Netprof.pt DOSSIER DE ESTÁGIO. Les adolescents et l amour. Competências gerais e transversais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Netprof.pt DOSSIER DE ESTÁGIO. Les adolescents et l amour. Competências gerais e transversais"

Transcrição

1 DOSSIER DE ESTÁGIO Les adlescents et l amur Cmpetências gerais e transversais - cmpreender texts escrits em língua estrangeira; - rganizar e interpretar infrmaçã; - cmunicar cnheciments resultantes da interpretaçã de infrmaçã; - utilizar a língua estrangeira para aprpriaçã de infrmaçã; - identificar e articular saberes e cnheciments para cmpreender uma situaçã; - exprimir dúvida e dificuldades; - adptar metdlgias persnalizadas de trabalh e de aprendizagem adequadas as bjectivs visads; -aut e heter-avaliar desempenh e cmprtament na sala de aula; - aut-avaliar a sua frma de aprender; - cperar cm s utrs em tarefas e prjects cmuns; - participar em actividades interpessais e de grup, respeitand regras e critéris de actuaçã, de cnvivência e de trabalh; - cmunicar, discutir e defender ideias próprias, dand espaç de intervençã as seus parceirs; - manifestar sentid de respnsabilidade, flexibilidade e respeit pel utr ; - identificar uma tarefa a realizar a partir das respectivas instruções. Cmpetências específicas Cmpreender: - uvir texts rais e inferir pssíveis sentids; - identificar uma persnagem, lugar, a partir da sua descriçã; - identificar uma sequência de acnteciments, persnagens e lugares e suas características; - deduzir sentid de palavras e estruturas descnhecidas a partir d cntext; - rever hipóteses frmuladas; - ler text escrits de natureza diversificada; - identificar a mensagem de texts de relaçã scial e interpessal (letra de uma cançã, e- mail ); - estabelecer relações de sm-sentid num text pétic; - utilizar cnheciments prévis sbre assunt d text na frmulaçã de hipóteses de sentid;

2 - assciar marcas textuais (títul, palavras-chave) a assunt e tip de text; - prescindir de cmpreender significad de palavras que nã sã essenciais à cmpreensã d sentid d text; - verificar a crrecçã das hipóteses. Interagir - apresentar prjects cmuns a grup-turma; - cperar de frma prdutiva na realizaçã de tarefas em pares e em grup. Prduzir - falar em situações de cmunicaçã diversificadas; - escrever em situações de cmunicaçã diversificadas; - reprduzir um text pétic, ; - falar/prduzir texts escrits crrespndend a necessidades específicas de cmunicaçã; - descrever cm bjectiv de dar a cnhecer (persnagens, bjects, lugares) a partir de suprtes váris (imagem, cançã); - narrar episódis/acnteciments cm u sem suprte. Saber Aprender - participar de frma cnsciente na cnstruçã de uma cmpetência plurilingue e pluricultural; - utilizar estratégias de aprpriaçã da língua francesa enquant instruments de cmunicaçã (nmeadamente mediante us d dicinári); - adptar prcediments adequads às necessidades de aprendizagem próprias; - explrar as prtunidades de relaçã interactiva para praticar a interacçã verbal; - tmar decisões / iniciativas n sentid de uma participaçã adequada em acts cmunicativs, prcesss de aprendizagem - rganizar e utilizar materiais num prcess de trabalh autónm; - cntribuir para a criaçã, na sala de aula, de um clima de trabalh favrável.

3 Texts/dcuments autêntics diverss Fichas de trabalh Ficha de bservaçã pel prfessr Ficha de heter-avaliaçã d trabalh em grup Grelhas de cmpreensã Grelhas de preparaçã da prduçã Retrprjectr Transparências cm fichas de trabalh Transparências cm imagem Cartões Blutak

4 Plan das aulas 1- Saudaçã as aluns. 2- Rappel da aula anterir e articulaçã cm tema da aula 3- Intrduçã a tema: O amr na adlescência Explraçã de vcabulári. Instruções de trabalh:. Tend sid levads a cncluir sbre tema desta aula, s aluns terã de pensar n máxim de palavras/expressões relacinadas cm tema (O prf. lembra que, n cas de nã saberem a palavra/expressã em francês, deverã recrrer a us d dicinári).. s aluns deverã de seguida cmparar resultads cm par respectiv Os aluns realizam a actividade Um representante de cada par escreve n quadr duas palavras /expressões Cmpreensã e aquisiçã de nv vcabulári relacinad cm dmíni de referência (DOC. 1). prfessr divide a turma em dis.. instruçã de trabalh :.. metade da turma pssui tiras de cartlina clridas cm s vcábuls de referência que irá afixar n quadr. A utra metade deverá afixar tiras de papel brancas cm as respectivas definições 4. Actividade de prduçã ral e escrita - explraçã de uma pintura (DOC. 2) O prfessr infrma s aluns que tem uma pintura muit cnhecida que se relacina cm as nções que acabaram de tratar. Antes, prém, gstaria que partilhassem s seus cnheciments artístics. Os aluns põem em cmum s seus cnheciments sbre as nções tratadas e sua expressã artística. O prfessr refere que a pintura retrata uma situaçã de amr. Os aluns especulam sbre a situaçã. O prfessr regista n quadr as sugestões ds aluns. Tend sid infrmads de que a pintura é bastante cnhecida, s aluns deverã fechar s lhs n sentid de imaginar as cres predminantes. Os aluns verificam as suas hipóteses à medida que a pintura vai send apresentad. Os aluns vêem finalmente a pintura cmpleta em transparência e descrevem--na.. Instruçã de trabalh:.. em grup, s aluns deverã bservar a pintura e tirar ntas sbre s tópics apresentads em transparência (DOC. 3).. a crrecçã é feita cm regist n quadr.

5 É prpst as aluns que, ainda em grup, tentem expandir a história.. Instruçã de trabalh;.. preencher uma grelha (DOC. 4).. elabrar um pequen parágraf mencinand s aspects cntemplads na grelha (s aluns dispõem de dicinári para a realizaçã da tarefa... s aluns realizam a tarefa... a crrecçã é feita ralmente 5-Actividade de cmpreensã ral e de prduçã ral O prfessr prpõe as aluns que, tend em cnta as duas persnagens d quadr, pnham em cmum s aspects que acham mais imprtantes numa relaçã amrsa.. Instruções de trabalh:.. individualmente, s aluns deverã escrever numa tira de papel aspect que acham mais imprtante numa relaçã amrsa... cada alun escreve: - 1 substantiv - um verb u expressã verbal Os aluns realizam a actividade. O prfessr reclhe s pedaçs de papel e clca-s num sac. O prfessr retira um pedaç de papel de cada vez e, após ter divulgad à turma cnteúd d papel, faz regist n quadr, slicitand à turma que discuta a pertinência da esclha desse aspect. Os aluns sã infrmads de que vã uvir uma cançã de Pascal Obisp, perguntand de seguida se algum alun cnhece referid cantr. É igualmente referid que a cançã trata precisamente s aspects que acabaram de discutir s aspects mais imprtantes n amr. Actividade de audiçã.. Os aluns têm acess à letra da cançã lacunar (DOC. 5).. Em pares, s aluns deverã preencher s espaçs de acrd cm cntext e a sua imaginaçã... Divulgaçã das sugestões ds aluns.. Os aluns uvem a cançã para verificar as sugestões apresentadas.. crrecçã em transparência Cmpreensã da cançã. Instruções de trabalh:.. em grup, s aluns deverã realizar uma ficha de trabalh sbre a cançã (sã atribuídas diferentes questões a cada grup) (DOC. 6).. s aluns realizam a tarefa.. a crrecçã é feita cm suprte de transparência.. s aluns sã interpelads sbre as frmas de amr patentes na cançã e sbre que é afinal imprtante n amr.

6 Actividade de prduçã escrita. Instruçã de trabalh:.. ainda em grup, s aluns deverã prduzir uma pequena quadra, seguind a estrutura d refrã. Deverã iniciar a quadra pr Dans l amur, l imprtant c est.. aquand da realizaçã da tarefa, prfessr rienta s aluns n seu trabalh.. a crrecçã é feita ralmente cm eventuais regists n quadr. 6- Actividade de leitura O prfessr salienta que amr traz alegria, mas também é causa de tristeza e sfriment É slicitad as aluns que imaginem a seguinte situaçã: uma pessa amiga envia-lhes um , expnd um prblema: está a sfrer pr amr. O que fariam perante tal situaçã? É apresentad um mail em transparência s aluns identificam tip de dcument apresentad ( a um psicólg da Internet) e a ideia expressa. (DOC. 7). Instruções de trabalh;.. em pares, s aluns discutem uma frma de ajudar a pessa que escreveu mail.. s aluns apresentam as suas prpstas.. s aluns especulam sbre qual terá sid a respsta d psicólg da Internet. Os aluns lêem text para verificar as suas hipóteses. (DOC. 8) Os aluns realizam uma ficha de cmpreensã d text (DOC. 9) A crrecçã é feita ralmente 7- Actividade de prduçã escrita (ficha de trabalh) Mediante trabalh de análise de text efectuada, s aluns prduzem um text, semelhante a dcument apresentad (8 linhas aprximadamente). (DOC. 10)

7 Dc. 1 VOCABULAIRE NOTIONS Cup de fudre Avir rendez-vus avec quelqu un Embrasser Rugir de hnte Dnner un clin d œil Amur déçu Être jalux de Amur platnique Chagrin d amur DÉFINITIONS Muvir les paupières des yeux pur draguer Avir un amur excessif e pssessif, prvquant la crainte d une éventuelle infidélité Amur subit et vilent Srtir avec quelqu un Déceptin d amur Amur au niveau de la pensée et ù il n y a pas de relatin physique Dnner un baiser Devenir ruge sus l effet d une émtin

8 Dc. 2 Gustav Klimt ( )

9 Dc. 3 Regarde attentivement le tableau et imagine les aspects suivants : Nm du tableau Raisn pur laquelle le peintre l a créé Ce que le peintre a ressenti lrsqu il l a créé Le genre de chambre ù ce tableau allait bien Maintenant, répnds à cette questin : Vudrais-tu avir ce tableau chez ti? Purqui?

10 Dc. 4 Observe l image et remplis la grille.. Identité des persnnages.nm. âge. natinalité. Où ils se snt cnnus. Cmment ils se snt cnnus. Où ils se truvent maintenant. Ce qu ils fnt Maintenant, cnstruis une petite histire à partir de la grille.

11 Dc. 5 Avant d écuter la chansn, remplis les blancs d après le cntexte. Mets tn imaginatin en marche. Peu imprte ce qu'n dnne Un surire, une curnne A quelqu'un u bien à persnne Peu imprte ce qu'n dnne Dnner c'est cmme (1) Mais sans s'en apercevir Cmme quand n (2) à ceux qu'n aime Qu'n gûte à l'pium d'aimer quand même D'aimer quand même... D'aimer quand même... L'imprtant c'est d'aimer, pur tut (3) L'imprtant c'est d'y crire sans s'en apercevir L'imprtant c'est tujurs d'être en amur L'imprtant c'est dnner, et ne rien (4) Peu imprte ce qu'n (5) A tus ceux qui nus délaissent Qu'n survive u qu'n disparaisse Peu imprte qui nus blesse Laisser c'est cmme tut (6) Mais sans s'en apercevir C'est cmme une faiblesse pur ceux qu'n (7) C'est presque une prmesse d'aimer quand même D'aimer quand même... D'aimer quand même... (Refrain) Peu imprte ce qu'n (8) Avec des mts u des cris Quand c'est le cœur qui parle aussi Peu imprte ce qu'n (9) Il faut tujurs le vulir Et bien s'en apercevir Cmme quand n (10) à ceux qu'n aime Qu'n gûte à l'pium d'aimer quand même D'aimer quand même... D'aimer quand même... (Refrain) L imprtant c est d aimer, pur tut dnner L imprtant c est d y crire sans s en apercevir D'aimer quand même, cmme je vudrais que l'n m'aime Pur tut dnner, à tus ceux qui eux m'nt aimé D'aimer quand même Cmme je vudrais que l'n m'aime Parles et Musique : Pascal Obisp, Patrice Guira 1999 Album «Sledad» SOLUTIONS DU DOC recevir 2. pardnne 3. dnner 4. demander 5. laisse 6. vulir 7. aime 8. dit 9. vit 10. surit

12 Dc. 6 Lisez les parles de la chansn pur répndre aux questins suivantes : Grupe 1 : 1- À vtre avis, quel est le titre de cette chansn? Expliquez les raisns de vtre chix. 2- Qui est le sujet pétique? 3- Qui est (snt) le(s) destinataire(s)? Grupe 2 : 4- Quel est le sentiment mis en évidence? Grupe 3 : 5- Signalez dans le pème ; en ruge les cinq mts les plus imprtants. Expliquez vs chix. en nir les mts que vus ne cnnaissez pas. Recherchez leur sens à l aide d un dictinnaire. 6- Relevez deux antithèses et expliquez leur valeur dans le pème.

13 Dc. 7 Prblèmes de cuple > Chagrins et blessures > Je suis tmbée amureuse d un tmbeur Je suis tmbée amureuse d un tmbeur Je suis tmbée amureuse de ce que l n appelle un tmbeur. Il semblait intéressé. Mais vilà qu il m évite maintenant. Que faire?

14 Dc. 8 Prblèmes de cuple > Chagrins et blessures > Je suis tmbée amureuse d un tmbeur Je suis tmbée amureuse d un tmbeur Je suis tmbée amureuse de ce que l n appelle un tmbeur. Il semblait intéressé. Mais vilà qu il m évite maintenant. Que faire? Bnjur Virginie Un tmbeur aime beaucup qu n le désire, qu n prête attentin à lui. Le cmprtement de celui que vus avez rencntré en est exemplaire. Et puis, pur arriver à ses fins, ntre tmbeur va, bien sûr, être gentil avec les femmes qui lui plaisent. En effet, prêter de l attentin aux autres, c est tujurs un très bn plan de drague. Dans vtre cas, l attentin qu il vus dnnait était destinée à vus séduire. Ce qui a bien fnctinné. Quand nus juns à l indifférent, cela ne dure jamais très lngtemps. Car il faut bien finir par aller vers l autre et lui prter une attentin très particulière!! Aussi à vtre place, je cris que vus devriez ublier cet hmme. Sn cmprtement actuel ne laisse pas imaginer qu il attende autre chse de vtre relatin. Il a besin de séduire. C est quelque part de sn jeu. Alrs, dans ce genre de situatin, dites vus que vus avez eu un bn mment et qu il est temps de repartir vers d autres amurs plus cnstructives pur vus! À bientôt E-mec

15 Dc. 9 L e -mec vus répnd Lis la répnse de «l e-mec» pur répndre aux questins suivantes. 1-Qui a envyé le mail? 2- Qui a répndu au mail? 3- Quel est le prblème expsé? 4- Truve les affirmatins dans le texte qui pruvent les affirmatins suivantes. a) Le tmbeur aimait attirer l attentin des femmes.... b) La fille a été séduite par lui et il s en est aperçu.... c) Le mieux c est dnc de le quitter pur ne pas suffrir d avantage Dnne un titre à chaque paragraphe. 6- Maintenant imagine que quelqu un te présente un prblème pareil. Quel cnseil dnnerais-tu à cette persnne? Lis le message et en te basant sur la structure du texte, écris un mail (envirn 8 lignes) ù tu essaies d aider cette persnne à résudre sn prblème. «Je suis tmbée amureuse d un beau garçn et là je lui ai dit. Il a eu une drôle de réactin. Je ne sais plus qui faire. Alrs, si tu veux bien m aider, ça serait gentil de ta part. Bisus.»

16 Dc. 10 Grelha de bservaçã d prfessr Elements Cmprtament Partici paçã Autnmia PO PE Grup 1 : Grup 2 : Grup 3 : Grup 4 :

17 Dc. 11 Heter-avaliaçã d trabalh em grup Avalia desempenh de cada um ds elements d grup utilizand s níveis: B (Bm), S (Suficiente) e I (Insuficiente). Elements Cmprtament / cntribut para um bm ambiente de trabalh Respeit pela piniã ds clegas Participaçã Resluçã de prblemas

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 8º an Subdmíni Cmunicaçã e clabraçã CC8 Cnheciment e utilizaçã adequada e segura de diferentes tips de ferramentas de cmunicaçã,

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA EMENTA: O ensin de língua estrangeira cm um códig de diferentes estruturas lingüísticas, cm ênfase na ralidade, leitura e escrita cm veículs de cmpreensã d mund.

Leia mais

Plano de Recuperação - Inglês

Plano de Recuperação - Inglês Escla: 9º 2005/2006 Prf. I- APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO Plan de Recuperaçã - Inglês Existência de dis níveis diferenciads: Nível I aluns cm graves deficiências de base. N.º Nme Nível II aluns cm algumas

Leia mais

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COLÉGIO MILITAR INGLÊS 1º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2015 2016 Grup Disciplinar de Inglês/Alemã 08.09.2015 Preâmbul 1. Pretende-se que a avaliaçã em Língua Estrangeira valrize td percurs esclar d alun,

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E

PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E FRANCÊS 12.ºANO NÍVEL DE CONTINUAÇÃO PROVA DE EXPRESSÃO ORAL E Esta prova desenvolve-se em três partes e tem uma duração aproximada de 20 minutos para cada grupo de dois alunos. Domínios de referência

Leia mais

CAFEZINHO BRASILEIRO A5

CAFEZINHO BRASILEIRO A5 1 PRONOMES (adjetivo) DEMONSTRATIVOS Déterminant Démonstratifs Oi Paulo, esse bola é do seu filho? Salut Paulo, ce balon est à ton fils? Sim, é dele. Oui, c est à lui. Les déterminants démonstratifs (pronomes

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

PAAES/UFU 2ª Etapa Subprograma 2011-2014

PAAES/UFU 2ª Etapa Subprograma 2011-2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos PAAES 2ª ETAPA SUBPROGRAMA 2011/2014 24 de fevereiro de 2013

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas

Escola Básica e Secundária de Velas Escla Básica e Secundária de Velas Dcument Orientadr para a Implementaçã das TIC na Educaçã Pré-Esclar e Ensin Básic 1 As TIC na Educaçã Pré-Esclar e n Ensin Básic O presente Dcument de Orientações Metdlógicas

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã SIDC-Sistema Infrmaçã Descentralizad Cntabilidade Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema de Infrmaçã Descentralizad

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO / LONGO PRAZO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO / LONGO PRAZO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO / LONGO PRAZO DISCIPLINA: Francês ANO: 7º Nível 1 Curso: Ensino Básico Total de aulas previstas: 99 Manual adotado: Mots Clés Porto Editora 1º PERÍODO - AULAS PREVISTAS: 41 Competências

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 2.0) A - Intrduçã Neste an, sua nta fi inferir a 60 pnts e vcê nã assimilu s cnteúds

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009

Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009 Provas orais em Língua Estrangeira Ensino Secundário Francês 11º ano, Nível de Continuação Janeiro 2009 Esta prova desenvolve-se em três partes e tem uma duração aproximada de 15-20 minutos para cada grupo

Leia mais

Língua Estrangeira: FRANCÊS L alarme intelligente Finis les hurlements intempestifs, elle reconnaît les cambrioleurs Les alarmes, c est bien pratique Sauf quand ça se met à hurler à tout bout de champ

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Interferência do português língua materna vs supergeneralização na escrita em francês

Interferência do português língua materna vs supergeneralização na escrita em francês Interferência do português língua materna vs supergeneralização na escrita em francês Pablo Diego Niederauer Bernardi * (UFPel) Isabella Mozzilo (UFPel) Aprender línguas pressupõe o desenvolvimento de

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo

Resolução da Questão 1 Texto Definitivo Questão Internet: . Acesso em: abr. 0. Considerando a figura acima apresentada, redija um texto dissertativo que atenda, necessariamente, ao que se pede a seguir. Identifique a

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire.

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Caros pais, A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Esta iniciativa insere-se no âmbito de um projeto

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 27/10/2014 a 21/11/2014 Carg: Auxiliar de Sala: Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 48,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.146,27 Nº Vagas: Cadastr de

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006.

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. DISCIPLINA: Matemática 1- BIBLIOGRAFIA INDICADA Bibliteca Virtual Pearsn MACEDO, Luiz Rbert de, CASTANHEIRA, Nelsn Pereira, ROCHA, Alex. Tópics de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. PARKIN, Michael.

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores www. escla-apel.cm Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres DESIGNAÇÃO DO CURSO Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres OBJECTIVOS GERAIS DO CURSO Cnsciencializar-se das cmpetências e d perfil de um frmadr;

Leia mais

E.B. 2,3 VISCONDE DE CHANCELEIROS

E.B. 2,3 VISCONDE DE CHANCELEIROS DISCIPLINA: Educaçã Musical ANO LETIVO: 2015/2016 Critéris de Avaliaçã Avaliar nã é apenas examinar e classificar. A avaliaçã cnstitui um prcess reguladr das aprendizagens, rientadr d percurs esclar e

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

Critérios de Avaliação. Gerais e Específicos. Ensino Profissional / Cursos de Educação e Formação

Critérios de Avaliação. Gerais e Específicos. Ensino Profissional / Cursos de Educação e Formação ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE ABRANTES Critéris de Avaliaçã Gerais e Específics Ensin Prfissinal / Curss de Educaçã e Frmaçã Muriscas, Setembr de 2008 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006

PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006 ESCOLA PROVA GLOBAL DE 9º ANO DE ESCOLARIDADE FRANCÊS 3 2005-2006 I Lisez attentivement le texte ci-dessous et les questions pour avoir une vision globale de ce qu'on vous demande. Une eau pas très écolo!

Leia mais

Prova Escrita de Francês

Prova Escrita de Francês Exame Final Nacional do Ensino Secundário Prova Escrita de Francês 11.º Ano de Escolaridade Continuação bienal Decreto-Lei n.º 139/2012, de de julho Prova 17/1.ª Fase Critérios de Classificação 7 Páginas

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

Desenho centrado em utilização

Desenho centrado em utilização Desenh centrad em utilizaçã Engenharia de Usabilidade Prf.: Clarind Isaías Pereira da Silva e Pádua Departament de Ciência da Cmputaçã - UFMG Desenh centrad em utilizaçã Referências Cnstantine, L.L., &

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado Mateus Geraldo Xavier Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral Dissertação de Mestrado Programa de Pós-graduação em Teologia do Departamento de Teologia

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo,

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo, AVISO NORMAS DE INSTRUÇÃO DE PROCESSOS EM FORMATO DIGITAL A Câmara Municipal de Viseu vai iniciar, n próxim dia 5 de Janeir de 2015, a implementaçã da tramitaçã eletrónica ds prcesss de licenciament/admissã

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

PROGRAMA FORMAR / 2009 Modalidade Apoio Formativo Plurianual

PROGRAMA FORMAR / 2009 Modalidade Apoio Formativo Plurianual PROGRAMA FORMAR / 2009 Mdalidade Api Frmativ Plurianual INSCRIÇÕES - GUIA DE PROCEDIMENTOS De acrd cm a Prtaria nº 1229/2006, de 15 de Nvembr, Institut Prtuguês da Juventude (IPJ) cntinua a prmver a frmaçã

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada

DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada 1- BIBLIOGRAFIA INDICADA Bibliteca Virtual Pearsn MACEDO, Luiz Rbert de, CASTANHEIRA, Nelsn Pereira, ROCHA, Alex. Tópics de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex,

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 4º BIMESTRE 2013 3º ANO. Brasília, 04 de outubro de 2013. Senhores Pais e/ou Responsáveis,

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 4º BIMESTRE 2013 3º ANO. Brasília, 04 de outubro de 2013. Senhores Pais e/ou Responsáveis, ENSINO FUNDAMENTAL Cruzeir 3213-3838 Octgnal 3213-3737 www.ciman.cm.br MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 4º BIMESTRE 2013 3º ANO Brasília, 04 de utubr de 2013.... dar, a tds, mesm pnt de partida. Quant a pnt

Leia mais

Pré-maratona de. Prof. Igor Barca

Pré-maratona de. Prof. Igor Barca de FRANCÊS para o CACD Prof. Igor Barca Como estudar francês para a diplomacia? Slide 2 de 37 O que é estudar um idioma? Slide 3 de 37 Algumas possíveis respostas Aprender gramática e entender a língua.

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação

Mestrado em Sistemas de Informação U n i v e r s i d a d e d M i n h Departament de Sistemas de Infrmaçã Mestrad em Sistemas de Infrmaçã 2003/2005 Tecnlgias de Streaming em Cntexts de Aprendizagem Sb a rientaçã d Prfessr Dutr Henrique Sants

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Ce qui ne change pas O que não se altera entre o pré-escolar e o 1º ano no LFIP L organisation administrative/a organização administrativa -Les contacts

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO - CEPAE ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA SUBÁREA DE FÍSICA E QUÍMICA PLANEJAMENTO ANUAL

Leia mais

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FRANCÊS 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém quatro questões, constituídas de itens e

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 3º BIMESTRE 1º ANO

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 3º BIMESTRE 1º ANO ENSINO FUNDAMENTAL Cruzeir 3213-3838 Octgnal 3213-3737 www.ciman.cm.br MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 3º BIMESTRE 1º ANO Linguagem ral Língua prtuguesa (linguagem ral, linguagem escrita e leitura) Cnteúds

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 03/10/2014 a 03/11/2014 Carg: Técnic Legislativ Taxa de Inscriçã: R$ 70,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.600,00 Nº Vagas: 17 Data da Prva: 14/12/2014

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Comunicar em situação de aula. Trocar opiniões sobre aspectos da cultura francesa

Comunicar em situação de aula. Trocar opiniões sobre aspectos da cultura francesa Agrupamento de Escolas À Beira Douro Escola Básica e Secundária À Beira Douro - Medas Departamento de Línguas - Francês 3.º Ciclo 8.º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1.º Período - Aulas previstas: Competências

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

A formação do engenheiro para as próximas décadas

A formação do engenheiro para as próximas décadas Seminário Inovação Pedagógica na Formação do Engenheiro Universidade de São Paulo Maio de 2003 A formação do engenheiro para as próximas décadas Henrique Lindenberg Neto Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

CADERNO DE PROVA 1.ª FASE

CADERNO DE PROVA 1.ª FASE AZUL CADERNO DE PROVA 1.ª FASE Francês Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA

Leia mais

Escola das Artes Universidade Católica Portuguesa Centro Regional do Porto, Porto, Portugal. Rua Diogo Botelho 1327, 4169-005 - Porto, Portugal

Escola das Artes Universidade Católica Portuguesa Centro Regional do Porto, Porto, Portugal. Rua Diogo Botelho 1327, 4169-005 - Porto, Portugal Authrs Sara Henriques, abslutich@htmail.cm Jrge Cards, jccards@prt.ucp.pt Helena Figueired, hfigueired@prt.ucp.pt Organizatin Escla das Artes Universidade Católica Prtuguesa Centr Reginal d Prt, Prt, Prtugal

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016.

FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016. FR Appel à participation : Micro-résidence de production et d affichage, Porto, Portugal 18 Avril-28 Avril 2016. L association In Extenso est historiquement liée aux projets «hors les murs» puisque sa

Leia mais

FRANCÊS INSTRUÇÕES 1 - ESTA PROVA CONTÉM 1 (UM) TEXTO SEGUIDO DE QUESTÕES DE COMPREENSÃO 2 - ESCOLHA E ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA, SEMPRE DE ACORDO COM O TEXTO EXISTE-T-IL DES RECETTES POUR ÊTRE HEUREUX?

Leia mais

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA]

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] 2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] Plan Anual de Expressã Plástica An Letiv 2012/2013 Intrduçã: A Arte é cm um vulcã, alg que brta espntaneamente, alg que vem d interir, das entranhas, d

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS. Tema da proposta: O ensino de Ciências através da literatura infantil: Tudo por causa do pum?

ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS. Tema da proposta: O ensino de Ciências através da literatura infantil: Tudo por causa do pum? ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS PROFESSORA LIA HEBERLÊ DE ALMEIDA TURMAS KANDINSKY Tema da prpsta: O ensin de Ciências através da literatura infantil: Tud pr causa d pum? Objetiv Geral: Estimular

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO Agrupament de Esclas Vila Flr ESCOLA E.B. 2,3/S DE Vila Flr CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO An Letiv 2015/ 2016 Critéris de Avaliaçã 2 A classificaçã atribuída reflete as cmpetências adquiridas

Leia mais

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt)

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt) 1 Cnteúd Intrduçã...3 Atualizaçã da V12.60.00/56 para a V13.00.00...3 Dcuments elabrads em Crystal reprts (.rpt)...3 Dcuments elabrads em Reprting Services (.rdl)...5 Atualizaçã da V12.60.00/48 para a

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi

Leia mais

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technlgies samaritan PAD 500P (Desfibrilhadr de Acess Públic) Actualizaçã d Sftware Cars Prprietáris d samaritan PAD 500P, O bjectiv desta carta é infrmar-vs sbre uma

Leia mais

Parlez-vous européen?

Parlez-vous européen? Parlez-vous européen? A BONECA BRAILLIN 1. Résumé Parece uma boneca normal mas não é. A Braillin possui seis botões em relevo correspondentes aos seis pontos base da linguagem braille (P.) / braile (B.).

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais