos os cabo-verdianos. Muito obrigado. 13

Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos,

Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos, Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos, Excelentíssima Primeira-Dama da República de Angola, Drª Ana Paula dos Santos, Excelentíssimo Senhor Vice-Presidente

Leia mais

O Senhor Desembargador JOSÉ MARIA SOUSA PINTO cessa hoje as suas funções de Vice-Presidente deste Tribunal da Relação de Lisboa ao fim de um mandato

O Senhor Desembargador JOSÉ MARIA SOUSA PINTO cessa hoje as suas funções de Vice-Presidente deste Tribunal da Relação de Lisboa ao fim de um mandato Exmo. Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Exma. Senhora Procuradora-Geral da República Exmo. Senhor Vice-Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Exma. Senhora Bastonária da Ordem dos Advogados

Leia mais

XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP

XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP SECRETARIADO EXECUTIVO COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP (Brasília, 01 de novembro de 2016) DISCURSO DA SECRETÁRIA EXECUTIVA DA CPLP MARIA

Leia mais

Mesa-redonda Internacional de Doadores. sobre a Guiné-Bissau. Intervenção do Embaixador Murade Murargy. Secretário Executivo da CPLP

Mesa-redonda Internacional de Doadores. sobre a Guiné-Bissau. Intervenção do Embaixador Murade Murargy. Secretário Executivo da CPLP Mesa-redonda Internacional de Doadores sobre a Guiné-Bissau Bruxelas, 25 de Março de 2015 Intervenção do Embaixador Murade Murargy Secretário Executivo da CPLP Eximo. Senhor Primeiro-ministro da República

Leia mais

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República,

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República, Senhor Presidente do Supremo Tribunal Administrativo, Senhores Ministros, Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República, Senhora Procuradora-Geral da República, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

Visita de Sua Excelência Presidente da República do Senegal Engº. Macky Sall. Sede da CPLP. 9 de setembro de 2015

Visita de Sua Excelência Presidente da República do Senegal Engº. Macky Sall. Sede da CPLP. 9 de setembro de 2015 Visita de Sua Excelência Presidente da República do Senegal Engº. Macky Sall Sede da CPLP 9 de setembro de 2015 Discurso de Boas-Vindas do Secretário Executivo Embaixador Murade Murargy (Só faz fé a versão

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território Lei nº 23/92 de 16 de Setembro LEI DE REVISÃO CONSTITUCIONAL As alterações à Lei Constitucional introduzidas em Março de 1991, através da Lei nº. 12/91 destinaram

Leia mais

Cidade da Praia, 13 Janeiro de 2017

Cidade da Praia, 13 Janeiro de 2017 DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL, ENG. JORGE SANTOS, NA SESSÃO SOLENE ESPECIAL COMEMORATIVA DO 13 DE JANEIRO DIA DA LIBERDADE E DA DEMOCRACIA Cidade da Praia, 13 Janeiro de

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA 15 de Outubro de 2009 Sr. as e Srs. Deputados: Como Presidente eleito da Assembleia da República,

Leia mais

Gabinete de Relações Internacionais e Protocolo Divisão de Protocolo SESSÃO SOLENE COMEMORATIVA DO XXXVI ANIVERSÁRIO DO 25 DE ABRIL 10.

Gabinete de Relações Internacionais e Protocolo Divisão de Protocolo SESSÃO SOLENE COMEMORATIVA DO XXXVI ANIVERSÁRIO DO 25 DE ABRIL 10. Gabinete de Relações Internacionais e Protocolo Divisão de Protocolo SESSÃO SOLENE COMEMORATIVA DO XXXVI ANIVERSÁRIO DO 25 DE ABRIL 10.00 HORAS CERIMONIAL 1. Um batalhão, representando os três ramos das

Leia mais

DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 8/2007 REGIME DAS PRECEDÊNCIAS PROTOCOLARES E DO LUTO REGIONAL NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 8/2007 REGIME DAS PRECEDÊNCIAS PROTOCOLARES E DO LUTO REGIONAL NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 8/2007 REGIME DAS PRECEDÊNCIAS PROTOCOLARES E DO LUTO REGIONAL NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES A particular configuração que as regras das precedências protocolares assumem

Leia mais

DECLARAÇÃO PRELIMINAR

DECLARAÇÃO PRELIMINAR ECOWAS COMMISSION COMISSÃO DA CEDEAO COMMISSION DE LA CEDEAO CABO VERDE 2016 ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DECLARAÇÃO PRELIMINAR I- INTRODUÇÃO 1- Em conformidade com as disposições do Protocolo Suplementar sobre

Leia mais

Discurso de apresentação de cumprimentos de Ano Novo,

Discurso de apresentação de cumprimentos de Ano Novo, Discurso de apresentação de cumprimentos de Ano Novo, a S. E. o Presidente da República, proferido pelo Presidente da Assembleia Nacional, Dr. Aristides R. Lima, Praia, 06.01.11. Senhor Presidente da República

Leia mais

Luanda, 14 de Junho de 2016 EXCELÊNCIAS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO, SENHOR SECRETÁRIO-GERAL, SENHORES MINISTROS, DISTINTOS DELEGADOS,

Luanda, 14 de Junho de 2016 EXCELÊNCIAS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO, SENHOR SECRETÁRIO-GERAL, SENHORES MINISTROS, DISTINTOS DELEGADOS, DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, POR OCASIÃO DA 6ª CIMEIRA ORDINÁRIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL. 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL. 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO INTRODUÇÃO Em obediência ao despacho de missão número 0164/03/GPAN/2013, exarado por Sua Excelência

Leia mais

Excelência Jorge Carlos de Almeida Fonseca, Presidente da República de Cabo-Verde e Presidente em Exercício dos PALOP,

Excelência Jorge Carlos de Almeida Fonseca, Presidente da República de Cabo-Verde e Presidente em Exercício dos PALOP, Discurso pronunciado por Sua Excelência José Eduardo dos Santos, Presidente da República de Angola, por ocasião da Cimeira dos PALOP Luanda, 30 de Junho de 2014 Excelência Jorge Carlos de Almeida Fonseca,

Leia mais

SISTEMA SEMI-PRESIDENCIALISTA

SISTEMA SEMI-PRESIDENCIALISTA REPÚBLICA DE ANGOLA COMISSÃO CONSTITUCIONAL PROJECTO DE CONSTITUIÇÃO B SISTEMA SEMI-PRESIDENCIALISTA (Texto de Apresentação Pública) O Projecto B comporta 195 artigos e os seus principais aspectos são

Leia mais

A fiscalização legislativa orçamental e consequências na qualidade da democracia e governação actores objectivos e percepções

A fiscalização legislativa orçamental e consequências na qualidade da democracia e governação actores objectivos e percepções A fiscalização legislativa orçamental e consequências na qualidade da democracia e governação actores objectivos e percepções Elisabete Azevedo-Harman (PhD) Especialista Parlamentar Senior/ Pro PALOP TL

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 254/X

PROJECTO DE LEI N.º 254/X Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 254/X ALTERA A LEI N.º64/93, DE 26 DE AGOSTO (ESTABELECE O REGIME JURÍDICO DE INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS DOS TITULARES DE CARGOS POLÍTICOS E ALTOS CARGOS PÚBLICOS)

Leia mais

Diário da República, 1. a série N. o de Agosto de Artigo 6. o

Diário da República, 1. a série N. o de Agosto de Artigo 6. o Diário da República, 1. a série N. o 164 25 de Agosto de 2006 6185 Artigo 6. o Atenuação especial da coima até 50 % 1 A Autoridade da Concorrência pode conceder uma atenuação especial até 50% do montante

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos)

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) 1. O povo exerce o poder político através do sufrágio universal,

Leia mais

Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD. 19 de Setembro h30 Lisboa

Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD. 19 de Setembro h30 Lisboa Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD 19 de Setembro 2016 20h30 Lisboa Saudações Excelentíssimo Senhor Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Doutor Orlando Monteiro

Leia mais

PEC 369/2005 Poder Executivo

PEC 369/2005 Poder Executivo PEC 369/2005 Poder Executivo Dá nova redação aos arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição. Art. 1o Os arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição passam a vigorar com a seguinte redação: Art. 8o É assegurada

Leia mais

Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola;

Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola; REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola;

Leia mais

Permitam começar por cumprimentar o laureado, S.Exa o Comandante Pedro Verona Pires.

Permitam começar por cumprimentar o laureado, S.Exa o Comandante Pedro Verona Pires. Bom dia a todos e todas Permitam começar por cumprimentar o laureado, S.Exa o Comandante Pedro Verona Pires. Gostaria de cumprimentar muito calorosamente os nossos convidados, representantes das instituições

Leia mais

de :09 Lei das precedências do Protocolo do Estado

de :09 Lei das precedências do Protocolo do Estado Lei das precedências do Protocolo do Estado Português Lei n.º 40/2006, de 25 de Agosto A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: SECÇÃO I Princípios

Leia mais

Exmo. Senhor (Nome e morada)

Exmo. Senhor (Nome e morada) Exmo. Senhor (Nome e morada) Na sequência da reclamação apresentada em (data de apresentação da reclamação), do acto de processamento do seu vencimento, relativo ao mês de Janeiro de 2011, e em resposta

Leia mais

V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas

V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas Cerimónia de Abertura 4 de maio, 17h00 Centro de Exposições de Odivelas Intervenção de Sua Excelência, Secretário Executivo da CPLP, Senhor Embaixador

Leia mais

Comunicado à Imprensa. IV Reunião Extraordinária Do Conselho de Ministros da CPLP sobre Timor-Leste

Comunicado à Imprensa. IV Reunião Extraordinária Do Conselho de Ministros da CPLP sobre Timor-Leste Comunicado à Imprensa IV Reunião Extraordinária Do Conselho de Ministros da CPLP sobre Timor-Leste Lisboa, 18 de Junho de 2006 O Conselho de Ministros da, CPLP, reuniu-se em Lisboa, no dia 18 de Junho

Leia mais

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhora Presidente da Assembleia da República Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República e Senhores

Leia mais

Visita a Cabo Verde de S.E o Ministro das Relações Exteriores do Brasil Senhor Mauro Iecker Vieira PROGRAMA

Visita a Cabo Verde de S.E o Ministro das Relações Exteriores do Brasil Senhor Mauro Iecker Vieira PROGRAMA Visita a Cabo Verde de S.E o Ministro das Relações Exteriores do Brasil Senhor Mauro Iecker Vieira De 31 de Agosto a 01 de Setembro de 2015 PROGRAMA Segunda Feira, 31 de Agosto 18:20 Chegada à Praia num

Leia mais

Discurso proferido por SIQUEIRA CAMPOS, Governador Eleito pelo Estado do Tocantins na Solenidade de Diplomação.

Discurso proferido por SIQUEIRA CAMPOS, Governador Eleito pelo Estado do Tocantins na Solenidade de Diplomação. Discurso proferido por SIQUEIRA CAMPOS, Governador Eleito pelo Estado do Tocantins na Solenidade de Diplomação. Excelentíssimo Senhor Presidente do Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Tocantins,

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SEXA O GENERAL CEMGFA. Senhor Representante da República na Região Autónoma da Madeira, Excelência;

INTERVENÇÃO DE SEXA O GENERAL CEMGFA. Senhor Representante da República na Região Autónoma da Madeira, Excelência; INTERVENÇÃO DE SEXA O GENERAL CEMGFA Por ocasião da Comemoração do Dia do Comando Operacional da Madeira (29 de fevereiro de 2016) Senhor Representante da República na Região Autónoma da Madeira, Excelência;

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA Considerando o Relatório sobre os Trabalhos da Convenção sobre o Futuro da Europa e sobre o Projecto de Tratado que estabelece uma Constituição

Leia mais

Exm.º Senhor Presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, na qualidade de entidade empossante.

Exm.º Senhor Presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, na qualidade de entidade empossante. Exm.º Senhor Presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, na qualidade de entidade empossante. 1) Exm.º Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, 2) Exm.ª Senhora Procuradora-Geral da República,

Leia mais

VII REUNIÃO DE MINISTROS DA DEFESA DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Bissau, 31 de Maio e 1 Junho de 2004 DECLARAÇÃO FINAL

VII REUNIÃO DE MINISTROS DA DEFESA DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Bissau, 31 de Maio e 1 Junho de 2004 DECLARAÇÃO FINAL VII REUNIÃO DE MINISTROS DA DEFESA DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Bissau, 31 de Maio e 1 Junho de 2004 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros da Defesa de Angola, do Brasil, de Cabo Verde, da Guiné-Bissau,

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DEPUTADO FERNANDO CAPEZ, responsável pela criação desta Frente Parlamentar

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DEPUTADO FERNANDO CAPEZ, responsável pela criação desta Frente Parlamentar EXCELENTÍSSIMO SENHOR DEPUTADO FERNANDO CAPEZ, responsável pela criação desta Frente Parlamentar EXCELENTÍSSIMOS SENHORES DEPUTADOS ESTADUAIS INTEGRANTES DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA ADVOCACIA PÚBLICA

Leia mais

Discurso de Boas-Vindas Secretário Executivo da CPLP Embaixador Murade Murargy

Discurso de Boas-Vindas Secretário Executivo da CPLP Embaixador Murade Murargy VISITA DO VICE-PRESIDENTE DO BRASIL E SUA DELEGAÇÃO À SEDE DA CPLP (21 de abril de 2015) Discurso de Boas-Vindas Secretário Executivo da CPLP Embaixador Murade Murargy É com grande emoção e enorme satisfação,

Leia mais

ANOS DA CPLP» Intervenção de. S. Ex.ª Embaixador Murade Murargy, Secretário Executivo da Comunidade dos. Países de Língua Portuguesa (CPLP)

ANOS DA CPLP» Intervenção de. S. Ex.ª Embaixador Murade Murargy, Secretário Executivo da Comunidade dos. Países de Língua Portuguesa (CPLP) «SEMINÁRIO DAS COMEMORAÇÕES DOS 20 ANOS DA CPLP» Intervenção de S. Ex.ª Embaixador Murade Murargy, Secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Assembleia da República Portuguesa

Leia mais

José Alberto Azeredo Lopes

José Alberto Azeredo Lopes José Alberto Azeredo Lopes Ministro da Defesa Nacional Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, na XII Conferência de Ministros de Defesa das Américas Trinidade e Tobago,

Leia mais

III REUNIÃO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP DÍLI, 20 A 23 DE SETEMBRO DE 2011 COMUNICADO FINAL

III REUNIÃO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP DÍLI, 20 A 23 DE SETEMBRO DE 2011 COMUNICADO FINAL III REUNIÃO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP DÍLI, 20 A 23 DE SETEMBRO DE 2011 COMUNICADO FINAL I Nos dias 20 a 23 do mês de Setembro de 2011, realizou se em Díli, capital da República Democrática de

Leia mais

[Cumprimentos protocolares]

[Cumprimentos protocolares] VI Reunião dos Pontos Focais de Governação Eletrónica IV Conferência sobre Governação Eletrónica da CPLP Os desafios da Governação Eletrónica para o melhoramento da eficiência e eficácia do Estado e da

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Senhor Representante da República para a Região Autónoma da Madeira,

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Senhor Representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Senhor Representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Excelência, Senhor o Presidente do Governo Regional da Madeira, Excelência, Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal do

Leia mais

Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010 II Série Número 08. da Assembleia Nacional

Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010 II Série Número 08. da Assembleia Nacional Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010 II Série Número 08 DIÁRIO IX LEGISLATURA (2010-2014) 1.ª SESSÃO LEGISLATIVA SUMÁRIO Págs Mensagem do Presidente da República Pede para considerar sem efeito o assentimento

Leia mais

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho 01. Quanto ao Congresso Nacional, considere: I. O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal,

Leia mais

TÍTULO VIII PODER LOCAL

TÍTULO VIII PODER LOCAL TÍTULO VIII PODER LOCAL CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 235.º Autarquias locais 1. A organização democrática do Estado compreende a existência de autarquias locais. 2. As autarquias locais são pessoas

Leia mais

I ENCONTRO INTERPARLAMENTAR DOS QUADROS DAS ÁREAS FINANCEIRA E PATRIMONIAL

I ENCONTRO INTERPARLAMENTAR DOS QUADROS DAS ÁREAS FINANCEIRA E PATRIMONIAL I ENCONTRO INTERPARLAMENTAR DOS QUADROS DAS ÁREAS FINANCEIRA E PATRIMONIAL PROGRAMA 1ª SESSÃO 4 DE MAIO (SEGUNDA-FEIRA) 10H00 - Abertura do I ENCONTRO INTERPARLAMENTAR DOS QUADROS DAS ÁREAS FINANCEIRA

Leia mais

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos Discurso de Abertura de Sua Excelência o

Leia mais

Excelentíssima Senhora Bruna Furlan, Presidente da Comissão, Excelentíssimo Senhor Pedro Vilela, Primeiro Vice-Presidente,

Excelentíssima Senhora Bruna Furlan, Presidente da Comissão, Excelentíssimo Senhor Pedro Vilela, Primeiro Vice-Presidente, Palavras do Embaixador do Japão no Brasil, Sr. Satoru Satoh 21 de junho de 2017, Audiência Pública sobre o Dia da Imigração Japonesa, Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, Câmara dos Deputados

Leia mais

Segunda-feira, 25 de Agosto de 2014 II Série A Número 2 DIÁRIO. da Assembleia Nacional SUMÁRIO

Segunda-feira, 25 de Agosto de 2014 II Série A Número 2 DIÁRIO. da Assembleia Nacional SUMÁRIO Segunda-feira, 25 de Agosto de 2014 II Série A Número 2 DIÁRIO da Assembleia Nacional IX LEGISLATURA (2010-2014) 8.ª SESSÃO LEGISLATIVA SUMÁRIO Despachos do Gabinete do Presidente da Assembleia Nacional:

Leia mais

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA REPÚBLICA DE ANGOLA ----*---- PROVEDORIA DE JUSTIÇA RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA LUANDA, AGOSTO DE 2013

Leia mais

Excelência Eduardo dos Santos, Presidente da República de Angola e Presidente em exercício da Comissão do Golfo da Guiné,

Excelência Eduardo dos Santos, Presidente da República de Angola e Presidente em exercício da Comissão do Golfo da Guiné, DISCURSO PROFERIDO POR SUA EXCELÊNCIA, O PRESIDENTE TEODORO OBIANG NGUEMA MBASOGO, DA REPÚBLICA DA GUINÉ EQUATORIAL, NA ABERTURA DA III CIMEIRA ORDINÁRIA DE CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMISSÃO DO

Leia mais

José Alberto Azeredo Lopes. Ministro da Defesa Nacional

José Alberto Azeredo Lopes. Ministro da Defesa Nacional José Alberto Azeredo Lopes Ministro da Defesa Nacional Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, por ocasião da cerimónia de condecoração do Almirante General D. Fernando

Leia mais

panorama eleitoral VI - Conclusões

panorama eleitoral VI - Conclusões I Introdução II Os modelos de organização política III Teoria dos Poderes próprios/partilhados IV funções do Presidente da República V Análise de questões jurídicoconstitucionais com relevância no actual

Leia mais

INTERVENÇÃO DO ADMINISTRADOR PAULO VEIGA NA CERIMÓNIA DE ENTREGA DE LIVROS À ESCOLA SECUNDÁRIA TEIXEIRA DE SOUSA

INTERVENÇÃO DO ADMINISTRADOR PAULO VEIGA NA CERIMÓNIA DE ENTREGA DE LIVROS À ESCOLA SECUNDÁRIA TEIXEIRA DE SOUSA FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTINO VEIGA INTERVENÇÃO DO ADMINISTRADOR PAULO VEIGA NA CERIMÓNIA DE ENTREGA DE LIVROS À ESCOLA SECUNDÁRIA TEIXEIRA DE SOUSA SÃO FILIPE - ILHA DO FOGO 4 DE FEVEREIRO DE 2014 Exmo. Senhor

Leia mais

Discurso de Tomada de Posse do Exmo. Senhor Presidente da Federação Portuguesa de Lutas Amadoras Dr. Pedro Silva

Discurso de Tomada de Posse do Exmo. Senhor Presidente da Federação Portuguesa de Lutas Amadoras Dr. Pedro Silva Discurso de Tomada de Posse do Exmo. Senhor Presidente da Federação Portuguesa de Lutas Amadoras Dr. Pedro Silva Almada, 12 de Janeiro de 2013 Sua Excelência Senhor Secretário de Estado do Desporto e Juventude

Leia mais

Ministério da Comunicação Social

Ministério da Comunicação Social Ministério da Comunicação Social Discurso de Sua Exa. Ministro da Comunicação Social, na Cerimónia de Abertura do 1º Encontro Nacional de Quadros da Comunicação Social Excelências Sr. Vice Ministro da

Leia mais

Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral

Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral Garantias legais de equilíbrio do exercício do direito de antena durante o processo eleitoral Por: Cremildo Paca Falar sobre as garantias legais de equilíbrio do direito de antena é um exercício desafiante.

Leia mais

Direito Constitucional Português

Direito Constitucional Português Direito Constitucional Português Legislação Fundamental I CONSTITUIÇÃO E LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR 1. Constituição da República Portuguesa (depois da VII revisão constitucional Lei Constitucional nº 1/2005,

Leia mais

Conferência Língua Portuguesa, Sociedade Civil e CPLP. Mesa de Abertura

Conferência Língua Portuguesa, Sociedade Civil e CPLP. Mesa de Abertura Conferência Língua Portuguesa, Sociedade Civil e CPLP Mesa de Abertura Intervenção de S. Ex.ª o Senhor Embaixador Murade Isaac Murargy, Secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 Altera os arts. 102, 105, 108 e 125 da Constituição Federal para extinguir o foro especial por prerrogativa de função nos casos de crimes comuns. As Mesas

Leia mais

Apresentação do programa Parlamento dos Jovens. 1. Objetivos do Programa

Apresentação do programa Parlamento dos Jovens. 1. Objetivos do Programa Apresentação do programa Parlamento dos Jovens O Parlamento dos Jovens é uma iniciativa institucional da Assembleia da República, desenvolvida ao longo do ano letivo com as Escolas de todo o país, em que

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA A MARCELO REBELO DE SOUSA Professor Catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa JOSÉ DE MELO ALEXANDRINO Assistente da Faculdade de Direito de Lisboa CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA ^ COMENTADA

Leia mais

Assembleia Geral Anual da Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. de 10 de Abril de 2012

Assembleia Geral Anual da Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. de 10 de Abril de 2012 Assembleia Geral Anual da Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. de 10 de Abril de 2012 Proposta relativa ao Ponto 8. da Ordem de Trabalhos Considerando que se encontra vago o cargo de Presidente

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Comissão da Administração Pública, Poder Local e Comunicação Social 4ª Comissão

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Comissão da Administração Pública, Poder Local e Comunicação Social 4ª Comissão ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Comissão da Administração Pública, Poder Local e Comunicação Social 4ª Comissão Relatório de apreciação na especialidade n. 3/2012 De 13 de Dezembro 1. Assunto: Projecto de Revisão

Leia mais

Regimento do Conselho de Ilha da Terceira

Regimento do Conselho de Ilha da Terceira Regimento do Conselho de Ilha da Terceira ARTIGO 1º COMPOSIÇÃO O conselho de Ilha da Terceira é composto por: a) Os Presidentes das Assembleias Municipais de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória: b) Os

Leia mais

CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO

CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO Novembro de 2016 I - IDENTIFICAÇÃO Nome - RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO Estado civil - Casado Naturalidade - Luanda Nacionalidade - Angolana Data de nascimento

Leia mais

Assembleia Nacional Popular

Assembleia Nacional Popular REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Assembleia Nacional Popular LEI N. º /20 A Assembleia Nacional Popular decreta, nos termos da alínea l) do artigo 86.º da Constituição o seguinte: LEI DA COMISSÃO NACIONAL DE

Leia mais

Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento

Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REUNIÃO FINAL DO PROCESSO DA REVISÃO ANUAL 2014 Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento Maputo, 16 de Maio de 2014 SENHORES MEMBROS

Leia mais

REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA

REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA ARTIGO 1. OBJETIVOS REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA As missões de observação eleitoral da Confederação Parlamentar das Américas

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro Intervenção de Sua Excelência Georges Rebelo Pinto Chikoti, Ministro das Relações Exteriores, na Reunião de Alto Nível do Comité

Leia mais

TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS

TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS TEMPO DE JUSTIÇA A REFORMA DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA E DO ESTATUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS Visa esta comunicação submeter a reflexão alguns pontos que me parece oportuno debater, acerca da

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

Conselho das Comunidades Portuguesas

Conselho das Comunidades Portuguesas Regulamento Interno do Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na América do Norte Aprovado nos termos do número 3 do artigo 39.º-A e do número 1 do artigo 39.º-C da Lei n.º 66- A/2007, de 11 de

Leia mais

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de As minhas primeiras palavras são de reconhecimento, ao senhor Primeiro Ministro, estimado Dr. Pedro Passos Coelho, e restantes membros do Governo, por se terem associado a esta cerimónia, um marco de grande

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE. Discurso de S.E o PAN na cerimónia de abertura da Reunião Deslocalizada da Comissão Mista da CEDEAO

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE. Discurso de S.E o PAN na cerimónia de abertura da Reunião Deslocalizada da Comissão Mista da CEDEAO ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE Discurso de S.E o PAN na cerimónia de abertura da Reunião Deslocalizada da Comissão Mista da CEDEAO Senhor Representante do Presidente do Parlamento da CEDEAO,

Leia mais

UM TRIBUNAL DA RELAÇÃO PARA OS AÇORES

UM TRIBUNAL DA RELAÇÃO PARA OS AÇORES Secção A Judicatura e o Ministério Público na Reforma da Justiça UM TRIBUNAL DA RELAÇÃO PARA OS AÇORES Depois da ideia geral da virtude, não conheço outra ideia mais bela do que a dos direitos, ou melhor,

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO Sob o Alto Patrocínio do MINISTRO DA ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE Ti MOR-LESTE e da MINISTRA DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL DE PORTUGAL É OUTORGADO:

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LISBOA

DECLARAÇÃO DE LISBOA DECLARAÇÃO DE LISBOA Os Procuradores Gerais dos Estados Membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), reunidos por ocasião e do XIV Encontro, entre 13 e 14 de Outubro de 2016, na cidade

Leia mais

CPLP COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA IV REUNIÃO DE MINISTROS DA ÁREA DA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR BRASÍLIA, 4 DE JUNHO DE 2009

CPLP COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA IV REUNIÃO DE MINISTROS DA ÁREA DA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR BRASÍLIA, 4 DE JUNHO DE 2009 IV REUNIÃO DE MINISTROS DA ÁREA DA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR BRASÍLIA, 4 DE JUNHO DE 2009 Manuel Clarote Lapão Director de Cooperação do Secretariado Executivo da CPLP em representação do Secretário

Leia mais

Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA)

Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA) Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA) Grupo Compromisso, Reflexão e Ação Moção Sectorial Mais confiança, maior independência

Leia mais

SISTEMA PRESIDENCIALISTA-PARLAMENTAR

SISTEMA PRESIDENCIALISTA-PARLAMENTAR REPÚBLICA DE ANGOLA COMISSÃO CONSTITUCIONAL PROJECTO DE CONSTITUIÇÃO C SISTEMA PRESIDENCIALISTA-PARLAMENTAR (Texto de Apresentação Pública) O Projecto C comporta 221artigos e os seus principais aspectos

Leia mais

Depois da guerra total, a humanidade via-se confrontada com o horror total dos campos de concentração.

Depois da guerra total, a humanidade via-se confrontada com o horror total dos campos de concentração. Senhor Provedor de Justiça, Senhora Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República, Senhores Presidentes dos Grupos Parlamentares e

Leia mais

PROPOSTA N.º 46/P/2011

PROPOSTA N.º 46/P/2011 Fls. 253 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NO DIA 12 DE SETEMBRO DE 2011 ACTA N.º 18 Aos doze dias do mês de Setembro do ano de dois mil e onze, nesta Vila de Ourique, no Salão Nobre, no Edifício dos Paços

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Ministério de Economia e Finanças Autoridade Tributária de Moçambique

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Ministério de Economia e Finanças Autoridade Tributária de Moçambique REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Ministério de Economia e Finanças Autoridade Tributária de Moçambique Discurso da Exma. Senhora Presidente da Autoridade Tributária Por Ocasião do Encerramento da 7ª Edição do Fórum

Leia mais

ww.concursovirtual.com.b

ww.concursovirtual.com.b NACIONALIDADE (ART. 12 E 13) Fábio Ramos FGV TCM/RJ PROCURADOR 2008 1.O critério adotado pelo direito brasileiro para atribuir a nacionalidade a é: a) o do jus soli, com exceções. b) o do jus sanguinis,

Leia mais

CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO

CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO CURRICULUM VITAE RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO Março 2011 I - IDENTIFICAÇÃO Nome - RAUL CARLOS VASQUES ARAÚJO Estado civil - Casado Naturalidade - Luanda Nacionalidade - Angolana Data de nascimento - 21 de

Leia mais

sociedade brasileira, estejam contribuindo para o desenvolvimento deste país.

sociedade brasileira, estejam contribuindo para o desenvolvimento deste país. 120 Anos de Estabelecimento de Relações Diplomáticas entre Japão e Brasil Audiência Pública no Senado Federal Palavras do Embaixador do Japão, 12 de novembro de 2015 Excelentíssimo Senhor Jorge Viana,

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 145 QUESTÕES DE PROVAS IBFC POR ASSUNTOS 06 QUESTÕES DE PROVAS FCC 24 QUESTÕES ELABORADAS PELO EMMENTAL Edição Maio 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução

Leia mais

III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP

III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP Díli, 18 de maio de 2016 DECLARAÇÃO DE DÍLI Os Ministros dos Assuntos do Mar da CPLP ou seus representantes de Angola, Brasil, Cabo Verde,

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

Presidente da Câmara Municipal. Discurso 25 de Abril António Manuel Bota

Presidente da Câmara Municipal. Discurso 25 de Abril António Manuel Bota Presidente da Câmara Municipal Discurso 25 de Abril 2015 António Manuel Bota Muito bom dia a todos! Sr. Presidente da Assembleia Municipal, Mesa da Assembleia, Senhores Secretários da Assembleia Municipal,

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. Considere as seguintes normas constitucionais: I. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Constitucional Polícia Legislativa Câmara dos Deputados Período: 2007-2017 Sumário Direito Constitucional... 3 Eficácia das Normas Constitucionais... 3 Dos direitos

Leia mais

SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA

SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO SENHOR

Leia mais